Issuu on Google+


E aquele vulto no quintal ● ●

Nem me arrisco a ir lá ver Se é roupa voando em varal Ou se é Saci Pererê...


Quem já viu o Saci pulando Com seu cachimbo em brasa Disse que ele é tão veloz Que até parece ter asa


Com seus olhos cor de fogo Que brilham feito lanterna Zoando num redemoinho Pulando numa só perna


Esse homenzinho estranho Tão negro feito carvão Brinca com asas sem medo Tem um furo em cada mão


Ele vem envolto em vento É menor que um anão Como um metro de altura Causa tanta confusão...


Soltou vacas e cavalos Espalhou farinha no chão Assustou todas as galinhas Eta, moleque do cão


Para prender o diabinho Só jogando uma peneira Dentro do redemoinho E acabar com a brincadeira!!!


Livro do Saci