Page 1

semana internacional de música de são paulo 5 anos

A maior music convention da América Latina The biggest music convention in Latin America

O bom momento do mercado brasileiro The good moment of the Brazilian music market

O potencial econômico da noite de São Paulo The economic potential of São Paulo’s nightlife

A QUINTA EDIÇão: prêmio sim e programação completa the fifth edition: sim award and full program


índice / INDEX PR O DUÇÃ O G ERAL E C O MUNICAÇÃ O P r o d u c t i o n a n d Co m m u n i c at i o n O f f i c e

uma music convention para chamar de sua

6

Inker Agência Cultural DIRET O RA g e r a l Director

Fabiana Batistela

A Music Convention to call your own

C O NSELH O C O NSULTI V O 2 0 1 7 A d v i so r y B oa r d 2 0 17

Alexandre Matias Carol Pascoal Coy Freitas Dani Ribas Fabiana Lian Fabrício Nobre Felipe França Gonzalez Iuri Freiberger Juliano Polimeno Letz Spíndola Luiz Augusto Buff Maithe Bertolini Marcos Boffa Ricardo Rodrigues

22

Fabiana Batistela e Conselho Consultivo 2017 DIRE ç ã o DE ARTE SIM SÃ O PAUL O

Carlos Bela

The Brazilian music market is doing fine, thanks!

34

PR O G RAMAÇÃ O M u s i c a n d Co n t e n t P r o g r a m m e r

A r t D i r e c t i o n S IM S Ã O PAU L O

O MERCADO DA Música no brasil VAI BEM, OBRIGADO

prêmio sim

sim award

C O O RDENAD O RA DE PR O DUÇÃ O

A mutante noite de São Paulo

the nightlife of são paulo is a mutating beast

44

P r o d u c t i o n c oo r d i n at o r

Letz Spíndola

52

C O O RDENAD O RA C O N F ERÊNCIA Co n v e n t i o n c oo r d i n at o r

Janaína Fainer Coo r d e n a d o r a S h o w c a s e s S h o w c a s e s c oo r d i n at o r

programação

program

Manoela Wright Coo r d e n a d o r a No i t e s N i g h t P r o g r a m c oo r d i n at o r

Nina Bamberg Coo r d e n a d o r a D e Co m u n i c a ç ã o Co m m u n i c at i o n c oo r d i n at o r

Carol Pascoal

R e v i s ta m ag a z i n e Edição Geral Editor In Chief

Fabiana Batistela

colunas / columns

18 30 O crescimento Políticas para do mercado de sincronização

The growth of the sync market Luiz Augusto Buff

E d i ç ão E R e p o r tag e m E d i t i n g A n d R e po r t i n g

Marcelo Costa Direção De Arte E Design Art Direction And Design

Fábio Dias

20 Os

blockbusters e nós

T r a n sl at i o n

Blockbusters and us

Victor Fraga

Fabiana Lian

Tradução

a música: dos esforços aos dados

Music policies: from efforts to data

40 Bem-vindo à

América Latina

e design estratégico para projetos de música

Felipe França Gonzales

Iuri Freiberger

Welcome to Latin America

Dani Ribas

42 A importância

32 Máquina

50 Planejamento

do filtro

Strategic planning and design for music projects

66 O que podemos

fazer pelo futuro da música?

Music machine

The importance of the filter

What can we do for the future of music?

Juliano Polimeno

ALEXANDRE MATIAS

Pena Schmidt

de música

Revisão Revision

Juliana Coelho Thiago Lelis F o t ó g r a fo s Photographers

Ana Carolina Moraes Eduardo Luderer José de Holanda Lucas Silvestre Pedro Margherito

p Abra seu Spotify, clique em "search" + câmera para ler o código e ouvir a playlist da matéria ou da noite.

e Open your Spotify, click "search" + "camera" to listen to the article or event playlist.


e di t o r ial

Música não é só música

fabiana batistela

p Diretora da SIM

Music is not just music

p

Logo no primeiro ano de evento eu aprendi: a SIM SÃO PAULO não é só sobre resultados práticos e impacto econômico no mercado na música. A Semana Internacional de Música de São Paulo, assim como muitos eventos nesse formato pelo mundo, é muito mais que isso. Em cada região do planeta, conferências e feiras de música cumprem um papel primordial de entender o cenário local e conectar pessoas do mundo todo para discutir temas urgentes de cultura, das indústrias criativas, tecnologia, inovação, economia e sociedade – tudo com base na música. Os resultados obtidos com esses encontros vão muito além dos números gerados. Eles causam uma verdadeira transformação social, pois criam novas redes de trabalho e relacionamentos, incentivam a colaboratividade, a união entre as pessoas, promovem a inclusão, derrubam barreiras geográficas e econômicas, desafiam os padrões pré-estabelecidos e sugerem novas formas de pensar, novos caminhos a seguir, novas maneiras de nos relacionar. Além de injetar gás em empreendedores e transformar profissionais em realizadores, etc. A lista é longa. Chegamos à quinta edição com a certeza de que a SIM promove tudo isso. O próximo passo é ir além dos 5 dias de evento. A SIM TRANSFORMA vai se estender pelo ano todo em 2018, uma plataforma on-line de conteúdo será construída, e um novo selo, o SIM DATA, será lançado com a proposta de se transformar no primeiro instituto de pesquisa focado exclusivamente no mercado da música brasileiro. Daqui 5 anos, estaremos em outra realidade, e essa iniciativa nos terá presenteado com infinitos novos dados organizados e acessíveis sobre quem somos, quantos somos, o que geramos e para onde vamos. O que nós, eu e todos vocês que produzem, colaboram e participam da SIM, estamos construindo hoje é inédito na história do país e certamente nos dará um futuro extraordinário. Só precisamos continuar acreditando, realizando e nos apoiando. •

SÃO PAULO e diretora da Inker Agência Cultural e Director of SIM SÃO PAULO and director of Inker Agência Cultural

e

I learnt it already in the first year: SIM SÃO PAULO isn’t just about practical results and economic impact on the music market. The São Paulo Music Week, just like its counterparts throughout the globe, goes far beyond that. In each region of the planet, conferences and music expos fulfill an instrumental role by understanding the local scenario and connecting people around it in order to discuss urgent culture themes, in the creative, technology, innovation industries and society as a whole - and everything is based on music. The outcome isn’t just measured by numbers. There is a real social transformation; these events create new work and relationship patterns and networks, collaboration and unity among people, they promote inclusion, they overcome economic and geographic barriers, and they challenge pre-established norms and orthodoxies. In addition, they open up minds, reveal new paths and entirely new ways of connecting with each other. Plus, they inject entrepreneurs with fresh energy and stamina, converting professionals into doers, movers & shakers, etc. The list goes on. This is our fifth edition and we are certain that we can do all of this. The next step is to go beyond the five days that comprise the event. SIM TRANSFORMA will extend throughout the year of 2018, and an online content platform will be built, alongside the new label SIM DATA. The latter’s proposition is to become the first research institute focused solely on the Brazilian music market. In five years, our reality will be different, and this initiative will give us the opportunity to look at an infinite amount of data, properly sorted and accessible, which will provide a detailed picture of who we are, how many we are, what we make and where we’re going. What we - myself and each one of you who produces, collaborates and participates at SIM – are building is entirely novel in the history of this country, and undoubtedly an extraordinary future lies ahead. As long as we continue to believe, realize and support each other! •

4

SIM São Paulo On the Road


DOWNLOAD THE OFFICIAL SIM SÃO PAULO EVENT APP!

SCHEDULE

LINEUPS

MAP

Keep track of everything going on at SIM São Paulo with the schedule feature. You can even create your own custom schedule of events.

Learn more about your favorite presenters, speakers and artists. You can read bios or find links to their profiles on social media.

Find your way around SIM São Paulo using the GPS-enabled map and see your location in relation to nearby points of interest.

MADE WITH LOVE BY:

LEARN MORE:

www.aloompa.com

E-MAIL:

PHONE:

hello@aloompa.com

+1.615.345.6322

5

Available for iOS and Android


p Luiz Melodia na Noite

6

Natura Musical no Centro Cultural Rio Verde em 2015. e Luiz Melodia at Natura Musical Night at Centro Cultural Rio Verde


uma music convention para chamar de sua

7

A Music Convention to call your own


R E T R O S P EC T I VA / RETROS P ECTIVE

Cinco anos atrás, São Paulo não tinha uma feira de música; hoje abriga a maior da América Latina Five years ago, São Paulo did not have a music convention; now it has the largest one in Latin America

p

8

As Music Conventions existem há algumas décadas. Logo que a indústria da música percebe o potencial do mercado que tem em mãos, as convenções começam a se proliferar buscando não só entender, mas também conectar pessoas, discutir estratégias e ampliar seu alcance. Uma das maiores cidades do mundo, São Paulo, não tinha uma convenção em que a música fosse o foco. Não tinha. A SIM São Paulo surge em 2013 para cobrir essa lacuna. “A ideia da Semana Internacional de Música de São Paulo nasceu quando fui ao MaMA Festival & Convention, em Paris, 2012”, conta Fabiana Batistela. Ela já havia ido a algumas convenções antes, mas foi na França que percebeu o caminho que queria propor para São Paulo: “Todas as pessoas que vão ao MaMA aproveitam a cidade como uma das atrações”, explica. “Eu queria fazer isso aqui, utilizar a cidade como um cenário para um grande encontro de música. Um evento fora de centros de convenções frios e impessoais, sem estandes, mas 100% focada em conteúdo, conexões e no novo". Fabiana Batistela retornou à França para outras duas feiras em 2013, uma delas o próprio MaMA, em outubro, e voltou ao Brasil decidida a realizar a SIM São Paulo. “Tinha que acontecer”, diz. Dois meses depois, com auxílio da própria equipe da convenção de Paris, “que me ajudou a pensar no melhor formato para o Brasil”, a Semana Internacional de Música de São Paulo tornava-se uma realidade. E lá se vão cinco anos.

e

Music conventions have existed for a few decades. As soon as the music industry realised its market potential, the conventions began to spread in an attempt not only to comprehend but also to connect people, discuss strategies and expand their reach. One of the biggest cities in the world, São Paulo didn’t have a convention focused on music. Past tense. SIM São Paulo was created in 2013 to fill this gap. “The idea behind São Paulo Music Week was born in 2012, when I visited the MaMA Festival and Convention in Paris”, Fabiana Batistela says. She had visited other conventions before, but it was in France that she realised the path she wanted to propose for São Paulo. “All the people who go to MaMA also take advantage of the city as an attraction”, she explains. “I wanted to do the same here, to use the city as a backdrop for a large music gathering. An event outside cold and barren convention centers, without stalls, and 100% focused on contents, connections and new stuff”. Fabiana Batistela returned to France for two more events in 2013, including MaMA itself in October, and landed in Brazil determined to establish SIM São Paulo. “It was meant to happen”, she says. Two months later, with the support of the Paris convention team “who helped to come up with a format for Brazil, the São Paulo Music Week became reality. And five years have gone by since then.

PRÊMIOS Prizes

Profissionais da Música (PPM)

Melhor Plataforma de Música 2016 Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA)

Melhor Projeto de Música 2016

INDICAÇÕES

Nominees Prêmio Bravo!

Melhor Projeto do Ano 2016 Prêmio WME Awards by Vevo

Fabiana Batistela, Empreendedora Musical do Ano 2017

Playlist The Best of SIM São Paulo


SIM EM números

SIM in numbers

73

Atividades

60

Activities

painéis panels 14 shows 48 concerts 2013

34 37

150 113

43

62

2014

2015

2016

2017

atividades de conexão e negócios (em horas)

Activities of connection and business (in hours)

6h

6h

2013

2014

42h

25h

36h

2015

2016

2017 2.500*

1.971

PARTICIPANTES

Participants

1.765 30.000*

874 25.000 credenciados delegates

15.000

594

público em geral 3.000 circulante (fãs) general public 2013 circulating (fans)

10.000 2014

2015

2016

2017 *número previsto *expected number

sim 2017 20 Brazilian states

21 Países

21 countries

9

20 Estados brasileiros


R E T R O S P EC T I VA / RETROS P ECTIVE

2013

um ano de OTIMISMO

Pr aças das Artes, centro da cidade

a year of optimism praça das artes, Cit y Center

p“

"Nós chamávamos a SIM 2013 de ‘Edição Zero’, como se fosse um experimento, um teste, mas deu tão certo que passamos a chamá-la de ‘Edicão Um’", conta Fabiana. A estreia da SIM São Paulo acontece em um período de transição do mercado: “Os profissionais estavam tentando entender o momento, pois estávamos saindo de anos de crise na indústria fonográfica e ninguém sabia o que iria acontecer. Mas o cenário já estava melhor e 2013 foi um ano de otimismo. Isso refletiu na SIM São Paulo”, relembra. Os temas abordados neste ano foram gerais, tentando entender como o público iria receber a convenção. “Foi como uma introdução de uma nova proposta”, explica Fabiana. Entre os destaques estão shows de El Reino del Mar (Colômbia), Franny Glass (Uruguai), Thiago Pethit e uma noite feminina com Karina Zeviani, Céu e a francesa Owlle. Nas palestras, os temas “Dinheiro Digital”, “A Cena Eletrônica no Brasil e no Mundo”, “Minha Marca e a Música” e “Festivais de Música: Desafios de Criar e Manter” foram as que mais atraíram público.

e“

"We called SIM 2013 the ‘Edition Zero’, as if it was an experiment, a soft launch, but it worked out so well that we soon named it Edition One”, Fabiana tells. Our debut happened during a transitional period in the market: “professionals wanted to figure out what was going on, because we were coming out of a crisis and no one knew what was going to happen. But things were already improving, and 2013 was a year of optimism. This was reflected in SIM São Paulo”, she recalls. The topics addressed in that year were very generic, trying to figure out how the public would welcome the convention. “It was like introducing a new proposition”, Fabiana explains. Highlights included concerts by El Reino del Mar (Colombia), Franny Glass (Uruguay), Thiago Pethit and female artists’ night with Karina Zeviani, Céu and Owlle (France). The following talks were the most popular ones: “Digital Money”, “The Electronic Scene in Brazil and the world”, “My Brand and Music” and “Music Festival: Implementation and Continuity Challenges”.

highlights 2013 música tema de / theme song by:

10

Nasser (França)

DJ Set de/of Philippe Cohen-Solal (Gotan Project) na festa de abertura/in the opening night

Documentário/documentary “Off The Beaten Track”, sobre o/ about Buraka Som Sistema


#tevinasim 2013 UM ARTISTA, UM PROFISSIONAL E UMA EMPRESA

an ARTIST, a PROFessional and a company

ÁL BU M

N O I TE

p Lançou o segundo disco de sua carreira, Em Cada Verso Um Contra-Ataque, em 2016, pelo edital Natura Musical. E Her lastest album was released in 2016 through the Natura Musical public financing project. ANA GARCIA Diretora/Director Festival Coquetel Molotov

Arthur Fitzgibbon, Diretor/Director América Latina/ Latin America

ONE RPM

Q&A: André Midani entrevistado por/interviewed by Patrícia Palumbo e Ricardo Alexandre

CURADORIA

P Produtora e curadora do projeto Ouvindo e Fazendo Música, do Museu do Estado de Pernambuco. E Producer and curator of the project Ouvindo e Fazendo Música from the Museum of the State of Pernambuco.

P Em 2017, criou o Festival M.A.N.A. (Mulher, Arte, Narrativas, Ativismo) e a festa mensal Lesbigay, na Casa Natura Musical. E In 2017 she created the M.A.N.A. festival as well as the monthly party Lesbigay hosted at Casa Natura Musical. PRODUÇÃO

P Realizou turnês brasileiras de diversos artistas internacionais, como Dinosaur Jr., Teenage Fanclub e Ibeyi. E She organized tours of several Brazilian and foreign artists, such as Dinosaur Jr., Teenage Fanclub and Ibeyi.

ON THE ROAD

P Participou dos festivais MoLA 2016, no Circo Voador (RJ), Se Rasgum 2016 (PA) e Coala Festival 2017 (SP). E She participated in the following festivals: MoLA 2016 at Circo Voador, Se Rasgum 2016, and Coala Festival 2017. I M PACT O

P Impactou mais de 200 mil pessoas com shows ao vivo produzidos pelo Brasil. E She impacted over 200 thousand people with live concerts produced throughout Brazil.

ST REAMING

NOVOS SERVIÇOS

AMPLIAÇÃO

P Em 2012, a ONErpm fazia uma média de 30 lançamentos/ dia, hoje o sistema realiza mais de 500 lançamentos diários. E In 2012, ONErpm had an average of 30 launchings a day. Today the system does more than 500 daily launches.

P Investimento em

P Mais de 10 escri-

produções de vídeo, negociações com plataformas, playlists e internacionalização de conteúdos. E Investments in video productions, negotiations with platforms, playlists and internationalization of contents.

tórios espalhados pelo mundo e inauguração do estúdio ONErpm, compartilhado com parceiros. E More than 10 offices around the world and opening of the ONErpm studio, shared with partners.

