Page 1

3

Ceará em Brasília Jornal da Casa do Ceará

www.casadoceará.org.br

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS

Ano XXVII - 288 - Junho de 2016

Governador Rodrigo Rollemberg prestigiou a Festa Junina da Casa do Ceará que reuniu duas mil pessoas. Leia mais na pág. 20

O governador Rodrigo Rollemberg com o presidente da Casa do Ceará, Osmar Alves de Melo e diretores da Casa do Ceará

Governador Rodrigo Rollemberg, Gustavo Dourado, presidente da Academia de Letras de Taguatinga, comendador Abery Mariano e Antônia Guimarães, superintendente da Casa do Ceará

Panorama da Festa Junina na Casa do Ceará.

Diretores da Casa do Ceará com o presidente Osmar Alves de Melo

Pessoal de Acopiara na festa Junina. JB Serra e Gurgel, Vanda Gurgel, Sônia e Sebastião Gurgel Holanda

Fotos: Hermínio Oliveira

Leia nesta edição Expediente, pág. 2 Espaço Luciano Barreira, pág. 2 Conversando com o Leitor, pág. 2 Samburá - pág. 3 Assunção vai à guerra e instala em Iguatu Associação dos Conterrâneos de Iguatu, pág. 4 Bosco Bonfim lançou na Banca da Conceição a Botija Encantada, pág. 4 Socorro para aeroporto de Juazeiro do Norte, pág. 4 Anúncio de José Lírio de Aguiar, pág. 4 Papa nomeia bispo coadjutor para a Diocese do Crato, pág 5 Municípios no Cariri avançam nos Planos de Saneamento, pág 5 Carlos Aguiar lançou a 2ª Edição de seu livro de memórias, pág. 5 Anúncio do Uniceub, pág. 5 Leituras I - A Poesia de Marcondes Sampaio, pág 6 Leituras II - A Poesia de Jarbas Júnior, pág. 6 Dessalinizador de baixo custo pode ser alternativa no Semiárido, pág. 6 Em crise 17 estados e DF fecharam 2016 com gastos de pessoal acima da LRF, pág 6 Leituras III - artigo de Wilson Ibiapina, Resposta num exame de física, pág. 7 Gasto com pessoal no Ceará está abaixo do limite máximo da LRF, pág. 7 Ceará – nota 10 – lidera ranking de transparência, pág. 7 Leituras IV - artigos de Gonzaga Mota, pág. 8 Governador visita obras da CSP e da expansão do Porto do Pecém, pág. 8 Leituras V - JB Serra e Gurgel, d. DEloidia Tavares de Sousa, a professorinha de Aurora, pág. 9 Camilo e de verbas para aeroporto de Juazeiro, pág. 9 Ceará quer “data center” da Amazon, pág. 9 Anúncio do Governo do Estado do Ceará, pág. 10 Anúncio de M. Dias Branco, pág. 11 Leituras VI - artigo de Fernando Milfont, A Minha Cidade de Fortaleza, pág. 12 Documento - 1º Distrito Industrial do CE faz 50 anos. Setor inicia nova era, pág. 12 Leituras VII - artigo de João Soares Neto, O Brasil, de vice a vice, pág. 13 2º hotel 7 estrelas do mundo pode ser instalado no CE, pág. 13 Leituras VII - artigo de Maria Glaudia Férrer Mamede, A escravatura no Ceará, pág. 14 Empréstimos de US$ 250 milhões para o Ceará são publicados no Diário Oficial da União, pág. 14 TCU entrou a Justiça eleitoral de lista de responsáveis por contas irregulares, pág. 14 Leituras VIII - artigo de Macário Batista, moça nomeada, pág. 15 Mais de 60% das cidades devem ter rombo nas contas. Pesquisa da CNM aponta que recuo dos repasses federais afetará maioria dos municípios, pág. 15 O melhor da bela coleção de arte de Airton Queiroz, com mais de 250 obras, - Ícones do Modernismo - é exposta na Unifor em Fortaleza, pág. 16 Anúncio da Nacional Gás, pág. 16 Momentos Marcantes na vida do Comendador Albery Mariano, pág. 17 Leituras IX - Página da Mulher, artigo de Regina Stela, Amarga Ironia, pág. 18 Leituras X - artigo de Evandro Pedro Pinto, Agradecendo uma homenagem, pág. 18 Leituras XI - Humor Negro e Branco Humor, pág. 19 Os cearenses na cozinha de Brasília, pág. 19 A Festa Junina de 2014 reuniu mais de 4 mil pessoas, pág. 20 Anúncio do Beach Park, pág. 20

Comendador Albery mariano e Sra. Cleuza Mariano com a Superintendente da Casa do Ceará Antônia Guimarães.

Casal Nilton e Marizete, Cleuza Mariano, Albery Mariano e 1º Vice-Presidente Adirson Vasconcelos.

Governador Rodrigo Rollemberg e sra. com o cineasta Pedro Jorge, diretor Carlos Euler Calela e sra. Evandro Pedro PInto

Governador Rodrigo Rollemberg e sra. dançando na festa junina da Casa do Ceará

Osmar Alves de Melo, Andrea e José Sampaio de Lacerda Júnior

Antônio Carlos Aguiar e Francisco Machado da Silva, de Sobral a Pedra Branca

Pessoal de Aurora na festa Junina. Djanira e Senb Gonçalves, brigadeiro Antônio Pinto de Macedo e sra.

Ceará quer renegociar dívida com o BNDES e com a Caixa. Leia mais na pág. 18


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Espaço Luciano Barreira A mulher afegã e as as minas...

A repórter Glória Maria, da TV Globo, quando esteve no Afeganistão, há10 anos, notou que as mulheres caminhavam sempre meio metro atrás dos seus maridos .. Voltando lá agora, observou que elas tinham passado a caminhar pelo menos 5 metros à frente deles. Interessadíssima nessa mudança de comportamento, A jornalista imaginou que tal mudança de costumes deveria significar uma grande vitória feminina. Aproximou-sede uma das mulheres e disse deslumbrada: -”Amiiiga! Que maravilhaaaaaaa! O que aconteceu aqui que fez com que se extinguisse aquele costume absurdo de a mulher caminhar atrás dos maridos e que, agora, caminham gloriosamente à frente deles?” E a mulher afegã respondeu: “Minas terrestres!...”

Edi t o r i a l

Todos os relatos de Egídio Serpa, atento observador da crise hídrica do Ceará, dividindo o troféu dos que se preocupam com a matéria com o mestre Cássio Borges, teme pelo futuro da agroindústria irrigada. A situação segue difícil e esperar que chova não é a melhor das alternativas, mesmo porque há muitas informações que mostram, há tempos, que atravessaríamos agudos períodos de escassez. Há décadas que a última esperança do cearense e do nordestino, das regiões mais áridas, e a transposição do Rio São Francisco, marco de redenção e marco da corrupção. Neste momento, a metereologia beneficia muito o Sul, o Sudeste, o Centro Oeste e o Norte, castiga o Nordeste fora do litoral. Os rios do Ceará estão secando e a crise vai se agudizando. Não se fala na outra ponta de esperança que é dessalinização. O que há é um diálogo de surdos e mudos, sem que se entenda nada. Promessas já não entusiasmam. Discursos e intenções idem. Se tem dinheiro para corrupção, é verdade que a Lavajato não apurou 10% dela, tem dinheiro para transformar água salgada em água doce. Para salvar a lavoura e as pessoas. É uma questão séria . Tão séria quanto a Siderúrgica, o Porto, a Refinaria, as energias solar e eólica. Nos grotões do Nordeste, sabemos que o Exército administra, com mão de ferro, a distribuição de água através de carros pipas, sem que políticos vagabundos interfiram no destino da água o que permite sejam alcançadas populações que não querem abandonar seu espaço físico, suas terras, suas casas, seus míseros haveres. O sertanejo continua desafiando a natureza, mas não se sabe até quando isto será possível. Voltaremos ao assunto, na busca de uma solução. Inácio de Almeida (Baturité) Diretor

Expediente

Fundada em 15 de outubro de 1963 Fundadores – Chrysantho Moreira da Rocha (Fortaleza) e Álvaro Lins Cavalcante (Pedra Branca) Diretoria Presidente - Osmar Alves de Melo (Iguatu): Estênio Campelo Bezerra (Crateús) 1º vice; Adirson Vasconcellos (Santana do Avcaraú), 2º vice; Luis Gonzaga de Assis (Limoeiro do Norte), Administração e Finanças; Maria Madalena da Silva Carneiro (Garanhuns/PE) Vicente Magalhães (Aurora), diretor de Educação e Cultura; Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Saúde; JB Serra e Gurgel (Acopiara), Comunicação Social, Carlos Euler Currlin Perpétuo (Joinville/SC) José Sampaio de Lacerda Junior (Fortaleza) , Promoção Social, e João Rodrigues Neto (Independência), Jurídico. Conselho Fiscal Membros efetivos: Evandro Pedro Pinto (Fortaleza) presidente, José Ribamar Oliveira Madeira (Uruburetama), José Colombo de Souza Filho (Fortaleza) ( Itapipoca); Membros suplentes: José Aldemir Holanda (Baixio). Maria Aurea Assunção Magalhães (Fortaleza) e Lúcia Maria Percy Bastos (Matias Olimpio/PI) Jornal da Casa do Ceará Fundador e Editor Emérito - Lúciano Barreira (Quixadá) Conselho Editorial Adyrson Vasconcellos (Santana do Acaraú), Ary Cunha (Fortaleza), Carlos Pontes (Nova Russas), Edmilson Caminha (Fortaleza), Egidio Serpa (Fortaleza), Frota Neto (Ipueiras) Geraldo Vasconcelos (Tianguá), Gervásio de Paula (Fortaleza), Haroldo Hollanda (Fortaleza), Jorge Cartaxo (Crato), J. Alcides (Juazeiro do Norte), José Jézer de Oliveira (Crato), Luís Joca (Fortaleza), Marcondes Sampaio (Uruburetama), Milano Lopes (Fortaleza), Narcélio Lima Verde (Fortaleza), Paulo Cabral Jr. (Fortaleza), Raimunda Ceará Serra Azul (Uruburetama), Roberto Aurélio Lustosa da Costa (Sobral) e Tarcisio Hollanda (Fortaleza). Diretor Inácio de Almeida (Baturité) Editores JB Serra e Gurgel (Acopiara) e Wilson Ibiapina (Ibiapina) serraegurgel@gmail.com / zewilsonibiapina@gmail.com Editoração Eletrônica: Vanessa Gonçalves Distribuição: Antônia Lúcia Guimarães Circulação: apoio da ANASPS O jornal não se responsabiliza por textos assinados. Banco de dados com apoio da ANASPS - Brasília – DF SGAN Quadra 910 Conjunto F - Asa Norte | Brasília-DF CEP 70.790-100 | Fone: 3533 3800 Email: casadoceará@casadoCeará.org.br / www.casadoceará.org.br

Solidariedade Judaica (Americo) Isaac está em pé na porta da sinagoga, com a mão estendida, pedindo: “Tsedaká (caridade) por favor”. Definição de Dilma Ferrari Chega o rabino da sinagoga e pergunta: “ Dilma é um peido preso: - Isaac, o que estás a fazer? Você sabe que vai sair, que vai haver barulho e, talvez, Isaac responde: alguma merda. - Rabino, eu estou a juntar dinheiro para uma mulher viúva Mas, o alívio será indescritível.” com 3 filhos pequenos, que está a dever três meses de renda e se ela não pagar 30 contos até hoje o proprietário vai despejá-la. Mineiros (Victor Hugo) -Isaac, quanto é que já recolheste? Dois mineiros jogando antônimos (contrários) valendo -25 contos, rabino. uma pinga: - Bem, para uma mitsvá tão importante de ajudar uma viúva, -Gordo? vou dar-te os 5 contos que faltam. -Magro! - Agradeço muito em nome da viúva, rabino. -Hômi? - Isaac, tens um bom coração! A viúva é tua parente? -Muié! - Não, rabino : é minha inquilina. -Preto ? Com Antonio Pinho, de Lisboa. -Branco!

Conversando com o Leitor + Vejam os dados do nosso Facebook: do dia 31/01/14 ao dia 31/01/2015 foram 927 curtidas do dia 31/01/2014 até 28/01/2016 foram 1486 curtidas do dia 31/01/2014 até hoje 23/05/2016 foram 1756 curtidas. + Encontrei algumas informações interessantes no Face: *A publicação do mês de junho de 2014 teve um alcance de 1.944 pessoas, enquanto a publicação de junho de 2015 teve um alcance de 4.805 pessoas, ou seja, mais que o dobro do ano anterior. *72% das nossas curtidas são do público feminino e 28% do público masculino. * Público Alvo: 1.267 de Brasília-DF, 83 de Fortaleza-CE, 38 do Rio de Janeiro. + Recebemos o Binoculo, de fevereiro de 2016, de Dias da Silva, que conhecemos por Ivonildo Dias, com artigos de Dias da Silva, Batista de Lima, Januário Bezerra, Cosme Custódio da Silva, Juracy de Oliveira Paixão. Dimas Macedo e Vicente Lemos e poesias de Zito Lobo, Marcos Antonio Frota, Anderson Braga Horta, Dorothy Janssoon Moretti Francisco Carvalho e Djanira Pio. + Dimas Macedo deixou a presidência da Academia Lavrense de Letras, que fundou em 2018. A despedida deu-se em 26 de maio, nos 200 anos de Lavras da Mangabeira. Com Dias da Silva, realizou, de forma inusitada, uma reunião na zona rural de Lavras. Um dos grandes ausentes da Academia e, sem dúvida, Bruno Pedrosa, que mora em Veneza e é o maior pintor contemporâneo do Ceará. Bruno está lança uma enciclopédia sobre Lavras da Mangabeira. + Recebemos também o Binóculo, de março de 2016.

Junho/16

2

-Verde ! -Verde ? Nada disso…verde é cor, não tem contrário não! -Craro que tem, sô ! -E quar que é ? -Maduro, uai! - Ai caramba, néquémemo? Vamo de novo valendo mais uma pinga! Agora eu que vô cumeçá! Podi cumeçá ! -Saúde? -Duença! -Moiado? -Seco! -Deus? -Diabo! -Fumo? -Quê? Desde quando fumo tem contrário? -Cê é burro, sô! Ao contrário de fumo é vortemo!

