Page 1


E 2016 está acabando. Em meio às turbulências políticas e econômicas do ano, chega a hora de preparar um ano novo com entusiasmo e otimismo. A Revista Shibata Casa & Presentes traz ótimas dicas para preparar a chegada de 2017 com esperança e boas expectativas. Você vai conhecer a origem dos Cartões de Natal porque o mundo todo se cumprimenta por meio

e entender deles, nesta data. Você vai aprender a fazer o “Gingerbread”, ou biscoito de gengibre - ele virou até personagem de desenhos animados, saindo direto dos contos infantís para a sua mesa de fim de ano. Aproveite para aprender, fazer e saborear um delicioso panetone salgado. Se pretende viajar no Reveillon, preste atenção nas nossas dicas para arrumar as malas, com precisão e inteligência. Você pode, também, se aventurar pelo mundo do café, muito mais do que uma bebida, um estilo de vida. Comemore com a gente o aniversário de 40 anos do Grupo Shibata e descubra como participar da promoção que vai distribuir 190 prêmios aos consumidores. Tem muito mais nesta edição especial da Revista Shibata Casa & Presentes, preparada com carinho pra você! Boa Leitura!


SHIBATA 40 ANOS A Rede Shibata de Supermercados está comemorando 40 anos. Ela nasceu em 1976 na cidade de Mogi das Cruzes, quando o casal Massanosuke e Kimie, além de seus três filhos, construiu a primeira loja com apenas 300 metros quadrados e dois ‘checkouts’ ou caixas. Hoje, o Grupo Shibata continua crescendo e investe também em outros segmentos, como ‘Shibata Casa & Presentes’, uma grande loja de utilidades domésticas, cama, mesa e banho, além de restaurantes e farmácias. Com a inauguração mais recente de uma loja em Pindamonhangaba, em agosto deste ano, a rede soma 19 unidades, que estão distribuídas em onze cidades do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Alto Tietê: Mogi das Cruzes (4), Itaquaquecetuba (1), Biritiba Mirim (1), Aparecida (1), Jacareí (4), Caçapava (1), Taubaté (2), Caraguatatuba (2), São Sebastião (1), Ferraz de Vasconcelos (1) e Pindamonhangaba (1). Já em fase de andamento, a Loja Shibata “Kanebo” em São José dos Campos, será uma das maiores da rede e será a vigésima loja, a primeira na cidade, instalada no prédio da antiga fábrica Kanebo, o qual foi totalmente modernizado e adaptado para gerar conforto e acessibilidade aos consumidores da região. Para comemorar data tão relevante, a Rede


Shibata de Supermercados realiza a tradicional campanha de aniversário ‘Show de Prêmios’, que acontece há vários anos, e começou no dia 1º de novembro. O principal objetivo da campanha é de reconhecimento e uma forma de agradecimento aos clientes pela preferência durante todo esse período. Na campanha, serão sorteados 190 prêmios, entre eles seis automóveis da marca Toyota, modelo Etios 0 km, 19 iPhones 6 plus 64 GB, 19 notebooks i5 8GB 1TB, 19 iPads 2 mini 32GB wifi, 19 Smart TVS 43”, 13 Vale Compras no valor de R$ R$ 5 mil cada. A campanha estará em vigor entre 1º de novembro de 2016 e 4 de janeiro de 2017. Mais informações no www.shibata.com.br. Ao todo, a Rede Shibata emprega cerca de 3.700 colaboradores diretos. São milhares de famílias que participam do dia a dia de um Grupo que valoriza e trabalha para que todas as famílias tenham o melhor atendimento com qualidade de vida, sintetizados no slogan - De família para família. .


Receber a família e amigos na noite de Natal exige uma mesa posta bem linda e surpreendente! Mas ao contrário do que possa parecer, preparar esta mesa não é sinônimo de gastar muito dinheiro e você nem precisa ser uma mestra da decoração!

Jantar à luz de velas é sempre um charme, as velas deixam tudo mais lindo, requintado e harmonioso. Para o Natal, o que não faltam são ideias de uso de velas de todas as maneiras: reaproveitando taças, usando louças, potes e mais uma inifinidade de coisas.

Separamos 5 dicas pra te ajudar nesta tarefa, olha só como é mais simples do que parece: 1 – Comece pela toalha da mesa

4 – Arranjos de mesa e guardanapos

Escolha uma toalha bonita para esta noite especial, você pode usar aquela que está guardada desde o casamento ou, comprar uma especial para este ano. Na hora de comprar a toalha, pense no jogo de jantar que você usará, se a toalha for escura (vermelha, verde, dourada, etc) um jogo de jantar branco ficará mais bonito e destacado se a tolha for branca, você pode ousar com louças coloridas. 2 – Invista em sousplat ou jogos americanos Os sousplat vão realçar a sua louça na mesa, eles compõem o visual de maneira linda e não são tão caros. Você encontra em diversos materiais como: melamina, fibra, tecido e etc. Os jogos americanos também são uma boa idéia para destacar a louça e marcar os lugares à mesa, há uma infinidade de modelos, cores e materiais no mercado, você pode encontrar desde pechinchas até mais caros ou, fazer do seu jeito além disso, se por acaso você tiver uma tolha escura com louça escura, um sousplat ou jogo americano por baixo do prato, vai iluminar a sua louça e dar destaque aos serviços! 3 – Velas e castiçais

