Page 1

Ceará em Brasília Jornal da Casa do Ceará

www.casadoceará.org.br

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS

Ano XXIV - 254 - Agosto de 2013

Fotos de Hermínio Oliveira

Os 150 cearenses que serão homenageados nos 50 anos da Casa do Ceará. Leia mais nas págs. 14 e 15

Tasso Jereissati (Fortaleza)

Leia nesta edição

senador Inacio Arruda (Fortaleza)

No dia em que Sobral invadiu Brasília e instalou a Associação dos Quem Querem Bem a Sobral AQQBS. Leia mais na pág. 21

padre Moacir Anastácio de Carvalho (Nova Russas)

embaixador Claudio Frederico Arruda (Fortaleza)

Estênio Campelo é Benemérito da Casa do Ceará. Leia mais na pág. 16

A mesa, Estefânia Viveiros, Padre José Brand Aleixo, Almirante José Carlos Mathias, Min. João Oreste Dalazen, Estenio Campelo, Osmar Alves de Melo, Min. Valmir Campelo, Min. José Coelho Ferreira, Desembargador Lecir Manoel da Luz, o Secretário Geral da OAB do Ceará, Jardson Cruz e o Reitor do UniCEUB Getúlio Lopes.

Casa do Ceará entregou título de Sócio Honorário ao reitor do Uniceub, Getúlio Lopes. Leia mais na pág. 24

Fotos de Hermínio Oliveira

Editorial, pág. 2 Conversando com o Leitor, pág. 2 Espaço Luciano Barreira, pág. 2 Expediente, pág. 2 Samburá - Avenida Beira Mar, pág.3 As pontes entre a literatura e o universo das artes, pág.4 Sessão solene celebra os 75 anos de fundação do BicBanco, pág. 4 Anúncio de José Lírio de Aguiar, pág.4 Hospital Regional Norte faz a primeira captação de órgãos para transplante, pág. 5 Anúncio da Marquise, pág.5 Leituras I - artigo de Luis Joca, Jornalistas rejeitam lanche do Palácio do Planalto que era oferecidocom deboche, pág.6 Desenvolvimento humano no Brasil Fortaleza tem 9º IDHM mais baixo do País, pág. 6 Cid Gomes garante Us$ 160 milhões para Litoral Oeste, pág. 6 Leituras II - artigo de Wilson Ibiapina, A imprensa nossa de cada dia, pág.7 Anúncio do Uniceub, pág.7 Leituras III - artigo de Durval Alves Filho, A novela brasileira tem mesmo a importância que seus autores imaginam, pág. 8 Manifestações de rua de Julho abalaram a confiança nas instituições. pesquisa do IBOPE mostra que o povo perdeu parte da confiança. Bombeiros seguem sendo líderes. Os partidos políticos seguram a lanterna. pág. 8 Pleno do TJCE arquiva processo contra juiz de rinha de galo, pág. 8 Projeto Especial de Albery Mariano, pág. 9 Leituras IV - artigo de João Soares Neto, Três fotógrafos noruegueses um pedido de desculpas pág. 10 Ceará supera São Paulo em número de transplantes de coração por milhão de habitantes, pág.10 Transplante impulsiona ‘rotas turísticas’, pág.10 Leituras V - artigo de J.B. Serra e Gurgel, As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan, pág.11 Filme cearense com legendas vira fenômeno de bilheteria, pág.11 Anúncio do Governo do Estado do Ceará, pág.12 e 13 Mauro Benevides homenageia Estênio Campelo na Câmara pelo título da Casa do Ceará, pág. 16 Anúncio do grupo M. Dias Branco, pág. 17 Leituras VI – artigo de Marcelo Gurgel: Diplomas médicos de seis para oito anos, pág 18 Câmaras municípais do Ceará gastam R$ 440 milhões por ano, revela Diário do Nordeste, pág.18 Leituras VII - artigo de Edmilson Caminha, Memórias de um quase médico, pág. 19 Ibama concede licença para obras de ampliação do porto de Pecém, pág. 19 Sirio-Libanês forma no Ceará especialistas em emergência e vigilância, pág.19 TJCE designa comissão para concurso de juiz substituto, pág.19 Cid recebeu missão do Itamaraty: reunião dos BRICs em Fortaleza, pág. 20 Os 80 aos da OAB CE foram homenageados na Câmara dos Deputados, pág. 20 Anúncio da Nacional Gás, pág.20 Anúncio de Aguiar de Vasconcelos, pág.21 Página da Mulher - artigo de Regina Stella, o Gênio e o Homem, pág.22 Roteiro da Culinária Cearense em Brasília, pág. 22 Cardíacos obesos têm chance maior de vida longa, diz pesquisa, pág.22 Leituras VIII - Humor Negro e Branco Humor, Coisas do Brasil! Uma tradição que, espero não se acabe. pág. 23 José Wilker fala das dificuldades em levantar recursos para seu filme Ex-presidente da RioFilme, o ator que estreia na direção de ‘Giovanni Improtta’, teve que enfrentar a burocracia atribuída aos mecanismos públicos de fomento do setor, pág.23 Desembargador Manoel Cefas é homenageado durante sesssão das Câmaras Civis Reunidas, pág. 23 Anúncio do Beach Park, pág.24

ministro Raul Filho (Fortaleza)

Foto de Paulo Lima

ex-ministro Ciro Gomes Pindamonhangaba/SP)

Foto de Hermínio Oliveira

governador Cid Gomes, (Sobral)

Dione Araujo (Iguatu)

M. Rejane Limaverde (Crato)

Sandra M. A. O. Silva (Campos Sales)

Valda Portela (Coreaú)

Maria Laura (Jaguaribe)

Ministra Kathia M. Arruda (Ipaumirim)

Senadora Ângela Portela (Coreaú)

Expectativa de vida no Ceará cresce 13,4 anos em 30 anos. Leia mais na pág. 5

Myrlla Muniz (Fortaleza)


Espaço Luciano Barreira A depressão da gorila

Um dia, no Jardim Zoológico, observaram que a gorila entrou numa de ficar triste pelos cantos e não queria mais se alimentar. Estava ficando fraca, doente até que chamaram um veterinário. O problema dela é depressão. Ela precisa ter relações sexuais - disse o doutor. - Mas Dr., nós não temos um gorila macho e trazer um de outro zoológico para cá, na situação que estamos, é impossível! Nisso, um funcionário que acompanhava a conversa disse: - Eu acho que tenho a solução! Tenho um vizinho português, muito peludo. Quem sabe a gente convence ele a transar com a gorila. Assim, entraram em contato com o gajo que, de início recusou: - De jeito nenhum! Isso é pecado! A Maria me abandona se souber! - Mas, Seu Manoel, pelo bem da ciência… é por R$500,00! - Vou pensar… Dois dias depois o português foi ao zoológico: - Está baim. Eu concordo, mas com três condições: A primeira é que não pode haver beijo. - Sem dúvida, a gorila não beija, pode ficar sossegado. - A segunda é que não pode haver foto! Se a Maria descobre…

Edi t o r i a l

Um grande cearense acaba de cumprir um segundo mandato como Procurador Geral da República: Roberto Gurgel (Fortaleza), onde se houve com zelo, firmeza, dignidade, profissionalismo, coragem, competência, seguindo os passos de seu antecessor, também cearense, Antonio Fernando Barros e Silva de Souza (Fortaleza). Há muito tempo que o país não via à frente do Ministério Público Federal um gestor que cumprisse com desassombro a sua missão e o seu dever de ofício, desafiando os poderosos e não sendo conivente com a politicalha e identificado com o Estado de Direito. Consagrou-se perante a sociedade brasileira alfabetizada como um servidor público da mais alta dignidade. Em toda a República, o Ceará deu ao país três procuradores de gerais, o primeiro, José Julio de Albuquerque (Sobral) e os dois últimos. Acreditamos que os três foram fieis ao ideário brasileiro de país, construído com a Colonia, o Reino, o Império e a República. Seus últimos atos quando esvaziou as pastas mostraram que a missão se completaria com importantes encaminhamentos ao Supremo, alcançando a fauna e a flora dos maus brasileiros que se apoderaram do estado e do Governo para satisfação de suas ambições desmedidas. Não poupou ninguém. Lavou a égua, como dizemos os cearenses, ou lavou a alma. Nesta singela homenagem, lamentamos apenas que Roberto Gurgel não tenha assistido a condenação final dos mensaleiros, por pressão dos chincaneiros, e não tenha visto serem colocadas as algemas naqueles que atentaram contra a democracia. Inacio de Almeida (Baturité) Diretor Expediente

Fundada em 15 de outubro de 1963 Fundadores – Chrysantho Moreira da Rocha (Fortaleza) e Álvaro Lins Cavalcante (Pedra Branca) Diretoria Presidente - Osmar Alves de Melo (Iguatu): Fernando Cesar Moreira Mesquista (Fortaleza), 1º vice; José Sampaio de Lacerda Junior (Fortaleza), 2º vice; Evandro Pedro Pinto (Fortaleza), Administração e Finança; Luiz Gonzaga de Assis (Limoeiro do Norte), Planejamento e Orçamento; Fernando Gurgel Filho (Fortaleza), Educação e Cultura; Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Saúde; JB Serra e Gurgel (Acopiara), Comunicação Social, Angela Maria Barbosa Parente (Fortaleza), Obras, Maria Áurea Assunção Magalhães (Fortaleza), Promoção Social, e João Rodrigues Neto (Independência), Jurídico. Conselho Fiscal Membros efetivos: José Ribamar Oliveira Madeira (Uruburetama), José Colombo de Souza Filho (Fortaleza) e José Carlos Carvalho ( Itapipoca); Membros suplentes: Antônio Florêncio da Silva (Fortaleza), Edivaldo Ximenes Ferreira (Fortaleza) e José Aldemir Holanda (Baixio). Jornal da Casa do Ceará Fundador e Editor Emérito - Luciano Barreira (Quixadá) Conselho Editorial Ary Cunha (Fortaleza), Carlos Pontes (Nova Russas), Edmilson Caminha (Fortaleza), Egidio Serpa (Fortaleza), Frota Neto (Ipueiras), Geraldo Vasconcelos (Tianguá), Gervásio de Paula (Fortaleza), Haroldo Hollanda (Fortaleza), Jorge Cartaxo (Crato), J. Alcides (Juazeiro do Norte), José Jézer de Oliveira (Crato), Lustosa da Costa (Sobral), Marcondes Sampaio (Uruburetama), Milano Lopes (Fortaleza), Narcélio Lima Verde (Fortaleza), Orlando Mota (Fortaleza), Paulo Cabral Jr. (Fortaleza), Raimunda Ceará Serra Azul (Uruburetama), Roberto Aurélio Lustosa da Costa (Sobral) e Tarcisio Hollanda (Fortaleza). Diretor Inacio de Almeida (Baturité) Editores JB Serra e Gurgel (Acopiara) e Wilson Ibiapina (Ibiapina) Gurgel@cruiser.com.br / wilsonibiapina@globo.com Editoração Eletrônica Casa do Ceará Distribuição Antonia Lúcia Guimarães Circulação O jornal não se responsabiliza por textos assinados. Banco de dados com apoio da ANASPS - Brasília – DF SGAN Quadra 910 Conjunto F - Asa Norte | Brasília-DF CEP 70.790-100 | Fone: 3533 3800 casadoCeará@casadoCeará.org.br / www.casadoCeará.org.br

Agosto/13

2

- Tudo bem! Sem fotos! E qual a terceira? - Os R$500,00! - O que é que tem? - Eu posso pagar em duas vezes?

Descobriram quem foi que disse: “A minha esposa tem um bom físico.” Albert Einstein “Nunca pude estudar Direito.” O corcunda de Notre Dame “Nunca quis ser o primeiro.” João Paulo II “O automóvel nunca substituirá o cavalo.” Uma égua “Disseram-me pra jogar junto à linha branca.” Maradona “Tenho um nó na garganta.” Tiradentes “Chega de humor negro!” Klu Klux Klan “Gosto da humanidade. Um canibal “Você é a única mulher da minha vida.” Adão “O evento foi um estouro.” Bin Laden “too beers or not two beers.” Lula, na Inglaterra

Conversando com o Leitor

+ Recebemos Academus, da Academia de Letras dos Municípios do Ceará-ALMECE, edição de mai/ jun com artigos de Maria Lima Cunha Moura (Morada Nova), Angelo Osmírio Barreto (Jaguaretama), Maria Linda Lemos Bezerra (Várzea Alegre), Maria Alacoque de Lemos Pereira (Jardim), Fátima Lemos e Vicente Alencar (Limoeiro do Norte), Eliane Arruda (Palhano), além do discurso de posse do novo acadêmico, Gilson Moreira (Icó). A ALMECE é presidida por Francisco Lia Freitas, + Recebemos a publicação Rabiscos e Históricos, de Amarílio Carvalho, do Crato, e que “recados pitorescos para reflexão e um bom divertimento”. Gratos pela referência ao Ceará em Brasília e pelas transcriações de nossas matérias. + O site da Casa do Ceará www.casadoceara.org.br continua conquistando internautas, tendo chegado aos 179.525 acessos em 31.07. Caminhamos para os 200 mil. Lamentamos que o site não tenha sido descoberto pelos cearenses, embora tenhamos na página Links das princípais prefeituras. +Também não cessam os acessos ao nosso site Brasília 50 anos de Ceará , www.brasilia50anosdeceara. com.br com os 150 perfis de cearenses que marcaram os 50 anos de Brasília.Batemos os 35.236 acessos, em 31.07. O site é mais um portal sobre cearenses com trajetória fora do Ceará.

+ Lamentável a degradação da Casa do Cantador, na Ceilândia, o único projeto de Oscar Niemeyer, fora do Plano Piloto, implantado pela determinação do “Pai da Ceilândia”, Gonçalo Gonçalves Bezerra (Ipueiras). A degradação é obra da politicagem vagabunda que impera na Ceilândia. Gonçalo chora quando vê a obra sendo destroçada. + Recebemos “Finanças ¨e Notícias, o jornal da Sefin, Secretaria Municipal de Fianças de Fortaleza, que tem Jurandir Gurgel Gondim Filho, como Secretário, enviado pelo historiador Angelo Osmírio Barreto. O jornal registra o acervo histórico e cultural do Palácio Iracema, que abrigou no passado o Clube Iracema. O Palácio será restaurado. + A audiência do nosso site da Casa registro que 4.129 pessoas nos fizeram 5.264 visitas no mês de julho, sendo 5.170 brasileiros. + Os estrangeiros que acessaram nosso site foram dos Estados Unidos (Baltimore, Nova Iorque), Mexico, Angola, Reino Unido, Bangladesh, Bélgica, Suiça e Chile. + No Brasil, fomos visitados por pessoas de Brasília, São Paulo, Fortaleza, Manaus, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Goiânia, Sobral e Curitiba, Vitória, Teresina, Niterói, Florianópolis, Campinas, Formosa, Maceió, Juazeiro do Norte, Recife e Ribeirão Preto.

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


SAMBURÁ - Avenida Beira Mar

Batizado de Eric Morães Gurgel Aconteceu na Capela do Menino Jesus de Praga, em Fortaleza, Ceará o batizado de Eric Moraes Gurgel, filho primogênito de Felipe Bastos Gurgel e Anna Paula de Moraes Gurgel, primeiro neto de Marcelo Gurgel e Fátima Bastos, nascido na cidade de New York, em 7/3/13. Após o batismo, familiares e amigos foram recebidos, para um brunch, comemorativo do sacramento católico.

Refinarias Coreanos e chineses preocupados com as indecisões da Petrobras sobre as Refinarias de Fortaleza e de São Luiz. Eles estão dispostos a tocar os projetos. A Petrobras – vale lembrar – não enfrenta sério problema de caixa. Há uma guerra do PT contra a presidente que quer recuperar a empresa destruída pela banda podre do PT. Asiáticos querem pelomenos sinaização que serão admitidos como parceiros.Pelo menos os coreanos. Os chineses estão como d. Graça Foster confusos. O sol e os amigos De Wilson Ibiapina repassando para um boeing de amigos,pilotados porAntonio Miguel Bragança. Marco Aurelio Nunes Pereira e Orlando Brito: “Um Amigo é exatamente como o Sol, não precisamos vê-lo todos os dias. Cordel em São Paulo A Literatura de Cordel vive um ótimo momento e está cada vez mais presente nas estantes dos brasileiros. A editora Nova Alexandria, de S. Paulo, ao criar a coleção Clássicos em Cordel, em 2007, inaugurou uma nova fase na história do gênero no Brasil e realizou o Sarau Cordelista, participando João Gomes de Sá, Varneci Nascimento, Cacá Lopes, Costa Senna, Cícero Pedro de Assis, Moreira de Acopiara e Marco Haurélio. A “mala preta” do Papa Na volta a Roma, no avião, em entrevista um repórter quis saber o que continha na pasta que o Papa carregou quando chegou e quando deixou o Rio de Janeiro, saindo e entrando o avião da Alitália. Ainda as tiradas de Francisco: - Não tenho a chave da bomba atômica na minha pasta.Tenho um aparelho de barbear, escova de dentes, alguns documentos de trabalho, um breviário e agora um livro sobre Santa Terezinha, de quem sou devoto”. Subindo aos céus Publicou Lucio Brasileiro, na sua coluna de O POVO, de Fortaleza, em 31,07.2013: “Causídico Estênio Campelo, que toca uma das bancas mais buscadas da Corte, dotará de elevador Centro Comunitário da Paróquia de São Vicente sofrendo reforma”. Historinha “Um dia, foram reclamar ao Governador Virgílio Távora, porque havia denúncias de uma limpa na bandidagem do Ceará, promovida pelo Secretário de segurança, General Assis Bezerra. Resposta de Virgílio: - Não posso fazer nada. Ele é General e eu sou só Coronel.” Escrita por Macário Batista.

