Issuu on Google+

impressĂŁo

design

foto

GRaFIa

desenho


Revista de papel. GRaFIa #04 muito obrigado. Esta revista de papel é um pretexto para mostrar meu trabalho de design editorial e de ilustração e a extrema qualidade de impressão da Gráfica Odisséia. E só existe por que conta com a parceria de amigos que abraçam a ideia e contribuem com seus textos e suas imagens. Quero aqui agradecer Tamires Kopp, Marcelo Curia, Eduardo Aigner, Anderson Astor, Shaieny Souza, Betta Fernandez, Cristiano Silva, Loraine Luz e Raquel Diesel, heróis desta edição da Grafia. Também sou grato aos amigos que tem me ensinado muito e que, em algum momento, acreditaram no nosso potencial: Rafael Albuquerque, Rogê Antônio, Renato Guedes, Marina de Paris, Sinthia Mayer, Fabiane Pavani, Angélica Rizzi, Beth Bottini, Carlos Chaves, Liara Brites, Laura Rocha, Kauê Chamiso, Pedro Ferreira, Juliana Monteiro, Isaias Porto, Laís Chaffe, Pedro Haase, Vitor Necchi, Patrícia Comunello, Lúcia Scalco, Mauro de Quadros, Marcelo Ermel e Lúcia Pires. Por estes dias, quem tá sempre por perto é a Mariana Bertolucci, com quem faço a revista Bá, e a Adriana Zottis, que criou junto comigo a RevistaVirtual. Obrigado pela paciência. Por fim, à minha parceira de vida Adriana Carvalho, minha irmã Marivone Pereira e minha filha Laura Dreher, o meu mais profundo agradecimento. Jauros Rodrigues e Jussara Carvalho, obrigado por me mostrarem as coisas da terra. Não podem faltar aqui o Vinícius Shosseler, a Fabiane Paim e a Márcia Soares, parte da equipe do Paulo Esmério, da gráfica Odisséia. Eles fazem este conteúdo virar realidade. Obrigado.

auracebio pereira porto alegre :: agosto de 2016

g r a f i a é uma publicação da gr áfica odisséia em pa r c e r i a c o m t e r r a m a r e z o t t i s c o m u n i c a ç ã o editor

aur acebio pereir a MTB 8315 print24h@gmail.com FOTOS

Tamires kopp produção gr áfica

terr amar IMAGEM E CONTEÚdo impressão

gr áfica odisséia

ão

al t

defini ç im

m

folheiE a revista gr afia EM ZOTTISCOMUNICACAO.COM.BR pr

esso

e

Av. França, 954 – (51) 3303.5555 – web@graficaodisseia.com.br

a


Visão. Tato. Audição? Olfato? Encadernação. Tempo de visualização. Sequência de leitura, linear ou não. Ocupa espaço. Frente, lado, verso. Tem três dimensões, tem peso. Envelhece. Amarela. Pode ser roubada. Queimada. Riscada. Diferentes pesos de página, revestimentos, brilho ou opaco. Dá pra virar de cabeça pra baixo. Rasgar, levar um pedaço. Vê. Pega na mão. Abre, vira a página. Lê. Sente. Momento teu. Fecha. Guarda. Ou dá de presente. Experimente. Grafia. Revista de papel.


de tudo um pouco Nós cirandamos educação sem mordaça E DE

POR UMA

chapa

ATEMPA FORTE LUTA

o p o s i c, ã o

cartaz a3.indd 1

Estava lá eu em uma aula de Educação Artística, quando a professora me mostrou um desenho de um pintor famoso e me perguntou o que aquele desenho significava. Olhei e disse a ela: “Pra mim, são riscos e círculos.” Ela argumentou: ”Cristiano, nao são apenas riscos e círculos. É arte. Significa a expressão da realidade que uma pessoa sente ou que mostra.” Hoje, foi mais ou menos a mesma pergunta. Perguntei ao meu filho Pyetro o que ele estava rabiscando. E ele me disse: “Pai, estou desenhando eu e você! Agora sim sei o que é arte.

