Page 1

Ceará em Brasília Jornal da Casa do Ceará

www.casadoceara.org.br

Ano XXI - 221 - Novembro de 2010

9912205638/DR/BSB Casa do Ceará em Brasília

CORREIOS

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS

05

Fotos Diário do Nordeste

Reforma do Castelão dará ao Ceará o melhor estádio do Nordeste. Leia mais na pág.

Impresso Especial

Editorial, pág. 2 Expediente, pág. 2 Espaço Luciano Barreira, pág.2 Conversando com o leitor, pág. 2 Samburá, praça do Ferreira, pág. 3 Desembargador Lincoln é cidadão de Fortaleza, pág. 4 Primeiro hotel internacional do Aquiraz Riviera abre em Dezembro, pág. 4 Cumbuco: um novo padrão em hotelaria no Ceará, pág. 4 Anúncio do José Lírio, pág.4 Copa 2014: Reforma do Castelão será concluída em dezembro de 2012, pág. 5 Anúncio da Oboé Financeira, pág. 5 Documento - Pelos caminhos de Camocim, Orlando Campos. pág. 6 Correios investiram só 24% da verba em 2010, diz Planejamento, pag. 6 Infraero investiu só 16,5% do orçamento neste ano, diz Planejamento, pág. 6 Nova Unidade de AVC evita 300 mortes e reduz 400 incapacitações, pág. 6 Leituras I - Artigo de Wilson Ibiapina, Uma cearense de mal com a vida e o carteado que deu merda, pág. 7 Anúncio da Marquise, pág.7 Anúncio da Confere, da Confederal, pag. 8 Primeiro trem do metrô de Fortaleza está no Centro de Manutenção para testes, pág. 9 Anúncio da nacional Gás, pág.9 Senadores homenageiam Rachel de Queiroz, pág.10 Leituras II - Artigo de Edmílson Caminha, A senhora do não me deixes pág. 10 Leituras III - Artigo de JB Serra e Gurgel, Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai, pág. 11 Anúncio do Uniceub, pag. 11 Leituras IV - Artigo de Lustosa da Costa, Brasília, minha cidade pág. 12 Anúncio da Casa da Moldura, pag. 12 Jornalista Frota Neto lançou “O jornalista & o poder”, pag. 13 A Casa do Ceará tem novo diretor de Sáude é o dr. Francisco Machado, pag. 13 Anúncio de Aguiar de Vasconcelos, pág. 13 Presidente do TJCE mostrou novo projeto do Fórum Clóvis Beviláqua, pág. 14 BNB desembolsa mais de R$ 56 milhões no mercado de franquias, pág. 14 Memória - Cabo Gia, o cabra que o então Coronel Meira Matos não conseguiu dobrar, por José Colombo de Souza Filho, pág. 14. Página da Mulher - Atigo de Regina Stela, Fantástico ritual, Receitas Nordestinas testadas e aprovadas, de Raimunda Ceará Serra Azul, e Gel poderia substituir pílula anticoncepcional, dizem cientistas Anúncio da Farmácia Pague Menos, pág.16

Casa do Ceará em Brasília fará desagravo a Tiririca e contra humilhação e discriminação. Leia mais na pág. 20

Presidente Lula inaugurará dia 10.12 o novo Hospital Regional do Cariri

Fotos Diário do Nordeste

Leia nesta edição

O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva já confirmou presença na inauguração do Hospital Regional do Cariri, dia 10.12.Com 294 leitos, o HRC foi construído pelo governo do Estado para atendimento de urgência e emergência e realização de serviços e exames de média e alta complexidade. O HRC contará inicialmente com 994 profissionais de saúde.O HRC fica em Juazeiro do Norte, na Rua Catulo da Paixão Cearense, s/n, estrategicamente entre os municípios de Barbalha e Crato para facilitar o acesso à população de 1,3 milhão de habitantes dos 41 municípios da macrorregião do Cariri e das microrregiões de Iguatu e Tauá. O HRC é um hospital de grande porte, com 27.126,47 metros quadrados de área construída.

Fotos google

Os cem anos de Rachel de Queiroz comemorados no Senado. Artigo de Edmilson Caminha sobre Rachel de Queiroz. Leia mais na pág. 10


Espaço Luciano Barreira Quero agradecer a todos pelos e-mails educacionais que recebi

Edi t o r i a l

A Casa do Ceará vem travando uma batalha campal com a CAESB e com a CEB, relativa ao fornecimento de água e de energia elétrica. Ao longo do tempo, e durante mais de 40 anos, o relacionamento foi amistoso e sem traumas. Nos últimos anos, começaram as retaliações, por força de dificuldades da Casa de arcar com os pesados ônus dos serviços. No caso da água, é preciso que se reconheça – e o fazemos – que a rede tinha muitos furos e isto implicava em perda de água. Temos procurado as direções das duas empresas para acertar o passo. Não queremos anistia nem perdão, mas consideração e justiça com a história da Casa. Temos também travado uma queda de braço com a Agência de Fiscalização que, de uma hora para outra, exigiu alvará para cada uma das edificações da Casa, sem levar em conta que durante muito tempo em Brasília não se pedia nem exigia alvará nem para funcionamento dos ministérios, do Buriti, dos Palácios, da Catedral, do Santuário dom Bosco e de outros equipamentos e edifícios. Se os setores públicos são tão exigentes com a Casa, nós também lamentamos como estamos sendo tratados para aprovar o Projeto Fausto Nilo, cujo contrato de elaboração com o governo do Ceará já teve o prazo prorrogado três vezes, porque os órgãos locais fazem exigências a cada tempo de jogo. São fatos que explicam porque fecharam todas as casas dos demais estados... Inacio de Almeida (Baturité), diretor Expediente

Fundada em 15 de outubro de 1963 Fundadores – Chrysantho Moreira da Rocha (Fortaleza) e Álvaro Lins Cavalcante (Pedra Branca) Diretoria Presidente - Fernando César Moreira Mesquita (Fortaleza): Luiz Gonzaga de Assis (Limoeiro do Norte), 1º vice; Nasion de Melo Ferreira (Fortaleza), 2º vice; Osmar Alves de Melo (Iguatú), Administração e Finança; José Sampaio de Lacerda Junior (Fortaleza), Planejamento e Orçamento; Regina Stela Stuart Quintas (Fortaleza), Educação e Cultura; Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Saúde; JB Serra e Gurgel (Acopiara), Comunicação Social, Angela Maria Barbosa Parente (Fortaleza), Obras, Maria de Jesus Martins Monteiro (Boa Viagem), de Promoção Social, e João Rodrigues Neto (Independência), Jurídico. Conselho Fiscal Membros efetivos: José Ribamar Oliveira Madeira (Uruburetama), Evandro Pedro Pinto (Fortaleza) e José Carlos Carvalho ( Itapipoca); Membros suplentes: Ciro Barreira Furtado (Baturité), José Colombo de Souza Filho (Fortaleza) e José Aldemir Holanda (Baixio). Jornal da Casa do Ceará Fundador e Editor Emérito - Luciano Barreira (Quixadá) Conselho Editorial Ary Cunha (Fortaleza), Carlos Pontes (Nova Russas), Edmilson Caminha (Fortaleza), Egidio Serpa (Fortaleza), Frota Neto (Ipueiras), Geraldo Vasconcelos (Tianguá), Gervásio de Paula (Fortaleza), Haroldo Hollanda (Fortaleza), Jorge Cartaxo (Crato), J. Alcides (Juazeiro do Norte), José Jézer de Oliveira (Crato), Lustosa da Costa (Sobral), Marcondes Sampaio (Uruburetama), Milano Lopes (Fortaleza), Narcélio Lima Verde (Fortaleza), Orlando Mota (Fortaleza), Paulo Cabral Jr. (Fortaleza), Raimunda Ceará Serra Azul (Uruburetama), Roberto Aurélio Lustosa da Costa (Sobral) e Tarcisio Hollanda (Fortaleza). Diretor Inacio de Almeida (Baturité) Editores JB Serra e Gurgel (Acopiara) e Wilson Ibiapina (Ibiapina) Gurgel@cruiser.com.br / wilsonibiapina@globo.com Editoração Eletrônica Casa do Ceará Distribuição Cecília Melo Circulação O jornal não se responsabiliza por textos assinados. Banco de dados com apoio da ANASPS - Brasília – DF - Tel (61) 3533-3800 casadoceara@casadoceara.org.br / www.casadoceara.org.br

Novembro/10

2

Graças a eles: Eu não abro mais a porta do banheiro sem usar uma toalha de papel nas mãos; não bebo mais refrigerante com rodelas de limão ou laranja sem me preocupar com as milhares de bactérias na casca; Eu não consigo mais usar o controle remoto em quartos de hotel porque não sei o que a última pessoa estava fazendo enquanto navegava nos canais adultos; Eu tenho dificuldade em apertar a mão de alguémque estava dirigindo porque o passatempo predileto de alguém dirigindo é cutucar o nariz; Eu não consigo pegar numa bolsa de mulher com medo que ela a tenha colocado no chão de um banheiro público; Eu tenho que mandar um agradecimento especial para quem me mandou uma mensagem falando do cocô de rato na cola de envelopes porque agora eu uso uma esponja úmida para cada envelope que precisa ser selado.. Pela mesma razão, escovo vigorosamente cada latinha antes de abri-la; Eu não tenho mais economias porque dei para uma menina doente (Penny Brown) que está para morrer pela 1.387.258 vez. Eu não tenho mais dinheiro, mas isto vai mudar quando eu receber os 15.000 dólares que o Bill Gates/Microsoft e AOL vão me mandar por participar no programa especial de e-mail. Eu não me preocupo mais com minha alma porque eu tenho 363.214 anjos olhando por mim, e a novena de Santa Theresa atendeu a todos os meus desejos. Eu não posso mais beber um drink num bar porque posso acordar numa banheira cheia de gelo sem meus rins. Eu não posso mais usar desodorantes, cancerígenos, mesmo fedendo como um búfalo num dia quente. GRAÇAS A VOCÊS aprendi que minhas preces só serão atendidas se eu enviar um email para 7 dos meus amigos e fizer um desejo em 5 minutos. GRAÇAS À SUA PREOCUPAÇÃO eu não bebo mais Coca Cola porque ela é capaz de remover manchas em privadas. Eu não abasteço mais o carro sem ter alguém vigiando o carro para que um serial killer não entre no banco de trás enquanto eu estou abastecendo.

Eu não bebo mais Pepsi ou Fanta porque as pessoas que produzem esses produtos são ateístas e se recusaram a colocar nas latinhas “Feito por Deus”. E OBRIGADA POR ME AVISAR que eu não posso esquentar um copo de água no microondas porque pode estourar na minha cara.... e me desfigurar para a vida inteira. Eu não vou mais ao cinema porque me disseram que eu posso ser picada por um alfinete infectado com AIDS, quando eu sentar. Eu não vou mais a shopping centers porque alguém pode me drogar com uma amostra de perfume e me roubar. Eu não recebo mais pacotes da UPS ou FedEx porque na realidade os entregadores são agentes disfarçados da Al Qaeda. E eu não atendo mais telefones porque alguém vai me pedir que disque um número pelo qual eu vou receber uma conta com chamadas para a Jamaica, Uganda, Singapura e Uzbekistan. GRAÇAS A VOCÊ eu não uso outra privada que não a minha porque uma enorme cobra preta pode estar escondida dentro da privada e me matar, instantaneamente, quando picar minha bunda. E GRAÇAS AO SEU ÓTIMO CONSELHO eu não me abaixo mais para pegar uma moeda caída no chão do estacionamento porque provavelmente foi colocada lá por um tarado sexual que estará esperando prá me agarrar por trás quando eu me abaixar... Eu não dirijo mais meu carro porque comprando gasolina de algumas empresas, estou apoiando a Al Qaeda e se comprar das outras companhias, estou apoiando os ditadores sul-americanos. Eu não mexo mais no meu jardim porque tenho medo de ser picado pela aranha madeira e minha mão vai cair. Ah... E estou guardando a escova de dentes no meu quarto, por causa das bactérias do banheiro. Se você não mandar este e-mail para pelo menos 144.000 pessoas nos próximos 70 minutos, uma pomba grande, com

diarréia, vai pousar em sua cabeça às 17:00horas ,amanhã, e as moscas de 120 camelos vão infestar suas costas, causando o crescimento de uma enorme corcunda cabeluda. Eu sei que isto vai acontecer porque aconteceu com a cabelereira da melhor amiga do segundo marido da prima da sogra de minha vizinha.... Ah, e a propósito... Um cientista alemão da Argentina descobriu, após um longo estudo, que pessoas com pouca atividade cerebral leem seus emails com a mão sobre o mouse. Não se preocupe em tirá-la. É tarde demais!

