Page 1

REVISTA ASM 2012.indd 1

12/06/11 12:23


[ editorial [

O Pacto do Encontro

“Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós”. (João 1:14)

E

ra tarde da noite, muitos pais dormiam tranquilos, cansados do dia fatigante de trabalho. Eles haviam chegado em casa exaustos e até separaram tempo para brincar com seus filhos, porém não imaginavam que aquela havia sido a última oportunidade de terem dado atenção aos seus primogênitos. Num outro canto da cidade estavam pais preocupados que, embora cansados, não conseguiam dormir. A todo instante se levantavam e iam até a cama de seus filhos, colocavam as mãos bem próximas ao nariz de seus meninos e assim verificavam se estavam vivos. Tal preocupação se dava pela ordem que Deus lhes havia dado: pintar os umbrais das portas de suas casas com uma tinta nada convencional, sangue. O motivo da ordem não era nenhuma padronização de moradias, nem mesmo uma nova tendência de decoração de interiores, o motivo era um só: pacto entre Deus e o homem. Quando o sol raiou na manhã seguinte, naquele lugar chamado Egito, os pais que dormiram tranquilos acordaram desesperados e os pais preocupados que não dormiram, ficaram enfim aliviados. O pacto havia sido cumprido e Deus mais uma vez mostrara Sua fidelidade para com Seu povo obediente. A última praga tornara-se responsável pela morte de todos os primogênitos do Egito e, desta forma possibilitará a tão aguardada liberdade do povo de Israel. (Êxodo 12).

Pr. Maiquel da Silva Nunes Presidente da Associação Sul-Mato-Grossense

Ao longo da Bíblia, encontramos muitos pactos que Deus realizou com o homem. No Éden, Deus estabeleceu um pacto com Adão (Gn. 2:15-17), tempos mais tarde com Noé (Gn. 8:2022), depois com Abraão e muitos outros. Em todos estes pactos , Deus foi quem tomou a iniciativa de realizar estas alianças com o ser humano. É surpreendente como isso pode acontecer. O Criador absoluto, o Todo-poderoso do Universo, gastando Seu tempo e atenção com pecadores desprezíveis. Porém, algo mais surpreendente ainda é a reação de muitos destes pecadores, dos quais eu e você fazemos parte. Quantas vezes nos ocupamos com tantas outras coisas e deixamos de lado a tão preciosa comunhão com Deus?

Certa vez deparei-me com a seguinte história. Guilherme vivia com sua esposa Elisa no sopé de uma montanha. De sua casa podia-se observar uma paisagem deslumbrante. Um dia Guilherme morreu em seu escritório, onde estava trabalhando até tarde como era seu costume. A viúva se conteve ao longo de todo o funeral e ao final dele decidiu leiloar muitas de suas posses para ir morar em outro lugar. Durante o leilão, mesmo quando suas coisas estavam sendo vendidas, conteve-se naturalmente, sem derramar uma lágrima. Mas em um momento do leilão se descontrolou completamente. O leiloeiro havia anunciado um par de cadeiras de balanço e havia dito com entusiasmo que uma delas estava novinha em folha. Guilherme havia comprado as cadeiras para ele e Elisa, mas nunca tirou tempo para usar a sua. Ao morrer por nós, Jesus não apenas nos redimiu do pecado como também Se comprometeu em viver conosco para sempre. Todos os dias o Senhor nos aguarda. Embora tenha um Universo inteiro para manter, diariamente Ele anseia nos encontrar. Se no Egito Deus pediu que a casa de Seus filhos fosse marcada com sangue, hoje Ele deseja marcar o nosso lar com a decisão de nos encontrarmos diariamente com Ele.

2

REVISTA ASM 2012.indd 2

12/06/11 12:23


Sumário

[04[ [07[ [08[ [11[ [12[ [14[ [16[ [18[

Saber +

Você é o fotógrafo Reflexão

Quando Jesus é o convidado Principal

Comportamento

Psicologia X Religião Educação

A responsabilidade ainda é nossa

Periódico semestral da Associação Sul-Mato-Grossense da Igreja Adventista do Sétimo Dia Rua Amando de Oliveira, 135 Bairro Amambaí – CEP 79005-370 Campo Grande – MS Fone: (67) 3389-1744 Site: www.asm.org.br Produção Executiva Presidente da ASM Pr. Maiquel da Silva Nunes Secretário Pr. Gilberto Batista de Oliveira Tesoureiro Ronei Pereira Departamento Comunicação Pr. Eronildo Pereira da Silva Jornalista Responsável Rosemeire Félix – DRT 852/MS

Em Pauta

Uma Missão Profética Aconteceu

Notícias em destaque

Colaboradores Pr. Maiquel da Silva Nunes Pr. Ivan Nascimento Pr. Eder Fernandes Leal Julie Nunes Milena Rodrigues Simone de Lima Fernandes Dr. Helder Arco Reportagens Rosemeire Félix Revisão de textos Soraya C. Couto Vital

Seu Corpo

Voz, Quem usa tem!

Direção de Arte Américo de Brito | A7 Impressão e acabamento Gráfica Regente Distribuição Gratuita

Agenda

da ASM

No. 16 – junho de 2012

Segundo Semestre

Tiragem 6.000 exemplares

3

REVISTA ASM 2012.indd 3

12/06/11 12:23


[ Saber + [

Você é o Milena Rodrigues

Publicitária e Fotógrafa profissional www.milenarodrigues.com/blog

“Você pode fotografar o programa do Dia dos Pais? Passe para mim as fotos que tirou do batismo? Você será o responsável pelas fotos deste acampamento! Fotografe pra gente esse evento especial?” Se você já foi convocado a fotografar eventos, comemorações e cultos especiais em sua igreja, provavelmente esteja acostumado com essas frases e está lendo o artigo certo. As sugestões aqui selecionadas visam ajudar quem gosta de fotografia e têm o desejo de aprimorar seus conhecimentos nesta área. Não importa se você tem uma câmera profissional, semiprofissional, câmera de bolso ou até mesmo a câmera do seu celular. Boas fotografias têm muito mais a ver com criatividade, composição e domínio do seu equipamento do que com o próprio equipamento em si ou a quantidade de megapixels que ele oferece! Então, vamos às dicas?

