Issuu on Google+


The Stubborn Suitor

[PROXIMO]



Rosas & Livros http://rosase-book2.blogspot.com.br/

ADRIANE RAQUEL ERIKA BIANCA

LEIDIANE ANNA KAROLINA ALANNA M. ANGELA.

: FANNY


1

Drew Drew se mexeu em seu assento desconfortavelmente. Este era suposto ser um "café da manhã informal entre amigos." Na verdade, foi uma reunião de negócios com James Cook, um potencial investidor em sua empresa. No entanto. Em vez de uma reunião simples em seu escritório, Cook tinha insistido nesse "café da manhã informal entre amigos" que incluía sua esposa Nancy e sua filha Analise, nenhuma das quais estava na pequena lista de Drew daquelas que ele realmente considerava amigos. Alguns outros investidores da firma de Cook tinham aparecido também, e Drew não podia deixar de se sentir inquieto sob todo o escrutínio. Os homens estavam cedendo a Cook, rindo de suas piadas sem graça e flertando com sua esposa e filha apenas o suficiente para ser lisonjeiro. Drew tomou um gole de água enquanto tentava o máximo sorrir e parecer animado por estar lá. Ele realmente estava, afinal, entusiasmado com a perspectiva do investimento. Se ao menos pudesse ser tratado do negocio da maneira normal - nas


salas de reuniões com contratos. Não aqui, em um sol de rachar do pátio de verão dos Cook, fingindo interesse pela última aquisição de arte de Nancy. "Eu realmente não entendo", ela estava dizendo com uma espécie de falsa-humildade que Drew achou patético. "Parece pintura em tela para mim. Mas o negociante estava delirando sobre o artista. Algum gênio faminto que começou a pintar enquanto ele estava sem teto, eu acho. Provavelmente estou fornecendo é dinheiro para suas drogas, mas o fazer o que? As cores realmente combinam com minhas cortinas no hall de entrada. ” Drew mordeu a bochecha para evitar fazer uma careta quando risadas educadas soaram em torno da mesa. A maneira como os Cook comparavam constantemente a pobreza à criminalidade era altamente ofensiva para Drew, que tinha crescido bastante pobre. Drew tinha trabalhado muito duro para conseguir sua bolsa de estudos em Harvard e, em seguida, tinha construído a sua empresa a partir do nada e a transformado em uma corporação de vários bilhões de dólares. E nesse tempo, ele nunca esqueceu suas raízes. Na verdade, a cada mês uma grande porcentagem de seu salário ia para instituições de caridade - completamente anonimamente, é claro. E era sua companhia - seu bebê, que ele tinha passado a última década construindo com muito esforço- que o manteve quieto e em seu assento, enquanto tudo dentro dele ansiava se levantar e se afastar dessas pessoas frívolas. Apenas mais algumas semanas, ele disse a si mesmo enquanto tomava outro gole de água. "Está tudo bem, Drew?" A voz suave de Analise sussurrou em seu ouvido enquanto sua mão se aproximava para massagear seu pescoço. Evidentemente, ele não estava fazendo um trabalho tão bom na sua expressão neutra como ele pensava que estava. "Eu estou bem," Ele mentiu quando ele se virou para ela com um sorriso falso. "É só o calor. Eu deveria ter usado um terno mais respirável. Não imaginara que seria uma refeição ao ar livre. " "Oh me desculpe" ela respondeu com uma exagerada expressão de arrependimento. "Vamos para dentro para você se refrescar um pouco." Sem esperar por uma resposta, Analise se levantou e enfrentou o resto das pessoas na mesa. "Drew está sentindo calor, então vamos entrar um pouco." Levou todo o autocontrole de Drew para não praguejar. “Claro, minha querida. ” Disse Nancy com um sorriso satisfeito.


Drew então não teve escolha senão levantar e oferecer seu braço a Analise. Cook deu a Drew uma piscadela de conhecimento enquanto sorria para os dois também. Drew sabia que os Cook estavam tentando empurrá-lo para a sua filha, talvez acreditando que seria mais fácil fazer negócios com um genro. O descaramento de James Cook em usar sua filha para garantir um empreendimento bem-sucedido apenas reconfirmou a já existente baixa opinião que Drew tinha do homem. E porra, não era como se Analise se importasse de ser usada por seu pai. No momento, ela se inclinava para ele desnecessariamente, de modo que seus pequenos seios estavam pressionados contra seu braço enquanto caminhavam para dentro da casa. Sua estrutura naturalmente alta era levantada ainda mais por saltos de seis polegadas, de modo que ela estava quase tão alta quanto o próprio Drew. Ela era linda - Drew admitia isso. Afinal de contas, ela era uma modelo - magra e esbelta, com maçãs do rosto altas e traços faciais delicados. Mas ela também era fria e mimada e quase tão ignorante e presunçosa quanto seus pais. Em outras palavras - definitivamente não era o seu tipo. Na verdade, ela era o oposto do seu tipo de mulher. Drew não podia deixar de lembrar-se da mulher que era seu tipo - a mulher que era tudo o que ele sempre quis em uma parceira. Cami era absolutamente linda, com uma pequena estrutura delicada que ele poderia facilmente levantar e pressionar contra uma parede. E, no entanto, ela tinha sido abençoada com curvas - grandes seios voluptuosos e quadris largos e sensuais. Seu rosto era de tirar o fôlego, com grandes olhos verdes e lábios carnudos. E Cami não era apenas um corpo sexy. Sua personalidade era tão ardente quanto seus longos cabelos ruivos. Ela era forte, independente e engraçada como o inferno. Mas ela também era doce e carinhosa. Ela realmente era, em tudo, a mulher perfeita. Exatamente o tipo de mulher que Drew queria para uma esposa. Esse era o problema. Cami não era o tipo de mulher com que você enganava ao redor. Ela não era uma brincadeira de fim de semana - era a garota que você levava para casa para conhecer sua mãe. Ela mesma, era uma mãe solteira, bem como uma enfermeira em tempo integral. E ela estava prestes a começar uma desagradável batalha de custódia judicial com seu ex-marido. Ela merecia alguém que poderia estar lá para ela, que poderia ama-la e tratá-la do jeito que merecia. E, infelizmente no momento, Drew não podia ser esse homem. Porra, ele estava tão perto de conseguir tudo pelo qual batalhara pela sua empresa e já havia sacrificado tanto, para recuar agora. Ele não tinha tempo nem energia, para ser o homem que Cami precisava, muito menos o homem que merecia. Então ele se afastou. Ele tinha fugido, sem deixar sequer uma nota para trás.


No interior fresco da casa, Drew afundou no sofá estofado dos Cook, os pensamentos sobre Cami ainda frescos em sua mente. Analise se moveu para sentar-se ao lado dele - um pouco perto demais para ser apropriado. "Você poderia me dar um pouco de água?" Ele perguntou em uma tentativa de redirecionar sua atenção. Ele realmente não queria estar tão perto de Analise, especialmente quando lembranças da sua doce Cami estavam passando por sua cabeça. Mas ele não podia se dar ao luxo de ofendê-la também, não com este negócio em jogo. Analise assentiu e se dirigiu para a cozinha, enquanto Drew suspirou e puxou seu telefone. Ele olhou para o número de Cami. Ele realmente sabia que deveria deixá-la sozinha, permitir que ela continuasse com sua vida e encontrasse alguém que pudesse lhe dar tudo o que ela merecia, e muito mais. Infelizmente, ele não achava que era suficientemente forte - ou altruísta o suficiente para fazer isso.


2

Cami Cami tinha acordado antes do alarme do seu despertador, o estresse da próxima audiência preliminar com seu ex-marido, Ken, e seus advogados, pesando fortemente em sua mente. Ken estava tentando conseguir custódia total da sua filha, o que era uma piada completa em sua opinião – sendo que ele mal passava mais dois fins de semana por mês para vê-la. Sim, Ken tinha mais dinheiro e mais conexões do que Cami, mas ela faria o que fosse necessário para manter a custódia da sua pequena de dois anos. Ken era um alcoólatra e um homem irresponsável. Mesmo se ele estivesse prestes a se casar novamente, ele não merecia ficar com Madison. Cami rolou na cama e olhou para o travesseiro amarrotado ao seu lado em confusão por alguns momentos antes de memorias da noite anterior vierem piscando para ela. Drew a ligara do nada e convidara-a para jantar fora. Ela ficara surpresa ao ouvir dele depois do tratamento quente e frio que ele lhe dera na casa de praia de sua melhor amiga no final da semana anterior. A família de Maggie tinha sido anfitriã de uma grande reunião, onde ela e Drew imediatamente se deram bem.


No entanto, quando outras pessoas estavam por perto, ele se transformava em uma pessoa completamente diferente - uma pessoa que ela realmente não gostava em todo. No entanto, apesar de suas aparentes múltiplas personalidades, Cami não tinha sido capaz de negar a química que sentira. Mas isso era o suficiente para construir um relacionamento? Mesmo depois de sua incrível noite juntos, ela não foi capaz de decidir se realmente gostava ou não de Drew. E ontem à noite realmente tinha sido incrível. Eles saíram para jantar, então ela o convidou de volta para sua casa para tomar umas "bebidas", que se transformou em sexo de tremer a terra. Ela adormeceu em seus braços, mas, uma vez acordada, Cami percebera que o lugar de Drew ao lado dela na cama já estava frio. Ela ficou quieta por um momento, escutando os sons para ver se Drew estava na casa. Quando ela não ouviu nada, Cami saiu da cama e foi procurá-lo. A casa era pequena, por isso levou apenas alguns minutos para confirmar o que ela já sabia: Drew se fora. E o que era ainda pior, ele tinha pulado fora sem sequer deixar-lhe uma nota. Agora, Cami estava enrolada em seu sofá, soluçando em uma xícara de café e se sentindo ainda pior do que ela tinha sido no dia anterior. Não só ela tinha o estresse de sua audiência de custódia em apenas algumas horas, mas ela também se sentiu usada e abandonada por Drew. “Seja o for ” ela disse em voz alta enquanto se levantava para vestir-se e preparar-se para seu compromisso. "Eu não preciso de um homem na minha vida agora de qualquer maneira - especialmente não um tão pouco confiável como Drew Maldito Sloane. Estou melhor sem ele.. ” Ela realmente queria dizer aquelas palavras, mas não podia evitar a picada que sentia por sua rejeição. Mas ela empurrou aquela dor de lado quando se dirigiu para o escritório do advogado no centro da cidade. Ela tinha o suficiente para se preocupar, afinal. Em sua lista de prioridades verdadeiras, a partida covarde de Drew era bem baixa. Ken era um alcoólatra irresponsável, mas também era extremamente rico. Ele era de uma família milionária e tinha os recursos e conexões para conseguir o que queria. Ele tinha feito exatamente isso durante o divórcio, saiu do casamento sem ter que dar qualquer apoio financeiro a ela ou a sua filha - mesmo que ele tivesse sido o único a trair Cami. Ela não tinha sido capaz de provar isso e acabara sendo acusada de ser a única a deixá-lo, como a total "culpada" do divórcio. Tinha sido afortunada por ter conseguido a custódia total, embora isso só tivesse acontecido porque Ken não tinha estado interessado em mais qualquer tempo com Madison. Mas agora ele estava se casando de novo. E ele queria uma pequena família perfeita para apresentar ao mundo. Mesmo enquanto pressionava por mais custódia, Cami


sabia que Ken só via Madison como uma propriedade, algo para possuir e mostrar aos demais. Ele não queria a custódia para passar mais tempo com sua filha. Ela seria meramente um adereço usado para encenar uma vida "normal" - e, portanto, "aceitável" para o mundo exterior. Eles estavam se reunindo no escritório do advogado de Ken - um prédio grande e imponente no centro da cidade. Ela sabia que o local de encontro intimidante era apenas outra tática usada para lançar Cami fora de seu jogo. E, por mais que odiasse admiti-lo, estava funcionando. Ela estacionou sua velha e enferrujada Toyota no estacionamento do prédio, que estava cheio de Porsches e BMWs, tentando não se sentir fora de lugar. Assim que entrou no saguão, sentiu-se mal vestida. Seu cabelo estava penteado para trás em um coque, e ela estava vestindo um par de calças e um blazer comprado na Target. A mulher que entrou no elevador ao lado dela estava carregando uma bolsa Chanel, tinha o cabelo loiro perfeitamente penteado, profissionalmente escovado, e usava um terninho de grife. Ela olhou indulgentemente para Cami antes de se tornar completamente fixada em seu telefone. Cami não podia deixar de se perguntar se a mulher era mais um obstáculo propositalmente colocado em seu caminho a fim de afugenta-la. Ela sacudiu a cabeça ligeiramente para se livrar do pensamento antes que pudesse causar-lhe mais estresse. Ela sabia o suficiente por experiência - esse tipo de pensamento só a faria se sentir como uma louca. O advogado de Cami, Michael McKenzie, esperava-a sozinho na sala de conferências e não fez nada para acalmar seus nervos enquanto se sentava. Ele parecia tão desambientado quanto ela se sentia, Michael vasculhava nervosamente através de alguns papéis. Ela não poderia ajudar, mas lembrou-se do serviço de baixa qualidade que ele tinha fornecido durante o seu divórcio. No entanto, ele era tudo o que ela podia pagar no momento. "Olá," ela disse com um sorriso, tentando parecer confiante. "Senhora. Hendricks, "ele respondeu, oferecendo-lhe um sorriso frágil. “Que bom vê-la de novo, embora sinto muito que seja por tais circunstâncias. ” Cami apenas acenou com a cabeça. Antes que ela e Michael tivessem tempo para conversar, Ken e seu advogado entraram na sala. Cami ficou surpresa - e mais do que um pouco chateada - ao ver que a noiva de Ken, Natalie, também estava presente. Natalie realmente não tinha nada a ver com isso, na opinião de Cami. Na verdade, Cami culpou Natalie, em parte, por esta batalha estupida de custódia.


Não ajudava em nada que Natalie realmente parecia se encaixar aqui. E por que ela não iria? Ela era alta, magra, elegante, e rica. E, bem como a senhora no elevador, ela estava vestindo um vestido de grife perfeitamente adaptado com um casaco combinando. Seu cabelo loiro caia em torno de seus ombros em cachos perfeitos, e sua maquiagem parecia ter sido aplicada profissionalmente. Por essas razões, Cami teve dificuldade em gostar de Natalie. Mas acima de tudo isso, Natalie estava prestes a casar com seu ex-marido - e com certeza estivera dormindo com ele antes que ele e Cami tivessem separados. Cami não podia se controlar, detestava aquela mulher. Natalie tinha que saber tudo sobre a devassidão bêbada de Ken, então ou ela era uma escavadora de ouro que não se importava se ele era um adúltero alcoólatra, ou era tão depravada quanto ele. Cami se perguntou se era algo que ela nunca tinha considerado antes: e se Natalie fosse muito estúpida para ver quão prejudicial o comportamento de Ken era? Será que ela não tinha a força de caráter para querer algo melhor para si, ou ela era realmente incapaz de ver quão miserável a vida com um alcoólatra poderia se tornar? De qualquer maneira, Cami não queria Natalie em torno da sua filha. "Bem-vindo", o advogado de Ken estava dizendo. Ele continuou a falar, mas os olhos e a atenção de Cami estavam em Ken e Natalie, que estavam de mãos dadas acima da mesa quando se sentaram diante dela. Cami ficou surpresa - Ken nunca tinha demonstrado afeto publicamente enquanto estavam casados. Ele nunca tinha sido muito afetuoso em particular. Na verdade, Cami provavelmente poderia contar com ambas as mãos os momentos em que ele havia segurado suas mãos nos anos em que estiveram juntos. E, no entanto, ali estava ele agora, embalando os dedos requintadamente bem cuidados de Natalie dentro dos seus enquanto o polegar acariciava gentilmente seus nós dos dedos. Eles estavam sorrindo docemente um para o outro enquanto o advogado deles falava. Cami sentiu que iria ficar doente, então ela tentou forçar sua atenção de volta para o homem falando. Gil Dubois não era apenas o advogado de Ken, mas também um amigo íntimo da família. Ela tinha chegado a conhecê-lo um pouco durante seu tempo com Ken, embora ela nunca tivesse gostado do homem. Ele sempre pareceu bajulador para ela, e ele parecia ainda mais agora, quando ela se sentou em frente a ele, listando todas as razões pelas quais seu cliente merecia a custódia total da sua filha. "Minha cliente já recebeu a custódia total", seu advogado, Michael, falou após Gil ter terminado. "A decisão já foi feita por um juiz e ainda está de pé. Não há absolutamente nenhuma razão para pedir uma mudança neste momento. "


"O acordo de custódia, como está agora, só foi permitido porque meu cliente acreditava, na época, que era do melhor interesse da criança ficar com a mãe. No entanto, ele agora sente que a criança estaria melhor em seus cuidados, ao invés dos da Sra. Hendricks ", Gil retrucou. “O quê? ” Gritou Cami. "Isso é ridículo." Michael colocou uma mão no antebraço de Cami e sacudiu a cabeça, advertindo-a a manter a calma. Eles tinham falado o que seria discutido de antemão, e Cami tinha sido avisada para não falar durante a reunião real. Se ela tivesse algo a dizer, Michael aconselhou-a a falar calmamente com ele e permitir que ele falasse por ela. Cami queria dizer mais, mas em vez disso, ela fechou a boca e cedeu para os advogados. “Em primeiro lugar ” respondeu Michael, “minha impressão é que seu cliente não recebeu mais custódia no momento do divórcio por causa de seu comportamento irresponsável e errático, assim como sua dependência alcoólica. ” "Embora seja verdade que meu cliente tenha lutado contra o abuso de substâncias no passado", Gil respondeu, "ele passou por tratamento, que esta todo documentado, e tem estado sóbrio por quase dois anos." Cami tentou não rir, sabendo que nada daquilo era verdade. Ela tinha visto Ken bêbado com seus próprios olhos no último ano. Mas ela ficou quieta, sabendo que revelar essa informação não ajudaria no momento. Não era como se ela tivesse alguma prova. “Em segundo lugar ” disse Michael, ignorando a réplica de Gil “ como já foi mencionado, a custódia já foi concedida a minha cliente, e não há nada que indique que não é do melhor interesse da criança ficar com a mãe. ” "Meu cliente sente que as longas horas de trabalho da Sra. Hendricks e horários irregulares são prejudiciais para a criança", retrucou Gil. "Tal como está agora, a criança é deixada frequentemente com uma babá até tarde da noite, e nos fins de semana. Devido a isso, meu cliente acredita que o melhor interesse da menor seria viver principalmente com ele e sua esposa, uma vez que a criança estaria em um ambiente que é estável e constante”. Cami mordeu o lábio. Era tudo o que ela podia fazer para não gritar. As alegações eram completamente ridículas, mas ela esperava isso. Sim, desde que ela se formara enfermeira, sua carga horaria de trabalho requeria longas horas durante a semana e, muitas vezes, à noite e nos fins de semana. Mas ela dava turnos de dez a doze horas no hospital, a fim de trabalhar apenas três dos quatro turnos semanais. E durante esse tempo, Madison estava sempre com a mãe de Cami, e não com uma estranha.


