Page 1

Venha dançar com a gente - Estúdio de Dança Rafaella Angélica - (37) 9 9196-6670

Nova Serrana-MG, quinta-feira, 07 de fevereiro de 2019 | Ano XIV | Nº 1622 | R$2,50

Hospital Dia não será mais instalado em Nova Serrana

Vereador usa a tribuna e denuncia “ESQUEMA DE FAVORECIMENTO” de pessoas da administração na UPA de Nova Serrana


NOVA SERRANA-MG | QUINTA-FEIRA, 07 DE FEVEREIRO DE 2019 | ANO XIV | Nº 1622

2

Câmara também passará por CPI Em pé de guerra Conforme prometeu o vereador Willian Barcelos (PTB), as denúncias feitas durante a reunião ordinária da última terçafeira, dia 05 de fevereiro, realmente deu o que falar, e após debates e considerações até os contratos e licitações da Câmara de Nova Serrana serão alvo de fiscalização.

líderes do Governo pedem CPI da Câmara Durante a reunião o líder do governo na casa, vereador Pastor Giovane Máximo (MDB), apontou que entende e vê com bons olhos a formação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) apresentada pelo vereador Willian Barcelos, mas considerou. “Eu assino a CPI como também acho que os contratos devem ser também fiscalizados aqui na Câmara e caso seja aplicado em todos os setores eu assino esse pedido de CPI. O cetro do ímpio não vai valer sobre a casa do justo. Tudo que nesse decorrer do tempo que fez uso do seu voto da sua posição para tirar algum proveito essa justiça vai chegar, pior do que perder tudo que adquiriu na vida é perder a dignidade o caráter e a sinceridade naquilo que faz”. Disse o ex-presidente da casa que distribuiu martelos com versículo bíblico para os vereadores presentes. Após a consideração do vereador Pr. Giovane, seu colega de partido Jadir Chanel e vice-líder do governo disparou que a instauração de uma CPI para fiscalizar os contratos da Câmara é uma forma de mostrar que o telhado de vidro da casa não tem rachaduras. “Quero convidar o colega Willian também para uma atitude nobre. Quando você diz contratos temos tanto no executivo quanto no legislativo. Então queria que fosse implementado o contratos da Câmara, como por exemplo, o contrato e a licitação de reforma da Câmara, essa é uma forma de mostrar que nosso telhado é de vidro e não tem rachadura”.

Presidente da Câmara responde O presidente da Casa Osmar Santos (Pros) assumiu a palavra logo após as considerações de Jadir e com voz forte afirmou que faz questão de que os contratos da casa sejam fiscalizados. “Eu faço questão que os contratos da câmara sejam fiscalizados, porque aqui o dinheiro público não é usurpado. Eu faço questão que os processos licitatórios da câmara sejam fiscalizados a frente de qualquer outro. Não tenho compromisso com ninguém de Divinópolis para mandar abrir 10 firmas para usurpar”. Disse o presidente. Ainda segundo o presidente na Câmara se tem compromisso com o dinheiro público e que em sua gestão ações que nunca foram feitas em Nova Serrana foram conquistadas.

“Temos compromisso com o dinheiro público, ano passado fizemos com o dinheiro publico o que nunca foi feito. Fui reeleito porque aqui tem gestão e responsabilidade com o dinheiro público. Faço questão que abra todos os processos licitatórios da casa. O processo de licitação da reforma ninguém denuncia porque levamos ao Ministério Público e apresentamos. Se alguém brinca com dinheiro de Nova Serrana tem que ser investigado, as dores de cotovelo levam a isso. O povo de Nova Serrana vai ser respeitado e quem meter a mão no dinheiro de nossa cidade vai arcar com as consequências. Não vamos abaixar a cabeça”. Afirmou o presidente. Por fim Osmar ainda salientou que o compromisso da casa com os recursos culminaram na instalação do SAJ e em breve do Procon Câmara. “Aqui a gente trabalha pelo povo, temos o Serviço de Assistência Jurídica (SAJ) com advogado e assistente social fazendo dezenas de atendimentos por dia. Teremos em breve o Procon Câmara, para atender a população. Não vem brincar com a presidência dessa casa porque aqui tem homem. E não venha conversar pelo cotovelo, como você costuma fazer (se dirigindo ao vereador Jadir Chanel), faço questão que comece a fazer esse processo amanhã. Não é porque estão com nome na lama que vem tentar sujar o nome dessa casa, aqui ninguém brinca de ser vereador e ser presidente, eu exijo que isso (CPI) aconteça”. Finalizou Osmar.

