Page 1

1

Ceará em Brasília Jornal da Casa do Ceará

www.casadoceara.org.br

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS

Ano XXVI - 274 - Abril de 2015

Governador do Ceará, Camilo Santana, entregou a Medalha da Abolição de 2015. Leia mais na pág. 17

Nas fotos, o Governador Camilo Santana na solenidade de entrega da Medalha da Abolição de 2015 (A maior condecoração do Ceará) ao arquiteto Fausto Nilo, ao médico José Huygens Parente Garcia e a farmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes.

Leia nesta edição Editorial, pág.2 Espaço Luciano Barreira, pág. 2 Conversando com o Leitor, pág. 2 Samburá - Avenida Beira Mar, pág. 3 Ex-bispo auxiliar de Fortaleza eleito presidente da CNBB, pág. 4 Biblioteca Pública reaberta no “Espaço Estação”, ao lado da Estação J. Felipe, pág. 4 Casa do Ceará homenageou os sócios do Grupo Só Reparos, pág. 4 Anúncio de José Lírio pág. 4 Camilo Santana entrega obras estruturantes em Barbalha, sua cidade natal, pág.5 Anúncio do Uniceub, pág. 5 Leituras I - a poesia de José Jarbas Junior, pág. 6 A despedida de Audifax Rios, pág. 6 Leituras II - artigo de Wilson Ibiapina, Todos no mesmo barco, pág. 7 Marcos Holanda é o novo presidente do Banco do Nordeste, pág. 7 Jesualdo Farias deixou reitoria da UFC e assumiu a Secretaria de Ensino Superior do MEC, pág. 7 Leituras III - artigo de Gonzaga Mota, Melhor idade e desigualdade, pág. 8 Dom Helder Câmara: Santa Sé sinaliza sim e Fortaleza pode ter o seu santo. Primeiro passo é reunir a documentação para a beatificação de um dos religiosos mais carismáticos do País, pág 8 Leituras IV - artigo JB Serra e Gurgel, A crise da mídia impressa brasileira. pág. 9 Associação Nacional de Escritores-ANE tem Diretoria presidida por Fábio de Sousa Coutinho. Edmilson Caminha participa, pág. 9 Projetos culturais do Comendador Albery Mariano, pág.10 Anúncio de M. Dias Branco, pág. 11 Leituras V - artigo de João Soares Neto, A Idéia, a execução, os óbices e a dura, vida, pág. 12 Caridade: Estátua sem cabeça leva culpa por divórcios em cidade do CE, pág.12 Manassés lançou novo CD no Theatro São João, de Sobral, pág. 12. Leituras VI - artigo de Batista de Lima, da revista A Província, pág.13 As memórias de Sérvulo Esmeraldo, pág. 13 Leituras VII - Artigo de Macário Batista, Uma tese que faz sentido, pág. 14 Arte sertaneja do Ceará. O trabalho do Mestre Espedito Seleiro em parceria com os irmãos Campana será exposto nos Estados Unidos, pág. 14 Leituras VIII - artigo de José Jezer de Oliveira, A Seresta do século, pág. 15 Homenagens ao Gen Manoel Theophilo Gaspar de Oliveira Neto, pág.15 Grandes navios farão cruzeiros em Fortaleza já no verão de 2015, pág. 16 Palestrantes elucidam as origens do Estado Islâmkico no Uniceub, pag.16 Anúncio da Nacional Gás, pág. 16 Anúncio da Campanha do Agasalho pág 17 Entrega da Medalha da Abolição, pág. 17 Leituras IX - Página da Mulher, artigo de Regina Stella, Minha rua de menina, pág. 18 Evasão fiscal anual no Brasil equivale a 18 copas do mundo, pág. 18 Leituras X - Humor Negro e Branco Humor, pág. 19 Os Cearenses na Cozinha de Brasília, pág 19 Campanha do Agasalho, pág. 20 Festa Junina de 2015, pág. 20 Anúncio do Beach Park, pág. 20

Certidão de Regularidade para Utilidade Pública Ministério da Justiça Cadastro Nacional de Entidades de Utilidade Pública - CNEs Informamos que a Prestação de Contas referente ao ano base 2014 da entidade CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA, CNPJ 00.096.933/0001-24, foi aprovada. A certidão de regularidade estará disponível para impressão apenas nos casos em que a entidade esteja com as prestações de contas aprovadas anualmente. O acesso à certidão pode ser feito pelo portal www.mj.gov.br/cnes. *Para entidades tituladas como UPF, o acesso à certidão de regularidade está condicionado à prestação de contas anual, tendo, no mínimo, os últimos 3 exercícios consecutivos aprovados. Sistema CNEs

23/04/2015

Certidão de Regularidade na Prestação de Serviços

portal.mj.gov.br/CNEs/certidao_UPF_DIVOT.jsf

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA, CLASSIFICAÇÃO, TÍTULOS E QUALIFICAÇÃO

CERTIDÃO Finalidade: Apresentação de relatório anual de serviços para fins de manutenção do Título de Utilidade Pública Federal. Validade: 30 de Setembro de 2016 CERTIFICO que a instituição CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA, CNPJ 00.096.933/0001­24, declarada de utilidade pública federal publicada no Diário Oficial da União em 29 de Abril de 1971, apresentou seu relatório circunstanciado de serviços e o demonstrativo de receitas e despesas referentes ao ano de 2014, como exigido pelo art. 4.º da Lei 91/35 e pelo art. 5.º do Decreto 50.517/61, pelo que mantém o título em referência. Não obstante o prazo de validade da presente certidão, o Ministério da Justiça poderá eventualmente cassar o título se for comprovada, através de processo administrativo, qualquer infração às normas que disciplinam a declaração de utilidade pública federal. Caberá aos interessados verificar acerca da manutenção do título desta entidade, bem como da existência de processo administrativo em trâmite, no endereço eletrônico http://www.mj.gov.br/CNEsPublico.

Ceará perdeu um de seus ícones nas letras e artes: Audifax Rios, também autor da marca dos 50 anos da Casa do Ceará em Brasília. Leia mais na pág. 6 http://portal.mj.gov.br/CNEs/certidao_UPF_DIVOT.jsf

Ex-governador Cid Gomes inaugurou o Centro de Formação Olímpica.

Nas fotos do general Estevam Theophilo cedidas ao Ceará em Brasilia na designaçao do Grupo Manoel Theophilo Neto ao 10º Grupo de Artilharia de Campanha SL , em Boa Vista, RR, as presenças de seus irmãos, de sua mãe, d. Maria de Lurdes Cals de Cals, no memorial em homenagem ao seu pai, no busto inaugurado no QG ; na placa com as palavras de meu pai no pátio do Grupo,

O 10º Grupo de Artilharia de Costa SL, do Exérrcito, em Roraima, ganhou a denominação do Gen Manoel Theóphilo Neto, que foi seu comandante, em solenidade que reuniu os filhos generais e coronéis da família Theóphilo. Leia mais na pág. 15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Espaço Luciano Barreira

Edi t o r i a l

O episódio da Refinaria da Petrobrás causou profundo impacto no Ceará. Ninguém poderia imaginar um desfecho tãodecepcionante. O Ceará cumpriu à risca o caderno de encargos que lhe foi submetido pela Petrobrás, seguindo às cegas todas as demandas impostas para que conquistasse a Refinaria. O país precisava da Refinaria para o seu futuro. O Ceará precisava da Refinaria para o seu futuro. Infelizmente ninguém imaginou um plano B que deveria existir. Sim, se por acaso a Petrobrás falhasse, qual seria o plano B? Este não foi pensado, mas deveria ter sido. Qual seria? A Petrobrás falhando vergonhosamente como falhou, o Ceará deveria ser autorizado a procurar pelo menos uma alternativa. Por exemplo, procurar parceiros para implantar a Refinaria. O Ceará encontrou na Coreia parceiro para implantar a Siderúrgica, o que pareceria impossível. O Governo do Ceará, certa feita, de um giro pela Coreia e encontrou empresários interessados na Refinaria. Porém, com a Petrobrás em “alta” não pode levar adiante uma provável parceria. A Petrobrás frustou e desapontou o Ceará. Desmoralizou-se. Talvez no prcesso de “reconstruão da Petrobrás”, após o escárnio do petróleo” seria revelante que a estatal autorizasse o Governo do Ceará a tentar viabilizar a Refinaria com parceiros externos. Mercado teria, não importa se com o selo ou não da Petrobrás. Irrelevante no momento. Inácio de Almeida (Baturité) diretor Expediente

Fundada em 15 de outubro de 1963 Fundadores – Chrysantho Moreira da Rocha (Fortaleza) e Álvaro Lins Cavalcante (Pedra Branca) Diretoria Presidente - Osmar Alves de Melo (Iguatu): José Sampaio de Lacerda Junior (Fortaleza), 1º vice; Luiz Honzaga de Assis, (Limoeiro do Norte) 2º vice; Evandro Pedro Pinto (Fortaleza), Administração e Finança..., Carlos Euler Curlin Perpétuo (Joinville/SC) Planejamento e Orçamento; Vicente Magalhães (Aurora), diretor de Educação e Cultura; Francisco Machado da Silva (Pedra Branca), Saúde; JB Serra e Gurgel (Acopiara), Comunicação Social, general Nilton Pessoa Cavalcante (Iracema) Obras, Maria Áurea Assunção Magalhães (Fortaleza), Promoção Social, e João Rodrigues Neto (Independência), Jurídico. Conselho Fiscal Membros efetivos: José Ribamar Oliveira Madeira (Uruburetama), José Colombo de Souza Filho (Fortaleza) e José Carlos Carvalho ( Itapipoca); Membros suplentes: Antônio Florêncio da Silva (Fortaleza), e José Aldemir Holanda (Baixio). Jornal da Casa do Ceará Fundador e Editor Emérito - Luciano Barreira (Quixadá) Conselho Editorial Ary Cunha (Fortaleza), Carlos Pontes (Nova Russas), Edmilson Caminha (Fortaleza), Egidio Serpa (Fortaleza), Frota Neto (Ipueiras), Geraldo Vasconcelos (Tianguá), Gervásio de Paula (Fortaleza), Haroldo Hollanda (Fortaleza), Jorge Cartaxo (Crato), J. Alcides (Juazeiro do Norte), José Jézer de Oliveira (Crato), Lustosa da Costa (Sobral), Marcondes Sampaio (Uruburetama), Milano Lopes (Fortaleza), Narcélio Lima Verde (Fortaleza), Orlando Mota (Fortaleza), Paulo Cabral Jr. (Fortaleza), Raimunda Ceará Serra Azul (Uruburetama), Roberto Aurélio Lustosa da Costa (Sobral) e Tarcisio Hollanda (Fortaleza). Diretor Inácio de Almeida (Baturité) Editores JB Serra e Gurgel (Acopiara) e Wilson Ibiapina (Ibiapina) Gurgel@cruiser.com.br / wilsonibiapina@globo.com Editoração Eletrônica Casa do Ceará Distribuição Antonia Lúcia Guimarães Circulação O jornal não se responsabiliza por textos assinados. Banco de dados com apoio da ANASPS - Brasília – DF SGAN Quadra 910 Conjunto F - Asa Norte | Brasília-DF CEP 70.790-100 | Fone: 3533 3800 casadoCeará@casadoCeará.org.br / www.casadoCeará.org.br

Abril/15

2

Duas Frases, Dois Caminhos “O meu governo tem o maior orgulho por ter alcançado o recorde de ter 56 milhões de pessoas atendidas pelo Programa Bolsa Família”. Dilma Rousseff - presidente do Brasil “Devemos medir o sucesso dos programas sociais pelo número de pessoas que deixam de recebê-lo, e não pelo número de pessoas que são adicionadas”. Ronald Reagan - Ex-Presidente dos EUA Pobre x Rico (Camera) Pobre quando bate na mulher, é Lei Maria da Penha! Rico quando bate na mulher, é 50 Tons de Cinza.. O curso noturno (Americo) Nem sempre estudar é o melhor caminho… - Pepe, faz cinco anos que estou inscrito num curso nocturno. Não estás interessado em fazer um ? - Bah...! - Não ? Por exemplo, tu sabes quem foi Graham Bell ? - Não ! - Foi o que inventou o telefone em 1876. Se viesses ao Curso Nocturno, sabias... No dia seguinte, a mesma cena. - Tu sabes quem foi Alexandre Dumas ? - Não ! - Foi o autor de “Os Três Mosqueteiros”. Se viesses ao Curso Nocturno, sabias... No dia seguinte, de novo... - E sabes quem foi Miguel Cervantes? - Não ! - Foi o autor de “D Quixote”. Se viesses ao Curso Nocturno, sabias... Já em brasa, o Pepe pergunta: - Ouve lá Ramón, e tu sabes quem é Manolo Sanches ? - Não ! - Pois é o gajo que anda a pegar a tua mulher. Se deixasses o Curso Nocturno... sabias...

Dois bêbados na ponte Dois bêbados andando em cima da ponte de repente um deles cai na água e morre afogado. Quando o bêbado estava sendo retirado da água pelo os bombeiros, o outro bêbado chorando e lamentando a morte do outro diz: – Tantos anos bebendo cachaça, na primeira vez que bebe água morre! O Pavão e o Urubu (Saiani) O pavão e o urubu viviam numa planície. Um dia, o pavão pensava... Sou tão bonito, colorido e exuberante, mas não posso voar, que infeliz sou eu. E o urubu... meu vôo é tão lindo, sou um especialista no ar, mas sou muito infeliz por ser tão feio. ... Os dois se encontraram e tiveram uma brilhante idéia. Vamos cruzar e gerar um descendente que voe e seja lindão . Então cruzaram... E daí nasceu o Peru, QUE É FEIO PRA CACETE E NÃO VOA! Moral dá história: Se a coisa tá ruim, não inventa! GAMBIARRA só dá merda! Briga de Casal..... Depois de brigas constantes e denúncias dos vizinhos, o Delegado resolveu ir à casa do casal para esclarecer o motivo das desavenças. Lá chegando, encontrou o casal discutindo. Sobre a mesa havia um enorme recipiente de sagu, aromático, delicioso, feito do melhor vinho. Como o casal não parava de brigar e o Delegado era “fissurado” por sagu, serviu-se de um generoso pote. Briga vai, briga vem, o casal não parava de brigar, o Delegado comeu vários potes do sagu. Saciado seu desejo de comer sagu, o Delegado conseguiu atrair a atenção do casal e perguntou-lhes o porquê de tanta briga. Respondeu-lhe a mulher: - É que toda a hora o sem-vergonha enfia o pinto nesse sagu e quer que eu chupe

Conversando com o Leitor

+ Os pêsames do Comendador Albery Mariano pela perda do conterrâneo Audifax Rios: “Aos Familiares do saudoso AUDIFAX RIOS, Caricaturista, Escultor, Pintor e Redator Cearense, que muito engrandeceu Santana do Acaraú, com seu precioso talento Artístico e Cultural. O Brasil perdeu um grande filho. Recebam o nosso fraterno abraço de Condolências, neste momento de perda e de grande dor de todos os familiares e amigos. Do Conterrâneo Comendador Dr. Albery Mariano - Advogado, Escritor, Teólogo e Poeta e sua esposa Dama Comendadora Profª Cleuza Luiza Mariano”.

engenharia e de terceirização de mão de obra. As dividas passam dos R$ 20 mil . São empresas que faturam bilhões por ano. Lamentável. A Casa não pode denuncia-los ao SPC e ao Serasa, mas não é um procedimento aceitável dar cano numa instituição que é orgulho dos cearenses.

+ O Facebook da Casa do Ceará atingiu marcas expressivas, Foram mais de mil curtidas. Temos a melhor cobertura do Ceará fora do Estado.

+ O POVO fez bela cobertura sobre a vida, paixão e morte de Audifax Rios, o eterno aprendiz de Santana do Acaraú.

+ O sistema de audiência dos nossos sites (Google Analytics) mostra principalmente que o site da Casa do Ceará é muito visitado por cearenses que estão em países distantes na Ásia e na África. + Cumprimentamos nosso colaborador Edmilson Caminha pela eleição para a Associação Nacional de Escritores. Com ele, vai o poeta Jarbas Mota que vai ajudar na montagem de cursos e oficinas. + Cumprimentamos nova Assessora de Imprensa do governador Camilo Santana, Ana Cristina Machado Cavalcante o Assessor Especial de Comunicação do Governador, Chagas Vieira. + A Casa do Ceará tem levado “tombos” de grandes anunciantes do Ceará, que não pagaram, até hoje, suas dividas para com a Casa. São apenas dois e as dívidas, das áreas de

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

+ Adirson Vasconcelos (Santana de Acaraú) lamentando a morte precoce de seu ilustre conterrâneo, Audifax Rios. A morte de Audifax também abalou Inácio de Almeida (Baturité), em Brasília, como abalou Sérgio Braga, em Fortaleza.

+ O site da Casa do Ceará www.casadoceara.org.br registrou em abril 6.058 sessões, 4.982 usuários e 12.315 vizualizações. + Fomos visitados por nacionais dos Estados Unidos (Boardman), Índia (Nova Delhi), Portugal, Israel, Itália, Russia, Argentina, Canadá, Estônia, Espanha, Etiópia, França, Indonésia, Japão, Moldávia, Malásia e Turquia. + No Brasil, fomos visitados em Brasília, Goiânia, Fortaleza (em 3º!), Rio de Janeiro, Belém, São Bernardo do Campo, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Juazeiro do Norte, Cuiabá, Águas Lindas de Goiás, Recife, Luziânia e Natal. + Wilson Ibiapina com novo programa na TV Diário de Fortaleza sobre os cearenses de Brasília realizou entrevistas com JB Serra e Gurgel, Jóse Colombo de Souza Filho, Luis Joca e Francisco Inácio de Almeida, que lembrou sua passagem por Moscou, como locutor da Radio Moscou.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

SAMBURÁ - Avenida Beira Mar Deputado José Airton Cirilo (PT-CE) A bancada do Ceará reuniu com o governador do estado Camilo Santana, a convite do Coordenador da Bancada federal, o deputado José Airton Cirilo (PT-CE), na pauta recursos para o Ceará e a criação de um fundo para combater a estiagem e dar seguimentos a obras importantes como à transposição do Rio São Francisco e ao Cinturão das Águas. Jesualdo em Brasília O Conselho Universitário (Consuni) da UFC empossou o Vice-Reitor, Prof. Henry de Holanda Campos, substituto o Reitor da UFC, Prof. Jesualdo Farias, que fez prestação de contas do mandato e apresentou sua renúncia. Jesualdo Farias deixa a UFC para assumir a Secretaria da Educação Superior (SESu), do Ministério da Educação, em Brasília. Leroy Merlin em Fortaleza A Leroy Merlin - rede francesa de materiais de construção, decoração e jardinagem - abriu sua primeira loja em Fortaleza, sendo, também, a primeira unidade do Nordeste. Com um investimento de R$ 80 milhões, a rede se instala na capital cearense em uma loja de 9 mil metros quadrados (m²) de área de venda, com mais de 10 mil m² de área de estacionamento, com vagas para 425 veículos.Trata-se da 33ª unidade da home center no País. O novo empreendimento está gerando 210 empregos diretos e 300 indiretos. Além de contar com 30 fornecedores locais e 15 fornecedores nordestinos. A nível nacional, a loja conta com 1200 fornecedores e 80 mil itens de venda.A Leroy Merlin, presente no Brasil há 17 anos e considerado o home center líder no setor de material de construção do país, teve um faturamento de R$ 4,2 bilhões no ano passado. É assim... A CUT paga R$45,00 reais pra neguim vestir a camisa da Central, recebe lanche e colete e participar de manifestações em Brasília. Isso é terceirização. Santas Casas e Circo O deputado Tiririca abraçou a causa das Santas Casas de Misericórdia. Mas não como o padre Zé linhares. Tiririca acompanha o quadro de necessidades das santas Casas de São Paulo. Tiririca investiu todas as suas fichas na regulamentação da atividade circense, explorada principalmente pelas prefeituras. Veveu Arruda na FNP A indicação partiu da assembleia de gestores municipais da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), realizada, em Brasília, que elegeu a nova diretoria da Federação para o biênio 2015/2017. Demandados pelo novo presidente da FNP e prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda, os filiados escolheram Veveu Arruda para o cargo de vice-presidente estadual da Frente em função da reconhecida liderança regional exercida por ele.