A dupla portuguesa / the portuguese duo Dead Combo na programação noturna / in the night program

11

AíLA


R E T R O S P EC T I VA / RETROS P ECTIVE

2014

um ano de afirmação

Pr aças das Artes, centro da cidade

a year of consolidation praça das artes, Cit y Center

P“

"De um ano pro outro, muita coisa mudou na indústria da música, e a SIM começa a crescer junto com o mercado”, analisa Fabiana, que destaca o fato de empresas, artistas e pessoas começarem a procurá-la para fazer parte do evento. Foi um ano em que "aprendemos o verdadeiro valor das conexões certas. Confiamos em muita gente, mas tivemos problemas sérios com alguns parceiros errados em 2014", conta, mostrando que é preciso aprender com os erros e não deixar de acreditar em parcerias. “Foi também um ano de afirmação”, relembra. Os temas das palestras são mais aprofundados, e os shows se ampliam. “Em 2013, tentamos ficar num bairro só”, diz. “Em 2014, espalhamos a programação pela cidade. Ainda estávamos experimentando, tentando entender o formato”, conta. Entre os destaques estão shows de Aláfia, Coutto Orchestra e DJ Craca. No quesito palestras, as mais elogiadas foram “Desenvolvimento de Startups de Tecnologia e Música no Brasil”, “O Mercado de Música Australiano”, “Modelo de Negócios e de Administração de Carreiras” e o Q&A com Alain Lahana, empresário da Patti Smith e de grandes eventos da Europa.

E“

"A lot of things changed in the music industry from one year to the next, and SIM begins to grow with the market”, analyzes Fabiana, while also pointing out that companies, artists and people began to approach her in order to partake in the event. That was the year in which “we learnt the real value of the right connections. We trusted a lot of people, but we also had problems with some misguided partners in 2014”, she explains, showing that you also need to learn from your mistakes and place trust in partnerships. “It was a year of consolidation”, she recalls. The themes of the talks became more profound, and the concerts also expanded. “In 2013 we were trying to stay in a single district”, she says. “In 2014, we spread our program throughout the city. We were still experimenting, trying to understand the format”, she explains. Highlights included concerts by Aláfia, Coutto Orchestra and DJ Craca. Regarding the talks, the ones that generated the most buzz were “Development of Music and Technology Start-ups”, “The Australian Music Model”, “Career and Business Management Model” and the Q&A with Alain Lahana, Patti Smith’s agent and also manager of large events in Europe.

highlights 2014 música tema de / theme song by:

Aldo, The Band

12

Noite francesa no / French night at Centro Cultural Rio Verde

Q&A com o artista e secretário de cultura da Paraíba Chico César/Q&A with the artist and secretary of culture of Paraíba Chico César


#tevinasim 2014 UM ARTISTA, UM PROFISSIONAL E UMA EMPRESA

an ARTIST, a PROFessional and a company

O Terno

AL BU M

P Após 2014, a

P 15 milhões de

P Mais de 2 milhões

banda se apresentou em 18 festivais, incluindo o Privamera Sound e o Lollapalooza. E Since 2014 the band has performed in 18 festivals including Primavera Sound and Lollapalooza.

plays de Melhor Do Que Parece. O grupo foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira por este álbum. E Melhor Do Que Parece was played 15 million times and was nominated for Prêmio da Música Brasileira.

de visualizações do clipe “Ai, Ai, Como Eu Me Iludo”. O vídeo ganhou o Prêmio Multishow. E More than 2 million views of “Ai, Ai, Ai, Como Eu Me Iludo”. The video won the Multishow Award.

DJ SET

PATRICK TORQUATO

Sympla

Noite Absolut com festas de rua na Praça das Artes/Absolut Night with street parties at Praça das Artes

RADIO

S I N G LE

P 130 edições da

P Um dos articula-

festa Baile Tropical em 25 cidades de 14 países – USA, França, Hungria e Coreia do Sul, entre outros. E 130 editions of the party Baile Tropical in 25 cities and 14 countries – South Korea, France and USA, among others.

dores do projeto e diretor artístico da Rádio Frei Caneca FM, de Recife, e gerente desde 2016. E One of the articulators of the project and artistic director of Radio Frei Caneca FM, in Recife, and its manager as of 2016.

AT I V IDADE

P Em cinco anos, a Rodrigo Cartacho, CEO Sympla

MUSIC VIDEO

Sympla se tornou a maior plataforma de venda de ingresso no país: 11 mil eventos simultâneos. E A little over 5 years, Sympla has become a major ticket sales platform in the country: 11 thousand simultaneous events.

REDE

IMPACTO

P Em 2017, inaugurou novas sedes em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife para fortalecer sua atuação em todo o Brasil. E In 2017 they opened new offices in São Paulo, Rio de Janeiro and Recife to stimulate their activities in the country.

Keynote com/with Steve Symons do/from Glastonbury Festival

P Como PatrickTor4, lançou a música “#ONDANOVA” (2017), com distribuição do selo franco-brasileiro Abatjour Records. E Just like PatrickTor4, he launched the song “#ONDANOVA” (2017), distributed by the franco-brazilian label Abatjour Records.

P Atua em 2 mil cidades em todos os estados do país e impacta 4 milhões de pessoas pelo site e app a cada mês. E They work in 2,000 cities in all Brazilian states, impacting 4 million people a month on their website and app.

Documentário/ documentary Racionais MC's: 25 anos no Movimento

13

ON THE ROAD


R E T R O S P EC T I VA / RETROS P ECTIVE

2015

a mudança de local

Centro Cultur al São Paulo

the move Centro Cultural São Paulo

p

Por sugestão da Prefeitura de São Paulo, a SIM deixa a Praça das Artes, no centro da cidade, e passa a ser realizada no Centro Cultural São Paulo. “A própria estrutura do CCSP permitiu com que nós aumentássemos a programação”, conta Fabiana. E o público dobrou. Foi uma edição bem maior, com a prO-area tornando-se um importante ponto de encontro do evento e showscases acontecendo dentro do espaço de conferência. Dos 900 artistas inscritos, 24 foram selecionados para se apresentar para o mercado dentro da SIM. A abertura foi no Auditório Ibirapuera com shows de Aufgang (França) e Yusa (Cuba). Liniker fez sua primeira apresentação ao vivo para o público na SIM 2015, o selo SIM Transforma, de conexão com a periferia, leva Emicida ao bairro de São Mateus, e um dos pontos altos foi a Festa Una Noche en Latinoamerica, promovida pela MMF Latam (Music Managers Forum) que aconteceu simultaneamente em 16 cidades da América Latina, todas transmitidas ao vivo. Aqui, a estrela da noite foi a banda francisco, el hombre. Entre as palestras, destaques para “O Plano de Políticas Públicas que Realmente Precisamos para a Música”, “Música e Videogame”, “Sexo, Música e Tecnologia” e “A Divisão Econômica do Streaming”.

E

Following a suggestion by the city's Mayor, SIM departs from the Arts Square, in the city centre, and establishes itself at Centro Cultural São Paulo (CCSP). “The structure of CCSP allowed us to expand our program”, tells Fabiana. And the audience doubled. This was a much larger edition, with the pro-area becoming an important meeting point for the event, and the showcases happening inside the conference site. From the 900 applications, 24 artists were selected to perform to the market inside SIM. The opening took place at Ibirapuera Auditorium with performances by Aufgang (France) and Yusa (Cuba). Liniker did her first live performance for the public at the SIM 2016. The label SIM Transforma, a connection with the suburbs, took Emicida to the peripheral district of Sao Mateus. One of the best moments was the Una Noche en Latinoamerica Party, promoted by MMF Latin America (Music Managers Forum) simultaneously in 16 cities across Latin America, all broadcast live. Here in São Paulo, the spotlight was on the band francisco, el hombre. Among the talks side, the highlights were “The Plan for Public Policy that We Really Need in Music”, “Music and Videogames”, “Sex, Music and Technology” and the “The Economic Division of Streaming”.

highlights 2015 música tema de / theme song by:

14

Aeromoças e Tenistas Russas

Primeiro ano de/first year of SIM Social, conexão com a periferia de SP/ connection with São Paulo's poorest districts

Luiz Melodia na/in Noite Natura Musical no/at Centro Cultural Rio Verde


#tevinasim 2015 UM ARTISTA, UM PROFISSIONAL E UMA EMPRESA

an ARTIST, a PROFessional and a company

ÁLBUNS

P Dois discos lançados nos últimos dois anos: Rytmus Alucynantis (2015) e Feeexta (2017), o segundo via selo HBB. E Two albums released in the past two years: Rytmus Alucynantis (2015) and Feeexta (2017). Monique Dardenne

Fernanda Paiva, Diretora/Director Natura Musical

MERCADO

P Média de 80 apre-

internacionais com mais de 100 shows, passando por países como Espanha, Portugal e Inglaterra. E Seven international tours with more than 100 concerts in countries such as Spain, Portugal and England.

sentações por ano com cerca de 200 pessoas por show. Em festivais foram mais de 50 shows. E An average of 80 presentations a year with about 200 people each. There were more than 50 concerts in festivals.

PRODUÇÃO

P Responsável pelas

anos, Label Manager do projeto Skol Music e diretora no Brasil da Web-Tv inglesa Boiler Room. E In the past 2 years, Labor Manager of the Skol Music project and Brazilian Director of the British web-tv Boiler Room.

turnês no Brasil de artistas de música eletrônica, como ANNA, Wehbba, Joyce Muniz e Marc Romboy. E Responsible in Brazil for tours of electronic music artists, such as ANNA, Wehbba, Joyce Muniz and Marc Romboy.

p Em 2016/2017, apoiou 80 projetos (gravação de CDs, DVDs, filmes e outros produtos) e promoveu cerca de 200 shows. E In 2016/2017 they supported 80 projects (CDs, DVDs, films and others) and promoted about 200 concerts.

Liniker ao vivo pela primeira vez na festa do Festival Contato/Liniker live for the first time at the Festival Contato party

ON THE ROAD

P São sete turnês

P Nos últimos dois

APOIO

Natura Musical

FORA DO PAÍS

RECURSO

p Somando 2016/2017, o recurso para editais de seleção foi de R$ 10 mi (R$ 4,6 mi em 2016 e R$ 5,4 mi. em 2017). E Considering 2016/2017, their fundings reached R$ 10 million (R$ 4,6 million in 2016 and R$ 5,4 million in 2017).

I N I C IAT I VA

P Ao lado de Claudia Assef, criou a Women’s Music Event, voltada ao protagonismo da mulher no mercado da música. E Together with Claudia Assaf, she created Women’s Music Event to promote women’s protagonism in the music sector. IMPACTO

p 220 mil pessoas alcançadas diretamente por festivais e Casa Natura Musical; na web, mais de 1 milhão de seguidores. E 220 thousand people directly affected by festivals and Casa Natura; they have more than 1 million followers on the web.

Painel: Lugar de Mulher é na Música/Panel: Women Belong in Music

15

Camarones Orquestra Guitarrística


R E T R O S P EC T I VA / RETROS P ECTIVE

2016

o ano do reconhecimento

Centro Cultur al São Paulo

the year of recognition Centro Cultural São Paulo

p

Com vários prêmios conquistados durante o ano, a SIM passa a ser reconhecida pelo mercado. Profissionais reservam a data para estarem na convenção, parcerias e números de público crescem, com muitos participantes do exterior vindo a São Paulo exclusivamente para o evento. “Passamos a ser a maior convenção da América Latina”, diz Fabiana. O Conselho Consultivo está mais ativo e tudo que foi testado e deu certo nos anos anteriores surge melhor resolvido em 2016. “A pro-Area estava mais aconchegante, ganhamos salas e pudemos duplicar speed-meetings e meet-ups”, conta. “Chegamos no formato ideal”, resume Fabiana. A SIM recebe comitivas oficiais da Austrália, Canadá e Argentina e grupos de vários estados brasileiros, mantém parceria com a França, se conecta com faculdades e escolas de música, além de tomar a cidade e as capas dos cadernos de cultura. Entre os showscases, destaques para Maglore, Tássia Reis, FingerFingerrr, The Baggios, Craca e Dani Nega, Yangos e Projeto Rivera. Das palestras, as mais elogiadas foram “Dando Voz a Elas”, “Liberdade de Gênero na Música”, “Carta ao Prefeito: SP Cidade da Música” e Q&As com Flora Gil e Alexandre Farias (ex-T4F, atual Live Nation).

e

With various accolades received throughout the year, SIM becomes widely recognized in the market. Professionals begin to book their dates in advance, partnerships grow as well as the audience numbers. “We became the largest convention in Latin America”, says Fabiana. The Consulting Board became more active, and everything that was piloted in the previous years resurfaces in better shape in 2016. “The pro-area became cozier, we had more rooms and so we doubled the speed-meetings and the meet-ups”, she clarifies. “We finally got to the ideal format”, Fabiana sums up. SIM welcomes official committees from Australia, Canada and Argentina, and also groups from different Brazilian states. The partnership with France is renewed, and a link is established with music schools and colleges. Our music program took over the city and the cover of culture magazines and newspapers. Showcases included Maglore, Tássia Reis, FingerFingerrr, The Baggios, Craca e Dani Nega, Yangos and Projeto Rivera. The most popular talks included “Voicing Women”, “Gender Freedom in Music”, “A Letter to the Mayor: São Paulo City of Music”, “Your Song in the Soap Opera”, plus Q&As with Flora Gil and Alexandre Farias (former-T4F, current Live Nation).

highlights 2016 música tema de / theme song by:

16

Iara Rennó

Noite de abertura no Auditório Ibirapuera com/opening night with Liniker e os Caramelows e/and Elza Soares.

Les Deuxluxes na/in Noite Quebec. Primeiro ano de parceria com o Canadá /first year of partnership with Canada


#tevinasim 2016 UM ARTISTA, UM PROFISSIONAL E UMA EMPRESA

an ARTIST, a PROFessional and a company

Francisco, el Hombre

p 120 shows no Brasil e 30 apresentações internacionais em 2016/2017, incluindo países como Cuba e México. E 120 concerts in Brazil and 30 international presentations in 2016/2017, including countries such as Cuba and Mexico.

YOUTUBE

p Mais de 3 mi de visualizações do clipe “Triste, Louca ou Má”, concorrendo ao Grammy Latino 2017. E More than 3 million views of the clip “Triste, Louca ou Má”, a contender for the Latin Grammy 2017.

RÁDIO

Roberta Martinelli

Mari Martinez, CEO Marquise 51

Marquise 51

A SIM Social vira SIM Transforma/SIM Social becomes SIM Transforma

p Cerca de 400 edições do programa Som a Pino, que é veiculado diariamente pela Rádio Eldorado FM. E About 400 editions of the show Som a Pino, which is broadcast daily by Rádio Eldorado FM.

TV

p Responsável pelo Cultura Livre, programa da TV Cultura que já alcançou a marca de 300 bandas registradas ao vivo. E In charge of Cultura Livre, a show on TV Cultura that has reached 300 live bands.

EVENTOS

EM 2016

PARA 2018

p Confirmados para dois dos maiores festivais latino-americanos: Lollapalooza São Paulo e Vive Latino (México). E Confirmed in two major Latin-american festivals: Lollapalooza São Paulo and Vive Latino (Mexico). J O R NAL

p Estreou em 2016 a coluna semanal Som a Pino, no jornal O Estado de São Paulo, sobre música brasileira. E She started the weekly column Som a Pino about Brazilian music on O Estado de São Paulo in 2016. BOOKING

p Festival Morrosto- p Prêmio Funarte

p Mais de 350 shows

ck, RS Music Market, Música ao Pôr do Sol e Maratona do Empreendedorismo Sustentável, entre outros. E Festival Morrostock, RS Music Market, Música ao Pôr do Sol, and Maratona do Empreendedorismo Sustentável, among others.

desde 2016 realizados para artistas representados e eventos produzidos no Brasil e América Latina. E More than 350 concerts organized since 2016 for artists they represent and events produced in Brazil and Latin America.

Mostra de Festivais nas Olimpíadas e Prêmio Profissionais da Música como Melhor Produtora de Eventos. E She was awarded Funarte Mostras de Festivais nas Olimpíadas and Prêmio Profissionais da Música, as best Producer of Events.

Documentário/ documentary Nick Cave and the Bad Seeds: One More Time With Feeling 3D

Painel: O SXSW e a porta de entrada para o mercado americano/ Panel: SXSW and the gateway to the American market

17

ON THE ROAD


coluna / column

O Crescimento do Mercado de Sincronização

Luiz Augusto Buff p Advogado especializado em Direito do Entretenimento e Propriedade Intelectual, diretor da 1M1 Arte. e Entertainment, Media and Intellectual Property Lawer, director at 1M1 Arte.