4

REVISTA ASM 2012.indd 4

12/06/11 12:23


é o fotógrafo!

g

[1.] Componha o cenário

[5.] Capture sentimentos

Utilize sua criatividade para compor cada foto. Olhe através do visor de sua câmera e examine o cenário de fundo antes de pressionar o botão disparador. Movimentese até eliminar tudo aquilo que possa desviar a atenção do assunto de sua foto. Evite fundos confusos e objetos que não tragam importância à imagem. O ideal é fazer uma composição simples. Procure enfatizar o assunto principal, procurando por ângulos que possam valorizá-lo.

Por que fotografamos? Na maioria das vezes, porque nos interessa fotografar tudo que faz as pessoas se sentirem felizes e/ou emocionadas. Ao fazer uma foto, tente captar o sentimento. Fotografe em momentos de descontração, quando muitas vezes as pessoas nem percebem que estão sendo fotografadas. Tente registrar a emoção em cada fotografia!

[6.] Aproxime-se do assunto

[2.] Escolha um ângulo diferente

Movimente-se até encontrar o melhor ângulo para tirar a foto. O simples fato de você se curvar, esticar ou abaixar pode melhorar bastante suas fotos. Comece com a escolha de ângulos diferentes. Ajoelhe-se, abaixe-se ou até deite no chão para conseguir a melhor imagem, mas seja discreto, para não desviar a atenção das pessoas da programação. Fotografe também do alto (da galeria da igreja, por exemplo).

[3.] Fuja do comum

Ao fotografar, tenha sempre em mente que você está sob o controle de uma série de regras. Porém, desobedecer as regras pode levar a uma foto muito original! Aquela que faz você dizer em alto e bom som: “esta é minha foto preferida”. Defina qual é o assunto principal de sua foto e o posicione longe do centro. Acrescente linhas à sua imagem (corredores da igreja, bancos, vidros) que conduzam o olhar para o assunto principal da foto. Desligue o flash e aproxime-se de flores ou outros objetos que criem um primeiro plano desfocado, emoldurando assim a cena a ser fotografada.

[4.] Esteja preparado

Sempre que for fotografar algum evento, culto, ou programação especial confira com antecedência: bateria, cartões de memória, pilhas, filmes, etc. Deixe sempre à mão tudo o que for precisar. Você não vai querer perder o momento mais emocionante por que já lotou o cartão de memória, não é?

Na maioria das fotos será necessário aproximar-se do assunto que será fotografado. Posicionar-se bem, na hora de fotografar, é um passo muito importante para obter boas imagens. Tente ficar próximo ao local onde acontecerá a maior parte das ações. E, para bons retratos, preencha um terço, ou mais, da área da foto com o assunto que você escolheu para fotografar.

[7.] Observe a luz

A iluminação tem uma influência decisiva em sua foto. Repare na luz antes de tirar a fotografia. Verifique como a direção da luz afeta o assunto: - luz frontal (o sol atrás de quem está fotografando), para obter fotos brilhantes e nítidas; - iluminação por trás (o sol por trás do assunto), para criar silhueta; - iluminação lateral (o sol iluminando um dos lados do assunto), para mostrar a textura do assunto.

[8.] Firmeza nas mãos

Uma mão sem firmeza, apertando o botão disparador da câmera, provavelmente produzirá fotos tremidas. Segure firmemente a câmera com as duas mãos e mantenha os braços junto ao corpo, para dar maior firmeza. Aperte suavemente o botão disparador e as fotos sairão nítidas.

[

Dicas dadas, agora é hora de preparar sua câmera para muitos clicks! Você vai perceber a melhora em suas fotos ao atentar para estes pequenos detalhes, que fazem toda a diferença. [ASM[

[

5

REVISTA ASM 2012.indd 5

12/06/11 12:23


6

REVISTA ASM 2012.indd 6

12/06/11 12:24


Família

Quando Jesus é o Convidado Principal

Reflexão

“Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento”. João 2:2 Pr. João Nogueira - líder do Ministério de Lar e Família da ASM

C

erto dia, um guarda de trânsito achou um menino perdido em uma rua movimentada. Tentando ajudá-lo, perguntou onde morava e quem era o seu pai. O menino respondeu: “Eu moro no inferno e meu pai é o Diabo!” O guarda, assustado com a resposta, indagou novamente o menino e recebeu a explicação. Acontece que constantemente os pais daquele garoto brigavam e o esposo dizia: “esta casa é o inferno!” E a esposa respondia: “você é o Diabo!” Infelizmente, em muitos lares o que se

vê é muito desentendimento e conflito. Como consequência disso, um número cada vez maior de divórcios acontece. Quando comparamos a relação entre casamentos e divórcios, temos a média de um divórcio para cada 5,2 casamentos no país. Em 2010, foram 177.604 divórcios somente no Brasil. Este é, sem dúvidas, um número tremendamente assustador. Talvez isso aconteça porque muitos iniciam o casamento já pensando no fracasso. Alguns afirmam que cometeram um grande erro se casando com seu cônjuge.

Agora veja que,

“embora possam surgir dificuldades, perplexidades e desânimo, nem o marido nem a esposa abrigue o pensamento de que sua união é um erro ou uma decepção. Resolva cada qual ser para o outro tudo que é possível. Continuai as primeiras atenções. De todos os modos, anime um o outro nas lutas da vida. Procure cada um promover a felicidade do outro. Haja amor mútuo, mútua paciência. Então, o casamento, em vez de ser o fim do amor, será como que seu princípio. O calor da verdadeira amizade, o amor que liga coração a coração, é um antegozo das alegrias do Céu”. (A Ciência do Bom Viver, 360). O que seria continuar com as primeiras atenções? Não seria continuar como nos tempos do namoro, quando um tratava o outro com amor, paciência e carinho? Por que isso foi perdido? O que seria um promover a felicidade do outro? Se isso acontecesse nos lares, não haveria tantos conflitos como acontecem hoje. É muito comum pessoas afirmarem não suportar mais um relacionamento porque não estão sendo felizes, mas o grande segredo está em fazer o outro feliz e não buscar a própria felicidade. Como consequência lógica, a pessoa que investe na felicidade do cônjuge automaticamente encontra a própria. Resumindo, o marido deve ter como objetivo fazer sua esposa feliz. A esposa deve ter como objetivo fazer seu marido feliz. No texto bíblico citado acima encontramos o relato do primeiro milagre do

ministério de Jesus na terra. Ele escolheu iniciar seu ministério em uma festa de casamento. A Bíblia relata que foi convidado para o casamento. O que seria daquele casal se Jesus não estivesse naquele momento quando faltou o vinho? De quanto vexame, choro e dor o Senhor os livrou? O grande segredo daquele casal foi convidar Jesus para o seu matrimônio. Se os casais modernos fizessem a mesma coisa que aquele casal, ou seja, convidassem Cristo para o casamento, você já imaginou o que aconteceria? Lembre-se que as dificuldades sempre vêm, porém quando Jesus se faz presente Ele sempre traz a melhor solução. Você também quer que Jesus faça parte, ou continue fazendo parte, do seu matrimônio? Que tal pedir isso agora? [ASM[