Os arranjos de mesa podem ser feitos com diversos materiais que você tem em casa: desde ramos e enfeites que sobraram da decoração da árvore até, frutas e flores frescas ou secas. Guardanapos de tecido também deixam os lugares à mesa mais elegantes, combinados com prendedores charmosos é certeza de uma mesa convidativa. 5 – Louças O Natal e o Ano Novo são as oportunidades que você esperava para usar toda aquela louça que você comprou, ganhou de casamento ou de aniversário para ser usada! Não se preocupe se você não tem o jogo completo, misturar peças clássicas com modernas também é muito charmoso! Abuse dos vidros, potes, castiçais, bowls, taças e aproveite para, além de servir, complementarem a decoração! Decoração de mesa para a Ceia de Ano Novo A decoração de mesa para a Ceia de Ano Novo precisa ser planejada. A passagem de ano precisa ser comemorada em grande estilo, por isso algumas pessoas acabam adotando a ceia como uma forma de comemorar. Os detalhes da mesa precisam ser bem pensados

para adquirir um efeito charmoso, sofisticado e de acordo com a proposta da data comemorativa. Algumas técnicas usadas para decorar a Ceia de Natal podem ser incorporadas na arrumação da mesa para a Ceia de Ano Novo. Não basta apenas preparar os pratos típicos do Réveillon, é necessário pensar também na decoração de mesa para a Ceia de Ano Novo, na maneira como eles serão dispostos e qual o tipo de acabamento será usado na mesa principal. Como o branco é a principal cor do Ano Novo, vale à pena apostar numa decoração mais clean, sofisticada e simples. A composição de uma mesa bem arrumada considera as principais regras de etiqueta. Passo-a-passo para decorar a mesa da Ceia de Ano Novo – Os pratos precisam estar bem organizados sobre a mesa, considerando o número de convidados e também as comidas que serão servidas na ceia. A louça branca é bem sofisticada e combina com a serenidade da ocasião. Num estilo mais clássico, dá para abusar do dourado e branco na decoração. – Use guardanapos de tecido, posicionando-os do lado esquerdo do prato. Garfos, colheres e facas precisam ser colocadas na mesa de forma organizada, seguindo as regras básicas de etiqueta que evitam as principais gafes da hora de se servir. Em geral, os garfos devem estar à esquerda, faca e colheres à direita, talheres de sobremesa acima e as taças do lado direito superior.– Sobre a mesa, as taças são dispostas numa ordem específica que vai do maior para o menor.


Receita de “Gingerbread” e uma pitada de curiosidades. É Natal! Tem receitas que combinam muito com uma época do ano e outras que vem cheia de boas lembranças e muitas histórias. Gingerbread cookies, ou simplesmente Biscoito de Gengibre, ou ainda, o Boneco/ Homem de Biscoito de Gengibre tem várias histórias e sabores por trás de cada mordida. Esperamos conseguir traduzir um pouco da magia e alegria que está por trás desse homenzinho de temperos. A história do biscoito de gengibre antecede o boneco. O gengibre em si veio da Ásia, assim como muitos outros temperos também. Acredita-se que a massa de gingerbread (pronuncia-se “djinger-bréd”) surgiu na Europa Medieval. Foi em 992, que o monge Gregory de Nicopolis levou da Armênia para a França a massa básica de gingerbread. O artigo em inglês é bem rico em detalhes. O monge armênio ficou sete anos pela França e ensinou vários cristãos franceses a fazerem uma massa a base de gengibre e melado ou mel, em vez de usar somente açúcar. Daquela base brotariam várias outras misturas. Hoje, existem massas de gingerbread mais macias e fofinhas e outras mais crocantes. Em vários países se encontram receitas distintas, variações da apresentação e até mesmo diferentes épocas para se apreciar esse biscoito. Foi mesmo a partir do século XV que o termo passou a ser mais associado a massa ensinada lá no início, pelo monge. Na Alemanha, por exemplo, chamase principalmente de Lebkuchen, que são muito comuns durante feiras (tipo parque de diversão tradicionais), em formato de coração decorado

com dizeres, feitos com confeito de açúcar. Na Oktoberfest é também muito comum! Esses são bem durinhos. Há outros mais parecidos com o nosso pão-de-mel brasileiro, que aliás, é uma variação da massa também! E diz-se que foi pela Alemanha que surgiu a ideia de fazer casinhas com a massa de gingerbread, quem sabe inspirados na história de João e Maria (original: Hänsel und Gretel, dos Irmãos Grim). Na Inglaterra, até Shakspeare se rendeu aos biscoitos e em uma peça sua, Trabalhos de Amores Perdidos (Love’s Labour’s Lost), traz uma fala que menciona a popularidade dessa iguaria: “An I had but one penny in the world, thou shouldst have it to buy gingerbread”. Algo como: “e se eu tivesse somente um centavo no mundo, eu deveria tê-lo para comprar gingerbread”. Na Polônia, desde o século XVI há uma fábrica de Pierniki, onde hoje funciona o Muzeum Pernika, ou simplesmente o Museu do Gingerbread. Lá você aprende a fazer uma massa seguindo uma receita secular, de 500 anos atrás! Forno a lenha, formas antigas, um verdadeiro passeio na história. Aliás, se alguém já foi lá, conta pra gente em mais detalhes, pois eu só conheço virtualmente. No Brasil, chamamos mesmo de pãode-mel, mas o nosso se parece mais com um bolinho, mais fofo e coberto com chocolate. Seja qual for sua receita favorita, sua história favorita, o gingerbread tem várias origens e formatos. Agora, e o boneco, de onde veio? O famoso formato de boneco de

gengibre: conto infantil e tradição natalina. Uma história mais conhecida por ter iniciado no século XIX, fala de um biscoito de gengibre que ganhou vida ao sair do forno e começou a correr. O senhor e a senhora que o fizeram, corriam e não conseguiam pegá-lo. Na história publicada em maio de 1875, St. Nicholas Magazine, uma raposa vermelha conseguiu pegar o Boneco e ele dizia “oh céus, 1/4 de mim se foi! Oh, metade de mim se foi! 1/3 de mim se foi! Me fui por inteiro!” e ele nunca mais falou de novo! Com o passar dos anos várias versões e forma de contar a história foram sendo inventadas e adaptadas. Há muitos livros sobre a história infantil do Boneco de Gengibre. E assim, o pequeno boneco foi se popularizando cada vez mais e mantém sua fama ainda hoje. Gingerbread tem cara de criança, de alegria, de datas especiais! A história de associar o boneco com o Natal, segundo pesquisas, começou há mais de 100 anos, na região de Lancaster, quando crianças alemãs na Pensilvânia, passaram a cortar biscoitos em formato de gente, decorados com pasta de açúcar, e colocavam nas janelas para alegrar as paisagens de neve. Isso está em detalhes no livro: 300 Years of Kitchen Collectibles, Linda Campbell Franklin. Uma curiosidade a mais: o maior biscoito de gengibre já feito no mundo tinha mais de 18 metros! Foi feito no Texas em 2013. E agora, finalmente, a receita: Gingerbread Man – Biscoito de Gengibre.


