Issuu on Google+

Ano 2 - Nº 03 - Março/2011

INICIADAS AS OBRAS PARA A

COPA DE 2014 HABCONSTRUIR

DISCUTE A COPA DE 2014

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 1

CONSTRUÇÃO CIVIL

TEM CRESCIMENTO SURPREENDENTE

MERCADO

IMOBILIÁRIO EM ALTA

3/10/2011 12:36:18 PM


REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 2

3/10/2011 12:36:25 PM


Sumário Ano 2 - Nº 03 - Março/2011

4 EDITORIAL DISCUTE 5 HABCONSTRUIR a Copa de 2014 como vetor para melhoria na habitação

2011 6 EXPOCONSTRUIR Evento deverá movimentar mais de

R$ 100 milhões em negócios para a construção civil

8 CERBRAS tem qualidade reconhecida pelo Inmetro

9

ESPAÇO HIDRACOR aperfeiçoamento profissional para clientes e consumidores

10

Construção Civil

tem crescimento surpreendente

Iniciadas Iniciados as obras para a

Copa de 2014

12

ENERGÉTICA 14 EFICIÊNCIA poderá pesar na hora de escolher um imóvel

Civil é alvo dos 15 Construção INCENTIVOS FISCAIS IMOBILIÁRIO 16 MERCADO EM ALTA INAUGURA 18 CREA-CE Biblioteca e Centro Cultural DESENVOLVE TIJOLOS 19 UFC com sistema de encaixe

20 PREOCUPAÇÃO COM O SOCIAL 22 CURIOSIDADES

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 3

3/10/2011 12:59:27 PM


Em 2009, quando lançamos a primeira Revista ExpoConstruir, já era claro o grande desenvolvimento da construção civil no Ceará. Até então, todo esse crescimento era motivado pelo aquecimento do mercado imobiliário nos segmentos residencial e comercial, bem como por ações públicas do Estado, grande investidor em obras de infraestrutura. Realizada com sucesso a primeira edição da ExpoConstruir, ficava cumprida a primeira missão da Ika Eventos. Daí por diante recomeçamos o trabalho para planejamento da segunda edição da feira já contando com um histórico de aprovação por parte de seus expositores e do público presente, assim como de negócios realizados em benefício da cadeia produtiva da construção civil. Para a ExpoConstruir 2011 nossa motivação aumentou ainda mais, pois o segmento da construção civil permanece aquecido e tende a dar um salto como nunca visto, já que a Copa de 2014 trará ao Brasil, ao Ceará e a Fortaleza grandes investimentos, não somente na infraestrutura pública, mas também na área privada. Acompanhando as transformações provocadas em outros países e cidades que já sediaram Copas do Mundo, podemos vislumbrar a infinidade de investimentos que serão canalizados para Fortaleza e, desta feita, investimentos que deixarão edificados empreendimentos e darão à Copa a estrutura necessária, mas que permanecerão para benefício da cidade e do turismo. O foco na realização de negócios é a grande meta da ExpoConstruir 2011. Para tornar isso uma realidade, estamos investindo em um plano de comunicação dirigido ao setor e trabalhado em parceria com os expositores. Faremos da ExpoConstruir um grande canteiro de promoções para os negócios firmados no evento.

Expediente

Editorial

Caros Leitores

é uma publicação da Ika Eventos. Produção Editorial: A2 Comunicação Av. Visconde do Rio Branco, 2634 Joaquim Távora - Fortaleza-CE Fone (85) 3254.9358 contato@a2online.com.br www.a2online.com.br Editora: Simplícia Vianna Jornalista - Reg. 1711 JP/CE plicia@a2online.com.br Reportagens: Cynthia Pinheiro Cardoso Jornalista - Reg. 1982 JP/CE redacao@a2online.com.br Colaboradores: Lisiane Linhares (Secopa) Mozarly Almeida (Crea-CE) Natalie Caratti (Coperii - PMF) Nathalia de Sá (CDC) Renata Miranda (Hidracor) Comercial: Thatia Pepino thatia@ikaeventos.com.br Fotografias: Alfredo Cordeiro e Alexandre Holanda Diagramação: Jorge Carvalho jjorgecs@gmail.com Impressão: Gráfica Pouchain Ramos Tiragem: 5.000 exemplares Distribuição Dirigida

Estamos ainda no começo do ano e os estandes da ExpoConstruir já estão chegando ao final! Se sua empresa ainda não confirmou presença na feira, não perca tempo nem a oportunidade de fazer parte deste que está se tornando o maior evento do segmento da construção civil da região. Forte abraço! Thatia Pepino Diretora

Micheline Camarço Diretora

Roberta Cavalcante Diretora

www.expoconstruir.com.br Realização:

Fone (85) 4012.9933 contato@ikaeventos.com.br Organização:

Promoção: Astef Apoio Institucional: Sinduscon/CE, Crea/CE, Fiec, Apcc, UFC, IAB/CE, Acomac e FC&VB

4

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 4

3/10/2011 12:36:31 PM


Oportunidade

HabConstruir discute a Copa de 2014 como vetor para melhoria na habitação Academia e setor industrial irão debater o tema no evento que acontece em paralelo à ExpoConstruir ventos de grande porte têm o poder de trazer consigo melhorias estruturais significativas nas sedes onde são realizados. A Copa do Mundo no Brasil, em 2014, já é vista como oportunidade de desenvolvimento, inclusive na área da habitação, sendo este o foco principal das discussões na segunda edição do HabConstruir - Seminário Regional sobre Políticas Públicas e de Ensino para a Habitação de Interesse Social.

“O Mundial surgiu como uma oportunidade nunca antes vista para atender às necessidades do País, dentre elas a habitação e a infraestrutura da cidade, que refletem na qualidade de vida dos habitantes”, comenta Barros Neto. Com debates coordenados pelas universidades, o HabConstruir vai aproximar o meio acadêmico do setor industrial com vistas à melhoria da Habitação de Interesse Social (HIS) e da infraestrutura urbana.

O seminário traz como tema “A Copa de 2014 como vetor para melhoria da qualidade na habitação” e acontece nos dias 22 e 23 de setembro de 2011, no Centro de Convenções do Ceará, dentro da programação da ExpoConstruir – Feira de Materiais e Sistemas Construtivos.

ATIVIDADES PARALELAS

E

De acordo com o professor José de Paula Barros Neto, diretor do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará (UFC) e presidente da Associação Técnico-Científica Engenheiro Paulo de Frontin (Astef ), promotora do HabConstruir, um dos objetivos é debater sobre as possíveis melhorias na infraestrutura da habitação, advindas da realização do evento.

O público visitante da ExpoConstruir poderá conferir ainda uma exposição de trabalhos do Programa de Pós-Graduação em Estruturas e Construção Civil da UFC.

“A ExpoConstruir servirá como palco da construção civil e este seminário irá fortalecer nosso objetivo. No final teremos um grande evento que fará uma ponte entre os diversos elos da cadeia produtiva do setor e a comunidade acadêmica”, comenta Roberta Cavalcante, organizadora da feira.

