Issuu on Google+

Charles Gavin estreia série sobre música do Pará Agência Estado

O ex-titã teve apenas oito dias na capital paraense para mostrar a cena local Acostumado a receber discos de artistas locais desconhecidos depois de fazer shows em diferentes cantos do País, na época em que integrava os Titãs, Charles Gavin estranhou


o fato de que ninguém procurava a banda quando o grupo passava pelo Pará. Instigado com a cultura de lá, ele decidiu voltar ao Estado com uma equipe para saber quem está por trás da música na série "Brasil Adentro", que estreia nesta quinta-feira, às 20 horas, no Canal Brasil. "A gente está isolada no eixo Rio-São Paulo. A televisão cria um filtro que não é legal, fica tudo no nosso umbigo", reclama Gavin, que foi a Belém para correr atrás de patrocínio para a empreitada e firmou uma parceria com o governo estadual local. Dividido em cinco episódios, o programa aborda diferentes ritmos, como o carimbó, lundu e guitarrada. O ex-titã teve apenas oito dias na capital paraense para mostrar a cena local e entrevistar artistas como Dona Onete e Manoel Cordeiro, consagrados na região, mas com poucos registros em imagens e discos. "Lá, é quase uma transmissão de conhecimento via oral", conta. Para o apresentador, que também comanda "O Som do Vinil", no Canal Brasil, o Pará é a parte do Brasil onde culturas musicais distintas se misturaram mais. "Tudo do Caribe chega lá, pois as rádios alcançam. E eles também ouvem tudo o que a gente ouve e têm ritmos africanos, com uma negritude diferente. Eles são receptivos sem abandonar a própria cultura", analisa. Um dos episódios é dedicado ao tecnobrega, estilo que ajudou a projetar músicas paraenses em outros Estados, graças aos esforços de artistas jovens como Gaby Amarantos, uma das entrevistadas. "Ela é uma embaixadora carismática e articulada da música de lá. O Brasil precisava de uma artistas como ela."


UOL - Brasil adentro - Muisica do Pará