The Growth of the Sync Market

P

Nos últimos cinco anos, a arrecadação de direitos pelo ECAD cresceu mais de 65%. Em 2016, R$ 1.04 bilhões foram arrecadados para compositores, editoras, artistas, músicos e produtores fonográficos. Praticamente metade desses valores são destinados à música utilizada em produções audiovisuais. O segmento conhecido como sincronização musical está em franca ascensão no Brasil. A Lei da TV Paga (12.485/11) passou a exigir cotas de veiculação de obras audiovisuais nacionais em canais de TV por assinatura. Desde então, o número de produções nacionais realizadas por ano praticamente dobrou. A relevância do conteúdo nacional tomou tamanha importância que hoje o volume ultrapassa consideravelmente o mínimo exigido pelas cotas previstas na lei. Além de constituir uma fonte de divulgação importante para trabalhos artísticos comerciais, o segmento está criando oportunidades aos profissionais qualificados para enfrentar as complexas questões artísticas, técnicas e jurídicas que este segmento requer. •

E

The collection of public performance rights by the ECAD (National Copyright Collection Agency) grew more than 65% in the last five years. In 2016, R$ 1.04 billion were collected on behalf of composers, publishers, artists and labels. Roughly half of those figures are distributed to music used in audiovisual productions. The so-called synchronization market is on a significant rise in Brazil. A legislation was passed in 2011 requiring quotas for the exhibition of national audiovisual productions on Cable TV channels. Since then, the number of national productions made per year almost doubled. Brazilian content became so relevant that its presence on Cable TV now exceeds by far the minimum required by the quotas. The synchronization market not only is an important source of promotion for commercial music, but also provides an immense opportunity for industry professionals who are qualified to deal with the complex artistic, technical and legal issues that it presents. •

18

Playlist Noite Quebec + Balaclava


coluna / column

Os Blockbusters e nós Blockbusters and Us

p

“Difícil repetir um semestre como este”- disse o presidente da Move Concerts Brasil, William Crunfli, empresa que triplicou o faturamento em 2017. A maratona começou com Maroon 5 e terminou com Deep Purple em dezembro. Em São Paulo, os shows outdoors somaram quase 900 mil espectadores, e a conta se aproxima de meio bilhão em venda de ingressos. A Live Nation aterrissou em SP, e o primeiro recado foi claro: dos 18 shows grandes do semestre, encabeçam 4. A onda não vai parar, e o midstream vai sofrer por um tempo. Na hora de escolher entre comprar um ingresso caro no Tom Brasil ou um caríssimo no Morumbi, o consumidor escolhe o "imperdível". Afinal, todos postarão a camiseta Censura Nunca Mais do baterista do U2 e eu não? A chegada da nave Live Nation é simbólica. Apesar da crise, os olhos do showbusiness mundial estão confiantes com relação ao Brasil, e o aquecimento traz novos profissionais, empresas e possibilidades. O mercado de shows é um adolescente na América do Sul. Temos um longo caminho de crescimento pela frente: arenas e casas para construir, leis e preço de ingresso para ajustar, tecnologias para explorar e, principalmente, a chegada de novos hábitos do público de música. Estamos construindo uma audiência que exige experiências marcantes, e caberá aos profissionais da área entregar isto aos novos ouvidos. •

e

"It’s unlikely that we will have another season like this" - said William Crunli, CEO of Move Concerts Brasil, after the company revenue tripled in 2017. In São Paulo, the marathon started with Maroon 5 in September and is going to end with Deep Purple in December. Only in outdoor concerts there were 900,000 spectators, and the estimated tickets revenue is close to R$ 500 million. Live Nation landed in São Paulo and their first message was clear: out of the 18 huge concerts in the city, they were in charge of 4. This movement will not stop, and the midstream may keep suffering for a while. When choosing between paying for an expensive ticket for a Tom Brasil concert or for a super-expensive one in Morumbi, consumers pick the "must-go concert". After all, everyone will be posting on social media U2 drummer’s T-shirt stamped with "Censura Nunca Mais" (No More Censorship") on it, but me? Live Nation arrival is symbolic. Despite the crisis, the show business looks at us confidently and this boom will bring new professionals, companies and possibilities. The live concerts market in South America is like a teenager. We have a long growth path ahead: arenas and venues to be built, laws and ticket prices to adjust, technologies to explore, and ultimately, new habits of music concert attendants to be developed. We are building an audience that will demand outstanding experiences in concerts, and it will be up to the professionals in our industry to deliver this to the next brand new ears. •

fabiana lian p Dirige a On Stage Lab, a primeira escola voltada exclusivamente para o mercado da música e shows no Brasil e Runs On Stage Lab, the first school exclusively for music business and live entertainment industry

20

Playlist Noite Brás/Ilha Sonora


21


p Marcelo Jeneci na SIM São Paulo 2014

e Marcelo Jeneci at SIM São Paulo 2014

O MERCADO DA Música no brasil VAI BEM, OBRIGADO

22

The Brazilian music market is doing fine, thanks!


23


m e r c a d o br a si l e ir o / b r a z i l i a n m a r k e t

A consolidação do streaming trouxe Ânimo para os profissionais do país, mas muita gente destaca: o mercado ainda precisa ser educado. The consolidation of streaming has renewed the energies of professionals in the country; yet, many point out: the market still requires education

p

11º

Posição do Brasil no Ranking Mundial em 2016

24

Brazil: 11º Position in the World phonographic Ranking in 2016

Cinco anos atrás, quando a SIM São Paulo debutava, o mercado fonográfico brasileiro adentrava, pela segunda vez consecutiva neste século, o Top 10 do ranking de países em faturamento. Segundo a IFPI (Federação Internacional da Indústria Fonográfica), o Brasil havia sido o 8º maior mercado em 2012 e o 9º em 2013. Atualmente, o país está na 11ª posição, e nem essa queda, atribuída à instabilidade econômica do país nos últimos dois anos, tira a certeza de que o mercado brasileiro está no caminho certo, após um longo período de incertezas. “(Na virada da década) o clima era de depressão. Ninguém sabia o que ia acontecer”, relembra Mauricio Bussab, fundador da distribuidora Tratore. “Agora não. A nossa indústria hoje funciona, é sustentável e paga as contas”, afirma. “Esses últimos cinco anos foram cruciais. Basicamente, cinco anos atrás não se ganhava dinheiro com música digital e agora se ganha”, resume. A fala de Bussab bate com a estreia de dois grandes players digitais no mercado brasileiro. “Chegamos ao Brasil em 2013, identificando uma oportunidade”, observa Bruno Vieira, Country Manager da Deezer no país. “Hoje, o Brasil está no Top 5 marcas da Deezer, e enxergamos um potencial muito grande de crescimento”, revela, mos-

e

Five years ago, in the debut of SIM São Paulo, the Brazilian phonographic industry entered, for the second consecutive time this century, the top 10 worldwide ranking in terms of profit. According to the International Federation of the Phonographic Industry, Brazil reached the 8th spot in 2012 and the 9th the following year. At present, the country ranks 11th, and the decline is explained by the country's economic turbulence in the past two years. Despite the downturn, we are certain that the Brazilian market is on the right track, overcoming a recent past full of uncertainties. “(At the turn of the decade), everyone was a little depressed, no one knew what was going to happen”, remembers Mauricio Bussab, founder of the distributor Tratore. “Not anymore. Our industry is now fully functionable, sustainable and paid up”, he affirms. “The last five years were crucial. Basically, you couldn’t earn money with digital music, but this has now changed”, he sums up. Bussab’s quotes coincide with the launch of two major digital players in the Brazilian market. “We arrived in Brazil in 2013 after spotting an opportunity”, says Bruno Vieira, Deezer’s Country Manager. “Brazil is now


“A nossa indústria hoje funciona, é sustentável e paga as contas” "Our industry is now fully functionable, sustainable and paid up”

Mauricio Bussab

amongst the Top 5 Deezer brands, and we see a large growth potential”, he reveals, displaying optimism towards the future. “I see a far more promising market in five years' time than I did five years ago”. Spotify, on the other hand, arrived in Brazil in 2014. Since then, Roberta Pate, artist and label manager in Brazil, has highlighted the growing interest (even bigger in 2017) that artists have been showing in understanding and working more efficiently with digital content, as well as with maturing record companies, publishers and distributors. “I sense a major change in the mindset of the industry”, she explains. “It underwent a major revolution and adapted, but the consumer is changing much quicker. For us, it’s important to keep up with them. Or even outpace them”, she believes.

LICENCIAMENTO E SINCRONIZAÇÃO O bom momento do streaming reverbera em outras áreas. “O catálogo da Tratore multiplicou por sete em cinco anos”, revela Bussab. Já Arthur Fitzgibbon, diretor da agregadora ONErpm para América Latina, compara: “Se em 2012 fazíamos uma média de 30 lançamentos por dia, hoje nosso sistema já consegue fazer mais de 500 lançamentos diários. E não há sinais de desaceleração”. Arthur acredita que a tendência é o mercado ficar cada vez mais »

LICENCING AND SYNCHRONIZING The good moment for streaming also reverberates in other areas. “The Tratore catalog saw a seven-fold growth in five years”, Bussab reveals. Arthur Fitzgibbon, Latin America Director of aggregator ONErpm, compares: “In 2012, we did 30 daily launches on average; now our system can handle more than 500 daily launches. And there are no signs of »

us$

229,8

milhões

Receita em dólares da indústria fonográfica da música no Brasil em 2016 US$ 229.8 million Revenue (in dollars) of the phonographic music industry in Brazil in 2016

25

trando ânimo para o futuro. “Vejo o mercado muito melhor daqui a cinco anos do que eu enxergava há cinco anos”. Já o Spotify chegou ao Brasil em 2014. De lá para cá, Roberta Pate, gerente de relacionamento com artistas e gravadoras no Brasil, destaca o interesse crescente da classe artística (ainda maior em 2017) em entender como trabalhar melhor o digital e o amadurecimento de gravadoras, editoras e distribuidoras: “Venho sentindo uma mudança de mindset muito grande na indústria”, conta. “Ela passou por uma grande revolução e se adaptou, mas o consumidor se mexe muito mais rápido. Para a gente é muito importante manter o passo deles e, se possível, se antecipar”, acredita.


m e r c a d o br a si l e ir o / b r a z i l i a n m a r k e t

241,1

milhões

de celulares no Brasil 241.1 million cell phones in Brazil

52,4%

Crescimento do streaming comparado com 2015 52.4% Streaming growth compared to 2015

P

E

forte. “O segredo para os artistas estará na construção e negociação da sua própria audiência”, opina. Mauricio Tagliari, diretor da YB Music, bate num ponto que Bruno Vieira, da Deezer, reforça: o mercado ainda precisa ser educado. “As pessoas que estão inseridas na indústria acham que sabem o que é digital, mas não sabem”, diz Bruno. Para desenvolver o segmento gospel no portal, a Deezer “educou” parceiros, promovendo workshops, vídeos, treinamentos e eventos com artistas, empresários e gravadoras. “Agora estamos colhendo frutos”, avisa. Tagliari, que fala do mercado de sincronização e licenciamento, diz que precisamos “educar todo mundo: diretor de filmes, produtores, o povo de agência, o cliente e o artista”. Segundo ele, muito artista cai no conto da “visibilidade” e cede de graça uma música para um filme. “Tem verba para todo mundo, do gaffer ao diretor, passando pela maquiadora. Por que não para música?”, questiona. No balanço de 2016 da IFPI, a sincronização totalizou 1% do faturamento do mercado fonográfico brasileiro (2% no mercado mundial), e Tagliari acredita que há muito ainda a crescer, mas pondera: “Nos EUA, este mercado é muito consolidado. Tem para toda faixa de preço e tamanho de artista. Aqui ainda é meio luxo”.

slowing down.” Arthur believes that the market tends to grow ever stronger. “The secret for artists will be in building and negotiating their own audiences”, he claims. Mauricio Tagliari, director at YB Music, touches on an issue supported by Bruno Vieira, from Deezer: the market requires education. “Industry pundits think they know what digital means, but they don’t”, says Bruno. Deezer “educated” partners through workshops, videos, training and events with artists, businesspeople and record companies. “They are now reaping the fruits”, he warns. Tagliari, speaking of licencing and synchronizing, argues that we need “to educate everyone: film directors, producers, agencies, clients and artists.” A lot of people fall prey to the “visibility” tale, and they give away their music for free for a film. There’s money for everyone, from the gaffer to the filmmaker, including the make-up artist. Why not the musicians?”, he questions. In the 2016 IFPI statement, synchronization accounted for 1% of profits in the Brazilian phonographic market (2% of the world market), and Tagliari believes there’s plenty of growth ahead. However, he notes: “the US market is far more consolidated. Its products are available at every price range and artist size. Here, it’s still a luxury item”

“Antigamente, se fazia qualquer coisa para vender disco. Hoje se faz disco para vender qualquer coisa” “In the past, you’d do anything in order to sell records. Nowadays, you make records in order to sell anything”

26

Luiz Augusto Buff


“O Brasil e toda América Latina tem sido o epicentro da música consumida no mundo” “Brazil and Latin America are the epicenter for music consumed around the world”

Sandra Jimenez

Luiz Augusto Buff, founding associate at 1M1 Arte, reinforces Tagliari’s views: “We are a few years behind some international markets, which take licencing very seriously, recognising the various artist and production levels with a different price tag”. According to Buff, there was paradigm shift in the industry: “In the past, you’d do anything in order to sell records. Nowadays, you make records in order to sell anything”. In other words, in the past you’d license music for soap operas, films or adverts in order to leverage the phonographic product itself. “Not anymore. Nowadays synchronizing is a product per se, and a market opportunity”. Professionalization is increasingly important. “We are witnessing a period of audiovisual transformation with Netflix, YouTube, virtual reality and games, which represents further growth opportunities”. In 2017 the Brazilian government film agency ANCINE for the first time created a public framework in which games are listed as an audiovisual product. “This means that audio and music can also benefit from the incentive”, he says. »

23%

Crescimento do Mercado Digital em 2016 23% Growth of the Digital Market in 2016

27

Luiz Augusto Buff, sóciofundador da 1M1 Arte, reforça a opinião de Tagliari: “Estamos alguns anos atrás de alguns mercados internacionais que levam a sério a questão de licenciamento, que é saber que existem vários níveis de artistas e produções, com diferentes valores a serem praticados”. Segundo Buff, houve uma mudança de paradigma da indústria: “Antigamente, se fazia qualquer coisa para vender disco. Hoje se faz disco para vender qualquer coisa”. Ou seja, antes se licenciava música para novela, filme ou propaganda visando alavancar o produto fonográfico. “Hoje não. A sincronização é um produto em si. É uma oportunidade dentro do mercado de música”. Para ele, a profissionalização é cada vez mais importante. “Estamos num período de transformação do audiovisual com Netflix, Youtube, realidade virtual e games, que são oportunidades desse mercado crescer ainda mais”. Em 2017, a ANCINE abriu pela primeira vez um edital, em que considera games um produto audiovisual. “Isso faz com que, indiretamente, o áudio e a música participem desse incentivo”, pondera Buff. »


“A desarticulação do setor cultural junto aos entes públicos enfraqueceu festivais mais novos” “With the detaching of the culture from the public sector, festivals with a small footprint became weaker” Fabrício Nobre

P

-44 ,9% Queda de downloads em relação a 2015

28

-44.9% Fall in downloads compared to 2015

E

E OS FESTIVAIS?

What about THE FESTIVALS?

Outra área que passou por transformações foi o mercado de música ao vivo, que viu festivais como Rock in Rio e Lollapalooza se consolidarem enquanto os independentes enfrentam desafios. “Com a desarticulação do setor cultural junto aos entes públicos, os festivais mais novos e com menos lastros se enfraqueceram um pouco”, observa Fabrício Nobre, diretor do festival Bananada, que acontece desde 1999 em Goiânia. “Mas quem tinha uma conexão mais firme com as cenas e empreendimentos culturais de sua cidade se segurou, e mesmo num momento de crise tem apresentado boas edições”, opina Nobre, citando como exemplo os festivais Coquetel Molotov (Recife), DoSol (Natal), Satélite 061 (Brasília), Se Rasgum (Belém) e El Mapa de Todos (Porto Alegre). Do outro lado, o Rock in Rio mudou em 2017 para uma área maior e festejou mais um sucesso. “O festival se transformou em um grande parque temático da música onde o entretenimento ganhou escalas e dimensões de um verdadeiro parque de diversão”, resume Luis Justo, CEO da marca. Empresa responsável pelo Lollapalooza Brasil desde 2014, quando ocupou a vaga deixada pela GEO, a T4F ampliará o festival

The live music sector has also experienced major transformations, with festivals such as Rock in Rio and Lollapalooza becoming firmly established and the indie ones facing challenges. “With the detaching of the culture from the public sector, young festivals with a small footprint became weaker”, notes Fabrício Nobre, director of the Bananada Festival, in Goiana since 1999. “However, those with strong connections with alternative scenes and cultural endeavors in their cities kept their heads above water, and they have been doing great editions despite the crisis”, says Nobre mentioning a few examples: Coquetel Molotov (Recife), DoSol (Natal), Satélite 061 (Brasília), Se Rasgum (Belém) and El Mapa de Todos (Porto Alegre). Meanwhile, Rock in Rio moved to a larger location and celebrated another successful edition. “The Festival became a large music theme park, where entertainment options acquired the dimension of an amusement park”, the company CEO Luis Justo sums up. T4F has been in charge of Lollapalooza Brazil since 2014, when it replaced GEO. The company will extend the Festival to a total


m e r c a d o br a si l e ir o / b r a z i l i a n m a r k e t

of three days in 2018. “More than half of our capacity for the three days has already been sold”, Entertainment Director Alexandre Wesley tells us. He thinks that the maturity of the event, which will see its 7th edition, is to be credited for such milestone. “Returning to the three-day event has more to do with the evolution of the festival than with trust in the market". Still, Alexandre recalls that 2012 and 2013 were very difficult years for the sector, and that the tendency in 2017 is to follow the same dramatic path due to the economic crisis. Yet, the outcome was positive: “the volume of concerts this year reveals a hot marketplace. It was a very good year”, he celebrates. “Looking at 2018, we can’t help but hope that there’s yet more potential to be uncovered”, he thinks. “The music market has never been so strong and growing”, believes Sandra Jimenez, Head of LATAM Music at YouTube and Google Play Music. She also firmly highlights the strength of the Latin American market in the moment the phonographic industry is reclaiming its power: “Brazil and Latin America are the epicenter for music consumed around the world”. She goes on: “ If you look at the ranking for the most played songs this week, you will see that Latin America is in the Top 10, and the number 1 viral video is the new song by Anitta & Allesso ‘Is that For Me’! That’s phenomenal!” Warmed up by the soaring figures of the music market worldwide, the future of the Brazilian market is also promising, and the mood is very optimistic. In 2016, Latin America was the fastest growing market in the world for the 7th consecutive year, according to IFPI. And it hasn’t lost momentum: the first half of 2017 was very positive for Warner Music Brazil, according to the company’s president Sérgio Affonso Fernandes, in an interview to the British website Music Ally, assessing expectations in the Brazilian market. “We anticipate an equally strong second half”, says Fernandes. He believes that the digital infrastructure is continuously improving, and so new business opportunities are opening up. “I believe that, as a whole, revenues will grow in 2017”, the Warner president forecasts. This is just the beginning of the good times. •

