Issuu on Google+

12

IMPRESSO

parcerias

Empresas de Birigüi têm linhas especiais de crédito da Caixa Econômica Federal

O Sinbi aderiu, no mês de novembro de 2007, ao Protocolo de Intenções assinado entre o Estado de São Paulo, através da sua Secretaria de Desenvolvimento, e a Caixa Econômica Federal para oferecer linhas de crédito e produtos e serviços bancários para as empresas calçadistas de Birigüi. O documento foi homologado e as empresas já podem usufruir dos benefícios dele. Entre as vantagens oferecidas, estão a redução da tarifa

de manutenção de contas, de R$ 15,00 mensais para R$ 24,50 trimestral, ou seja, a tarifa será cobrada a cada três meses; capital de giro com valor limitado a R$ 30.000,00 por empresa, com juros de 0,83% ao mês, atualizado pela TR. Além disso, as linhas de crédito também trazem melhorias. Na linha de crédito PROGER para investimentos em máquinas, equipamentos e reformas, com possibilidade de capital de giro agregado ao projeto, os juros são de 0,41% ao mês mais TJLP e o prazo é de 48 meses, com opção de carência de 6 meses. Para a linha de crédito PROGER para Capital de Giro Puro, o protocolo prevê taxas e prazos varáveis, depen-

dendo de avaliação cadastral. Nas linhas de crédito com recursos do BNDES (BNDES Automático e FINAME) também estão previstas as menores taxas de juros do mercado para utilização em investimento em máquinas e equipamentos novos, caminhões novos, construção de prédio da empresa em terreno próprio, etc. Os empresários interessados em mais informações sobre esses benefícios ou em começar a usufruir essas vantagens, devem entrar em contato com a Caixa Econômica Federal em Birigüi, através do telefone 3642-1103 e procurar pelos gerentes Silvana Braga da Silva e Alexander Nogueira.

PAE define programação para o mês de março O PAE – Posto Sebrae de Atendimento ao Empreendedor de Birigüi oferece no mês de março diversas atividades que visam à formação de empreendedores na cidade e a capacitação de empresários que já desenvolvem suas atividades em diversos segmentos. Até dia 17 de março aconteceu o curso Aprender a Empreender, na sede da Associação Comercial e Industrial de Birigüi – ACIB. O foco do curso foi a formação de novos empreendedores e seu conteúdo foi composto por assuntos como o Posto do Sebrae em Birigüi perfil do empreendedor, as caractegiro e a determinar o valor necessário rísticas do mercado, a relação entre a em função das operações da empresa. empresa e o mercado, entre outros te- A palestra acontecerá na sede da ACIB mas como o comportamento financeiro das 10h às 12h. da empresa, seus resultados, capital de Outro tema que será abordado giro e fluxo de caixa. é a Administração Básica de Marketing. Além do curso, o PAE promove- Dia 27 de março, também das 10h às rá uma série de palestras durante o mês 12h, serão discutidos os principais aspara capacitar os empresários e escla- pectos e conceitos de marketing que os recer dúvidas. Dia 18, os empresários micro e pequenos empresários devem conhecerão os conceitos básicos para observar no atual mercado competitideterminar e gerenciar o capital de giro vo. Assuntos como a globalização e a da empresa. A palestra Administração integração do marketing com as áreas do Capital de Giro vai mostrar como de finanças, vendas, informática, proclassificar e analisar as fontes de apli- dução e qualidade da empresa também cações de recursos financeiros que de- serão discutidos. Esta palestra também terminam a necessidade do capital de será realizada na ACIB.

Informativo do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi Ano V • Nº 51 • Março/2008 • www.sindicato.org.br

As inscrições para o curso e as palestras são gratuitas. Os interessados devem procurar o PAE, à Rua Santos Dumont, 223, ou pelo telefone 3641-5053. As vagas são limitadas. União entre parceiros possibilita trabalho no PAE A instalação do PAE em Birigüi foi possibilitada pela parceria entre o Sebrae e diversas entidades representativas da cidade. Prefeitura Municipal, Sinbi, Associação Comercial, Sindicato Rural, Unisalesiano e Unimed trabalharam juntos para que o posto se tornasse uma realidade na cidade. Cada um dos parceiros contribuiu com itens necessários na instalação do posto, como o local, equipamentos, infra-estrutura, pessoal para atendimento no posto e manutenção do PAE. Com o PAE, micro e pequenos empresários de todos os setores de Birigüi recebem atendimentos para orientá-los na solução de problemas em seus negócios e também para a ampliação deles. Além disso, todos os parceiros envolvidos no PAE poderão identificar necessidades específicas da região e de determinados segmentos e elaborar ações pontuais para supri-las.

Birigüi se mobiliza para reduzir emissão de CO2

Evento distribuiu 400 mudas de árvores para a população

A Fiesp, em parceria com o Brazilian Carbon Bureau e com apoio do Sinbi e da Prefeitura Municipal, realizou dia 27 de fevereiro em Birigüi o primeiro evento da campanha “Menos Carbono, Mais Sustentabilidade”. O objetivo foi conscientizar a população e os empresários da importância de reduzir a emissão de CO2 na natureza e mostrar as oportunidades de negócios no mercado de carbono. Durante o evento foram distribuídas 400 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica e a população calculou quantas árvores precisa plantar para neutralizar as emissões de CO2. Página 7.

