Issuu on Google+

s

na zo ul

Jornal de Coleção • Ano 2 • Nº 24 • SETEMBRO 2010 • 10.000 Exemp. • Tel. (51) 3268.4984 • distribuição Gratuita

VENENO NA MESA

O prazer de estar

CHEIO DE VIDA

Alimentos brasileiros estão com altíssima presença de agrotóxicos. 

prevenção

Câncer de próstata é o 2º maior causador de mortes no Brasil. PREVINA-SE! 

TOQUES VERDES

10 coisas simples para se fazer em prol do planeta azul

O prazer é a força criativa da vida, a única capaz de se opor à destrutividade em potencial do poder.


Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 2

Cemitério de árvores

Existe uma crença que, chegado o fim da vida, os mortos se transformam em pássaros que precisam de árvores para pousar. Se pudesse plantaria muitas árvores que dessem frutos, por amor aos passarinhos.

Rubem Alves

M

inhas memórias estão cheias de árvores. Menino, passando férias no sobrado do meu avô, eu me levantava e saia para a praça vazia. Lá, eu me assentava embaixo de uma tipuana cheia de pássaros pretos. Na curva do trem havia uma gigantesca paineira, velhíssima, com um buraco no tronco. Diziam que era morada de sacis. Mas nunca vi nenhum. Depois do jantar, lá pelas cinco, os homens e as crianças se ajuntavam em volta da paineira para contar casos de assombração. Terminado um caso ninguém o desmentia. A roda de casos tinha de continuar. E, para continuar, era só dizer: “Mas isso não é nada...” E era obrigatório que todo jardim tivesse um pé de jasmim e outro de romã, de sementes mágicas para trazer riqueza se colocadas na carteira na noite de passagem de ano. Faz muitos anos tive saudade do meu pai e escrevi sobre um arbusto que ele me deu. Começava assim: “Tenho, no meu jardim, um pé de rosmaninho. Ele é, em tudo, igual a todos os outros pés de rosmaninho que há por este mundo. Aquele cheirinho gostoso quando a gente esbarra nas folhas; brancas, com uma gota de rosa, milhares de

florinhas, quando chega o tempo; e as abelhas sem conta que se juntam e zumbem. Gosto de me deitar na rede, perto dele, quando as noites são frescas e há aquela brisa... Às vezes me descubro conversando com ele e já cheguei mesmo a agradar as suas folhas, como se ele sentisse. Nunca se sabe ao certo. É igual a todos os demais, exceto numa coisa: foi o meu pai que me deu a mudinha. Meu pai já morreu. O rosmaninho guardou o seu gesto...” De uma árvore cujo nome não sei, uma árvore de cemitério, que faz sombra aos túmulos de Abelardo e Heloisa, roubei umas folhas e pus num quadro. Olho para as folhas e me lembro do amor dolorido dos dois.

É que existe uma crença que, chegado o fim da vida, os mortos se transformam em pássaros que precisam de árvores para pousar. Na versão original da história da Cinderela não havia Fada Madrinha. O que havia era a sua mãe morta que, para não abandoná-la, passou a viver numa árvore onde moravam os pássaros que protegiam a menina. V i v o , inaugurei o cemitério de árvores. Plantei a minha árvore, um jequitibá. Acho que porque, no início do meu escrever sobre a educação, usei o jequitibá como metáfora do educador que, sem ter ido a qualquer escola, nasce selvagem no meio da floresta sem que ninguém plante. Arrependi-me. Achei a metáfora presunçosa, com mania de grandeza. Pudesse mudar,

eu plantaria uma árvore que desse frutos, por amor aos passarinhos. Aí me perguntei: por que plantar árvores só para os mortos? Pois Bach não compôs o coral “Alle Menschen müssen sterben”, todos os homens devem morrer? Pus-me a plantar árvores para os vivos. Duas cerejeiras japonesas para a Tomiko e o Hans. O Jether e a Lucília quiseram uma árvore de louro e outra de canela. Plantei também uma árvore para cada neta, formando um “c” com uma pracinha no meio. Esse jardim já não é meu. Não sei qual foi o destino das árvores. Nem sei se os seus nomes continuam os mesmos. Mas, se ainda fosse meu, eu mandaria esculpir numa madeira esse curto poema de Alberto Caeiro que diz tudo o que é para ser dito: “Ah, como os mais simples dos homens são doentes e confusos e estúpidos ao pé da clara simplicidade do existir das árvores e das plantas. Sejamos simples e calmos como os regatos e as árvores, e Deus amar-nos-á fazendo de nós belos como as árvores e os regatos, e dar-nosá verdor na sua primavera e um rio aonde ir ter quando acabemos...”


3 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar


Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 4

P

esquisa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária mostrou que as frutas, verduras, legumes e grãos consumidos pelos brasileiros estão com altíssima presença de agrotóxicos. Em 2009 a agência coletou 3.130 amostras de 20 alimentos. As análises apontaram que 29% das amostras tinham irregularidades, como resíduos diretos de agrotóxicos e ingredientes ativos não autorizados. “Estes resíduos evidenciam a utilização de agrotóxicos em desacordo com as informações presentes nos rótulos e bula dos produtos”, explicou Luiz Cláudio Meirelles, gerente da Agência. (Mas se o próprio governo permite a importação de produtos banidos em outros países, como fica?). Os casos mais problemáticos, ou de maior contaminação, foram o pimentão, com 80% das amostras insatisfatórias; a uva, com 56,4%; o pepino, com 54,8% e o morango, que teve 50,8% de suas amostras contaminadas. Também tiveram alto índice de irregularidades a couve (44,2%), o abacaxi (44%), o mamão (38,8%), o tomate (32,6%) e a beterraba (32%). De acordo com a Anvisa, agrotóxicos que apresentam alto risco para a saúde da população são utilizados no Brasil sem levar em consideração a existência ou não de autorização do governo. (Ou seja, pode tudo e nada acontece). Nas análises foram encontrados ingre-

Veneno Na Mesa A Anvisa avisa que os alimentos brasileiros estão com altíssima presença de agrotóxicos. Mas deixa a solução nas mãos dos consumidores. Que coisa!