-43 ,2% Queda da venda física em relação a 2015

-43.2% Fall in physical sale compared to 2015

Playlist Brazil Now

29

para três dias em 2018: “Mais da metade da nossa capacidade de passaportes para os três dias já foi vendida”, garante Alexandre Wesley, Diretor de Entretenimento da T4F, que credita o sucesso do evento à maturidade do festival, que chegará à sétima edição. “Voltar aos três dias tem mais a ver com a evolução do festival do que em confiança no mercado”. Ainda assim, Alexandre relembra que 2012 e 2013 foram anos bastante difíceis para o setor, e que a tendência de 2017 era a de seguir o mesmo caminho dramático, devido à crise econômica, mas o resultado foi positivo: “O volume de shows deste ano é um volume de mercado aquecido. Foi um ano muito bom”, comemora. “Se olharmos para 2018, não dá para não ter esperanças de que isso só vá se potencializar”, acredita. “O mercado de música nunca esteve tão forte e crescendo”, opina Sandra Jimenez, Head of ​Music LATAM de YouTube & Google Play Music, que destaca firmemente a força do mercado latino-americano neste momento de retomada de poder pelo mercado fonográfico. “O Brasil e toda América Latina têm sido o epicentro da música consumida no mundo”, conta. “Se você olhar o nosso ranking de mais executados da semana, verá que vários artistas latino-americanos estão no Top 10, e o número 1 de vídeo viral é a nova música de Anitta & Allesso, ‘Is That For Me’! Tudo isso é fenomenal”, festeja. Embalado pelos números crescentes do mercado da música em todo o mundo, o futuro do mercado no Brasil é animador, e o clima geral é de otimismo. Em 2016, a América Latina foi o mercado regional que mais cresceu no mundo pelo sétimo ano consecutivo, segundo a IFPI. E, nessa toada, o primeiro semestre de 2017 já foi bastante positivo para a Warner Music Brasil, como contou Sérgio Affonso Fernandes, presidente da companhia, ao site britânico Music Ally, num balanço sobre as expectativas do mercado brasileiro. “Esperamos que a segunda metade do ano também seja forte para nós”, disse Fernandes, que acredita que a infraestrutura digital está melhorando o tempo todo, o que abre oportunidades para que o negócio possa ser expandido. “Acredito que a indústria brasileira, como um todo, verá as receitas aumentarem em 2017”, projeta o presidente da Warner. A boa fase só está começando. •


c o l una / c o l u m n

Políticas para a Música: dos esforços aos dados

Dani Ribas p Doutora em Sociologia da Música pela UNICAMP, Diretora da Sonar Cultural Consultoria e Pesquisa. e PhD in Sociology of Music from UNICAMP, Director of Sonar Cultural Consulting and Research

Music polIcies: from efforts to data

P

A amplitude do negócio da música no Brasil extrapola os limites de órgãos governamentais. Não significa que não deva haver políticas de regulamentação (que incluem um mapeamento da extensa cadeia produtiva – algo que só entes governamentais têm condições de fazer) ou de aferição de desempenho e impacto do setor. A Política Nacional das Artes não chegou a ser plenamente estruturada. O Programa de Economia da Música foi lançado em 03 de maio de 2016, juntamente com o anúncio do Fundo de Amparo ao Trabalhador – FAT Cultura, e nenhum dos dois foi implementado. O mecanismo da renúncia fiscal da Lei Rouanet, apesar das distorções que causa, ainda cumpre um papel importante no financiamento de projetos na área. Iniciativas como o SIM Data devem cumprir importante papel no levantamento de dados para o setor – o que não exclui a necessidade de órgãos governamentais sistematizarem dados da cadeia produtiva toda, como é feito com o audiovisual. A música é um setor industrial tão importante quanto esse, mas ainda carece de instrumentos de regulamentação e aferição próprios, para dizer o mínimo. •

e

The extension of the Brazilian music business goes beyond the boundaries of government bodies. This doesn’t mean that there shouldn’t be regulation (including mapping the vast production chain, something only governmental entities can do), benchmarking and impact evaluation in the sector. The National Arts Policy hasn’t been thoroughly structured. The Music Economics Program was launched on May 3rd 2016, alongside the announcement of the Workers Assistance Fund. Yet neither one has been implemented. The tax incentive mechanism of the Rouanet Law, despite its distortions, still plays an important role in funding projects in the sector. Initiatives such as SIM Data also perform an important function for data collection in the sector. However, this does not preclude the need for government bodies to collate data from the entire production chain, just like in the audiovisual sector. Music is a sector just as important, however it still lacks regulatory and benchmarking tools, to say the least. •

30

Playlist Noite Circus


HÁ VAGAS PARA MARCAS QUE TOCAM MÚSICAS E MÚSICAS QUE TOCAM MARCAS. Somos Bananas, uma empresa de curadoria e conteúdo musical que busca sempre entregar a melhor experiência para artistas, marcas e pessoas. Participe da nossa pesquisa e nos ajude a entender a relação entre artistas independentes e marcas. Assim você já entra pra nossa rede, apresenta seu som e ficamos em contato para futuros projetos.

31

Acesse >> pesquisa.bananas.mus.br


c o l una / c o l u m n

Máquina de Música

Juliano Polimeno p Sóciofundador da Playax, startup de desenvolvimento de audiência baseada em dados e Founder and CEO of Playax, a data-driven audience development startup

Music Machine

p

Os dados inundaram o mercado da música: plays, views, ouvintes, curtidas, seguidores, compartilhamentos, menções e outras métricas passaram a fazer parte de nosso cotidiano. A busca pelo sentido (e pela grana) contido em bilhões de ‘data points’ passou a mobilizar times e recursos em praticamente toda cadeia produtiva: de gravadoras a casas de shows, de artistas a serviços de streaming. Dados e algoritmos já nos recomendam músicas diariamente. Revelam o desempenho de um artista ou música e medem com eficácia o retorno do investimento. Já conseguem – ainda com pitadas de incerteza – prever o sucesso e indicar caminhos práticos que ajudam na expansão da carreira de artistas. E essa é apenas a primeira fase dessa revolução. A fase em que nós, humanos, ainda somos obrigados a analisar os dados e extrair ações práticas. A próxima etapa é aquela na qual as máquinas aprendem sozinhas: a da Inteligência Artificial. Analistas preveem a perda de muitos postos de trabalho, e a música não ficará de fora. Analistas de marketing, profissionais de A&R e outras funções podem – e irão – sofrer sérias transformações. O próprio artista não passará ileso: máquinas já são capazes de compor após se alimentarem de todos os séculos de nossa história criativa como humanos-músicos. •

e

Data have flooded the music market: plays, views, listeners, likes, followers, shares, mentions and other metrics have become an integral part of our daily lives. The search for sense (and for money) contained in billions of data points has now mobilized teams and resources in practically the entire production chain: from record companies to music venues, from artists to streaming services. Data and algorithms already recommend music to us on a daily basis. They reveal the performance of an artist or song, and they measure the ROI with accuracy. They even still not entirely reliably – anticipate success and point out practical avenues for the expansion of the artistic career. And this is just the first part of the revolution. This is the stage in which us humans have to analyse the data and translate them into practical actions. The following stage is the one in which machines learn on their own: Artificial Intelligence. Analysts predict many job losses, and the music industry will be no exception. Marketing analysts, A&R professionals and other functions may - and will - undergo serious transformations. Even the artists won’t remain unscathed: machines are already able to author music after feeding on our creative history for various centuries •

32

Playlist Toca da Caboca / Noite Manaus


SOUNDS SOUNDS AUSTRÁLIA AUSTRÁLIA APRESENTA APRESENTA

MISSÃO MISSÃO COMERCIAL COMERCIAL LATALM AT2A0M 17 2017

CHILE CHILE ** ARGENTINA ARGENTINA ** BRASIL BRASIL SIM SIMSÃO SÃOPAULO PAULO* *7 7DEC DEC- -1010DEC DEC

PAINEL PAINELSOBRE SOBREO O MERCADO MERCADODADAMÚSICA MÚSICA

DELEGAÇÕES DELEGAÇÕES AUSTRALIANAS AUSTRALIANAS NANA SIM SIM

DATA DATA 8 DE 8 DE DEZDEZ HORÁRIO HORÁRIO 13.30 13.30 - 15.00 - 15.00 LOCAL LOCAL SALA SALA PAULO PAULO EMÍLIO EMÍLIO

THE THEAUSSIE AUSSIEBBQ, BBQ,SIM SIM DATA DATA 8 DE 8 DE DEZDEZ HORÁRIO HORÁRIO 16.00 16.00 - 18.00 - 18.00 LOCAL LOCAL JARDIM JARDIM SUSPENSO, SUSPENSO, CCSP CCSP APRESENTANDO APRESENTANDO ALIALI BARTER BARTER

Bonnie Bonnie Dalton Dalton - CUSTOM - CUSTOM MADE MADE Glenn Glenn Dickie Dickie - SOUNDS - SOUNDS AUSTRALIA AUSTRALIA Maggie Maggie Collins Collins - BIGSOUND/TRIPLE - BIGSOUND/TRIPLE J J Millie Millie Millgate Millgate - SOUNDS - SOUNDS AUSTRALIA AUSTRALIA Nicola Nicola Pitt Pitt - CAAMA - CAAMA MUSIC MUSIC Pete Pete Keen Keen - SUGAR - SUGAR MOUNTAIN MOUNTAIN Philip Philip Mortlock Mortlock - ORIGIN - ORIGIN MUSIC MUSIC GROUP GROUP Scot Scot Morris Morris - APRA - APRA AMCOS AMCOS Steve Steve Cross Cross - REMOTE - REMOTE CONTROL CONTROL Steve Steve de de Wilde Wilde - UNIFIED - UNIFIED MUSIC MUSIC GROUP GROUP ParaPara obter obter detalhes detalhes completos completos sobre sobre todos todos os participantes os participantes Australianos Australianos na Missão na Missão Comercial Comercial da América da América Latina, Latina, incluindo incluindo delegações, delegações, descrição descrição dos dos artistas artistas e horários e horários de de shows shows e apresentações, e apresentações, baixe baixe o aplicativo o aplicativo SOUNDS SOUNDS AUSTRALIA AUSTRALIA na App na App Store Store ou Google ou Google Play. Play.

DZ DZ DEATHRAYS DEATHRAYS

THETHE KITE KITE STRING STRING TANGLE TANGLE

33

A Missão A Missão Comercial Comercial da América da América do Sul do Sul da Indústria da Indústria da Música da Música Australiana Australiana é apoiada é apoiada pelopelo Governo Governo Australiano Australiano através através do Programa do Programa de Subsídios de Subsídios de Diplomacia de Diplomacia Cultural Cultural Australiana Australiana do Departamento do Departamento de Relações de Relações e Comércio e Comércio Exterior. Exterior.


p Elza Soares, convidada

34

especial de Liniker e os Caramelows, na abertura da SIM em 2016 e Elza Soares, special guest for Liniker e os Caramelows, in the 2016 opening night


A mutante noite de SĂŁo Paulo

35

The nightlife of SĂŁo Paulo is a mutating beast


a n o i t e d e s ão pau l o / t h e n i g h t l i f e o f s ã o Pa u l o

A noite mais movimentada do Brasil sofre com a crise econômica enquanto sai das casas fechadas e vai para a rua The most vibrant nightlife of Brazil has suffered with the economic crisis, moving from closed venues to the streets

p

36

São Paulo é uma das cidades mais populosas do mundo, com um número impressionante de 12 milhões de habitantes (“se amando com todo ódio, se odiando com todo amor”, como diria uma velha canção do tropicalista Tom Zé) e uma quantidade estratosférica de oportunidades de negócios. Nesse quesito, é um diamante bruto esperando lapidação. “A noite paulistana precisa atrair investidores”, diz Pena Schmidt, produtor musical, pesquisador e curador, que acredita ser necessário “assumir a noite como uma das opções para o progresso e crescimento econômico da cidade”, e também “como parte importante da cultura da região”. Pensar a noite como uma poderosa ferramenta econômica é algo que vem movimentando algumas das principais cidades do mundo. Quem deu o pontapé inicial foi Berlim, que criou a Berlin's Clubcommission, uma comissão com 170 promotores que se uniu visando promover a vida noturna da capital alemã (e a transformou em uma das principais noites do mundo), e Amsterdã, que em 2014 elegeu um Night

e

São Paulo is one of the most populous cities in the world, with an impressive 12 million inhabitants (“loving each other hatefully, and hating each other with all their heart”, said a song by Tropicália artist Tom Zé), with a stratospheric number of business opportunities. In this aspect, the city is a rough diamond awaiting cutting. “The São Paulo night needs to attract investors”, says Pena Schmidt, music producer, researcher and curator who believes it’s necessary to “recognize the nightlife as an opportunity for economic growth and progress” and also “as an integral part of the city’s cultural life”. The thought that the nightlife is also an economic trigger has rocked some major cities across the world. Berlin kickstarted it by establishing the Clubcommission, a commission with more than 170 promoters aimed at promoting the nightlife in the German capital, thereby converting it into one of the most exciting night scenes in the world. Then came Amsterdam, which elected a Night Mayor in 2014 through the NGO Nachtburgemeester. He is in charge of connecting clubs, bars, workers and revellers with the city’s council.


“The São Paulo NIGHT needs to attract investors”

Pena Schmidt

Mayor através da ONG Nachtburgemeester (Fundação Prefeito da Noite). Ele é responsável desde então por conectar clubes, bares, trabalhadores e público com prefeitura e conselho da cidade. A estratégia deu tão certo que cidades como Zurique, Paris e São Francisco adotaram medidas semelhantes, inspiradas no case de Amsterdã. Quem foi mais longe é Londres, que não só escolheu uma Night Czar em 2016 como criou um comitê focado na noite (a Night Time Commission) com a missão de criar uma visão da capital inglesa como uma cidade 24 horas. No site da prefeitura, há uma página especial chamada “24 Hour London” com as diretrizes do projeto, como “promover cultura e lazer para todas as idades e interesses, e garantir segurança para moradores, turistas e trabalhadores noturnos”, entre outras coisas. “A economia noturna traz 26,3 bilhões de libras – cerca de R$ 112 bilhões de reais – para a cidade a cada ano”, informa o site. Enquanto isso, a noite de São Paulo passa por mudanças cíclicas, que normalmente acontecem nas grandes cidades: algumas casas noturnas fecham enquanto outras, novas, abrem. “Porém, temos visto mais casas fechando que abrindo”, opina Inti Queiroz, produtora e pesquisadora de políticas culturais. “Fica muito mais difícil formar público com espaços fechando a toda hora”, ela acredita. Pena Schmidt não consegue “ver grandes avanços na noite desde 2012. Talvez tenha até havido um retrocesso”, ele diz, relembrando que São »

“Temos visto mais casas fechando que abrindo” "We have seen more closures than openings”

Inti Queiroz

The strategy worked so well that cities such as Zurich, Paris and San Francisco adopted similar initiatives inspired by Amsterdam. London went even further by establishing a Night Czar in 2016 and a Night Time Commission. Their mission was to create a round-the-clock image for the British capital. On the Mayor’s website there’s a page called “24-Hour London” with the project directives, such as “promoting culture and leisure for all age groups and interests, to vouching for the security of locals, tourists and night workers”, amongst other things. “The night economy generates £ 26,3 billion – about R$ 112 billion – for the city every year”, the site explains. Meanwhile, São Paulo’s nightlife has been undergoing cyclical changes normally associated with large cities: some night venues open up, while others close down. “However, we have seen more closures than openings”, says Inti Queiroz, producer and researcher of cultural policies. “It’s very difficult to generate an audience when the venues are closing all the time”, she believes. Pena Schmidt hasn’t seen “large developments in the nightlife since 2012”. He also says: “Maybe there has even been a decline”, while remembering that São Paulo also considered a Night Mayor. Night clubs even started an initiative that evolved into the P10 Collective. Both initiatives are now stalled. “I can’t see any further movement”, laments Pena. Considered by many “the King of São Paulo’s Nightlife” today, Facundo Guerra, the owner of nine night clubs in the metropolis, supports this view, while also expressing some optimism for the future. “Our plateau is lower than five years ago”, he says. “Nevertheless, we have more venues for independent music than in the past. I believe that clubs are experiencing a lot of difficulties, from a business perspective”. For Facundo, the economic crisis is the big villain of the São Paulo nightlife (“the strongest night in the Brazilian market”), and he also thinks that things will get better once the economy improves. “The nightlife is more vibrant than ever, it just hasn’t been institutionalized”. He emphasizes: “we need to get out of the crisis”. The journalist Alexandre Matias, music curator at Centro Cultural São Paulo, also senses the constant closures and openings of night clubs, but his views are more optimistic when compared to Facundo’s. He believes that the number of spaces for live music is on the »

37

“A noite paulistana precisa atrair investidores”


P

38

Paulo chegou a dialogar sobre a possibilidade de ter um prefeito da noite, assim como casas noturnas iniciaram um movimento que se transformou no coletivo P10 – as duas ações estão paradas. “Não vejo mais esta movimentação”, observa Pena. Considerado por muitos o “Rei da Noite Paulistana” na atualidade, Facundo Guerra, dono de nove casas noturnas na capital paulista, reforça o discurso de Pena Schmidt, mas mostra um pouco mais de otimismo para o futuro: “Estamos hoje em um patamar pior do que estávamos há cinco anos”, diz. “Apesar de termos mais casas para a música independente do que tínhamos, acredito que essas casas estão passando por um momento de extrema dificuldade, do ponto de vista de negócios”. Para Facundo, o grande vilão da noite paulistana (“A noite mais forte do mercado brasileiro”, ele frisa) é a crise econômica, ele acredita que as coisas vão mudar assim que o cenário econômico do país melhorar. “A noite está mais viva do que nunca, só não está institucionalizada”, e reforça: “O que precisamos fazer é sair da crise”. Curador de música do Centro Cultural São Paulo, o jornalista Alexandre Matias sente esse movimento de abre/fecha de casas, mas mantém um discurso otimista próximo ao de Facundo, e acredita que hoje há “cada vez mais espaços para receber música ao vivo” na cidade. Muito mais otimista, Matias diz que “a vida cultural de São Paulo – DJs, festas, baladas e shows – está numa fase excelente”, mas, assim como Pena, ele sente falta de uma casa noturna de estrutura média para abrigar shows (“Perdemos o Palace e o Via Funchal”, relembra Pena. Matias acrescenta o Olympia), e destaca casas que começaram pequenas alguns anos atrás e conseguiram evoluir recentemente para um espaço um pouco maior – como Casa de Francisca e Mundo Pensante. Tanto Alexandre Matias quanto Facundo Guerra destacam uma mudança interessante na noite de São Paulo: ela está deixando a “caixa preta” (os ambientes fechados) e indo para a rua, teatros e lugares menores. “É um momento incrível para a noite”, avisa Facundo. “Porque você tem mais opções e uma agenda extensa de festas e shows normalmente mais acessíveis do que dentro de clubes”, pondera.

