Page 1

12

EDUCAÇÃO

IMPRESSO

Senai e Estado apóiam Projeto Estilista Aprendiz

Informativo do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi

Ano III

Nº 23 • Abril 2005 • www.sindicato.org.br

Espetáculo no Teatro do Sesi reúne mais de 500 pessoas

Diretores de 12 escolas de Birigüi aderiram ao projeto. Os professores já começaram a ser treinados

A educação é um dos principais alvos de investimentos do Pólo Calçadista de Birigüi. A implantação do Centro Paula Souza e a criação do Telecentro de Informações e Negócios em Birigüi são prova de que o Sinbi e as empresas associadas trabalham para que a população conquiste qualidade de vida através da educação. O Projeto Estilista Aprendiz, do Senai, é outro grande exemplo de sucesso. A proposta é formar alunos da rede estadual de ensino para o mercado de trabalho, aumentar o interesse nas aulas e continuar a vocação calçadista do Pólo. A diretoria do Senai e a Diretoria de Ensino de Birigüi aprovaram o projeto e estão confiantes nos resultados. O projeto acontece com alunos das oitavas séries do Ensino Fundamental, de escolas estaduais, através do Programa Escola da Família. Um total de 1.497 alunos de 12 escolas de Birigüi já estão envolvidos no projeto. A idéia é aumentar o interesse dos alunos nas

aulas através da inclusão de conteúdos transversais relacionados ao setor calçadista nas disciplinas de artes, ciências, matemática e português. Os professores estão sendo treinados para aprender como inserir nas disciplinas conteúdos ligados à solução de problemas do setor calçadista. Durante o mês de março, foram treinados docentes das áreas de artes, ciências e matemática. Os professores de português serão treinados em breve. A realização do projeto se divide em duas fases que envolvem a introdução de atividades ligadas a assuntos da indústria calçadista nas disciplinas e a realização de concursos para selecionar e premiar os alunos que se destacarem nas escolas. Na etapa final, serão selecionados 50 alunos para participarem de palestras com modelistas e estilistas de empresas de Birigüi, aulas com docentes do Senai e visitas a fábricas. Por fim, eles participarão do processo seletivo do Senai, que vai escolher 16

alunos para fazer o curso de aprendizagem de Confeccionador Industrial de Calçados e receber 1 salário mínimo para estudar no Senai e estagiar em empresas de Birigüi. A idéia do Projeto Estilista Aprendiz foi elaborada pelo educador profissional do Programa Escola da Família, Levi Carvalho, e pela assistente técnico-pedagógica do programa, Maria Cristina Galera Castilho. O Projeto será desenvolvido através do Senai, com apoio do Sinbi e da Secretaria de Educação. O presidente do Sinbi, Samir Nakad, vai convidar o secretário da Educação do Estado de São Paulo, Gabriel Chalita, para participar da entrega da premiação para os alunos que serão selecionados para o curso do Senai.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e demais autoridades presentes inauguram o Teatro Popular do Sesi em Birigüi

Conselho liga Fiesp ao interior paulista O DEPAR – Departamento de Ação Regional da Fiesp – empossou o Conselho Consultivo do Sesi / Senai – Regional Araçatuba em 1º de abril. A criação do conselho faz parte da estratégia de aproximação das bases industriais no interior do Estado com a sede da Fiesp em São Paulo. Página 7

Com 93 anos de existência, Birigüi ganha seu primeiro teatro e o primeiro teatro popular da região. No último dia 1º de abril, o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, inaugurou o Teatro Popular do Sesi na cidade. O início das atividades do teatro foi marcado pela apresentação do coral e orquestra do Projeto Guri, pelo show do músico e cantor Luiz Melodia e pela apresentação do espetáculo Agreste, da Companhia Razões Inversas. Nos dois dias de apresentações da peça, foi registrado um público de mais de 500 pessoas. Com a inauguração do teatro, a população de Birigüi terá acesso a espetáculos profissionais gratuitamente aos finais de semana. A agenda de espetáculos já está montada até o mês de maio. Página 6

Sinbi organiza 3º Projeto Comprador

O Sinbi prepara a terceira edição do Projeto Comprador do Setor Calçadista de Birigüi. O evento reunirá importadores e empresários calçadistas do Pólo no mês de junho. Página 5

Telecentro é inaugurado em Birigüi

Foi inaugurado em Birigüi o Telecentro de Informações e Negócios (TIN). Através do telecentro, micro e pequenos empresários e funcionários das empresas de Birigüi terão acesso a cursos e treinamentos à distância pela Internet. Página 3

Gado Nelore movimenta o Sinbi Campanha para novos associados continua Página 4

Sinbinforma completa 2 anos

Página 2

O Sinbi foi palco de um desfile que não mostrou as tendências de moda para calçados ou vestuário, mas animais da raça Nelore. Foi realizado dia 24 de março na sede do Sindicato o 1º Leilão de Prenhezes da Companhia do Nelore Birigüi & Convidados. A companhia é formada por empresários birigüienses da indústria do calçado e outros Animais Nelore foram leiloados na sede do Sinbi segmentos. Página 7