"Embora o horário da minha cliente seja um tanto irregular," Michael respondeu, "ela muito raramente trabalha mais do que quarenta horas semanais. E durante esse tempo, Madison está com sua avó, a mãe de Cami. Ela ainda está com a família. ” "Seja como for, mas a criança ainda está fora de casa por longos períodos de tempo, muitas vezes até tarde da noite, o que pertuba seu horário de sono e sua rotina regular. Meu cliente sente que pode proporcionar uma vida cotidiana mais consistente para a filha. Como é óbvio neste momento que nenhuma conclusão pode ser alcançada hoje, eu sugiro que nós avancemos com o julgamento. " Cami sentiu como se ela tivesse levado um soco no estômago depois de ouvir aquelas palavras. Ela esperava que, depois que seu advogado tivesse falado sobre as coisas, Ken veria como ele era inapropriado para cuidar da sua filha, e o quanto Madison estava melhor sob os seus cuidados. Não era como se Ken quisesse Madison como algo além de um troféu, uma maneira de provar que ele tinha uma pequena família perfeita. No entanto, estava ficando evidente que ele não iria parar de perseguir isso. Cami não tinha certeza se tinha as finanças para continuar com a batalha judicial, mas não havia nenhuma maldita maneira dela abandonar a custódia total da sua filha. Em vez disso, ela se virou para Michael e assentiu, dando-lhe permissão para seguir em frente também.


3

Cami Cami foi capaz de conter suas emoções - embora apenas um pouco- até que estivesse na segurança do seu carro. Ainda no estacionamento, parada entre dois carros, que cada um provavelmente custava o dobro de seu patrimônio líquido, Cami finalmente deixou escapar um soluço. Esse soluço foi seguido por outro até que ela estava soluçando alto enquanto as lágrimas caiam copiosamente pelo seu rosto. Não era justo que, so por causa da riqueza de Ken, ele pudesse conseguir o que quisesse, merecido ou não. Ele poderia ganhar a custódia total de Madison simplesmente porque tinha mais recursos e conexões do que ela. Cami não tinha dinheiro para uma longa batalha judicial. E a família de Ken conhecia muitos dos juízes na cidade – havia sempre uma chance de que fosse nomeado um juiz que devia à família Bellamy algum favor. Pela primeira vez, Cami realmente começou a temer que perderia Madison. Madison, que ela havia criado, não Ken. Ken mal há visitava quatro dias por mês. Ela esteve lá para Madison durante as mudanças de fraldas noturnas, através da dentição e


treinamento do vasinho. Onde estava Ken quando Madison estava com febre? Ou quando ela teve um sonho ruim e precisava ser consolada e ninada ate voltar a dormir? Não era mesmo o medo de se sentir um fracasso como mãe - toda a sua vida girava em torno de sua filha. Madison era tudo para Cami, e ela simplesmente não podia perder sua amada menininha. E não era apenas por razões egoístas que Cami temia uma mudança na custódia. Ela honestamente não acreditava que Madison estava segura com Ken e Natalie. Eles podiam ter muito dinheiro para cuidar de uma criança, mas eles definitivamente não tinham maturidade, compromisso ou amor - não importava o tipo de exibição melosa que eles estiveram desempenhando esta manhã. Cami conhecia Ken e sabia que ele não era homem suficiente para criar sua filha. "Isso não vai acontecer," Cami disse para o seu painel, forçando-se a se acalmar. "Isso não vai acontecer! Eu não vou deixar isso acontecer. Não importa o quê, Ken não vai ganhar! " Cami respirou fundo e concentrou-se em acalmar sua mente. Ela pensou no sorriso arteiro, nos cabelos louro morango e nas sardinhas adoráveis no rosto de sua filha - a filha que ela seria capaz de ir buscar no apartamento de sua mãe assim que estivesse calma o suficiente para fazê-lo. Ela enfiou a mão na bolsa e tirou o telefone, precisando olhar para a foto de Madison que mantinha como sua tela de bloqueio. Ela estava estrategicamente colocada lá para trazer um sorriso ao seu rosto. Mas, logo que ela estava com o telefone na mão, ele começou a tocar. "Falando no diabo", disse ela, olhando para o nome de Ken. Ela debateu se devia ou não atender, mas talvez estivesse chamando para se desculpar. Talvez ele tivesse percebido que ele não era responsável o suficiente para ficar com Madison. "Olá, Ken," Cami disse calmamente depois que aceitou a ligação. "Cami, ei," Ken disse calorosamente. Seu tom jogou-a fora especialmente considerando o silêncio gelado entre os dois durante o encontro. "Como você está?" "Eu já estive melhor," ela disse, embora ela estivesse tentando deixar sua voz em um tom confiante. "Sim," ele respondeu. "Desculpe-me por isso. Hoje foi exaustivo. " "Sim. "ela concordou. “O que você quer, Ken? ” "Eu só ... eu odeio isso ... nós dois sentados na mesa, como se fossemos estranhos. Fomos casados por anos, pelo amor de Deus. ”


Cami soltou um suspiro de alívio - o primeiro verdadeiro alívio que sentira em semanas. Ken estava recuando. Ela tinha chamado seu blefe, e agora ele estava recuperando seus sentidos. Tudo isso acabaria em breve. "Sim ..." Cami respondeu depois de um momento, sua voz aquecendo. "Foi estranho. Então, o que você sugere? " Ela mordeu o lábio, esperando por Ken admitir que ele estava errado - que ele não estava pronto para a custódia total. Ela estava mesmo disposta a oferecer mais de um fim de semana por mês, se ele realmente pensasse que estava preparado para isso. Ela podia se dar ao luxo de ser generosa agora que sabia que esse pesadelo tinha acabado. "Escute, Cami, nós dois sabemos que você não tem os recursos para uma longa batalha no tribunal." "Sim," Cami respondeu, querendo que ele chegasse ao ponto - que ele chegasse as desculpas. "Eu odiaria ver você desperdiçar todo o seu tempo ou dinheiro com isso." "Eu também." "É por isso que eu realmente acho que todos nós devemos ser adultos sobre isso." "Eu concordo totalmente," ela disse, um sorriso se espalhando em seu rosto. “Ótimo ” disse ele. "Fico feliz em ouvir isso. Estou feliz por você ter voltado a sua razão. " "O quê?" Cami quase deixou cair o telefone em confusão. "O que você quer dizer com 'vir a meus sentidos'?" "Cami, você não vai ser capaz de pagar por uma longa batalha no judicial. Você sabe que vou ganhar. " "Merda, desembuche logo? "Cami exigiu, o medo lentamente rastejando de volta em seu peito. "Estou apenas sugerindo que você seja razoável, que lidamos com isso como adultos. Madison estará bem melhor comigo. ” "Porra, não!" Cami respondeu, absolutamente incapaz de ser madura nesse momento. "Você é o único completamente irracional. Madison não ficaria melhor com você. Você mal consegue lidar com a custódia como é agora. "


"Isso não é verdade. E, com Natalie em casa, Madison não terá que ser carregada ao redor em todas as horas da noite. Além disso, podemos nos permitir contratar uma babá se precisarmos disso. " "Madison não precisa de uma babá", gritou Cami no telefone. “Ela precisa de sua família. E isso não inclui Natalie! " "Diabos, Cami," Ken disse, soando exasperado, mas não tão aborrecido quanto Cami estava. "Seja razoável e adulta. " Essa foi a última gota d’água. Ela não podia lidar com ele dizendo-lhe para ser razoável ou madura mais uma vez. "Você está certo," ela rosnou com os dentes cerrados. "Eu preciso ser mais razoável e adulta sobre isso. É por isso que eu não deveria estar falando com você. Você não deveria ter me ligado. E isso não vai acontecer novamente. Da próxima vez que você tiver algo a me dizer, peça ao seu advogado para entrar em contato com o meu, seu imbecil”. Com isso, Cami desligou o telefone. Deixando-o cair em seu colo enquanto tomava profundas e calmantes respirações. Os exercícios de respiração não estavam funcionando, no entanto, e logo se transformou em pânico. Agora sentia-se pior do que antes do telefonema - ainda mais desesperada. Se Ken pensava que poderia simplesmente chamá-la e pressiona-la para que deixasse a custódia da sua filha, ele devia realmente pensar que ela não tinha chance de vencer. Seu pânico foi interrompido pelo toque de seu telefone no colo. Sem pensar duas vezes, ela atendeu a ligação sem olhar para tela do celular e o levou ao ouvido. "Escuta, seu bastardo," ela rosnou, "Cansei de escutar suas merda. Não quero ouvir sua voz novamente. Se você tem algo a dizer, faça-o através de nossos advogados. Você me entendeu, Ken? ” A linha ficou em silêncio por um momento. Ela supôs que tinha surpreendido Ken com sua declaração veemente. Ele não estava acostumado a não conseguir o que queria. "Hum ..." veio uma voz muito diferente da qual ela esperava. "Na verdade, é Drew, Cami." Cami fez uma careta, de repente extremamente envergonhada. Só quando ela pensou que seu dia não poderia ficar pior. "O que você quer?" Ela retrucou, incapaz de dar uma resposta educada. "Porra... ... Eu só ..." "Você saiu esta manhã - extremamente cedo, eu poderia acrescentar, quando acordei as 6:30, seu lado da cama já estava frio. Não deixou nem mesmo uma maldita nota.


Mais foi bom, no entanto Drew. Eu superei. Eu sei que sou muito para você lidar especialmente agora. Eu sou uma mãe solteira – o que não é realmente uma aventura casual ideal. " "E o que a faz pensar que quero uma aventura casual?" Drew respondeu, com humor em sua voz. Isso fez Cami ficar ainda mais irritada. Ela tinha tido conversas suficientes com homens arrogantes hoje. "Porque, como eu acabei de dizer, você fugiu da minha casa, praticamente no meio da noite, sem sequer deixar uma nota. Eu realmente preciso explicar o que isso implica? Ou você pode pegar as pistas do contexto? " "Não foi no meio da noite", disse ele, ainda parecendo divertido. "Era por volta das cinco e meia. E lamento sobre a falta de uma nota. Eu estava com pressa. E não tinha planejado ficar a noite toda, tinha um pequeno café-da-manhã de negócios às sete. Tive que ir para casa, tomar banho e ficar pronto. ” Cami mordeu o lábio, de repente se sentindo um pouco mal por tratar Drew tão duramente. Talvez ele realmente não tivesse fugido esta manhã. Talvez ele realmente tivesse tido uma razão para sair tão cedo. Ainda assim, foi o comportamento clássico de Drew - quente em seguida frio, interessado e então indiferente, que ela não precisava. Ela estava cansada de andar naquela montanha-russa particular de emoções, não importava o quão quente o sexo com ele fosse. "Seja como for," Cami respondeu, "mas eu simplesmente não tenho tempo no momento para jogos. Não estou procurando nada casual e eu tenho a impressão de que você não está interessado em nada sério. Então eu digo que chamamos isso de sorte, lembre-se da noite que compartilhamos com carinho e vamos seguir nossos caminhos separados. " A linha ficou em silêncio por alguns instantes. Cami imaginou que a conversa não estava indo do jeito que Drew pretendia. Bom, ela pensou. Pelo menos ela conseguiu o melhor sobre um homem hoje. "Porra e se eu não quiser isso?" Ele perguntou, fazendo Cami dar uma pausa em seu entusiasmo. "O que você quer, Drew?" Ela perguntou exasperada. "Merda ... eu não sei. Mas eu gosto de você e quero vê-la de novo. " " Eu não acho que seja uma boa ideia. " "Por quê?"


"Eu já expliquei por que," ela disse, cada vez mais frustrada. "Eu não quero nada casual, e você não sabe o que quer. Não posso lidar com isso, não agora. Eu tenho muitas outras coisas acontecendo. Eu não preciso desse vai e vem com você. " "Mais uma chance. Por favor, Cami. Saia comigo amanhã à noite. Sem sexo, apenas jantar. Depois de amanhã à noite, se ainda não for o que você quer, eu prometo que a deixarei em paz”. Cami pensou nisso longa e duramente. O que ela estava dizendo a ele era verdade, ela não estava apenas tentando estourar suas bolas. Entre cuidar da sua filha, trabalhar em tempo integral e preparando-se para esta terrível batalha de custódia, ela não tinha tempo para jogos. Ela não tinha tempo para investir em qualquer coisa que não fosse a lugar algum. E Drew admitiu que nem sabia o que queria. Era mais provável que ela acabaria com o coração partido, e sua vida em mais caos do que já estava. Mas, por outro lado, ela precisava de uma maneira de liberar um pouco da sua tensão. A vida era dolorosamente intensa no momento, e se ela não se divertisse um pouco aqui e ali, ela temia que sua cabeça pudesse explodir. Além disso, a química que sentiam um pelo outro era inegável e o sexo era extremamente alucinante. Contanto que ela não se deixasse envolver demais ou ficasse apaixonada, talvez fosse uma coisa boa. "Tudo bem", ela disse depois de um momento, tentando não parecer muito animada com a perspectiva. Era bom mantê-lo na ponta dos pés, afinal. "Sério? Isso é um "sim"? Drew obviamente não estava tentando abafar sua excitação. "Sim," ela confirmou, permitindo que um pequeno sorriso aparecesse em seus lábios. ".Amanhã à noite. Sete horas. Eu vou busca-la baby." "Não se preocupe. Eu vou ter que deixar Madison com a minha mãe de qualquer maneira. Envie-me o endereço, e eu vou encontrá-lo lá. " Ela não mencionou que, se ele fosse busca-la e a deixasse, ela ficaria tentada a pedir que ele voltasse para casa com ela. Então, em vez disso, ela disse adeus e desligou antes que pudesse mudar de ideia. Ela ainda sentia como se estivesse cometendo um erro, mas merecia algum divertimento ... especialmente depois de hoje. "Só não se apegue a ele" ela disse a si mesma quando ligou o carro.


4

Cami A mãe de Cami concordou em ser babá no sábado à noite, para que Cami pudesse passar algum tempo com Drew, mas Madison não estava feliz com isso. Cami tinha estado trabalhando durante toda a semana, e Madison já passara quase cinquenta horas semanais com a avó. Cami podia ver como isso era perturbador - o sábado era geralmente seu tempo com ela. Mas Cami realmente precisava disso - especialmente depois da reunião desastrosa do dia anterior. Madison se agarrou a Cami e chorou enquanto saíam de casa, implorando para não ficar na casa da sua mãe. Isso quebrou o coração de Cami, e ela quase considerou cancelar seus planos para passar mais tempo com sua filha. Mas ela já tinha concordado com o encontro e ela não queria parecer contraditória, já que era uma característica da qual já se ressentia em Drew. Eu devo a mim mesma a chance de ver onde isso vai dar, pensou enquanto colocava o sinto na sua filha no assento do carro e tentava acalmá-la com um beijo na testa. Além disso, Cami estava sob tanto stress que estava preocupada que inconscientemente fosse descontar suas frustrações em sua filha se não se permitisse tirar um tempo para relaxar e descontrair. Ela precisava de um pouco de diversão - que beneficiaria à


ambas. Ela sabia que ela seria uma mãe muito melhor se não estivesse constantemente estressada sobre a batalha pela custódia. Ela se lembrou de tudo isso enquanto dirigia para a casa da sua mãe. Infelizmente, sua mãe não era tão compreensiva. "Tudo bem?" perguntou sua mãe enquanto Cami carregava uma Madison choramingando para dentro do apartamento. "Está tudo bem", Cami respondeu depois de colocar sua filha na frente da TV, que estava passando seu filme favorito da Disney na tela da mesma. "Ela só esta... um pouco cansada. Estivemos no parque por um longo tempo hoje, e ela não conseguiu dormir o suficiente. Ela vai estar dormindo dentro da próxima hora. " "Tem certeza de que realmente quer deixar Madison fora por mais tempo longe de você agora?", perguntou sua mãe, com as mãos nos quadris. “Você disse que faria isso por mim ” respondeu Cami, exasperada. "Eu fiz. Eu não me importo de ficar com ela. Eu só quero dizer ... com todas as questões de custódia e as acusações que Ken está fazendo, você tem certeza que agora é um bom momento para sair com seus amigos? " Cami prendeu a respiração e debateu se devia ou não contar à mãe sobre seu encontro. Por um lado, deixaria sua mãe em êxtase. Por outro lado, ela nunca iria parar de irritar Cami querendo mais informações. Ela decidiu ser honesta. "Eu não estou indo sair com meus amigos, mãe", ela finalmente admitiu. “Tenho um encontro. ” “Com essa roupa? ” Perguntou sua mãe depois de examiná-la por um momento. Cami respirou fundo, forçando-se a não permitir que as palavras da sua mãe a incomodassem. "Sim, mamãe, com essa roupa", ela respondeu, olhando-se no espelho. Ela não estava vestida mal, só não estava usando nada tao glamoroso. Ela usava um par de calças jeans e uma blusa, com o cabelo para trás em um rabo de cavalo, e muito pouca maquiagem. Ela estava bem, pensou. Ela teve que lidar com uma elétrica Madison durante toda a tarde. Além disso, ela não queria dar a Drew a impressão errada. Ela definitivamente não iria dormir com ele esta noite. Se ele não podia lidar com ela em seu estado natural, o relacionamento não precisava seguir em frente. Esta noite seria um teste de varias maneiras.


"Eu só acho que há melhores opções. Você sabe que vestidos melhor favorecem seu corpo, já que você não consegue perder peso. Seus jeans apenas acentuam seus quadris e bunda grandes, e não é nada bonito querida " "Eu amo meus quadris e bunda" Cami respondeu com raiva. Ela não acrescentou que Drew já tinha visto seu corpo completamente nu e também parecia amar suas curvas. Em vez disso, ela se virou e marchou em direção à porta. “Não voltarei tarde ” prometeu, fechando a porta atrás dela, sem dar a chance à sua mãe de responder. Ela realmente amava seu corpo, mas isso não fazia as palavras de sua mãe doerem menos, e ela estava de mau humor quando chegou ao restaurante, o mesmo era muito mais extravagante do que esperava, e Cami começou a questionar sua aparência casual. Drew não pareceu se importar, sorrindo calorosamente para ela quando a encontrou no saguão do restaurante. "Você está linda, baby", ele sussurrou em seu ouvido enquanto se inclinava para beijar sua bochecha. “Nossa mesa ainda não está pronta ” Ele disse um pouco mais alto, olhando para a anfitriã, que estava à poucos metros de distância. "Isso é bom," Cami respondeu, tanto para Drew quanto para a anfitriã. Ela estava tentando o seu melhor para não ficar nervosa. “Sua mesa estará pronta em um momento, senhor ” respondeu a anfitriã com um sorriso educado. "Eu tinha reservado uma mesa específica", disse Drew a Cami, ainda alto o suficiente para ser ouvido. “Mas devido a uma pequena incompetência ... ” ele enfatizou a palavra com um brilho em direção a anfitriã "foi dada a outra pessoa. Eles estão levando uma eternidade para conseguir uma outra pronta. " Cami, que havia esperado mesas na faculdade e entendia o que era, se encolheu. Ela ofereceu à anfitriã um sorriso de desculpas e não respondeu às palavras mordazes de Drew. Afinal de contas, não era culpa da pobre moça afinal de contas, e Drew estava embaraçando-a de proposito. Ela nunca o tinha visto ser rude com ninguém. Mas, recordou-se, vira-o rir das piadas elitistas que ela tinha ouvido na festa na praia de Emerson. Ela nunca o tinha ouvido dizer nada condescendente ou rude, mas os comentários e piadas de outros não pareciam ofendê-lo também. Ela pensou que ele era um esnobe na época. Talvez sua primeira impressão tivesse sido correta. Ele obviamente pensava que ele era melhor do que a pobre menina trabalhando no restaurante. Talvez ela devesse ter ficado em casa com Madison.