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

com artigos de Dias da Silva, Batista de Lima, Francilda Costa, Djanira Pio, Maria Lúcia Rangel, poesias de Francisco Carvalho e Caio Porfirio Carneiro e excelente repertório de cordel e repente, tradições do Cariri, com versos de William Brito, Josenir Lacerda, Edésio Batista, Luciano Carneiro, Bastinha Job e Anilda Figueiredo. + Recebemos Jornal da UFC de maio que fala dos 60 anos do Diretório Central dos Estudantes. Da produção da maior coleção autoral indígena , feita pela UFC, compreendendo 19 volumes, escritos por 36 professores tremembés, um tremendo resgate desta etnia que se mantem viva e atuante no Ceará. O anuncio de que as universidades do Nordeste farão compras compartilhadas e matéria sobre dessalinização de baixo custo que publicaremos na próxima edição do Ceará em Brasília. + O nosso site da Casa do Ceará em Brasília www.casadoceara.org.br registrou 6.089 sessões no mês de maio, conforme a audiência medida pelo Google Analytics. Foram 4.953 usuários e 13.094 visualizações. + No exterior fomos visitados em 18 países como Índia (Nova Delhi). Estados Unidos (Nova Iorque) Reino Unido, Emirados Árabes Unidos (Dubai), Alemanha, Espanha, Portugal, Argentina, Israel, Filipinas, Coreia do Sul, México, Nova Zelândia, Romênia e Singapura. + No Brasil, fomos visitados por brasileiros de 138 cidades incluindo Brasília, Goiânia, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Águas Lindas, Teresina, Manaus, Porto Alegre, Luziânia, Campo Grande, Belo Horizonte, Recife, Cuiabá, Formosa, Maceió, Salvador, Curitiba, Quixeramobim, Crato, Uberlândia, Belém, Feira de Santana, Itabuna e Anápolis.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

SAMBURÁ - Avenida Beira Mar Osmar e o PMDB Osmar Alves de Melo é um dos 133 brasileiros que assinaram a ata de fundação do PMDB na condição de notável, por que não exercia mandato político, composta por oito nomes- Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Wilson Martins, Pedro Gondim, Seixas Dória, Luciano Coutinho e Mangabeira Unger. É o único morador do Distrito Federal que se filiou ao MDB. Foi membro do Diretório Nacional do MDB e do PMDB, por diversas vezes. Foi Diretor da Fundação Pedroso Horta, hoje fundação Ulysses Guimarães. Saiu do PMDB em 1988 e refiliou-se em abril de 2016. É Diretor Secretário da Fundação Ulysses Guimarães. Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal. Na Presidência da República O embaixador cearense Fred Arruda (Fortaleza) trocou Londres por Brasília, passando a ocupar assessoria junto ao Presidente Michel Temer, de quem foi assessor diplomático na Vice Presidência, por longo período. Fred há muito tempo acompanha Temer. Alba Cristina Alba Cristina Magalhães Alves de Melo (Brasília), filha de Osmar Alves de Melo, Professora Titular do curso de Ciências da Computação da UNB desde 1993, foi submetida a banca examinadora da instituição no último dia 23/05, se tornando Professora Catedrática da UNB. Alba Cristina é Pós Doutora em Ciências da Computação pela Universidade do Canadá. Nova diretoria do Instituto Histórico e Geográfico de Brasília, eleita em 25.05, para o biênio 2016/2018 Presidente: Affonso Heliodoro dos Santos, Primeiro Vice-Presidente: Vera Lúcia Ferreira Ramos; Segundo Vice-Presidente: Osmar Alves de Melo; Secretário-Geral: Luiz Carlos de Oliveira Cerqueira; Primeiro Secretário: Mercedes Gassen Kothe; Segundo Secretário: Napoleão Emanuel Valadares; Primeiro Tesoureiro: Eugênio Pedro Giovenardi Segundo Tesoureiro: Tarcízio Dinoá Medeiros; Diretor de Biblioteca: Cleusa Neves da Silva Lopes; Vice-Diretor de Biblioteca: José Santiago Naud; Editor de Publicações: Afonso Ligório Pires de Carvalho; Orador Oficial: Guilherme Fagundes de Oliveira. Conselho Fiscal: Lincoln Magalhães da Rocha, Luiz Carlos Fontes de Alencar, Roberto Mario da Silva Castello, William Almeida de Carvalho. Márcio da Silva Cotrim e Sérgio Mário Pasquali Márcio Catunda O poeta e diplomata Márcio Catunda reapareceu em Brasília em 31 de maio para lançar mais um livro de poesias, Viagens Introspectivas.

Ceará em Brasília

4ª Noite dos Sobralenses Será dia 10 de Setembro no Centro de Múltiplas Funções ao lado da administração regional de Planaltina, local bastante central, com boas instalações e uma grande área de estacionamento. Foi definida a formação da comissão organizadora que tem à frente o Vice-Presidente Chico Élcio juntamente com Pêpa, Marquinhos Siqueira, Evandro Meneses, Edilson, Vicente, Tiãozinho e Robinho que garantem que animação e suor não vão faltar na promoção de uma festa que tem tudo para ficar na história da cidade e da AQQB. Jesualdo Farias Durou pouco a permanência do prof. Jesualdo Farias na Diretoria de Ensino Superior, em Brasília. Voltou ao Ceará, mas deixou um legado: novas escolas de Medicina para o Ceará e Faculdade de Veterinária em Lavras da Mangabeira, onde funcionou famosa Escola Agrícola. Brasília é Brasília Semana passada houve um encontro nacional de vereadores em Brasília. Como tudo quanto é evento desse jaez, sempre há a turma que vai, quer dizer, faz que vai e vai, mas o destino é o raparigal brasiliense. Vai dar rolo Descobriram, por exemplo, que um dos times mais animados de vereadores nas festas e eventos sócio-econômicos-etílicos-culturais capitaneados por meninas de Minas e Goiás, que enfeitam esses “seminários” era de Tianguá. Mandaram até foto pra cá. Resumindo: livrou-se o contribuinte de mais uma facada. O Governo do Ceará recebeu um estudo detalhado feito pela consultoria multinacional KPMG a respeito dos ativos estaduais que poderão ser objeto da política de concessões à iniciativa privada que o governador Camilo Santana deseja implementar a partir deste ano. Como o momento é de crise, com queda de receita e falta de dinheiro para investir nos grandes projetos estruturantes já existentes e a serem construídos no Ceará, o governo estadual está decidido a transferir para a iniciativa privada esses empreendimentos. Entre eles, incluem-se o Centro de Eventos, o Porto do Pecém, o Aquário da Praia de Iracema, o Arco Metropolitano, o Metrô de Fortaleza e o VLT de Fortaleza. Com Egídio Serpa Sérgio Machado Tornou-se personagem bomba da Lavajato. Seus diálogos com Romero Jucá, Renan Calheiros, José Sarney, sacudiram o país. E a grana do lavajato da Petrobras e da Transpetro, está onde? Com quem ficou?

Posse de Bira O ministro Ubiratan Diniz de Aguiar tomou posse dia 24.05 no Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará, sendo saudado por Juarez Leitão. BNB O economista Marcos Holanda foi mantido no cargo de presidente do Banco do Nordeste (BNB). A decisão da Fazenda saiu junto com a nomeação dos novos presidentes da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. Para a Caixa irá Gilberto Occhi e para o BB Paulo Caffarelli. Marcos completou um ano à frente do BNB no último dia 15. Quem indicou não foi Henrique Meireles que também não o escolheu. Fortaleza A Fundação Waldemar Alcântara lançou Álbum de Fortaleza, com apresentação do arquiteto e professor José Liberal de Castro; O Álbum foi originalmente publicado em 1931 e faz parte da Coleção Biblioteca Básica, editada pela Fundação, com o patrocínio do Banco do Nordeste. Agressão O PT, no processo de explosão nacional, optou por desconhecer a liderança do Governador Camilo Santana e decidiu lançar a deputada Luziane Lins candidata à prefeitura de Fortaleza. Camilo apoia a reeleição do prefeito de Fortaleza, junto com o ex-governador Cid Gomes. Homenagem O Senado Federal homenageou o jornalista e senador Pompeu de Souza, no seu centenário. Vale a lembrança. Pompeu é desconhecido na sua cidade natal, Redenção, e no seu estado natal, Ceará. Antes de chegar ao Senado, Pompeu revolucionou o jornalismo do Rio de Janeiro, Diário Carioca e Jornal do Brasil, e fundou o curso de Comunicação da Universidade de Brasília. DNOCS Todo cuidado é pouco. O Sr. Henrique Eduardo Alves está solto. É ministro do Turismo. Já arruinou o DNOCS e pode arruinar o turismo do Ceará.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

3

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Assunção vai a guerra e instala em Iguatu Associação dos Conterrâneos de Iguatu

Bosco Bonfim lançou na banca da Conceição A Botija Encantada

Fábio Coutinho, Conceição Freitas, Marilda Bezerra, Guilherme Reis, João Bosco e Napoleão Valadares no lançamento de A Botija Encantada

Nas duas fotos estão os líderes do movimento liderado por Antonio Carlos Assunção a partir de Brasília Da esquerda para a direita, em cima: Ozineli Silva, Sulênia, Marta Macário, Evanir Rangel, Helmo Assunção, Lindalva Nogueira, Eraiza Alencar, Socorro Laerte, Em baixo, da esquerda para a direita: Professor Hamilton, Antonio Assunção, Aurélio, Flávio Assunção, Chico de Paula, Emanuel, Dede, Evandro Teixeira, Francisco Vilmar Ferreira, Raimundo Vilsom Couras

Em 20 de maio, Antonio Assunção (Assunção é a solução) reuniu amigos e conterrâneos no Clube Recreativo Iguatuense para realizar o primeiro encontro dos Amigos e Conterrâneos de Iguatu, que funcionará em Iguatu em Brasília, nos mesmos moldes das associações dos sobralenses, dos aurorenses e dos acopiarenses. Os trabalhos foram conduzidos pela Comissão Organizadora. A ideia é a de promover, todos os anos no mês de julho, época em que se promovem os festejos comemorativos da Padroeira a Cidade de Iguatu, Senhora Santana.

No dia 23 de julho, haverá o primeiro evento no mesmo Clube Recreativo Iguatuense, animado pelas Orquestras Asas de Águiar e a Banda Pé de Serra, de Beu e Paulinho. As mesas já estão à venda a pelo preço de 80 reais, entrada individual, e 25 reais, entrada individual e 25 reais a camisa. A sobra de arrecadação será revertida na compra de prendas que serão doadas para o leilão da novena da padroeira de Iguatu. Estamos empenhados em resgatar o que a de bom em Iguatu e reafirmar nossa forte presença em Brasília, disse Antonio Assunção.

Fábio Coutinho e Napoleão Valadares no lançamento de A Botija Encantada

João Bosco lê para crianças na Banca da Conceição, no lançamento de A Botija Encantada em 4 de junho de 2016.

Há 44 anos

Junho/16

4

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Papa nomeia bispo coadjutor para a Diocese do Crato

Durante a celebração dos Santos Óleos, realizada na Catedral Nossa Senhora da Penha, no Crato (Região do Cariri), no dia 24 de março, Dom Fernando Pânico anunciou aos fiéis que o Papa Francisco havia aceitado o seu pedido de enviar um bispo para auxiliá-lo na administração da Diocese do Crato. Em 18.05, através de pronunciamento na Rádio Educadora do Crato, o nome tão aguardado foi anunciado pelo próprio Dom Fernando: dom Gilberto Pastana de Oliveira será o bispo coadjutor da Diocese de Crato. O bispo coadjutor é nomeado pelo Papa com direito de sucessão, ou seja, Dom Gilberto estará na Diocese de Crato para auxiliar Dom Fernando Pânico, que permanecerá como bispo diocesano até a sua renúncia, aos 75 anos. Dom Fernando Pânico padece de nova doença grave, que reduz sua capacidade de trabalho. Após a renúncia do bispo titular, o coadjutor assumirá consequentemente a administração da Diocese. Dom Gilberto - Dom Gilberto Pastana de Oliveira, nascido em Boim (PA), tem cinquenta e nove anos, sendo trinta anos dedicados aos sacerdócio. Estava como bispo da Diocese de Imperatriz (MA). É Mestre em Teologia com especialização em Teologia Espiritual, Roma-Itália. Seu lema é “Venha o teu reino (Mt 6, 10a)”. Foi ordenado Bispo dia vinte e oito de outubro de 2005. Dentre as atividades desenvolvidas antes do episcopado, Dom Gilberto já foi Reitor do Seminário São Pio X (1987-1990), Vice-Reitor do Seminário Maior Interdiocesano São Gaspar, Belém-PA (1996), Coordenador do Departamento de Filosofia e Teologia no Instituto de Pastoral Regional (IPAR), Belém (PA) – 1996 a 1998 e diretor da Rede Vida de Televisão (2000 a 2005). Detalhe – Dom Gilberto Pastana de Oliveira será apresentado ao povo da Diocese de Crato no dia 17 de julho.

Ceará em Brasília

Municípios no Cariri avançam nos Planos de Saneamento

Os municípios da bacia do Salgado, operados pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), avançam na elaboração dos Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB). Dos 22 municípios da região onde a Cagece atua, 11 já concluíram os planos de saneamento e outras nove cidades já estão em andamento. A Cagece tem apoiado e participado da elaboração dos planos nos municípios onde atua. Para isso, designou uma equipe técnica específica para prestar suporte na elaboração dos planos de saneamento junto a estes municípios. Exigidos pela Lei Federal de Saneamento Básico nº 11.445/2007, o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) é resultado de um conjunto de estudos que tem como objetivo identificar a atual situação dos municípios e planejar ações e alternativas para a universalização dos serviços de saneamento básico (abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e drenagem urbana). De acordo com a Lei, os municípios têm até o final de 2017 para concluir seus planos. Quando aplicados, os planos são uma garantia de melhorias no saneamento, na saúde pública e segurança para o meio ambiente. Por sua vez, além de oferecer serviços técnicos, a Cagece tem se empenhado por meio de trabalhos informativos e educativos acerca do tema. Em fevereiro deste ano, por exemplo, a companhia disponibilizou a publicação “Saneamento Básico – desafios e reflexos na saúde pública da Região do Cariri”, que tem por objetivo discutir a importância do saneamento básico na promoção da qualidade de vida da população. A publicação foi motivada pela Campanha da Fraternidade Ecumênica, que este ano traz o assunto como tema principal.

Carlos Aguiar lança 2ª edição de seu livro de memórias

Esgotada toda a tiragem de 2.000 exemplares da 1ª Edição de seu livro de memórias Vivendo, Aprendendo e Morrendo Sem Saber, lançado em 25 de Outubro de 2015, em comemoração aos seus 60 anos, o fundador e presidente de honra da Associação dos que querem Bem a Sobral e a Brasília-AQQB, empresário Carlos Aguiar lança neste 30.06 a 2ª Edição na Livraria Leitura do Shopping Riomar, em Fortaleza. Carlos Aguiar, ou Carlinhos como é carinhosamente chamado pelos amigos, comemora sua ascensão profissional, social e humana no mundo empresarial do Distrito Federal, onde desembarcou no ano de 1972, tendo como primeira ocupação a entrega de garrafas de café em prédios comerciais do Setor Comercial Sul, por um mísero meio salário mínimo. O livro resgata registros sobre antigos moradores do distrito de Mulungu dos Carlos,e m Sobral, e uma importante parcela da genealogia dos Carlos, como passou a ser conhecida sua família a partir da incorporação do nome de seu trisavô, Francisco Carlos Aguiar. A segunda edição terá 2.000 exemplares e toda a renda integralmente destinada a instituições filantrópicas. Vivendo, Aprendendo e Morrendo Sem Saber... pode ser adquirido pelo site www.agazetamaconica.com.br, pelo e-mail carlosaguiar@ksaweb.com.br ou através do telefone 33721400.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

5

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras I

Os pais da pátria Caramuru e a índia catarina Paraguaçu

Marcondes Sampaio (*) Diogo alvares Correa, o Caramuru fez história e rima ao se casar com a índia Catarina Paraguaçu da brava nação Tupinambá. Na França o casamento aconteceu no início do século dezesseis presentes casais da côrte francesa e outras eminências do povo gaulês. Os sessenta anos dessa união geraram grande descendência Marco da nossa miscigenação com a europeia ascendência. Nesse pais do culto a frívolas celebridades poucas têm ciência de que a primeira delas foi essa índia singular, ousada e guerreira conhecida como “ Mãe da nação brasileira” --------------------------------Quixeramobim – topomínia não autorizada “Azaire – agui chêra m’obinho” Assim queixava se o mascate luso Da perda de uma partilha de vinho Caída de uma velho e cansado burro Em meadas do século dezoito Contraídas as sílabas do sotaque ruim A terra do beato Antônio Conselheiro Adotou o nome de Quixeramobim E Santo Antônio como padroeiro (*) Marcondes Sampaio (Uruberetama), jornalista, poeta e escritor

Leituras Leituras III

Alternâncias do Ser

Jarbas Júnior (*) Quem eu sou, sempre mudando? Quantas várias pessoas possesso eu sou neste volúvel processo? Quantos outros eu sou em bando imitando fiel Fernando Pessoa o reflexo das nuvens na lagoa. Nós somente estamos vivos de modo bastante subjetivo. No sentido amplo coletivo estamos todos apenas ativos no conhecimento cognitivo.