Ceará em Brasília

Eita cabra invegento! “Do Ceará, eu gostaria de levar Icó e aquela região do Araripe”. De Ariano Suassuna, dramaturgo, romancista e poeta brasileiro. Macário Batista.

Museu do Mar “Macário, que maravilha. A única obra, em Fortaleza, do arquiteto dos palácios de Brasília era a residência de Manelito Eduardo Campos, numa esquina, na Aldeota. Foi demolida. O Museu vai marcar a presença de Oscar Niemeyer na nossa capital, o que já é uma atração. Não acredito que alguém possa se manifestar contra o projeto, chamado Cidade com Futuro, que vai englobar ainda outras obras. Você noticiou que além do museu, haverá a requalificação dos corredores gastronômicos e a retirada da fiação de postes da avenida Beira Mar. As obras do museu custarão em torno de R$ 45 milhões, de acordo com o secretário de Turismo, Salmito Filho. No total, serão investidos no projeto R$ 333 milhões, para financiar todas as obras. O Secretário só não disse o que o Museu vai exibir. O mar é muito rico, tem tanta coisa que o Museu vai ter que selecionar. Mata a nossa curiosidade, descobre aí o que é que a gente vai ver. Abrs Wilson Ibiapina. (um dos seus milhares de leitores espalhados pelo mundo). Acordão Anunciado o acordão entre as várias correntes políticas em que se dividiu, até agora, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), que mudará seu estatuto, estabelecendo, daqui por diante, um mandato de cinco anos – sem reeleição – para as suas próximas diretorias. No primeiro quinquênio – de 2014 a 2019 – a presidência da Fiec será ocupada por Beto Studart, cujo primeiro vice-presidente será Alexandre Pereira, o qual, por sua vez, ocupará a presidência no segundo quinquênio. A oposição terá mais duas vices, além de duas posições na diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Shopping centers causam mudanças Saiu uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Shopping Centers sobre impacto sócio-econômico gerado pela abertura de um novo shopping. Eis os principais resultados: 1) a percepção de valorização imobiliária na região do entorno do shopping foi 46% superior à percepção no restante da cidade; 2) aumento de 82% na receita do IPTU; 3) crescimento de 168% do ITBI; 4) aumento de 130% da arrecadação do ISS e de 79% do ICMS; 5) cidades com shopping aumentaram em 67% o número de emprego – as cidades sem shopping aumentaram apenas 37%; 6) crescimento de 52% da frota de veículos. Em outubro, Fortaleza terá mais dois shopping centers. Escreveu Egidio Serpa. Jereissati inaugura shopping em C. Grande Em 15.08, foi iaugurado o Shopping Bosque dos Ipês, mais novo empreendimento do grupo cearense Jereissati Centros Comerciais em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. É o maior da região Centro-Oeste do País.

Ivens Dias Branco Jr. Depois de apresentar aos acionistas, em São Paulo e no Rio, os resultados financeiros da companhia durante o segundo trimestre deste ano, Geraldo Luciano Matos Jr, vice-presidente de Inves- Paulo Oliveira, Ivens pai, Ivens filho e Tasso Jereissati timentos e Novos Negócios de M. Dias Branco, revelou que o mercado recebeu muito bem a notícia de que Ivens Dias Branco Júnior assumirá a presidência executiva da empresa em maio de 2014, substituindo o pai, que se dedicará somente à presidência do Conselho de Administração. Juiz de Acopiara. O juiz Welithon Alves de Mesquita, respondendo pela 1ª Vara da Comarca de Acopiara, a 345 km de Fortaleza, estabeleceu regras disciplinando a entrada e permanência de menores de 18 anos em locais públicos desacompanhados dos pais ou responsável. Se não estiverem acompanhados, só podem permanecer em praças e vias públicas até as 23h. Também ficam impedidos de entrar em bailes, shows, boates e estabelecimentos. De acordo com o documento, a portaria foi expedida, por causa do número de denúncias sobre crianças e adolescentes em situação de risco na Comarca. Macêdo deixou ZPE O presidente da Zona de Processamento das Exportações (ZPE Ceará), Eduardo Macêdo, deixou ontém a presidência do órgão, que terá à frente, agora, o economista César Ribeiro. Ao novo executivo caberá dar ritmo novo à ZPE do Ceará, que até agora conta com apenas uma empresa em instalação, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), a Vale Pecém, em processo de viabilização e com a perspectiva de internalizar uma subsidiária da Durametal. De passagem rápida pela ZPE, 15 meses, Eduardo Macêdo, diz que sua saída teve “cunho pessoal” e que “ocorreu de forma consensual com o Alexandre Pereira (presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico - Cede) e com o Gabgov” (Gabinete do governador). “Vou me dedicar a fazer o que sei fazer, que é dar consultoria. Meu DNA é de empresário”, acrescenta Macêdo. Pinto Martins Não ficarão prontas para a Copa do Mundo de 2014 as obras de ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, de Fortaleza. Revelou o Tribunal de Contas da União. Menos de 30% da obra foram até agora executados – o que é muito pouco. A Infraero que faliu com Henrique Eduardo Alves (O mesmo que está secando o DNOCS) e o PMDB continua sendo um antro de suspeição. Basta que se veja o que se passa com as obras de Juazeiro do Norte, Vitória e Santos Dumont. Quem roubou, roubou. Ninguém foi preso ou devolveu o roubo. A Infraero tem 6000 empregados, seis sedes em Brasília. Egidio Serpa perguntou: “Falta dinheiro ou sobra incompetência? Ou é a soma das duas coisas?” É. O IPHAN faz Já que não existe Prefeitura em Aquiraz, o IPHAN está recuperando o teto da matriz da cidade que foi a Primeira Capital do Ceará. O Governo do Estado está devendo a reforma da nave e das belas portas da Matriz de São José.

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

3

Agosto/13


Foto: Rodrigo Carvalho

As pontes entre a literatura e o universo das artes No ano em que o Brasil comemora o centenário de nascimento de Vinícius de Moraes (1913-2013), a Academia Cearense de Letras (ACL) presta uma homenagem ao poeta carioca. A conferência “Vinícius, cheio de graças”, proferida pela atriz e escritora Fernanda Quinderé, abriu o Ciclo de Conferências 2013, em 03.09, no Palacio da Luz, no centro histórico de Fortaleza. Presidente da ACL, o bibliófilo José Augusto Bezerra Com o tema “Literatura e Outras Artes” o ciclo de conferências prosseguirá até o dia 29 de outubro, com a palestra “O poeta Antônio Bandeira”, ministrada pela professora doutora Angela Gutiérrez, diretora cultural da ACL e coordenadora do evento, que acontece há mais de uma década. No próximo ano, a ACL completará 120 anos de fundação. No dia 10.09, o antropólogo e escritor Oswald Barroso vai falar sobre “Teatro e Magia: uma abertura para o estudo das máscaras brincantes do Nordeste”. A próxima conferência, marcada para o dia 17,.09 ficará a cargo do jornalista e pesquisador Gilmar de Carvalho com o sugestivo tema “A arte de seduzir: literatura e publicidade”. Para fechar o mês de setembro, a palestra “A herança grega nas artes plásticas”, proferida pelo escritor e acadêmico Ednilo Soárez

Sessão Solene celebra os 75 anos de fundação do BicBanco Os 75 anos de fundação do BicBanco foram celebrados durante sessão solene, em 30.08 no Plenário 13 de Maio da Assembleia Legislativa. A homenagem atendeu ao requerimento do presidente da Casa, deputado José Albuquerque (PSB), em conjunto com as deputadas Fernanda Pessoa (PR) e Bethrose (PRP). A deputada Fernanda Pessoa (PRB) ressaltou o papel do BicBanco no impulsionamento da economia do Estado, e destacou as ações sociais desenvolvidas pelo banco que refletem de maneira positiva no Ceará. “Esta não é apenas uma noite de homenagem, mas, sim, uma noite de reconhecimento pela inovação, empreendedorismo e contribuição de uma das maiores famílias empresariais para o desenvolvimento econômico do Estado. Contudo, o banco está entre as 150 melhores empresas para se trabalhar”, enfatizou a deputada. O presidente da Casa, deputado José Albuquerque (PSB), foi representado pela deputada Bethose (PRP), que parabenizou os 75 anos de atuação do BicBanco, que é uma instituição genuinamente cearense, e ressaltou a trajetória nacional e internacional do banco. “O BicBanco é uma das instituições mais tradicionais e atuantes desse país, por isso a importância dessa homenagem na noite de hoje”, finalizou. Fundado em 1938 como uma cooperativa de crédito, por José Bezerra de Menezes, no município de

Juazeiro do Norte, atualmente a entidade é comandada pelos irmãos Adauto Bezerra e Humberto Bezerra, filhos do fundador. Com 75 anos de existência, a entidade trabalha com a missão corporativa de apoiar as comunidades, promover e desenvolver crescimento de seus clientes, dando soluções financeiras e de investimentos. Agradecendo a homenagem, o vice-presidente do BicBanco, Humberto Bezerra, relembrou as dificuldades e desafios para fundar a sede do banco no município de Juazeiro do Norte, em meio a tantas dificuldades financeiras daquela época. “O espírito empreendedor do meu pai, José Bezerra, e o apoio da família Bezerra de Menezes levou reconhecimento ao banco. Me sinto lisonjeado de fazer parte dessa história e ser agraciado com tamanha homenagem”, frisou. Também foram homenageados com placas comemorativas o presidente do Conselho de Administração, José Adauto Bezerra; o empresário José Bezerra de Menezes, o Binha, e Norma Bezerra, que recebeu a comenda em nome do banco. Estiveram presentes na solenidade o representante do Tribunal de Justiça do Ceará, Desembargador Paulo Airton Albuquerque Filhos; o comandante da 10ª Região Militar, general Carlos César Araújo Lima; capitão dos Portos do Ceará, Adauto Braz e representante da Base Aérea de Fortaleza, Capitão Marcos Antônio.

Há 41 anos

Agosto/13

4

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


Expectativa de vida no Ceará cresce 13,4 anos em 30 anos

Hospital Regional Norte faz a primeira captação de órgãos para transplante

No intervalo de 30 anos, a expectativa de vida do cearense cresceu 13,4 anos. Nesse mesmo período, a taxa de mortalidade de mortalidade infantil no Ceará caiu de 111,5* para 19,7 de 1980 a 2010, o que representa um queda de 82,8% no índice de recém-nascidos nascidos vivos com até 1 ano de idade. Os dados fazem parte da pesquisa Tábuas de Mortalidade 2010 – Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação, divulgada nesta sexta-feira (02) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme a pesquisa, o crescimento da expectativa de vida entre as mulheres ficou com média de 14,4 anos, enquanto entre os homens a elevação atingiu 12,5 anos. Em 1980, o cearense tinha a terceira melhor taxa da região (59 anos). Em 2010, atingiu 72,4 anos, ocupando a segunda melhor taxa do Nordeste. No mesmo período, na comparação com o restante do Brasil, a Região Nordeste foi a que apresentou maior aumento na expectativa de vida. Com relação à taxa de mortalidade infantil, no Ceará caiu de 111,5 para 19,7 de 1980 a 2010, o que representa um queda de 82,8% no índice de recém-nascidos nascidos vivos com até 1 ano de idade. Em 1980, o Ceará era o segundo estado do Nordeste com o maior índice de taxa de mortalidade (111,5), perdendo apenas para Alagoas, com 111,6. Com a redução no número, a situação se inverteu e o Ceará passou a ocupar a segunda colocação no ranking de menor taxa de mortalidade infantil do Nordeste, atrás apenas de Pernambuco, com 18,5.

Ceará em Brasília

A Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado fez a primeira captação de órgãos do Hospital Regional Norte (HRN), construído pelo Governo do Estado em Sobral. O HRN fez a notificação de potencial doador à Central de Transplantes, que acionou a Organização de Procura de Órgãos (OPO) de Sobral. Equipes de captação do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), também da rede pública estadual na Capital, se deslocaram até Sobral em aeronave disponibilizada pelo Governo do Estado e fizeram a retirada do fígado e de um rim, que já foram transplantados no HGF. Também na quinta-feira, ocorreu a captação de dois rins no HGF. Os órgãos doados salvaram a vida de Francisco Célio, com 52 anos de idade. Ele sofria de cirrose hepática e os rins estavam com baixa capacidade de filtração e por isso dependia da hemodiálise três vezes por semana durante quatro horas por dia. Ele recebeu o fígado doado na noite da última quinta-feira. Neste sábado (03), deverá ser feita a cirurgia de transplante de rim. Este ano, em todo o Ceará, foram feitas até 2 de agosto 278 notificações de potenciais doadores de órgãos e tecidos para transplantes, com 107 doadores viáveis. O HRN fez duas notificações. Em 2012, foram feitas 443 notificações de potenciais doadores no Estado, com 187 viáveis. Em Juazeiro do Norte, o Hospital Regional do Cariri (HRC) realizou no ano passado a primeira captação de órgãos e tecidos para transplantes. Em 2012, o HRC notificou 17 potenciais doadores e nove foram viáveis. Este ano, a unidade já fez 18 notificações, com seis doadores viáveis.

No Ceará, as notificações de potenciais doadores crescem ano a ano, de 237 em 2008 para 260 no ano seguintes, 325 em 2010, 373 em 2011 e 443 em 2012, ou 51,5 por milhão da população (pmp). A efetivação das doações no Estado é considerada muito boa, de 42% das notificações, a segunda maior do país. A Central de Transplante considera que é possível identificar mais doadores e melhorar ainda mais a efetivação, com a redução das recusas familiares às doações, que no Ceará foi de 37% das entrevistas realizadas em 2012, quando o ideal seria abaixo dos 20%. No Brasil, o percentual de recusas foi de 40%. Em doações efetivas, a meta do país em 2013 é chegar aos 14,5 doadores pmp, número já superado pelo Ceará. Em 2012, o Estado fechou o ano como terceiro do Brasil em doadores efetivos, com 21,4 doadores pmp. No primeiro trimestre deste ano, a posição foi confirmada. Por milhão da população, o número de doadores efetivos foi de 28 no Distrito Federal, 21,1 em Santa Catarina e 20,4 no Ceará. Em todo o Brasil, o número foi de 12,6. Com o objetivo de traçar estratégias para a consolidação do crescimento dos transplantes no Ceará, a Secretaria da Saúde do Estado iniciou em 22 de julho, em encontro com representantes das Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTTs), uma série de reuniões que teve prosseguimento na quarta-feira, 31 de julho, em reunião com as direções de hospitais públicos e privados que fazem notificação de potenciais doadores de órgãos e tecidos para transplantes. Ainda em agosto será realizada reunião com as direções dos centros transplantadores.