Utensílios: Batedeira Colher Balança culinária ou copos medidores Colheres medidoras Plástico para envolver as massas Forminha de Gingerbread Ingredientes: 3 xícaras (390g) de trigo refinado 1/2 colher de chá de sal 3/4 colher de chá de bicarbonato de sódio 2 colheres de chá de gengibre em pó 1 colheres de chá de canela em pó 1/4 colher de chá de noz moscada em pó 1/4 colher de chá de cravo em pó 1/2 xícara (113g) de manteiga sem sal, em temperatura ambiente 1/2 xícara (100g) de açúcar branco refinado 1 ovo grande 2/3 xícara (160ml) de melado de cana (substituir por mel ou mesmo xarope de milho irá alterar o sabor e a cor). Dica: para evitar que o melado grude na xícara, unte com óleo. Preparo:

Em uma vasilha grande junte: trigo, sal, bicarbonato de sódio e todos os temperos. Na batedeira, em velocidade média, bata: manteiga com açúcar, até ficar cremoso. Se parecer que está desandando, não se assuste. Acrescente o ovo e o melado. Misture bem. Depois, aos poucos acrescente a mistura da farinha. Não misture muito,

só o suficiente para incorporar todos os ingredientes. Desligue a batedeira coloque a massa sobre uma superfície polvilhada com trigo, para evitar que a massa grude. Faça uma bola e divida em duas metades. Envolva cada uma em um plástico e leve a geladeira por pelo menos duas horas. Como aqui no Brasil é mais quente mesmo, o ideal é deixar sempre da noite para o dia. Após a massa ter resfriado bem: polvilhe bastante trigo em uma superfície para abrir a massa. Pré-aqueça o forno a 180ºC, prepare uma forma. Abra a massa sempre girando-a, para evitar que grude. Abra com o rolo ou mesmo com as mãos, entre de 0,5 cm e 0,7 cm de espessura e corte com o cortador de sua preferência. Coloque na assadeira com uma distância de pelo menos 2,5 cm de distância, para que eles não grudem. Asse por cerca de 10 minutos (o tempo vai variar de acordo com o tamanho dos moldes que você utilizar). Retire do forno, deixe-os resfriando por mais ou menos 1 minutinho na assadeira, depois transfira para uma grelha para que eles não fiquem úmidos. Se quiser decorar, há várias opções, como glacê real. Não gosto de usar muito

corante, aliás, nem mesmo muito açúcar, então prefiro fazer uma porção pequena, somente para contornar, que deve ser mais durinha. A receita é simples: uma clara de ovo, uma colher de chá de suco de limão (prefiro usar o siciliano, e cerca de 2 xícaras (230g) de açúcar de confeiteiro. Bata primeiro a clara com o suco de limão e um pouco do açúcar, usei a batedeira com a espátula para clara em neve. Use a velocidade baixa, e aos poucos vá acrescentando o açúcar de confeiteiro peneirado, para evitar que crie bolotinhas. A consistência ideal ficará semelhante a um merengue, denso. Se ficar muito grosso, acrescente um pouco de água, se estiver muito líquido, acrescente mais açúcar. O glacê deve ser utilizado imediatamente, pois ele resseca rápido. Para otimizar o uso do saco de confeiteiro, procure utilizar um de plástico (pode até mesmo ser um saquinho, tipo zip-loc, com um furinho na ponta). Dicas para armazenar esse tipo de biscoito: eles duram até um mês se bem guardados em vasilhas fechadas. Não misture este tipo de biscoito com outros, pois eles podem ficar mais moles e transferir seu aroma de especiarias para outros tipos de biscoitos.


Leitão à Pururuca

INGREDIENTES

MODO DE PREPARO

1 leitão de aproximadamente 8 kg 2 colheres de sal 1/2 kg de cebola • 1/2 kg de pimentão 1 cabeça de alho 3 maços de coentro (cheiro verde) 2 colheres sopa de pimenta-do-reino 50g de colorau 3 colheres de catchup 5 folhas de louro 250g de margarina 1 vidro de glucose de milho 1 garrafa de vinho tinto 1 garrrafa de vinagre

Limpe o leitão, fure-o com uma faca de ponta e lave com vinagre.

PARA DECORAR 3 maços de alface 1/2 kg de tomates maduros em rodelas 1 lata de pêssego em caldas 1 lata de abacaxi em caldas 1 lata de ameixa em caldas 1/2 kg de uva itália 300g de uva passas 2 pacotes de batata palha

Bata no liquidificador a cebola, o alho, o pimentão, o coentro, o colorau, a pimenta-do-reino e o vinho. Coloque o leitão em um saco plástico grande e regue com o tempero batido, amarre-o e deixe na geladeira por 12 horas aproximadamente. Coloque em uma panela grande que caiba o leitão com 2 litros de água para ferver, coloque o leitão com todo o molho na panela, tampe e deixe cozinhar por 1 hora aproximadamente. Unte uma assadeira grande coloque o leitão e cubra com papel alumínio, coloque pra assar por três horas. Tire do forno, retire o papel alumínio, derreta a margarina, misture a glucose de milho, pincele o leitão e volte ao fogo por mais meia hora. Retire do forno, escorra o excesso de gordura e decore na própria assadeira.

