Page 1

Sicredi

EDIÇÃO 1 • OUT NOV DEZ • 2017

Noroeste SP

Sustentabilidade

Projeto A União Faz a Vida colabora com profissionais da educação e escolas da região

Investimentos

ENTREVISTA

DR. PAULO BONADIO, MÉDICO RADIOLOGISTA E ASSOCIADO SICREDI

poupar com segurança para obter o retorno desejado

Cartões Sicredi

uma completa linha de cartões que facilitam o dia a dia

FAZER JUNTOS Conheça o jeito mais moderno e humano de cuidar da sua vida financeira


A


editorial

C

aros amigos, cooperados e parceiros, é com imensa alegria que apresentamos a vocês a nossa Revista Sicredi Noroeste SP. O intuito em lançar esta publicação é estreitar nosso relacionamento, informar ao público os serviços, produtos e eventos realizados pela nossa cooperativa e, é claro, fornecer um conteúdo de qualidade com temas relacionados às finanças e ao mercado para todos aqueles que, de alguma maneira, se relacionam com nossa instituição. Nesta primeira edição, apresentamos uma matéria sobre o conceito e a estrutura de uma cooperativa de crédito. Com este conteúdo, esperamos mostrar a todos os valores e benefícios para quem busca uma instituição financeira cooperativa. Entrevistamos o Dr. Paulo Bonadio, médico radiologista e associado Sicredi desde 2001, um profissional renomado nacionalmente no seu segmento e um dos dirigentes do Ultra-X, laboratório referência em imagem no Brasil. Ele nos explica a importância da especialidade na saúde e um pouco da estrutura e do trabalho dos profissionais do Ultra-X. Ainda nesta edição, apresentamos nosso portfólio de cartões, os diferenciais e benefícios para Pessoas Físicas e Jurídicas; também temos uma matéria sobre investimentos para quem quer começar a poupar. Além disso, destacamos o projeto A União Faz a Vida, no qual o Sicredi colabora com práticas pedagógicas em escolas de Mirassol. Tenham uma boa leitura! Equipe Sicredi Noroeste SP Nossa revista está disponível em versão digital para computadores (magtab.com/reader/sicredi-noroeste-sp) e na versão mobile para as plataformas Android e IOs. Busque nas lojas por Sicredi Noroeste SP e tenha sempre em mãos nossa publicação.

4 12 16 18

NOTAS DE MERCADO

SUSTENTABILIDADE

EVENTOS

ARTIGO

CONSELHO ADMINISTRATIVO

PRESIDENTE E VICE-PRESIDENTE Dr. José Carlos A. Cuginotti Dr. Olavo Amorim Júnior CONSELHEIROS Celio Eduardo Ruy Cesar Pereira Watanabe Murilo Farhat José Eduardo Haddad José Paulo Rodrigues SUPLENTES Antonio Reginaldo Morandin Edmilson da Silva Zanetti Humberto Liedtke Junior João Gomes Netinho José Miguel Sanchez Galves

CONSELHO FISCAL CONSELHEIROS Carlos Humberto Grazioli Dra. Lilian Mara Secches Mansor Dr. Marcos Junqueira Pedrazzoli SUPLENTES Celia Regina Guirado Gentil Garcia Junior Moacir Alves Borges

DIRETORIA

DIRETORIA EXECUTIVA Cássia Regina Capriolli DIRETORIA DE OPERAÇÕES Fábio Osório Alves

Edição

8

CARTÕES SICREDI

6

ENTREVISTA

10

14

COOPERATIVISMO

FINANÇAS

Participe da elaboração da revista. Envie sua sugestão ou crítica para: maycon_leonel@sicredi.com.br. A Revista Sicredi Noroeste SP é uma publicação do Sicredi Noroeste SP produzida e editada por Goya Conteúdo Corporativo. O Sicredi não se responsabiliza pelos conceitos emitidos em artigos assinados, bem como pelas informações ou conteúdo dos anúncios publicados. A reprodução total ou parcial do conteúdo desta obra é expressamente proibida sem prévia autorização.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING Maycon Souza Projeto Editorial Goya Conteúdo Corporativo contato@goyaconteudo.com.br Direção Editorial Glauco Piccirillo Redação Adriana Panzini Kátia Carminatto Graziela Delalibera Arte Juliano Polotto Revisão Patrícia Amaral Impressão Gráfica Moço


NOTAS DE MERCADO

POR Kátia Carminatto

IACE O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), atingiu 107,7 pontos, apontando um aumento de 0,7% entre os meses de julho e agosto deste ano. O IACE agrega oito componentes econômicos, que inclui mercado de valores, indústria, consumo e serviços, entre outros. A análise dessas variáveis conjuntamente, permite estimar as tendências econômicas com maior precisão. Até o momento, os indicadores vêm registrando a contínua recuperação econômica.

Sinal de recuperação

L

evantamento do Instituto Brasileiro de Economia e Estatística (IBGE), em julho, mostrou que as vendas do varejo restrito (que não considera veículos e materiais de construção) e do ampliado (que inclui todos os segmentos) aumentaram pelo quarto mês consecutivo (3,1% e 5,7%, respectivamente) na comparação com o mesmo período do ano passado. O estudo também registrou elevação nos índices de volume comercializado (0,3% e 1,1%, respectivamente). Avaliação da Associação Comercial de São Paulo atribui a melhora aos impactos positivos da liberação de recursos inativos no FGTS, das menores taxas de juros, dos maiores prazos de financiamento e da retomada nas contratações.