obrigado educação sem mordaça

gestão atempa 2016/2019 postal agradece.indd 1

29/07/16 19:52

- Manifesto -

2 chapa

educação sem mordaça

POR UMA ATEMPA FORTE E DE LUTA

Vivemos uma gigantesca crise econômica mundial, consequência do domínio do capital produtor de juros que nos impõe uma agenda neoliberal, aumentando, desta forma, a exploração sobre os trabalhadores e trabalhadoras. Nossa jovem democracia vive um golpe, articulado por interesses internacionais. Tentam caçar a vontade popular expressa nas urnas no último pleito.

#educacão

,

#seguimos em luta! Precisamos nos fortalecer, debater, construir alternativas coletivas e urgentes para que sejamos valorizados e valorizadas; para que tenhamos condições dignas de trabalho e segurança.

#nenhum direito

a menos!

cristiano costa

No Estado do RS, a situação não é diferente: a precarização total dos serviços prestados à população; o parcelamento de salários; a perda de direitos sociais e trabalhistas. Em Porto Alegre o Governo se submete a esse projeto e joga nas costas dos trabalhadores e trabalhadoras municipais a crise e a recessão. Essa crise não é nossa, não vamos pagar a conta!

sem mordac

a!

Não ao PL 124-2016 ! Não pode Somos cont mos perm ra qualquer itir retrocess projeto que expressão os! ameace a e a construçã liberdade o de uma de educação DEFEND emancipatór EMOS a educ ia. ação públ universal, ica, laica,dem plural e inclu ocrática, siva, que permanên garanta o cia a toda acesso e s e todos social, orige a independ m, raça/etni ente da sua a, deficiênc Avançar identidade na clas Reivindicar, se ias, orien de gênero tação sexu e toda e qual especificidad regulamentação al, mobilizar e quer dive e. rsidade e organizar a do ponto eletrônico,

,de #condicões ,

trabalho, salário e carreira!

FOTO DE káTIA MARkO

Hoje me deparei com uma cena dos tempos de colégio!

20/06/16 21:57

gestão de

categoria nas garantindo a # lutas salariais, autonomia de Avançar na buscando avanços defe funcionamento Apoiar e forta sa e garantia da Ges significativos nas tão Dem lecer os Con de cada unidade tica. especificas selhos Esco pautas ocrá lares. Defender a autonom das monitoras, de trabalho! ia peda e as

mocrática!

Manter a pauta dos nossos direitos para além do período da data base, para estarmos sempre organizados e fortalecidos enquanto categoria no enfrentamento de políticas que ameacem as conquistas sociais e trabalhistas.

gógica, os deliberações professoras SMED proje das comunid tos de trab alho ades esco e SME, lares.funcionários das escolas e das técnicas de nutrição. Queremos cons todas as esco truir uma ATEMPA forte e em las e profi contado diret ssionais. o como Propomos Dia uma ATEMPA propositiva DESCEN 30/06 TRALIZA e protagon ista, com para além forma o pa part o sicipa i c, ãDA,o de Vote da diretoria. ção de outr Defendem formação os colegas, os a cons , debates, trução de trocas de espaços experiênc 15/06/16 de 14:57 ias e açõe s.

#atempa em

Dialogar com a categoria sobre questões relevantes do cenário político, sustentando uma posição de defesa da democracia, dos direitos humanos e do respeito à diversidade.

X

TEMER r jamais

atempa 2.indd 1

nomin

todos os lu

gares!