Fórum de Inspirações orienta empresários O Fórum de Inspirações, realizado por Assintecal, Senai e Sebrae, em Birigüi, dia 10 de março, apresentou aos empresários as inspirações para a moda do Verão 2009. Mais do que isso, o foco do trabalho esteve em orientar os empresários a aplicarem, de acordo com a realidade de seus consumidores, as informações recebidas. Página 6

Empresas do APL iniciam consultoria em design estratégico Os consultores do IED realizaram nas empresas do APL o diagnóstico inicial para a consultoria em design estratégico. Na avaliação deles, o trabalho promete ótimos resultados, já que as empresas se mostraram dispostas a agregar valor a seus produtos para aumentar a competitividade e as vendas. Páginas 4 e 5

Mais de 400 pessoas participaram do Fórum

Palestra esclarece dúvidas sobre a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Página 8 Pró-Criança será pioneiro no tratamento de TDAH em Birigüi. Página 11


2

EDITORIAL

Pró-Criança será primeira entidade em Birigüi a tratar crianças com TDAH

Proposta do Sinbi em 2008 é unir os empresários e fortalecer o setor calçadista de Birigüi Diretoria 2008/2009 Wagner Aécio Poli Presidente Sérgio Gracia José Roberto Colli Carlos Alberto Mestriner Samir Nakad Vice-presidentes José Luiz Fernandes 1º Secretário Antenor Marques da Silva Filho 2º Secretário Jacir Migliorini 1º Tesoureiro Antônio Liranço 2º Tesoureiro Antônio Ramos de Assumpção Diretor de Patrimônio

Diretoria do Sinbi já definiu projetos para 2008/2009

Neste mês de março nossa diretoria se reuniu para finalizar os últimos detalhes dos projetos que serão desenvolvidos em 2008/2009. Os diretores do Sinbi estão envolvidos no planejamento e execução de vários projetos que vão gerar muitos benefícios para as empresas de Birigüi e também para a comunidade toda (veja página 3). O objetivo é aproximar as empresas do sindicato para que recebam os benefícios que ele oferece, estimular a participação delas nas ações realizadas pela entidade e gerar união entre as empresas para fortalecer ainda mais o setor calçadista em Birigüi. Além dos projetos, o Sinbi apoiou a realização do show beneficente da dupla Zezé di Camargo e Luciano em prol do Hospital de Câncer de Barretos. O evento aconteceu dia 15 de março no Recinto de Rodeio Espora de Ouro e toda a equipe do Sindicato esteve envolvida na realização desta grande festa que beneficiou o hospital. A atuação da governança de Birigüi

em favor de questões que beneficiam a comunidade tem sido muito proveitosa e despertado a população. No último dia 27 de fevereiro, a Fiesp e o Brazilian Carbon Bureau realizou na cidade o primeiro evento da Campanha “Menos Carbono, Mais Sustentabilidade”. Neste evento, pudemos conscientizar a população e os empresários da importância de reduzir as emissões de carbono e preservar o meio ambiente. Para nós de Birigüi, que buscamos estar sempre à frente e engajados em questões relevantes para a comunidade, participar dessa campanha e adaptar nossas empresas a essa nova realidade é fundamental. Fazendo isso, estaremos cuidando não só do nosso negócio, mas do futuro dos nossos clientes: as crianças. Desejo a todos uma ótima leitura e convido para que participem dos projetos que vamos desenvolver no decorrer deste ano. Wagner Aécio Poli, presidente do Sinbi

11

projeto recriando

E x p e d i e n t e

Ubiraci Chaves de Oliveira Denilson Eckstein Diretores Sociais Anésio Sorato José Roberto Rodrigues Diretores-Administrativos Membros do Conselho Fiscal: Valdir Lino Pulzato Antônio Carlos Candelária Fábio Madella Membros Suplentes do Conselho Fiscal: Marcelo Ribeiro Moreira Silas Ibanhez Soares José Carlos Bardussi

O Projeto Recriando, desenvolvido pelo Instituto Pró-Criança de Birigüi, foi avaliado recentemente por uma psicóloga do ÂNIMA – Núcleo de Desenvolvimento Pessoal e Profissional. O projeto, realizado desde 2004 com crianças e adolescentes que apresentam distúrbios de aprendizagem, distúrbios comportamentais e/ou emocionais, foi considerado como de grande importância para a comunidade de Birigüi pelas atividades que desenvolve no tratamento de crianças e adolescentes portadores de Transtorno de Déficit de Atenção – TDAH O TDAH tem sido discutido freqüentemente hoje em dia e pode ser diagnosticado em crianças com 6 a 16 anos que apresentam sintomas como distração, hiperatividade e agitação, esquecimento, impaciência e dificuldade em respeitar limites, entre outros. O transtorno pode desencadear nos adolescentes comportamentos agressivos ou anti-sociais, problemas emocionais; assim como uma tendência ao uso de drogas.