Boas notícias Pesquisa realizada pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) sobre a expectativa de investimentos anunciados no Estado de São Paulo (Piesp) contabilizou US$ 11,1 bilhões de investimentos em todo o território paulista no primeiro semestre de 2017. O valor ultrapassa o dobro do montante apurado no mesmo período de 2016 (US$ 5,1 bilhões) e supera em quase 40% o total daquele ano (US$ 8,0 bilhões). Dos recursos totais anunciados, 49,8% são do setor da indústria (US$ 5,6 bilhões), 42,9% (US$ 4,8 bilhões) estão ligados à infraestrutura, 5,6% (US$ 625,3 milhões) aos serviços e 1,7% (US$ 190,5 milhões) ao comércio.

US$

11,1 bi

de investimento no primeiro semestre de 2017

4

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

Balança comercial

D

e acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a balança comercial do país registrou superávit (exportações menos importações) de US$ 50,56 bilhões no acumulado deste ano até meados de setembro. O resultado superou o resultado em R$ 15,84 bilhões para o mesmo período do ano passado. Entre as exportações, destacaram-se os produtos básicos, os manufaturados e os semimanufaturados. Já nas importações, cresceram as compras de adubos e fertilizantes, químicos orgânicos e inorgânicos, equipamentos eletroeletrônicos, veículos automóveis e peças, e equipamentos mecânicos. A estimativa do MDIC é de que o saldo positivo da balança comercial fique acima de US$ 60 bilhões neste ano.


A


SERVIÇOS E SOLUÇÕES SICREDI

Fôlego

para as finanças Cartões de crédito Sicredi atendem às diferentes necessidades de serviços e prazos, com programas de recompensas e descontos POR adriana panzini

Q

uando utilizados com planejamento e controle, os cartões de crédito podem facilitar a vida dos empreendedores, sejam pessoas físicas ou jurídicas. Com condições e vantagens equivalentes e até mesmo superiores às oferecidas pelos bancos privados, o Sicredi – Instituição Financeira Cooperativa – coloca à disposição de seus associados este recurso estratégico, mas com um diferencial único: o progresso constante e o bem comum de todos. Quanto mais os cartões forem usados, mais recursos a cooperativa recebe, ampliando os resultados e expandindo o desenvolvimento de sua própria comunidade. “Com os cartões Sicredi, os associados podem realizar compras à vista ou parceladas em lojas ou sites e efetuar pagamentos diversos, no Brasil e no exterior”, destaca Leonardo Rodrigues da Cruz, assessor de Negócios do Sicredi Regional Noroeste SP. “Também contam com até 40 dias para pagar suas contas e ainda podem quitar os valores ou obter informações de suas transações pela internet, telefone, caixas eletrônicos e pelo Sicredi Mobi, aplicativo gratuito para celulares disponível para Android, IOS e Windows Phone”, enumera.

6

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

Para cada perfil, uma solução sob medida

Com opções nas bandeiras MasterCard e Visa, os cartões Sicredi se adequam às demandas e ao perfil específico do associado. Para pessoas físicas, o cartão Sicredi MasterCard Black atende a quem busca experiências únicas e viaja com frequência para destinos nacionais e internacionais. O Sicredi Platinum vai agradar quem valoriza programas e benefícios especiais, como facilidade de parcelamento, seguros e serviços de assistência ofertados pelas bandeiras. O Sicredi Gold é o produto certo para quem precisa de maior limite de crédito e quer desfrutar do programa de recompensas. Já o Sicredi Internacional (antigo Classic), apoia as atividades básicas do dia a dia. Com exceção do Black, específico da MasterCard, nos demais, o associado pode apontar a bandeira de preferência. Para pessoas jurídicas – especialmente

micro, pequenas e médias empresas – foi desenvolvido o cartão Sicredi Empresarial Visa, pensado justamente para possibilitar ao empreendedor separar os gastos empresariais dos pessoais e ter mais controle sobre suas despesas. “Esse cuidado é fundamental para ter visibilidade do lucro real da empresa e do resultado dos investimentos, permitindo fazer projeções para o futuro do empreendimento”, ressalta Cruz. Os usuários dos cartões MasterCard Black, Visa Platinum, Visa Empresarial , Visa e MasterCard Gold estão cobertos ainda pelo Seguro Proteção de Compra|Compra Protegida contra perda, roubo ou furto qualificado de bens ou danos físicos aos produtos por período determinado a contar da data da aquisição, bastando, para isso, guardar os recibos e emitir o Bilhete de Seguro. Outra facilidade é a Garantia Estendida Original, inclusa nos cartões MasterCard Black, Visa Platinum, Visa Gold e MasterCard Gold, se-


guro que amplia por até 12 meses a garantia original do fabricante do item, dependendo do prazo inicial estabelecido.

Benefícios especiais incentivam a utilização

Além de beneficiar a cooperativa, o uso regular dos cartões Sicredi resulta em uma série de outras vantagens para o associado. Com o Programa de Recompensa(*), a cada compra ou pagamento o usuário acumula pontos que podem ser trocados nos parceiros por milhares de produtos e serviços. No Smiles, o resgate engloba passagens aéreas para mais de 160 países nas 14 companhias aéreas filiadas ao programa, hospedagem em cerca de 400 mil opções de hotéis no mundo e itens no Shopping Smiles. No Tudo Azul, mais passagens para pelo menos 100 destinos no Brasil, Montevidéu, Estados Unidos e Europa, pacotes de viagens, cruzeiros e ingressos para parques de diversões. E no Multiplus, a seleção acontece entre bilhetes para 1.000 destinos

Programa Smiles passagens aéreas para

160 países

400 mil

em 150 países para viajar com a LATAM e outras companhias parceiras ou 550 mil opções de produtos e serviços disponíveis. As bandeiras agregam a este rol de incentivos seus próprios programas. O MasterCard Surpreenda prevê o acúmulo de pontos na utilização do cartão Sicredi, sendo que a partir de 5 pontos obtidos, o usuário recebe um voucher e, na compra de um artigo, pode levar outro igual gratuitamente. E no Vai de Visa, o mote é aproveitar ofertas e surpresas dentro e fora do Brasil em restaurantes, hotéis, compras e serviços. Pagar menos em produtos de qualidade é mais uma conveniência reservada aos associados que já descobriram a versatilidade dos cartões Sicredi, com descontos de até 30% obtidos em parcerias exclusivas com a FastShop (www.fastshop.com.br/ sicredicartoes/), Britânia (www.britania. redeparcerias.com/sicredicartoes/), Philco (philco.redeparcerias.com/sicredicartoes/) e WineBrands (http://www.winebrands.com. br/hotsitesicredi).