“Apesar de serem proibidos em tantos países do mundo, há pressões do setor agrícola para manter os perigosos produtos contaminantes no Brasil.” dientes ativos em processo de reavaliação toxicológica junto à Anvisa, devido aos seus efeitos negativos para a saúde humana. Nesta situação, chama a atenção a grande quan-

U

tidade de amostras contaminadas por endossulfan, acetato e metamidofós, proibidos em quase todos os países do mundo pelo perigo que representam às populações des-

Esporte em contato com a natureza é na AABB

ma nova modalidade esportiva promete esquentar o segundo semestre na AABB Porto Alegre. Considerado um esporte completo, que trabalha todos os grupamentos musculares, exigindo força e resistência muscular, o Remo será disponibilizado pelo Clube a partir de 11 de setembro. Excelente para elevar a qualidade de vida, o bem-estar e a autoestima, a atividade será ministrada pelo professor José Ricardo Contieri, que atuou como técnico da

Seleção Brasileira entre 1997 e 2002 e de 2006 a 2008. Duas turmas serão oferecidas, de escolinha, a partir de 12 anos, e de prática desportiva. A única obrigatoriedade para os participantes é saber nadar. As aulas em contato com a natureza serão realizadas no Lago Guaíba, de acordo com a disponibilidade de horários e de barcos. Os interessados podem obter mais informações com a Central de Atendimento da AABB, pelo telefone (51) 3243-1021.

Equoterapia

O

inscrições abertas para novos praticantes

Centro de Equoterapia Cavalo Amigo está com inscrições abertas para novos praticantes de equoterapia e equitação terapêutica. Os tratamentos ajudam a melhorar a qualidade de vida de pessoas de todas as idades

e são indicados, sobretudo, para crianças portadoras de necessidades especiais. Interessados devem entrar em contato pelo telefone (51) 3343 4793. Mais informações estão disponíveis no site www.cavaloamigo.com.br.

Baka: “Os Quatro Elementos”

E

15 de outubro, às 20h30min

m comemoração ao seu 17º aniversário, a Casa de Artes Baka realizará mais um espetáculo de música, dança e teatro, no dia 15 de outubro, às 20h30min, no Teatro Hebraica, localizado na rua João Teles, 508, na cidade de Porto Alegre. Este ano,

o tema do show são os quatro elementos da natureza. Os alunos e professores apresentarão números variados, sempre relacionados a um dos quatro elementos - água, fogo, terra e ar. Informações: Rua da República, 139, (51) 3226.3052 - www.baka.com.br

ses países. Esses ingredientes têm elevado grau de toxidade aguda comprovada e são causadores de problemas neurológicos, reprodutivos, de desregulação hormonal e até de câncer. Apesar de serem proibidos em tantos países do mundo, há pressões do setor agrícola brasileiro para manter esses produtos no Brasil (que patriotas temos!). Para reduzir o consumo de agrotóxicos nos alimentos, a Anvisa recomenda que o consumidor opte por produtos de origem identificada, pois esses aumentam o comprometimento dos produtores com relação à qualidade dos alimentos e das boas práticas agrícolas (A pergunta que não quer calar: pagamos impostos extorsivos para a que a Agência do governo responsável pela defesa sanitária nos dê conselhos para comprarmos alimentos de boa origem? É para isso todo o aparato técnico burocrático da Anvisa?). Para você tentar se proteger sozinho: escolha alimentos de época, e dê preferência a alimentos orgânicos, certificados, que não utilizam agrotóxicos em seu cultivo. Talvez não tenham a mesma aparência ‘grandiosa’ dos convencionais, mas com certeza não possuem os venenos ‘normais’ dos outros. Retirar as folhas externas e lavar bem os produtos ajudam na redução dos índices de veneno. A fonte das informações foi o portal G1.


10

5 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar

Toques Verdes

coisas simples a se fazer em prol do planeta azul

O aquecimento global é uma realidade que prejudica a todos e que pode ser enfrentada em nosso dia a dia, com boa vontade e solidariedade com a vida de nosso lindo planeta.


Informação Fundamental

Todo homem

PRECISA SABER! A

Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) reafirma a Campanha Nacional de Combate ao Câncer de Próstata com o objetivo de informar e conscientizar a população sobre a doença que atinge cerca de 400 mil homens acima de 45 anos por ano, já que houve um aumento do número de casos no Brasil. Isso corresponde a um risco estimado de 51 casos novos a cada 100 mil homens. Anualmente, são diagnosticados 40 mil casos, com nove mil óbitos. O câncer de próstata é o mais frequente nos homens e o segundo maior causador de mortes no Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), estima-se que 400 mil pessoas com mais de 45 anos tenham a doença e que a maioria não

tenha conhecimento disso. “O problema do câncer de próstata é grave em todo o mundo e, no Brasil, que tem uma população idosa cada vez maior, não é diferente. Atualmente, um em cada seis homens com mais de 45 anos apresenta a doença”, relatou o Dr. Walter Koff, presidente da SBU. Desde novembro de 2004, a SBU promove campanhas permanentes de esclarecimento, distribuindo, entre os urologistas, CDsROM contendo aulas com as principais informações sobre a doença, os tratamentos e os sintomas para leigos. Em 2009, 730 mil folhetos explicativos foram entregues. A

Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 6

Campanha de conscientização do câncer de próstata instiga homens a se cuidarem melhor e deixarem preconceitos de lado.

maior preocupação dos médicos é com o preconceito que ainda existe em torno do exame do toque retal. Segundo o Dr. Walter Koff, “é fundamental esclarecer que todo homem após os 45 anos deve procurar frequentemente um urologista para examinar a sua próstata”. O médico lembra, ainda, que os homens que já tiveram algum membro da família - avô, pai ou irmãos - com a doença devem procurar um especialista cinco anos mais cedo, ou seja, por volta dos 40 anos. Além do câncer de próstata, a campanha também abrange a prostatite, que é a inflamação do

“O câncer de próstata é o mais frequente nos homens e o segundo maior causador de mortes no Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), estima-se que 400 mil pessoas com mais de 45 anos tenham a doença e que a maioria não tenha conhecimento disso.”

órgão, e da hiperplasia benigna da próstata, conhecida como HBP. Os maiores riscos do câncer de próstata residem no fato de a doença não apresentar sintomas em sua fase inicial, justamente quando o homem pode ser curado. Se diagnosticado precocemente, a chance de cura aumenta. Para identificá-lo, além do toque retal, os urologistas submetem os pacientes à coleta de sangue para que o PSA, substância produzida pela próstata, seja dosado. Em caso de suspeita, é feita a biópsia. Ainda não existem formas de se evitar o câncer de próstata.

A PRÓSTATA Importante órgão do aparelho reprodutor masculino, a próstata tem a função de produzir a secreção que participa do esperma, representando 30% do volume deste. Essa secreção serve como meio de transporte, alimento e proteção para os espermatozóides. Situada logo abaixo da bexiga e em frente ao reto, a próstata fica em


7 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar

volta da uretra, tem a forma de uma castanha e pesa em torno de 20 gramas.

PROSTATITE A prostatite é a inflamação na próstata e dentre os sintomas apresentados

Informação Fundamental

estão: febre, ardência e maior frequência para urinar. O tratamento é clínico e à base de antibióticos.

HIPERPLASIA DE PRÓSTATA O crescimento benigno da próstata, chamado de hiperplasia beningna de próstata (HBP), ocorre em até 70% dos homens acima de 60 anos e em 30% deles exige tratamento com medicamentos ou mesmo cirurgia. Dentre os sintomas da HBP estão o jato fino e fraco, o aumento da frequência e da urgência para urinar e até mesmo a retenção da urina. Outras complicações: pedras na bexiga, infecções urinárias e perda de sangue pela urina.

Assim como o câncer de próstata, a HBP também não pode ser prevenida. Enquanto não ocorrem complicações a doença pode ser tratada com medicamentos que relaxam a próstata e facilitam o ato de urinar. Outros podem diminuir o tamanho da próstata. Nos casos que não respondem ao tratamento clínico ou que evoluem com complicações pode haver necessidade de cirurgia aberta ou por via endoscópica (uretral).

POLÍTICAS PÚBLICAS? Adriane Souto, agente de saúde, enviou o seguinte e-mail ao Fórum de Saúde do Terceiro Setor: “Amigos estou analisando as ultimas reportagens sobre o grande número de mortes por câncer de próstata, percebi

“Você é o responsável direto por sua saúde e sua vida. Assim, não se descuide. Diga sim à prevenção da saúde masculina e avise e incentive os amigos a fazerem o mesmo.”

que não existe política ou programa de saúde voltado para os homens e por isso resolvi fazer esta pergunta a vocês. Na sua cidade ou estado já foi realizada alguma campanha em prol da saúde masculina, como as campanhas de câncer de mama e ou convites para visitar o ginecologista pelo SUS?” Estendemos a pergunta a você, mas independente da resposta, ressaltamos a importância de todo homem com mais de 45 anos realizar os exames de PSA e toque retal pelo menos uma vez por ano. Independente de qualquer ação do governo (e sabemos que nosso sistema de saúde é muito ruim), você é o responsável direto por sua saúde e sua vida. Assim, não se descuide. Diga sim a prevenção da saúde masculina e avise e incentive os amigos a fazerem o mesmo.

Comente esta matéria

Dê sua opinião. Participe.

redacao@jornalbemestar.com.br


Matéria

BIOENERGÉTICA O prazer de estar cheio de vida Alexander Lowen

O prazer é a força criativa da vida, a única força capaz de se opor à destrutividade em potencial do poder. Neste artigo, o criador da Bioenergética, Alexander Lowen, nos fala da importância da respiração na obtenção do prazer e no estar mais plenos na vida.

T

odos já sentiram alguma vez na vida o simples prazer que acompanha a recuperação de uma doença ou acidente. No primeiro dia em que a saúde normal é recuperada, sente-se com intensa satisfação a alegria de se estar vivo. Como e agradável respirar bem fundo! Que emoção é mover-se fácil e livremente! A perda da saúde faz a pessoa perceber seu corpo e tornar-se consciente da importância de uma boa saúde. Infelizmente essa percepção logo

desaparece e a sensação maravilhosa que a acompanha se esvai. Assim que o indivíduo retoma suas atividades habituais, é envolvido por motivações que o dissociam de seu corpo. Preocupa-se com acontecimentos e assuntos do mundo externo e rapidamente esquece a revelação de que o prazer é a percepção de estar cheio de vida aqui e agora - o que significa estar plenamente vivo num sentido corporal. Tendo se dissociado de seu corpo, não

pensa mais em termos corporais. Ignora a simples verdade que para se viver é preciso respirar e quanto melhor for a respiração, mais vivo irá se sentir. Sentirá, de vez em quando, que sua respiração é limitada e, em determinadas ocasiões, especialmente sob estresse, poderá perceber que está segurando a respiração, mas não leva isso a sério. Pode até reconhecer com um sorriso de resignação que o ritmo confuso de sua vida não lhe permite respirar. Entretanto, ao se


de

Capa sentir envelhecendo vai fazer a triste descoberta de que essa função, como outras funções vitais, se deteriora quando não é usada adequadamente. Quando a respiração se torna difícil, deveríamos abandonar tudo para novamente voltarmos a respirar com facilidade. A vida é consequência da respiração.