LOA

O morto ilustre sempre se enterra, mas não sepultam suas memórias, vivas livres continuam sobre a terra; suas ideias não fogem da guerra contra os absurdos do mundo terreno. Sem as obras do bem não há acúmulo de flores e perfumes sobre o túmulo. Sobe entre os ciprestes no vento a alma imortal em sentido pleno. (*) Jarbas Júnior (Fortaleza), poeta e escritor

Junho/16

6

Dessalinizador de baixo custo pode ser alternativa no Semiárido Apoiado pela Funcap, grupo da UFC projetou equipamento para tratar água salobra O problema ambiental do terceiro milênio. É assim que o Prof. Ronaldo Ferreira do Nascimento, do Departamento de Química Analítica, e Fisico-Química da UFC, reconhece a questão da escassez de água tanto para o uso humano como para consumo animal ou para irrigação. Diante da precária situação hidrográfica de açudes cearenses, novas tecnologias de aproveitamento das águas do semiárido apontam possibilidades para amenizar a situação. Com financiamento da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), o grupo orientado pelo Prof. Ronaldo está tralhando no desenvolvimento de um dessalinizador solar térmico de baixo custo. “Dessa forma será possível disponibilizar, principalmente à população difusa e menos favorecida, uma solução para sua subsistência, mesmo vivendo sob regime climático do semiárido ”, explica o pesquisador. Alunos do programa de Pós-Graduação do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental e estudantes de Energia e Meio Ambiente e estudantes das graduações em Engenharia Ambiental e estudantes das graduações em Energia e Meio Ambiente, Química e Engenharia Ambiental, da UFC além de um graduando de Engenharia Ambiental Sanitária da Faculdade Fanor/

DeVry, Integram a Equipe do Projeto Ambiental oferta de água potável em Comunidades difusas do semiárido cearense aplicando concentrador solar térmico. Mecanismo Com capacidade de dessalinizar de 5 a 10 litros de água por dia, a ferramenta funciona, conforme descreve o Prof. Ronaldo Nascimento “concentrando calor do sol em um ponto onde há uma peça que recebe o calor concentrado do sol e o transmite à água salobra, mundano seu estado físico imediatamente, por receber calor suficiente para provocar ebulição”. O vapor novamente gerado segue para uma serpentina para perder calor e novamente mudar de estado: desta vez do vapor para o estado líquido, que é a água dessalinizada. Apesar de ser um tecnologia conhecida, o equipamento de dessanilização proposto pelo grupo reúne alguns diferenciais que requerem proteção de direitos, o que prevê sua patente. O Projeto também aponta outras oportunidades: inicialmente voltado para o tratamento de água salobra com algumas modificações, o sistema poderá suportar água do mar. “ Essa é uma possibilidade de trabalhos futuros”. Vislumbra o Prof. Ronaldo Nascimento. *Alessandra Vital JORNAL DA UFC MAIO DE 2016

Em crise, 17 estados e DF fecharam 2015 com gastos de pessoal acima do limite da LRF Só no final de abril cerca de 137 mil aposentados e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro receberam os benefícios de março. Para que fosse realizado o pagamento, a Justiça bloqueou cerca de R$ 640 milhões das contas do governo do Rio. A dificuldade para o pagamento de pessoal não é novidade nos Estados, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, que também já estiveram com a corda no pescoço. A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 2002, impôs diretrizes para as contas públicas. O Contas Abertas acompanha como os limites de gastos com pessoal são ou não respeitados pelos estados. Dentre as 25 unidades da federação que entregaram os relatórios de gestão do terceiro quadrimestre de 2015, 17 estados e o Distrito Federal fecharam o exercício pelo menos no limite de alerta previsto na lei, isto é, na “zona de risco” da lei. Do total, a maior parcela das unidades da federação, 12, estão no “limite prudencial. Isso quer dizer que esses estados comprometeram com pessoal pelo menos 46,55% da Receita Corrente Líquida (RCL), que é a soma das receitas tributárias, de contribuições, patrimonial, agropecuária, industrial, de serviços, transferências correntes e outras receitas correntes,

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

com algumas deduções legais, como as Transferências Constitucionais e Legais. Esse limite da LRF foi alcançado por Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Distrito Federal,Goiás, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. A situação fica um pouco melhor no “limite de risco”, de 44,1%, que foi atingido por São Paulo e Ceará. Em alguns casos, os estados já ultrapassaram o teto de 49% da RCL com esse tipo de despesa. Na situação além do limite estão Rio Grande do Norte (52%), Rio Grande do Sul (49,2%), Paraíba (51,%) e Tocantins (51,7%). Para os gestores que extrapolam os limites, primeiramente, a LRF estabelece prazo de oito meses para o governo eliminar o gasto com excesso de pessoal. Nos primeiros quatro meses, após verificado o excesso, é preciso eliminar pelo menos um terço do excedente no próximo quadrimestre. O restante, no quadrimestre seguinte. Enquanto o excesso perdurar, o estado sofre sanções. O órgão responsável pela administração, haja vista que a LRF é aplicada aos estados e municípios, fica proibido de conceder aumento de pessoal ou alterar estrutura de carreira que implique aumento de despesa, entre outras coisas, por exemplo.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras III Por Wilson Ibiapina (*) O Dr. X (vamos manter o anonimato na medida do possível), do Departamento de Física da Universidade de Aveiro é conhecido por fazer perguntas do tipo: “Porque é que os aviões voam?”. A sua única questão na prova final de Maio de 1997 para a turma da cadeira de “Transmissão de Momento, Massa e Calor II” foi: “O INFERNO é EXOTÉRMICO OU ENDOTÉRMICO?” Justifique a sua resposta.” (ou seja, pretendia saber se o Inferno é um sistema que liberta calor ou se recebe calor). Vários alunos justificaram as suas opiniões baseadas na Lei de Boyle ou em alguma variante da mesma, mas houve um aluno, Y, que respondeu o seguinte: “Primeiramente postulamos que, se as almas existem, então devem ter alguma massa. Se tiverem, então uma mole de almas também tem massa. Então, em que percentagem é que as almas estão a entrar e a sair do inferno? Eu acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no inferno nunca mais sai. Por isso, não há almas a sair. Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhadela às diferentes religiões que existem no mundo hoje em dia. Algumas dessas religiões pregam

Resposta num exame de Física que, se não pertenceres a ela, então vais para o inferno. Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas religiões, podemos projetar que todas as almas das pessoas vão para o inferno. Com as taxas de natalidade e mortalidade da maneira que estão, podemos esperar um crescimento exponencial das almas no inferno. Vamos agora olhar para a taxa de mudança de volume no inferno. A Lei de Boyle diz que, para a temperatura e a pressão no inferno serem constantes, a relação entre a massa das almas e o volume do Inferno também deve ser constante. Existem duas opções: 1. Se o inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a pressão no inferno vão aumentar até ele explodir.

Foto: Marcos Moura

Gasto com pessoal no Ceará está abaixo do limite máximo da LRF Os gastos com pessoal do Estado ficaram em 56% da Receita Corrente Líquida (RCL) em 2015, o que representa quase R$ 8,5 bilhões. O valor está abaixo do limite máximo permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 60%. Entretanto, ultrapassou o limite de alerta (54%) e se aproximou do limite prudencial (57%). O Poder Legislativo, incluindo o Tribunal de Contas do Estado (TCE), gastou, com despesa de pessoal, 2,49% em relação à RCL, sendo o único dos entes a ficar abaixo dos três limites definidos pela LRF: 3,4% de limite máximo; 3,23% de limite prudencial; e 3,06% de limite de alerta. Os dados foram apresentados pelo secretário da Fazenda do Ceará, Mauro Filho, durante audiência pública de avaliação do cumprimento das metas fiscais do Estado no 3º quadrimestre de 2015. O debate ocorreu na Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação (COFT). Sobre o reajuste salarial dos servidores públicos estaduais, o secretário informou que será feita uma avaliação, no começo de abril, do comportamento das despesas e receitas do Estado para apresentar o valor que o Governo pode oferecer. O assunto foi questionado pelos deputados Carlos Matos (PSDB), Audic Mota (PMDB) e Walter Cavalcante (PMDB). Mauro Filho esclareceu que “o maior componente de gasto dos estados brasileiros é a despesa com pessoal. Essa cresceu 10,86% no ano, quase o dobro do que cresceu a receita (5,3%)”. O secretário lembrou ainda que foi feito um corte de 25% dos cargos comissionados, gerando uma economia de R$ 50 milhões.De acordo com o titular da Sefaz, a receita do Estado cresceu 5,3% em 2015, perdendo

Ceará em Brasília

para o valor da inflação, que ultrapassa 10%. Além disso, em janeiro deste ano, ele disse que houve uma queda de R$ 136 milhões no repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE), o que representa um corte de 21%. Em relação às despesas, houve um aumento de 5,97% em comparação com 2014. Com relação aos investimentos públicos, Mauro Filho afirmou que o Governo do Estado tem dado prosseguimento a importantes obras, como o Ceará IV, a instalação de sistemas de abastecimento de água, a ampliação do Porto do Pecém e a continuidade das obras do Cinturão das Águas. Entretanto, ele lembrou que a queda nos repasses federais prejudica a continuidade de obras que necessitam de recursos da União. Em resposta a um questionamento do deputado Joaquim Noronha (PP) sobre a amortização da dívida pública, o secretário disse que Estado paga regularmente os juros e a amortização da dívida. Entretanto, somente a desvalorização do real frente ao dólar fez a dívida subir cerca de R$ 1,6 bilhão. O deputado Zé Ailton Brasil (PP) destacou que o Ceará tem concedido reajustes acima da inflação nos últimos anos; enquanto o presidente da COFT, deputado Júlio César Filho (PMB), ressaltou a capacidade do Estado de manter em dia a folha de pagamento e o volume de investimentos. Já o deputado Roberto Mesquita (PV) criticou a paralisação de obras no Estado e rebateu a afirmação de que o Ceará continua com investimento alto. No relatório, consta R$ 2,4 bilhões em investimentos em 2015, um volume menor que os R$ 3,4 bilhões de 2014. Participaram também da audiência os deputados Evandro Leitão (PDT) e Bruno Pedrosa (PSC).

2. Se o inferno estiver a se expandir numa taxa maior do que a de entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele. Então, qual das duas opções é a correta? Se nós aceitarmos o que me disse a Helena, minha colega do primeiro ano: “Haverá uma noite fria no inferno antes de eu ir para a cama contigo”, e levando em conta que ainda NÃO obtive sucesso na tentativa de fazer amor com ela, então a opção 2 não é a verdadeira.” Ou seja: O INFERNO É EXOTÉRMICO.” O aluno Y tirou o único “10” na turma. E, na minha opinião, merecia ir para a cama com a Helena... (*) Wilson Ibiapina (Ibiapina) jornalista e diretor do Diário do Nordeste, em Brasília.

Ceará nota 10, lidera ranking de transparência do MPF

Em mais uma avaliação do Portal da Transparência e dos serviços de transparência prestados pelo Governo do Estado do Ceará, o Ministério Público Federal (MPF) atribuiu nota máxima, reconhecendo o Estado como líder em transparência do Brasil, de acordo com dados do Ranking Nacional da Transparência, divulgado em 08.06. A nota conferida ao Ceará melhorou em relação ao último levantamento feito pelo órgão em 2015, saltando de 8,2 para 10, um aumento de 21,95%. Segundo o órgão, o nível de transparência de estados e municípios brasileiros aumentou cerca de 31% em seis meses. “Ficamos bastantes satisfeitos com o resultado do Ceará, pois, ao mesmo tempo que nos enche de orgulho, também aumenta a nossa responsabilidade para mantermos nosso mecanismos de transparência sempre disponíveis e atrativos para os cidadãos. As avaliações periódicas realizadas por diversas entidades brasileiras são sempre bem-vindas. Elas funcionam como termômetros para que os gestores não se descuidem em nenhum minuto de abastecer os portais da transparência”, avalia o secretário Chefe da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará, Flávio Jucá. Os dados para a montagem do ranking, organizado pela Câmara de Combate à Corrupção do MPF, foram levantados entre os dias 11 de abril de 2016 e 25 de maio de 2016 nos portais da transparência dos 5.568 municípios e dos 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal. A média desta edição foi superior à da edição passada, saltando de 3,92, em 2015, para 5,15, em 2016. Ao lado do Ceará, os estados do Espírito Santo e de Rondônia também conquistaram nota máxima. O levantamento leva em conta aspectos legais e boas práticas de transparência, com base em questionário elaborado pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA). A medição é feita a partir do grau de cumprimento da legislação verificado, por parte de municípios e estados, numa escala que vai de zero a dez.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

7

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras IV

Ideal democrático

Gonzaga Mota (*)

Ética e governabilidade devem caminhar juntas, buscando uma sociedade politicamente aberta, soberana, de economia forte e socialmente justa. Estas questões estão também associadas ao fenômeno da globalização, que é importante, porém sem explorados e exploradores, sem discriminação, vinculada a um debate amplo sobre tecnologia, pobreza, crescimento, meio ambiente e políticas sociais. A globalização deve ser observada não apenas do ponto de vista econômico, mas também político e cultural. Por sua vez, a política é mutável ou dinâmica, já a moral é permanente. O importante é compatibilizar a política e a moral dentro de bases éticas que respeitem a liberdade, a democracia, a estrutura legal e a justiça social. Ademais, ressalte-se, alcançaremos a verdadeira governabilidade mediante o atendimento das reais necessidades e carências do povo e não fazendo concessões e acordos que possam prejudicá-lo. A rigor, é difícil imaginar soluções para os problemas de uma sociedade. Enquanto as pessoas não tiverem consciência critica e visão de mudanças, ela não evolui. Buscar um mandato eletivo ou exercer uma atividade pública significa muita responsabilidade ética, moral e também. social. O objetivo da politica, todos sabemos, é a conquista, a expansão e a preservação dos espaços de poder. O embate e os jogos dos contrários constituem a essência dos sistemas democráticos, respeitando-se os princípios éticos e morais, bem como evitando-se corrupção, emboscadas e conluios. Vale destacar, por fim, a atividade estatal deve buscar o bem para todos e não para um grupo temporariamente no poder.

Justiça e Paz Entendemos que os dois grandes problemas do nosso tempo são as questões envolvendo a paz e a justiça social. São problemas interdependentes abrangendo, principalmente, aspectos dos direitos humanos. No atual estágio da humanidade, destacam-se como fundamentais os direitos à vida e à liberdade, como também o direito de se ter o mínimo indispensável para alcançar a cidadania. Ações de política econômica precisam ser concebidas visando buscar uma melhor justiça distributiva, consequentemente uma organização socialmente justa. A vida é mais agradável e bela quando percebemos a presença da amizade e a ausência da inveja e do ódio. Torna¬-se básico a exaltação dos valores internos e morais, para que possamos buscar felicidade e esperança. Vivemos dias de expectativas, para não dizer de intranquilidade e angústia, no contexto mundial. Em todas as nações, da mais rica às mais pobres, existem problemas relacionados com a falta de entendimento, humildade, justiça, amor e paz. Acreditamos que a supremacia dos valores materiais sobre os espirituais é a grande responsável pelo atual desajuste universal. Quando dizemos valores espirituais não estamos nos referindo e também nos restringindo a uma determinada religião, doutrina ou seita. Vale lembrar Mahatma Gandhi: “Considero-me hindu, cristão, mulçumano, judeu, budista e confuciano”. A falta de solidariedade leva ao desentendimento, à intolerância e ao comportamento irracional. Não queremos um mundo preconceituoso. (*) Gonzaga Mota (Fortaleza) Professor aposentado da UFC-Ex Governador do Ceará e meu amigo

Junho/16

8

Governador Camilo Santana visitou obras da Siderúrgica e da expansão do Porto do Pecém Produzir aço para o mercado global de forma segura, competitiva e sustentável, impulsionando a economia cearense. Esse é o objetivo da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), instalada na cidade de São Gonçalo de Amarante, que recebeu em 17.05 a visita do governador Camilo Santana. A primeira usina integrada do Nordeste já está em fase de comissionamento para iniciar a operação, prevista para junho, registrando mais de 99% das obras concluídas. Na ocasião, o chefe do Executivo também realizou uma visita de acompanhamento à obra de segunda expansão do Porto do Pecém. Camilo Santana destacou a importância que a CSP terá para a economia cearense. “Seria bom se todo cearense tivesse a oportunidade de ver essa obra que é impressionante, vai gerar oportunidade de emprego, vai dinamizar a economia, a tecnologia é de ponta. É um sonho para o Ceará. Quero parabenizar todos os envolvidos pela realização desse grande trabalho que será referência em todo o mundo. A CSP está localizada em uma zona de livre exportação, colocando o Ceará na rota de vários países”, disse. No Porto do Pecém, o governador visitou os três novos berços, dos quais dois já estão prontos (7 e 8) e o terceiro deverá ser entregue até novembro deste ano; a nova ponte de acesso, que fica pronta em junho de 2017, e a correia transportadora para minério de ferro, construída para atender exclusivamente a siderúrgica. De acordo com o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, a obra já apresenta 80% de avanço e irá aumentar a capacidade de movimentação do Porto para até 750 mil TEU’s por ano. “Em junho chegam os novos STS’s, que são grandes guindastes utilizados para incrementar a movimentação de contêineres. Estamos preparados para atender a CSP e novos investimentos que venham se instalar no complexo, mas vale ressaltar que isto é apenas o começo do que planejamos, com o apoio do governador Camilo Santana, para o CIPP”, declarou Danilo. O secretário da Infraestrutura, André Facó, destacou o andamento das obras. “O governador Camilo Santana constatou, na visita de hoje, que as obras de ampliação do Porto estão no cronograma previsto. A ampliação completa do Pecém deve ser entregue aos cearenses ainda no primeiro semestre de 2017. Com a conclusão dessa etapa, o Ceará vai atingir um novo patamar no que diz respeito à infraestrutura portuária. O nosso Estado estará entre as melhores opções para empreendimentos e empresas que precisam de um porto moderno e seguro para o seu desenvolvimento”. Também participaram da visita a secretária de Desenvolvimento Econômico, Nicolle Barbosa; o assessor especial de Assuntos Internacionais, Antônio Bahlmann;