Programa Tudo Azul passagens aéreas para

100

destinos no Brasil, Montevidéu, Estados Unidos e Europa

opções hotéis no mundo

pacotes de viagens e cruzeiros

itens no Shopping Smiles

ingressos para parques de diversões

Opções de Cartões para você

Cartão Sicredi MasterCard Black™ O Sicredi MasterCard Black™ é o cartão ideal para você que busca experiências únicas, alcançou seus objetivos de carreira e negócios e deseja ir além: investir em novas oportunidades, frequentar bons restaurantes, viajar com frequência no Brasil e no exterior.

Cartão Sicredi Platinum O Sicredi Platinum é o produto ideal para você que alcançou seu espaço, seus objetivos e que valoriza programas e benefícios especiais. Neste cartão, você encontra os benefícios que combinam com o seu estilo de vida.

Programa Multiplus seleção entre bilhetes para

1000 destinos

Cartão Sicredi Gold É o cartão ideal para você que necessita de maior limite de crédito, valoriza programas de recompensas e tem disponível seguros e assistências para viagens internacionais.

150

países para viajar com a LATAM e outras companhias parceiras

550 mil

opções de produtos e serviços disponíveis

Cartão Sicredi Internacional (antigo Classic) É o cartão ideal para você que precisa de um cartão básico, com aceitação nacional e internacional, possibilitando compras à vista ou parceladas e movimentando sua conta-corrente em qualquer lugar do mundo.

Programa vai de visa Uma plataforma de ofertas, promoções e benefícios exclusivos para clientes Visa dentro e fora do Brasil em restaurantes, hotéis, compras e serviços.

Programa MasterCard Surpreenda prevê o acúmulo de pontos na utilização do cartão Sicredi, sendo que a partir de 5 pontos obtidos, o usuário recebe um voucher e, na compra de um artigo, pode levar outro igual gratuitamente

Sicredi Empresarial É um cartão que oferece mais conveniência e praticidade para o dia a dia do seu negócio, auxiliando na separação dos gastos empresariais dos pessoais. Quanto mais a empresa utilizar o cartão, mais recursos sua Cooperativa recebe, gerando vantagens adicionais aos associados e promovendo o desenvolvimento da região.

(*) Disponível para os cartões MasterCard Black, Visa Platinum e MasterCard Platinum, Visa Gold e MasterCard Gold e Visa Empresarial. Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

7


ENTREVISTA

E

mpresa associada Sicredi, o Ultra-X, fundado em 1955, em Rio Preto, com o nome de Instituto de Radiodiagnóstico Rio Preto, é um centro de referência do Brasil no diag-

nóstico por imagem. Um dos profissionais que fazem parte dessa história de sucesso é o médico radiologista Dr. Paulo Bonadio, diretor-financeiro do Ultra-X e um de seus donos, também associado pessoa física.

alia Santos

Dr. Bonadio conta nesta entrevista como foi sua asso-

Fotos: Nath

ciação à cooperativa e fala da constante modernização do Ultra-X, entre outros pontos.

POR GRAZIELA DELALIBERA

Dr. Paulo Bonadio Médico radiologista, Paulo Bonadio, associado Sicredi, fala de sua trajetória no cooperativismo e do pioneirismo de sua empresa, o Ultra-X

A Cooperativa Sicredi Noroeste SP começou sua história na área da saúde, para alguns anos depois ser de livre admissão. Conte como foi sua associação à cooperativa e por quê? Dr. Paulo Bonadio: Primeiramente,

porque era muito amigo dos médicos idealizadores na época, e achava que o cooperativismo, muito usado no Sul do país, tinha chegado à nossa região. Seria uma coisa mais pessoal, com maior e melhor possibilidade de negociação e com melhores taxas e, juntamente, quanto maior a sua movimentação, maior seria a distribuição das sobras (e não lucros, no caso de bancos). Todos na época investimos uma determinada quantia, para gerar movimentação, e assim foi crescendo devagar e com muita precaução.

O Sicredi tem um modelo de gestão que valoriza a participação de seus associados. Comente um pouco sobre sua participação no conselho administrativo.

8

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

PB: Participei de duas gestões do conselho administrativo. Conheci o sistema através de cursos realizados em São Paulo e também aqui em Rio Preto, para poder acompanhar as movimentações do dia a dia e entendê-las. Éramos todos iniciantes no assunto, mas com muita vontade de aprender e deixar algum legado nesta área. No término da segunda gestão, fui convidado para, junto com o doutor José Paulo, ser o vice-presidente. Como achava que não tinha todo o potencial para seguir essa carreira, fui ao consultório do doutor Cuginoti convidá-lo para me substituir, pois sua liderança já se destacava no conselho fiscal, e ele aceitou e hoje é o nosso presidente, com muita dedicação. Outro fato importante foi que participei da negociação com o “Banquinho de Mirassol”, para poder ampliar os nossos associados em diferentes seguimentos, não apenas com profissionais liberais. Um pouco antes, já havíamos aberto uma agência em Catanduva.