AGENDE-SE Tema: “A Copa de 2014 como vetor para melhoria da qualidade na habitação” Data: 22 e 23 de setembro de 2011 Horário: das 17h às 21h Local: Centro de Convenções

“Queremos divulgar as pesquisas desenvolvidas nas diversas áreas da engenharia civil, particularmente no que diz respeito à HIS, junto a toda a cadeia produtiva do setor da construção”. Os trabalhos expostos buscam a melhoria da moradia de interesse social e visam estabelecer critérios e diretrizes para o gerenciamento de requisitos dos futuros moradores desses empreendimentos habitacionais, explica Barros Neto. 5

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 5

3/10/2011 12:36:32 PM


ExpoConstruir 2011

Evento deverá movimentar mais de

R$ 100 milhões em negócios para a construção civil Em sua segunda edição, a Feira promete superar as conquistas de 2009 e caminha para consolidar-se como um dos maiores eventos da região m 2011, Fortaleza será novamente o palco de um dos maiores eventos nacionais da construção civil: a ExpoConstruir Feira de Materiais e Sistemas Construtivos, que acontecerá de 21 a 24 de setembro de 2011, no Centro de Convenções do Ceará.

E

diversos elos da cadeia produtiva do setor. “Esperamos ultrapassar a cifra de R$ 100 milhões em negócios realizados na feira, firmando a ExpoConstruir como o momento central do setor no nosso Estado”, aposta Roberta. Na primeira edição, foram R$ 70 milhões em negócios.

“A primeira edição da ExpoConstruir, em 2009, foi um sucesso. Agora estamos empenhados em fazer um evento ainda melhor”, diz Roberta Cavalcante, da Ika Eventos.

O evento é uma promoção da Astef, realizado pela Ika Eventos e organizado pela Artepiso e Ikone Eventos, com patrocínio da CERBRAS e HIDRACOR. Apoiam a iniciativa Sinduscon/CE, Crea/CE, Fiec, Apcc, UFC, IAB/CE, Acomac e FC&VB.

Para tanto, a organização do evento vem investindo pesado na mídia. “O evento recebeu um incremento de 30% na verba destinada à publicidade, que desde o ano passado já conta com inserções em revistas especializadas de circulação nacional”, revela Thatia Pepino, diretora de marketing da Ika Eventos.

Para saber mais sobre o evento visite o site

www.expoconstruir.com.br

Os resultados já podem ser mensurados. A procura por empresas que desejam expor na Feira já é bem maior e com mais antecedência que na edição 2009. “Registramos uma demanda 50% maior que na primeira edição e, mesmo ainda estando no começo do ano, quase todos os estandes já estão comercializados”, afirma Roberta Cavalcante. A expectativa é que mais de 150 empresas estejam em exposição, tornando o evento uma ponte entre os 6

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 6

3/10/2011 12:36:32 PM


Sua empresa na vitrine da construção civil

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 7

3/10/2011 12:36:44 PM


Conquista

CERBRAS

tem qualidade reconhecida pelo Inmetro Placa cerâmica da empresa passa a ter certificação CCB/Inmetro: apenas 22 fabricantes no Brasil, sendo dois no Nordeste, possuem o documento que atesta essa excelência

A

Certificação Inmetro é considerada uma importante ferramenta para o estímulo à evolução e consolidação da qualidade dos produtos. No caso da placa cerâmica - elemento que figura entre o hall de materiais da construção civil, setor cada vez mais exigente e competitivo - apenas um seleto grupo de empresas no Brasil possui o selo, dentre elas a Cerâmica Brasileira - CERBRAS, que conquistou a certificação em dezembro de 2010. A CERBRAS, localizada em Maracanaú e responsável pela produção das linhas PORTO VELHO e RIVA, é a única empresa do Ceará a conquistar a certificação da qualidade. O Nordeste passa então a ter apenas duas empresas com o atestado, concedido pelo Centro Cerâmico do Brasil (CCB), organismo de Avaliação da Conformidade acreditado junto ao Inmetro para a certificação de produtos e do Sistema de Gestão da Qualidade. Dentre os benefícios da certificação estão a garantia de que o produto ou o sistema atendem às normas vigentes no País e redução das perdas no processo produtivo

e melhoria de gestão, além de maior credibilidade e competitividade do material junto aos clientes. O selo que comprova a qualidade é ainda condição essencial à exportação para diversos mercados. De acordo com o gerente comercial da CERBRAS, Ricardo Veras, a empresa passa agora a utilizar o selo de qualidade CCB/Inmetro. “A conquista da certificação nos dá habilitação imediata no Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), que nos qualifica como ‘Fornecedor Credenciado’ para compras via cartão BNDES, Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ e tudo que exija a comprovação de qualidade”. Ana Lúcia Mota, presidente da empresa, destaca o peso que tem a certificação para a CERBRAS. “O selo do Inmetro é de grande importância porque respalda o nosso Sistema de Gestão da Qualidade como um dos melhores do Nordeste e do País”. A conquista da certificação é comemorada por todos que fazem a CERBRAS, já que foi fruto de um intenso trabalho

dos colaboradores. “Além de refletir o nosso modo de fazer cerâmica, a nossa política da qualidade – de fato e agora de direito – estará cada vez mais presente em nossas ações, como forma de evoluir e consolidar a qualidade dos nossos produtos e a satisfação dos nossos clientes”, finaliza Ana Lúcia.

O QUE É O INMETRO O Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) é uma autarquia federal que tem como objetivo geral fortalecer as empresas nacionais, aumentando sua produtividade, por meio da adoção de mecanismos destinados à melhoria da qualidade de produtos e serviços. Tem como missão prover confiança à sociedade brasileira nas medições e nos produtos, através da metrologia e da avaliação da conformidade, promovendo a harmonização das relações de consumo, a inovação e a competitividade do País.

8

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 8

3/10/2011 12:36:45 PM


Diferencial

Espaço Hidracor

aperfeiçoamento profissional para clientes e consumidores

Inaugurado em 2010, o local abriga um dos maiores Centros de Treinamento da região Norte/Nordeste

arantir a satisfação dos clientes oferecendo produtos de qualidade que atendam aos requisitos de fabricação, melhorando continuamente os processos e desenvolvendo o capital humano. Esses são alguns dos desafios da Hidracor, empresa do Grupo J. Macêdo que desde 1963 vem se consolidando como líder nacional na produção de tinta em pó hidrossolúvel e supercal. A empresa é uma das três maiores em volume de produção de tintas líquidas do Norte e Nordeste.