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

diretores da CSP, entre outros. Companhia Siderúrgica do Pecém Com investimento da ordem de US$ 5,4 bilhões e o objetivo de promover a ampliação da siderurgia no Brasil agregando mais valor ao minério, gerando riqueza e desenvolvimento para o Estado do Ceará e para o país, a Companhia Siderúrgica do Pecém foi constituída no ano de 2007, tendo como primeiras acionistas a brasileira Companhia Vale do Rio Doce e a sul-coreana Dongkuk. Três anos mais tarde, em 2011, a também sul-coreana Posco se somou a este projeto, constituindo a joint venture que deu início à CSP. Ocupando 571 hectares do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), considerado ideal por condições de solo, localização estratégica e viabilidade logística para a exportação, a usina conta com a infraestrutura portuária do CIPP, que possui adequadas instalações de carga e descarga de materiais e produtos, além de acesso fácil por rodovias e ferrovias. A CSP terá capacidade para produzir até 3 milhões de toneladas de placas de aço por ano. Para isso, irá empregar diretamente 2.800 profissionais, além de abrir 1.200 vagas terceirizadas. Outros 12 mil empregos indiretos serão gerados na região. Zona de Exportação A CSP é a primeira empresa a se instalar em uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no Brasil, uma área de livre comércio com o exterior, destinada à instalação de empresas voltadas para a produção de bens para exportação. Empresas instaladas em ZPE contam com benefícios tributário, cambial e administrativo específico, e comprometem-se a exportar, no mínimo, 80% de sua produção. Projetos Além da produção de placas de aço, a Companhia Siderúrgica do Pecém desenvolve iniciativas no âmbito econômico, social e ambiental. Entre eles está o Programa de Desenvolvimento Regional (PDR), que já promoveu diversas ações e atividades no sentido de preparar potenciais fornecedores à atual fase de construção da siderúrgica e à fase de operação. O Programa de Qualificação Profissional da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), vai empregar cerca de mil alunos formados pelo programa, que teve início em março de 2015 e recebeu mais de 15 mil inscrições. Já o Programa de Educação para a Sustentabilidade (PES) investe na educação ambiental como ferramenta para a construção de soluções sustentáveis que visem o desenvolvimento da região. São oficinas, cursos e mutirões de plantio de mudas e de coleta seletiva tendo como público-alvo empregados da CSP, trabalhadores da obra, escolas, comunidade e lideranças

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras V

Ela nasceu em Aurora em 22 de abril de 2015 e chegou a Afonso Pena em 1938. No seu centenário foi muito lembrada em Acopiara, por sua contribuição ao desenvolvimento da educação. A cidade não tinha instituições de nível médio, mantendo apenas um grupo escolar para a educação fundamental. Nasceu no seio de uma família humilde e fez em Aurora o seu curso primário. No meio do caminho tinha uma pedra, seja não havia perspectivas em Aurora, partindo para o Crato, de trem, onde concluiu o primário, fez o ginasial e normal, diplomando-se professora no Colégio Santa Tereza, das filhas de Santa Tereza. Era sonho de toda menina fazer o Normal e se tornar professora, como vocação e para ter sobrevivência com dignidade. Em 1938, foi nomeada professora do Estado para trabalhar em Acopiara, que tinha um Grupo Escolar, municipal, fundado em 1934, mais tarde nominado Grupo Escolar Pe. João Antônio de Araújo. Foi inicialmente acolhida pelo ilustre, Emídio Calixto, chegado em 1933, que teve um bar com cerveja e picolé, mesas de sinuca e bilhar ao lado da Igreja de N. S. do Perpétuo Socorro. Acopiara contava com um elenco de professoras leigas, como Idália Matos, Lídia Gurgel Valente, Maria Nogueira da Silva (d. Neném) Cecília Rodrigues, Francisca Saturno de Macedo (Chiquinha Saturno) e Perpétua Pinheiro Gurgel (apud Celso). A 1ª Professora diplomada de Acopiara Maria Iolanda Alves Herbster, filha de Pedro Alves de Oliveira e Maria Carmina Lima Alves, aos 10 anos, foi estudar no Colégio das Doroteias, de Fortaleza, onde se diplomou em 1940 aos 17 anos. Em 1945 foi nomeada para o Grupo Escolar de Acopiara.

Camilo pede verba para aeroporto de Juazeiro

O governador Camilo Santana solicitou ao ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MT), Maurício Quintella Lessa, por meio de ofício, durante viagem a Brasília, mais investimentos para o Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, localizado em Juazeiro do Norte. A situação do equipamento é delicada, conforme informou o Diário do Nordeste na edição do último dia 3 de junho, na matéria “Aeroporto de Juazeiro perde voos e preocupa”. Necessidades e reparos No documento, o governador informou a necessidade de priorizar o capital requerido dentro do Programa de Investimentos em Aeroportos Regionais, elaborado pelo ministério. Na avaliação de Camilo Santana, é “urgente garantir recursos para recuperação e reforço do pátio e taxiways, evitando assim a paralisação da operação do aeroporto, além de garantir o crescimento sustentável do mercado de aviação civil na macrorregião do Cariri”. Ainda segundo o ofício, os recursos seriam aplicados para estruturas de Taxiway e Pátio, tendo em vista que a Taxiway C está interditada por conta da desagregação da camada asfáltica, há uma restrição para as aeronaves A320 e B737 200 por conta da compatibilização de ACN com PCN, além da Taxiway Beta necessitar de reparos. Inviabilização Camilo ressaltou no termo que, caso não sejam realizados urgentemente os investimentos nas infraestruturas em questão, existe a possibilidade de ter quase que uma inviabilização do aeroporto para voos comerciais.

Ceará em Brasília

Em 31 de dezembro de 1938, Elodia casou-se com Ildefonso Ferreira de Souza, que viera em 1937 de Várzea Alegre, onde nasceu em 5 de junho de 1912. Ildefonso fundou a “Casa Ferreira”, que era uma loja de tecidos. Do casamento, nasceram Maria Socorro Teixeira de Sousa, (Socorrinha), professora, casada com João Ivan Teixeira, médico, Maria Elaine Tavares de Sousa, divorciada; Maria Eliete de Sousa Martins, casada com Araújo Félix Martins, engenheiro agrônomo; Maria Eleri Tavares de Almeida, viúva, empresária, Ildefonso Ferreira de Sousa Filho, casado com Maria Consuelo Ferreira Vidal, empresários, Manoel Tavares de Sousa Neto, separado de Neusa Liduina Mendes de Sousa e casado com Aury Vieira da Silva,Maria Elba Tavares de Sousa, assistente social; Maria Édila Tavares de Sousa Facó, assistente social (in memoriam) que foi casada com Francisco Edson Facó Bezerra e Elodia Tavares de Sousa Marques, servidora pública, casada com Augusto César Peixoto Marques, engenheiro mecânico e empresário.. Elodia abraçou a educação, no Grupo Escolar, ao lado entre outras, de suas colegas Iolanda Herbster, Maria Idelzuite Araújo e Silva, conterrânea de Aurora, Mariana Martins, Maria Luísa Monteiro, Maria Aglais Albuquerque Marques, Cecília Bernades. Rapidamente, Elodia se transformou na professora que todos os pais queriam para os seus filhos, por seus conhecimentos, pela forma de ensinar e educar, pelo carinho com que tratava as crianças e as preparava para o exame de admissão ao ginásio o que seria feito em Iguatu, Crato ou Fortaleza, para os meninos e meninas. O plano B dos meninos era o Seminário do Crato ou a Marinha em Fortaleza. Levou tempo para sair do chão da sala de aula para a direção do Grupo Escolar. Chegou a vice diretora e logo implantou o “Pelotão da Saúde”, que tinha como patrono

o dr. Tibúrcio Valeriano Soares Diniz , de Serra Talhada/ PE, que chegara a Acopiara em 1937 e que foi prefeito de 1950/1954. Elodia construiu um espaço de dois cômodos dentro do Grupo onde implantou dois consultórios, um médico, que era assistido pelo dr. Tibúrcio, e outro dentário, assistido pelos dentistas Luis Gonzaga da Silva e Ezequiel Albuquerque de Macedo. A obra foi toda feita com recursos privados, arrecadados em festas e quermesses que promovia com seu esposo, Ildefonso, dirigente da Associação Comercial. Dr. Tiburcio receitava e doava os remédios às crianças carentes. Foi um pouco mais ousada ao implantar um auditório no Grupo para desenvolver o lado cultural e social dos alunos, para apresentação de teatro e shows musicais. Elodia empenhou-se com a coletividade para a implantação do Ginásio Monsenhor Coelho, em 1958, instalado pelo prefeito Alfredo Nunes de Melo, 1955/1959) e pela ex professora e mais tarde procuradora estadual,Maria Nailê Carlos Peixoto, tendo sido nomeada 1ª Diretora a profa. Izaura Albuquerque de Macedo. Quando se aposentou, criou uma escola particular oferecendo o curso primário, na garagem sua casa, (ainda não existia a Globo para mostrar deficiências...) por onde passaram acopiarenses ilustres. Foi homenageada pela Câmara Municipal de Vereadores com título de Cidadã de Acopiara. Morou um tempo em Fortaleza e faleceu em 16 de outubro de 2001, aos 76 anos, e está sepultada na capelinha do Hospital e Maternidade Júlia Barreto, ao lado de seu esposo, Ildefonso Ferreira de Sousa. (*) J.B. Serra e Gurgel (Acopiara) jornalista e escritor, sobrinho de Francisca Gurgel Brasil, www.serraegurgel@ gmail.com

Ceará quer “data center” da Amazon, uma das maiores empesas de e-commerce, que atua em vários segmentos.

Uma das maiores empresas de e-commerce do mundo, a Amazon atua em vários segmentos. Conhecida por ser uma das maiores empresas de e-commerce do mundo, a Amazon, que também atua em diversos segmentos da área de tecnologia, pode investir em solo cearense muito em breve. É que atualmente o Governo do Estado, por meio da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), negocia com a multinacional norte-americana a chegada de programas educacionais de fomento ao empreendedorismo, que podem envolver até a implantação de um data center da empresa no Estado. Segundo o diretor de segurança da informação da Etice, Pablo Ximenes, que na última quinta-feira (2) se reuniu com a vice-presidente global da Amazon Web Services (AWS), Teresa H. Carlson, em São Paulo, o foco da parceria entre o Estado e a empresa norte-americana seria o serviço de nuvem, ou seja, a entrega sob demanda de recursos de TI e aplicativos pela internet, com modelo de definição de preço conforme a utilização. “Em julho ou agosto vamos nos reunir novamente para tratar do assunto. Eles estão dispostos a investir e o Ceará desponta como forte candidato”, ressalta. Para Ximenes, caso a Amazon decida investir no Ceará, a empresa promoverá a criação de vários programas educacionais voltados ao empreendedorismo, firmando

parceria com universidades locais. Além disso, a criação de um data center geraria um forte impacto no serviço cearense de nuvem, dando vantagem competitiva ao Estado. “A Amazon ainda não levou este tipo de investimento para nenhum estado brasileiro. Se a parceria for concretizada, teremos um impacto significativo no nosso serviço de nuvem, que é algo bastante buscado pelas empresas hoje em dia, posto que otimiza os recursos de computação e barateia as operações de TI”, destaca o diretor da Etice. Atrativos Além do Ceará, outros estados têm interesse em contar com os investimentos da Amazon, mas, para Ximenes, uma série de diferenciais cearenses despontam como atrativos para a multinacional. “Somos privilegiados em alguns aspectos. O Ceará, por exemplo, é o hub de telecomunicações do Brasil, já que todos os cabos submarinos passam por aqui primeiro. Fora isso, temos uma malha de fibra ótica que percorre todo o Estado, que é o Cinturão Digital, além de uma indústria de energias renováveis bem desenvolvida e uma ZPE em funcionamento”, destaca. Conforme Pablo, todos esses atrativos foram apresentados na reunião da última quinta-feira, em São Paulo, que também contou com o diretor administrativo da Amazon, Jeffrey Kratz, o gerente do setor de educação da Amazon Brasil, Cláudio Luiz Silveira, e o gerente do setor público, Michael Rodriguez.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

9

Foto: Reuters

Por J.B. Serra e Gurgel (*)

d. Elodia Tavares de Souza, a professorinha de Aurora que se consagrou em Acopiara

Junho/16


An_ceara_em_brasilia_25x27,5cm.pdf

1

06/06/16

17:20

acesse o site: www.casadoceara.org.br

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Junho/16

10

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


MDB_JornaldoCeará.pdf

1

13/02/15

16:59

acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Ceará em Brasília

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

11

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras VI A Minha Cidade de Fortaleza