Ceará em Brasília

Cid Gomes O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque (PROS), apresentou na reunião da Mesa Diretora da Assembleia uma solicitação do assessor parlamentar Cid Gomes pedindo dois anos de licença sem remuneração. O pedido foi aprovado por unanimidade. Cid foi em férias com a família passar temporada nos Estados Unidos. Os filhos de Cid. Esplanada O Grupo Esplanada inaugurou uma filial em Crateús. Trata-se da primeira de novos pontos, dentro de um plano de expansão. Neste ano, o grupo ainda abrirá filiais nas cidades de Russas, Limoeiro do Norte, Quixadá, Quixeramobim, Maranguape e Fortaleza (Messejana). informação é dos controladores do grupo, os irmãos Deib e Ronaldo Otoch. O Príncipe dos Poetas Henriques do Cerro Azul, nosso Príncipe dos Poetas, despediu-se em 04.05, na Capela 6 do Campo da Esperança. Seu corpo foi velado e houve a Cerimônia de Encomendação. A viúva, dra. Raimunda Ceará do Cerro Azul, os filhos João, Francisco e Marcelo e as entidades culturais brasilienses convidaram para para a despedida do bom amigo e confrade. Uma vida dedicada exemplarmente à família, às letras e à ciência jurídica. Cearense. Membro da Academia de Letras de Brasília, da Casa do Poeta, da ANE-Associação Nacional de Escritores, do Instituto Histórico e Geográfico do DF, da ALMUB, da Casa do Ceará, da Academia Täguatinguense de Letras, da Ordem dos Advogados do Brasil e outras entidades cívico-culturais. Aos familiares as condolências da Casa do Ceará em Brasília. Transnordestina Segundo Egídio Serpa, concentram-se no trecho piauiense as obras da Ferrovia Transnordestina, uma estrada de ferro que unirá os portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco. Essa obra, se tudo tivesse sido feito segundo o seu cronograma financeiro e técnico, já deveria estar em operação há cinco anos. Mas, se Deus ajudar e os governos pernambucano e cearense fizerem o que lhes cabe – as desapropriações – o primeiro trem da Transnordestina circulará em 2017, diz o presidente da Transnordestina Logística – que faz a obra e a operará quando estiver pronta – Ciro Gomes. O empreendimento custará R$ 11,5 bilhões, R$ 7 bilhões a mais do que seu preço original, Difícil. Doação O presidente da ANAC, Agência Nacional de Aviação Civil, Marcelo dos Guaranys, acaba de fazer importante doação à Casa do Ceará: um FIAT Uno Mille Fire, ano 2005 na cor azul que será usado para retirada de doações feitas à Casa.

TIPI Vicente Landim de Macedo (Aurora) publicou “TIPI, de Arbusto a Distrito”, resgatando a história dos Macedo no Tipo, distrito de Aurora. São 94 páginas. No Tipi, diz “meus avós viveram, meus pais nasceram e viveram eu e meus irmãos nascemos”. Serviu de base um estudo que mostrou a Marcílio Roberto Macedo Tavares, que escreveu o prefácio. Uma história que reforça os laços de Vicente com Tipi que desde 1957 é distrito de Aurora. A Casa aceita doações. Entre os doadores de peso estão a Receita Federal e a Comfort Suites Hotel, que tem doado colchas, lençóis, cobertores, fronhas e colchões à Pousada Crisantho Moreira da Rocha. Cearense no CNMP Leonardo Carvalho, um jovem e brilhante advogado cearense, filho do jornalista Sabino Henrique, é membro do Conselho Nacional do Ministério Público. Por indicação do senador Eunício Oliveira, Leonardo representa o Senado Federal nesse conselho, que fiscaliza as ações dos Ministérios Públicos Estaduais. Fortaleza na rota da Cruise Lines Uma das grandes do disputado mercado de cruzeiros marítimos, a Cruise Lines International Association (Clia) anuncia que pretende criar dois pacotes de viagem de navio pelo Nordeste. Em ambos, a cidade de Fortaleza está incluída. No primeiro pacote, o roteiro seria Santos-Fortaleza, ida e volta, com escalas em capitais do Nordeste, com duração de sete dias; No segundo, a viagem seria Salvador-Fortaleza, ida e volta, com igual duração. O secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, e diretores da Cruise já marcaram encontro em Fortaleza. AMBEV em Maracanaú A Ambev, quarta maior cervejaria do mundo, irá abrir, até dezembro deste ano, um Centro de Distribuição – CD em Maracanaú com 46,9 mil m² de área e declarados R$ 38,5 milhões em investimentos. Um total de 400 empregos diretos e indiretos serão gerados na Unidade, que ficará localizada na Rua Leste 5, no Distrito Industrial I, por trás da Vicunha. As obras já começaram neste mês de abril. O CD da Ambev conta com o apoio do Governo Municipal de Maracanaú, através do Programa de Atração de Empresas coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico – SDE. Lingerie Mais do que peças do vestuário feminino, a lingerie teve um “boom” junto com a revolução sexual dos anos 60, e, atualmente, é um segmento da indústria têxtil que fatura mais de U$ 30 bilhões, por ano, no mundo. No Brasil, os números também são otimistas. De Norte a Sul do País, mais de 3,5 mil confecções produzem cerca de 1,5 bilhão de peças De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Industrial do Ceará (Indi), em 2013, o Ceará foi destaque em exportações no setor de moda íntima, ficando em terceiro lugar na produção nacional (14,4%)

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

3

Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Ex-bispo auxiliar de Fortaleza eleito presidente da CNBB Atualmente arcebispo de Brasília, o paulista Dom Sérgio da Rocha atuou na Capital entre 2001e 2007, nomeado pelo então papa João Paulo II. Dom Sérgio da Rocha, foi eleito o novo presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Divulgação O ex-bispo auxiliar de Fortaleza, Dom Sérgio da Rocha, foi eleito, nesta segunda-feira (20), o novo presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O religioso, que, atualmente, é arcebispo de Brasília, foi escolhido após receber 215 votos, superando os dois terços necessários para a eleição. Dom Sérgio da Rocha nasceu em São Paulo, mas foi nomeado bispo auxiliar de Fortaleza, em 2001, pelo então papa João Paulo II. Sua ordenação foi realizada em agosto do mesmo ano, na Catedral de São Carlos, em São Paulo, pelos bispos ordenantes dom José Antônio Aparecido Tosi Marques, dom Joviano de Lima Júnior e dom Bruno Gamberini. Caridade é lema de arcebispo Em janeiro de 2007 o papa Bento XVI o nomeou como arcebispo coadjutor da arquidiocese de Teresina (PI). Também pelo papa Bento XVI, em 2011, foi nomeado para arcebispo metropolitano de Brasília. Dom Sérgio tem como lema episcopal “Omnia in Caritate” – “Tudo na caridade”. Ele estudou Filosofia no Seminário de São Carlos (SP) e Teologia na Pontifícia Universidade de Campinas (SP). O arcebispo é mestre em Teologia Moral pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (SP) e doutor pela Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma.

Biblioteca Pública reaberta no “Espaço Estação”, ao lado da Estação J. Felipe O Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), reabriu a Biblioteca Pública do Estado do Ceará, com o acervo disponibilizado à sociedade em um novo local: o “Espaço Estação”, em um dos antigos galpões da RFFSA, ao lado da Estação João Felipe, no Centro de Fortaleza. O espaço, que integra as instalações da futura Pinacoteca do Estado do Ceará, acolherá mais de 50 mil títulos da Biblioteca Pública, que novamente serão colocados ao acesso da população, para consultas e estudo, O espaço abrigará o acervo enquanto o prédio original da Biblioteca passa por reforma. Com os títulos mais procurados pelos frequentadores da Biblioteca, salas de estudo, laboratório de informática e uma agenda cultural permanente, o “Espaço Estação” vem atender as demandas dos usuários da Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel, que atualmente passa por reforma geral, com investimento de R$ 9 milhões realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura. A transferência do acervo Dos 132 mil livros existentes na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel, cerca de 50 mil serão disponibilizados para a população. Foram levados para o Espaço Estação 12 mil títulos infantis, 10 mil sobre o Ceará ou de literatura cearense, 13 mil de literatura geral, 10 mil obras gerais (referentes às áreas de conhecimento das grades escolares) e 2.500 volumes em braile. Também funcionará no local o Centro Digital do Ceará, que dispõe de dez computadores com acesso à Internet para pesquisas e trabalhos.

Casa do Ceará homenageou os sócios do Grupo Só Reparos

O Presidente da Casa do Ceará, Osmar Alves de Melo, acompanhado da Superintendente Antonia Guimarães, do Presidente de Honra da Associação dos Que Querem Bem a Brasília e ao Distrito Federal, AQQB, Antonio Carlos Aguiar e seu Presidente, Euladyr Aguiar, estiveram em 05.05 no Grupo Só Reparos para entregar o título de Sócios Eméritos da Casa do Ceará aos empresários Francisco Hubner Carneiro e Miguel Soares Frota, pelos relevantes serviços prestados em prol das atividades sociais da entidade. O Presidente da Casa do Ceará ressaltou a importância do apoio dos empresários em todas as atividades sociais da Casa e agradeceu a grande contribuição que a Só Reparos vem prestando a Casa do Ceará. Em duas oportunidades, a Só Reparos substituiu os toldos de entrada da Casa, bem como a cobertura do Espaço Estênio Bezerra. Com boa vontade e espírito público, Francisco e Miguel tem atendido as solicitações de apoio a diversos eventos na Casa.

Há 43 anos

Abril/15 Fevereiro/15

4

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Camilo Santana entrega obras estruturantes em Barbalha, sua cidade natal

A urbanização da Vila do Caldas e a nova Avenida do Contorno serão também importantes para consolidar Barbalha como ponto turístico do Cariri. O Balneário do Caldas é um dos pontos turísticos mais conhecidos de Barbalha, no Cariri Cearense. Atrai turistas do Brasil inteiro. No distrito do Caldas, a população comemorou neste sábado, a entrega da obra de urbanização da Vila. O governador Camilo Santana, filho de Barbalha e criado no Caldas, fez a entrega da obra à população. “Nasci e me criei aqui. Joguei baralho com os amigos, sempre frequentei essa localidade e agora estou muito emocionado por ter atendido a reivindicação da comunidade, que me pediu isso, desde que assumi o mandato de deputado estadual”, revelou o governador. O Caldas é famoso por abrigar balneário rico em águas minerais naturais e hipotermais. José Nilton Brito, morador do Caldas há 33 anos comemorou a inauguração. “Vai atrair muitos turistas para cá e agora realizamos um sonho de mais de 50 anos. Agora nós esperamos que além dessa, o Estado traga mais benefícios para Barbalha e o Cariri”, afirmou. O investimento do Governo do Estado para a obra foi de R$ 784 mil, por meio da Secretaria das Cidades, e supervisionada pelo Departamento de Arquitetura e Engenharia

do Governo do Estado do Ceará (DAE), órgão vinculado à Secretaria de Infraestrutura (Seinfra). A urbanização vai beneficiar uma população estimada em 55.373 habitantes e englobou a pavimentação da via e dos passeios, com a implantação de piso ecológico. A acessibilidade a edificações e espaços também foi garantida com a construção de rampas e a colocação de piso tátil para facilitar o deslocamento de pessoas com necessidades especiais. Os bancos dos jardins são revestidos com pedra Cariri, durável e de fácil manutenção. A urbanização contou ainda com a instalação de lixeira em fibra de vidro; drenagem; sinalização do sistema viário; paisagismo com espécies arbóreas nativas e instalação de iluminação de LED, com economia de energia, durabilidade e baixo custo de manutenção. Entre as prioridades, o Governador destacou que pretende consolidar o Caldas como um ponto turístico. “Já está concluída a licitação e a construção de um teleférico do Caldas. A obra aguarda a licença ambiental e com ela vamos impulsionar o turismo e o desenvolvimento da Região. Também faremos a construção em parceria com a Prefeitura de Barbalha”, anunciou o Governador. Compareceram o prefeito de Barbalha, José Leite, o líder

do Governo na Câmara, deputado federal José Guimarães, o deputado estadual José Aílton Brasil, o prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo, os suplentes de deputado Sineval Roque e Manoel Santana, o secretário adjunto das Cidades. Quintino Vieira, além de outras lideranças políticas do Cariri. Avenida do Contorno O governador Camilo Santana também inaugurou a obra da Avenida do Contorno do município, realizada com o objetivo de criar uma alternativa para aliviar o tráfego pesado de veículos no centro da cidade. Foram investidos R$ 3,2 milhões. A avenida tem 2,4 km de extensão de pista dupla pavimentada e contou com obras de terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, sinalização vertical e horizontal e ciclovia. A avenida ligará a CE-060 à CE-293. “Eu comecei essas duas obras quando era secretário das Cidades, e agora estou tendo a felicidade de inaugura-las como Governador”, afirmou Camilo Santana. Ao povo de Barbalha ele concluiu sua fala dizendo que “não vai descansar um dia sequer até o final do mandato”, pois tem como meta trazer desenvolvimento econômico e social para todo o Estado, com ações concretas, assumindo cada compromisso firmado durante a campanha.

MOSTRE O SEU TALENTO POR INTEIRO.

CURSOS EM COMUNICAÇÃO • DIREITO • EDUCAÇÃO • GESTÃO • MEIO AMBIENTE • SAÚDE • TECNOLOGIA

I N S C R I Ç Õ E S

Ceará em Brasília

W W W . U N I C E U B . B R

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

5

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras I Um poema para UDV

José Jarbas Motta (*)

Despedida. Audifax Rios Ceará perdeu um de seus ícones nas letras e artes: Audifax Rios, também autor da marca dos 50 anos da Casa do Ceará em Brasília

Incentivador da cultura cearense, o escritor, artista plástico Demócrito Rocha. e colunista do O POVO, Audifax Rios, morreu em 25.04, aos Despedida Audifax Rios 69 anos Regina Ribeiro, Editora das Edições Demócrito Rocha Audifax Rios viveu, amou e criou de um tudo. Do deseOlá Audifax, falei com você pela última vez não faz nem nho de traço forte às palavras tão reveladoras da identidade 20 dias. Foi uma fala breve, mas ao longo de muitos anos, Sem borracheira plena, esta força estranha, cearense, o escritor, artista plástico e colunista do O POVO quantos? Uns 15? Nossas conversas sempre foram ligeiras. nela se compreendem os mistérios da oska gravou sua marca na nossa cultura. Ele partiu no último sá- Cheguei até a pensar que um dos seus amigos do Clube do que vêm em forma de arco-íris ou borrasca. Não se nota tudo que na alma se entranha. bado, 25, já pertinho do fim de tarde, aos 69 anos. Estava em Bode escreveria mais e melhor sobre você. Quero lembrar Vergonha, hierarquia e memória! Santana do Acaraú, amada terra natal onde ele se “apeava” de você como um homem feito com um ar de adolescente. para observar o rio. Sentou-se, descansou e um mal súbito lhe Vestido sempre numa calça jeans, numa camisa estilosa, Três ícones essenciais do Vegetal. tomou. O enterro foi ontem à tarde, no Jardim Metropolitano, calçado numa sandália de tiras, com uma bolsa de couro a Sem passar por esta condição vital, no Eusébio. Unidos, os familiares, amigos e admiradores tiracolo, de onde saíam as novidades. Elas vinham em forninguém alcança a luz peremptória. entoaram: “Audifax presente, hoje e sempre”. mato de livro ou revista, seus ou de artistas amigos. Tinha A Ordem Religiosa mais antiga do mundo! “Ele era um bom exemplo para mim e para quem mais um projeto engatilhado eternamente. Sua importância consiste em proporcionar estivesse por perto. Meu pai era só muiQuero me lembrar de você aos devotos conscientes os efeitos do chá, to amor”, disse emocionada Mariana como um artista cuja simplicidade os conhecimentos de onde tudo é oriundo. Rios. Ela, os irmãos Susana, João e não marca apenas as linhas que Juliana e a esposa do escritor, Valda, vão continuar povoando seus os Como andar sobre a terra sob o sol? Preso às ilusões, ignorante, a esmo, foram amparados por artistas, políticos desenhos já impressos e espalhasem o anelo de conhecer a si mesmo? e outras personalidades cearenses que dos nesta e noutras terras. Uma Acumulando insensato a cada arrebol, se reuniram para dar adeus ao homem vez você me contou que havia multifacetado. trabalhado no O POVO, garoto Sombras, vãs tristezas e lágrimas, rol O cineasta Rosemberg Cariry laainda, como revisor e parece que é de asneiras e renascer sempre assim: mentou a morte do “amigo-compadre”. dessa época sua presença no jornal. tão invejoso violento qual novo Caim! Até conhecer o Rei da Ciência, a mão O escritor era padrinho da filha dele, a Quando você assumiu uma coluna do Mestre a dar riquezas de Salomão! também cineasta Bárbara Cariry. “Aumensal no Vida & Arte, comentou O escritor e colunista do O POVO Audifax Rios faleceu por volta das difax deixa uma contribuição incrível, comigo: “virei um cronista sério” No decálogo sagrado dos Hebreus 16 horas deste sábado, 25, aos 69 anos, depois de sofrer um infarto sobretudo, pela originalidade de estética e riu de si mesmo. nas tábuas da consciência humana e temática. Ele fez a transição entre o No dia em que te pedi para rever são determinadas as leis de Deus sertão e a cidade, a xilogravura e o deseo texto do livro Lendas Brasileiras a justiça do bem nunca se engana! nho”, aponta. Rosemberg destaca ainda a e amenizar a violência dos perOs encantos sábios da Minguarana “ação cidadã” do amigo na militância a sonagens, você me disse: “Isso é concedem a transcendente licença, favor de movimentos sociais, sindicais e besteira. Os meninos veem coisa através da nossa coragem e crença, artísticos. “Seu desenho inseriu a arte do pior”, e me entregou um texto mais de olhar por dentro a alma humana! cotidiano na luta do seu povo”, pondera. poético. Na última crônica que UDV é Obediência, borracheira, “Ele era culto e simples. Tinha a você escreveu no Vida & Arte, capacidade de saber ouvir e congregar na última sexta-feira, falou do rio Doutrina e Conhecimento! toda a turma da cultura cearense. É uma Acaraú, listou amigos e narrou Até quando permanecerei assim: perda irreparável”, lamenta o editor episódios de “pivete” empenhado parado diante do destino? Quero O cordelista Lucarocas conta que Audifax morreu no dia Sérgio Braga, que por 30 anos conviveu em “aventuras de homem”. Pra minhas asas de nuvem e jasmim em que um trabalho seu era celebrado na Capital diariamente com Audifax. mim, será uma lembrança convexa caindo com a chuva no deserto. Incentivador a que quero guardar de você: a de Aprendi na Odisseia de Homero Reconhecida Brasil afora, a obra um homem às voltas com a fartura a desafiar deuses e medos, sei o de Audifax era apreciada pelo escritor da imaginação dos meninos caminho para Damasco. Coberto Ariano Suassuna (1927 –2014), que Audifax Rios enterrado no de estrelas, numa delas, eu creio, tinha emoldurada na sala de casa uma Eusébio novo deus em espírito e verdade! pintura do cearense. Em entrevista ao O escritor e artista plástico A poesia de Virgílio antes da cruz O POVO, na ocasião da morte do paAudifax Rios foi enterrado em suave, melíflua, idílica claridade. raibano, o colunista ressaltou a perda de 26.04 no Jardim Metropolitano, no O mesmo sonho de amor imortal. um ser tão “incentivador”. Agora, o laEusébio. Familiares, amigos e adA Luz de Dante, guia no inferno, mento se repete na voz de seguidores do miradores se reuniram para prestar a coragem diante daquele portal. cearense. “O Audifax tinha um coração homenagem ao artista multifaceNão perdi a esperança, persisto! generoso, não tem um movimento cultado, que era também colunista do Enterro de Audifax Agora, quem me orienta é Cristo! tural nessa cidade que não tenha a mão O POVO. dele. Ele era um incentivador, me deu oportunidade quando “Audifax tinha um trabalho cultural de pesquisa, era um Linhas em Cruz eu tinha 17 anos”, conta o artista plástico Ronaldo Cavalcante. memorialista muito preocupado com as questões das raízes”, Chega um instante estranho na vida Como na casa do pai do Chicó e João Grilo, Audifax afirma Raymundo Netto, escritor e também colunista do caque o sonho vira apenas esperança. seguirá presente habitando a sala principal da história da derno Vida&Arte. “Ele deixa como exemplo a humildade que A fé, paciência tolerante à medida cultura do Ceará. ele tinha, a simplicidade na forma de ver as pessoas. Audifax que o tempo imperceptível avança. Perfil recebia a todos com muito amor, acolhimento”, completa. Natural de Santana do Acaraú, Audifax Rios nasceu dia O humorista Jader Soares também lamenta a partida O cisne, cantando, se aproxima, 17 de abril de 1946. Quando jovem, trabalhou na TV Ceará, do amigo. “Audifax fez mais de 300 capas de livros, entre A cigarra em canções se esvazia. Queremos asas, o voo é esgrima Canal 2, onde criou cenários para novelas estreladas por Ary parcerias e os escritos por ele”, contabiliza o presidente da com a gravidade, nossa fantasia Sherlock e Emiliano Queiroz. Fez carreira como pintor, es- Associação dos Humoristas Cearenses. “Ele conseguiu unir critor, ilustrador, xilógrafo e publicitário. Foi membro atuante uma quantidade de amigos que representa a cultura do Esnão atravessa o horizonte final. do Clube do Bode, confraria de intelectuais do Estado. Há tado do Ceará”, conta, ressaltando que o artista tinha forte O sentido do jazigo, inexorável dois anos, vinha reunindo amigos e histórias na revista De parceria também com a classe do humor. Audifax fez a arte certeza. A estrela extinta: sinal ainda de luz, viagem inevitável. um Tudo, almanaque da identidade cearense. Era colunista gráfica do Teatro Chico Anysio, do Museu do Humor e do (*) José Jarbas Mota (Fortaleza), poeta e es- do Vida&Arte, caderno em que publicou textos até a última Escritório do Riso. critor sexta-feira, 24. Participou de inúmeros projetos da Fundação Com O Povo

Fevereiro/15 Abril/15

6

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília

Foto: Mauri Melo/O Povo

Revelação mística ou resposta para o discípulo fiel verdadeiro. Mestre José Gabriel da Costa! O primeiro congênito Oaskeiro.