Conversando com o Leitor + Estamos com links para 33 prefeituras do Ceará e solicitamos que os senhores prefeitos façam o mesmo colocando nas suas páginas links para a Casa do Ceará em Brasília WWW.casadoceara.org.br. São elas: Acopiara, Aquiraz, Aracati, Aurora, Barbalha,Boa Viagem, Canindé, Caucaia, Crateús, Crato, Eusébio, Horizonte, Fortim, Guaramiranga, Iguatu, Ipu, Ipueiras, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Lavras da Mangabeira, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Mombaça, Quixadá, Quixeramobim, Paracuru, Pedra Branca, Russas, Santana do Acaraú, Sobral, Tauá e Ubajara. + A auditoria de audiência do site da Casa do Ceará no mês de outubro revelou que tivemos 3.562 de 18 países. + Países de onde acessaram nosso site: Estados Unidos, Portugal, Espanha, Suiça, Uruguai, Chile, Holanda e Argentina. + No Brasil, tivemos 3,521 visitas de 70 cidades. As dez mais: Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Goiânia, Curitiba, Salvador, Sobral e Recife. + Outro site da Casa do Ceará que causou grande impacto foi o relacionado com o projeto Brasília 50 anos de Ceará, www.Brasília50anosdeceara.com.br, que teve até o fechamento desta edição 1.680 acessos. O site é rico em fotos e informação e os 150 homenageados tiveram direito a publicar três fotos. Muitos não colaboraram, mas a maioria colaborou.

veja o site do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br

A Casa do Ceará informa que fará um CD com todo o material do site para ser comercializado. + A Diretoria da Casa do Ceará conseguiu nova prorrogação para o convenio com o governo do Ceará para conclusão do Projeto Fausto Nilo. Lamentavelmente nesta transição do governo do Distrito Federal, a Casa acabou sendo prejudicada por sucessivas exigências e larga demora nas respostas. + Solicitamos aos que recebem este jornal que ao seu mudarem comunique À Casa do Ceará por carta ou por email. Temos tido devoluções mensais com ônus para a Casa. + A Casa fez remessa de 200 livros Brasília 50 anos de Ceará para as principais autoridades públicas do Ceará. + O relatório de auditoria do site Brasília50anosdeceara. com.br revelou que tivemos em outubro 592 visitas auditadas de 30 cidades, com 51,69% de novas visitas e tempo médio de 00:03:52. Brasília liderou as visitas com 283, seguindo-se Fortaleza com 106, Rio de Janeiro, 65, São Paulo, 41, Niteroi, 26, Belo Horizonte, 11, Sobral, 7, Maceió e Goiânia, com seis Santa Maria (RS), Porto Alegre e Salvador, com quatro, Teresina, Recife e João Pessoa, com duas. + O ministro dos Portos, Pedro Brito(Fortaleza), lançou “Muito a Navegar. Uma Análise Logística dos Portos Brasileiros”, em 17.11 no Iguatemi Brasília, com renda revertida para o Instituto do Câncer do Ceará.

Ceará em Brasília


SAMBURÁ - Praça do Ferreira Ouro para Fátima Fátima Catunda, secretária de Trabalho e Desenvolvimento Social, conquistou da Medalha de Ouro na Agenda de Gestão. Sua pasta contribuiu para a melhoria da gestão na área do Governo. Juazeiro na telinha O Carnaval do RG, maior festa popular do mundo, com transmissão internacional pela televisão para mais de 150 países, em 2011 fará homenagem especial ao centenário de Juazeiro do Norte que será o tema do samba-enredo do GrêmioRecreativo Escola de Samba Tradição no desfile do Sambódromo em 2011. O enredo “Juazeiro do Norte, terra de oração e trabalho. 100 anos de Fé, Poder e Tradição”. O tema receberá o apoio do Governo Municipal do Juazeiro. Roberto Smith Movimentação em Fortaleza para a permanência de Roberto Smith na presidência do BNB. Sua administração é considerada limpa. Os resultados alcançados foram excelentes. O governador Cid Gomes é favorável. Novo presidente da Faec Do presidente da Federação da Agricultura do Ceará (Faec), José Ramos Torres de Melo, ao proclamar a eleição do seu sucessor, Flávio Sabóia: “Chegou o momento de sair! O Flávio e os sindicatos precisam conviver com os novos governantes com a coragem suficiente de criticar na hora certa”. Torres de Melo deixará a Faec após uma gestão de 21 anos. Farmácias com perfume francês Registrou Egidio Serpa, na sua coluna no Diário do Nordeste: “Novidade na praça: as lojas Pague Menos - maior rede de farmácias do Brasil, com pontos de venda em todas as capitais e grandes cidades do País - decidiu comercializar perfumes e sabonetes franceses. Os produtos da famosa Roger & Gallet, até ontem exclusividade de perfumarias, já estão nas gôndolas das Pague Menos, que também vendem” Juazeiro espera por Dilma Publicou o site Juanorte, do J.Alcides: “Entre os 3.288.570 eleitores do Ceará que elegeram Dilma Rousseff-PT40º Presidente do Brasil, estão 142.731 do triângulo caririense JUABC (Juazeiro, Barbalha e Crato), maior colégio eleitoral do interior do Estado. Dilma recebeu 76.051 votos no Juazeiro, 47.870 em Crato e 18.810 votos em Barbalha. Em resumo, 71% dos votos dos 278.365 das três principais cidades do Cariri. Por isso, é dever da primeira presidente do Brasil retribuir essa expressiva votação garantindo altos investimentos federais em educação, saúde, segurança, saneamento básico e transportes, essenciais ao desenvolvimento do JUABC e do Cariri”. 90 anos de Dedé de Castro Gervásio de Paula contribuiu para que os 90 anos de Dedé de Castro fossem lembrados pelos amigos, ao descobrir e repassar o telefone deste que é uma legenda no jornalismo no Ceará.

Ceará em Brasília

Eliene Bastos O ministro aposentado do STJ, Cláudio Santos, está transbordando de alegria e orgulho. A mulher dele e colega de escritório Eliene Bastos, é a mais nova Mestre em Direito Civil Comparado, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Eliene apresentou sua dissertação de mestrado dia 26.10, na PUC/SP, com o título Participação Societária e Partilha de Bens no Casamento e na União Estável.  A sua Banca que aprovou seu trabalho foi composta pela Profa. Maria Helena Diniz (presidente), bem como pelos Profs. Maria Helena Braceiro Daneluzzi e José Rulli Neto. Sinduscon O engenheiro e empresário Roberto Sérgio Ferreira, que conquistou o 4º mandato no Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará, dá os números: as 410 empresas filiadas ao Sinduscon empregam 40 mil pessoas, somente na Região Metropolitana de Fortaleza, respondem por 14% do PIB do Estado, que, por sua vez, equivale a 1,8% do PIB naciona, movimenta neste ano, R$ 58 bilhões. Sua meta: implantar a Uniconstruir - a Universidade Corporativa da Construção, em parceria com a Unifor e a UFC

Marechal do Ar Casimiro Montenegro O embaixador Jerônimo Moscardo de Souza distribuindo o livro biográfico do marechal do ar cearense, Casimiro Montenegro (Fortaleza), que criou o Correio Aéreo Nacional-CAN , o Instituto Tecnológico da Aeronáutica-ITA e o Centro Tecnológico da Aeronáutica-CTA, em São José dos Campos, seguindo o modelo do MIT de Massachussets, nos Estados Unidos. Montenegro começou sua carreira militar bombardeando os revoltosos da revolução de 30 em Minas Gerais e São Paulo. A versão inglesa do livro escrito por Fernando Morais, em 2006, a convite da Fundação Alexandre de Gusmão, do Itamaraty, traduzida por Graham Howells, leva o título: “Montenegro. A Brazilian Airman Foresees the Future”. Em campanha Ex-deputada Tânia Gurgel já está como candidata a vereadora por Fortaleza. Inacio Arruda O senador Inacio Arruda (Fortaleza) foi um dos solicitantes da sessão solene do Senado Federal que homenageou a Rachel de Queiroz no seu centenário. Leia mais na pág. 10.

Luizianne A presença em destaque da prefeita Luizianne Lins, durante o primeiro pronunciamento de Dilma Rousseff, como presidente eleita, gerou especulações em Brasília de um convite para Luizianne Lins assumir uma das pastas no primeiro escalão do novo Governo Federal. O provável convite justificaria tamanha apreensão na eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Fortaleza, dia 15 de dezembro próximo, diante da possibilidade do presidente do Legislativo Municipal vir a administrar Fortaleza, pelo biênio 2011-2012, já que o atual vice-prefeito, Tin Gomes, deverá ocupar cadeira na Assembleia Legislativa, após eleito deputado estadual, em 3 de outubro último.

Universidade de Iguatu Osmar Alves de Melo (Iguatu) a propósito de nota aqui publicada sobre a criação do campus da UFC em Iguatu, revelou que a conversa do senador Eunicio Oliveira com o vice presidente Michel Temer voltou-se para a criação da Universidade Federal do Centro Sul do Ceará, com sede em Iguatu.

Desembargador O governador Cid Gomes nomeou o procurador de justiça Paulo Francisco Banhos Ponte para a vaga de desembargador do Tribunal de Justiça, do quinto constitucional destinada ao Ministério Público Estadual. Cid havia recebido a lista tríplice, no último dia 10, do presidente do TJ, Ernani Barreira.

Mancada Atenção macacada da Avenida Beira Mar. Cuidado nas ações para atrair turistas. Publicou Ancelmo Gois, na sua coluna, em O GLOBO, de 09.11: “Sleeve” é o cacete: “Acredite. Um bar à beira da praia em Fortaleza fez um cardápio bilíngue dos sucos da casa. Mas, na tradução de suco de manga, está lá: “sleeve juice”! Em português, “sleeve” é manga, mas...de camisa.! A boa fruta, no idioma de Obama, é “mango”.

Palestra Tudo acertado: Fernando César Mesquita, Frota Neto e Humberto Barreto, os três cearenses ex-secretários de Imprensa da Presidência da República, aceitaram convite de Ayrton Queiroz e darão palestra em fevereiro de 2011 na Unifor, em Fortaleza. Os três estão no livro elaborado pela Presidência da República com os porta-vozes dos Presidentes. Que se prontificaram a falar sobre suas intervenções no Planalto.

Candidato Com sua proverbial discrição com a calma dos que sabem esperar sua vez, o senador Eunicio Oliveira articula-se para chegar à presidência do Senado ou do PMDB. Não tem essa de oferecer a presidência do Senado a Aécio Neves. O PMDB tem a maior bancada no Senado e fará o presidente.

Cabo Frio A rede de Farmácias Pague Menos chegou a Cabo Frio, no Rio de Janeiro, instalando-se no sitio histórico ao lado da Igreja de Nossa Senhora da Assunção, na Rua Teixeira de Freitas, no Centrão.

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

3

Novembro/10


Desembargador Lincoln é cidadão de Fortaleza

Na noite de sexta-feira, 24, a Terra da Luz recebeu mais um filho pelas mãos da Câmara Municipal de Fortaleza. O Legislativo concedeu o Título de Cidadão de Fortaleza ao desembargador Francisco Lincoln Araújo e Silva. A homenagem, proposta pela vereadora Verônica Gurgel (PP), prestigiou o trabalho do magistrado junto ao Judiciário em prol da sociedade. Para Verônica Gurgel a comenda faz um reconhecimento da trajetória de luta de Lincoln por uma sociedade mais justa. “Como vereadora estou aqui com muita honra e seriedade passando o compromisso (com Fortaleza) ao mais novo cidadão fortalezense”, colocou. A parlamentar enfatizou ainda o grande exemplo que Lincoln foi em sua vida, tendo acompanhado de perto o primo no exercício da justiça e da cidadania. Ele destacou os diversos períodos vivenciados na Capital, como a ditadura, as passeatas estudantis e o crescimento da Terra da Luz. “Foi assim que te conheci e que te amei, Fortaleza. E em toda a minha vida procurei manter um comportamento de amor à democracia e ao direito, porque sempre entendi que a paz é fruto da justiça”. A solenidade contou com a presença do vereador Dr. Ciro (PTC); do desembargador José Arísio Lopes da Costa; da procuradora de justiça Maria Cleuca Pinheiro Viana Martins; do corregedor Geral de Justiça, desembargador João Biron Frota; e da desembargadora Sérgia Miranda.