11


COMPRA Os consumidores que optam pelo comércio eletrônico ao adquirir um produto, podem deixar passar despercebidos detalhes que, assim como em qualquer tipo de comércio, são fundamentais para fazer valer seus direitos. Nesse sentido, o Procon faz algumas recomendações que podem evitar muitos incômodos.

consumidor possa fazer seu planejamento. Outro fator importante a ser observado refere-se a despesas adicionais que podem ocorrer com fretes ou taxas. Ele alerta que “produtos eletrônicos (MP3 players, videogames, telefones, etc) devem receber uma atenção maior, por serem caros e muito procurados o que, em

SEGURANÇA

Uma das mais importantes é a respeito da credibilidade dos sites de compras. Para tanto, é preciso verificar se não há reclamações da empresa, o que pode ser feito no portal do Procon, www. procon.sp.gov.br, pelo link Cadastro de Reclamações. Vale também pesquisar o nome da empresa nos portais de busca e obter informações com pessoas que já o tenham utilizado. É necessário observar no site se constam todos os dados do fornecedor e desconfiar se apenas apresenta um telefone celular. O fornecedor deve ter CNPJ, e é possível verificá-lo no site da Receita Federal. ENTREGA O consumidor deve ficar atento ao prazo de entrega, para que o presente não chegue depois das festividades. A informação do prazo de entrega deve constar na hora da compra para que o

o cartão de crédito, o cuidado precisa ser redobrado. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a empresa tem a obrigação de apresentar outras formas de pagamento, estabelecendo que as compras realizadas fora do estabelecimento comercial podem ser canceladas em até sete dias.

É preciso ficar atento às medidas adotadas pelo fornecedor para garantir a privacidade dos dados, principalmente no caso do RG e CPF e se a página exibida apresenta um cadeado. Outra recomendação é usar uma senha difícil de descobrir, mesmo que seja preciso anotála, e não a repassar a outras pessoas. Guarde todos os dados das compras: número do protocolo, confirmação do pedido, todas as mensagens trocadas com o fornecedor, e outras informações que comprovem a compra e suas condições. Isso facilitará o processo de reclamação, caso ocorra algum imprevisto. caso de fraude, pode causar prejuízo ao consumidor, caso a entrega do produto não seja concluída. Desconfie de ofertas espetaculares, promoções imperdíveis e valores muito abaixo do mercado”. Na hora de pagar, se a opção for

Como a rede é mundial, as páginas hospedadas fora do Brasil seguem as normas de seus países de origem. Se o consumidor tiver problemas ao comprar produtos em sites internacionais, terá de resolvê-los diretamente com o fornecedor, porque, nesse caso, ele é o próprio importador.


Acessório para vinho é o que não falta! Saiba como usar cada um deles. Se você procurar acessórios para vinhos, vai achar uma infinidade de aparelhos estranhos, de taças com tamanho ajustável até furadeiras com pontas de saca-rolha. Faquinha para remoção da cápsula Pois é, a abertura não começa no saca-rolhas. Antes de tudo, é preciso retirar a cápsula que envolve a rolha (que muitas vezes é feita de chumbo). Para isso, você pode usar uma faquinha comum ou uma faquinha de canivete, fazendo um corte abaixo do ressalto maior do gargalo. Outra opção é usar um corta-cápsulas. Também chamado de “foil-cutter”, o cortacápsulas é um acessório que tem a forma de um “U”, cuja abertura abraça o gargalo. Pressionado e girado, ele corta a cápsula através de disquinhos de aço existentes na sua base. Sacarrolhas É o básico do básico, certo? Mas mesmo o básico pode trazer surpresas. Há muitos tipos diferentes de saca-rolhas, que podem te confundir bastante. Independentemente do estilo, a intenção é a mesma: retirar a rolha com facilidade, sem danificá-la. Há, então, duas coisas que um sacarrolha tem que ter, invariavelmente. A primeira é um passo largo. Você sabe, as voltinhas que tem na parte de metal do sacarrolha. Pois bem: elas devem ser bem espaçadas uma das outras, e não apertadinhas como em um parafuso. Se elas forem muito juntinhas, o saca-rolhas não fixa direito na rolha, e ela pode esfarelar toda (o que será um desastre, pois você não poderá fechar o vinho, além de correr o risco de pedaços de rolha sujarem a bebida). A segunda dica é que o material seja revestido de teflon, e não de ferro. O ferro enferruja, e o metal não desliza perfeitamente pela rolha. Então, seu sacarrolha deve ser de teflon preto. Corta-gotas Ah, esse é vital para a sobrevivência humana! Ainda mais se você tiver uma mãe ou esposa que é capaz de cometer homicídio se a toalha branquinha ficar manchada de vinho. Não