para sentir prazer diminuiu ou se perdeu. Podem se queixar de depressão, ansiedade, sensação de inadequação e assim por diante; mas esses são sintomas de um distúrbio mais profundo, isto é, a incapacidade de aproveitar a vida. Em todos os casos é possível mostrar que essa incapacidade vem do fato de que o paciente não está totalmente cheio de vida nem em seu corpo nem em sua mente. Portanto esse problema não pode ser resolvido por inteiro só com uma abordagem puramente mental. Deve ser atacado simultaneamente no nível físico e no psicológico. Só quando uma pessoa se torna totalmente viva, sua capacidade para sentir prazer poderá ser restaurada totalmente. Os princípios e a prática da terapia bioenergética se baseiam na identidade funcional entre mente e corpo. O que significa que qualquer mudança na maneira de pensar de uma pessoa e, portanto, em seus sentimentos e comportamento, está condicionada a uma mudança no funcionamento de seu corpo.

Corpo e mente, realidade única Outra verdade simples que deveria ser evidente é que nossa personalidade se expressa através do corpo tanto quanto através da mente. Não se pode dividir alguém em mente e corpo. Apesar dessa verdade, todos os estudos de personalidade têm se concentrado na mente e, de certa forma, negligenciado o corpo. O corpo de uma pessoa nos conta muito sobre sua personalidade. Dependendo da sua postura, do brilho nos olhos, do tom da voz, a posição do maxilar e dos ombros, a facilidade em se movimentar e a espontaneidade dos gestos, ficamos sabendo não só quem ela é, mas também se está aproveitando a vida ou está triste e constrangida. Podemos fingir que não reparamos nessas expressões da personalidade do outro, assim como a própria pessoa pode agir como se não estivesse percebendo seu corpo, mas se assim o fizer estará se iludindo com uma imagem que não tem relação com a realidade da existência. A verdade do corpo da pessoa pode ser dolorosa, mas bloquear essa dor irá fechar a porta para a possibilidade de prazer. As pessoas procuram terapia porque não estão contentes com a vida. Em algum ponto de sua mente sabem que sua capacidade

Respiração, movimento

e sensação

“Nossa personalidade se expressa através do corpo tanto quanto através da mente. Não se pode dividir alguém em mente e corpo”.

As duas funções mais importantes a esse respeito são a respiração e os movimentos. Essas duas funções encontram-se perturbadas em toda pessoa por conflitos emocionais através de tensões musculares que são o lado físico dos conflitos psicológicos. Através dessas tensões musculares os conflitos são estruturados pelo corpo. Quando isso acontece, não podem ser resolvidos até que as tensões sejam liberadas. Para afrouxar essas tensões devemos vê-las como limi-

a


Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 10 tações da auto-expressão. Não é suficiente estarmos atentos à dor. E algumas pessoas não estão conscientes nem disso. Quando uma tensão muscular torna-se crônica, ela é retirada do consciente e perdemos a percepção da tensão. As sensações são determinadas pela respiração e pelos movimentos. O organismo só sente o que se move dentro de seu corpo. Por exemplo, quando o braço fica imobilizado durante um certo tempo, tornase dormente e insensível. Para que as sensações voltem é preciso que sua mobilidade seja restaurada. A mobilidade de todo o corpo é reduzida quando a respiração tornase limitada. É por isso que prender a respiração é o método mais eficiente de eliminar as sensações. Esse princípio funciona também ao contrário. Assim como as emoções fortes estimulam e fazem a respiração tornar-se mais profunda, a estimulação da respiração e as inspirações profundas podem trazer à superfície emoções fortes. A morte é uma interrupção da respiração, uma imobilização dos movimentos e uma perda de sensação. Estar cheio de vida é respirar profundamente, mover-se livremente e sentir com intensidade. Essas verdades não podem ser ignoradas se valorizamos a vida e o prazer.

Como respirar

mais profundamente A importância de uma respiração correta para a saúde física e mental é subestimada pela maioria dos médicos e terapeutas. Sabemos que a respiração é imprescindível à

“As pessoas procuram terapia porque não estão contentes com a vida. Sabem que sua capacidade para sentir prazer diminuiu ou se perdeu. Podem se queixar de depressão, ansiedade, sensação de inadequação e assim por diante; mas esses são sintomas de um distúrbio mais profundo, isto é, a incapacidade de aproveitar a vida”.

