Issuu on Google+

Uma flor pela felicidade


Mokiti Okada


A beleza da flor, Quando a fixo compenetrado, Volto a sentir Quão profundas são As bênçãos de Deus. Sem conhecer as impurezas do mundo, Desabrocha uma camélia no jardim. Com ela, ornamento o meu lar. Aqueles que têm o desejo ardente De se igualar à beleza das flores, Possuem corações Que a elas se assemelham. Mokiti Okada

A essência do caminho Da vivificação da flor do Sanguetsu Não é a técnica E sim o amor Com o qual a vivificamos. Sem ter as flores e os objetos em ordem, E sem respeito para com o mestre e os colegas, O Sanguetsu não existe. Pela eternidade Respeitarei a flor, Que é sublime Em refletir o sentimento Da pessoa que a vivifica. 4

Itsuki Okada


5


O Kado Sanguetsu foi instituído como Academia de Ikebana em 1971, tendo como base os estudos rea­lizados por Mokiti Okada na década de 1940, que registrou suas vivificações em fotografias. Além disso, a Academia tem como base os vários ensaios filosóficos de Mokiti Okada. O Mestre pregava sempre a formação do paraíso por meio das flores, dizendo que a flor tem o poder de eliminar os pensamentos negativos e que, por isso, era importante ornamentar com flores todos os locais onde se reunissem pessoas. Ele nos ensinou com que espírito e sentimento devemos fazer as vivificações florais, fundamentado nos seguintes itens:

“A flor tem sentimento.” “Preservar a vitalidade da flor.” “Conservar o seu aspecto natural.” “Usar pouco material.” “Vivificar com alegria, como se estivéssemos pintando um quadro.” Em síntese, ele preconizava o respeito à grande natureza, a prática da arte da ikebana e enfatizava a misteriosa força da flor. 6


A vida com a arte da flor

O nome Sanguetsu foi inspirado na casa de Cerimônia do Chá, construída por Mokiti Okada, na cidade de Hakone - Japão, chamada “Sanguetsu An”.

“San” significa Montanha “Guetsu” significa Lua “An” é a denominação para a casa da Cerimônia de Chá. Trata-se de uma referência à imagem da Lua erguendo-se atrás das montanhas. Com base nessa filosofia e no desejo de proporcionar maior encanto à vida, purificando o sentimento do homem e da sociedade por meio das flores, foi fundada a nossa academia Sanguetsu.

7

Caligrafia de Mokiti Okada


1. Vivificar com naturalidade a) Jamais force as flores. Realce as suas características, vivificando-as com a maior naturalidade possível. b) Obedeça à natureza de cada flor. c) Use, de preferência, as flores da época. d) A flor vivificada com naturalidade tem vida; a flor que tem vida atua no sentido de compor sua figura e forma. 2. Vivificar rapidamente a) Determine com exatidão o local do corte dos caules, dos galhos e das flores, relacionando-os harmoniosamente com o vaso. b) Após o corte, vivifique-os rapidamente. 3. Vivificar como se estivesse pintando um quadro a) Vivifique ramos e flores como se, por meio deles, estivesse manifestando o vigor das pinceladas num belo quadro. b) Cultive seu senso estético apreciando, constantemente, obras de arte de qualidade. 4. Vivificar, considerando a harmonia do conjunto a) Faça a vivificação floral considerando onde ela vai ser colocada. Combine-a com os móveis, a cor das paredes e outras obras de arte existentes no local. b) A flor, o vaso e o ambiente devem estar em harmonia, a ponto de o conjunto resultar em um único trabalho de valor artístico. 5. Vivificar com alegria a) Vivifique as flores com o sentimento de alegrar o próximo como a si mesmo. b) Vivificação feita com alegria e despreocupação expande a natureza divina de quem a executa e de quem a observa. 8


Princípios filosóficos da prática da Ikebana Sanguetsu

9


Cultivar o respeito à natureza e aprender com ela Segundo Mokiti Okada, a fonte do desenvolvimento de tudo o que existe na natureza está na trilogia Sol, Lua e Terra. As plantas e as árvores vivem graças à força desses elementos, adaptando-se ao clima, mantendo a ordem e manifestando sua originalidade. Devemos polir nosso sentimento a tal ponto que consigamos perceber a maravilha dessa força da vida, da sua harmonia e também das leis da perfeita ordem da natureza. Coloquemos em prática, em nossa pró­pria­ ­vida, o que apren­dermos com a natureza. Es­for­ce­­mo-nos para que esse aprendizado sirva de base pa­­ra a criação de composições florais capazes de mover o sen­­ timento das pessoas que vierem a apreciá-las.

Desenvolver o amor às flores A arte da Ikebana nasceu do amor à beleza da natureza. Quanta paz e conforto nos concede a flor! Quando nós, seres humanos, sentimo-nos emocionados com as dádivas da Natureza e nos dirigimos às flores com gratidão, podemos assimilar seu sentimento e aprofundar nosso respeito por tudo aquilo que existe. Esse sentimento nos faz vivificar com mais beleza as flores que desabrocham naturalmente, permitindo-nos compor vivificações florais que possuem a força de encantar as pessoas.

10


Base do estudo na Ikebana Sanguetsu

Exercer boa influência à nossa volta Pode-se dizer que vivificar a flor é um treinamento para tornar belos nossos próprios sentimentos. Isto porque, por meio dessa prática, aprendemos a dar vida a tudo e a cultivar nosso sentimento de organização e de harmonia. Quando amamos a flor e, dentro do lar, mantemos sempre vivo o sentimento de amor, aí se estabelece um ambiente de alegria e esperança envolventes. Para que possamos expandir essa atmosfera pela vizinhança, pelos amigos e por suas famílias, devemos esforçar-nos para cultivar uma beleza interior rica e calorosa.