Primeiro hotel internacional do Aquiraz Riviera abre em Dezembro

O Dom Pedro Laguna Beach Villas, Golf & SPA Resort, de bandeira portuguesa, alicerce do complexo turístico Aquiraz Riviera e primeiro hotel internacional da cadeia, será inaugurado dia 17.12. O Aquiraz Riviera é um empreendimento de lazer único no Ceará, Brasil. Está situado na região metropolitana de Fortaleza, a 35 km do Aeroporto Internacional da capital cearense. O complexo turístico conta com o primeiro campo de Golf do Estado do Ceará. O Aquiraz Riviera é o maior empreendimento turístico de padrão internacional do Brasil, com valor de mercado estimado em US$ 350 milhões. Trata-se de empreendimento desenvolvido pelo Consórcio Luso-Brasileiro Aquiraz Empreendimentos Turísticos S/A, composto pelo empresário cearense Ivens Dias Branco e pelos portugueses Ceará Investment Fund — Fundo Imobiliário, Grupo Hoteleiro Dom Pedro e Solverde.

Cumbuco: um novo padrão em hotelaria no Ceará

O governador Cid Gomes e o secretário do Turismo, Bismarck Maia, participaram do lançamento oficial do Hotel Vila Galé Cumbuco, considerado o primeiro resort de padrão internacional no Ceará, na Praia de Cumbuco, a 41 km de Fortaleza. O empreendimento é de capital português,do grupo Vila Galé. Durante as obras, foram empregados cerca de 800 pessoas. Após conclusão o resort deverá gerar 300 empregos diretos e 900 indiretos. O empreendimento localiza-se em um espaço de 480 hectares, incluindo campo de golfe com 9 buracos e condomínios com cerca de 1,3 mil apartamentos residenciais turísticos. O empreendimento tem um custo total no valor de R$ 470 milhões. Na construção, apenas do hotel, foram investidos R$ 110 milhões. O empreendimento, considerado de cinco estrelas, possui 465 apartamentos e chalés, distribuídos em uma área de 10 hectares, e têm capacidade para receber 1.200 pessoas por dia. Outro atrativo do hotel será o campo de golfe, que aguarda apenas as licenças ambientais para que seja iniciado. Já o centro de convenções, que terá área coberta de 600 metros quadrados e mais 2 mil metros quadrados de área livre, será disponibilizado para instalação de tendas e realização de eventos diversos com capacidade para 700 pessoas.

Há 38 anos

Novembro/10

4

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


Copa 2014: Reforma do Castelão será concluída em dezembro de 2012 O consórcio Arena Multiuso Castelão, formado pelas empresas Galvão Engenharia S/A, Serveng Civilsan S/A e BWA Tecnologia de Informação LTDA, foi declarado vencedor da licitação destinada à Reforma, Ampliação, Adequação, Operação e Manutenção do Estádio Plácido Aderaldo Castelo (Castelão), com nota final de 97,00 pontos. O resultado foi divulgado em 29.10, durante sessão pública da Procuradoria Geral do Estado do Ceará. A obra prevê ainda a construção, operação e manutenção do Edifício-Sede da Secretaria do Esporte do Estado do Ceará (Sesporte) e do estacionamento em subsolo de veículos, conforme orientações da FIFA. Após a divulgação do resultado, o Secretário do Esporte do Estado,Ferruccio Feitosa assinou a homologação da licitação, que foi encaminhada para publicação no Diário Oficial. Na próxima quarta-feira (03), Ferruccio Feitosa se reunirá com a empresa vencedora para definir a constituição das garantias e a criação da Sociedade de Propósito Específico (SPE), conforme exige a Lei Federal 11.079 de 30 de dezembro de 2004 para a assinatura do contrato. Durante a reunião, será definido também o cronograma de execução das etapas da obra para garantir a conclusão até dezembro de 2012. A previsão é de que as obras  de ampliação e adequação do estádio de acordo com o caderno de encargos exigido pela FIFA sejam iniciadas ainda no ano de 2010. Ainda conforme o resultado divulgado pela PGE, o segundo lugar ficou com o Consórcio Marquise-EIT-CVS, formado pela construtora Marquise S/A, EIT Empresa Industrial Técnica S/A e CVS Construtora S/A, com nota final de 96,188 pontos. Em terceiro lugar, com nota final de 74,212 pontos, ficou o consórcio Novo Castelão, fomardo pelas empresas Carioca Christiani Nielsen Engenharia S/A, Somague Engenharia S/A, Construtora Queiroz Galvão S/A e Fujita Engenharia LTDA. A empresa Odebrecht Serviços de Engenharia e Construção S/A ficou em quarto lugar, com 62,496 pontos.

Ceará em Brasília

Ceará na Copa Das quatro capitais nordestinas escolhidas como sedes do mundial, Fortaleza será a única do Nordeste com capacidade para sediar uma semifinal, já que a arena cearense terá capacidade para 66.700 espectadores, quando o exigido pela Fifa é de 60 mil pessoas. Em relatório oficial, a FIFA afirmou que o projeto do Castelão estará apto para este fim, tendo em vista o detalhamento dos espaços descritos e a qualificação das áreas, especialmente de atletas, hospitalidade, VIP e imprensa. Detalhes do projeto Entre as melhorias que serão realizadas no estádio Castelão para receber os jogos da Copa do Mundo FIFA Brasil

de 2014 está a ampliação da capacidade de público de 59 mil para 66.700 mil lugares, colocando Fortaleza como a única do Nordeste com capacidade para sediar uma semifinal, já que o exigido pela Fifa é de 60 mil pessoas. Em relatório oficial, a FIFA afirmou que o projeto do Castelão está apto para este fim, tendo em vista o detalhamento dos espaços descritos e a qualificação das áreas, especialmente de atletas, hospitalidade, VIP e imprensa. Outro ponto do projeto é a aproximação da área que separa o acesso dos torcedores sentados nas cadeiras in-

feriores do gramado. Com a reforma, essa distância cairá dos atuais 40 para 21 metros. Também serão realizadas mudanças nas cabines de imprensa, camarotes, vestiários, túneis de acesso ao campo, e nas cadeiras do estádio, que serão retráteis, entre outros pontos. Além disso, o estádio contará com um novo estacionamento para 1750 veículos. O estádio receberá também uma nova coberta que protegerá 100% dos torcedores de sol e chuva e irá ajudar substancialmente a qualidade da imagem das transmissões televisivas. Além disso, serão construídos um restaurante, mídia center, área de hospitalidade, lounge e área VIP. Todas as mudanças atendem às exigências do caderno de encargos da FIFA. Como diferencial aos demais, o projeto do Castelão traz o uso de energia limpa com a instalação de duas turbinas eólicas e a implantação de banda larga, suprimento de 22 MVA (Megavoltampere) de carga no estádio e no entorno, onde o Governo estima investir R$ 41,7 milhões Segundo Jorge Valença, diretor comercial da Galvão Engenharia, o cronograma de execução será elaborado “de trás para frente”. “Estamos programando o calendário da obra priorizando o prazo final de entrega”, explica. Dessa forma, a obra será iniciada com as demolições necessárias, conforme será indicado no projeto executivo, e pela retirada da cobertura metálica do Castelão, que ganhará uma nova estrutura cobrindo 100% da arquibancada. Para acompanhar todo o processo, serão realizadas reuniões semanais onde a Secretaria do Esporte do Estado, juntamente com outras secretarias vinculadas ao projeto, acompanhará de perto o andamento do processo junto ao consórcio Arena Multiuso Castelão, composto pelas empresas Galvão Engenharia S/A, Serveng Civilsan S/A e BWA Tecnologia de Informação LTDA. Com os recursos financeiros 100% assegurados pelo BNDES e Tesouro Estadual, a obra do estádio está orçada em R$ 452 milhões.

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

5

Novembro/10


Documento Orlando Campos (*)

Pelos caminhos de Camocim

Alguns meses atrás forneci material ao meu querido amigo Wilson Ibiapina que ele utilizou para fazer uma bela matéria sobre .o pouso no ano de 1931 de um avião Dornier DOX, obra prima da indústria aeronáutica alemã, no leito do rio Coreaú em Camocim no Ceará, As informações que eu tinha sobre esse fato, e que repassei ao Ibiapina, as obtive em muitas viagens que eu fiz a região no final da decada 80 do século passado. Brasília, Lendo essa reportagem, publicada pelo jornal “Ceará em Brasília”, tive um momento de nostalgia ao lembrar daqueles tempos em que eu, paulista de quatro costados ,fui transferido pela empresa em que trabalhava para Fortaleza, com área de responsabilidade comercial sobre os estados do Ceará, RN, PI e, MA para a colocação de produtos siderúrgicos. Eu que não me dava bem com o calor excessivo, como que conseguiria sobreviver naquelas paragens tórridas ?. Mas como não tinha outro jeito, lá vou eu. Acabei gostando e muito de toda a região, particularmente o Ceará, com a linda Fortaleza e também do interior, que jamais pensei que um dia fosse conhecer e para onde fiz muitas viagens das quais muito me lembro, particularmente dos caminhos de Camocim, palco da pouso do Dornier DOX , que na verdade estava mais para um navio voador pelo tamanho incomum para a época e pelos seus nada menos que doze motores. Saia de Fortaleza para Camocim, no carro do Paulo Clouseau, que tinha esse apelido carinhoso pelas trapalhadas que as vezes protagonizava, lembrando o personagem de Peter Sellers em A Pantera Cor de Rosa, mas que, à parte disso, era um emérito profissional, vendedor de mão cheia. Eu como responsável comercial pela região, gostava de conhecer todos os clientes, grandes, médios e pequenos como os que caracterizavam o interior do Ceará. Era importante saber o que eles achavam da qualidade de nossos produtos e também do atendimento que recebiam nas diversas faces que o ligavam à empresa. Passávamos por Itapagé e suas pinhas e chegávamos a Sobral, uma das mais importantes cidades do interior do Ceará – hoje mais do que nunca.Eram muito boas as conversas com clientes como o Atualpa Parente, o Edvar e o Antonio Carlos, sempre vigiado pela esposa. O calor durante o dia era de matar paulista, mas à noite era muito agradável esvaziar algumas garrafas de cerveja lá no Beco do Cotovelo, onde o visual de meninas bonitas, estudantes na sua maioria, vindas de várias cidades da região amenizava as agruras do clima. Dia seguinte , saíamos cedo passando por Aprazível atingíamos a Rodovia CE 304, e tomávamos a direção do litoral. Logo surgia o Rio Coreaú na cidade do mesmo nome, depois Moraújo, Campanário e Granja. Esta já era uma cidade de mais tradição, com mais de 200 anos, possuindo alguns interessantes edifícios como a Câmara Municipal ,o Mercado Público a Estação Ferroviária e a imponente ponte metálica sobre o Rio Coreaú todos com mais de 100 anos. A Igreja Matriz data da criação do município há mais de 200 anos. Naquele ano de 1989 havia lido numa coluna social de jornal, parece- me que na do Lúcio Brasileiro, que para a posse do prefeito da cidade , Esmerino Arruda, que fora suplente de senador, foi recomendado o uso de smoking, para espanto até mesmo dos sobralenses, muito conhecidos pelos seus hábitos cosmopolitas. Fiquei com mais calor ainda só de imaginar traje a rigor naquele caldeirão, De lá, sem parar em Camocim, seguíamos direto para Bitupitá, povoado de pescadores que surpreendia os executivos de vendas da empresa, até de outros estados, pela quantidade incomum de arame galvanizado que consumiam. A explicação e´que eles eram utilizados na confecção de currais de peixe, armadilhas para a captura de pescados. E como tinha peixe por lá. No cami-