Fernando Milfont (*) A cidade cresceu demais, espraiou-se por uma planície imensa. Muitas casas de telhado cor de barro quase vermelho, muitos prédios modernos, muitas ruas longas e retas, aqui e ali um casarão com piscina, ao que parece, clube social, parques arborizados a perder de vista, as praias com ondas suaves quebrando na areia, diferentes daquelas que, no cantar do poeta eram “Os verdes mares bravios de minha terra natal.”Visto de cima, para mim, tudo mudou, nos mais de cinquenta anos que se passaram desde que de lá saí em busca de novo eu. Por acaso, no clique de uma tecla de computador, vi o que ficara para trás. Ia e vinha, num arrastar de imagem, ampliando e apequenando o panorama, procurando aqui e ali o meu passado. Além da praia, de um moderno aeroporto, de um estádio de futebol que substituíra o dos velhos tempos, campo de barro duro, arquibancadas de madeira como as da plateia de circo mambembe, nada vi que pudesse identificar a rua onde nasci, onde morei em criança, rua de calçadas altas, piso de areia antes do calçamento ou do asfalto, areia que o vento transformava em poeira cinzenta, começando na praia sem ter onde terminar, seguindo adiante no rumo do progresso, rua onde leite era servido em copo, saído diretamente da fonte, a própria vaca, que caminhava lerda tangida pelo vendedor, de chicote na mão - um galho seco de arbusto, parando de porta em porta nas tardes quentes do verão do ano inteiro, nessa que era a rua do “eu” pequeno. Depois vieram outras, já nem me lembro, o tempo se encarregou de esfumar a memória. Do panorama visto do alto, nada do antigo pude encontrar, não sei se findaram, sei apenas que antigas vilas distantes sumiram, incorporadas à expansão da cidade, terão desaparecido no alvoroço da modernização. Um pouco do tudo me veio à lembrança naquele curto espaço de tempo em que a Fortitudine ia e vinha, crescia e diminuía ao toque de um clique. Do frenético tempo de hoje, voltei ao passado, vi-me andando de bonde, lendo o reclame (que era o termo usado para anúncio) :”Veja o ilustre passageiro/ o belo tipo faceiro/ que está sentado a seu lado. No entanto acredite/ quase morreu de bronquite, salvou-o o Rhum Creosotado”, ou quando se ouvia no rádio: “Uma mão lava a outra com perfeição/ as duas lavam roupa com Sabão Pavão” (produto da indústria cearense). Isso foi antes do tempo da brilhantina usada para assentar os cabelos - a Coty, de luxo, depois a concorrente Royal Briar, perfume mais forte, preço mais baixo, depois a Glostora, vaselina líquida, que dava brilho aos cabelos e, sob o forte calor, escorria derretida pelas orelhas. Uma ou outra, saíam no pente, em forma de massa escura, mistura da vaselina com o pó das ruas. A moda passou, veio o Gumex, “Dura lex, sed lex, no cabelo só Gumex”, era o mote do reclame, depois o Bilcream, ambos uma espécie de gel, que fixava e armava o penteado, embelezado por um topete, que era chamado trunfa, alisado com o costado do pente, no topo da testa, um requinte da modernidade. Depois vieram as novas modas, mas não é de moda que estou querendo falar, pois se fosse teria de trazer à lembrança o paletó de caroá, fibra amarelada, muito usada no Nordeste (agora de serventia apenas para fazer cordas), paletó de ombreiras altas, prega enorme nas costas, chamado de “Voando para o Rio”, moda, como a da brilhantina, nascida dos filmes de Hollywood, onde os galãs Tyrone Power e Robert Taylor pontificavam como modelo para os rapazes, e delírio das moçoilas. Não são apenas os tempos nem os galãs do cinema, fábrica de emoções, o que me vem à lembrança é ver a cidade toda, o que eu quero ver e não estou vendo, a não ser por trás dos meus olhos e na tela do meu pensamento, é a rua da minha infância, a rua onde eu sonhei o futuro. O que eu quero ver e não estou vendo, na Fortaleza onde eu nasci, é a antiga Praia de Iracema, quero ver a Praça do Ferreira com a Coluna da Hora feita em concreto, de altura talvez uns dez ou quinze metros, com quatro relógios, um em cada lado, que eu vi ser inaugurada ao nascer o ano novo de l936; está somente nas lembranças o velho mercado no centro da cidade, onde de tudo se vendia, das frutas doces e frescas, da carne de sol da rapadura, do delicioso queijo de coalho, a peças de roupa para todos os tamanhos, sem preocupação das exigências da moda. Sobretudo e mais difícil, quero ver os amigos e companheiros de trabalho e tudo mais que de repente foi retirado dos escaninhos da memória, agora já quase apagada, ensombreada pela poeira do tempo, em diria os “bons tempos” que não voltam mais. De lá fica-me no gosto o sabor delicioso do baião-de-dois com paçoca pisada no pilão de tronco de árvore, fica-me no paladar o gosto do suco da manga-rosa, da cambica de murici, do caju e do sapoti e de tudo mais que é bom de saborear, mesmo nos momentos de devaneios, em que o mundo cearense desfila na memória. (*) Fernando Milfont (Fortaleza) . jornalista e escritor (milferdiv@gmail.com

Junho/16

12

Documento

1º Distrito Industrial do Ceará, em Macanaú, faz 50 anos. Setor inicia nova era Meio século se passou desde o início da implantação do primeiro Distrito Industrial planejado do Ceará, em Maracanaú. Marco de uma nova era do setor, a região que hoje abriga o complexo transformou-se em polo de atração de empresas e lançou bases para o futuro da economia do Estado, que se projeta a partir do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). Falta de infraestrutura é o principal obstáculo; Investimentos transformam a vida da população do entorno; São Gonçalo é a região do futuro econômico; O plano diretor do distrito data de 1964, durante o primeiro mandato do governo Virgílio Távora (19631966). Seu processo de implantação foi iniciado, entretanto, somente em 1966, após anos de luta por condições de infraestrutura que possibilitassem o desenvolvimento do Estado, principalmente, com a garantia da oferta de energia à região. A primeira indústria a se instalar no local foi a Ceará Laminado e Compensados S.A (Celaco), no início de 1967. Na época, as empresas que existiam eram concentradas em Fortaleza, nas proximidades da Avenida Francisco Sá, no bairro Jacarecanga. Maracanaú ainda era parte do município de Maranguape, quando foi avaliado como o melhor ponto para sediar o esperado Distrito Industrial. Atualmente, a cidade já tem quatro distritos industriais e ainda é, depois da Capital, a que tem maior participação no Produto Interno Bruto (PIB) cearense. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relativos a 2013 mostram que Maracanaú foi responsável por 5,75% do PIB do Estado naquele ano, ficando atrás somente de Fortaleza (45,7%), e à frente de cidades como Caucaia (4,18%), Sobral (3,11%) e Juazeiro do Norte (2,96%). Dos R$ 108,7 bilhões produzidos no Estado naquele ano, R$ 6,2 bilhões foram no município. Evolução Segundo Antônio Sílvio, coordenador do Programa de Atração de Empresas da Prefeitura de Maracanaú, a demanda para a implantação de novas indústrias foi crescendo ao longo dos anos, o que fez surgir a necessidade de novos espaços de incentivos. Considerando toda a extensão do município, con-

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

forme levantamento de 2013 do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), havia 1.444 indústrias ativas. Apenas no perímetro do primeiro distrito, hoje, segundo o coordenador, existem 84 indústrias em funcionamento. Em 1988, foi criado o Distrito Industrial III nas proximidades do Anel Viário, que hoje sedia 28 fábricas. Em 1994, o Distrito Industrial 2000, terceiro no município, foi delimitado. Há oito indústrias implantadas e ativas na região. O último, Distrito Industrial Volta Alegre, foi criado em 2005, onde há três fábricas. São indústrias, principalmente, dos setores de metalmecânica, alimentos, têxtil e confecções. O município é o segundo no Estado em número de vagas formais de emprego, atrás somente de Fortaleza. Conforme dados da Prefeitura de Maracanaú, até o fim do ano passado, lá existiam 58 mil empregos formais, o equivalente a 3,81% do total de 1,5 milhão de vagas do Estado. Expansão Apesar das dificuldades decorrentes do arrefecimento econômico no País, o desenvolvimento industrial da região foi um dos primeiros passos em prol do crescimento do Estado e é, ainda hoje, um grande centro de geração de riquezas. A ideia daqui para frente, conforme Antônio Sílvio, é otimizar o uso dos espaços utilizáveis da área. “Ainda existem muitos galpões fechados, terrenos não utilizados. Nossa intenção é dar mais dinamismo desapropriando, ou incentivando a iniciativa privada a adquirir esses imóveis que não têm atividade. Além disso, existem algumas alternativas de terrenos para desapropriar e permitir novas ocupações”, explica o coordenador. Potencial Nas próximas páginas, apresentamos as dificuldades pelas quais passam indústrias da região, bem como histórias de quem vive essa realidade. Traçamos um cenário do futuro da economia cearense, com o potencial do parque industrial ligado ao Porto do Pecém e ao município que o abriga, São Gonçalo do Amarante. por Yohanna Pinheiro/Raone Saraiva - Repórteres do Diário do Nordeste

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras VII João Soares Neto (*) Há tempo, muito tempo, o Brasil nos prega peças. Ou somos nós os que pregam peças ao Brasil? Não há como esquecer fatos históricos acontecidos desde a metade do século passado, época que tomei como partida. Hoje é sexta, 13 de maio de 2016. Surge Eurico Gaspar Dutra, eleito presidente, com ideias de algibeira, a mando de sua extremada esposa: decretar o fim das brigas de galos, jogos de azar, fechar os cassinos e sobressair uma capela dentro da sede do governo. Fez o trivial. O povo queria Getúlio Vargas de volta, o dadivoso mentor de legislação trabalhista baseada em princípios italianos, de Benito Mussolini, que pressupõem o patrão, vilão, e o trabalhador, vítima. Eleito, Vargas volta e monta estrutura íntima dentro do Palácio do Catete, incluindo ministros, filhos, jornalistas apadrinhados e curimbabas comandados por Gregório Fortunato. Fustigado por Lacerda e as evidências do crime da Rua Toneleros, opta pelo suicídio, com escrita premeditada, em 24 de agosto de 1954. O homem baixo, rotundo, arguto e bom orador que veio de São Borja, no Rio Grande, para ser o “pai da Pátria”, por mais de duas décadas, leva milhares à visitação do seu corpo inerme. Vargas foi ditador, mito, impulsionou o surgimento da indústria nacional, mas perdeu a legitimidade por conta dos que o cercavam. O vice-presidente Café Filho assume e tenta comandar governo de transição que desemboca em atritos, crises, substituição e afins.

O Brasil, vice a vice

Surge, então, o audaz, médico e político Juscelino Kubitschek de Oliveira. Eleito em dura refrega, resolve mudar o foco do governo para a construção de uma nova capital, Brasília. Ela surge pelos lápis, réguas T, compassos, transferidores e esboços do arquiteto Lúcio Costa. E assim o fez, gastando no plano piloto e nos prédios projetados por Oscar Soares Niemeyer, o que o governo não possuía. Aumenta a dívida pública em relações de compadrio com empresas construtoras que já conhecia desde Minas. Sai com prestígio popular. Não existia a reeleição. Entrega Brasília a jato, passa a faixa a Jânio da Silva Quadros, alguém que mereceria análise e ajuda profunda dos seguidores de Freud e de Winnicott. Como tal não aconteceu, Jânio perde a maioria no Congresso Nacional e intenta uma manobra que acaba em mal explicada e patética renúncia. Naquele tempo, os candidatos a vice eram votados e não faziam dobradinha com os aspirantes a presidente. Outro mês de agosto, agora em 1961. O país fica, por dias, nas mãos de Auro Soares de Moura Andrade, até que se consuma a volta negociada de João Goulart, o vice, que passeava na China da revolução cultural de Mao Tsé-Tung. Políticos, juristas e militares engendram um Jango e Tancredo Neves, como primeiro-ministro. O parlamentarismo não resiste a um plebiscito. Jango passa a mandar, mas não leva jeito nas manhas e artimanhas palacianas. Em 1964, depois do comício de 13 de março na Central do Brasil - com a inversão da hierarquia militar, no corpo de praças da Marinha - começam as confabulações

para a derrubada de Jango. Magalhães Pinto, Lacerda, políticos trânsfugas e militares, entre os quais o cearense Humberto de Alencar Castelo Branco, reúnem-se e tramam. De Minas e São Paulo, avançam os aparatos militares que tomariam o poder. Não houve tiros. Jango, de boa paz e não bom de gestão, não resiste e se manda para o Rio Grande do Sul. Em seguida, se autoexila em fazenda sua no Uruguai, onde, muitos anos depois, falece. No dia de sua morte havia viajado de avião, de barco e de carro. Janta, passa mal, a assistência médica demora e nasce a ideia de assassinato – por envenenamento – depois desmentida, com a exumação e múltiplos exames de peritos médicos. Começa o ciclo militar. Duraria mais de 20 anos. Permanece sob a lupa crítica de historiadores, de jornalistas, de cientistas políticos e da Comissão da Verdade. Tancredo, Ulysses, Montoro, FHC, Lula e outros se unem e lutam pelas Diretas Já. Estamos nos anos 80. No meio operário, com a ajuda de religiosos católicos, surge um partido de sindicalistas e de parte da intelligentsia paulista. O PT e Luiz Inácio Lula da Silva inauguram um novo tempo. Fernando Collor, um carioca-alagoano, com a ajuda de parte da mídia vai eleito. Deu no que deu. Itamar Franco, o vice, assume. E, querendo ou não, faz um bom governo. Café Filho, João Goulart e Itamar, foram vices. Como disse Tom Jobim: “O Brasil não é para principiantes”. (*) João Soares Neto (Fortaleza) empresário, jornalista, escritor e acadêmico da Academia Cearense de Letras

2º hotel 7 estrelas do mundo poderá ser instalado no Ceará Negociação para atrair o investimento está sendo feito pela SDE. O local da obra, contudo, ainda não foi definido Sem igual no País e em toda a América, o empreendimento deverá contar com uma estrutura que promete transformar a cidade na qual se instalar, vide a necessidade de serviços complementares aos ofertados no hotel Projeto inclui uma marina para iates, centro de beleza e estética, centro de esportes, centro de jogos e spa com piscinas, dentre outros equipamentos O Ceará está prestes a agregar mais um gigantesco empreendimento à lista de equipamentos turísticos que já possui ao negociar a captação do segundo hotel 7 estrelas do mundo, segundo afirmou a titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Nicolle Barbosa. Planejado por empresários libaneses, cuja empresa não foi revelada, o projeto é estimado em R$ 500 milhões e deve gerar 2,5 mil empregos formais diretos e mais 5 mil indiretamente. “Com um hotel 7 estrelas, o Ceará mais que consolida a vocação turística, pois o peso dele soma-se aos demais equipamentos, tanto do Estado como o Centro de Eventos e o Acquario, como da iniciativa privada, a exemplo do Beach Park”, ressalta Nicolle, mencionando também o peso de um hotel desse porte para captar outro equipamento, o hub da Latam. O local, no entanto, ainda não está definido. Mas para atender à exigência dos investidores, que pedem 100 hectares e proximidade de aeroportos, três cidades foram apresentadas: Aracati (na qual três locais foram visitados pela comitiva); Cascavel (dois locais vistos) e Cruz (mais três locais). Incentivos A escolha dos municípios teve como critério principal a agilidade das prefeituras em responder ao questionário

Ceará em Brasília

enviado pela SDE, no qual apresentaram áreas para o hotel se instalar, além da possibilidade de benefícios fiscais, como isenção de Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e desoneração de Imposto Sobre Serviços (ISS). Da parte do Estado, a secretária de Desenvolvimento informa que ainda não há uma definição do que poderá ser ofertado aos libaneses. Sobre a negociação, ela contou que está “bem adiantada” e, após dois meses de

conversa e a vinda deles para conhecer as cidades cearenses, “em breve será assinado o termo de cooperação entre as partes”, quando será definida a cidade para a construção do hotel. Estrutura terá até marina Sem igual no País e em toda a América, o empreendimento deverá contar com uma estrutura que promete transformar a cidade na qual se instalar, vide a necessidade de serviços complementares aos ofertados no hotel. Conforme Nicolle, serão construídos uma marina para iates e embarcações de pequeno porte, centro de beleza e estética, centro de esportes, centro fitness, centro de jogos, english pub, spa com piscinas, discoteca, parque aquático, sete restaurantes (comida brasileira, libanesa, chinesa, indiana, francesa, italiana e espanhola), 300 leitos, salão de eventos com 1,5 mil lugares, duas salas de conferência, oito salas de reunião, centro de negócios com estrutura de recursos de alta tecnologia e bangalô. Exclusivamente para a área do resort, vide que o empreendimento visa também o turismo de negócios, o hotel projeta a construção de 200 apartamentos, 25 vilas de luxo e um shopping com lojas, galerias, além de restaurantes de comida fast food. “Isso vai mudar completamente a economia local dessas cidades. Vai dinamizar os pequenos negócios, além de acionar grandes fornecedores da Capital”, afirma Nicolle. Até hoje, o único hotel 7 estrelas do mundo é localizado em Dubai (Emirados Árabes) e tem uma estrutura tão gigantesca quanto a do empreendimento projetado para o Ceará. O grupo de empresários libaneses, segundo a SDE, já possui hotéis nos Estados Unidos, na Europa e em países do Mediterrâneo. por Armando de Oliveira Lima - Repórter, Diário do Nordeste

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

13

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras VIII A escravatura no Ceará de Maria Glaudia Férrer Mamede (*) O Ceará não recebeu um grande número de escravos, como outros Estados. Chegaram ao Ceará cerca de 35.000 escravos, vindos de Angola e do Congo. O Preço dos escravos era caro para a economia baseada em gado, que não carecia de muita mão de obra e facilitava a fuga dos escravos pelo sertão. A crise econômica do final do século XIX, agravada pelas grandes secas, resultou na venda de escravos para outras regiões do país. Em meados do século XIX, começaram a aparecer no Ceará, sociedades civis de combate à escravidão. Em 1880, surgiu, em Fortaleza, a Sociedade Cearense Libertadora, composta de 225 sócios, que se reuniam sob juramento de “matar ou ser morto, em bem da abolição”. Em 1881, a campanha abolicionista convenceu os jangadeiros a não transportar mais escravos de uma região para outra. Sob o slogan “no Ceará, não se embarcam mais escravos”, o movimento liderado por Francisco José do Nascimento, o “dragão do mar”, ganhou apoio total da população. A primeira vitória foi conquistada no Ceará, em 1º de janeiro de 1883, quando foram libertados os escravos, no município de Redenção. Em 25 de março de 1884, se fez a abolição da escravatura no Ceará, quanto anos antes do dia 13 de maio de 1888, quando se deu a abolição brasileira. Este fato lhe valeu o nome dado, por José do Patrocínio, de “Terra da luz”. Até Victor Hugo mandou, da França, suas saudações aos cearenses. Quero, ainda, destacar as palavras do ex-confrade Mons. João Victorino Barreto de Abreu, ditas na delicada carta que me enviou, a propósito desta palestra, onde elogia a minha iniciativa dentro desta querida Academia Cearense de Letras e Artes do Rio de Janeiro, e diz: “O Brasil, tardiamente, aboliu a mancha negra da escravidão. E quem foram os pioneira da libertação? Primeiro, o nosso Ceará” e acrescenta: “na palavra de Joaquim Nabuco, o Ceará é o começo da Pátria livre e segundo José do Patrocínio, o Ceará é o herói da abolição”. (*) Maria Glaudia Férrer Mamede (Fortaleza) escritora, secretária da Academia Cearense de Ciências Letras e Artes do Janeiro, titular da Cadeira 17 que tem como patrono Franklin Távora.