Antes que ela tivesse a oportunidade de se virar e fugir, no entanto, a anfitriã estava se aproximando deles. "Sua mesa está pronta", disse a garota com um sorriso, levando-os para a parte de trás do restaurante. “Porra eu pedi uma mesa perto da janela ” resmungou Drew quando a anfitriã parou em uma mesa no canto. “Desculpe, senhor. Esta é a unica que temos disponível. " Drew abriu a boca para discutir, mas Cami pisou na frente dele e sorriu para a menina. "Esta otima", disse ela. "Perfeita, na verdade. Muito particular e romântica. Certo, Drew? " Ela se virou para Drew com a sobrancelha levantada. "Se você gostou, isso é tudo que importa baby", ele respondeu, puxando uma cadeira para ela. Cami ficou em silêncio por um tempo, olhando para a lista de vinhos. "Vê qualquer coisa que gosta?", Perguntou Drew num tom mais suave. "Eu não sou muito conhecedora de vinhos," Cami respondeu secamente. "Que tal eu pedir uma garrafa para nós dois?" "Tudo bem, como quiser," Cami respondeu. Ela sabia que deveria tentar ser um pouco mais ser educada ou o encontro inteiro iria ser miserável, mas ela não conseguia se conter. Ela estava muito chateada com a maneira como ele tratou a anfitriã. Naquele momento, ele lembrou-lhe Ken, apenas outro cara rico mimado que pensava que era muito melhor do que a classe trabalhadora. Cami enterrou a cabeça no menu e mal prestou atenção quando Drew pediu o vinho ao garçom. Ela notou, entretanto, que ele fora muito mais educado com o garçom do que ele tinha sido para a anfitriã. Provavelmente tinha percebido seu desgosto e estava tentando voltar para suas boas graças. Mas ela não queria que ele tratasse bem as pessoas só por causa dela ... ela queria que ele fizesse isso porque era a coisa certa a fazer. Se esse encontro fosse realmente um teste, ele já teria falhado. O garçom trouxe o vinho, e Cami teve que lutar contra o desejo de fazer barulho com o vidro na frente dela. Ela e Drew se sentaram em um silêncio tenso e estranho por alguns minutos, cada um tomando seu vinho. Ela não tinha comido nada desde o café da manhã, e o álcool estava rapidamente subindo para sua cabeça. Quando o garçom voltou alguns minutos depois para tomar a seu pedido, ela tinha terminado o seu primeiro copo e estava a meio do segundo.


"Prontos para pedirem?" O homem perguntou com um sorriso. "Dê-nos um minuto", Cami respondeu, sentindo-se ousada. Assim que o garçom saiu, ela se inclinou para frente e continuou a falar para Drew. “Ouça, acho melhor irmos embora.. Podemos simplesmente chamar isso de um encontro falho e seguir nossos caminhos separados. " "Porra, não..por quê?", Respondeu Drew, surpreso. "Isso é estranho, e nós dois parecemos miseráveis", eu afirmei. Drew tomou um grande gole do seu próprio vinho, praticamente terminando o copo, antes de responder. " Nós tivemos um mau começo. Mas quero que isso funcione. " "Não é o que parece agora. Por que você me convidou para sair? Estamos apenas sentados aqui em silêncio. ” "Porque eu gosto de você ... muito. E então as coisas com Claudia tornaram tudo estranho e esquisito. Sinto muito ... vamos começar de novo.." Havia um monte de coisas confusas sobre essa declaração, então Cami decidiu questiona-las uma de cada vez. "Por quê?", ela perguntou. "Por quê?" Repetiu Drew, obviamente confuso. "Por que você gosta de mim?" Cami esclareceu. "Às vezes, parece que você gosta de mim, mas outras vezes, é frio. Isso é demasiado confuso Drew. Então eu quero saber por que você acha que gosta de mim. " "Eu não acho que gosto de você. Eu sei que faço, " Drew assegurou-lhe enquanto terminava sua segunda taça de vinho. Ele a bebeu antes de continuar. "Escute, não saiu em encontros com frequência. Não ... isso não é verdade. Eu nunca namoro. Não mais. Na verdade, não namorei ninguém desde o meu divórcio. "Você foi casado?" Cami perguntou. Isso era novidade para ela. "Sim. Faz uns quatro anos que estou divorciado. ” "Por que você não disse nada, quando eu estava falando sobre meu ex?" "Eu não queria me impor em seus problemas. E ... eu simplesmente não gosto de falar sobre isso. " " Por quê? O que aconteceu?" Drew estremeceu e terminou sua terceira taça de vinho. O garçom estava pairando no canto, esperando para tomar sua ordem, então Cami o conduziu para dar a Drew um momento para organizar seus pensamentos. Drew também pediu outra garrafa de


vinho, o que estava bom para Cami. Eles estariam lá por algum tempo - teriam muito tempo para ficarem sóbrios. Drew estava muito mais aberto quando ele estava bêbado. "Então ..." Cami perguntou uma vez que o garçom tinha desaparecido. “Realmente pensei que estivéssemos apaixonados ”admitiu Drew, olhando para o guardanapo. "Começamos a namorar logo depois que minha empresa começou a ganhar dinheiro. Essa deveria ter sido a primeira pista. Ela disse que queria filhos - que queria começar uma família comigo. Mas depois que estávamos casados, ficou evidente que ela realmente só queria gastar o meu dinheiro. Ela nem sequer gostava de crianças. E as crianças eram algo que eu não poderia imaginar minha vida sem. Começamos a discutir e, eventualmente, nos separamos. Foi muito feio no final. É tão fodido. Você acha que conhece alguém - ama alguém - então elas simplesmente se tornam toda outra pessoa. " "Às vezes, eu acho que eles sempre foram aquela pessoa", disse Cami, "e estávamos muito cegos pelo amor para ver a verdade." "Sim," ele disse com um sorriso triste. "Você está certa. Quero dizer, pegue a Claudia, por exemplo ... a anfitriã. " " Você conhece a anfitriã? " Cami perguntou, confusa novamente. "Sim ... ela é a melhor amiga da minha ex. Ela foi realmente rude comigo antes que você entrasse. Ela propositadamente "perdeu" a minha reserva e nós sentamos aqui no canto por despeito. E eu nem sei por que ... Gwen minha ex saiu por cima em nosso divórcio. Eu pensei que Claudia e eu éramos amigos. Quem sabe o que Gwen disse sobre mim? Eu realmente não vejo qualquer um de nossos velhos amigos mais. " Cami pensou na briga com a anfitriã sob uma nova perspectiva agora, fazendo uma careta pelo jeito que defendera a mulher que tratava Drew mal. Estendendo a mão, ela apertou a mão de Drew. "Eu realmente não falo com ninguém da minha antiga vida com Ken", ela admitiu. "Mas eu estou bem com isso. Eu fiz novos amigos e tenho Madison. Mas nossos amigos em comum realmente não tinham muito a ver comigo depois que não estava mais em seu nível de renda. " Agora era Drew que estava apertando a mão dela. "Isso, para responder à sua pergunta, é a razão pela qual eu gosto de você. Uma delas, de qualquer maneira. ” “O que é? ” Perguntou Cami.


"Que você não se importa com dinheiro. Sei que não se interessou por mim pelo meu dinheiro. Quer dizer, realmente não falei sobre o meu negócio com você, e você não pediu. Tenho certeza que você sabe um pouco de Maggie, mas você não tem tentado me impressionar nem nada. Você é completamente autentica quando esta comigo e aprecio sua força por lutar por sua filha, baby. " Cami sentiu o sorriso se espalhar pelo rosto com aquelas palavras. Ela ainda tinha algumas dúvidas - isso não explicava sua personalidade errática, quente e fria - mas ele definitivamente parecia sincero no momento. A comida chegou antes que eles pudessem dizer muito mais, e eles comeram em um silêncio confortável. "Então," disse Drew depois de um tempo, "como foi a reunião ontem?" Toda a tranquilidade e satisfação de Cami se evaporou ao mesmo tempo que sua mente voltava à realidade angustiante de sua vida. Ela soltou um pequeno suspiro. "Ruim", ela respondeu depois de um momento. "Muito ruim." "Eu sinto muito em ouvir isso," Drew disse, sua voz suave e gentil. "Você quer falar sobre isso?" Cami não tinha certeza de que sim, mas o clima já havia sido arruinado, e de qualquer forma ela não conseguiria tirar o assunto da cabeça agora, então ela assentiu. "Foi tão estranho, estar sentada em frente a Ken e sua nova noiva. Era como nós estávamos falando antes - você acha que conhece alguém tão completamente, então você se encontra sentado diante de um estranho. " Drew assentiu com a cabeça em compreensão, então Cami continuou. "Você sabe o que foi realmente horrível?" “O quê? ” Perguntou Drew. "Ele estava segurando a mão de Natalie - que é sua nova noiva. Ela estava lá, e ele estava sendo tão doce e carinhoso com ela. Ele nunca tinha sido assim comigo. E eu não posso ajudar, mas me pergunto se era o problema era eu ... se ele é capaz de amar, só não fora comigo, entende? E não ajudou que Natalie fosse mais nova, mais magra, mais alta e mais perfeita. "Você é perfeita Cami", respondeu Drew. Cami estava prestes a dizer-lhe para deixar de lisonjeá-la porque não estava ajudando, mas quando ela olhou para cima, a total sinceridade e paixão em seus olhos interromperam suas palavras. Então ela apenas sorriu e desviou o olhar novamente. "Então o que aconteceu? O que foi decidido? ”


"Absolutamente nada foi resolvido," Cami disse com desanimo. “O que significa que teremos que ir ao tribunal. Que vou desperdiçar mais tempo e dinheiro, e ele tera vantagem. Ugh ... e isso não é nem a pior parte. " "Qual é a pior parte?" Drew agarrou sua mão e deu um aperto suave. "Ele me ligou logo depois, enquanto eu ainda estava no estacionamento. Não nos dissemos nada durante a reunião, então ele me telefonou cinco minutos depois. Estava tão caloroso e amigável, que pensei que talvez ele tivesse recuperado os sentidos. Na verdade, eu estava completamente convencida de que estava ligando para me dizer que estava deixando o caso. Ele estava falando sobre ser maduro e razoável e lidar com coisas como um casal de adultos, e eu concordei. Então ele me disse para lhe dar a custodia total da nossa filha, acabei mando-lhe para ir a merda e não entrar mais em contato comigo, exceto através do meu advogado." "Bom," Drew disse, ainda segurando sua mão. “Foi quando eu liguei? Você estava um pouco chateada no telefone. " "Isso é um eufemismo", disse Cami com uma risada, pensando na maneira que ela tinha atendido Drew antes que percebesse que ele não era Ken. "Desculpe-me por isso. É realmente frustrante saber que ele acha que vou desistir e ceder sem o caso ir a julgamento. Realmente mina minha confiança. " "Isso é provavelmente exatamente o que ele quer baby", disse Drew. “Talvez ele esteja com medo e realmente não pense que va ganhar, e é por isso que te ligou e tentou intimidá-la a desistir da custódia ". Cami considerou o que Drew estava dizendo. Ela pensou nos métodos que Ken e seu advogado tinham tomado para intimidá-la. Talvez eles estavam apenas usando tais técnicas, porque eles sabiam que realmente não tinham um caso. Pela primeira vez em semanas, Cami sentiu-se melhor. "Talvez você esteja certo", disse ela. "Eu só preciso permanecer positiva. Sou uma ótima mãe. Não há como eu perder a custódia. ” "Esse é o espírito baby", respondeu Drew com um sorriso. O resto do jantar passou facilmente, sem mais nenhuma conversa séria. Drew a beijou na bochecha quando saíram, prometendo ligar para ela no dia seguinte. Cami estava de tão bom humor que até tolerou as incômodas perguntas que a sua mãe lhe lançou quando foi buscar Madison. Talvez as coisas iriam ficam bem, depois de tudo.


5

Cami Cami não esperava que Drew ligasse no dia seguinte. Seguindo o exemplo de como as coisas tinham funcionado até agora com Drew, Cami quase esperava um tratamento frio. Isso foi realmente atencioso de Drew dede que o conheceu. No primeiro encontro, eles tiveram sorte e passaram uma hora flertando, e então ele se transformou em um esnobe. Haviam passado uma noite apaixonada- embora embriagada na praia-, e na manhã seguinte ele praticamente a ignorou por alguma modelo magra. Ela o tinha visto ser doce e compassivo com sua irmã, apenas para testemunhá-lo sendo rude depois - rindo de piadas sobre os pobres. Então eles passaram uma noite ridiculamente quente juntos, e então ele tinha fugido na manhã sem sequer deixar uma nota. Então, sim, seu encontro na noite passada tinha sido fantástica, mas Cami ainda estava insegura. Na verdade, ela não esperava que fosse falar com ele mais.


E foi por isso que ela ficou chocada, quando logo depois que ela colocou Madison para a sua soneca no dia seguinte, ela recebeu um telefonema de Drew. -"Olá?" Ela disse hesitantemente no telefone, insegura sem saber se ele tinha pretendido chamá-la ou não. Ela estava meio que esperando descobrir que ele tinha iscado seu número acidentalmente. -"Ei, Cami. Como você está hoje!". -"Bem", ela respondeu, um pouco apanhada de surpresa ao ouvir sua voz. "Acabei de colocar Madison para um cochilo é por isso que estou falando baixo. No caso de você estar se perguntando”. - “E como está Madison?” - perguntou Drew, surpreendendo ainda mais Cami. Ele nunca perguntou por sua filha antes. Ele perguntou sobre o processo de custódia, mas nunca sobre a própria Madison. -“Ela está boa. Nós ficamos a noite passada na casa da minha mãe, desde que eu voltei muito tarde. Então nós saímos para tomar café esta manhã e depois ao parque. Ela teve um dia e tanto”. - "Parece que sim”- Drew respondeu com uma risada. “Eu não tive de perto um emocionante dia. Passei a manhã fazendo papelada e agora estou retornando os emails”. -"Parece chato," Cami ofereceu. - “É”- respondeu Drew. "Mas pelo menos eu estou falando com você, então isso é algo, pelo menos." Cami não sabia como responder. Ela ficou lisonjeada, mas ainda não tinha certeza. - “Eu me diverti muito ontem à noite” - disse Drew depois de um momento de silêncio. - "Eu também," Cami concordou agradecida que Drew não podia ver o sorriso pateta em seu rosto. -“Então... Isso significa que você estaria interessado em me ver novamente?" Ele perguntou. Esse era o problema. Cami tinha concordado com o encontro da noite passada porque ela tinha dito a si mesma que era apenas um pouco de diversão - que ela não iria ficar presa. Depois da noite passada, Cami sabia que isso não era possível. No papel, Drew parecia absolutamente perfeito. Ele era rico e bonito, doce e engraçado. E, o mais perfeito de tudo, ele queria uma família. Mas na realidade, ele


era imprevisível e não confiável, e mudando cada vez mais além em um relacionamento significaria Cami iria acabar com o coração partido. -"Eu não sei," ela disse depois de um momento. Ela podia ouvir Drew desinflar pelo telefone. -"Mas," ele começou, "eu pensei que você teve um bom tempo ontem. Você disse que me daria uma chance, e eu pensei que eu fiz para você”. -- “A noite passada foi ótima, Drew. Realmente foi. Mas, como eu disse antes, eu não estou realmente procurando nada casual. E eu realmente não sei se um relacionamento com você é uma boa idéia”. -"Por que não?", Perguntou Drew. -"Eu não tenho certeza," Cami respondeu. "Eu sei que não é uma resposta, e eu sinto muito. Mas eu só preciso de um pouco mais tempo. Dê-me um ou dois dias para pensar sobre isso, ok? Apenas alguns dias”. -"Ok", respondeu Drew. "Eu realmente espero que você decida me ver de novo, Cami." -"Eu vou deixar você saber, Drew," ela disse antes de desligar o telefone. Ficou em silêncio durante o resto da soneca de Madison, pensativa. As coisas tinham se tornado muito mais complicado. Drew parecia que realmente queria que as coisas se tornassem sérias, mas ela poderia estar em um relacionamento com alguém se ela estava sempre esperando por algo inesperado acontecer? Ela só não tinha certeza. Felizmente, Madison acordou não muito tempo depois, puxando Cami de seus pensamentos. Foi quase impossível ser contemplativo com uma criança de três anos na casa. Então Cami passou o resto de seu fim de semana ignorando o dilema Drew, bem como a iminente batalha de custódia e simplesmente desfrutar a vida com a sua filha. Segunda-feira foi extremamente lento no ER, deixando Cami, Maggie, e Ashley vagando na estação das enfermeiras com nada para fazer. Depois que Maggie terminou de contar às garotas sobre seu emocionante fim de semana em Nova York. Ela se virou para Cami. -"Então," ela disse seu rosto virando sério. -"Como foi a reunião?" Cami nem sequer tinha que perguntar para saber exatamente qual reunião ela estava perguntando. Deve ter mostrado algo em seu rosto, porque Maggie falou sem esperar por sua resposta.


