Page 1

Impresso Especial 9912249122 / 2010

cro-sc

devolução garantida

correios

correios

co n s e l h o r e gio n a l d e o d o n to l ogia | a n o 2 | n . 6 | 2 0 1 3

segurança nunca é demais Catarinenses são destaque no Prêmio Brasil Sorridente • 08

• 05

CRO-SC Mulher • 09

Ações do CRO-SC – Gestão 2011-2013 • 07

Terapias ganham espaço como reforço no tratamento odontológico • 11 Entrega do prêmio Brasil Sorridente foi em abril no memorial JK, em Brasília

Carreteiro Solidário beneficia quatro entidades da Capital • 08 Impresso Fechado pode ser aberto pela ECT.

Conheça a rádio CRO-SC • 04 endereço para devolução: Rua Duarte Schutel, 351 • Centro • Florianópolis/SC • CEP: 88015-640

uso exclusivo dos correios tentativas de entrega ____/____/______

____/____/______

mudou-se não existe o no indicado desconhecido não procurado recusado

____/____/______

endereço insuficiente ausente falecido informação do porteiro/síndico outros:____________________

assinatura do empregado


editorial

2

Carta ao leitor Colegas! Estamos cada vez mais estreitando nosso relacionamento com os profissionais inscritos no CRO-SC, principalmente pelos Encontros Regionais realizados nas diversas regiões do Estado. É expressivo o número de participantes, como em Chapecó, em 17/05/13, que contou com a presença de 188 Cirurgiões-Dentistas, 5 acadêmicos e 87 profissionais auxiliares. O Encontro, em Florianópolis, para ASB E TSB (07/06/13) ultrapassou os 300 inscritos. E em Balneário Camboriú, para APD e TPD, no dia 06/07/13, foram mais de 300 participantes. Recentemente adquirimos dois carros para a fiscalização e continuamos focados no objetivo de contatar os profissionais para ouvir, orientar ou fazer uma visita de cortesia. Já contamos com um número expressivo de municípios que foram totalmente visitados e outros com algumas pendências. Estamos trabalhando nos centros de saúde, clínicas privadas e públicas. Nossa Comissão Ética, através das Câmaras de instrução Ética nas delegacias, tem permitido a conciliação ou orientação, o que tem evitado, muitas vezes, novos Processos Éticos. Assim, é a comissão que se desloca evitando a vinda dos colegas até a Capital. Agora temos a disposição uma rádio On Line com músicas e informações de nosso interesse. Basta entrar no site e clicar no ícone. Ouça e sugira informações. Estamos inserindo em todo o Estado os Representantes Municipais, nas cidades das regiões coordenadas pelos Delegados Regionais do CRO-SC. Assim, teremos representatividade nos diversos locais, servindo de ponto de apoio para a fiscalização, representação oficial junto às Prefeituras, como também da comunidade junto ao CRO-SC e vice e versa. Santa Catarina sagrou-se nacionalmente no prêmio Brasil Sorridente como Estado que se destacou nas três classificações do concurso. Tivemos Porto União, por duas vezes consecutivas, em 2o lugar como município até 50.000 habitantes; Balneário Camboriú em 3o lugar (município de 50.000 até 300.000 habitantes), e Florianópolis em 2o lugar com população acima deste patamar. Isto significa uma população saudável, visão administrativa de nossos governantes e a valorização da nossa profissão. Gostaríamos de chamar atenção dos colegas para a necessidade de realizar os testes de hepatite, gratuito nos postos de saúde e mesmo a vacinação, como forma de prevenção. Pertencemos a grupo de risco e muitos colegas desconhecem que possuem a doença. Este é o melhor caminho. Finalmente gostaríamos de agradecer a todos os Conselheiros e Delegados que deixaram o mandato e parabenizar aos que continuaram e aos novos, incluindo também os Representantes Municipais, que aceitaram o convite para nos ajudar. Somente unidos é que conseguiremos produzir pela classe.

Prof. ÉLITO ARAÚJO, Presidente do CRO-SC

O CRO-SC agradece aos parceiros que auxiliaram na realização do Carreteiro Solidário:

Dental Flex

composição do CRO-SC Diretoria Presidente: Profo Dr. Élito Araújo Secretário: Bráulio Pasternak Júnior Tesoureiro: Guido Ritter Bonmann Membros Efetivos Presidente Comissão Tomada de Contas: Dalton José Bittencourt Nercolini Presidente Comissão de Ética: Caren Regis Bueno de Oliveira São Thiago Membros Suplentes Ivan Renato Burigo Tânia Elizabeth Roese José Luiz do Couto Genaro Costa Keske Patrícia Santos Quaresma Membros de Comissões no CFO Comissão do Mercosul: Sérgio Bastos Abraham Comissão de Políticas Públicas de Saúde: João Carlos Caetano Comissão de Legislação: Tulio Del Conte Valcanaia Comissões Comissão de Tomada de Contas Presidente: Dalton José Bittencourt Nercolini Tania Elisabeth Roese Ivan Renato Burigo Comissão de Ética Presidente: Caren R.B.O. São Thiago José Luiz do Couto Patricia dos Santos Quaresma 1a Câmara de Instrução Ética – Região de Florianópolis Célio Manoel da Silva Rosana Legat Springmann Sidney Joffre Legat Leonardo Lauro Marques 2a Câmara de Instrução Ética – Região de Joinville Tania E. Roese Evandro Daniel Roggia Juliana Sato Rogério Leite Cesar Alberto Barg 3a Câmara de Instrução Ética — Região de Criciúma Ivan Renato Burigo Carmen Lygia Leal Cunha Luiz Gonzaga Mariano Sílvia Silvestre Negro 4a Câmara de Instrução Ética — Região de Lages Dalton J.B. Nercolini Roberto Fiorindo Ogliari Michael Dalmolin Ivo Schutz Geraldo Costa de Oliveira Alcides Vieira 5a Câmara de Instrução Ética — Região de Chapecó Genaro Costa Keske Rubens de Paula Maia Filho Daltro Boniati Bianca Fiorentin Moura Câmara Técnica de Radiologia Rodrigo Grotto Márcio Correia Adelar Virgilio Dalfovo Jr. Câmara Técnica de Especialidades Rodrigo O. Melim Passsoni Câmara Técnica de Odontogeriatria Fernando Demboski Pinter Câmara Técnica de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial José Nazareno Gil Frederico Duarte da Silva Marcelo Vargas Schutz Câmara Técnica de Patologia Bucal Liliane Janete Grando Elisabete Ulsenheimer Rojas Alessandra Duarte da Silva Câmara Técnica de Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais Cláudio José Amante Sílvia Schaefer Tavares Andrea Gallon Câmara Técnica de Disfunção TemporoMandibular e Dor Orofacial Roberto Ramos Garanhani Evandro Oenning Mario Roberto Homem Rosan B. de Souza Abrantes Wladmir A. de Souza Dal Bó Comissão dos Auxiliares e Técnicos em Prótese Dentária Carlos Alberto Pereira Irom Lemos da Cunha Marcelo Scarton Jean Cley de Souza Bueno Comissão de Ensino Alessandra Araújo Lizette Feuser Luciana Amorim Thaise Medeiros Machado Comissão de Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal Maria Bernadete da Silva, São José Josiane Cristina Siqueira, São Sebastião Cristiane da S. Bonora, Xanxerê Soeli das Neves Tomio, São Miguel D´Oeste Juliana de Souza, Curitibanos Ileini Venilda Friedrich Ferreira Lopes, Blumenau Jaqueline Ehmke de Oliveira, Balneário Camboriú Gerusa Maria Pereira, Lages