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras II

Todos nonomesmo Estamos mesmobarco barco

Wilson Ibiapina (*) Wilson Ibiapina Brasília tem 2,6 (*) milhões de habitantes e a maior renda “per capita” do país. A administração públitemcomo 2,6 milhões de habitantes e a maior ca Brasília permanece a atividade mais relevante na renda “per Somos capita”também do país.aAcapital administração públieconomia. dos contrastes. ca permanece como a atividade mais relevante Saindo do Plano Piloto de Lúcio Costa rumo na as economia. Somosque também a capital dos contrastes. cidades satélites formam o Distrito Federal, a Saindo do Plano Piloto social de Lúcio Costa rumo as pobreza e a desigualdade passam cidades de 37 porsatélites cento. que formam o Distrito Federal, a pobreza e desigualdade socialé passa de 37 por cento. Segundo a ONU, Brasília uma das Segundo Brasília uma das 20 cidades do 20 cidadesa ONU, do mundo que éapresentam mundo que apresentam maiores de renda maiores diferenças de renda entrediferenças ricos ricosNesse e pobres. Nesse ranking, eentre pobres. ranking, Brasília ficouBrasília ficou classificada atrás de Fortaleza Fortaleza (13º (13º lugar) lu- e Goiânia (10º). O Distrito Federal tem 30 cidades satélites, gar) e Goiânia (10º). O Distrito Federal hoje30chamadas de regiões A área tem cidades satélites, hojeadministrativas. chamadas Brasília, de maior poder aquisitivo é formada de regiões administrativas. pelo LagodeSul e Lago Norte. Os juros A Plano área dePiloto, Brasília, maior poder altos, dólaré nas nuvens e asPlano incertezas aquisitivo formada pelo Piloto,que dominam os cenários econômico do país pegaram Lago Sul e Lago Norte. eOspolítico juros altos, o brasiliense em echeio. A cidade dólar nas nuvens as incertezas queestá do-praticamente parando. a todo vapor só mesmo o setor minam osFuncionando cenários econômico e político de país alimentação, ninguémem pode deixar de comer. do pegaram pois o brasiliense cheio. A cidade está O sufoco enfrentado pelo comércio pode servapor medido praticamente parando. Funcionando a todo só pela quantidade dealimentação, lojas fechadas. Umninguém aluguel custa mesmo o setor de pois pode o olho de dacomer. cara. Num shopping cobram até décimo deixar terceiro por um aluguel. pelo São 2.459 estabelecimentos O sufoco enfrentado comércio pode ser mecomerciais que não aguentaram o tranco.Um Só aluguel na W-3 dido pela quantidade de lojas fechadas. Sul e oW-3 são Os 410shoppings lojas de portas O custa olhoNote da cara. cobramfechadas. até décimo consumopor está desses prédios estão terceiro umcaindo. aluguel.Muitos São 2.459 estabelecimentos sendo ocupados poraguentaram cursinhos eo templos evangélicomerciais que não tranco. Só na W-3 cos.eAs pessoas se preparando o vestibular Sul W-3 Norte são 410 lojas depara portas fechadas. ou O

consumo está caindo. passar em desses concurso. Todasestão orando paraocupados melhorarpor de Muitos prédios sendo vida, no que os pastores aproveitamAs para melhorar cursinhos e templos evangélicos. pessoas se o faturamento. começa preparando paraOodesemprego vestibular ou passara preocupar em concur-a cidade queorando está nopara olhomelhorar da crise,demas quenonão so. Todas vida, queestá os vendo uma saída. Em meio a penúria, o brasiliense pastores aproveitam para melhorar o faturamento. O já se informou que oaajuste fiscalado governo federal desemprego começa preocupar cidade que está no não será suficiente pagar dívida país, que olho dapara crise, masaque nãodo está vendo continua aumentando. uma saída.Para o ex-presidente do Banco Central, Armínio necessidade Todo Fraga, dia temexiste gente uma se mudando pra quantitativa cá. e qualitativa bastante grande área Chegam para tomar posse emna cargos fiscal e que não é fáciltransferidos fazer uma correção quando a públicos, de suas empresas, gestão do país continua nas mesmas mãos. Segundo designados como funcionários de seus ele, “Isso cria constrangimentos”. países, enfim, com emprego garantido. E lá vamos nóshá poroságuas nunca dantes Mas que chegam sem navegadas lenço sem documento à procura de dias melhores. (*) WilsonEsses Ibiapina e diretor vão(Ibiapina), precisar dejornalista sorte, principaldo Grupo Verdes menteMares agoraememBrasília que a situação exige cautela, pé no freio para enfrentar a turbulência econômica que sacode o país. Em meio a penúria, o brasiliense já se informou que o ajuste fiscal do governo federal não será suficiente para pagar a dívida do país, que continua aumentando. Para o ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, existe uma necessidade quantitativa e qualitativa bastante grande na área fiscal e que não é fácil fazer uma correção quando a gestão do país continua nas mesmas mãos. Segundo ele, “Isso cria constrangimentos”. E lá vamos nós por águas nunca dantes navegadas. (*) Wilson Ibiapina (Ibiapina), jornalista e diretor do Grupo Verdes Mares em Brasília

Marcos Holanda é o novo presidente do Banco do Nordeste

– A presidenta da República, Dilma Rousseff, nomeou o economista Marcos Costa Holanda para a presidência do Banco do Nordeste, conforme divulgado em 04.05. Marcos Holanda é economista formado pela Universidade de Fortaleza (1984) e possui também graduação em Engenharia Civil, pela Universidade Federal do Ceará (1983). Tem mestrado em Economia, pela Fundação Getúlio Vargas-RJ (1987), e doutorado em Economia, pela Universidade de Illinois (1993). Foi fundador e primeiro diretor geral do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) e atualmente é professor titular da Universidade Federal do Ceará. Além do currículo, há um fator a mais. Marcos foi colega de mestrado na FGV-RJ do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a quem chama de Joaquim, e de doutorado, na Universidade de Illinois (EUA), do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Por telefone, ele aceitou falar ao O POVO, com a condição de ser “uma conversa rápida”. A posse ainda não tem data. O POVO - Teremos um liberal no BNB? MARCOS - Este rótulo está fora do contexto. Sou um defensor do Nordeste e tenho crença nessa lógica do banco de desenvolvimento. No que se encaixar nisso está minha ideologia. Farei todo o possível para fortalecer o Nordeste. O Etene (Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste) nisso é um órgão-chave. Um dos diferenciais que o Banco tem. Tem de ser fortalecido. Marcos – O Banco é o grande instrumento de desenvolvimento do Nordeste. Foi criado com esta função e permanece com esta função. Tem passado de conquistas e sucesso. Óbvio que eu, como cearense e nordestino, tenho a satisfação de encarar este desafio. Minha alegria não é pela pessoa, mas porque um técnico foi nomeado.

Jesualdo Farias deixou reitoria da UFC e assumiu a Secretaria de Ensino Superior do MEC

Ceará em Brasília

morte de Ícaro Moreira Veja a Plataforma Lattes do prof. Jesualdo Pereira Farias, Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2: Última atualização do currículo em 19/04/2015 Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade de Fortaleza (1982), mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1985), especialização em tratamentos térmicos de ligas metálicas no Municipal Industrial Reserach Institute Nagoia (1986) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Soldagem, atuando principalmente nos seguintes temas: física do arco, fontes de energia, corrosão, processos de soldagem, metalurgia da soldagem de aços ao C-Mn e baixa liga e metalurgia da soldagem de aços inoxidáveis e ligas de níquel. Atua na gestão universitária e, na UFC já desempenhou as funções de chefe de Departamento, Coordenador de Curso de Pós-Graduação, Vice-Diretor de Centro, Diretor de Centro e Vice-Reitor. Atualmente, é Reitor na Universidade Federal do Ceará. (Texto informado pelo autor)

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

(Foto: UFC/Divulgação)

de Educação Física e Esportes (Iefes), o Centro de Capacitação de Professores etc. Também deve ser realizada, ainda em 2015, a Reitor da UFC, Jesualdo Farias, assumiu a secretaria do MEC inauguração da primeira etapa do Campus de Crateús, da primeira etapa do Campus de Russas, dos blocos da Odontologia e da Medicina do Campus de Sobral (bem como o refeitório dessa unidade acadêmica), dentre outras. “Esses e outras inaugurações – algumas que ninguém vê, como a infraestrutura de fibra óptica que garantiu Internet de alta velocidade a todas as unidades da UFC e a compra de mais de 100 mil livros para nossas bibliotecas – representam cada uma das ações que fazem com que a UFC seja uma das universidades de maior importância do País”, destacou o Reitor. Ressaltando a descentralização da Universidade e o que chamou de “novo mapa da inteligência do Ceará”, o Prof. Jesualdo ainda comemorou: “Hoje temos estudantes pobres, trabalhadores do campo, pessoas com deficiência...Cada vez mais, a Universidade é um espelho da sociedade”. Jesualdo Farias estava à frente da UFC desde abril de 2008, quando assumiu como reitor em exercício com a

(Foto: Agência Diário)

“Neste momento, não me resta mais do que agradecer.” Foi com um discurso emocionado, marcado pela gratidão, que o Reitor da Universidade Federal do Ceará, Prof. Jesualdo Farias, inaugurou simbolicamente 26 obras, em solenidade em que despediu da Reitoria em 20.04. “No serviço público brasileiro, com a dificuldade que temos para trabalhar – seja pela falta de recursos humanos, seja pela legislação que não dialoga com a dinâmica necessária –, não é fácil deixar essa quantidade de contribuições. Nada disso seria possível sem o envolvimento de cada um de vocês. Deixo o meu abraço e o meu agradecimento”, afirmou o Reitor, com a voz embargada, lembrando que outras 50 obras serão entregues até o fim de 2015. . Antes do discurso do Prof. Jesualdo, o público assistiu a um vídeo institucional, produzido pela equipe do programa UFC TV, com informações sobre todas as obras inauguradas, espalhadas pelos campi do Pici Prof. Prisco Bezerra, Benfica e Porangabuçu. No total, foram cerca de R$ 15 milhões em investimentos. Dentre os empreendimentos destacados, estão o refeitório do Campus de Porangabuçu, uma das mais antigas reivindicações da comunidade universitária; a quadra do CEU, importante espaço de prática esportiva no Centro de Humanidades (Campus do Benfica); o bloco de laboratórios didáticos da Química, no Campus do Pici; e o galpão de máquinas do Centro de Ciências Agrárias. O Prof. Jesualdo Farias lembrou, ainda, que outras obras de grande importância para o desenvolvimento das atividades acadêmicas estão prestes a ser inauguradas. a. Nessa lista, foram mencionados o novo prédio da Seara da Ciência, o Centro de Convivência, os alojamentos do Instituto

Alunos recebem boas-vindas no campus de Russas

7

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Melhor idade Gonzaga Mota (*) Pedro e Maria Silva, ambos quase oitentões, resolveram fazer uma viagem turística de navio pelo Caribe. Embarcaram num avião em São Paulo e viajaram até Miami. Durante quase 12 horas passaram momentos desconfortáveis na classe econômica. Os pés dos dois incharam, as pernas ficaram dormentes e as costas doidas. Chegando, apanharam as malas com dificuldade e se dirigiram ao porto onde estava o belo barco de 12 andares. “Seu” Pedro já estava zangado e afim de desistir de navegar durante 4 dias. Porém, dona Maria, apesar do cansaço, o convenceu a continuar com a programação. Entraram num navio extravagantemente decorado (predominavam as cores vermelha e preta e as luzes eram douradas e prateadas). Outros casais, também de idade, andavam com dificuldade de um lado para o outro, os jovens se abraçavam de forma sensual e as crianças corriam nos corredores e brincavam nos elevadores. A movimentação era grande. “Seu” Pedro pensou em desistir mais uma vez, no entanto o navio já estava singrando o mar caribenho. Ufa! Terá que suportar. Dona Maria, acalmava o marido e resolveram descansar um pouco na cabine. Isso não é programa, alardeava o nervoso Pedro. Chegou o momento do lanche vespertino. A fila era enorme, todos com fome. A comissária de bordo olhando para o casal brasileiro, falou: nossas pesquisas constatam, de forma unânime, que a melhor idade é uma beleza, venham à frente. “Seu” Pedro respondeu agitado: minha filha, segundo Nelson Rodrigues, “Toda unanimidade é burra”. O casal da enganosa melhor idade enfrentou 4 dias de sofrimento. Assim é a vida.Gonzaga Mota, Professor e escritor

Desigualdade

Carlito Maia (1924-2002), intelectual e publicitário brilhante, um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, disse certa vez: “Quando a esquerda começa a contar dinheiro, converte-se em direita”. Por outro lado, sem também tomarmos como regra geral, podemos dizer que quando a direita deixa de contar dinheiro vira esquerda. As duas frases apesar de aparentemente simplórias, concentram mensagens fortes com relação à conduta de algumas pessoas. A rigor, cremos que o conflito direita/esquerda está superado, pois o importante numa sociedade hodierna é combater a desigualdade, em seus vários aspectos, dentro de princípios democráticos. A melhor forma de se buscar a igualdade de oportunidades é melhorando as condições dos mais pobres, mediante a eliminação do capitalismo cartorial, bem como do socialismo corporativista. Segundo John Kennedy, “Se uma sociedade livre não consegue ajudar os muitos que são pobres, não poderá proteger os poucos que são ricos”. Acreditamos, por sua vez, que o tripé básico para enfrentar as disparidades é constituído pela democracia, pela educação e por um sistema fiscal/tributário justo. A democracia permite a soberania popular, a independência e harmonia dos poderes constituídos, a alternância de governantes, a liberdade e a justiça. A educação, cognitiva e comportamental, além de proporcionar mais conhecimentos, possibilita uma melhor formação ética e moral. Já o sistema fiscal/tributário deverá ser desenvolvido visando o trinômio investimento, renda e emprego (adequada relação capital-trabalho), com vistas a uma melhor distribuição de renda. Gonzaga Mota (Fortaleza), ex-governador, ex-deputado, professor e escritor

Fevereiro/15 Abril/15

8

Dom Helder Câmara Santa Sé sinaliza sim e Fortaleza pode ter o seu primeiro santo. Primeiro passo é reunir a documentação para a beatificação de um dos religiosos mais carismáticos do País Se a persistência transpõe todo obstáculo, a fé e inspira de amor ao próximo e trabalho pastoral dentro orações podem alcançar graças. E nada mais simbólico da Igreja, acredito sim nessa ideia que não deve ser do que, em plena Semana Santa, Fortaleza receber a descartada”, declara. notícia de que um de seus filhos mais queridos, dom Até porque, segundo o pároco, foram muitos alcanHelder Câmara, está mais perto de se tornar santo. çados durante a vida. “Além disso, fundou o Banco da Menos de um ano depois do pedido de abertura do Previdência para ajudar pessoas na faixa da miséria, processo de beatificação do ex-arcebispo de Olinda e que tinham direito à alimentação, atendimento médico, Recife, conhecido como “Irmão dos Pobres”, a Cúria remédios, enxovais para bebê, cursos profissionalizanRomana emitiu seu primeiro parecer favorável. Com tes”, acrescenta. isso, o processo começa. Caminhos Essa possibilidade renova as esperanças dos famiPadre Geovane explica que, com “Nihil Obstat - nada liares, dos que conviveram com o pastor e de toda a consta” de Roma, o próximo passo é a autorização comunidade católica cearense. dos trâmites em nível diocesano, que depende do po“Já não era sem tempo”, comemora o bispo emérito sicionamento de outros dicastérios. Em seguida, uma de Limoeiro do Norte, dom Edmilson Cruz. Para ele, há comissão jurídica vai avaliar as “virtudes heroicas” do merecimento pela importância da obra daquele que foi religioso por meio do estudo de textos publicados em um dos idealizadores e fundadovida e análise dos testemunhos de res da Conferência Nacional dos pessoas que conheceram o “Dom Bispos do Brasil (CNBB). Cruz da Paz”. acredita que toda documentação Depois dos estudos, o relator será reunida rapidamente e que do processo, a ser nomeado pela a necessidade de comprovação Congregação para a Causa dos de milagres não será problema. Santos, deverá elaborar um doDom Edmilson destaca que o cumento denominado “Positio”, processo de Helder se junta ao de que é um compêndio das análises outros cearenses de nascimento realizadas pela comissão. Assim Em seus 67 anos de sacerdócio, o “Dom”, como era chamado, reunia multidões e de coração, como Antônio de que aprovado, o papa concede Almeida Lustosa, Padre Ibiapina, Rosita Paiva, meni- o título de Venerável Servo do Senhor. Somente após na Benigna e do Padre Cícero (para a sua reabilitação essas autorizações é que acontece a beatificação. sacerdotal). “No caso de o ‘Dom’, como ele é cari“Ser beato, ou bem-aventurado, significa representar nhosamente chamado pelos pernambucanos até hoje, um modelo de vida para a comunidade e, além disso, terá o olhar especial de nosso papa Francisco”, avalia. ter a capacidade de agir como intermediário entre os Memórias cristãos e Deus e isso ele fez muito bem. Isso ninguém O menino nascido nas imediações do Passeio pode questionar”, ressalta. Público, indo morar no primeiro ano de vida em um Depois, ainda é preciso passar por mais uma fase: a casarão onde hoje funciona o Mercado Central, sempre canonização. Para ser proclamado santo, é imprescindemonstrou força para a defesa dos mais carentes. Um dível a comprovação de um milagre, que deve ocorrer de seus sobrinhos, o pesquisador Cristiano Câmara, após sua nomeação como beato. Ele lembra que, além relata que sua casa fica exatamente no antigo quintal dos cearenses, existem outros processos de beatificação do religioso famoso. ligados à região Nordeste. Cita o de frei João Pedro de “Ele foi para o Rio de Janeiro e, depois, para Re- Sexto São João, fundador da Congregação das Irmãs cife, muito jovem, aos 27 anos de idade, mas sempre Missionárias Capuchinhas (cuja casa geral fica o bairvinha aqui. Uma de minhas lembranças mais fortes é ro de Messejana, em Fortaleza); o da irmã Dulce, de de vê-lo na porta da residência conversando com meu Salvador (BA), cuja beatificação está próxima; e o do pai, no caso, seu irmão mais velho, Gilberto, que era o conhecido missionário nordestino Frei Damião. conselheiro dele”, conta. O imóvel a que o pesquisador Início se refere ficava na Av. Alberto Nepomuceno, 245 e a Dom Helder Camara nasceu em 7 de fevereiro de sua moradia fica na Rua Baturité, no Centro. 1909, em Fortaleza, e teve 12 irmãos. Após entrar muito Cristiano afirma que, desde cedo, o tio já demonstrava jovem no Seminário da Capital do Ceará, se tornou a preocupação com as injustiças sociais e tinha ideias padre aos 22 anos. avançadas para a época. “Eu ia dormir na casa dele e me Comandou a Arquidiocese de Olinda e Recife até o impressionava com a quantidade de livros. Mesmo mo- dia 10 de abril de 1985, quando - por atingir a idade rando fora, ele sempre vinha aqui e ficava alegre”, frisa. limite de 75 anos - foi substituído pelo arcebispo dom Não só pelo valor de ter sido a residência de um dos José Cardoso Sobrinho. Ele morreu em sua casa, no líderes religiosos brasileiros mais carismáticos e proe- Recife, em 27 de agosto de 1999, devido a uma insufiminentes, como também pela sua relevância histórica, ciência respiratória decorrente de uma pneumonia. Seus Câmara critica a venda do imóvel. “Esse casarão deve- restos mortais estão sepultados na Igreja Catedral São ria ser o Museu Dom Helder”, destaca o pesquisador. Salvador do Mundo, em Olinda. Um dos mais entusiasmados com o início do proPelo seu trabalho em defesa dos direitos humanos, cesso de beatificação é o padre Geovane Saraiva, da dom Helder recebeu vários prêmios internacionais, paróquia Santo Afonso, na Parquelândia. como Martin Luther King, nos Estados Unidos, 1970; e Autor de três livros sobre o ex-arcebispo de Recife o Prêmio Popular da Paz, na Noruega, 1974. O religioso e Olinda, aposta até na possibilidade da dispensa pelo é autor de 22 livros, a maioria ensaios e reflexões sobre papa da comprovação de milagres, com fez com João o terceiro mundo e a Igreja. XXIII. “Pelo conceito elevado que ele tem e tudo que Lêda Gonçalves, Repórter, Diário do Nordeste