-"Isso é ruim, hein?" -"Sim," Cami disse, lutando para ser positivo para que ela não quebrar em lágrimas no trabalho. -"A reunião em si foi embaraçosa. Ken e eu não dissemos uma palavra um ao outro. E Natalie estava lá”. -"Ahn ... por quê?" Pelo menos Maggie parecia adequadamente chateada com aquela notícia. - "Nenhuma pista. E eles estavam de mãos dadas o tempo todo e eram todo amorpiegas " Ashley fez um barulho de raiva, balançando a cabeça. -"Sam trouxe sua nova namorada para algumas das audiências de divórcio também. Eu acho que ele estava apenas tentando me intimidar". -"Sim, tenho certeza de que é isso que Ken estava fazendo", respondeu Cami. "E, depois, ele me chamou de todo caloroso e amigável." -"Isso é estranho", disse Ashley. - “Eu também pensei” - concordou Cami. "Até eu perceber que ele estava tentando me convencer a desistir e abrir mão da custódia primária de Madison sem lutar". -"Esse bastardo", Maggie proclamou um pouco alto demais. Um dos médicos olhou para eles engraçado e as meninas não puderam ajudar, mas rir antes de voltar a ficar séria novamente. -"Talvez ele esteja fazendo tudo isso porque ele sabe que ele não pode realmente ganhar no tribunal", Ashley ofereceu. -"Sim, foi o que Drew disse." As palavras saíram da boca de Cami antes que pudesse detê-las, e ela viu os olhos de Maggie se arregalarem. Oh bem, ela pensou. Ela estava debatendo pedindo conselhos a Maggie de qualquer maneira, então ela poderia muito bem derramar. - “Quem é Drew?” - Ashley perguntou antes que Maggie pudesse falar. -"Drew é o cara que eu estava te contando," Maggie disse, dando Ashley um empurrão.


Cami ergueu as sobrancelhas questionando à menção das outras duas mulheres discutindo sua vida privada sem ela, mas não era como se ela pudesse ser crítica. Ela e Maggie haviam falado sobre a vida amorosa de Ashley - ou a falta dela desde o seu divórcio - muitas vezes. Então ela deixou Maggie continuar. -"Você sabe, o cara que ela teve um caso tórrido com na casa de praia dos meus pais", disse Maggie. -"Não foi um caso tórrido", disse Cami, dando um empurrão brincalhão Maggie. -"Nós conhecemos. Ele estava quente e frio. Um minuto, ele gostou de mim, o seguinte, ele era um burro”. -"Eles fizeram sexo na praia," Maggie disse em um sussurro. -"Nós não!" Cami insistiu. "Nós apenas fizemos fora... e outras coisas." Ashley ergueu as sobrancelhas para "e outras coisas", mas felizmente não comentou. -"E você tem conversado com ele?" Maggie perguntou. "Eu disse que ele ligaria!" -"Sim, você estava certo!" Cami finalmente admitiu. -"Então, derrame," Maggie continuou. -"Você falou no telefone. Você já esteve em um encontro? Ooh, você dormiu com ele?”. Cami pensou em mentir, mas ela sabia que o rubor em suas bochechas estava dandolhe afastado. -"Oh, meu Deus!" Continuou Maggie. "Você dormiu com ele. Quando?" -“Ele me ligou na quinta-feira. Você estava fora da cidade, e eu precisava de algo para tirar minha mente daquela reunião de sexta-feira. Madison estava ficando na casa da minha mãe, e eu estava sozinha. Então saímos, tomamos algumas bebidas, e uma coisa levou a outra." Maggie e Ashley riram. -"E?" Maggie perguntou. -"E acordei na manhã seguinte, e ele se foi. Nenhuma nota ou qualquer coisa”. Maggie e Ashley pareciam assassinas, então Cami rapidamente continuou a história antes que pudessem caçar Drew e matá-lo. -"Ele ligou depois, depois da minha reunião. Eu acho que ele tinha tido sua própria reunião muito cedo e não tinha a intenção de ficar a noite. Ele estava atrasado e esqueceu se de deixar uma nota”. -"Ohhhh," as duas mulheres murmuraram.


-"Isso é tão doce que ele ligou mais tarde para ter certeza de que não se sentia abandonada", disse Ashley. Cami se absteve de dizer a ela que ela já se sentia abandonada pelo tempo que ela tinha ouvido falar dele. -"Então foi isso?" Maggie perguntou, um olhar quase maníaco em seu rosto enquanto pressionava por todos os detalhes sobre suas interações com Drew. - “Não” - admitiu Cami. "Eu estava louca quando conversei com ele na sexta-feira. Foi logo depois da chamada de Ken. Mas eu concordei em sair com ele na noite seguinte, então fomos a um encontro de sábado”. - “E você já ouviu falar dele?” - perguntou Ashley. - Sim - disse Cami. - Ele ligou no dia seguinte. -"Os caras nunca chamam no dia seguinte", Ashley respondeu, com um olhar surpreso em seu rosto. -"Drew fez," Cami respondeu. -"Então, quando você está vendo ele de novo?" Maggie perguntou. - “Não tenho certeza” - admitiu Cami. Esta era a parte que ela realmente queria o conselho das mulheres, mas ela também sabia que ia ser difícil de explicar a sua reticência a Maggie, que estava um pouco investindo demais na vida amorosa de Cami. "Não tenho certeza se vou vê-lo novamente." -"O quê?" Maggie perguntou, confusa. -"Por quê?" -"Ele ligou no dia seguinte," Ashley acrescentou, ainda aparentemente em choque sobre isso. -"Caras nunca ligam no dia seguinte. Ele realmente gosta de você”. -"É só isso", disse Cami. - "Às vezes, ele realmente parece gostar de mim. Mas outras vezes, ele me ignora e passa a noite toda flertando com modelos magros". -"Eu notei isso", Maggie confirmou então se virou para Ashley para explicar. "Na casa da praia, havia uma garota com quem Drew continuava a flertar. Ou, mais honestamente, que continuava a flertar com Drew”. - “E ele estava deixando isso acontecer” - replicou Cami. "Ele estava a deixando pendurar-se em cima dele. Ele até começou a me ignorar quando se juntou a nós para o café da manhã”. - “Quem era ela?” - perguntou Ashley com o cenho franzido.


-"Eu não a conheço muito bem," Maggie respondeu. -"Ela era a filha de algum homem de negócios de direita que meu pai conhece. Eu realmente não falei muito com ela. Mas Cami tem razão, Drew estava definitivamente incentivando a atenção". - “Veja” - disse Cami enfaticamente. "Ele diz que ele realmente gosta de mim, que ele quer continuar me vendo. Mas ele tem sido tão imprevisível que eu realmente não sei o que acreditar. Eu tenho uma filha para pensar e muita coisa acontecendo agora. Eu realmente não tenho tempo para jogar. E eu realmente não quero me machucar novamente". Ashley assentiu com a cabeça. Cami sabia que Ashley nunca tinha realmente voltado para o campo de namoro depois de seu desagradável divórcio. -"Eu vou chegar ao fundo disso," Maggie disse, um olhar malicioso em seu rosto. – “Vou descobrir o que está acontecendo”. - “Por favor, não” - respondeu Cami. "Eu disse isso porque eu quero conselhos. Eu não quero que você se intrometa”. “As coisas já são complicadas o bastante sem que você coloque sua linda cabecinha no meio dela”. Maggie pareceu rasgada por um minuto, mas finalmente concordou com a cabeça. -"Tudo bem," ela disse com um suspiro de dor. "Mas se você mudar de ideia, eu posso falar com meu irmão. Eu sei que Grant e Drew eram como, melhores amigos na faculdade. Eles não estão tão próximos agora, mas Grant pode descobrir o que está acontecendo na cabeça de Drew". -"Eu vou deixar você saber se eu mudar de ideia," Cami disse com um sorriso. -"Mas não segure a respiração". -"Por enquanto," Ashley disse, "Eu acho que tudo que você pode fazer é ver para onde vai. Tente não ficar ligado, e apenas espere e veja”. -"Sim," Cami respondeu. Não se apegue. Isso era muito mais fácil dizer do que fazer.


6

Cami Apesar de sua apreensão, Cami lentamente se permitiu imaginar uma vida com Drew. Ele parecia gostar dela realmente, pelo menos durante os últimos encontros. Na verdade, a deixar-sem-uma-nota foi um episódio à parte, ele não tinha lhe dado o tratamento frio desde seu tempo na casa da praia. E ele tinha mais do que explicado, sua ausência sem notas na manhã seguinte depois que dormiram juntos. Além disso, ele queria uma família, afinal, e Cami vinha pronta com uma família - contanto que ela não perdesse a custódia primária de Madison. Talvez, pensou Cami, apenas talvez, isso poderia se transformar em algo real. E assim Cami decidiu que, da próxima vez que Drew ligasse, ela falaria o que pensava. Bem, ela não poderia dizer a ele que estava imaginando que envelheceriam juntos ou algo assim, mas diria que ficaria mais do que feliz em vê-lo novamente. Cami tinha falado com ele todos os dias desde quinta-feira, então ela esperava que ele ligasse na segunda-feira à noite. Mas ele não o fez. Ele também não telefonou terça-feira. Talvez, tenha sido muito dura, ela pensou. Talvez, quando ela lhe dissera que precisava de mais tempo para pensar sobre as coisas, ele considerara como um insulto. Ele estava acostumado com as mulheres se atirando a seus pés, afinal. Ele havia dito que era só por causa do dinheiro, mas se ele tivesse mulheres como Analise penduradas em cada uma de suas palavras, ele definitivamente não precisava esperar por Cami para nada, ela pensou. Todos os dias, em cada um de seus intervalos, Cami examinava diligentemente seu telefone, esperando uma chamada perdida, ou mesmo uma mensagem. Mas não havia


nada. No final da semana, Cami ficou desapontada, mas não surpresa. Tentou lembrarse que não tinham nada serio ainda, mas mesmo assim estava desapontada. Quando seu telefone tocou na sexta-feira, o coração de Cami saltou por apenas um segundo - ainda se recusando a desistir completamente da esperança - até que ela percebeu que era o escritório de seu advogado no telefone. - “Por favor, me diga que tem boas notícias” - disse ela. -"Na verdade, Sra. Hendricks," Michael disse, soando um pouco nervoso. – “Tenho notícias bastante angustiantes”. O pânico começou a se infiltrar no coração de Cami com aquelas palavras. - “O que é?” - perguntou ela. -"Bem", ele começou, -"recebi um aviso do advogado de seu ex-marido hoje. Parece que ele está arquivando para custódia completa". -"O que isso quer dizer?" Cami sabia, mas não queria admiti-lo. -"Isso significa que, se seu marido ganhar o caso, não será permitida a você qualquer custódia de sua filha. Significa que você não iria vê-la.” Cami sentiu-se doente. Isso era muito pior do que qualquer coisa que ela poderia ter previsto. Agora ela não estava em perigo de perder a custódia principal - ela estava em perigo de perder a filha completamente. -"Ele pode fazer isso?" Ela perguntou em uma voz quebrada. -"Ele pode tentar," Michael respondeu. -"Ainda temos um caso forte. Você é uma boa mãe e ele é um alcoólatra documentado com comportamento imprudente passado em seu registro. Além disso, custódia total é uma maneira muito extrema de ir. Isso pode encorajar o juiz a se pronunciar contra o pedido de custódia completa, mesmo se ele teria aprovado uma petição para a custódia primária”. Poder não foi uma palavra muito reconfortante, e o advogado não parecia muito confiante, mesmo que ele estava tentando assegurar a Cami. Ela rapidamente desligou a ligação antes que ela desabasse em soluços com Michael ainda no telefone. Jogando o telefone pela sala, ela abaixou se e pegou sua filha, abraçando-a perto de seu corpo. -"Mamãe não vai te perder", disse ela no cabelo de sua filha.


-“Perder”- Madison perguntou inocentemente, sem ter ideia do que estava acontecendo, mas sentindo o medo e a tristeza de sua mãe. Ela gentilmente acariciou a bochecha de Camis e a abraçou, murmurando incoerentemente em voz baixa. Cami realmente não sabia o que fazer ou para onde ir a partir daí. Pela primeira vez naquela semana, desejava que Drew estivesse la. Drew sempre fora tão reconfortante quando se tratou da batalha de custódia, confiante e reconfortante. Ela apreciaria da sua tranquilidade no momento. Mas Drew não tinha telefonado, e provavelmente não iria. Então ela pôs esse pensamento fora de sua mente e se concentrou no que ela poderia fazer. Ela colocou Madison com alguns brinquedos e um filme tocando, então ela ligou para Maggie. -“Olá”- Maggie disse, respondendo no primeiro toque, mesmo que fosse uma tarde de sexta-feira. Mais uma razão pela qual ela amava sua melhor amiga. –"E aí?" (o que houve?, o que aconteceu?) Cami descobriu que não podia falar, agora que estava no telefone. Todo o medo e o pânico começaram a tomar conta dela e tudo o que ela fazia era soluçar no telefone. - “Oh, querida, o que está acontecendo?” - Maggie perguntou. -"Desculpe," Cami foi finalmente capaz de gaguejar entre seus soluços. - "Eu só... eu..." Mas ela não conseguia tirar nada disso. - “Não se preocupe” - disse Maggie. – “Estou indo agora. Estarei ai em quinze minutos. Apenas fique firme”. Cami assentiu, embora Maggie não pudesse vê-la pelo telefone. Ela abriu a boca para falar, mas antes que pudesse responder verbalmente, Maggie tinha terminado o telefonema. Graças a Deus por Maggie. Apenas o conhecimento de que sua melhor amiga estava a caminho era o suficiente para ajudar a acalmar os nervos de Cami. Pelo menos ela não estava completamente sozinha. Fiel à sua palavra, Maggie apareceu menos de vinte minutos depois, um grande saco da loja de bebidas na mão. -"Eu pensei que você poderia usar uma bebida," ela disse para explicar. - “São três da tarde” - respondeu Cami. -"E daí? Você precisa disso. E não vamos nos perder nem nada. Estou apenas fazendo um coquetel para acalmar seus nervos”.


Com isso, ela virou-se e dirigiu-se para a cozinha, onde ela se fez em casa enquanto ela misturou um par extraforte de vodka. Cami caiu sobre um banquinho na cozinha, onde ela ainda podia ficar de olho em Madison na sala de estar, e observou o trabalho de Maggie. Maggie deixou Cami tomar algumas bebidas longas de seu cocktail antes de lançar em um interrogatório. -"O que está acontecendo?", Ela perguntou, tomando um gole de sua própria bebida. - "É Drew?" - “Não” - respondeu Cami. -"Quero dizer, ele ainda não ligou. Mas não é por isso que estou chateada. Ouvi meu advogado hoje. Ken está entrando na justiça pela custódia completa". -"Eu pensei que você já soubesse disso," Maggie disse. -"Não. Ele estava entrou na justiça pela custódia primária. Como o que eu tenho agora. Eu ainda conseguiria Madison nos fins de semana, ou qualquer outra coisa. Madison apenas iria viver principalmente em sua casa.( Madison viveria primeiramente na casa dele). A custódia total significaria que eu nunca conseguiria Madison. Eu perderia minha menina". Com essa explicação, Cami mais uma vez se dissolveu em lágrimas. Quase instantaneamente, Maggie estava fora de seu banquinho e abraçando Cami. -"Shhh"- Maggie sussurrou, cuidadosa para não alertar Madison. "Está bem. Ainda não aconteceu. Não vai acontecer. Aquele bastardo não ficará com a custódia completa de Madison.” Uma vez que Cami estava calma, Maggie voltou para seu assento. -"Eu não sei", disse Cami depois de um momento. -"Por um lado, eu acho que" ‘Isso não pode acontecer’... Não há nenhuma maneira eu estou perdendo a custódia de Madison! Mas então eu penso sobre todos os recursos de Ken e conexões. Metade dos juízes nesta cidade são amigos pessoais de sua família. Ele praticamente consegue o que quiser. Como você acha que eu acabei sem nada no divórcio?". -"Você concordou em nada no divórcio, porque tudo que você queria era Madison. Você não lutou do jeito que você vai lutar agora”. -"Sim," Cami respondeu. "Mas meu advogado é uma merda." - “Então pegue outro. Posso emprestar-lhe algum dinheiro”. -"Eu não posso pegar seu dinheiro", disse Cami simplesmente.


-"Você vai, você precisará," Maggie insistiu. "Quando se trata de Madison, você fará o que for preciso." -"Você está certa," Cami respondeu. "Espero que não venha a isso, mas se o fizer, eu vou deixar você emprestar-me algum dinheiro. E obrigado... por tudo”. -"Claro", Maggie disse com um sorriso. -"É para isso que os melhores amigos são! Mas não há nada que possamos fazer hoje à noite, então vamos relaxar, beber nossos coquetéis e falar sobre por que o fu- "Maggie olhou para Madison culpada, mas a menina não estava prestando atenção a eles. -"... fudge, Drew não te ligou de volta". Cami ofereceu o primeiro sorriso genuíno que ela conseguiu reunir toda a tarde e assentiu. Era melhor se concentrar no menor de seus dois problemas, afinal. Maggie ficou até tarde da noite, fazendo mais coquetéis, depois jantar, tentando o melhor para manter a mente de Cami longe de coisas sérias. E ela fez um bom trabalho disso. Cami estava calma e feliz por toda a noite. Mais tarde, depois que Madison estava segura para a noite e Maggie estava longe, Cami estava na cama, olhando para o teto, pensando em tudo. Apenas um mês antes, ela estava relativamente feliz. Sim, ela era solteira e um pouco solitária, mas ela não estava prestes a ter que lutar pelo direito de cuidar de sua filha e ela não estava tendo o coração jogado por um cara que constantemente enviava sinais mistos. Quando sua vida se tornou tão caótica?


7

Cami Tinha levado horas para adormecer e, embora ela não tivesse bebido muito na noite anterior, Cami sentiu-se de ressaca quando foi despertada pela criança de três anos de idade saltando em sua cama. - “Mamãe!” - gritou Madison. -"Café da manhã!" Cami gemeu, mas ela saiu da cama. Dormir tornou-se um luxo que ela não tinha quando se tinha uma criança que começava a andar. Ignorando sua dor de cabeça, ela puxou Madison para seus braços e segurou-a apertadamente enquanto ela fazia seu caminho para a cozinha. Ela colocou Madison em sua poltrona com alguns Cheerios antes de começar o café e preparar um café da manhã mais substancial. Depois de ovos, torradas e café, Cami estava se sentindo um pouco mais viva. Ela sabia que precisava se manter forte para Madison. Ela não podia se dar ao luxo de desmoronar, não importava quanta tensão ela estivesse sob. E a única maneira que ela seria capaz de se manter de desmoronar era manter-se ocupada. Cami foi capaz de tomar um banho relativamente relaxante, enquanto Madison estava distraído com desenhos sábado de manhã. Apesar de não sentir vontade, Cami secou o cabelo, fez a maquiagem e escolheu um vestido de verão alegre com flores coloridas. Ela então lutou Madison em uma roupa e levou as duas para fora da casa. Cami realmente não tinha planos para o dia - ela só sabia que ela tinha que se manter em movimento. Então elas foram para o parque, depois para o mercado, fazer feira, e então, em seguida, parou para almoçar em um restaurante voltado especialmente para crianças (kid- frendly).