2

2 anos sinbinforma

Sinbi revoluciona comunicação

Neste mês de abril o informativo do Sinbi completa dois anos de informação e prestação de serviços a toda a cadeia calçadista de Birigüi. Para comemorar os dois anos desta comunicação, é importante lembrar de como tudo começou. Antes do Sinbinforma, o Sindicato distribuía um fax com as principais realizações e conquistas de Birigüi. O informativo tinha o nome de Sindifax e era distribuído semanalmente para as empresas do Pólo. O jornalista de Birigüi, Nalberto de Milton Vedovotto, teve a idéia de produzir o Sindifax durante a última gestão de Marco Antônio Oliveira na presidência do Sinbi. “Eu achava fundamental para a categoria ter um meio para comunicar-se”, afirma Nalberto.A comunicação continuou durante as gestões de Antônio Liranço, Marcos Antônio Noali, Carlos Alberto Mestriner e José Luiz Fernandes. O jornalista conta que o informativo era produzido artesanalmente e com poucos recursos na época. “O jornal de agora está lindo, é coisa de primeiro mundo”, declarou. A diretoria atual destinou atenção especial

para informação e trabalhou para aperfeiçoar o Sindifax. “Achei que poderíamos melhorar, fazendo a publicação ficar mais bonita”, conta a relações publicas do Sinbi, Regiane Almeida. Prova do valor da informação para o Sinbi é o investimento em assessoria de imprensa que possibilita as constantes aparições de suas realizações em jornais como Valor Econômico, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, revista Isto é – Dinheiro, além de veículos segmentados e do jornal americano The New York Times. O Sinbinforma atualmente é distribuído pelo correio para todas as empresas do Pólo, fornecedores de componetes, entidades parceiras e cidades da região.

Diretoria 2003/2007 Samir Nakad Presidente José Roberto Colli 1º Vice-presidente Carlos Alberto Mestriner 2º Vice- presidente Jacir Inácio Migliorini 1º Secretário José Luis Fernandes 2º Secretário Antônio Liranço 1º Tesoureiro Luiz Antônio Michilin 2º Tesoureiro Antônio Ramos de Assumpção Diretor de Patrimônio Ubiraci Chaves de Oliveira Diretor Social Sérgio Gracia Diretor Social

11

entrevista - Carlos Alberto Mestriner - Assessoria de Imprensa – Feical procuramos para agilizar a produção. Até aqui, a Feical tem reunido recursos fantásticos que desconhecíamos. Eu na condição de diretor comercial e o Valdir, que é diretor industrial, participamos das duas edições e ficamos satisfeitos com o que vimos. Este ano pretendemos reservar mais tempo para a Feical e aumentar a equipe que visitará a exposição dos produtos. Uma das novidades este ano será a realização do seminário técnico no mesmo recinto da Feira. Na opinião do senhor, o que isto vai agregar ao evento? Mestriner - Vai facilitar a participação dos empresários. Essa decisão é uma evolução, ou seja, ajustes necessários para que o evento tenha melhor desempenho, e os fabricantes possam dedicar mais tempo à visitação dos standes, pois tudo estará acontecendo num mesmo local.

Feical tem esta proposta. O setor calçadista de Birigüi tem interesse em conquistar o mercado europeu, seguindo sugestão do ministro Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)? Mestriner - A valorização do euro em relação ao dólar impulsiona este interesse. No entanto nosso produto precisa ser adequado às necessidades do mercado europeu. Para isto precisaremos investir em novas tecnologias, reposicionando nosso parque fabril focando esse mercado. A Feical poderá ser uma boa oportunidade para aquisição destas novidades. Mestriner acredita que o evento é um feira de trabalho e negócios

Wagner Aécio Polli Diretor-Administrativo Membros do Conselho Fiscal: Wilson José da Silva Antônio Carlos Candelária Denílson Eckstein

Do Sindifax ao Sinbinforma

Convênio beneficia sindicatos e empresas O Sinbi e seus associados terão acesso a benefícios e facilidades disponibilizados pela Fiesp por meio de sua Central de Serviços. Através da Central foram instalados na sede da Fiesp, em São Paulo, postos de atendimento do Sebrae, para orientar empreendedores sobre problemas práticos de gestão, e da Receita Federal. Além destes serviços, foram disponibilizados convênios com a TAM, para descontos no preço de passagens aéreas para membros de sindicatos e funcionários de empresas filiadas cadastradas; parceira com o CIEE (Centro de

E x p e d i e n t e

Integração Empresa-Escola) para contratação de estudantes e estagiários; acesso a escritório da Fiesp em Brasília; malote para envio de correspondências para Brasília; e-mails com os principais projetos de lei em andamento, síntese dos diários oficiais da União, do Estado e da cidade de São Paulo e informe jurídico; e acesso à biblioteca jurídica. Para usufruir dos benefícios os interessados devem entrar em contato com a Central de Atendimentos da Fiesp através do e-mail atendimento@fiesp.org.br.