Do total de crianças atendidas pelo projeto, 76% foram diagnosticadas como portadoras do transtorno, sendo que 42% delas também apresentam hiperatividade. O TDAH é o grande responsável pelos problemas de aprendizagem e baixo rendimento escolar e a Hiperatividade contém os variados sintomas que estão presentes nas reclamações de pais e docentes dessas crianças. O laudo elaborado pela psicóloga Joana Carolina Paro, responsável pela avaliação do projeto, cita que sem tratamento adequado, o indivíduo portador de TDAH vai construindo uma auto-imagem bastante deformada e conseqüentemente uma auto-estima rebaixada. “Isso compromete todo o desenvolvimento emocional e cognitivo da criança”, afirma. Na avaliação de Joana, os resultados obtidos pelos pacientes que foram tratados no Projeto Recriando foram bastante positivos, comprovando a necessidade e a importância da intervenção, que acontece desde

o início do processo de avaliação das crianças. “Observando os resultados, podemos concluir a importância desse projeto porque as instituições que atendem o mesmo público não prestam atendimento específico e indicado ao TDAH”, afrmou Joana. Em 2008, o trabalho do Projeto Recriando será completamente voltado ao tratamento de crianças com TDAH Segundo a coordenadora do Pró-Criança, Viviane Rizzo, as crianças que se inscreverem para participar do projeto serão avaliadas e se for diagnosticado o transtorno, elas serão atendidas pela equipe. Aquelas crianças que não apresentarem o TDAH serão encaminhadas para outras entidades que trabalham com distúrbios de aprendizagem. “Para Birigüi esse trabalho é muito importante porque na cidade nós não temos projetos que façam o tratamento de crianças com esse distúrbio. Então, o Pró-Criança vai ser a primeira entidade a fazer esse trabalho”, afirmou o presidente do Pró-Criança, Valdir Mestriner.

Delegados na Federação: 1- Samir Nakad 2- Carlos Alberto Mestriner Suplente Delegado na Federação: José Roberto Colli Rua Roberto Clark, 460 – Centro 16200-043 Birigüi – SP Fone: (18) 3649-8000 Fax: (18) 3649-8022 E-mail: sindicato@sindicato.org.br Projeto gráfico Pontual Propaganda Fone: (18) 3624-3366 Reportagens: Karen Silva imprensa@sindicato.org.br Jornalista responsável Paulo Mantello – MTb 24.441 Impressão e fotolitos Arte Mídia Gráfica e Editora Fone: (18) 3641-5550

O Instituto Pró-Criança de Birigüi será o primeiro na cidade a trabalhar especificamente com crianças com TDAH

Artesanato produzido pelas crianças atendidas pelo Projeto Recriando


10

3

projetos nova diretoria

história do calçado de birigüi

Diretores definem novos projetos para 2008 briel Monteiro. Aos 20 anos de idade, Antonio foi convidado para trabalhar como ajudante e aprendiz de montador na Fábrica de Calçados Birigüiense, de Avak Bedouian. Após alguns anos, Antonio saiu da fábrica e decidiu ir para São Paulo com seu irmão Francisco. Chegando lá, os irmãos trabalharam em uma A década de 50 foi marcada pelo início da fabricação de calçados fábrica de calçados masculinos, mas infantis em Birigüi. Até então, as em seguida passaram a trabalhar sapatarias e fábricas que funciona- com um italiano que produzia calvam na cidade produziam calçados çados infantis no Ipiranga. Foi onde eles aprenderam a arte de fabricar o adultos. O pioneiro do calçado infantil calçado infantil. No final de 1957, Antonio e em Birigüi foi o empresário Antonio Francisco retornaram a Birigüi com Ramos de Assumpção. Junto com seu o propósito de montar a primeira fábrica especializada em modelagem infanto-juvenil. Em 1958, tiveram início as atividades da Fábrica de Calçados Ramos de Assumpção, que empregava seis trabalhadores. Na época, havia falta de mão-de-obra especializada na fabricação de calçado infantil e por isso parte do processo de produção era realizado fora Fachada da Fábrica de Calçados Ramos de Assumpção de Birigüi. A produção inicial da fábrica dos irmãos Assumpção era irmão, Frande 20 pares por dia e a modelagem cisco, ele a p r e n d e u variava entre o número 18 ao 28. A escolha pelo calçado infantil o ofício de se deu porque Antonio e Francisco sapateiro na Assumpção perceberam a baixa cidade de Ga-

Década de 50: nasce a indústria de calçados infantis de Birigüi

concorrência no mercado nacional neste segmento na época. Eles verificaram que a cidade de Franca já era especializada na fabricação de calçado masculino e que Jaú e o estado do Rio Grande do Sul, em calçados femininos, e portanto havia espaço para a fabricação e comercialização do calçado infantil. Outra situação que ajudou na escolha pelo calçado infantil foi a

A nova diretoria do Sinbi definiu no mês de março os projetos e ações que serão desenvolvidos em 2008/2009. Os 20 diretores que fazem parte da nova gestão estão envolvidos no planejamento e execução dos projetos, juntamente com a equipe do sindicato. Projetos iniciados no ano passado estão na pauta e terão continuidade em 2008/2009. APL, Museu Virtual, Brinca Birigüi e Semana do Sapateiro serão desenvolvidos, com algumas mudanças que venham aprimorar o funcionamento deles e trazer

quantidade de matéria-prima utilizada na confecção dos calçados. Para produzir um sapato para criança era necessário menos material, assim o custo inicial do negócio em relação a matéria-prima seria menor.