“A noite está mais viva do que nunca. O que precisamos fazer é sair da crise” “The nightlife is more vibrant than ever. We need to get out of the econonic crisis”

Facundo Guerra

E rise. He claims: “the cultural life of São Paulo - DJs, parties and concerts - is experiencing an excellent moment”. On the other hand, and just like Pena, he thinks that the city lacks medium-sized venues to house concerts (“we lost the Palace and Via Funchal”, he regrets. Matias adds the Olympia to the list). He also highlights that the venues that started small a few years ago saw very little growth in terms of capacity - this includes Casa de Francisca and Mundo Pensante. Both Alexandre Matias and Facundo Guerra agree that an interesting change has been taking place in the São Paulo nightlife: the city is leaving the “black boxes” (closed environments) and moving out to the streets, theatres and small spaces. “This is an incredible moment for the night scene”, opines Facundo. “That’s because there are more options and an extensive events and concerts calendar more accessible than those of the clubs”, he ponders.


a n o i t e d e s ão pau l o / t h e n i g h t l i f e o f s ã o Pa u l o

For Alexandre Matias, we are going through a learning curve, and the challenge is to make new party-goers understand that the São Paulo nightlife must be untrammeled by old practices, such as the VIP culture. “People think that music doesn’t cost anything. They pay, for example, R$ 30 for a drink, R$ 40 for a burger, but ask to go VIP in a concert that costs only R$ 10. Education is key to everyone in the music production chain. “Grab people by the hand say: ‘this costs money, and our job isn’t a hobby’”. Inti Queiroz believes that “space in the media and festivals” is essential for the development of live music in the city. “But not on its own”. She mentions the Bill 376/2016 “São Paulo City of Music” as an important tool for fostering the music production chain. Broken down into seven axes, - “creation and production, live music, street music, instrumental music, festivals, travel and exchange, and partnerships with the city hall” - the Bill has stalled in the city legislative chamber, because - according to Inti - the current mayor has no interest in it. “The current municipal secretary for culture created a music framework based on the Bill, but it has been profoundly altered”, Inti criticizes. She also believes that only “pressure from the sector will turn this Bill into law, and ensure reasonable enforcement.” While São Paulo professionals await eagerly a promising future for its nightlife, the Music City Convention, a music event promoting understanding between cities and the night economy, spreads its tentacles throughout the world. After editions in Brighton (UK), Washington (USA) and Berlin (Germany), the Convention will land in Melbourne (Australia) in 2018. It will once again show that it is perfectly possible to combine relaxation for some with parties and concerts and night entertainment for others, in a responsible and profitable way, and also generate new jobs (for example, 2,000 new permanent posts were created in London with the Night Tube, which extended the hours of public transport in accordance with the project “24-Hour London”. At the end of the night, everyone wins. •

Playlist So, What's Next?

39

Para Alexandre Matias, estamos atravessando um momento de aprendizado de um novo público cujo desafio é fazê-lo entender que a nova noite de São Paulo não pode ser refém de hábitos antigos, como a cultura do VIP. “As pessoas acham que música não custa. Elas pagam, por exemplo, R$ 30 num drinque, R$ 40 num hambúrguer, mas pedem VIP para ir a um show que custa R$ 10”. Para ele, esse aprendizado é importante para todo mundo que está envolvido na cadeia produtiva da música: “Pegar o público pela mão e falar: ‘Isto custa dinheiro e ninguém está trabalhando por hobby'”. Já Inti Queiroz acredita que “espaço na mídia e festivais” são essenciais para que a música ao vivo se desenvolva na cidade. “Mas não só”. Ela cita o Projeto de Lei 376/2016, “SP Cidade da Música”, como uma importante ferramenta de fomento à cadeia produtiva da música. Balizado em sete eixos – “criação e produção, música ao vivo, música de rua, instrumental, festivais, intercâmbio e viagens, e parcerias com a prefeitura” –, o projeto está parado na Câmara Municipal, pois, segundo Inti, não há interesse do atual prefeito na proposta. “A atual gestão da Secretaria Municipal de Cultura fez um edital de música inspirado no projeto de lei, mas o desconfigurou da proposta original”, critica Inti, que acredita que só com “a pressão do setor conseguiremos aprovar essa lei e fazer o poder público implantá-la como deve ser”. Enquanto os profissionais de São Paulo aguardam esperançosamente por um futuro promissor para sua noite, a Music City Convention, um evento focado em música que visa promover a compreensão sobre como as cidades e sua economia noturna podem colaborar melhor, se espalha pelo mundo. Após edições em Brighton (Inglaterra), Washington (EUA) e Berlim (Alemanha), a convenção aporta em 2018 em Melbourne, na Austrália, com a certeza cada vez maior de que é perfeitamente possível combinar descanso para alguns e festas, shows e entretenimento noturno para outros, de maneira responsável, rentável e que ainda incentive a criação de novos postos de trabalho (em Londres, por exemplo, 2 mil empregos permanentes foram criados com o projeto Night Tube, que estendeu horário e alcance do transporte público no fim de semana, atendendo ao projeto “24 Hour London”). No fim da noite, todos ganham. •


c o l u na / c o l u m n

Bem-vindo à América Latina WELCOME TO LATIN AMERICA

p

Em tempos de muros e cercas, cabe à música a importante e a brilhante capacidade de desobedecer qualquer fronteira. Os tambores afrocolombianos do pacífico, os cantos contestatários andinos têm a potência de se misturar facilmente com as cordas dos mariachis, o bandoneón tangueiro e guiro amazônico. América Latina é território de encontros. Estamos em um dos continentes mais plurais do mundo e onde melhor se convive com as diferenças. Uma das principais fortalezas do nosso mercado musical é justamente este hibridismo e a transculturalidade: nossa resistência está na mistura. Podemos pensar que pouco a pouco a conscientização de que o mercado latinoamericano é um dos territórios culturais mais férteis do mundo vem progressivamente recuperando os cômodos da Casa Tomada anglo e eurocentralizadora, como poetizou Cortazar. Grupos, como francisco, el hombre, Yangos, Muntchako, Criolina, Duo Finlândia, e festivais, como o El Mapa de Todos, Mucho! e Contrapedal, vêm se destacando por esta retomada transamericana e justamente ocupando este espaço de mercado que não se limita pelas linhas vermelhas da fronteira. •

Felipe França Gonzalez p Diretor da Difusa Fronteira Núcleo de Integração Cultural Brasil América Latina e Director of Difusa Fronteira, a cultural center for Latin American integration

e

At times of walls and fences, music occupies the important and brilliant role of going beyond any boundary. The Afro-Colombian drums from the Pacific and the confrontational chants from the Andes have the power to blend seamlessly with the mariachi strings, the tango bandoneons and the Amazonian guiro. Latin America is a territory for meetings. This is one of the most diverse continents in the world, where people are willing to embrace their differences. One of the major strenghhs of our music market is precisely this hybrid and transcultural feature. Our resistance lies in this mixture. We may think that the market will gradually become aware that Latin America is one of the most fertile territories for music in the world, and we are slowly reclaiming the chambers of the occupied Eurocentric house, as mentioned in a Cortazar's poem. Music groups such as francisco, el hombre, Yangos, Muntchako, Criolina, Duo Finlândia and festivals such as El Mapa de Todos, Mucho! and Contrapedal have been drawing a lot of attention to this Transamerican takeoff, challenging frontiers and occupying territories not defined by red lines. •

40

Playlist Noite Cabaret Conexão Latina


c o l u na / c o l u m n

Alexandre Matias p Jornalista, dono do site Trabalho Sujo e curador de música do Centro Cultural São Paulo e do Centro da Terra e Is a journalist, owner of Trabalho Sujo website and curator at Centro Cultural São Paulo and Centro da Terra.

A importância do filtro The Importance of the Filter

p

A péssima fase política em que o Brasil se encontra tem um contraponto de peso: a ótima fase de produção cultural que se espalha por todo o país. Quando falamos em música, essa fase atinge níveis de excelência, com artistas veteranos e novatos, populares e independentes, famosos e anônimos coexistindo e se conhecendo. A grande questão, portanto, é encontrar um fio da meada para conhecer estes novos nomes e cenários que se espalham pelo Brasil. Daí a importância da renovação do jornalismo e das curadorias, que em sua maioria ainda estão presos ao século XX, lidando com agendas de lançamentos e produtos à venda. Cultura é muito mais que comércio e consumo, é experiência e vivência, por isso é preciso que pessoas se estabeleçam como novos filtros, traçando pontes e contatos improváveis, pensando para além do que apenas o público acha que quer. E é para lá que esta nova fase da música brasileira nos leva. •

e

The terrible political conjecture in Brazil at present is countered by the outstanding cultural production spreading throughout the country. When we talk about music, this situation achieves levels of excellence, with both veterans and newcomers, pop and indie, famous and unsung meeting up and getting to know each other. The big question: where do you start from with so many new names and scenarios everywhere in the country? That’s why curatorship and journalism must be renewed, which are mostly stuck in the 21st century dealing with launch calendars and products for sale. Culture goes beyond trade and consumerism. It’s also about experience and coexistence. That’s why people must come up with new filters, build new bridges and establish unlikely contacts, thinking beyond what people think they want to see. This is where this new stage of the Brazilian music is taking us. •

42

Playlist Noite Mineira


pTássia Reis na Noite Google em 2016 e Tássia Reis at Google Night in 2016

prêmio sim

44

sim award


45


prêmio sim p

Não é à toa que a Semana Internacional de Música de São Paulo acontece no mês de dezembro. É o mês de fechamento, de fazer o balanço do que deu certo, repensar o que não deu, se encontrar com amigos, colegas, trocar experiências e planejar os próximos 12 meses. É a época de comemorar as conquistas e renovar as energias. E durante um ano todo de trabalho, nos deparamos com pessoas, projetos e artistas que literalmente mereciam um prêmio por estarem deixando uma marca importante ou transformando o mercado. Pois, então, que sejam premiados! Em 2017, a SIM SÃO PAULO, para comemorar a conquista de chegar em sua quinta edição, lança o PRÊMIO SIM, que vai destacar e reconhecer as melhores iniciativas do ano da indústria musical. São apenas quatro categorias, três delas com 10 indicados cada - nove escolhidos pelo Conselho Consultivo da SIM e um pelo público. E o grande vencedor de cada categoria é escolhido pelos credenciados da SIM.

e

It’s not a coincidence that the SIM SÃO PAULO takes place in December. This is the month for closure, for looking back at achievements, for reflecting about what didn’t work out, for meeting up with friends and peers, for exchanging insights and for planning the next 12 months. It’s also the time to celebrate milestones as well as to renew the energies. Throughout the year, we’ve come across people, projects and artists literally deserving of a prize for the footprint they left, or for transforming the marketplace. Well, so let it be! SIM SÃO PAULO celebrates its 5th edition in 2017 by launching the SIM Award, which highlights and honors the best initiatives of the year in the music industry. There are only four categories, three of them with 10 nominations each – nine selected by the SIM board and one by the audience. And the winners of each category are selected by SIM delegates.

46

Playlist Prêmio SIM

contribuição à música LIFETIME CONTRIBUTION TO MUSIC p Para reconhecer a contribuição daquela pessoa que dedicou sua vida à música, que tem uma história de décadas de conquistas e construiu um nome em cima de realizações importantes para o mercado brasileiro, se tornando referência no meio. Não há votação para esta categoria. e This prize will recognize and honour someone who devoted their life to music, whose contribution spans over decades with various achievements, and who has built a reputation through important efforts for the Brazilian market, thereby becoming a reference in the sector. No voting for this category.


indicados / nominees

novo talento / new talent

Artistas em começo de carreira que chamaram atenção durante o ano pelo trabalho musical, performance, posicionamento, contribuição artística / New artists that called some attention this year for their music, performance and artistic contribution.

Pabllo Vittar P Amparado pelo disco Vai Passar Mal, Pabllo se tornou um dos nomes mais comentados do ano com direito à música em novela e participação no Rock in Rio. E His first album Vai Passar Mal became one of the most popular albuns of the year including a song in the primetime soap opera and participation in Rock in Rio.

Linn da Quebrada

P Em seu álbum

Mulamba

álbum de estreia de Giovani, o levou aos palcos do No Ar Coquetel Molotov, do Festival Fora da Casinha e do Dia da Música. E Japanese Food, Giovani’s first album, reached the lineup of various festivals such as No Ar Coquetel Molotov, Fora da Casinha Festival and Dia da Música (Music Day).

de estreia, Pajubá, Linn potencializa o discurso como uma poderosa arma na luta pela quebra de paradigmas sexuais, de gênero e corpo. E In her debut album Pajubá, Linn enhances her speech as a powerful weapon for challenging sexual, gender and body paradigms.

P O sexteto de

Larissa Luz P O álbum Território Conquistado reúne pedaços de um universo feminino e é um relato de um processo contínuo de conquista de espaço. E Território Conquistado contains fragments of a female universe, and is an account of a continuous process of earning space.

Teto Preto

que une pós-punk, krautrock e rock de garagem psicodélico, o trio paulistano Rakta ampliou fronteiras, tocando nos EUA e no Japão. E With a sound that unites flavors of post-punk, krautrock and psychedelic garage rock, the trio from São Paulo also catapulted to concerts abroad both in the United States and Japan.

Indicado pelo público People’s choice

P Surgido em uma

Rakta

P Autor de um som

Curitiba chamou a atenção com as canções “P.U.T.A” e “Mulamba”, que reforçam o protagonismo feminino na música nacional. E The sextet from Curitiba got attention for the hits “P.U.T.A.” and “Mulamba”, which highlight the central role of women in the music industry.

Rincon Sapiência P Produzido pelo próprio Rincon, o álbum Galanga Livre veio pesado e foi um dos trabalhos mais comentados do ano. E Produced by the singer himself, the album Galanga Livre, came strong and was one of the most popular albuns of the year.

das principais festas da noite paulistana, a Mamba Negra, o Teto Preto saiu dos inferninhos para ocupar festivais importantes do país. E The group surfaced as the electro-organic jam of Mamba Negra, one of the parties of the São Paulo nightlife, left the warehouse and hellish backstreet joints for the stages of the largest festivals in the country

Tim Bernardes

P Já conhecido pelo trabalho na banda O Terno, Tim gravou sozinho 13 canções inéditas e emocionou crítica e público com o álbum Recomeçar. E Already known as part of the band O Terno, Tim intertwined and sewed 13 songs for the album. In Recomeçar, he was acclaimed by both critics and public.

47

Baco Exu do Blues P Com uma união de rap e música brasileira (e boas doses de sarcasmo e provocação), o álbum Esú alcançou os holofotes merecidos. E He blends rap with Brazilian music, (also with plenty of sarcasm and provocation), and all the spotlights are on him.

Giovani Cidreira

P Japanese Food,


indicados / nominees

inovação / innovation

Aqui, o destaque é para novas ferramentas, startups, aplicativos e iniciativas inovadoras que podem revolucionar o setor por meio da tecnologia e da pesquisa / Here we highlight for new tools, startups, apps and brand new initiatives that can change the market with technology or research.

Acelerarte P Primeira aceleradora de artistas brasileira, focada em trazer práticas reais de empreendedorismo para o mercado da música. E The first accelerator for Brazilian artists, focused on importing best practices in entrepreneurship to the Brazilian music market.

Hand Album Tribalistas P O retorno do trio foi marcado por uma parceria com Facebook e Spotify para criar uma ferramenta que propiciasse uma nova maneira de explorar um disco digital. E They joined forces with Facebook and Spotify for the launch, thereby creating a new tool and way of exploring a digital album.