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

5

Agosto/13


Leituras I

Jornalistas rejeitam lanche do Palácio do Planalto que era oferecido com deboche Luís Joca (*) Em 1985, logo depois da posse de José Sarney como Presidente da República, plena transição da Ditadura Militar para a democracia, fui eleito pelos jornalistas de rádios, jornais e televisões credenciados no Palácio do Planalto, Presidente do Comitê de Imprensa do Palácio do Planalto. Cargo sem remuneração, mas importantíssimo, pelo eleito representar todos os jornalistas no relacionamento com a Presidência. No segundo dia de mandato já conhecia um problema. O Palácio do Planalto era administrado por militares. Um coronel, todo dia, por volta das 16 horas, mandava garçons distribuir um lanche para os jornalistas. Só que, por pura sacanagem, parece que ele contava: sempre vinham sanduíches somente para cerca de metade da quantidade dos profissionais de imprensa presentes. O que acontecia: Entre dezenas de pessoas, os mais humildes, às vezes motoristas, os “Pau de Luz” (auxiliares de cinegrafistas), para não perder a boca-livre, corriam para as bandejas e só faltavam derrubar os garçons. Uma pequena guerra. O coronel e seus auxiliares ficavam rindo.....!!!! Reuní os jornalistas e conversamos sobre a sacanagem. Por unanimidade, decidimos que não aceitaríamos mais os lanches e reivindicamos que se instalasse uma cantina onde todos pudessem, pagando, consumir o que lhes aprouvessem. A administração do Palácio – o coronel – tomou um susto. Quis remediar (“vamos repensar a quantidade...”)...mas não aceitamos. Ficamos Sem Lanche E Sem Lanchonete. Tranqüilos. Curtiram e compartilharam: • Paulo Verlaine, Evelyn Pena, José Ramos e outras 39 pessoas curtiram isso. • Angela Rimoli ô...Augusto! Laerte, todos...bbs! Gioconda Mentone Que mesquinharia. Fizeram bem. Luiz Carlos Machado Essa é a verdadeira greve de fome. Valeu! Edilma Neiva Ibiapina Saudades dessa turma aí. Helena Lopes Daltro Pontual Eu nunca nem cheguei a sentir o cheiro desse lanche. Foi uma decisão certa. Carlo Iberê Freitas Só os militares mesmo para resistir a esse comitê. Eduardo Franklin Hoje, nem lanche nem notícia. Coletiva, então.... Eduardo Mamcasz Quando cheguei, hippie da Bahia, ex-Globo do Rio, aqui na Folha da 104, setorista Palácio, último ano governo Geisel, houve a mesma confusão quando os jornalistas deixaram de usar o mesmo avião do PR nas viagens. Mas nesta foto acima, adentro um adendo: tô fora deste bando de vândalos. kkkk Bartolomeu Rodrigues A história precisa de um complemento. Na sequência, fui eleito (como candidato do Joca) presidente do comitê. Então soube que o comitê tinha um avião da FAB. Não concluí a investigação. Onde foi parar esse avião, Joca??? Eduardo Franklin Era só pro presidente do comitê!! KKKKKK Ricardo Batista Amaral Bando de cumunista! Saudades desses camaradas. José Ramos Isso era no tempo em que os jornalistas tinham unidade suficiente para aceitar alguém que os representasse. Hoje o Comitê é apenas um espaço físico, não mais a instância de representação, não existe presidente. Aliás, o Comitê do Planalto voltou pro seu lugar histórico no mês passado. (*) Luis Joca (Fortaleza) jornalista

Agosto/13

6

Desenvolvimento humano no Brasil Fortaleza tem 9º IDHM mais baixo do País A análise de 180 indicadores socioeconômicos, divididos em três dimensões do desenvolvimento humano: longevidade, educação e renda faz com que Fortaleza tenha um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0,754. Na escala que vai de 0 a 1, onde quanto mais próximo do 1 mais exitoso é o índice, conforme o Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, divulgado, ontem, o indicativo registrado, na Capital, é considerado alto. Porém, entre as 27 capitais, Fortaleza tem o 9o IDHM mais baixo. No Nordeste, a Cidade “ganha” apenas de Teresina e Maceió. Dentre os 5.565 municípios do Brasil, a capital cearense ocupa a 467º posição. Os índices mensurados no Atlas foram dimensionados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro. Eles representam o grau de desenvolvimento das localidades, incluindo o acesso ao conhecimento, à renda; que garanta o padrão digno de vida; e a possibilidade dessas vidas serem longas e saudáveis. Em Fortaleza, de 2000 (quando foi mensurado pela segunda vez o IDHM) a 2010 (o mais atual) o índice passou de 0,652 para 0,754. O cenário representa uma taxa de crescimento de 15,5% na década. Com isto, o Atlas aponta que a lacuna de desenvolvimento humano na Capital (distância entre o IDHM real e o ideal), nesta década, foi reduzido em 29,31%. Educação É Destaque Das três dimensões analisadas na pesquisa, a que mais cresceu em termos absolutos na década na Capital, foi a educação (com ampliação de 0,161), seguida por longevidade e renda. Para dimensionar as condições desta área, na Cidade, foram analisados o fluxo e a frequência escolar entre crianças e adolescentes, a escolaridade da população adulta e os anos esperados de estudo para o ciclo completo. Na década, a proporção de crianças na escola cresceu, sendo mais significativa ainda a ampliação do número de jovens que entre 18 e 20 anos com 59,03% de crescimento. Nas duas últimas décadas, a taxa de analfabetismo da população de 18 anos ou mais diminuiu 9,18%.

Longevidade e Renda De acordo com o Atlas, a mortalidade de crianças com menos de um ano em Fortaleza, foi reduzida em 54%. Já a esperança de vida ao nascer, na Cidade, aumentou 4,8 passando de 69,6 anos em 2000 para 74,4 anos em 2010. A renda per capita média de Fortaleza cresceu R$ 235,88 passando de R$610,48 em 2000 para R$846,36 em 2010. Já a extrema pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar inferior a R$ 70,00) passou de 9,02% no começo da década para 3,36% em 2010. Gargalos da Renda Para a coordenadora do Laboratório de Estudos de População (Lepop), da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Adelita Carleial o IDMH é um “indicador que tende a mascarar as coisas”. Ela avaliou que, por exemplo, os índices positivos da educação contabilizam o aumento no número de matrículas, mas, “a qualidade de ensino, aprendizado, situações de violência fora e dentro da escola, acabam não sendo medidos”. “O aumento da quantidade de oferta de matrículas, não significa qualidade, nem que as pessoas estão aprendendo.”, completou. Para ela, o maior problema das dimensões avaliadas é de fato a falta de democratização da renda. Conforme a professora, tal dimensão está aliada ao nível de escolaridade, logo, segundo ela, “se a renda do fortalezense não cresceu para a maioria da população, significa que a escolaridade pode não estar acompanhando o que o mercado exige das escolas”. O pesquisador do Laboratório de Estudos da Pobreza, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Carlos Manso, enfatizou que a renda, na Cidade, depende basicamente do trabalho, e que os baixos salários têm duas justificativas, as condições do próprio ambiente econômico e falta de mão de obra qualificada. Neste caso, ele considerou que a população tende a depender muito do poder público, como no caso da própria formação escolar. Serviço Confira o Atlas completo no endereço: http://atlasbrasil.org.br/2013/ Thatiany Nascimento thatynascimento@oestadoce.com.br

Cid Gomes garante US$ 160 milhões para Litoral Oeste O governador Cid Gomes assinou 28.07, em Brasília, o contrato de financiamento junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). O contrato, no valor de US$ 160 milhões (sendo US$ 48 milhões de contrapartida do Estado), é destinado ao Programa de Valorização da Infraestrutura Turística do Litoral Oeste (ProinfTur). Participaram também da solenidade o secretário do Turismo, Bismarck Maia, e representantes da CAF e do Ministério do Turismo (MTur). “Esse montante representa cerca de R$300 milhões para investimentos em infraestrutura turística, num sentido muito mais amplo de turismo. Todo esse conjunto de recursos será investido no Litoral Oeste, que vai de Caucaia até Chaval, passando por São Gonçalo do Amarante, Paracuru, Paraipaba, Itapipoca, Itarema, Acaraú, Cruz, Jijoca, Granja, Camocim, Barroquinha e Chaval, são esses municípios que vão receber a maior parte desses investimentos”, explicou o governador Cid Gomes. E fazem parte do projeto, iniciado com recursos do Tesouro Estadual no final de 2012, a duplicação da

CE 085 (entre Fortaleza e Paracuru), o Aeroporto Internacional de Jericoacoara (cuja pista está em fase de conclusão), e o saneamento básico nas praias de Taíba (São Gonçalo do Amarante) e Flecheiras (Trairi). Além da duplicação, a rodovia, que é a principal via do Litoral Oeste, vai ter dois trechos recuperados. Um deles dá acesso à Praia do Preá, em Cruz; e o outro, vai da sede de Barroquinha até Bitupitá. Ainda estão previstas 17 intervenções urbanísticas e ambientais em 12 municípios de relevância turística da região. São elas: urbanização da faixa de praia com calçadão, ciclovia, jardins paisagísticos e iluminação cênica; mobiliário urbano; criação de espaços para a prática esportiva, e construção e/ou duplicação de acesso a praias. Somado a estes itens, vão ser promovidas qualificação profissional e empresarial e requalificação e proteção de recursos naturais. Outras estradas e projetos urbanos atualmente em análise pela Setur vão ser incluídos no ProinfTur.

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


Leituras II Wilson Ibiapina (*) Estou na ativa desde os anos 60, século passado. Acompanhei de perto a transformação que vem passando a mídia em todo mundo. Lembro quando chegou o primeiro teletipo, transmitindo as notícias da UPI, na redação dos Diários e Emissoras Associados, em Fortaleza. Até então as notícias nacionais e internacionais chegavam via código morse. O acreano Napoleão Pimentel operava um rádio hammarlund . Sintonizava a agência e ia traduzindo o código para o português. A chegada da máquina que trabalhava só, que soltava a notícia pronta, provocou um trauma no nosso radiotelegrafista. Sua primeira reação diante da novidade foi jogar a máquina de escrever pela janela. Depois se enfurnou num boteco e bebeu todas. Quando voltou ao trabalho já não era o importante tradutor que abastecia as redações dos jornais, rádio e TV. Virara um mero cortador daquelas longas laudas, separando as notícias e entregando-as na redação. Virou um contínuo. As mudanças tecnológicas foram avançando, retirando das redações as pranchetas dos diagramadores, acabando com a radiofoto e a telefoto. O computador silenciou as redações, a câmera de filme foi substituída pelo vídeo. A máquina fotográfica ficou digital, sem filme, as impressoras se modernizaram e o jeito de fazer jornal também foi mudando. Quando Maria Luiza foi eleita prefeita de Fortaleza pelo Partido dos Trabalhadores, lembrei do governador Virgílio Távora que gostava de falar usando uma linguagem telegráfica. Foi inspirado nele que sugeri ao editor Francisco Billas a manchete do dia. Ele acatou

A Imprensa nossa de cada dia

e o Diário do Nordeste estampou na primeira: “Maria Luiza Prefeita. PT Saudações”. Hoje fica difícil fazer manchete assim. Os jornais enumeram as principais notícias do dia e ligam para um determinado número de assinantes. Perguntam qual desses fatos do dia gostariam de ver na primeira página. A notícia mais votada vira a manchete. Quer dizer, o jornalismo boêmio, amador, que a gente fazia com o Odalves Lima cedeu lugar ao pragmatismo. Os jornais viraram empresas. A forma de fazer jornal continua mudando. Hoje qualquer um pode fazer sua notícia, sua denúncia e colocar na Internet, nas redes sociais. No momento em que qualquer um pode ser redator, repórter, o amadorismo se sobrepondo ao profissionalismo, o papel do jornalista virou uma interrogação. Para onde vamos?

os cursos de comunicação debatem que tipo de profissional vão formar. Aliás, essa preocupação vem desde o final do século passado. Em 1977, vinte e cinco influentes jornalistas americanos se reuniram em Havard para analisar a profissão. Já preocupava a influência dos anunciante e das novas tecnologias sobre os meios de comunicação. Essa influência gerava problemas e, em consequência, a sociedade vinha perdendo sua confiança no que era noticiado. A vulgarização dos noticiários e a desmoralização do modelo clássico de reportagem, além de programas de entretenimento disfarçados de jornalismo, motivaram a criação de um Comitê dos Jornalistas Preocupados. O Comitê elaborou pesquisas sobre as expectativas da profissão e chegou a formular nove enunciados como fundamentais para a prática jornalística na sociedade. O primeiro se propõe a responder a questão: para que serve o jornalismo? Diz lá: “o jornalismo serve para construir a comunidade, a democracia. Ele deve fornecer informações às pessoas para que sejam livres e capazes de se autogovernar. O jornalismo influencia a qualidade de nossas vidas, nossos pensamentos e nossa cultura. Enfim, o bom jornalismo deve ser comprometido com a verdade, a disciplina, a independência e a lealdade”. Toda essa história você encontra no livro de Bill Kovach e Tom Rosensteil, chamado “Elementos do Jornalismo: o que o jornalista deve saber e o público deve exigir”. Uma leitura essencial para quem está no ramo. (*) Wilson Ibiapina (Ibiapina), jornalista

O UniCEUB tem as melhores opções de pós-graduação de Brasília.

Os cursos terão início em agosto e setembro. Inscrições abertas | www.uniceub.br

Ceará em Brasília

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

7

Agosto/13


Leituras III A Novela brasileira tem mesmo a importância que os seus autores imaginam?

Manifestações de rua de Julho abalaram a confiança nas instituições. Pesquisa do IBOPE mostra que o povo perdeu parte da confiança. Bombeiros seguem sendo líderes. Os partidos políticos seguram a lanterna

Durval Aires Filho (*) Assumindo um lugar de destaque na sala dos brasileiros de forma muito peculiar, a nossa novela vai além da pura diversão. Isso é fato. Segundo seus autores, elas influenciam, fazem as pessoas meditarem, auxiliam em campanhas, e, muitas vezes, despistam expectativas. Notadamente para um público que não tem orçamento para ir ao cinema, show e teatro, acrescento eu. Quer dizer: em grande parte, a tv aberta é a única alternativa cultural para a grande maioria. Não vale, então, generalizar e dizer: Isso é só uma novela, pura bobagem ou ficção imaginada por seus criadores. Realmente, nunca fui adepto deste gênero, com exceção das boas adaptações, lembrando da obra de Jorge Amado, mas, na virada no século, quando estava a beira de uma estafa, trabalhando, escrevendo e pesquisado feito um doido, fui a um médico, porque não desligava, nem eu, nem meu velho computador. E, aí, para minha surpresa, ele me receitou uma boa novela, em capítulos diários, homeopáticos, advertindo que eu não poderia carregar meu cotidiano só com trabalho, leitura e produção de textos, sem uns momentos de distensões, pois, a novela tinha efeito semelhante ao da nicotina, dizia o profissional. Segui seu remédio. Na época, relaxei, com o Roque Santeiro, cujo tema era uma música de Dominguinhos, com letra de Fausto Nilo, mas continuo sendo cético, quanto ao gênero, aliás, uma posição isolada na minha família. Para mim, será sempre folhetim. Contudo, desconfio de sua força. A propósito, diz Ricardo Linhares, autor de vários sucessos na telinha: “as novelas refletem o momento em que estamos vivendo. São espelhos da sociedade. Não impõem mudanças de comportamento. Mas os autores que são progressistas podem abordar movimentos e transformações que já estão embrionários”. Será mesmo? (*) Durval Aires Filho (Fortaleza), escritor, desembargador, da Academia Cearense de Letras

Agosto/13

8

Pleno do TJCE arquiva processo contra juiz de rinha de galo O Pleno do Tribunal de Justiça do Ceara (TJCE) arquivou, por maioria de votos, o pedido de instalação de Processo Administrativo Disciplinar (PAD), contra o juiz Francisco José Mazza Siqueira, titular da 2ª Vara da Comarca do Crato. A votação foi conduzida pelo vice-presidente do TJCE, desembargador Francisco Lincoln Araújo e Silva, no exercício da Presidência. O PAD tinha por objetivo apurar supostas infrações do juiz. De acordo com denúncia do Ministério Público Estadual (MP/CE), realizada em 26 de maio de 2011, o magistrado teria participado de rinhas de galo e promovido a criação desses animais em cativeiro, na própria residência oficial. Ainda segundo o MP, o juiz teria efetuado ligação telefônica intimidado o delegado da Polícia Civil Giuliano Sena, que investigava a ocorrência de rinhas na região. Em 25 de novembro de 2011, a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado determinou instalação de sindicân-

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

cia para apuração dos fatos. O magistrado assumiu ter participado de rinha em 1997, antes da entrada em vigor da Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/98). Disse ainda que deixou de criar galos desde 2004. A defesa sustentou incongruência dos autos, que não teriam comprovado a existência de contato telefônico com o delegado. Disse que o juiz está sendo vitima de vingança porque teria determinado que o delegado disponibilizasse, em favor do Juízo, automóvel retido indevidamente em operação policial. Os desembargadores decidiram, por maioria de votos, pelo arquivamento do processo. Os magistrados concluíram pela inexistência de indícios suficientemente capazes de ensejar a instalação do PAD. Eles também ressaltaram a ausência de atos desabonadores na conduta profissional do magistrado, que é juiz de carreira há 18 anos, sendo 15 deles na Comarca do Crato.