7

REVISTA ASM 2012.indd 7

12/06/11 12:24


Simone de Lima Fernandes - Psicóloga Formada em Psicologia – Ênfase em Saúde Trabalha atualmente com Orientação Profissional e Psicologia Clínica atendendo todas as faixas etárias.

P

or muito tempo acreditou-se que a Religião e a Psicologia eram áreas do conhecimento que não conversavam entre si e que andavam uma na contramão da outra. Estudiosos da Teologia defendiam suas ovelhas da ciência “perigosa” e misteriosa, chamada Psicologia, ao passo que esta, em muitos de seus estudos e teorias iniciais, negava o relacionamento do ser humano com um ser superior. Como cristãos, cremos na criação do mundo e que, a partir desse momento, o ser humano já vivenciava a sua religiosidade por meio do relacionamento com Seu Criador. Assim, desde o início da raça humana vemos a religião e a religiosidade, independente de denominações, permeando a história de forma constante. Por outro lado, percebemos também que, desde a criação do mundo, a criatura traz suas questões emocionais e psíquicas, dimensões humanas criadas e planejadas por Deus. Porém, enquanto ciência, a Psicologia ainda pode ser considerada recente, tendo nascido em 1920 através do psicólogo alemão Wilhelm Wundt. Com o avanço dos estudos, experimentos e

correntes teóricas, a ciência da Psicologia foi-se, aos poucos, disseminando e trazendo alívio e cura aos necessitados de auxílio emocional e psíquico, estabelecendo-se como uma ciência séria e comprovadamente eficaz. Ela nada mais é do que o estudo do comportamento humano em todas as suas faces e interfaces, buscando sempre o maior bem-estar possível da saúde mental do indivíduo. Utilizando-se de técnicas científicas e bem estruturadas, busca proporcionar ao paciente um espaço de escuta e acolhimento, levando-o, assim, ao autoconhecimento, reflexão, entendimento do seu eu e uma série de passos que poderão proporcionar-lhe cura e alívio emocional e mental. Porém, acreditava-se que não coexistia harmoniosamente com a Religião. Quando nos perguntamos o porquê do desencontro inicial entre estas duas áreas, percebemos que alguns fatores influenciaram fortemente. O primeiro ponto que podemos ressaltar é que o foco inicial da Psicologia estava baseado em estudos do comportamento de maneira objetiva e mensurável, na ânsia de se estabelecer como ciência. Isso gerou um distanciamento da subjetividade humana e,

8

REVISTA ASM 2012.indd 8

12/06/11 12:24


[ Comportamento[ “A religiosidade é parte relevante da vida de muitas pessoas e não pode ser negligenciada no contexto do atendimento psicológico”. consequentemente, das questões religiosas em suas práticas e tratamentos psicológicos. Como segundo ponto a ser destacado, observamos que as primeiras práticas na área da Psicologia (século 19), ainda muito rudimentares, eram, em sua maioria, especulações e tentativas de se achar cura para os doentes mentais – o que acarretou em práticas de caráter duvidoso, como por exemplo: mesmerismo, frenologia e cura pelo descanso. Neste contexto, surge a escritora Ellen White, uma das pioneiras da Igreja Adventista do Sétimo dia, questionando tais práticas, por irem contra aquilo que cremos. E, de fato, o embasamento filosófico destas modalidades mostrou-se, mais tarde, inverídico. Mas, quando Ellen White citou de maneira negativa as palavras “ psicologia” e “ciência,” estava se referindo a estes movimentos equivocados e não às definições atuais destes termos. Ao colocarmos Ellen White no cenário da Psicologia, observamos que ela focalizou a sua ideia de cura e saúde mental em Deus, mas não tirou de cena o papel e a responsabilidade dos seres humanos em cooperação com Ele para ajudar aos necessitados de cura emocional e mental. Ela escreveu que “os servos de Cristo são Seus representantes, instrumentos pelos quais opera. Ele deseja, por intermédio dos mesmos, exercer o Seu poder de curar”1. Expressa, assim, a necessidade do ser humano de ter um outro que possa mediar o trabalho de Deus e atuar na sua cura e restabelecimento da saúde, tanto física quanto mental. Ellen White defendeu a Psicologia como algo elevado, estando à luz dos ensinamentos bíblicos e do amor de Deus. Escreveu: “Os verdadeiros princípios da Psicologia encontram-se nas Sagradas Escrituras. O homem desconhece o seu próprio valor. Age de acordo com o seu inconfesso temperamento do caráter, porque não olha para Jesus, Autor e Consumador de sua fé”2. Esta é a visão disseminada hoje pela Psicologia também. Os estudos mais recentes na área da Psicologia têm chegado à conclusão de que não se pode trabalhar com as questões psicológicas de um indivíduo sem levar em conta sua dimensão espiritual. Faria e Seidl (2005) declaram: “A religiosidade é parte relevante da vida de muitas pessoas e não pode ser negligenciada no contexto do atendimento psicológico”3. Um novo caminho tem sido trilhado pelos profissionais desta área. Caminho que aponta os benefícios da religiosidade na vida do indivíduo: “... há na literatura registros de que a religiosidade pode influenciar vários aspectos do bem-estar subjetivo (BES) por favorecer a integração e o suporte social, o estabelecimento de relações