Sabendo que a cooperativa possui soluções financeiras que atendem às necessidades de pessoas físicas e empresas, compartilhe como o Sicredi contribuiu nas trajetórias de sua empresa e pessoal? Quais foram os principais diferenciais, no seu ponto de vista, quanto às demais instituições? PB: Maior facilidade de negociação,

melhores taxas e um relacionamento pessoal muito bom. A cooperativa tem essa característica, fiz vários negócios, como financiamentos de carros, consórcios e também financiamentos para minha empresa, sempre com taxas acessíveis em relação ao mercado, e continuo até hoje. Sempre acompanhando os resultados da nossa cooperativa. Através do presidente, e também sempre em contato com a minha orientadora, Cássia Capriolli, a quem devo agradecer seu apoio de sempre.


O Ultra-X é referência em exames e diagnóstico por imagem, área que exige constante modernização. Como se mantém atualizado? PB: Em relação à parte científica, o Ultra-X

está sempre atualizado, o mesmo na parte de equipamentos, por isso somos referência no Estado de São Paulo e no Brasil. Temos também um Programa de Residência Médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem credenciado pelo Ministério da Educação que recebe médicos de todo o Brasil. Nossos equipamentos são de última geração e, quando compramos, procuramos alguma instituição financeira para nos financiar, porque são caros, e o Sicredi faz parte desse grupo de instituições que sempre nos apoiaram. Inclusive, a maioria das pessoas físicas sócias do Ultra-X são associados do Sicredi. Quais os exames de imagem oferecidos pelo Ultra-X? PB: O Ultra-X trabalha com todos os

exames e diagnósticos, desde a radiologia geral, ultrassonografia, mamografia, densitometria óssea, tomografia computadorizada, ressonância magnética. Agora temos o PET-CT, equipamento que faz diagnóstico e acompanhamento de câncer, pré e pós. O Ultra-X foi a primeira clínica que trouxe esse equipamento para Rio Preto. É uma máquina caríssima, de alta complexidade. Não temos

nada a dever para o mundo lá fora em termos de diagnósticos e equipamentos. Mas é importante ressaltar que, além dos equipamentos, a importância do Ultra-X está nas pessoas, pois elas têm que ser formadas, e pessoas não têm preço. O Ultra-X zela pela formação desses profissionais que vão dar o diagnóstico, porque a responsabilidade é muito grande. E a precisão se faz necessária. O diagnóstico por imagem ajuda a prevenir doenças? PB: Claro, se você fizer uma tomografia

e achar um tumor que está quietinho, não apresenta sintomas, por que não? Ele é preventivo, sim. O diagnóstico por imagem faz isso também, não faz somente o pós, faz o pré, que é sua finalidade. Se você pegar um tumor já em fase avançada, por exemplo, é mais complicado. É importante pegara lesão numa fase bem inicial, e nisso o diagnóstico por imagem é importante. Hoje, quais as especialidades que mais estão se valendo dos exames por imagem? PB: Todas, sem exceção. Claro que quando

você fala em dermatologia, oftalmologia, psiquiatria, é em menor escala. Em termos gerais, a neurologia se destaca muito, tórax, abdômen, que a gente fala de corpo, musculoesquelético, mama, são os mais usados no dia a dia.

A radiologia é uma das especialidades mais lindas, porque você mexe com todo o corpo, não fica restrito a uma coisa só (...)

Esses exames ainda não alcançam a população de forma geral... PB: Com certeza. Os planos de saúde, se

o médico pede, são obrigados a atender. O Sistema SUS já é mais difícil, mas Rio Preto é uma região muito privilegiada, possui um sistema de saúde muito bom, inclusive de diagnóstico por imagem do SUS muito bom também, bem satisfatório. Em relação à Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR), os profissionais do Ultra-X tiveram participação fundamental na criação? PB: Tiveram e têm, desde as épocas idas

dos fundadores. Aqui surgiu a primeira reunião, chamada Manoel de Abreu, nome em homenagem a um grande radiologista do passado. Os radiologistas da região na época vinham com seus casos, suas dúvidas, para discutir pelo menos uma vez por mês. Rio Preto é um marco muito importante na história da radiologia brasileira. Depois, através do clube Manoel de Abreu, formou-se a Sociedade Paulista de Radiologia, e depois o Colégio Brasileiro de Radiologia, hoje uma grande entidade dentro da classe médica. O Ultra-X teve dois presidentes na Sociedade Paulista, Tufik Bauab Júnior e Antonio Soares Souza, esse acabou de encerrar o mandato, e muitos outros foram presidentes nas suas especialidades dentro da radiologia. E temos nossos conferencistas, altamente capacitados, em nível internacional, que fazem parte da cúpula da Sociedade de Radiologia no Brasil e no exterior.

E como o senhor se interessou pela radiologia? PB: Foi desde a faculdade. A radiologia é

uma das especialidades mais lindas, porque você mexe com todo o corpo, não fica restrito a uma coisa só. Fui um dos três primeiros residentes do Ultra-X (Instituto de Radiodiagnóstico), junto com os doutores Arthur Soares Souza Júnior e Tufik Bauab Júnior. Isso foi em janeiro de 1975. Hoje, temos mais de 150 residentes formados. E, naquela época, nossos antecessores fizeram com que, após nossa residência, fôssemos para o exterior fazer uma especialidade. Com isso, o Ultra-X teve um grande desenvolvimento. Sempre encabeçado também pelos doutores Leonardo Lania e Crescêncio Cêntola, que exigiam que fôssemos nos capacitar para melhor atender. Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

9


COOPERATIVISMO

POR KÁTIA CARMINATTO

Juntos somos mais

Região de atuação da Sicredi Regional Noroeste SP Tanabi

Neves Paulista

o cooperativismo de crédito ajuda a impulsionar empreendedores com sistema de crescimento sustentável

C

10

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

Mais de um século depois, essa verdadeira corrente do bem já contabiliza mais de três milhões de associados e está presente em 21 estados do país, com 117 cooperativas de crédito filiadas e uma rede de atendimento com mais de 1.500 agências.