G

Tantos anos de experiência conferiram à empresa um olhar diferente sobre o mercado. Prova disso foi a inauguração, em 2010, de um moderno centro de treinamento e um espaço de convivência para oferecer aos clientes e pintores momentos de conforto e aperfeiçoamento profissional: o Espaço Hidracor. “Uma das nossas maiores preocupações é oferecer soluções inovadoras e produtos de qualidade, que reflitam a seriedade e o profissionalismo característicos da nossa marca. O Espaço Hidracor é mais uma ação nesse sentido”, afirma Renata Miranda, gerente de produtos da Hidracor. Foram investidos U$ 100 mil para a

construção do Centro de Treinamento e da Casa de Eventos que atendem a cerca de 500 pessoas por mês, entre pintores profissionais, vendedores lojistas, donas de casa e estudantes, disponibilizando treinamentos em módulos específicos para cada tipo de público, com demonstração e aplicação prática de produtos Hidracor. Os treinamentos são realizados às terças, quartas e quintas para grupos de até 40 participantes, com duração média de 5h/aula, englobando exposição teórica e experimentação prática. Os sábados são reservados aos pintores profissionais que buscam enriquecer seus conhecimentos com as novas técnicas do mercado. As aulas recebem até 80 participantes e são seguidas de uma visita à fábrica. A Hidracor também realiza regularmente treinamentos com sua equipe de promotores em toda a região Norte/Nordeste, ministrando cursos em distribuidores, escritórios de engenharia, arquitetura, construtoras, empreiteiras, revendedores e escolas. Somente em 2010, foram treinadas 10 mil pessoas. Para este ano, a expectativa é de que 15 mil pessoas recebam a capacitação.

Os interessados podem inscrever-se na Central de Atendimento ao Consumidor pelo telefone 0800-7034445 ou obter mais informações no site www.hidracor.com.br.

QUALIDADE Em 2010 a Hidracor comemorou junto a seus clientes e parceiros um aumento de quase 900% acumulados nos últimos 6 anos, tornando-se uma das maiores empresas de tintas do Norte/Nordeste e líder em textura, tinta em pó e supercal. “Em 2011, a empresa espera continuar crescendo cada vez mais, em venda e satisfação. Os números justificam o slogan da marca: A tinta que o Brasil aprovou”, aponta Renata Miranda. A empresa é a única aprovada pela Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas (Abrafati) no Ceará. A certificação, obtida após auditorias internas e externas, garante que os produtos estão em conformidade com as normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), com toda a qualidade exigida para os produtos do segmento de tintas imobiliárias. Agora, a empresa aposta na obtenção da certificação de seus processos, através da ISO 9001:2008.

9

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 9

3/10/2011 12:36:47 PM


Avanço

Construção Civil tem cres Setor alcança PIB acima de 11% em 20 No Ceará, número de operários emp construção civil no Brasil vive um momento excepcional em sua história. Financiamentos concedidos pelo Governo à produção e ao mercado habitacional, incentivos fiscais, investimentos da iniciativa pública e privada, além da melhora do poder aquisitivo da população, são alguns dos motivos que levam a um cenário de crescimento contínuo e cada vez mais promissor deste setor.

A

Dados divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC) indicaram crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor acima de 11% em 2010 - o melhor resultado em 24 anos, o que torna a construção civil um campo ainda mais estratégico para a economia do País. Dentre os números que indicam o excepcional desempenho, estão a

geração de 340 mil vagas formais em todo o Brasil só nos dez primeiros meses de 2010 e a expansão do crédito imobiliário no período, indicando aumento de mais de 70% em termos de valores financiados em relação a 2009. O Ceará acompanha o cenário nacional. De acordo com o presidente do Sindicato da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE), engenheiro Roberto Sérgio Ferreira, houve um crescimento da construção civil no Estado de 7,5% em 2010. Outro dado relevante é o número recorde de operários empregados no Estado: 40 mil. “O máximo atingido até então era de 38 mil trabalhadores, nos anos de 1998 e 1999, à época das obras do Complexo Portuário do Pecém, aeroporto, Centro

Dragão do Mar de Arte e Cultura - obras federais, pesadas”, aponta o presidente. Para Roberto Sérgio, é importante destacar o papel do poder público, que se tornou um forte aliado da construção civil a partir de 2007, com os financiamentos para a produção. “O Governo começou a entender que o setor não precisa de absolutamente nada que não seja crédito na praça. Se tiver dinheiro a construção civil anda. Moradia todo mundo quer comprar, então mercado não é problema. O Governo entendeu isso e hoje é uma realidade”, comemora. O setor passou por um momento delicado, com o freio do governo federal aos financiamentos entre agosto de 2008 e maio de 2009, por conta da crise com o

PIB da construção tem sido maior que o do Brasil

5,7 2004

4 20

5,7

3,2 4

1,8

1,1

2005

-3,3 2003 variação % do PIB Nacional

10

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 10

variação % do PIB da Construção Civil

3/10/2011 12:36:48 PM


escimento surpreendente m 2010: o melhor resultado em 24 anos. mpregados bate recorde, com 40 mil mercado imobiliário nos Estados Unidos. “O governo voltou atrás, achando que no Brasil iria acontecer o que aconteceu nos EUA. Passamos uma situação dificílima. As pessoas queriam comprar mas não havia condição de produzir”, lembra. Obras paradas ou em velocidade baixa foram características da época – já superada.

Crescimento continua em 2011 A expectativa é que o setor siga com avanço. Alguns dos motivos apontados para o crescimento, no âmbito nacional, são a continuação pelo governo federal do Programa “Minha Casa, Minha Vida” e das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A vinda da Copa do Mundo para

13,6 2010

7,9 4,7

o País em 2014 promete movimentar o setor, que também será beneficiado pelo crescimento da oferta de crédito imobiliário e do mercado habitacional, além da prorrogação na desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para alguns materiais de construção, até dezembro de 2011. No Ceará, o presidente do Sinduscon acredita que haverá crescimento da ordem de 4,5% este ano. O Programa “Minha Casa, Minha Vida”, que havia prometido a construção de 51 mil casas no Ceará em 2010, ainda não chegou a realizar todas as contratações, o que pode explicar o percentual de crescimento menor que o do ano passado, mas que não afeta o avanço do setor. “Decrescer, nem pensar!”, finaliza Roberto Sérgio.

R$ 175 BI

2008 6,1

2006

8,4

2 4,0

8

4,9 2007

R$ 140 BI

5,2 -0,6

R$ 118 BI 2011

5

-6,3 l

2016 (projeção)

Crescimento nas vendas da indústria de materiais, estimado pela Abramat

2009

2013

VENDAS DE MATERIAIS IMPULSIONAM CRESCIMENTO DO SETOR Números da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) indicam que o faturamento da indústria de materiais deve aumentar 8,8% acima da inflação em 2011. O estudo realizado pela Abramat atribui parte do crescimento às obras contratadas e iniciadas em 2010, além da prorrogação da desoneração dos materiais. Para este ano, espera-se que as vendas dos insumos superem R$ 118 bilhões. O gerente de vendas da Tintas Fortex, Stanger Eler, estima que em 2011 a empresa cearense mantenha o índice de aumento entre 25% e 30%, próximo ao que alcançou nos últimos quatro anos. O crescimento - acima da média do setor, é motivado, segundo Stanger, pelos investimentos realizados na nova unidade da Fortex, em 2008, em equipamentos de maior tecnologia e no lançamento de novas linhas de produtos. Para ele, os números do setor também embasam a expectativa positiva. “Nossa confiança é avalizada pelos índices da indústria e do mercado da construção civil, que vem apresentando um crescimento no Ceará bem acima dos índices nacionais, acredito que impulsionados principalmente por dois fatores: investimento em infraestrutura e a maior oferta e facilidade de acesso ao crédito, principalmente pelas classes C e D”. 11

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 11

3/10/2011 12:36:52 PM


Mundial

Iniciadas as obras para a

Copa de 2014

Fortaleza é uma das 12 cidades-sede. As ações para a chegada da competição incluem reforma do Castelão, melhorias da malha viária e da estrutura de transporte urbano.