com o divino, a promoção de sistemas de significado e de coerência existencial ou mesmo por estimular estilos de vida específicos de algumas religiões” (Faria e Seidl, 2005). E mais, inclui enfaticamente a religião e a religiosidade do paciente em seu tratamento psicológico, sempre respeitando suas crenças e utilizando-as como um instrumento de cura e bem-estar. Hoje sabemos, por meio da ciência, o que já sabíamos desde a fundação do mundo: não existem meios de alcançarmos plena saúde mental sem também exercermos de forma plena nossa espiritualidade. Não há possibilidade de separarmos duas dimensões tão fundamentais para o ser humano. Quando um indivíduo não está gozando de saúde mental e emocional adequadas, também seu contato com o Criador é prejudicado. Nosso Deus deseja que desfrutemos de boas condições em todos os âmbitos de nossa vida: físico, mental, emocional e espiritual. Como Ele mesmo diz em Sua palavra: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. (João 10:10) Por muito tempo, e ainda hoje, observamos cristãos defendendo a ideia de que os males que afetam a saúde emocional e mental podem ser resolvidos apenas com orações e comunhão com Deus. Porém, quando sentimos dor ou somos acometidos de um problema de saúde física, logo procuramos recursos médicos que possam nos ajudar. Será que as doenças físicas, assim como as psíquicas, poderiam ser solucionadas apenas com orações? Será que ao procurarmos profissionais destas áreas estamos indo contra a vontade de Deus? Muitos não sabem que as mazelas emocionais e mentais são consideradas doenças como quaisquer outras, necessitando de tratamento e cuidado como tal. Deus mesmo disse em Sua Palavra: “Não necessitam de médico os sãos, mas sim os doentes” (Mateus 9:12). Portanto, tendo colocado estes instrumentos de cura, Deus não vai fazer por nós a parte que nos cabe, que é procurar ajuda adequada. A Psicologia e a Religião são frutos de um mesmo Criador, que se interessa pelo bem-estar e saúde de suas criaturas em todos os aspectos de sua existência. Assim, a Psicologia pode ser utilizada por Ele, por meio de pessoas capacitadas, a fim de aliviar as dores e sofrimentos psíquicos. Esta anda, com certeza, de mãos dadas com a Religião e juntas alcançam plenamente a vida de pessoas como nós, que possuem conflitos, questões existenciais e ansiedades a serem resolvidas. Por isso, não hesite em procurar um profissional da Psicologia, ele pode ser a mão pela qual Deus quer alcançar você em seu sofrimento. [ASM[ 1.WHITE, E. O Desejado de Todas as Nações. 22. ed. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2004. p .824. 2. ________. Mente, Caráter e Personalidade. 3. ed. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1990. v.1. p. 10. 3. FARIA E SEIDL. Psicologia: Reflexão e Crítica, 2005, 18(3), PP.381-389.

9

REVISTA ASM 2012.indd 9

12/06/11 12:24


issão. m a de s s o n , a r, o sentido h l tos do caráte en grifam m da Sua esco ca n fi fu ndura que os ra e b el n de o te st en ge m da sta

cortesia, ca o lar. É ju , cada ato de portante que ta im di is a a vr m la la pa esco çados. Cada a vida.” “Não existe stória de um amor são lan hi e a to ei rá sp se re a união, que um di longe do pre naquilo éritos estão m s jo or pleno. cu dos para sem el bstituív ressão do am e complementação p su ex in da or e ss fe o or. Pro da abnegaçã um auxílio é ser profess sociedade. mas, como da plenitude , a os ci n pai ou mãe im x tâ r uma vida em maior parte ró or Se e p p s os a im fi m a sa su l, de a rá a to profission m mundo de a passarão nca alcança a lhos para u ra eles. Nel reconhecimen substituirá o lar. Nu fi p e permitirá s ia do qu íl ro m to a fa p en re p da is im a n o ec h n m gu n l ja se co ta a A escola ndamen e a base do escolher um a parceira fu m os outros seus filhos é co s ra n a u nção é p r pode ser um la ve co es para vi principal fu es a çõ su ru olher uma s, st sc to E in vida berão ecimen concretos na l. Nela rece ações. smitir conh m n ir ti re a ú sp se tr a o p , e e te m qu is te a en do seu us potenci que mais do a e, finalm senvolver se tomar form consciente de é m o sa çã os a de nosp ca cada um de os du seus filh lheram um sta de E ti co ra es a en p já dv is s A a e p ia míl dos ilidade A Red a responsab trezentas fa de os sonhos e m on u il r m m ga s co a lu e dos te du issão e ser um ximadamen os extremamente honra a escolha em nossa m ro p a l, Su do deles. Sentimo-n nsformar su ato Grosso te para tra seus filhos. Aqui no M en de m a sa u ca rd a da os mo a segun trabalharem sas escolas co dos os dias, a to m e, u qu m ja m iba e se enorme! Sa s, pessoas qu ernidade. to n ju , os arm do para a et assim form do, um lega n u m o a o bênçã . a confiança gado por su ri ob o it u M

Pr. Eder Leal

ão da ASM

ntista de Educaç

Rede Adve Diretor Geral da

10

REVISTA ASM 2012.indd 10

12/06/11 12:24


[ Educação [

A responsabilidade ainda é nossa

Julie Nunes

Líder dos Ministérios da Criança e do Adolescente da ASM

T

er um filho geralmente é o sonho de todo casal. Ao resultado do exame positivo, seguem-se consultas, compras, chá de bebê e, claro, muita alegria. A expectativa é grande para saber com quem irá parecer - se puxará o sorriso da mãe ou o bom humor do pai. Sonhos e planos fazem parte da espera. Mas, esses sonhos envolvem o crescimento espiritual da criança? Estão os pais preocupados com a salvação de seus filhos? Em Sua Palavra Deus nos orientou que ensinássemos a criança no caminho que ela deveria andar (Provérbios 22:6). Tem você ensinado princípios eternos a seus filhos? Além disso, tem você vivido esses princípios? Pois não é possível ensinar sem conhecer, porque não se ensina somente por preceitos e teorias, mas pelo exem-

plo de vida. Se você quer que seu filho ame a Deus, ame você também. Se quiser que seu filho O honre, honre seus pais também. Se quiser que seu filho seja uma criança de oração, seja também. Se há alguma coisa que gostaríamos de mudar em nossos filhos, seja criança ou adolescente, devemos primeiro fazer esta mudança em nós mesmos. As crianças necessitam mais de modelos que de críticos. Em outro texto, Deus nos aconselhou: “Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar” Deuteronômio 6: 6 e 7. Deste texto é possível extrair três momentos de ensino:

1. ‘Sentado em casa’. Deus quer que passemos momentos juntos em família onde podemos conversar sobre a Palavra dEle, aprender sobre Seu caráter, compartilhar experiências e testemunhos. 2. ‘Andando pelo caminho’. Apesar do pecado ainda desfrutamos de uma natureza linda e exuberante. Precisamos aproveitá-la para ensinar a nossos filhos sobre o amor e o cuidado de Deus. Reúna sua família e promova passeios em meio à natureza, caminhadas em parques e desfrute desses momentos preciosos. 3. ‘Quando se deitar e quando se levantar’. Independentemente da correria de nossa rotina, não podemos deixar de fazer o culto familiar. Infelizmente essa prática tem sido deixada de lado em muitos lares. Faça desse momento algo esperado e desejado por seus filhos. Torne o estudo da Palavra de Deus alegre e atrativo. Ensine seus filhos a orarem e dependerem de Deus. Pai e mãe devem estar envolvidos nesta nobre tarefa. O homem precisa ser o cabeça da família. A esposa espera dele amor e interesse, e os filhos esperam apoio e guia. Ele não deve ser apenas o provedor financeiro, mas um líder espiritual, que conduz a família para o céu. A mulher, por sua vez, precisa priorizar sua família entendendo que a influência que ela exerce é para esta vida e para a eternidade. O sucesso profissional dela deve ser buscado, mas repensado quando estiver afastando seus filhos de si e de Deus.

Não importa se até hoje você negligenciou espiritualmente seus filhos. Não importa se seus pais não foram suficientemente bons para você. Ainda há tempo para dedicar sua vida para amar a Deus e ensinar seus filhos a fazerem o mesmo. Que você esteja disposto a guiar sua família, ensinar seus filhos a seguir a Cristo, orar, abençoá-los e ousadamente buscar o que Deus quer para eles. Seja responsável espiritualmente por seus filhos e lembre-se que tudo podemos nAquele que nos fortalece (Filipenses 4: 13).

[ASM[

11

REVISTA ASM 2012.indd 11

12/06/11 12:24


[ Em Pauta[

Pr. Ivan Nascimento

líder do Ministério de Publicações da ASM

Uma Missão Profética

A

s publicações constituem um meio eficaz e veloz para anunciar a última mensagem de advertência a este mundo. Elas podem ir aonde o pregador não pode ir. Os anjos acompanham os livros, o Espirito Santo toca o coração do leitor e assim milhares são convertidos. Entre os mensageiros contemporâneos desta missão profética estão os colportores. Eles não são apenas profissionais de vendas. Sua missão é anunciar a mensagem de esperança ao mundo por meio dos livros e periódicos editados por nossas publicadoras. Quando voltamos aos dias de 1844, após o desapontamento pelo não retorno de Cristo, encontramos um pequeno povo que permaneceu fiel e também recebeu a missão de anunciar a última mensagem de salvação, sem levar em conta os limites territoriais, culturais e linguísticos para alcançar toda a população da Terra. Os que receberam esta missão eram poucos e desprovidos de recursos financeiros. Habilitava-os, apenas, o fato de que eram sinceros e buscavam avidamente a pura verdade bíblica.

Este foi o início da Igreja Adventista do Sétimo Dia: marcado pela orientação profética de Apocalipse 10: 11 - “É necessário que ainda profetizes a respeito de muitos povos, nações, línguas e reis” - e pela manifestação de Deus por meio da oração, estudo da Bíblia e dom de profecia. Tal manifestação também providenciou os dons espirituais e os métodos de evangelismo. Com essa base, os adventistas pioneiros receberam, por intermédio de Ellen White, a seguinte mensagem: “Depois da visão eu disse a meu esposo: Tenho uma mensagem para ti. Deves começar a publicar um pequeno jornal e mandá-lo ao povo. Seja pequeno a principio; mas, lendo-o o povo, mandar-te-ão meios com que imprimi-lo, e alcançará bom êxito desde o princípio. Desde este pequeno começo foi-me mostrado assemelhar-se às torrentes de luz que circundavam o mundo.” (Vida e Ensinos, p. 128. 1915). Olhando a história da igreja, confirmamos que Deus entregou ao Seu povo uma estratégia para evangelizar o mundo, e os colportores também são protagonistas nesta evangelização. Cremos que Deus confiou uma missão profética à colportagem evangelística.

Confirmando, Ellen White declara: “Os colportores, ao entrarem nas cidades, vilas, comércios, órgãos públicos, indústrias, escolas, igrejas evangélicas, etc., apresentam às pessoas a justificação pela fé, por meio dos livros e periódicos que vendem. Portanto, a colportagem cumpre de forma efetiva o papel do terceiro anjo de Apocalipse, quando o colportor regenerado e beneficiado com a justiça de Cristo faz contatos pessoais e vende livros que abarcam o tema da justificação. Há muitos lugares em que a voz do pastor não pode ser ouvida, lugares que só podem ser alcançados por nossas publicações - livros, revistas e folhetos repletos das verdades bíblicas de que o povo necessita. Nossas publicações devem ser distribuídas em todos os lugares. A verdade deve ser semeada junto a todas as águas; pois não sabemos qual prosperará primeiro, se esta, se aquela.” (O Colportor Evangelista, p. 4). Não há apenas um privilégio, há uma responsabilidade em anunciar ao mundo a salvação em Cristo Jesus e Sua iminente volta. Por isso, as palavras divinas continuam ecoando e motivando igreja e colportores: “é necessário que ainda profetizes.”. [ASM[

12

REVISTA ASM 2012.indd 12

12/06/11 12:24


13

REVISTA ASM 2012.indd 13

12/06/11 12:24


[ Aconteceu [ Semana pedagógica recebe autores de livros didáticos Professores da Rede Adventista de Educação, de Mato Grosso do Sul, participaram, no mês de janeiro, do Encontro de Capacitação Pedagógica. O evento reuniu 160 ducadores no Colégio Adventista Jardim dos Estados – CAJE, em Campo Grande. O tema do encontro foi “Aprendizagem Significativa” e contou com a participação de um grupo seleto de capacitadores. Entre eles, oito autores de livros didáticos da Casa Publicadora Brasileira – CPB, que durante o evento interagiram com os professores em atividades realizadas nas oficinas pedagógicas.