Todos os produtos, condições únicas

É fácil compreender porque tantas pessoas e empresas buscam hoje esta alternativa. O cooperativismo de crédito oferece todos os produtos de um banco privado, mas com taxas e custos muito mais atraentes e acessíveis. O portfólio do Sicredi é amplo e inclui desde conta corrente, cartões, consórcios, seguros e financiamento até fundos de investimento e poupança, com agências, caixas eletrônicos da rede 24 Horas, internet banking e mobile.

12.000

associados São José do Rio Preto Mirassol Cedral Jaci Uchoa

BÁlsamo

Reunindo condições atrativas e capacidade financeira,

riado há mais de 200 anos na Europa, o conceito de cooperativismo pressupõe a organização voluntária e livre de pessoas em torno do bem comum, unindo viabilidade econômica, desenvolvimento social e preocupação com o meio ambiente. Historicamente, tem sido aplicado aos mais diversos campos e finalidades. Mas é no segmento de crédito que vem se consolidando cada vez mais como opção sustentável, participativa e confiável para promover o crescimento de seus associados, tanto em projetos individuais como empresariais. No Brasil, essa modalidade aportou em 1902, em Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul, com a primeira cooperativa do país com este objetivo, hoje denominada Sicredi Pioneira que integra o Sicredi (Sistema de Crédito Cooperativo).

Mirassolândia

5

Catiguá Catanduva

agências de atendimento

Tudo auditado pelo Banco Central. Para manter todas estas atividades em pleno funcionamento e no mesmo padrão operacional, conta com uma estrutura sólida composta por cinco Centrais Regionais – acionistas da Sicredi Participações S.A., uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo e suas empresas controladas. Também estabeleceu parcerias com o Rabobank e o International Finance Corporation (IFC). Mas como é possível concorrer com grandes conglomerados financeiros e ainda superar as vantagens oferecidas? O segredo está no caráter participativo da gestão, além da geração e distribuição coletiva dos recursos, onde todos investem conforme suas possibilidades, mas todos ganham também, de acordo com os resultados obtidos e movimentação financeira. “Não temos clientes, e sim sócios, que estão


Não temos clientes, e sim sócios, que estão envolvidos diretamente na administração e nas decisões da cooperativa através do voto nas Assembleias, inclusive nas questões relativas à destinação dos resultados obtidos no período Cássia Regina Capriolli, diretora executiva do Sicredi Regional Noroeste SP

Cooperativa de crédito

Bancos privados

O que é

Sociedade de pessoas

Sociedade de capital

Quem é o dono

Associados

Investidores Acionistas

Como são tomadas as decisões

Democraticamente pelos associados, 1 associado = 1 voto

Pelos sócios investidores de acordo com sua participação no capital (volume de ações)

O que é feito com o resultado financeiro

A assembleia dos associados tem o poder de decidir se o resultado financeiro será distribuído entre os associados ou reinvestido na própria cooperativa

É distribuído entre os investidores de acordo com sua participação no capital (volume de ações)

Como é feita a distribuição de resultados

Proporcionalmente ao volume de operações realizadas pelo associado

Proporcionalmente à participação no capital (volume de ações adquiridas), independente do uso dos serviços do banco

Que serviços oferece

Serviços bancários desenvolvidos de acordo com as necessidades dos associados

Serviços bancários desenvolvidos de acordo com os interesses da instituição

envolvidos diretamente na administração e nas decisões da cooperativa através do voto nas Assembleias, inclusive nas questões relativas à destinação dos resultados obtidos no período”, destaca Cássia Regina Capriolli, diretora-executiva do Sicredi Regional Noroeste SP, que desde 1999 leva às cidades de São José do Rio Preto, Bálsamo, Catanduva, Mirassol, Catiguá, Cedral, Jaci, Mirassolândia, Neves Paulista Tanabi e Uchoa o sistema de crédito cooperativo, com cerca de 12.000 associados, cinco agências de atendimento na região e planos de expansão para 2018. “Valorizamos o relacionamento e queremos contribuir sempre para a melhor qualidade de vida dos associados e da comunidade, oferecendo soluções financeiras que atendam suas necessidades, fomentando o desenvolvimento das localidades em que estamos presentes, em um processo realmente sustentável”, acrescenta.

Participação direta na gestão e nos resultados

Todo o fluxo dos debates e deliberação dos temas relativos à cooperativa está condicionado à participação ativa do associado, garantindo assim um ambiente de fato democrático. Nas Assembleias de Núcleo (determinado conforme a localização),

todos juntos elegem seu representante, denominado coordenador de núcleo, que possui voto representativo e será responsável por levar as decisões e posicionamentos de seu grupo para a Assembleia Geral. Neste modelo, quanto maior o envolvimento dos participantes, melhores serão os resultados. A viabilidade financeira do sistema cooperativo de crédito é assegurada pelo processo de investimento, retorno, distribuição de resultados e reinvestimento, em um ciclo que habilita a expansão gradual de todos os empreendimentos. Cada associado deposita uma quota-parte, ou seja, um valor em dinheiro, em seu nome na cooperativa, que passa a constituir o seu capital social junto com os demais. A soma destes montantes integra o patrimônio da cooperativa, apoia as atividades e infraestrutura da unidade e ainda compõe o volume de recursos