Fonte: www.museubirigui.com.br , Livro A evolução da indústria calçadista de Birigüi / Marçal Rogério Rizzo. Birigüi, SP : Boreal Editora, 2005

Entre os novos projetos e ações, estão: Comemoração do Dia do Trabalho, Projeto Ambiental, Novo Portal do Sinbi, Ação Associados, Confecção e Vestuário, Fornecedor e Componentes e Comunicação e Mídia. Os trabalhos propostos têm o objetivo de oferecer às empresas associadas ao Sinbi mais benefícios, apoio no desenvolvimento de suas atividades, além de promover oportunidades de negócios para elas. Aproximar as associadas do sindicato e atrair novos associados também são os objetivos para 2008.

Projetos e Ações 2008/2009 Promoção da Marca “Birigüi – Capital Brasileira do Calçado Infantil” Objetivos: Divulgar Birigüi como sinônimo de calçado infantil e transformá-la na “cidade da criança”. Instalação de placas de rua temáticas, mais orelhões em forma de sapatinho e brinquedos nas praças. Líderes: Wagner Aécio Poli, Carlos Alberto Mestriner, Denílson Eckstein e Marcelo Ribeiro Moreira Planejamento Estratégico para os Próximos 10 anos Objetivo: Planejamento das ações do Sinbi, baseado na visão, missão e valores do sindicato. Traçar um plano de metas e de trabalho, pensando no futuro do setor calçadista em Birigüi. Líderes: José Roberto Colli, Carlos Alberto Mestriner, Samir Nakad, Sérgio Gracia, Wagner Aécio Poli e Ataliba Mendonça Júnior

O pioneiro do calçado infantil em Birigüi, Antonio Ramos de Assumpção

mais benefícios para as empresas e para a comunidade. Além deles, projetos que começaram a ser discutidos pela gestão anterior, mas ainda não haviam sido executados, terão início neste ano. Entre eles estão o projeto de Promoção da Marca “Birigüi – Capital Brasileira do Calçado Infantil”, Planejamento Estratégico para os Próximos 10 anos, Materiais Obsoletos, Projeto Comprador e Incubadora de Empresas de Birigüi. Os diretores também acompanharão o trabalho do Centro Paula Souza, representando as empresas do Pólo.

Materiais obsoletos Objetivo: Canal para as empresas comercializarem entre si materiais estocados e não utilizados. Realizar a “Semana da Oportunidade” para as empresas promoverem uma feira para vender os materiais. Líderes: Samir Nakad, Jacir Migliorini, José Roberto Rodrigues e José Carlos Barducci

e aprendizado. Líderes: Denílson Eckstein, Wagner Aécio Poli, José Carlos Barducci e Ataliba Mendonça Júnior

de descontração e benefícios para a comunidade. Líderes: Wagner Aécio Poli, Ubiraci de Oliveira, José Roberto Rodrigues e Fábio Madela

Convênio Incubadora de Empresas de Birigüi Objetivo: O Sinbi assumiu a gestão da Incubadora no final de 2007 e acompanha todo o desenvolvimento do trabalho do projeto. Líder: Regiane Almeida

Confecção e Vestuário Objetivo: Conhecer as necessidades das empresas de confecções e vestuário de Birigüi para desenvolver ações que beneficiem também esses associados do Sinbi. Líderes: Antônio Liranço, Wagner Aécio Poli e Anésio Sorato

Convênio APL Objetivo: Capacitar as micro e pequenas empresas de Birigüi para alcançarem mais competitividade e lucratividade. Líder: Regiane Almeida Projeto Ambiental Objetivo: Desenvolver ações que levem as empresas de Birigüi a ter maior preocupação com o meio ambiente e trabalhar de forma sustentável e consciente. Líderes: José Roberto Colli, Samir Nakad, Antenor Marques e Ernane Ney da Silva Novo Portal do Sinbi Objetivo: Reformular o portal do Sindicato na internet, incluindo mais informações e novas ferramentas para auxiliar as empresas. Líderes: Marcelo Moreira e Fábio Madela

Museu Virtual – Cinqüentenário do Calçado Infantil Objetivo: Divulgar a história do calçado na cidade de Birigüi e comemorar os 50 anos da fabricação do calçado infantil. Líder: Rossana Codogno

Semana do Sapateiro Objetivo: Comemorar o Dia do Sapateiro, oferecendo aos profissionais do setor calçadista de Birigüi atualização de conhecimento, atividades culturais e confraternização. Líderes: Ubiraci Chaves de Oliveira, Antenor Marques da Silva e Valdir Lino Pulzatto