Junho/16

14

Empréstimos de US$ 250 milhões para o Ceará são publicados no Diário Oficial da União. Verba será usada em programas sociais e recuperação de estradas

O Ministério da Fazenda autorizou concessão de garantia da União para operações de financiamento externo dos Estados da Bahia e Ceará, além de empréstimos entre do governo da Paraíba e o Banco do Brasil. Os despachos estão publicados no Diário Oficial da União (DOU) de 30.05. Para o Ceará, foram dadas autorizações de concessão de garantia da União para duas operações. A primeira com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de até US$ 50 milhões, para o financiamento parcial do Programa de Apoio à Reformas Sociais do Ceará - PROARES III - 1ª Fase. Em outra operação de crédito externo, também com o BID, o Estado do Ceará terá um empréstimo de até US$ 200 milhões que destinam-se ao financiamento parcial do Programa Viário de Integração e Logística Ceará IV - 2ª fase. Para o Ceará, foram dadas autorizações de concessão de garantia da União para duas operações. A primeira com o Banco Interamericano de Desenvolvimento

(BID), no valor de até US$ 50 milhões, para o financiamento parcial do Programa de Apoio à Reformas Sociais do Ceará - PROARES III - 1ª Fase. Em outra operação de crédito externo, também com o BID, o Estado do Ceará terá um empréstimo de até US$ 200 milhões que destinam-se ao financiamento parcial do Programa Viário de Integração e Logística Ceará IV - 2ª fase. Para o Estado da Paraíba, foram autorizadas as contratações de duas operações com o Banco do Brasil, A primeira no valor de R$ 36,943 milhões e a segunda, de R$ 112,8 milhões. O Estado da Bahia teve autorização de concessão de garantia da União para a operação de crédito externo com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) - Banco Mundial, no valor de até US$ 200 milhões. O empréstimo destina-se ao financiamento parcial do Programa de Restauração e Manutenção de Rodovias Estaduais da Bahia (Premar), 2ª etapa.

TCU entregou à Justiça Eleitoral lista de responsáveis com contas julgadas irregulares. Ceará tem 267 responsáveis em 416 ocorrências

O Presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Aroldo Cedraz, entregou a lista de responsáveis com contas julgadas irregulares ao Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Gilmar Mendes. Integram a lista mais de 6.700 responsáveis. A Paraíba é o estado com maior número de responsáveis, 1.038, em 319 ocorrências, seguindo-se o Distrito Federal com 687 responsáveis em 896 ocorrências, Maranhão, com 542 responsáveis em 1.164 ocorrências, Rio de Janeiro,com 484 responsáveis em 670 ocorrência, São Paulo, 480 responsáveis em 587 ocorrências, Minas Gerais, 465 responsáveis em 546 ocorrências, Bahia, 450 responsáveis em 698 ocorrências, Pernambuco, 319 responsáveis em 445 ocorrências e Pará com 309 responsáveis e 537 ocorrências. Neste ano de 2016, o primeiro turno das eleições será no dia 2 de outubro. A lista contempla todos os responsáveis cujas contas foram julgadas irregulares e que não sejam passíveis de interposição de recurso, desde 2/10/2008 (últimos 8 anos). Desde sua disponibilização ao público, que ocorreu no mesmo dia do seu encaminhamento à Justiça Eleitoral, ela é atualizada diariamente até o último dia do ano. A lista é extraída do Cadastro de Contas Julgadas Irregulares (Cadirreg), que é elaborado e mantido pelo TCU. Esse cadastro abrange dados de pessoas jurídicas e físicas, vivas ou falecidas, detentoras ou não de cargo ou função pública, que tiveram suas contas julgadas

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

irregulares pelo TCU, em qualquer época. O Cadirreg é, portanto, um cadastro histórico e não se restringe ao período de oito anos compreendido na lista. O julgamento das contas por irregularidade insanável em decisão irrecorrível de órgão competente é uma das hipóteses previstas na “Lei da Ficha Limpa” para que a Justiça Eleitoral declare a inelegibilidade de uma pessoa. O órgão competente a que a lei se refere pode ser o TCU ou os tribunais de contas estaduais e municipais, por exemplo. Cada um desses órgãos elabora e encaminha sua própria lista de responsáveis com contas julgadas irregulares à Justiça Eleitoral. Conforme dado extraído do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o julgamento das contas como irregulares pelos órgãos competentes é o dispositivo da Lei da Ficha Limpa que ocasiona o maior número de registros de candidatura negados. A lista pode ser consultada no site do tribunal, em Lista de Responsáveis com Contas Julgadas Irregulares. Dúvidas frequentes sobre a remessa da lista à Justiça Eleitoral. Serviço: A lista foi concebida em formatos distintos, em ordem alfabética e por unidade federativa e será atualizada periodicamente até as eleições de 2016. Consulte a lista em ordem no site do TCU,

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras IX Macário Batista (*) Jomar Campos, jornalista famoso, era aluno interno do Colégio Sobralense, levado pela insistência do Padre Gonçalo Eufrásio, muito amigo do pai dele, conterrâneo de Ubajara na fria Ibiapaba e nos tempos em que lá havia abacateiros e a até o Shorigay, um outro personagem famoso da Serra Grande. Jomar chegou de férias e como menino letrado foi chamado por seu Francisco Vasconcelos, tio do também famoso Lincon Vasconcelos, outro jornalista. Seu Francisco acabara de assumir a presidência do Clube Recreativo Ubajarense e queria fazer umas modificações nos estatutos da entidade. - Seu Jomar, me ajude aqui, disse. Quero estabelecer umas regras e vou começar pelas proibições. E começou o ditado para Jomar ponhar na folha de papel almaço na velha Royal, um dos raros bens do CRU (quase) além da sede, esta cedida pelo pai do Antônio Miranda Neto. 1 - Proibido entrar mulher que gosta de mulher. 2 - Proibido entrar homem de que gosta de homem. 3 - Proibido entrar moça falada. Depois do breve ditado, pediu pra Jomar Campos ler o que havia estabelecido. Jomar leu:

Moça nomeada

A frase: “O primeiro a ser comido vai ser o Aécio 1 - Proibido entrar lésbica. Neves”. Sérgio Machado. Mas que horror!!! 2 - Proibido entrar gay. 3 - Proibido entrar moça que não for mais virgem. Seu Vasconcelos não gostou do que ouviu e retrucou; Seu Jomar, escreva aí do jeito que eu entendo e todo mundo vai entender: 1 - Proibido entrar sapatão. 2 - Proibido entrar baitola. 3 - Proibido entrar moça nomeada. Socialismo pra rico é ótimo Ministro do STF, Luís Roberto Barroso, ao jornal espanhol El País: “Modelo do Brasil não é capitalismo, é socialismo para os ricos” - Segundo o ministro, a relação de interdependência entre o Estado e o setor privado gera um ambiente de “troca de favores” danoso para a política e para a economia brasileira. “Tudo depende do Estado, das suas bênçãos, do seu apoio e financiamento. Todos os subprodutos negativos advêm como burocracia, troca de favores e corrupção pura e simples. Vivemos um modelo de capitalismo que não gosta nem de risco nem de competição. Isso não é capitalismo, isso é socialismo para os ricos”. Pelo sim, pelo não, melhor jamais discutir com a Justiça, muito menos em nível de Ministro do Supremo.

As rosas não falam Nada do que foi revelado até agora, exceção feita à queda do Romero Jucá, buliu com um botão nas casacas da República. Sérgio Machado entregou as fitas que gravou escondido e estas estão sendo postas todo dia na Folha de São Paulo. Quem entregou as fitas eu não sei, mas o que dizem lá de dentro que o perigoso mesmo, o barril de gasolina está nos depoimentos dados por Machado, entregando até as cumbucas de sal.

Foto: Marília Camelo

Mais de 60% das cidades devem ter rombo nas contas. Pesquisa da CNM aponta que recuo dos repasses federais afetará maioria dos municípios. Estado tem situação ainda pior Maioria das prefeituras depende de verbas da União. Apenas alguns municípios, como Fortaleza, conseguem se manter com recursos próprios. Fortaleza/São Paulo. Num efeito dominó, o rombo dos orçamentos públicos chegou ao elo mais fraco: as prefeituras. Com caixa mais apertado e pouca capacidade de arrecadação, os prefeitos têm lançado mão de várias medidas para fechar as conta, o que inclui desde a demissão de funcionários até a redução do horário de expediente dos órgãos públicos. O malabarismo, porém, não deve ser suficiente, posto que, nacionalmente, mais de 60% das prefeituras vão terminar o ano no vermelho, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). No Ceará, tal percentual pode ser ainda maior, diz o consultor econômico e financeiro da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), José Irineu de Carvalho. “Dos 184 municípios do Estado, apenas uns dez, tais como Fortaleza, São Gonçalo do Amarante e Eusébio, têm arrecadação própria suficiente para bancar suas despesas. Os demais são bastante dependentes de repasses como o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) e FPM (Fundo de Participação dos Municípios)”, destaca Carvalho. “Assim, creio que teremos bem mais do que 60% fechando o ano no vermelho. A situação por aqui é alarmante”, complementa o consultor econômico e financeiro da Aprece. Ainda de acordo com Carvalho, o FPM, por exemplo, já acumula uma defasagem real de 12% entre janeiro e maio deste ano (2,32% nominal mais a inflação). “O problema não é só 2016, já que no ano passado também tivemos um grande desequilíbrio nas contas. O último ano bom foi 2011”, diz o consultor.

Ceará em Brasília

Pano de fundo A deterioração das contas dos municípios, assim como vem ocorrendo com os governos estaduais, tem como pano de fundo a grave crise fiscal que assola o Brasil. Entre os estados, o problema foi agravado pela combinação entre alta da dívida e aumento das despesas com pessoal. Nas prefeituras, o nó está na alta dependência das verbas da União. Com arrecadação mais fraca desde o ano passado, os prefeitos têm sido afetados pela queda nos repasses públicos. Hoje, apenas 10% dos 5.570 municípios do País têm arrecadação própria para bancar as despesas. Na maioria dos casos, a principal fonte de recursos é o FPM, composto pela arrecadação do Imposto de Renda (IR) e Imposto sobre Produto Industrializado (IPI). E qualquer corte nesse fundo faz um estrago enorme nos cofres dos municípios.

Com a recessão econômica, que derrubou a arrecadação dos governos federal e estaduais depois de quase uma década de alta ininterrupta, os repasses começaram a minguar. No ano passado, o FPM teve queda real (descontada a inflação) de 2,3% e, neste ano de 13,7% até abril. Enquanto isso, as despesas com pessoal - principal gasto das prefeituras - e custeio continuaram a crescer. Só o piso salarial dos professores subiu 11,36%. O resultado dessa equação não tem sido positivo: falta dinheiro para pagar salário, fazer obras de infraestrutura, comprar remédios, abastecer os veículos e garantir a merenda escolar. A situação é tão grave que entrou no conjunto de prioridades do presidente em exercício Michel Temer. Em seu primeiro discurso, ele falou da necessidade de uma reformulação do pacto federativo que hoje provoca desequilíbrio entre as três esferas públicas na repartição dos tributos. “Estados e municípios precisam ganhar autonomia verdadeira sobre a égide de uma federação real, não sendo uma federação artificial, como vemos atualmente”, afirmou. R$ 165 bilhões a menos Ao todo, pelo menos R$ 165 bilhões deixaram de entrar nos cofres dos municípios nos últimos anos. Do total, R$ 122,7 bilhões são fruto de desonerações do IPI e IR, que diminuíram as transferências do FPM. Os cálculos foram feitos pela pesquisa da CNM no período de 2008 a 2014. A outra parte refere-se aos chamados restos a pagar - valores empenhados que não receberam desembolso do Tesouro e foram transferidos para o ano seguinte. Segundo o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, de 2003 para cá o governo deixou de pagar aos municípios R$ 43 bilhões. No total, são 80 mil empenhos referentes a obras iniciadas e emendas.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

15

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

O melhor da bela coleção de arte de Airton Queiroz, com mais de 250 obras, - Ícones do Modernismo - é exposta na Unifor em Fortaleza A Exposição da Coleção Airton Queiroz é no Espaço Cultural que leva o nome do Chanceler da Universidade de Fortaleza-Unifor. Com curadoria de Fábio Magalhães, José Roberto Teixeira e Max Perlingeiro, conduzida pelo olhar atento do chanceler, a exposição “Coleção Airton Queiroz” agrupa as obras de acordo com os períodos históricos e Modernismo é um ponto fora da curva, na história movimentos artísticos. daO arte no e do Brasil. Momento de radical renovação, contou com a participação de grandes talentos que, Sucedem-se os eixos “Do não raro, mantiveram sua relevância; e segue impulsionando novas gerações de artistas. Uma amostra da Brasil Holandês à Repú- força do modernismo brasileiro pode ser contemplada blica”, “Modernismo”, na exposição “Coleção Airton Queiroz”. “Modernismo” é um dos cinco eixos da mostra que abre no “Abstração”, “Contem- próximo dia 15 de junho, no Espaço Cultural Airton porâneos” e “Presença Queiroz, na Universidade de Fortaleza (Unifor). Estrangeira”. A exposição ocupa todas as salas do Espaço Cultural e reúne mais de 250 obras do acervo pessoal do colecionador. Algumas delas, nunca incluídas em exposições anteriormente. Marco A obra ícone da mostra é justamente uma de importância histórica para o modernismo. “A mulher de cabelos verdes”, que Anita Malfatti pintou em 1916 e expôs, no ano seguinte, em São Paulo.

Junho/16

16

As cores, as formas e as deformações da imagem criada pela artista foram violentamente rechaçadas pelo escritor Monteiro Lobato, em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo, “A propósito da exposição de Anita Malfatti” (mais “Dengosa”, de Di Cavalcanti, presente na exposição tarde rebatizado de “Pa- “Coleção Airton Queiroz” ( Fotos: Fabiane de Paula ) ranoia ou Mistificação?”). O ataque de Lobato teve como contraponto o encantamento provocado pela mostra em jovens artistas e escritores, como Mário de Andrade e Menotti del Picchia. Encantados por uma nova sensibilidade ali expressa, eles iriam se agrupar, primeiro em defesa da artista e, mais tarde, como criadores de uma proposta para a arte brasileira. Para o curador Fábio Magalhães, a exposição de 1917 foi a “faísca” que faltava para a eclosão do Modernismo. Dada a importância daquela exposição, obras de Malfatti (“A mulher de cabelos verdes”, entre elas) voltaram a ser expostas na Semana de Arte Moderna de 1922, o evento que institui o Modernismo no País, em diversas frentes artísticas, com as artes plásticas, a literatura e a poesia. O Modernismo segue bem representado na exposição do Espaço Cultural Airton Queiroz, com obras de artistas como Lasar Segall, Ismael Nery, Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Victor Brecheret e Bruno Giorgi. Há também modernos de gerações posteriores, como Iberê Camargo.