12

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 12

3/10/2011 12:36:56 PM


F

De acordo com a Matriz de Responsabilidades assinada em Brasília pelos governos executivos, está a cargo do governo federal a ampliação do Aeroporto Pinto Martins e a construção de um terminal de passageiros no Porto do Mucuripe, totalizando R$ 385,4 milhões em investimentos. A reforma para modernização e adequação do Estádio Plácido Aderaldo Castelo (Castelão), seguindo as exigências da Fifa, é de competência do Governo do Estado do Ceará, bem como a finalização de duas linhas do metrô de Fortaleza – Estações Montese e Padre Cícero, e a entrega do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), espécie de metrô de superfície. No Castelão, os investimentos para reestruturação, através de Parceria Público-Privada do Estado (PPP), são da ordem de R$ 452 milhões. A reforma foi iniciada em dezembro de 2010 e, dentre as melhorias, está a ampliação da estrutura e da capacidade de público, que vai de 59 mil para 66,7 mil lugares. Detalhes do Castelão Diversas mudanças ocorrerão no estádio, como nas cadeiras, que passarão a ser retráteis. Haverá ainda a aproximação da área que separa o acesso dos torcedores sentados nas cadeiras inferiores do gramado, que cairá dos atuais 40 para 21 metros. O estádio também terá um novo estacionamento para 1750 veículos. Outro destaque é uma coberta que protegerá 100% dos torcedores de

sol e chuva e ajudará substancial- fazendo a ligação da região hoteleira mente na qualidade da imagem das ao bairro Parangaba, passando pelo transmissões televisivas. porto, aeroporto, rodoviária e estádio, em integração com o sistema de O titular da Secretaria Especial transporte público. da Copa, Ferruccio Feitosa, prevê que o Castelão seja entregue em As ações definidas como de resabril de 2013. Antes do mundial, ponsabilidade do município de a estrutura poderá ser utilizada Fortaleza contemplam também a em outras competições impor- área de mobilidade urbana. São tantes, como a Copa das Confe- cinco obras prioritárias, incluinderações, da Fifa. “Manifestamos do a requalificação da Via Expresesse interesse por escrito ao Co- sa. “A via vai ganhar efetivamente mitê Organizador Local, através um caráter de via expressa, com a de um documento assinado pelo eliminação dos semáforos nos crugovernador Cid Gomes”, destaca zamentos com as avenidas Santos o secretário. Dumont, Padre Antônio Tomás e Alberto Sá. Nesses cruzamentos, Ferruccio acrescenta que também foi a prefeitura vai construir túneis”, feita solicitação para que a abertura explica Felipe Araújo, gerente do festiva que antecede o jogo inaugu- projeto Copa 2014, da Coordenaral da Copa do Mundo seja realizada doria de Projetos Especiais da Preem Fortaleza, além de uma partida feitura de Fortaleza. das semifinais. O projeto do Castelão está apto para sediar um jogo deste As outras intervenções do muniporte, conforme informou a Fifa em cípio englobam a criação do Bus relatório oficial. Rapid Transit (BRT), um sistema de corredores exclusivos para ônibus, nas avenidas Alberto Craveiro, Mobilidade urbana Raul Barbosa, Dedé Brasil e Paulino Rocha. Ainda sob a responsabilidade do Estado, a finalização das estações Os investimentos para as obras da Montese e Padre Cícero do metrô Prefeitura já estão garantidos e são de Fortaleza custará R$ 35 milhões. da ordem de R$ 260 milhões. ToJá para o VLT, que abrangerá dez es- das as intervenções ainda estão em tações, é estimado um investimento fase de elaboração de projetos e a de R$ 265,5 milhões. O veículo terá previsão é de que iniciem ainda no seis composições com quatro carros, primeiro semestre de 2011.

CAPITAL HUMANO Nem só com obras físicas se consegue sediar uma Copa. Para tanto, um dos pontos que tem recebido atenção abrange a qualificação do pessoal que estará envolvido com o mundial. “Estamos montando um projeto de capacitação, envolvendo a Secretaria do Turismo e a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social”, afirma o secretário Ferruccio Feitosa, adiantando que o treinamento engloba a qualidade de serviços prestados e idiomas.

Foto: J. Luis

ortaleza começa a se preparar para receber uma das maiores competições esportivas do planeta. A Copa do Mundo em 2014 será realizada em 12 cidades-sede no Brasil, e o poder público já inicia os trabalhos na capital, que vão bem além da reforma do estádio Castelão e incluem investimentos para a melhoria da malha viária, estrutura de transporte urbano e qualificação de pessoal.

O Instituto Municipal de Pesquisa, Administração e Recursos Humanos (Imparh) já está desenvolvendo ações voltadas para o Mundial de 2014, destaca Felipe Araújo. A iniciativa inclui cursos de línguas estrangeiras, voltados para categorias de profissionais que trabalham diretamente com turistas, como taxistas e policiais.

13

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 13

3/10/2011 12:36:56 PM


Consumo Verde

Eficiência energética

poderá pesar na hora de escolher um imóvel

Construções podem receber selo Procel Edifica, que atesta o uso racional da energia elétrica

consumo de energia elétrica nas edificações residenciais, comerciais, de serviços e públicas, corresponde a cerca de 45% do consumo faturado no Brasil. O número, que já é bastante significativo, tende a tornar-se ainda maior. É que, se por um lado a estabilidade da economia, aliada a uma política de melhor distribuição de renda, permite o acesso da população aos confortos proporcionados pelas novas tecnologias, por outro o consumo de energia elétrica irá aumentar consideravelmente.

O

Números apresentados pela Eletrobras revelam que quase 50% da energia elétrica produzida no país é consumida não só na operação e manutenção das edificações, como também nos sistemas artificiais, que proporcionam conforto ambiental para seus usuários, como iluminação, climatização e aquecimento de água. Para alívio dos ambientalistas, o potencial de conservação de energia deste setor é expressivo. De olho nessa possibilidade, o Programa Nacional de Eficiência Energética (Procel), que promove o uso racional da energia elétrica, criou o Procel Edifica, especialmente voltado à Eficiência Energética das Edificações – EEE, aliada ao Conforto Ambiental-CA. As ações do programa têm como objetivo incentivar a conservação e o uso eficiente dos recursos naturais (água, luz, ventilação etc) nas edificações desde a sua fundação, reduzindo os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente. Instituído pela Eletrobras/Procel, o programa é desenvolvido em conjunto com

o Ministério de Minas e Energia, o Ministério das Cidades, as universidades, os centros de pesquisa e entidades das áreas governamental, tecnológica, econômica e de desenvolvimento, além do setor da construção civil.