Gleice Kelen de Almeida Negrini, Joinville Juliana de Cássia Cavassini, Concórdia Patrícia Kirschner da Cruz, Caçador Santina Saldetti Salvaro Viero, Araranguá Anita Woltel Hansen, Pomerode Maria Bernadete da Silva, São José Josiane Cristina Siqueira, São Sebastião Comissão Social e Divulgação Carmen Rosa Saavedra Alessandra Araújo Wilson Batista Rosana Legat Springmann Simone Lunardi S. Leal Maria Cristina de M. Remor Comissão Defesa no SUS João Carlos Caetano Marynês Terezinha Reibnitz Ana Cláudia B. Silva Cimardi Comissão de Acadêmicos Eduardo Hilário Sá Eron Flores Tommy Luiz Rasmussen Comissão Científica Renata Gondo Machado Sheila Cristina Stolfo Jussara Karina Bernardon Comissão de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde Bucal Karime Suely Pereira Marisa Salvador Dominguez Monique Cunha da Silva Wladmir Antônio de S. Dal Bó Maria Helena G. Lehnmann Aleto Silva Cintia Zonta Vanuce Torres de Oliveira Comissão de Odontologia Hospitalar Maury José da Luz Maciel Rodrigo Granato Rodrigo Grotto Jonathas Daniel Paggi Claus Comissão de Convênios e Credenciamentos Carla D´Agostini Derech Fernando Demboski Pinter Elton Germano Zomkowski Comissão CRO Mulher Carmen Rosa Saavedra Tania E. Roese Lilian Thiesen Pasternak Patricia dos Santos Quaresma Caren R. Bueno O. San Thiago Comissão de Análise de Projetos da Odontologia Walmor S. Dresch Neto Stroher Comissão de Biossegurança Daniele de Almeida Lima Comissão de Análise de Projetos da Odontologia Walmor S. Dresch Neto Stroher Renato Klotz Angelo Antônio Detoni Mariana Wechenfelder Camila Perondi Comissão Da Revista do CRO-SC Dalton J.B. Nercolini Braulio Pasternak Jr. Sérgio Bastos Abraham Murilo Rosa Janete Cabral de Oliveira Representações do CRO-SC Conselho Municipal de Saúde de Florianópolis Adalton Vieira Regina Kátia P. Gonçalves Conselho Municipal de Saúde de São José Giovani Sant’Anna Garcia Conselho Municipal de Saúde de Criciúma Fernanda G.F. Sonego Sinara Gasola Silvia Silvestre Negro Conselho Municipal de Saúde de Mondaí Andressa Gass Carlos Alberto Post Raquel da Rocha Colegiado Graduação da UFSC Elmo Bittencourt Marianella Aguilar V. Fadel Comitê de Ética da Maternidade Carmela Dutra Marisa Salvador Bittencourt DELEGADOS REGIONAIS Araranguá: Edson Shigueo Kikuchi Balneário Camboriú: Francisco Sgarioni Blumenau: Roberto Luiz Evaristo Berndt Brusque: Charles Albani Dadam Caçador: Luiz Henrique Grando Padilha Canoinhas: Edegferson Erivaldo Meister Chapecó: Celso Nunes Moura Filho Criciúma: Carlos Henrique Burigo Rosso Concórdia: Ticiano Vieira Machado Curitibanos: Rodrigo da Costa Imbituba: Ademir Fantucci Jaraguá do Sul: José Ambrosio dos Santos Neto Joaçaba: Roberto Francisco Wesoloski Joinville: Evandro Daniel Roggia Lages: Alceu Luis da Silva Martins Júnior Mafra: Sergio Airto Lazzari Médio Vale: Michel Horvath de Lima Rio do Sul: Cintia Zonta São Bento do Sul: Alexandre Braulio Cordeiro São Miguel D´Oeste: Marcos Sabadin Tubarão: Ronaldo de Carvalho Cabral Filho Xanxerê: Gilberto Luiz Cherubin


3 educação

apoio

CRO-SC recebe de outros Conselhos Entidades de várias partes do país mostraram interesse em discutir o ensino de odontologia A competência de autorizar ou não a abertura de cursos superiores no Brasil é do Ministério da Educação (MEC). Ainda assim, o CRO-SC conquistou apoio importante de outros Conselhos para discutir o ensino de odontologia no país. As entidades da Bahia, Pará, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul manifestaram-se favoráveis à ideia de articular um movimento que solicite ao órgão nacional a suspensão da abertura indiscriminada de faculdades em regiões onde há excesso de profissionais. Sobre o assunto, o presidente do CRO-SC, Élito Araújo, enviou ofício para o Conselho Federal de Odonto-

logia (CFO) e demais CROs expondo a preocupação com a falta de compromisso e qualidade no ensino em diversas instituições. Na opinião dele, a mercantilização do ensino pode “jogar no mercado” profissionais sem condições técnicas para o exercício profissional e sem perspectiva de inserção no mercado de trabalho. A ideia do órgão é que o CFO lidere um movimento para debater com o MEC a abertura de novos cursos superiores ou retomar as discussões de forma madura e atualizada sobre a aplicação dos exames de proficiência aos recém graduados. “Nunca foi tão necessário avaliar a capacidade e condição do exercício da odontologia”, acrescenta o presidente em trecho do ofício. O procurador jurídico da entidade, Alexandre Beck Monguilhott, ressalta que a autorização para funcionamento e instalação de cursos superiores é

atribuição do Ministério da Educação. “O exame de proficiência, apesar de parecer cruel por criar um limitador ao exercício profissional após a conclusão do curso, precisa ser discutida principalmente nas profissões da área de saúde. Nestes casos o risco que representa um profissional com formação deficiente pode ser definitivo”, explica. Segundo Alexandre, atualmente só os advogados tem essa prova: “No Brasil, desde que observadas as limitações impostas pela lei, é livre o exercício profissional. Ou seja, somente pode se limitar a atuação profissional por força de lei. A advocacia é regulada pela lei 8.906/94, que em seu artigo 8o prevê expressamente a realização de um exame de ordem”. Para a realização de exames de proficiência na área de saúde, mecanismos semelhantes precisam ser incluídos nas legislações que normatizam essas atividades.

Santa Catarina é representada em comissões do CFO Três cirurgiões-dentistas de Florianópolis representam o Estado no Conselho Federal de Odontologia (CFO). O presidente da entidade, Ailton Diogo Morilhas, assinou as portarias que nomearam os profissionais Murilo Rosa (Comissão de Ensino), Sérgio Bastos Abraham (Comissão do Mercosul) e João Carlos Caetano (Comissão de Políticas Públicas de Saúde), que ficam nos cargos até fevereiro de 2014. Além de nortear o rumo da profissão no país, as comissões federais são responsáveis por analisar o exercício da odontologia, dialogar e colaborar com os Conselhos Regionais. A participação dos CDs, além de divulgar o trabalho de Santa Catarina, mostra o bom momento da odontologia catarinense e do trabalho feito pelo CRO-SC. “É importante para Santa Catarina, pois estamos atentos às necessidades de nosso estado e podemos ser interlocutores”, destaca Murilo Rosa. O cirurgião-dentista avalia que a Comissão de Ensino é uma das mais importantes do CFO. Entre outras res-

ponsabilidades, a equipe emite pareceres nos processos de reconhecimento e de credenciamento de cursos de especialização e faz a auditoria dos mesmos. Faz parte das funções da Comissão de Políticas Públicas de Saúde manter o cadastro atualizado de todas as normas referentes à odontologia no SUS e desenvolver estudos que permitam a inclusão da profissão plenamente no sistema. “A comissão é responsável por avaliar e pedir uma mudança da política de saúde pública no país”, acrescenta João Carlos Caetano. Já a Comissão do Mercosul é responsável por assessorar o Plenário nas questões que envolvam o exercício profissional nos países latinos e fazer estudos comparativos das legislações referentes ao exercício da profissão. Assim como representar o CFO junto aos órgãos ministeriais que tratem da questão do exercício profissional na América Latina. “Procuramos simplificar a participação dos cirurgiões-dentistas de outros países nos cursos de especialização e atualização”, explica Sérgio Abraham.

