Page 1

NOTÍCIAS_________________ SIMOV DEFINE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE 2012 Etapa final do planejamento acontece no próximo dia 16 Na última sexta-feira (4), a primeira etapa da definição do planejamento estratégico de 2012 do Simov foi realizada na sede do sindicato. Participaram da reunião membros da diretoria, do conselho fiscal e funcionários. A etapa final do planejamento será realizada no dia 16 de fevereiro, a partir das 17 horas, na sede do Simov. No encontro do último dia 4, que teve duração de cerca de oito horas, foram disponibilizados ao sindicato dois especialistas para que fosse desenvolvido o planejamento estratégico. Além do plano de ação, foram discutidas a definição de negócio, missão, visão, crenças, valores, análise dos cenários, de forças, fraquezas e ameaças, objetivos estratégicos, metas e indicadores. O planejamento estratégico faz parte do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), que oferece um pacote de serviços composto por diversos programas. O PDA é uma parceria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que visa estimular o associativismo e contribuir para o aumento da representatividade dos sindicatos patronais.

Reunião realizada para definir o Planejamento Estratégico para 2012

Conheça mais sobre o Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA) Fonte: Vanessa Eberle - Simov

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ DESONERAÇÃO DE FOLHA ELEVA CARGA EM ALGUNS SETORES Empresas reclamam que passaram a pagar mais imposto após plano do governo que tinha como meta elevar a competitividade Anunciada como um benefício para elevar a baixa competitividade dos produtos brasileiros, a desoneração da folha de pagamentos pode prejudicar boa parte das empresas incluídas no novo regime. A lei determina que elas substituam a contribuição de 20% sobre a folha, destinada à Previdência Social, pelo recolhimento de 1,5% a 2,5% sobre o faturamento bruto. Na prática, porém, só são beneficiadas empresas cujo valor destinado a salários e encargos ultrapasse 10% da receita bruta. A informação é do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis no Estado de São Paulo (Sescon-SP). Uma empresa que fature R$ 10 milhões e gaste 4% com a folha de pagamentos, por exemplo, recolheria R$ 80 mil de contribuição previdenciária. Com a desoneração da folha, no entanto, o desembolso seria 87% maior. Aplicando-se a alíquota de 1,5% sobre o faturamento, a contribuição aumenta para R$ 150 mil. Caso essa mesma empresa destinasse 10% da receita bruta para cobrir os gastos com funcionários, a situação seria diferente. Em lugar de contribuir com R$ 200 mil, ela recolheria apenas R$ 150 mil, o que representa uma economia de 25%. "A lei beneficia as organizações que têm como característica contratar elevada massa de mão de obra própria, o que não é o caso das empresas dotadas de um parque tecnológico moderno e especializado", diz José Chapina Alcazar, presidente do Sescon-SP. No setor de confecções, uma em cada três empresas perde com a mudança, estima a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit). As que mais perdem, segundo a entidade, são aquelas que terceirizam parte da sua produção. Nesses casos, o custo salarial não pode ser desonerado, porque ele já vem embutido no preço da empresa que prestou o serviço. "Recebemos um número grande de telefonemas de empresas reclamando que passaram a pagar mais imposto", conta Fernando Pimentel, diretor-superintendente da Abit. Uma sondagem feita pela entidade indicou que cerca de 33% das empresa de vestuário passaram a pagar mais imposto,10% ficaram no zero a zero e quase 60% saíram ganhando com a medida. "A intenção é boa, mas o resultado não atinge aquilo que é necessário para adicionar competitividade sistêmica a uma cadeia produtiva que emprega 1,7 milhão de pessoas, número que chega a 8 milhões considerando-se os empregos indiretos", alega o executivo. Leia mais... Fonte: O Estado de S. Paulo