2

ata

coordena dora gera l: Janize Teixeira Dua coordena rte dor gera l: Glau co Marcelo coordena Aguilar Dias dora gera l: Sinthia Mayer diretora de finan ças: Fab iane Pavani diretora de assu ntos sindi cais: Mar diretora cia Losada de impr ensa e divulgaçã o: Maria diretora Celeste da de assu ntos educ Silva Mar acionais tins : Vládia Paz diretora de saúd e e cond ições de trabalho diretora : Juliane de de admi nistração Paula Maz e organizaç ui ão: Már

cia Loguércio

atempa 2.indd

Curta a Cha pa no Facebook 2 - Educação sEm mor e assine daça o nosso manifesto. 2

Propomos construçã a cirandas o de da educação

O #mais cult

ura!

Criar a CIR AND com represen A DA CULTURA tantes por região que possam cons truir, junto à Atempa, espaços de trocas apro veitando a riqueza cultu ral nós, colegas, que temos entre também, entre os alunos e alun as.

opo

Dia 30/06


De quem é esta foto? A iluminação e toda a regulagem do equipamento foram feitas pelo camarada Tamires. Mas o figurino, o posicinamento marrento da cabeça e o clique final são meus.Independente do autor, a verdade é uma só: é muito difícil fotografar um profissional

karnal virtual Sua formação cruza História Cultural, Antropologia e Filosofia. E ele está em todos os lugares o tempo todo. Falando de ética, com mais de nove milhões de visualizações no seu canal no Youtube, onipresente em palestras e nas redes sociais, Leandro Karnal é professor na Unicamp, Graduado em História pela Unisinos (RS) e doutor em História Social pela USP. Ouvimos atentamente, em dois momentos, o que ele tem a dizer: no 9º Fórum Instituto Unimed/RS e no II Fórum CIEE Band de Ideias. Produzimos uma revista virtual de um dos eventos, mas sobrou conteúdo : ) . Com tantas frase de efeito anotadas no caderninho da Adriana Zottis, resolvemos compartilhar algumas aqui.

das imagens.O melhor jeito é pegá-lo desprevinido e usar todo o set que ele mesmo tenha preparado em alguma pauta. Tamires Kopp é o personagem principal desta Grafia #04. Criador do grupo de retratistas Baita Profissional, esta criatura tem o poder de reunir gente em torno de uma ideia. Se você não conhecia ainda o trabalho dele, a hora é agora. auracebio

pereira

“A religião aposta mais na felicidade pós-morte. A ética, na felicidade antes da morte” “Só aprendemos na crise. É ela que separa o profissional do amador.“

tamires kopp

“Educar é trabalhar o limite com afeto. Corrigir sem ser opressor. Amar o pecador e odiar o pecado” “Alguns dos maiores assassinos da história tiveram mães amorosas e pais atenciosos” chegamos a comentar que a bruna lombardi era mediadora em um dos eventos?

Tamires Kopp é fotógrafo, produtor e diretor. Vencedor de três Prêmios Abril de Jornalismo, trabalha como freelancer para diversas publicações nacionais e projetos institucionais. Em 2015, sofreu um acidente que o deixou 19 dias em coma. Desde então, a produção do documentário Amor e Morte, sobre a trajetória do roqueiro Julio Reny, em parceria com o diretor Fabrício Cantanhede, aguarda na gaveta.


h q


16

GRAFIA


GRAFIA

17


Receitas

raqueL ritter dieseL

Ambrosia da vovo

Bolinho de aipim 1 kg de aipim cozido em água e sal 1 colher de sopa de manteiga, sem sal Sal a gosto 2 colheres de sopa coentro fresco picado 2 colheres de sopa pimenta de bico picada Farinha de trigo Cozinhe o aipim em água com sal. Escorra totalmente a água do cozimento do aipim. Amasse-o ainda quente com um garfo. Deixe esfriar. Em uma tigela, misture bem todos os ingredientes até formar uma massa lisa. Se necessário, adicione farinha de trigo até que a massa comece a desgrudar da mão. Unte uma assadeira com um pouco de óleo. Coloque colheradas da massa e leve para assar. Acompanhado por salada de brotos - com redução de balsâmico - fica tri bom!