Membros Suplentes do Conselho Fiscal: Valdir Lino Pulzato Anésio Sorato Sérgio Chagas Delegados na Federação : 1- Carlos Alberto Mestriner 2- Samir Nakad Suplente Delegado na Federação: José Luis Fernandes Rua Roberto Clark, 460 – Centro 16200-043 Birigüi – SP Fone: (18) 3649-8000 Fax: (18) 3649-8022 E-mail: sindicato@sindicato.org.br Projeto gráfico Pontual Propaganda Fone: (18) 3624-3366 Reportagens: Karen Silva Jornalista responsável Paulo Mantello – MTb 24.441 Impressão e fotolitos Efral – Editora Folha da Região Fone: (18) 3636-7777

“Já se consegue enxergar luz no final do túnel. Isso quer dizer que precisamos voltar a investir em máquinas, tecnologia e automação” O momento econômico é favorável a investimentos no setor? Mestriner - Já se consegue enxergar luz no final do túnel. Isso quer dizer que precisamos voltar a investir em máquinas, tecnologia, automação, pessoas e conhecimento.Creio que estamos diante de um momento impar depois de dois anos conturbados no setor. O expositor também terá que encarar a Feical 2005 sob esta ótica. Precisa trazer para nós o que existe de mais novo e moderno. Birigüi compete em condições de igualdade com qualquer pólo calçadista do país. Estamos exportando em volume significativo. Isto significa que o pólo calçadista de Birigui tem que investir em tecnologia. E, uma forma de investir em tecnologia é conhecer tecnologia. A

Fonte: Assessoria de Imprensa da Feical – Feira de Máquinas, Equipamentos e Componentes para Calçados


10

“Feical traz a tecnologia na porta de nossas fábricas” Para produzir 250 mil pares de calçados/dia, o pólo calçadista de Birigüi investe no mínimo R$ 300 milhões/ano em manutenção e modernização Diretor comercial da indústria de calçados Klin, vice-presidente da ABICALÇADOS-(Associação Brasileira das Indústrias de Calçados) e diretor do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi, Carlos Alberto Mestriner está otimista em relação a Feical (Feira de Máquinas, Equipamentos e Componentes para Calçados). O evento que será realizado no período de 22 a 24 de setembro, no recinto de Exposições Roque Barbieri, em Birigüi. Para ele o crescimento de 30% na área ocupada pelos expositores em relação a 2004 e o aumento de 20% no volume de negócios são demonstrações de que “a Feical tem muito espaço pra crescer. Por isto, a tendência é aumento de bons resultados para os expositores e fabricantes”. Projeções feitas com base no percentual que as indústrias de Birigüi investem em manutenção e modernização, transformam o pólo calçadista em um cliente que gasta no mínimo R$ 300 milhões/ ano. Nesta entrevista, com a experiência conferida pela produção de 40 mil pares de calçados/dia, Mestriner alerta os fabricantes de equipamentos e componentes sobre o poder de venda da

feira que entra este ano em sua terceira edição. O que a Feical representa para os fabricantes de calçados de Birigüi? Mestriner- A Feical oferece a uma rara oportunidade para que nós produtores de calçados tenhamos acesso à tecnologia, na porta das nossas fábricas. Com isto, diretores administrativos, diretores industriais e funcionários

“Temos que valorizar os fornecedores que participam da Feical, porque eles estão acreditando em nosso pólo industrial” de chão de fábrica têm as mesmas facilidades de conhecer as novidades. Há também o aspecto econômico e redução de tempo, que precisam ser levados em consideração. Os deslocamentos para outros pólos que realizam feiras importantes custam caro e demandam um tempo, que a agilidade da produtividade nos impede de prescindir dentro das fábricas. Durante a realização da Feical, nós dispensamos gerentes, supervisores e monitores das

fábricas às 14h e no dia seguinte eles já estão trabalhando. Isto é uma grande vantagem. O industrial já esta fazendo uso desta comodidade, como o senhor diz, para fazer compras na Feical? Mestriner - Já foram realizadas duas edições da Feira e na minha opinião os fabricantes estão valorizando o esforço dos fornecedores que vêm para Birigüi e prestigiam o setor apresentando suas novidades em standes bonitos e sofisticados. Temos que valorizar os fornecedores que participam da Feical, porque eles estão acreditando em nosso pólo industrial. A Feical tem muito espaço pra crescer. Por isto, a tendência é aumento de bons resultados para os expositores e fabricantes. Qual deve ser a visão do fabricante de Birigüi em relação a Feical? Mestriner - Precisamos ter uma visão mais aprofundada sobre a Feical. Na minha opinião a Feira não é mais um evento de marketing dos fornecedores. É uma feira de trabalho e de negócios e nós precisamos encarar dessa forma. Precisamos explorar mais esta oportunidade. Levar nossos profissionais para que eles possam conhecer e tirar o máximo possível de informação sobre tecnologia e equipamentos. Às vezes uma pequena máquina que estará exposta pode ser a resposta que