Dr. Sérgio Bastos Abraham (Comissão do Mercosul)

Dr. João Carlos Caetano (Comissão de Políticas Públicas de Saúde)

Dr. Murilo Rosa (Comissão de Ensino)


gestão

4

Conselho investe em fiscalização Além da contratação de fiscais, veículos foram comprados para agilizar o serviço Para aprimorar a fiscalização e garantir a legalidade do exercício da profissão, a diretoria do CRO-SC ampliou o quadro de fiscais e a frota de veículos no Estado. Até o final do ano, o Conselho planeja investir ainda mais no setor para dar agilidade aos trabalhos e verificar as atividades de cirurgiões-dentistas, laboratórios de prótese dentária, unidades municipais de saúde e clínicas de todas as cidades de Santa Catarina. Descentralizando a fiscalização, o CRO-SC vai acompanhar mais de perto a atuação dos profissionais em um número maior de cidades. Segundo Edson Carvalho, assessor jurídico do CRO-SC, antes havia dois fiscais, responsáveis pelo Estado inteiro, duas estagiárias e o coordenador da fiscalização. A atual gestão remanejou um fiscal, contratou mais dois e uma funcionária para a sede. “Também foram contratados dois fiscais para atuar no interior, sendo um em Chapecó, responsável pela fiscalização na região

Novos carros agilizam fiscalização

Oeste, e um em Joinville, que vai atuar no Norte. As demandas dessas regiões são direcionadas diretamente para eles, que podem atendê-las mais prontamente”, afirma. E as melhorias não param por aí. Dois veículos foram adquiridos para ficar à disposição dos ficais de Chapecó e Joinville e tornar mais rápido o deslocamento, aumentando a abrangência das atuações. O supervisor da fiscalização, Murilo Rosa, adianta que no segundo semestre haverá mais contratações de

fiscais para as cidades de Lages e Criciúma. O objetivo é fazer com que a fiscalização seja rápida e ágil em todo o Estado. A programação do CRO-SC, nos próximos meses, é averiguar o setor público e o privado de todos os municípios catarinenses. “Uma das funções do Conselho é a fiscalização do exercício profissional e do código de ética. Saber se os profissionais estão respeitando as exigências da profissão e orientar os cirurgiões-dentistas que não estão”, destaca Murilo.

Diretoria do CRO-SC investe em rádio e ferramentas sociais na internet A diretoria do CRO-SC trabalha para estar cada vez mais próxima e oferecer benefícios aos profissionais registrados. Exemplo é a Rádio Online, disponível 24 horas por dia, que pode ser acessada pelo site www.crosc.org.br. Além de notícias sobre eventos e assuntos relacionados à odontologia, a programação inclui sucessos da MPB e músicas internacionais selecionadas para o ambiente de consultório. O pacote é gratuito. Para acessar, basta clicar no banner da rádio no site do Conselho. Outras ferramentas de comunicação também vem sendo usadas. O Facebook do CRO-SC tem 2.238 fãs e alcance de aproximadamente 12 a 15 mil pessoas por semana.


Representantes Municipais em todas as regiões do Estado

Entre as atribuições está orientar os profissionais para o cumprimento da legislação odontológica

saiba mais

O CRO-SC e seu plenário criaram o cargo de Representante Municipal. A função será exercida por cirurgiões-dentistas indicados pelos delegados regionais, ou a critério do Conselho, nomeado por portaria do presidente, que também define a sua área de jurisdição. “Queremos levar as diretrizes do

CRO-SC, assim como ouvir os cirurgiões-dentistas, em todos os locais de Santa Catarina”, diz Élito Araújo, presidente do CRO-SC. De acordo com a Resolução 63/2005 do CFO, que consolida as normas para procedimentos nos Conselhos de Odontologia, entre as atribuições dos Representantes Municipal e Distrital está orientar os profissionais de sua jurisdição para o fiel cumprimento da legislação odontológica; contribuir com a autoridade imediatamente superior, neste caso os delegados regionais, para o cumprimento da legislação odontológica. Também deverão informar o

Conselho sobre os interesses da classe ou da saúde bucal dos municípios onde atuam. A eles cabe também informar qualquer irregularidade que ocorra dentro da área de sua jurisdição, com referência às leis que exercem o exercício da Odontologia e, especialmente, ao Código de Ética Odontológica. Os Representantes Municipais também são responsáveis por intermediar o relacionamento do Conselho Regional com as pessoas físicas e jurídicas da sua jurisdição. Entre as relações mais importantes estão o contato com o setor público, entidades odontológicas e profissionais da área.

Conheça os Representantes Municipais já definidos w Região de Araranguá

Arroio do Silva: Marcus de Almeida Balneário Gaivota:Cássio Ferreira Ramos Ermo: Wanderley Luiz Amboni Jr. Jacinto Machado: Wanderley Luiz Amboni Jr. Maracajá: Raquel Fernandes Santos Rodrigues Meleiro: Andrea Simoni Rossi Fermo Morro Grande: Andrea Simoni Rossi Fermo Passos Torres: Roberto Morales Carneiro Praia Grande: Marcelo Castagna Macan Santa Rosa do Sul: Juliana de Souza Rosa Sombrio: Gabriel Ferreira Ramos Timbé do Sul: India Mara dos Santos Turvo: Dany Paula Furlanetto w Região de Balneário Camboriú

Bombinhas: Eduardo Gomes de Alfredo Neto Camboriú: Roberto Mafra Itapema: Diego Morozi Porto Belo: Douglas Heil Júnior w Região de Brusque

Botuverá: Conrado Vargas Hirt Canelinha: Radamés Delano Orsi Santos Guabiruba: Carin B. Schumacher Leoberto Leal: Cacilda Bruzadelli Borges Major Gercino: Eric Rafael Marones Nova Trento: Celso Luiz Fritzke São João Batista: Jonilson Becker Júnior Tijucas: Eli José Cesconetto Vidal Ramos: Adenir Poli w Região de Caçador

Arroio Trinta:Luiz Henrique Grando Padilha Iomerê: Paulo Silva Lebon Regis: Jefferson Fiamoncini

Macieira: Luiz Henrique Grando Padilha Pinheiro Preto: Paulo Silva Rio das Antas: Leandro Slongo Salto Veloso: Paulo Silva Tangará: Paulo Silva Videira: Leandro Slongo w Região de Canoinhas

Porto União: Leonardo Jorge Iwanko w Região de Criciúma

Cocal do Sul: Diego Dajori Magagnin Forquilhinha: Marcus Valério Costa Içara: Fernanda Guglielmi F. Sônego Morro da Fumaça: Sílvia Silvestre Negro Nova Veneza: Paulo Ribeiro Júnior Siderópolis: Sammy Jully Cesa Treviso: Diego Anselmi Pires Praia do Rincão: Paulo Sérgio Ribeiro Urussanga: Jorge Henrique Farias Nagel w Região de Lages

Abdon Batista: Marcus Antonio Rosa Varela Anita Garibaldi: Guilherme Neves Garib Bocaína do Sul: Ademar Antunes da Costa Melo Bom Jardim da Serra: Bruno Waltrick Martins Bom Retiro: Carlos Alberto de Souza Campo Belo do Sul: Marcel Matos Capão Alto: Nedher Ali Dabbous Celso Ramos: Sérgio Ricardo Pallu de Oliveira Cerro Negro: Katryn Peruzzolo Amado Correia Pinto: Umberto Carlos Schroetter Otacílio Costa: Pamela Mayara Martins Painel: Juliana Oliveira Fornari Palmeira: Márcio A. Todeschini Andrade Rio Rufino: Luís Eduardo da Silva Ramos São Joaquim: Denis Mattos Grillo

São José do Cerrito: Jaime Cesar R. de Abreu Netto Urubici: Rodrigo Martignago Urupema:João Fernando Vieira Ramos w Região de Rio do Sul

Agrolândia: Bianca Franz Piske Atalanta: Bianca Franz Piske Braço do Trombudo: Thanise Mayara Gonçalves Chapadão do Lageado: Paulo Renato Peruzzo Dona Emma: Eroleno Venturi Ibirama: Lilian Ligia Block Ituporanga: Paulo Renato Peruzzo José Boiteux: Lilian Ligia Block Laurentino: Darci Bonatto Lontras: Alan Murilo Rocha Moratelli Mirim Doce: Monise Alvez Zanella Petrolândia: Paulo Renato Peruzzo Presidente Nereu: Eroleno Venturi Rio do Campo : Nelson Trentini Rio do Oeste : Marcelo Marcantonio Lizarelli Rio do Sul: Cintia Zonta Santa Terezinha: Alex Arthur Haeser Trombudo Central: Thanise Mayara Gonçalves Vitor Meireles: Alex Arthur Haeser Witmarsum: Alex Arthur Haeser w Região de Xanxerê

Abelardo Luz: Edair Gris Bom Jesus: Ivane Visoli Faxinal dos Guedes: Genaro Costa Keske Passos Maia: Wagner Antônio Tozzo Ponte Serrada: Nédio Morandini São Domingos: Luiz Germano Griss Vargeão: Luiz Carlos Jardinello Xaxim: Wagner Rech Júnior

gestão

5


6 especial

Segurança nunca é demais Após a morte de dois dentistas em São Paulo, especialistas dão dicas de como prevenir assaltos Como evitar um roubo? O que fazer durante um assalto? Qual equipamento de segurança usar? Certamente as interrogações passaram pela cabeça de muitos dentistas após a morte de Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46 anos, e de Alexandre Peçanha Gaddy, 41, em São Paulo. Eles foram queimados dentro do próprio consultório porque estavam sem dinheiro para dar aos criminosos.