Cami pensou em chamar sua mãe, mas sabia que ela perguntaria sobre Drew, bem como a disputa pela custódia. Ela realmente não queria discutir qualquer uma dessas coisas hoje, então ela se manteve para si mesma. Após um dia cheio fora na cidade, Cami deixou Madison ajudá-la a fazer um jantar delicioso cheio de legumes frescos que compraram no mercado mais cedo. Tendo pulado sua sesta, Madison estava pronta para a cama no início da noite. Ela nem se incomodou quando Cami a colocou no banho, e ficou calma enquanto Cami deslizou seus pijamas favoritos nela. Cami se enroscou na cama minúscula de Madison com ela e começou a ler uma história, mas Madison adormeceu poucos segundos depois que começou. Ela continuou a ler em voz alta, apenas para se distrair, até que a história estivesse terminada. Levantando-se da cama, ela voltou para a sala de estar. Não havia mais nada para distraí-la agora. Ela estava sozinha com seus pensamentos. Fazendo um coquetel com as sobras da noite anterior, Cami tentou relaxar no sofá. Mesmo com uma bebida na mão e os pés para cima, ela estava achando difícil. Não iria perder a filha, disse a si mesma. As coisas iriam se resolver. Ainda assim, ela não conseguia manter o pânico longe. Ela estava prestes cair em um ataque de ansiedade completa quando houve uma batida na porta. Franzindo o cenho, Cami olhou para o relógio. Eram quase oito horas, e ela não esperava ninguém. Ela supôs que era Maggie, de volta para checá-la, então ela manteve o coquetel em sua mão enquanto se dirigia para a porta. Ela respondeu com um sorriso no rosto, pronta para dizer a sua melhor amiga que ela não era tão frágil quanto Maggie pensava que era. Mas o sorriso se limpou de seu rosto e foi substituído por um de surpresa quando se viu diante de Drew, não de Maggie. -"Um... oi," Cami balbuciou ineloquently. -"Oi," Drew disse com um sorriso tímido. -"Desculpe por parar sem ser anunciado, mas eu queria te ver. Posso entrar?" Cami sacudiu a cabeça. Ela realmente não sabia o que fazer sobre o aparecimento de Drew, mas ela ainda estava com raiva depois do silêncio durante toda a semana e só queria esquecer tudo sobre ele. Deixando sua bebida na prateleira no hall de entrada, ela saiu para a varanda e fechou a porta atrás dela. -"Madison está dormindo lá dentro," ela disse a ele bruscamente, cruzando os braços na frente dela. -"Eu não deixo homens com quem saio entrarem enquanto ela está em casa".


-"Eu pensei que eu era o primeiro homem que você namorou desde o divórcio," Drew disse com um sorriso que deixou Cami ainda mais irritada. - “Era uma regra teórica até recentemente” - respondeu ela friamente. -"Mas agora é mais aplicável do que nunca". O sorriso de Drew desapareceu rapidamente, e ele olhou para baixo. - Cami, escute-me - começou ele, depois de um momento de silêncio. -"Ela está dormindo, certo? Eu vou ficar quieto! E se ela acordar, irei embora antes que ela possa me ver. Eu só quero falar contigo. Só por alguns minutos”. Cami debateu se por um segundo. Por um lado, ela estava chateada por não ter ouvido falar de Drew durante toda a semana. Mas, por outro lado, ele não tinha prometido que iria chamar um dia certo. E ele seria uma distração bem-vinda agora que a ansiedade a perseguia constantemente. Finalmente, ela acenou com a cabeça e abriu a porta, andando por ela e deixando-a aberta para ele seguir. Ela pegou seu coquetel em seu caminho para a sala de estar e se sentou em um lado do sofá, olhando para ele com expectativa. Fechando a porta atrás dele, Drew sentouse na outra ponta do sofá. Ele olhou para as mãos por um momento, obviamente nervoso. -"Bem?" Cami alertou eventualmente. - Olhe - começou Drew, finalmente levantando os olhos e fazendo contato. -"Eu sei que deveria estar esperando por você tomar uma decisão. E percebo que, desde que não tive notícias suas durante toda a semana, sua decisão provavelmente já está tomada, e você realmente não quer me ver mais. Mas porra... não consegui esperar mais. Então por isso, estou aqui”. Cami apenas olhou para Drew por um momento. Ele estava esperando sua ligação? Sua mente voltou à última conversa. Teria lhe dado à impressão de que ia ligar para ele? Ela não tinha dito muito, ela sabia que não tinha. Ele sempre tinha sido o único a ligar, então ela apenas assumiu que ele continuaria a fazê-lo. Ela de repente se sentiu um pouco tola, definhando-se a semana toda, esperando por sua chamada. Por que não pensara ligar? Por orgulho, ela percebeu. Ela não queria parecer como alguém carente. No entanto, ela lhe dissera que precisava de tempo para pensar. Era totalmente sensato que ele estivesse esperando sua ligação. Ela não disse nada disto, no entanto, não querendo admitir seu erro. Em vez disso, ela ofereceu-lhe um pequeno sorriso.


- Desculpe por não ter ligado - disse ela.- "Não é que eu não queira vê-lo novamente. É exatamente o oposto, na verdade. E agradeço-lhe por me dar tempo para tomar essa decisão. Eu acabei me distraindo ultimamente - com novas questões da custódia". -"Baby" Drew disse, seu rosto se transformando em uma careta. -"O que aconteceu agora?". Ele parecia genuinamente chateado e isso fez com que o coração de Cami virasse um pouco. Ele realmente se preocupava com ela e o que acontece com a filha. -“O idiota do meu ex-marido agora está entrando em ação pela custódia completa." Cami nem sequer tentar manter a raiva e frustração fora de sua voz enquanto ela falava. -"Se ele ganhar o caso, eu vou perder minha filha completamente”. -"Isso não vai acontecer", disse Drew com confiança. - Você não pode garantir tal coisa - respondeu Cami. -"Ken tem dinheiro e conexões. Ele tem o hábito de ter praticamente o que quiser. Inferno, ele tem dois anos de sobriedade documentada de acordo com seu advogado, enquanto eu sei para um fato que ele não tem sido sóbrio por até um ano. Eu não ficaria surpresa se ele não está sóbrio agora”. -"Se for esse o caso, ele não pode esconder isso para sempre", disse Drew, esperançoso. -"Com dinheiro suficiente, você pode esconder qualquer coisa para sempre", Cami respondeu abatido. -"Ele é um pai de merda e ele vai ganhar simplesmente porque ele tem os meios. Eu não posso sequer pagar um advogado meio decente”. Cami não podia mais conter as lágrimas que ameaçavam cair a noite toda, e ela virou a cabeça enquanto ela soluçava contra seus braços. Ela podia sentir as almofadas mudarem quando Drew correu pelo sofá em direção a ela, então os braços fortes e quentes envolveram-se ao redor dela, segurando-a apertada. Instintivamente, ela se virou e enterrou o rosto no peito musculoso de Drew, procurando conforto na firme aderência. Drew não tentou silenciá-la ou acalmá-la. Ele apenas a deixou chorar. Eventualmente, ela foi se acalmando pela batida constante de seu coração e as mãos esfregando círculos suaves contra suas costas. Quando ela estava sem lágrimas, ela finalmente se afastou. Ela ficou envergonhada ao ver um ponto molhado em sua camisa onde ela esteve chorando. Cami rapidamente desculpou-se e caminhou para o banheiro para limpar-se. Apenas algumas horas atrás, ela tinha escrito completamente Drew fora, e agora, ela estivera soluçando em seu ombro e deixando manchas de lágrimas em sua roupa. Ela balançou


a cabeça, achando que estivesse muito desgastada para reunir demasiada mortificação sobre o que tinha acabado de acontecer. Em vez disso, ela se concentrou em salpicar água fria em seu rosto e acrescentar uma pequena base em sua pele vermelha. Quando finalmente voltou para a sala de estar, Drew estava sentado confortavelmente no meio do sofá onde ela o deixara, olhando para o telefone. Ele a guardou quando ela se aproximou e sorriu para ela docemente. Mas ele não se moveu de volta para seu lado do sofá, deixando-a se espremer ao lado dele, seus corpos ainda pressionados juntos. Uma vez que ela estava situada, ele envolveu seu grande braço em torno dela novamente, puxando-a ainda mais perto. Cami sabia que deveria dizer algo - que ela deveria estabelecer alguns limites e criar alguma distância entre eles. Mas a proximidade era muito reconfortante, e ela sentiu-se deslocar-se para ele. -"Porra, senti muito a sua falta esta semana," Drew sussurrou contra seu cabelo enquanto ele beijava o topo da sua cabeça. Cami fechou os olhos e soltou um suspiro satisfeito. -"Eu também", ela admitiu. -"Você sentiu sua falta também?", Ele brincou. -"Você realmente deve estar sob muito stress se você se perdeu no processo." -"Você entendeu o que quis dizer," ela disse, batendo divertidamente no seu peito. Ela foi se afastar um pouco, mas as mãos grandes de Drew estavam subindo de repente nos lados de seu rosto, e então eles estavam se beijando. Seus lábios estavam hesitantes no início, suaves e questionando, como se ele estivesse procurando o consentimento antes de levar as coisas mais adiante. Cami se moveu para o beijo, pressionando seus lábios contra ele com fome. Era o consentimento que Drew precisava. De repente, deslizou sua língua contra seus lábios até que ela se abriu para ele, então começou a circundá-la sensualmente ao redor da dela. Cami soltou um pequeno gemido. -"Madison," ela sussurrou contra os lábios de Drew. -"Eu posso ficar quieto baby", ele assegurou, movendo sua boca para baixo para beijar e lamber seu pescoço e mandíbula. Quando sua língua encontrou a pele sensível atrás de sua orelha, Cami teve um tempo duro manter-se quieto. Ela mordeu o lábio enquanto se arqueava em seu abraço. Cami sentiu-se pressionada contra o sofá enquanto Drew se arrastava sobre ela, até que seu longo e musculoso corpo estava acima do dela, empurrando-a para baixo nas almofadas. Parecia delicioso, e Cami mordeu a própria bochecha para não gritar enquanto Drew empurrava seus quadris nela. Ela podia sentir sua ereção crescente


através de sua calça jeans, que estavam esfregando contra a pele nua de sua coxa. Ela podia sentir seu pequeno vestido sendo levantado enquanto as mãos gananciosas de Drew começaram a explorar a sua pele. -“Não”- ela sussurrou, empurrando seu vestido de volta para baixo. -"Desculpe," Drew respondeu, afastando-se um pouco. "Eu realmente não vim aqui para sexo. Fico feliz em, apenas passar um tempo contigo”. - Não! - disse Cami, um pouco mais alto do que pretendia. Mas o fogo entre suas pernas não ia deixá-la satisfeita em simplesmente sentar ao lado de Drew no sofá. Especialmente quando ela ainda podia sentir seu pênis duro pressionado contra sua perna. Ela precisava dele dentro dela, e logo. -"Não, eu te quero. Apenas não aqui. No caso de Madison acordar”. Cami sacudiu-se para debaixo de Drew, deixando-o deitado no sofá. Ele parecia tão sexy e confuso que tomou o fôlego de Cami. Seus cabelos escuros estavam pendurados em todas as direções, e seus lábios estavam inchados e machucados. Seus olhos estavam cheios de luxúria, e a tenda em seu jeans deixou muito pouco para a imaginação. Cami respirou fundo, saboreando o pulsar rítmico entre suas pernas enquanto olhava para aquele homem. Sua calcinha já estava completamente molhada, e ela podia sentir seus próprios sucos escorrendo pelas suas coxas. Incapaz de esperar mais estendeu a mão para Drew. Ele levantou-se de sua posição e tomou a mão de Cami, permitindo que ela o conduzisse através da pequena casa para o quarto. Ela o conduziu lá, onde ele parou para olhar ao redor enquanto ela fechava a porta. Ele olhou para cima e para baixo, seu olhar cheio de luxúria. Ele sorriu loucamente enquanto olhava para ela por um momento. Cami se perguntou se ela parecia tão confusa e com fome quanto ele. Ele com certeza sentia como ela também. -"Lembre-se," ela sussurrou enquanto ele caminhava para ela. – “Temos que ficar quietos”. -"Oh,linda" ele sussurrou de volta. – “Posso ficar quieto”. Com isso, ele a agarrou contra seu corpo duro antes de jogá-la na cama. Ela estava deitada, os membros esticados, completamente à sua mercê. Ela sabia que seu pequeno vestido de verão estava em torno de sua cintura e sua calcinha era visível. -"Tão molhada para mim já", ele rosnou enquanto se inclinava e acariciava suas coxas, que brilhavam com seus sucos. -"Sim," ela sussurrou.


-"Foi tão difícil dizer adeus a você após o nosso último encontro", sussurrou Drew em seu ouvido quando seus dedos começaram a acariciá-la através de sua calcinha molhada, provocando-a. -"Tudo que queria fazer era levá-la para casa, amarrá-la à minha cabeceira, e levá-la duro, até que você gritasse". -"Sim," Cami gemeu um pouco alto demais, empurrando contra sua mão. -"Não, não," ele repreendeu, tirando a mão dele. -"Você tem que estar completamente em silêncio para mim. Se não, você não vai conseguir o que você precisa. Você consegue fazer isso baby?". Cami assentiu com a cabeça. -"Boa menina," ele respirou contra seu pescoço. -"Agora, nem uma palavra, ou vamos parar completamente." Cami mordeu o lábio para não gritar enquanto sua mão escorregava sob o laço preto para circundar seu clitóris. Ela empurrou para baixo contra sua mão enquanto ele a aproximava cada vez mais do clímax. Ela estava bem à beira da borda, pronta para virar-se para a felicidade completa, quando a mão desapareceu. Cami quase soltou um gemido de reclamação, mas ela o engoliu no último momento. Drew deve ter notado, porque ele se inclinou e ofereceu um “Boa garota!" Em seu ouvido. Ele então se levantou e lentamente começou a se despir. Ele tirou primeiro o suéter, depois a gravata, que passou por suas mãos por um momento, como se estivesse pensando em alguma coisa. Depois de um segundo, ele rastejou de volta para a cama com um brilho malicioso em seus olhos. -"Eu sei que você teve uma semana realmente estressante," ele disse em apenas um sussurro enquanto agarrava suas duas mãos e as apertava contra o edredom acima de sua cabeça. -"Então quero simplesmente que relaxe e me deixe cuidar de ti, vai me obedecer linda?". Cami assentiu com a cabeça. Ela não podia ver o que estava acontecendo acima de sua cabeça, mas podia sentir a seda de sua gravata deslizando ao longo da carne de seus pulsos quando ele amarrou seus braços acima de sua cabeça. Cami deixou escapar uma respiração profunda, fechando os olhos e afundando de volta no colchão. Pelo menos por algum tempo, ela poderia relaxar e abandonar o controle, deixar alguém cuidar dela para variar. Ela estava gostando desse jogo. Com os olhos ainda fechados, Cami sentiu as mãos de Drew correndo por seu corpo até a bainha de seu vestido e puxando-o para cima sobre sua cabeça. Ele deslizou para o final de seus braços, onde ele deixou-o preso contra seus pulsos amarrados. Ele então rapidamente removeu seu sutiã. O ar frio picava seus mamilos expostos deliciosamente, fazendo-os endurecer e doer.


Novamente, ela teve que lutar para permanecer em silêncio enquanto a língua quente e áspera de Drew saía de um mamilo, para o outro. O calor de seus lábios, seguido pelo frio pungente do cabelo, causou ondas de sensação para dançar através do corpo de Cami. Ela puxou suas coxas apertadas e esfregou-as juntas, tentando seu melhor para aliviar o pulso pulsante de necessidade que contornou doloroso. -"Uh-uh," Drew corrigiu com fúria. Ele deslizou sua calcinha para baixo e para fora antes de agarrar cada tornozelo e puxando-os separados. Muito parecido com seus mamilos, o frio súbito em sua área mais sensível enviou uma emoção quase dolorosa através de seu corpo. Drew então colocou suas pernas de volta na cama - ainda espalhadas - e afastou-se. Depois de alguns momentos sem o toque de Drew, Cami abriu os olhos em confusão. Ela sorriu quando viu seu peito nu, enquanto Drew desabotoava suas calças e as deslizava rapidamente pelas suas pernas musculosas. Seu pênis estava duro em sua boxer preta apertada, que tinha uma mancha molhada que traia o pre gozo óbvio de Drew. Pelo menos Cami sabia que ela não estava sozinha nisso. Percebendo que ele tinha um público, Drew deslizou sua cueca debaixo de suas pernas em um ritmo muito mais vagaroso, lentamente revelando polegadas após polegadas de pele perfeitamente tonificada. Sua masculinidade palpitante bateu contra seu estômago quando finalmente estava livre, inchada, vermelha e gotejando com raiva. Cami lambeu os lábios e sentiu outra onda de necessidade lavar sobre ela enquanto ele lentamente se levantou e se acariciou por alguns momentos, observando-a. Ela queria queixar-se ou implorar, mas sabia que iria ter problemas. Ela se acostumou a soltar uma respiração longa e angustiada. Drew sorriu, obviamente recebendo a mensagem. Ele enfiou as mãos nas calças e tirou um preservativo, lentamente e sensualmente deslizando-o. Ele então se deu alguns golpes mais, apenas para mostrar, antes de rastejar de volta sobre ela. -"Está tudo bem, baby" ele sussurrou em seu ouvido. -"Eu tenho o que você precisa. Você só precisa se lembrar de ficar quieta, certo?”. Cami concordou com a cabeça, tentando comunicar sua necessidade com cada olhar, em vez dos sons e toques que não lhe era permitido fazer. Finalmente, Drew se acomodou de joelhos e a puxou para ele pelos quadris. Ele alinhou-os e nem sequer esperou antes de deslizar completamente nela. Havia apenas um pouco mais de uma semana desde que haviam feito sexo, mas ela ainda sentia o alongamento e a queimadura de seu enorme comprimento e circunferência como se tivesse sido anos.


Ao contrário da última vez, Drew não deu a Cami um momento para se acostumar à sua presença antes de puxar quase completamente fora de seu corpo e bater de volta dentro. Ele continuou desta forma, fodendo-a furiosamente. Cami teve que morder o lado da bochecha para não gritar. De alguma forma, a necessidade de permanecer em silêncio parecia aumentar todo o resto. A fome e o prazer eram quase insuportáveis e Cami não demorou muito para que estivesse na borda novamente. Desta vez, no entanto, Drew deixou-a ir, arremetendo cada vez mais duro em sua buceta quando seu corpo inteiro foi apanhando pelo prazer intenso. Parecia que estava a rasgá-la, mas ela nunca quis que terminasse. Quando finalmente conseguiu voltar a pensar claramente, Drew estava tremendo acima dela quando ele encontrou sua própria liberação profunda em seu corpo. Ela segurou-o apertado, não querendo se separar dele. Eventualmente, Drew levantou-se e descartou o preservativo. Ele então desamarrou suas mãos e puxou suas roupas até o fim antes de esfregar e beijar cada pulso. Ele a ajudou a deslizar debaixo do edredom e, para sua surpresa, a puxou contra seus braços. -"Eu vou embora antes de Madison acordar", ele sussurrou em seu ouvido. -"Eu prometo." Cami realmente não conseguia se importar de uma forma ou de outra quando se aconchegou contra ele e flutuou para o sono mais profundo que ela tinha experimentado em semanas.