3

pró-criança

entrevista - Carlos Alberto Mestriner - Assessoria de Imprensa – Feical

Parceria possibilita restauração A restauração do prédio do Instituto PróCriança de Birigüi está entrando na fase de acabamento interno. O Sinbi e a Rede Multidrogas de Birigüi estão acompanhando a obra. Uma parceira entre o Sindicato, a rede de farmácias e dois laboratórios fornecedores de medicamentos possibilita a restauração do imóvel, onde funcionava a primeira companhia telefônica de Birigüi. O sócio da Rede Multidrogas, Cláudio Bansi, explica que o repasse de verbas para a construção é feito pelos laboratórios de acordo o volume de medicamentos comprados para as quatro farmácias da rede na cidade. A parceira com a Rede Multidrogas também se estende à ajuda nos atendimentos prestados no próprio instituto. Através de um convênio firmado

entre as empresas associadas ao Sinbi e as farmácias da Rede, uma porcentagem da compra de medicamentos é destinada para ajudar na compra de cadeiras de roda, remédios, realização de exames laboratoriais, atendimentos particulares, entre outros benefícios. O superintendente do Pró-Criança, Nalberto de Milton Vedovotto, diz que a verba vinda da parceria com a Multidrogas fez com que o número de crianças atendidas aumentasse muito. Para a Rede Multidrogas, participar deste projeto é muito satisfatório. Cláudio Bansi conta que antes de começar o trabalho com o instituto, a rede já ajudava algumas entidades sociais, mas o trabalho com o Pró-Criança é o maior. “È um orgulho para nós porque este é um projeto único,

audacioso e vai beneficiar muitas crianças através de melhores equipamentos e instalações do instituto”, afirma. O Pró-Criança de Birigüi presta assistência nas áreas de saúde e educação para crianças e adolescentes carentes de Birigüi. Desde quando foi criado, em 1999, já realizou mais de 6 mil atendimentos. No mês de março de 2005, fez 176 atendimentos, sendo 42 na educação e 134 na saúde. Além dos atendimentos, o Pró-Criança também distribuiu este ano 29 cestas básicas e 315 vales transporte. O instituto conta com 108 parceiros na área da saúde, 25 na educação e 124 empresas associadas que contribuem mensalmente.

Telecentro reúne informações e negócios O Telecentro de Informações capacitar seus funcionários e Negócios (TIN) de Birigüi foi pela Internet, através de méinaugurado dia 22 de março para todos de ensino à distância. possibilitar que micro e pequenos Os alunos de informátiempresários e funcionários das ca e tecnologia da Fateb, indústrias de Birigüi tenham acesso das Faculdades Católicas a cursos, treinamentos e oportuniSalesianas e do Centro dades de negócios pela Internet. Universitário Toledo seO projeto objetiva responsabilidarão responsáveis pelo dede social e inclusão digital e para isso senvolvimento dos cursos realizados no Telecentro. conta com o apoio de instituições O Insol também vai atuar parceiras do Pólo de Birigüi, como como parceiro do Teleceno Ministério de Desenvolvimento, tro através da formação de Indústria e Comércio Exterior, Sinbi mão-de-obra especializada (Sindicato das Indústrias do Calçado O Telecentro de Informações e Negócios de Birigüi em desenvolvimento de e Vestuário de Birigüi), Insol (Insti- conta com o apoio de instituições de ensino da região softwares livres que podetuto Noroeste de Software Livre), rão ser testados no centro antes de serem instalados nas Prefeitura de Birigüi, além de faculdades da região. empresas. A unidade foi instalada no segundo prédio da Fateb A previsão é que o Telecentro funcione das 9h às 21h. (localizado na rua 9 de Julho,626) e tem 11 computadores, Os cursos que serão oferecidos pelo Insol serão divulgados doados pelo instituto Fundação Telefônica, ligados em rede e em breve no portal do Sinbi: www.sindicato.org.br. conectados à Internet. No Telecentro as empresas poderão


4

Novos associados

Diretoria do Sinbi prorroga campanha A diretoria do Sinbi decidiu dia 8 de abril, que a campanha do Sinbi para aumentar o número de associados do Sindicato será reaberta até o dia 31 de maio. Na campanha, realizada de janeiro a março deste ano, 30 empresas de Birigüi se associaram ao Sindicato, um aumento equivalente a 38% do número de associados. Os diretores do Sinbi consideraram a campanha um sucesso. Entre as novas associadas, 18 são microempresas, 10 são empresas de pequeno porte e duas de médio porte. Das 30 empresas, 23 são calçadistas, duas do segmento de componentes para calçados, uma empresa de bolsas, uma fábrica de meias, duas confecções femininas e uma masculina.