Embora tenham ocorrido em outro Estado, os crimes deixaram a sociedade amedrontada, principalmente os profissionais que trabalham sozinhos. Mas, há medidas de segurança que podem ajudar a prevenir que situações como essas voltem a acontecer. Atendendo pedido da revista CRO-SC, especialistas no assunto citaram uma série de orientações e dicas que podem garantir um trabalho tranquilo e com segurança. O primeiro passo — e o mais importante — é manter-se em alerta para identificar quem é o paciente. Atender os novos pacientes em horário comercial, de grande movimento, e instalar um interfone e uma câmera também são medidas úteis. Em casos de assalto, o major da Polícia Militar de Santa Catari-

na (Centro de Comunicação Social), Alessandro Marques, aconselha manter a calma e não tentar algo que desperte a atenção do criminoso. “Geralmente eles agem sob o efeito de drogas e seu comportamento tende a ser agressivo caso a vítima esboce reação”, destaca. Na opinião do oficial, não se pode reagir, mesmo lembrando casos nos quais a vítima já teve sucesso em escapar do assalto. “Na maioria das vezes a reação potencializa o comportamento agressivo, ampliando a violência”, afirma. O policial orienta ainda que a vítima deve guardar as características físicas do autor — altura, cor de pele, olhos, tatuagens, vestes e sotaque — para depois acionar o 190 da emergência. Porém, é importante não encarar o assaltante, mas olhar de maneira discreta.

Clínica segura Não fazer movimentos bruscos durante assalto

Não reagir Alarme

Interfone

Manter a calma

Esperar o criminoso sair para acionar emergência

dicas básicas

Atender com agendamento prévio Em alguns casos, perguntar ao paciente quem indicou

Ter pelo menos uma câmera para ver quem chega

Procurar atender pacientes novos em horário comercial

Uma clínica do Centro de Florianópolis é exemplo de segurança desde que iniciou as atividades, há cinco anos. No local, há alarmes, câmeras, luzes que ascendem de acordo com a movimentação, entre outros dispositivos. A cirurgiã-dentista Tamara Alves Piffer, uma das sócias, explica que contratou empresa de vigilância 24 horas e mandou instalar sensores em vários locais da clínica que acionam a segurança imediatamente. Para ela, é preciso ir além e tomar outras medidas: “Dependendo do horário, não se abre mais a porta se não houver agendamento prévio. Geralmente é durante o horário de almoço e após as 18 horas.” Precavidas, todas as sócias acessam o sistema de vigilância em tempo real. “Com o computador ou celulares conseguimos ver a movimentação. Optamos por todos esses dispositivos porque trafega muita gente neste local, como muitos andarilhos.”


Encontro promovido na Assembleia Legislativa destacou importância do registro para a profissão A primeira Auxiliar de Saúde Bucal (ASB) registrada em Santa Catarina foi homenageada pelo CRO-SC no dia 7 de junho, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Maria Verani dos Santos, de 52 anos, recebeu das mãos de seu ex-chefe, o dentista Sérgio Cardoso de Almeida, o Diploma de Mérito do Conselho. A oportunidade também serviu para reforçar a importância do registro para a profissão. Emocionada, Verani defende que a homenagem é um incentivo aos trabalhadores que estudam para buscar o registro profissional. Ela iniciou a carreira em 82, mas foi registrada no Conselho cinco anos depois. Da função que exerceu durante mais de uma década, a profissional lembra que prestou um serviço de qualidade, mantendo sempre uma higiene impecável e excelente contato com os pacientes. “Muitos lembravam o meu nome, conversavam comigo”. Sobre a obrigatoriedade do registro, que também é estendida ao Técnico de Saúde Bucal (TSB), Verani afirma que é um avanço para a atividade, principalmente pela exigência do curso técnico. “A formação vai preparar o profissional para o mercado, garantindo um atendimento de qualidade, principalmente na área de higiene e no tratamento com os pacientes”, acrescenta. Os técnicos e auxiliares da saúde bucal têm a profissão regulamentada pela Lei no 11.889, de 24 de dezembro de 2008. Desde então é obrigatório o registro no CRO do Estado em que atuam. Para obter a inscrição, o profissional precisa apresentar o certificado de conclusão de curso na área. Tanto o técnico, como o assistente em saúde bucal, realizam, entre outras, atividades necessárias à prestação de cuidados no âmbito da promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal. Eles atuam sempre sob a supervisão de um cirurgião-dentista.

Maria Verani dos Santos recebe Diploma de Mérito do CRO-SC das mãos de Sérgio Cardoso de Almeida

De acordo com Fernanda Oliveira, responsável pelo setor de cadastro do CRO-SC, para se tornar um ASB é preciso ter um curso de nível básico de 300 horas. Já para o registro de TSB é necessário ter cursado um técnico de 1.200 horas. “O conteúdo dos cursos é bem amplo. Além de estudar sobre prevenção, o aluno aprende como atender o público. Além da melhora no atendimento, a inscrição estabelece direitos para a profissão”. Segundo dados do Conselho, atualmente há 958 TSBs e 2.391 ASBs em atividade no Estado. Já o número de cursos é 38 (técnicos de saúde bucal) e 42 (auxiliares). Podem existir outros cursos autorizados pelo Conselho Estadual de Educação, que ainda não estão cadastrados no CRO-SC. “Normalmente todos os profissionais que tentam registro têm suas inscrições deferidas, salvo raríssimas exceções, quando a documentação não está completa ou não está dentro do previsto na legislação vigente”, conclui Fernanda. Entre as metas do Conselho em Santa Catarina está o registro de todos os profissionais da área. “Esta uma das formas que o CRO-SC tem para contribuir com a qualidade do serviço odontológico em nosso Estado”, diz Élito Araújo, presidente da entidade. Segundo ele, a aproximação e a capacitação estão entre os principais objetivos da atual gestão. Os profissionais que ainda não têm registro devem regularizar sua situação junto ao CRO. Mais informações podem ser obtidas no site da entidade: www. crosc.org.br.