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Mais informações: Exposição Coleção Airton Queiroz, no Espaço Cultural Airton Queiroz (Campus da Unifor - Av. Washington Soares, 1312). Abertura para convidados no dia 15 de junho, às 20 horas. Visitação gratuita a partir do dia 16. De terça à sexta, das 9h às 19h; sábados, das 10h às 18h; e domingos, das 12h às 18h. Contato: (85) 3477.331 Obras fundamentais Telas e esculturas perNo alto, pintura de Iberê Camargo, herdeiro dos modernistas; mitem um panorama acima, a pintura de um lenhador em que Tarsila do Amaral faz um retorno às ideias da Antropofagia; os tipos nordestinos pintados por do Modernismo e das Portinari; e a escultura de Maria Martins. As salas que abrigam transformações de suas o eixo “Modernismo”, na exposição “Coleção Airton Queiroz”, permitem uma imersão na história; não uma história tão remota, propostas estéticas. que pareça ao visitante um mundo distante. As telas e esculturas mantêm uma relação clara com o mundo das artes a O retrato de uma mu- quemodernistas hoje estamos acostumados. Nas obras deste eixo, é possível ver a lher de cabelos esverde- criação e transformação de novas estéticas, cada vez mais distantes das convenções e escolas do passado. ados, pintado por Anita Malfatti, é prova disso, com suas formas e proporções que hoje nos parecem belas, mas que confrontaram, no passado, os padrões de gosto. Hoje, a tela está consagrada numa exposição com grandes nomes da arte - que incluem a perfeição das pinceladas do mestre do barroco flamengo Peter Paul Rubens; e os registros do Brasil como o viu o francês, Jean-Baptiste Debret, no começo do século XIX.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

P Esprojeto eci s ais

MOMENTOS MARCANTES NA VIDA DO COMENDADOR DR. ALBERY MARIANO.

Comendador Dr. Albery e esposa são empossados pela Academia Latina – Americana de Ciências Humanas

as; z um os por gam oz”, ota, uras es a l ver a antes

Albery Mariano e a bela Cleuza Mariano

N

o dia 30 de abril de 2016 no Salão Nobre do Clube ASBAC, Em Brasília/DF, o nobre casal Cultural de Caldas Novas: comendador Dr. Francisco Albery Mariano e a Dama Comendadora Prof°. Cleuza Luíza Mariano tomou posse na ALACH- Academia Latina – Americana de Ciências Humanas. Em nome do Egrégio Conselho Diretor desse sodalício, consagraram o título de Membro Vitalício, por força de sua expressão Histórica e literária, empossando a Acadêmica Prof°. Cleuza Luíza Mariano na Cadeira n°I, patroneada pela poetisa Cecília Benevides de Carvalho Meireles: “ De longe, eu hei de te amar: da tranquila distancia, em que o amor é saudade e o desejo, constância. ”

Ceará em Brasília

Cecília Meireles foi poetisa, Pintora, Professora de literatura e Jornalista Brasileira. É considerada uma das vozes lírica, mais importantes da literatura dos Países de língua portuguesa. O Acadêmico Comendador Dr. Albery Mariano ocupou a Cadeira n° II, patroneada pelo saudoso conterrâneo José Martiniano de Alencar na condição de Acadêmico efetivo – Imortal. José de Alencar foi Escritor, Advogado, Jornalista, Deputado, Ministro da Justiça e precursor do Romantismo no Brasil. José Martiniano de Alencar – Político Brasileiro – Fortaleza, Ceará. Tomou parte na Revolução de 1817 e foi o Governador de sua província natal. O mais ilustre Romantismo Brasileiro. Dotado de imaginação ardente e de um estilo brilhante e colorido, pintou em

alguns dos seus romances, com tintas inolvidáveis, a natureza dos trópicos e cenas da vida das populações autóctones do Brasil. As suas principais obras; “ O Guarani’, traduzido em várias línguas. “As Minas de Prata”, “Iracema”, “O Gaúcho”, “Lucíola”, “Sonhos de Ouro”, “O Sertanejo”, “O Tronco do Ipê”, “Cartas de Erasmo”, e outros mais. Foi Teatrólogo, Prosador, Poeta e Grandioso Escritor Romancista de todos os tempos. O Casal após a assinatura do Termo de Posse recebeu o Fardão, o importante Medalhão da ALACH e os cumprimentos do Dr. Raul Canal, digno Presidente do Conselho Internacional, do Comendador Edson Costa – Diretor Secretário Geral e do Dr. Francisco de Assis Chiaratto – Diretor Jurídico. O belo evento foi encerrado com jantar e apresentação artística.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

17

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Página da Mulher Amarga ironia Regina Stella (*) Quando ele olhou a esplêndida paisagem à sua volta, a lagoa, as montanhas, os flamboyants e as amendoeiras enfileiradas à beira d’agua como sentinelas montando guarda, sentiu o privilégio que ali se oferecia. Nem por um instante vacilou. Decidiu, de pronto, que teria naquele lugar um pedaço de chão. Acolheu, fascinado, a idéia que brotara, e dias depois comprava a terra que imaginara num momento de exaltação. Morando na cidade grande,numa rua barulhenta, onde o burburinho só tinha fim pela alta madrugada, ele se viu como um deus, a gozar de sossego e paz, das coisas simples há tanto esquecidas, longe do asfalto, do concreto, dos gigantescos edifícios. Aos fins de semana, impreterivelmente, atravessava a baía, aliviado, e se encastelava na casinha branca cercada de varanda, tosca, a ler um livro, um jornal, a improvisar um jardim, a conversar, rapidamente, com alguém conhecido que passasse em frente. Passados alguns meses, os olhos só tinham vez para a beleza e paz, alargou os horizontes, fez amizade com os moradores, uma prosa aqui, outra ali,no boteco uma cervejinha gelada. Chamou-lhe a atenção a extrema pobreza que cercava o seu pequeno mundo. E resolveu ajudar àquela pobre comunidade. Traria donativos, roupas usadas para distribuir, algo que conseguisse entre os amigos da cidade grande. Não poderia ficar alheio às necessidades que ali saltavam aos olhos. Certo dia, ao ver o açougueiro da rua onde morava, que lhe servia há anos,descarnar uma peça,” gigantesco trazeiro”, teve a idéia de lhe pedir os ossos que se amontoavam num canto, para levar aos sábados àquela humilde gente, carente de proteínas. E pensava, de como faria bem às crianças um caldo quente, uma sopa, as proteínas que finalmente chegariam. Contente, lá se ia aos fins de semana para o seu mundo de sossego, ansiando por silêncio, pela beleza da paisagem que antevia, satisfeito com a bagagem que levava, pesados sacos de ossos. Tinham endereço certo, toda vez. Mal chegava, lá estavam os fregueses à espera. Convencido da caridade que exercitava, da colaboração que dava àquela gente, usufruía da alegria de distribuir. E ficava imaginando as famílias em volta da mesa, imprestável, carcomida, pensa, a tomar, nas noites frias, o caldo dos ossos que trazia. E se passaram meses. Tranquilo, cumpria à risca o ritual: a compra dos sacos de plásticos, a ida ao açougueiro, a conversa rotineira confirmando o seu agradecimento pela participação e generosidade. Trabalho repetido a cada sábado, igual, monótono mas infalível. E gratificante. Certa vez, a distribuição dos ossos já tinha sido feita, e ainda cansado, a viagem tinha sido mais longa, difícil o trânsito, e já anoitecia, quando um dos costumeiros fregueses se aproximou. Desconfiado, rondava de um lado a outro,uma palavra aqui, outra ali, resmungando. E então? indagou, surpreso, do estranho comportamento. Tem alguma coisa a me dizer? Depois de uma certa insistência, ainda relutando, com meias palavras:” pois é, o mundo é assim, nem todo mundo é igual, há gente boa e gente ruim, “ decidiu falar. E começou, - Eu acho que o senhor devia ficar um tempo sem vir aqui. É muito trabalho e o senhor mora tão longe! _ Porque? retrucou o benfeitor,espantado com a sugestão do peão, habituado à alegria da chegada, a pequena multidão lhe aguardando, a certeza do dever cumprido, a fisionomia dos que eram aquinhoados... Porque? _Estão falando umas coisas...e o senhor não vai gostar. Estão querendo, estão combinando lhe pegar. De surpresa. Para lhe dar uma surra. Uma surra bem dada! Espantado, arregalando os olhos pela inusitada confidência, soltou uma exclamação tamanho da noite: o que? como? porque? _ Ah! esse povo fala demais! Estão espaiando que o senhor está enganando a “nois”. Estão dizendo que o governo dá a carne e manda pra cá, mas o senhor tira toda ela , e traz “pra nois” só os osso! Vão pegar o senhor. Ninguém quer ser enganado. Era grave a denuncia e muito maior o espanto! Àquela noite, horrorizado, não pôde pregar os olhos. De medo, de raiva, de desencanto, Então, lhe tomavam por velhaco, ladrão e trapaceiro! Madrugada, ainda escuro, levantou-se, juntou os apetrechos. Fechou a casa e se agachando , em defesa, caminhou até o carro. Como podia o homem dar acolhida a tamanha perversão! Naquela manhã de domingo, atravessando a baia, terrivelmente agredido, trazia na boca um amargo gosto de desengano Passados muitos meses me confessou que, quebrado o encanto, não sabia dizer se ainda voltaria. Talvez quando o desgosto passar. (*)Regina Stella (Fortaleza), jornalista e escritora

Junho/16

18

Ceará quer renegociar dívidas com BNDES e Caixa

Encontro entre secretários da Fazenda estaduais e equipe econômica do presidente em exercício Michel Temer terminou ontem sem consenso. No entanto, o Ceará definiu exigências para pagamento das dívidas Mauro Filho, secretário da Fazenda do Ceará, esteve na reunião com a equipe econômica de Michel Temer sobre negociação da dívida dos estados Das exigências para ajustar a renegociação das dívidas dos estados com a União, o que interessa ao Ceará é a inclusão do alongamento da dívida com o BNDES por 10 anos e a renegociação com a União das dívidas de Companhias de Habitação Popular (Cohabs) com a Caixa Econômica Federal (CEF). Estas foram criadas pelo Governo Federal em 2001 para administrar contratos habitacionais problemáticos da CEF. Proposta do Governo Federal não foi aceita pelos estados As demandas do Ceará se juntaram a de mais 11 estados, que tinham como representantes os secretários fazendários, na reunião com a equipe econômica do governo Michel Temer (PMDB), realizada ontem em Brasília. O encontro, que terminou sem consenso, negocia demandas para ajustar o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257, que trata da negociação das dívidas dos Estados com a União. Ao O POVO, Mauro Filho, secretário da Fazenda do Ceará, explica que cerca de 12 estados podem se beneficiar caso se possa renegociar com a União os débitos com a Cohab. Para que isso aconteça, deve haver a inclusão das dívidas da lei 8.797/1993 no PLP 257. A lei, na época, permitiu o refinanciamento dos saldos devedores existentes em 30 de junho de 1993 de todas as operações de crédito interno contratadas até 30 de setembro de 1991 com a União. Para os estados, essa alternativa abrandaria as dificuldades financeiras. Mas a principal demanda do Ceará é justamente incluir as operações de crédito que o Estado tem com o BNDES e a dívida com os empréstimos tomados para a construção da Arena Castelão na proposta de 10 anos de alongamento dos débitos, incluindo quatro anos de carência. O secretário detalha que a dívida do Estado com o BNDES gira em torno de R$ 2,8 bilhões. Deste montante, a prioridade é o débito que possui dentro da linha de crédito para estados, no valor de cerca de R$ 300 milhões e os cerca de R$ 280 milhões da Arena Castelão. “Acredito que pelo menos o BNDES, a linha de crédito para os estados, deve entrar na negociação (do PLP 257)”, diz. Uma das exigências, desta vez por parte do Governo Federal, que pode beneficiar o Ceará, se relaciona aos 16 estados que entraram na Justiça para transformar o juro composto da dívida em simples durante dois meses. Ele diz que a equipe econômica de Temer pleiteia que esses entes da Federação desistam desse acordo. Assim, os estados, incluindo o Ceará, que não entraram com liminares e não receberam esses dois meses de benefício, em que o juro composto foi transformado em simples, poderão receber justamente dois meses de vantagens do Governo Federal. “Poderemos ter vantagem desses dois meses de 100% em algumas dessas operações novas com o BNDES”, diz. Saiba mais Umas das demandas que o Governo se colocou claramente contra é o de que o estoque das dívidas com a União seja corrigido pelo IPCA mais 4% ao ano e que essa regra seja retroagida até a assinatura dos contratos, que variam entre os anos de 1998 e 1997, dependendo da entidade federativa Agora os secretários estaduais devem levar os termos impostos para os governadores. Mauro Filho diz que o próprio presidente em exercício pode se reunir com os governadores.

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Leituras X

Agradecendo uma homenagem Evandro Pedro Pinto (*)

Boa noite a todos. Em meu próprio nome, de Lúcia Garófalo, de Lourenço Rommel Peixoto e de Vicente Nunes de Magalhães, quero agradecer à mais alta honraria que a Casa do Ceará nos outorga nesta noite – a de Sócios Eméritos desta Instituição. Agradeço também, em nome dos demais homenageados: os sócios beneméritos Aldanilse Pereira de Lima e Maria Áurea de Assunção Magalhães e os sócios honorários Antônia Lúcia Guimarães Aguiar e Manoel Macedo Gonçalves. Ao receber do Governo do Ceará a Medalha da Abolição, meu saudoso pai iniciou o seu agradecimento com as seguintes palavras: eu mereço esta homenagem, provocando risos e aplausos de todos. Parafraseando, portanto, o velho Clodoaldo Pinto, eu também lhes digo: nós merecemos esta homenagem, embora, ainda assim a agradecemos. Por quatro anos exerci, junto ao Presidente Osmar Alves de Melo, o cargo de Diretor Administrativo – Financeiro, oportunidade em que deixamos a instituição em invejável situação econômica. Anteriormente ocupei, durante dois anos, o cargo de Presidente do Conselho Fiscal, cargo ao qual agora retornei, a partir da eleição de setembro de 2015, abrindo mão, por imperiosa , decisão pessoal, da reeleição às finanças e à administração da casa. De igual forma, Lúcia Garófalo, Lourenço Rommel Peixoto e Vicente Magalhães fazem jus ao honroso título pelos relevantes serviços prestados à Casa do Ceará. Lúcia e Lourenço pela importante e inestimável colaboração na difusão dos feitos da asa em sua Brasília Super Rádio FM e em seu valioso Jornal de Brasília e Vicente por sua brilhante atuação no cargo de Diretor de Educação e Cultura, revelando-se igualmente por valiosas doações à Casa do Ceará. O afastamento das atividades de diretor administrativo-financeiro tem me feito repensar a Casa do Ceará e sua louvável destinação benemérita. Assim, creio que é chegada a hora de darmos um up grade nessa destinação, para o que convoco a todos os cearenses de boa vontade. Sempre alimentei um sonho de ver a Casa do Ceará como uma mantenedora de creches, onde, em projeto primeiro, pudéssemos dar assistência integral à infância pobre de nossa cidade, infância esta que, sem cuja assistência, continuaremos sofrendo com a aflitiva estiagem de homens e mulheres prontos a exercer a cidadania em sua plenitude. Creio que para isso não nos faltarão recursos, pois disposição e força de vontade nós as temos de sobejo. De igual forma, podemos ampliar os nossos serviços médico-odontológicos, aumentando nossas receitas, atendendo a um nicho de mercado que tem se apresentado nesses tempos de recessão e desemprego. Refiro-me ao que a imprensa tem noticiado: a grande defecção de segurados de planos de saúde, ensejando a criação de clínicas médicas a preços módicos, que vêm atendendo a esta população desventuosa. E esses preços módicos não superiores aos estabelecidos pela Casa do Ceará. A essas clínicas tem ocorrido milhares de ex-segurados, e de cujo fenômeno mercadológico poderemos carrear novos e inúmeros ex-segurados, ampliando, portanto, nosso atendimento. São duas verdadeiras plataformas de governo que elevarão ainda mais a Casa do Ceará no conceito em que nos tem a sociedade de Brasília. Deixo aqui o desafio. Ao encerrar essas breves palavras, renovo os agradecimentos à Diretoria da Casa do Ceará que nos distinguiu com essas honrosas homenagens. Muito obrigado a todos. (*) Evandro Pedro Pinto (Fortaleza) auditor fiscal da Receita Federal, aposentado, presidente do Conselho Fiscal da Casa do Ceará em Brasília. Pronunciamento feito na solenidade de entrega de diploma de sócio Emérito.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras XI