adianta, por mais cuidadosos que possamos ser, uma gotinha acaba escorrendo pela garrafa e vai parar inadvertidamente na mesa. Para evitar isso, existe o corta-gotas: pequenas folhas circulares de acetato, que são enroladas e colocadas no gargalo, impedindo as gotas de escorrerem. São muito baratas, e alguns restaurantes até oferecem de brinde. Outra opção são corta-gotas de metal, com um círculo absorvente na parte interna. Basta colocar o círculo na garrafa, e as gotinhas enxeridas serão absorvidas assim que passarem por ele. Decanter Um recipiente de vidro, muito usado por qualquer pessoa que queira preparar um pouco o vinho antes de tomá-lo. Serve para facilitar a retenção de sedimentos do vinho - borra que fica no fundo da garrafa, feita de substâncias que se formam durante o envelhecimento do vinho. Depois de deixar o vinho repousando, a borra no fundo pode ser separada quando você despejar o vinho na taça, com a facilidade da base larga do decanter, que ajuda nessa separação. Já a boca larga do decanter serve para oxigenar o vinho. Geralmente, vinhos pedem uma aeração de no mínimo uma hora. Alguns, porém, precisam ser abertos e colocados no decanter por um período de 6h a 24h, antes de serem tomados. Aerador O aerador é um acessório que oxigeniza o vinho instantaneamente, para abrir os aromas e sabores, sem precisar abrir o vinho horas antes de ser tomado. O processo é simples: o vinho passa por uma abertura que fica menor, diminuindo a pressão e puxando o ar pra dentro do aerador, oxigenando o líquido. A dica é evitar o aerador para vinhos muito maduros, que exigem uma oxigenização mais lenta. Nesse caso, o decanter é mais apropriado. Alguns aeradores também vêm com um filtro, que prometem fazer o papel de filtrar os sedimentos, substituindo o decanter. Bombas de extração a vácuo Um acessório bem útil para quem não

conseguiu beber toda a garrafa e quer guardar o vinho para mais tarde. A bomba de vácuo tampa e retira o ar de dentro da garrafa, impedindo que o oxigênio estrague o vinho, fazendo-o durar mais. Dependendo do vinho, pode permanecer por mais uns 2 dias, sem grandes alterações. Outra alternativa é uma injeção de gás carbônico dentro da garrafa (também conhecida como winesave). Adegas climatizadas Ao contrário do que muita gente pensa, adegas não são apenas cômodos gigantescos escuros, alojados no subsolo de mansões. Existem adegas pequenas, do tamanho de geladeiras ou micro-ondas, muito práticas para guardar vinhos que exijam mais cuidados. É um item muito especial, e depende da sua necessidade. Se você possui várias garrafas de vinho caras e está com dor na consciência de deixá-las guardadas em locais inadequados, vale a pena comprar uma adega que conserve a bebida e mantenha tudo na temperatura certa. Mas se possui poucas garrafas, o investimento pode não valer a pena. Termômetro Um item necessário apenas se você for do tipo que exige uma precisão matemática. Serve para ver se o vinho está na temperatura adequada para ser servido. O problema é abrir a garrafa para fazer esse teste – já que, se não estiver na temperatura certa, o vinho precisará voltar aberto para um refrigerador ou coisa do tipo. Para resolver essa questão, já existem termômetros que medem a temperatura pelo contato com a garrafa, sem precisar abrir o vinho. São digitais, e basta colocar na garrafa para dar a temperatura. Bolsa de vinho Um recipiente para ajudar pessoas que precisam carregar ou deslocar garrafas de vinho. Para uma viagem ou para levar uma garrafa a um restaurante, as bolsas são mais discretas, e algumas possuem proteção térmica para que o vinho não sofra com mudanças de temperatura. E aí, já decidiu qual acessório vai ter? Comece agora a montar seu arsenal! Seja um craque no assunto!


CAFÉ EM CÁPSULAS Já não restam mais dúvidas: As máquinas de café em cápsulas vieram para ficar. Prova disso são os dados apresentados na Semana Internacional do Café, que aconteceu em setembro em Belo Horizonte (MG). Nos próximos 10 anos, os equipamentos monodose deverão representar de 20% a 30% do mercado consumidor do grão.

uma cremosidade natural. Mas, como qualquer técnica avançada, operar uma máquina de café

CAFÉ-EXPRESSO Fazer café em casa para suas manhãs, tardes ou para receber as visitas é uma delícia. E se o que você quer é café expresso, a gente tem a solução ideal para você fazer rapidamente e sem precisar desenvolver habilidades especiais. Aqui compilamos tudo o que você precisa saber sobre cafeteiras expresso com sistemas de cápsulas. Por que comprar uma cafeteira expresso de cápsulas? O café expresso é um tipo de café muito popular, criado na Itália e que percorreu o mundo. Vem da palavra espresso que quer dizer na pressão, que a partir da aplicação de pressão no processo resulta em um café com sabor elevado e

expresso não é muito simples. Requer muito treino, muitas tentativas e erros até chegar ao resultado. Se você quer facilidade,

optar pela cafeteira elétrica de cápsulas é a melhor saída. Como funciona o sistema de cápsulas? Uma cafeteira de cápsulas funciona a partir da pressão, como as cafeteiras expresso, mas você não vai precisar se preocupar em ter um moedor de café ou com a sujeira do pó. A medida certa do pó e o gerenciamento da água que vem aquecida do reservatório são feitos automaticamente. O café expresso cai na xícara e a cápsula, depois do uso, é descartada, sem sujeira. Este método de preparo traz um café semelhante ao de uma cafeteira, ideal para servir, e sem perder tempo. Você prepara seu café da manhã ou o café da tarde para os familiares sem deixar o convívio com eles por muito tempo. As máquinas costumam trazer consigo cápsulas de amostra de cada uma das variações. É uma espécie de boas vindas oferecida pela fabricante e uma amostra do que contempla o seu catálogo. Prove e marque os seus preferidos. Se precisar, recorra ao site oficial de cada uma das cafeteiras e explore as opções de bebidas oferecidas por cada uma delas.