Veja algumas das ações implementadas pelo CRO-SC no período 2011-2012 Realizações 2011 Atos Adm. 17/04 - Nomeação dos Delegados Regionais do CRO-SC 17/04 - Comissões e Câmaras de Instrução Ética do CRO-SC 4o CONEO 25/05 a 29/06 - Pré-Conferências Regionais: Chapecó, Joaçaba, Lages, Tubarão, Criciúma, Blumenau, Joinville, Itajaí e Florianópolis 05/08 - Pré-Conferência Estadual - Florianópolis 13/07 - Reunião com as Instituições (ABO-SC, ABCDSC, SOESC, ACO, UFSC, Sec. Saúde) 29/09 a 01/10 - II Encontro Sul Brasileiro de Saúde Bucal 25/10 - Sessão Solene de Homenagens ao Dia do Cirurgião-Dentista Campanhas 12/04 - Site: “O que pensam os profissionais a respeito do CRO-SC” 01/05 a 21/12 - Telemarketing: Atualização de cadastro de profissionais 01/10 a 31/10 - Semana Estadual “Saúde bucal da família”. Divulgação pelo site do CRO-SC, rádio, folder, DVD, revista e redes sociais Contratações (Prestações de serviços) set/11 - All Press Assessoria de Comunicação ago/11 - Floripa/Flin Portais - alteração do site do CRO-SC set/11 - Planejamento e edição da Revista do CRO-SC Capacitação funcionários (Cursos) 22/04 e 13/05 - Relacionamento interpessoal 09/05 a 13/05 - Clientes externos e internos 11 e 12/07 - Relacionamento interpessoal 11 e 12/07 - Rotinas administrativas - Lages e Chapecó 30/08 - Implantação do novo sistema contábil IMPLANTA - CFO 13/07 - Rotinas administrativas 06/10 - Gerenciamento de resíduos em serviços de saúde 11/10 - Contabilidade - GFIP/SEFIP 12/10 - Atendimento ao público

Realizações 2012 Eventos 01/06 a 09/10 - Encontros Regionais do CRO-SC: Joaçaba, São Miguel D’Oeste, Xanxerê, Balneário Camboriú, Itajaí, Blumenau, Criciúma, Lages, Joinville, Médio Vale, Curitibanos, Concórdia, Caçador, Araranguá 14/06 a 04/12 - Ciclo Palestras PICS - Florianópolis 20/01 - Reunião com as instituições (ABO-SC, ABCDSC, SOESC, ACO, UFSC, Sec. Saúde) 25/10 - Sessão Solene de Homenagens ao Dia do Cirurgião-Dentista Campanhas 01/06 - Valorização Profissional do Cirurgião-Dentista (site, e-mail marketing, redes sociais, cartaz, mídia TV) 22/10 a 27/10 - Semana Estadual Saúde Bucal sob o tema: “Câncer bucal” (site, e-mail marketing, redes sociais, cartaz, mídia TV)

gestão

Auxiliar de Saúde Bucal é homenageada

balanço de atividades

7


social

8

Cidades catarinenses são destaque no

Prêmio Brasil Sorridente Premiação é concedida para municípios que desenvolveram políticas públicas de saúde bucal Três cidades catarinenses foram destaque no Prêmio Brasil Sorridente 2013. Balneário Camboríu, Florianópolis e Porto União ficaram entre os três primeiros colocados em diferentes categorias da premiação. Idealizado em 2005 pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), o prêmio é concedido

anualmente a municípios brasileiros que se destacam na implantação de políticas públicas de saúde bucal. “A iniciativa é uma forma de incentivo ao cuidado com a saúde bucal da população. E é uma satisfação ver que cidades catarinenses estão cumprindo com esta tarefa”, diz Bráulio Pasternack, secretário do CRO-SC. Porto União ficou pela segunda vez consecutiva em segundo lugar no grupo das cidades com até 50 mil habitantes. Balneário ficou com o terceiro lugar entre os municípios com até 300 mil habitantes e Florianópolis, que no ano passado ficou em quinto lugar, este ano pulou para o segundo

em sua categoria (acima de 300 mil moradores). O vencedor em cada uma das categorias recebe um consultório odontológico completo. A premiação do segundo ao quinto colocados é uma placa alusiva. Os demais participantes ganham um diploma. Ao todo são 10 os critérios de avaliação do prêmio. Entre eles estão o número de cirurgiões-dentistas na rede pública e a carga horária mensal de trabalho, a cobertura populacional alcançada pelas equipes de saúde bucal e o índice de cárie dental em estudantes até 12 anos, segundo normas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Lei que beneficia vítimas de queimaduras é aprovada na Assembleia

Entidades odontológicas se unem para auxiliar instituições beneficentes

Carreteiro Solidário beneficia quatro entidades Organizado pelas entidades odontológicas de Santa Catarina, o Carreteiro Solidário contou com a participação de cerca de 400 pessoas e arrecadou R$ 10.375,00 com a venda de camisetas que davam direito à participação no almoço. A arrecadação garantiu cerca de R$ 2,5 mil para cada uma das quatro instituições beneficiadas: Lar Recanto do Carinho, Acam, Serte e Casa Lar. Pelo sucesso, o CRO-SC já pensa em uma segunda edição. “O Carreteiro foi um sucesso. Além da grande confraternização entre todos os presentes, foi possível auxiliar pessoas que dependem da ajuda de entidades filantrópicas para uma vida mais digna. Quero agradecer a todos que auxiliaram na realização do evento”, ressaltou Élito Araújo, presidente do CRO-SC. “O auxílio veio em boa hora”, comenta a fundadora e diretora do Lar Recanto do

Carinho Helena Edilia Lima Pires. Ela explica que no início do ano é difícil conseguir apoio financeiro. “Foi muito emocionante. A gente precisava fazer algumas reformas, adequar banheiros e arrumar a calçada. Precisei contratar funcionários porque muitos estão de licença. A ajuda dos cirurgiões-dentistas foi especial.” Helena também lembra de um fato inusitado que aconteceu durante o Carreteiro. O evento foi o palco do encontro entre a família biológica e a adotiva de uma criança que passou pelo lar. “Uma sensação muita gratificante. Eu só tenho a agradecer.” Participaram da ação a ACO, ABO-SC, ABCD-SC, CRO-SC, SOESC e UFSC. A alimentação e outros gastos foram custeados através do patrocínio do CRO-SC, Implacil, Unicred, Olsen, Dental Flex, Céfalo X e Prodoctor.

As vítimas de queimadura em Santa Catarina terão direito a acompanhamento gratuito e amparo necessário para reinserção no mercado de trabalho. A nova lei é de autoria do deputado Dado Cherem e foi aprovada na Assembleia Legislativa no final de maio. A iniciativa do projeto, inédito no País, partiu da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ). A proposta garante aos portadores de sequelas graves a reabilitação física e psicológica, cirurgia plástica reparadora, atendimento educacional especializado, transporte público gratuito e vaga de estacionamento para portadores de deficiências. No Brasil, um milhão de pessoas são vítimas de queimaduras a cada ano. De cada três queimados, dois são crianças. “Hoje não há políticas públicas para promover a inserção social dessas pessoas. Na maioria das vezes, ficam em condições de desigualdade para o mercado de trabalho. Queremos assegurar uma assistência especializada, que inclua não apenas o atendimento de urgência”, destaca Dado Cherem.


Idealizado pela Comissão CRO Mulher, página traz dicas para o público feminino O público feminino ganha mais espaço na revista do CRO-SC a partir desta edição. Elaborada pela Comissão CRO Mulher, a seção aborda diversos temas, como saúde, lazer, esporte e trabalho, mas sempre com foco nelas. O assunto de estreia é o câncer de mama, que voltou a ser destaque depois da polêmica cirurgia de retirada das mamas da atriz americana Angelina Jolie. Idealizadora do projeto e presidente da comissão, Carmen Rosa Saavedra explica que o objetivo principal é trocar informações com as mulheres, que são maioria no mercado e nas salas dos cursos superiores de odontologia. O objetivo é ampliar a interação com as cirurgiãs-dentistas de todo o estado. Todas as odontólogas podem sugerir assuntos. Após analise do Conselho, um especialista será ouvido sobre o

Prevenção pode evitar sofrimento A empresária Poliana Bueno de Alcântara Machado, 35 anos, tinha 90% de chances de ter câncer de mama quando optou pela mastectomia preventiva, aquela que esvazia a mama e adapta silicone. “Não quis correr risco, já que minha mãe e irmã tiveram a doença”, explica. O procedimento difere da mastectomia radical, na qual é retirado o mamilo, a pele e, em muitas vezes, até uma parte do músculo peitoral. Para tomar a decisão, ela contou com o apoio da família, que não queria a ver sofrendo com a doença. Poliana conta que foi uma decisão conjunta entre ela, seus familiares, oncologista, mastologista e cirurgião-plástico. No momento, ela comemora o sucesso da cirurgia e lembra que cada caso é um caso que deve ser bem estudado pelos médicos. “Minha vida agora está absolutamente normal, inclusive estou muito feliz, pois estou esperando bebê”, acrescenta.