*

1 litro de leite 1kg de açúcar ½ xíc de água 12 ovos 8 unidades de cravo da índia 2 paus de canela 1 colher de sopa de vinagre de álcool Preparar uma calda, caramelizando 2 xícaras de açúcar com ½ xícara de água. Acrescente leite, vinagre, cravo e canela. Bata os ovos com o restante do açúcar e misture aos ingredientes da panela. Mexa delicadamente e deixe cozinhando, em fogo baixo, por aproximadamente 30 minutos, sempre mexendo.

Esta foto do Tamires Kopp está aqui pra ilustrar um pouco de como estamos planejando o livro de receitas & dicas da Abuelita, onde a Raquel Diesel vai contar pra nós um tantinho dos seus muitos segredos culinários.


INFORME COMERCIAL | 14 de outubro de 2009

INFORME COMERCIAL | 23 de setembro de 2009

Éa gota d`água

A corrente pelo bem No segundo dos oito cadernos especiais sobre atitudes que geram bem-estar e mais qualidade de vida, as informações sobre doação de órgãos e tecidos no Brasil servem como um convite para se pensar a prática da generosidade. Mais do que ser capaz de desapegar-se de algo, o exercício dessa virtude requer sensibilidade, a percepção daquilo que o outro está precisando. Mesmo que não se acerte de primeira, a tentativa é catalisadora. Acredite na corrente do bem.

INFORME COMERCIAL | 25 de novembro de 2009

INFORME COMERCIAL | 16 de dezembro de 2009

Contato imediato Este é o primeiro de oito cadernos sobre atitudes que geram bem-estar e mais qualidade de vida. Consciência ambiental não é o primeiro tema à toa. O planeta tem-se ressentido da nossa falta de ação. Por que você não toma uma atitude? Talvez essa seja uma resposta bem particular. Para ajudar na busca dela, conversamos com quem rompeu essa dificuldade de agir e tentamos explicar aqui o que se encontra do lado de lá – o lugar dos que compraram a briga e fazem sua parte, por menor que pareça.

impressão e design editorial # 02

À primeira vista, para uma criança crescer saudável, basta seguir um “manual”, que em geral é a soma de prover as necessidades básicas e fazer os estímulos adequados. Na prática, um detalhe faz toda a diferença: a qualidade do contato entre quem cuida e quem é cuidado. O quarto dos oito cadernos Unimed Espaço Vida faz uma visita ao universo infantil, a fim de frisar que o mais determinante para um crescimento saudável e feliz é a quantidade de amor que a criança recebe. Carinho faz bem à saúde. A recíproca será verdadeira. Quem cuida de uma criança tem a chance de (re)ver o mundo numa nova perspectiva. Porque volta a brincar. Das atitudes capazes de gerar bem-estar, esta é provavelmente a mais divertida. Entenda por quê.

Nos próximos dias, a correria de um ano inteiro pode virar caos. Quando nos damos conta, Natal ou Ano Novo é amanhã, e o tempo ficou curto para cumprir todas as exigências típicas dessas festas. Por isso, nas noites de confraternização pode faltar ânimo para fazer o mais esperado: relaxar. Até aqui, nenhuma novidade. No ano passado, foi a mesma coisa e você jurou que da próxima vez seria diferente. Hoje é dia 16, ainda dá tempo. O quinto caderno da série Atitudes que geram bem-estar cita as ansiedades dessa época para lembrar a importância de confiar. Em nós, nos outros, na vida. Não há nenhuma fórmula milagrosa aqui. Há, sim, duas dicas, uma para o corpo e outra para a alma: acalmese, respirando melhor, e compartilhe afeto com aqueles em quem confia. Assim, nas festas, os sorrisos sairão mais leves. Rir faz bem à saúde; imagine entre aqueles de quem gostamos e em quem confiamos?!