HumOn

P Criado na Coreia Holoplot P Com base em Berlim, a startup desenvolveu uma tecnologia de áudio 3D capaz de controlar ondas sonoras, determinando onde o som pode ou não pode ser ouvido. E Based in Berlin, this startup developed a 3D audio technology capable of controlling sound waves, determining where it is audible and where it is not.

do Sul, a startup oferece um serviço para aqueles que sonham em fazer música, mas hesitam por não saber por onde começar. E Established in South Korea, the startup offers a service for those who dream of making their own music, but don’t know where to start.

In Place of War

P Uma organização que trabalha com música em locais de guerra, zonas de conflito e comunidades marginalizadas usando a música para fazer a diferença. E This organization works with music in warzones, conflict zones and marginalized communities. Music makes a difference.

Indicado pelo público People’s choice

Techstars Music

48

Mapeamento Brasil de TUHU P Primeiro mapeamento nacional de iniciativas que compartilham do objetivo de contribuir para a ampliação da educação musical no Brasil. E First national mapping of initiatives that share the goal of contributing to the expansion of music education in Brazil

Site Luiza Caspary P www.luizacaspary. com.br é o primeiro site de artista brasileiro 100% acessível e com recursos para que pessoas com deficiência naveguem com autonomia. E www.luizacaspary. com.br is the first Brazilian artistic website fully accessible and with resources for people with disabilities to navigate with autonomy.

P Aceleradora ameSoundcharts

P A startup francesa monitora redes sociais, streaming, paradas, playlists e rádios em tempo real, gerando dados para artistas, selos e executivos. E This French startup monitors social networks, streaming activities, parades, playlists and radios in real time.

ricana voltada para o meio musical que investiu em 10 startups de música este ano e disponibiliza acesso a mentores e investidores do mercado. E American accelerator aimed at the music industry that invested in 10 music start-ups this year. It also provides access to guides and investors in the market.

Tem Um Gato na Minha Vitrola P Iniciativa do jornalista musical Pedro Antunes, que publica nos stories do seu Instragram (@poantunes) suas impressões de lançamentos de discos. E This initiative by the journalist Pedro Antunes who publishes his impressions about album launches on the stories tool of his instagram (@poantunes) on a daily basis.


indicados / nominees

projeto do ano / project of the year

Uma campanha de marketing, um festival, uma empresa, um profissional que tenha realizado algo especial ou um projeto artístico inovador / A marketing campaign, a festival, a company, an industry professional, an album, or any music project which was impressive this year.

Indicado pelo público People’s choice

Trio elétrico Navio Pirata – Carnaval 2017 P O BaianaSystem se firmou como um dos mais potentes grupos do Brasil. E seu trio elétrico faz da folia uma revolução necessária. E BaianaSystem has established itself as one of the most energetic music groups of Brazil in the past few years. And its trio elétrico is staging an urgent revolution.

Red Bull Music Academy São Paulo P A primeira edição nacional do evento realizou conversas, performances e tributos a ícones e cenas da música brasileira. E Informal talks, tributes to Brazilian icons, celebrations of Brazilian and non-Brazilian contemporary music and of the São Paulo nightlife were held throughout 10 days.

Festival Timbre

P Na quarta edição, o Timbre estendeu sua programação para escolas públicas e se consolida como núcleo de resistência cultural e transformação social. E The festival held its fourth edition and also expanded the program to public schools, consolidating itself as a center of cultural resistance and social change.

turnê Rompe Frontera P Projeto de residência artística itinerante e de integração cultural na América Latina que rendeu 18 shows por três países, criação compartilhada de singles e um mini doc. E This is an itinerant artist residence project for the cultural integration of Latin America, with 18 concerts in three countries.Two collective singles and a documentary were also produced.

Internacionalização Anitta P Umas das maiores influenciadoras femininas do Brasil, a cantora, compositora e empresária ampliou consideravelmente seu território de atuação em 2017. E This singer, composer and businesswoman is one of the most influential females in Brazil. She expanded her territory in 2017 by entering new markets abroad.

Unlikely – Far From Alaska P O FFA ofereceu recompensas inteligentes no crowdfunding para o disco que arrecadou mais do que o esperado, e um plano de lançamento divertido e diferenciado. E The production and launch strategies for the album Unlikely are teeming with creativity. With smart gifts for the album crowdfunding, the campaign exceeded its target.

Programa Natura Musical 2017 P Em 2017, o programa passou por uma renovação, voltou a patrocinar festivais e e abriu uma casa de shows. E In 2017, the platform was revamped with new models, started to sponsor festivals again and opened a new concert venue

Women’s Music Event (WME) P Plataforma de música, tecnologia e negócios com uma perspectiva feminina. Realizou a primeira premiação dedicada 100% às mulheres da música. E Women’s Music Event is a music, business and technology platform made from a female perspective. The first prize edition is dedicated solely to women in music.

49

Breve P Da união de empresários do cenário independente paulistano surgiu este espaço para shows que funciona de segunda a segunda. E This project was born out of a group of businesspeople of the São Paulo independent scene. It is a concert venue that opens 7 days a week.

Conexão Cultura DF P Um programa que visa promover a participação de profissionais e artistas do DF em festivais, mercados e eventos no Brasil e exterior. E The program aims to promote the participation of delegations formed by music professionals and artists from the FD in festivals, markets and strategic events both in Brazil and abroad.


coluna / column

Planejamento e design estratégico para projetos de música

Iuri Freiberger p Mestre em design estratégico e produtor musical. e Has a master's in strategic design and is a music producer

Strategic planning and design for music projects

p

Como disciplinas, música e design são primos criativos distantes. Desde o evento da indústria fonográfica, música virou um produto embalado. Capas de discos, cartazes de shows e desenho industrial de embalagens aproximaram música do design. Produto, em seu processo de fabricação, depende de projeto, e esse é o conceito mais aceito para o termo design. Música, então, depende de projeto, ou seja, depende de design. Em um campo mais abrangente, projetos incluem produtos, serviços e experiências. O desenvolvimento de projetos, considerando projetistas (designers), usuários, plateias e demais profissionais envolvidos, é o campo de estudos do Design Estratégico, e foca em inovação de processos organizacionais. Design Estratégico trabalha conceitos e ferramentas para gestão e sistematização de empresas e demais organizações. Pensando no mercado da música, o Design Estratégico pode trazer práticas de inovação, ferramentas visuais e diversos recursos para melhorar projetos para o mercado musical. •

e

As discipline areas, music and design have a distinctive creative core. Since the advent of the phonographic industry, music has been a packaged good. Album covers, concert posters and the industrial design of packagings bring music closer to designers. A product in its manufacturing process is contingent on the project, which is the most widely recognizable concept of design. Music is also contingent on the project. In other words, music depends on design. In a broader field, projects include products, services and experiences. Project development – taking into account project managers (designers), end-users, audiences and other professionals involved - is a field within Strategic Design, and it focuses on the innovation of organizational processes. Strategic Design works with concepts and tools for the management and optimization of enterprises and other organizations. Regarding the music market, Strategic Design can introduce best practices for innovation, visual tools and various resources that can help to improve the music market. •

50

Playlist Noite Let's Gig


natura musical mudou porque a música mudou Depois de 13 anos, 366 projetos e 123 milhões investidos, a gente quer mais: mais música, mais conexões. Novos artistas. Parcerias com festivais. Casa Natura Musical. Conteúdos de música e comportamento. É por isso que Natura Musical existe: para amplificar a frequência social de um Brasil criativo e fazer com que mais encontros aconteçam

#NosEncontramosNaMúsica

/naturamusical


p Showcase As Bahias e a

52

Cozinha Mineira na SIM 2016 no Centro Cultural SĂŁo Paulo e As Bahias e a Cozinha Mineira showcase at SIM 2016 at Centro Cultural SĂŁo Paulo


programação

53

PROGRAM


s h o w cas e s Local:

Centro Cultural São Paulo, Sala Adoniran Barbosa grátis/free

Ingresso:

07.12

08.12

15h00 - 15h20

15h00 - 15h20

Sapopemba

Tim Bernardes

15h40 - 16h00

Bruna Mendez

Luciano Supervielle (Uruguai)

16h20 - 16h40

16h20 - 16h40

My Magical Glowing Lens

Rimas & Melodias

17h00 - 17h20

17h00 - 17h20

Ana Muller

Molho Negro

17h40 - 18h00

17h40 - 18h00

Biltre

Dot Legacy (França)

18h20 - 18h40

18h20 - 18h40

Linn da Quebrada

Xênia França

19h00 - 19h20

19h00 - 19h20

Orquestra Greiosa

Grand Bazaar Banda

19h40 - 20h00

19h40 - 20h00

Felipe Cordeiro

Larissa Luz

20h20 - 20h40

20h20 - 20h40

The Gift (Portugal)

Iconili

54

15h40 - 16h00


15h00 - 15h20

Giovani Cidreira

15h40 - 16h00

Mulamba

16h20 - 16h40

Criolina

17h00 - 17h20

Tiê

17h40 - 18h00

Veja Luz

18h20 - 18h40

Tamboorbeat (Argentina)

19h00 - 19h20

Aíla

19h40 - 20h00

Vox Sambou (Canadá/Haiti)

SHOWCASES

09.12

20h20 - 20h40

Playlist Showcases Diurnos

55

Samuca e a Selva


E VENTOS NOTURNOS / NIGHT PROGR AM Entrada livre em todos os eventos com a PRO-BADGE e a pulseira Free entrance with the PRO-BADGE and the wristband

06.12

Ouça as playlists das festas no Spotify usando os códigos Listen to the playlists using the Spotfy codes

21h00 E ve n t o de a be r t u r a Casa Natura Musical Ava Rocha + Jards Macalé

Apenas para convidados e credenciados SIM

900 lugares

07.12 18h30

20h00

20h00

E m i ly D u s t a n d B r i t i sh U n de rg ro u n d p r ese n t: J u n t o s

T H E W ORL D C UP O F MU S I C : AU S TRALIA X B RA Z IL

Mundo Pensante

Matilha Cultural Emily Dust (UK) Sants (SP) Viní (SP) Poté (UK) BadSista (SP) Kojey Radical (UK) Rimas & Melodias (SP)

Estrella Galicia Estação Rio Verde Ali Barter (Austrália) DZ Deathrays (Austrália) The Kite String Tangle (Austrália) Brvnks (GO) Molho Negro (PA)

N o i t e Máq u i n a Aninha Martins (PE) André Sampaio (RJ) part. BNegão (RJ) Karina Buhr (PE) part. Russo Passapusso (BA) Vandal (BA) DJ set BNegão Bota Som (RJ)

R$ 15

Gratuito (antes das 21h), R$ 25 (após 21h) e R$ 20 (antecipado)

350 pessoas

400 pessoas

R$ 15

300 pessoas

20h00 19h30 N o i t e C i rc u s: C a n ç ão Au t o r a l Brasileira Casa de Francisca Arthur Nogueira (PA) Ava Rocha (RJ) Cacá Machado (SP) Celso Sim (SP) César Lacerda (MG) Ceumar (MG), Dante Ozzetti (SP) Filipe Massumi (BA) Fred Ferreira (RJ) João Paulo Amaral (SP) Juliana Amaral (SP) Jussara Silveira (MG) Laya (CE) Livia Nestrovski (USA) Ná Ozzetti (SP) Pepê Mata Machado (RJ) Suzana Salles (SP)

R$ 62

120 pessoas

20h00 N o i t e NMP B

N o i t e E rva D o ce c o n v i da B u zz S u p r e m e Associação Cultural Cecília Shijo X (Itália) Barro (PE) DJ Magrones (SP)

Casa Barbosa Pitaias (SP) Lau e Eu (SE)

R$ 10

150 pessoas

20h00

R$ 10 (antecipado) e R$ 15 (porta)

300 pessoas

N o i t e S i n ewave Casa do Mancha

20h00 MO S TRA INT E RNAC IONAL DE MÚSICA IN S TRUM E NTAL JAZZ NOS FUNDOS Sidmar Vieira Quintet (SP) Amaro Freitas (PE) Hang em' High (Polônia, Suíça, Áustria) Cosmopolita (SP)

Patife Band (SP) Macaco Bong (MT) Mais Valia (SP)

R$ 25

100 pessoas

20h00 T o c a da C a b o c a N o i t e de M a n au s

R$ 15

Lab Mundo Pensante

120 pessoas

Márcia Novo (AM) Anne Jezini (AM) part. Elisa Maia (AM) Luneta Mágica (AM) + Alderia (AM) Alaídenegão (AM)

R$ 15

56

200 pessoas

Programação sujeita à alteração. Confira atualizações no site ou app oficial do evento. Please check updated program information on our website or official app.


18h00

20h00 Noite Mineira Casa do Mancha

R a d i o l a Rec o r ds & Booking a p r ese n ta JAM T ro p i c a l Bourbon Street Victor Rice (USA) Skafandros Orkestra (SP) Buena Onda Reggae Club (SP)

R$ 30 (lista) e R$ 40 (porta)

500 pessoas

N o i t e da G r é a Pa r a i b a n a Matilha Cultural Totonho e Os Cabra (PB) FurmigaDub e Seu Bando (PB) Bravo (PB) Rieg (PB) Ubella Preta (PB)

R$ 10 (confirmados no evento) e R$ 20 (porta)

300 pessoas

21h00 Noite Af ro m i n e i r a s Jongo Reverendo Beatriz Rodarte (MG) Josi Lopes (MG) Maíra Baldaia (MG) Raquel Coutinho (MG)

19h00 N o i t e B a l ac l ava + Q u ebec Breve

R$ 25

KROY (Canadá) We Are Wolves (Canadá) mannequin trees (SE) Nuven (SP)

250 pessoas

R$ 10

180 pessoas

21h00 20h00 Noite do Calor Quente – Pe r n a m b u c a n o s e ag r e g a d o s ! Centro Cultural Zapata The Raulis (PE) convida Tibério Azul (PE) e Gustavo Da Lua (PE) DJ Vinicius Leso (PE)

DJ Nest (MG) Juliana Perdigão (MG) Gui Hargreaves (MG) DJ Peixota (MG) Família de Rua convida Douglas Din e Bárbara Sweet (MG) Young Lights (MG)

Gratuito

100 pessoas

20h00 Prêmio Gabriel Th o m a z de Mús i c a Brasileira Associação Cultural Cecília Alf Sá (CE) Asteróides Trio (SP)

R$ 10

300 pessoas

20h00 MO S TRA INT E RNAC IONAL DE MÚSICA IN S TRUM E NTAL JAZZ NOS FUNDOS

A p o es i a de Aldir Blanc

Adam Moses (UK) Youssef Dayes (UK) Nubya Garcia (UK) Acid Arab (França)

Casa de Francisca

R$ 15

Maria João (Portugal) André Mehmari (SP)

120 pessoas

R$ 80

21h00

120 pessoas

R$ 20

120 pessoas

21h00

20h00

Centro Cultural Zapata

N o i t e B r i i ze n o V e n t o N o i t e Le t ' s GIG

City Lights

Z Carniceria

Tag Sound System (SP) Acauã (SP) ¡Venga-Venga! (SP) DJ Teiú (SP)

Luê (PA) Vox Sambou (Canadá / Haiti) KillASon (França) Sound Sisters (SP) DJ Patricktor4 (PE)

R$ 20

I n va s ão Pa r a n á Selo Arnica

R$ 20 (antecipado) e R$ 35 (porta)

300 pessoas

Tuyo (PR) Naked Girls and Aeroplanes (PR) Trombone de Frutas (PR) Mulamba (PR) Loop Room (PR)

R$ 20

120 pessoas

21h00

300 pessoas

21h00

20h00

Noite Honey Bomb + Q ua d r a d o Mág i c o Z Carniceria

Noite PWR Rec o r ds Breve

N o i t e F l a m eja n t e Lab Mundo Pensante

Holy Wave (USA) Bike (SP) Cora (PR) Joe Silhueta (DF) Nevoar (RS)

Musa Híbrida (RS) Winter (USA) My Magical Glowing Lens (ES)

Ema Stoned (SP) Luísa & os Alquimistas (RN) Mabombe (PE) Miêta (MG)

R$ 20

R$ 15

R$ 30 (promo early BIRD), R$ 40 (antecipado) e R$50 (porta)

180 pessoas

200 pessoas

300 pessoas

EVENTOS NOTURNOS / NIGHT PROGRAM

20h30

08.12

57

07.12


E VENTOS NOTURNOS / NIGHT PROGR AM Entrada livre em todos os eventos com a PRO-BADGE e a pulseira Free entrance with the PRO-BADGE and the wristband

08.12 22h00

Cabaret C o n ex ão L at i n a Jongo Reverendo ¡Venga-Venga! (SP) Gabriel Levy (SP) Qowasi (Chile) Craca e Dani Nega (SP)

R$ 20

250 pessoas

22h00

09.12 16h00

20h00

Me ta z oa #7

Mostra Sêla

Morfeus Club

Casa Natura Musical

DJ set Animalia (SP) DJ set Bandida (SP) DJ set Tormenta (SP) Aretha Sadick (SP) Danna Lisboa (SP) KAS DUB (SP) e Caiuby (SP) Alice Guél (SP) MC Dellacroix (SP)

Nina Oliveira (SP) Luana Hansen (SP) Camila Garófalo (SP) part. Ana Larousse (PR) Letrux (RJ) Luiza Lian (SP) Ana Cañas part. Ekena (SP) Luedji Luna (BA)

R$ 15 (lista) e R$ 20 (porta)

R$ 40 (1º lote)