Carmen Rosa Saavedra preside a Comissão CRO Mulher

tema escolhido. “Será bem democrático”, acrescenta Carmen. E temas não faltam para as próximas edições: Profissionais que enfrentam duas ou mais jornadas de trabalho podem receber dicas de como enfrentar a rotina; como prevenir as lesões na coluna e nos braços pelo esforço físico repetitivo; além de dicas culinárias, atividades físicas, maquiagem e administração. O CRO Mulher planeja ainda um “Encontro da Mulher Dentista” para reunir e debater esses temas. O objetivo é aumentar ainda mais a conversa e o tempo dedicado às profissionais.

Poliana optou pela mastectomia preventiva

Hábitos saudáveis e diagnóstico precoce contra o câncer de mama O câncer de mama estampou os noticiários no mês de maio após a atriz americana Angelina Jolie declarar que fez mastectomia bilateral para prevenir a doença. Já bastante abordado no Brasil, esse verdadeiro vilão das mulheres ganhou mais destaque na sociedade brasileira e internacional. Na opinião da mastologista Maria Luiza Nagel, no caso da atriz, era uma das indicações possíveis, pois ela apresentou uma mutação genética que aumenta o risco de ter câncer de mama em níveis bastante elevados. Entretanto, a cirurgia não é recomendada para pacientes que não tenham esse mesmo perfil. “Menos de 2% da população tem o gene mutado. Há muito tempo a doença é mais prevalente entre as mulheres e sua incidência continua elevada, porém, menos de 10% dos casos estão relacionados com a história familiar ou mutações genéticas. A maioria são casos aleatórios”, avalia a especialista. A prevenção primária dessa doença ainda não é totalmente possível devido ao grande

número de fatores de risco e das características genéticas que estão envolvidas na sua etiologia. Uma das maneiras de reduzir o risco é manter o hábito de fazer uma atividade física regular. Um estudo realizado na Carolina do Norte, EUA, com mais de três mil mulheres, mostra que as pacientes que durante a sua vida reprodutiva fizeram alguma atividade aeróbica por pelo menos 10 horas por semana tiveram o risco diminuído em 30%. “Qualquer atividade física praticada regularmente (por pelo menos meia hora, cinco vezes por semana) melhora consideravelmente o metabolismo do estrogênio, o que pode explicar o seu benefício em relação à redução do risco de câncer de mama”, indica Maria Luiza. Outra recomendação da especialista é manter o peso sob controle, principalmente após a menopausa, já que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. Outros fatores de risco são: menstruação precoce, menopausa após os 50 anos, pri-

meira gravidez após os 30 anos e não ter tido filhos. Mulheres que se encaixem nesses perfis também devem buscar orientação médica. “Devemos diminuir a ingestão de álcool, pois mesmo em quantidades moderadas é fator de risco para este tipo de tumor”, orienta. A arma mais potente para enfrentar este mal ainda é o diagnóstico precoce. Quanto mais cedo é feito, maiores as chances de cura e menos agressivos são os tratamentos, tanto cirúrgico quanto medicamentoso. “As formas mais eficazes para a detecção precoce do câncer de mama são o exame clínico por profissional habilitado e a mamografia, esta deve ser realizada anualmente a partir dos 40 anos, sendo que aos 35 anos é recomendada uma mamografia de base. As campanhas de autoexame diminuíram porque quando um tumor chega a ser palpável, provavelmente ele já estava ali, há alguns anos. Assim, autoexame não é eficiente para a detecção precoce”, conclui.

cro mulher

espaço dedicado a elas

CRO-SC lança

9


registros cancelados

10 PERÍODO DE 01/02/2013 a 26/06/2013 Caducidade*

Andre Mombach Loch; SC-CD-11763 Celso Vinícius Rosa Aguiar; SC-CD-11850 Crysthiane Guenther Schechi; SC-ASB-2601 Luiz Antônio Metz Filho; SC-CD-11811 Marina Constantino Pelegrin; SC-CD-11913 Mateus Carlos Gonçalves Feltrin; SC-CD-11777 Naor Virgílio Costanaro Petry; SC-CD-11788 Rafaela Bettoni Concer; SC-CD-11862 Regiane Martins Nabao; SC-CD-11804 Stephan Schwartz; SC-CD-11876 Suellen Evelyn Cascaes; SC-CD-12135 Tiago Geremias Estevam; SC-CD-11859 * Obs.: Os cancelados por caducidade podem estar com processo de inscrição principal em tramitação.

Encerramento

Adriana Silveira; SC-ASB-2454 Adriano Centenaro; SC-CD-10314 Agnaldo José Mazalotti Berhorst; SC-CD-11584 Ahryman Seixas Busse; SC-CD-3681 Aline Cristina Andolfatto; SC-ASB-2513 Aline Parisoto; SC-CD-9025 Aline Tiemi Watanabe; SC-CD-8468 Aline Votri Guislon; SC-TSB-401 Alissan Balsanelli Mucciolo; SC-TPD-1023 Amanda Serpa; SC-TSB-482 Amanda Serpa; SC-ASB-1323 Ana Paula Marques de Jesus; SC-ASB-1902 Andresa Vitoreti Izepon; SC-TSB-196 Andressa Franceschi Dallanora; SC-CD-10797 Angelita Amorim Telles; SC-TSB-669 Anna Rita Fontes Bianchi de Carvalho; SCCD-7934 Ariana Nanci Donner Kiener; SC-ASB-1008 Augusto Alberto Foggiato; SC-CD-9685 Bianca Muriel Claas; SC-CD-11596 Bibiana Mari Dutra; SC-CD-7752 Bruna Cristina Gadotti; SC-CD-11658 Bruno Lucas de Souza; SC-TPD-921 Camilla Vargas Comiotto; SC-TSB-468 Carina Adriana de Noni Marchioro; SC-ASB-303 Carla Olindina Zottis; SC-CD-5978 Carlos Eduardo Palanch Repeke; SC-CD-8793 Carmen Lúcia Correa Zattar; SC-CD-1792 Caroline Weber; SC-ASB-1523 Célia Maria Nenemann Thomé; SC-ASB-1429 Celso Vilmar Brancher; SC-CD-751 Clarice Garcia; SC-ASB-2070 Cláudia Flemming Colussi; SC-CD-4884 Cleber Zanatelli Ribeiro; SC-CD-5158 Cristiane Schmid; SC-CD-9703 David Kelley Campos de Oliveira; SC-TPD-705 Denise Luciana Domingues; SC-ASB-2638 Diego Ribeiro Brisolara; SC-TPD-874 Doris Asteria Eick Gonçalves; SC-CD-554 Edison Arruda Porto; SC-CD-3559 Elaine Cristina de Cordovas; SC-TSB-797 Eliana Ronconi Tomaz; SC-TSB-293 Elisabetty Bauer; SC-CD-5955 Fabiano Camilo de Oliveira; SC-TPD-788 Fabiola Gargioni de Lima; SC-ASB-1765 Fabiola Gehlen Cândido Bassani; SC-CD-4414 Fernanda Mendes Bertoncini; SC-CD-4723 Fernando José Giraldi; SC-CD-313 Flávia Blem da Silva Baggio; SC-CD-11572 Francesca Aline Diel; SC-CD-11267 Glades Carara Zapelini; SC-CD-1506 Glaucia Rocha Turibio; SC-TSB-324 Humberto Rui Pereira; SC-CD-11329 Iara Maria Veras; SC-CD-1523 Ilaine Salmoria; SC-TPD-1051