Novembro/10

6

nho, até Barroquinha ainda havia uma estrada de piçarra, mas dali para frente era por uma trilha ou mesmo pela praia. O gratificante é que em casas ou restaurantes muito simples, comiam- se maravilhosos pratos de peixes como o pargo, arabaiana, camurupim, etc, e oferecidos por moradores ou, quando se conseguia pagar, a preço de banana Na volta passávamos por Camocim e eu não me cansava de admirar a velha estação ferroviária, bem em frente a loja do Hindemburgo Aguiar , um grande papo. Imaginava como era a cidade nos tempos áureos do trem e também dos aviões que desciam no rio Coreaú. O Murilo Aguiar era um doublê de comerciante e político, pois foi prefeito da cidade e tinha grande projeção regional. Grande figura também era o Fernando Trévia que emprestava o seu nome ao estádio de futebol da cidade, palco de renhidas pugnas envolvendo equipes locais e das cidades vizinhas. Com mais de 80 anos Fernando dirigia a sua caminhonete para compras em Fortaleza , indo e retornando às vezes no mesmo dia, não obstante a os quase 400 km de distância, parte em estradas de terra. Os hotéis da cidade, à época, eram muito simples, mas o atendimento era muito bom e só era preciso algum cuidado com um personagem sinistro chamado potó, insidioso inseto voador que soltava um líquido que atingia as suas vítimas, preferencialmente no pescoço, causando queimaduras cujos sinais permaneciam por vários dias. Era o terror das moçoilas vaidosas, mas também de todo o mundo, pois ninguém queria ser atingido pelo tiro certo do bicho, que eu vim a conhecer nessas viagens pelo Ceará. Mas Camocim tinha ainda outra grande e surpreendente atração representada pelo restaurante do João do Algodão, cujos pratos de camarões, lagostas e frutos do mar em geral se igualavam em sabor e qualidade com as melhores casa de pasto que existiam em Fortaleza naquela época e com uma grande vantagem, os preços, muito mais baratos. Em 1993, mudei- me do Nordeste. Baseado que estava em Recife fui transferido para Brasília para novos desafios. De lá para cá, voltei muitas vezes ao Ceará, mais para Fortaleza, algumas vezes para o interior, mas nunca mais para esses caminhos de Camocim. Em resposta à reportagem do Diário do Nordeste sobre o DOX, um concunhado do Hindemburgue, que nela fora citado, residente em Brasília, entre outras observações informava que ele falecera em 2006. Do Fernando Trévia nunca mais ouvi falar. Se ainda estiver entre nós, terá passado dos 100 anos ,sendo pouco provável que ainda dirija a sua caminhonete até Fortaleza distante 400 km e muito menos indo e voltando no mesmo dia. Mas espero que o seu nome ainda ornamente a entrada do estádio de futebol da cidade e que ele ainda seja palco de disputadíssimas batalhas futebolísticas envolvendo equipes regionais. Passados mais de 20 anos o atual prefeito de Granja é o mesmo daquela minha primeira visita à cidade, não sei se com ou sem “black tié”. Só sei que, parece, estar envolvido em renhidas batalhas políticas com os representantes da oposição com alguns episódios sendo alvos de desdobramentos junto ao Poder Judiciário . O Paulo Clouseau até hoje é meu amigo e continua o seu competente trabalho na capital e no interior do Ceará, alvo da admiração de seus clientes e também dos seus chefes. Eu acabei me acostumando e gostando muito daquelas paragens, na verdade nem tão tórridas. Das muitas coisas que observei nessas viagens nunca mais tive informações sobre o que remanesce daquelas visões, Mas soube que Camocim tem hoje um resort de luxo o que significa que os mais endinheirados podem desfrutar com todo o conforto do Carnaval da cidade, há muitos anos um dos melhores do Ceará. (*) Orlando Campos (São Carlos-SP), casado com cearense do Icó, Maria Socorro Siqueira Gonçalves.

veja o site do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br

Correios investiram só 24% da verba em 2010, diz Planejamento

Números do orçamento dos Correios mostram que a situação continua longe da ideal. Dos R$ 640 milhões previstos para investimentos (execução de obras e compra de equipamentos) este ano, somente R$ 151 milhões foram desembolsados pela ECT até agosto, ou seja, 24% do total. A informação foi divulgada pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest), órgão do Ministério do Planejamento. O salário médio nos Correios são um dos menores entre as estatais. Isso faz com que haja uma rotatividade muito alta na empresa, pois os funcionários de nível superior, por exemplo, passam em outras seleções e deixam a ECT. A quantidade de trabalhadores de serviços postais para um país com essa dimensão é ridícula. Na França, por exemplo, há 300 mil funcionários. No Brasil, só 106 mil”, “A empresa tem de levar correios para o interior do país e parar de pagar aluguel de imóveis de pessoas e empresas ligadas a políticos e construir agências. Os Correios preferem pagar R$ 60 mil por mês do que construir, em um terreno já da empresa, um imóvel de R$ 200, 300 mil, sob a visão de ‘correio mínimo’. Isso gera um rombo de mais de R$ 1 bilhão por ano.

Infraero investiu só 16,5% do orçamento neste ano, diz Planejamento A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, responsável por 67 aeroportos em todo o país, desembolsou, entre janeiro e agosto, apenas R$ 16,5% (R$ 258,6 milhões) de um montante previsto de R$ 1,6 bilhão até dezembro. Obras como a construção de nova torre de controle do Aeroporto Internacional de Salvador (R$ 15 milhões autorizados), a adequação do terminal de passageiros do Aeroporto de Juazeiro do Norte, no Ceará (R$ 26,5 bilhões), a construção do novo terminal de cargas do Aeroporto de Vitória (R$ 25 milhões), a ampliação do terminal de carga do Aeroporto Internacional de Curitiba (R$ 9,5 milhões) e a construção do complexo logístico do Aeroporto Internacional de Porto Alegre (R$ 52 milhões) ainda não receberam nenhum centavo em 2010 Questionada se os aeroportos brasileiros terão capacidade de atender a demanda de usuários a partir de 2011, a Infraero afirma que os terminais têm recebido investimentos para garantir o atendimento com conforto e segurança. De acordo com a assessoria, alguns exemplos desses investimentos são os módulos operacionais de Brasília, instalado e prestes a entrar em operação, Goiânia e Vitória (ambos em instalação).

Nova Unidade de AVC evita 300 mortes e reduz 400 incapacitações

300 mortes evitadas e 400 pacientes livres de sequelas. Esse foi o balanço do primeiro ano de funcionamento da Unidade de AVC do Hospital Geral de Fortaleza, unidade da Secretaria da Saúde do Estado, divulgado em 29.10, Dia Mundial do AVC, pelo secretário da saúde do Estado e pelo diretor da Unidade, João José de Carvalho. Inaugurada no dia 29 de outubro do ano passado, a Unidade de AVC atendeu 1.400 pacientes nos últimos 12 meses. A média de mortes dos pacientes com AVC atendidos no HGF é de 3,2%. Bem menor do que a média dos outros hospitais, que é de 24%. O secretário da saúde do Estado, Arruda Bastos, destacou que o Ceará é o único Estado do país a ter um programa de AVC aprovado pelo Conselho Estadual de Saúde. O Programa de Atenção Integral e Integrada ao AVC no Estado do Ceará inclui, além da Unidade de AVC do HGF, o estudo epidemiológico feito em 19 hospitais da capital e também o sistema de notificação compulsória da doença. Arruda Bastos informou que a estrutura de assistência aos pacientes será ampla e de qualidade, com nove policlínicas, em construção, oferecendo exame de tomografia, e a com a universalização do SAMU.

Ceará em Brasília


Leituras I

Uma cearense de mal com a vida e o carteado que deu merda

Wilson Ibiapina (*) Nos primeiros anos de Brasília as pessoas não tinham muito o que fazer depois do trabalho. A cidade, sem diversão, levava os amigos a formarem grupos nos fins de semana para conversar, dançar, beber ou jogar baralho. O carteado reunia funcionários públicos, jornalistas, profissionais liberais e políticos. Cada fim de semana o jogo era na casa de um deles. O jornalista mineiro Moacir Valadares era um viciado em baralho para desgosto de dona Júlia, mulher dele. Ela detestava os amigos que “levavam o marido para o caminho da perdição, do jogo, do vício” Um dia, quando dona Júlia viajou para visitar uns parentes, Moacir tratou de reunir a turma para um biriba-amigo em seu próprio apartamento. Entre seus convidados estavam colegas jornalistas e até o vice presidente da República, dr. Pedro Aleixo. O jogo corria alegre quando, de repente, a porta da rua é aberta. Dona Júlia adentra à sala, que estava coberta de fumaça de cigarro. Voltara antes da data marcada, pegando o maridão com as cartas nas mãos. Mais surpreso ficou Valadares que, imediatamente, tratou de apresentar os amigos, antes que a mulher fizesse um escândalo. Este é o fulano, aquele o cicrano, e dona Júlia ficando vermelha. E Valadares, lançando mão de seu último argumento, apresenta o que ele imagina o álibi perfeito:

“- E aqui, minha querida, o dr. Pedro Aleixo, o vice-presidente da República”. -“vice-presidente coisa nenhuma. Esse aí não passa de um salafrário igualzinho aos outros.... Essa história brasiliense faz lembrar uma outra passada no Ceará, onde uma senhora pregou uma peça no marido e em seus convidados de jogo.Uma história inacreditável tirada das memórias de Pedro Nava, mineiro de Juiz de Fora que teve pai, avó paterna e avô materno nascidos no Ceará. Era sobrinho do escritor cearense Antônio Sales. Pedro Nava foi batizado na capela da Santa Casa de Misericórdia. A história é contada no livro “Em busca do tempo vivido”, que Edmilson Caminha escreveu para comemorar o centenário do nascimento de Pedro Nava. A mulher, pivor desse episódio, quando soube que o marido ia fazer um joguinho em casa, teve uma reação maluca, indignada, cheia de maldade, quase cruel. Na verdade, tratava-se de uma verdadeira cascavel que destilava veneno pelos poros. Sua raiva do mundo parece que começava pelos pais que a batizaram com o nome de Irifila. O nome do marido não ficava atrás: Iclirérico Narbal Pamplona. Devia ser outro motivo de sua ira do mundo. Edmilson Caminha diz que o próprio Pedro Nava descreveu a tia assim: “Era baixota, atarracada, horrenda, permanentemente irritada – de alma amarga e boca desagradável. Diante dos magros, seu assunto era magreza. Dos gordos, as banhas”. Ele conta que dona

Irifila era inimiga de tudo que favorece a fantasia e torna a vida suportável. Era contra os namoros, contra o riso, contras as festas, contra o jogo. Não gostava de receber e, quando era obrigada a isso, fazia com grosseria. O escritor Edmilson Caminha diz que essa senhora era o verdadeiro “desmentido em carne e osso da tão decantada cordialidade cearense”. Pois o coitado do Iclirérico, o marido, um dia teve a coragem de levar uns amigos para uma partida de baralho em sua casa que deveria terminar com um jantar. A vingança da jararaca foi maligna. Veja só como tudo acabou segundo as palavras do Edmilson Caminha: “Finda a ceia, àquela noite com a presença do Visconde de Ouro Preto, dona Irifila apressou-se em servir a sobremesa: vinhos, licores, doces e chocolates, tudo do mais fino bom gosto. E no meio da maior bandeja, a mais alta compoteira com o doce do dia – aparecendo todo escuro e lustroso, através das facetas do cristal grosso, de um pardo saboroso como o da banana mole, da pasta de caju, do colchão de passas com ameixas pretas, do cascão de goiaba com rapadura. O marido, mal se contendo de desejo, destampou a compoteira, ante o olhar guloso do visconde: estava cheia , até à borda, de fezes. (*) José Wilson Ibiapina (Ibiapina), jornalista

www.construtoramarquise.com.br

A Marquise é a construtora do ano.

E para muitas famílias, a mudança de uma vida.

Mais do que erguer prédios, trabalhamos para transformar a rotina dos nossos clientes em uma emoção diferente a cada dia. O título de Construtora

Ceará em Brasília

do Ano, concedido pelo Sinduscon/CE, é fruto do empreendedorismo que, há 35 anos, nos leva a fazer parte da vida de tanta gente.

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

construtora do ano

7

Novembro/10


Novembro/10

8

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


Primeiro trem do Metrô de Fortaleza está no Centro de Manutenção para testes Após ser pré-montado no Porto do Pecém, o primeiro dos dois trens unidades elétricas (TUEs) comprados na Itália para operar no Metrô de Fortaleza já está no Centro de Manutenção, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza. A viagem do Porto até o Centro levou mais de sete horas e só encerrou na noite da última quinta-feira (4). O segundo TUE ainda permanece no Porto onde está sendo montado para realizar o mesmo percurso. Os dois TUEs chegaram ao Ceará em agosto. Os equipamentos fazem parte de um conjunto de 20 composições, que formarão 10 carros de 80 metros. O valor do investimento na compra dos trens foi de R$ 240 milhões. No Centro de Manutenção, os dois TUEs terão sua montagem finalizada e passarão por testes estáticos, onde será aferido o funcionamento de todos os sistemas, como os de comunicação com os passageiros, de ar-condicionado e de eletricidade. Concluída essa etapa, terão início os testes dinâmicos. O presidente da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos, Rômulo Fortes, diz que a empresa está trabalhando para

testar o trem em um trecho de dois quilômetros entre as Estações Virgílio Távora e Raquel de Queiroz. “Já temos prontos os trens e a via. Estamos agora trabalhando para energizar a via para podermos começar o teste dinâmico”, explica. Os TUEs comprados da Itália são movidos a tração elétrica, com capacidade máxima de transporte de 976 passageiros (sentados e em pé) cada, com ar-condicionado, dotados de comunicação sonora e visual, interna e externa, para orientação dos usuários. O equipamento deve operar em velocidade média de 60 km/h. As composições vão rodar na Linha Sul do Metrô, que ligará Maracanaú ao centro de Fortaleza. A Linha Sul tem 24 km em via dupla, sendo 18 km em trecho de superfície, 3,8 km subterrâneo e 2,2 km em elevado. Atualmente, 83,05% das obras civis foram executadas. Incluindo sistemas e material rodante, o percentual de execução é de 62,24%. São mais de 30 frentes de serviço e 2.600 operários atualmente trabalham no empreendimento. A previsão é que o Metrô entre em operação comercial em 2011.