8

Cami “Cami!" Cami rolou em seu sono, afastando a voz, lutando para permanecer no mundo calmo e reconfortante de seus sonhos. "Cami, acorde." Ela lentamente emergiu do sono à sensação de uma mão morna esfregando suas costas e ombros nus. Ela acordou pestanejando e olhou para o rosto de Drew, que estava sentado na cama ao lado dela, completamente vestido. - Que horas são? - perguntou ela. Um sorriso se espalhou por seus lábios quando lembranças da noite passada encheram sua mente. - É cedo, baby - respondeu ele. "Eu só queria acorda-la antes de ir embora. Sei que você ficou chateada que não o fiz da última vez. Terei que partir em uma viagem de negócios inadiável mais tarde, e não tenho certeza quando estarei de volta, então queria dizer adeus." O sorriso de Cami desapareceu quando ela se sentou lentamente. O lençol deslizou por seu corpo, revelando seus grandes seios nus. Drew respirou fundo. "Porra" disse ele, "se eu tivesse um pouco mais de tempo."


- Haverá tempo - assegurou Cami. - Haverá muito tempo depois. - Sim baby - repetiu Drew com um sorriso. Ele se inclinou para frente e pressionou sua boca contra a dela. Cami se inclinou e se abriu para ele, e gemeu enquanto Drewn aprofundava o beijo, depois se afastou com um suspiro pesaroso. - Vou ligar para você assim que voltar para a cidade - disse ele. "Faça isso," Cami respondeu. "Tenho que ir agora linda", Drew disse a ela, de pé. "Não resistirei se continuar aqui." Cami apenas ofereceu-lhe outro sorriso e acenou quando o viu sair, ela logo se deitou de volta e voltou para dormir.

****** Cami não esperava que Drew a ligasse pelos próximos dias, mas quando não tinha ouvido nada sobre ele no final de semana seguinte, começou a se preocupar. A semana estava tão estressante, porém, que ela não tivera qualquer momento para desperdiçar se preocupando sobre Drew. Ela recebeu a primeira conta de seu advogado. Ele tinha cobrado além do que ela o pagara antes. Até mesmo sendo o advogado mais barato da cidade, o homem tinha os honorários bem caros. Cami olhou para a conta, sem esperança. Ela já tinha gasto a maior parte de suas economias miseráveis , e agora teria que desembolsar outros mil dólares rapidamente, ou logo ficaria sem advogado. Colocando a conta dentro de sua bolsa, ela carregou Madison em seu carro e se dirigiu para a casa de sua mãe. Ela já estava trabalhando horas extras - perto de sessenta horas por semana - então não havia muito mais que pudesse fazer no hospital. "Tudo bem?", Perguntou sua mãe quando Cami levou Madison para dentro do apartamento, obviamente detectando o estresse que Cami estava sentindo. Sua mãe tinha estranhamente a apoiado ultimamente, nem mesmo enchendo sua paciência sobre seu peso ou sua solteirice. "Quero dizer, além de toda a porcaria com a qual você já está lidando", ela esclareceu quando Cami lhe deu uma olhada incerta. - Recebi a conta do escritório do advogado hoje - respondeu Cami. – Mais de mil dólares. "Droga!", Disse sua mãe antes de parar a si mesma. "Vovó disse uma palavra feia!" Madison disse. "Palavra feia!"


"Sim, ela disse," Cami respondeu, olhando para sua mãe com um rosto "irritado" exagerado. "Isso é rude, Vovó!” - Sim, é - respondeu a mulher mais velha. "E eu sinto muito pequena." Madison pareceu tomar isso como castigo suficiente, depois se virou e entrou na sala de estar para brincar com seus brinquedos. "Então," sua mãe disse calmamente, uma vez que Madison estava fora de seu alcance auditivo, "o que vamos fazer?" "Eu vou descobrir algo," Cami respondeu, cansada. "Eu vou receber um salário grande na próxima semana. Estive trabalhando varias horas extras ultimamente. E posso tentar pegar mais alguns turnos. Madison estará com Ken este fim de semana, para que eu possa trabalhar quatro turnos seguidos. " "Meu Deus, querida, você vai adoecer se trabalhar sem parar desse jeito." "O que mais posso fazer, mãe?" Cami perguntou, com emoção pesada em sua voz. "Eu preciso do dinheiro." "Vamos descobrir alguma coisa", disse sua mãe, abraçando-a. "Juntas." Cami apenas balançou a cabeça, apoiando-se no abraço por um momento antes de se afastar. "Eu tenho que ir", disse ela. "Ou chegarei atrasada novamente. Estou indo cobrir uma garota que queria o início da noite de folga." "Ok", sua mãe respondeu, sorrindo tristemente. "Tenha um bom dia!" Cami foi dar a Madison um beijo de adeus antes de ir para o hospital. O Pronto Socorro estava lotado, o que deixou Cami ficar ainda mais desgastada, mas também ajudou o tempo a passar mais rápido. Cami descobriu que era quase mais fácil manter a mente em branca quando estava ocupada. Somente varias horas depois quando as coisas ficaram mais calmas foi que pode cochilar um pouco na enfermaria. Era depois da meia-noite quando Cami retornou à casa da sua mãe. Ela se deixou entrar silenciosamente, esperando que Madison e sua mãe estivessem dormindo a essa hora tardia. Mas, para sua surpresa, sua mãe estava na cozinha, como um bule de chá em suas mãos. - "Ei" - disse Cami. "Você está acordada até tarde." "Você também", sua mãe respondeu, oferecendo outro de seus sorrisos tristes. Cami estava começando a odiar esses sorrisos. - "Quer um pouco de chá? " "Não, obrigado. Vou pegar Madison e ir embora. " "Por que você não fica aqui esta noite?", Perguntou sua mãe. "Eu posso lavar seu uniforme agora, e tenho muitas roupas para Madison. Dessa forma você não terá que sair para voltar logo pela manhã. E poderá dormir um pouco e passar mais tempo com a sua filha."


Cami estava muito cansada para discutir, então ela apenas balançou a cabeça. "Então eu vou tomar banho e ir para a cama", ela respondeu. "Mais uma coisa", disse sua mãe, levantando-se da cadeira e se movendo para a bolsa no balcão. Ela puxou um envelope e entregou-o a Cami. Cami a abriu, sua respiração parando em sua garganta quando ela notou as nítidas notas de cem dólares. Havia dez delas... Exatamente os mil dólares que precisava. "Onde você conseguiu isso, mãe?" Cami perguntou em uma voz emocionada. "Eu vendi algumas coisas da sua avó," sua mãe disse, com o rosto sem mostrar nenhuma emoção. Mas Cami não conseguiu esconder seus próprios sentimentos. Sua mãe mantivera as jóias desde a morte de sua própria mãe, há quase duas décadas atrás. Mesmo quando sua mãe tinha trabalhado em dois empregos, apenas para colocar um teto sobre suas cabeças e comida em sua mesa, ela nunca tinha sequer considerado vender qualquer uma das jóias da mãe. "Mãe..." Cami disse, as lágrimas brotando em seus olhos. "Eu não posso acreditar que você fez isso." "Temos que fazer o que temos que fazer querida", disse ela com um ar determinado. "Isso vai pagar o seu advogado por enquanto, e ainda tenho mais algumas jóias que posso vender. E eu serei capaz de obter mais do essa quantia por elas. Eu poderia ter conseguido mais do que isso para as pérolas que vendi, se não tivesse com tanta pressa. Mas precisávamos do dinheiro agora, então, o que se pode fazer?" "Obrigado, mãe," Cami disse através das lágrimas, puxando sua mãe para um abraço apertado. "Eu te amo." "Não se preocupe", sua mãe sussurrou em seu ouvido. "Não vamos deixá-los levar Madison de nos. Eu prometo." Cami apenas balançou a cabeça antes de sair e ir para o banheiro, mais grata pela mãe do que jamais estivera antes. Quando ela saiu do chuveiro, a máquina de lavar roupa estava funcionando, e havia algumas roupas de dormir para Cami na pia. Vestiu-se rapidamente e depois se deitou na cama ao lado de Madison no quarto de hóspedes. Estava tão exausta que adormeceu quase que instantaneamente. Cami teve que sair cedo no dia seguinte para se encontrar com seu advogado. Felizmente, ela foi capaz de trazer um cheque com ela, para que assim seus serviços fossem garantidos por um pouco mais de tempo. Ela se sentou em frente a ele em seu pequeno e abafado escritório. Estava muito longe do escritório de Gil Dubois, advogado de Ken. Cami odiava estar aqui... Isso a lembrava de que Ken tinha os melhores advogados que o dinheiro poderia pagar, bem como conexões familiares, enquanto ela tinha um advogado de segunda categoria com um escritório pequeno e úmido. "Então," Michael começou, "as coisas estão em um impasse agora. Ele apresentou a petição para a custódia completa, e nós temos o oposto a isso. Não conseguimos chegar a um acordo satisfatório - obviamente, os advogados afirmaram que agora ele só ficará feliz com a custódia


completa, o que está fora de questão para você – iremos para o tribunal. Nossa primeira audiência está marcada para o próximo mês. " "O que acontecera então?", Perguntou Cami, sem tentar pensar em quão caras suas taxas seriam uma vez eles estavam realmente indo para o tribunal. "Bem, primeiro nós precisamos encontrar testemunhas de caráter que podem falar sobre as habilidades pobres de Ken como um pai, como também sobre os seus problemas de abuso de álcool. " Cami fez uma careta, odiando a ideia de permitir que a luta ficasse tão suja. "Eu vou começar vasculhar as fichas de prisões anteriores dele e velhos conhecidos, tentando encontrar tanta sujeira quanto possível." Cami sabia que todas aquelas horas não seriam baratas e, pior de tudo, Michael nem sequer parecia confiante em sua capacidade de encontrar muito. Na verdade, à medida que as semanas haviam progredido, Michael parecia cada vez menos confiante. Em determinado momento, ele até perguntou se ela estaria disposta a desistir da custódia primária de Madison se isso significasse poder vê-la afinal de tudo. Cami quase lhe deu um soco na hora. "O que eu deveria estar fazendo?" Cami perguntou. "Bem, eu quero que você pense em alguém que pode estar disposto a testemunhar contra o seu ex-marido. Eu também quero que escreva todas as informações incriminatórias sobre ele que conseguir lembrar. Fora isso, apenas fique tanto tempo com Madison quanto puder." Porque você não pode tê-la por muito mais tempo. Isso não foi dito, mas Cami sabia que estava implícito. Ela sabia que tinha que fazer alguma coisa. Mesmo que isso significasse vender sua casa e mudar-se para casa da sua mãe, ela precisava contratar um advogado melhor. Ela estava sentada em seu carro, debatendo se deveria ou não ligar para Maggie e aceitar a sua oferta de pagar por um melhor advogado, quando seu telefone tocou. Cami tirou-o de sua bolsa e vacilou. Era Drew ligando. Após a primeira semana de espera, ela praticamente desistiu de ter notícias dele de novo. Esta semana, ela não teve nem tempo nem energia para pensar nele. E, no entanto, aqui estava ele ligando. Cami estava cansada e chateada, e debatendo-se se deixava a chamada ir para o correio de voz. Mas ela sabia que, se fizesse isso, nunca o chamaria de volta. Pelo menos ela poderia falar com ele agora e ter um encerramento. "Olá," ela disse depois do quarto toque. "Cami, baby! Como você está?" Drew parecia caloroso e feliz ao ouvir sua voz - não como se se esquecera da sua existência na maior parte dessas duas semanas que se passara. "Sim", ela mentiu. Ela realmente não queria falar com Drew sobre seus problemas. Essa era, de fato, a última coisa que queria fazer agora. "Você não parece bem baby", disse ele. "O que esta acontecendo? É a batalha da custódia?"


"Eu realmente não quero falar sobre isso agora, Drew," ela disse em um tom gelado. "O que você quer?" "Oh... um... Eu só queria ouvir sua voz. Acabei de voltar de viagem e queria vê-la, neste fim de semana ". "Não sei, Drew. Eu não ouvi nada sobre ti por quase duas semanas, E agora você está de volta e espera que esteja à sua disposição." "Escute, Cami, me desculpe por não ter ligado. Esta viagem foi extremamente exaustiva. Eu realmente não tive um momento sequer para mim. Mas porra, senti tanto a sua falta. Uma das coisas que me mantiveram com a mente sã, foi saber que iria ve-la quando eu voltasse." Ele soou tão sincero que Cami sentiu seu coração começar a descongelar um pouco. Talvez ele realmente estivesse em uma viagem de negócios pelas últimas duas semanas e não tinha sido capaz de telefonar. E aí está... sempre havia uma explicação razoável, mas continuava a acontecer. Ele continuava a desaparecer cada vez que as coisas começaram a ficar boas. Ele era inconsistente e pouco confiável. "Por favor," ele implorou. Cami tinha intenção de recusá-lo, mas a verdade era que Madison iria estar fora no fim de semana com o Ken, e se ela não tivesse nada para ocupar sua mente, ela apenas ficaria deprimida e fazendo faxina. "Tudo bem", ela disse depois de um minuto. - "Estou livre amanhã à noite.". "Excelente baby!". Ele respondeu, soando entusiasmado. - "Vou buscá-la às seis.". Cami concordou e desligou o telefone. "Merda...No que estou me metendo?" Ela perguntou a si mesma quando saiu do estacionamento. Ainda assim, ela não pode parar o sorriso que começava a se espalhar em seu rosto ao pensar que estaria novamente nos braços de Drewn.


9

Cami Cami não pôde evitar. Mesmo sabendo que não deveria se sentir assim, estava extasiada com a ideia de ver Drewn hoje à noite. Madison ficaria o fim de semana com o pai, então Cami teve tempo suficiente para se preparar. Ela tomou um longo banho quente e passou horas se depilando e se arrumando. Queria parecer perfeita para este encontro. Não era apenas a perspectiva de ver Drew novamente que a tinha excitado. A verdade era que ela não parava de pensar sobre o sexo que tinham tido na última vez que estiveram juntos. Sim, ela esteve muito ocupada esta semana para se atordoar pensando em seu sumiço, mas às vezes, nas primeiras horas da noite, não podia deixar de pensar sobre a maneira como ele sussurrava ordens sujas em seu ouvido, provocando e brincando com ela. A maneira como ele tinha amarrado suas mãos, segurou-a e bateu nela. Mesmo agora, seu corpo estremeceu de desejo ao pensar nisso. Cami nunca tinha pensado que seria o tipo de garota que gostava de sexo "sujo", mas ela estava percebendo agora que sua vida sexual antes de Drew fora bem insatisfatória. Ela não conseguia sequer imaginar o seu ex-marido desempenhando o papel de dominador sobre ela da mesma forma que Drew fez no quarto. Ela não conseguia evitar... Queria mais. Muito mais. O que Drew planejava fazer com ela esta noite? Ela tinha o cabelo solto sobre os ombros e sua maquiagem era suave porem realçava seus olhos verdes. Cami estava apenas tentando decidir qual roupa vestir quando seu telefone tocou. Ela sorriu para si mesma quando viu que era Drew. Talvez ele quisesse mudar o horário. Ela poderia estar pronta em apenas alguns minutos, pensou. "Olá" Cami respondeu com a voz mais sensual que podia reunir.


"Ei, linda", Drew disse em um tom grave. "Tudo bem?", Ela perguntou. "Não realmente", Drew admitiu. "Eu realmente odeio fazer isso, mas algo surgiu, e eu absolutamente terei que cancelar o nosso encontro hoje à noite.". "O que aconteceu?", Perguntou Cami, de repente, preocupada. "Nada de que eu possa realmente falar" - disse Drew. "Porra, sinto muito por fazer isso com você baby, juro. Estou muito triste por ter que cancelar, mas tenho algo urgente que preciso resolver..". Cami estava mais do que um pouco chateada por Drew não estar sequer disposto a explicar por que tivera que cancelar. Ele a convidou para sair, apenas para cancelar menos de duas horas antes deles se encontrarem - tudo isso a deixou ainda mais irritada. Qualquer preocupação que ela teve há alguns minutos tinha voado completamente para fora da janela. "Seja como for", ela respondeu. "Nem se preocupe com isso." Então, sem lhe dar a chance de responder, ela desligou o telefone. Cami sentia-se absolutamente ridícula. Prendeu seu cabelo e se olhou no espelho. Ela tinha se preparado tanto e agora iria ficar sentada por toda a noite sentindo pena de si mesma. Talvez não, pensou. Ela sabia que estava em cima da hora, mas decidiu ligar para Maggie e ver se sua melhor amiga estava disponível antes de desmoronar completamente. "Ei garota, o que há?" Maggie disse quando atendeu o telefone. "Drew acabou de cancelar o nosso encontro", Cami respondeu com raiva. "Ai" - disse Maggie. "Sim... menos de duas horas antes do mesmo." "Isso é péssimo, Cami... mas tenho certeza que ele tinha uma boa razão." "Ele nem me disse o porquê," Cami rosnou com raiva. "Ele só disse que estava arrependido ... merda, estou tão farta desse idiota. Ele é tão incerto.". "Sinto muito, Cami. Mas sei que Drew é um cara legal. Tenho certeza que ele tem uma boa razão.". "Honestamente," Cami respondeu. "Eu realmente não dou a mínima neste momento. Ele pode enfiar suas razões no meio do cú”. Eu superei. "Um... ok, então," Maggie disse rindo. "Mas eu não estou te ligando apenas para reclamar. Estou animada e sem lugar para ir. O que você fará esta noite?"