Esta energia economizada seria suficiente para suprir anualmente cerca de

2,7milhões de residências.

pode superar 50% do consumo, comparada com uma edificação concebida sem uso dessas tecnologias. O selo Procel Edifica mede o grau de eficiência energética dos edifícios comerciais e públicos com área construída de no mínimo 500 metros quadrados. A etiqueta avalia três características do edifício: o envoltório, a parte física do edifício; o sistema de iluminação, a iluminação interna do edifício de acordo com as diferentes atividades exercidas pelo usuário; e o sistema de condicionamento de ar, que avalia o tipo de aparelho utilizado e sua eficiência nas diferentes áreas do edifício.

Para se ter uma ideia, a energia elétrica consumida no Brasil em 2008 (Fonte EPE), foi de cerca de 393 bilhões de kWh. A economia teórica em edificações residenciais, comerciais, de serviços e públicas poderia chegar aos 53 bilhões de kWh caso fosse adotada uma política agressiva para a questão do déficit habitacional brasileiro. Esta energia economizada seria suficiente para suprir anualmente cerca de 2,7 milhões de residências.

A nota da etiqueta varia do número 1, para os menos eficientes – representado pela letra E, e o número 5 para os mais eficientes – representado pela letra A. Um imóvel com a etiqueta A tem um consumo 40% menor que um com a etiqueta E. A adesão ao Procel Edifica é voluntária, mas em breve deve tornar-se obrigatória para todos os tipos de edifícios, assim como acontece com a avaliação de eficiência energética dos eletrodomésticos. A participação dos consumidores é fundamental para o sucesso do programa.

O custo para a construção de prédios “verdes” é, em média, 5% maior que a de construções tradicionais, porém os benefícios são muitos. Com a adoção de práticas de eficiência energética, a economia pode chegar a 30% para edificações já existentes que promoverem reformas contemplando os conceitos de eficiência energética em edificações. Nas novas edificações, ao se utilizarem tecnologias energeticamente eficientes desde a concepção inicial do projeto, a economia

O selo Procel também estará presente na Copa e na Olimpíada que serão realizadas no Brasil nos próximos anos. Um dos pré-requisitos para a construção dos empreendimentos é que eles sejam eficientes energeticamente. Para incentivar essas construções, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou uma linha de crédito especial para hotéis em construção ou que passarem por reformas para adaptação.

14

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 14

3/10/2011 12:36:58 PM


Estímulo

Construção Civil é alvo

dos incentivos fiscais Redução do IPI e Programa Minha Casa Minha Vida têm sido alguns dos estímulos do poder público ao setor

tivos para que o programa não tenha deslanchado no Ceará se dá pela burocracia imposta pela Caixa.

os incentivos fiscais concedidos pelo governo têm movimentado a cadeia da construção civil. Os motivos para a preocupação em apoiar o mercado vão desde o reconhecimento do setor como um forte aliado para o crescimento da economia nacional, até a necessidade da redução do déficit habitacional, que hoje gira em torno de cinco milhões de domicílios, de acordo com dados do Ministério das Cidades.

ma havia feito, até o final de 2010, a contratação com a Caixa Econômica de 1.003.214 moradias, em todas as faixas de renda, atingindo R$ 52,98 bilhões em investimentos. As famílias com renda de até 10 salários mínimos são o foco do MCMV, que recebem subsídios do governo para a aquisição das moradias. Além disso, o Programa movimenta a indústria da Construção Civil e cria empregos no setor.

Além disso, o presidente afirma que os terrenos em Fortaleza são muito caros em relação ao preço final da moradia do Programa. “O preço da habitação é tabelado, R$ 45 mil a unidade, e os terrenos precisam ter saneamento”. No final das contas, pode não ser um bom negócio para o construtor das unidades.

O Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), do governo federal, criado em abril de 2009, tem sido destaque entre as iniciativas do poder público que envolvem o setor. Com a promessa de construir um milhão de unidades habitacionais, o Progra-

No Ceará, o programa havia prometido a construção de 51 mil casas, número ainda não atingido. De acordo com o presidente do Sindicato da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE), engenheiro Roberto Sérgio Ferreira, um dos mo-

No entanto, para 2011 o cenário se mostra um pouco mais otimista para o Estado. Dados da Caixa Econômica dão conta de que o Estado alcançou cerca de 26 mil contratações do MCMV, demonstrando avanço do Programa no Ceará.

O

15

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 15

3/10/2011 12:36:58 PM


Expansão

Mercado Imobiliário em alta Setor continuará aquecido nas próximas décadas e investimento em imóveis tem sido uma boa opção. Veja também os cuidados na hora da compra stabilidade, investimento, segurança. Motivos não faltam para a compra de um imóvel. O número de pessoas com a oportunidade de adquirir este bem tem crescido acentuadamente, fazendo ascender o movimento do mercado imobiliário, setor cada vez mais promissor.

e o crescimento real da renda do brasileiro foram determinantes para os resultados de 2010 e o consequente aquecimento do setor. “A entrada do Programa Minha Casa, Minha Vida dinamizou o mercado”, completa Apollo. “A população em geral voltou a pensar ativamente sobre a aquisição do imóvel”.

Segundo dados informados pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Locação de Imóveis do Ceará (Secovi-CE) ao jornal O Povo, haviam sido vendidos, apenas no primeiro semestre de 2010, 3.903 imóveis novos em Fortaleza. O número representa uma alta de 44,29% em relação ao mesmo período de 2009. Já em volume de vendas, o incremento foi de 38,58%, resultando no faturamento de R$ 1 bilhão para o setor imobiliário na capital.

Paulo Angelim, sócio-diretor da Viva Imóveis, imobiliária que fechou 2010 com crescimento de 76% em relação a 2009, já está comemorando os resultados do início de 2011. “As vendas do mês de janeiro foram impressionantes: 85% acima de janeiro de 2010”. Ele já prevê os resultados de vendas para 2011. “O mercado continua muito aquecido e não dá sinais de arrefecimento. Neste início de ano, estamos projetando, um tanto conservadores, um crescimento de 50% nas vendas de 2011, em relação a 2010”.

E

Para o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE), Apollo Scherer, fatores como a oferta de financiamento por mais bancos

Para o mercado cearense, a aposta do presidente do Creci, Apollo Scherer, é de um aumento equivalente ao de 2010, girando em torno de 10%.