Ceará em Brasília


Momentos marcantes da vida do prof. Albery Mariano

Ceará em Brasília

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Pr Esp ojeto eci s ais

9

Agosto/13


Leituras IV

Três fotógrafos noruegueses um pedido de desculpas

João Soares Neto (*) Acabamos de realizar uma excelente exposição fotográfica na Galeria BenficArte. Por um desses imprevistos aborrecidos, não pude estar presente ao coquetel na noite da sua abertura, 04 de julho passado. Peço desculpas públicas ao parente e colega, Marcos Soares de Castro, Cônsul da Noruega, e ao seu Cônsul Geral no Brasil, Jens Olsen. Eles, taças de vinho a mão, esperaram para brindar comigo. Unnskylde, desculpem. Na manhã do dia seguinte, entretanto, passei muito tempo a admirar cada um dos quadros dos “Três Fotógrafos Noruegueses” que fogem ao lugar comum da fotografia. A mostra, gratuita, encerrada no dia 28, foi visitada por centenas de pessoas que assinaram o livro de presenças. Como costumo fazer, deveria escrever algo específico sobre a qualidade e o jeito peculiar de Pern Berntsen, VerenaWinkelmann e Rune Johansen mostrarem aquele país. Como “mea culpa” vou me privar de. O texto a seguir não é meu. É de autoria do crítico de arte e jornalista Lars Elton: “A fotografia sempre é uma versão editada da realidade, e esse é um fator importante a levar em consideração diante destas imagens. Todas foram feitas na Noruega, um país conhecido por seus belos fiordes, pelo sol da meia-noite, pela aurora boreal, por ursos polares e renas. Ao mudarmos o foco ou viajarmos para outros lugares que não sejam os destinos turísticos tradicionais, talvez possamos encontrar o que vemos nas fotografias do trio Berntsen, Johansen e Winkelmann. Pois aqui há paisagens sem qualidades espetaculares, pessoas que talvez sejam um pouco esquisitas, paisagens urbanas sem elementos dramáticos e interiores criados ao longo do tempo, sem qualquer preocupação com os modelos estéticos das revistas de decoração. Mas essas fotos têm algo em comum com a propaganda turística: na medida em que há pessoas nas imagens, elas mostram que os indivíduos que moram na Noruega têm bastante espaço, seus vizinhos moram longe, e a natureza é algo que, em grande parte, se pode apreciar sozinho, sem ser perturbado por outras pessoas. Essa experiência está tão profundamente arraigada na nossa alma que dificilmente podemos pensar em nós mesmos como noruegueses sem a natureza como referência. No projeto “Placed”, de VerenaWinkelmann, realizado entre 2004 e 2008, em diversas pequenas e grandes cidades do sudeste da Noruega, as fachadas das casas compõem parte considerável do material fotográfico. De acordo com ela, as cidades norueguesas são compostas por construções independentes e solitárias num mundo sem fim – assim como as pessoas.A série inclui diversos retratos, mas as imagens não procuram caracterizar as pessoas retratadas. A fotógrafa não quer invadir a esfera privada, ela capta os rostos “na encruzilhada entre a sensibilidade e a autoconsciência”. As fotografias de RuneJohansen também mostram casas isoladas. Como na Noruega,há espaço sobrando, é natural construir sua casa um pouco afastada da do vizinho. Ele retrata pessoas que moram em sítios isolados, mostrando os ambientes que essas pessoas construíram, as casas que ergueram e a paisagem que elas moldaram. Johansen nos proporciona um olhar privilegiado sobre o vizinho. As fotografias das paisagens de Eggedalde Per Berntsen não contêm nenhum elemento dramático. São os detalhes e as amplas vistas que caracterizam a narrativa do fotógrafo. Mas é desses retratos cotidianos de uma paisagem insignificante que surge uma nova experiência. As imagens geram o reconhecimento das qualidades do ordinário, do potencial estético que reside naquilo que normalmente deixamos passar despercebido. (*) João Soares Neto (Fortaleza), empresário, da Academia Cearense de Letras, publicado no jornal O Estado – Ce, 02 de agosto de 2013)

Agosto/13

10

Ceará supera São Paulo em número de transplantes de coração por milhão de habitantes Lígia Formenti e Lauriberto Braga, especial para a AE (*) O Ceará é destaque nas novas rotas turísticas de cirurgias. O número de transplantes de coração por milhão de habitantes supera o registrado em São Paulo, com taxa de 3,3 cirurgias ante 1,9. O mesmo acontece com transplantes de fígado: em 2012, o Estado nordestino ficou em primeiro lugar no ranking da ABTO (Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos), com 18,9 operações a cada milhão de habitantes. Em alta O Ceará já realizou 285 transplantes de coração desde 1998, quando foi criada a Central de Transplantes do Estado. Naquele primeiro ano, foram transplantados apenas três corações. No ano passado, foram 28 cirurgias. Só no primeiro trimestre deste ano, o Estado realizou 286 transplantes de órgãos e tecidos. Até a primeira quinzena de maio, já foram 99 transplantes de rim, 8 de rim e pâncreas, 10 de coração, 66 de fígado, 2 de pulmão, 14 de medula óssea e 208 de córnea. Em relação a doações, a meta do Brasil em 2013 é chegar aos 14,5 doadores por milhão de habitantes - número já superado pelo Ceará. Em 2012, o Estado registrou 21,4 doadores por milhão da população. Em todo o País, a taxa foi de 12,6. Desde 2007, o Ceará bate recordes sucessivos de transplantes. Em 2011, a marca dos mil procedimentos foi ultrapassada com a realização de 1.297 transplantes, comemora Arruda Bastos, secretário estadual da Saúde. A qualidade do serviço foi determinante para Andreia Silva Alves, de Belém. Hoje, aos 39 anos e com 56 quilos, ela nem de longe lembra a paciente que, em outubro, em-

barcou para Fortaleza em coma, com derrame na membrana que envolve o pulmão e insuficiência renal - um quadro de hepatite diagnosticada tardiamente. Três dias depois, Andreia fez um transplante de fígado. Não foi uma escolha. Claro que teria sido melhor se eu tivesse encontrado o atendimento no meu Estado. Mas se essa migração não fosse possível, certamente meu caso teria engrossado as estatísticas de mortes. Transplante impulsiona rotas turísticas Foram dois meses no hospital e outros dois, com parentes, em um apartamento. Há 15 dias, voltou ao trabalho de esteticista no Pará. Milagres existem, diz Andreia. Se tivesse ficado na minha cidade, certamente teria morrido como tantos outros pacientes, onde o diagnóstico de hepatite fulminante é sentença de morte. A vida de Andreia só pôde ter sido salva porque, há oito anos, políticas específicas transformaram o Ceará em um polo. De acordo com a coordenadora da Central de Transplantes, Eliana Barbosa de Almeida, as ações foram intensificadas nos últimos dois anos. Após transplante, avô consegue segurar a mão do neto pela primeira vez A estratégia inclui desde o treinamento de técnicos e psicólogos para fazer a abordagem da família do possível doador, a identificação rápida deste candidato e a agilidade para fazer o exame que comprova a morte cerebral, até o bom entrosamento da equipe de profissionais transplantadores. Somente uma medida, isolada, não dá resultados, diz Eliana. (*) Lígia Formenti e Lauriberto Braga, especial para a AE

Transplante impulsiona ‘rotas turísticas’ Pontos históricos, com atrações culturais e boa culinária, Ceará, Pernambuco, Minas, Paraná e Rio Grande do Sul desenvolveram também “rotas turísticas” de transplantes. Pacientes viajam para novos centros transplantadores atrás da qualidade dos serviços, impulsionados por uma fila de espera menor. Até há pouco tempo, a modalidade de “turismo” estava concentrada em São Paulo. “Vivemos um novo ciclo do transplante no País”, afirma o cirurgião Valter Duro Garcia, do conselho consultivo da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO). O fenômeno traz vantagens que vão além da ampliação do acesso ao tratamento. “Há uma indução da melhoria da infraestrutura de saúde, capacitação de médicos, de profissionais”, diz. A mudança ganhou força com o treinamento de equipes especializadas e das Organizações de Procuras de Órgãos (OPOs). “Não é um movimento fácil, mas os números mostram que a estratégia tem dado ótimo resultado”, diz Garcia. Dados da ABTO ilustram a avaliação positiva do cirurgião. Nordeste e Norte lideram, proporcionalmente, o crescimento no número de transplantes realizados no País entre 2002 e o ano passado. No Nordeste, o salto em dez anos foi de 1.194 ci-

rurgias para 4.560 - alta de 281,91%. O Norte, no mesmo período, passou de 179 transplantes para 614, crescimento de 243%. Em todas as regiões, porém, houve aumento (veja mais abaixo). Política pública. O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda, afirma que a intenção é descentralizar ao máximo o atendimento e aumentar o volume de transplantes fora do eixo Sul-Sudeste. Ao consultar as centrais estaduais, o paciente pode escolher uma que lhe seja mais conveniente, como, por exemplo, a que tiver menor fila. Miranda diz que o governo quer reforçar as ações no Tocantins, que ainda não tem programa local. O grande trunfo, avalia, é o programa Centro Tutor, previsto para este ano. Representantes de centros de excelência vão até hospitais menores para fazer a capacitação. Miranda afirma que a ampliação das rotas de migração para cirurgias de transplante era um fenômeno esperado e tende a se reduzir, à medida em que forem aumentando os centros. “Talvez não seja necessário que todos os Estados façam todos os transplantes. Redes podem funcionar adequadamente. Mas, até lá, ainda há um pouco a se caminhar”, diz Garcia.

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Lígia Formenti / Brasília - O Estado de S.Paulo

Ceará em Brasília


Leituras VAs

JB Serra e Gurgel (*)

citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

Aos 93 anos, Osvaldo Quinsan conserva suas boas práticas. Sai de casa cedo para tomar café com os amigos e, comentar as notícias do dia. Há décadas segue seu caminho. Na Praliné, na Brunisia, no biscoito Mineiro, no Marzuck. Sempre com uma esferográfica no bolso. Quando quer explicitar o que pensa saca a caneta e pega um guardanapo. Tem um traço que desequilibra: odeia a burrice, ”a pior coisa do gênero humano”. Mas tem um filho e uma atividade caseira: suportar a gralha de seus papagaios e pintar traços geométricos, linhas paralelas ou cruzadas em direção ao infinito nas cores azul, verde e vermelha, com diferentes tons. Pincéis, tintas e telas amenizam o viver austero a que se impôs. Morou 32 anos no Rio de Janeiro. Durante algum tempo na ladeira da Glória, ao lado do hotel do mesmo nome. Chegou a Brasília em 1974 e não saiu mais. Já são 39 anos. Esteve no núcleo do poder como figurante. Trabalhou na Secretaria de Imprensa da PR, no governo Geisel. Orgulha-se de ter contribuído para a criação do Parque da Cidade. Humanista carrega uma vasta cultura, resultado de leituras seletivas de autores que célebres e densos, como Schopenhauer, Pitigrili, Eça de Queiroz. Carrega uma seleta de citações, que são encaixadas nos assuntos objeto de bate papos matinais nos almoços com os amigos, com precisão cirúrgica, mordacidade, conveniência e irreverência. É fiel à sua mente e à sua história. De Schopenhauer: “Ninguém é digno de inveja. Todos somos dignos de pena”. Outra: “Enquanto os néscios procuram o prazer, os sábios evitam a dor”.

De Eça de Queiroz: “A vida é feita de desapontamentos” De Pitigrili: “Sondar ou pesquisar o passado da mulher que amamos é tão imprudente quanto visitar a cozinha de um restaurante antes da refeição”. Outra: “Eram mais do que inimigos. Eram irmãos”. De Quinsan: “as virgens namoram com um e flertam com todos”. Outra: “A nossa vida é uma sucessão de acasos”. Mais uma: “O adultério tem salvado muitos casamentos”. Mais outra: O “sexo noturno deve ser restrito a maridos e operários”. Leu toda a obra de Eça, 27 livros. Conhece tudo de seus personagens. Leu toda a obra de Machado de Assis, Joaquim Manuel de Macedo, Julio Ribeiro, Humberto de Campos, Nelson Rodrigues, Aluísio de Azevedo e Fernando Sabino. Gostou muito do livro de Medeiros Albuquerque, “Quando eu era vivo”, memórias póstumas, por motivos óbvios, já que relatou tudo sobre as mulheres que seduziu e conquistou. Tinha uma tática de conquista: despachava um amigo para namorar as empregadas das mulheres que pretendia. O cidadão recolhia o máximo de informações e repassava para ele. Convidava a mulher a ir ao seu escritório para tratar de assuntos de seu interesse e lá, em lances de aparente para-normalidade, relatava tudo que sabia sobre ela. Dessa forma dormiu com quem quis. Na época, uma tática. Em 1941, Osvaldo Quinsan fora convocado para o 6º. RI de Caçapava, SP, Passou a cabo em 1º. lugar no concurso com 200 soldados. Seus irmãos lá serviram Italo e Gilberto Quinsan. acabaram na FEB na Itália, depois que fizeram curso de sargento. Osvaldo Quinsan escapou porque não era

artilheiro, mas datilógrafo da Casa das Ordens. Em 1942, chegou ao 6º. RI, de Caçapava, solicitação do general Pedro Aurelio de Gois Monteiro, chefe do Estado Maior do Exército, no Rio de Janeiro, solicitando um cabo datilógrafo para trabalhar na organização da Força Expedicionária Brasileira. Foi indicado pelo comandante, capitão Bonorino, e desembarcou na 1ª. secção, ao lado do general Henrique Lott, subchefe do EME.No Rio, fez curso de 1º. sargento no Batalhão da Guarda Presidencial na rua dom Pedro I, em São Cristovão, cujo comandante era o cel Buck Jones. TIrou o 1º. Lugar Passou a trabalhar no Estado Maior das Forças Armadas-EMFA, na 3ª. secção. Lá ficou por 16 anos, saindo como 2º. Sargento sendo nomeado pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra Tesoureiro Auxiliar do Ministério da Fazenda. Enquanto servia no EMFA, na Praia Vermelha, de dia, Quinsan deu curso ao seu projeto acadêmico, à noite, tendo estudado Administração Pública no antigo Departamento Administrativo do Serviço Público-DASP, que funcionava no edifício Andorinhas, no Castelo. entre outros, com Wagner Estelita Campos, embaixador Joao Augusto de Araujo Castro, Afonso Arinos de Melo Franco, Aliomar Baleeiro, Belmiro Siqueira e Alberto Guerreiro Ramos. Depois do DASP, Quinsan fez a Escola Superior de Guerra, a “Sorbonne”, em 1962, e dois cursos nos Estados Unidos sobre filosofia da tributação federal e evolução da administração econômica. Com conhecimento de gestão pública, capacitou-se junto a Castello para o desempenho das missões que recebera no Ministério da Fazenda: administrar a Receita Federal e levar a Casa da Moeda a imprimir o nosso dinheiro. JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor

Filme cearense com legendas vira fenômeno de bilheteria A comédia “Cine Holliúdy”, do cearense Halder Gomes, tornou-se um fenômeno de bilheteria. E nem mesmo precisou estrear em São Paulo e Rio, os maiores circuitos de cinema do Brasil. Segundo os números do Filme B, portal que analisa o mercado cinematográfico brasileiro, o filme atraiu cerca de 23 mil pessoas no fim de semana de estreia (em apenas dez salas do Ceará), alcançando a maior média de público do período no país: 2.293 espectadores por sala, contra 961 de “Os Smurfs 2”, campeão de renda geral e segundo lugar na média. Os números se revelam ainda mais fantásticos se comparados aos do campeão de bilheteria do ano, “Homem de Ferro 3”, que teve uma média de público de 1.470 pessoas por sala em sua estreia, em abril. A média de “Cine Holliúdy” é similar à de “Tropa de Elite 2” e “Os Vingadores”, dois megasucessos de bilheteria. A comédia filmada por somente R$ 1 milhão foi lançada apenas no Ceará e em três dias foi responsável por 44% do público nos cinemas da capital do Estado, faturando R$ 268 mil. A estratégia do lançamento foi proposta pela distribuidora Downtown ao diretor Halder Gomes. “O

Ceará em Brasília

pessoal da Downtown viu o filme e gostou, mas propôs o desafio de testar primeiro no Ceará, porque é um produto novo, diferente”, conta o cineasta. Ainda é cedo para medir o tamanho do sucesso do longa, falado em “cearensês” e legendado em português para facilitar o entendimento do público, mas os especialistas afirmam estar diante de uma produção fora da curva.

“O filme é um fenômeno, nunca vi algo parecido. Mas a extensão do sucesso ninguém sabe dizer. Os exibidores acham que ele pode chegar aos 500 mil espectadores”, afirma Paulo Sérgio Almeida, diretor do Filme B. “Ainda é preciso ver como ele será vendido no resto do país.” Gomes diz que a comédia será lançada em 50 salas em outras cidades do Nordeste, em 30 de agosto, apesar de ainda não ter ideia de quando entra em circuito no Sudeste. “Nossa expectativa era de fechar a carreira do filme com 100 mil ingressos vendidos em todo o Brasil, mas agora tudo isso mudou. Faremos isso apenas no Ceará. Semana que vem, teremos mais três salas no Estado e devemos chegar aos 45 mil pagantes. Se o resto do Nordeste acompanhar o sucesso, chegaremos a São Paulo em meados de setembro”, diz o diretor. A estratégia de lançamento também teve uma ajudinha de um campeão de bilheteria. “A Downtown colou o trailer do nosso filme em ‘Minha Mãe É uma Peça’ e as pessoas riam de passar mal. Foi inteligente.” Rodrigo Salem Folha de S.Paulo 13.08.2013

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

11

Agosto/13


Agosto/13

12

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


Ceará em Brasília

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

13

Agosto/13


Fotos de Hermínio Oliveira

Os 150 cearenses que serão homenag

Antonio Carlos de Aguiar (Sobral)

Djacir Martins (Fortaleza)

Edivaldo Ximenes (Fortaleza)

Serão homenageados: Adail Barreto (Iguatu), Deputado federal, líder nacionalista (fundador da Casa, In memoriam; Alberto Porfírio (Quixadá) - Mestre Porfírio, um habitante do país das Lendas In memoriam; Aldanilse Pereira de Lima (Aquiraz) Professora e artesá; Amadeu Helder Janja Façanha (Fortaleza) - 0 colecionador de títulos máster de tênis; Andrade Junior (fortaleza) Ator de cinema e de teatro; Angela Maria Barbosa Parente (Fortaleza) - Engenheira, diretora da Casa do Ceará; senadora Ângela Portela (Coreaú) – a professora de Coreaú que chegou ao Senado; Antenor Fernandes Bezerra (Nova Russas) - Um dos fundadores do PHS, Antonio Arrais (Campos Salles) – Jornalista In memoriam; Antonio Assunção de Oliveira (Iguatu) - O bancário que conquistou Brasília; Antonio Carlos de Aguiar (Sobral) – Empresário, somos 2000 Aguiar em Brasília; Antonio Dionisio Feitosa Noronha (Tauá); - um zootecnista, nacionalista, sem arestas ideológicas; Antonio Gomes Leitão (Santa Quitéria) Professor – a luga incessante, às escuras, de um homem de visão; Antonio-Jucá (Crateús) - Deputado federal e senador fundador da Casa, In memoriam; Antonio Moacir de Carvalho (Maranguape) - Médico veterinário; Antonio Nilson Craveiro Holanda (Limoeiro do Norte) - Professor da UnB e ex-presidente do BNB Augusto César Lima (Crato) advogado; Aquiles Leite Viana (Cedro) médico. Beni Veras (Crateús) – Senador e 1º cearense ministro do Planejamento Orçamento e Gestão, In memoriam; Coronel Berilo Cavalcanti Lucena (Quixadá) – O superintendente da Casa do Ceará. Carlos Alberto Cabral Ribeiro (Fortaleza) General de Exército, ex-ministro do STM; In memoriam; Carlos Alberto Pontes (fundador da Casa), In memoriam; Carlos Angelo Veras (Viçosa do Ceará) – Garçon e dono de restaurante; Carlos Farias Pontes (Nova Russas) Publicitário nascido na beira do rio Curtume; Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo (Sobral) 1º Cearense a ser diretor do Banco Central; Carlos Roberto Bezerra (Iguatu) bancário da CEF; Célia Maria Cals, médica gerontóloga; Chico Floresta (Fortaleza) ex-deputado distrital; Cid Gomes