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ RECUPERAÇÃO DE ATIVIDADE INDUSTRIAL DEPENDE DE MEDIDAS AMPLAS, DIZ CNI No ano passado, segundo IBGE, produção industrial teve alta de 0,3%. Medidas também devem ser 'urgentes', segundo análise do empresariado A recuperação da atividade industrial depende de medidas "amplas e urgentes", segundo avaliação divulgada nesta terça-feira (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), entidade de representação do empresariado brasileiro. Mais cedo, levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) havia informado que a produção industrial cresceu 0,3% em 2011, na comparação com o ano anterior. "Ao longo de 2011, o setor industrial apresentou clara perda de ritmo a partir de abril", informou o IBGE, por meio de nota. Em 2010, a produção industrial avançou 10,5%. Medidas positivas, mas 'insuficientes' Na avaliação da CNI, a redução dos juros e as desonerações tributárias, adotadas no final do ano passado, são positivas, mas "insuficientes" para a "indústria superar as dificuldades e retomar um ritmo mais forte de crescimento". Para o economista da CNI, Flavio Castelo Branco, o governo deveria promover reduções de impostos lineares para toda a indústria, em vez de atuar setorialmente (eletrodomésticos e automóveis, por exemplo). "Precisa reduzir a carga tributária de forma mais ampla. A desoneração de folha de pagamentos, por exemplo, foi direcionada", declarou. Ele afirmou que as medidas adotadas também demoram para ter validade. "O Brasil Maior tem seis meses e só agora está começando a ser implementado. Além disso, temos guerra fiscal dos portos, com benefícios fiscais do ICMS concedidos por alguns estados. Isso gera prejuízo para a indústria e para o país. O produto estrangeiro chega com tributação menor do que brasileiro", declarou. Na visão do economista, também é preciso baratear o acesso aos empréstimos bancário e agilizar a recuperação de créditos tributários. "A gente avançou pouco nessa agenda que todo mundo conhece e que todo mundo concorda", concluiu ele. Fonte: G1, Brasília

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ CASA DA INDÚSTRIA VAI FORTALECER AÇÕES DO SETOR PRODUTIVO EM PONTA GROSSA Inaugurada nesta quarta-feira (25), estrutura abriga três sindicatos industriais e encampará lutas conjuntas dos empresários da região Com objetivo de otimizar esforços, reduzir custos e enfrentar problemas comuns, três sindicatos industriais de Ponta Grossa – Sindimadeira, Sindimetal e Sindiminerais -, inauguraram nesta quarta-feira (25), com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), a Casa da Indústria. O espaço, localizado no centro da cidade, abriga conjuntamente a estrutura administrativa das três entidades, disponibilizando aos empresários da região ambiente propício para reuniões e outras atividades com objetivo de fortalecer a representatividade do setor produtivo da região. Para o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, presente na inauguração, a iniciativa é um marco na defesa das indústrias de Ponta Grossa. “É um nome que diz muito. Casa é onde você se sente bem, onde você está com a sua família, com os seus semelhantes.”, compara. De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e Tanoarias e de Marcenarias de Ponta Grossa (Sindimadeira-PG), Ivo Bremm, um dos idealizadores da proposta, o conceito é semelhante ao de uma cooperativa, onde todos contribuem por um objetivo comum. “As coisas só acontecem quando você é forte, quando você anda de mãos dadas.”, diz. Segundo Bremm, a estrutura contará também com uma executiva, capacitada pela Fiep, que fará a gestão das estruturas sindicais participantes e a busca de novos associados. “O presidente do Sindicato muitas vezes não tem tempo para administrar o sindicato porque tem que cuidar da sua empresa.”, avalia. Presente na inauguração, o prefeito de Ponta Grossa, Pedro Wosgrau Filho, destacou o bom momento por que passa o setor industrial no município, com a instalação de novas empresas, e sua disposição em continuar colaborando com as ações da Fiep e dos sindicatos. “Enquanto estiver na prefeitura, serei parceiro da Fiep.”, disse. Para o presidente do Sindicato da Indústria de Extração de Minerais não Metálicos de Ponta Grossa (SindimineraisPG), Fábio Leal, um dos aspectos que devem sair mais fortalecidos desta iniciativa é a representação institucional dos empresários da região. “É importante porque fortalece o empresariado na hora de discutir questões jurídicas e tributárias.”, diz. Também o presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Ponta Grossa (Sindimetal-PG), José Lívio Burda, acredita que a iniciativa fortalecerá a atuação dos empresários da região. “As lutas têm que ser em conjunto, bem como a troca de experiências.”. Fonte: Agência de Notícias – Fiep