O cartão de Natal é um impresso com mensagem de felicitações, enviado para os amigos de maneira a comemorar a data festiva. Seu conteúdo varia desde os símbolos verdadeiramente cristãos - como as cenas da Natividade e a Estrela de Belém - as referências puramente seculares, às vezes humorosos, relacionadas aos festejos e também ao tradicional costume da troca de presentes. Os cartões de Natal são trocados durante a época natalina por muitos povos, inclusive entre os nãocristãos, na cultura ocidental e no Japão. O cartão-postal, que na época de Natal troca de nome, surgiu no século 19 e, apesar de existirem algumas versões sobre sua origem, a mais correta parece ser a que atribui a um professor de economia vienense chamado Emmanuel Hermann, da Academia Militar Wiener Neudstadt no que, na época, era conhecido como Império Austro-Húngaro. A sua ideia foi bem recebida de tal forma que em 1º de outubro de 1869 foi lançado o primeiro postal (Correspondenz Karte), encarado como uma solução barata e eficaz para o envio de mensagens breves e rápidas e, por consequência, aumentar o tráfego postal, gerando um lucro maior para o serviço de correios local. O postal conforme foi criado por Hermann tinha o formato muito próximo

das dimensões hoje existentes, mas era todo branco e não continha ilustrações, o que ocorreu posteriormente na França reconhecida como sendo a origem dos postais ilustrados. Seu criador foi um livreiro de nome Léon Besnardeau, residente na cidade de Sillé-le-Guillaume. Tudo teria ocorrido em função da guerra Franco-

motivos militares e servindo como postal. Sua invenção foi um grande sucesso e é basicamente o cartão postal que hoje utilizamos. No Brasil o cartão-postal surgiu em 28 de abril de 1880, conforme indica o Decreto de Nº 7695, a partir de uma proposta do Conselheiro Manuel Buarque de Macedo, Ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas. O responsável pela Direção da Repartição dos Correios era Luís Plínio de Oliveira, cargo que ocupava desde 1865. A difusão do postal marcou o início de uma alternativa mais rápida e ágil de comunicar, diminuindo as distâncias e permitindo que as pessoas passassem a ter conhecimento de lugares longínquos e maravilhosos.

Prussiana quando, nas imediações ficaram acampados cerca de 40.000 soldados, saudosos de suas casas e ansiosos por enviar informações de seus entes queridos. Foi quando o engenhoso livreiro teve a ideia de recortar pequenos retângulos de cartolina, aplicando imagens com

A princípio, eles constituíam monopólio oficial, entretanto, com o passar dos anos empresas privadas passaram a ter autorização para imprimirem cartões postais. Utilizando selos podiam circular pelos correios, como correspondência, o que estimulou sobremaneira o seu uso. Permitindo a impressão dos mais variados tipos de gravura tornaram-se cada vez mais atraentes. Inicialmente, essas ilustrações não preenchiam à totalidade, de forma a permitir que as mensagens fossem escritas.


INGREDIENTES MASSA: 1 kg de farinha de trigo; 1/2 colher (sopa) de açúcar refinado; 1/2 colher (sopa) de purê de alho; 1 colher (sopa) de purê de cebola bem picadinha; 1/2 colher (sopa) de sal; 150g de manteiga sem sal em temperatura ambiente; 2 xícaras (chá) de água morna; 4 tabletes de fermento biológico fresco e 5 gemas de ovo. Recheio: 1 cebola média picada; 1/2 xícara de salsinha picada; 1/2 xícara de alecrim fresco picado (só as folhinhas); 100g de azeitona verde picada; 250g de queijo provolone cortado em cubos; 250g de peito de peru picado; 1 tomate sem sementes picado; 1 gema para pincelar e 100g de parmesão ralado para polvilhar.

restante dos ingredientes, coloque a água restante aos poucos e bata até obter uma massa lisa e enxuta (cerca de 10 minutos). Deixe crescer, coberto com um pano ou plástico por cerca de 1 hora. Enquanto isso, pique o recheio. Depois do descanso, passe manteiga em uma bancada lisa e coloque a massa. Abra-a com as mãos e ponha todo o recheio. Vá misturando-o à massa até ela ficar homogênea. Divida a massa em duas e coloque em formas de papel para panetone de meio quilo. Cubra de novo e deixe crescer por mais 1 hora. Depois, pincele a gema e polvilhe parmesão. Ponha as formas numa assadeira e leve ao forno preaquecido a 200°C por cerca de 40 minutos ou até estar bem dourado. Deixe esfriar e coloque os panetones em sacos plásticos para ficarem macios.

Preparo: dissolva os tabletes de fermento biológico fresco em 1/2 xícara de água morna com 1/2 colher (sopa) de açúcar. Dica: use o recheio que quiser: calabresa, Leve à batedeira, com gancho. Junte o presunto, queijos, ervas etc.

INGREDIENTES farinha de trigo e o fermento. Misture e Vamos ter duas etapas, uma para a deixe descansar por 10 minutos. massa e outra para o recheio. Em seguida, acrescente a manteiga, o açúcar, as gemas, o sal, a farinha e Ingredientes para a Massa: a água morna. Misture até obter uma 1 xícara (chá) de água morna massa homogênea e deixe descansar 1 xícara (chá) de farinha de trigo por 40 minutos ou até dobrar de volume. 4 tabletes de fermento biológico fresco Em uma outra tigela, misture as frutas 200g de manteiga cristalizadas, as nozes, as uvas passas e 1 ½ xícara (chá) de açúcar reserve. 1 pitada de sal Abra cada uma das partes e espalhe o 6 gemas recheio. Enrole como um rocambole, 1kg de farinha de trigo una as pontas e coloque em uma forma 1 xícara (chá) de água morna para panetone. Repita a operação com Ingredientes para o Recheio: 2 xícaras as outras partes da massa e deixe (chá) de frutas cristalizadas descansar por 10 minutos. coloque uma ½ xícara (chá) de nozes picadas colher de margarina sobre cada panetone 1 ½ xícara (chá) de uvas passas pretas e leve para assar em forno pré-aquecido Demais Ingredientes: a 200°C por 40 minutos ou até dourar. 4 colheres (sopa) de margarina para Dica: antes de passar a margarina sobre cobrir os panetones o panetone, faça um X sobre o panetone com o auxílio de uma faca para a Modo de Preparo do Panetone Caseiro margarina penetrar mais na massa. MASSA: SUGESTÃO: no recheio, colocar chocolate Em uma tigela, coloque a água morna, a ao leite ou meio-amargo picados. PANETONE COM BRIGADEIRO NO POTE INGREDIENTES BRIGADEIRO: 1 lata de leite condensado 300ml de creme de leite 4 colheres de achocolatado em pó (ou chocolate, se preferir) 1 colher de Manteiga

panela, o brigadeiro está pronto.