Funcionário Fantasma Após as falas de Osmar, o vereador Jadir Chanel pediu novamente a palavra e afirmou: “Queria só trazer ao público porque não falo nada sem prova, as provas existem, da mesma forma como falei dos assessores fantasmas. Quero saber onde estão os mais de R$ 200 mil para pintar a casa. Eu quero saber onde foi parar esse dinheiro”. Finalizou Jadir Chanel

CPI e Procon Câmara Ao final da reunião foi aprovado pela casa o projeto de resolução para a abertura do Procon Câmara. Basta ressaltar que o projeto que institui os cargos e funções do setor ainda não foi apresentado e votado na Câmara de Nova Serrana. Foi ainda confirmado pelos edis a abertura das duas CPI ‘s para a investigação dos contratos da Prefeitura de Nova Serrana, porém este focado na Unidade de Pronto Atendimento e sua gestão compartilhada com a OS Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus e ainda para a investigação dos contratos da Câmara tendo como foco o processo licitatório da reforma do prédio do Legislativo Municipal.

Para quem achava que o ano de 2019 começaria amistoso no meio político a primeira reunião ordinária da Câmara de Nova Serrana viu que o ano será mais do que quente. Para começo de conversa temos de cara dois processos de CPI’s sendo instaurados paralelamente, e pelo que tudo indica, revirar as contas, contratos e procedimentos do executivo e legislativo são processos que podem abalar as estruturas políticas. Do lado da prefeitura o vereador Willian Barcelos (PTB), revirou um dos poucos trunfos da atual gestão, a Unidade de Pronto Atendimento e a Secretaria da Saúde, e de lá surgiu um processo de CPI que tem como foco os contratos firmados entre a OS que faz a gestão compartilhada da unidade de Saúde. O vereador meteu a mão na cumbuca onde nenhum dos populares e edis pensavam que teria alguma sujeira, e de lá saiu sem mais nem menos, com apenas uma pequena investigação a constatação de uma entidade que vem sendo investigada pelo Ministério Público Federal na operação Lava Jato. Se isso por sí não é o suficiente, o vereador ainda apresentou uma série de nomes e contratos de gente de confiança da atual gestão, que estaria pelo que apresentado por Barcelos no mínimo em desacordo com a lei orgânica. Mas como não poderia ser diferente, em uma cidade onde tudo se torna pessoal, onde aqueles que são políticos defendem seu posicionamento acima de tudo, os embates entre a base do executivo e a oposição no legislativo culminaram com a instauração de uma CPI também nos contratos da Câmara. E diga-se de passagem, Jadir Chanel, jogou no ventilador a pergunta “onde estão os R$ 200 mil que estavam aqui”? Bom talvez o assessor fantasma tenha sumido com ele! Em meio a uma enxurrada de fakes, mentiras, verdades e memes que circulam nas redes sociais, em meio a uma série de acusações que foram jogadas na cara logo na primeira reunião política do ano, os dois lados ficaram claramente irritados. Lá pelas bandas do legislativo, Osmar bateu na mesa, como fez outras vezes, elevou o tom de voz, e falou que na Câmara tem homem, tem gente que tem compromisso com dinheiro público e não com pessoas de Divinópolis. Ao Jadir, bom, algumas das fortes palavras do presidente foram direcionadas a ele, que segundo o gestor da casa, fala pelos cotovelos. Na prefeitura, as denúncias de Barcelos não foram vistas com bons olhos e pelo visto também irritaram a autoridade máxima da cidade, isso porque uma nota nada branda colocou em questão o posicionamento do vereador. Para o prefeito as denúncias do vereador são na verdade “suposições e narrativas fictícias, criadas por pessoas com sede de poder e incentivadas por aqueles que querem a todo custo desestabilizar o atual governo municipal sem pensar nos habitantes da cidade”. Para o prefeito essa postura é na verdade intolerável. Para nós deste Popular, intolerável é a palavra correta para descrever a relação entre executivo e legislativo, que já não se bicaram no ano de 2018 e pelo que foi visto já na primeira reunião ordinária de 2019, os dois poderes continuarão em pé de guerra.