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ AS PRINCIPAIS MODIFICAÇÕES DE LEIS PARA AS EMPRESAS EM 2012 Dentro de um planejamento fiscal e tributário bem feito as empresas necessitam estar atentas a quantidade de tributos, a complexidade da legislação e as freqüentes alterações em leis, impostos e tributações Inicia-se um novo ano e além das expectativas de um período fiscal lucrativo as empresas brasileiras sabem que para que essa expectativa seja cumprida ao final de 2012 é preciso estar atento ao planejamento tributário. Dentro de um planejamento fiscal e tributário bem feito as empresas necessitam estar atentas a quantidade de tributos, a complexidade da legislação e as freqüentes alterações em leis, impostos e tributações. Para o ano de 2012 algumas mudanças impactarão de forma mais direta na rotina das empresas, gerando maior burocracia e uma conseqüente demanda de tempo maior para se planejar e executar as melhores ações. Nas medidas que foram aprovadas no decorrer do ano passado, e que começaram a valer desde o mês de Janeiro, quatro podem ser destacadas como as principais leis que vão modificar mais a tributação as empresas: o Simples Nacional, a Eireli (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada), a CNDT (Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas) e o novo Salário Mínimo. Em 2012 as empresas que podem participar do Simples Nacional terão uma redução na carga tributária do sistema. A expectativa é que com a modificação da legislação a carga tributária das micros e pequenas empresas possa ser reduzida em aproximadamente R$ 4,8 bilhões por ano. A redução ocorre por causa do acréscimo das faixas anuais de faturamento, que tiveram um aumento de 50% sobre os valores anteriores. O limite de enquadramento no regime simplificado de tributação para as microempresas passa de R$ 240 mil para R$ 360 mil e o das pequenas empresas sobe de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões. Com a ampliação do Simples Nacional o número de beneficiados em 2012 deve ser de 5,6 milhões de empresas e empresários individuais, ampliando e traindo novos negócios e tirando muitos da ilegalidade. Mais uma lei que pode beneficiar o novo empreendedor é aquela que permite a abertura de uma empresa de responsabilidade limitada sem a obrigatoriedade de se ter um sócio. Para isso foi desenvolvido um novo tipo de pessoa jurídica, a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), que desobriga o empresário a buscar um sócio simplesmente para cumprir uma exigência legal para criação do seu negócio. A nova lei além de diminuir a burocracia também porá fim nas sociedades de "fachada", ou seja, aquelas onde um segundo sócio consta no contrato social, mas não tem nenhuma participação de fato na sociedade e no negócio.

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ Outra novidade que entra em vigor em 2012 é a exigência da Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT) para as empresas. A certidão será utilizada como comprovante da inexistência de débitos da instituição com a Justiça do Trabalho. A certidão negativa será exigida as empresas que participam de licitações públicas, sendo necessária uma atenção maior com relação aos processos e acordos trabalhistas, evitando possíveis surpresas no momento de se reunir a documentação para habilitação nos processos de licitação. Mais uma mudança que modificará a economia nacional é o aumento do salário- mínimo. Sancionada pela presidente Dilma Rousseff a nova lei irá permitir ao governo federal editar por decreto o valor do salário mínimo para os próximos quatro anos, injetando mais dinheiro para consumidores e empresas. As novas leis trazem benefícios e ônus às empresas, mas acima de tudo requerem planejamento e ações bem pensadas dos empresários para que o saldo em 2012 seja positivo para as empresas e a economia brasileira.

Por Geraldo Carlos Silvestre, diretor da Moore Stephens

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ CURSO DE DESIGN DO MOBILIÁRIO Voltadas para diversos tipos de público, aulas começam dia 12 de março em São Paulo A Oficina Arte Design está com vagas abertas para o Curso Livre em Especialização em Design do Mobiliário que acontecerá no primeiro semestre de 2012, na cidade de São Paulo (SP), entre os dias 12 de março e 11 de julho, todas as segundas e quartas-feiras, das 19h às 22h30. O curso que está em sua 24ª edição é direcionado para profissionais da área de marcenaria, design e arquitetura. Entretanto, como não exige nenhuma formação também pode ser frequentado por empresários, lojistas e pessoas que querem encontrar uma nova profissão. Conceitos de design na produção moveleira e os conhecimentos necessários para o desenvolvimento de produtos direcionados a diferentes segmentos de mercado e processos produtivos fazem parte da grade curricular. “Os alunos passam pelos estágios do desenvolvimento do produto teórico-conceitual, vivência criativa - um espaço para descobrir, aperfeiçoar ou amadurecer o potencial criativo - e finalmente a abordagem técnica, ou seja, como é concretizada a elaboração do móvel”, afirma a coordenadora do curso, Angélica Santi. Conhecimentos relativos às tecnologias, materiais e técnicas construtivas na produção artesanal e industrial – estruturas e ligações (encaixes e ferragens) apropriadas a diferentes escalas de produção e introdução aos conhecimentos de marketing, ao mercado moveleiro, e às tendências atuais, também fazem parte da grade. “Não é construído um móvel, mas o aluno tem um produto desenvolvido em todas suas etapas, sabendo para qual público deve oferecê-lo”, explica a coordenadora.