Ineri Fernandes; SC-CD-3018 Ingrid Rennecke; SC-CD-11343 Ivanor Luiz da Costa; SC-TPD-741 Izamar Carlos Pereira; SC-ASB-3030 Jackson Beltrame; SC-CD-12602 Jane Maria de Mendonça Invernici; SC-CD-1838 Jaqueline Juliane Genero; SC-CD-9439 Jonas Menegaz; SC-APD-310 José Guilherme Romero de Souza; SC-CD-4156 José Henrique Pacheco Barreto; SC-CD-12750 José Henrique Rohenkohl; SC-CD-10038 Joseane Rosa Fernandes; SC-ASB-2042 Juliana Andrea Vendrami Fischer; SC-ASB-515 Juliana Bastos Schneider; SC-CD-10378 Juliana Eberhardt Prado; SC-CD-7321 Juliane Zaffari Grechi; SC-CD-5610 Jurilde Fiabani; SC-ASB-1432 Lais Fernanda Moreira; SC-TSB-821 Larissa Silveira Pereira; SC-CD-11673 Leonardo Fernandes; SC-APD-194 Leonardo Koerich de Paula; SC-CD-12262 Letícia Schmitt; SC-ASB-2433 Losnei Correa da Silva; SC-CD-10686 Luciana Nadler Gribel Mamedi; SC-CD-12409 Luciana Pascual Domingues; SC-CD-12350 Lucimar Ballerini; SC-ASB-1994 Luiz Cristiano de Castro; SC-CD-11300 Maicon Ribeiro; SC-ASB-1913 Manfred Heins Miers; SC-TPD-1031 Márcia Bernardete Zucco Gasparetto; SCASB-1410 Márcia Margarete Flenik; SC-ASB-336 Marco Antônio Bernardin; SC-CD-2813 Marco Antônio Marques; SC-CD-12314 Marcos Anselmo Schuelter; SC-CD-2812 Maria das Graças Gesser Junckes; SC-ASB-1854 Maria Luiza Vacaro Locatelli; SC-ASB-788 Mariane Cristina Cordeiro; SC-TSB-667 Marilene Mielke; SC-ASB-2479 Marilia Cecon Maggi; SC-TSB-259 Maristela Carelli; SC-TPD-304 Maritania Secco; SC-TSB-774 Marlize Scheidt Lossio; SC-CD-1165 Martha Schmeling; SC-CD-9954 Merlin Deter; SC-ASB-2080 Moacir Westphal Ramos; SC-CD-4006 Neuza Maria Rasador; SC-CD-11264 Nilton da Silva Júnior; SC-CD-4883 Osmar Juvêncio de Moraes; SC-CD-6165 Ozair Correa; SC-ASB-2884 Patrícia Aparecida Liebl; SC-ASB-1818 Pricila Morais Bittencourt; SC-TSB-492 Rafael Baggio; SC-CD-11483 Rafael Rosário; SC-APD-254 Rafael Steiner Schroeder; SC-CD-5477 Regina Margarida Ferreira; SC-TPD-776 Renato Teixeira de Souza; SC-CD-12323 Roberto Bespalez Neto; SC-CD-10347 Robson Dalpoz de Oliveira; SC-CD-5035 Rodrigo Cavalzan Soldati; SC-CD-10925 Rodrigo de Castro Maghry; SC-APD-183 Rolando Plumer Pezzini; SC-CD-11263 Rosimeri Pereira; SC-TSB-919 S.S. Medeiros Odontologia e Administradora de Bens Ltda.; SC-EPAO-911 Salvio Rafael Banaszeski; SC-CD-12007 Silvia Maria Anselmo; SC-CD-8368 Simone Garcia; SC-CD-4294 Simone Regina Protto; SC-CD-3997 Sueli de Fátima Orso; SC-TSB-749 Tatiana Von Dokonal; SC-CD-6648 Thiago Bastos Pope; SC-CD-12729 Tiago Noguti; SC-CD-7505

Valmor Carlos Subacz; SC-CD-1103 Vania Regina Prade; SC-ASB-2844 Vera Lucia da Silva; SC-ASB-1793 Violcezia Marcon Rinaldi; SC-CD-1610 Volnei Francisco Carpes; SC-CD-3185

Falecimento

Ademir Menosso da Costa; SC-CD-1486 Aderbal Alcântara Filho; SC-CD-871 Rosana Kormann; SC-CD-4141 Rui Antonio Assunção Maliska; SC-CD-1333

Suspensão Temporária

Graziela de Luca Canto; SC-CD-2456 Luiz Henrique Galdino; SC-CD-12702

Transferência

Adriano Takashi Kian; SC-CD-12681 Alexandra de Paula Parise; SC-CD-12068 Aline Mendes de Figueiredo; SC-CD-2180 Ana Cláudia Baladelli Silva Cimardi; SC-CD-9323 Ana Helena Weingartner Machado; SC-CD-11522 Andressa Saleh; SC-CD-12017 Angélica Fantin; SC-CD-12598 Ariane Lisboa dos Santos; SC-CD-9325 Camila Arnemann; SC-ASB-2449 Camila Helen Grock; SC-CD-12519 Carolina Martins Guimarães; SC-CD-6020 Cintia da Silva Locks; SC-CD-11630 Cristian Lucrécio; SC-CD-7517 Daisy Jaqueline Shirakashi; SC-CD-12628 Débora Lemos da Cunha; SC-CD-11690 Deise Kamanski; SC-CD-12516 Deyse Santos; SC-CD-11627 Diego Pereira; SC-CD-10698 Eliana Luz Lima; SC-CD-11272 Elisangela de Fátima de Lima Janoski; SCCD-12613 Elizabeth da Cunha Heiderscheidt; SC-CD-9445 Everton Cenci; SC-CD-12341 Felipe Peluso Waltrick; SC-CD-11157 Francisco Otávio Marinho Salles; SC-CD-11506 Gabriela Luana Martins de Souza; SC-CD-9625 Guilherme Genovez Júnior; SC-CD-6233 Jamil Saleh Júnior; SC-CD-8998 Jamila Vendruscolo; SC-CD-12511 Jéssica Uhlmann; SC-CD-11734 Joviane Bernardi Seibt; SC-CD-12535 Karen Correa de Oliveira; SC-CD-6465 Karina Rosso; SC-CD-12169 Laura Bernardi Varella; SC-CD-11049 Livia Azulim Muller; SC-CD-11140 Luciane Furtado Becker; SC-CD-8660 Luiz Henrique Tasca Tissot; SC-CD-12968 Luiz Leopoldo Barreto de Souza; SC-CD-6435 Marcos Vinicius de Souza Martins; SC-CD-12499 Mariangela Negrão Aneas Salvajoli; SC-CD-7406 Maurício Eduardo Caçador; SC-CD-9456 Pryscila Chaves da Silva; SC-CD-11377 Roberta Pires Bazzo; SC-CD-12576 Rodrigo José Rulka Monteiro; SC-TSB-872 Sabrina Almeida do Nascimento; SC-CD-7883 Sandro Borges Matter; SC-CD-9996 Shayenne Pretel Basso; SC-CD-12725 Simone Massarollo; SC-CD-8575 Tcherlen Regina Demari; SC-CD-11282 Thiago Takayoshi Hayashi; SC-CD-11028 Willian Sabella Sanajotto; SC-CD-12252 Andrea de Azevedo Campos; SC-CD-5718 Cátia de Amorim Bione da Silva; SC-CD-11905 Danilo Vallejo Rocha Ziroldo; SC-CD-11542 Luiz Omar Weiller; SC-CD-12404 Viviane Pinheiro de Miranda; SC-CD-6250


Encontro Regional do CRO-SC

16/08/13 Criciúma/SC www.crosc.org.br

saúde

agende-se

11

4a Conferência Nacional das Profissões Auxiliares em Odontologia — 4a Conpa

15 e 16/08/13 Brasília/DF http://cfo.org.br

X Congresso Brasileiro de Bioética II Congresso Brasileiro de Bioética Clínica

24 a 27/09/13

Práticas integrativas e auxiliares ganham espaço nos consultórios odontológicos

Florianópolis/SC www.bioeticafloripa2013.com.br

Reforço no

VI Congresso Sul Brasileiro de Câncer Bucal

11 e 12/10/13

Florianópolis/SC www.vicsbcancerbucal.com.br

tratamento odontológico

Reconhecidas e regulamentadas pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), as práticas integrativas e complementares (PIC) ganham espaço nos consultórios e em debates. Em Santa Catarina, através de uma enquete virtual feita pelo CRO-SC, mais de 300 profissionais manifestaram interesse nas diferentes habilidades. A PIC engloba uma série de terapias alternativas para o tratamento odontológico. A homeopatia, que já é usada constantemente na medicina, é uma delas. Também entram nesta lista a acupuntura, a terapia floral, o uso de plantas medicinais ou fitoterapia, a analgesia com óxido nitroso, a laserterapia e a hipnose. Para oferecer o serviço, o profissional precisa fazer um curso para cada especialidade. A cirurgião-dentista Marisa Dominguez, que faz parte da Comissão de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde Bucal do CRO-SC, explica que a indicação de terapias vai depender de cada caso. Pacientes com ansiedade e medo de tratamento odontológico, por exemplo, podem