NOVA SERRANA-MG | QUINTA-FEIRA, 07 DE FEVEREIRO DE 2019 | ANO XIV | Nº 1622

3

Prefeitura entra com pedido de liminar para cancelamento de contas de água de bairros com interrupção no fornecimento A prefeitura de Nova Serrana, emitiu na tarde da última terça-feira, dia 05 de fevereiro um comunicado informando que o executivo está acionando na justiça a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Segundo informado por meio da Procuradoria-Geral, a prefeitura apresentou ao Juiz da Comarca um pedido de liminar determinando que a Copasa execute todas as ações necessárias para restabelecer o abastecimento regular e contínuo de água na cidade, sob pena de multas diárias que podem chegar a R$250 mil reais. De acordo com o comunicado, no documento apresentado a prefeitura ainda pede o pagamento de danos morais coletivos no valor de R$ 20 milhões, além do cancelamento das tarifas de água dos bair- dora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG), solicitando ros afetados por longos períodos. também a abertura de processo administrativo para exigir a prestação de serviço de maneira adequada, regular, contínua Ação e eficiente. Conforme informado pelo setor de comunicação da prefeitu- Também como medida para pressionar a Copasa quanto à ra de Nova Serrana a ação vem em complemento às diversas regularização do serviço, o prefeito de Nova Serrana decretou medidas tomadas para garantir que a Copasa cumpra com situação de emergência na área de abastecimento de água, suas obrigações estabelecidas no contrato assumido com o exigindo a normalização do serviço em 24 horas. município. Por fim, um pedido de liminar foi apresentado à Justiça na No último dia 30 de janeiro, o prefeito Euzebio Lago esteve em última sexta-feira (1/2), elencando causas e fatores que ocaBelo Horizonte para notificar a empresa quanto à ineficiência sionaram o colapso no serviço de fornecimento de água; relados serviços prestados na cidade, fazendo com que alguns tando os problemas e transtornos vividos pelos moradores bairros fiquem até seis dias ininterruptos sem fornecimento dos bairros afetados e exigindo, além da regularização do de água. serviço, ações que evitem os mesmos problemas no futuro. A mesma notificação foi encaminhada para a Agência Regula- A ação esclarece que a Copasa tem se mostrado, há anos,

incapaz de disponibilizar o fornecimento adequado e eficiente de água à população de Nova Serrana. Lembra também que, de acordo com o contrato assinado com o município, a Copasa está obrigada a executar obras a fim de melhorar o serviço de fornecimento e tratamento de água e esgoto, mas não vem cumprindo com sua obrigação. Sendo assim, a prefeitura solicita à Justiça que exija da Copasa a adoção de providências necessárias, dentro de cinco dias, para restabelecer o fornecimento regular de água e garantir o abastecimento durante as 24 horas do dia, sob multa diária de R$100 mil; a apresentação de um diagnóstico detalhado de todo o sistema hídrico instalado no município, com pena de multa de R$50 mil por dia. Pede também a execução de obras de infraestrutura para garantir o adequado e eficiente abastecimento, bem como a reservação de água suficiente à demanda, sob multa diária de 100 mil reais. Junta-se às exigências, o pagamento de danos morais coletivos no valor de 20 milhões à população de Nova Serrana pelo descumprimento das obrigações assumidas em contrato e o cancelamento total das tarifas de água no bairros mais afetados. Segundo a notificação apresentada à Copasa, os bairros que mais sobrem com interrupções no fornecimento de água são: Planalto, Itapuã, Santo Antônio, Frei Ambrósio, Mariana Martins, Novo Horizonte, Concesso Elias, Esplanada, Campo Belo, Eduardo Bretas, José Rodrigues da Costa, Sandra Regina, Elisa Amaral, Santa Sara, Ana Carolina, Veredas da Serra, dentre outros.