Brinca Birigüi Objetivo: Comemorar o Dia da Criança, oferecendo às crianças de Birigüi momentos de diversão

Comemoração Dia do Trabalho Objetivo: Grande evento para comemorar o dia dos trabalhadores de Birigüi, proporcionando momentos

Fornecedores e Componentes Objetivo: Desenvolvimento de ações para capacitar e melhorar o trabalho das empresas de componentes associadas ao Sinbi. Organização: Assintecal Ação Associados Objetivo: Estreitar o relacionamento entre a diretoria do Sinbi e os associados, apresentar a amplitude das ações realizadas e os benefícios que geram para as empresas, aumentar a participação nas atividades e atrair novos associados. Líderes: Ubiraci Chaves de Oliveira e Rossana Codogno Basseto Projeto Comprador Objetivo: Encontro de negócios entre empresas de Birigüi e compradores nacionais e internacionais. Será realizado na primeira semana de agosto, com apoio do Sebrae e da Abicalçados. Líderes: Rossana Codogno Basseto, Regiane Almeida, Elines Rodrigues, Érika Zago Barbosa e Danithiele Pardini Comunicação e Mídia Objetivo: Divulgar as ações do Sinbi através de publicidade em veículos de comunicação, trabalhando a imagem institucional da entidade. Líderes: José Luiz Fernandes e Antônio Liranço

Reservado p Arte Mídia


4

Série

arranjo produtivo

Empresas se preparam para agregar valor a seus produtos As empresas do APL que se inscreveram para a capacitação em design estratégico participaram, nos dias 25 a 29 de fevereiro, do diagnóstico realizado pelo consultor do IED – Istituto Europeu di Design, Amilton Arruda, e pela estilista Francesca Cordova. Eles visitaram as empresas para conhecer o perfil delas, as características de seus produtos e a forma de desenvolvê-los. As informações colhidas servirão como base para o desenvolvimento dos treinamentos e consultorias individuais nas empresas, que tiveram início dia 17 de março. A capacitação em design estratégico tem o objetivo de ajudar as empresas a agregar valor aos seus produtos, aumentando assim sua competitividade e lucratividade. Durante as visitas, os consultores analisaram itens como o comportamento das vendas, regiões onde os representantes atuam, desenvolvimento dos produtos desde a concepção dos modelos até a finalização das peças. Outras informações como o investimento em marketing, compra de equipamentos e treinamento dos colaboradores foram levantadas pelos consultores. Na avaliação de Francesca, o contato com as empresas foi muito positivo porque elas estão preocupadas com a melhoria de seus produtos. “Elas estão dispostas a trabalhar os produtos e sem esse entendimento o trabalho não teria resultado”, afirmou a estilista. Através da consultoria em marketing, na qual o consultor Arnaldo Rabelo tem conscientizado as empresas sobre a importância de agregar valor a seus produtos e investir na marca, as empresas foram sensibilizadas para o trabalho do IED. “Investir na marca é

9

Fornecedores

Anderson Componentes completa 23 anos A Anderson Componentes para Calçados tem 23 anos, completados no dia 26 de fevereiro. Para comemorar a data, a empresa resolveu homenagear seus clientes e fez uma festa, com direito a bolo e distribuição de brindes. A empresa convidou seus clientes para comparecer à sua sede e festejar o aniversário. O trabalho da Anderson teve início em 1984, com o empresário Anderson Pontes e seus filhos Anderson Junior e Alison. A empresa sempre trabalhou no desenvolvimento de componentes para calçados, desde sua fundação, e também com a venda de máquinas. Segundo André Luiz Pontes, sócio-proprietário da empresa e um dos filhos do Sr. Anderson, a Anderson Componentes comercializa fivelas, máquinas e insumos em geral para

as indústrias calçadistas. “A demanda de vendas da Anderson deu origem a outra empresa da família, a Fiveltec, que fabrica fivelas. Os demais materiais que nós comercializamos são vendidos através de representadas”, explicou. A dedicação aos clientes e o cuidado para um atendimento com excelência são, na opinião de André, um dos fatores importantes para o crescimento da empresa e a chegada aos 23 anos de trabalho. “Fidelizar o cliente é o segredo da Anderson e o motivo de completarmos 23 anos de trabalho sempre crescendo”, disse. O principal segmento atendido pela Anderson é o calçadista, mas a empresa também tem alguns clientes no setor de vestuário. “Nós atuamos em todo o estado de São Paulo, principalmente na região noroeste”, explica André.