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília

Foto: Arquivo

Leituras III


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras IV JB Serra e Gurgel (*) JB Serra e Gurgel (*) A mídia impressa brasileira parapassa por uma Sem A mídia impressa brasileira porcrise uma monstruosa. crise monstruosa. solução. anos que criseque se aaprofunda e a Associaão Nacional SemHá solução. Há aanos crise se aprofunda e a Associação de Jornais nãode tem um projeto para Nacional Jornais não tem umenfrenta-la. projeto para enfrentá-la. Nos Nos meusmeus 50 anos de de RioRio dede Janeiro 50 anos Janeirovivimorrer morreros os seguintes jornais: A Notícia, Correio da da Manhã, Diário jornais: A Notícia, Correio Manhã, DiárioCarioca, Carioca,Diário Diário da Noite, Diário de Notícias, Gazeta dede Notícias, Noite, Diário de Notícias, Gazeta Notícias,Jornal Jornaldo do Brasil, Luta Luta Democrática, Monitor Mercantil, OOJornal, Democrática, Monitor Mercantil, Jornal,Última Última Hora. NO mesmo período, emem Sçao No mesmo período, SãoPaulo, Paulo,morreram morreramDiario Diário Popular, Diário da Noite, Diário de São Gazeta Mercantil, Notícias Diário da Noite, Diário de Paulo, São Paulo, Gazeta Mercantil, NoPopulares. Em Fortaleza Ceará,do O Ceará, Jornal,Oo tícias Populares. Em sumiram Fortaleza Correio sumiramdoCorreio Nordeste, Jornal,UnitÁrio,; o Nordeste, Unitário, O Democrata. No Rio, dois deles foramforam ícones da intelectualidade e da eelite No Rio, dois deles ícones da intelectualidade da , Correio ManhãdaeManhã Jornal do Brasil. deles foram elite:da Correio e Jornal doDois Brasil. Dois delesescolas foram de jornais,Diário Carioca e Jornal doDiário Brasil,Carioca no tempo em que escolas de jornais e jornalistas: e Jornal do não havia e ofaculdades jornal acolhia albetizados. Brasil,facldades no tempode emcmunicação que não havia de comunicação OeRio viu acolhia nascer ealfabetizados. morrer as três grandes revistas de atuao jornal lidades: OORio Cruzeiro, Manchete Fatos e Fotos,revistas que com viu nascer e morrereas três grandes debinava atualitextodades: e foto.O Cruzeiro, Manchete e Fatos e Fotos, que combinavam Hoje, textooeRio foto.está restrito a quatro jornais: O GLOBO, O DIA, Jornal do Commércio (agonizando) e ExtRA, de três taHoje, o Rio está restrito a quatro jornais:além O GLOBO, O bloides, subprodutos populares(agonizando) de O GLOBOe eExtra, o DIA.São Paulo, DIA, Jornal do Comércio além de três convive com a subprodutos Agora, Folha, O Estadodede Pauloeeoxxx tablóides, populares OSão GLOBO DIA. São Jornais o JB, e oFolha, GLOBO beiraram os 500 mile Paulo,como convive como aDIA Agora, O Estado de São Paulo exemplares nas suas edições dominicais. O DIA é hoje uma pálida Valor Econômico. sombra Jornais do passado e não mil. O GLOBO reduziu-se como o JB,chega o DIAa e60 o GLOBO beiraram os 500 mila metade. O líder de das Organizações é o uma EXexemplares nastiragem suas edições dominicais. Globo O DIAhoje é hoje TRA,pálida que expremendo só dá crimes, sombra do passado e nãotráfico, chega bandidos, a 60 mil. escândalos, O GLOBO futricas de celebridades dosOescalões . Organizações reduziu-se a metade. líder deinferiores. tiragem das Gradue-me de jornalismo, na Ultima Hora, de Samuel Globo hojenaé escola o EXTRA, que espremendo só dá crimes, tráfico, Wainer, dirigida por Moacirfutricas Werneck Castro, Octavio Malta, bandidos, escândalos, de de celebridades dos escalões Pauloinferiores. Francis, Berilo Dantas, Carlos Alberto Wanderley, Humberto Alencar,Graduei-me Pinheiro Junior, Iran Frejat, Pery Augusto, Aguinaldo na escola de jornalismo, na Última Hora, Silva,deMauricio Azedo, dirigida Flavio Brito, José Guilherme Samuel Wainer, por Moacir Werneck deMendes, Castro,

A A crise crise da da mídia mídia impressa impressa brasileira. brasileira. Octavio Malta, Paulo Francis, Berilo Dantas, Carlos Alberto Nilson Laje, Joao Sadanha, José Mauro, Wanderley, Humberto Alencar, Pinheiro Júnior,Adalgisa Iran Frejat,Nery, Pery Jacinto deAguinaldo Thormes,Silva, Stanislaw Ponte Preta, Paulo Alberto, Augusto, Maurício Azedo, Flávio Brito, José Anderson Campos, Rego, Guilherme Mendes, Jonas NilsonVieira, Laje, José João Carlos Sadanha, JoséMarques Mauro, Rebelo, Waldinar Ranulfo, Luarlindo Ernesto,Domingos Adalgisa Nery, Jacinto de Thormes, Stanislaw Ponte Preta, Meireles,Fernando Martins,Campos, Sonia Meinberg, Henrfique Paulo Alberto, Anderson Jonas Vieira, José Caban, Carlos João Ribeiro, Vinicius Paulo Seixas,Ernesto, Jaguar, Rego, MarquesUbiratan Rebelo,Solino, Waldinar Ranulfo, Luarlindo Vicente Marinho, Tereza Cesário Alvim,Sônia Nelson Lemos,HenRaiDomingos Meireles, Fernando Martins, Meinberg, mundoCaban, Pessoa,João Tarcisio Hollanda, Theodoro rique Ribeiro, Ubiratan Solino,Barros Vinícius Paulo Tenho algumas ideias sobre oTereza jornalCesário brasileiro: Seixas, Jaguar, Vicente Marinho, Alvim, Nelson 1)penso que o Pessoa, jornal brasileiro nunca foi feito para os Lemos, Raimundo Tarcísio Hollanda, Theodoro Barros os da consumidores do produto jornal jamais ineleitores, Milton seja, Coelho Graça. fluenciaram e determinaram seus conteúdos. Estes sempre foi Tenho algumas ideias sobre o jornal brasileiro: impostos deque cima para brasileiro baixo de nunca acordofoicom linhaoseditorial 1) Penso o jornal feitoapara leitores, dos seus donos. O jornal fez ojornal deverjamais de casainfluenciaram como a teleseja, os consumidores do não produto Está morrendo sem fazer. Estes No Braisl nemfoiosimpostos jornais dos evisão. determinaram seus conteúdos. sempre de movmentos populares e religiosos salvo o da cima para baixo de acordo com a linhasobreviveram, editorial dos seus donos. Igreja Universal... O jornal não fez o dever de casa como a televisão. Está morrendo O jornal brasileiro sempre para jornalistas.Só sem2)fazer. No Brasil nem os jornaisfoi dosfeito movimentos populares entendem que se ublica e principalmente o que não se eeles religiosos sobreviveram. publica ou ficabrasileiro nas entrelinhas. 2) O jornal sempre foi feito para jornalistas. Só eles 3) As tiragens dos jornais brasileiros oaoque longo dopublica seculo entendem que se publica e principalmente não se XXfica nãonas acompanharam ou entrelinhas. o crescimento da população do país. Há3)quem diga, que somos brasileiros um pais deaoanalfabetos, mesmo As tiragens dos jornais longo do século XX assim poder-se-ia tero mais leitoresdaqopopulação que sempre não acompanharam crescimento do tivemos. país. Há Nuncadiga, tivemos jornal de tivemos leitores. Nem quem que somos ummassa. pais deNão analfabetos, mesmo assim preocupalãoter com eles. poder-se-ia mais leitores do que sempre tivemos. Nunca 4) Os jornal jornaisde escrevem sobretivemos o que aconteceu É uma tivemos massa. Não leitores. ontem, Nem preocuvisão póstuma pação com eles.da realidade. Outros meios tradicionais como o radio a televisão já cansaram de falar e de mostrar 4) Osejornais escrevem sobre o que aconteceu ontem, É, com uma sons epóstuma imagensda, realidade. o que se passou O leitor decomo jornal, visão Outros ontem. meios tradicionais o onteme como hoje,jáquer mais. de O falar que resultará do que estáe rádio a televisão cansaram e de mostrar, comele sons ouvindo eovendo Qual o ontém. passo seguinte, Osjornal, jornais não fazem imagens, que se passou O leitor de ontém como este exercício e não ofecerem esta deestá futuro – prospectiva hoje, quer mais. O que resultará dovisão que ele ouvindo e vendo - aososeus leitores. Qual passo seguinte, Os jornais não fazem este exercício e não

ofecem esta visão de futuro – prospectiva - aos seus leitores. 5) No No Brasil, Brasil,ososjornais jornais que acabam ficando que dãodão umum furofuro acabam ficando sozinhoscom comooassunto. assunto. repercute, morre. redações, sozinhos SeSe nãonão repercute, morre. NasNas redações, o objeto objetoééum umjornal jornalmostrar mostrarque que é melhor o outro,. é melhor do do queque o outro. Que Que outra.A é uma idiotice. uma revista revista éémelhor melhordodoque que outra.exclusividade A exclusividade é uma Mais repercussão geraria mais leitores. idiotice. Mais repercussão geraria mais leitores. quandofui fuiprofessor professordede mídia UnB intrigava 6) quando mídia na na UnB me me intrigava o fatoo fato de que três três jornais jornaisdo doJapão Japãotinha tinhacirculação circulaçãodiária diáriasuperior superiora a 10 milhõesde exemplares enquanto a tiragem de todos os jornais 10 milhões de exemplares/dia enquanto a tiragem de todos brasileiros aos domingos não chegava 5 milhões 3,5 milhões os jornais brasileiros aos domingos nãoachegava a 5emilhões segunda sábado. ede3,5 milhõesade segunda a sábado. 7) países paísescom compopulação populaçãomenor menor a nossa leitores dodo queque a nossa tem tem leitores capitamaior maiordodoque que nós, como Chile, Uruguai e Argentina, per capita nós, como Chile, Uruguai e Argentina, e não nãodá dápara paraentender entender que São Paulo, 20 milhões pessoas, que São Paulo, comcom 20 milhões pessoas, tenha 11milhão milhãode deexemples exemples/dia. /dia.OORio Riodede Janeiro, com 8 não tenha Janeiro, com tem 800 mil.O casoO decaso Brasíilia é emblemático, 8milhões, milhões,não não tem 800 mil/dia. de Brasília é emble- com 4,0 milhões nãoEntorno) tem 60 não mil.tem 60 mil. mático, com (incluindo 4,0 milhõesEntorno) (incluindo Veja que não depois, com a com nãomencionei mencioneiooestrago estragoque queveio veio depois, com a Internet. Internet. Num pais jornais (de(de livros também), a Internet paissem semleitores leitoresdede jornais livros também), a está coupando todos ostodos espaços levandoe os donosos dedonos jornais ao Internet está ocupando os eespaços levando pâ jornais nico. Racionam cobrar em acesso e restringem os conteúdos de ao pânico.em Racionam cobrar acesso e restringem da conteúdos Web,exigindo CI, CEP, nomeCI, daCEP, mãe,nome CPF,email... os da Web, exigindo da mãe,Bobagem, CPF, Ignoram Bobagem, que há como quebrarque com clikquebrar os bloqueios. e-mail... Ignoram háum como com um clikAosalternativa bloqueios.dos jornais foi lançar edições populares, com caraAde revistas, dos editados com popular e chula, gírias e alternativa jornais foilinguagem lançar edições populares, com palavrões, com editados ênfase em crimes bárbaros e violentos, mulher cara de revistas, com linguagem popular e chula,em gírias ,futebol, e futricas de celebridades especialmente epelada palavrões, comtricas ênfase em crimes bárbaros e violentos, em do grupo GLBS de 50 centavos.Nem assim seespetornaram mulher pelada,e ´preço futebol,vil, tricas e futricas de celebridades jornais de massa masGLBS contribuem tirar leitores cialmente do grupo e preçofortemente vil, de 50 para centavos. Nem de seus jornais principais enfraquece-los,. É uma pratica de assim se tornaram jornaise de massa mas contribuem fortemente para tirar leitores de seus jornais principais e enfraquece-lo. (*) JB Serra e Gurgel (Acopiara), morador de Niterói e de Brasília, califado de São Paulo. (*) JB longe Serra edoGurgel (Acopiara), morador de Niterói e de Brasília, longe do califado de São Paulo.

Associação Nacional de Escritores-ANE tem Diretoria, presidida por Fábio de Sousa Coutinho. Edmilson Caminha participa Associação Nacional A Quinta Literária de Escritores-ANE tem inaugural do biênio adnova Diretoria, presidiministrativo 2015/17 da por Fábio de Sousa esteve a cargo de um Coutinho e Edmilson renomado docente de Caminha na diretoria de Brasília e homenageou Cursos. a produção literária de A Associação Naum dos maiores escritocional dos Escritores, res que já viveram nesta sediada em Brasília, tem cidade. nova Diretoria eleita em Nova diretoria da 15.04, presidida pelo ANE. escritor Fábio de Sousa Presidente – Fábio de Coutinho, da qual partiSousa Coutinho ,1º Vice cipa o escritor, acadêmiPresidente, Pe. José Carco e colunista do Ceará los Brant Aleixo, S.J, 2º em Brasília, Edmilson Vice Presidente, Fontes Caminha. de Alencar; Secretária Coutinho entrou na Geral, Maria da Glória ANE cm o pé direito, Barbosa;1º Secretário, promovendo em 23.04 Marcos Freitas;2º Sea primeira Quinta Litecretário, Jolimar Corrêa rária de meu mandato Pinto; 1º Tesoureiro, Sabienal à frente da cinlomão Sousa; 2º TesouDa esquerda para a direita: Pe. José Carlos Aleixo, S.J., José Jerônymo Rivera, Fabio de Sousa Coutinho (Presidente), Wílon Wander Lopes, Fontes de Alencar, Telma Rocha Pinheiquentenária ANE. Conreiro, Ariovaldo Pereira ro, Adirson Vasconcelos, Afonso Ligório, Jolimar Corrêa Pinto, Napoleão Valadares, Anderson Braga Horta e Ariovaldo Pereira de Souza vidou o Professor Luiz de Souza; Diretora de Reis, especialista em Literatura Brasileira, para fazer Joaquim Cardozo, na elaboração dos cálculos estruturais Biblioteca, Telma Rocha Pinheiro, Diretor de Cursos, a palestra sobre o importante contista Samuel Rawet. das principais edificações da construção da nova capital. Edmilson Caminha; Diretor de Divulgação. Wílon Nascido na Polônia, em 1929, Rawet chegou ao Brasil Sua outra obra foram os contos, em que atingiu Wander Lopes; Diretor de Edições, Afonso Ligóri ainda menino, com sua família, que escapara da persegui- padrões estéticos raras vezes alcançados entre nós. Foi Conselho Fiscal - Adirson Vasconcelos, Alan Vição nazista ao povo judeu. Aqui, tornou-se engenheiro e associado da ANE e faleceu em Sobradinho, aos preco- giano, Anderson Braga Horta, Danilo Gomes, José escritor, radicando-se em Brasília, onde foi auxiliar de ces 55 anos, em 1984. Jerônymo Rivera , Napoleão Valadares e Romeu Jobim.

Ceará em Brasília

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

9

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Francisco Albery Mariano

Advogado e conselheiro da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História. A história que se segue fala da vida de um homem. À semelhança de todos nós que habitamos o planeta, passou por momentos difíceis e alegres. Como tantos de seus irmãos brasileiros, galgou os degraus da vida com fé, amor, perseverança e trabalho árduo. Sua garra e determinação contribuíram de forma decisiva para seu próprio futuro e hoje, esse homem pode olhar para trás e apreciar as flores que plantou. Vive o amor em toda a sua plenitude romântica, passa por um período de comunhão com o mundo e dedica-se a vida acadêmica, irradiando cultura e literatura por onde estiver. A obra histórica Caldas Novas 100 anos discorre a biografia do Dr. Francisco Albery Mariano, nascido em 1° de abril de 1939, em Santana do Acaraú. Tem no sangue a têmpera que consagrou e integrou o migrante cearense, que individualizou uma figura humana imersa de laborioso e constante trabalho nas diversas atividades profissionais e comunitárias. Vindo de uma família humilde e, desde cedo vendo a pobreza que assola o nordeste brasileiro, nosso biografado é um exemplo de como um homem pode

Abril/15

10

Comendador Albery Mariano

Pr Esp ojeto eci s ais

superar os obstáculos, estudar e firmar seu nome dentre os grandes. O cearense estava pronto para tentar a vida em São Paulo, quando assistiu no Cine São Luiz, em Fortaleza , uma propaganda da futura capital do país e, encantado, mudou seu itinerário. Deixou seus familiares em sua terra natal e seguiu rumo ao Centro –Oeste, chegando a Brasília no dia 10 de janeiro de 1960, antes mesmo da inauguração da cidade. Na década de 1980, conheceu Caldas Novas, e hoje, o Dr. Albery, divide seu tempo entre as suas duas queridas cidades: Brasília Capital de todos os brasileiros e Caldas Novas, a cidade das águas calientes. Desde 1968 está casado com sua querida Cleuza Luiza Mariano, natural de Lagamar – MG. O casal tem uma filha chamada Kátia Sheila, que se casou com Vagner Modesto Silveira e juntos presentearam nosso homenageado com dois netos. Sua história de vida em Brasília começou com pouco dinheiro, poucas roupas, mas muitos livros, estudos e trabalhos. Seu primeiro emprego foi como apontador de obras nas construtoras cearenses Ecra e Beta. Mesmo com algumas dificuldades comuns àqueles que estão longe de casa e ainda uma difícil

situação financeira, enviava 70% do seu pequeno salário para ajudar seus pais no Ceará. Retomou seus estudos no Centro Educacional Elefante Branco e, em 1961, ingressou como funcionário da DTUI (Departamento de Telefones Urbanos e Interurbanos). Foi comissário de terra da Real Aerovias, no aeroporto de Brasília e, por mais de dez anos, escriturário do Ministério da Fazenda. Realizou colegial técnico de contabilidade, no Colégio Comercial La Salle, em Brasília, e atuou como contador da Metalúrgica Amazonas em Taguatinga – DF. Formou-se pela Faculdade de Letras da UnB (Universidade de Brasília) e pela Faculdade de Direito do CEUB (Cento Universitário de Brasília). Foi Comissário de Menores, do Juizado de Menores do DF e aprovado no concurso para o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, onde trilhou seu caminho profissional até a sua aposentadoria como Diretor do TRE-DF, em 1990. Na área da educação, foi Professor do Centro de Formação e Aperfeiçoamento Pedagógico do Colégio La Salle, Professor do SENAC e Professor do 2° grau da Secretaria do Estado de Educação do DF. Aposentou-se como Professor Classe A, no ano 2000.