Mercado em alta nas próximas décadas Uma publicação desenvolvida em 2008 pela Fundação Getúlio Vargas e a Ernst & Young fez projeções para o setor imobiliário até 2030. O estudo prevê que este mercado continuará em expansão, tendo, dentre os motivos, o surgimento de novas famílias e a necessidade de o País equacionar o déficit habitacional. A publicação, intitulada “Brasil sustentável: Potencialidades do mercado habitacional”, afirma que é esperado um crescimento econômico médio de 4% e a redução gradativa das taxas de juros dos financiamentos habitacionais. “Até lá, o País terá um contingente de mais de 233 milhões de pessoas e cerca de 95,5 milhões de famílias. Estima-se uma média de 2,5 pessoas por moradia, o que significará cerca de 93,1 milhões de domicílios – um crescimento de aproximadamente 66% em relação a 2007. Nesse período, 37 milhões de moradias surgirão em todo o País”, prevê a publicação. Ao observar as peculiaridades de países como a Coreia do Sul, Espanha, Irlanda, Estados Unidos, onde os mercados imobiliários são destaque, o estudo confirma por generalização que as economias com maior investimento habitacional sustentam taxas de crescimento mais elevadas. Antes do aumento dos investimentos, houve nos países citados mudanças institucionais que melhoraram o funcionamento dos sistemas de financiamento. Um aspecto presente nos bons exemplos é a existência de um conjunto de medidas que asseguram um acesso rápido e desburocratizado ao crédito e ainda proporcionam garantias sólidas aos investidores. Tanto o cenário atual quanto a previsão promissora são frutos de avanços legais, determinantes para o fortalecimento do setor. Merecem destaque no Brasil a Lei 9.514/97, que instituiu o Sistema de Financiamento Imobiliário e introduziu a alienação fiduciária de bens imóveis; e a Lei 10.931/04, responsável pelo aprimoramento do Patrimônio de Afetação, que protege o adquirente de imóveis, ao separar o empreendimento individual do patrimônio da empresa construtora.

16

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 16

3/10/2011 12:36:59 PM


Comprar para investir

Cuidados na hora da compra

Tem crescido a quantidade de pessoas interessadas na aquisição de um imóvel, com vistas a melhorar seus rendimentos. Apollo Scherer acrescenta que houve retorno da compra para investimento. “Isso era um movimento que nos últimos dez anos tinha deixado de existir, mas de dois anos pra cá o corretor de imóveis vem sentindo que as pessoas estão voltando a comprar imóveis para investir, especialmente imóvel na planta - casa e apartamento”, comenta.

Profissionais e empresários bem sucedidos têm apostado no mercado imobiliário para investir, priorizando até mais que as tradicionais aplicações financeiras e Bolsa de Valores. Para aqueles que almejam ser investidores “profissionais”, o coordenador do curso superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários da Faculdade 7 de Setembro, Alex Amarante, dá algumas dicas. “Se você deseja se tornar um investidor em imóveis, em primeiro lugar deve avaliar seu perfil (deseja investir para o futuro formando patrimônio e renda ou deseja investir para atingir uma meta no médio prazo?), assim como avaliar sua disponibilidade de tempo para acompanhar esse investimento”. Alex explica que, como no mercado de ações, o imobiliário demanda conhecimento prévio. “O ideal é escolher profissionais capacitados para lhe assessorar, que incluem corretor, arquiteto, enge-

O conselho é não se deixar levar pela euforia e continuar sendo criterioso na análise do produto, da localização, e no caso de imóvel em condomínio, a melhor posição da unidade Paulo Angelim

nheiro, advogado e contador”. Um plano de negócio para cada operação imobiliária que contemple valores a investir, período, metas de valorização e rentabilidade, análise e plano de respostas aos riscos, dentre outros quesitos, faz-se necessário. “Todo mercado, inclusive o imobiliário, está sujeito a muitos riscos e você deve procurar proteger seu capital da melhor forma possível”. O coordenador comenta que no próprio curso superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários da FA7, existe um espaço que disponibiliza esta assessoria. “O Núcleo de Negócios Imobiliários (NNI) é formado por professores especialistas e mestres, onde os interessados em investir no mercado imobiliário (profissionais ou empresários) podem obter melhores orientações e aumentar a probabilidade de sucesso”, complementa.

A região oeste também vem despontando, com a Maraponga e o Mondubim. Como se não bastasse, bairros tradicionais - Parquelândia, Montese, Jacarecanga e Fátima, em que não havia movimentos imobiliários começam a entrar nas negociações. Para Paulo Angelim, outros elementos também devem ser observados. “O conselho é não se deixar levar pela euforia e continuar sendo criterioso na análise do produto, da localização, e no caso de imóvel em condomínio, a melhor posição da unidade”. Quesitos já consagrados que dizem respeito a optar por um corretor e imobiliária de credibilidade, com quem o cliente possa contar no pós-venda, também são fundamentais. Escolher bem a incorporadora/ construtora, checando se o empreendimento tem registro de incorporação, traz mais segurança ao comprador. Ainda sobre a compra do imóvel, Paulo Angelim cita as diferenças básicas entre a aquisição do bem na planta ou finalizado. “Na planta, o cliente pode fazer alterações no projeto desde o início da construção, o que resulta em economia e maior personalização da unidade, podendo também dividir melhor o pagamento da poupança: no caso, o valor é pago diretamente à construtora e não ao banco. O construído é preferido por quem tem pressa em morar, dispõe de sinal maior e não quer ter dúvidas se vai ou não gostar da planta do imóvel”.

Foto: Junior Barra

Melhorar a renda disponibilizando um imóvel para aluguel é um investimento que volta a ser realizado. Conforme dados do mercado, a compra para locação era algo comum na década de 1980: cerca de 30% da fatia de vendas era destinada para este fim. “Esse índice baixou muito nos últimos anos. Hoje a gente vê que as pessoas estão comprando muito imóvel para colocar para a locação”, observa Apollo.

A localização do imóvel é um fator que merece atenção na hora da compra. A região em que há maior movimento de compra e venda continua sendo a grande Aldeota, em função da densidade populacional e de comércio e serviços. O bairro da Água Fria também se destaca, porém, segundo Apollo Scherer, tem havido uma migração de negócios imobiliários para bairros emergentes da região leste, como Lagoa Redonda, Cambeba e Messejana.

17

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 17

3/10/2011 12:37:01 PM


Cultura

Crea-CE inaugura Biblioteca e Centro Cultural

Após deslocar sua sede para o Centro de Fortaleza, contribuindo com a requalificação do local, o Conselho agora incentiva a valorização e a difusão da cultura ois novos importantes equipamentos para a promoção da cultura passam a estar a serviço da sociedade cearense. O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado do Ceará (Crea-CE) entregou à população e aos diversos segmentos profissionais representados pelo Conselho a Biblioteca Eng. Prof. Telmo Bessa e o Centro Cultural do Crea-CE.

D

Os dois espaços foram inaugurados em dezembro de 2010 e estão situados na Rua Castro e Silva, 81, no Centro de Fortaleza, mesmo prédio onde atualmente funciona a sede do Conselho e que já abrigou o San Pedro Hotel. A iniciativa, além de apoiar a requalificação do local, inclui o Crea-CE entre as instituições que incentivam e difundem a cultura. “Nós, que pensamos e projetamos a cidade com uma visão técnica, agora estamos contribuindo com esse setor”, comenta o presidente do CreaCE, engenheiro eletricista Antonio Salvador da Rocha. A biblioteca Eng. Prof. Telmo Bessa funciona no térreo do prédio e é um espaço dedicado aos profissionais, estudantes e pesquisadores das áreas abrangidas pelo Sistema Confea/ Creas. O local possui vasto acervo sobre legislação profissional e normas técnicas da ABNT e Mercosul, periódicos, CDs e DVDs, além dos livros técnicos que pertenceram ao Prof. Telmo Bessa.

Familiares do Eng. Prof. Telmo Bessa na inauguração da biblioteca.