Mauro Filho destaca mensagem sobre redução de carga tributária O deputado Mauro Filho (PSB) anunciou que a mensagem de número 7.223, oriunda do Poder Executivo, que vai regulamentar e dar sequência, segundo ele, a um trabalho iniciado em 2007 de ampliar a competitividade da economia cearense a partir da redução da carga tributária. “De quatro em quatro meses o Estado vem experimentando redução de imposto para que possamos ter aumento da geração de emprego e de renda no comércio. Neste Governo, já foram gerados quase 200 mil novos empregos e uma das razões é este trabalho”, disse. Mauro Filho afirmou que é equivocada a ideia de que a redução de impostos compromete a arrecadação. O parlamentar destacou que um dos itens da mensagem refere-se à redução de imposto para bebidas quentes. Sobre isso, Mauro Filho esclareceu que não há redução para o varejo e que o objetivo é “somente equiparar o imposto do Ceará para a importação destes produtos como fazem os estados de São Paulo, Santa Catarina e Espírito Santo”. “Como eles têm o imposto diferenciado e mais atrativo todo o Brasil tem de se curvar a estes distribuidores. O que queremos é trazê-los para o Ceará gerando pelo menos 1,5 mil empregos e aumentar a arrecadação em R$ 25 milhões por ano”, disse, ressaltando que a denominação “bebidas quentes” para efeitos fiscais e tributários não contempla a cachaça.

Ligue que a Nacional Gás entrega.

10-0003-2N - CASA DO CEARA.indd 1

Ceará em Brasília

11/18/10 5:01 PM

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

9

Novembro/10


Os cem anos de Rachel de Queiroz comemorados no Senado O Senado Federal comemorou em 17.11 o centenário da escritora cearense Rachel de Queiroz (Fortaleza),em sessão solicitada pelo senador Inacio Arruda (Fortaleza), com manifestações dos senadores José Sarney e Marco Maciel,também da Academia Brasileira de Letras, Maria Serrano, Roberto Cavalcanti e Eduardo Suplicy.O evento teve grande participação. Primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras (ABL), Rachel de Queiroz foi, além de escritora, tradutora, romancista e jornalista, tendo desempenhado importante papel na dramaturgia brasileira. Foi também a primeira mulher a receber o prêmio Luis de Camões, instituído pelos governos do Brasil e de Portugal e concedido a autores que contribuíram para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa. Para Inácio Arruda, a escritora é motivo de grande orgulho para o Ceará e para o Brasil. A homenageada nasceu em Fortaleza no dia 17 de novembro de 1910. Foi a quinta filha de Daniel de Queiroz e Clotilde Franklin de Queiroz. Sua bisavó materna, conhecida como dona Miliquinha, era prima do escritor José de Alencar. Em 1917, em razão de forte seca no Ceará, a família de Rachel mudou-se para o Rio de Janeiro e logo depois para Belém (PA). “Esse fato marcou sua vida de tal forma que serviu de inspiração para a criação de O Quinze”, observou Inácio Arruda, referindo ao livro de estréia de Rachel de Queiroz. Publicado em 1930, O Quinze alcançou lugar de destaque na literatura brasileira. Nesse romance, a autora conta a luta do povo nordestino contra a seca e a miséria, demonstrando preocupação com questões sociais e desenvolvendo habilidosa análise psicológica de seus personagens.

Leituras II

Edmílson Caminha (*) Na manhã quente e luminosa do dia 16 de janeiro de 1983, um domingo, Ana Maria e eu, mais os amigos Maria Lima e Olavo Colares, partimos da Serra do Estêvão ao encontro de Rachel. Grande proprietária de terras, a família Queiroz era dona das fazendas Califórnia, Itália, Manaus, Biscaia e Junco, nos sertões de Quixadá, a 180 quilômetros de Fortaleza. Do pai, Daniel, a escritora herdaria um quinhão, denominado Não Me Deixes, que assume, com o marido Oyama, em 1953. Fizeram tijolos, cortaram a madeira, construíram a casa, a parede do açude e as cercas do curral. A primeira metade do ano – “inverno” para o sertanejo, quando chove na região –, Rachel de Queiroz passava no Não Me Deixes (assim, no masculino, chamava a fazenda), entre caminhadas pelos arredores e conversas com os moradores, como se sofresse, na bela expressão do escritor cearense Eduardo Campos, de um Complexo de Anteu, a extrair da terra a seiva sem a qual não viveria: “Lá, realmente, é o meu lugar. Cada volta minha é um regresso. E sinto que lá é o meu permanente. O Rio é o provisório.” Segundo ela, não havia nenhuma “literatice” no poético nome do lugar, que lhe fora dado já fazia tempo. Não-me-deixes, explicava, é como popularmente se conhece uma planta ornamental, nativa do sul da África. Meses antes, ali estivera Antonio Carlos Villaça, o grande memorialista de O Nariz do Morto, que visitava a amiga acompanhado pelo então presidente da Cãmara Municipal de Fortaleza, José Barros de Alencar. Quando o carro oficial estacionou no pátio da fazenda, o motorista abriu a porta para que descesse o escritor, enorme nos seus cento e tantos quilos, de terno preto, a barba branca e o cabelo à escovinha. Foi o suficiente para que a empregada, que varria o terreiro, gritasse no rumo da porta: “Corra, Dona Rachel! O bispo chegou! O bispo chegou!” Agora éramos nós, recebidos pela escritora ilustre singelamente trajada com um vestido de chita, bem mais à vontade, supõe-se, do que no tailleur verde-lodo, bordado com fios de ouro, que passou a usar como a primeira mulher eleita para a Academia Brasileira de Letras, em 1977... No alpendre em que nos abancamos, a conversa estendeu-se por toda a manhã, Rachel a falar sobre livros, personagens e autores.

Novembro/10

10

“Com vinte anos apenas, projetava-se na vida literária do país, agitando a bandeira do romance de fundo social, profundamente realista na sua dramática exposição da luta secular de um povo contra a miséria e a seca”, ressalta o senador, lembrando que a consagração de O Quinze veio com o prêmio da Fundação Graça Aranha. Em 1932, Rachel publicou novo romance, intitulado João Miguel, e, em 1937, escreveu Caminho de pedras. Dois anos depois, conquistou o prêmio da Sociedade Felipe de Oliveira com o romance As Três Marias. Em 1950, publicou em folhetins, na revista O Cruzeiro, o romance O galo de ouro. Entre suas obras também são destaque Memorial de Maria Moura (1992), sobre a história de uma mulher no sertão nordestino que é levada pelas circunstâncias a liderar um bando de aventureiros que praticam roubos e vivem de forma desregrada; Tantos anos (1998), autobiografia; e Não me deixes: suas histórias e sua cozinha (2000), que trata de suas memórias gastronômicas. Inácio Arruda lembra que Augusto Frederico Schmidt, Graça Aranha, Agripino Grieco e Gastão Gruls foram os principais críticos que avaliaram sua obra. Rachel foi também autora de mais de duas mil crônicas, compiladas nos seguintes livros: A donzela e a moura torta;

A senhora do Não Me Deixes

Graciliano Ramos, por exemplo, para ela “o melhor de todos nós”, os do chamado “Romance Nordestino de 30”: Zé Américo de Almeida, Jorge Amado, Zé Lins do Rego e Amando Fontes. Além de grande amigo, o autor de Vidas Secas também foi, em determinada época, inquilino da autora, que gostava de visitá-lo: “Certa vez Heloísa, a mulher dele, me disse que Graça passara a noite bebendo, enquanto escrevia páginas que, de manhã cedo, dissera estar uma porcaria, e jogara tudo na lata do lixo”. Rachel vai então ao quintal e, por entre restos de comida, encontra nada menos do que os originais de Infância: “Mas, espertamente, Graciliano pusera as folhas num saco plástico, certo de que o primeiro amigo que chegasse iria à procura do manuscrito... Contei isso muitas vezes na frente dele, só para ouvi-lo dizer que o saco plástico era invenção minha. Eu gostava de provocar o Graça...” Perguntei-lhe se alguma das centenas de personagens a que dera vida já lhe dominara, a ponto de mudar o rumo da história: “Sim, de maneira decisiva, até. Um dia, imaginei uma peça de teatro em que a grande figura fosse Maria Bonita, mulher de Virgulino Ferreira, o cangaceiro famoso. O cabra, porém, agigantou-se tanto que acabou por dominar a cena. E tive de dar ao espetáculo o nome de Lampião... Só na minha segunda peça, A Beata Maria do Egito, pude criar uma protagonista forte, que não se apequenasse ante o poder dos homens, como eu queria na primeira.” Tão trabalhoso quanto conceber os tipos humanos era, observou, resgatar o cotidiano e a linguagem da época em que se desenvolve a ação: “Se quero escrever, por exemplo, que um sertanejo cospe fora o chiclete e diz que vai à zona, tenho de saber se, no sertão daquele tempo, as pessoas mascavam chiclete e chamavam de zona o lugar das prostitutas.” Quanto à adaptação de obras suas para a tevê, Rachel de Queiroz não escondia o desagrado. Entre 1980 e 1981, a Globo apresentara, em 161 capítulos, a novela As Três Marias, baseada no romance homônimo e dirigida por Herval Rossano. “Achei muito ruim o trabalho. Eles puseram lá umas referências antissemitas que não há na minha história, e que me constrangeram bastante, devido às boas relações que mantenho com os judeus. Só não os processei na justiça porque teria de depositar, em juízo, todo o dinheiro que a Globo me pagara, e que gastei no tratamento de

veja o site do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br

100 Crônicas escolhidas; O brasileiro perplexo e O caçador de tatu. No Rio, onde voltou a residir em 1939, colaborou no Diário de Notícias, em O Cruzeiro e em O Jornal. Foi ainda autora de três peças de teatro: Lampião, de 1953; A Beata Maria do Egito, de 1958, laureada com o prêmio de teatro do Instituto Nacional do Livro; e O padrezinho santo, peça que escreveu para a televisão, inédita em livro. No campo da literatura infantil, escreveu O menino mágico, inspirado nas histórias que contava para os netos de sua irmã, Maria Luiza. Em suas atividades como tradutora, Rachel trabalhou com cerca de 40 volumes traduzidos para o português, entre os quais Mansfield Park, de Jane Austen; Humilhados e ofendidos, Os demônios e Os irmãos Karamazov, de Fiódor Dostoiévski; A mulher de trinta anos, de Honoré de Balzac; e A mulher diabólica, de Agatha Christie. A escritora também fez parte do Conselho Federal de Cultura, desde a sua fundação, em 1967, até sua extinção, em 1989. Participou ainda da 21ª Sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1966, onde serviu como delegada do Brasil, trabalhando, especialmente, na Comissão dos Direitos do Homem. Em 1988, iniciou sua colaboração semanal no jornal O Estado de S. Paulo e no Diário de Pernambuco. Rachel casou-se com o poeta José Auto Oliveira, em 1932, com quem teve uma única filha, Clotilde, nascida no ano seguinte, mas que faleceu com apenas um ano e meio de idade devido a uma septicemia. Em 1939, a escritora se separou do marido, casando-se, posteriormente, com o médico Oyama de Macedo. A autora morreu no dia 4 de novembro de 2003, dormindo em sua rede, na cidade do Rio de Janeiro, a 13 dias de completar 93 anos de idade. (*) Helena Daltro Pontual/ Agência Senado

saúde do Oyama, falecido no ano passado.” À Academia Brasileira de Letras, a romancista não dá maior importância: “É uma associação literária, um clube de escritores, que se reúnem às quintas-feiras para tomar chá, conversar e, às vezes, falar mal dos que se arriscam a não comparecer... Eu gosto desse convívio, ameno e prazeroso.” A uma pergunta de Joel Silveira, que a entrevista para o Jornal do Brasil, Rachel declararia mais tarde sobre O Quinze: “Esse é o livro de que eu menos gosto. Me persegue há 60 anos. Detesto ele. Todo mundo vem com ele para eu assinar. Fiz outros bem melhorzinhos.” Foi exatamente o romance que lhe apresentei para um autógrafo, no meu exemplar da 22ª edição, publicado pela José Olympio na Coleção Sagarana, em 1977, com ilustrações de Poty. “A Ana Maria e Edmílson, lembrança de uma bela visita, com um abraço da Rachel de Queiroz”, escreveu, com a letra firme e elegante que cultivava desde a juventude. Na manhã do dia 4 de novembro de 2003, exatamente 26 anos depois de empossada na Academia Brasileira de Letras, e a duas semanas do aniversário de 93 anos, foi encontrada morta no apartamento em que vivia no Rio de Janeiro, após sofrer um infarto durante o sono. Embora vítima de derrame cerebral em 1999, e de uma isquemia no ano seguinte, até sete meses antes de morrer ditava para a irmã, Maria Luíza, as crônicas publicadas semanalmente pelos jornais O Estado de S. Paulo e O Povo, de Fortaleza. Velada no Salão dos Poetas Românticos da Academia, foi sepultada não na Fazenda Califórnia, junto aos seus, como quisera um dia, mas no cemitério carioca de São João Batista, ao lado de Oyama, o grande amor. No correr de uma longa e fecunda existência, Rachel de Queiroz não quis ser mais do que a Velha Senhora que se dizia “melhor cozinheira do que escritora”, a mulher simples, a sertaneja autêntica, para quem um alpendre, uma rede e um açude eram a expressão maior da felicidade humana. Passados sete anos desde que se foi, essa admirável brasileira permanece na lembrança dos amigos e na admiração dos leitores, pela vida que viveu, pelos personagens que criou, pelas histórias que contou. Isso tem um nome: é IMORTALIDADE. (*) Edmilson Caminha (Fortaleza), escritor