disponibilizado para o próprio associado, garantindo a capacidade de captar ou emprestar recursos. Em muitas situações, as condições proporcionadas pelo Sicredi podem fazer toda a diferença na viabilidade e manutenção de um negócio. “Muitas vezes o associado está tomando crédito em outras instituições e em vários produtos, comprometendo seu fluxo de caixa”, relata Cássia. “Nosso objetivo é oferecer a ele uma consultoria financeira, através de nossos gerentes, fazendo com que reduza seus custos financeiros e consiga honrar com seus compromissos”, explica. “Outro caso comum é a utilização frequente do limite do cheque especial, que acaba sendo incorporado à renda sob juros altíssimos cobrados pelos bancos privados, porém dentro do sistema conseguimos o parcelamento do limite com juros menores para que o associado deixe de utilizar essa linha pagando apenas juros mensais, muitas vezes maiores do que a parcela”, exemplifica a diretora. “Em complemento, nossas taxas também são mais justas em relação ao mercado na contratação de empréstimos”, finaliza. “Sempre que precisei, a cooperativa esteve presente com a injeção de capital na construção de minha vida profissional, tanto na aquisição de equipamentos como na capacitação, a custos altamente vantajosos e possibilitando um pagamento justo”, afirma Rui Nogueira Barbosa, médico urologista, um dos primeiros associados e sócio fundador do Sicredi Noroeste SP, onde é detentor da conta número 54 e atualmente Coordenador do Núcleo na Agencia Bernardino de Campos em São José do Rio Preto. “Na época, cansado do tradicional, me identifiquei com o conceito de integrar um grupo com os mesmos interesses e voltado ao bem comum, e ao longo do tempo tive a oportunidade de ver esta cooperativa crescer, participar de cursos formativos, verificar as mudanças normativas do Banco Central no decorrer desses anos e vivenciar melhor as alterações econômico-financeiras no país”, relata. “O cooperativismo possibilita o real progresso social através do auxílio mútuo e soma de esforços na busca dos objetivos individuais, tornando-se altamente atraente no mercado”, conclui Barbosa.

“O cooperativismo possibilita o real progresso social através do auxílio mútuo e soma de esforços na busca dos objetivos individuais” Rui Nogueira Barbosa, associado e sócio-fundador do Sicred Regional Noroeste SP

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

11


SUSTENTABILIDADE

A União Faz a Vida POR Graziela Delalibera

P

rincipal programa de responsabilidade social do Sicredi, “A União Faz a Vida”, tem sua metodologia baseada em práticas pedagógicas cooperativas através de projetos. O programa foi implantado na rede municipal de Mirassol em 2013. Em 2014, eram seis escolas, 21 educadoras e 500 crianças envolvidas. Hoje, são nove escolas, com 38 educadoras comprometidas a desenvolver o seu conteúdo através da metodologia, e mil crianças e adolescentes com participação direta. As ações, entretanto, se estendem a toda rede municipal. “Acreditamos que somente por meio da educação podemos auxiliar no desenvolvimento de uma sociedade mais cooperativa e justa”, afirma Talison Osório, assessor de Programas Sociais do Sicredi. Ele explica que a metodologia do “A União Faz a Vida”

Escolas • E.M.E.F.E.I Maria Aparecida Panza de Angeli • E.M.E.F.E.I Luis Carlos Matiel Pires • E.M.E.F.E.I Prof. Darcy Amâncio • E.M.E.F.E.I Prof. Wilson Paschoal • E.M.E.F.E.I Profª. Bartyra de Aquino Noronha • E.M.E.F.E.I Profª. Lúcia Medina Estrela Olivério • E.M.E.I Miguel Cione • E.M.E.F.E.I Cândido Brasil Estrela • E.M. Yvone Bilia Moreira

12

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

Programa do Sicredi permite que educadores, alunos e comunidade descubram a importância da educação cooperativa e integradora permite que educadores, alunos e comunidade descubram juntos o papel e a importância de uma educação cooperativa e integradora. “Os municípios que recebem o programa contam com mais um apoio na aproximação das escolas com a comunidade.” O programa é gerido em parceria com os municípios. Uma coordenadoria local é responsável pelas atividades nas escolas e também auxilia no desenvolvimento dos projetos. Em Mirassol, quem executa a coordenação, com apoio do Departamento de Educação, é Dânia Mara Abra, coordenadora municipal do ensino fundamental. Osório assinala que o programa segue os princípios do cooperativismo, entre os quais, o mais importante: a adesão livre e voluntária. “Temos planos de expansão e esperamos que, em breve, possamos estender o programa para Catanduva e São José do Rio Preto.” Para que um município ou uma instituição de ensino particular recebam o programa, é preciso que haja uma agência do Sicredi na cidade. “A partir desse ponto, organizamos um encontro com os principais representantes da rede de ensino, no caso de municípios, ou gestores, caso de instituições particulares, para apresentar as informações sobre a metodologia do programa e suas bases de desenvolvimento. Depois, verificamos o interesse e a articulação. Então, é colher os frutos”, diz Osório. Qualquer empresa que, assim como o Sicredi, tenha em sua filosofia o compromisso com sua comunidade pode auxiliar no desenvolvimento do programa. O apoio pode ser desde abrir suas portas para visitação das crianças e

adolescentes, disponibilizar colaboradores para trabalho voluntário nas escolas, até o apoio financeiro através da Fundação Sicredi. “As empresas beneficiam-se com o reconhecimento de sua imagem na comunidade, matérias e reportagens espontâneas e, no caso de doações, há ainda benefícios fiscais.” Já a pessoa física basta revelar o interesse às escolas e, assim como as empresas, colaborar como voluntária, levando seu conhecimento ou experiências de vida até as crianças, auxiliando no desenvolvimento dos projetos.

Evolução do programa em Mirassol 2014 – 6 escolas | 21 educadoras | 500 crianças 2015 – 6 escolas | 23 educadoras | 600 crianças 2016 – 7 escolas | 28 educadoras | 800 crianças 2017 – 9 escolas | 38 educadoras | 1.000 crianças

Mirassol: De onde vem a água


A


INVESTIMENTOS

POR KÁTIA CARMINATTO

Vai investir?

fique atento às melhores alternativas Poupança, fundo de investimento, fundo de renda fixa, afinal, se você quer poupar, qual a melhor opção disponível no mercado?