As novas associadas terão, além de um desconto de 50% nas mensalidades durante o primeiro ano, acesso a benefícios como convênios com o Sedex e Encomendas PAC, utilização do selo de divulgação da marca “Birigüi – Capital Brasileira do Calçado Infantil”, participação gratuita em cursos promovidos pelo Sindicato, atendimento na cooperativa de crédito Sicredi / Ciesp Alta Noroeste, utilização gratuita do CICONP (Comissão de Intersindical de Conciliação Prévia do Setor Calçadista em Birigüi), participação no Projeto Comprador, entre outros. O objetivo da campanha é aumentar o número de associados e criar a oportunidade para que mais empresas de Birigüi tenham acesso aos benefícios oferecidos pelo Sindicato.

MBA Calçadista promove workshop O MBA Calçadista de Birigüi promoveu dia 6 de abril o workshop “Automação Logística do Segmento Calçadista”. Foi o primeiro evento realizado pelo curso como complemento às aulas, em uma parceria entre Sinbi e a UniToledo. O evento reuniu aproximadamente 100 pessoas, durante toda a manhã, no Teatro do Sesi. O workshop foi dirigido aos alunos do MBA – Gestão de Negócios no Setor Calçadista e aberto às Evento reuniu aproximadamente 100 empresas associadas ao Sinbi. pessoas no teatro do Sesi O coordenador do MBA de Birigüi, Márcio Antônio Rodrigues Sanches, destacou que novos eventos do gênero serão realizados ao longo do curso, totalizando seis workshops sobre assuntos de interesse do setor calçadista. O próximo está programado para o dia 25 de junho sobre o comportamento do consumidor, com Airton Embacher, da Anhembi/Morumbi.

coluna

Novos associados

ALF DA SILVA BIRIGÜI • ANA LAURA IND. COM. LTDA • ANTÔNIA GILGLEIDE PEREIRA DA SILVA CONFECÇÕES • APARECIDA DE FÁTIMA CASAVECHIA • BELUCI IND. COM DE CALÇADOS LTDA • BENCAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE CALÇADOS LTDA • BIANCHI IND. COMÉRCIO • BODY INFORMATION IND. CONFECÇÕES LTDA • CALÇADOS KLAUS IND. COM. LTDA • CALÇADOS PAM PLIM IND. COM LTDA • COELHO & ROCHA BIRIGÜI LTDA • DANZI BIRIGÜI IND. COM. DE CALÇADOS LTDA • D’GUTTI CALÇADOS LTDA • ELIZA WATANABE DE BARROS AZEVEDO • EQUILÍBRIO INDÚSTRIA E COM. CALÇADOS LTDA • FZ IND. COM. DE CONFECÇÕES LTDA • GENIVALDO GUEDES DE CARVALHO BIRIGÜI • IND. COM DE CALÇADOS SANTO ANTÔNIO • JD BIRIGÜI IND. COM. CALÇADOS LTDA • JOSÉ BENTO REPRESENTAÇÕES • LA-NAGE IND. COM. ENFEITES LTDA • LUIS HENRIQUE PONTES VAZ DA SILVA • LULOBALO IND. COM. DE CALÇADOS LTDA • NH IND. COM. CALÇADOS LTDA • PALMILHAS CAL MART LTDA • RODRIGO BONI DA SILVA BIRIGÜI • ROGÉRIUS VENICIUS COSTA FERNANDES • ROX´S IND. COM DE CALÇADOS LTDA • STICC CALÇADOS IND. COM. LTDA • TAPITI IND. COM. CALÇADOS LTDA.

Inscrições Paula Souza

O Centro Paula Souza de Birigüi realiza de 2 a 11 de maio inscrições para as turmas dos cursos para o próximo semestre. Os interessados devem fazer suas inscrições na sede do Paula Souza – Rua Ermano Zin, esquina com a rua C – Bairro Santana. As provas acontecem no dia 12 de junho e os resultados serão divulgados no dia seguinte. As aulas começam em agosto.

Palestra

O Sinbi promoveu no último dia 19 de abril, às 20h, a palestra “Faltas graves e dano moral”. A palestra foi proferida pelo dr. Lázaro Penteado Fagundes, advogado que presta assessoria jurídica na área trabalhista aos associados do Sinbi. A palestra reuniu 23 pessoas.

9

jurídica

A lei Consumerista e a Empresa

A atividade empresarial objetiva o lucro, visão está paulatinamente alterada. Tal fato é ocorrente por conta da pressão de movimentos sociais que conseqüentemente deságuam na introdução e mudança de leis. Nesse contexto, inspira-se esse artigo onde será demonstrada a triangulação entre o consumidor, a empresa e o Código de Defesa do Consumidor. O empresário expandirá e manterá sua empresa a partir de boas relações com sua clientela. Para alcançar esse objetivo, os empresários devem esmiuçar as características dos produtos que produzem ou comercializam, advertindo com verdade sobre os riscos de seu produto, orientando eficazmente seu cliente. Código de Defesa ao Consumidor