1000 pessoas

300 pessoas

N o i t e O n S tag e L a b C o n ce i ç ão, e u m e l e m b ro m u i t o be m

17h00

20h00

On Stage Lab

Noite Vênus em Fúria

N o i t e T rova d o r es Plugados

DJ Leoni (RJ) Leda Briacho (SP) Buba Kore (SP) Performance Esquadrão das Drags (SP)

Associação Cultural Cecília

Sensorial Cervejas, Cafés & Discos

R$ 10

Harmônicos do Universo (SP) Bloody Mary Una Chica Band (SP) Mirantes (SP) In Venus (SP)

Fábio Cardelli (SP) David Dafré (SP) Jan (RJ) e Dado Litow (RJ) DJ set Arriba los Corazones (SP)

300 pessoas

R$ 20

R$ 12

300 pessoas

95 pessoas

19h00

20h00

Noite DoSol

MO S TRA INT E RNAC IONAL DE MÚSICA IN S TRUM E NTAL

22h00 Noite Se Rasgum de Mús i c a Pa r a e n se Mundo Pensante Combo Cordeiro (PA) Strobo (PA) & Jaloo (PA) Nazaré Pereira (PA) & Toni Soares (PA) Lucas Estrela (PA) part. Luê (PA)

R$ 20

400 pessoas

22h00

Casa do Mancha Orquestra Greiosa (RN) Dusouto (RN) Luisa & Os Alquimistas (RN) Plutão Já Foi Planeta (RN)

Gratuito

100 pessoas

JAZZ NOS FUNDOS Antonio Loureiro (SP) e Fred Heliodoro (MG) Muntchako (DF) Lucas Estrela (PA) ATR (SP)

R$ 15

20h00

120 pessoas

21h00 A p o es i a de A l d i r B l a n c Casa de Francisca

I n va s ão Pa r a n á N o i t e F IM S

S ex ta B ás i c a

Maria João (Portugal) André Mehmari (SP)

The Week

R$ 80

Jongo Reverendo

Johnny Hooker (PE) Liniker e os Caramelows (SP) DJ Thiagão (MG) DJ Rodrigo Bento (SP)

120 pessoas

Etnyah (PR) De um filho, de um Cego (PR) Raissa Fayet (PR) Estrela Leminski e Téo Ruiz (PR) Bernardo Bravo (PR)

20h00

R$ 40 (1º lote)

2500 pessoas

R$ 20

N o i t e Ro s a F l a m i n g o

250 pessoas

Breve Labaq (SP) André Whoong (SP) Tiê (SP) FingerFingerrr (SP)

R$ 10

58

180 pessoas

Programação sujeita a alteração. Confira atualizações no site ou app oficial do evento. Please check updated program information on our website or official app.


21h00

10.12 15h00

18h00

N o i t e R a m a l he t e

Ro da de S a m b a d o Ac a d ê m i c o s d o B a i xo Au g u s ta

Feminine Hi-Fi

Z Carniceria

Casa do Baixo Augusta

Mundo Pensante

Josyara (BA) Bolerinho (SP) Soledad (CE) Marcelle Equivocada (SE)

Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta (SP)

Feminine Hi-Fi (SP) Laylah Arruda (SP) DJ Donna (DF) Thabata Lorena (DF)

Gratuito

300 pessoas

Gratuito (até 20h) e R$ 15 (após 20h)

R$ 20

300 pessoas

16h00 21h00 N o i t e P u r p l e Pa r t y N o i t e T r at o r e Tupi or Not Tupi Nina Becker (RJ) Ekena (SP) Almério (PE) Ayrton Montarroyos (PE)

R$ 60

150 pessoas

N o i t e B r ás/I l h a Sonora Lab Mundo Pensante Profissão de Urubu (DF) Kelton (DF) O Tarot (DF) Joe Silhueta (DF)

Gratuito

200 pessoas

23h00 M ac u m b i a S i , C o m o N o? Mundo Pensante DJ Gabi Pensanuvem (SP) Cabaret Tropical (SP) Tamboorbeat (Argentina) DJ Fede Flores (Argentina)

R$ 15 (antecipado) e R$ 20 (porta)

400 pessoas

18h00

Associação Cultural Cecília Blackout 777 (SP) Max B.O. (SP) Danna Lisboa (SP) Acauã (SP) Live Beat Session da De Lírio Records: Malak Beatz (SP), heMeePe (SP) e DRW (SP)

R$ 10 (confirmados no evento) e R$ 20 (porta)

22h00

400 pessoas

300 pessoas

Noite Te r ry C r ew Breve Collen Green (USA) Subburbia (PR) Bumbo Caixa (SP) Alex June (Chile)

R$ 15

180 pessoas

EVENTOS NOTURNOS / NIGHT PROGRAM

09.12

59

Ouça as playlists das festas no Spotify usando os códigos Listen to the playlists using the Spotfy codes


c o n F E R Ê N C I A / con v e ntion Entrada exclusiva para credenciados da SIM São Paulo Entrance with the PRO-BADGE and the wristband only

07.12

60

CONFErência / CONVENTION

PAINÉIS/

19h00 - 20h30

Novo (Luau Cauxi/ AM), Erick Omena (Festival Noites do Norte/ AM), Marcelo Damaso (Festival Se Rasgum, Festival Sonido/ PA). MED I AÇÃO : Anderson Foca (Festival DoSol/ RN)

E s paç o S POTI F Y

PANELS

Os 20 anos do Festival Bananada.

Sal a Lima Barreto 95 lugares

C o m : Fabrício Nobre (Festival Bananada/ GO) e Daianne Dias (Festival Bananada/ GO).

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

S a l a Pau l o E m i l i o

19h30 - 21h00

Spotify Talks.

95 lugares

A noite de São Paulo.

Com:

Com tradução simultânea Simultaneous translation available

Beto Lago (ANEP/ SP), Facundo Guerra (Grupo Vegas/ SP), Laura Diaz (Teto Preto, Mamba Negra/ SP), Renato Ratier (D-Edge/ SP), Paulo Papaleo (Mundo Pensante/ SP), Dago Donato (BREVE/ SP) e Karen Cunha. M e d i a ç ã o : Coy Freitas.

11h00 - 12h30

Keynote de Abertura: Culturas digitais, características e tendências.

11h30 - 13h00

13h00 - 14h30

Alexandre Deniot (MIDEM/ França), Marcos Chomen (DIY Musician/ USA), Darryl Hurs (Indie Week/ Canadá), Melina Hickson (Porto Musical/ PE), Maria Amélia (Expomusic/ SP), Gonçalo Riscado (MIL/ Portugal), Gary Taylor (Canadian Music Week/ Canada), Ítalo Ribeiro Bernardo (FEBRE: Festival & Conferência de Música de Sorocaba/ SP) M e d i a ç ã o : Iuri Freiberger (Rizoma/ SP).

Verônica Pessoa (Pessoa Produtora, Rizoma/ SP), Rafael Erdei (Casa do Roadie), Carol Pascoal (Inker Agência Cultural), Débora Campos (QueVoa/ MG), Marcello Lobatto (Na Moral/ RJ). M e d i a ç ã o : Ricardo Rodrigues (Let's Gig/ SP). Com:

Feiras e conferências de música no mundo. Com:

15h00 - 16h30

Música ilimitada: artistas empreendedores à frente de novos negócios.

13h30 - 15h00

O case Sofar Sounds x Anistia Internacional: give a home.

12h00 - 13h30

15h00 - 16h30

Q&A: Danilo Santos de Miranda (Diretor Regional do Sesc no Estado de São Paulo) entrevistado por Jotabê Medeiros (Jornalista).

Organização e compartilhamento de informações no mercado cultural. C o m : Leo Germani (MediaLab UFG/ GO).

17h00 - 18h30 14h00 - 15h30

O modelo norueguês de apoio institucional e empreendedorismo para a música.

15h30 - 17h00

Dos dois lados do Atlântico: a conexão lusófona.

Carnaval de rua, sem corda ou camarote.

16h00 - 17h30

Ricardo Coelho (Metropolitana/ Portugal), John Gonçalves (The Gift/ Portugal), Sonia Tavares (The Gift/ Portugal), Gonçalo Riscado (MIL, Musicbox/ Portugal), Fernando Carvalho (Aicep Portugal Global/ SP), João Pignatelli (Instituto Camões, Embaixada de Portugal/ DF) e José Alves Maria Fernandes (Vice Consul/ Angola). Participação em vídeo de Manuel Silva (This is My City/ Macau, China) M e d i a ç ã o : Anabela Cunha (Connecting Dots/ SP).

Alexandre Youssef (Acadêmicos do Baixo Augusta/ SP), Anna Cecília Junqueira (Bloco Gambiarra/ SP), Fernanda Toth (Bloco Casa Comigo/ SP), Rapha Barcalla (Bloco Tarado ni Você/ SP), Matheus Brant (Bloco Me Beija que eu Sou Pagodeiro/ MG). M e d i a ç ã o : Dani Ribas (Sonar Cultural/ SP).

Palcos da Amazônia.

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Com tradução simultânea Simultaneous translation available

17h00 - 18h30

17h30 - 19h00

S a l a de E n s a i o II 50 lugares

Imagens da música: kick off do workshop prático de fotografia musical com o brilhante time de fotógrafos da SIM.

311 lugares

Stian Olsen (Frost Flake Productions/ SP), Sondre Lerche (Artista/ Noruega), Rune Bjåstad (Consul Geral da Noruega/ RJ). M e d i a ç ã o : Fabrício Nobre (Festival Bananada/ GO).

Com:

WORKSHOPS

11h00 - 12h30

S a l a Ja r de l F i l h o

C o m : Jandira Queiroz (Anistia Internacional), Yannick Delass (Artista/ Congo), Juliana Laguna (Sofar São Paulo/ SP), Vox Sambou (artista/ Haiti, Canadá). M e d i a ç ã o : Felipe França (Difusa Fronteira/ SP).

Com:

artistas convidados

Com:

Tiê (Rosa Flamingo/ SP), Heloisa Aidar (BRISA/ SP), Mariana Aydar (BRISA/ SP), Marcio Arantes (BRISA/ SP), Tomás Bertoni (Scalene, Rockin' Hood/ DF), Diego Marx (Rockin' Hood/ DF) M e d i a ç ã o : Alexandre Matias (Trabalho Sujo/ SP). Com:

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

14h00 - 15h00

C o m : Marcos Cuzziol (Itaú Cultural)

Produtor não é canivete suiço! Para cada função, um profissional especializado.

200 lugares

Com:

Q&A: Monique Gardenberg (Dueto/ SP) entrevistada por Guilherme Guedes (Multishow). 18h00 - 19h30

Rock in Rio, um dos maiores espetáculos da terra é nosso! C o m : Luis Justo (CEO Rock in Rio) e Zé Ricardo (Diretor Artístico Palco Sunset Rock in Rio) M e d i a ç ã o : Fabiana Lian (On Stage Lab/ SP).

C o m : Elisa Maia (Festival Até o Tucupi/ AM), Márcia

Programação sujeita à alteração. Confira atualizações no site ou app oficial do evento. Please check updated program information on our website or official app.

A plataforma Queremos! e o como ela nos ensina a ouvir e usar a voz do público. C o m : Bruno Natal (Queremos!) e Pedro Seiler (Queremos!).

19h00 - 20h30

Toda história tem seu tema. Criação, composição e abordagem técnica de trilhas sonoras para filmes e séries. C o m : Gui Amabis e Rica Amabis.


08.12 Sal a Lima Barreto 95 lugares

Desmitificando um edital – uma conversa com a rede de curadores Natura Musical 2017

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Pena Schimdt, Fabiane Pereira, Juli Baldi, Aíla, Anderson Foca e Katia Abreu. M e d i a ç ã o : Renata Simões.

11h00 - 12h30

19h00 - 20h30

Sessão de Pitch para Startups de Música e Tecnologia.

Meu próprio caminho parte II. Cases do empreendedorismo musical no Brasil: Festival Psicodália e a plataforma Popload.

Mike Ajnsztajn (Aceleradora ACE/ SP), Luiz Otavio Rodrigues Ferreira (Escritório Lilla Huck Otranto e Camargo/ SP), Silvio Abrahão Laban Neto (INSPER/ SP), Pierre Schurmann (Investidor), Regina Pistelli (Fleury, T System), Rodrigo Cartacho (Sympla), Thiago Lobão (ACELERARTE/ SP), José de Lorenzo Messina (Unideias/ SP). Com:

13h00 - 14h30

Com:

COM : Alexandre Osiecki (Festival Psicodália/ PR), Lucio Ribeiro (Popload/ SP). M e d i a ç ã o : Fabiana Lian (On Stage Lab/ SP).

15h00 - 16h30

Políticas públicas e empreendedorismo em dois estados brasileiros: Rio de Janeiro e Minas Gerais. C o m : Felipe Rodarte (Toca do Bandido, Toca Discos, A Cena Vive/ RJ), Constança Scofield (Toca do Bandido, Toca Discos/ RJ), Leo Feijó (Secretaria do Estado de Cultura/ RJ) e Julianna Sá (Dobra/ RJ), Laura Lopes (Música Mundo/ MG), Renata Almeida (Produtores MG/ MG), Leonardo Beltrão (Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte/ MG). M e d i a ç ã o : Iuri Freiberger (Rizoma/ SP).

MED I AÇÃO : Maithe Bertolini (Festival Contato/ SP).

16h00 - 17h30

Censura Nunca Mais. 17h30 - 19h00

¡Viva México! O mercado musical de uma potência latino-americana. C o m : Manú Charritton (Revista e Festival Marvin/ México), Santiago Valencia (Roxy Festival/ México), Jordi Puig (OCESA/ México), Alfonso Muriedas (Festival NRMAL/ México), Enrique Blanc (REDPEM.IB/ México), Sérgio Arberlaez (FIMPRO/ México), Sebastián Piracés-Ugarte (francisco, el hombre/ México-Brasil). M e d i a ç ã o : Felipe França (Difusa Fronteira/ SP).

S a l a Pau l o E m i l i o

C o m : Gaudêncio Fidélis (Curador exposição Queermuseu), Representante Comissão de Direitos Humanos da OAB, Jotabê Medeiros (Jornalista). M e d i a ç ã o : Fabrício Nobre (Festival Bananada/ SP).

18h00 - 19h30

Q&A: André Sturm (Secretário de Cultura do Município de São Paulo) entrevistado por Didi Couto (TV Cultura/ SP).

WORKSHOPS

95 lugares

19h30 - 21h00

S a l a de E n s a i o II

Com tradução simultânea/ Simultaneous translation available

Colaborações artísticas sem fronteiras.

50 lugares

O que é que a Bahia tem? C o m : Luciano Matos (Elcabong, Festival Radioca/ BA), Carol Morena (Tropicasa, Festival Radioca/ BA), Fernanda Bezerra (Maré Produções, Festival Sangue Novo/ BA), Vince de Mira (Coomons, Festival Lado BA/ BA), Rogério Bigbross (Bigbross Produtora/ BA), Alex Pinto (Isé/ BA), Joilson Santos (Feira Noise Festival/ BA). M e d i a ç ã o : Ricardo Rodrigues (Let's Gig/ SP).

(Spotify), Yasmin Muller (Deezer), Fábio Santana (Vevo). M e d i a ç ã o : Juli Baldi (Banana's Music/ SP).

11h30 - 13h00

Que diabos é Block Chain e como isso vai mudar sua vida? Lee Parsons (Ditto Music/ UK), Mauricio Vedovato (Lilla Huck Otranto Camargo Advogados/ SP), Luis Claudio Arcos (Poliphonia/ RJ), M e d i a ç ã o : Luiz Augusto Buff (1M1 Arte). Com:

Andrea Sbaragli (A Buzz Supreme/ Itália), Barro (Artista), Gui Amabis (Artista), Lucas Mayer (Le Tour Du Monde), Iris Fuzaro (Le Tour Du Monde), Emily Dust (Radar Radio/ UK), Guilherme de Anchieta (Estrella Galícia, Rua 2 Trânsito Cultural/ SP), Nanci Lissa Miyagasako (Latina co.,ltd./ Japão), Kenji Honda (Latina co.,ltd./ Japão). MED I AÇÃO : Luiz Augusto Buff (1M1 Arte/ SP). Com:

13h30 - 15h00

O mercado da música australiano e a conexão com o Brasil. Bonnie Dalton (Custom Made/ Austrália), Maggie Collins (Big Sound, Triple J/ Austrália), Nicola Pitt (Caama Music/ Austrália), Pete Keen (Sugar Mountain Festival/ Austrália), Philip Mortlock (Origin Music Group/ Austrália), Steve Cross (Remote Control/ Austrália), Steve De Wilde (Unified Music Group/ Austrália), Scott Morris (APRA AMCOS/ Australia). M e d i a ç ã o : Millie Milgate (Sounds Australia). Com:

15h30 - 17h00

Alavancando sua música no streaming: o papel das playlists. Com:

Bruno Telloli Montagner

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

11h00 - 12h30

Profissão Roadie. C o m : Rafael Erdei (Casa do Roadie) e Alexandre Ribeiro (Casa do Roadie).

15h00 - 16h30

Profissionalize seu Home Studio com Yamaha e Steinberg. C o m : Giuliano Quiqueto (Yamaha, USP/ SP).

S a l a Ja r de l F i l h o

17h00 - 18h30

311 lugares

A redação de hoje: por que e como vender pautas musicais para os diferentes meios de comunicação.

Com tradução simultânea Simultaneous translation available

12h00 - 13h30

Construindo megashows no audiovisual. C o m : Raoni Carneiro (TV Globo).

