Page 1

stt av o s projeto de calçados

a id

singular na

contemporaneidade a coleção bazinga traz novas cores, formas e estampas. Busca explorar uma identidade de estilo e permear as peculiaridades que se encontra em uma geração auto firmadora de ideias

univali // 2018


1

Introdução

2

projeto

3

objetivo geral

4

Objetivos Específicos

5

metodologia

6

pesquisa de público Geração z Tendência de Comportamento público alvo musa

7

pesquisa de mercado

8

Tendências de Moda macrotendência microtendência

9

marca

10

coleção temática PARÂMETROS eSTAMPAS E TEXTURAS formas e volumes tipos de saltos componentes aviamentos materiais CORES

release processo criativo ilustração 11

detalhamento técnico

12

análise ergonômica

13

composto mercadológico

14

REFERêNCIAS


Através da moda, todo indivíduo procura pela sua própria identidade. Adereços do seu vestuário transmitem a concepção que deixa de ser projetada apenas na sua mente e ganha uma forma física. Além do seu reflexo no espelho, da sua imagem catalogada em uma rede, a construção do seu estilo ganha vida e significado. Através de cores, formas, texturas, e demais artifícios presentes no âmbito da moda, o indivíduo é capaz (mesmo em mínimos detalhes), de criar a sua própria identidade. “As roupas, por serem signos que carregam em si uma série de significados [...] imprimem ao seu portador uma escolha diária de posicionamento no conjunto maior das teias de significados compostos como a cultura” (SANT’ANNA, 2007, p. 75). Sant’Anna apenas reforça a afirmação de como o indivíduo posiciona a sua imagem através do seu vestuário, construindo a sua imagem e determinando como quer ser visto na sociedade.


“a moda não é mais um enfeite estético, um acessório decorativo da vida coletiva; é sua pedra angular. A moda terminou estruturalmente seu curso histórico, chegou ao topo do seu poder, conseguiu remodelar a sociedade inteira à sua imagem: era periférica, agora é hegemônica.” Quando se fala sobre identidade, vale ressaltar e analisar as suas diversas definições. Como na Sociologia, ela compartilha de diversas ideias e ideias, criando assim, um conceito, formando a personalidade do indivíduo, porém traz influências do mundo que o cerca. Quanto a Antropologia, utiliza da somatória de sinais, características e marcas, positivas e negativas, que diferenciam o indivíduo, determinando-o na limitação da sua individualidade. (EMBACHER apud ANDRADE e MARINHO, 2009). No mercado da moda, existe um nicho que pode ser bastante explorado para o desenvolvimento de produtos, especialmente o de calçados, para atender um público que procura por diferenciação, individualidade e criatividade. No decorrer do deste projeto, será abordado em como a Geração Z se enquadra neste contexto e como as ''tribos urbanas'', os Clubbers, precursoras da antimoda e street style, podem fazer parte e ainda influenciar o atual comportamento de um público. Será desenvolvido uma coleção de calçados que, com baixa cotação no seu processo de fabricação, possa unir criatividade a um design singular a fim de criar produtos que valorizam um estilo pessoal e ímpar, apoiada a metodologia Design Thinking, compreendendo as reais necessidades do publico alvo. Para Lipovetsky (1989, p. 12), a moda “não é mais um enfeite estético, um acessório decorativo da vida coletiva; é sua pedra angular. A moda terminou estruturalmente seu curso histórico, chegou ao topo do seu poder, conseguiu remodelar a sociedade inteira à sua imagem: era periférica, agora é hegemônica". A sociedade moderna faz do trajar um sistema de construção de sentidos.

O estudo das variações impostas pelo sistema de moda, analisadas através das transformações no estilo, funciona como um excelente diagnóstico dos tempos. Diante desta perspectiva, a linguagem do vestuário do indivíduo é importante em ser observada e analisada, podendo ser um diferencial cultural e social, determinando quem ele é e qual a sua visão, seus diferenciais e as suas determinadas peculiaridades que deseja trazer ao seu meio.

// Objetivo Geral Desenvolver uma coleção de calçados, através da percepção sobre identidade e estilo, sendo proposto uma nova conduta criativa no seu desenvolvimento, voltadas para o público específico da geração Z.

Objetivos Específicos - Utilizar elementos singulares como parte principal no desenvolvimento da coleção; - Aliar as tendências de comportamento dos Linker People com o design contemporâneo; - Criar uma identidade visual inspirado na musa Brooke Candy e cultura clubber - Filtrar entre as tendências do mercado ideias inovadoras no mercado calçadista


projeto


metodologia

Observando o atual mercado e o perfil do consumidor, o design thinking traz uma abordagem diferente no processo de desenvolvimento de produtos de moda, surgindo não apenas para potencializar de processos, mas para ser um grande diferencial nas empresas. Contribuindo na elaboração de um produto mais assertivo, devido a flexibilidade envolvida no seu processo de desenvolvimento. Segundo Vianna (2011) o design Thinking se refere à maneira do designer de pensar, utilizando um raciocínio pouco convencional nas empresas, o pensamento abdutivo. Neste pensamento, busca-se elaborar questionamentos através da apreensão ou compreensão dos fenômenos, sendo formuladas perguntas a serem respondias e a partir destas respostas, conterão as informações coletadas durante esta observação que permeia o tal problema. Pensando de maneira abdutiva, a solução não é deverida do problema, pois ela se encaixa nele. Ainda de acordo com Vianna (2011) “[...] pensando de maneira abdutiva que o designer constantemente desafia seus padrões, fazendo e desfazendo conjecturas, e transformando-as em oportunidades para a inovação. É essa habilidade, de se desvencilhar do pensamento lógico cartesiano, que faz com que o designer se mantenha “fora da caixa”.” Na indústria da moda se faz necessário ter esta visão como designer, podendo esta metodologia estar facilmente alinhada no desenvolvimento de produtos que tragam um valor agregado, de maneira a se posicionar no mercado como uma empresa que buscar compreender as necessidades do consumidor e utiliza-las como parte do seu processo produtivo, atendendo as expectativas do cliente e proporcionando uma nova experiências de compra e uso.