(C.D.C), não tem escopo algum em criar antagonismo entre empresários e consumidores, busca, ao contrário, a harmonia das relações entre eles. Note-se bem, que, a intenção da lei consumerista é auxiliar aquele que se viu prejudicado diante de práticas comerciais abusivas, não está sob seu manto o consumidor que tem o nítido propósito de aproveitar-se da situação favorável que o C.D.C lhe proporciona. Outra questão de significativa importância é a do dano moral advindo das relações de consumo.Nãosepodeesquecer que o dano moral só surge em situações graves. Deverá emergir de um aborrecimento incomum, que vai além do simples desgosto pelo negócio mal

realizado. Ao contrário, trata-se de exceção e não regra no mundo do consumo a indenização pelo dano moral. Não se pode admitir a criação de uma “ indústria do dano moral “. O risco do negócio pertence ao empresário, mas este não pode ser um fator que inviabilize sua atividade econômica. Assim, 15 anos de vigência do Código de Defesa do Consumidor o empresariado tem o dever de amoldar-se a essa lei, pois, parafraseando Heródoto, são as circunstâncias que governam o homem e não o homem que governa as circunstâncias. Dr. Cláudia E .Fraga Ferreira, presta assessoria jurídica na área administrativa aos associados do Sinbi

Grupo atua em Birigüi há 11 anos Divulgação

O Grupo Vasques faz parte do cenário do Pólo Calçadista de Birigüi desde 1994, quando a empresa de facas e matrizes para calçados, bolsas e confecções, Beto Facas, foi fundada na cidade. As perspectivas de mercado apresentadas pela indústria de Birigüi despertaram no diretor do Grupo, Abel Cícero Vasques e seu irmão e sócio, Gilberto Ap. Vasques, o interesse de instalar a empresa em Birigüi. Após quatro anos nasceu a Vasques Etiquetas – atuando na confecção de etiquetas emborrachadas para calçados, chaveiros, brindes e artigos do vestuário em geral – e em 2002 a Serv Fren – prestadora de serviços de politrado, alta freqüência e silk. O grupo é formado por seis empresas: no ramo de etiquetas, Vasques Etiquetas (Birigüi e Aparecida do Taboado - MS) e Comercial Vasques (Birigüi); no segmento de alta freqüência, politratos e silks, Serv Fren e Mult Freqüência (Birigüi); e a Beto Facas (Birigüi). O grupo atende cerca de 800 clientes nos ramos de calçados, vestuário, bolsas, automóveis e brindes em todo o país. As empresas juntas têm mais de 400 funcionários e constantemente realizam investimentos em cursos e treinamentos para as equipes. “Nossa relação é de respeito e carinho com nossos colaboradores. Nós estamos sempre buscando capacitá-los para

Beto Facas, empresa do Grupo Vasques

enfrentar os desafios do mercado”, afirmou Abel Vasques. Além dos investimentos nos colaboradores, o grupo se dedica à constante busca por novas tecnologias e ao trabalho social na Fundação Polícia Mirim. Para o grupo, os investimentos em tecnologia, capacitação dos colaboradores e o grande apoio do Sinbi às empresas de Birigüi são a causa do grande crescimento do Pólo. “O Pólo Calçadista apresenta um crescimento notável devido ao espírito empreendedor dos empresários e ao atuante trabalho do Sinbi para integrar o Pólo de Birigüi com o mundo”, declara Abel.


8

5

exportação INFORME PUBLICITÁRIO

COOPERATIVA DE CRÉDITO:

CRESCE O NÚMERO DE ASSOCIADOS E DE PRODUTOS E SERVIÇOS Inaugurada em agosto de 2004 a cooperativa de crédito vem aumentado significativamente o seu número de associados. Quando foi inaugurada ela contava com 29 sócios fundadores, no final de 2004 ela já contava com mais de 70 associados. Recentemente apurou-se que este número já ultrapassou a casa de 100 associados. Juntamente com o número de associados cresceu a demanda por crédito. No primeiro mês de funcionamento não foram realizadas operações de crédito. Em apenas 8 meses o volume de recursos emprestados aproxima-se de R$ 1.000.000,00. A carteira de cobrança do SICREDI CIESP possuía um montante total de R$ 90.000,00 em novembro de 2004, dados de março de 2005 apontam para uma carteira de cobrança com um total equivalente a R$ 504.000,00. Diante de tamanha demanda e com um crescimento considerado acima da média das cooperativas de crédito, o Conselho de Administração e o SICREDI têm conjuntamente implementado novos produtos e serviços para melhor atender seus associados. No mês de março foi assinado convênio com BANSICREDI para permitir o acesso da cooperativa às diversas linhas de crédito oferecidas pelo BNDES. Neste mês de abril foi iniciado o processo de implantação da SICREDI INTERNET. O produto tem o objetivo de facilitar a vida dos associados, permitindo entre outras coisas o pagamento de títulos.