"Oh... bem..." Maggie fez uma pausa por um segundo antes de continuar. "Eu tenho um encontro hoje à noite. Mas é uma coisa casual. Posso cancelar.". "Oh meu Deus, é claro que você não vai cancelar," Cami gritou. "Mas não posso acreditar que você não me disse nada. Quero saber tudo sobre isso. Quem é o cara? Como você o conheceu? É este o primeiro encontro? É melhor ser, ou ficarei chateada que você tenha escondendo de mim!" "Escute, Cami," Maggie começou quando Cami finalmente parou para respirar. " não tenho certeza sobre isso ainda, então realmente não quero falar." "Ok", Cami respondeu, surpresa. Sua melhor amiga jamais não tinha querido falar sobre sua vida amorosa. De fato, Maggie normalmente não se calava sobre qualquer cara que estava saindo. "Muito obrigado pela compreensão, Cami" - disse Maggie, obviamente aliviada. "E eu realmente vou dizer a você, eventualmente. Prometo. Eu te amo até a morte, mas eu tenho que ir agora por que ele estará aqui logo. Realmente lamento por Drew.". "Isso é bom. Tenha uma ótima noite" - disse Cami, tentando parecer mais alegre do que sentia. "Tchau!" "Tchau!" Maggie ligou enquanto desligava o telefone. Cami jogou seu celular na almofada do sofá ao lado dela e caiu, sentindo de alguma forma ainda mais desanimada do que antes de chamar Maggie. Não era que ela não se sentisse feliz por sua melhor amiga, porque ela se sentia. Ela poderia ter ficado um pouco ciumenta por Maggie ter um encontro, e ela não, mas não o suficiente para usar isso contra ela. E não era como se Maggie não merecesse se divertir. Ela realmente merecia. Mas, depois de toda a obscuridade de Drew, o segredo de Maggie apenas bateu nela de maneira errada. Por que todo mundo estava sendo tão estranho de repente? Primeiro Ken, com suas ridículas exigências de custódia. Então Drew, com suas estranhas atitudes. E agora Maggie, e seu namorado secreto. Cami se levantou e abriu uma garrafa de vinho, sem se importar sequer que ainda não eram cinco horas. Era um sábado, ela não estava trabalhando, e ela teve um dia difícil ... semana ... mês, na verdade. Ela merecia ficar bêbada enquanto sua filha estava na casa de seu maquiavélico ex-marido, provavelmente acariciando sua boneca Barbie perfeita. Cami estava caída no sofá, com três copos de vinho e assistindo a reprise de Sex and the City quando a campainha tocou. Ela sentou-se, confusa, então vagueou em direção à porta. Ela abriu para encontrar Drew em pé na frente dela. Ele tinha um buquê de girassóis em uma mão enquanto na outra segurava uma sacola. "Oi," ele disse timidamente. "Posso entrar?" "Eu não sei," Cami respondeu, com as mãos em seus quadris. "Eu não sei se você merece entrar."


"Provavelmente não, mas eu vim para explicar o cancelamento tão abrupto mais cedo. Eu realmente sinto muito Cami. E eu trouxe flores." Ele entregou-lhe girassóis e Cami tomou-os dele. "Elas são as minhas flores favoritas", ela admitiu a contragosto. "Eu sei," ele respondeu com um sorriso orgulhoso. "Eu também trouxe uma garrafa de merlot e hambúrgueres do Downtown Grill.". Cami olhou para a garrafa de vinho, que por acaso era sua marca favorita. E claro, Downtown Grill era o seu lugar favorito para comer. "Como você-" "Maggie," Drew respondeu antes que Cami tivesse tempo de terminar a pergunta. "E eu realmente devo a ela porque ela me ligou e falou-me sobre tudo, mesmo quando estava em um encontro." Todo o ressentimento que Cami sentia em relação à Maggie imediatamente desapareceu, substituído por carinho. Ela se sentia culpada e prometeu a si mesma que faria algo de bom para sua melhor amiga muito em breve. Relutantemente, Cami afastou-se da porta e permitiu que Drew entrasse na casa. Drew foi direto para a sala de jantar, onde começou a puxar hambúrgueres deliciosos da sacola. Cami apareceu atrás dele e se sentou, observando-o trabalhar. Ele se moveu em torno de sua cozinha com facilidade, fazendo-se em casa quando ele procurou por tudo o que ele precisava. Eventualmente, ambos estavam sentados em frente um do outro, com pratos empilhadas com hambúrgueres e batatas fritas, duas generosas taças de vinho ao lado da comida. "Então," Drew disse depois que ambos começaram a comer. - "Acho que lhe devo uma explicação pelo o que aconteceu mais cedo". "Você não tem que se explicar," Cami respondeu, embora realmente quisesse saber. "Porra baby.....Minha irmã Elsie esta em um casamento horrendo. Seu marido Robert é um alcoólatra abusivo. Bem, ela me ligou mais cedo hoje em lágrimas porque ela viu Robert bater em seu filho de quatro anos, Robbie. Ela finalmente percebeu que precisava deixá-lo e me pediu ajuda. Realmente não poderia dizer não a isso. Isto levou muito mais tempo do que eu esperava, daí tiver que cancelar nosso encontro. Mas ela e as crianças, estão todas instaladas no meu apartamento agora, e quando admiti a ela que tinha cancelado um encontro para ajudá-la, ela insistiu que viesse. E merda, desde que estive esperando para vê-la por semanas, mal pude fazer um protesto. Então... depois de uma chamada rápida para Maggie e aqui estou. " Cami não admitiu que tinha ouvido Drew e sua irmã ter uma conversa séria sobre o casamento, enquanto estavam na casa de praia, há algumas semanas. Ela não queria que ele soubesse que tal momento tinha sido testemunhado. O que ela fez foi oferecer-lhe um sorriso grande e doce. "Você é um irmão incrível", disse ela. "Eu gostaria de ter alguém como você durante meu divórcio."


"Bem," ele disse com um sorriso próprio, "você tem alguém como eu agora.". Cami sorriu, sentindo-se atrevida com a mistura de vinho e a própria confissão de Drew. "Eu senti sua falta também", ela admitiu. “Não consegui parar de pensar em você... parar de pensar na nossa última noite juntos”. O sorriso de Drew passou de doce para lascivo em questão de momentos. "Realmente?" Ele perguntou, sua voz se tornando um pouco mais profunda. "E o que você não pode parar de pensar?" "Você", Cami respondeu. "Você, me segurando, me amarrando, me dizendo o que fazer." Ela não podia acreditar disse tudo isso em voz alta. Drew estava olhando para ela com um olhar tão intenso que Cami pensou que poderia explodir de tesao. Seu corpo já estava excitada, e sentiu o desejo começando a se construir entre suas coxas. Ele lambeu os lábios antes de se levantar e caminhar em direção ao seu lado da mesa. Ele ofereceu-lhe uma mão, que ela pegou, e ele puxou-a para cima e para fora da cozinha. Sua comida foi deixada meio-comida na mesa quando se dirigiram para o quarto. Drew era o epítome do controle, calmo enquanto conduzia Cami para a cama. "Tire", ele ordenou quando estava ao lado dela. Não houve hesitação em seu tom, e Cami não podia nem queria questioná-lo. Em vez disso, ela lentamente tirou a camiseta que vestira quando percebeu que passaria a noite sozinha. Felizmente, Cami tinha se esquecido de colocar roupas íntimas devido à preguiça, e logo estava de pé no meio do quarto completamente nua. Drew ficou parado por um momento, devorando silenciosamente seu corpo com os olhos, antes de avançar e empurrar Cami, até que ela caiu contra o colchão da cama. Como da última vez em que estiveram juntos, Cami se esparramou contra o edredom e assistiu Drew lentamente despir-se. Uma vez que ele estava apenas com suas cuecas boxers, que estavam armada e molhada com a sua excitação, Cami não conseguiu se controlar. Ela ficou de joelhos e rastejou até o pé da cama, onde ela pressionou sua palma contra seu duro comprimento através do fino tecido de sua cueca. "Não" - ordenou ele. "Quero te comer inteira baby. Deixe-me dar-lhe prazer.". Ele a pressionou firmemente contra o colchão novamente, puxando suas mãos acima de sua cabeça. "Eu não estou usando uma gravata hoje, então preciso que você mantenha suas mãos bem onde as coloquei. Mas você não precisa ficar quieta. Na verdade, quero você grite. Porra, ansei ouvir seus gemidos." Cami segurou o edredom acima da cabeça e assentiu. Drew recuou e puxou a roupa íntima fora. Seu pau estava duro e gotejando - ainda mais animado do que a última vez que eles estavam juntos. Cami gemeu de desejo enquanto ele rastejava em cima dela, esfregando sua ereção contra sua coxa úmida, misturando seus sucos com o seu próprio, quando ele começou a chupar e beliscar os seus mamilos duros.


Drew se pôs contra as coxas de Cami, mas isso não foi suficiente. Ela precisava de mais atrito. Sem pensar, ela se abaixou e agarrou seu traseiro apertado, musculoso e puxou-o para seu núcleo dolorido. Ele imediatamente puxou para trás e rastejou fora dela, fixando suas mãos na cama acima de sua cabeça mais uma vez. "Desculpe," Cami respondeu timidamente. "Eu esqueci." "Entendo-te pequena" - disse Drew calmamente. "Mas não quero que aconteça de novo, você está me ouvindo?" "Sim, senhor" - respondeu Cami, sentindo-se estremecer diante de sua própria resposta. Ela não sabia de onde tinha surgido, mas tinha amado a sensação das palavras em seus lábios. Deixando uma mão nos pulsos acima da cabeça, Drew usou a outra para girar Cami em um fluido movimento, de modo que estivesse estirada sobre seu estômago. Cami soltou um grito agudo e necessitado, empurrando seu traseiro no ar em uma tentativa de encontrar algum tipo de atrito. "Você tem sido uma menina, baby" ele disse em seu ouvido. "Eu sei exatamente do que precisa." Com isso, ele trouxe sua mão grande e forte para baixo, grosseiramente contra seu traseiro levantado. A picada afiada do contato causou um inesperado aumento de prazer dentro de Cami, e ela sentiu a sua excitação crescer ainda mais. "Você gostou, não é?", Perguntou Drew com uma risada. "Sabia que iria." Rapidamente, outro tapa foi dado na bunda de Cami, ainda mais duro do que o anterior. Cami gemeu e empurrou suas nádegas mais alto no ar, em encorajamento. Então mais tapas foram dados, um após o outro, até que a bunda de Cami estava queimando agradavelmente, e ela perdeu a contagem do número de vezes que tinha sido golpeada. Ela nunca tinha sido espancada assim antes, e nunca teria suposto que gostaria, mas uma emoção de prazer disparou através de seu corpo a cada ponto onde a mão de Drew a tocava. Logo, sua bunda sentiu como se estivesse em chamas, combinado com o calor ardente entre suas pernas. Cami fechou os olhos e soltou-se, permitindo que suas inseguranças irem embora quando deixou as sensações deliciosas tomarem seu corpo, e renunciou completamente a todo controle. Perdeu a noção do tempo, e não foi até que as mãos fortes de Drew começaram a massageá-la nas suas latejantes nádegas, que ela percebeu que a surra tinha acabado. Drew apertou e esfregou sua pele por alguns minutos, parando a cada momento para se curvar e beijar uma nádega, depois a outra. "Porra, seu traseiro esta tao apetitoso com as marcas das minhas mãos" - ele murmurou, sua voz era grossa com seu próprio desejo. Depois de mais alguns minutos de massagem, uma mão começou a deslizar para baixo, deslizando entre suas pernas. Drew deslizou três dedos dentro e fora de seu núcleo dolorido. Quando começou a usar o polegar para acariciar seu clitóris, Cami estava gemendo alto e se contorcendo: "Por favor," ela soluçou.


"Por favor o que, baby?", Perguntou Drew, usando sua outra mão para acariciar seus cabelos enquanto continuava a torturar sua buceta. "Foda-me," Cami implorou, embora sairá como apenas um sussurro, sua voz crescendo rouca com necessidade. Drew sorriu e se levantou, depois tirou um preservativo fora do bolso da calça. Como da última vez, ele envolveu sua mão em torno de si mesmo e deu o seu eixo alguns empurrões lento antes de empurrar o preservativo sobre seu comprimento. Cami se afastou dele, enterrando a cabeça no edredom enquanto levantava seus quadris novamente a convite. Ela sentiu mãos fortes segurando suas nádegas doloridas, puxando-a para ele. Uma dessas mãos moveu-se para seu quadril, quando ele usou a outra para alinhar seu pau, esfregando-o contra seu clitóris algumas vezes antes de empurrar-se em seu corpo em chamas. Gemeram em uníssono quando ele a encheu completamente, empurrando-se profundamente em um movimento fluido. A deliciosa sensação do pênis de Drew, esticando Cami aberta e enchendo-a, quase a fez gozar instantaneamente. Trazendo a outra mão para que ambas a agarrassem seus quadris tão apertados que deixariam contusões, Drew começou fode-la duro e rápido. Ele estabeleceu um ritmo feroz, estocando em sua buceta sem misericórdia. Cami estava impotente para fazer qualquer coisa, apenas gritar quando se empurrou de volta no seu pau. Ela estava tão sobrecarregada de necessidade que mal conseguia pensar. Através da névoa nebulosa do desejo, Cami sentiu uma das mãos de Drew deixar seu quadril e mover para baixo entre suas pernas para circular em torno de seu clitóris. Ele começou a mover os dedos com o mesmo vigor com que estava fodendo-a, causando prazer tão intenso que era quase insuportável. Não demorou muito tempo para Cami perder completamente o controle. Mais alguns golpes duros, e Cami foi ultrapassada por uma onda de prazer que empurrava tudo o mais para fora de sua mente. Quando seu orgasmo finalmente acabou, os próprios movimentos de Drew se tornaram erráticos. Então, com um gemido alto, ele ficou imóvel dentro dela. Cami podia sentir seu pau pulsando quando gozava forte em seu interior. Naquele momento, Cami lamentou ter o látex da camisinha entre eles. Desejou poder sentir sua semente saindo da sua buceta. Esse foi o último pensamento coerente de Cami antes de ela cair sobre a cama em um sono exausto e satisfeito.


10

Cami Cami pisca lentamente acordando, rolando em suas costas e encolhendo-se com a picada de dor que sentiu quando sua bunda se esfregou contra os lençóis limpos. A sensação trouxe um sorriso ao seu rosto quando ela se lembrou da noite anterior, havia recebido uma boa surra em seu bumbum. Na verdade, ela nem se lembrava de ter rastejado entre os lençóis. Drew devia tê-la coberto depois que havia adormecido. Ele realmente a surpreendeu ontem à noite. Ele tinha aparecido como um cavalheiro fora de um conto de fadas e aparecido com sua comida favorita, vinho e flores antes de puxá-la para o quarto para o sexo mais maravilhoso que já experimentara em toda a sua vida. Ao pensar no jantar, no entanto, seu estômago começou a roncar. Eles tinham deixado o jantar meio-comido na mesa da cozinha ontem à noite, levados pela fome de estarem juntos rapidamente. Agora, no entanto, ela estava se arrependendo. Talvez ela fizesse Drew levá-la ao brunch hoje. Era domingo, afinal. Certamente ele estava livre. Ele apenas voltou de uma viagem de negócios que durou quase duas semanas. Ele merecia um pouco de descanso antes de voltarem a saciar seus apetites luxuriantes novamente. Ela se virou no colchão e viu que Drew já não estava na cama, mas seu lado dos lençóis ainda estava quente. Cami saiu da cama e partiu para encontrá-lo, nem sequer se incomodando em vestir roupas. Talvez pudesse convencer Drew a voltar para a cama para uma nova rodada de sexo sujo ou duas antes do café da manha. Na cozinha, Cami ficou surpresa ao encontrar a mesa completamente limpa, toda a comida da noite passada eliminados e os pratos lavados e guardados. Algo dentro de seu estômago começou a se curvar em um nó ao ver a constatação da verdade...ele a abandonara novamente? Ela foi ate a mesa da cozinha e notou uma nota sobre a mesma. Baby, um imprevisto surgiu e tive que sair cedo esta manhã. Explicarei-te tudo mais tarde, mas não queria sair sem te avisar. Drewn


Cami fez uma careta. Sempre acontecia algo que o fazia se afastar. Mas parecia tão sincero quando estavam juntos, porem sempre a deixava depois que a fodia. Ela seria só seu brinquedo de foda? Merda doida pensar assim, Drewn não era nada confiável. Ela odiava sentir que não era sua prioridade. Ajudar sua irmã a sair de uma situação horrível fora totalmente compreensível mais e as outras vezes? Ele nunca passava a noite em sua casa e ficava na manhã seguinte para comer o café da manhã com ela. Havia sempre algo mais importante a fazer ou em outro lugar que ele precisava estar. E não era como se as últimas vezes que se encontraram tivessem sido dias de semana, também. Tinham sido domingos e, no entanto, Drew sempre fugia ao amanhecer. Cami começou a pensar sobre todas as suas desculpas. Ela sabia que ele estava dizendo a verdade sobre sua irmã - ela tinha visto com seus próprios olhos. Mas e as outras vezes? Um café da manhã de negócios, uma viagem de negócios, agora algo tinha simplesmente surgido, arrastando-o para longe dela. O nó em seu estômago se tornou mais intenso quando uma nova ideia começou a trabalhar seu caminho em sua mente. E se Drew não fosse tão sincero quanto parecia? E se ele estivesse mentindo para ela esse tempo todo? Pelo pouco que sabia de sua vida, ele poderia ter um relacionamento com outra mulher – como aquela modelo alta e magra da praia, e possivelmente não passava da amante fodida. Depois de seu marido a ter enganado, esse pensamento fez Cami sentir uma pontada no coração. Agora que ela pensava nisso fazia sentido. O comportamento errático, a mudança de personalidade com certas pessoas, ele deixando-a constantemente por razões vagas. Cami sentou-se à mesa por um longo tempo, olhando para o espaço, até ouvir seu telefone tocar no outro cômodo. Era o tom de chamada de Maggie, e ela ainda se sentia em dívida com Maggie pela noite anterior, mesmo se Drew se mostrara ser um idiota total. "Ei," ela disse, uma vez que atendeu a chamada. "Ei, querida!. Você e seu namorado querem rolar suas tristes costas para fora da cama a tempo suficiente para se juntar ao meu irmão e a mim para o brunch? "Maggie gaguejou. Ela estava muito alegre, o que era surpreendente para Maggie, talvez sua noite tivesse se desenrolado muito bem. "Eu não tenho um namorado Mag", foi tudo o que Cami disse em resposta. "Oh!" Maggie respondeu. "Eu pensei que.... Drew havia ligado ontem à noite. Ele não apareceu? " “Oh o infeliz ...aparecera todo romântico e quente!. Então saiu pela noite, ou nas primeiras horas da manhã. Quem sabe? Ele só deixou uma nota vaga sobre algo acontecendo". "Eu sinto muito, querida," Maggie respondeu sua voz calmante. "Venha se juntar a nós para o café da manha e podemos falar mais calmamente sobre isto. Grant e Declan estarão lá. Eles conhecem Drew e talvez sejam capazes de dar alguma luz sobre a situação."