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília


MDB_JornaldoCeará.pdf

1

13/02/15

16:59

acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Ceará em Brasília

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

11

Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras V

A Ideia, a execução, os óbices e a dura vida

João Soares Neto (*) “Chorei e acreditei”. F.R. Chateaubriand, escritor francês. Não somos iguais a ninguém. Temos as nossas próprias idiossincrasias. Nosso pai dizia: “não seja melhor, nem pior. Seja você”. Em 1999, depois de muito pensar e estudar, concluímos um projeto que durou cinco anos para ser executado: um centro comercial. Vale dizer que fomos desaconselhados, por consultores contratados, a fazê-lo no local escolhido. A maioria das pessoas de referência sondada dizia ser uma loucura investir em bairro sem grande densidade habitacional. Argumentavam: na área de humanidades da UFC há política, comício e greve. Disseram também que estaríamos próximos das sedes de partidos de esquerda. Para desanimar, falaram: o metrô não seria concluído tão cedo e a sua construção nos importunaria, pois ruas seriam fechadas por anos. E daí? Desobedecemos a todos os consultores. Ficamos surdos. Sofremos o pão que o diabo amassou. Cinco anos, sol a sol, algumas noites em claro, fazendo fé, aplicando o produto de toda uma vida árdua. No dia da inauguração, manhã de sábado, 30 de outubro de 1999, aniversário de D. Margarida - a mulher que nos trouxe ao mundo- não havia tapumes. As lojas ainda não ocupadas foram rematadas com grandes pinturas de artistas plásticos cearenses. Era o nosso primeiro concurso público de artes. Oferecemos, na exposição, duas premiações com passagem ida-e-volta aos Estados Unidos e à Europa. Emília Porto e Audifax Rios, os vencedores, preferiram o valor equivalente. Assim foi feito. Nascia o embrião da galeria de arte que se consolida até hoje. A Camerata da Universidade Federal do Ceará tocava músicas clássicas e a fita simbólica foi descerrada pelas filhas, a pequena neta Luana, o Reitor Martins Filho, D. Margarida e convidados. Padre Hermano, padre-mestre dos Remédios, fez a benção. Na parede principal estava quadro com os nomes das pessoas que trabalharam na obra inaugurada. Uma a uma. Do servente ao engenheiro chefe. Nenhum esquecido.

Depois, começou a vida real, as dificuldades aumentavam a cada dia. O metrô fechou as duas principais vias de acesso e lojistas consagrados não compravam a nossa ideia. Primeiro, teríamos que nos fazer acreditados. Assim, batalha a batalha, fomos sedimentando a história com a chegada dos Mercadinhos São Luiz, da Casa dos Relojoeiros e de corajosos novos lojistas. Aos poucos, com boa equipe, íamos abrindo lojas e resistindo às adversidades. Conseguimos que uma grande empresa nacional de varejo aceitasse que fizéssemos, com nosso capital, todo o espaço, turn-key, de 1.600m2, de sua loja. A inauguração nos daria credibilidade. A loja foi inaugurada, mas, em seguida, fechada por decisão judicial que invocava uma “cláusula de raio”. Explico: inócua reserva de mercado a impedir uma mesma empresa de montar outra loja em raio de 5 km. Depois de doloroso abre-fecha, a loja voltou a funcionar e lá permanece altaneira. Um centro comercial pede alguns cinemas. Procuramos exibidoras nacionais e todas nos deram a mesma resposta: construa que, depois, entramos. Noites em claro. Resolvemos do nosso jeito. Ora, se iríamos construir para os outros, por que não fazê-lo para nós mesmos? Sabíamos da dificuldade de captar filmes, sendo pequenos e independentes. Viajamos, trocamos ideias e assumimos que seríamos nós os exibidores. Teríamos que obter o aval das distribuidoras de filmes, ligadas aos exibidores. Outra batalha. Afinal, fizemos as salas. Precisávamos mostrar que éramos organizados e planejados. Obtivemos, após inspeção, a certificação ISO-2001, através de empresa inglesa. Fomos o primeiro do Brasil na área de atuação. Paralelo a isso, lutávamos para que o Metrofor nos liberasse a frente Carapinima, ainda fechada. Marchas e contramarchas, conseguimos. Depois de anos. Faltava a localização exata da Estação Benfica do Metrofor. Cedemos ao Estado área de nosso imóvel para que parte

Estátua sem cabeça leva culpa por divórcios em cidade do CE Em Caridade (95 km de Fortaleza), se um casal se divorcia, os moradores tratam logo de apontar o “culpado”: Santo Antônio, ou melhor, a estátua sem cabeça dele, que fica na parte mais alta da cidade de 21,5 mil habitantes. A dona de casa Dalva Maria, 49, mora há cerca de 20 anos aos pés do monte onde fica o “corpo” da escultura. “O povo diz que isso é a causa das separações, que é por conta disso que os casamentos duram pouco na cidade”, diz. Morando com um companheiro há 30 anos, ela fala que não acredita no santo. “Por isso estou casada até hoje”, afirma. Quem discorda de Maria é a também dona de casa Zulene Ferreira, 57. “Não tem cabeça, mas é bento”, defende. “O povo separa porque tem de separar mesmo”, afirma a devota do santo casamenteiro. Divorciada, ela conta que alcançou uma graça por causa de Santo Antônio: ter conhecido o companheiro José Cleaudio Cavalcanti, 41, com quem vive há nove anos perto do monte. “Fui lá em cima para agradecer”, revela. A taxa de divórcios de Caridade é de 42 por cada cem mil habitantes, bem menor que a do Ceará (105 por cem mil) e a nacional (126 para cada cem mil), segundo dados do IBGE

Abril/15 Fevereiro/15

12

(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Cabeça pesada Os moradores contam que a imagem do padroeiro da cidade ficou incompleta por causa do tamanho e do peso da cabeça. Eles dizem que o corpo foi confeccionado na parte alta da cidade e a cabeça, a cerca de dois quilômetros de distância, no quintal de uma casa na rua 102, no Conjunto Residencial, de onde não conseguiram tirá-la até hoje. A cabeça virou ponto turístico da rua, “uma das mais movimentadas da cidade”, segundo a agricultora Janice Rodrigues, 36. “Julho é o mês com maior movimento. Vem gente de outras cidades para visitar”, fala. Com os planos frustrados de ter uma imagem gigante do padroeiro no topo da cidade, restou

Cabeça de monumento em homenagem ao padroeiro da cidade está abandonada na rua 102 do bairro Conjunto Habitacional, em Caridade (a 95 km de Fortaleza) Beto Macário/UOL

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

da citada estação ali fosse fincada. Hoje, março de 2015, o metrô já funciona, mas duas vias de escoamento jazem bloqueadas. São 15 anos. Fizemos da ideia um projeto de resolução que atentava contra tendências do mercado. Optamos, por vocação e consciência, por ser um centro de referência para os clientes. Criamos 10 projetos sociais e culturais em pleno funcionamento. Por nossa conta e sem benefício fiscal. Tornamos-nos amigos dos lojistas e clientes, sem ufania. Eles são o nosso trunfo. Assim o fizemos. Assim o somos. Há, inclusive, um deles, professor universitário, que possui os números dos nossos telefones e liga para o que bem quiser. Outros nos ajudam, de forma consistente. Conversamos com todos a qualquer hora. Recebemos, por sete vezes, o selo de responsabilidade cultural conferido pela Secretaria da Cultura do Ceará. Somos a única empresa do Estado que possui este laurel. Temos espaço de leitura com biblioteca, uma fábrica artesanal para maiores de 55 anos, ginástica de baixo impacto, um clube de viver bem e mostras permanentes de artes. Promovemos o Gente de Bem, fazemos congraçamento anual com crianças portadoras de doenças, síndromes e em situações de desamparo com instituições acreditadas. Trazemos a música, os cantores e os compositores locais para os nossos eventos. Oferecemos espaços para alunos de artes, pintores consagrados, grafiteiros, blogueiros e outros. Incentivamos o carnaval, os maracatus e as festas juninas. Formamos mais de 1.800 bombeiros voluntários em parceira com o Corpo de Bombeiros Militares do Ceará. Estamos abrindo a 50ª. turma. Nada da boca para fora. Tudo com nosso envolvimento e gratuito. Novos centros comerciais foram surgindo nos últimos tempos e outros estão por vir. Sejam todos bem-vindos. O sol nasceu para todos. Este texto é claro, Sem presunção. É história vivida e sofrida que continua a cada dia novo para as quase duas mil pessoas que mourejam, acreditam no que fazem, recebem bem e com alegria milhares de clientes. (*) João Soares Neto (Fortaleza), da Academia Cearense de Letraso

Manassés lançou novo CD no Theatro São João, de Sobral Um dos mais renomados músicos de todo o Brasil, o multiiinstrumentista cearense Manassés está lançando um novo disco. “Mana Mano” traz Manassés tocando todos os instrumentos e mostrando novas composições. O CD chega com direito a uma temporada especial de shows, que começou em 24.04, em Sobral, no tradicional Theatro São João, com entrada franca. O universal pelo regional. Poucos artistas conseguiram assimilar e praticar este lema quanto Manassés de Souza, violonista, violeiro, guitarrista, compositor, arranjador e produtor musical cearense que está lançando seu 13º disco, o CD “Mana Mano”. Aplaudido pelo público cearense, nacional e internacional, aclamado entre os colegas instrumentistas e intérpretes, Manassés, autor de clássicos como “Briga de foice”, “Menino de rua” e “Palavra de amor”, apresenta seu novo disco em uma temporada de shows que inclui apresentações no Ceará e na Paraíba. A estreia é nesta quarta-feira, 29/4, em Sobral, às 20h, no tradicional Teatro São João (Praça São João, 156, Centro), com entrada franca. A apresentação tem produção da Modo Maior e apoio exclusivo da Prefeitura Municipal de Sobral. A temporada inclui ainda apresentações em Fortaleza, nos dias 6 e 23 de maio, no Centro Cultural Banco do Nordeste, e em Sousa-PB (dia 20/5) e Juazeiro do Norte (dia 21/5), também nas unidades do CCBN em cada cidade, sempre às 19h. Olímpio Rocha, letrista e parceiro de Manassés.

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Da revista A Província

Batista de Lima (*) Fundada em 1953, a revista A Província está em seu número 32. Seus fundadores foram F. S. Nascimento (hoje, na Academia Cearense de Letras), Florival Matos e Humberto Cordeiro. No momento, seu diretor e redator é Jurandy Temóteo. Só muita teimosia, persistência e abnegação, para manter, no Crato, uma revista desse quilate por tanto tempo. E o que é mais interessante é a qualidade das matérias apresentadas, bem como o valoroso perfil de seu Conselho Editorial, que mantém entre muitos baluartes da cultura caririense, figuras como o ainda atuante F. S. Nascimento, José Flávio Vieira, William Brito e José Jéser de Oliveira, entre outros. Nesse número 32, a reportagem mais ilustrada trata da outorga do título de “Doutor Honoris Causa” à educadora Madre Feitosa, pela Reitoria da Universidade Regional do Cariri (Urca). A Madre Maria Camerlina Feitosa, natural de Tauá, onde nasceu em 1921, desenvolveu seus estudos principais e sua vida religiosa e educacional no Crato. Foi aluna no cratense Colégio Santa Tereza e depois fez filosofia na Faculdade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro. De volta ao Crato, dedicou sua vida à educação, como professora e gestora educacional, chegando a ser diretora do Santa Tereza, do Patronato Padre Ibiapina, do Colégio Pequeno Príncipe. Por uma temporada dirigiu o Colégio Senhor do Bomfim, no Icó. Outra personalidade homenageada na revista é o doutor João Gonçalves de Souza (1913-1979). Em artigo assinado por Melquíades Pinto Paiva, esse lavrense do distrito de Mangabeira, é apresentado biograficamente como uma das personalidades cearenses de destaque nacional e internacional no século XX. João Gonçalves teve origem humilde, mas através de muito esforço e inteligência privilegiada, começando por estudos no Colégio Diocesano do Crato, chegou a uma das diretorias da OEA, em Washington. Antes disso, porém, foi de cassaco na seca de 1932 a Superintendente da SUDENE. Chegou a Ministro do Interior no Governo Castelo Branco, mas nunca perdeu o contato com suas origens, beneficiando sua Vila Mangabeira com muitos empreendimentos saneadores. Além dos perfis de Madre Feitosa e do Doutor João Gonçalves de Souza, a revista traz ainda artigos sobre Denizard Macedo e Catulo da Paixão Cearense. É bom saber que Denizard nasceu no Crato, em 1921, em casa situada na Praça da Sé. Foi aluno do Colégio Diocesano, na sua cidade natal, e depois, se transferindo para Fortaleza, foi estudar no Liceu do Ceará. Formou-se em Economia, área em que se doutorou. Ensinou em várias instituições de ensino de Fortaleza, cidade em que foi vereador. Pertenceu à Academia Cearense de Letras e ao Instituto do Ceará. Era monarquista e foi integralista. Faleceu em 1983. O autor desse artigo é Armando Lopes Rafael. Com relação ao artigo “Catulo da Paixão Maranhense”, de José Bezerra Neto, fica clara a polêmica em que Catulo sempre estava envolvido com relação ao direito autoral dos seus parceiros. Entretanto, sua genialidade suplanta qualquer dúvida que se tenha sobre suas músicas. Tendo nascido em 1863 em São Luís, no Maranhão, não se pode esquecer que seu pai era cearense. Sua composição “Luar do Sertão” se tornou um sucesso até hoje conhecido do público. Com seu porte avantajado, por necessidade, começou sua vida de trabalhador no Cais do Porto do Rio como estivador. Depois, como poeta, músico e violonista foi admirado e aplaudido até por Alberto Nepomuceno. Catulo foi genial. (...) Esse número de A Província traz, como se vê, muitas matérias ricas de historiografia. Não se pode negar também seu viés bairrista, tendo em vista que o Crato é o foco principal de suas matérias. E isso fica mais evidente no seu texto culminante, “Guerra do Juazeiro (também) contra o Crato”, de Juarandy Temóteo. Pode-se dizer que o diretor da Revista se esmerou nesse ensaio com novos detalhes sobre o ataque ao Crato e a tomada da cidade pelos 750 romeiros de Juazeiro, a mando de Floro Bartolomeu e acobertados pelo Padre Cícero. Esse ataque, ocorrido em 23 de janeiro de 1914, terminou por se tornar uma verdadeira pilhagem em torno do patrimônio de quem fosse partidário de Franco Rabelo. O lema dessa revista é “o universal pelo regional”. Coerente, pois, com esse objetivo embutido, verifica-se que não precisa ser cratense para ser alcançado pelos conteúdos do periódico. Os assuntos tratados, na sua maioria, extrapolam o regional e têm essa conotação universal. Além disso, há o exemplo de perseverança dos seus editores em manter no interior do Ceará, uma revista de tão longo alcance. Isso mostra que o Cariri é inesgotável como celeiro de temas históricos de relevância. A religiosidade, os mitos que se entrelaçam nas suas trajetórias, tudo leva a crer que nunca faltarão temáticas de sustentação para que A Província continue a desafiar o tempo e as dificuldades, sempre engrandecendo essa nação Cariri. (*) Batista de Lima (Fortaleza), da Academia Cearense de Letra