Sinbi prepara 3º Projeto Comprador O Sinbi está preparando a terceira edição do Projeto Comprador do Setor Calçadista de Birigüi. A rodada de negócios será realizada no mês de junho, mas a data ainda não foi definida. O Sindicato está preparando algumas novidades para esta edição do projeto. A diretoria do Sinbi consultou os empresários que participaram das edições anteriores e baseadas nas sugestões deles serão efetuadas algumas mudanças na estrutura do projeto. A realização do Projeto Comprador faz parte das iniciativas do Sindicato para aumentar as exportações do Pólo e aproximar os calçados de Birigüi de grandes compradores mundiais. Em 2004 foram realizadas duas edições do projeto. A primeira delas aconteceu em maio, quando importadores da Costa Rica, Chipre e México vieram a Birigüi conhecer os calçados de 39 empresas que se inscreveram para participar. O even-

Importadores que participaram do 2º Projeto Comprador, acompanhados pelo presidente do Sinbi, Samir Nakad

to agradou os empresários. Já a segunda rodada de negócios foi realizada em outubro com compradores da Argentina, Espanha, México e Portugal. O projeto reuniu 36 empresas.

Os projetos compradores são promovidos pelo Sinbi com o apoio da Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçado), Brazilian Footwear e patrocínio da Apex (Agência de Promoção de Exportações do Brasil).

Curso de Capacitação Gerencial vai ter professores do MBA O Sinbi e a Unitoledo estão trabalhando para que o novo Curso de Capacitação Gerencial do Setor Calçadista comece em meados do mês de maio. O curso tem o objetivo de atender as necessidades específicas das empresas do Pólo. Foram abertas 35 vagas e a turma ainda está sendo formada. O curso terá os mesmos professores do MBA calçadista, o que eleva a qualidade e garante melhores resultados. As aulas serão realizadas no prédio

do Sesi a cada 15 dias durante 18 meses. A grade é dividida em dois módulos presenciais, sendo o primeiro formado pelas disciplinas e o segundo por seminários. No final do curso os participantes receberão um certificado de conclusão. O coodenador local do curso, Ataliba Mendonça Junior, diz que o objetivo é trazer mais informações aos gestores das empresas do pólo. “A idéia é contribuir com o crescimento do Pólo através da informação”, afir-

ma. Gestores das empresas de Birigüi e região que tenham completado o Ensino Médio poderão fazer o curso. Os alunos terão acesso a conteúdos de gestão de negócios, como marketing, finanças, operações e estratégias que possibilitem o aperfeiçoamento de suas habilidades e competências. As empresas associadas ao Sinbi terão condições facilitadas para participarem do curso.


6

7

INAUGURAÇÃO

depar

Presidente da Fiesp inaugura Teatro Popular do Sesi

Conselho aproxima Fiesp da região

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, inaugurou dia 1º de abril o Teatro Popular do Sesi em Birigüi. A inauguração do teatro, que é o primeiro da cidade e também o primeiro teatro popular da região, foi marcada pelo show do músico e cantor Luiz Melodia e pela apresentação da orquestra e coral do Projeto Guri. Um total de 450 pessoas compareceu à inauguração. As atividades de inauguração do teatro continuaram nos dias 2 e 3, sábado e domingo, com a apresentação do espetáculo Agreste, da Companhia Razões Inversas, escrita por Newton Moreno e dirigida por Márcio Aurélio. Nos dois dias de apresentação foram realizadas três sessões, uma delas extra, com a presença de público de 594 pessoas no total. No Teatro Popular do Sesi serão realizadas as atividades do Núcleo de Artes Cênicas de Birigüi e a casa de espetáculos, que vai apresentar gratuitamente nos finais de semana

Sessão histórica

16h e os destinados as adultos, às 20h. Participaram da inauguração o prefeito de Birigüi, Wilson Carlos Borini, o presidente da Câmara Municipal de Birigüi, Eduardo de Souza; o presidente do Sinbi, Samir Nakad; a presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi, Milene Rodrigues; o diretor-titular do Departamento de Ação Regional, Alexandre Serpa; o presidente do Conselho Consultivo do Sesi/Senai – Regional Araçatuba, Luiz Guilherme Zanacaner; o diretor regional do Ciesp, João Carlos Ferreira, o João Bilac; entre outras autoridades presentes. O cantor Luiz Melodia encantou a platéia com suas canções

espetáculos profissionais. A agenda dos espetáculos que serão apresentados já foi montada até o mês de maio. Os espetáculos destinados às crianças serão apresentados às