Lucio Alcantara (Fortaleza)

Agosto/13

14

Vicente Magalhães (Aurora)

Francisco Machado (Pedra Branca)

Francisco Alves Lobo (Canindé)

(Sobral), O Governador que está refundando da Casa do Ceará; Ciro Gomes (Pindamonhangaba/SP) - Governador, deputado federal, 1° cearense a ser ministro da Fazenda e da Integração Nacional; Claudio Frederico Matos Arruda (Fortaleza) embaixador, presença no mundon o Executivo e no Legislativo. Dr. Djacir Martins (1961) 38 anos de HBB e, fundador do Santa Helena. Edilson Nogueira Mota (fundador da Casa do Ceará), In memoriam; Cel. Edivaldo Ximenes Ferreira (Fortaleza) - Preocupou-se com o futuro dos filhos, Edísio Figueiredo Abath (Crato) – advogado, banqueiro e juiz do TRE; Edmilson Sobreira Caminha (Fortaleza) do magistério em Fortaleza à Consultoria Legislativa; Edson de Alencar Cabral (Fortaleza) O cearense que fotografou a localização de Brasília In memoriam; Elício Pontes (Nova Russas) - Metade Poeta, Metade Professor; Elmano Rodrigues Pinheiro (Farias Brito) - 1 milhão de livros para as bibliotecas do Ceará; Eraldo Pinheiro Pinto (Solonopole) – Os Pinheiro do Vale do Rio Jaguaribe, Evandro Cesar Vidal Osterne (Limoeiro do Norte) Médico e três filhos médicos um dentista. Fernando Fernandes de Lima (Uruoca) taxista; Fernando Gurgel de Souza (Acopiara) Trabalhou na construção da Cidade Ocidental; Flavio Gondim Beleza (Fortaleza) lembrando os “anos de chumbo” que trouxeram injustiças; Francisco Alves Lobo (Canindé) – Chico Lobo e sua família solidária; Francisco das Chagas Câmara Rayol (Fortaleza) – O previdenciário do IPASE e IAPAS, Francisco das Chagas Leite Filho (Sobral) – Jornalista, saudades do rádio em plena era da internet; Francisco Costa Cavalcanti (Fortaleza) – Alto da Paz, Alto da Pedra, Alto da Balança; Francisco Flaviano Andriola Leite (Milagres) – O menino que foi pro Recife para ser médico; Francisco Hermógenes de Paula (Senador Sá) Diplomata, Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Médico e diretor da Casa do Ceará; Francisco Mauro Brasil Holanda (Fortaleza) O que vê na pintura de Aldeir Martins a alma cearense, diplomata, Francisco Menezes Pimentel (Santa Quitéria) - Governador, interventor, senador, 1º cearense a ser ministro da Justiça,

Gonçalo Gonçalves Bezerra (Ipueiras)

Vicente Câmara C.S. (Quixeramobim)

Luis Martins ( Nova Russas)

Raimundo Tarcisio Macedo (Missão Velha)

na República e fundador da Casa do Ceará, In memoriam; Francisco Salatiel de Alencar Barbosa (Araripe) – O ex-padre que continua casado com a Igreja e com a família. Geraldo Ananias Pinheiro (Santana do Cariri) – Bancário, professor e escritor; Giovanni Ponte (Sobral), Correios, Gladstone de Lima Almendra (Teresina/PI) - agrônomo, fundador da Casa do Ceará In memoriam; Gonçalo Gonçalves Bezerra (Ipueiras) - Pai da Ceilândia e fundador da Casa do Cantador, Dr. Granville de Oliveira (Fortaleza) Uma biografia paidégua. Hamilton Leite Cruz (Barbalha) - 1º presidente da Sociedade dos Filhos e Amigos de Aurora; Helena França (Ubajara) pintora, minha tela era o muro e meu pincel o carvão; Helio Mota Gueiros (Fortaleza), - prefeito de Belém, governador do Pará, deputado federal e senador, In memoriam. Inácio Arruda (Fortaleza) - senador; Isis Quezado Magalhães (Fortaleza) - Três gerações de medicas em Brasília Jarbas Junior (Fortaleza) Escritor, 60 livros na gaveta e l0 publicados; João Belmino Chaves (Limoeiro do Norte) - Procurador geral da FUNAI; João Bosco Bezerra Bonfim (Novo Oriente) – Auditor legislativo e poeta; João Gonçalves de Souza (Lavras da Mangabeira) – 1º cearense ministro dos Organismos Regionais In memoriam; João Jacob Gonçalves (Reriutaba) – A Lamparina, o querosene e a luz elétrica; João Miranda Lima (Ipu) criador da Rua dos Restaurantes em Brasília; João Vicente Feijão (Sobral) -, poeta e compositor; Jorge Henrique Cartaxo (Crato) Jornalista; Jorge Furtado Leite (Santana do Cariri), Deputado, fundador da Casa do Ceará, In memoriam; José Adauto e Humberto Bezerra (Crato) - Adauto, Governador e deputado federal; Humberto deputado federal; José Aroldo Holanda (Fortaleza) Jornalista; José Costa Cavalcante (Fortaleza), 1º cearense Ministro das Minas e Energiae 1º, presidente de Itaipu, In memoriam; José Edilson de Mello Távora (Iguatu) Deputado Federal e Fundador da Casa do Ceará, In memoriam; Pe. José Ernanne Pinheiro (Jaguaretama) 17 anos ao lado de dom Helder Câmara no Recife,-José Ferreira de Aquino (Crato) diretor geral da Câmara e da Casa do Ceará, In memoriam; José Flavio

Padre José Ernane Pinheiro (Jaguaretama)

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Pedro Linhares (Sobral)

Ceará em Brasília

Augusto Cesar Lima (Crato)


geados nos 50 anos da Casa do Ceará

Francisco Hermógenes de Paula (Senador Sá)

Nyll Lopes Lima (Fortaleza)

José Brito Pereira (Icó)

Costa Lima (Aracati), Deputado federal, fundador da Casa do Ceará, In memoriam; José Gerardo de Oliveira (Fortaleza) – Na fluência do tempo, lutador, desbravador, vencedor. José Jorge Leite Brito (Fortaleza) – reuniu acervo de 6 mil livros sobre o Ceará e Brasília; José Italo Carneiro Portela (Coreaú) desde criança, no início de Brasília, atende na Mercearia Portela; José Linhares (Sobral) oito mandatos, o defensor perpétuo das Santas Casas; José Marcondes Sampaio (Uruburetama) Jornalista e Poeta; J. José Palhano de Saboia (Sobral) - Deputado Federal e fundador da Casa do Ceará In memoriam; José Peixoto Junior (Jardim), registrou a linguagem dos grotões do Araripe; José Pereira Boto (Reriutaba) - O Boto que virou Ordonez em Brasília; José Pereira Brito (Ico) - Dividiu-se entre o Cinema e a Advocacia; – José Tomé de Souza (Itapipoca) – memória viva dos primórdios da Casa do Ceará; Coronel José Wilson Pereira (Aracoiaba) - paraquedista, atleta de natação, inclusive disputou olimpíadas. José Valder Nogueira (Acopiara) servidor do BNB, do BB e do BACEN In memoriam; José Waldemar Alcântara e Silva (São Gonçalo do Amarante) – ex- Senador e ex-Governador. Juraci Pessoa de Carvalho (Icó) A “Tesoura de Ouro” em Brasília é do Ceará. Kathia Magalhães de Arruda - Ministra do Tribunal Superior do Trabalho. Leão Sampaio (Barbalha) - Deputado fundador da Casa do Ceará, In memoriam; Lucio Alcantara (Fortaleza) Ex-governador e senador; Prof. Luis Edmar de Lima (Sobral) - uma vida dedicada à educação; Luis Gonzaga Mota (Fortaleza) - governador e ex deputado; Luis José Magalhães Joca (Fortaleza) - O contínuo do Expresso de Luxo que virou jornalista; Luis Martins (Nova Russas) Jornalista, professor da UnB e poeta; Manuel Rivanor Ribeiro (Milhã) - O sonho de chegar a servidor do Supremo; Manoel Theophilo de Oliveira (Fortaleza) General de uma família de militares, In memoriam; Marcelo Damasceno Weyne (Fortaleza) Médico; Márcio Catunda Ferreira Gomes (Fortaleza) – O escritor diplomata que carrega sua poesia mundo afora; Maria Augusta Erich de Menezes (Baturité), Maria do Barro Maria do Barro, ex-

José Jorge Leite Brito (Fortaleza)

Francisco Flaviano Andriola Leite (Milagres)

Ceará em Brasília

Luiz Edmar de Lima (Sobral)

José Gerardo Oliveira (Fortaleza)

-secretária de Assistência Social do DF In memoriam; Maria Aurea de Assunção Magalhães (Fortaleza) procuradora e diretora da Casa do Ceará; Maria da Glória Nascimento de Lima (Glorinha) (Juazeiro do Norte) instituidora do Lar Padre Cícero de Taguatinga Maria Dionne de Araújo Felipe (Iguatu) – procuradora da Fazenda Nacional; Maria Holanda Lopes Carvalho (Porteiras) nasceu numa casa fronteira de CE, PB e PI, só quarto ficava no Ceará; Maria Laura Pinheiro (Jaguaribe) Deputada 1ª mulher cearense eleita para a Câmara dos Deputados pelo DF Maria Rejane Albuquerque Limaverde (Crato) – Radialista, 1ª Mulher a ser locutora de A Voz do Brasil Padre Moacir Anastácio de Lima (Nova Russas) o padre que reúne multidões em Brasília nas festas de Pentecostes; Moema Santiago (Fortaleza) ex-Deputada federal, a coragem de ser autêntica; Myrla Muniz (Fortaleza) a voz cearense que encanta Brasília. Nilton Pessoa Cavalcante (Iracema) – General, construiu pelo Brasil, pontes, estradas, vilas e quartéis; Normando Parente ( Santa Quitéria) O “Careca” que gostava de brincar com televisão, In memoriam. Nylbertson Lopes Lima (Fortaleza) de “Office boy” a empresário de roupas masculinas no Conjunto Nacional. Otomar Carvalho (Senador Pompeu) - Agrônomo, apegado ao semiárido; Ozires Pontes (Massapê) – Deputado federal e fundador da Casa do Ceará, In memoriam. Paulo Uchoa Ribeiro (Jaguaribe) - O Brasil é de todos, o Ceará é meu; Paulo Cajas - fundador da Casa do Ceará, In memoriam; Paulo e Pedro Prado (Hidrolandia) fizeram do Bar dos Cunhados um ponto de solidariedade; Paulo Pirajá Sobeira (Juazeiro do Norte) de Juazeiro para o Acre e do Acre para Brasília: Paulo Sarasate Ferreira Lopes (Fortaleza) - Jornalista, educador, Governador, deputado federal, senador In memoriam; Pedro Linhares de Aguiar (Sobral), Pedrinho o engraxate, que fez de sua caixa um ponto de negócios; OK WI Pessoal do Ceará Raimundo Fagner, Gugu, Dedé, Mercia, Rodger, Rogério, Teté, Fausto. Raimunda Candida de Azevedo (Railda) – Assisten-

Geraldo Ananias Pinheiro (Santana do Cariri

João Miranda Lima (Ipu)

Hamilton Leite Cruz (Barbalha)

F. C. Leite Filho (Sobral)

te Social; Raimundo Albuquerque de Pinho (pioneiro, escritor); Raimundo Delmiriano Padilha (Fortaleza), ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, líder do governo do Presidente Medici na Câmara dos Deputados, In memoriam; Delegado, Raimundo Nonato Vasconcelos (Sobral) fundou com o irmão Cavalcante o Ki-Filé; Raimundo Tarcisio Macedo (Missão Velha) sua vida, sua casa, seu trabalho; Raul Araújo Filho (Fortaleza) – ministro do STJ; Raul Barbosa Carneiro (Fortaleza) Deputado e fundador da Casa do Ceará, In memoriam; Raul Cabral – ex diretor da Portobrás; Roberto Atíla do Amaral Vieira (Fortaleza) 1° cearense ministro da Ciência e da Tecnologia; Rodger Rogerio (Fortaleza) – O cearense que abriu os braços e a casa para outros cearenses no DF; Rubem Amaral Junior (Fortaleza) Diplomata: “Nunca desejei ser protagonista no Itamaraty”. Sandra Maria Andrade Oliveira e Silva (Campos Sales) A Reumatologista que cuida das dores humanas; Sebastião Gurgel Holanda (Acopiara) De Acopiara a Brasília em busca de perspectivas; Sebastião Linhares um dos fundadores do Paranoá; Sebastião Stênio Pinho - administrador do Recanto das Emas; Silvio Gaspar (fundador da Casa do Ceará), In memoriam. Tácito Theophilo Gaspar de Oliveira (Fortaleza), foi Superintendente da SUDENE e Ministro Chefe do EMFA, In memoriam; Tarcisio Almeida Pimentel (Quixeramobim) O psiquiatra que devolve a auto-estima aos cearenses no DF; Tarciso Viriato (Fortaleza) De administrador do Castelão a pintor consagrado no DF; Tasso Jereissati (Fortaleza) Governador, senador, líder empresarial. JB Valda Machado Portela (Coreaú) – a menina de Coreaú que se fez empresária na Ceilândia; Vicente Arruda (Granja) - Deputado federal com seis mandatos; Vicente de Castro Saraiva Câmara (Quixeramobim) Vicente e Samuel Nunes Magalhães (Aurora), Walter Bezerra de Sá (Fortaleza) Deputado federal e fundador da Casa do Ceará, In memoriam. NE. A lista é quase definitiva. Até o dia 20 estará no site da Casa www.casadoceara.org.br.

José I. Carneiro Portela (Coreaú)

Eraldo Pinheiro Pinto (Solanópole)

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

Luis Joca

15

Agosto/13


Estênio Campelo é Benemérito da Casa do Ceará

Mauro Benevides homenageia Estênio Campelo na Câmara Pelo título da Casa do Ceará Eis a íntegra do pronunciamento do deputado Mauro Benevides, na sessão da Câmara dos Deputados em 27.08.2013, homenageando Estênio Campelo agraciado com o título de Benemérito da Casa do Ceará em Brasília”. “No 03.09.2013, a Casa do Ceará, presidida exemplarmente, pelo advogado e escritor OSMAR ALVES DE MELO, realizou a sessão solene para a outorga do título de SÓCIO HONORÁRIO ao Dr. STÊNIO CAMPELO, ADVOGADO DOS MAIS ATUANTES na capital da República, na qual atua, especialmente, nos Tribunais Superiores, fazendo-o com excepcional proficiência, patroneando causas de uma clientela selecionada, oriunda de varias Unidades da Federação. Recentemente, quando da realização da Sessão Solene para realçar o transcurso dos 80 anos da OAB-Ceará, ele esteve aqui, compondo, neste Plenário a Mesa de Honra, na condição de representante da OAB-BRASÍLIA, ao lado de outras personalidades ilustres, a exemplo do Cardeal José Freire Falcão e o dirigente máximo dos causídicos brasileiros, Marcus Vinicius, que vem comandando, com aprumo e clarividência, os destinos da OAB nacional, liderando campanha de enorme repercussão como a REFORMA POLÍTICA, que objetiva reformular o sistema eleitoral brasileiro, enquadrando-o em parâmetros éticos inafastáveis. O reconhecimento da colônia alencarina vale como testemunho do marcante desempenho de Stênio Campelo no Distrito Federal, ocupando, como causídico competente o fórum de Tribunais Superiores e sabendo fazê-lo em observância aos postulados do Ciência Jurídica e da farta jurisprudência das Cortes Maiores do nosso País. Originário do município de Crateus, juntamente com seu irmão, o ex-senador e atual Ministro do Tribunal de Contas da União, Valmir Campelo, ambos vincularam-se a esta Metrópole nos seus primórdios, acompanhando a evolução urbanística que, aqui, se vem processando, dentro dos parâmetros incomparáveis de Lucio Costa e Oscar Nieymar, que garantiram, para a cidade, a conquista da titularidade de PATRIMÔNIO CULTURAL DA HUMANIDADE. Todas as importantes iniciativas da CASA DO CEARÁ hão contado com o estímulo de Stênio Campelo, o que lhe assegurou o reconhecimento do prestigioso sodalício, ora atravessando fase auspiciosa, graças ao dinamismo de sua diretoria, a começar pelo preclaro presidente Osmar Alves de Melo, dedicado, em tempo integral, aquela instituição, que é considerada “um pedaço do Ceará em Brasília”.

Agosto/13

16

Estenio Campelo e Osmar Alves de Melo

Min. Valmir Campelo, Fernando Cézar Mesquita e Estenio Campelo

Padre José Brand Aleixo, Estenio Campelo e Min. Ubiratan Aguiar.