Cami concordou em encontrá-los em um café local em meia hora, então ela pulou no chuveiro para lavar todos o cheiros do toque dele da sua pele. Ela se sentiu meio decente no momento em que se juntou ao grupo já sentado em uma mesa. Uma vez que eles já haviam pedido e tinham copos fumegantes de café entre eles, Maggie virou-se para Cami. "Conte-me tudo", ela exigiu. Cami olhou para Grant e Declan cansada. "Oh, não se importe com eles! E vou me assegurar de que nada que você diga aqui volte para Drew. Eu os mataria se fizessem fofoca. Então, derrame”. "Não há nada realmente a dizer. Ele apareceu tarde na última noite com uma garrafa do meu vinho favorito, um lindo buquê com minhas flores favoritas, e trouxe a comida do meu restaurante favorito......E foi incrível! Ele me contou tudo sobre como ele tinha jogado de cavaleiro em brilhante armadura para sua afligida irmã. Ele me venceu e me cortejou até que de bom grado o permiti me puxar para a cama. " "Não aja como se você o tivesse feito sofrer um pouco antes de correr com ele para o quarto, eu te conheço Cam", Maggie disse com um sorrisinho. "Cale a boca", disse Cami com um rubor quando os dois homens na mesa riram. Mas ela não podia negar o fato... entao apenas optou por seguir em frente com a história. "Hoje quando acordei, estava sozinha. Havia uma nota rabiscada apressada na mesa indicando vagamente que alguma coisa surgiu.” "Isso não soa muito ruim," Declan ofereceu. "Pelo menos ele deixou uma nota, certo?" "Isso é melhor do que você faz, certo, Declan?" Maggie brincou, perturbando-o. Cami não pôde deixar de notar que a mão de Maggie não deixou o braço de Declan mesmo depois que o tinha socado. Ela continuou a tocá-lo enquanto sorria para ele brilhantemente. Cami ficou surpresa, pois esse era definitivamente o comportamento de Maggie flertando, contudo era Declan. Ele era praticamente seu irmão. Sem mencionar que ele flertava com praticamente qualquer coisa que tivesse seios. Sacudindo a cabeça, Cami tentou mudar os pensamentos e voltar para a conversa em questão. "Não seria tão ruim se essa fosse a primeira vez que isso acontecesse", respondeu Cami, abatida "Quero dizer foi a primeira vez que ele me deixou uma nota. A primeira vez que realmente dormimos juntos, acordei sozinha sem nota ou qualquer coisa." Os dois homens na mesa fizeram uma careta e Maggie assentiu com a cabeça. Ela já tinha ouvido essa história. Mais do que uma vez. "Nós dormimos juntos três vezes," Cami disse, decidindo não ter nenhuma vergonha ou segurar nada de volta desses caras se eles iriam ajudá-la a chegar ao fundo do que estava acontecendo com Drew. "E todas as três vezes, eu acordei sozinha. A segunda vez ele teve a decência de me acordar e dizer adeus. Ele me disse que tinha que fazer uma curta viagem de negócios e me ligaria logo.”


"Isso não soa ruim," Grant ofereceu. "Eu não ouvi nada dele por quase duas semanas," Cami respondeu com evidente frustração em sua voz. "Oh!” Grant disse, parecendo um pouco decepcionado ao ouvir isso. "Escute, eu sei que Drew está passando algumas coisas agora, mas ele é um cara bom.” "Eu sei que ele é um grande cara quando quer ser. Ele pode ser tão gentil e carinhoso - como se realmente sentisse algo por mim. Então do nada ele desaparece por uma semana ou duas. Drewn é completamente inconsistente.. Vou pegar como exemplo na casa de praia. Um minuto, ele esta totalmente dando em cima de mim, no minuto seguinte, ignorando-me enquanto alguma modelo estava agarrado ao seu braço e ria de suas piadas realmente esnobes. Seu comportamento é tão errático, cheguei a conclusão de que ele está me traindo. Ou não me traindo. Porque sei que sequer posso chamar o que temos de relação. Mas acho que ele está traindo alguém comigo. Eu sou a maldita outra”. "Cami, acalme-se!" Maggie disse, inclinando-se para colocar uma mão reconfortante no seu. Foi apenas então que Cami percebeu que estava híper-ventilando. - Sinto muito - disse aos outros. "Estou sob muito estresse agora, com a batalha de custódia. Estou um pouco mais sensível do que o habitual..". Maggie abriu a boca para falar, mas foi interrompida por um garçom com uma grande bandeja cheia de panquecas, waffles e omeletes. Durante algum tempo, a conversa diminuiu e o grupo silenciosamente apreciou a refeição, Cami ficou de olho em Maggie e Declan, que estavam constantemente roubando comida do prato um do outro e brincando. Era como se Maggie estivesse ansiando pelo toque de Declan. E Declan parecia estar retribuindo - não que fosse surpreendente, o cara sempre flertava com todas. Mas Maggie nunca demonstrara qualquer interesse por ele antes, além de afeto fraterno. Cami não podia acreditar, será que o encontro secreto de Maggie da noite anterior poderia ter sido com Declan? Ou tinha seu encontro ido tão mal que ela estava procurando alguma distração? Isso parecia mais provável, em sua opinião. Ela sacudiu a cabeça e decidiu esquecer o assunto. Provavelmente não era nada, afinal, e Grant não parecia notar ou se importar. "Escute Cami", Grant começou depois de um tempo, "Drew é meu melhor amigo, sem ofensa, Declan.” - Não me ofendi cara - respondeu Declan antes de voltar para Maggie, com quem estava lutando pelo ultimo pedaço de omelete. "Vocês conhecem um ao outro muito mais. " " Sim. Sim, isso é verdade - disse Grant. "De qualquer maneira", ele continuou, voltando-se para Cami “Conheci Drew por mais de uma década. Nós passamos por muita coisa juntos. Ele é como um irmão para mim. O que estou tentando dizer é, Drew não é do tipo de trapacear.” - Não- concordou Declan. Ele se virou para ela e depois voltou a comer, Grant apenas revirou os olhos e continuou falando.


"Porra, sei que ele não está vendo mais ninguém. Na verdade provavelmente não deveria te dizer isso - não o deixe saber ou ele vai me matar - mas você é a primeira mulher com quem ele dormiu desde o divórcio.” - O quê? - perguntou Cami com ceticismo. Drewn tinha dito que ela fora a primeira pessoa com quem tinha saido desde o seu divórcio, mas com todas aquelas mulheres atirando-se nele, achava difícil de acreditar que ele não tenha tido encontros sexuais. "Não há nenhuma maneira disso ser verdade." "Essa é totalmente a verdade", confirmou Declan. "O homem tem o auto controle de um ... eu não sei. Ele tem um monte de auto controle de merda! " - Bom, Declan - Maggie interveio, rindo. Declan riu também por um momento, então se virou para Cami seriamente. "Deixando as brincadeiras de lado", ele disse, "Drew realmente é um grande cara e nunca iria engana-la assim, ele realmente gosta de você". Acrescentou Grant. "Ele tem muita coisas fodidas acontecendo com ele no momento, coisas que o fazem ir em direções opostas. Drewn não pode realmente ser ele mesmo agora. Mas ele gosta de você, e uma vez que lidar com tudo isso, que acredito ser muito em breve, sei que será um namorado ideal para ti.” - Não entendo - disse Cami. "O que você quis dizer com: ele realmente não pode ser ele mesmo agora? Por que não? Com que tipo de coisas ele precisa lidar? Porque da maneira vaga que você está falando, faz soar como se ele estivesse em um relacionamento do qual está tentando sair, o que significaria que estava certa sobre Drewn estar traindo alguém comigo." "Porra, não! Não é isso, juro” disse Declan. – Antes que Declan pudesse terminar sua frase e revelar mais, Grant colocou a mão no ombro do outro cara e sacudiu a cabeça com os olhos indecifráveis. Declan fechou a boca e assentiu com a cabeça em compreensão. "Olhe," Grant disse, "nós realmente não podemos falar sobre o que Drew está fazendo agora. É seu negócio privado, e ele lhe dirá quando estiver pronto. No entanto, posso prometer que não é nada do que esta pensando. Ele não está em nenhum tipo de relacionamento - e também não está envolvido com nada ilegal. Eu sei que isso parece ruim, mas eu prometo a você, não é. Você apenas tem que confiar em mim.” Cami assentiu com a cabeça. Ela confiou em Grant. Ela sabia que ele nunca a levaria a algo prejudicial. Mas e se ele não conhecesse Drew tão bem quanto pensava que fazia? E mesmo se Drew não estivesse fazendo qualquer coisa obscura Cami obviamente não estava em sua lista de prioridades. Ele parecia realmente so se importar com ela quando estavam juntos - mas não o suficiente para ficar depois do sexo. Cami decidiu deixar o tema de Drew ir e voltou a comer seu café da manhã em silêncio. O resto do brunch transcorreu suavemente, o flerte entre Maggie e Declan, a manteve entretida. Quando se levantaram para sair, Grant caminhou ao lado de Cami.


"Eu sei que já disse um monte, mas só quero reiterar que Drew é um grande cara. E sei de fato que ele está muito interessado em você. Ele está passando por algumas coisas ruins, mas está quase no fim. Se você conseguir esperar apenas um pouco mais, valerá a pena. Prometo." Cami assentiu, embora não soubesse se concordava ou não com ele. Ela não estava certa de que queria continuar com Drewn, não mais.


11

Cami Quando Cami voltou do brunch, ela ainda tinha algumas horas antes de pegar Madison. Ela discutiu ir lá cedo, mas sabia que não seria bem recebida. E ela não queria se desviar do cronograma de custódia fixa no momento e assim dar Ken ainda mais mérito em suas demandas. Cami tentou manter sua mente calma e longe de qualquer dos grandes problemas perseguindo sua vida, até porque não poderia fazer nada sobre eles agora. Decidiu que a melhor maneira de manter sua mente clara era mantê-la ocupada. E então ela começou a limpar. Ela limpou toda a casa de cima a baixo. Ela deu faxina no quarto de Madison e lavou todos os brinquedos, em seguida, aspirou o piso. Depois começou a lavar todos os lençóis da sua própria cama. Arrumar a cama do seu quarto trouxe seus pensamentos de volta para Drew e o que eles tinham feito na noite anterior. Deus, o sexo tinha sido excelente. Não apenas excelente mais incrível. Nunca tinha tido relações sexuais tão boas. E eles só dormiram um com o outro, três vezes. Isso era difícil de acreditar, dada a maneira como fizeram amor. Ela tinha dormido com Ken por anos, e eles nunca tinham sido tão sintonizados com o corpo um do outro quanto era com Drew. Quanto mais se esforçava por não pensar em Drew, mais obstinadamente ele pareceu abrir caminho em seus pensamentos. A conversa no brunch ajudou a opinião de Cami sobre o homem. Todos os comentários de Declan e o elogio de Grant lembraram a Cami de quão doce Drew realmente era. Ela pensou na cena que tinha presenciado na casa de praia entre ele e sua irmã. Drew havia descoberto sobre o marido abusivo de sua irmã. Ele tinha despachado o homem e tinha então tranquilizado sua irmã enquanto ela chorava e todo o tempo sussurrando encorajamentos doces em seu ouvido. E então, ontem, ele ajudou-a e seu filho a escapar do bêbado, levando-os para seu apartamento. Cami só desejava ter tido alguém que a apoiasse assim durante seu próprio divórcio. Então havia sido a maneira que ele sempre


perguntou após sua batalha de custódia, oferecendo encorajamento e conselho. Era como se realmente tivesse alguém que a apoiasse, como ela sempre quisera. Mas ele era tão errático e pouco confiável, e isso foi reconfirmado - embora não de propósito - por Declan ao falar sobre as "coisas" ambíguas com que Drew estava lidando, uma que nenhum dos homens pode explicar. Isso apenas validou o que Cami já sabia sobre a personalidade ora calorosa ora fria de Drew. Mesmo se as "coisas" que Drew estava lidando não fossem obscuras ou ilegais, elas ainda pareciam ser de maior prioridade para ele do que a própria Cami. Ela não sabia se conseguia lidar com um relacionamento com um homem que não a via como sua principal prioridade. Sim, as coisas iriam surgir de vez em quando - era a vida, e Cami percebeu isso. E não era como se Cami esperasse ser a primeira prioridade de Drew no início do relacionamento. Mas o fato dele nunca ir à casa dela na parte da manhã, não escolhê-la sobre as outras "coisas" em sua vida – a fez se sentir como se ela nada importante para ele. Cami ficou pensando nisso até que deu o horario de ir pegar sua filha. Ela se sentiu doente durante todo o percurso pela cidade para o bairro rico onde Ken vivia. Não era que ela não queria ir ver sua menina. Ela estava muito animada para pegar Madison. Ela realmente não queria era ter que enfrentar Ken no momento. Ele a pegou na casa da mãe de Cami na sexta-feira enquanto Cami estava fazendo seu trabalho. Ela não o tinha visto desde sua reunião gelada e silenciosa com seus advogados há semanas e não conversou com ele ao telefone. Cami não tinha certeza se estava com raiva ou aliviada quando estacionou o carro ao longo da entrada da casa e não viu a BMW de Ken lá. Significava que ela não teria que lidar com ele mais ao invés disso teria que lidar com Natalie. Natalie nunca tinha sido nada, além de educada com ela, mas Cami não podia se ajudar, e a odiava de qualquer maneira. Natalie abriu a porta com Madison no seu quadril, agarrando-se a ela como um macaco. Claro, Natalie parecia perfeita, com seus cabelos loiros ondulados apenas para a direita e suas calças brancas e top sem ao menos uma menor mancha. Cami lhe ofereceu um sorriso fraco. "Ei, querida," Cami disse estendo os braços para pegar Madison fora dos braços de Natalie. - Não - respondeu Madison, agarrando-se à outra mulher. - Quero ficar com papai e Natalie. Cami encolheu-se visivelmente. Madison sempre ficava animada de vê-la e pronta para ir para casa depois dos fins de semana no Ken. Agora ela estava agarrada ao monstro e exigindo ficar. "Eu posso continuar segurando-a por mais alguns minutos", Natalie disse a ela, como se ela estivesse fazendo um grande favor a Cami. "Ainda não estamos prontos para ir." Com isso, Natalie voltou para dentro da casa, Madison ainda em seus braços, mas não rápida o suficiente para esconder um sorriso largo e satisfeito que se espalhara por seu rosto. Cami nunca a odiara mais do que nesse momento. Ela queria mais do que qualquer coisa exigir que Natalie entregasse sua filha, mas ela não queria causar uma cena na frente de Madison. "Desculpa. Estávamos apenas arrumando suas coisas quando você chegou.”


Seu uso da palavra nós estava deixando Cami louca. Era como se ela estivesse insinuando que ela e Madison eram uma equipe. Mas não eram. Madison e Cami eram uma equipe, eram ‘nós’. Cami enrolou os punhos e não falou nada enquanto seguia Natalie através da enorme e imaculada casa - era até maior do que a que Cami tinha uma vez compartilhado com Ken. Parecia que Natalie não hesitava em gastar o dinheiro de Ken. Cami não entendia o que estava acontecendo agora. Pelo menos, ela não entendeu até que elas subiram as escadas e entraram em um quarto grande. O quarto estava lindamente decorado, com tudo o que uma criança poderia desejar. Uma cama rosa de princesa pressionado contra uma parede, quase do tamanho da cama da própria Cami, uma casa de Barbie cheia de bonecas e um corresponde carro de Barbie grande o suficiente para sua filha dirigir. As paredes foram cobertas com imagens das princesas da Disney e a porta do armário estava aberta, revelando uma série de roupas extremamente caras. Cami não sabia quando este quarto tinha sido construído, mas ela sabia que não fora há muito tempo. Ela também percebeu por que Natalie a trouxe até aqui de proposito. Para mostrar-lhe o quanto melhor ela acreditava que que a vida de Madison estaria aqui. E talvez, fosse outra tática de intimidação também. Ao mostrar a Cami este quarto, Natalie estava deixando-a saber que ela e Ken acreditavam que iriam ganhar a batalha da custódia. Na verdade, eles já estavam preparados para isso. O pensamento deixou Cami doente. Ela sabia que não era verdade. Sabia somente coisas materiais não fariam Madison feliz. Com Madison ainda no seu quadril, Natalie estava inclinando-se para baixo para guardar as roupas e brinquedos que vieram da casa de Cami. Eles eram demasiados simples em comparação com as roupas e brinquedos caros deste cômodo- mas isso era apenas outro ponto que Natalie estava tentando fazer. Assim que o último artigo foi depositado na bolsa, Cami a arrancou da mão de Natalie. "Vou levar minha filha agora", disse Cami, tirando Madison de suas garras. Madison choramingou por um momento, pedindo uma de suas bonecas. “Esses brinquedos são apenas para sua casa aqui, Madison” - disse Natalie com falsa doçura na voz. "Sua mãe tem outros brinquedos para você na sua outra casa.” Outra casa, Cami queria gritar que esta não era a casa de Madison - que Madison tinha um lar. Mas ela não o fez. Ela simplesmente levou sua filha para fora do quarto e desceu as escadas, não esperando por Natalie. Madison ainda estava agitando, chamando por Natalie e uma boneca de que Cami não sabia. Cami não se importava. Só se preocupava em sair daquela maldita casa o mais rápido possível. Ela teve que se forçar para não correr pela sala para chegar logo à porta. Quando finalmente chegou la fora, inclinou-se no carro para por o cinto de segurança em Madison, e seguida, percebeu que Natalie estava na entrada da casa, ainda sorrindo com malicia. "Adeus, Madison, meu amor", ela chamou. "Vejo-te em breve."


"Tchau, Natalie", Madison respondeu enquanto Cami estava batendo a porta de Madison e ficando atrás do volante. Cami esperou estar a alguns quarteirões de distância para poder se dissolver em lágrimas. Como ela deveria competir com isso? Ela não podia. Ela não tinha meios. Mesmo que ela ganhasse a custódia, que parecia cada vez menos provável ao passar dos dias, Ken e Natalie seriam capazes de ganhar o afeto de Madison pela quantidade de coisas que estavam dispostos a comprar para ela. Isso não poderia importar muito para uma menina de três anos, mas certamente importaria para uma garota de 13 anos. Quando Madison tivesse idade suficiente para decidir por si mesma, ela poderia ser comprada por promessas das roupas mais caras e de aparelhos eletrônicos sofisticados, férias tropicais e um carro novo em seu décimo sexto aniversário. Não! Cami disse a si mesma. Nunca será assim! Ela iria certificar-se de que Madison cresceria sabendo o que era importante valorizar. Iria se certificar de que sua filha perceberia que só o dinheiro e os bens materiais não fazem as pessoas felizes. Quando Madison tiver idade suficiente para escolher, ela saberia o que realmente era de valor na vida. Mas isso só aconteceria se ela ganhasse este processo. Limpando as lágrimas de seus olhos, Cami tentou se concentrar em algo mais por um tempo. Não havia absolutamente nada que pudesse fazer no momento para afetar o resultado do julgamento, então seria melhor se ela investisse seu tempo e energia em salientar sobre algo que ela tinha algum poder sobre. Sua mente se voltou a Drew. Ela realmente gostava dele mais do que queria admitir, se ele fosse mais constante, provavelmente já estaria apaixonada. Mesmo com seu comportamento errático, ela sabia que estava se apaixonando e que se não tomasse cuidado iria começar a amá-lo. Mas ela não queria estar com alguém que só a via como uma segunda opção, que não a assumisse. Ela já fizera isso e doía demasiado. E merda, agora sua menininha, a sua Madison estava se afastando dela e ela não iria investir seu tempo e forças, em uma pessoa que não a via como sua prioridade número um. "Va se foder Drew," Cami disse em voz alta dentro do carro, fazendo a sua mente de uma vez por todas. – Não quero vê-lo nunca mais.

.......... continua


Alexa wilder the stubborn suitor 02 the stubborn suitor (al2)