Serranense vence Villa Nova em jogo treino antes da estreia no Campeonato Mineiro Módulo II Na última terça-feira, o Atlético Serranense realizou um amistoso preparatório para sua estreia no Módulo II do Campeonato Mineiro 2019. O time de Nova Serrana, que estreia pelo estadual fora de casa, no próximo domingo, às 16h, contra o Tricordiano, no estádio Waldemar Teixeira de Faria, o Farião na cidade de Divinópolis, enfrentou no jogo treino o Villa Nova de Nova lima. A partida foi realizada no estádio Castor Cifuentes, campo do Leão do Bonfim, onde o time da casa foi surpreendido pela equipe de Nova Serrana que trouxe para a capital do calçado a vitória por 3 a 0, com gols de Wendell, Anderson e Hugo Leonardo. A equipe do Serranense, comandada por Gustavo Brancão, que trouxe a vitória no amistoso entrou em campo com Thulio, Uziael, Paulo Roberto Jr, Vinícius Rosa e Denner, Michel Eloy, Kennedy, Miguel e Felipinho, Wendel e Wellitinho. Vale lembrar ainda que a equipe de Nova Serrana foi oficialmente comandada pelo técnico Brancão, que assumiu o lugar de Gerson Evaristo, que na última semana rescindiu seu contrato e se transferiu para o Tupi de Juiz de Fora.


NOVA SERRANA-MG | QUINTA-FEIRA, 07 DE FEVEREIRO DE 2019 | ANO XIV | Nº 1622

4

Vereador usa a tribuna e denuncia “esquema de favorecimento” de pessoas da administração na UPA de Nova Serrana Na noite desta terça-feira, dia 05 de fevereiro, durante reunião ordinária da Câmara Municipal de Nova Serrana o vereador Willian Barcelos (PTB) em uso da tribuna, realizou sérias denuncias referentes a favorecimentos e esquemas de contratos relacionados à Organização Social (OS) que atualmente administra a UPA de Nova Serrana. Em suas falas o vereador apresentou nomes de pessoas e empresas que estão envolvidas, segundo o vereador, em um esquema de facilitação com contratos e recebimentos que variam entre R$ 15 mil á R$ 18 mil por mês além de outros benefícios que colocam o valor recebido pelos envolvidos nos contratos na ordem superior a R$ 20 mil mensais. Dentre as denúncias feitas pelo vereador estão o fato de que a OS Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, já faz parte de um sistema que vem sendo investigada no Rio de Janeiro, que segundo Barcelos faz parte de um desdobramento da operação Lava Jato, chamada Fatura Exposta e ainda apontou que esquemas de propinas já foram constatados pela referida OS na investigação em questão. Barcelos nomeou possíveis envolvidos que antes eram funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, foram promovidos e pouco tempo antes da assinatura do convênio com a OS, foram exonerados, abriram empresa própria e hoje são prestadores de serviço, tendo como contador o mesmo escritório que faz a contabilidade da OS em questão. Após todos os procedimentos e denúncias o vereador sugeriu a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para que os contratos fossem todos fiscalizados pelo legislativo, pedido esse que foi endossado pelos demais vereadores da casa.

Vereador expõe nomes, valores e empresas A denúncia do vereador partiu segundo ele do interesse na OS após ter ciência de uma matéria que foi publicada no programa Fantástico e dai partiu o processo de investigação sobre a OS e seus contratos. “Durante uma reportagem do Fantástico vi que o modelo de terceirização da saúde pela via das Organizações Sociais foi denunciado. Rapidamente, consultei as investigações e desdobramentos da Operação Lava-jato, especificamente, a Operação Fatura Exposta, que no Rio de Janeiro chegou até duas OS, sendo uma delas, o Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, que administra a nossa UPA desde agosto de 2018”. Segundo o vereador “os promotores federais chegaram a descobrir e-mails que demonstravam o destacamento de supostas propinas na ordem de 10%, que transferidos a fornecedores, retornavam para os agentes políticos. Não sabemos até onde isso pode ter alguma relação com o município de Nova Serrana”. Barcelos expôs servidores que atualmente tem contrato com a prefeitura como é colocado nos trechos abaixo transcritos na integra de seu pronunciamento na noite desta terça feira. “A história do funcionário André Luiz Tavares de Oliveira é um exemplo claro de como há um esquema de desvio de finalidade dos recursos públicos, com favorecimento direto de pessoas da administração do prefeito Euzébio Lago, por meio das chamadas parcerias público-privadas e dos contratos de gestão. André foi admitido em 08 de março de 2017, bancado pela atual secretária de saúde, Gláucia Sbampato, para a função de Coordenador do Setor Análise Clínica, com um salário de R$ 3.690,98. Sete meses depois, em 25/10/2017, André Luiz passou a ser o Coordenador de Enfermagem do Pronto Atendimento, com elevação de seu salário para R$ 5.713,38. E não parou por aí, em menos de seis meses, uma nova promoção,