Ministro do TST, Estênio Campelo e Deputado Mauro Benevides

F

oi um grande evento, no Espaço Cultural aberto que leva o seu nome, em 03.09, com a presença de seus amigos de Brasília, Fortaleza e Crateús. João Estênio Campelo Bezerra, cidadão de Brasília e de Fortaleza, colecionador de medalhas (inclusive a Medalha Tiradentes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) e condecorações por relevantes serviços prestados a diversas instituições, recebeu o título de Sócio Benemérito da Casa do Ceará em Brasília, que estará completando 50 anos de Fundação, em 15.10. Estênio que já era Sócio contribuinte e que janteriormente recebera os títulos de Sócio Honorário e de Cearense Paidégua pelo seu comprometimento com o futuro da Casa e especialmente da Pousada Chrysantho Moreira da Rocha, com generosas doações, reuniu seus familiares e amigos para receber a titulação entregue presidente da Casa, Osmar Alves de Melo, que o saudou assinalando sua fidelidade aos seus princípios e aos seus amigos e à sua família que trocou Crateús por Brasília. Na oportunidade, Osmar mostrou aos presentes a última doação de Estênio para a manutenção da Pousada: um cheque de R$ 20 mil. O evento foi marcado pela apresentação da cantora cearense Myrlla Muniz que cantou o Hino Nacional, na abertura dos trabalhos, e pelo show de Ivonildo, o consagrado saxofonista, de 90 anos, amigo do homenageado. Homenageou, de saída, a esposa Ana Cristina, que espera o filho João Gabriel, e os filhos crescidos Guilherme e Andrea. Valeu-se de Fernando Pessoa, Clarice Lispector,

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

José de Alencar, Euclides da Cunha e Albert Einstein, além de Wilson Ibiapina e JB Serra e Gurgel, para se definir na dedicação a Crateús, Ceará e ao Brasil, à política, ao Judiciário e a administração pública. Lembrou as contribuições de Crysantho, Álvaro Lins, Mary Calmon, José Jezer de Oliveira, Fernando Cesar Mesquita e Osmar para manter a Casa do Ceará, que não recebe recursos públicos para seu funcionamento. Relembrou sua trajetória, desde que saiu de Crateús, com passagem pelo Rio de Janeiro, chegando a Brasília em 1996, graduando-se em Direito e Administração de Empresas pelo Uniceub e pós-graduando em Direito do Trabalho e Tributário em Direito e Processo do Trabalho pela Universidade Mackenzie de São Paulo. “Aceitei O conselho de Clarice Lispector, tive coragem de me arriscar e fui humilde o bastante para aprender, Lembrei-me no meu trajeto os ensinamentos de meus pais sobre o trabalho, o respeito aos valores maiores do ser humano a fé, a caridade e o cuidado com o próximo, ensinamentos transmitidos aos meus filhos”. Na mesa dos trabalhos: João Estênio Campelo Bezerra, Osmar Alves de Melo, ministro do TCU, Valmir Campelo, ministro do STM, José Coelho Ferreira, ministro do TST, João Oreste Dalazen, reitor do Uniceub, Getúlio Américo Moares Lopes, padre José Carlos Brandi Aleixo, vice almirante José Carlos Mathias, comandante do 7º Distrito Naval, Corregedor do TJDFT, desembargador Lecir Manoel da Luz, Jardson Saraiva Cruz, representante da OAB CE, que lhe entregou a Carteira da OAB Ce; Professora Estefânia Viveiros, representando o Presidente da OAB DF.

Ceará em Brasília


MDB_Intitucional_Color.pdf

1

10/06/13

09:02

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Ceará em Brasília

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

17

Agosto/13


Leituras VI Diplomas Médicos: de seis para oito anos Por Marcelo Gurgel (*) O governo brasileiro, por meio dos seus ministros da Educação e da Saúde, anunciou, abruptamente, a ampliação da duração do curso médico no Brasil, que passa de seis para oito anos, com a inclusão de um segundo ciclo, de dois anos obrigatórios, cumprido após o internato, nos serviços do Sistema Único de Saúde-SUS. Por esse novo modelo, ao término dos seis anos, o concluinte receberia um registro provisório de um Conselho Regional de Medicina, com o fito de trabalhar para o SUS, como bolsista pouco motivado, em regime de dedicação exclusiva, sob supervisão docente da escola médica a que está matriculado, e somente ganharia o registro definitivo do CRM, após o biênio de trabalhos forçados. A proposição em foco, ao que tudo indica, é de clara inspiração cubana, a exemplo dos diplomados em Havana, pela Escola Latino-Americana de Medicina (ELAM), que auferem, em seis anos, o título de generalista básico, de ação restrita, e necessitam trabalhar tutelados, por outros dois anos, quando, então, tornam-se generalistas plenos, passando a ser efetivamente médicos. O incremento da duração de qualquer graduação, com vistas à incorporação dos avanços dos conhecimentos, é um processo discutido, e amadurecido, no seio das instituições de ensino e de profissionais, não sendo uma imposição do poder público. No correr da última centúria, cursos de três anos passaram para quatro e, depois, para cinco anos. A Medicina, que há mais de cem anos, adota o tempo de seis anos de formação, com sabedoria e prudência, fez ajustes internos no currículo, e optou para levar para a pós-graduação, via especializações médicas, parte das inovações médicas. A intromissão governamental comete um grave equívoco, ao desconsiderar que as escolas médicas, inclusive as particulares, por intermédio de convênios ou contratos, realizam suas aulas práticas em estabelecimentos de saúde que pertencem ou prestam serviços ao SUS. Isso se aplica, também, à Residência Médica, cuja oferta de vagas está concentrada nas instituições públicas, ou filantrópicas, que têm no SUS o principal cliente. A expansão pretendida não leva a um aumento do número de médicos, apenas protela o início do exercício profissional e encarece o custo de formação, e nem será capaz de engessar os formandos, para que sejam generalistas, restringindo-os no direito de atuar em especialidades, o que é um contra-senso, dada a crescente complexidade de nossas mazelas, no cenário de transição epidemiológica que o Brasil atravessa. De pronto, o que dessa intervenção poderá se obter, será o desestímulo aos jovens que desejam cursar medicina, postos diante de um dilema, em que oito anos ensejam um alto custo-oportunidade, pois daria tempo para cursar duas graduações ou uma graduação seguida de pós-graduação, e, economicamente, uma queda na taxa interna de retorno da profissão. Como a vigência da medida provisória é para os ingressantes em 2015, reflexos na mudança do perfil médico brasileiro, caso venham a ocorrer, serão perceptíveis em dez anos, quando o País terá dirigentes mais diligentes que os atuais. A proposta em questão, parece ser mais uma truculência governamental, à guisa de retaliação, dirigida aos médicos e às suas entidades de classe, por se oporem à importação de médicos estrangeiros, sem revalidação dos correspondentes diplomas. (*) Marcelo Gurgel Carlos da Silva, Professor titular de Saúde Pública-Uece, * Publicado, com redução, In: O Povo, de 12 de julho de 2013. Opinião. p 7.

Agosto/13

18

Atualidade

Câmaras municípais do Ceará gastam R$ 440 milhões por ano, revela Diário do Nordeste

Mesmo com o alto custo para manter essas casas legislativas, a resposta dada à sociedade ainda é incipiente. As 184 câmaras dos vereadores do Ceará custam por ano R$ 440 milhões aos cofres dos municípios cearenses. Até o momento, essas casas legislativas já declararam ter desembolsado R$ 302 milhões durante o exercício de 2013. O levantamento foi feito pelo Diário do Nordeste no portal da transparência do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A quase totalidade dessas Casas legislativas só se reúne duas vezes por semana. O Ceará tem atualmente 2.149 vereadores. O presidente da Câmara de Juazeiro do Norte, Antônio de Lunga, do PSC, deverá explicar à sigla gasto abusivo da Casa com itens de limpeza Foto: Elizângela SANTOS. Protagonista de um escândalo recente envolvendo a compra excessiva de materiais de limpeza, a Câmara Municipal de Juazeiro do Norte deverá gastar, até o fim do ano, R$ 9,9 milhões, dos quais R$ 8,3 milhões já foram empenhados. O caso, que já está sendo conhecido como “farra das vassouras”, chegou a público na semana passada, após denúncias do vereador Danty Benedito (PMN), ao noticiar a compra de 4,2 mil vassouras, 2,5 mil quilos de sabão em pó, 33 mil unidades de palha de aço, dentre outros itens de limpeza. Na última quinta-feira, com base em tais denúncias, a Polícia Civil naquele Município abriu inquérito para investigar a compra do material. No sábado passado, de posse de mandados de busca e apreensão, policiais fizeram a apreensão, em vários pontos da cidade de Juazeiro, de boa parte do material comprado. O Legislativo municipal de Juazeiro do Norte é composto por 21 vereadores e tem duas reuniões por semana. Só com pagamento de pessoal civil, a Casa legislativa já desembolsou R$ 3,8 milhões em 2013. Já com obrigações patronais, as despesas da Casa se aproximam de R$ 750 mil neste ano. Repasse A Constituição estabelece que a Prefeitura deve repassar às câmaras municipais um percentual da dotação orçamentária do Município, podendo chegar a 8% do total. A porcentagem é diretamente proporcional ao tamanho das cidades. Essa transferência, conhecida como duodécimo, é realizada mensalmente, dividida em 12 parcelas. Caso os valores não sejam gastos integralmente, devem ser devolvidos ao município no fim do ano. Só a Câmara Municipal de Fortaleza deve gastar, até o final do ano, R$ 99 milhões, dos quais R$ 31,5 milhões foram destinados a pagamento de pessoal, sem incluir outras despesas de pessoal decorrentes de terceirização, que ultrapassam R$ 4 milhões. Segundo maior colégio eleitoral do Ceará, o orçamento do legislativo de Caucaia em 2013 ultrapassa os R$ 10 milhões. Até o momento, a Casa declarou ter empenhado R$ 8 milhões. Deste valor, R$ 3,2 milhões foram destinados a vantagens e vencimentos de pessoal civil, enquanto R$ 163 mil pagaram serviços

de consultoria. O município dispõe de 17 vereadores. Já a previsão das despesas da Câmara Municipal de Maracanaú chega a R$ 14 milhões no exercício de 2013. Entretanto, o presidente da Casa, vereador Carlos Alberto Gomes de Matos (DEM), explica que deve ser devolvido ao município R$ 1,5 milhão ao final do ano. Saltando de 13 vereadores, em 2012, para 21 em 2013, na avaliação do presidente, a Câmara teve um salto de qualidade. “Nós temos médicos, advogados, professores, empresários (no quadro de vereadores)”, justifica. As previsões de gastos da Câmara dos Vereadores de Sobral no exercício de 2013 chegam a R$ 10,5 milhões e o total empenhado já passa de R$ 8,2 milhões. Só com diárias, a Casa pagou R$ 454 mil. No Portal da Transparência do TCM, é possível constatar que pelo menos duas pessoas já receberam, somente este ano, mais de R$ 15 mil em diárias e outras sete já reembolsaram mais de R$ 10 mil referentes a essas despesas. O município de Sobral conta com 21 vereadores. Desperdício Mesmo com a defesa dos vereadores em relação ao emprego dos gastos das casas legislativas, o cientista político Valmir Lopes, professor da Universidade Federal do Ceará, avalia as despesas das câmaras como “desperdício de dinheiro público” e justifica que são desproporcionais quando comparadas a de outros países. “Em relação ao custo do poder legislativo no Brasil, há certa distorção em relação ao padrão internacional. Poucos países têm gastos como esses”, diz. De acordo com o professor, na maioria das cidades, o Legislativo funciona apenas como um apêndice do Executivo para sancionar os interesses do prefeito. “Poderíamos eliminar uma parte desse legislativo. Afora as grandes cidades, o legislativo é praticamente inexistente. É algo incipiente e produz de fato pouquíssimos resultados”, reflete. Segundo Valmir Lopes, o Legislativo não exerce uma de suas principais prerrogativas, que é fiscalizar o Executivo. “Do ponto de vista funcional, elas não têm praticamente valor nenhum. Simplesmente se acovardam porque são todos aliados dos prefeitos”, opina, ressaltando que uma alternativa para reduzir os gastos com as casas legislativas seria estabelecer outras formas de poder, como conselhos consultivos e não partidários ao prefeito sem remuneração. O cientista político Clésio Arruda, professor da Universidade de Fortaleza, destaca que os gastos com os gabinetes são muito caros e preveem um suporte técnico ao parlamentar, como a contratação de assessores. No entanto, acrescenta, o uso desses recursos não cumpre os requisitos ideais. “Se esse valor fosse aplicado para assessorar o parlamentar no mandato, talvez tivesse uma qualidade maior. Infelizmente não é o que ocorre, são pessoas que podem atrair votos. Há pouco profissionalismo na assessoria parlamentar”, expõe. Publicado no DN, em 24.08.2013

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


Leituras VII Memórias de um quase médico Edmílson Caminha — O que você quer ser quando crescer? Antes que eu abrisse a boca, alguém se apressava com a resposta: — Médico, não é, Edmilsinho? Era, pelo menos assim me parecia. Até perceber, como filho mais velho, que deveria fazer o que não conseguira meu pai: menino pobre, a carreira militar lhe dera educação, casa, comida e roupa lavada em troca do curso de Medicina. Ao primogênito cabia, então, realizar o sonho paterno... E para isso estudei: no Ginásio 7 de Setembro, do Dr. Edílson Brasil Soárez; e no Colégio Cearense, dos irmãos maristas, que entregavam os alunos do 3º científico aos melhores professores de Fortaleza, cujas mãos nos abriam, uma vez por ano, a porta estreita da universidade. Lembro-me de cor: eram, em 1970, 1 863 candidatos lutando pelas 160 vagas da tão custosa Medicina da UFC, disputa que fazia dos vencedores os autênticos campeões do vestibular. Passei – e passei bem. Nas disciplinas do primeiro ano, o esforço e o empenho dos novatos: certo de que nascera para a profissão, destaquei-me na histologia, tanto que o Dr. Aprígio, o famoso “Carcará”, uma vez apontou-me como exemplo para os colegas de turma... Ensinando-nos a usar o microscópio e a reconhecer tecidos, os professores Hamílton dos Santos Monteiro, Gutencilda e Glaura Férrer, os primeiros a nos desvendar os segredos e mistérios do corpo humano. A eles se juntariam outros: os mestres Livino Pinheiro, com sua admirável cultura; Eílson Goes de Oliveira; Evandro Studart, competente e educado; Viliberto Porto; Elcias Camurça; Vicente Lemos; Geraldo Tomé; Ely Vieira, penteado e bem vestido como quem acaba de sair do banho; Fahad Otoch, sempre de vara em punho, a ministrar farmacologia com o vigor de um cruzado; Manassés Fonteles, de mangas curtas e gravata, segundo o modelo americano que adotara na volta ao Brasil... E homens que, de poucas letras, nem por isso eram menos doutos, como Seu Joaquim, cujos conhecimentos nos salvavam nas gincanas de anatomia... Do primeiro para o segundo ano, manifestou-se a dúvida: seria mesmo aquela a vocação a seguir? Gostasse verdadeiramente da medicina e não folhearia os compêndios de fisiologia pensando em Drummond, nem assistiria às aulas de patologia sonhando com Guimarães Rosa... Compreende-se, assim, por que o aluno Edmílson passou de excelente a bom, de bom a regular e de regular a péssimo. No terceiro ano já quase não frequentei a faculdade, até que resolvi deixá-la. Sequer tranquei matrícula: simplesmente abandonei-a. Gostaria de saber o que consta na minha ficha: “desaparecido”, talvez, ou “sumiu sem deixar pistas”, quem sabe?... Faça-se ideia de como repercutiu a atitude – a partir da decepção de meu pai, profundamente desapontado com o filho que renunciava à medicina para fazer... letras! “É doido esse cara! Como alguém troca a carreira de médico pela de professor?!” – foi o mínimo que disseram... Hoje, passados 40 anos, é cada vez maior a certeza de que agi corretamente. Mais do que optar por fazer ou não fazer medicina, a escolha, muito mais difícil e dramática, era entre ser um mau médico e não ser médico. Por simples questão de honestidade, resolvi não ser médico. Pelo que me devem ser eternamente gratos a medicina e os doentes que não me passaram pelas mãos... (*) Edmilson Caminha

Ceará em Brasília

Ibama concede licença para obras de ampliação do Porto do Pecém O Terminal Portuário do Pecém, localizado no município de São Gonçalo do Amarante, terá suas obras de ampliação liberadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por meio da Licença de Instalação para as obras de expansão do seu Terminal de Múltiplo Uso (TMUT).As obras de expansão darão maior suporte às operações com carga geral, especialmente com produtos de siderurgia. Os serviços, já licitados, receberão um investimento da ordem de R$ 568 milhões. A Licença Prévia para a obra foi expedida pelo Instituto em junho deste ano. A nova ampliação deverá atender aos futuros empreendimentos previstos para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), a Companhia Siderúrgica do Pecém - em implantação - , e as necessidades da Ferrovia Transnordestina, com trecho até o Pecém. As obras realizadas no porto são considerados fundamentais para o desenvolvimento do Estado. O consórcio Marquise/ QG/Ivaí – vencedor da licitação da obra em 2011- será o executor das obras num prazo de 30 meses a contar da data de assinatura da Ordem de Serviços pela Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra). Nesta segunda etapa da expansão o terminal portuário receberá uma nova ponte de acesso ao quebra-mar existente com 1.520 metros de extensão, pavimentação de 1.065 metros sobre o quebra-mar; a ampliação do quebra- mar em cerca de 90 metros; o alargamento em cerca de 33 metros da ponte; a construção de 600 metros de cais com dois berços de atracação de navios cargueiros

ou porta-contêineres. Estes últimos equipamentos serão voltados para operação com carga geral e produtos da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e da ferrovia Transnordestina. Está prevista também a ampliação do pátio da retro-área de aproximadamente 69.000 metros quadrados. Os dois berços de atracação serão voltados para a exportação de placas da siderúrgica, enquanto a Ferrovia Transnordestina utilizará provisoriamente TMUT, cuja primeira etapa já foi entregue, até ter o seu próprio terminal. O secretário da Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, vê como fundamentais os investimentos no terminal portuário para fomentar a captação de empreendimentos de grande porte para o Estado, os quais resultarão em impactos positivos na economia estadual. Primeira expansão A primeira etapa de expansão do porto aconteceu em 2011, com a construção do TMUT, composto por dois berços, para atender navios porta-contêiner; ampliação do quebra-mar para mil metros; e o prolongamento da ponte existente, de 348 metros. O investimento foi de R$ 410 milhões. Com isso o Terminal ficou apto à receber a crescente demanda de movimentação de contêineres e carga geral, reafirmando sua vocação como porto concentrador de cargas e mantendo a sua consolidação de maior exportador de frutas e calçados do país. A capacidade estimada de movimentação de contêineres foi ampliada de 250.000 TEUS/ano para 760.000 TEUS/ano. Um TEUS equivale um contêiner de 20 pés de capacidade.