IMERSÃO análise e síntese

ideaÇão

prototipaÇão


A fase da Ideação o objetivo é gerar ideias inovadoras, utilizando as ferramentas de síntese criadas a partir da fase de analise com a intenção de estimular a criatividade e gerar soluções. Nesta fase, começa se realizando uma das famosas técnicas de geração de ideias, o Brainstorming em volta do tema a ser trabalhado. Logo após, realiza-se uma ou mais sessões de cocriação. As ideias nesta fase são geradas ao longo deste processo e são catalogadas em Cardapios de ideias, sendo constantemente validades em reuniões, utilizando uma Matriz de Posicionamento ou a ultima fase, a Prototipação. A Prototipação é a ideia tangível do projeto, deixando de ser abstrato e tornando-se físico. Com o objetivo de auxiliar a verificação e validações das ideais geradas ao longo da criação do projeto, e apesar de ser a ultima etapa do Design Thinking, pode ocorrer durante todo o processo, em paralelo com a Imersão e a Ideação. Esta fase pode ser trabalhada em dois aspectos: da ótica da equipe do projeto ou do ponto de vista do cliente. Neste projeto a metodologia acima propõe uma desenvoltura organizada e clara, sendo subdivido em algumas etapas a fim de facilitar o detalhamento de cada processo a ser desenvolvido. Conforme figura abaixo, a metodologia adaptada do Design Thinking, possibilita um processo livre de criação, podendo ou não seguir a sua forma linear.

No Design Thinking, existem as três etapas que são necessárias na sua execução, sendo a Imersão, a Ideação e por fim, a Prototipação, onde são apresentadas de forma linear. Mesmo trabalhada de forma linear, esta metodologia é volátil, permitindo que estas fases podem serem moldadas e adequadas ao projeto. Sendo possível começar a metodologia pela fase da imersão e depois executar ciclos de prototipação, enquanto se desenvolve e estuda o seu contexto ao longo do projeto. A fase de ideação não precisa ser realizada em um momento inicial do processo, mas pode permeá-lo do inicio ao fim. Na primeira fase, a Imersão, o objetivo é a aproximação do contexto do projeto, com o ponto de vista da empresa, o cliente, como também do usuário final, o cliente do cliente. Esta fase ainda é ainda subdividida em duas: a imersão Preliminar e a imersão em Profundidade. Esta fase, denominada Imersão, é ainda subdividida em duas: a imersão Preliminar e a imersão em Profundidade. Na Preliminar foca no entendimento inicial do problema, e se necessário, o seu reenquadramento. Quanta a Profundidade, visa à caracterização das necessidades dos componentes que fazem parte do projeto e tendo em vista identificar prováveis oportunidades que

IMERSÃO

IDEAÇÃO

oportunidade de mercado

síntese dos resultados das pesquisas

pesquisa de tendências

conceito e temática

processo criativo

pesquisa de mercado

pesquisa de público ALVO

musa

palavras indutoras

estado do design

pesquisa de comportamento

geração de alternativas

Parâmetros coleção

análise Paramétrica + ffoa painéis semânticos

coleção

PROTOTIPAÇÃO protótipo

peça piloto

teste de modelagem

ficha técnica

análise ergonômica

produção de moda

composto mercadológico


gen


Estamos falando da geração que nasceu entre 1995 e 2010. Eles não conheceram o mundo sem internet, não diferenciam a vida online da off-line e querem tudo para agora. São críticos, dinâmicos, exigentes, sabem o que querem. Segundo a agência de pesquisa de tendências WGSN, os Gen Z são um tsunami populacional que não deve demorar a ultrapassar em tamanho a Geração Y. Nativos digitais, os Z são multitasking e, para captar sua atenção, é preciso passar mensagens em até oito segundos.

Gen Z são um tsunami populacion al que não deve demorar a ultrapassar em tamanho a Geração Y

Para eles, as redes sociais funcionam de forma mais orgânica. “ D i fe re n t e m e n t e dos millennials, eles não esperam nada dos outros e podem buscar soluções para seus problemas.

Ainda segundo pesquisas realizadas pela Consumoteca, Jovens de 17 a 21 anos preferem as marcas engajadas e “diferentonas”. É o que diz a pesquisa “Ctrl Z”, da consultoria Consumoteca, que aponta que 37% dos integrantes deste grupo gostam de comprar produtos de marcas novas “que ninguém conhece”. Se estas marcas forem atuantes em causas como o feminismo, igualdade racial ou direitos dos animais, melhor ainda, segundo 46% dos respondentes da pesquisa. O estudo ouviu três mil jovens de todas as regiões do País e de todas as classes sociais.

Tendência de Comportamento

Z

O que significa que ou as marcas entendem o que eles querem ou ficarão para trás. O foco principal é torná-los parte das atividades”, diz Carol Althaller, analista de tendências.

37% dos integrantes deste grupo gostam de comprar produtos de marcas novas “que ninguém conhece”

Mais do que qualquer outra geração, os Gen Z não querem se encaixar em rótulos. Eles já misturam esses conceitos sem nem precisar discutir, como faz Jaden Smith, usando com maestria saias que em outro tempo seriam do armário da irmã, Willow. O ator e rapper virou um ícone nesse quesito e é um dos modelos na campanha de verão 2016 da linha feminina da Louis Vuitton.

Conhecer o consumidor pode deixar de ser um obstáculo na hora de se pensar em desenvolver um produto. Com uma nova maneira de filtrar e classificar tais consumidores, o Future Concept Lab, instituto em Milão, responsável por pesquisa de tendências de comportamento e consumo, traz um xeque mate para antigos parâmetros e traz uma solução com diversas possibilidades futuras. A pesquisa "Consumo Autoral" por Francesco Morace, presidente do instituto, traça o perfil de quem consome e classifica em núcleos geracionais. Dentre diversos núcleos geracionais, os Linker People chamam atenção pelo seu comportamento e perfil. Classificado como a evolução dos teenagers, através do conhecimento se tornam os trend setters, com novos códigos de comportamento e dissipando tendências, os Linker se apoia no urbano e na tecnologia.