Já o Centro Cultural do Crea-CE, que funciona na cobertura do edifício sede do Conselho, possui uma área de aproximadamente 350m² e conta com uma Galeria de Arte para exposições de pintura, fotografia, gravura, escultura, lançamento de livros, shows musicais, palestras e apresentações teatrais. O local possui ainda uma cafeteria e vista panorâ-

mica, onde é possível ter a visão do mar e de edificações e logradouros históricos. Mais informações: Biblioteca Eng. Prof. Telmo Bessa: 3453-5853 Centro Cultural do Crea-CE: 3453-5829

INSPETORIAS EM SOBRAL E LIMOEIRO INTERIORIZAM AÇÕES O Crea-CE está finalizando a construção de mais duas inspetorias, localizadas nas cidades de Sobral e Limoeiro do Norte. O objetivo da iniciativa é atender melhor a demanda pelos serviços do Conselho nas regiões do Vale do Acaraú e Vale do Jaguaribe. Os dois equipamentos devem ficar prontos ainda neste semestre. As inspetorias de Sobral e Limoeiro do Norte somam-se às já existentes nas cidades de Juazeiro do Norte e Crateús, que funcionam em sedes próprias, e às de Aracati, Iguatu, Quixadá e Tianguá, localizadas em prédios alugados, mas que até 2012 já devem estar em instalações próprias do Crea-CE. No último ano do seu mandato, o Presidente do Crea-CE, Eng. Eletr. Antonio Salvador informa que até o final do ano serão inauguradas mais três importantes equipamentos: o Museu Interativo de Tecnologia, Centro de Qualificação Profissional e Sala de Vídeo-Conferência.

18

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 18

3/10/2011 12:37:03 PM


Inovação

UFC desenvolve

tijolos com sistema de encaixe Melhoria da produtividade, ganho de qualidade e economia de material são algumas das vantagens apontadas com o uso do bloco

A

busca pela qualidade das habitações sociais tem norteado um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Ceará que utilizam a inovação como diferencial. O “Projeto MEHIS - Habitações Sustentáveis com Melhoria dos Processos Tradicionais”, do Departamento de Engenharia Estrutural e Construção Civil e financiado pela Finep, conseguiu desenvolver um conjunto de blocos (tijolos) cerâmicos estruturais, coordenados modularmente e que possuem um sistema de encaixe. O coordenador do projeto, prof. Dr. Alexandre Bertini, explica que os blocos foram concebidos a partir de um diagnóstico das unidades habitacionais existentes. Dentre os problemas identificados, os mais recorrentes são as infiltrações - devido à chuva - e as fissuras nas paredes. “Isto motivou o desen-volvimento de um sistema que eliminasse essas patologias”.

A qualidade superior do bloco, se comparado ao tijolo convencional, é apontada como uma das vantagens. A geometria projetada permitiu um ganho de resistência e possibilitou ainda maior facilidade na montagem, resultando também na economia de material. “O bloco foi desenvolvido para ser encaixado lateralmente, eliminando as juntas de argamassas verticais. Com isto obtém-se maior velocidade na produção da parede e ganho de qualidade, resultando em paredes mais resistentes, respeitando as tolerâncias da geometria imposta pela norma”, enfatiza Bertini. Na última versão do bloco, foram fabricadas cinco mil peças. Ensaios realizados pelo grupo de pesquisa-

dores testaram a resistência mecânica e a absorção do tijolo. Além disso, um protótipo habitacional foi construído em Fortaleza, com o objetivo de verificar os aspectos construtivos do sistema.

Tijolo aprovado por empresários do ramo Um empresário do setor da construção apostou na ideia e tem apoiado o Projeto MEHIS na produção dos blocos cerâmicos. Vitorino De Checchi é proprietário da Companhia Sobralense de Materiais de Construção (Cosmac) e está na quarta geração de uma família de ceramistas da Itália. Ele afirma que a grande vantagem na utilização do tijolo está na queda substancial dos gastos com material. “O uso do tijolo de encaixe permite uma economia de 70% de argamassa por m². As pessoas não têm ainda noção do benefício deste bloco!”. Os mais de 50 anos de experiência no ramo também permitiram a Vitorino participar das discussões com os pesquisadores, ajudando no desenvolvimento do produto final. 19

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 19

3/10/2011 12:37:05 PM


Compromisso

Profissionais unidos

em atos de amor

Projeto Casa da Criança reúne arquitetos, decoradores, designers e artistas plásticos na construç��o e reforma de espaços dedicados ao atendimento infanto-juvenil

á de se ter, em qualquer profissão, uma forma de contribuir para um mundo mais justo e humano. Muito além da responsabilidade social, utilizar o ofício aprendido em favor do outro é um ato de amor. Neste sentido, o Ceará tem integrado a lista de 15 estados – mais o Distrito Federal – atendidos pelo projeto Casa da Criança, que reúne arquitetos, decoradores, designers e artistas plásticos na execução de construções e transformação de abrigos, creches e outros espaços dedicados a crianças e adolescentes.

A ação aconteceu por meio da parceria com a Associação Peter Pan e o Instituto Ronald McDonald.

A última intervenção do projeto no Ceará resultou na ambientação e na humanização de 45 ambientes do Centro Pediátrico do Câncer. O local foi inaugurado em outubro de 2010 e funciona como anexo do Hospital Infantil Albert Sabin, em Fortaleza.

Outras intervenções realizadas

H

A ambientação foi feita com uma rede de parceiros do projeto, dentre eles 67 profissionais de ambiente arquitetos, decoradores, designers e artistas plásticos. “Os ambientes foram projetados e decorados de modo a tornar os locais mais alegres e confortantes, e o tratamento mais humanizado aos pequenos”, explica Paulo Pepino, um dos coordenadores do projeto em Fortaleza.

O Centro Pediátrico do Câncer foi a terceira instituição atendida pelo projeto Casa da Criança no Ceará. A primei-

ra ação aconteceu em 2002, no abrigo público Tia Júlia, instituição mantida pelo Governo do Estado e que acolhe provisoriamente crianças órfãs, vítimas do abandono e/ou de maus tratos. “A importância do trabalho desenvolvido no local foi um dos motivos que fez do abrigo um beneficiado pelo Projeto”, explica Paulo. Com a dedicação de 114 profissionais, o local ganhou 52 novos ambientes. A segunda intervenção foi em 2006, com a construção do Lar Amigos de Jesus, casa de apoio que atende a crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer. Foram 116 profissionais envolvidos na iniciativa, que levou abaixo a antiga edificação, que contava com 700m². A nova sede possui agora mais 2 mil m² construídos, dividida em 73 am-

20

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 20

3/10/2011 12:37:06 PM


instituições beneficiadas

bientes. “Tentamos levar para o Lar uma atmosfera confortável e acolhedora”, comenta Paulo.