MASSA: Comece peneirando a farinha de trigo e em seguida acrescente o fermento seco. Reserve a mistura numa vasilha. O próximo passo é feito com o liquidificador. Coloque o suco de laranja, ovos, leite, manteiga e bata tudo até ficar uma mistura MASSA: homogênea. Em seguida, acrescente o 3 ovos açúcar, também peneirado, e bata mais 5 xícaras (chá) de farinha de trigo uma pouco. 1 envelope de fermento biológico seco Coloque essa mistura em uma tigela 3/4 de xícara (chá) de suco de laranja e acrescente, aos pouco a farinha e 1/2 xícara (chá) de leite o fermento biológico que já estavam 1/2 xícara (chá) de Manteiga reservados. Vá unindo os ingredientes aos 2 xícaras (chá) de açúcar poucos. A massa fica homogênea. Nessa 1 colher (chá) de essência de panetone massa, acrescente as gotas de chocolate 1 xícara (chá) de gotas de chocolate coloridas. Mas atenção: o segredo é deixar as gotas por algumas horas no MODO DE PREPARO congelador, assim o chocolate fica mais BRIGADEIRO: bonito no panetone. Misture tudo em uma panela, coloque no Depois de acrescentar as gotas à massa, fogo e mexa por alguns minutos. Quando coloque a mistura nas formas de papel, a mistura começar a soltar do fundo da feitas especialmente para panetones.


SAIBA EXATAMENTE O QUE VOCÊ DEVE LEVAR Tem muita gente que prefere levar o máximo de coisas para o caso de esquecer algo essencial. Um conselho? Pra toda viagem, faça uma lista! Crie uma relação de tudo que você realmente vai precisar na viagem seguinte e vá riscando as que forem pra mala. Não tem erro. E o resultado vai ser bem melhor. SAIBA O QUE NÃO LEVAR É fácil enfiar tudo que vem à mente na mala e achar que tudo está resolvido – mas calma lá! Têm certas coisas que você deve pensar duas vezes antes de jogar na bolsa. Pra quê levar 4 guias super grossos praticamente iguais? E pra quê 6 perfumes diferentes? Pense na sua última viagem e tente lembrar o quanto de coisa da mala que você nem chegou a tocar. Aí vão mais algumas dicas: – Opte pelos itens multiuso, tipo shampoo/ condicionador, hidratante/protetor solar, maquiagem compacta etc. – Evite grandes caixas e embalagens de produtos, melhor colocar num saquinho selado. – Se sabe que o hotel vai oferecer itens de higiene pessoal, não leve aquele potão de shampoo na bolsa. E também divida pasta de dente, shampoo, sabonete etc com seu parceiro de viagem. – Como regra geral, não carregue jóias e objetos valiosos. Andar coberto de ouro e brilhante só vai chamar a atenção dos ladrões de plantão. ESQUEÇA OS SAPATOS Calçados têm formatos esquisitos, pesam e quase nunca podem ser dobrados, então tá na cara que não são os itens ideais para se ter numa mochila. Via de regra, não se deve levar mais de dois pares de sapato e ponto final. Assim: um par casual para andar todo dia e outro um pouco mais formal que dê para sair à noite, por exemplo. No máximo um chinelinho, se for pra praia. Sério, ninguém vai ficar olhando para os seus pés pra ver se mudou a cor ou tipo, especialmente se for andarilhar por lugares diferentes. Sendo confortável, é o que vale. VISTA SEUS ITENS PESADOS Jeans, chapéus, botas e jaquetões nunca devem ficar enchendo espaço na sua mala quando puderem ser usados no avião/ trem. Preocupado(a) em estar na moda? Bem, vale considerar o seguinte: você pode até

embarcar parecendo um alpinista do Alaska, mas vai acabar tendo bem mais espaço na mala pra levar as coisas chiques e exclusivas que comprar para depois exibir pros seus amigos em casa. PESE SUA MALA ANTES DE IR PRO AEROPORTO Nada pior do que chegar ao aeroporto, tentar fazer o check-in e descobrir que sua mala passa do limite de peso permitido pela companhia aérea. Daí são duas opções: ou você retira e dá adeus a alguns dos seus pertences, ou paga o excesso de bagagem (se for permitido e, quando é, pode custar os olhos da cara!). Então pesar sua mala em casa é sempre melhor, pois dá pra trocar ou mudar os itens mais pesados de lugar e evitar um problemão. Use e abuse das farmácias com balança ou compre sua portátil em qualquer boa loja especializada. NÃO DOBRE SUAS ROUPAS, ENROLE-AS! Dobrar geralmente amarrota e deixa marcas nas roupas, e também não é a melhor maneira de maximizar o espaço de sua mala. Começando de baixo pra cima, enrole suas camisas, calças e vestidos em pequenos tubos bem justos, que vão ser bem mais fáceis de caber na sua bolsa. E não ter que procurar um ferro de passar depois vai ser uma ajudinha bem-vinda. ATENÇÃO PARA AS REGRAS DE SEGURANÇA Pelo menos uma boa consequência surgiu em decorrência daquelas chatinhas regras de segurança na aviação que obrigaram os passageiros a não carregar líquidos em embalagens de mais de 100ml: acabamos criando o hábito de usar miniaturas e deixando de lado aqueles megapotes medonhos. Mesmo para malas que forem despachadas, vale a pena optar por potes e vidros pequenos para seus artigos de higiene. Se puder comprá-los no seu destino, tanto melhor – não vai ocupar espaço nem na ida, nem na volta. DEIXE ESPAÇO PARA OS SUVENIRES Se você tem um lado consumista mais aflorado, não dá pra não pensar no espaço reservado para os presentinhos trazidos da viagem. Mais uma vez tem que cuidar o limite de peso/volume permitido, senão é capaz de você ter que deixar coisa no aeroporto! Agora se você realmente abusar (vai que você descobre um telão de plasma baratinho!), às vezes é bom considerar despachar os objetos por navio.