passando a ser o Chefe do Setor de Saúde Pública, com vencimentos de R$ 6.122,03. Nesse meio tempo, o funcionário da Prefeitura, André Luiz Tavares de Oliveira, articulou a vinda de uma OS (Organização Social de Saúde) para fazer a gestão da UPA. Através de um chamamento público, com indícios a serem comprovados de direcionamento. O Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, sediado na cidade de Juiz de Fora, foi a entidade selecionada. Coincidentemente, no mesmo mês em que a unidade passaria a ser gerida pela OS, com um contrato de aproximadamente 60 milhões de reais, o funcionário deixou o seu cargo de confiança no município, vindo a constituir uma pessoa jurídica para assumir a direção administrativa da UPA, função que já exercia, pelo valor de pouco mais de 6 mil reais. Porém, após a terceirização, os honorários pagos indiretamente pela população de Nova Serrana passaram para R$ 18.555,00. Três vezes mais que recebia do município para exercer a mesma função. A Tavares Consultoria e Gestão em Serviços de Saúde tem André Luiz Tavares de Oliveira como sócio-administrador, além de seu irmão, Lucas Tavares de Oliveira. E apesar de ter sua sede em Divinópolis e atuar no município de Nova Serrana, a Tavares Consultoria tem como escritório de contabilidade, a PROCONT ASSISTÊNCIA CONTÁBIL, coincidentemente, localizada na cidade de Juiz de Fora – onde fica a sede do Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus. E mais, o sócio administrador da PROCONT é ninguém mais que André Luiz Martins Penido Coelho – mesmo contador da Tavares Consultoria e Gestão em Serviços de Saúde.

Fora os R$ 18.555,00 que André Luiz Tavares de Oliveira recebe, temos ainda outras fontes de receita. Esse mesmo cidadão percebeu em dezembro, além do pagamento de seus honorários, um ressarcimento de R$ 2.856,05 com despesas com alimentação ou diárias. Quantos funcionários da prefeitura não recebem nem isso de salário? Será que ele anda comendo é caviar? Vamos somar mais uma receita do mês, que é a percepção de R$ 1.500,00, como fundo de caixa. É a prova que André administra a UPA. Ele é, inclusive, um ordenador de despesa. Saindo da direção administrativa da UPA, passaremos à direção clínica. Desde a época em que estava vinculada ao município, a Dra. Heloísa Aparecida Lacerda e Silva vinha exercendo a função de responsável clínica pela UPA de Nova Serrana. A história dela coincide com a de André Luiz Tavares de Oliveira. Recebia como médica plantonista da unidade, o valor de R$ 22.898,73. Isso, desde a gestão passada. Contudo, a vinda da OS para o município fez com que a doutora Heloísa se desligasse da Prefeitura e migrasse para a OS. E do mesmo modo que André, a médica constituiu uma empresa para vender seus serviços para a UPA. No entanto, o valor seria de apenas R$ 15.800,00. Mas acalmem-se, havia outras formas de aumentar a receita. Para receber o salário de diretora clínica, a pessoa jurídica da Dra Heloísa era uma. Mas haveria a sua participação em pelo menos outras quatro empresas fornecedoras de serviço para a OS. Algumas delas, com a figuração da médica como sóciaadministradora. Por exemplo, a ARIEL SERVIÇOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, que recebeu no mês de dezembro, R$ 14.828,00. Quando ela foi criada? Todos já sabem. Coincidentemente, no mesmo mês de entrada em operação da OS em Nova Serrana. Quem é o contador? O próprio contador do Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, que é o mesmo de seu outro CNPJ, que é o mesmo da empresa do diretor geral André Luiz. E apesar desta empresa de Heloísa estar situada em Perdigão, a contabilidade é feita em Juiz de Fora, a 700 quilômetros de distância. Quem é a sócia de Heloísa? A doutora JAQUELINE SARA SILVA CARDOSO, que por sua vez é sócia de VINICIUS SOARES GARCIA em outra prestadora de serviço, a JASMINE SERVICOS MEDICOS HOSPITALARES LTDA, sediada no mesmo endereço, em Perdigão. Já Vinícius, também é sócio de Heloísa, em outra empresa, a AURORA SERVIÇOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, agora situada em Divinópolis. O que há de comum em todos? Todos têm empresas individuais que recebem da UPA, mas participam de outras empresas, que também recebem da UPA. Em cada recebimento, cerca de 15 mil reais mensais. E o contador de todos? É o mesmo do Hospital e Maternidade Terezinha de Jesus, em Juiz de Fora, que mais uma vez reafirmo, é o contador que presta as contas de quem paga e também as de quem recebe”...