Sírio-Libanês forma no Ceará especialistas em emergência e vigilância O secretário da Saúde do Estado, Arruda Bastos, realizou em 28.08, em auditório do anexo das comissões da Assembleia Legislativa, a abertura dos cursos de especialização em Gestão de Emergência e Gestão de Vigilância Sanitária em Saúde Pública, projetos do segundo ciclo do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). Desenvolvidos em parceria entre o Instituto de Ensino e Pesquisa Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, e o Ministério da Saúde, os dois cursos formam 120 especialistas, 80 deles em emergência e 40 em vigilância sanitária das secretarias da Saúde do Estado e de Fortaleza e dos hospitais do Exército e da Aeronáutica. Com o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Proadi-SUS possibilita que as entidades de saúde de referência assistencial participem do desenvolvimento do SUS, transferindo tecnologias de gestão e de atenção úteis para serem adaptadas pela rede pública, além de desenvolverem pesquisas de interesse do Sistema Único de Saúde. No

Ceará, o Instituto Sírio-Libanês realiza em Quixadá, Sobral e no Cariri o curso de Especialização em Gestão de Clínica nas Regiões de Saúde e, no primeiro ciclo do Proadi-SUS, realizou projetos com a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE) e Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Diante da expansão da rede de assistência à saúde que o Governo do Estado promove em todo o Estado, o secretário Arruda Bastos disse que “o Ceará precisava de mais profissionais capacitados nessas áreas”. De acordo com Rubens Fichelli, coordenador do projeto no Ceará, serão ministrados dois cursos de emergência e um de vigilância sanitária, com conclusão em 2014 e a previsão de desenvolver 12 projetos de intervenção. “Estamos aqui com o conceito muito claro de fortalecer o SUS”, disse o coordenador, acrescentando que os concludentes da especialização em gestão de emergência passarão a integrar a Força Nacional do SUS (FN-SUS), criada para prestar assistência rápida e efetiva às populações em território nacional e internacional, atingidas por catástrofes, epidemias ou crises assistenciais que justifiquem seu acionamento.

TJCE designa comissão para concurso de juiz substituto O presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Luiz Gerardo de Pontes Brígido, designou os integrantes da Comissão do Concurso Público de provas e títulos para o provimento do cargo de juiz substituto do Poder Judiciário. A medida consta na Portaria nº 976/2013, publicada no Diário da Justiça Eletrônico de 30.08. A equipe será composta pelos desembargadores Francisco Lincoln Araújo e Silva (presidente); Antônio Abelardo Benevides Moraes, Maria Nailde Pinheiro Nogueira e Francisco Suenon Bastos Mota (membros efetivos); Washington Luis Bezerra de

Araújo e Carlos Alberto Mendes Forte (membros suplentes); além do advogado Tiago Asfor Rocha, indicado pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Ceará (OAB-CE) para representar a entidade na comissão. Os magistrados foram indicados pelo Órgão Especial durante sessão realizada no último dia 1º de agosto. A portaria leva em consideração as resoluções n° 75/2009 e 118/2010, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tratam das normas e critérios relacionados ao concurso para ingresso na carreira da magistratura do Poder Judiciário Nacional.

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

19

Agosto/13


Cid recebeu missão do Itamaraty: reunião dos Brics em Fortaleza O governador Cid Gomes (PSB) se reuniu no dia 31.07, com a missão do Itamaraty para definir as ações para a realização do próximo encontro do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que acontecerá no Centro de Eventos do Ceará (CEC) na segunda quinzena de março de 2014. A chefe da missão, a embaixadora Maria Edileuza Fontenele, destacou a importância desse evento acontecer no Brasil e, sobretudo, na Região Nordeste. “As nações estão preocupadas em conciliar desenvolvimento com conquistas sociais e o Nordeste, e o Ceará, são exemplo desse novo momento que vive o Brasil”, destacou. Essa escolha nos enche de orgulho”, definiu o Governador. A escolha do Ceará para sediar o encontro dos BRICS foi feita pessoalmente pela presidenta Dilma Rousseff, no mês de abril passado quando ela conheceu a estrutura do Centro de Eventos do Ceará (CEC). “Realmente, não existe no Brasil uma estrutura como o Centro de Eventos”, enfatizou a Embaixadora. O encontro do BRICS no Ceará reunirá os chefes de estado dos cinco países que compõe o grupo, e ainda ministros, secretários e empresários. A previsão de participação é 750 pessoas, além das representações das cinco maiores empresas de cada um dos cinco países, bancos de desenvolvimento e cerca de 1.500 jornalistas de todo o mundo. A missão ao Ceará foi acompanhada do assessor especial de Assuntos Internacionais, Hélio Leitão, e visitaram hotéis, espaços culturais e se reuniu com equipes de segurança estadual e federal.

Os 80 anos da OAB-CE foram homenageados na Câmara dos Deputados A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Ceará (OAB-CE), que completou 80 anos, recebeu, em 12.08, homenagem na Câmara dos Deputados, em Brasília, presentes o seu presidente, Valdetário Andrade Monteiro A sessão foi presidida pelo deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), autor do requerimento. A Mesa foi composta pelo presidente da OAB Nacional, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, arcebispo emérito de Brasília, cardeal Dom José Freire Falcão; presidente da OAB Secção do Ceará, Valdetário Andrade Monteiro, Desembargador cearense do TJDF, José Cruz Macedo, advogado João Estênio Campelo Bezerram representando o presidente da OAB Brasília, presidente da Casa do Ceará, Osmar Alves de Melo, do, minisatro João Batista Brito Peirera, do TST, e senador Eunicio Oliveira. De acordo com o deputado federal, é importante destacar as ações da OAB-CE não só ao que se refere às conquistas para a classe advocatícia, mas para todos os setores da sociedade. Mauro Benevides, em seu discurso, falou que é importante o papel que a OAB-CE desempenha para que haja uma reforma política no País como sinal de progresso para beneficiar, cada vez mais, a população. O presidente da OAB, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, também esteve presente à solenidade, bem como os diretores da Secional alencariana (Ricardo Bacelr, vice-presidente; Jardson Cruz, secretário geral; Roberta Vasques, secretária geral adjunta; e Marcelo Mota, tesoureiro).

Participaram do evento os conselheiros estaduais Leonardo Araújo, Pedro Bruno Amorim, Matias Coelho e Patrício Almeida, além do presidente das Subseções de Juazeiro do Norte (Clauver Barreto), de Crateús (Ismael Pedrosa), de Crato (Aderson Feitosa). O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE destacou a luta da instituição pela redemocratização do País. “A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará lutou, lado a lado com o MDB, pela redemocratização do Brasil”, afirmou. Para ele, a OAB-CE tem procurado servir a sociedade ao patrocinar a moralização da política além de participar ativamente da construção das leis “como nas propostas e debates para a realização da reforma política”, disse. No seu pronunciamento, o deputado Mauro Benevides lembrou a criação da OAB Ceará em 30 de Março de 1933 Recordou que em 20 de abril, foi eleito o Primeiro Conselho, composto por Dez Advogados, além dos cinco da diretoria – os advogados Menezes Pimentel – meu professor, anos depois, de Direito Romano na vetusta Faculdade de Direito na qual me graduei; Clovis Fontenele, Gustavo da Frota Braga (meu mestre em Teoria Geral do Estado); Olinto Oliveira e Gilberto Studart Gurgel Assinalou que a partir de 10 de Novembro de 1937, a Ordem situa-se na busca de uma legalização que somente se implantaria em 1946, sob o influxo da vitória aliada na 2º Guerra e a consequente promulgação da Carta de 18 de setembro daquele ano, num dos episódios áureos de nossos mais caros símbolos libertários”.

mkt.nacionalgás

Energia que faz parte da nossa vida.

Agosto/13

20

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

Ceará em Brasília


No dia em que Sobral invadiu Brasília e instalou a Associação dos Quem Querem Bem a Sobral AQQBS

Diretores da AQQBS e eu

Carlos Aguiar apresenta a Diretoria da AQQBS(DF)

Fernando Cesar Mesquita e Macário Batista

Secretária Eliane Leite, representa Veveu, prefeito de Sobral

Familias em confraternização

Fotos: de Macário Batista

Réplica do Arco à entrada

Foi criada aqui em Brasília, a AQQBS(DF). Foi em maio, dia 11 de maio. A Casa do Ceará deu o maior apoio. O Fernando César Mesquita, que não teve a alegria de nascer em Sobral deu a maior força. Em 31,08, a Primeira Diretoria da AQQBS (DF) fez uma festa e tanto, reunindo mais de 3 mil pessoas nas instalações da Casa do Ceará para juntar o povo e dizer o que pretendem. AQQBS (CE) quer dizer; Associação dos Que Querem Bem a Sobral, no Distrito Federal. Empresários sobralenses, muitos anos radicados na capital da República, criaram a Associação que tem por proposta “ajudar” a quem precisar, seja sobralense, cearense, nordestino. Tiveram grande apoio da imprensa em Brasília, sempre contando com apoio de rádios, jornais e estações de televisão, além da Prefeitura de Sobral, cujo prefeito,Veveu Arruda jamais negou a presença e a participação do município na criação a agora no processo de desenvolvimento do projeto. A Secretária de Cultura de Sobral, Eliane Leite, representou o Prefeito e em breve pronunciamento feito aos presentes falou da vida de Sobral, sua cultura, edu-

Ceará em Brasília

cação, saúde, industrialização, comércio e até de sua história e idiossincrasias. Reiterou a presença do Município e ofereceu a alegria do sobralense. Paa fazer a festa sem completa, o presidente do Grupo, anunciou grupos que fariam a movimentação da noite que varou a madrugada. Netos de Sobral, jovens e crianças netos de sobralenses, cantaram e dançaram no palco abrindo a noite que segundo Carlos Aguiar, o presidente da AQQBS, seria de intenso prazer. E foi. EM meio às estrelas estiveram Zé Modesto e encerrando o sempre belo espetáculo de Waldonis. A organização recebeu centenas de sobralenses que, como eu, vieram atender ao convite da AQQBS. Alguns até montaram barracas, bodegas, tendas de comidinhas nossas e confraternizaram num momento inesquecivel. À entrada, para que o sobralense se sentisse mais em casa, o Grupo criou uma réplica do Arco de N.S. de Fátima, igualzinho ao que está na entrada de Sobral. (Texto de Macário Batista, sobralense e cidadão do mundo).

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

21

Agosto/13


Página da Mulher Regina Stella (*) Vendo e ouvindo falar em Einstein nos meus tempos de universidade, eu o julgava tão só como o extraordinário cientista da Relatividade, um homem cercado de números e equações, uma ilha de genialidade mudando toda a concepção do Universo. Mais parecendo um profeta, os longos cabelos brancos, desgrenhado, profundo o olhar, direto, inquiridor, ele era tão só gênio, privilegiada inteligência a perscrutar o segredo, o mistério do cosmos. Afirmando que as descobertas de Galileu e Newton eram válidas apenas para pequenas velocidades, o espaço, curvo e finito, a menor distância entre dois pontos , uma curva e não uma reta, a luz como corpúsculos de massa que percorrem o espaço em gigantesca velocidade, ah! era demais para uma simples estudante, esticando a inteligência e procurando entender! Einstein me parecia o ser altamente dotado que extrapolava o pensamento de qualquer mortal, e o seu universo era um fantástico espaço pululado de pequeninos sois e pequeninas estrelas, infinitésimos

O Gênio e o Homem

corpos e infinitésimas massas guardando entre si uma relação inteiramente diversa da que era visualizada pelos cientistas que lhe antecederam ou pelos demais homens1 Por acaso, ao entrar numa livraria para procurar um livro de Morris West, escritor inglês que eu adorava, lá estava Einstein, a espicaçar a minha curiosidade, na maneira só sua de ver o mundo. Decidi conhecê-lo sob um outro ângulo, e foi fascinante a descoberta. Vi um Einstein igual a qualquer mortal, sofrido, angustiado. Buscando, questionando a vida, o homem, a sua presença neste planeta .E a refletir sobre a origem e o fim, o sentido da vida, e que força, que essência, que ser, paira acima da limitação humana e supervisiona o gigantesco universo. Nele, senti o encantamento pela vida. E generosidade, ao afirmar que gostaria de retribuir tudo o que recebia porque não parava de receber.Pautou a vida, dizia, buscando o bem, a beleza e a verdade, ideal que perseguiu, como um objetivo. Não ousava firmar uma opinião ou um julgamento sobre alguém.

“_ Testei o homem, ele dizia, é inconsistente”. Mesmo assim exaltava a supremacia do indivíduo sobre as massas.A violência fascina os seres moralmente mais fracos. Combatia os tiranos e os despotas. Apaixonadamente pacifista, se amargurava de ter dado o primeiro passo para a construção da bomba atômica.Convencido, porém, que ambos os blocos em que se dividia a humanidade poderiam alcança-la,entregou-se intensamente, ao seu estudo. Assumindo a responsabilidade, proclamando contudo a necessidade absoluta de extirpar a guerra, e de se bater, incansavalmente, contra a raiz do mal. _” Minha religião, ele dizia, consiste em adoração humilde do espírito superior e ilimitado que se revela nos menores detalhes que podemos perceber com nossos espíritos frágeis e incertos. Essa convicção profundamente emocional de um poder que se revela no incompreensível universo é a idéia que faço de Deus”. Este o outro Einstein que aprendi a admirar.Não apenas o gênio, mas também o homem. Regina Stela (Fortaleza) , jornalista e escritora

Roteiro da Culinária Cearense em Brasília

Bar dos Cunhados Pedro Prado e Paulo Prado Dono (Hidrolândia) Os garçonsRaimundo Vieira (Viçosa do Ceará), Edmilson Bezerra,(Poranga), Johnson de Souza e Raimundo Pacheco, (Santa Quitéria). CLN 115 BL B lj 21- Asa Norte - 70772-520Tel(61) 3274-7805. Coco Bambu – Frutos do Mar Gerente Geral EilsonStudart (Fortaleza) SCES Trecho 02, Conjunto 36, Parte CÍcone Parque/ 70200-002 Tel3224 5585 Brasilia Shoping SCN Qd 05 BL.A , 70715-900 Tel 3038.1818 Baby BeefRubaiyat - Brasília SCES – Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 1, lote 1 A - Asa Sul Tel 61. 3443.5000 Horários: segunda a sábado, das 12h à 0h30 / domingo, só almoço, das 12h às 18h.