Concílio enfatiza atenção às crianças e adolescentes O crescimento saudável da igreja e o preparo da liderança para trabalhar com crianças e adolescentes foram o foco do Concílio para Líderes e Pastores da Associação Sul-Mato-Grossense, ocorrido no mês de fevereiro. No encontro, o pastor Helder Roger, líder dos Adventistas do Sétimo Dia para a região Centro-Oeste, destacou alguns desafios para o crescimento da igreja: “Precisamos cumprir a ordem do Senhor, que é fazer discípulos. Isso não significa ter membros que apenas conhecem as doutrinas, mas pessoas que são fiéis ao que conhecem”. Ele também destacou que a liderança da igreja deve priorizar a atenção às crianças e adolescentes, afirmando que “é preferível ter uma igreja mais simples, mas com boas acomodações para as crianças, do que um lindo templo sem lugares adequados para atendê-las”.

Evento ressalta a importância das mulheres, crianças e adolescentes Investir nas áreas que envolvem mulheres, crianças e adolescentes é um dos focos da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Mato Grosso do Sul. Para alcançar este objetivo, a Associação Sul-Mato-Grossense – ASM, promoveu, no mês de fevereiro, um encontro para líderes que atuam nessas áreas. Cerca de 120 pessoas participaram da programação, que contou com palestras e atividades em grupo. Alguns dos temas abordados foram: a arte de contar histórias, como ter uma recepção dinâmica na igreja, como desenvolver ambiente adequado e programação eficiente para crianças e adolescentes. Houve ainda apresentação de materiais específicos para o Ministério da Mulher (MM), o Ministério da Criança (MC) e o Ministério do Adolescente (MA).

Educação Adventista comemora aprovação expressiva de alunos em universidades públicas A Educação Adventista do Mato Grosso do Sul registrou, no início deste ano, um dos maiores índices de aprovação de alunos em vestibulares de universidades públicas. Das três turmas do terceiro ano do Ensino Médio que a instituição mantém no estado, 21 alunos ingressaram em cursos superiores de instituições públicas. Segundo Gláucia Lima, Coordenadora Pedagógica da Rede Educacional Adventista do Mato Grosso do Sul, este foi um dos maiores resultados obtidos pela rede do MS. Gláucia explica que outras instituições divulgam números bem maiores de aprovados, mas isso se deve ao fato de possuírem muitas turmas de terceiro ano. “Para nós, que temos apenas três turmas, o número de aprovação foi excelente”, afirmou. Segundo ela, estes resultados confirmam a seriedade do trabalho pedagógico da Rede e o comprometimento da Educação Adventista com o futuro dos alunos.

14

REVISTA ASM 2012.indd 14

12/06/11 12:24


[ Aconteceu [ Inauguração da TV Novo Tempo reúne mais de 7 mil pessoas em Campo Grande A cidade de Campo Grande viveu um momento histórico no dia 24 de março de 2012. Durante a manhã, a comunidade Adventista saiu às ruas e presenteou milhares de famílias com exemplares do livro “A Grande Esperança”. À tarde, mais de 6 mil pessoas, vestidas com a camiseta da TV Novo Tempo e acompanhadas por uma fanfarra do Clube de Desbravadores, atravessaram as principais ruas do Centro da cidade, avisando à população que o Canal 41 estava chegando e trazendo esperança. Cerca de 7 mil pessoas se reuniram na Praça do Rádio Clube, que foi o palco da celebração da chegada da TV Novo Tempo à capital Sul-Mato-Grossense. Apresentações musicais e muita comemoração marcaram o evento. Autoridades políticas, empresários, administradores da Igreja Adventista local, da Sede Administrativa da Região CentroOeste e diretores da Rede Novo Tempo, estiveram presentes na cerimônia. A cobertura dessa inauguração foi garantida pela Rádio Novo Tempo – AM 630 e por veículos de comunicação da cidade morena.

Encontro da Ação Solidária Adventista motiva líderes para o trabalho assistencial A criação da Ação Solidária Adventista (ASA), foi parte de um processo de reestruturação do trabalho social da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que especificou a área de atuação da ADRA – Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais em projetos de atendimentos emergenciais estaduais e nacionais e, da atual ASA no atendimento local realizado pelas igrejas. Com o objetivo de orientar e preparar os líderes desta área para o trabalho assistencial dentro da nova estrutura, a Associação Sul-Mato-Grossense (ASM) promoveu, no mês de abril, um encontro que reuniu 120 líderes no auditório do Colégio Adventista Jardim dos Estados (CAJE), em Campo Grande. Nessa oportunidade, foram apresentados os novos procedimentos descritos no Manual da ASA, materiais de apoio, novos jalecos e bonés usados para identificar as equipes, projetos e orientações sobre preenchimento de cadastros e relatórios.

Encontro de Meninos promove debate sobre sexualidade, internet e religião Falar sobre sexualidade, pornografia, internet e religiosidade com os adolescentes é motivo de preocupação e até intimida alguns pais. Para auxiliá-los nessa tarefa, e orientar os filhos a passarem por esta fase de descobertas, foi promovido, no mês de maio, o primeiro Encontro de Meninos da Associação Sul-Mato-Grossense (ASM). Ao todo 140 meninos e adolescentes, na faixa etária entre 13 e 16 anos, participaram do encontro. Julie Nunes, líder do Ministério do Adolescente para todo o Estado, conta que o objetivo do encontro foi motivar os adolescentes a se desenvolverem espiritualmente e terem uma vida com significado. Ela explica ainda, que, durante o evento, os adolescentes receberam incentivo para mais comunhão com Deus, informações sobre os perigos da pornografia, orientações sobre sexualidade e a importância de se manterem puros para o casamento.

Evento para casais ressalta os valores familiares O Ministério da Família é um departamento da Igreja Adventista do Sétimo Dia que tem como objetivo oferecer materiais, programas e orientações que contribuam para o fortalecimento dos relacionamentos familiares. E foi com este propósito que a Associação Sul-Mato-Grossense (ASM), promoveu no dia 05 de maio, um Encontro de Casais. O evento aconteceu no auditório do Colégio Adventista Jardim dos Estados (CAJE), em Campo Grande, e reuniu 153 casais. A terapeuta familiar e conjugal, Deise Reis, e seu esposo, pastor Osmar Reis, foram os palestrantes convidados para o encontro. As diferenças entre o comportamento masculino e feminino, sexualidade e educação de filhos foram alguns dos temas abordados pelo casal. O pastor João Nogueira, líder do Ministério de Lar e Família da ASM, e sua esposa, a psicóloga Luciana Soares Nogueira, também falaram aos participantes sobre a importância da religiosidade na família e as formas de disciplina na educação dos filhos. Segundo o pastor, o principal objetivo desse evento foi trazer informações significativas, que promovessem mudanças na vida das pessoas.