vida, o oxigênio fornece a energia que move o organismo, mas parece que não compreendemos que uma respiração inadequada reduz a vitalidade do organismo. A queixa comum de cansaço e exaustão geralmente não é atribuída à má respiração. No entanto, a depressão e a fadiga são resultados diretos de uma respiração deprimida. A combustão metabólica não queima bem na ausência de oxigênio suficiente, como uma lareira com

má chaminé. Em vez de brilhar com a vida, a pessoa com má respiração é fria, inerte e sem vida. Não tem calor nem energia. Sua circulação é afetada diretamente pela falta de oxigênio. Em casos crônicos de má respiração as arteríolas ficam contraídas e o total de hemácias cai. Numa experiência médica relatada no “Medical World News”, certo número de pacientes senis de um hospital recebeu uma

dose maior de oxigênio por estar num quarto de oxigênio hiperbárico. A teoria subjacente a essa experiência era de que, já que um fornecimento reduzido de oxigênio às células cerebrais havia provocado uma disfunção mental, um aumento do suprimento podia provocar uma melhora das funções mentais. Muitos casos de senilidade são causados pela esclerose arterial no cérebro, que reduz o fluxo de sangue e de oxigênio das células cerebrais. Os resultados positivos da experiência surpreenderam os médicos. Muitos pacientes apresentaram uma melhora marcante e definitiva de suas funções mentais e de sua personalidade. “Todos os pacientes tratados dessa maneira tornaram-se mais ativos, passaram a dormir melhor, pediram jornais e revistas para ler e, o que é mais importante, retomaram o antigo hábito de cuidarem de si mesmos”. Em alguns casos os efeitos continuaram depois que a série inicial de tratamento acabou. Esse foi um estudo preliminar, como o próprio experimento ressalta. Será repetido e submetido a novos esclarecimentos. Seu significado, no entanto, é imenso. A maioria das pessoas respira mal. Sua respiração é superficial e tem uma


11 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar

Matéria

de

Capa

forte tendência de a prenderem em qualquer situação de estresse. Mesmo em situações simples como dirigir um carro, digitar uma carta ou esperar para serem recebidas numa entrevista, as pessoas têm a tendência de limitar sua respiração. O resultado é o aumento de sua tensão. Quando as pessoas se tornam conscientes da respiração, percebem quantas vezes a prendem e como a inibem. Os pacientes geralmente comentam: “Noto como respiro pouco.”

Respiração e

desempenhos Comecei a perceber a relação entre respiração e tensão na faculdade, quando participei de um treinamento de tiro com rifle no quartel da vizinhança. Meus tiros eram sem direção e meu alvo nunca atingido. Um dos oficiais observando minhas dificuldades me aconselhou: “Antes de apertar o gatilho, respire profundamente três vezes. Depois da terceira inspiração deixe o ar sair lentamente e ao fazer isso aperte gradualmente o gatilho.” Segui seu conselho e me surpreendi ao perceber que meu braço ficava firme e que eu estava começando a acertar no centro do alvo. Essa experiência mostrou-se valiosa também em outras ocasiões. Costumava me sentar na cadeira do dentista muito tenso cruzando os braços com força. O que não só aumentava meu medo, mas, como depois descobri, também aumentava a dor. Ao contrário, quando prestava atenção em minha respiração, ficava agradavelmente surpreso ao descobrir que não só estava com menos medo, mas parecia sentir menos dor.

“Os princípios e a prática da terapia bioenergética se baseiam na identidade funcional entre mente e corpo. Qualquer mudança na maneira de pensar de uma pessoa e, portanto, em seus sentimentos e comportamento, está condicionada a uma mudança no funcionamento de seu corpo”.

A respiração profunda teve um efeito relaxante similar sobre minha atuação nas provas da faculdade. Não deixando minha respiração ficar ofegante, consegui organizar melhor meus pensamentos. Muitos anos mais tarde, na minha experiência profissional, compreendi que a limitação da respiração era diretamente responsável pela incapacidade de concentração e pela

falta de tranquilidade que atormentava tantos estudantes. Frequentemente fui consultado por pais cujos filhos tinham dificuldades na escola. O exame da criança sempre mostrava que seu corpo se encontrava tenso e sua respiração mínima. A criança se tornava agitada quando tentava prestar atenção durante um longo período num livro escolar. Seus pensamentos divagavam. Sentia vontade

de se movimentar. Continuava sentada lutando contra esse impulso, mas não conseguia se concentrar nos estudos. Os adultos que não respiram bem têm o mesmo problema. Sua concentração e eficiência diminuem. A incapacidade de respirar plena e profundamente e também é responsável pelo fracasso em conseguir uma satisfação sexual plena. Prender a respiração ao se aproximar o clímax elimina as fortes sensações sexuais. Normalmente, a expiração segue o ritmo da pélvis para frente. Se a inspiração ocorrer quando a pélvis estiver indo para frente, o diafragma se contrai e evita a entrega necessária para a descarga orgástica. Qualquer limitação da respiração durante o ato sexual elimina o prazer sexual. A respiração inadequada provoca ansiedade, irritabilidade e tensão. Encontra-se subjacente em vários sintomas como claustrofobia e agorafobia. O claustrófobo sente como se não conseguisse respirar num lugar fechado. O agoráfobo sente medo dos locais abertos porque estimulam sua respiração. Toda dificuldade em respirar causa ansiedade. Se a dificuldade é grave pode levar ao pânico ou ao terror.

a


Matéria Por que respira-se tão mal? Por que tantas pessoas sentem dificuldade para respirar profundamente e com facilidade? A resposta e que a respiração cria sensações, e elas tem medo de sentir. Têm medo de sentir sua tristeza, sua raiva e suas apreensões. Quando eram crianças seguravam a respiração para não chorar, puxavam o ombro para trás, tensionando o peito para conter a raiva e apertavam a garganta para evitar um grito. O efeito de cada uma dessas manobras é a limitação e a redução da respiração. Da mesma maneira, a conten-