Bela Cintra Maitre Luciano Rodrigues (São Benedito) Chefe de Cozinha - Francisco Alves (Acaraú) SHCS Quadra 105, Bloco D Conjunto 35 0 AsaSul/ Tel32424005 Beirute Sul Proprietário Francisco Martins (Ipu) SCLS109 Bloco”A” Loja 2/4 – Asa Sul /3244 1717 Beirute Norte Maitre Bartolomeu Martins (Brasilia) Fred SCLS 405 Bloco “B” Loja 10 – Asa Sul/ 3443 1450 Galeteria Beira Lago Proprietário João Miranda Lima (Ipueiras) SCES Trecho. 02 conjunto 33, ao lado do PIER 21 3223 7700 Carneiro e Picanha MaitreZequiha Boto Ordonez (Reriutaba) Francisco das Chagas (Sobral), cozinheiro e William Chaves (Pedra Branca), garçon. SCLN 216 bloco “D”, lojas 34/46 - Asa NorteTel3340 9900

Ki Filé Maitre – Roberto Cavalcante (Maitre), Chefe de Cozinha, RaimundoCavalcante (Sobral) 405 Norte, bloco A - lojas 55/65/69 - (61)3274-6363 Libanus Proprietário Narciso Martins (Ipu) SCLS 206, Bloco “C”,loja 36 – Asa Sul / 3244 9795 Moranguim Chefe de Cozinha Francisco da Silva (Icó) SHIN QI2, Área Especial, Quiosque 14., Lago Norte/ 21947641 Em frente a loja do Pão de Açucar. Dona Graça Maitre – CarlosAngelo Veras (Viçosa do Ceará) Acampamento Pacheco Fernandes Rua 07 casa15 Vila PlanaltoTel 3032 1062 70804-270 Taperas Restaurante Maitre – Francisco Tadeu de Oliveira (Iguatu) Sobreloja do Garvey Palace HotelTel 33 28 4265 Verde Perto Proprietário Carlos Pontes (Nova Russas) EPTG Chácara 56 sentido Taguatinga-Guará (ao lado do Posto de Polícia) 3567 8217

Cardíacos obesos têm chance maior de vida longa, diz pesquisa Para cientistas, o IMC pode não ser suficiente para determinar a saúde de uma pessoa Pesquisadores do University College de Londres afirmaram que pacientes com problemas cardíacos que são obesos ou estão acima do peso têm menos chance de morrer precocemente do que pacientes que estão com peso normal. O estudo com mais de 4,4 mil pacientes chegou a esta conclusão apesar de os obesos e os que estavam acima do peso que foram analisados relatarem mais problemas de saúde e menores chances de seguir os conselhos dos médicos sobre como ter um estilo de vida mais saudável. Esta não é a primeira vez que pesquisadores apontam para este paradoxo – o de que estar acima do peso ou obeso, um fator de risco para doenças cardíacas, pode na verdade levar a um prognóstico de vida melhor. Um teoria é de que talvez estes pacientes, apesar do peso, estejam mais em forma que pessoas com peso normal. Outra explicação seria o tratamento que os obesos e com sobrepeso recebem ao ir ao médico, que seria mais eficiente para aumentar suas expectativas de vida do que o que pessoas com peso normal recebem. Sete anos No estudo, divulgado na publicação científica Preventive Medicine, os cientistas do University College de Londres ana-

Agosto/13

22

lisaram dados de pacientes que participaram de uma pesquisa de saúde na Inglaterra e na Escócia. Eles descobriram que, assim como em outros estudos, os pacientes que sofriam de doenças cardiovasculares e que eram obesos ou estavam acima do peso tinham menos chances de morrer nos sete anos seguintes à análise do que as pessoas de peso normal e que sofriam da mesma doença. No total, 31% dos pacientes estudados eram obesos, com um índice de massa corporal (IMC) de 30 ou mais. Estes pacientes em geral eram mais jovens, mas relataram mais problemas de saúde e mais fatores de risco para o coração, como colesterol elevado e pressão alta. Por outro lado, eles mostraram ter menos probabilidade de serem fumantes. Os pesquisadores descobriram que, independentemente do peso, os pacientes que faziam atividades físicas pelo menos uma vez por semana e não fumavam tinham um risco menor de morte. Mas os pacientes obesos que não seguiam um estilo de vida muito saudável mostraram ter um risco mais baixo de

morrer do que os pacientes com peso normal que fumavam ou eram sedentários. ‘Paradoxo’ “Ainda não entendemos este paradoxo e evidentemente não vamos aconselhar os pacientes a engordar.” Mark Hamer, líder da pesquisa Mark Hamer, líder da pesquisa, afirmou que os cientistas ainda estão tentando explicar a razão de os cardíacos obesos terem apresentado estes resultados, mas ele já adianta que os pacientes obesos não eram mais saudáveis. “Ainda não entendemos este paradoxo e evidentemente não vamos aconselhar os pacientes a engordar”, afirmou. “Uma das explicações mais razoáveis pode ser que quando os pacientes obesos se apresentam para o médico recebem um tratamento mais agressivo, pois eles são vistos como pacientes com um risco (de saúde) maior.” “Por exemplo, não sabemos se, com a reabilitação cardíaca, o que verdadeiramente funciona é o exercício (que os médicos pedem para os obesos fazerem) - que reduz drasticamente o risco mesmo que você não perca peso”, acrescentou. “O IMC é um índice muito fraco (para mostrar) o que está acontecendo (com o paciente)”, afirmou Hamer. Com a BBC Brasil

veja os sites do projeto Brasília 50 anos do Ceará: www.brasilia50anosdeceara.com.br e no facebook www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


Leituras VIII

Humor Negro e Branco Humor

Coisas do Brasil! Uma tradição que, espero, não se acabe. 1- Já cheirei coca. É igual a pepsi... 2 - Ladrão que rouba cidadão vive em Brasília 3 - Adoro as rosas, mas prefiro as trepadeiras 4 - As mulheres perdidas são as mais procuradas 5 - Como é difícil se livrar de uma mulher fácil 6 - Dinheiro não traz felicidade, mas ajuda a sofrer em Paris 7 - Duas coisas que gosto: cerveja gelada e mulher quente 8 - Duas coisas que não gosto: cerveja quente e mulher gelada 9 - Enquanto não encontro a mulher certa...me divirto com as erradas 10 - LULA é meu pastor...por isto estou pastando 11 - Mais vale chegar atrasado neste mundo, que adiantado no outro 12 - Melancia grande e mulher muito boa, ninguém come sozinho 13 - Na vida tudo é passageiro, menos o motorista e o cobrador 14 - Não roube! O governo detesta concorrência 15 - O chifre é como consórcio. Quando você menos espera, é contemplado 16 - Antes sonhava. Hoje, não durmo... 17 - Passado de mulher é igual a cozinha de restaurante, melhor não conhecer, se não você não come. 18 - Eu queria ser pobre um dia, porque ser pobre todo dia é duro. 19 - Qual o problema do Lula beber, afinal ele não sabe dirigir nada mesmo... Secretárias de Médicos As Secretárias de Alguns Médicos devem crer que são Doutoras ! Sempre perguntam, quando você chega a uma consulta, a razão da sua visita e você tem que responder diante de todos, as perguntas que lhe fazem, o que às vezes é muito desagradável. - Bom dia, senhorita! A recepcionista me disse: - Bom dia, senhor, o que o senhor está sentindo? Por que quer ver o Doutor? -Tenho um problema com meu pênis, respondi. Como alguns dos presentes riram, a recepcionista se irritou e me disse: - Você não deveria dizer coisas como estas diante das pessoas. - Porque não?... Você me perguntou o que eu estava sentindo e eu respondi. A recepcionista, sem jeito, me disse: - Poderia ter sido mais dissimulado e dizer, por exemplo, que teria uma irritação no ouvido e discutir o real problema com o Doutor, mais tarde e em particular. Ao que eu respondi: - E você não deveria fazer perguntas diante de estranhos, se a resposta pode incomodar. Então sorri, saí e voltei a entrar: - Bom dia, senhorita! A recepcionista, meio sem jeito, perguntou: - Sim??? -”Tenho problemas com meu ouvido” A recepcionista assentiu vendo que havia seguido seu conselho e voltou a me perguntar: - E ... o que acontece com o seu ouvido, senhor? - “Arde quando eu mijo”

Ceará em Brasília

Depoimento

José Wilker fala das dificuldades em levantar recursos para seu filme Ex-presidente da RioFilme, o ator que estreia na direção de ‘Giovanni Improtta’, teve que enfrentar a burocracia atribuída aos mecanismos públicos de fomento do setor Durante os quase seis anos em que presidiu a RioFilme, entre 2003 e 2008, José Wilker esteve na inglória função de avaliar quais projetos mereceriam aporte da produtora e distribuidora da prefeitura carioca. Não foram raras as vezes em que foi obrigado a negar apoio financeiro a amigos e colegas de profissão. Ao assumir a direção de “Giovanni Improtta”, que estreia nesta sexta-feira, o ator cearense se viu do outro lado do balcão, correndo atrás de dinheiro e enfrentando a burocracia atribuída aos mecanismos públicos de fomento do setor. Passei seis meses visitando empresas, correndo entre Rio, São Paulo e Brasília. Era uma operação de guerra, porque o primeiro contato tem que ser pessoal, caso contrário os executivos se sentem preteridos na negociação. Mas a presença física não garante sucesso, ouvi muito não — conta Wilker, que, aos 67 anos, descobriu que a popularidade não é uma moeda de troca infalível. — Não importa quem você seja ou o tipo de filme que vende. Para um diretor de marketing, o que interessa é saber em que medida o projeto atende aos interesses da empresa dele. Filme fora do perfil As rejeições ao longa-metragem, protagonizado pelo próprio Wilker, estiveram, quase sempre, relacionadas ao caráter do personagem-título, extraído do livro “Prendam Giovanni Improtta”, de Aguinaldo Silva, publicado nos anos 1990, e que depois virou personagem da novela “Senhora do destino” (2004), também dele. Na trama, vencedora do prêmio de melhor fotografia (Lauro Escorel) no recém-encerrado Cine PE, ele surge como um contraventor que busca ser aceito na sociedade carioca, mas seus planos são sabotados por seu envolvimento com a polícia, a máfia dos cassinos e o jogo do bicho. — Alguns executivos, muito educadamente, disseram que nosso filme não se enquadrava no perfil da empresa. Outros falaram abertamente que o personagem exercia atividades ilegais, e isso poderia depor contra a imagem da companhia. Eu tentava convencê-los de que a questão não era bem essa, que o fato de o Giovanni ser um contraventor era acidental no filme, que trata, na verdade, de uma história de amor, sobre o Rio de Janeiro atual. Mas não adiantava — lembra o diretor. Diante de certas resistências, Wilker se viu incorporando alguns de seus tipos famosos, apelando para o fascínio dos interlocutores diante de uma celebridade da TV. Sem sucesso: — A gente sabe que vai conseguir alguma coisa logo nos primeiros cinco minutos de conversa. Quando percebia que não ia rolar, seguia o ritual assim mesmo, jogando conversa fora. Eu me divertia tomando o tempo dos caras. O Brasil

ainda não percebeu que pode ganhar muito com o patrocínio cultural. Com honrosas exceções, as empresas ainda estão atreladas ao comércio do pequeno varejo. Até hoje, lembro de uma obra-prima de merchandising, em “Blade runner”, bancado pela Coca-Cola: o refrigerante não aparece, só a cor da marca. Coproduzido pela Sony Pictures e pela Globo Filmes ao custo de R$ 5 milhões, “Giovanni Improtta” acabou ganhando um aporte da RioFilme já na fase de pós-produção. Wilker acredita que uma produção com o tamanho e as ambições de “Giovanni” talvez tivesse menos chances de conseguir suporte durante sua gestão do órgão. Naquela época, ele explica, a distribuidora estava atrelada à Comissão Carioca de Promoção Cultural, que recebia, avaliava e distribuía a verba destinada à cultura entre os diversos braços municipais de fomento da área. — A Comissão aprovava muitos projetos; não havia grana suficiente para todos, na divisão. O que eu queria, na época, era apostar em um ou dois projetos que poderiam dar retorno à RioFilme, o que viabilizaria novas ideias, e bancá-los inteiramente. Mas não consegui — diz o veterano ator e diretor de teatro, que viu o poder da produtora ser esvaziado ao longo de sua gestão. — Em meus últimos anos lá, trabalhei apenas com verba de custeio. Não tinha dinheiro para investir. Teimei em ficar na RioFilme até a mudança de governo, porque tinha medo de a fecharem. Wilker afirma que seus dois primeiros anos na RioFilme foram “sensacionais”: dispunha não só de um fundo generoso como também do apoio do governo. De repente, sentiu-se desprestigiado pela administração do então prefeito, Cesar Maia, sensação traduzida em sugestões como a transferência da sede do órgão, nas Casas Casadas, em Laranjeiras, para o prédio da prefeitura, no Centro, e a diminuição do número de empregados de 40 para sete. — Não sei se a minha inabilidade administrativa contribuiu para isso, mas não descarto o desinteresse oficial — afirma. — Aprendi muito, mas não repetirei jamais minha presença no serviço público. Não tenho esse talento. (Por Carlos Helí de Almeida O Globo 12-05-2013) (NE: José Wilker não tem falado sobre o assunto. Informações de mercado proclamam que o filme foi um fracasso de bilheteria Em 03.06, segundo Lauro Jardim, da Veja, teria registrado 181 mil espectadores , receita de R$ 1,9 milhão para um investimento de R$ 5,0 milhões. A exibição teria caído de 200 salas. A aceitação do público esteve muito abaixo das expectativas de José Wilker; Em termos comparativos, “Minha mãe é uma peça” foi vista por 4,1 milhão de pessoas e Faroeste Caboclo, por 1,o milhão).

Desembargador Manoel Cefas é homenageado durante sessão das Câmaras Cíveis Reunidas O desembargador Manoel Cefas Fonteles Tomaz (Santana do Acaraú), integrante da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), participou de sua última sessão de julgamento das Câmaras Cíveis Reunidas, despedindo-se do Tribunal.. A sessão foi conduzida pelo desembargador Rômulo Moreira de Deus, que preside a 3ª Câmara Cível. Na despedida, o magistrado ressaltou a trajetória do desembargador Manoel Cefas. “Parabenizamos por ter chegado onde chegou, forte, sadio, em paz com sua consciência. Desejo que continue a sua vida com paz e saúde”, disse. A desembargadora Sérgia Maria Mendonça Miranda,

em nome da 6ª Câmara Cível, proferiu discurso, ressaltando o carinho, o apreço e o respeito que a Corte tem pelo homenageado. Segundo a magistrada, a saída de Manoel Cefas não entristece somente por ele ter sido um grande jurista, “mas principalmente por ser um amigo e companheiro durante todo esse tempo”. O desembargador Manoel Cefas agradeceu aos colegas pela convivência e aprendizado adquirido. O magistrado retribuiu as manifestações de carinho recebidas. Disse que deixa o Tribunal de Justiça do Ceará “mais enriquecido e confortado” por ter se esforçado e contribuído com o que tinha de melhor.

veja o site da Casa do Ceará em Brasília: www.casadoceara.org.br

23

Agosto/13


Fotos de Herminio Oliveira

Casa do Ceará entregou título de Sócio Honorário ao reitor do Uniceub, Getúlio Lopes

C

oncorrida a entrega do título de Sócio Honorário da Casa do Ceará ao reitor do Uniceub, Getúlio Américo Moreira Lopes (Sete Lagoas/ MG), que estava acompanhado por sua mulher e pelo secretário geral do Uniceub, Maurício de Sousa Neves Filho. O título foi entregue pelo presidente da Casa, Osmar Alves de Mello (Iguatu), presentes os diretores da Casa Fernando César Mesquita (Fortaleza), 1º vice presidente, Evandro Pedro Pinto (Fortaleza), João Rodrigues Neto (Independência), Luis Gonzaga de Assis (Limoeiro do Norte), Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Fernando Gurgel Filho (Fortaleza), Maria Áurea de Assunção, (Fortaleza) e J.B. Serra e Gurgel (Acopiara). Também estiveram presentes os membros do Conselho Fiscal da Casa, José Carlos de Carvalho (Itapipoca) e sra. Antonio Florêncio (Fortaleza) com sra. e filha, José Colombo de Souza Filho (Fortaleza), José Aldemir Holanda

Agosto/13

24

(Baixio) e sra. e cel Edivaldo Ximenes Ferreira (Fortaleza). Também participaram da solenidade o presidente da Confraria dos Cearenses, Geraldo Vasconcelos (Tianguá), desembargador João de Assiss Mariosi, ex-presidente do TJ DF, o Hezir Espindola, o administrador de Brasília, José Messias de Souza, acompanhado chefe de gabinete, Jean Carmo Barbosa, e do diretor, Carlos Euler Currlin Perpetuo, o advogado João Estênio Campelo e seu filho, Guilherme a radialista Lucia Garófalo, os jornalistas Wilson Ibiapina (Ibiapina), Inácio de Almeida (Baturité) e Jorge Cartaxo (Crato), o prefeito de Aracoiaba, e administradora Fátima Liduina (Crato) e Superintendente da Casa, a Antonio Lucia Guimaraes (Riachinho /MG). O presidente da Casa do Ceará, Osmar Alves de Melo, na oportunidade, anunciou que estava recebendo do administrador de Brasília o originial do documento que qualifica os dois lotes da área da Casa do Ceará, o

acesse o site da Casa do Ceará em Brasília na Web: www.casadoceara.org.br

que deverá ser vendido para financiar o projeto Fausto Nilo e da área onde a nova sede será implantada. O documento é indispensável para a alienação da área de 15 mil metros. Saudando o reitor do Uniceub, Getúlio Américo Moreira Lopes, destacou a cooperação que a Casa sempre recebeu do Uniceub, a universidade privada que tem a cara de Brasília, assinalando o espírito sonhador do pai do homenageado, o ex-deputado federal e ex-reitor João Herculino Filho. Agradecendo, Getúlio lembrou que tem estado bem próximo da comunidade cearense em Brasília, participando dos encontros da Confraria dos Cearenses, recordando que sua mãe, d. Elza Lopes, teve participação efetiva nas ações da Casa do Ceará, ao tempo da presidente Mary Pessoa. Acrescentou que a Casa do Ceará, na 909 Norte, e o Uniceub, na 709 Norte, tem trajetórias parecidas e contribuições distintas para o desenvolvimento de Brasília.

Ceará em Brasília

Profile for shadown shadown

Jornal ago2013  

Jornal da Casa do Ceará

Jornal ago2013  

Jornal da Casa do Ceará

Profile for shadown21
Advertisement