Ceará em Brasília

A vida de um grande artista

As Esmeraldo Asmemórias memórias de de Sérvulo Sérvulo Esmeraldo

ou muito análiseimportante crítica nem para uma análise historioLivro do cearense por meio de fotos, um documento a cultura brasiLivro retrata retrataa atrajetória trajetória do cearense por meio de interpretação gráfica. É ele que apresenta, um materialartista. de primeira”, desenhos e anotações leira, porque é o se pensamento do próprio Não é fotos, desenhos e anotações. Dodora. As mãos do do artista artista próximas próximas àà obra: obra: para para elaborar elaborar o o admite uma interpretação ou análise crítica nem uma análise As mãos Acorda, Crato!É ele que se apresenta, um material de livro, a jornalista Dora Freitas e a historiadora Silvia Furtalivro, a jornalista Dora Freitas e a historiadora Silvia historiográfica. Tudo isso guardado e cuidadosamente selecionado pelo do, com ajuda companheira de vidade devida Sérvulo, Dodora primeira”, admite Dodora. Furtado, com da ajuda da companheira de Sérvulo, Guimarães, reviraram pastas, gavetas e arquivos do artista casal. “Aqui não se joga papel fora! É proibido!”, explica Acorda, Crato! Dodora Guimarães, reviraram pastas, gavetas e arquivos a companheira, enquanto folheia o caderno mais recente As mesmas linhas que marcam na pele os 86 anos do isso guardado do artista.Sérvulo Esmeraldo expressam, em diferentes de Tudo ilustrações e textos dee cuidadosamente Sérvulo. A caixa selecionado de lápis e a cearense pelo casal. “Aqui não se joga fora! Éem proibido!”, As mesmas linhas que marcam na pele os 86 anos do para facilitar qualquer objetos expostos em sua casa-ateliê, a essência de uma régua estão ali perto também. É papel explica a companheira, enquanto folheia o caderno maise cearense Sérvulo Esmeraldo expressam, em diferentes hora que ele quiser produzir. “Tudo tem uma anotação vida dedica à arte. Elas estão em tudo; fazem tudo: conrecente ilustrações e textos dea Sérvulo. A Fortaleza caixa de objetosoexpostos suaocasa-ateliê, todo de lugar tem o Crato”, conta esposa. Se duzem percursoem desde rabisco atéaoessência desenho de queuma irá em 40 obras autoria, algumas das quais têm lápis e hoje a régua estão de alisua perto também. É para facilitar em vida dedica à arte. Elas estão em tudo; fazem tudo: abriga se materializar. históriashora contempladas no novo livro -“Tudo como otem “MonuA luz nãoo épercurso menos importante. Se a leitura do objetoque se as qualquer que ele quiser produzir. uma conduzem desde o rabisco até o desenho ao Saneamento Básico localizado na faz pela face, é ela, em “parceria” com a sombra, que torna mento anotação e em todo lugar temdeoFortaleza”, Crato”, conta a esposa. irá se materializar. e aabriga “Femme-bateau”, nade Praia Iracema -é possível Juntas,Se linha e luz formam Se Fortaleza hoje 40 obras sua de autoria, alguA luz essa não éapresentação. menos importante. a leitura do objetoa Beira-Mar, ou quais quase têm nadaas que se vê nocontempladas Cariri. dupla Seénão você, pelo menos Sérvulo. mas das histórias no novo se fazperfeita. pela face, ela,para em “parceria” com apara sombra, que pouco O desejo de ter uma grande obra exposta lá, seja no Foi sempre assim, desde a infância. livro como o “Monumento ao torna possível essa apresentaO menino, que lembra de cor o traçado da linha do Crato ou em Juazeiro, é antigo, e vem como um desabafo Saneamento Básico de Fortaleção. Juntas, linha e luz formam em “A linha e a luz”: “(...) horizonte que lhe envolvia za”, seria localizado Beira-Mar, a dupla perfeita. Se não muitonabom não só no Cariri, lá de onde via para o e a “Femme-bateau”, na Praia você, pelo menos para Sérvuporque eu sou um filho da sol poente e nascente, fez do de Iracema - é pouco quase lo. Foi seu sempre desde a terra, mas porque,ou além de natural meioassim, de devoção. nadaeu quegostar se vêmuito no Cariri. do Cariri, infância. Dos vegetais, folhas e galhos paisagem retirou sua geometria. Da conO aquela desejo de ter uma pede”, grande O menino, que lembra de cor o artista. tínua e insistente obra afirma exposta lá, seja no Crato o traçado da linhaobservação, do horizonte Apesar deé já ter apresentornou-se colecionador ou em Juazeiro, antigo, e vem que lhe envolvia no Cariri, de lá de tado vários projetos imagens. Escultor, gravador, como um desabafo em “Adesde linha onde via o sol poente e nascenos anos 70,seria aindamuito não houve desenhista? e a luz”: “(...) bom te, fez do natural seu meio de um retorno direto dos gestoDefinir-se, aliás, havemos não só porque eu sou um filho devoção. Dos vegetais, folhas res. “O nosso trabalho custa de concordar, não é das tarefas da terra, porque, além e galhos retirou caro, e,mas até agora, ninguém mais fáceis. Massua nãogeometria. por isso de eusegostar muito dolamenta Cariri, Da inviabiliza contínua e insistente obsermanifestou”, se um encontro aquela paisagem pede”, afirma vação, tornou-se Sérvulo. consigo mesmo. Ocolecionador artista em o artista. de imagens. Escultor, gravador, Dodora, por sua vez, questão, por exemplo, está reforça importância do Apesar dea já ter apresendesenhista? perto de se encontrar. É logo O artista Sérvulo Esmeraldo: trajetória merecidapúblico no sentido mais, à noite, naaliás, Galeria Multado interesse vários projetos desde os Definir-se, havemos mente revista em novo livro garantir a autorizatiarte, com o lançamento do anos de 70, aindadesde não houve um de concordar, não é das tarefas ção para uma instalação o livro Esmeraldo retorno direto dos gestores.até“O mais “Sérvulo fáceis. Mas não por- A isso comprometimento de conserlinha e a luz”. nosso trabalho custa caro, e, até se inviabiliza um encontro vação da obra. “A coisa mais Processos agora, ninguém se manifestou”, consigo mesmo. O artista em recorrente no pensamento Ler todo mesmo, ele ainda lamenta questão, por exemplo, está dele é Sérvulo. o Crato. Tudo ele quer não leu. “É a falta de tempo”, Dodora, vez, reforperto de se encontrar. É logo doar parapor lá.sua Mas o Crato revela enquanto ouve as perça a importância do interesse mais, à noite, na Galeria Mulprecisa querer”. guntas e considerações “em público sentido garantir tiarte, com o lançamento E, no com o risodefrouxo, o primeira mão”. Ainda assim, do desde a autorização artista concorda: “Épara até uma bom livroquestão “Sérvulo faz de Esmeraldo expressar o- A que se diga ele acordar. instalação atépara o compromecontentamento linha e a luz”. “Tá bem feitiAcorda,deCrato!”, brinca. da nho, né?”. Arrisca dizer que é timento conservação Processos Lançamento o melhor feito até agora. Mas obra. “A coisa mais recorrente Ler todo mesmo, ele ainda Além das mensagens para anão companheira vida, no pensamento dele é o Crato. leu. “É a de falta de Dodotempo”, a região do Cariri, outros ra Guimarães, faz a ressalva: Tudo ele quer doar para lá. Mas revela enquanto ouve as perlugares e também pessoas “Olhe, você vai deixar muita o Crato precisa querer”. guntas e considerações “em ganham as páginas de “Sérgente com ciúme. É só porque E, com o riso frouxo, o artisprimeira mão”. Ainda assim, vulo Esmeraldo - A linha ea é o último”. Sorriem. ta concorda: “É até bom queum se fazO questão de expressar o luz”. O contato com cada livro, organizado pela diga parapode ele acordar. contentamento “Tá bem feitideles ser feito Acorda, a partir jornalista Dora Freitas e pela Crato!”, brinca. nho, né?”. Arrisca que é das 19h30. historiadora Silvia dizer Furtado, Para o lançamento do livro, Lançamento o melhor feito até agora.das Mas reúne memórias retiradas uma exposição de setepara obrasa pastas e gavetas do Além das mensagens a companheira deartista vida, para Dodotridimensionais do artista compor uma espécie diário região do Cariri, outros lugara Guimarães, faz aderessalva: também está sendo construído com de- gente com ciúme. É só res e também pessoas ganham as páginas depreparada. “Sérvulo “Olhe, você vaipalavras, deixar muita Trabalhos de com 1986cada a 2011 senhos década Esmeraldo - A linha e a luz”. O contato um porqueeéfotografias o último”.daSorriem. compõem a mostra e estarão de O 1980 para cá. das 19h30. livro, organizado pela jornalista Dora Freitas e deles pode ser feito a partirtodos à venda para o público Lê-se sobre a vida entre Para o lançamento do livro, uma exposição sete pela historiadora Furtado, reúne memórias retipresente. Que fiquedeclaro, Crato e Paris, comSilvia destaque obras tridimensionais do artista também está sendo radas das pastas e gavetas do artista para compor uma não se encerra aí. Linha e luz para algumas de suas escula 2011rumos compõem a mostra espécie de diário construído seguem infinitos. O turas públicas e/ou integra- com palavras, desenhos e preparada. Trabalhos de 1986 e estarão todos à venda para o público presente. Que fotografias da década de 1980 para cá. trabalho de Sérvulo também. das à arquitetura da capital Lê-se sobre a vidaque entre cearense. “Acredito esseCrato e Paris, com destaque fique claro, não se encerra aí. Linha e luz seguem rumos também. épara um algumas documento impor- públicas e/ou integradas infinitos. O trabalho de Sérvulo demuito suas esculturas Roberta Souza, Repórter, tante para a cultura brasileira, Roberta Souza, Repórter,Diário Diário Nordeste à arquitetura da capital cearense. “Acredito que esse é dodo Nordeste porque é o pensamento do próprio artista. Não é uma

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

13

Fotos: Natinho Rodrigues Fotos: Natinho Rodrigues

Leituras VI

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras VII

Uma tese que faz sentido

Macário Batista (*) O deputado Manoel Duca, o Duquinha (Pros) defendeu na Assembleia Legislativa, a revogação do Estatuto do Desarmamento. Conforme o parlamentar, tramita, na Câmara Federal, o projeto de lei do deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB/SC) determinando a revogação do Estatuto, que foi aprovado em 2003. O parlamentar disse que, em face da evolução da violência na sociedade, é preciso que a legislação seja modificada. “Faz 12 anos que a lei 10.823, de 2003, foi aprovada. Ao longo desse tempo, estamos observando que o Estatuto não está cumprindo as suas funções”, frisou. Conforme Manoel Duca, as armas que entram no Brasil são contrabandeadas e usadas pelos bandidos, enquanto a população está desarmada. Manoel Duca assinalou que o homem do campo não pode ter nenhuma arma para guarnecer sua propriedade. “Enquanto isso, os bandidos ficam fortemente armados. O cidadão brasileiro precisa portar uma arma para se defender”, acrescentou. O parlamentar comentou que, em 2014, conforme o último Mapa da Violência divulgado, foram 56.337 assassinatos no Brasil, superando o número de mortes registrado no conflito de dois anos na Chechênia. “A taxa de homicídio chegou a 29 casos por 100 mil habitantes. O Brasil possui seis capitais – Maceió, João Pessoa, Manaus, Fortaleza, Salvador e Vitória – entre as 20 cidades mais violentas do mundo”, assinalou. Manoel Duca considerou que a política de desarmamento foi ineficaz. Segundo ele, os países que têm legislação forte contra o armamento enfrentam altos índices de violência, enquanto as nações mais permissivas com o porte de arma registram baixo número de assassinatos. “A Alemanha tem 30 mil armas para cada 100 mil habitantes, e o número de assassinatos é de 0,8 para cada 100 mil habitantes. Na Áustria, há 17 mil armas para cada 100 mil habitantes e, na Noruega, são 36 mil armas para cada 100 mil habitantes. Todos esses países têm baixos índices de homicídios”, pontuou. Ainda segundo o parlamentar, a Rússia baniu todas as armas e tem índice de homicídio de 30,6 para cada 100 mil habitantes, “Na Inglaterra, após o banimento das armas, o nível de assassinatos também aumentou consideravelmente”, revelou. Para Manoel Duca, privar o cidadão de portar amas para defender a família é um absurdo. “Quem viajar de carro para o interior fica totalmente à mercê dos bandidos”, disse. Atraso ou orientação pro estupro A televisão mostrou que no Japão, uma robô está atendendo à clientela de uma loja, ensinando onde ficam os departamentos pretendidos por quem da “moça” se aproxima. Por enquanto fala só japonês mas vai interagir, já já em outros idiomas, diz o pessoal da quase “Gueixa”. Pois bem; esses dias, cidadão protocolou 5 (cinco) ligações telefônicas para o número 10611, que a Sky – TV por assinatura - distribui para quem cai na esparrela de comprar os serviços dela, péssimos na qualidade, pior no atendimento. Os (5) protocolos foram num só dia (números em poder da coluna) e o assinante, que já havia cancelado a assinatura havia dois meses, estava sendo cobrado daquilo que não devia. Mas recebeu a informação de que a assinatura está vigindo, o que é um ato desonesto e explico porque. Quando você fala em cancelar uma assinatura da Sky, telefonistas ficam passando a ligação adiante de tal forma que, de espera em espera, CPF em CPF, nome completo em nome completo e “qual é mesmo o assunto?”, eles derribam a ligação e o paciente fica fora do ar sem complementar o que queria, isto é, deixar muito claro que não só cortou o débito em conta há mais de 60 dias, como botou outra no lugar da Sky e a própria Sky disse em mensagem por telefone que estava cortando o sinal por falta de pagamento. Mesmo assim continuou cobrando o que o ex-assinante não devia. Por via das dúvidas o assinante pagou uma conta pra ter provas junto à Justiça de que estava sendo extorquido, mas foi imediatamente cobrado por uma nova conta a vencer por serviços prestados de primeiro a 31 de maio que vem. O atendimento, pelo exemplo repetido, é orientado a não deixar o cliente chegar ao fim do procedimento de cancelamento da assinatura e assim continuar sendo extorquido. No começo de qualquer procedimento eles anunciam que aquela conversa está sendo gravada e que o paciente pode solicitar a gravação a qualquer momento. Como nunca atendem até o fim, a solução é encaminhar para que a Justiça cobre a gravação, ou as gravações e determine o fim desse absurdo que desafia as leis deste País. Será que os Ministérios Públicos, tão vigilantes, nunca souberam disso? Macário Batista (Sobral), jornalista, blogueiro, multimídia.

Fevereiro/15 Abril/15

14

Arte sertaneja do Ceará O trabalho do Mestre Espedito Seleiro em parceria com os irmãos Campana será exposto nos Estados Unidos

Parceria de mestres. Espedito Seleiro, por meio de sua arte que rompeu fronteiras, agora produziu peças de mobiliários com os designers brasileiros reconhecidos internacionalmente, que se tornaram referência no Brasil e exterior. A essência é a junção de elementos aparentemente simples do cotidiano do povo cearense. Nova Olinda. O universo de cores do sertão nordestino monta na sela e adentra o pluralismo conceitual do design de móveis, com a fusão do mundo criativo dos irmãos Campana e o cangaço fashion do Mestre Espedito Seleiro. Humberto e Fernando não tiveram cerimônias desde que conheceram o trabalho do mais renomado artesão do couro do Brasil. Espedito Seleiro, de Nova Olinda, ou o mestre Espedito, acaba de produzir várias peças de mobiliários com os designers brasileiros reconhecidos internacionalmente, que se tornaram referência no Brasil e exterior, por meio da junção de elementos aparentemente simples, do cotidiano, transformados em mobiliários de arte. Os irmãos estão entre os poucos brasileiros a ter trabalhos expostos no Museu de Arte Moderna, de Nova Iorque. E é dos Estados Unidos que o artesão aguarda a próxima notícia para onde irão os seus trabalhos, produzidos em conjunto com a dupla de designers. Palhas trançadas Do sertão para Viena não há distância quando se trata de unir cores à simplicidade das palhinhas trançadas. A escolha dos móveis foi dos irmãos, mas Espedito Seleiro simplesmente fez o que para ele não tem limite, que é poder proporcionar a mistura de elementos do couro com os tons vibrantes e pastéis, para resultar em modelos exclusivos inspirados na força cangaceira de um artesão que, desde criança, traz como herança de família a produção de artigos em couro, das sandálias inspiradas em Lampião, às selas, que são as suas peças iniciais. Os irmãos Campanha estiveram na região em janeiro deste ano para acompanhar de perto o processo criativo para a elaboração do trabalho do mestre Seleiro e conhecer a arte do artesão de forma mais ampla. Antes, eles mandaram as cadeiras revestidas com as palhinhas, depois as poltronas, algumas delas em ferro. “Algo diferente mas ao mesmo tempo não tenho dificuldades para desenvolver. Mudamos alguns moldes, para adequar às novas formas, mas o desenvolvimento das peças é o que normalmente já temos trabalhado”, afirma Espedito. Ele teve a ideia, há algumas décadas de lembrar, o cangaço como algo mais leve, alegre. E aí, decidiu, então, inserir cores nas sandálias. A força da necessidade e durabilidade das selas, o que fazia com que o apurado para viver não fosse o suficiente, impulsionaram novas possibilidades de trabalhar com o couro. Paulo Zulu A explosão de criatividade acontece todos os dias, a

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

cada peça desenvolvida pelo artesão, que já chegaram às passarelas da São Paulo Fashion Week, inspirando coleções de marcas importantes como a Cavalera. Paulo Zulu, que ano passado esteve no Cariri, foi um dos modelos que chamou a atenção do Brasil ao desfilar com vestimenta sertaneja, reestilizada e inspirada nas arte do mestre cearense. Neste mês, as peças criadas por Seleiro e os irmãos Campana estão expostas na Firma Casa, em São Paulo, onde os irmãos possuem o seu estúdio. Peças como cadeira, poltrona, sofá, estante e espelho permanecem em exposição e foram produzidas em série limitada. Mas essa proposta de criação de mobiliários, promovendo um diálogo alegre e regional, já vem sendo desenvolvida pelo artesão. Em diversos ambientes do Cariri onde essas peças podem ser encontradas, a marca do mestre Espedito é inconfundível. Um deles é a sede do Geopark Araripe, no Crato. Com a palhinha trançada um pouco exposta, o couro chega com toda força, revestindo o móvel. Houve liberdade criativa para o trio. É um trabalho que dialoga muito bem com o público e que chamou a atenção do ministro da Cultura, Juca Ferreira, que esteve há quase dois meses em Nova Olinda visitando o Museu do Couro, vizinho ao ateliê do mestre, que trabalha junto com os filhos. Enquanto concluía as produções das peças, alguns móveis permaneceram no local. Um dos que o artesão achou interessante produzir foi uma estante com altura de quatro metros por quatro de largura. “Um trabalho interessante para dar uma nova roupagem”, afirma. A modelagem dos gibões, bolsas e as selas são transferidas para os móveis sem a menor dificuldade. “O uso do couro é variado e se transforma num pensar diferente pela sua utilização”, diz Espedito. O contato do mestre Espedito com os irmãos Campana aconteceu por meio de uma oficina que o artesão realizou na Bertioga, em São Paulo. E primeiro veio a cadeira em ferro e o fitilho, ou a palhinha. E, somente em seguida, os cortes minimamente pensados no couro com a mão firme do artesão, que levaram a curvas criativas valorizadas pela tessitura da cor. Foi a primeira experiência dos três. O design ganha novos contornos. Os irmãos fixaram Campana nas peças do artesão que já recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura, no ano de 2011. O reconhecimento de Espedito Seleiro, de Nova Olinda para o mundo, ganha visibilidade, além da moda do ‘cangaço fashion’, agora com o panorama de atuação mais democrático ainda, em formas amplas, num universo infinito para o artesão do Cariri. Mais informações Espedito Seleiro Rua Monsenhor Tavares, 140 Centro - Nova Olinda CE - Telefone (88) 3546. 1432 Elizângela Santos, Colaboradora

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras VIII

Mons. Edson de Castro Homem é o novo bispo de Iguatu. Vem do Rio

A Seresta do século Por José Jezer de Oliveira (*) Durante anos, impreterivelmente no mês de agosto, a Casa do Ceará promoveu o mais animado e concorrido evento ao ar livre, quiçá o maior já visto na Capital da República. Intitulado “Noite Cearense Sob o Luar de Brasília”, seu principal objetivo era reunir em ambiente festivo o maior número possível de cearenses radicados na Capital Federal, embora o acesso fosse permitido a todos os públicos mediante a venda de ingressos. Objetos do artesanato cearense eram expostos à venda em diversas bancas de burundanga espalhadas pelo terreno, bem como barracas com especiarias e produtos da culinária cearense. A grande atração da noite era geralmente cantor, sanfoneiro, conjunto musical com repertório nordestino e até humorista. Por ali passaram, entre outros, Sivuca, Jakson do Pandeiro, Elba Ramalho, Dominguinhos, Fagner e Ivanildo “Sax de Ouro”.

A última edição da “Noite Cearense” ocorreu em 10 de agosto de 1991, com a apresentação do cantor e compositor cearense Evaldo Gouveia. Dias antes de sua apresentação, Meire Porto, presidente da Casa do Ceará, reuniu um grupo de cearenses, sócios colaboradores da instituição, convidados por ela a participarem, sem direito a cachê, do que chamou de “Seresta do Século”, com interpretação de canções do repertório exclusivo de Evaldo Gouveia. Não houve ensaio. A apresentação dos “seresteiros” cearenses foi fora do palco e antecedeu hora e meia a Evaldo. Participaram da seresta os “cantores” coronel Fialho, João Feijão (grande violonista), Jézer de Oliveira, Maria Lúcia Calmon e a mineira Márcia Kubitschek, vice-governadora do Distrito Federal, e outros. A cada um a presidente da Casa do Ceará entregou um Certificado de participação da “Seresta do Século”. (*) Jose Jezer de Oliveira (Crato), jornalista e ex-presidente da Casa

Mons. Edson de Castro Homem nascido em 17 de abril de 1949 no Rio de Janeiro , na arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, é o novo bispo de Iguatu, nomeado pelo Papa Francisco. Ele estudou no Seminário menor de São José, no Rio de Janeiro, e fez Filosofia e Teologia na Pontifícia Universidade Católica-PUC. Conseguiu licença em Filosofia na Universidade Estadual do Rio de Janeiro e a láurea em Teologia Espiritual pela Gregoriana de Roma. Foi ordenado sacerdote em 18 de outubro de 1977 no Rio de Janeiro. No ministério sacerdotal foi pároco nas igrejas de Nossa Senhora Reparadora, Santa Luzia, Nossa Senhora da Luz, Nossa Senhora de Fátima e São Lourenço, também no Rio de Janeiro. Foi também diretor espiritual do Seminário menor de São José,prefeito de disciplina no Seminário maior, capelão do Colégio São Paulo, docente de Teologia na PUC, diretor do Instituto Superior de Teologia e membro da Comissão para o Diaconato Permanente.