Pode parecer uma opção cara logo de início, mas se levar em conta o peso e as tarifas e taxas que certas companhias aéreas podem cobrar pelo excesso (até US$ 100 por item!), de repente esse tipo de despacho pode até compensar. NADA DE DEIXAR PRA ÚLTIMA HORA! Jogar pilhas de roupas e livros dentro de uma mala é a causa mais comum de um over-packing. Comece separando suas roupas uma semana antes de sua partida. Assim vai dar tempo pra você decidir o que realmente precisa, lavar as peças mais urgentes e não ter que entrar em desespero, correr pra fechar a mala e sair correndo! FAÇA CÓPIA DAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES Se você fez toda sua pesquisa de viagem online, vale a pena copiar as seções mais relevantes em um documento do Word. Aproveite e imprima em ambos os lados da folha. Isso vale também para recomendações de bares, restaurantes e outros lugares essenciais. CONSIDERE A POSSIBILIDADE DE CHUVA Carregue um mini guarda-chuva ou espere até chover em seu destino e compre um. Em muitas cidades, há dezenas de vendedores de rua que vendem capas e sombrinhas. Mas esteja preparado para pagar mais que o “normal”, pois eles sabem o quanto você está necessitado. LEMBRE-SE DAS BOLSAS DE PANO Se você realmente quiser ter mais opções de bolsas do que sua mala de mão, uma boa ideia podem ser as bolsas de pano, fáceis de carregar e que, em emergências, podem servir como saco para as roupas sujas e sapatos, e também como bolsa para fazer compras. Fora que são ecologicamente corretas. XALES E ECHARPES PODEM SUBSTITUIR JAQUETAS Mesmo nos destinos de verão, as noites podem ser um pouco frias. Xales, echarpes e cachecóis podem ser boas alternativas para os mais pesados casacos, jaquetas, moletons e cardigãs. E ainda dão uma incrementada boa no visual para uma saída à noite. ESCOLHA UMA MALA MACIA Uma mala mais dura pode até ser melhor para guardar itens mais frágeis, mas no geral malas e bolsas mais macias e moles dispõem de mais bolsos, expandem de tamanho e têm mais espaço para enfiar mais objetos, e ainda com bom nível de durabilidade.


BACALHAU CONFITADO A receita de hoje é um bacalhau muito especial, com uma textura macia, úmida e com um sabor divino! E o melhor: super simples de preparar. Para ficar mais fácil ainda, use lombo de bacalhau do Porto que já vem dessalgado. É só descongelar e usar! Vamos à receita? Ingredientes 1kg de lombo de bacalhau divido em pedaços 1 litro de azeite 2 folhas de louro 1 colher (café) de grãos de pimenta do reino 6 dentes de alho Modo de Preparo Descongele o bacalhau, retire a pele e divida o bacalhau em pedaços. Coloque todos os ingredientes em um refratário fundo ou panela que possa ir ao forno e cubra com azeite. Leve ao forno em temperatura bem baixa (em torno de 100 graus) por cerca de 1 hora ou até que o bacalhau esteja cozido e macio. Na hora de servir, retire as postas de bacalhau, regue com o azeite e sirva salpicado com alho frito. Sugestão de acompanhamento: batatas, tomates-cereja, pimentões, azeitonas pretas e cebolas regados com azeite e assados em forno baixo. Tempo de preparo: 1h e 15 minutos Rendimento: 4 porções. FRALDINHA ASSADA NA MOSTARDA Pense numa carne saborosa e fácil de fazer! Se você não

encontrar fraldinha, pode usar maminha que também fica uma delícia. As batatas douradíssimas são o resultado de um truque ótimo que vamos ensinar: Comece forrando a forma com papel alumínio e por cima papel manteiga. O alumínio vai segurar a gordura e sua forma vai ficar limpinha e o papel manteiga é para a carne não grudar. Mas, se você não ligar de depois ter que tirar aquela “borra” que gruda na forma pode fazer diretamente nela. Em seguida, polvilhe sal e pimenta moída na hora nos dois lados da peça de carne. Faça uma misturinha com 2 colheres (sopa) de manteiga amolecida, 2 colheres (sopa) de mostarda, (que pode ser a comum ou Dijon) e 1 colher (sopa) de alho triturado. Espalhe essa mistura sobre a carne (nos dois lados) e leve para assar em forno preaquecido a 220º por cerca de 1 hora (a carne que eu utilizada tinha mais ou menos 1kg, se for uma peça maior talvez precise ficar mais tempo). A cada 15 minutos, abra o forno e espalhe sobre a carne a mistura de manteiga com mostarda que vai derretendo e ficando no fundo da forma. Enquanto a carne assa, cozinhe em água fervente com sal algumas batatas sem casca cortadas em rodelas. Quando a carne estiver no ponto, retire do forno, deixe descansar por 10 minutos e fatie (se fatiar logo que tira do forno ela solta muito líquido ). Agora a super dica: Na “borra” da carne que ficou na assadeira “esfregue” as batatas para pegar sabor e cor. Elas ficam super douradas como se tivessem ido para o forno. Você pode usar essa dica com batata ou outros vegetais sempre que fizer um assado, seja carne, frango, peixes, etc.


Revista Shibata Natal 2016  

E 2016 está acabando. Em meio às turbulências políticas e econômicas do ano, chega a hora de preparar um ano novo com entusiasmo e otimismo....

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you