Neste núcleo, consumidor, orienta o seu gosto e comportamento de jovens, homens e mulheres de 20 a 34 anos, com uma necessidade grande de redesenhar o mundo e o contexto a sua volta, de maneira criativa e única, munido da tecnologia ao seu favor e sempre em contato com o mundo exterior.

linker people

Segundo Morace (2009) “os Linker não conseguem nunca ser simplesmente um público passivo: possuem uma necessidade inata de “pôr a mão” sobre o que veem e instintivamente decompõem e recompõem, seguindo percurso para eles de liberação, contÍnuo exercício de “corta e cola” criativo. Como é possível observar, os Linker demonstram um comportamento com autonomia e criatividade, optam em serem consumidores de produtos tangíveis. Marca e consumidor, para os Linker esse é um desafio, devendo existir um diálogo contínuo e fiel, de iguais, porém são os Target que mais geram fidelidade com as marcas. Quando se tornam clientes e tem apreço ao que foi adquirido, podem se tornarem fãs e supporter, criando comunidades e desenvolvendo um comportamento de exatamente crítico. (MORACE, 2009).


Em pretexto de se conquistar esses consumidores, a marca deve ser visionária, líder de mercado, estimulada pela estética e informação, trazendo ao mercado produtos com afinco de capturar a sua atenção, que estão imersos em uma grande quantidade de informações midiáticas. Entre diversos sub-grupos na geração Z, o escolhido a ser trabalho em questão, são homens e mulheres de 18 a 24 anos, solteiros, trabalham diretamente com Moda, arte, beleza, com uma renda em média de 2000 reais. No geral, vivem em grandes metrópoles como São São frequentadores assíduos de baladas, feiras de arte, shows de artistas underground, festivais de músicas, assistem e comentam sobre desfiles de moda, participam de workshops envolvendo arte, design e moda. Ligados a estética da vestimenta, não adeptos diretamente a somente uma marca, pois procuram por autenticidade e criatividade. Do brechó à uma loja de marca conceituada no mercado, estão completamente ligados ao meio digital e viralizam entre si tendências do mercado, mas também acabam reformulando-as a sua identidade.

público alvo

//


brooke candy

musa

Brooke Candy, americana de 29 anos, rapper, compositora, cantora, performer, modelo, e que através do estilo e letras das suas músicas, criou uma identidade artística extremamente peculiar, com visual over e composições musicais baseadas no seu cotidiano. A rapper utiliza o seu estilo visual apelativo e over, sem superficialidade, como apoio às letras das suas músicas, que descrevem uma infância conturbada, com traumas, frustrações e patologias mentais, geradas pela rejeição familiar, devido a sua bissexualidade, expulsamento de casa, o envolvimento com drogas e o grande contraste financeiro envolvendo um pai com muito dinheiro e a mãe puritana, de uma tradicional família americana. A rapper está envolvida diretamente com o cenário da Moda, trabalhando com renomados diretores de vídeo e fashionistas como Ranking, Steven Klein (reconhecido por diversos clipes de Madonna e Lady Gaga) e o diretor criativo da marca Diesel, Nicola Formichetti. Também participou de duas campanhas de maquiagem da famosa M.A.C Cosmetics.


// “Quero fazer o que for preciso para inspirar outras pessoas. Estamos vivendo em um mundo em que todos estão mentindo para nós.”

//

Brooke antes da sua atual notoriedade no cenário da música, lançou diversas músicas como artista independente, colaborando com a cantora Charli XCX e participando do clipe “Genesis” da banda canadense Grimes, porém em 2014 teve seu contrato assinado com RCA, e foi o início de uma nova era na sua carreira. Devido algumas limitações artísticas por parte da gravadora, Brooke decidir sair e com o apoio de Sia e da atual gravadora Columbia, começa a trabalhar em algo original, com a sua própria arte e fora do convencional, impedido pela antecessora gravadora. Em entrevista a Billboard Brasil, Brooke relata "Quero fazer o que for preciso para inspirar outras pessoas. Estamos vivendo em um mundo em que todos estão mentindo para nós. Aos poucos, estamos acordando. As pessoas estão começando a fazer o que elas querem, deixando os rótulos para trás, sendo honestas. Precisamos de artistas que rompam com o sistema." Brooke procura se expressar com elementos excêntricos, cores vibrantes e carregadas, criando um estilo único e completamente fora do habitual. Não hesita em transitar no mundo da androginia, pois pode ser facilmente confundida com uma drag queen. A rapper aprecia o universo over trash, leva o seu estilo ao extremo, usando subculturas para compor os seus looks, como elementos cyber e clubber. Abusando em franjas em V, cabelos coloridos, sapatos com plataformas gigantes, unhas também grandes, roupas em látex e uma maquiagem carregada. Brooke consegue transitar em diversos estilos e composições, utiliza a sua arte, como forma de expressão, com trechos musicas relatando a sua visão interior, quebrando paradigmas e trazendo originalidade ao seu redor e a sua imagem.


Um dos primeiros fatos a ser levantado na análise do estado do design é juntar todos os fatores disponíveis, abrangendo os principais aspectos semelhantes, então assim, concluindo quais mudanças serão necessárias para tornar um negocio melhor e mais competitivo. (BAXTER, 1998) Segundo Baxter (1998, p. 116): A análise dos concorrentes serve para monitorar as empresas concorrentes e seus produtos. Procura determinar como elas conseguiram alcançar o sucesso e onde fracassaram. Essa análise o ajuda a antecipar como os seus negócios serão ameaçados no futuro e a desenvolver uma estratégia mais efetiva de competição.


pesquisa de mercado Na hora de analisar os concorrentes, um ponto bastante importante a ser observado é a qualidade das informações, que podem ser ou não de fácil acesso. Quando se analisa os concorrentes, um dos motivos é aprender com eles, aperfeiçoando seus próprios produtos e deduzir as suas estratégias e “adivinhar” o que eles farão. (BAXTER, 1998) No mercado calçadista existem diversas marcas, nacionais e internacionais, que podem servir como concorrentes. A partir do levantamento destas marcas no mercado, será utilizado a ferramenta de análise paramétrica em conjunto ao PFFOA, para poder fazer um comparativo com o atual ramo do calçado.