O Humor Negro e o Branco Humor

Desempenho na despedida Três amigos, iniciando uma viagem de vários dias à negócios conversam sobre a despedida que tiveram com a esposa: - Essa noite eu fiz sexo três vezes com minha esposa e, antes de sair, pela manhã, ela me jurou amor eterno! comentou o primeiro. - Só três? - lamentou o segundo. - Eu e minha esposa fizemos sexo cinco vezes essa noite e pela manhã ela me disse que eu era o melhor amante do mundo. Como o terceiro continuava quieto, os outros dois perguntaram: - E você, deu quantas esta noite? - Uma! - Só uma? E o que foi que a sua esposa disse hoje de manhã? - Não pare, por favor! Não pare! Cartão de crédito A mulher do sujeito andava muito estranha. Um dia, chega em casa com uma joia caríssima! Num outro dia, aparece com um perfume francês, da melhor marca! E vestido novo, e anel de brilhante... o marido só de butuca! Um dia, ele a encosta na parede: - Eu quero saber como é que a senhora faz pra conseguir tanta coisa cara! Eu exijo uma explicação! - Calma, amor!... é que... bem, é que eu compro tudo no cartão de crédito! Nesse mesmo dia, a mulher está’ tomando banho, a água do chuveiro acaba bem na hora em que ela está’ toda ensaboada. Ela chama o marido: - Amor, traz um balde com água pra eu terminar meu banho?... Daí a pouco ele volta com uma canequinha de água. A mulher chia: - O que é isso, amor? Só esse tantinho de água não dá! - Lava só o cartão de crédito!... “Não sou deste tipo de mulher” Um cara vê uma linda mulher, com seios perfeitos, saltar de um ônibus. Ele corre até ela e pergunta: - Por R$ 50,00 você deixaria eu morder seus seios? - Você está maluco?!? - responde ela. Ele dá a volta na quadra, chega na esquina antes dela e pergunta: - Por R$ 500,00 você deixaria eu morder seus seios? - Olha meu senhor, não me leve a mal, mas eu não sou deste tipo de mulher. Ele dá a volta na outra quadra, chega na esquina antes dela novamente e pergunta: - Por R$ 5.000,00 você deixaria eu morder seus seios? A mulher pensa um pouco e responde: - R$ 5.000?... Tudo bem, mas vamos ali no cantinho. Ela abre a blusa, coloca os seios à mostra e libera pro cara. O cara beija, alisa, passa as mãos, encosta a cabeça, lambe, beija e por aí vai, mas nada de morder. Até que a mulher perde a paciência e lhe fala: - Você não vai morder não? E o cara: - Não!!! É muito caro! A vingativa Uma mulher chegou inesperadamente em casa e encontrou seu marido na cama com outra mulher. Louca de raiva, ela achou forças e arrastou o marido até a garagem. Chegando lá, prendeu o pênis dele numa morsa em cima da bancada, apertou até ficar bem preso e retirou a alavanca da morsa. Aí, ela foi no armário de ferramentas. Retirou um serrote e colocou na bancada. O marido gritou: - Querida, você não vai cortar ele, vai? - Não, retrucou a mulher. Você é que vai. Eu vou botar fogo na garagem

Ceará em Brasília

Culinária

Os Cearenses na Cozinha de Brasília

Bar dos Cunhados Pedro Prado e Paulo Prado Donos (Hidrolândia) Garçons: Raimundo Vieira(Viçosa do Ceará), Edmilson Bezerra,(Poranga), Johnson de Souza e Raimundo Pacheco (Santa Quitéria). CLN 115 BL B lj 21- Asa Norte 70772-520 - Tel (61) 3274-7805 Bar dos Cunhados no Tênis do Iate Clube Damázio Prado (Hidrolândia) arrendatário – 337988763. Setor de Clubes Esportivos Norte Trecho 2 Conj 4 -70800-120 Bar dos Cunhados Veleiro no Iate Clube Antonio Prado (Hidrolândia) arrendatário 3329 8761 e 3323 4207 Bartolomeu SHCS Quadra 409 bloco C loja 06 Asa Sul 70257-180- 3442 1169 Chefe de Cozinha: Manoel Facundo de Almeida (Boa Viagem), Maitre e sommelier: José Felismino (Cintra Netro) (Fortaleza), Cozinheiros: Francisco Leonardo Nascimento (Bela Cruz) e Jose Alex Facundo de Almeida (Boa Viagem) Beirute Sul Proprietário Francisco Martins (Ipu) SCLS 109 Bloco”A” Loja 2/4 – Asa Sul /3244 1717 Beirute Norte Maitre Bartolomeu Martins (f.cearense, Brasília) Coco Bambu – Frutos do Mar Gerente Geral Eilson Studart (Fortaleza) SCES Trecho 02, Conjunto 36, Parte Cícone Parque/ 70200-002 Tel 3224 5585 Coco Bambu – Frutos do Mar - Brasília Shopping SCN Qd 05 BL.A , 70715-900 - Tel 3038.1818 Baby BeefRubaiyat - Brasília Maitres: José Itamar Ferreira Gomes (Acaraú) , Silva (Ubajara) e Manoel Adilson Rodrigues (Jijoca), Garçons: Luis Neto Alves Sobrinho (Acopiara) e Antenor Neto Rodrigues (Ibiapina), bar-men: Doniseti Ferreira Chaves (Ibiapina), Hernandes Freitas (Jijoca) e Gleison Ferreira da Silva (São Benedito), Recepcionista Viviane Bezerra da Silva (Ipueiras). SCES – Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 1, lote 1 A - Asa Sul - Tel 61. 3443.5000 Dom Francisco SCS 402 Bloco B Loja 09, 3224 1634 3226 1816 Gerente: Wilton Melo (Ipu); maitre: Valdemir Alves Souza (Sobral); garçom: Evandro Magalhães (Santa Quitéria) Dom Francisco ASBAC SCES Trecho 02 Conj 3226 2005 3224 8429 3223 5679 Garçons: Iran Matos (Independência), Antonio Melo (Independência) Antonio José Barbosa (Monsenhor Tabosa). Elisimar Barbosa Oliveira (Monsenhor Tabosa); barman Francisco Ricardo Ferreira Gomes (Nova Russas); cozinheiros: Romário Vieira Barreto (Tauá) Francisco das Chagas Gomes (Nova Russas) e Francisco Dermival dos Santos (Nova Russas). Dona Graça Maitre – Carlos Ângelo Veras (Viçosa do Ceará) Vila Planalto, Acampamento Pacheco Fernandes Rua 07 casa 15 Vila Planalto - Tel 3032 1062 - 70804-270 Forneria Parole Maitre Antônio Carlos de Souza (Guaraciaba do Norte); garçom: José Gerardo de Azevedo (Guaraciaba do Norte); cozinheiros Juvêncio Fernandes Neto (Tauá), pizzaiolo Sinobilino Bezerra Neto (Tauá) e Adinaldo Fernandes Bezerra (Tauá). QI 9/10 CL Loja 39 Lago Norte - 3368 3337 Gero Gerente: Célio Freitas (Hidrolândia) cozinheiros: Alexandro Araújo Nascimento (Itarema) e João Moura Rodrigues (Itarema) SHIN C 04 Lote A Loja 22 Térreo Iguatemi 3577 5522 / 8110 0209 Galeteria Beira Lago Proprietário João Miranda Lima (Ipueiras) Gerente José Afonso Miranda Lima (Ipueiras). Maitre: Raimundo, Chaves de Carvalho (Nova Russas) garçons: Hélio Martins de Melo (Nova Russas) e Antono Alcimario (Pereiro (churrasqueiro: Valdemar Araújo de Souza; serviços gerais: Joaquim Rodrigues Ferreira (Nova Russas)

SCES Trecho. 02 conjunto 33, ao lado do PIER 21 Ki Filé Maitre – Maitre,Roberto Cavalcante (f.Cearense), Chefe de Cozinha, Raimundo Cavalcante (Sobral). Gerente Eduardo Vasconcelos (f.Cearense), garçons: Francisco Souza (Sobral) e Raimundo Mourão (Nova Russas), cozinheiros Alessandro Loyola (Sobral) e Francisco Ferreira (Granja) 405 Norte, bloco A - lojas 55/65/69 - (61)3274-6363 Le Palace Proprietário: Edilson Aguiar (Sobral); Cozinha: Marilza / Regina (Camocim); Garçom: Zé Vanildo (Sobral). Especialidade: Picanha na chapa; Pratos da terrinha: Carne de sol, baião de dois, panelada, rabada, sarapatel, peixada; Q-04 Conjunto J Lote 60 Planaltina-DF (em frente à Feira de Confecções de Planaltina) - 33897000 Libanus Proprietário Narciso Martins (Ipu) SCLS 206, Bloco “C”,loja 36 – Asa Sul / 3244 9795 Moqueca do Chefe 404 Norte, Bloco B, Loja 2 3201 5204 Dono e Maitre – Francisco Holanda (Cascavel) Moranguim Chefe de Cozinha Francisco da Silva (Icó) SHIN QI2, Área Especial, Quiosque 14., Lago Norte/21947641 Em frente a loja do Pão de Açúcar. New Koto (comida japonesa) SQS 212 loja 20 - 3346 9668 - Garçons: Francisco Olavo Aprigio, Francisco Antônio Souza, Gelinaldo Brito e Genildo Brito, todos de Guaraciaba do Norte, José Wilson (Boa Viagem), cozinheiro José Aurélio (Sobral), sushiman Joao Carlos Nascimento e o ajudante dele, Eridam Lopes e o ajudante de cozinha Francisco Alan, todos de Guaraciaba do Norte Oxente Carne de Sol: Q 04, Conjunto J ite , Vila Buritis, Planaltina DF, 3389, 4005 - Copeiro Francisco das Chagas Aguiar (Sobral); -Pizzaiolo Narcelio Oliveira da Silva (Crateus); Cozinheira Edilza Maria (Fortaleza), ajudante de cozinha José Dalmir do Nascimento Sousa Prado(Sobral), -ajudante de cozinha Francisco Tadeu Prado Nascimento Sousa ( Sobral); Copeiro Manoel Bezerra Aguiar de Araújo ( Sobral) Pizzaria Primu’s Grill Dono: Chico Élcio (Sobral) - Quadra 4. Conj, A Lt 60 – 9627 6430 - Planaltina - 73.300-000; Praliné SCLS 205 Bloco A – Loja 03 – ASA Sul 70.235-510 – 3443 7490, 3443 7090 Garçons – Antonio Viana (Crateús), Jose Osmar Gabalia (Sobral),Francisco Edmar Alves de Souza (Ipueiras) . Caixa:Eliane Paiva (Groaíras) Recanto do Norte Donos: Eudes Braga Mesquita e Antônia (Toinha) Celeste Jorge Mesquita (Santa Quitéria) 409 Norte , Bloco B, Loja 65 – Tel 3271 8722 Restaurante Central Proprietário: José Maria Aguiar (Sobral); Churrasqueiro e especialista em pratos e tira gostos especiais: Titico (Sobral). Especialidades: Self service, caldo de mocotó, sarapatel; Aos Sábados: Feijoada. Praça de Alimentação da Feira de Confecções de Planaltina-DF - 96313335 (Vivo) 92322855 (Claro) Taperas Restaurante Maitre – Francisco Tadeu de Oliveira (Iguatu) Sobreloja do Garvey Palace Hotel Tel 33 28 4265 Tejo SQS 404 Asa Sul Tel 3264 7005 Chefe de Cozinha: Custódio Rodrigues Alves (Reriutaba). Asa Sul Trindade Maitre Luciano Rodrigues (São Benedito) Chefe de Cozinha - Francisco Alves (Acaraú). SHCS Quadra 105, Bloco D Conjunto 35 0 Asa Sul/ - 73.344-000 Tel 3242 4039 Verde Perto Proprietário Carlos Pontes (Nova Russas) EPTG Chácara 56 sentido Taguatinga-Guará (ao lado do Posto de Polícia) 3567 8217

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

19

Junho/16


acesse o site: www.casadoceara.org.br

festa Junina da Casa do Ceara, em 2016, realizada em 04.06, surpreendeu pela presença de mais de 2 mil pessoas, pela estrutura da praça de alimentação, com comidas e bebidas do Nordeste e do Ceará, pela programação musical do Trio Siridó e da banda Tá Fervendo, pela Quadrilha Num Só Piscar, pelo Buteco do Livro, pelo Bazar de produtos doados pela Receita Federal. “Só temos que agradecer aos que sempre acreditaram em nós, na nossa tradição de 50 anos de promovermos uma festa folclórica que reaviva a nordestinidade e a cearensidade no coração de Brasília”, afirmou o Presidente da Casa, Osmar Alves de Melo. O governador Rodrigo Rollemberg, que em outras épocas sempre visitou a Casa, marcou sua presença acompanhado da primeira dama, sra. Márcia Rollemberg. Os diretores da casa recepcionaram a comunidade de Brasília e do Entorno: Estênio Campelo (Crateus) e Sra, Ana Campelo, Adirson Vasconcelos (Santana do Acaraú), Carlos Euler Curlin Perpetuo (Joinville/SC) e sra, Ângela Parente, Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), José Sampaio de Lacerda Júnior e sra. Andrea Caruso Pacheco Barbosa, JB Serra e Gurgel (Acopiara), Vicente Magalhães (Aurora), Maria Madalena Carneiro (Garanhuns/PE), Luis Gonzaga de Assis (Limoeiro do Norte), Evandro Pedro Pinto (Fortaleza) e Denise. Também presente o comendador Francisco Albery Mariano (Santana do Acaraú) e sra. Cleuza Mariano,

de Sobral Antônio Carlos Aguiar e Luiz Roberto Vieira de Castro e sra. Os líderes da comunidade de Acopiara, Sebastião Gurgel Holanda e Sra. Sônia e Vanda Lúcia Gurgel. A Quadrilha Nun Só Piscar, hoje um dos mais importantes grupos folclóricos de São Sebastião/DF, voltou a brilhar na pista, contando a história de Lampião e Maria Bonita, no cangaço, sem entrar no mérito, mas mostrando a versão justiceira que entrou no imaginário de todo nordestino. Lembrou as músicas populares no Nordeste, baião, xaxado, coco, frevo. Arrancou calorosos aplausos, inclusive pela evolução e o Francisco Machado, Luiz Gonzaga de Assis, Estênio Campelo, José Sampaio de Lacerda Júnior, figurino dos integrantes do grupo JB Serra e Gurgel e Osmar Alves de Melo. que vem conquistando prêmios em general Nilton Pessoa (Iracema) acompanhado dos filhos, Brasília e fora daqui pela qualidade artística. A Festa Junina da Casa do Ceará teve o apoio de Teresa e Pulo Henrique, membro do Conselho Consultivo da Casa, os jornalistas Inácio de Almeida (Baturité) e Estênio Bezerra, comendador Francisco Albery Mariasra. Tereza Vitale, e Luis Joca, o cineasta Pedro Jorge no, Antártica, Só Reparos, Cascol, KSA Materiais de de Castro (Aurora) e sra ex-deputada Moema São Tiago Construção, Sindmac, Associação dos quem que Bem a com amigas, os líderes da Comunidade de Aurora Djanira Sobral e ao DF-AQQB, Associação dos Filhos de AuroraGonçalves, brigadeiro Antônio Pinto de Macedo e Elieane, -AFA, Jornal De Brasília, Correio Braziliense, Rádio Francisco de Assis Filho, o escritor Geraldo Ananias Atividade, Brasília Super Rádio FM, Rádio Antena 1 e (Santana do Cariri) e Lusinete, líderes da Comunidade Rádio transamérica.

AF_BP4878712_An BP Ceara 25x14.indd 1

Junho/16

20

2/19/16 3:38 PM

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília

Foto: Inácio de Almeida

A

Governador Rodrigo Rollemberg prestigiou a Festa Junina da Casa do Ceará que reuniu duas mil pessoas

Profile for shadown shadown

Jornal junho2016  

Jornal da Casa do Ceara

Jornal junho2016  

Jornal da Casa do Ceara

Profile for shadown21
Advertisement