O fundador da Anderson Componentes, Anderson Pontes

A empresa fez festa para receber os clientes e comemorar os 23 anos

Consultores do IED conheceram as fábricas que estão participando da capacitação em design estratégico

Cartão Bradesco BNDES beneficia empresas

a melhor saída para as empresas conquistarem seu espaço no mercado”, afirma Arnaldo. Francesca também percebeu que as empresas precisam definir sua identidade. “Elas ainda não têm uma imagem de marca definida, mas já têm preocupação com isso. Já estão compreendendo que podem competir pela marca e não por preço, e isso é um grande avanço”, ressaltou. Nos treinamentos coletivos, os consultores do IED vão ensinar aos empresários e responsáveis pelo desenvolvimento dos produtos uma metodologia de projeto de coleção. Nas consultorias individuais, serão trabalhadas as necessidades específicas de cada

O Banco Bradesco de1,00% (taxa Janeiro/2008). senvolveu, para facilitar o As micro, pequenas e dia-a-dia das micro, pequenas médias empresas de Birigüi e médias empresas com fatutambém podem usufuir desses ramento anual de até R$ 60 benefícios. Os interessados milhões, o Cartão BNDES Braem mais informações sobre o desco Visa Distribuição. Com cartão ou em fazer o cadastro o cartão, as empresas podem para utilizá-lo podem acessar financiar a compra de bens de o site www.bradescopessoajufabricação nacional de forma ridica.com.br ou cadastrar-se simplificada e mais vantagens diretamente no portal www. no parcelamento. cartaobndes.gov.br, preenModelo do Cartão BNDES Bradesco Visa Distribuição Através do cartão, as chendo a proposta e encamiaté R$ 250.000,00 por CNPJ, isenção compras podem ser parcenhando à agência Bradesco ladas em até 36 meses com valores da tarifa de anuidade, cinco anos de Birigüi, à Rua Conselheiro Antonio fixos. A empresa também tem limite de validade do cartão e taxas de juros a Prado, 56 – Centro.

empresa. “No diagnóstico, cada uma escolheu uma linha ou um produto específico para trabalharmos durante a consultoria individual, aplicando os conceitos vistos no treinamento coletivo”, explicou Francesca. O objetivo principal do trabalho é colocar no dia-a-dia das empresas as informações do curso. É importante a participação dos empresários e das pessoas envolvidas na criação dos produtos. A proposta do IED é ensinar as empresas a trabalharem por conta própria, não esperando somente as tendências chegarem para segui-las, mas cada uma encontrar seu próprio caminho, de acordo com suas características próprias e seu público.


8

legislação

Palestra explica aspectos da Lei Geral da Microempresa Dia 6 de março, o Sebrae Geral houve uma simplificação realizou no Sinbi uma palestra no pagamento dos impostos das para esclarecer as dúvidas dos empresas. “Com o SIMPLES, as empresários de Birigüi sobre a empresas pagam em uma única Lei Geral da Microempresa. O guia, impostos nacionais, estaconsultor jurídico do Sebrae-SP, duais e municipais”. As empresas Sílvio Vucinic, falou aos empreque exercem atividades como sários sobre os aspectos gerais contabilidade, informática, conda lei, quais pessoas jurídicas sertos em geral, academias de podem ser beneficiadas por ela dança e ginástica, escolas técnie explicou sobre o Simples Nacas e de línguas, construção civil, cional. A palestra reuniu empredentre outros, não podem aderir sários de vários segmentos. ao SIMPLES Nacional. O consultor explicou que Todas as micro e pequepodem ser beneficiadas pela Lei nas empresas podem receber Geral as empresas que se encaios benefícios previstos para a xam no conceito de ME e EPP O consultor jurídico do Sebrae-SP, Sílvio Vucinic, explicou Lei Geral, mas para recolher os disposto na Lei. Segundo ela, os aspectos da Lei aos empresários impostos pelo SIMPLES é nesão consideradas microempresas cessário que a empresa faça a aquelas que têm receita bruta opção através de um formulário se refere aos tributos aplicados sobre anual igual ou inferior a R$ 240.000,00, elas, que é o SIMPLES Nacional. “Com eletrônico. Se a empresa não optar, ela e empresas de pequeno porte são aque- a Lei Geral, a burocracia para as micro e continua recolhendo os impostos pelo las que têm receita bruta anual superior pequenas empresas diminuiu. Agora elas regime normal. a R$ 240. 000,00 e igual ou inferior a têm mais facilidade para abertura e enAs empresas que desejarem obter R$ 2.400.000,00. cerramento de suas atividades, cancelar mais informações sobre a Lei Geral, ou Segundo Sílvio, a Lei Geral tem protestos em cartório e têm prioridade esclarecer outras dúvidas, podem entrar duas partes, sendo uma destinada aos nos processos de licitação”, explicou. em contato com o consultor através do benefícios para as empresas e outra que Na questão tributaria, com a Lei e-mail silviov@sp.sebrae.com.br.

Treinamento PLR

O Sinbi promove neste mês de março o treinamento para capacitar os empresários de calçados e vestuário para elaborar o Plano de Metas para apurar os valores que devem ser pagos no PLR, que visa a participação dos colaboradores nos lucros e resultados das empresas. O treinamento está sendo ministrado pelo consultor Paulo Menani e já ocorreu nos dias 14 e 15, e também vai acontecer dias 28 e 29.

A carga horária do treinamento é de 8 horas e para os associados ao Sinbi a participação é gratuita. Os não associados pagam taxa de R$ 100,00.