Análise paramétrica + PFFOA FORÇA

CONCORRENTES

OPORTUNIDADE

FRAQUEZA

AMEAÇA

ANALÍSE CACETE COMPANY

ZIOVARA

Vinil; elástico, jacquard; tule; jeans

Pelúcia, jeans, stretch, glitter, metalizado.

FORMAS

design autêntico e contemporâneo

Design criativo, feminino e trendy

CARTELA DE CORES

Predominância pela cor preta

Rosa, preta, vermelho, branca, listras,

MATERIAIS

estampas,

Rigoroso controle de qualidade; moda como afirmação; espirito livre e DIFERENCIAL

MERCADO

MARKETING

jovem; trabalha com diversos produtos, como meias, acessórios e vestuário

Vendas online para o brasil

Divulgação através de personalidades do cenário musical (ex. pabllo vittar)

Diversos modelos, como sandálias, chinelos, tênis, botas. Trabalha também com acessórios e vestuário

Vendas online para o brasil

Produção de Moda produzida pela marca, empoderamento feminino regularmente nas redes sociais

PREÇO

Médio (R$ 44,00 à R$ 1.601,00)

Médio (R$ 79,00 à R$ 199,00)

VICTOR VICENZZA

NUU SHOES

Veludo, Napa, Jeans, Sintético; Verniz,

Couro, plástico, borracha, metalassê, neoprene, camurça,

Transparente, Camurça, Cetim.

lona, laminado sintético

Design exótico, performer

Design minimalista e atemporal

Preto, branco, transparente, pink, prata, vermelho, azul, dourado.

Preto, branco, bege, goiaba, vinho, canela, azul, marfim, rosa.

Modelos , como ankle boots, sandálias, scarpins, botas, gladiadoras, peep toe, Max Boot.

Vendas online para o brasil

LOULOUX

BALENCIAGA

DOLL SKILL

MINNA PARIKKA

ALEXANDER MCQUEEN

Couro, tecido, borracha

Neoprene, couro, cetim, seda.

Cetim, sintético, camurça, jeans, glitter, vinil.

Couro, tecido, cetim, seda

Couro, couro de bezerro, algodão, camurça,

Design inovador, sustentável e jovem

Design vanguardista

Design exótico e trendy

Design criativo, feminino e jovem

Design ousado, teatrais e exuberantes

Preto, branco, prata, rosa, estampado, azul, roxo, vermelho.

Cartela de cores varia de acordo com as coleções

Preto, Branco, Rosa, Azul, Vermelho, Amarelo, Nude, Verde,

Preto, estampado, branco, vermelho, rosa, dourado, prata

Metalico.

e demais.

Modelos variados, consagrada no mercado, Bico fino,

Produtos diversos, combinações criativas, tênis, botas,

Design diferenciado, sandálias, tênis, saltos, rasteirinhas, botas,

Calados com design inovadores; vestidos exuberantes de galã; grife consolidada no mercado

Azul, Branco, Estampado, Multicolorido, Vermelho.

Modelos autênticos, materiais de qualidade e materiais ecológicos, tendo modelos como sandálias, oxfords, botas, sleepers.

Produtos autênticos , artesanais, solado de borracha, rasteirinhas, sapatos de salto alto e baixo, botinhas cano curto. Reutilização de sobras

Atendimento com horário marcado

de materiais de outras fábricas

Vendas online para o Brasil; lojas temporárias que

calçados esportivos, botas, rasteiras, salto alto.

sandálias, salto grosso, solado tratorado.

Vendas online e lojas temporárias

Vendas online no Brasil e lojas físicas no exterior

Vendas online para exterior e lojas físicas

Vendas online para exterior e lojas físicas

Vendas online e lojas físicas

Produção de moda conceitual divulgada nas redes sociais

Campanhas de lookbook simples nas redes sociais

Campanhas publicitárias, desfiles semanas de moda.

Campanhas de moda focadas na rebeldia e liberdade de expressão feminina

Presença apenas com lookbook nas rdes sociais

Campanhas com celebridades, desfiles marcantes na semana de moda, outdoor, tv.

Médio ( R$ 260,00 à R$ 520,00)

Médio (R$ 89,00 à R$ 329,00)

Alto (R$ 3.470,00 à R$ 17.050,00)

Médio ($ 18,00 à $ 295,00)

Médio (£ 145,16 à £ 395,16)

ocorrem mensalmente em algumas capitais do Brasil

Divulgação através de personalidades do cenário musical (ex. Simone e Simaria, Iza, Pabllo Vittar); Campanhas divulgadas nas redes sociais

Médio (R$ 99,90 à R$ 799,90)

Alto (R$ 1.410,00 à R$ 16.230,00)


manifesto criativo macro

Na sociedade, as tendências são movimentos que se propagam em um nível “macro”, mas também se desmembram na cotidiano dos indivíduos, por meio de “micro-histórias”. Sendo assim, estes fenômenos apresentam diferentes graus de intensidade, impactam ambientes distintos e configuram-se conforme seu alcance de aceitação. (ZANETTINI apud MASSONIER, 2012)

Durante o ano, o portal WGSN se reúne para identificar os principais movimentos econômicos, artísticos, políticos e socio-culturais que irão impactar sobre o comportamento do consumidor ao longo dos anos. Em 2019, o relatório The Vision aponta novas visões ao redor do globo, indicando tempos com bastante extremismo e incerteza. A macrotendência Manifesto Criativo, coloca-se em meio às fake news, quando o real acaba tornando-se mais valioso. O mundo prezando por pessoas clamando pela verdade e transparência, onde a criatividade e a autoexpressao serão consideradas habilidades essenciais. Pontos importantes que servirão de encorajamento nos negócios e design, com um potencia mudança significativa na sociedade. Esta é a ideia: sair da zona de conforto e inspirar a ação. Pensar além do comum, fora da caixa, será a chave para competir com o avanço da tecnologia.