ção de qualquer sentimento resulta numa inibição da respiração. Mais tarde, já adultos, continuam a inibir a respiração para manter esses sentimentos reprimidos. E, dessa forma, a incapacidade para respirar normalmente torna-se o principal obstáculo para se recuperar a saúde emocional. A profundidade da respiração pode ser medida pelo comprimento da onda respiratória e não pela sua frequência. Quanto mais profunda for a respiração, mais a onda se estenderá no baixo abdômen. Numa verdadeira respiração profunda os movimentos respiratórios alcançam e envolvem a base da pél-

“Estar cheio de vida é respirar profundamente, mover-se livremente e sentir com intensidade. Essas verdades não podem ser ignoradas se valorizamos a vida e o prazer”.

de

Capa

vis e consegue-se realmente ter sensações nessa área. A expansão para baixo dos pulmões é limitada pelo diafragma, que separa o tórax do abdômen. Portanto, quando falamos de respiração abdominal não queremos dizer que parte do ar penetre no abdômen. A respiração abdominal descreve os movimentos corporais da respiração. Ela significa que o abdômen está atuando ativamente no processo da inspiração. Sua expansão e relaxamento permitem que o diafragma desça. Mas ainda mais importante é o fato de que só através da respiração abdominal pode a onda de excitamento associada com a respiração envolver todo o corpo. A pessoa saudável respira com todo seu corpo, ou mais especificamente, seus movimentos respiratórios se expandem profundamente através de seu corpo. Em relação ao homem poder-se-ia afirmar, falando de maneira geral, que ele “respira nas suas bolas”. A respiração não pode ser dissociada da sexualidade. Fornece indiretamente a energia para a descarga sexual. O calor da paixão é um dos aspectos da combustão metabólica, na qual o oxigênio é um elemento importante. Como os processos metabólicos fornecem a energia para todas as funções vitais, a força do impulso sexual é, em última instância, determinada por esse processo. A profundidade da respiração determina diretamente a qualidade da descarga sexual. A respiração plena e unitária, a respiração que envolve todo o corpo, leva a um orgasmo que inclui todo o corpo. Todo mundo sabe que a excitação sexual estimula a respiração e faz com que ela se torne mais profunda. Contu-

Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 12

“A incapacidade de respirar plena e profundamente e também é responsável pelo fracasso em conseguir uma satisfação sexual plena. Prender a respiração ao se aproximar o clímax elimina as fortes sensações sexuais. A profundidade da respiração determina diretamente a qualidade da descarga sexual”.


13 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar do, a maioria das pessoas não percebe que a respiração inadequada ou superficial reduz a excitação sexual. A respiração limitada evita que a excitação se expanda, mantendo a sensação sexual localizada na área genital. Inversamente, a inibição sexual, o medo de que sensações sexuais se espalhem na pélvis e no corpo é uma das causas da respiração limitada e superficial.

Ondas respiratórias A onda respiratória normalmente flui da boca ate os órgãos genitais. Na parte superior do corpo essa onda relaciona-se corn o prazer erótico de sugar e mamar. Na parte inferior está ligada aos movimentos sexuais e ao próprio prazer sexual. A respiração é a pulsação básica (expansão e contração) de todo o corpo; portanto é a base da experiência de prazer e dor. A respiração profunda é sinal que o organismo vivenciou uma completa gratificação erótica no estágio oral e é capaz de uma satisfação sexual completa no estágio genital. A respiração profunda carrega o corpo e, literalmente, faz com que tenha vida. Uma das verdades óbvias sobre o corpo vivo é que ele mostra ter vida: os olhos brilham, a tonicidade muscular é boa, a pele

Matéria

de

Capa

“A respiração também encontra-se diretamente relacionada com a emissão da voz. Inibições de choro, gritos e berros na infância são estruturados como tensões musculares na garganta que limitam a respiração”. mostra uma tonalidade brilhante e o corpo é quente. Tudo isso acontece quando uma pessoa respira profundamente. Exercícios respiratórios simples geralmente ajudam muito pouco a superação dos problemas associadas a uma respiração perturbada. As tensões musculares e os conflitos psicológicos que evitam a respiração profunda não são atingidos por esses exercícios. O ar, em maior volume, produzido por esses exercícios não é totalmente absorvido pela corrente sanguínea e nem

pelos tecidos. Apenas quando o corpo sente necessidade de mais oxigênio e faz um esforço espontâneo para respirar mais profundamente é que uma pessoa toma-se mais viva através da respiração. O que não significa que as pessoas devam ignorar o componente consciente da respiração. Devemos tentar nos conscientizar da tendência comum de segurar nossa respiração quando estamos sob estresse e fazer um esforço para respirar mais profundamente sem dificuldade. Reservando um tempo para simplesmente respirar, podemos contrabalançar até certo ponto as pressões que constantemen-

te nos afligem.

Exercícios

bioenergéticos Na terapia bioenergética, os pacientes são incentivados a fazer exercícios especiais que relaxam as tensões musculares do corpo e estimulam a respiração. Esses exercícios também são recomendados ao público em geral com a ressalva de que podem liberar certos sentimentos ou criar alguma ansiedade. Tristeza, saudade e pranto frequentemente emergem e se expressam. Estes poderão acarretar sentimentos de raiva. A respiração consciente, entretanto, não influencia o padrão típico involuntário, que esta intimamente relacionado às reações

emocionais do individuo. A vibração involuntária do corpo, que se obtém com exercícios bioenergéticos, por outro lado, tem um efeito imediato sobre o padrão respiratório. As vibrações das pernas e outras partes do corpo estimulam e liberam os movimentos respiratórios. Quando um corpo está vibrando, a respiração torna-se espontaneamente mais profunda. Isso acontece porque o estado vibratório de um corpo é a manifestação de suas reações emocionais. A respiração também encontra-se diretamente relacionada com a emissão da voz, que é uma outra atividade vibratória do corpo. Inibições de choro, gritos e berros são estruturados como tensões que limitam a respiração. Quem na infância aprendeu que “crianças foram feitas para serem vistas e não ouvidas”, não respira à vontade. A tendência natural para se falar o que se pensa, chorar ou gritar quando se sente vontade é abafada por espasmos na musculatura do pescoço. Essas tensões afetam a qualidade da voz, criando uma fala delicada demais ou muito grave, sem inflexão ou sibilante. A voz deve ser restabelecida para voltar a utilizar seu registro completo e as tensões específicas no pescoço devem ser liberadas se quisermos que a respiração recupere toda sua extensão.