Serviço: OFICINA ARTE DESIGN Tel: (11) 30613972 oad@oficinaartedesign.com.br www.oficinaartedesign.com.br

Fonte: Daniela Drummond – Portal eMobile

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


NOTÍCIAS_________________ SEBRAE LANÇA PÁGINA DE SERVIÇOS FINANCEIROS NO FACEBOOK Espaço na rede social destaca informações e reportagens sobre o tema O Sebrae disponibilizou recentemente no Facebook a página Mercados e Finanças, onde os empreendedores podem ter acesso a informações da área. O espaço na rede social divulga notícias sobre o tema junto com a programação de cursos e eventos. “Levar informação sobre finanças e mercados, por meio das redes sociais, é mais uma iniciativa para facilitar o acesso dos donos de pequenos negócios ao conhecimento. A possibilidade de interação enriquece tanto o empreendedor quanto o próprio Sebrae”, afirma o gerente de acesso a mercados e serviços financeiros da instituição, Paulo Alvim. Nos primeiros dias após a criação da página, em janeiro deste ano, foram disponibilizados links de reportagens de diferentes veículos da imprensa sobre comércio eletrônico, marketing e financiamento de imóveis para micro e pequenas empresas. Acesse neste link a página Mercados e Finanças

Fonte: INCorportiva

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


INFORMAÇÕES JURÍDICAS___ O COMITÊ GESTOR DO SIMPLES NACIONAL (CGSN) APROVOU AS RESOLUÇÕES NºS 96 E 97, ENCAMINHADAS PARA PUBLICAÇÃO NO DOU A Resolução nº 96 estabelece que: a) Os tributos do Simples Nacional relativos ao período de apuração janeiro/2012 poderão ser pagos até 12/3/2012. O aplicativo de cálculo, denominado PGDAS-D, estará disponível em 5/3/2012. Esse prazo é válido também para o Microempreendedor Individual (MEI). Caso o MEI queira aproveitar o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) que porventura tenha emitido, relativo ao mês de janeiro/2012, poderá quitá-lo, desde que até o vencimento original (20/2/2012). Na hipótese de querer usufruir do novo prazo, deverá aguardar a atualização dos sistemas para emitir novamente a guia de pagamento. b) A DASN-2012, relativa ao ano-calendário 2011, poderá ser entregue pela ME ou EPP até 16/4/2012. O aplicativo estará disponível em 1/3/2012. O prazo de entrega da DASN-SIMEI relativa ao ano-calendário 2011 não foi alterado, devendo tal declaração ser entregue pelo MEI até 31/5/2011. A Resolução nº 97 estabelece critérios para prorrogações de vencimento em municípios que tenham reconhecida a situação de calamidade pública em decreto estadual. Nesse caso, serão prorrogados, por 6 (seis) meses, os tributos relativos ao mês da ocorrência do evento e de dois meses subsequentes. Para as situações de calamidade pública ocorridas antes de 16/4/2012, o prazo de entrega da DASN-2012 para as empresas sediadas nos municípios atingidos ficará prorrogado para 30/6/2012. A Secretaria-Executiva do CGSN formalizará as prorrogações em casos de calamidade pública a partir da recepção dos decretos por parte dos Governos Estaduais.

Fonte: Norbert Adolf Heinze (Fiep)

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


INFORMAÇÕES JURÍDICAS___ Clique e Confira

RESUMO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Informativo elaborado pelo Departamento de Assuntos Legislativos da FIEP, n°6 de 2012. Resumo do Diário Oficial da União e do Estado.

NOTÍCIAS LEGISLATIVAS FEDERAIS E ESTADUAIS Informativo elaborado pelo Departamento de Assuntos Legislativos da FIEP, n° 5 de janeiro/2012.

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

Fonte: Revista RG Móvel

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

www.clubeindustria.com.br

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br


OPORTUNIDADE___________

Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Estado do Paraná Av. Sete de Setembro, 4698 Cj. 1601/1602 Batel – Curitiba PR CEP 80240-000 Fone/Fax: 41. 3342.5052 www.simov.com.br I simov@simov.com.br

Informativo 63  

Informações da semana