UGlY SHOES micro

“É provável que ugly sejam desen atenção das mí qualquer negó calçado feio dem um seguro dep geração.”


algumas das atuais propostas nhadas puramente para chamar a ídias sociais, que impulsionam ócio. A vontade de usar um monstraria, pelo menos em tese, poimento de estilo da nova Em matéria na revista Vogue, Costanza Pascolato traz uma reportagem sobre o impacto no cenário da moda com calcados nada convencionais e como este cenário continua a crescer e abrir um novo nicho de mercado. Segundo Costanza “É provável que algumas das atuais propostas ugly sejam desenhadas puramente para chamar a atenção das mídias sociais, que impulsionam qualquer negócio. A vontade de usar um calçado feio demonstraria, pelo menos em tese, um seguro depoimento de estilo da nova geração.” Será que o ugly shoe é apenas estranho? Longe disso. O calçado que foge do convencional e é um hit e continua sendo explorado por diversas marcas, como Demna Gvasalia – designer responsável pela revolucionaria estética contemporânea com a Vetements e a Balenciaga . Gvasalia costuma responder quando questionado sobre a estética peculiar dos seus produtos: "Gosto que as pessoas pensem que minha roupa é feia. Considero isso um elogio".

Agora, recentemente, um dos itens mais memoráveis, o famoso Crocs da Balenciaga, com solado de 10 cm lotado de broches de emojis dispensa comentários, sendo noticia na BBC de Londres. Sucesso de vendas no e-commerce, a plataforma ideal para venda com um produto peculiar e fora dos padrões da indústria. E não para por aí, diversas grifes como Phoebe Philo na Céline com suas versões da sandália Birkenstock; as sandálias desajeitadas com estética retro Rick Owens; Christopher Kane com os os controversos modelos da Crocs, e o tênis hibrido do colab Vetements e a Reebok. Como Constanza intitula a reportagem “os famosos Instagramáveis” vieram para ficar por um longo tempo. Seguindo esta lógica do não convencional em produtos de moda, o projeto se apoia nesta tendência, assim como diversas marcas continuam a investir neste segmento, trazendo ao mercado calçadista produtos inovadores, autênticos e criativos, impulsionando nas redes sociais, atingindo no atual comportamento do público alvo.


/MIN

ALE DIVE LOU TÍMI EUF

Com u m a nova visão de mercado, a Sttavos permite explorar um lado criativo mais singular e único da marca, desta maneira, interligando diretamente com tendências de moda, porém preservando a identidade visual de cada indiviíduo que serve como apoios de inspiração para as coleções . A Sttavos quer ser diferente, ousada, engraçada e alegre. Demonstrar que o feio é o novo preto. Ou seja, ousar no diferente. Quebrar regras, cores, formas, volumes e estampadas.Trazer ao mercado um produto extraordinariamente e impecavelmente feito para pessoas que possuem um estilo devidamente próprio. Pensando neste público jovem, a marca deseja estar sempre em contato com seus clientes, principalmente pela plataforma Instagram, pois atualmente, é a rede mais acessada por eles. Seja para dúvidas, compras, reclamações, conselhos, a Sttavos está ligada 24 horas. O feedback é essencial!

SINCE


NEIRO EGRE ERTIDO UCO IDO FÓRICO

/

Marca com potencial crescimento no Brasil e futuramente no exterior, trabalha somente com vendas online, através do site oficial, aplicativo e loja no Instagram. Possui um quadro reduzido de colaboradores, com 10 pessoas, subdivididas em 5 segmentos: estilo/produto, engenharia, marketing, confecção e PCP.

2018

STTAVOS O estilista Gustavo Silva, natural de Minas Gerais, se inspira através de um mix de estilos próprios que procura observar nas pessoas ao seu redor. Nas midias sociais, percebe-se uma grande influência comportamental pelos jovens na sua auto firmação na atual socidade e através deste espírito, transmite pela Sttavos uma nova essência de estilo, diversão e conceito.


dia percebia que não queria acordar e //Um trabalhar todos os dias. Eu não queria ser igual aos monótonos e normais. Queria criar o meu próprio mundo. Um mundo colorido onde todos pudessem se divertir. Uma grande festa que não acabasse nunca. Macalay Culkin em Party Monster

A idealização dos jovens usarem a linguagem do vestuário como forma de expressão se intensificou logo na década de 40. Estavam vendo a vontade e a rebeldia nas rua e logo veio a união com a música. A partir disso, surgem no final dos anos 50, os teenagers styles, que através da música, uniu os jovens em grupos urbanos, mais tarde chamados de "tribos urbanas". A partir da década de 80, surgem os roqueiros, rastas, rappers, clubbers e diversos outros grupos, criando a moda a sua visão, trazendo ideias e ideais. Ao longo da década de 90, com uma grande variedade de tendências e estilos, essas tribos gerou uma multiplicidade de moda nas ruas. Devido a essa grande massa de estilos, com informações próprias e ausência de preconceitos, aliadas a criatividade dos jovens, mesmo com pouco dinheiro, a indústria da moda começou a ter uma nova visão sobre eles. Para Barnard (2003), a “moda e indumentária não são simplesmente fenômenos, ou privados ou públicos, por exemplo; elas estão no limite entre sujeito e objeto. Representam algo como uma divisa ou uma margem entre uma persona pública, externa, e uma identidade privada, interna.”