Show beneficente Zezé di Camargo e Luciano

A Comissão organizadora Amigos de Birigüi e a comunidade realizaram show beneficente com a dupla Zezé di Camargo & Luciano, em prol do Hospital de Câncer de Barretos. O

5

Arranjo produtivo

evento aconteceu no Recinto de Rodeio Espora de Ouro, dia 15 de março. Entidades como Sinbi, ACIB (Associação Comercial e Industrial de Birigüi), Prefeitura Municipal e Voluntárias do Combate ao Câncer de Birigüi foram os realizadores do evento. Toda a renda foi revertida para o Hospital. Em 2007, foram atendidas 579 pessoas da cidade de Birigüi, sendo um total de seis mil atendimentos para as mesmas na entidade.

Cooperar para Competir

Os empresários do APL que estão participando da segunda fase do Treinamento Cooperar para Competir estão muito motivados com o curso. Nos dois últimos encontros, os professores

Grupo vai discutir a elaboração de projetos de carreira

da FGV Marcio Sanches, João Baptista Brandão e Seiji Uchida trouxeram informações de muita relevância sobre técnicas de negociação. Foram realizadas, ao todo, 24 horas de workshop com discussões, análises de casos práticos e troca de

- Temas animam empresários

experiências, onde os empresários aprenderam sobre a influência da personalidade e das emoções na hora de negociar. Na avaliação do empresário Antenor Marques da Silva, da Spell Calçados, os encontros que trataram sobre negociação levaram os empresários a uma profunda mudança de comportamento. “O Cooperar para Competir é um treinamento voltado ao comportamento. Ele nos faz pensar e melhorar em vários aspectos e na questão da negociação, nos fez analisar como somos quando negociamos e qual a maneira correta de agir. Isso provoca em nós mudanças de comportamento muito rápidas e, conseqüentemente, a aplicação do conteúdo que recebemos”, afirmou. Para o gerente da Lulobalo Calçados, João Alba, os empresários que ainda não estão participando do treinamento estão perdendo oportunidades de crescimento muito grandes. “O treinamento Cooperar para Competir é o mais evoluído a que as micro e pequenas empresas de Birigüi

têm acesso. Tudo o que aprendemos lá vem ao encontro das necessidades comerciais que temos. Quem ainda não participa não tem noção do que está perdendo”, ressaltou. O próximo assunto que será tratado no treinamento é Gestão de Projetos e Projetos de Carreira. Segundo o professor Brandão, para os empresários é de suma importância fazer um planejamento pessoal assim como fazem o planejamento da empresa. “O empresário precisa ter um projeto de vida e carreira. As pessoas cuidam da empresa, mas não cuidam da sua própria vida”, disse. A proposta é ajudar os empresários a se programarem para serem mais realizados pessoalmente e profissionalmente também. “O grande objetivo é levar o empresário a ser mais feliz, unindo a vida pessoal e a profissional”, destacou Brandão. Todos os empresários do APL estão convidados para participar do próximo encontro do Cooperar para Competir, que vai acontecer dias 4 e 5 de abril, no Sesi Birigüi.

Grupo elabora projeto Garantia de mão-de-obra

O mediador Luiz Andia está elaborando o projeto com os empresários

Os empresários do APL se reuniram no último dia 27 de fevereiro para retomar a elaboração do projeto de mão-de-obra, iniciado em 2007 como conclusão da primeira etapa do treinamento Cooperar para Competir. Com a ajuda de um mediador, o consultor Luiz Andia Filho, os empresários iniciaram a formatação do projeto. Na opinião do professor Marcio Sanches, com a elaboração do projeto as empresas do APL estão acompanhando o passo de grandes companhias, como a Embraer e Ambev, por exemplo, que têm desenvol-

vido estratégias para atrair mão-de-obra especializada. “O projeto Garantia de Mão-de-obra é importantíssimo para a competitividade das empresas e, embora esse seja um problema difícil de resolver, os empresários do APL estão evoluindo para encontrar um caminho para a solução”, afirmou. O grupo está discutindo o assunto, identificando as reais necessidades e problemas das empresas para desenhar um projeto que venha trazer soluções satisfatórias para elas. Cada empresário tem contribuído com sugestões e idéias para o trabalho.


6

verão 2009

Fórum de Inspirações desperta empresários para perfil do consumidor Orientar as empresas na aplicação das informações de moda foi o grande foco do Fórum de Inspirações realizado pela Assintecal, Senai e Sebrae em Birigüi, no último dia 10 de março, na sede do Sinbi. O evento contou com a presença de mais de 400 pessoas, entre empresários e estilistas, e apresentou as informações para o Verão 2009. A orientadora da Assintecal, Illana Azeneth, despertou os empresários para a importância de se atentar ao perfil dos consumidores, aos seus costumes e desejos para desenvolver