Manoel Theophilo Neto. O 10º GAC de boa vista recebeu denominação de seu histórico. nome. GenGen Manoel Theóphilo Neto. O 10º GAC SL SL de Boa Vista recebeu seua nome e o esdantarte Homenagem contou com a presença dos Theophilo Theóphilo que honram o Ceará. Adenominação denominação do do10º 10ºGrupo Grupo de deArtilharia Artilharia de CamA panha Selva de Grupo Gen. Gen. Manoel Manoel Theóphio Theophio Neto, panha ocorreu ee m m 14.04.2015, 14.04.2015, em em Boa Boa Vista, Vista, em em solenidade solenidade ocorreu presidida pelo peloComandante ComandanteMilitar Militarda daAmazônia, Amazônia, Gal de presidida Ex Guilhefrme GuilhefrmeCals CalsTheóphilo Theóphilo Gaspar Gaspar de de Oliveira, Oliveira, em Ex 14.04.2015, presentes todos os seus irmãos os generais generais 14.04.2015, presentes todos os seus irmãos os da ativa, Theophilo Gaspar de Oliveira da ativa,Gal GalDiv BgaEstevam Estevam Theóphilo Gaspar de Oli-, e os daereserva ,Cel Henrique Cesar Cals Gaspar de Oliveira, os da reserva, Cel Henrique César Cals Gaspar veira, Gen Bga. Manoel Theophilo Gaspar de Oliveira, de Oliveira, Gen Bga. Manoel Theóphilo Gaspar dee Cel José Theophjilo Gaspar de Oliveira e Cel Alexandre Oliveira, e Cel José Theóphilo Gaspar de Oliveira e Cel Cals Theophilo Garpas de Garpas Oliveira. Alexandre Cals Theóphilo de Tambem Oliveira.presentes Também os filhos dos filhos dos são oficiais do oficiais Exercito. presentes os filhos filhos são do Exército. Nos eventos de Boa Vista foi muito hmaneageada hmaneageada Nos eventos de Boa Vista foi muito sra.Maria Mariade deLurdes Lurdes Cals Cals de de Oliveira, Oliveira, d. d. Malude, Malude, aa sra. viúva do gal Manoel Theopho Neto a quem chamava viúva do gal Manoel Theóphilo Neto a quem chamava de Manoelzinho e que teve relevante papel na e criação de Manoelzinho e que teve relevante papel na e criação e formação dos filhos e formação dos filhos. Estiveram presentes ao evento o sr Francisco VilebalEstiveram presentes aoUnião eventono o sr Francisco Vilebaldo, Procurador Chefe da do,estado Procurador Chefe odaGen União no estado de Roraima, de Roraima, MANSUR, comandante da o1ªGen Mansur, comandante da 1ª Bda de Infantaria, o Bda de Infantaria ,o sr. Juiz Luís Fernando Castanheira sr. Juiz Luís Fernando Castanheira Mallet, tetraneto de MALLET, tetraneto de Emílio Luís Mallet, patrono da Emílio arma deLuís Mallet, patrono da arma de Artilharia do Expercito. Obrigado pela presença, enobrece ainda Artilharia do Expercito.. Obrigadoque pela presença, que mais a nossa. enobrece ainda mais a nossa O do 10º. 10º.GAC GACSL, SL,Caros Caros companhei\Ocomandante comandante do companheiros, ros, camaradas doGrupo 10º Grupo de Artilharia de Campacamaradas do 10º de Artilharia de Campanha, Ten nha, Ten Cel André Luizsaudou ÍSOLA, saudou seusafirmando: soldados Cel André Luiz ÍSOLA, seus soldados afirmando: Selva: AUNE! SELVA NOS UNE! (Tudo– “de Selva: A“de SELVA NOS (Tudo pela Amazônia pela Amazônia –oSELVA!)”Citou o Marechal SELVA!)”Citou Marechal Rondon; “Eu nada Rondon; fiz. Tudo “Eu nada fiz. pelos Tudo meus foi realizado pelos meus valorosos foi realizado valorosos auxiliares. O que eu auxiliares. O que eu fiz, qualquer fiz, qualquer um poderia ter feito”.um poderia ter feito”. Lembrou Lembrou a figura do do Gal Gal Manoel Manoel Theóphilo Theophilo Neto: “Estamos “Estamos falando, falando, senhoras e senhores, de um homem incomum, de de virtudes virtudes raras, patriarca de uma família incomum, diferenciada ee chefe chefe militar militar exemplar. exemplar.Muito diferenciada Muito antes de atingir oo generalato, generalato, obteve obteve autorização para usar um atingir cavanhaque, mantendo a tradição tradição de seus seus antepassados antepassados cavanhaque,

Ceará em Brasília

que que serviram serviram lealmente lealmente àà Nação Nação desde desde os os tempos tempos do do Brasil Império, época em que os oficiais ainda Brasil Império, época em que os oficiais ainda podiam podiam usar Essatradição tradiçãofamiliar familiar permanece atédias os usar barba. Essa permanece até os dias de hoje, e constitui umaexceção, rara exceção, o que nos de hoje, e constitui uma rara o que nos permite permite a nobre do linhagem do velho e atestar a atestar nobre linhagem velho General e seuGeneral merecido seu merecido prestígio no seioBrasileiro”. do Exército Brasileiro”. prestígio no seio do Exército OOTem homenageou também a TemCel CelAndré AndréLuiz LuizIsola [Isola homenageou também a viúva GalManoel ManoelTheóphilo Theophlo Neto, Netp, Dona DonaMaria Maria de de viúva dodo Gal Lourdes,lembrando lembrando que que ““constituiu constituiu uma uma família família sólida sólida Lourdes, coesa.De Deseus seusoito oitofilhos, filhos,todos todosos osmeia-dúzia meia-dúzia homens homens eecoesa. seguiram oo exemplo exemplo do do pai, pai, tornando-se, tornando-se, igualmente, igualmente, seguiram oficiaisde deArtilharia. Artilharia.Todos Todosserviram serviramno no10º 10ºGAC, GAC, sendo sendo oficiais que quatro deles comandaram o Grupo em Fortaleza, que quatro deles comandaram o Grupo em Fortaleza, queno nofinal finalde de2001 2001foi foitransferido transferidopara paraBoa BoaVista. Vista. Três Três que atingiram oo generalato, generalato, ee um um destes destes hoje hoje ocupa ocupa oo posto posto atingiram máximo da da carreira. carreira. máximo “Estamos homenageando, talvez máximo de “Estamos homenageando, talveznum numnível nível máximo

reconhecimento e justiça, um chefe militarmilitar honrado, solde reconhecimento e justiça, um chefe honradadosoldado de corpodee corpo alma, que dedicou vida à sua Artilharia, do, e alma, quesua dedicou vida à ao 10º GAC, e ao Brasil.Nos de 1961 Artilharia, aoao 10ºExército GAC, ao Exército e aoidos Brasil. Nos a 1964, quea o1964, Brasilem se encontrava mergulhando a idos de em 1961 que o Brasil se encontrava cada dia mais fundodia namais instabilidade o mergulhando a cada fundo nainstitucional, instabilidade então Coronel Manoel Theophilo Neto tomou posições institucional, o então Coronel Manoel Theóphilo Neto firmes eposições corajosasfirmes contraepolíticos corruptos que tentavam tomou corajosas contra políticos corarrastarque o Brasil para oarrastar pântanoodo comunismo. ruptos tentavam Brasil para o pântano causa disso, foi injustamente punido e transferido do “Por comunismo. para guarnições onde ninguém queria servir, o queecausou “Por causa disso, foi injustamente punido transainda mais vida da Mas, convicto ferido para transtornos guarnições para ondea ninguém queria servir,deo seuscausou posicionamentos defesa dospara valores democrátique ainda maisem transtornos a vida da Mas, cos, ele mesmo dizia que encarava aquelas punições como convicto de seus posicionamentos em defesa dos valores elogios. Certamente isso tudo contribuiu para temperar democráticos, ele mesmo dizia que encarava aquelas ainda mais o aço punições como elogios. Certamente isso tudo contribuiu que constitui a essência do espírito militar da família. para temperar ainda mais o aço que constitui a essência Hoje se cumpre uma espécie de profecia do velho Genedo espírito militar dadefamília. Hojequando se cumpre uma esral. Em suas palavras despedidas, deixou o Copécie de profecia do velho General. Em suas palavras mando do 10º GAC no ano de 1970, ainda em Fortaleza, de quando deixou o Comando do 10º GAC eledespedidas, disse: “O espírito desta Unidade jamais desaparecerá. no ano de 1970, ainda em Fortaleza, ele disse: “O espíMudarão seus Artilheiros, mas o Grupo nunca mudará.” ritoEdesta Unidade jamais desaparecerá. Mudarão seus aqui estamos, General Manoel Theophilo Neto, Artilheiros, mas oque Grupo nunca mudará.”diferenciada e na sua Unidade, continua a mesma, E a quiem estamos, Manoel Theóphilo Neto, vibrante, mais umGeneral dia de festa, de júbilo, de alegria. na sua Unidade, que continua a mesma, diferenciada Onde quer que o senhor esteja, temos certeza de que seue vibrante, mais um de presente, festa, de júbilo, de alegria. espírito deem soldado estádia aqui nos olhando com Onde quer que o senhor esteja, temos certeza que seu orgulho e benevolência, relembrando as belasdejornadas espírito de soldado está aqui presente, nosnão olhando vividas no seu Grupo.Por isso, General, vamoscom lhe orgulho e benevolência, relembrando as belas jornadas oferecer flores: os grandes soldados não morrem! Ao vividas no seu Grupo.Por General, vamos lhe invés disso, vamos colocarisso, junto ao bustonão o seu Bastão oferecer flores: grandes morrem! de Comando, tãoosnobre e tãosoldados honrado.não Dessa forma,Ao de invés disso, vamos colocar junto ao busto o seu Bastão maneira simbólica mas extremamente significativa, o de Comando, tãoTheophilo nobre e tão honrado. Dessa de General Manoel Neto, patrono destaforma, Unidade, maneira simbólica masno extremamente significativa, passa a estar novamente Comando, presente para todao a eternidade, contagiando-nos com seu exemplo de vida, General Manoel Theóphilo Neto, patrono desta Unidade, de lutaaeestar de vitórias. passa novamente no Comando, presente para toda a eternidade, contagiando-nos com seu exemplo de vida, de luta e de vitórias.

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

15

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Fortaleza já tem uma bela estação marítima de passageiros, a exemplos das cidades europeias que estão nas escalas =das grandes empresas de cruzeiros marítimos, como a MSC e a Costa, italianas. A MSC já ancorou no Porto do Mucuripe, no final da temporada de 2014, um dos seus maiores e mais modernos navios, o Precioza, com 3.500 passageiros e 1.500 truipulantes. Dizia-se que Mucuripe não teria calado para grandes navios de cruzeiros. Agora tem e tem uma bela estação de passageiros. Santos e Rio de Janeiro recebem muito mal os passageiros de cruzeiros. Salvador somente agora inaugurou mal e porcamente uma estação. Recife não tem como receber o mesmo ocorrendo com Ilha Bela e Búzios. Nâo se sabe porque os navios não aportam em Santa Catarina < Paraná e Rio Grande do Sul, estados que são emissores de passageiros. A MSC e a Costa já anunciaram que na temporada de 2015 seus navios, inclusive o Splendida, da MCS, do mesmo porte do Precioza, passará por Fortaleza. As autoridades do Ceará entretanto devem concluir o acesso a estação marítima que é muito ruim. Um pouco de boa vontade e tjudo vai melhorar. Outra questão é a prefeitura ou o governo do Estado colocar a disposição dos turistas um transporte alternativo do navio ao Mercado Central de Fortaleza, passando pela Beira mar. Pode cobrar até 1 euro por pessoa. Comisso evitaria que a MSC cobre 20 euros para levar o turista até o Mercado Central. O Mercado Central deve montar uma estratégia para receber os passageiros de cruzeiros.

Fevereiro/15 Abril/15

16

Palestrantes elucidam as origens do Estado Islâmico no Uniceub em Brasília Professores do curso de Relações Internacionais do UniCEUB apresentaram palestra nos campi de Taguatinga e da Asa Norte, no dia 14 de abril. O professor Luciano Muñoz contextualizou, historicamente, a origem do Estado Islâmico, o professor Raphael Spode expôs as razões para o seu surgimento, e a professora Aline Thomé explicou o que ele é geopoliticamente. O professor Luciano levantou a questão: “É possível entender o Estado Islâmico com os nossos olhos?”. Logo em seguida, contextualizou o conflito entre os ocidentais cristãos e os muçulmanos. Os árabes uniram-se aos ingleses na Primeira Guerra Mundial, com a promessa de criar um país que seria a unidade dos muçulmanos. A compreensão de soberania dos ocidentais dividiu os árabes sob o domínio inglês e o francês, o que gerou a Síria e o Iraque. O professor crê que o Estado Islâmico não pode ser compreendido pelos ocidentais, mas sua ascensão é um convite à autocrítica. Em seguida, o professor Raphael falou sobre a ausência de afeto nas políticas ocidentais, cujo pensamento racional exportou-o para o oriente. Segundo ele, os governos são instrumentais e frios, o que gera indivíduos

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

com carências emocionais em relação a seus representantes. De acordo com Spode, o afeto é o que motiva as pessoas para a rotina, é a razão para as ações. O distanciamento emocional da política faz os jovens procurarem o oriente exótico, místico e acolhedor. Essa visão foi cunhada com base na soberania do ocidental, que colocou, no oriental, a imagem do diferente. “Nós somos reféns de uma mentalidade que nós construímos”, concluiu o professor. A professora Aline inverteu a imagem de que as pessoas no Estado Islâmico são “os outros”. Segundo ela, o uso da internet e de outros recursos tecnológicos é prova de que elas são racionais. A professora reviu os conceitos de terrorismo e apontou que ele não é praticado apenas pelos orientais; além disso, observou que qualquer ocidental pode converter-se ao islamismo e que quase metade dos combatentes – aproximadamente 12 mil, entre mais de 31 mil – tem origem ocidental. Como exemplo, a professora citou o caso de Kaique, um jovem de Formosa, GO, que foi preso na Espanha, sob a suspeita de fazer parte do Estado Islâmico Por: Vinícius Brandão, 5º semestre de jornalismo

Ceará em Brasília

Foto: Jonas Pereira

Grandes navios farão cruzeiros em Fortaleza já no verão de 2015


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Camilo Santana entregou Medalha da Abolição a Maria da Penha, Fausto Nilo e dr José Huygens “A definição dos agraciados deste ano me levou a pensar em quantos cearenses fazem diferença nas suas ruas, bairros, localidades e cidades com ações que nem sempre são visíveis, mas que são fundamentais para mantermos nossas crianças nas escolas, ou prevenir doenças, ou melhorar a qualidade de vida de nossos irmãos e irmãs”. Foi assim, ampliando o foco para todos os cearenses, que o governador Camilo Santana exemplificou o perfil dos três homenageados com a Medalha da Abolição de 2015: o arquiteto, compositor e poeta Fausto Nilo; a farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, que empresta seu nome à Lei Maria da Penha; e o médico responsável pelo programa de transplante de fígado no Estado, José Huygens Parente Garcia. Os três receberam a maior comenda concedida pelo Estado do Ceará das mãos do governador e da vice-governadora, Izolda Cela, em solenidade realizada no Palácio da Abolição, em 25.04. Recebendo a Medalha da Abolição das mãos do governador Camilo Santana e da vice-governadora Izolda Cela, trazida por jovens estudantes do Colégio da Polícia Militar do Estado, Maria da Penha Maia Fernandes destacou a importância da luta feminina, comparando a causa com dias passados. “Hoje somos outros abolicionistas lutando contra outro tipo de escravatura. A violência doméstica escraviza mulheres a uma vida de medo, de dor. Mas hoje não precisamos mais sofrer caladas. Dedico essa medalha a todas as mulheres que lutam por essa alforria. Considero que esta comenda representa a Lei Áurea para as mulheres do Brasil. E que hoje lutemos com a mesma força de abolicionistas de outrora”, disse. Fausto Nilo relembrou vários momentos da infância, de pessoas que marcaram a sua vida, e pontuou que é justamente o contato com as pessoas que o levou onde chegou: “Há muitos conterrâneos que se vêem em mim, e acho que isso é fruto de um compartilhamento. O grande mérito que tenho para receber a Medalha da Abolição foi perceber que, a partir da vivência na cidade, é possível fazer arte, seja para projetá-la ou para cantar as belezas dela como poesia. Me considero um sujeito de sorte. Dizem que a vida é feita de oportunidade, um pouco de talento e sorte, e agradeço por ter conhecido essas pessoas, agradeço ao Estado do Ceará, na pessoa do governador Camilo Santana, por essa homenagem”. Dr.José Huygens Parente Garcia, por sua vez, relembrou a infância humilde e de toda a dedicação que teve no início de carreira quando, atendendo a pacientes mais carentes, se incomodava com o alto índice de óbitos pela não existência de transplante de fígado no Estado e lutou para mudar esse quadro. “Nascido na cidade do Crato, crescido no Sítio Buriti, em Santana do Cariri, não estaria aqui sem os esforços dos meus pais, que não mediram trabalho para me tirar da vida agrícola. Hoje, o Hospital Universitário Walter Cantídio foi o centro que mais realizou transplantes na América do Sul. Esse fato é motivo de orgulho e patrimônio para o Ceará, terra da luz que, mesmo com as dificuldades que conhecemos, mostra que podemos fazer a diferença”, disse. A medalha A comenda, instituída em 1963, reconhece o trabalho relevante de brasileiros para o Estado do Ceará ou para o Brasil. Com os três agraciados de 2015, 158 personalidades do País foram homenageadas. A escolha é feita por uma comissão, instituída em um decreto. Essa comissão avalia o conjunto de nomes e resolve conceder, dentre esses nomes, a medalha para aqueles que mais se destacaram.

Ceará em Brasília

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

17

Abril/15 Fevereiro/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Leituras IX (*) Regina Stella Voltei. Revi as velhas ruas, antes largas, imponentes, jovens, na moçada que ali fazia o seu roteiro, e agora estreitas, esburacadas, decrépitas. Voltei à minha rua de menina. As casas, antes senhoriais mansões, perderam altura, e espremidas pela tirania dos anos afinaram, magrelas, e, de pé, assistem impassíveis a passagem do tempo que já não lhes pertence. A nobreza sumiu, e dela, apenas os portões enferrujados mandaram lembranças. O que foi feito das calçadas? Reduziram-se a duas compridas tiras de cimento cinza e tão finas que, obrigada, desci o meio-fio quando um grupo de rapazes, em gestos largos e informais, passou por mim, alheio ao pequeno espaço que restava às minhas passadas, cantando reminiscências. Ali, na Semana Santa, o casarão da esquina, tão bonito, abria as portas quando a procissão passava, e a curiosidade da menina se esticava no olhar comprido, no desejo de descobrir as mil e uma noites fechadas o ano inteiro nas paredes azuis. Hoje, pesados sofás, geladeiras, fogões, se oferecem à multidão que passa, apressada, tagarelando. Desceram do pedestal, da escadaria de mármore, as casas orgulhosas, sempre cerradas, longe do burburinho, do povo, no domínio só seu de cortinas douradas. No lugar dos salões e dos amplos quartos,

Minha rua de menina

um estacionamento público, quem diria melancólico fim?tomou-lhes a vez, dando guarida aos lustrosos carros importados. Da minha casa, silenciosa e amiga, testemunha de velhas histórias, nada restou.Ah! o corredor comprido com a minha escrivaninha, preciosidade entalhada, presente da bisavó, guardando bilhetes, cartas e versos. Na sala, o piano, “Dorner”, incansável, e martelando o” Czerny”, o “Beringer”, sempre aquiescendo, aceitando com paciência tanto o “ Pianista Virtuoso” quanto a “ Patética” de Beethoven .Nos quartos, a cama grande, os santuários, as redes brancas, o armário que, de tão grande, guardaria a roupa de um convento inteiro. No teto muito alto, entre as telhas- vãs, a luz descia pelas clarabóias, onde fixando o olhar, em total alheamento, a menina, adolescente, tentava ver além, o que viria nos anos do depois. A sala de jantar, cerimoniosa, se tornava afável apenas em dias especiais, Aniversário e Primeira Comunhão, e logo depois, a copa muito amiga, sua mesa de três metros, o aparador, guardador de quinquilharias, onde nas gavetas, por milagre, tudo podia se encontrar, agulha, cordão, tesoura, barbante,linha,cadarço. Por ali, do alto, a casa espiava o quintal , o pés de seriguela, as bananeiras, os pés de ata, os mamoeiros, o pombal, e nos janelões que se abriam, as orquídeas lilás ofereciam beleza, o ano

inteiro. Ah! no espaço vazio, os fantasmas amigos gritaram quando eu passei na calçada. Nas tábuas que se erguiam guardando a nova construção, delimitando fronteiras, o número 929 ainda ali estava, como velho guardião, no seu posto, negando-se à retirada. Seguindo, vi as reminiscências se escondendo nas portas desbotadas, descascadas, da minha rua de menina, agora de todos, nas idas e vindas intermináveis do comércio,da multidão trançando o dia inteiro numa troca sem fim. Voltei e fui quase esmagada no peso do vazio, do que não restou de tempos amigos. Para onde vão, em que lugar se aquietam os sonhos, em que país vão morar os dias de ontem? Nos rostos que não vi, nas vozes que não escutei, nas risadas que não ouvi, deixei minhas saudades. Cabisbaixas, silenciosas, mudas,quedaram-se sofrendo como eu, pesadas de dor. No fim do quarteirão, suspirei , tanta a pressão na alma. Olhei o céu. Na esquina, uma árvore amiga de outros tempos se balançava e ria, num vaivém de braços dados com o vento. Aprendi a lição e guardei a tristeza. Estendi minha mão ao presente que passava, e caminhando firme seguimos rindo, os dois, também de braços dados, brincando com o hoje e o agora. (*) Regina Stella (Fortaleza), jornalista e escritora