//

Representam algo como uma divisa ou uma margem entre uma persona pública, externa, e uma identidade privada, interna.” Nessa concepção a cerca de como a imagem de estilo é repassada através dos aspectos que compõem um vestuário e de como as “tribos urbanas” podem ainda hoje, estarem influenciando diversos estilos híbridos na sociedade. Os clubbers, integrantes das “tribos urbanas”, serão utilizados como fonte de inspiração no projeto de calçados e a suas características peculiares da época serão base para compreender como o seu estilo único é capaz absorver uma ideia. Com seu surgimento em Londres, especificamente nas noites dos clubs (origem do nome), através da evolução da música eletrônica, a cultura clubber começa a ganhar destaque nas ruas, baladas e também na indústria da televisão. Sendo uma tribo que não seguia uma ideologia específica ou políticas, procuravam se expressar com um visual estético singular, cores vivas, flúor, um aspecto andrógino e tinham a vida noturna como palco para os seus looks.


A cultura clubber expressa ao limite a sua autenticidade, extravagante e com roupas irreverentes, brilho, látex, acessórios com ousadia e sapatos de plataformas. Eram embebedados com a mistura de cores e elementos diversificados, perucas coloridas e maquiagens fortes, gritavam através da sua moda, um indivíduo buscando pelos seus ideais e princípios, trazendo no cenário a sua volta, a sua arte. O retrô também fazia parte da composição de peças que compõem o estilo dos clubbers, jovens, com pouco dinheiro, abusavam dessa fonte inesgotável de peças por um preço justo. Na época, surgem personalidades marcantes, transformando o cenário americano em um apreciador da cultura clubber, devido a sua autenticidade e carisma, com um estilo e comportamento únicos, acabou atraindo um novo grupo, como drag queens, góticos (amantes de música eletrônica) e patty/boys. Um verdadeiro mix estético, contrastante aos indivíduos que viriam a ser os mais famosos kids daquela geração, podendo ser considerados até hoje, como Michael Alig, promoter badalado de New York que ficou conhecido como o Rei dos Clubbers, começou a trabalhar com Peter Gatien, proprietário de baladas mais famosas dos clubbers na época. Além deles, surgem Richie Rich com a marca Heatherette, carregada de evidências dos primórdios da década de 90. Amanda Lepore também se destaca, sendo a grande musa de David Lachapelle. Atualmente, o reality Rupaul’s Drag Race é bastante conhecido, reacendendo a marca da cultura clubber vivenciado pelo próprio na década de 90.

clubbers


An Real Age Com uma coleção inspirada no universo digital, o pixelado, o designer japonês Kunihiko Morinaga da grife An Real Age, trouxe no A/W 2011/2012, vestidos, ternos, casacos e acessórios com o tema “Low” ou seja, baixa resolução, trazendo assim uma referência aos gráficos de 8 bits dos anos 80 e 90.

SALVATORE FERRAGAMO

CHOLÉ O patchwork, tendência dos anos 70, bastante inspirada nos movimentos folk e hippie foi impulsionada por Gloria Vanderbilt, designer americana, aparece novamente na temporada Fall/Winter 2015/2016 em grandes grifes, como Burberry, Chloé, Neiman Marcus, Fendi, Chloé, Etro e Salvatore Ferragamo.

claire barrow

AMAPÔ

Claire Barrow, estilista formada na University Westminster, em 2012, trouxe no seu trabalho de graduação, uma coleção desenvolvida em estampa de tinta escorrida feita a mão. A marca brasileira Amapô no Winter 2016 também trabalhou esta mesma estampa.


portal usefashion

Tess - Première Vision Leather Montebello - Lineapelle Zonta - Lineapelle Marques Almeida - Londres

EspaÇo - Koreia - Milano Unica Forum de TendÊncias - PremiEre Vision Fabrics Brugnoli - PremiEre Vision Fabrics Bronx - Premium Prada - MilÃo

Prada - Milão Diesel - Premium No. 21 - Milão

Propriedades tecnológicas

Aspectos artificiais

inverno 2018

formas // volumes Abotinado esportivo

Fendi - Milão Beyond - MICAM Buttero - Pitti Uomo


No Portal UseFashion, na temporada de Inverno 2018, são apresentados modelos funcionais, esportivos e contemporâneos. Os solados volumosos ganham a vez, em botas adventures, tênis esportivos, sendo espessos ou construído por camadas em relevos, com mix de materiais, como elásticos, fivelas, couro, neoprene e knit


tipos de saltos

flatform

SNEAKER

tratorado

AVIAMENTTOS

Composição Polímeros termoplásticos

couraça

palmilha

solado

Composição Polímeros termoplásticos

Composição 100% Poliuretano

Composição PVC Expandido Borracha Vulcanizada

COMPONENTES

contra-forte

fivela

botão

viés

elástico

Composição Plástico

Composição Poliéster

Composição 100% Algodão

Composição 75% Poliéster 25% Elastodieno


materiais

Nylon Emborrachado Poliamida Composição: 100% Poliamida revestido com policloreto de vinila

neoprene Composição: 80% borracha clolopreno revestida com tecido 100% poliamida

Camurça Suede Dublado Com Tnt Composição 100% Poliéster 100% Polipropileno

PVC 1.0 Nobuck Composição 100% Policloreto de Vinila 100% Poliéster


PANTONE 3564 U

PANTONE 18-2120 TPX Honeysuckle

PANTONE 102 XGC

PANTONE 3545 UP

PANTONE 3566 CP

PANTONE Process Black C

CORES


“Se você não se amar, como você vai amar outra pessoa?” RuPaul

Existe um reflexo no espelho Quebrado Em pedaços Junta-se Descubra-se Explore Vibrações ocorrem na mente Sem cessar

A coleção de Verão 2019 busca explorar cada singularidade de um individuo através de cores, formas e comportamento, inspirada principalmente na década de 90. Grupos urbanos deixavam a sua marca com um lifestyle propriamente marcado pela estética. Diferentes, ousados e alegres. Ser quem eles eram, sem medo de represarias. Esta é a essência do dna da marca e a coleção “Bazinga” transmite um novo momento.


