Page 1

A ARTE DE SER FELIZ- Cecília Meireles

Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde, e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz. Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Ás vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz. Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.


FELICIDADES- Bertold Brecht

O primeiro olhar na janela de manhã. O velho livro perdido e reencontrado. Rostos animados. A neve, a sucessão das estações. Jornais. O cachorro. A dialética. Tomar um banho, nadar um pouco. A música antiga. Sapatos macios. Compreender. A música nova. Escrever, plantar, viajar, cantar, ser camarada.


FELICIDADE- SYLVIA ORFHOF

Quentinho pão estalado, manteiga do derretido, um bom-dia ensolarado, um nunca ter te esquecido, uma casa lá na serra, um buraco no jardim cavado pelo cachorro que gosta tanto de mim, um chinelo bem usado, uma estrela pra se olhar, na vida simples do mundo é tão bom se lambuzar!


AS DEZ COISAS QUE VALEM A PENA NA VIDA - RUBEM BRAGA

Certas comidas da infância: aimpim cozido, ainda quente com melado de cana. Sair pela primeira vez pelas ruas de uma cidade estranha. Receber uma bolada imprevista no meio da rua e responder com um chute perfeito. Ler, pela primeira vez, um poema Ou uma bela prosa. O momento em que um grande amor vira uma grande amizade, E aquele em que uma grande amizade vira um grande amor. Desapaixonar-se por uma mulher que apenas lhe causa aflição. Viajar. Voltar. Para um europeu, voltar para Paris; para um brasileiro, voltar para o Rio de Janeiro.


Felicidade – Augusto Cury A Felicidade exige valentia... "Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Textos Capacitaçao  

Textos utilizados na capacitaçao dos professores de informtica