Q

uando o assunto é investimento, o resultado da equação rentabilidade versus risco tende a ficar altamente oscilante em tempos de instabilidade econômica. Nesse panorama, a recomendação é tirar o pé do acelerador e ficar mais atento às oportunidades que o momento oferece. “Aquele investidor que ficou acostumado a uma rentabilidade acima de dois dígitos ao ano vai ter de se mexer um pouco mais a partir de agora para conseguir este mesmo retorno”, avisa Felipe de Oliveira Azevedo, gerente de Produtos de Investimento do Banco Cooperativo Sicredi. Isso não quer dizer que o mercado está estagnado. Ao contrário, muitas oportunidades podem surgir justamente das oscilações dos índices econômicos. “O primeiro passo é entender o perfil de risco do investidor para saber quais mudanças

14

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

ele está disposto a fazer para obter mais rentabilidade”, observa Azevedo.

Segurança

Para os investidores mais conservadores, que não gostam de comprometer a liquidez e o patrimônio, a caderneta de poupança, os fundos DI e Tesouro Direto estão entre as aplicações mais indicadas. Nesse grupo, a poupança continua a ser a preferida do grande público. “A facilidade que ela oferece permitindo que se deposite ou se faça saques sem a interferência de nenhuma pessoa é imbatível”, comenta Edgar Antônio Sbrogio, delegado do Conselho Regional de Economia em São José do Rio Preto. Mesmo pessoas que obtiveram melhores rendimentos em outras aplicações, segundo ele, acabaram voltando para a poupança, muitos porque se sentiram frustrados ao perceber que um bom rendimento se obtém somente após dois anos sem movimentação.

Risco controlado

Já para os investidores de perfil moderado, que conseguem lidar melhor com uma eventual perda, o economista sugere os fundos pósfixados e fundo de ações. “Eles são geridos por equipe independente, e não estão sob garantia do FGC e, em razão disso, se a ‘cesta’ de investimentos terminar em grandes perdas, elas serão arcadas pelos cotistas inscritos no fundo”, observa Sbrogio. Outro detalhe importante sobre os fundos é que eles são soberanos. Isso quer dizer que, se for consenso entre a maioria dos investidores, eles podem mudar a instituição gestora sem qualquer consequência para seus integrantes nem para o próprio fundo. “Mesmo em meio ao ciclo de redução de juros, que em tese favorece o deslocamento do aplicador para opções de investimentos de maior risco, as aplicações em renda fixa devem representar por um bom tempo a maior parcela das aplicações financeiras dos investidores”, completa Azevedo.


Diante de um cenário de queda de juros, uma boa diversificação de aplicações é a melhor amiga dos investidores que querem mitigar riscos e garantir rentabilidade no médio e longo prazo Felipe de Oliveira Azevedo, Gerente de Produtos de Investimento do Sicredi

Rentabilidade máxima

Agora, se o negócio é alçar voos mais altos na busca da rentabilidade máxima, os investidores arrojados podem se arriscar em ações e ativos cambiais. De acordo com o especialista, o mercado de ações sempre oferece oportunidades independentemente da situação econômica do país: “Existem profissionais que garantem que as grandes oportunidades no mercado acionário estão nos momentos de crise. A principal dificuldade é que é uma atividade de grande risco. Mesmo investidores tarimbados vez por outra acabam tendo perdas contundentes”. Ele acrescenta que esta é uma opção que depende muito de contatos, além da necessidade de uma atualização diária sobre comportamento da Bolsa de Valores. Aviso aos navegantes: ser arrojado não significa arriscar tudo. Investidores com um pouco mais de experiência têm por hábito segmentar seus investimentos entre as diversas alternativas de mercado.

Garantia

“Diversos tipos de aplicações têm cobertura assegurada pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), uma associação civil criada pelas instituições financeiras

O FGC garante ao depositante o valor máximo DE

250

mil

por CPF em cada instituição financeira associada

justamente para proteger o investidor e manter a estabilidade financeira do Sistema Financeiro Nacional”, explica Sbrogio. O FGC garante ao depositante o valor máximo de R$ 250 mil por CPF em cada instituição financeira associada. Entre as aplicações cobertas pelo fundo, estão os depósitos bancários, caderneta de poupança, letras de câmbio, letras imobiliárias, letras hipotecárias ou de crédito imobiliário, e operações relativas a títulos emitidos após março de 2012. Mesmo com essa garantia, é sempre importante conhecer a situação financeira da instituição responsável pelas aplicações e estar atento às regras do investimento.

Todos os bolsos

Mas a melhor notícia de todas é que existe investimento para todos os bolsos. De um modo geral, os especialistas em mercado financeiro indicam um valor mínimo de R$ 5 mil. A recomendação tem uma razão: quanto maior o capital de investimento, maior será o resultado e menor o impacto do custo operacional. O fato é que se começar com um valor baixo, o investidor precisará ganhar muito para compensar as taxas e ter alguma rentabilidade.

Em meio a tantas opções, nada mais natural do ficar inseguro. Nessa hora, fazer um planejamento, ter um gerente em que possa te orientar, ajuda muito. “Diante de um cenário de queda de juros, uma boa diversificação de aplicações é a melhor amiga dos investidores que querem mitigar riscos e garantir rentabilidade no médio e longo prazo. Ela é muito importante na construção de patrimônio e deve ser elaborada de acordo com os objetivos de quem investe”, recomenda Azevedo.