processo criativo

Começando a partir da análise sobre a identidade peculiar da tribo urbana Clubber e como o seu vestuário demonstrava a sua posição na sociedade nos anos 90, o processo criativo começou neste principio e foi alinhado com os atuais parâmetros na moda, como a escolha da musa inspiradora, o público alvo e as tendências inspiracionais realizadas na fase inicial do projeto Durante o desenvolvimento foram elaborados três painéis semânticos centrais: musa, temática e lifestyle do público alvo. Nesta pesquisa imagética, a geração de alternativas resultou em 20 esboços, onde foram trabalhados de três a quatros tipos de solados diferentes, como tratorado, flatform, blocado e sneaker. Neste sentido, os esboços resultaram em calçados com recortes, saltos diferenciados, aviamentos inusitados, solados “uglys”. Posteriormente, após este processo de criação, os esboços tiveram uma votação de 15 modelos, que consequentemente seriam ilustrados, porém neste processo ocorreu modificações em determinados detalhes ao longo da ilustração digital. Mesmo o projeto consistindo em um processo mais intuitivo na sua criatividade, foi utilizado o SCAMPER, uma das ferramentas criativas mais utilizadas no desenvolvimento de projeto e que foi facilmente compatível com o segmento proposto. O SCAMPER, é um acrônimo de (substitute, combine, adapt, modify, modify, minify, put to other user, eliminate, reverse) criado em 1991 por Bob Eberle. Segundo Pasmino (2013) esta ferramenta é uma técnica de inventar, descobrir e resolver problemas, permitindo assim o desbloqueio mental criativo.


geração de alternativas mapeamento mescrai


ilustr ação


Z A B


A G N I Z collection // summer.19


x/3 x/5

x/4 x/2

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: PVC nobuck Fechamento: Elástico

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: PVC nobuck Forro: Camurça dublado Fechamento: Elástico traseiro

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Neoprene Forro: Poliamida Fechamento: Adorno: Tira Elástico elástica e fivela plástica


x/2

x/1

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Tiras: PVC nobuck Fechamento: Tira com fivela plástica

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Neoprene Forro: Poliamida Fechamento: Elástico

e aí? é basic. vai com tudo! leve confortável trendy color

basic x


y/3 Solado: Vulcanizado em borracha Palmilha: Cartela Acabamento: Viés Gáspea/Tornozelo: Patchwork manual Forro: Poliamida Fechamento: Tira elástica Adorno: Fivela de plástico

y/5

y/2

Solado:Vulcanizado em borracha Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Neoprene dublado Forro: Sem Adorno: Tira elástica e fivela plástica Fechamento: PVC nobuck com botão

Solado:Vulcanizado em borracha Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Neoprene dublado e PVC Forro: Sem Adorno: Tinta manual Fechamento: Elástico


y/2

y/1

Solado:Vulcanizado em borracha Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea/Tornozelo: Nylon com neoprene Forro: Poliamida Fechamento: Tira em PVC com botão

Solado:Vulcanizado em borracha Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea/Tornozelo: Patchwork manual Forro: Poliamida Fechamento: Tira em PVC com botão

Já pensou saindo por aí pulando igual um canguru? runnnnning!

jump y


Z/3 Z/5

Z/4 x/2

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: PVC nobuck Forro: Poliamida Adorno: Tira elástica e fivela plástica Fechamento: Elástico com botão

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Biqueira: Neoprene Forro: Poliamida Adorno: Tira elástica; fivela plástica; botão Fechamento: Elástico

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: PVC Neoprene nobuck Forro: Poliamida Fechamento: Tira Elástico elástica com fivela plástica Adorno: Tinta manual


Z/2

Z/1

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Tiras de PVC nobuck Forro: Poliamida Fechamento: Tira elástica com fivela plástica

Solado: PVC expandido Palmilha: Cartela Acabamento:Viés Gáspea: Patchwork manual Forro: Poliamida Adorno: Botão Fechamento: Elástico lateral

ISSO, SE JOGA QUEBRA TUDO É PODER! É GLAM

BREAK Z


Ficha Técnica

documentação técnica

Coleção: Verão 2019

Linha: Basic

Estilista: Gustavo Silva

Númer o: 39

Forma: 1139-13224

Cabedal

Nº peças/p ar

Descrição do material

Cor

Fornecedor

Gáspea 1

1/2

Laminado sintético

Roxo

Univali

Gáspea 2

1/2

Sintético de couro

Preto

Univali

Forro

1/2

Camurça dublado

Roxo

Univali

Solado

Nº peças/p ar

Descrição do material

Cor

Fornecedor

Palmilha

1/2

EVA reforçado

Cinza/ Branco

Univali

Forro

1/2

Camurça dublado

Roxo

Univali

Sola

1/2

PVC expandido

Laranja

Univali

Sequência Operacional Desenvolvimento da modelagem através da forma revestida de fita crepe Marcação dos pontos principais na forma Marcação da modelagem a partir dos pontos principais para o croqui escolhido Retirar molde da palmilha/cabedal da forma para colar no tríplex Repassar modelagem da gáspea 1, gáspea 2, palmilha e forro no tríplex Cortar espelhado o tecido sintético laminado na gáspea 1 Cortar espelhado o tecido sintético de couro na gáspea 2 Cortar espelhado o forro das gáspeas e palmilha no tecido camurça dublado Cortar palmilha no EVA


Ficha Técnica

Coleção: Verão 2019

Linha: Basic

Estilista: Gustavo Silva

Número: 39

Forma: 1139-13224

Gáspea 1 Elástico

Forro

Gáspea 2

Palmilha

Sola

Costurar os tecidos espelhados, respeitando os 4mm de sobra Colar as sobras, fazer pique quando necessário Colar os forros nas gáspeas e palmilha Unir, com elástico na traseira superior da gáspea 1, colar e pespontar Pespontar as laterais da gáspea 1 e 2 Unir as duas gáspeas e pespontar Pregar a palmilha forrada na forma Encaixar o cabedal pronto na forma Passar cola em 1.5cm a partir da parte inferior da gáspea 1 Passar cola nas laterais inferiores de 1.5cm da palmilha Depois de secar, montar com ajuda do alicate, cabedal com a palmilha Passar cola branca na sola e palmilha já montada com o cabedal Colocar na estufa por 5 minutos, depois colar cabedal/palmilha com a sola