Lei orgânica A lei orgânica do município estabelece no Art. 33 – (...) os ocupantes de cargo em comissão ou função de confiança (...) não poderão contratar com o Município, subsistindo a proibição até seis meses após findas as respectivas funções. E ainda no Art. 34 – É vedada a contratação de empresas para a execução de tarefas específicas e permanentes de órgãos da administração pública municipal. Desta forma o vereador apontou que “tanto André Luiz Tavares de Oliveira como Heloísa Aparecida Lacerda e Silva vem exercendo funções de direção da UPA de Nova Serrana, que transferida para uma Organização Social de Saúde, não po-


NOVA SERRANA-MG | QUINTA-FEIRA, 07 DE FEVEREIRO DE 2019 | ANO XIV | Nº 1622

5 deria, em nenhuma hipótese, contratá-los sob o regime de busines to busines, mas quem sabe, talvez, sob o regime celetista, depois de decorridos seis meses do desligamento. O que não aconteceu”. encerrou a denúncia.

Prefeitura se posiciona em nota de esclarecimento O executivo municipal se posicionou por meio de nota oficial onde afirmou que todas as informações referentes a OS estão no portal da transparência. A prefeitura também expôs que “vê com bons olhos” a fiscalização por parte do legislativo. A prefeitura, contudo considerou que “não podemos tolerar suposições e narrativas fictícias, criadas por pessoas com sede de poder e incentivadas por aqueles que querem a todo custo desestabilizar o atual governo municipal”, afirmou.

Nota de esclarecimento “O governo municipal refuta com veemência as declarações de um vereador, durante o uso da tribuna da Câmara Municipal de Nova Serrana, na terça-feira 5/2. Esclarecemos que todas as informações divulgadas pelo fiscalizador são públicas e estão no portal da transparência da organização social (OS), responsável pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Serrana. São inegáveis os avanços na gestão e no atendimento da unidade de saúde, sendo a mesma, hoje, referência na região e no estado. O governo municipal vê com bons olhos a fiscalização das atividades técnicas e de gestão e, da mesma forma, apoia qualquer ação de investigação proposta não somente pelo poder Legislativo, mas por qualquer órgão que julgar necessário. No entanto, não podemos tolerar suposições e narrativas fictícias, criadas por pessoas com sede de poder e incentivadas por aqueles que querem a todo custo desestabilizar o atual governo municipal sem pensar nos habitantes da cidade. Mais informações e esclarecimentos serão feitos oportunamente”.

Secretária de Saúde afirma que dará esclarecimentos Diante dos fatos expostos pelo vereador esta reportagem entrou em contato com a secretária Municipal de Saúde, Glaucia Sbampato, e foi prontamente atendida pela representante do executivo e responsável pelo setor de saúde Municipal. Segundo informado pela secretária, todos os pontos abordados pelo vereador estão prontamente levantados e serão respondidos e documentação será apresentada na próxima semana, em uso da tribuna livre durante a reunião ordinária da Câmara. “Nós vamos responder oficialmente em plenário utilizando a tribuna e apresentando a documentação e regulação de cada uma das considerações feitas pelo vereador, assim como deve ser uma gestão coesa e correta, fazendo tudo com clareza e apresentado todas as provas para que nenhuma dúvida seja levantada diante do processo”, disse a secretária. Glaucia ainda ressalta que além de todos os processos terem sido realizados dentro da legalidade, eles contribuíram para uma saúde salutar em Nova Serrana. “Não só todos os passos em nossa gestão são feitos dentro da legalidade, como eles surtiram consideráveis melhorias que foram inclusive elogiadas pelos próprios vereadores durante a reunião, assim sendo, vamos expor a documentação e esclarecer todas as duvidas em plenário assim como foi feita a denúncia”, finalizou a secretária.