Tempo de acreditar

impressão e design editorial # 03

GRAFIA ImpRessão e desIGn edItoRIAl poRto AleGee bR AsIl #02 2008

Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 2012

Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 2013 Relatório de Administração 2014


Ar tes criadoas para estampas de roupas Ă  venda no site chamiso.com.br


be.net/auracebio


o mundo de

Me chamo Shaieny Souza. Em 2012, troquei a festa de 15 anos por uma câmera fotográfica. Parada em frente as prateleiras da coleção de Playmobil do meu pai, tive a ideia de testar a câmera. “Tenho a faca e o queijo na mão”, pensei! O projeto inicial de stop motion era mostrar um brinquedo descobrindo o mundo fora das prateleiras, entre os humanos. Mas apareceram histórias paralelas. Levo entre 4 e 8 horas para produzir uma animação, só para fotografar todos os movimentos. Depois vem a fase da edição, bem mais rápida. Atualmente, produzo um stop motion com meu irmão, Wesley Lobato. No meu canal, já postei quatro filmes da série O mundo fora da prateleira. https://m.youtube.com/user/SouzaShaieny

shai


Sensual Ser

fotos de Betta Fernandez Rebeca Nogueira modelo


GRaFIa #04


A beleza crua.

A fotografia entrou na minha vida quando comecei a trabalhar em eventos no Jockey Club do Rio Grande do Sul. Meu forte nunca foi retratar gente. Mas resolvi transformar em arte o lado felino que há dentro de cada um de nós. Quero revelar a beleza de mulheres naturais, fora dos padrões da ditadura da moda e que não tenham sofrido intervenções cirúrgicas estéticas. A modelo Rebeca Nogueira D’Alberto é minha cobaia nesse projeto. bettafernandezphotography@gmail.com


GRaFIa #04


Brincadeira historica Criado pelos fotógrafos Anderson Astor, Eduardo Aigner e Marcelo Cúria, o MemoPoa reúne o passado e o presente de prédios históricos de Porto Alegre em um jogo de cartas e tabuleiro. Mais de 70 locais encontrados em fotos

antigas do acervo do Museu Joaquim José Felizardo foram localizados e fotografados novamente. A brincadeira toda está em conseguirmos encontrar nas imagens de ontem e de hoje traços comuns de arquitetura. E perceber o que ficou no passado e o que resiste.


9LDGXWR2W£YLR5RFKD$EULO_)RWR(GXDUGR$LJQHU

&RQVWUX©¥RGR9LDGXWR2W£YLR5RFKDFD_$FHUYR)RWRWHFD6LRPD%UHLWPDQQ

$UWHDSDUWLUGRSLVRHPODGULOKRKLGU£XOLFRGR0HUFDGR3¼EOLFR

CARTAS 6x9cm

memopoa.com.br


Organizador de pedaços existem, meu trabalho é simplesmente organizar os pedaços.

Loraine Luz Numa revista que quer pensar o valor do impresso no mundo digital, como a Grafia, veio a calhar este olhar sobre colagens, através do trabalho de André Bergamin, 30 anos – afinal, do seu processo de criação fazem parte muitas revistas espalhadas pelo chão, no seu local de trabalho. Por outro lado, muito do que sustenta a ideia, ou o conceito ou a motivação, por trás das colagens esteja em harmonia com a era digital – como a fragmentação, o discurso múltiplo, por vezes caótico. “Meu processo é basicamente “sequestrar” as imagens do seu local original e relacioná-las com outros elementos”, já comentou em entrevistas anteriores. Para André, a colagem está em toda parte, pois acredita que vivemos experiências fragmentadas que são justapostas em nossas mentes. Natural de Porto Alegre, ele é formado em Publicidade e Propaganda, com especialização em Design Gráfico. Iniciou os trabalhos no campo da ilustração em 2004. Superinteressante, Folha de São Paulo, Rolling Stone, Época e Carta Capital são alguns dos clientes que constam em seu currículo. Até 10 de setembro, está na Galeria Recorte, em São Paulo (SP), com a exposição “Entre o Êxtase e a Demência”. Há planos para uma próxima individual em Porto Alegre, mas é provável que fique para o ano que vem. O nome da mostra – que também é título de uma das obras em cartaz – sugere um estado de incerteza da condição humana e revela a natureza ocasional de sua produção artística. A identificação das obras também é feita de forma casual: após cada trabalho estar finalizado, o artista elege frases randômicas de livros que estão ao seu alcance para