Conheça os investimentos do Sicredi Poupança: opção simples e segura, possibilita depósitos e saques a qualquer momento. Renda Fixa: oferece ótima rentabilidade com liquidez diária e carência de 30 dias, além da garantia do FGCoop. O Sicredi oferece quatro tipos de aplicação dentro dessa modalidade. • Sicredinvest • Sicredinvest Evolutivo • Sicredinvest Flex • RDC Fundos de Investimento: conta com diferentes possibilidades de aplicação, de acordo com o perfil do investidor. São 10 tipos de aplicações nessa modalidade. • FI Invest CP • FI Invest Plus CP • FIC RF Premium LP • FIC RF Performance LP • FIC RF Seleto LP • FIC RF Executive Crédito Privado • FI Multimercado Perfil Clássico LP • FIC RF Inflação LP • FI Ações Ibovespa • FI Ações Petrobras

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

15


AGENDA

POR Graziela Delalibera

Planetário Móvel recebe 1.214 alunos na região

Dia C

atitudes simples que movem o mundo

C

om o lema “Atitudes simples movem o mundo”, o Dia de Cooperar 2017, o Dia C, contou com diversas ações desenvolvidas pelo Sicredi, em uma enorme corrente do bem que mobilizou colaboradores em prol da comunidade. A primeira ação pelo Dia C, realizada em 30 de junho, distribuiu 500 lápis semente para todas as pessoas que passaram pelas agências do Sicredi. Como o nome sugere, os lápis semente possuem sementes na ponta e devem ser plantados ao final do uso, para que uma planta germine. No dia 1º de julho, o Sicredi promoveu uma campanha de doação de sangue, reforçando a importância do gesto, reunindo 25 voluntários, todos colaboradores. O Sicredi entregou ainda 157 cobertores a moradores de Rio Preto em situação de rua, resultado de uma ação promovida na primeira semana de julho, em que mobilizou seus colaboradores para doarem valores simbólicos para essa finalidade.

16

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

O projeto “Planetário Móvel”, do Sescoop/SP em parceria com as cooperativas paulistas, passou por Rio Preto, Catanduva e Mirassol entre 27 e 30 de julho, realizando 32 sessões para 1.214 estudantes. Crianças, adolescentes e jovens puderam conhecer melhor o espaço por meio de um planetário que apresenta planetas, estrelas, meteoros e outras informações. Confira como foi a passagem do “Planetário Móvel” pela região: •M  irassol: em parceria com a prefeitura, na escola municipal Wilson Paschoa, com 21 sessões para 729 crianças do programa A União Faz a Vida. • Catanduva: em uma ação em parceria com a Uniodonto Catanduva, no Colégio Interativo – Sistema de Ensino COC, com sete sessões para 303 alunos. •R  io Preto: em parceria com a Unimed Rio Preto, na Escola Estadual Paul Percy Harris, com quatro sessões para 182 alunos.


A


ARTIGO

Trabalho

sacrifício ou realização? POR Eduardo Shinyashiki

Q

uantas vezes saímos de casa para ir ao trabalho com a sensação de fadiga, queixas de estresse, ansiedade e, até mesmo, com doenças físicas? Além de prejudicar a saúde, esses sentimentos aumentam a desconfiança a respeito da profissão que escolhemos, já que podem ser causados por fatores como: excesso de tarefas, medo da demissão, conflitos interpessoais no ambiente de trabalho, percepção de não conseguir alcançar os objetivos estabelecidos e desequilíbrio entre o desempenho exigido e a crença de não possuir as capacidades necessárias. Com o passar dos anos, a distância entre as expectativas profissionais e as limitações pessoais pode ficar cada vez maior na nossa cabeça e, assim, criar um profundo mal-estar. Para melhor compreendermos todos esses sentimentos, vou contextualizar com uma explicação sobre a origem do trabalho: por muito tempo, os gregos e os romanos, por exemplo, consideravamno uma obrigação servil, destinada aos escravos e prisioneiros. Apenas a partir de 1700, o trabalho começou a se tornar uma atividade cada vez mais difundida entre todas as classes sociais e, gradualmente, uma mudança ocorreu na representação desse conceito. Deste modo, começaram a enxergá-lo como uma atividade digna, orientada a atingir objetivos e realizações. Todo este cenário está relacionado à origem

18

Sicredi Noroeste SP • Edição 1 • Out 2017

etimológica da palavra “trabalho”. No latim, “tripalium” denomina um instrumento de tortura e “labor” (lavoro, em português) significa esforço, dor e pena. Ou seja, ambos têm como raiz uma conotação emocional amarga, dolorosa, negativa, de sofrimento, fadiga, exploração, punição e restrição da liberdade individual. Felizmente, a concepção contemporânea de trabalho orientou-se em direção a ideias opostas, que apresentam uma visão como algo de direito do ser humano, espaço para a valorização dos talentos e capacidades individuais, criatividade, satisfação profissional e realização pessoal. Entretanto, em alguns momentos da nossa vida, pode parecer que o trabalho lembre mais o significado da antiguidade e esteja mais

relacionado à punição do que à realização. O importante nesta questão é saber equilibrar as “identidades” profissional e pessoal. Conhecer a si mesmo, saber seus fatores individuais de caráter e pensá-los em conjunto com os aspectos ambientais da organização da empresa, ao conteúdo profissional e à relação com a equipe podem ser pontos importantes de reflexão para viver o trabalho não como um peso e um castigo, mas como um espaço de realização e satisfação pessoal. Eduardo Shinyashiki é mestre em neuropsicologia, liderança educadora e especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional e pessoal. www.edushin.com.br


A


A

Profile for Sicredi Noroeste SP

Edição #01 - Revista Sicredi Noroeste SP  

Fazer Juntos - Conheça o jeito mais moderno e humano de cuidar da sua vida financeira.

Edição #01 - Revista Sicredi Noroeste SP  

Fazer Juntos - Conheça o jeito mais moderno e humano de cuidar da sua vida financeira.

Advertisement