Ceará em Brasília


Leituras III

Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai

JB Serra e Gurgel (*) A guerra do Paraguai começa em 1864 e vai a 1870, em Cero Corá, com a morte de Lopez. Custou 614 mil contos de reis, 11 vezes o orçamento de 1864, gerando déficit que chegou a 1889 , isto é à República. Há quem afirme que a obstinação do pacifista Pedro II com a guerra e com a caça a Lopez apressou o fim do Império. A guerra poderia terminado dois anos antes se dom `Pedro tivesse desistido de caçar Francisco Solano Lopez, filho de Carlos Antonio Lopez, morto em 1862. A guerra apressou o fim da escravidão, o fim da monarquia e o inicio da República. Em 10.11.1864, Lopez mandou aprisionar o barco Marquês de Olinda, no Rio Paraguai rumo a Mato Groso. Dom Pedro II assumiu a condição de voluntário nº 1 e foi a Uruguaiana, em 1865, onde se reuniu com Flores, do Uruguai, e Mitre, da Argentina, que resultaria no Tratado Secreto da Tríplice Aliança, assinado em Buenos Aires. Os aliados somavam 9,1 milhões e o Paraguai 318, 1 mil. Em 1865, o Exército brasileiro tinha 18,0 mil recrutas, 67,3 mil em 1866, 71,0 mil em 1867 e 82,2 mil em 1869. O da Argentina contava com 6,0 mil recrutas e o do Uruguai, 4,0 mil. O Paraguai começou a guerra com 55 mil. Em 1866, dom Pedro II deflagrou “uma “cruzada patriótica” que levou à legião dos “voluntários da pátria”, já que o serviço militar não era obrigatório. Como se efetivou: 1º – alforria dos escravos para a luta, os escravocratas eram indenizados, Estima-se que 20 mil foram vendidos Mas nem todos foram à luta. 2º – os estados teriam que mandar recrutas para a frente de combate. A guerra permitiu que o estaleiro Mauá, em Niterói, produzisse até 72 navios anuais, graças ao esforço do barão de Mauá. O balanço da guerra: o Paraguai teria tido 1,3 milhão de mortos e o Brasil de 100 a 140 mil reduzidos por “comunicado

oficial” a 4.332 , mais 18.597 feridos e 988 desaparecidos. Não se sabe com certeza quantos cearenses foram para o teatro de operações. Entretanto, estima-se o número em perto de 6 mil pessoas (cerca de 1,16% da população à época), cuja maioria esmagadora (aproximadamente 4.700) acabou morta. Muita gente, mais de dois terços,78,33%. A guerra deu ao Ceará a gloria para o brigadeiro Antonio de Sampaio e o transformou em patrono da arma de Infantaria do Exército.. A 3ª Divisão de Infantaria – a Divisão Encouraçada, que comandou em 14 mai 1866, na Batalha de Tuití, foi decisiva para a vitória, em que pese os três ferimentos recebidos que determinaram sua morte, aos 56 anos, em 6 jul 1866, a bordo do vapor “Eponina” , o fato de quatro cavalos que montava durante a resistência terem tombado por perfurações de balas e baionetas inimigas e sua Divisão ter sofrido 33% de baixas brasileiras. Do lado paraguaio,foram registradas 13 mil baixas,6 mil mortos, 6.700 desaparecidos e 370 feridos Sampaio chegou ao Rio Grande do Sul ao final da Revolução Farroupilha, onde, no comando de uma companhia de Infantaria, estacionou quase 5 anos em Canguçu, como instrumento de consolidação da Paz de Ponche Verde e próximo de Piratini e Caçapava, antigas capitais da República Rio-Grandense (183645).. Combateu na guerra contra Oribe e Rosas (1851-52) quando participou da Batalha de Monte Caseros, como integrante da Divisão Brasileira. Comandou um Batalhão de Divisão de Observação que penetrou em Montevidéu em 7 mai 1859, a pedido do Presidente oriental Venâncio Flores. Na guerra contra Aguirre teve atuação destacada a frente de uma Divisão, na conquista de Paissandú o que lhe valeu sua promoção a brigadeiro. Muitos dos sobreviventes cearenses da guerra do Paraguai, 1.300, ficaram no Rio de Janeiro e ocuparam o Morro do Juramento, considerado o primeiro agrupamento de cearenses,morando em barracos e cortiços, no maior abandono. O Estado não lhes dava nem a passagem de volta para o Ceará. .Deu-lhes a Av. Voluntários

da Pátria, em Botafogo. Só. A pesquisadora da UFPe, Maria Regina Santos de Souza (UFPE) em “ A guerra não acabou: as batalhas entre os familiares dos ex-combatentes cearenses da “guerra do Paraguai” e o Estado Imperial (1870-1889”), narra a luta dos familiares de dois voluntários cearenses, Raimundo da Rocha Dutra e Francisco Antonio Pereira, para receber os benefícios dos Decretos dos Voluntários da Pátria, que teriam direito a pensão ou meio soldo em caso de suas mortes em combate. As mães pediram o benefício mas não conseguiram. A guerra produziu ainda um caso famoso na historia cearense. O de Jovita Feitosa. Antônia Alves Feitosa, a Jovita Feitosa, pertenceu a um ramo mais pobre de uma poderosa família latifundiária, nasceu no povoado de Brejo Seco, nos Inhamuns, em 8 de mar de 1848.Aos 12 anos, perdeu a mãe, indo depois morar com um tio em Jaicós, Piauí.Ao saber do início da guerra do Paraguai, Jovita, aos 17 anos, foi a Teresina, escondida do tio. Decidiu ser “voluntário da pátria”. Como o exército não aceitava mulheres, passou a faca nos cabelos e pôs um chapéu de vaqueiro, apresentou-se , foi inicialmente aceita. Mas teve sua identidade descoberta por conta da denúncia de outra mulher. Acabou incorporada, de saiote e blusa militar, com a divisa de primeiro sargento, seguindo para o Rio de Janeiro, em set de 1865. Mulata, de feições índias e estatura mediana, Jovita ganhou notoriedade e virou instrumento de propaganda do governo para estimular novos voluntários a “lutar pela pátria”. Em nov de 1865, o ministro da guerra afastou-a da tropa. Permanecendo no Rio de Janeiro, envolveu-se sentimentalmente com um engenheiro inglês de nome Guilherme Noot, passando com ele a viver na praia do Russel. Ao saber que o ingles fora embora , sem nenhuma comunicação, cometeu suicídio com uma punhalada no coração em 1867, aos 19 anos de idade. JB Serra e Gurgel (*) Acopiara, jornalista e escritor.

O MERCADO VAI VER VOCÊ DIFERENTE.

Ceará em Brasília

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

11

Novembro/10


Leituras IV Lustosa da Costa (*) Quando criança, Carlos Eduardo brincou comigo ao ver meu livro “Fortaleza,meu amor”:”Pai quando vais publicar “Sobral,minha amada”? “Brasília,minha namorada?” Nunca pensei em escrever sobre Brasília. Os amigos insistem não que publique livros sobre a capital e,sim,sobre os episódios que vi,de que participei no Congresso. Talvez não me anime a escrever a respeito da cidade, construída por Juscelino Kubitschek,pelo fato de ter vivido pouco na cidade. E exclusivamente entre Câmara e Senado.Nunca passei um dia,sequer, nas cidades satélites e há delas ricas e mais prosperas que capitais de estados nordestinos. Dai também ter poucos amigos fora de funcionários e membros do Congresso porque é somente com eles que convivo. *** Quando tentei vir morar ,em Brasília, acabara de ser nomeado procurador do IPASE pelo governo João Goulart. Não deu certo porque era interino. Não sabia,ate então,que interino não tinha direito à transferência. Tinha de cumprir estagio no local para o qual fora nomeado.* *** Foi,pelo radio,que tomei conhecimento da queda de João Goulart e tomada do poder pelos mili tares. Estava no Congresso quando Castelo Branco entrou para prestar juramento (ou o que foi?) perante a casa de defender e respeitar a Constituição o que,evidentemente,não fez. Lembro de que um eminente pessedista que, antes do golpe, chegou a dizer diante do comício da central, que

Brasília, minha cidade muito melhor seria a implantação da ditadura militar que ele combateu,ao vê-la escancarada. Os pessedistas não perceberam, de inicio,que o poder mudara de mãos. É que quando João Goulart deixou Brasília, os golpistas inventaram que ele não mais se encontrava em território nacional,abandonara o poder e tinha de ser substituído pelo Presidente da Câmara,já que tendo sido ele eleito vice-presidente,não havia quem pudesse exercer mais tais funções. O presidente da Câmara, Ranieri Mazilli,pensava que era o presidente da Republica. Lembro que os deputados ficaram desolados quando viram que o poder de fato estava com os militares que sequer lhes informavam do que queriam e estavam fazendo. Um deles se queixava ao então diretor geral da Câmara,Luciano Brandão:”Será que eles esqueceram da gente?” *** Os pessedistas nutriram ,no começo,ilusões de que continuariam participando do poder. Cortejaram o primeiro presidente militar, Castelo Branco,que teve,inclusive,o voto do senador Juscelino Kubitschek. Quando apesar disso,ele teve o mandato cassado é que se deram conta de seu engano. *** Ia-me esquecendo. Tinha já dois irmãos em Brasília Alberto que trouxera Parsifal. Ela era jornalista conhecido na cidade. O certo é que eu não era. Assim ele se dispôs a me emprestar seu nome para que eu escrevesse para a Radio Nacional violentos artigos contra o golpe iminente e o desrespeito à Constituição do pais. Pois bem, logo que começaram os IPMS, investigações feitas por militares para condenar os que consideravam adversários da quartelada,

instalou-se um deles,para investigar a resistência civil do pais. Chamou-se IPM do Arcebispo por haver incluído até o arcebispo dom Jose Newton que também havia manifestado solidariedade ao governo legalmente constituído. Talvez por isso mesmo, o inquérito não tivesse sido para a frente,os militares ainda tentavam manter boas relações com a alta hierarquia da Igreja Católica. *** Como era impossível a transferência para Brasília, retornei a Fortaleza e ao meu trabalho nos Diários Associados. Foi quando me candidatei a deputado federal,sem um tostão no bolso,tendo,como único patrimônio,um fusca amarrotado numa virada. Obtive,porém,o apoio escancarado da maioria dos colegas e discreta simpatia da empresa, apesar da vinculação de seu todo poderoso superintendente aos chamados revolucionários. Perdi a eleição embora obtivesse mais votos que outros dois candidatos da ARENA,eleitos pela sobra de votos da legenda.Fui,entretanto,o mais votado dos candidatos do MDB a Câmara dos Deputados. Mudei me para o Rio onde fiz televisão e jornal,retornando em 1968 quando a coisa de preta passou a pretíssima, depois que assumi a chefia da editoria de Correio do Ceará” e “Unitário”os dois jornais associados. Nem me lembrei,na ocasião, de que anos atrás, escrevera aos jornais,oferecendo me para escrever neles meus artigos, tendo levado tremenda gozação do Jairo Bastos que,então, comandava,creio eu,o suplemento literário de “Unitário”. Deus me premiara com esplendida carreira profissional justo nos veículos de comunicação associados que culminava com a elevação e um cargo,então criado,o de Editor Chefe dos dois jornais. (*) Lustosa da Costa (Sobral), jornalista e escritor