a


Matéria

de

Capa

Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 14

são da criança que existe dentro de nós e sua perda indica que uma pessoa está sem contato corn essa criança e afastada de sua infância. A terapia bioenergética começa com a respiração, pois ela fornecerá a energia para os movimentos. Além disso, a limitação da respiração impõe uma limitação sobre toda a mobilidade do corpo. As ondas respiratórias associadas com os movimentos da respiração são as ondas pulsantes básicas do corpo. Quando essas ondas passam pelo corpo, ativam todo sistema muscular. Sua livre movimentação garante a espontaneidade dos sentimentos e sua expressão. Isso significa que enquanto a respiração for plena e completa, não há bloqueios para o fluxo de sentimentos. A respiração leva ao movimento que é o veiculo para a expressão do sentimento. Em todas as pessoas o aprofundamento da respiração cria vibrações no corpo. Estas começam nas pernas, e ao se tornarem suficientemente fortes, podem se espalhar por todo o corpo. Através das vibrações no corpo a pessoa se conscientiza das poderosas forças da sua personalidade que estão imobilizadas pelas tensões musculares crônicas. E também sente como a liberação dessas forças a fazem sentir mais viva e contribuem para seu prazer. Um corpo sadio é pulsante e vibrante.

“O objetivo da terapia bioenergética é recuperar a mobilidade natural do corpo, dos movimentos espontâneos ou involuntários sobre os quais são sobrepostos os movimentos conscientes maiores. A mobilidade corporal é a base de toda espontaneidade, que por sua vez é o ingrediente essencial tanto do prazer como da criatividade”.

Trabalhando para uma

saúde vibrante Todo espasmo muscular crônico é uma limitação da liberdade do movimento e expressão do indivíduo. E, portanto, uma restrição da sua capacidade de prazer. O objetivo da terapia bioenergética, assim, é recuperar a mobilidade natural do corpo. A mobilidade se refere aos movimentos espontâneos ou involuntários do corpo sobre os quais são sobre-

postos os movimentos conscientes maiores. A imobilidade de uma pessoa se reflete na vitalidade de sua expressão facial, na qualidade dos seus gestos e na extensão de suas reações emocionais. A mobilidade corporal é a base de toda espontaneidade, que por sua vez é o ingrediente essencial tanto do prazer como da criatividade. A espontaneidade é uma expres-

Extraído do fundamental livro “PRAZER – UMA ABORDAGEM CRIATIVA DA VIDA”, de Alexander Lowen, Editora Summus.

Comente esta matéria

Dê sua opinião. Participe.

redacao@jornalbemestar.com.br

Guia Saúde

Informações importantes para sua saúde e bem-estar

O Energético Suco de Beterraba

Temperos em Casa, Tudo de Bom

Aumenta a resistência corporal e é ótimo para doenças cardiovasculares

Conheça dicas para plantar temperos em vasos que decoram a sua cozinha

P

esquisadores da Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha, comprovaram através de experiências que beber suco de beterraba ajuda a aumentar a resistência física e permite que atletas se exercitem por até 20% a mais de tempo. Segundo eles, o nitrato da beterraba ajuda a reduzir o consumo de oxigênio, diminuindo o ritmo em que as pessoas chegam à exaustão. O efeito do suco do legume beneficia também pessoas com doenças cardiovascula-

res, respiratórias e metabólicas. Os cientistas ainda não sabem ao certo como o nitrato do suco de beterraba ajuda a aumentar a disposição física, mas eles suspeitam que a substância se transforma em óxido nítrico no corpo, reduzindo a quantidade de oxigênio consumida durante os exercícios. “Tenho certeza que atletas profissionais e amadores vão ficar muito mais interessados nos resultados do estudo. Também gostaria de ressaltar a relevância dos resultados para pessoas que têm má forma física e poderiam usar a suplementação da dieta como uma maneira de ajudá-los em seu dia a dia”, disse o pesquisador Andy Jones à BBC.

E

m tempos de tantos agrotóxicos nos alimentos que compramos, uma boa dica é plantar seus temperos em pequenos vasos que, além do mais podem dar um ar maravilhoso à sua cozinha. E é ótimo ter produtos fresquinhos na hora de preparar as refeições, não é? Mesmo quem mora em pequenos apartamentos pode ter uma hortinha caseira. “Não é preciso ter muito espaço para cultivar vasos com temperos”, diz Geovane Amaro, pesquisador de hortaliças da Embrapa. Segundo ele, tentativas frustradas - que levam muita gente a abandonar a ideia de ter sua própria horta acontecem por causa da falta de cuidados simples.