Evasão fiscal anual no Brasil ‘equivale a 18 Copas do Mundo’ Mesmo antes da disparada na cotação do dólar, US$ 280 bilhões já seria um número impressionante. Segundo uma pesquisa da Tax Justice Network (rede de justiça fiscal, em tradução livre, organização internacional independente com base em Londres, que analisa e divulga dados sobre movimentação de impostos e paraísos fiscais), este é o montante que o Brasil teria perdido, apenas em 2010, com a evasão fiscal - em 2011, ano de divulgação do estudo, isso equivalia a R$ 490 bilhões. O número vem de estimativas feitas com base em dados como PIB, gastos do governo, dimensão da economia formal e alíquotas tributárias. Segundo um dos pesquisadores da organização, estudos sobre evasão fiscal mostram que as estimativas do que deixa de ser arrecadado leva em conta também a economia informal. O valor coloca o Brasil atrás apenas dos Estados Unidos numa lista de países que mais perdem dinheiro com evasão fiscal. É 18 vezes maior que o orçamento oficial da Copa do Mundo de 2014 e quase cinco vezes mais que o orçamento federal para a Saúde em 2015, por exemplo. É bem maior que os R$ 19 bilhões que a Polícia Federal acredita terem sido desviados da União por um esquema bilionário de corrupção envolvendo um dos principais órgãos do sistema tributário brasileiro, o Carf - a agência responsável pelo julgamento de recursos contra decisões da Receita Federal, e que é o principal alvo da Operação Zelotes. Mas para diversos estudiosos da área, a deflagração da ação policial pode representar o momento em que a sonegação ocupe um espaço maior nas discussões sobre impostos no Brasil, normalmente dominadas pelas críticas à carga tributária no país. “A operação Zelotes mostrou que grandes empresas são pegas (em esquemas de sonegação) e têm grandes valores de dívidas. Mostrou ainda que não há constrangimento em

Fevereiro/15 Abril/15

18

pagar ‘consultorias’ que lhes assessorem em seus pleitos. A evasão fiscal é um problema muito mais grave do que a corrupção, não apenas por causa do volume de dinheiro envolvido, mas porque é ideologicamente justificada como uma estratégia de sobrevivência”, disse à BBC Brasil uma fonte da Receita Federal. Paraísos fiscais O Banco Safra teve escritórios devassados por investigadores da Operação Zelotes Pesquisador da Tax Justice Network, o alemão Markus Meinzer, aponta também para estimativas da entidade,

igualmente baseadas em dados de 2010, de que os super-ricos brasileiros detinham o equivalente a mais de R$ 1 trilhão em paraísos fiscais, o quarto maior total em um ranking de países divulgado em 2012 pelo grupo de pesquisa. “Números como estes relacionados aos paraísos fiscais mostram que o grosso do dinheiro que deixa de ser arrecadado vem de grandes fortunas e empresas. Por isso a operação da receita brasileira poderá ser extremamente importante como forma de tornar o assunto mais público”, acredita Meinzer. O pesquisador acredita que a discussão é crucial para debates políticos no Brasil. Cita especificamente como exemplo o debate sobre os gastos sociais do governo da

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

presidente Dilma Rousseff, um ponto contencioso em discussões públicas no Brasil. “A verdadeira injustiça não está nas pessoas que usam benefícios da previdência social, mas as pessoas no topo da pirâmide econômica que simplesmente não pagam imposto. Pois isso é o que força governos a aumentar a taxação para os cidadãos. Alguns milhares de sonegadores milionários fazem a vida de milhões mais difícil”. Autor de Ilhas do Tesouro, um livro sobre a proliferação dos paraísos fiscais e esquemas de evasão de renda que rendeu elogios do Nobel de Economia Paul Krugman, o britânico Nicholas Shaxson, concorda com a atenção que a Operação Zelotes poderá despertar junto ao grande público, em especial sobre a bandeira da justiça fiscal. “Nos países europeus, a crise econômica de 2008 mobilizou o público para questões como esquemas de evasão fiscal, incluindo sistemas de certa forma encorajados pelo governo, como os impostos de multinacionais. Falar em impostos é um tema delicado politicamente, mas que se transformou em algo instrumental em campanhas políticas. O Brasil, que agora passa por um momento econômico mais delicado terá uma oportunidade de abordar esse assunto de forma mais generalizada”, diz Shaxson. “O princípio de justiça fiscal é uma bandeira de campanha interessante. Na Grã-Bretanha, por exemplo, já não é mais exclusivamente restrito a uma parte do espectro político. E mostra que não adianta você insistir naquela tese de ‘ensinar a pescar em vez de dar o peixe’ quando alguns poucos são donos de imensos aquários”, completa o britânico, numa alusão à expressão usada para criticar programas assistenciais como o Bolsa-Família. Fernando Duarte da BBC Brasil em Londres

Ceará em Brasília


acesse o site: www.casadoceara50anos.com.br

Leituras X

Culinária

O escritor Pedro Nava parafusava os móveis de sua casa a fim de que ninguém os tirasse do lugar. Gilberto Freyre nunca manuseou aparelhos eletrônicos. Não sabia ligar sequer uma televisão. Todas as obras foram escritas a bico de pena, como o mais extenso de seus livros, Ordem e Progresso, de 703 páginas. Euclides da Cunha, Superintendente de Obras Públicas de São Paulo, foi engenheiro responsável pela construção de uma ponte em São José do Rio Pardo (SP). A obra demorou três anos para ficar pronta e, alguns meses depois de inaugurada, a ponte simplesmente ruiu. Ele não se deu por vencido e a reconstruiu. Mas, por via das dúvidas, abandonou a carreira de engenheiro. Machado de Assis, nosso grande escritor, ultrapassou tanto as barreiras sociais bem como físicas. Machado teve uma infância sofrida pela pobreza e ainda era míope, gago e sofria de epilepsia. Enquanto escrevia Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado foi acometido por uma de suas piores crises intestinais, com complicações para sua frágil visão. Os médicos recomendaram três meses de descanso em Petrópolis. Sem poder ler nem redigir, ditou grande parte do romance para a esposa, Carolina. Graciliano Ramos era ateu convicto, mas tinha uma Bíblia na cabeceira só para apreciar os ensinamentos e os elementos de retórica. Por insistência da sogra, casou na igreja com Maria Augusta, católica fervorosa, mas exigiu que a cerimônia ficasse restrita aos pais do casal. No segundo casamento, com Heloísa, evitou transtornos: casou logo no religioso. Aluísio de Azevedo tinha o hábito de, antes de escrever seus romances, desenhar e pintar, sobre papelão, as personagens principais mantendo-as em sua mesa de trabalho, enquanto escrevia. José Lins do Rego era fanático por futebol. Foi diretor do Flamengo e chegou a chefiar a delegação brasileira no Campeonato Sul-americano, em 1953. José Lins do Rego foi o primeiro a quebrar as regras na ABL, em 1955. Em vez de elogiar o antecessor, como de costume, disse que Ataulfo de Paiva não poderia ter ocupado a cadeira por faltar-lhe vocação. Aos dezessete anos, Carlos Drummond de Andrade foi expulso do Colégio Anchieta, em Nova Friburgo (RJ), depois de um desentendimento com o professor de português. Imitava com perfeição a assinatura dos outros. Falsificou a do chefe durante anos para lhe poupar trabalho. Ninguém notou. Tinha a mania de picotar papel e tecidos. “Se não fizer isso, saio matando gente pela rua”. Estraçalhou uma camisa nova em folha do neto. “Experimentei, ficou apertada, achei que tinha comprado o número errado. Mas não se impressione, amanhã lhe dou outra igualzinha.” Numa das viagens a Portugal, Cecília Meireles marcou um encontro com o poeta Fernando Pessoa no café A Brasileira, em Lisboa. Sentou-se ao meio-dia e esperou em vão até as duas horas da tarde. Decepcionada, voltou para o hotel, onde recebeu um livro autografado pelo autor lusitano. Junto com o exemplar, a explicação para o “furo”: Fernando Pessoa tinha lido seu horóscopo pela manhã e concluído que não era um bom dia para o encontro. Érico Veríssimo era quase tão taciturno quanto o filho Luís Fernando, também escritor. Numa viagem de trem a Cruz Alta, Érico fez uma pergunta que o filho respondeu quatro horas depois, quando chegavam à estação final. Clarice Lispector era solitária e tinha crises de insônia. Ligava para os amigos e dizia coisas perturbadoras. Imprevisível, era comum ser convidada para jantar e ir embora antes de a comida ser servida. Monteiro Lobato adorava café com farinha de milho, rapadura e içá torrado (a bolinha traseira da formiga tanajura), além de Biotônico Fontoura. “Para ele, era licor”, diverte-se Joyce, a neta do escritor. Também tinha mania de consertar tudo. “Mas, para arrumar uma coisa, sempre quebrava outra.” Manuel Bandeira sempre se gabou de um encontro com Machado de Assis, aos dez anos, numa viagem de trem. Puxou conversa: “O senhor gosta de Camões?” Bandeira recitou uma oitava de Os Lusíadas que o mestre não lembrava. Na velhice, confessou: era mentira. Tinha inventado a história para impressionar os amigos. Foi escoteiro dos nove aos treze anos. Nadador do Minas Tênis Clube, ganhou o título de campeão mineiro em 1939, no estilo costas. Guimarães Rosa, médico recém-formado, trabalhou em lugarejos que não constavam no mapa. Cavalgava a noite inteira para atender a pacientes que viviam em longínquas fazendas. As consultas eram pagas com bolo, pudim, galinha e ovos. Sentia-se culpado quando os pacientes morriam. Acabou abandonando a profissão. “Não tinha vocação. Quase desmaiava ao ver sangue”, conta Agnes, a filha mais nova.

Bar dos Cunhados Pedro Prado e Paulo Prado Donos (Hidrolândia) . Garçons: Raimundo Vieira(Viçosa do Ceará), Edmilson Bezerra,(Poranga), Johnson de Souza e Raimundo Pacheco (Santa Quitéria). CLN 115 BL B lj 21- Asa Norte 70772520Tel(61) 3274-7805. Bar dos Cunhados no Tênis do Iate Clube Damázio Prado (Hidrolândia) arrendatário – 3379 88763 - Setor de Clubes Esportivos Norte Trecho 2 Conj 4 -70800-120 Bar dos Cunhados Veleiro no Iate Clube Antonio Prado (Hidrolandia) arrendatário 3329 8761 e 3323 4207 Bartolomeu SHCS Quadra 409 bloco C loja 06 Asa Sul 70257-180 - 3442 1169 Chefe de Cozinha: Manoel Facundo de Almeida (Boa Viagem), Maitre e sommelier: José Felismino(Cintra Netro) (Fortaleza), Cozinheiros: Francisco Leonardo Nascimento (Bela Cruz) e Jose Alex Facundo de Almeida (Boa Viagem) Beirute Sul Proprietário Francisco Martins (Ipu) SCLS109 Bloco”A” Loja 2/4 – Asa Sul /3244 1717 Beirute Norte Maitre Bartolomeu Martins (f.cearense, Brasília) Coco Bambu – Frutos do Mar Gerente Geral Eilson Studart (Fortaleza) SCES Trecho 02, Conjunto 36, Parte CÍcone Parque/ 70200-002 Tel3224 5585 Brasília Shoping SCN Qd 05 BL.A , 70715-900 - Tel 3038.1818 Baby Beef Rubaiyat - Brasília Maitres: José Itamar Ferreira Gomes (Acaraú) , Silva (Ubajara) e Manoel Adilson Rodrigues (Jijoca), Garçons: Luis Neto Alves Sobrinho (Acopiara) e Antenor Neto Rodriges (Ibiapina), bar-men: Doniseti Ferreira Chaves (Ibiapina), Hernandes Freitas (Jijoca) e Gleison Ferreira da Silva (São Benedito), Recepcionista Viviane Bezerra da Silva (Ipueiras). SCES – Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 1, lote 1 A - Asa Sul - Tel 61. 3443.5000 Dom Francisco SCS 402 Bloco B Loja 09, 3224 1634 3226 1816 Gerente: Wilton Melo (Ipu); maitre : Valdemir Alves Souza (Sobral); garçon: Evandro Magalhães (Santa Quitéria) Dom Francisco ASBAC SCES Trecho 02 Conj 3226 2005 3224 8429 3223 5679 Garçons: Iran Matos (Independência), Antonio Melo (Independência) Antonio José Barbosa (Monsenhor Tabosa). Elisimar Barbosa Oliveira (Monsenhor Tabosa); barman Francisco Ricardo Ferreira Gomes (Nova Russas); cozinheiros: Romário Vieira Barreto (Tauá) Francisco das Chagas Gomes (Nova Russas) e Francisco Dermival dos Santos (Nova Russsas). Dona Graça Maitre – Carlos Ângelo Veras (Viçosa do Ceará) Vila Planalto, Acampamento Pacheco Fernandes Rua 07 casa 15 Vila PlanaltoTel 3032 1062 - 70804-270 Forneria Parole Maitre Antonio Carlos de Souza (Guaraciaba do Norte); garçon: José Gerardo de Azevedo (Guaraciaba do Norte); cozinheiros Juvêncio Fernandes Neto (Tauá), pizzaiolo Sinobilino Bezerra Neto (Tauá) e Adinaldo Fernandes Bezerra (Tauá). QI 9/10 Comércio Local Loja 39 Lago Norte - 3368 3337 Gero Gerente: Célio Freitas (Hidrolândia) SHIN C04 Lote A Loja 22 Térreo Iguatemi 3577 5522 8110 0209

Humor Negro e Branco Humor As Manias de cada um

Ceará em Brasília

Os Cearenses na Cozinha de Brasília

Galeteria Beira Lago Proprietário João Miranda Lima (Ipueiras) Gerente José Afonso Miranda Lima (Ipueiras). Maitre: Raimundo ,Chaves de Carvalho (Nova Russsas) garçons: Helio Martins de Melo (Nova Russsas) e Antono Alcimario (Pereiro(, churrasqueiro: Valdemar Araújo de Souza; serviços gerais: Joaquim Rodrigues Ferreira (Nova Russas) SCES Trecho. 02 conjunto 33, ao lado do PIER 21 Ki Filé Maitre – Maitre,Roberto Cavalcante (f.Cearense), Chefe de Cozinha, RaimundoCavalcante (Sobral). Gerente Eduardo Vasconcelos (f.Cearense), garçons: Francisco Souza (Sobral) e Raimundo Mourão (Nova Russas), cozinheiros Alessandro Loyola (Sobral) e Francisco Ferrreira (Granja) 405 Norte, bloco A - lojas 55/65/69 - (61)3274-6363 Libanus Proprietário Narciso Martins (Ipu) SCLS 206, Bloco “C”,loja 36 – Asa Sul / 3244 9795 Moqueca do Chefe 404 Norte, Bloco B, Loja 2 3201 5204 Dono e Maitre – Francisco Holanda (Cascavel) Moranguim Chefe de Cozinha Francisco da Silva (Icó) SHIN QI2, Área Especial, Quiosque 14., Lago Norte/21947641 Em frente a loja do Pão de Açucar. New Koto (comida japonesa) SQS 212 loja 20 - 3346 9668 Garçons: Francisco Olavo Aprigio, Francisco Antônio Souza, Gelinaldo Brito e Genildo Brito, todos de Guaraciaba do Norte, José Wilson (Boa Viagem), cozinheiro José Aurélio (Sobral), sushiman Joao Carlos Nascimento e o ajudante dele, Eridam Lopes e o ajudante de cozinha Francisco Alan, todos de Guaraciaba do Norte Oxente Carne de Sol Q 04, Conjunto J, Vila Buritis, Planaltina DF, 3389, 4005 - Copeiro Francisco das Chagas Aguiar (Sobral); -Pizzaiolo Narcelio Oliveira da Silva (Crateus); Cozinheira Edilza Maria (Fortaleza), ajudante de cozinha José Dalmir do Nascimento Sousa Prado(Sobral), -ajudante de cozinha Francisco Tadeu Prado Nascimento Sousa ( Sobral); Copeiro Manoel Bezerra Aguiar de Araujo ( Sobral) Pizzaria Primu’s Grill Dono: Chico Élcio (Sobral) Quadra 4. Conj, A Lt 60 – 9627 6430 Planaltina - 73.300-000 Praliné SCLS 205 Bloco A – Loja 03 – ASA Sul 70.235-510 – 3443 7490, 3443 7090 Garçons – Antonio Viana (Crateús), Jose Osmar Gabalia (Sobral), Francisco Edmar Alves de Souza (Ipueiras) . Caixa: Eliane Paiva (Groaíras) Recanto do Norte Donos: Eudes Braga Mesquita e Antônia (Toinha) Celeste Jorge Mesquita (Santa Quitéria) 409 Norte , Bloco B, Loja 65 – Tel 3271 8722 Taperas Restaurante Maitre – Francisco Tadeu de Oliveira (Iguatu) Sobreloja do Garvey Palace HotelTel 33 28 4265 Trindade Maitre Luciano Rodrigues (São Benedito) Chefe de Cozinha - Francisco Alves (Acaraú) SHCS Quadra 105, Bloco D Conjunto 35 0 Asa Sul/ 73.344-000 - Tel 3242 4039 Verde Perto Proprietário Carlos Pontes (Nova Russas) EPTG Chácara 56 sentido Taguatinga-Guará (ao lado do Posto de Polícia) 3567 8217

acesse o site: www.brasilia50anosdeceara.com.br

19

Fevereiro/15 Abril/15


acesse o site: www.casadoceara.org.br

Casa do Ceará entregará agasalhos a famílias Carentes de Brasília e Entorno A Casa do Ceará está arrecadando agasalhos para distribuição à comunidade carente do Distrito Federal e Entorno, em um evento beneficente que está pré agendado para o dia 20 de junho e terá a participação do SESC/ DF, Associação dos Filhos e Amigos de Aurora-AFA e Associação dos que Querem Bem a Sobral e ao Distrito Federal -AQQB, com apoio do grupo Cascol. Além da distribuição de agasalhos serão oferecidos diversos serviços a comunidade, como: Assessoria Jurídica, aferição de pressão, corte de cabelo, massagem, manicure e pedicure, odontologia e serviços médicos. Diversos postos para recepção de doações de agasalhos foram instalados em Brasília, especialmente nas lojas KSA, de Taguatinga, nas lojas da Só Reparos, no SIA, na 514 e na 404 Norte, nas Drogarias Messias de Ceilândia e Vicente Pires, na sede da Casa do Ceará na 910/Norte. O presidente da Casa do Ceará, Osmar Alves de Melo, afirmou que “A Casa fará bonito nas suas ações de assistência social e desta vez não será diferente. Na 1ª. Campanha do Agasalho atendemos mais de 600 pessoas carentes, selecionadas pelas instituições de assistência social do DF. Desta vez, pretendemos chegar a mil pessoas, mas ficaremos contentes se pudermos manter o nível de atendimento. Assim, confirmamos nossa solidariedade com as populações desassistidas”. Maiores informações pelos telefones 3533-3802/3808 com Sue Helen ou Jayslane.

Abril/15

20

Festa Junina da Casa do Ceará Será dia 13 de Junho

A Casa do Ceará manteve para 13 de junho a realização da tradicional festa junina, evento constante de sua programação social para a comunidade de Brasília e Entorno, especialmente os nordestinos e cearenses. “Nossas festas marcaram época, disse o presidente da Casa, Osmar Alves de Melo, Manteremos a tradição”.

Tiririca sempre foi homenageado pela Casa desde que ganhou de forma arrasadora seu primeiro mandato de deputado federal, por São Paulo. A Casa o defendeu de todas as perfídias assacadas contra ele, pelo fato de ser palhaço, humorista, cantor, e especialmente as odiosas discriminações por ser nordestino e cearense.

Os diretores da Casa Evandro Pedro Pinto (Fortaleza), de Adminstração e Finanças, Carlos Eurler Curlin Perpetuo (Joinville), de Planejamento, e JB Serra e Gurgel (Acopiara), de Comunicação Social, realizaram visita ao deputado Francisco Everardo da Silva, (Itapipoca), Tiririca, quando o convidaram a comandar a festa Junina da Casa de 2015.

Tiririca que recebeu os diretores da Casa, acompanhado de sua esposa, de suas filhas, do chefe de gabinete, Igor Alves da Cunha, do seu assessor, João Paiva, este cearense de Sobral, manifestou sua intenção de participar da festa Junina da Casa em 2015, solicitando ao chefe de gabinete que tentasse compatibilizar sua presença com sua agenda de shows e gravações.

acesse o site: www.facebook.com/casadoceara

Ceará em Brasília

Profile for shadown shadown

Jornal abril2015  

Jornal da Casa do Ceará

Jornal abril2015  

Jornal da Casa do Ceará

Profile for shadown21
Advertisement