14h00 - 15h30

Por elas e pra elas. Os festivais das mulheres. C o m : Claudia Assef (Women's Music Event/ SP), Camila Garófalo (Festival Sêla/ SP), Labaq (Sonora Festival/ SP), Aíla (M.A.N.A./ PA), Karol Zingali (Oficina de Artistas, Festival Mujeres Al Greigo/ Argentina).

C o m : Leonardo Leomil (TV Globo, Música Fácil/ SP).

19h00 - 20h30

Gestão de direitos autorais num ambiente internacional: como podemos lidar com essa realidade? C o m : Virgínia Dias Caron (SACEM/ França).

CONFErência / CONVENTION

PANELS

17h00 - 18h30

61

PAINÉIS/


c o n F E R Ê N C I A / con v e ntion Entrada exclusiva para credenciados da SIM São Paulo Entrance with the PRO-BADGE and the wristband only

09.12 PAINEIS/ PANELS

62

CONFErência / CONVENTION

Sal a Lima Barreto

S a l a Pau l o E m i l i o

14h00 - 15h30

95 lugares

Novos festivais de música no Brasil.

Com tradução simultânea Simultaneous translation available

Elaine Hazin (Prêmio Caymmi/ BA), Monique Dardenne (WME Awards by Vevo/ SP), Edianez Parente (APCA/ SP), Helena Bagnoli (Prêmio Bravo!/ SP), Gustavo Vasconcellos (PPM/ DF), Gabriel Thomaz (Prêmio Gabriel Thomaz/ RJ). M e d i a ç ã o : Fabiana Lian (On Stage Lab/ SP).

C o m : André Noblat (CoMA/ DF), Vitor Balde (Festival Zons/ SE), Rodrigo Chavez (Coolritiba/ PR), Ivanna Tolotti (TUM Festival/ SC), Fernanda Alves (Giro Brasil/ MG), Barral Lima (Palco Ultra, Circuito Instrumental, M.A.R.T.E. Festival, HIPHOP.DOC, BH Rock Week/ MG), Hernan Halak (Festival Mucho!/ SP), Jonas Bender Bustince (Festival Enxame/ RS), Guilherme Tavarez (Favela Sounds/ DF). M e d i a ç ã o : Tony Aiex (Festival Tenho Mais Discos que Amigos/ DF).

13h30 - 15h00

19h00 - 20h30

A nova música no Reino Unido.

cerimônia de entrega do prêmio sim

95 lugares Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

11h30 - 13h

A importância dos prêmios de música. com:

11h00- 12h30

A função da música no audiovisual na opinião de realizadores. C o m : David Schurmann (Schurmann Filmes/ SP), Fabiano Gullani (Gullani Entretenimento/ SP), Walquiria Barbosa (Total Enterteinment/ RJ), Georgia Araújo (Coração da Selva/ SP). MED I AÇÃO : Luiz Augusto Buff (1M1 ARTE/ SP).

13h00 - 14h30

Arte e design: música para ver com os olhos. Com Juarez Tanure (Elemess/ SP), Dani Hasse (artista visual/ PE), Pedro Contato Severo (Severo/ SP), Cecilia Goes (Trupe Chá de Boldo/ SP), Marcos Hermes (fotógrafo/ RJ). M e d i a ç ã o : Coy Freitas. Com:

Música e Games: um encontro de dois gigantes das indústrias criativas. Pablo Miyazawa (IGN Brasil), Pedro Falcão (VICE Brasil), Bruno Capelas (O Estado de S.Paulo). m e d i a ç ã o : Alexandre Matias (Trabalho Sujo/ SP). Com:

c o m : Justin McKenzie (Jazz:Refreshed/ UK), Adam Moses (Jazz:Refreshed/ UK), Katie Weatherall (British Underground/ UK), Crispin Parry (British Underground/ UK), André Marmote (Wormfood/ UK). MED I AÇÃO : Iuri Freiberger (Rizoma/ SP)

Music Tech Festival: tecnologia para o futuro da música.

11h00 - 19h00

Espaço para games independentes do Brasil.

PRO -AR E A Lounges para reuniões e mesas de networking de empresas da música.

E s paç o S POTI F Y 200 lugares

14h00 - 20h00

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Espaço Sêla para talks de militância feminista.

14h00 - 15h00

AOC Talks: O mundo do eSports: um novo mercado de superstars. C o m : Bárbara Gutierrez (IGN BRASIL)

14h00 - 20h00

Espaço On Stage Lab para mentoring de artistas.

C o m : Andrew Dubber (Music Tech Festival/ UK) e Michela Magas (Music Tech Festival/ UK).

WORKSHOPS

17h30 - 19h00

50 lugares

Music in place of war.

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

11h00 às 12h30

10h00 às 14h00

Oficina BioSynth. 14h00 às 19h00

S a l a de E n s a i o II Ruth Daniel (In Place of War/ UK) com:

17h00

E S PAÇO AO C 30 lugares

10h00 - 20h00

15h30 - 17h00 15h00 - 16h30

07.12 08.12 09.12

FILME: American Valhalla (Documentário), de Andreas Neumann, Joshua Homme (França, Alemanha, UK, USA)/ 82 min./ 2017/ Inglês (legendagem eletrônica em português).

311 lugares

Entendo as novas regras da Lei Rouanet.

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

c o m : Dra. Cristiane Olivieri (Olivieri Advogados Associados/ SP).

19h00

12h00 - 13h30

15h00 - 16h30

FILME: If I thing of Germany at Night (Documentário), de Romuald Karmakar (Alemanha)/ 101 min./ 2017/ Alemão e Francês (legendagem eletrônica em Português).

Dichavando o Ska, com a banda The Skatalites (Jamaica).

Vinil: da master à vitrola.

S a l a Ja r de l F i l h o

c o m : Bruno Lancellotti (Radiola Records & Booking/ SP), Ken Stewart (The Skatalites/ Jamaica), Doreen Shaffer (The Skatalites/ Jamaica). m e d i a ç ã o : Carol Pascoal (Inker Agência Cultural/ SP).

c o m : Pablo Rocha (Noize Record Club/ RS), Fábio Pereira (Ponto4/ SP).

17h00 - 18h30

Como negociar com marcas. c o m : Fátima Pissarra (Vevo Brasil, Mynd).

Programação sujeita a alteração. Confira atualizações no site ou app oficial do evento. Please check updated program information on our website or official app.

FA B LA B 20 lugares

Exposição dos trabalhos de música do FabLab.


n e t w o r k ing & busin e ss / n e t w or k ing & b u sin e ss Entrada exclusiva para credenciados da SIM São Paulo Entrance with the PRO-BADGE and the wristband only

SPEED MEETINGS / MEET-UPS

08.12

SPEED MEETINGS / MEET-UPS

09.12

SPEED MEETINGS / MEET-UPS

S a l a de E n s a i o I

S a l a de E n s a i o I

S a l a de E n s a i o I

60 lugares

60 lugares

60 lugares

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

11h00- 13h00

11h00 - 13h00

11h00 - 13h00

Speed Meetings – sessão I

Speed Meetings

Speed Meetings

14h00 - 16h00

14h00 - 15h00

14h00 - 15h00

Speed Meetings – sessão II

Meet up: Encontre os programadores de espaços públicos de São Paulo.

Meet up: Encontre Profissionais da Música Instrumental.

15h00 - 16h00

15h00 - 16h00

Meet up: Encontre os profissionais da Missão da Terra Flamejante (Nordeste).

Meet up: Encontre os profissionais do México.

16h00 - 17h00

Meet up: Festivais do Brasil – um encontro com o circuito de festivais parceiros do Natura Musical. 17h00 - 18h00

16h00 - 17h00

Meet up: Festivais do Brasil – um encontro com o circuito de festivais parceiros do Natura Musical.

16h00 - 17h00

18h00 - 19h00

17h00 - 18h00

Meet up: Encontre os profissionais de Minas Gerais.

Meet up: Encontre os profissionais da Bahia.

19h00 - 20h00

18h00 - 19h00

Meet up: Encontre os profissionais da conexão Lusófona.

Meet up: Encontre os profissionais do Norte (Palcos na Amazônia).

Meet up: Encontre os profissionais das feiras e conferências do Brasil e do mundo.

Meet up: Encontre as profissionais dos festivais para mulheres. 17h00 - 18h00

19h00 - 20h00

E s paç o S POTI F Y 200 lugares Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

Meet up: Encontre os profissionais do Rio de Janeiro.

Meet up: Encontre os programadores dos novos festivais de música do Brasil.

E s paç o S POTI F Y 200 lugares Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

16h00 - 16h20

Showcase José Biggs (Chile). E s paç o S POTI F Y

16h40 - 17h00

16h00-18h00

200 lugares

Showcase Alex June (Chile).

Coquetel de Networking Quebec, Canadá.

Sem tradução simultânea Simultaneous translation not available

17h20 - 17h40

Showcase Vox Sambou.

15h30 - 18h00

18h00 - 19h30

16h40 - 17h00

Aussie BBQ (Coquetel de networking da Austrália).

Coquetel Catarse com showcase de Luiza Lian e talk com a equipe Catarse.

Showcase Shijo X (Itália).

16h00 - 16h20

Showcase Kroy.

NETWORKING & BUSINESS

07.12

16h00 - 16h20 17h20 - 17h40

Showcase DZ Deathrays.

Showcase We Are Wolves. 16h40 - 17h00 18h00 - 19h30

Showcase Ali Barter.

Dj Set com DJ Donna (DF). 17h20 - 17h40

Showcase The Kite Stringle Tangle. 18h00 - 19h30

63

Dj Set com Acid Arab (França).


sim transf o rma Entrada Gratuita Free entrance

29.11 a 02 .12

64

SIM TRANSFORMA

Fáb r i c a de C u lt u r a C a pão Red o n d o, Z ONA S UL Atalhos Sonoros Edição Especial SIM São Paulo Atividade exclusiva para inscritos e selecionados do programa de mentorados. Sponsored by Tratore

03.12 Fáb r i c a de C u lt u r a Jaç a n ã , Zona Norte 15h00 - 17h00

Profissão Roadie. C o m : Rafael Erdei (Casa do Roadie) e Alexandre Ribeiro (Casa do Roadie).

05.12 Fáb r i c a de C u lt u r a B r a s i l â n d i a , Zona Norte 15h00 - 16h30

Comunicação para música. Com:

Juliana Mello e Fabiana Lian (On Stage Lab/ SP).

17h00 - 18h30

O sistema do showbusiness. Com:

Fabiana Lian (On Stage Lab/ SP).

06.12 Fáb r i c a de C u lt u r a Ja r d i m S ão L u i z , Zona Sul 14h00 - 16h00

Profissão Roadie. C o m : Rafael Erdei (Casa do Roadie) e Alexandre Ribeiro (Casa do Roadie).

16h30 - 18h00

Explicando o Edital de Fomento à Periferia da Secretaria Municipal de Cultura. Com:

Ana Cecília Lessa (SMC/ SP).

Fáb r i c a de C u lt u r a V i l a N ova C ach o e i r i n h a , Z o n a N o r t e 16h00 - 17h30

Profissionalize seu Home Studio com Yamaha e Steinberg Com:

Giuliano Quiqueto.

18h00 - 19h30

Produzindo na Música. Com:

Amanda Souza (Camará Produções/ SP)

Programação sujeita à alteração. Confira atualizações no site ou app oficial do evento. Please check updated program information on our website or official app.


MARGINAL TIE TÊ

2 PÉ IA PO M

FRA NC ISC O

M

BOM RETIRO

MEMORIAL DA AMERICA LATINA

MA TAR A

O NC BRA RIO

POMPÉIA

ALLIANZ PARQUE

Z ZO

3

PAC AEM BU

SUM ARÉ

M

O NS CO

UI

M

O ÇÃ LA

19

7

AS UÇ

PA UL

US TA

JU

LH

PINHEIROS

IST A

NO VE

M 22

11 10 BELA VISTA 9

13 O

BO RE

DE

DE ER

AU G

S AI

V CO AR AL E RD CA

21

CENTRO

18

16 17 20

OÃ O

8

. AR NA LDO

14 15

OR

SÃ OJ

CONSOLAÇÃO 5 6

ESTÁDIO PACAEMBU

DR

NAT ING PED RO SO DE M

4

LIBE RDA DE

VILA MADALENA

STA. CECÍLIA

M

SUMARÉ HEI TOR PEN TEAD O

TIRADENT ES

1

CLÉLIA

VINTE E TRÊ S DE M AIO

GUAICURU S

AN TÁ RT ICA

LAPA

MAPA / MAP

l o cais / v e n u e s

LIBERDADE

IO

I AS BR

N TÔ AN

12

AS NID

L RIA FA

U ES

.L

L

ÇÕ NA

JARDINS

S UI

IG BR

PARAÍSO

A IM

S

O EIR

IRO HE

GU VER

PIN

15 16

R. AUGUSTA, 2.389 TUPI OR NOT TUPI R. FIDALGA, 360 CASA DO MANCHA R. FELIPE DE ALCAÇOVA, 89 JONGO REVERENDO R. INÁCIO PEREIRA DA ROCHA, 170

2 3 4 5

GALICIA 17 ESTRELLA ESTAÇÃO RIO VERDE

RA PU

ER A

R. BELMIRO BRAGA, 119 IBI

NOS FUNDOS 18 JAZZ R. CARDEAL ARCOVERDE, 742 STAGE LAB 19 ON R. TEODORO SAMPAIO, 1.109 CITYLIGHTS HOSTEL 20 R. PADRE GARCÍA VELHO, 44 Z 21 AV. BRG. FARIA LIMA, 724 CASA NATURA MUSICAL 22 R. ARTUR DE AZEVEDO, 2.134 BOURBON STREET 23 R. DOS CHANÉS, 127

1

6 7 8

MOEMA 23 BAN

DEIR AN TES

THE WEEK R. GUAICURUS, 324 BREVE R. CLÉLIA, 470 ASSOCIAÇÃO CULTURAL CECÍLIA R. VITORINO CARMILO, 449 MORFEUS CLUB R. ANA CINTRA, 110 MATILHA CULTURAL R. REGO FREITAS, 542 CASA DO BAIXO AUGUSTA R. REGO FREITAS, 553 CENTRO CULTURAL ZAPATA R. RIACHUELO, 328 CASA DE FRANCISCA R. QUINTINO BOCAIÚVA, 22

PENSANTE 9 MUNDO R. TREZE DE MAIO, 830 MUNDO PENSANTE 10 LAB RUA TREZE DE MAIO, 825 BARBOSA 11 CASA R. RUI BARBOSA, 559 CULTURAL SÃO PAULO 12 CENTRO R. VERGUEIRO, 1.000

65

RIO

PARQUE IBIRAPUERA

SENSORIAL CERVEJAS, 13 CAFÉS & DISCOS

14

ACLIMAÇÃO


coluna / column

O que podemos fazer pelo futuro da Música?

Pena Schmidt p Curador, consultor e pesquisador musical e Music curator, consultant and researcher

What can we do for the future of Music?

p

Pense na Música como um idioma que nós todos falamos. Crescemos ouvindo sons musicais desde o princípio, acalantos no colo, música para repetir e agradar os pais, música para distrair e acalmar ou enlouquecer. Gostamos de algumas coisas mais que outras, aprendemos versos, fazemos rimas, ouvimos mais alto. Descobrimos nomes de bandas, soletramos nomes de artistas e depois de sinfonias, ou de álbuns gringos. Vamos criando um repertório em comum com os que gostam das mesmas músicas. Vamos escolhendo artistas e desprezando gêneros inteiros sem ouvi-los, só porque não combinam com nossa tribo. Isso passa e vamos ampliando o mapa das músicas cada vez que conhecemos outras pessoas, namoramos outras criaturas, mudamos de paisagem. Uma hora decidimos que é melhor ficar mais tempo junto da Música e arrumamos um jeito. Uns montam uma banda, outros estudam violão, outros ouvem tudo, cada vez mais. E assim vai até que você percebe que tem uma carreira lidando com alguma coisa que tem Música no meio, no princípio ou no fim, na sua profissão ou na sua obra. Temos Música no sangue, no DNA, desde que descobrimos o fogo e furamos um osso para apitar uma flauta. Cuide da Música, apenas cuide. •

e

Think of Music as a language everybody speaks. We grow up listening to musical sounds since early in life, lullabies on someone's lap, music to repeat and please parents, music to entertain, to calm down or go crazy. We learn to enjoy some things more than others, we learn lyrics, we make rhymes, we listen to louder music. We discover band names, we spell the names of artists, and then symphonies or foreign albums. We keep creating a repertoire with those who listen to the same songs. We choose artists and discard entire genres without listening to them just because they do or do not fit in our tribes. This becomes a thing of the past and we expand our music choices as we meet new acquaintances, date different people and move to different places. One day we decide we should spend more time with Music, and we find a way to do so. Some join a band, others dive into studying the guitar, others listen to everything, more and more. Life goes on and one day you realize you have a career dealing with something that somehow involves Music, as a profession or in your life. We do have Music in our veins, it is in our DNA, and it has been so since we made holes in a dry bone to play a flute. Take care of Music, just take care of it. •

66

Playlist Noite Briizie no Vento


Patrocínio:

Parceiros principais:

Parceiros de mídia:

Player oficial:

Plataforma oficial de inscrições:

Realização:

facebook.com/simsaopaulo • youtube.com/simsaopaulo • twitter e instagram: @simsaopaulo • simsaopaulo.com

Revista SIM São Paulo (2017)  
Revista SIM São Paulo (2017)  
Advertisement