O primeiro segredo para que mudas de hortelã, alecrim, coentro, cebolinha, salsinha e pimenta, por exemplo, vinguem é a profundidade do vaso em que eles devem ser colocados. “Coloque, no mínimo, 15 centímetros de terra”, diz. Outra dica é misturar substratos a ela. Adubo orgânico e calcário são os mais indicados e facilmente encontrados em casas

de jardinagem. Nas primeiras semanas, é recomendável colocar um copo de água nos vasos duas vezes por dia. Quando as folhagens começarem a se formar, uma vez ao dia já será suficiente. “Água é essencial, mas colocar muita também não é bom. Ela pode criar um ambiente de proliferação de bactérias que acabam com as plantas.” Outro cuidado essencial é deixar os vasos em contato com a luz do sol durante seis horas, todos os dias. “Quem não tem quintal pode deixá-los na janela da cozinha mesmo”, diz. Pessoal, então, ‘mãos à horta!’. Saúde boa, casa bonita, todo mundo merece.


15 • Nº 24 • Setembro 2010 • Bem Estar

A IRRACIONALIDADE DO AUTOMÓVEL

Para os ricos, muito

Passam anos, décadas, e permanecemos parados no mesmo ponto.

Clóvis Rossi

D

ado número um: estudo de três agências da ONU mostraram que “juros, aluguéis e lucros foram os itens da renda brasileira que mais cresceram nesta última década, superando o rendimento dos trabalhadores”. Dado número dois: a transferência de renda para 12,6 milhões de famílias pobres, através do Bolsa Família, custa anualmente R$ 13,1 bilhões. Já a transferência de renda para os mais ricos, na forma de juros pelos títulos públicos, foi, no ano passado, de R$ 380 bilhões. Ou seja, vai 30 vezes mais dinheiro público (conseguido através dos altíssimos impostos que pagamos), para um punhado de famílias (quantas? 2 milhões talvez) do que para 12,6 milhões de pobres. Mesmo assim, faz-se ensurdecedor silêncio a respeito.

outro olhar Fernando Pessoa

A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos.

V

Redação Revista Fórum

ivemos em cidades travadas, onde usar a palavra trânsito é incidir numa contradição em termos, afinal, tudo que não se faz é transitar. Repetimos à exaustão o mantra de sempre: “por que não se investe em transporte coletivo?”. Periodicamente, São Paulo bate recordes de engarrafamento, torna-se um dos lugares mais poluídos do mundo, torra milhões de reais esvaziando tanques de combustível sem sair do lugar. Em diferentes escalas, essa realidade se repete nas grandes cidades brasileiras. O caso do transporte nas metrópoles brasileiras demonstra como determinados conceitos culturalmente arraigados afirmam-se contra toda racionalidade. Afinal, como justificar o privilégio conferido ao automóvel em políticas de transporte, em que uma única pessoa ocupa o espaço que poderia ser ocu-

pado por muitas num ônibus ou metrô? A ideologia do sucesso individual, que leva as pessoas a associarem imediatamente status social ao carro que possuem, se confunde com a falta de consciência no compartilhamento do espaço público. O que está em questão é o próprio sentido de cidadania. Afinal, compartilhar o rico e complexo espaço de uma cidade requer uma postura de respeito pela coletividade, e isso afeta (ou deveria afetar) as escolhas que cada um faz de seus hábitos cotidianos. O avesso disto, que insiste em se reafirmar na realidade, são essas escolhas irracionais que, com máscara de solução individual, tornam-se uma condenação de todos à má qualidade de vida e ao desperdício de recursos. Sabemos que é tempo de mudar. Aliás, para sermos precisos, é tarde para mudar. Mas antes tarde do que nunca.

Errata O nome correto da autora do artigo A Saúde Começa Pela Boca publicado na edição de agosto é: Dra SILVIA BREITENBACH Especialista em Periodontia, Pós-graduada em Implantes, Mestre em Bioengenharia

Cartas “Excelente! Acho muito interessante a forma com que tratam os assuntos, com uma linguagem informal de fácil entendimento, e voltada para todo público!” Renan Afonso Santana

 “Ele está fazendo jus ao nome que leva: BEM ESTAR! Pois garante a quem o lê uma sensação de que ainda dá para resolver grande parte dos conflitos existenciais que nos rodeiam a cada dia.” Ileana Silva  “O Jornal BEM ESTAR, traz não só a

palavra, mas a energia necessária para nos sentirmos bem e, consequentemente, fazermos o bem para todos!” Cristiano Monteiro

 “O Jornal aborda muito bem os temas

do cotidiano! Trás ao publico uma ótima condição de estar conhecendo como está a nossa sociedade! Estão de Parabéns pelo projeto gráfico que cada dia fica melhor. E as campanhas são ótimas!” Carla Vieira Camargo

Renato Guariglia e Renata Cunha Editores - Zona Sul Fábio Ferreira Diagramação Renato Guariglia Comercial Impressão: Grupo Sinos Tiragem: 10 mil exemplares Contato: (51) 3268.4984

zonasul@jornalbemestar.com.br

REDE BEM ESTAR Érico vieira Comercial/Relacionamento Max Bof Administrativo/ Produção Editorial Ralph Viana Conteúdo/Arte Jaqueline Bica Diagramação Central Jornalista responsável: Max Bof (mtb 25046) Material: Revistas CUERPOMENTE, UNO MISMO, NEW AGE, PSYCHOLOGY TODAY, BUENA SALUD, THE QUEST, PSYCHOLOGIES, SHAMBHALA SUN, MAGICAL BLEND, NOUVELLES CLÉS. Informes publicitários, textos e colunas assinadas não correspondem necessariamente à opinião do jornal e são de responsabilidade de seus autores.

Que todos os méritos gerados por esse trabalho beneficiem e tragam felicidade para todos os seres.


Bem Estar • Nº 24 • Setembro 2010 • 16


Bem Estar Zona Sul setembro 2010