Serviço

Programação

29 e 30/04 (20h) – Borandá 06 e 07/05 (20h) – Suíte 1

e José Henrique Galetti, da Poli Calçados. Rosângela fez elogios à estrutura do teatro: “O prédio é muito bem estruturado.” José 3 de abril de 2005. A fila foi se formando para Henrique destacou a importância das peças a primeira sessão do Teatro Popular do Sesi de como espaço para a reflexão: “A maioria das Birigüi. Era uma sessão extra, marcada para as pessoas só tem contato com a tv e o rádio, 17h, em razão da inauguração do prédio. O que entregam tudo pronto. O teatro é muito teatro é o primeiro da cidade em 93 anos de importante para a vivência pessoal de quem fundação do município. assiste. Faz refletir.” Cleide Pontes da Silva Siqueira ocupou o primeiro Os empresários José Carlos dos Santos e Ivete lugar da fila. Em poucos minutos de conversa com Blanes Barbosa, da Biriborg Bordados e Kartextil ela percebe-se o quanto é apaixonada pelas artes Confecções Ltda., também assistiram à primeira cênicas. Chegou a montar uma peça na escola sessão. “A região é muito carente deste tipo de da filha. “Eu fazia parte da APM (Associação de atividade cultural”, ressaltou José Carlos. Pais e Mestres) e decidimos montar a peça para A paixão de Cleide pelo teatro Na Capital Brasileira do Calçado Infantil nada mais conscientizar os pais de alunos da importância de fez com que ela levasse a família natural o primeiro teatro da cidade ser o Teatro acompanhar os estudos dos filhos. Chamava-se para a primeira sessão Popular do Sesi, o Serviço Social da Indústria. ‘Alerta’”, contou Cleide. Nem se lembra mais de Afinal, é o trabalho realizado pelas indústrias que tem projetado quando assistiu à última peça profissional. “Foi em São Paulo.” Cleide Birigüi no cenário nacional. conseguiu contagiar toda a família. Na sessão histórica de inauguração do Teatro Popular do Sesi de Birigüi levou as duas filhas, sua mãe, o irmão e dois sobrinhos. Estavam na mesma fila o casal de empresários Rosângela

O DEPAR – Departamento de Ação Regional da Fiesp – nomeou em Araçatuba o Conselho Consultivo do Sesi / Senai – Regional Araçatuba para identificar as necessidades específicas de mão-de-obra e suporte tecnológico das empresas da região, para que elas sejam supridas através dos serviços do Sesi e do Senai. O Conselho foi empossado e realizou sua primeira reunião dia 1º de abril no Sesi Araçatuba. O evento contou com a presença do presidente da Fiesp, Paulo Skaf. Na ocasião o presidente da UDOP (Usinas e Destilarias do Oeste Paulista), Luiz Guilherme Zancaner, tomou posse como presidente do Conselho Consultivo, junto com o diretor-executivo da UDOP, Antonio Cesar Salibe, e o presidente do Sinbi, Samir Nakad, respectivamente primeiro e segundo vicepresidentes. A proposta do DEPAR e dos Conselhos Consultivos é estreitar o relacionamento entre a Fiesp e as bases industriais do interior do Estado. Paulo Skaf declarou

Da dir. para a esq., o presidente do Conselho Consultivo do SESI / SENAI – Regional Araçatuba, Luiz Guilherme Zancaner; a vice-prefeita de Araçatuba, Marilene Magri Marques; o presidente da Fiesp, Paulo Skaf; o diretor-titular do DEPAR, Alexandre Serpa; o prefeito de Birigüi, Wilson Carlos Borini; e o diretor adjunto da Fiesp, José Eduardo Mendes Camargo, durante a cerimônia de posse da diretoria do Conselho Consultivo.

na cerimônia de posse do Conselho que ninguém melhor do que os empresários da região para saber as necessidades da indústria local. “Quem sabe o que é melhor para a região é a própria região”, afirmou. Fazem parte do Conselho 40 conse-

lheiros de diversos setores industriais da região. Para o diretor-titular do DEPAR, Alexandre Serpa, as expectativas para o Conselho da Regional Araçatuba são muito grandes. Ele ressaltou que a qualidade da equipe faz com que o trabalho seja ainda mais promissor.

Leilão no Sinbi reúne o melhor da pecuária A Capital Brasileira do Calçado Infantil recebeu grandes nomes da pecuária nacional durante o 1º Leilão de Prenhezes da Companhia do Nelore Birigüi & Convidados. No evento, realizado na sede do Sindicato, dia 24 de março, foram ofertadas 31 prenhezes de importantes criadores do país. O total negociado foi de R$ 1.178.800,00, com uma média de R$ 37.529,03 por animal. A Companhia do Nelore Birigüi é formada por empresários da cidade de vários segmentos que investem

também no agronegócio. Fazem parte do grupo Júlio César Castilho (Agropecuária Ypê Amarelo), Celso Roberto Bertaglia Costa (Bemi Agropecuária), Fernando Barros e Fernando Canellas (Estância 2F), José Luiz Urbano Boteon (Fazenda Santa Cecília), Jamil Buchalla Filho (Nelore da Mil) e os calçadistas Silas Ibanhez Soares (Central Três Lagoas), José Roberto Colli (Zeus Agropecuária), Carlos Alberto Mestriner e Valdir Mestriner (Ônix Agropecuária). Para os calçadistas, o investimento

na pecuária é uma nova oportunidade de crescimento para Birigüi.


Sinbinforma - Ano III - nº 23 - Abril de 2005  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you