Florianópolis

25/10/13 Florianópolis/SC www.crosc.org.br 9o Congresso Internacional da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (ABOR)

09 a 12/10/13 Natal/RN

www.congressoabor2013.com.br

expediente

Terapias como acupuntura e homeopatia ganham espaço nos consultórios

ser beneficiados com algum desses recursos terapêuticos. Outros quadros, como disfunções temporomandibulares, edemas pós-operatórios, lesões de tecido mole, abscessos, e muitos casos de dor também devem ser combatidos com as técnicas. “No meu caso, posso mudar terapia floral e homeopatia como coadjuvante do tratamento, pois fiz esses cursos que me capacitaram e tenho habilitação pelo CFO. A escolha vai depender dos sinais e sintomas característicos e individualizados do paciente. Hoje, a demanda por tratamentos menos invasivos, medicamentos com menores efeitos colaterais, é bastante frequente”, acrescenta Marisa. De acordo com a presidente da Comissão, Karime Suely Pereira, é visível no país que ainda falta informação sobre as diversas terapias. “Quando esta barreira do desconhecimento for ultrapassada, os profissionais estarão aptos a gerar saúde sem prejuízo aos seus conceitos”, avalia. Para amenizar esta limitação, defensores da PIC organizam seminários para trocar experiências e informações sobre o tema. A Resolução CFO-82/2008 “reconhece e regulamenta o uso pelo cirurgião-dentista de práticas integrativas e complementares à saúde bucal”. E a decisão CFO-45/2008 baixa normas para funcionamento dos cursos e habilitação das práticas.

Encontro de CDs da Grande

É uma publicação trimestral e gratuita do Conselho Regional de Odontologia de Santa Catarina. Assessoria de Comunicação e Produção Editorial | All Press Comunicação Estratégica JORNALISTA RESPONSÁVEL | Déborah Almada (MTB 5899 RS)

Comissão da Revista do CRO-SC

Comercialização | Márcio Cercato

Dalton J.B. Nercolini Bráulio Pasternak Júnior

fotos | Fernando Willadino e divulgação

Sérgio Bastos Abraham

IMPRESSÃO | Gráfica Impressul

Janete Cabral de Oliveira

Murilo Rosa

Tiragem | 10.000 exemplares

Conselho Regional de Odontologia de Santa Catarina

Rua Duarte Schutel, 351 | Centro | Florianópolis/SC | CEP: 88015-640 Fone: (48) 3222-4185 Fax: (48) 3222-2111 E-mail: crosc@crosc.org.br Site: www.crosc.org.br Facebook: www.facebook.com/crosc Twiter: @Odonto_crosc


espaço do inscrito

12

Uma história de trabalho e dedicação à odontologia Dr. Saulo Rogério Stefen de Albuquerque

Dr. Saulo Rogério Stefen de Albuquerque em passeio com a família

“Nasci no dia 5 de junho de 1940, em Lages. Ainda novo, aos 14 anos, descobri duas vocações. A primeira era lecionar — e comecei a dar aulas particulares de matemática. A segunda, não menos importante, foi o desejo de ser dentista, surgido pelo intenso convívio com o amigo Pedro Noveletto Largura, hoje psiquiatra, que tinha um dentista na família, o pai Arthur. Com esta idade, apesar de estudar, eu trabalhava durante as férias no escritório de uma empresa e ajudava em casa nas tarefas domésticas (lavar louça, amassar pão, encerar o assoalho). Todos tínhamos que ajudar. Meus pais, Gilberto Paes de Albuquerque e Ema Steffen, viveram da atividade rural até 1943. A partir desse ano, ele passou a trabalhar para uma indústria de madeira e ela continuou a cuidar da casa além de acumular trabalhos como costureira. Tiveram cinco filhos homens e três mulheres e sempre estimularam que todos estudassem. Seis dos filhos têm diplomas de curso superior. Já em janeiro de 1959, cheguei a Florianópolis e passei no vestibular para o curso de Odontologia. Na época, o dinheiro era curto, mesmo com o auxílio de meus irmãos Paulo e Clóvis. Além das despesas para alimentação, havia os ingressos para o cinema, pois foi neste ano o início do namoro com Maria Elisabeth Mendes, a Beta, minha esposa até hoje. Com o diploma de contador e razoável desempenho em datilografia, trabalhei no Banco da Lavoura de Minas Gerais Foto divulgação

(hoje HSBC), sempre no período da tarde e sábado pela manhã. Na instituição, fiz amizade com Daltro Halla, Rogério Hildebrand da Silva e Raul Piva, hoje dentistas. Pedi demissão três meses antes da formatura. Na odontologia, iniciei como estagiário no consultório dentário do Hospital de Guarnição do Exército. Até que veio o tão esperado diploma, em 1961, na primeira turma de graduação formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Depois, por recomendação do professor Samuel Fonseca, instalei-me em seu consultório na cidade de Campos Novos, sendo o primeiro dentista formado a atuar por lá com a tradicional placa de Clínica, Prótese e Cirurgia. Fiquei por três anos e ajudei a consolidar o recém fundado Ginásio São João Batista, lecionando Ciências Naturais. Casei no fim de 1964 e em março de 1965 retornei a Florianópolis para retomar a carreira como autônomo e dentista no Departamento Estadual de Saúde Pública e nos grupos escolares Barreiros Filho e Lauro Müller. Morei com os sogros por algum tempo. Em 1973, fui convidado pelo presidente Dr. Galileu Amorim e me tornei secretário do CRO catarinense. Com a renúncia do titular do cargo, assumi a presidência do nosso CRO, cargo para o qual fui reeleito no mandato seguinte. Me orgulho de ter promovido a revisão de todos os processos de inscrição; colaborado intensamente com a ABO para a transferência da seccional de Joinville para Florianópolis; colaborado com a instalação do Conselho Regional de Enfermagem (cópia do CRO/SC), tendo recebido diplomas de mérito do Corem, do Cofem e da Associação Catarinense; adquirido a primeira sede própria do CRO/SC, e de ter regularizado, com o auxílio do CFO, toda a contabilidade da autarquia. Me orgulho do registro CRO-SC 008. Em 1974, comecei a dividir o espaço do consultório com meu filho Fernando, especialista em dentística e implantodontia. Família e odontologia — minhas duas paixões — andam sempre próximas. Atualmente presido a Academia Catarinense de Odontologia. A família Esposa: Maria Elisabeth Mendes de Albuquerque — professora pós-graduada de francês. Aposentada como catedrática pelo Estado de Santa Catarina e aposentada como professora da UFSC, onde também foi chefe de Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras e chefe do Centro de Comunicação e Expressão. Filhos: Fernando Mendes de Albuquerque, dentista com clínica particular, especialista em dentística e periodontia. Casado com Bianca Neves de Albuquerque, administradora, funcionária do Tribunal de Contas de SC. Tem os filhos Leonardo (14) e Bruno (5). Maurício Mendes de Albuquerque, médico, especialista em cirurgia do aparelho digestivo, atua em diversos hospitais, clínica privada, e leciona na Unisul. Casado com Letícia Tancredo Gallotti, bailarina, pós-graduada em francês, e comerciante. Tem o filho Lucas (20).” Dr. Saulo Rogério Stefen de Albuquerque • presidente da Academia Catarinense de Odontologia • CRO-SC 008

Revista crosc 6  

Revista do CRO-SC - Ano 2 - nº 6

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you