osmar baquit

Novembro/10

12

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


O jornalista e escritor Antonio Frota Neto (Ipueiras) lançou em Brasília e Fortaleza o seu novo livro “O jornalista& o poder. De antes da Internet. Uma das facetas dos conflitos e das intrigas da transição para a Democracia no Brasil. 1985/1988”, da eitora Rígel, de Porto Alegre, dando o seu testemunho pela passagem pela comunicação social pública, depois de vitoriosa carreira na comunicação privada, tendo exercido as funções de Secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República, no governo do Presidente José Sarney, e as de pesidente da Empresa Brasileira de Notícias-EBN, Radiobrás e Funtevê. Frota Neto começou no jornalismo, em Fortaleza, em 1961, na Radio Iracema, a convite de Fernando César Mesquita, tendo passado elos jornais O Estado e Gazeta de Notícias. Fez concurso para professor da Escola de Administração do Ceará, e Mestrado na Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da FGV. Após o Doutorado, em São Paulo, veio para Brasília, convencido por Lustosa

da Costa a trabalhar na Folha de São Paulo, com coordenador de Economia. Aqui casou com uma diplomata e foram para a Suiçam passando a correspondente “free-lanceer” da Folha em Genebra. Sua passagem pelo setor publico, na Prsidencia da República, EBN, Radiobrás e Funtevê foi detalhada, com nomes e datas. No capitulo “Cenários para a transição” . extraído do livro que vai editar sobre o Governo Sarney, tem considerações amplas sobre o poder. Em outros dois capítulos, Quem define o menu” e “Da Secretaria de Imprensa e Divulgação , da Presidência da Repúlica” mais considerações sobre as relações de poder com a sociedade e o papel do Porta-Voz e suas “Regras de Ouro”. Frota Neto repete o que disse em entrevista no livro “A Imprensa e a Presidência”, recém lançado pelo Prsidente Lula: “fico tão alegre toda vida que eu faço assim exame de consciência do meu trabalho como Secretário de Imprensa, o quanto eu fui profissional e nunca menti. Omitir algo pode ser. Era a minha formação política – eu queria que o Governo Sarney sobrevivesse, que o processo democrático não sofresse”

A Casa do Ceará tem novo diretor de Sáude é o dr. Francisco Machado O dr. Francisco Machado da Silva (Pedra Branca) é novo diretor de Saúde da Casa do Ceará em Brasília. Passou a infância entre sua terra natal, Pedra Branca, e Independencia. Começou no Exercito em Cratéus, onde prestou serviço militar no 4º Batalhão de Engenharia, em 1964 e ficou no Exercito até 1992, quando se reformou como Major médico. Iniciou seu curso Medicina na Universidade Federal do Ceará, tendo concluido na Universidade de Brasília, em 1978. É especialista em gastroenterologia e clínica médica. Está em Brasília desde 1976 onde trabalhou em vários hospitais, com passagem pelo HFA. pelo Hospital de Base e clínicas médicas. É casado com Rita Márcia Polidorio Machado, pedagoga, e que realiza trabalho voluntário em várias instituições sociais do Distrito Federal. Tem duas filhas, Mariana, graduada em Direito e Sociologia e Natalia, estudante de Medicina. O dr. Francisco Machado da Silva supervisionará e orientará uma equipe de 30 médicos e 29 dentistas que atendem as pessoas que procuram a Policlínica e a Odontoclínica.

GRUPO AGUIAR DE VASCONCELOS IMÓVEIS - 50 ANOS DE BRASÍLIA Geraldo Vasconcelos Corretor e Advogado Leonardo Vasconcelos Corretor e Engenheiro Claudia Vasconcelos Corretora e Advogada Fernanda Vasconcelos Corretora e Advogada Marcela Vasconcelos Corretora e Publicitária Marisa Vasconcelos Corretora e Advogada CJ3277

Fotos: Luiz Antônio

Jornalista Frota Neto lançou “O jornalista & o poder”.

Você procura segurança e tranquilidade na hora de comprar, vender ou alugar o seu imóvel? Aqui você encontra corretores preparados e gabaritados para melhor atendê-lo. Escolha o melhor.

Novo Site: www.aguiardevasconcelos.com.br Plantão - 9994 - 7941 Filiada ao

de

Ceará em Brasília

Imóveis

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

sindicato da habitação

13

Novembro/10


Presidente do TJCE mostrou novo projeto do Fórum Clóvis Beviláqua O presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Ernani Barreira Porto, apresentou a juízes e diretores de secretaria o projeto de reestruturação do Fórum Clóvis Beviláqua. O encontro ocorreu na tarde desta quarta-feira (03/11), no 1º Salão do Júri. O projeto inclui a reformulação de todo o sistema elétrico e de refrigeração, instalação de cabeamento óptico, substituição do piso e do teto, melhorias na segurança do prédio, bem como alterações na distribuição dos espaços físicos, visando adaptar o local à nova realidade trazida pela virtualização do Poder Judiciário do Ceará. “Será uma reforma ampla, feita em turmas divididas nos três turnos, ou seja, em regime de urgência”, afirmou. O arquiteto Expedito Deusdará, responsável pelo projeto de reformulação, afirma que os objetivos principais são investir na sustentabilidade do prédio e torná-lo adequado às atuais necessidades de juízes, servidores e usuários do Fórum. “Temos ambientes que foram modernos há 12 anos, mas que não acompanharam o andamento das atribuições, novas atividades e tecnologias. Por isso, precisamos renovar o espaço, dar a ele uma nova personalidade, criando melhores condições de trabalho”, disse.

BNB desembolsa mais de R$ 56 milhões no mercado de franquias O Banco do Nordeste já desembolsou R$ 56,3 milhões no mercado de franquias, que está em franca expansão na região Nordeste. A expectativa é de alcançar o saldo de R$ 100 milhões em contratações para o setor, até dezembro. Somente neste ano, o BNB atendeu a 96 clientes, entre janeiro e julho. Juntos, eles contrataram R$ 11,1 milhões no âmbito do programa Nordeste Franquias, que se configura como estratégia de negócios e processo de crédito customizados para o setor. O montante já representa um crescimento de 13% em relação aos valores contratados no mesmo período do ano passado, quando foram desembolsados R$ 9,9 milhões. Para o diretor de Negócios, Paulo Ferraro, os números revelam o fortalecimento do setor de franchising na Região, que está sendo beneficiado pela consolidação do Nordeste como um dos maiores mercados consumidores do País. “As principais franqueadoras brasileiras estão em busca de novas oportunidades de negócio, fora do eixo Rio-São Paulo”, explica o gestor. A superintendente de Microfinança Urbana e MPE, Anadete Torres, também ressalta o caminho inverso, em que marcas de sucesso nascidas no Nordeste avançaram para outras regiões, como a rede de fast-food Bebelu e a grife Via Direta, ambas cearenses. “Isso demonstra a qualidade e a robustez dos empresários nordestinos”, afirma. Segundo o gerente do Ambiente de Micro e Pequena Empresa, Lauro Ramos, outro importante aspecto favorece o setor: a elevação no volume de investimentos na Região, especialmente no setor turístico. Impulsionados em grande parte pela realização da próxima Copa do Mundo de Futebol, os investimentos abrem excelentes oportunidades de negócio em atividades de capacitação como, por exemplo, escolas de idioma, entre outras.

Novembro/10

14

Memória

Cabo Gia, o cabra que o então Coronel Meira Matos não conseguiu dobrar ... José Colombo de Souza Filho (*) Miguel Alves de Noronha,gerado em Pereiro(Ceará), no mais alto cocuruto da Serra do mesmo nome, nasceu e foi batizado no Estado do Pará.Apareceu no acampamento do IPASE, no final do ano 1959 . Brasília, ainda não capital, era um multirão só de obras,poeiras,ritmo alucinante que inspirou até Zeketi e Jean Mason a gravarem um samba exaltação que na época tornou-se a coqueluche em todos os serviços de alto falantes instalado nos acampamento das construtoras, aqui do Planalto – (O Samba fantástico). O cearense João Borba,engenheiro chefe de todas as obras do IPASE, em Brasília, já mandava mais do que cabo do destacamento de (Caucaia) (CE).Isso no dizer de Zé Capão,fato que podia ser comprovado junto aos companheiros de banho de bica que existia pelas bandas da COENGE e ao lado da firma do galego frances Tapoper. O carapina “Seu Sessenta”,Piauiense do vale do Gurgueia, completava tal afirmação, dizendo que o Dr. Borba ”vigiava de um tudo” que entrava e saía no acampamento – Além da guarda dos meganhas da GEB,faziam parte do esquema de segurança,os apontadores, afora as barreira,cancelas e guaritas. O sempre prosador e respeitável carapina “Seu Sessenta”, em seus domínios dos sete barracões de madeira de pinho,do Paraná,cercados com arames farpados de sete lances, sempre afirmava positivamente que conversar sobre isso – Lá podia entrar ate cachaça mas sair, somente no bucho dos outros e soltava uma gargalhada estrondosa que parecia querer acordar os fantasmas das distantes grutas das sete cidades do Piauí. Nesse mesmo instante, no outro lado do eixo, no acampamento do IAPB estouravam, como de costume, a queima de foguetes de bengala – Era práxis, sempre que se atingia a sexta lage de cada bloco, além dos fogos, a gritaria da negrada, com expressões muito próprias entre os candangos – queima raparigal, vou comer todas na zona ! Hoje o buziguim da Maria vai arder mais do que ferida de Cansanção! Tudo isto, afora a depenagem de algumas palmeiras de guariroba que eram arrancadas, febrilmente, para marcarem o atingimento da obra. Fato circunstancial, Miguel Noronha tinha acabado de chegar no escritório da construtora, na hora em que a Kosmos Engenharia precisava de mais armadores e finalizadores de formas de Lages de concreto. O cassaco Miguel que tinha sido tangedor de bode,guia de cego nas feiras de Jaguaribe e Tabuleiro do Norte,catador de lenha,tirador de côco e palha de babaçu,caçador de mel de jandaíra,amassador de açaí nas Matas do Pará,se viu num lugar de muita poeira,um montão de gente trabalhando de onde cara gorda e praguejava muito. De repente,frente a frente com o engenheiro chefe,o famoso Dr.Borba,o malemolente Miguel foi posto e exposto ao vozeiro inquisitor do apontador de pessoal! Ei Cabo Gia ! : - Já passou no INIC,no SAPS,na Belacap,cadê sua carteira de trabalho? A luta estava renhida,chovia muito no planalto e as compras de material pagas antecipadamente eram

veja o site do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br

entregues com atraso.A firma cearense J.Torquato,de grande tradição nas capitais do Sul se desdobrava para cumprir as entregas de material de acabamento.O problema todo estava na logística dos atravessadores.Tudo contribuía para tornar imprevisível, pois as estradas e caminhos devido ao intenso tráfico a cada dia se tornavam intransitáveis. O Presidente JK, Dr Israel Pinheiro e engenheiro Pery da Rocha França e uma plêiade de olhos de Lince, que a tudo observavam,chegavam de supetão ao acampamento. Eram dez horas da noite. No estrupilho, a carteira de Miguel Alves de Noronha, o agora Cabo Gia, se escafedeu das mãos do apontador. Um pouco mais adiante em cima da caçamba de uma caminhonete, o Dr.João Borba, qual um ATILA, deu ordem a todos... Cambada, vamos dobrar o dia! Assim, como aqui está narrado, o Miguel Alves de Noronha foi praticar em serviços e aprender a profissão de armador com o velho “ Seu Sessenta “, tornando-se, pela habilidade,presteza,segurança e fominha em fazer horas extras,um dos mais produtivos armadores.Pegou até o apelido complementar de Cabo Gia, vulgo munheca de aço! Ano 1964 abril Brasília, capital da república, super quadra 208 do IPASE bloco B.O candango Miguel estava na portaria do edifício, aguardando com sua mala e teréns. O motorista Zé de Mello tinha prometido uma carona ao Munheca de aço pra levá-lo até Goiânia. As treze horas,estaciona na garagem do bloco B o Aero – Willys, trazendo o coronel Meira Matos, recém nomeado interventor do Estado de Goiás, juntamente com seu auxiliar Raul Silveira. Tinha vindo pegar o então jovem diplomata José Jerônimo Moscado que iria assumir a Secretaria de Justiça do Estado de Goiás. - O hoje embaixador tinha ido almoçar na residência do seu pai o Desembargador Colombo de Souza; Carro em manobra, o Cabo Gia, de supetão, se levanta e pergunta intempestivamente - Seu Doutor da Guarda Nacional, o senhor pode me dar uma carona até Goiânia? - Fato inusitado, surpreendido o Coronel Meira Matos pergunta: Cabra! de que estado você é ? - Sou do Brasil ! Nisso, chega o Diplomata Jerônimo Moscado com a pequena mala de mão e passa pelo Cabo Gia e diz: - Vamos também pra Goiânia, Miguel? No bloco todos conheciam e confiavam naquele candango desajeitado que, sem lenço e sem documento, era de uma informalidade a toda prova. A partir daquele dia os ilustres moradores do bloco B perderiam um excelente lavador de carro,consertador de moveis do GTB, desentupidor de cano, piloto de enceradeiras elétricas e até cozinheiro para os sobrinhos do Ministro Ari Franco. Ao sair em carro oficial, o Cabo Gia acenou para o deputado Raul Pilla e para o ministro Ari Franco - Eu estou indo pra Goiânia, tchau ! (*) José Colombo de Souza Filho (Fortaleza), jornalista e escritor