15

REVISTA ASM 2012.indd 15

12/06/11 12:24


Dr. Helder Arco

Médico especialista em Medicina do Trabalho e Clínica Médica

Voz,

quem cuida tem!

P

rofessores, locutores, cantores e telefonistas, estão entre os profissionais que usam a voz como ferramenta de trabalho. Independente da profissão a voz é um recurso muito importante nos relacionamentos e na comunicação, além de ser uma marca registrada, pois cada pessoa tem características vocais individuais. Tais características mudam com o tempo, pois o processo natural de envelhecimento produz, por si só, modificações importantes no tom de voz de cada indivíduo. Com o passar do tempo mulheres costumam falar mais grave e homens mais agudo. Mas, é possível adiar essas alterações, garantindo uma voz limpa, clara, equilibrada e agradável por mais tempo. O segredo é investir em pequenas mudanças de hábitos. Todo cuidado é pouco com o trato vocal.

Use bem a voz

Quando falamos ou gritamos demais, a laringe se ressente. Se a agressão persiste, pode aparecer a rouquidão, consequência de inflamações. O problema pode evoluir, ainda, para a formação de nódulos. O correto é falar num tom moderado, respirando enquanto conversa, já que o ar é o combustível da voz. Em ambientes ruidosos, afaste-se da caixa de som e fale olhando para a outra pessoa, possibilitando assim, que ela leia seus lábios. Agindo desta forma você não precisará esforçar-se tanto para se fazer entender. Nos momentos de estresse prolongado, também vale a pena tomar cuidado com as suas reações. Um simples grito irado pode ser o suficiente para provocar uma lesão nas pregas vocais. “Tenho um paciente que ao dar um urro durante um jogo de futebol no estádio, adquiriu um pólipo nas pregas vocais e agora está passando por um tratamento de reabilitação”, conta a fonoaudióloga Camila Ribeiro Nascimento, professora da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp).

Hidratação sempre

Leve com você, a tiracolo, uma garrafa com água

mineral, e tome pequenos goles pelo menos a cada hora. O cuidado ajuda a manter a hidratação, fundamental para que não haja tanto atrito entre as pregas vocais. “A água também ajuda a diluir secreções, que ficam mais fluídas. Assim a pessoa não pigarreia com tanta frequência”, esclarece Camila. Colocar uma planta aquática sobre a mesa de trabalho, especialmente em locais onde o ar condicionado é mantido ligado durante todo o dia, também ajuda a umidificar o ambiente, o que faz bem tanto pra a voz quanto para o aparelho respiratório.

De olho na dieta

Alimentos muito condimentados e gordurosos, refrigerantes e bebidas ricas em cafeína podem prejudicar a voz. Então, é melhor não abusar. Consumir leite, derivados ou outros produtos que tenham esse ingrediente em sua composição, antes de um período em que a voz será muito solicitada, também não é aconselhável. “Alguém que já comeu chocolate e escovou os dentes logo depois, certamente percebeu como o alimento tornou a saliva mais espessa. Isso ocorre porque ele é rico em gordura, aumentando a quantidade de secreção e tornando-se necessário deglutir mais vezes”, alerta Camila. Já a maçã tem

16

REVISTA ASM 2012.indd 16

12/06/11 12:24


[ Seu Corpo [

efeito contrário. Funciona como um excelente adstringente, pois ajuda a limpar as cavidades de ressonância. Além disso, por ser uma fruta dura, deixa a articulação mais solta e, assim, o som sairá com facilidade maior. Ótima escolha para o lanche antes de uma palestra ou apresentação pública.

Longe da automedicação

Os especialistas são unânimes em afirmar que para tratar problemas relacionados à voz, a pior solução é recorrer a sprays, balas e pastilhas com efeito analgésico. Eles funcionam bem para aliviar sintomas desagradáveis, mas são medidas paliativas e em longo prazo podem agravar o quadro. Isso porque com a diminuição da sensibilidade local, a tendência é forçarmos ainda mais a voz sem percebermos. A dor indica que algo está errado e nos faz mais prudentes. Buscar o tratamento para a causa do problema é sempre o melhor remédio.

Uma boa noite de sono

A produção de som envolve um enorme gasto de energia. Por isso, sua qualidade também depende de um bom repouso. “Uma noite mal dormida pode ocasionar uma rouquidão discreta, a voz se torna mais fraca durante todo o dia. Também é comum que a dicção fique prejudicada,” avisa a fonoaudióloga Mara Behlau, diretora do Centro de Estudos da Voz e professora da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mas, além do repouso corporal, é preciso investir no descanso do aparelho vocal, especialmente após muitas horas de uso continuado. Falar baixo, pausadamente e usando frases curtas, é uma boa maneira de conservar a saúde do trato vocal.

Evitar choque térmico

Embora não haja consenso entre os especialistas sobre os

malefícios de tomar gelado – hábito muito comum nos países tropicais como o nosso – eles concordam que é a mudança brusca de temperatura que pode comprometer a voz. Isso significa que tomar um copo de refrigerante ou cerveja estupidamente gelada, num dia de sol a pino, logo após uma partida de futebol, com o corpo aquecido pode ser extremamente refrescante, mas, se depois disso, a voz sair meio falha, não vão dizer que não avisamos.