Evento reuniu trabalho das equipes da Assintecal e Senai

os produtos. “Não adianta a empresa copiar as tendências que estão em alta e elas não serem compatíveis com os consumidores de seus produtos”, afirmou. Illana ressaltou que para conhecer seus consumidores as empresas precisam olhar para as ruas, saber o que as pessoas pensam, o que querem consumir. Além do Fórum, foi realizado em Birigüi uma Oficina de Criação, no dia 11, para auxiliar os estilistas na aplicação das informações. “Nossa proposta foi colocar o pessoal em contato com os componentes, com os materiais que

Empresários participaram da Oficina de Criação para desenvolver a criatividade

estiveram expostos no fórum, para que através dessa proximidade eles possam ter idéias diferentes, explorar as formas de aplicar esses materiais para oferecer produtos que atinjam as expectativas dos consumidores”, disse. Para os empresários, a oportunidade de ver os materiais e participar da oficina foi muito enriquecedora. Para Ana Paula Lima e Ana Maria Romero, da empresa Vasques, participar da oficina foi uma maneira de se inspirar. “Aqui nós vemos as novidades e podemos nos inspirar, ter idéias diferentes. Facilita o nosso trabalho”, afirmaram.

Os estilistas estiveram atentos às novidades em materiais

Novo formato Além do enfoque na aplicação das informações e conhecimento do consumidor, esta edição do Fórum de Inspirações teve um novo formato, unificando os trabalhos realizados pelo Fórum de Design e Tecnologia, da Assintecal e SEBRAE, e o Caderno de

Tendências, do SENAI. A proposta da unificação é facilitar a interpretação e aplicações das informações. “Esse formato facilita para o empresário na hora de utilizar os cadernos de tendências e também na hora de enxergar como os componen-

7

meio ambiente

tes vão ficar aplicados nos calçados”, afirmou o técnico do Senai Liberato Marcuz Júnior. Várias entidades, como ApexBrasil, entre outras, além dos sindicatos calçadistas de cada pólo apóiam a realização do evento.

Birigüi marca o início da Campanha “Menos Carbono, Mais Sustentabilidade”

População descobriu quantas árvores precisa plantar para neutralizar suas emissões de carbono

A Fiesp e o Brazilian Carbon Bureau promoveram, dia 27 de fevereiro, em Birigüi, o primeiro evento da Campanha “Menos Carbono, Mais Sustentabilidade”. O objetivo da Campanha – que deverá acontecer em mais sete cidades paulistas em 2008 – é levar informações sobre redução e compensação das emissões de gases de efeito estufa para a população, especialmente para a classe empresarial. No evento, que contou com o apoio da Prefeitura e do Sinbi, 400 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica foram gratuitamente oferecidas à população – um gesto de estímulo à disseminação de mais áreas verdes, medida fundamental para combater a concentração dos gases de efeito estufa. Das 10 às 15 horas, sob uma grande tenda armada no Paço Municipal, técnicos do BCB ofereceram atendimento personalizado, que permitia a cada pessoa descobrir o número de árvores que deveria plantar anualmente para compensar suas emissões de carbono no período. Até crianças do ensino fundamental participaram dessa grande mobilização em prol do

Foram distribuídas 400 mudas de árvores à população

Meio Ambiente, que reuniu cerca de 500 visitantes.

Seminário

A partir das 16 horas, foi a vez dos empresários saberem mais sobre emissões de carbono e os caminhos para transformar a preservação do Meio Ambiente num negócio rentável, num Seminário realizado na sede do Sinbi e prestigiado por 120 participantes. No encontro, o especialista em mercado financeiro e de capitais Tiago Ricci ressaltou que “o meio ambiente ganhou importância entre as grandes questões negociais e de políticas públicas”, e mostrou os caminhos para a comercialização de créditos de carbono. Mauro Calderero, especialista em Direito Ambiental da Equipav S/A, apresentou o bem-sucedido case de aproveitamento do bagaço de cana para produção de energia elétrica. Além de alcançar a auto-suficiência energética na usina e de revender parte da energia excedente, a Equipav teve seu projeto aceito pela Organização das Nações Unidas (ONU) e entrou para o universo da comercialização de créditos

de carbono. Hoje, cada crédito atinge o preço médio de 15 euros no mercado internacional, e entre outubro de 2002 e junho de 2006 a empresa acumulou 117.000 créditos. O seminário foi complementado pelo consultor Ricardo Valente da Silva, da Keyassociados, que discorreu sobre o Protocolo de Kyoto e o surgimento do mercado de carbono. Ele lembrou que, por ser um país emergente, o Brasil dispõe de condições privilegiadas para competir no mercado de carbono internacional: “Os países industrializados precisam reduzir suas emissões, ou compensá-las, e uma de suas opções é justamente adquirir créditos de carbono dos países em crescimento, grupo do qual o Brasil faz parte”, esclareceu. A Campanha “Menos Carbono, Mais Sustentabilidade” contou com as presenças de Paulo Dallari, diretor de Meio Ambiente da Fiesp, do prefeito de Biruigüi, Wilson Carlos Rodrigues Borini, do diretor regional da Fiesp e diretor-adjunto do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Samir Nakad, e o presidente do Sinbi, Wagner Aécio Poli.


Sinbinforma - Ano VI - nº 51 - Março de 2008