MOLDE

GÁSPEA 1

pALMILHA

GÁSPEA 2


Abaixo segue a tabela de análise ergonômica de produto, com estudo feito a partir do capítulo 11 do livro: IIDA, Itiro. Ergonomia: Projeto e Produção. 2ª Ed., São Paulo: Edgard Blücher, 2005, apontando os critérios técnicos, estéticos, ergonômicos e de usabilidade do produto no usuário em questão. Avaliação Ergonômica de Produto Descrição do Produto: Pouco evidente

Ponto

Muito evidente

Caracterísiticas desejáveis dos produtos Segundo Iida, 2005 p. 316 1

2

3

4

5

s

Critérios Técnicos Materiais, tecnologias e sustentabilidade

x

Facilidade de armazenar e transportar

x

Facilidade de lavar e conservar

x

Resistência e

x

//

análise ergonômica

Durabilidade Funcionalidade

x

Total

2

9

4

15

Critérios de Usabilidade Aspectos cognitivos: facilidade de usar e manipular

x

Posturas corporais: liberdade de movimentos para a prática de

x

atividades Pontos de estresse/dores: em modelagem, recortes, costuras, fechamentos, texturas e aviamentos Conforto e segurança: adequação antropométrica (medidas corpóreas) e biomecânica (acessibilidade aos movimentos articulares)

x x

Função de uso: quando usado na sua função principal, obtém melhor

x

eficácia do produto Total

4

6

4

14

Critérios Estéticos Aspectos estético-formais (formas, cores e relação com a temática de

x

inspiração) Aspectos sensoriais e emocionais (acuidade visual, tato, pressão, temperatura e umidade relativa, fatores que afetam diretamente o

x

desempenho humano) Aspectos sociais, culturais e simbólicos (capacidade de representação de poder, status, seu significado e capacidade de cognição e

x

comunicação através de conceito, mensagem e imagem no contexto social em que o consumidor final está inserido). Aspectos informacionais (subsídios suficientes para que o cliente ou usuário possa inteirar-se da maneira correta de utilizar, manusear e higienizar o produto).

x


vendas online site oficial instagram aplicativo


composto mercadรณlogico


composto mercadólogico

NÃO LAVAR

NÃO USE ALVEJANTE

SECAR À SOMBRA

NÃO SEQUE EM TAMBOR ROTATIVO

NÃO PASSAR

LAVAR À MÃO


Caixa personalizada tag cupom desconto cartĂŁo agradecimento camiseta brinde cartĂŁo visita


GILL SANTS

Cassannet Plus


composto mercadรณlogico

STTAVOS SINCE 2018


//

referências https://noticias.bol.uol.com.br/fotos/bol-listas/2017/ 06/07/tribos-urbanas-ontem-e-hoje-conheca-35-gr upos-que-fazem-historia-na-sociedade.htm#fotoNa v=16 http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,como-n asceu-a-cultura-clubber-imp-,598114 http://www.modadesubculturas.com.br/2015/12/o-r evival-do-clubber-na-moda.html http://www.modadesubculturas.com.br/2015/09/clu b-kids-money-sucess-fame-and-glamour.html http://www.textilia.net/materias/ler/moda-vestuario /moda-vestuario--moda/os_dez_comportamentos_ da_proxima_decada https://www.wgsn.com/blogs/vision-2019-influential -macro-trends-next-year/ http://www.fashionbubbles.com/trends/macrotende ncias-2019-previsoes-da-wgsn-e-london-united-apo ntam-o-futuro-do-consumo-mercado-e-estilo-de-vi da/ https://vogue.globo.com/moda/noticia/2018/01/feio s-e-muito-desejados-sapatos-nada-convencionais-sa o-hit-do-verao.html http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalh e/cultura/rapper-americana-brooke-candy-confirma -show-unico-no-brasil/?cHash=465ade6038997fc59 dc9e98e4a9edaab http://www.audiograma.com.br/2017/02/neo-music a-bizarra-ou-vanguardista-eis-brooke-candy/ http://billboard.uol.com.br/noticias/brooke-candy-n ao-precisamos-de-mais-garotas-como-taylor-swift/ http://ffw.uol.com.br/trends/ugly-chic-aumenta-o-fri sson-em-torno-do-dad-sneaker-com-o-lancamentodo-novo-tenis-da-balenciaga/ https://www.audaces.com/pixel-inspiracao-para-obj etos-e-colecoes-de-moda/ https://beauty.bgfashion.net/article/11826/34/Fall-W inter-2015-2016-Fashion-trends-Patchwork#popup 2 https://www.westminster.ac.uk/news-and-events/ne ws/2012/westminster-graduate-claire-barrow-prese nts-at-london-fashion-week http://www.denimjeansobserver.com/mag/2015/11/ 10/amapo-2016-winter-inverno-mens-fashion-runw ay-sao-paulo-brazil-romantikah-pointed-shouldersandrogyny-drip-denim-jeans-observer/

BAXTER, Mike. Projeto de Produto: Guia Prático para o Design de Novos Produtos. 2.ed. São Paulo: Edgard Blüncher, 1998. MORACE, Francesco (org.). Consumo Autoral. As gerações como empresas criativas. São Paulo: Estação das Letras e Cores Editora, 2009. Lipovetsky, Gilles o império do efêmero : a moda e seu destino nas sociedades modernas / Gilles Lipovetsky ; tradução maria Lucia machado. — São paulo : Companhia das Letras, 2009 SANT’ANNA, M. R. Aparência e poder: novas sociabilidades urbanas em Florianópolis, de 1950 a 1970. (Tese de Doutoramento) Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2005. Disponivel em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10 183/4593/000502539.pdf?sequence=1 BARNARD, Malcolm. Moda e Comunicação. Rio de Janeiro: Rocco, 2003. Design Thinking : inovação em negócios | Maurício Vianna... [et al.]. - rio de Janeiro : MJV Press, 2012.

REF

IREI COLOCAR NA ABNT


gustavo silva design de moda // 5Âş PerĂ­odo

Projeto  
Projeto  
Advertisement