Grafia – Você pode citar referências artísticas? André Bergamin – Eu sempre fui muito ligado no dadaísmo e no construtivismo russo. Quanto a artistas, são vários. Para citar os primeiros que me vêm à cabeça: El Lissitzky, Max Ernst, Kurt Schwitters, Richard Hamilton, John Baldessari. Dos artistas de colagem que conheci pessoalmente, gosto bastante do trabalho do Max-o-matic, Charles Wilkin e John Whitlock. Grafia – No que está envolvido profissionalmente agora? André Bergamin – Eu estou naquele período entre exposições, em que preciso estudar um pouco e decidir para qual direção quero ir. A produção nunca é contínua, geralmente eu fico remoendo as ideias um bom tempo e do nada as coisas começam a fluir. Acho que é importante manter esse processo para não acabar só reproduzindo as mesmas coisas sucessivamente. nomear suas criações. Esse método reforça a ideia de desconexão entre cada parte dos elementos que ele usa para compor as obras de arte. Grafia – Por que colagens? Aconteceu ou é realmente o que mais motiva você? André Bergamin – Eu preciso da limitação que a colagem impõe. Dependo das imagens que eu encontro e isso me ajuda a não ficar olhando para o nada sem saber por onde começar. Gosto também que o processo tem algo de impessoal, os elementos interagem uns com os outros espontaneamente. Às vezes, me parece que já está tudo pronto, as imagens já

Grafia – Para onde seu trabalho já levou você ou está por levar? André Bergamin – A minha única individual fora do país foi em 2014, em Nova York. Entre as coletivas, participei de exposições em São Paulo, Colonia do Sacramento, Toronto, Londres, Barcelona e Valladolid. Agora em agosto, vou participar do Int’nl Weird Collage Show, em Trondheim, na Noruega. Grafia – Com que frequência trabalha para revistas? André Bergamin – Já trabalhei bastante com revistas, cheguei a ilustrar para Rolling Stone, GQ, New Statesman e Readers Digest.


Existem algumas semelhanças no processo de criação destas com as minhas colagens manuais, porém o objetivo é completamente diferente. Nesse último ano, me afastei um pouco das publicações pela ênfase que comecei a dar a meu trabalho artístico. Grafia – Como ficam os direitos autorais das imagens que você usa nas colagens? André Bergamin – Copyright nunca foi uma grande preocupação minha. Quando a colagem é para algum trabalho commercial, eu procuro modificar bastante os elementos, principalmente compondo os personagens com pedaços de imagens diferentes. Grafia - Você busca as revistas onde? André - Eu compro em sebos e pela internet. Hoje em dia o que eu mais tenho usado são Manchetes dos anos 1960 e 1970. Também gosto bastante da Paris Match e da Life. Não é exatamente pelas imagens retrô, e sim porque nelas há fotos maiores e melhores, tanto na composição quanto nas cores e texturas. Grafia - Você recorta e digitaliza? Como é o processo? André - Tudo a mão. Recorto e colo. As únicas colagens que faço no computador (escaneando e trabalhando com photoshop) são para ilustrações editoriais e algumas poucas autorais. andrebergamin.tumblr.com andrebergamin.com


tamires kopp

Arte impressa. Av. França, 954 – (51) 3303.5555 – web@graficaodisseia.com.br


Grafia#04