20 mil

Franquia Social

crianças e jovens atendidos presente em estados, mais o Distrito Federal

O projeto Casa da Criança teve início em 1999 com os arquitetos Marcelo Sousa Leão e Patrícia Chalaça, em Recife-PE, capital onde está situada a coordenação nacional. A partir de 2001, teve início o processo de disseminação da sua Franquia Social – equipe de voluntários que representam o projeto nos estados atendidos e ajudam a ampliar as ações. “É gratificante constatar que a dedicação de todos os profissionais envolvidos neste trabalho pode, sim, transformar vidas”. Além de Paulo Pepino, integram a Franquia Social do Ceará: Isabel Figueiredo, João Mendonça, Augusto Souza e André Verçosa. Atualmente, estão envolvidos no projeto Casa da Criança mais de 2 mil arquitetos, decoradores, artistas plásticos e designers, além de 20 mil empresas e mil construtoras. No total, foram atendidas mais de 20 mil crianças e jovens nas 33 instituições já beneficiadas. Para 2011, quando o projeto completa 12 anos, mais três novas instituições serão beneficiadas, com obras e humanizações de ambiente já em andamento nas cidades de Manaus, Belém e Cuiabá. Em Fortaleza, a próxima ação do projeto será a implantação do Q’Alegria, no Instituto do Câncer do Ceará.

Mil construtoras, 20 mil empresas e mais de 2 mil arquitetos, designers, artistas plásticos e decoradores envolvidos

O Q’Alegria é uma tecnologia desenvolvida pelo projeto Casa da Criança, que visa proporcionar entretenimento, enquanto as crianças são submetidas ao tratamento quimioterápico, dandolhes mais conforto e humanização. Projeto Casa da Criança qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP)

21

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 21

3/10/2011 12:37:08 PM


Curiosidades

Opinião

Jubileu de Ouro

Plano de Desenvolvimento do

da Primeira Turma da Escola de Engenharia

NE prevê obras de infraestrutura

Em 2010, vivemos um grande momento de júbilo, pois comemoramos o cinquentenário de formatura da primeira turma de engenheiros formados no Ceará. É a turma de Engenheiros Civis formados em 1960 pela antiga Escola de Engenharia da Universidade Federal do Ceará.

O governador Cid Gomes apresentou o Plano de Desenvolvimento Integrado do Nordeste, que prevê a criação de um Fundo que aportará investimentos da ordem de R$ 21 bilhões, no prazo de quatro a cinco anos. Os recursos serão viabilizados a partir de instituições financeiras como o Banco Mundial (Bird), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), BNDES, Governos Federal e Estaduais, além de outras instituições.

A partir da turma de 1960, a Universidade Federal do Ceará, através da antiga Escola de Engenharia e do atual Centro de Tecnologia, já formou mais de 5 mil engenheiros nas mais diversas modalidades.

“Com esses investimentos no Nordeste do Brasil nós vamos garantir que as desigualdades históricas com o restante do País sejam diminuídas e se crie um círculo de crescimento no Brasil, gerando o desenvolvimento”, analisou Cid.

Deste período até os dias atuais, muito tem sido feito pelo desenvolvimento do Ceará com a participação direta dos engenheiros formados na UFC. Esta participação vai desde a construção das linhas de transmissão de energia de Paulo Afonso, passando pela ampliação da malha viária do Estado e pela construção do Castelão e do porto do Pecém.

No setor de as águas, a proposta é ligar os Eixos Norte e Leste da Transposição das Águas do Rio São Francisco à bacia do Rio Parnaíba, suprindo as necessidades de abastecimento de água no estado do Piauí, considerado tão seco, quanto a região dos Inhamuns, no Ceará. Há também a proposta de ligação do Eixo Norte da Transposição ao Cinturão das Águas do Ceará (CAC), que envolverá todo o Estado através de canais e bacias. A primeira etapa do CAC já está prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A primeira turma contou com 13 alunos, sendo 12 concludentes ao final de 5 anos. Nesta época, existia apenas o curso de engenharia civil e não havia nenhum curso de pós-graduação. Além disso, a Escola de Engenharia iniciou seus trabalhos em um casarão no bairro Jacarecanga.

O governador explicou ainda que na área de transporte rodoviário a ideia é ligar, por meio de rodovias duplas, as capitais Nordestinas entre Salvador e Natal, através da BR-101; Natal-Fortaleza, pela BR-304; Fortaleza-Teresina e Teresina - São Luís, pela BR222. No setor ferroviário estão previstas algumas modelagens de ferrovias já existentes, a partir da Ferrovia Transnordestina, como é o caso da ferrovia de que liga Fortaleza a São Luís.

De lá para cá, muita coisa mudou. A antiga Escola de Engenharia juntou-se com a Escola de Arquitetura, formando o atual Centro de Tecnologia (CT), que atualmente está localizado numa área de 12 hectares, com aproximadamente 18 mil m² de area construída. Atualmente, o CT conta com mais de 3 mil alunos de graduação, distribuídos em doze cursos. Na pós-graduação, são mais de 500 alunos distribuídos em oito programas, sendo cinco doutorados e três mestrados. Há cinquenta anos, havia um pouco mais de 20 professores e hoje são mais de 200.

O projeto prevê ainda que os portos de Itaqui (MA), Pecém (CE), Suape (PE) e Aratu (BA) serão destinados a cargas de longas distâncias, os chamados Hubs. Para o segmento de energia, Cid disse que o projeto será incrementar as linhas de distribuição. O Plano prevê que a Eletrobras construa uma linha de transmissão pelo litoral do Nordeste, para receber energia eólica.

Observa-se, portanto, um crescimento substancial da área de conhecimento em engenharia e arquitetura na Universidade Federal do Ceará, sem perder, no entanto, a busca constante pela excelência, considerando sempre o lema de nosso fundador, Reitor Martins Filho: o Universal pelo Regional.

Prof. Dr. José de Paula Barros Neto Diretor do Centro de Tecnologia Universidade Federal do Ceará

Obras deixarão

Porto de Fortaleza mais competitivo Em 2010, o Porto de Fortaleza recebeu mais de 565 atracações de navios de carga, entre cargueiros, graneleiros e porta contêineres. A expectativa para os próximos anos, com a finalização da obra de dragagem (retirada de areia do canal de acesso, bacia de evolução e berços de atracação de navios) é que a movimentação de cargas no Porto de Fortaleza aumente em até 30%. Iniciativas como a construção de um novo cais de atracação preferencial para navios de turismo, uma estação de passageiros e uma retro área; além dos projetos para uma nova pavimentação e a obra de derrocamento (retirada de pedras) para -13m do berço 103 (preferencial para navios de trigo), previstas para serem concluídas em 2011, prometem deixar o Porto de Fortaleza ainda mais competitivo.

22

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 22

3/10/2011 12:37:14 PM


KMAintegrada

NOVAS MANEIRAS DE CONSTRUIR O NORDESTE

As Minicarregadeiras CAT provam que tamanho não é documento. Rapidez, agilidade e facilidade de operação é o que você precisa para mecanizar seus canteiros de obras.

NO NORDESTE CATERPILLAR É MARCOSA www.marcosa.com.br

REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 23

3/10/2011 12:37:17 PM


REV_ExpoConstruir_MAR2011 FINAL-GPR.indd 24

3/10/2011 12:37:17 PM


Revista Expoconstruir 2011