Cuidar do aperfeiçoamento básico Na arte da ikebana, o importante é a soma de aperfeiçoamentos. Para poder compor uma vivificação floral artística e criativa, o essencial é a assimilação firme das regras básicas. Assim, devemos esforçarnos com humildade e amor para desenvolver nossa habilidade, mediante treinamento constante.

Desenvolver o amor pela arte e a consciência do Belo A admiração pelo Belo é inata no homem. Mesmo com uma vida atarefada, por meio de uma singela ikebana, sempre devemos procurar a valori­zação da arte. Devemos, também, cultivar nosso senso estético, contribuindo, assim, para o embelezamento da sociedade.

11


O sistema de aulas em grupos, num ambiente alegre e descontraído, é uma das características da Ikebana Sanguetsu. Para que ela prevaleça sempre, proporcionando a instrutores e alunos contínua elevação do espírito e aperfeiçoamento da técnica, é importante que sejam observados alguns itens: Terminada a vivificação, deve-se limpar o espaço ao redor de si e do vaso e a­guar­ dar a verificação do instrutor, observando atentamente suas orientações. Após a apreciação da Ikebana Sanguetsu pelos colegas, pode-se desmanchá-la, guardando o vaso no local de origem. É imprescindível a observância do horário, evitando-se atrasos, faltas ou antecipação na saída das aulas. Podendo-se prever a ausência, é bom comunicá-la ao professor. As plantas devem permanecer o máximo de tempo possível dentro da água. Ao manuseá-las, deve-se ter o cuidado de não sujar o chão ou deixálo limpo após o uso, arrumando sempre o local e as sobras das plantas. 12


Ikebana Sanguetsu - Técnica Características das aulas da Ikebana Sanguetsu

É conveniente não manifestar críticas negativas sobre a qualidade do trabalho dos colegas. Ao contrário, deve-se ter humildade para aprender com eles e com as observações feitas pelo instrutor. Todos os materiais também devem ser utilizados com zelo e gratidão. Terminada a aula, deve-se arrumar cuidadosamente a sala, cumprimentar os colegas e instrutor, fechar as torneiras, portas e janelas, e apagar as luzes. A vivificação da flor é a expressão do sentimento da pessoa que a pratica. Para que esta expressão se concretize plenamente, é importante a completa integração entre instrutores, colegas, plantas, vasos e demais materiais.

13


A ikebana, arte de vivificação floral, é o fruto do trabalho conjunto do homem e da natureza, representado pela flor. Criar e combinar formas de uma maneira nova não é arte. A verdadeira Arte faz despertar as emoções mais íntimas e legítimas do ser humano. Por essa razão, a ikebana não existe apenas para a nossa própria satisfação. Sua prática deve fazer nascer nas outras pessoas o amor.

Linha (SEN)

Face (MEN)

Volume

(Massu) 14


Princípios técnicos da arte da Ikebana Sanguetsu Na ikebana, busca-se valorizar o formato dos ­galhos e flores no seu estado original. Podemos observar que as plantas se desenvolvem no sentido vertical, oblíquo, horizontal e pendente. Ao compor sua vivificação floral, faça como se estivesse pintando um quadro. Usando linhas, dese­nhando volumes e construindo faces. Esses três itens são a base da Ikebana Sanguetsu.

A ikebana propicia, principalmente, a criação da beleza do espaço vazio, um dos mais importantes conceitos da arte oriental. Por meio da criação desse espaço, é possível realçar o rigor, a firmeza e a solidez das linhas retas. No caso da linha curva, realçamos a suavidade, a delicadeza e a flexibilidade.

Com a combinação de diversas folhas construímos o estudo de face, utilizando as que possuem nervuras e desenhos marcantes, realçando seu formato especial, seja ele, largo, alongado, liso ou recortado. E ainda a diversidade de cores e tons. Harmonizamos as flores, levando em conta tamanho, formas e cores, para valorizar suas caracterís­ticas. O volume, no caso, não significa quantidade, devemos ter sempre em mente a beleza do espaço vazio. O aprendizado se faz com a prática constante até se alcançar uma maior criatividade. 15


Kit do Aluno

Para o estudo da arte da ikebana são necessários: • Tesoura para poda • (1) toalha de mão • (1) toalha para limpeza dos utensílios • Caderno p/ anotação • Apostila • Sacola p/ flores

Site: Área do aluno • www.sanguetsu.com.br/aluno www.fmo.org.br/sanguetsu

16


Agenda

Dia

material utilizado (galhos e flores)

Estudo

MĂŞs

17


Fundação Mokiti Okada

Quem somos: Instituída em 19 de janeiro de 1971, a Fundação Mokiti Okada é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, considerada de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal. Com atuação em todo o território nacional, desenvolve projetos que viabilizam a formação de uma sociedade harmoniosa, progressista e artística. Missão: Criar e desenvolver projetos e atividades baseados na Verdade da Lei da Natureza, objetivando a formação de seres humanos comprometidos com a concretização de um mundo espiritual e materialmente evoluído.


Rua Morgado de Mateus, 77 S達o Paulo - SP - 04015-050 - Tel.: 11 5087-5010 sanguetsu@fmo.org.br - www.fmo.org.br


Folheto boas vindas Sanguetsu