Ceará em Brasília


Página da Mulher

Fantástico ritual

Regina Stella (*) Da viçosa roseira, encostada no muro de pedra, brotou certa manhã um pequeno botão, promessa de beleza ainda fechado à luz. Quem a vê, ao passar, espera que cumpra a sua destinação, e ostente no exato tempo, cronometrado por um deus, a preciosa jóia. Vislumbrando a beleza a caminho, lança à roseira um olhar indagador, extasiado ante o milagre da vida e da cor que ali se processa na tenra haste, no escondido do chão, e que explodirá em requinte e perfeição E um certo dia, ao amanhecer, ainda na bruma ou quem sabe à plena luz do dia, quem pode adivinhar o segredo da rosa,ainda veladamente se mostrará. E num instante explodirá, engastado no topo, esplêndido, na radiante manhã. Pleno de viço, à brisa se embalará o tenro botão, frágil e belo. Nunca poderá supor que é requinte e perfeição, um debruçar de Deus. Rendido, fascinado ante a beleza que aos olhos se oferece, ninguem ousa pensar que num segundo, insana e louca, por uma aberração, a roseira possa negar apoio e sustentação ao botão que se entreabriu, recusar-lhe a haste onde se engasta, negar-lhe a seiva que borbulhante, viva, vai transforma-lo em flor. Um pouco mais de tempo, em pétalas se desdobrará, deslumbrante rosa ! Ao contrário, sem o privilégio do raciocínio e sem o

preciosismo dos dogmas da moral , a roseira cumpre, num ritual completo, a sua destinação de se reproduzir. Não se arroga nenhum direito de contrariar as leis naturais e de deformá-las em seus objetivos. Submete-se , e se entrega por inteiro a esse fantástico e privilegiado ofício de gerar rosas. E num superdimensionamento do seu instinto de defesa, ainda se arma de espinhos para se defender da cobiça humana, pressurosa em possuir os seus rebentos. E se excede e se desdobra na faina de proteger o seu bem maior. Cumpre silenciosa e anonimamente a missão de gerar beleza. E, numa resposta comovente, se esmera o botão na generosa oferta de cores e perfume, vivendo em plenitude o dom inexcedível de ser rosa.... Era um dia qualquer, comum, no serviço normal de limpar e cuidar das ruas e das avenidas.da cidade. Difícil e dura tarefa a que se dedicam aqueles homens de uniforme laranja, reconhecidos de longe, de juntar os detritos que se espalham, o que é desprezível e inútil.No anonimato eles trabalham, em silencio, no sol a pino, e tanto lhes deve a comunidade inteira. A faina de selecionar o resto, o lixo, se processava em tumultuada atividade, e ali, àquele dia estavam toneladas, colhidas na véspera, para serem vistoriadas, examinadas. A esteira rolante, no seu lento arrastar, oferecia aos garis a oportunidade de retirar cacos de vidro e outros componentes que o desperdício faz, paradoxalmente, rico e

pródigo o lixo de uma cidade, nos seus desdobramentos industriais. De repente, um impacto.Um silêncio gigante se fez. De mistura com latas, restos de comida e embalagens descartáveis, um saco de plástico transformou-se no centro das atenções. Um frêmito de horror a todos paralisou ! Precisava ser aberto e os lixeiros se entreolhavam, mudos, suspeitando de algo, terrível! Um recém-nascido, morto, botão partido, jazia inerte! Sua origem era inteiramente desconhecida,que os detritos procediam de vários recantos da cidade. Comovidos, contritos, perplexos, como se tocassem em algo sagrado que um sacrilégio imolara, recolheram o corpo da criança. Uma menina, de quem, arrancada a vida, apenas débil sopro, lhe tinham negado o direito de participar da humanidade, e ser alguém! Recusaram-lhe saber da beleza, poder um dia vibrar com o amanhecer, perene recomeço, assistir fascinada um poente colorido.Negaram-lhe o direito de sorrir, o direito de amar e ser feliz! Por Deus! Cumpre a roseira a sua destinação! Por que haverá o homem, dotado de inteligência e sensibilidade, de alma e coração, de recusar ao fruto de suas entranhas a graça primeira, o bem maior, o dom da vida? Dolorosa indagação... (*) Regina Stela (Fortaleza), jornalista e escritora

Receitas nordestinas testadas e provadas Raimunda Ceará Serra Azul (*)

Arroz de mariscos com açafrão ou urucum 600g de ostras, ou camarões, ou sururus, ou taiobas (vôngole) ou lagostas, todos crus e sem casca 200g de cebola ralada 250g de arroz cru 1/3 de molho de salsa batidinha

1 molho de cebolinha picada (principalmente a parte branca) 2 colheres (café) rasas de açafrão – pode se substituído pó ½ colher (café) de urucum 4 colheres (sopa) de azeite de oliva Suco de 1 limão Sal 1 limão grande para a guarnição É melhor usar arroz já cozido, para os mariscos não perderem a consistência. Esquente numa caçarola o azeite e refogue a

cebola. Quando ela estiver dourada, acrescente os mariscos, o açafrão ou urucum, um pouco de sal, o suco de limão, a metade da salsinha e da cebolinha. Mexa devagar e ponha o arroz cozido. Prove o tempero e continue mexendo, para ficar bem encorpado. Na hora de servir, coloque o restante da cebolinha e da salsinha. Decore com limão. (*)Raimunda Serra Azul (Uruburetama), advogada.

Gel poderia substituir pílula anticoncepcional, dizem cientistas Cientistas americanos afirmaram que um gel contraceptivo aplicado diretamente na pele pode ser usado como uma alternativa à pílula anticoncepcional. O produto, chamado Nestorone, está sendo desenvolvido pela indústria farmacêutica americana Antares Pharma e a pesquisa foi apresentada durante a conferência da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, em Denver, nos Estados Unidos. O produto pode ser aplicado como um creme no abdome, nas coxas, braços e ombros e é rapidamente absorvido pela pele sem deixar resíduo. Testes clínicos preliminares mostraram que o creme é eficaz e tem boa tolerância, sem produzir os efeitos colaterais secundários associados à pílula como náusea, aumento de peso e acne. O ingrediente mais importante é um novo tipo de progesterona sintética, muito parecida com o hormônio natural. O remédio também tem uma classe de estrogênio quimicamente idêntico ao produzido pelas mulheres. Segundo os cientistas, o medicamento também pode ser usado por mulheres que estão amamentando, ao contrário da pílula, que pode interferir na produção do leite materno.

Ceará em Brasília

Três miligramas A médica Ruth Merkatz, do centro de pesquisa da organização sem fins lucrativos Population Council, com sede em Nova York, fez o estudo sobre o produto com 18 mulheres entre 20 e 30 anos. De acordo com este estudo, a dose ideal é de três miligramas do creme por dia. No período de sete meses nenhuma das mulheres que usou o tratamento ficou grávida. Os exames hormonais mostraram que o gel conseguiu suprimir a produção de óvulos nos ovários da mulheres testadas.

“Estamos nas primeiras etapas de seu desenvolvimento, mas agora poderíamos continuar testando em muitas outras mulheres”, afirmou Merkatz. O novo creme funciona da mesma forma que o adesivo anticoncepcional, disponível atualmente em alguns países. O adesivo é colocado sobre a pele e libera uma dose regular de progesterona e estrogênio, que evita que os ovários liberem um óvulo a cada mês. Mas, o adesivo tem duas grandes desvantagens em relação ao gel, é visível e pode se soltar da pele. Alternativa Apesar dos estágios iniciais dos testes, os cientistas afirmam que o novo creme poderia oferecer uma alternativa à pílula anticoncepcional, usada por milhões de mulheres em todo o mundo.“Qualquer sistema contraceptivo que aumente a seleção de métodos disponíveis para as mulheres e ajude a evitar a gravidez indesejada é bem-vindo”, afirmou Natika Halil, diretora de informação da Associação Britânica de Planejamento Familiar. Mas, Halil alerta que “este produto não será conveniente para todas as mulheres, apenas para aquelas que se sintam confortáveis ao usá-lo na pele”. (BBc Brasil)

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

15

Novembro/10


Casa do Ceará em Brasília fará desagravo a Tiririca e contra humilhação e discriminação A Diretoria da Casa do Ceará fará um desagravo ao deputado federal mais votado do país, Francisco Everardo Oliveira Silva (Itapipoca), o Tiririca, eleito pelo PR de São Paulo, com 1.353.820 votos, pela humilhação e discriminação de que foi vítima. A manifestação deverá ocorrer na primeira quinzena de fevereiro, após a posse dele na Câmara dos Deputados. Nas redes sociais, as declarações da estudante paulista de Direito, Mayara Petruso, difundida por um torpedo no twitter: - “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!, ganham peso de solidariedade e de repulsa, não fosse São Paulo a maior cidade do Nordeste, com quase 3,5 milhões ade habitantes, acima de Salvador, Fortaleza, Recife. As restrições contra Tiririca começaram logo após a divulgação dos resultados das eleições de 3 de outubro. O bicho começou a pegar quando na Web se difundiu email dizendo: Em 2002, quem teve mais votos foi Eneas e morreu Em 2006, foi .Clodovil... e morreu Em 2010, tchau Tiririca. Outro email, supostamente engraçado, dizia que Tiririca só faria a prova se a mesma fosse corrigida por Lula. Outro email, de humor sádico, caiu na Web: Tiririca provou que não é analfabeto.... “O advogado dele apresentou hoje cedo um documento da Rede Globo provando que o Tiririca frequentou a escolinha do Prof Raimundo uns 4 anos!

Novembro/10

16

A ira do promotor Aline Pellegrini, da Folha On Line, de São Paulo, escreveu em 09.11: O promotor eleitoral Maurício Antonio Ribeiro Lopes, que questionou a validade da candidatura do deputado federal eleito Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o Tiririca, afirmou que a campanha do candidato foi feita com desigualdade. “A campanha não foi feita com o homem, mas com o personagem. Queria ver ele sem fantasia.” Carol Guedes / Folhapress O promotor afirma que está preparado para comprovar que Tiririca é analfabeto, com um “arsenal de conhecimento” formado para o caso. Ao comentar os ataques que recebeu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou ser uma “cretinice” o processo contra o humorista, e “um desrespeito com os

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

1,3 milhão de eleitores dele”, Maurício Lopes crava que “a maioria não pode tudo numa democracia, a maioria não está acima da lei, que vale para todos. Não é por ter tantos votos que a pessoa está acima da lei”. O promotor afirma que pedirá a absolvição do candidato caso ele demonstre, durante audiência, que é alfabetizado. Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o palhaço Tiririca, passou no teste de leitura e escrita feito em 11.11 pela Justiça Eleitoral de São Paulo. Segundo o presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, Walter de Almeira Guilherme, o deputado eleito fez um ditado tirado de um livro editado pelo tribunal: “Justiça Eleitoral, uma retrospectiva”. Tiririca também foi obrigado a ler uma notícia de jornal e teve que fazer uma interpretação do que leu e escreveu. Lula vê “cretinice” no que fazem com Tiririca Em 31.10. a Folha de São Paulo, publicou: Após votar em São Bernardo do Campo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou a situação de Tiririca (PR) nestas eleições o humorista foi o deputado federal mais votado do país, mas foi recentemente convocado pela Justiça Eleitoral para a realização de um ditado e a leitura de um texto simples para verificação da condição dele de alfabetizado. “O Tiririca é a cara da sociedade. Eu acho uma cretinice o que estão tentando fazer com ele. [...] Eu acho que quem tem que fazer prova é quem está pedindo para ele fazê-la”, diz o presidente no vídeo abaixo

Ceará em Brasília

Profile for shadown shadown

Jornal Novembro 2010  

Jornal Novembro 2010

Jornal Novembro 2010  

Jornal Novembro 2010

Profile for shadown21
Advertisement