Álcool e cigarro: vilões da voz

As bebidas, especialmente destiladas, irritam a voz. Além disso, provocam uma leve sensação de anestesia na faringe e reduzem a sensibilidade, o que acaba fazendo a pessoa sobrecarregar as cordas vocais para falar mais alto, por exemplo. Somando-se a isso, existe também uma forte relação entre o consumo de bebidas alcoólicas destiladas e o câncer de laringe e pulmão. Já o cigarro, é capaz de provocar alterações tão importantes que, mesmo ao telefone, é possível identificar a voz de um fumante pelas características que ela adquire ao longo do tempo. Mais grave e rouca, ela espelha uma agressão crônica e contínua a todo aparelho vocal. Desde a primeira tragada, a fumaça quente agride o sistema respiratório, principalmente pregas vocais, causando irritação, pigarro, tosse, inchaço e aumento de secreções. Além de ressecar todo aparelho fonador, o que colabora para aumentar o atrito entre as pregas vocais. As substâncias nocivas contidas no cigarro predispõem o indivíduo a diversos tipos de lesões malignas e benignas, que requerem tratamentos clínicos mais sérios ou até mesmo intervenções cirúrgicas. Seguindo estas orientações você terá uma voz mais clara e mais jovem! [ASM[

17

REVISTA ASM 2012.indd 17

12/06/11 12:24


[ Agenda[ Junho Ênfase 02 08 a10 09 15 a 17 16 a18 23 23 23

Pequenos Grupos/ Mordomia Cristã Sábado Missionário da Mulher Adventista - MM Fim de Semana de Mordomia Trimestral MC e MA - Três Lagoas Simpósio de Pequenos Grupos e Crescimento de Igreja Colportagem Estudantil Programa Igreja Local Trimestral MC e MA - Corumbá Diagnóstico Espiritual e Financeiro – Região Sul (Dourados, Guanabara, Fátima do Sul, Ponta Porã, Naviraí, Amambai, Rio Brilhante) 24 Trimestral MC e MA Aquidauana 29-30 Congresso de Comunicação Via Satélite 30 Dia da Educação Cristã – ED 30 Trimestral MC e MA - Dourados 30 a 07/07 Semana de Colheita em Coxim

Julho Ênfase 01 a 31 07 07 07 07 a 14 09 a 13 09 a 27 14 a 21 21 a28 25 a 27 28 28

Missão CALEBE/Colportagem Estudantil Missão CALEBE Sábado Missionário / Recolta Brasil – MIP Dia de Jejum e Santa Convocação para Reavivamento e Reforma Treinamento Escola Sabatina – Região Oeste Semana de Colheita no Jd. Guanabara Escola Cristã de Férias Recesso Escolar do Semestre Semana de Oração JA / Dia do Amigo / Semana A Voz Juvenil – MJ/ES/MC Semana de Colheita em Bela Vista Capacitação Continuada nas Escolas Dia do Colportor – MP/ (Recrutamento Intencional) Treinamento Escola Sabatina Regiões Leste, Norte e Campo Grande

Agosto Ênfase 04 04 04 a 11 04 10 e 11 11 11-13 14 18 19 a 26 25

Quebrando Silêncio Sábado Missionário - Dia de Ação Solidária e Serviço à Comunidade – ASA Treinamento Escola Sabatina - Região Sul Semana de Colheita em Miranda Encontro de Comunicação ADOLE Programa Igreja Local Curso para Novos Colportores Treinamento Via Satélite com Líderes e Anciãos Programa Igreja Local Semana de Colheita em Anastácio Projeto “Quebrando o Silêncio” – MM

Setembro SIGLAS: MM: Ministério da Mulher MC : Ministério da Criança MA: Ministério do Adolescente ED: Educação MIP: Ministério Pessoal MP: Ministério de Publicações ASA: Ação Solidária Adventista ES: Escola Sabatina UCOB: União Centro-Oeste Brasileira AM: Associação Ministerial MMC: Ministério de Mordomia Cristã

Ênfase

Batismo da Primavera

01 01 a 03 01 a 08 02 02 02 04 a 09 08 08 08 a 15

Sábado Missionário – MIP Sonhando Alto Semana de Colheita no Santo Amaro Dia das Assinaturas da Lição de Escola Sabatina Trimestral MC e MA - Campo Grande Curso de Noivos Campori UCOB Programa Igreja Local Trimestral MC e MA - Dourados Semana de Colheita no Bairro Universitário

18

REVISTA ASM 2012.indd 18

12/06/11 12:24


[ Agenda [ 10 a 13 15 15 16 16 a 22 22 22 22 a 29 23 a 29 29 30

Encontro de Educação – Diretores e Tesoureiros Batismo da Primavera / Dia do Jovem Adventista Trimestral MC e MA - Corumbá Trimestral MC e MA - Anastácio Semana de Colheita na Cohab Batismo da Primavera Trimestral MC e MA - Coxim Evangelismo Via Web – JA Semana de Colheita no Guanandi Dia da Educação Cristã – ED Batismo da Primavera

Outubro Ênfase

Crianças e Adolescentes

01 a 06 05 a 07 06 11 a15 13 14 a 19 20 20 a 22 21 a 27 27 29

Semana de Colheita em Nova Andradina Fim de Semana de Mordomia Sábado Missionário – MIP Feriado e Recesso Escolar Dia da Criança Adventista – MC Semana de Colheita em Naviraí Programa da Igreja Local Curso para Novos Colportores Semana de Colheita em Costa Rica Dia do Pastor e das Vocações Ministeriais – AM Dia da Educação Cristã

Novembro Ênfase 03 10 10 a 11 10 a 16 17 17 a 24 24 24

Colheita/ Evangelismo Via Satélite – Pr. A. Bullón Sábado Missionário – MIP Dia do Ancião – AM Casa Aberta Semana de Colheita em Aquidauana Dia do Espírito de Profecia – MP Evangelismo via satélite – Pr. Alejandro Bullón – São Paulo Programa Igreja Local Trimestral MC e MA - Paranaíba

Dezembro Ênfase 01 01 a 08 02 08

Gratidão/Planejamento Sábado Missionário/Evangelismo com Publicações/ Lançamento do Programa Geral ASM/2013 Semana de Colheita na Alvorada Trimestral MC e MA - Campo Grande Dia Mundial de Mordomia Cristã – MMC

08 15 15 15 a 17 16 22 29

Trimestral MC e MA - Dourados Programa da Igreja Local Trimestral MC e MA - Corumbá Colportagem Estudantil Trimestral MC e MA - Miranda Programa da Igreja Local Dia da Educação Cristã - ED

19

REVISTA ASM 2012.indd 19

12/06/11 12:24


20

REVISTA ASM 2012.indd 20

12/06/11 12:24

REVISTA ASM - JUNHO 2012  

REVISTA ASM

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you