Associação cancela contrato e Hospital Dia não será mais instalado em Nova Serrana A prefeitura de Nova Serrana divulgou na terça-feira, dia 05 de fevereiro, uma nota oficial justificando que o Hospital Dia, anunciado pelo chefe do executivo em exclusividade para este Popular em 2017, não mais será instalado no município. A nota encaminhada pela prefeitura expõe que a “morte do médico criador do Hospital Dia foi fator determinante para o cancelamento” do contrato que foi firmado entre o município de Nova Serrana e a Associação Ebenezer, instituição que administra o Hospital Dia. Segundo informado, desde 2017 Nova Serrana estava sendo preparada para receber o Hospital Dia, uma estrutura que beneficiaria justamente a população mais necessitada e dependente do Sistema Único de Saúde (SUS), com a oferta de diversas especialidades médicas. Diante desta demanda o Hospital Dia Nova Serrana seria instalado no recém criado Centro Municipal de Saúde, um local com ampla estrutura no bairro Dona Gumercinda Martins, que centralizou todos os serviços de saúde da prefeitura, oferecendo economia, acessibilidade e conforto para os usuários. Contudo “a tragédia de Kikawa abalou as estruturas

da Associação Ebenezer, entidade mantenedora do projeto Hospital Dia Nova Serrana. Por esse motivo, a Associação Ebenezer enviou um ofício à Prefeitura de Nova Serrana informando a impossibilidade de cumprir o contrato assinado com o município. O comunicado ainda informa que a entidade irá centralizar suas ações somente na capital paulista, encerrando as atividades das unidades em outros estados do país e no exterior.” Informou a nota. Segundo a prefeitura o “principal motivo é que a Associação não conta mais com os recursos de doações de em-

presas e voluntários angariadas através da intervenção do médico Roberto Kikawa, que ajudavam a custear os procedimentos executados pelo Hospital Dia. Desta forma, por ora, o sonho do Hospital Dia Nova Serrana será adiado”.

Estrutura Uma estrutura foi preparada pelo executivo e o container que já estava em Nova Serrana foi levado pela fundação e segundo o prefeito parte do imóvel já foi novamente colocado a disposição do proprietário do imóvel. Conforme relatou aos vereadores “já contatamos a Marr proprietária do imóvel e já informamos que a parte que seria utilizada para o Hospital Dia está disposição, pois não será usada para esses fins, estamos negociando e viabilizando a melhor condição para o município”, disse o prefeito Euzébio. No comunicado encaminhado pela prefeitura as palavras do prefeito foram

ratificadas sendo considerado que “a estrutura preparada no Centro Municipal de Saúde deverá ser readequada, parte do galpão foi colocada à disposição do proprietário, considerando as necessidades da secretaria e a situação que o município vive.” Ainda em reunião realizada com os vereadores o chefe do executivo salientou que a estrutura do imóvel não comporta somente o Hospital Dia como foi divulgado e que hoje a condição de atendimento a população é muito melhor devido a centralização de serviços da secretaria de Saúde. “Não estamos ali pagando aluguel de um imóvel sem utilidade como foi colocado em redes sociais, centralizamos vários serviços da secretaria como central de marcação e regulação, almoxarifado, arquivo, parte de fisioterapia e a própria secretaria, o atendimento a população melhorou e muito”, finalizou o prefeito.


NOVA SERRANA-MG | QUINTA-FEIRA, 07 DE FEVEREIRO DE 2019 | ANO XIV | Nยบ 1622

6

Profile for silveira

O Popular 1622  

O Popular 1622  

Profile for silveira
Advertisement