Issuu on Google+

Manual do voluntรกrio

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA A ACESSIBILIDADE


2

Aos voluntários, Ao escolher-se “Aveiro é teu” como lema para um projeto que visa a inclusão, a acessibilidade e a mobilidade para todos, sabíamos que estávamos a ser ambiciosos, mas ao mesmo tempo queríamos desafiar a cidade para esta ideia: Transformar Aveiro numa cidade mais inclusiva. Este foi, desde início, o objetivo do projeto “Aveiro é teu”, que se insere no programa RAMPA (Regime de Apoio aos Municípios para a Promoção à Acessibilidade). Embora dinamizado pela Câmara Municipal de Aveiro, o “Aveiro é teu”

pretendeu sempre envolver toda a comunidade, realçando a importância de fazer parte de um projeto que promove a igualdade de oportunidades, através do desenvolvimento de estratégias integradas e de base territorial para a inserção social de todos os cidadãos. Mas quisemos também criar uma consciência para a cidadania ativa e para as questões da acessibilidade e a eliminação de obstáculos. E é neste contexto que surge a ideia de criarmos uma rede de voluntários que tem como funções e responsabilidades fornecer informações de carácter geral sobre o projeto “Aveiro é teu” e, em especial, o programa “Todos cá Fora”, bem como participar na

dinamização de ações de rua que promovam o envolvimento da população. Com este grupo de voluntários sabemos que o nosso trabalho será facilitado e que desta forma conseguiremos chegar a um maior número de pessoas. Conseguiremos fazer passar a mensagem e cumpriremos o nosso objetivo de ter uma cidade mais inclusiva, uma cidade para todos. Aos voluntários e a todos os que contribuíram para este projeto, bem hajam. A equipa do Projeto RAMPA - Aveiro

3


4

O QUE É O “TODOS CÁ FORA!”? É um programa de sensibilização e informação da população de Aveiro para promover a acessibilidade de todos os cidadãos no espaço público. Todos cá Fora! faz parte da iniciativa “Aveiro é teu”, promovida no âmbito do programa RAMPA – Aveiro, e decorrerá de 14 de Outubro a 14 de Novembro em vários locais da cidade de Aveiro.

Todos Cá Fora! divide-se em 3 tipos de ações de sensibilização da população de Aveiro, a decorrer no espaço público, organizadas do seguinte modo:


6

A.

1. FORA! Falta Ordem nas Ruas de Aveiro! Ação de sensibilização destinada aos automobilistas com o objetivo de chamar a atenção para situações de estacionamento incorreto. Serão colocados balões (um ou dois) presos por um fio aos veículos incorretamente estacionados e um flyer com conteúdos informativos sobre mobilidade no espaço público. Local: Ruas de Aveiro

2. Sentir para crer. ~ Interpelaçoes

Ação de sensibilização destinada aos peões com o objetivo de chamar a atenção para as questões da acessibilidade e da mobilidade. Será adotada uma metodologia de role playing, na qual os peões serão convidados a experienciar a sensação de caminhar com uma venda nos olhos, com um carrinho de bebé, ou em cadeira de rodas, alertando para um conjunto de barreiras urbanísticas, arquitetónicas, sociais e culturais com que as pessoas com necessidades especiais, temporárias ou permanentes, se deparam no dia a dia. Local: Rua João Mendonça, Praça da República, Rua Combatentes da Grande Guerra, Largo da Estação, Av. Dr. Lourenço Peixinho, Praça do Peixe.

7


3. Street

Art.

(BD e anamorfose) Conceção e execução de uma pintura no asfalto da rua, em formato banda desenhada, num comprimento total de cerca de cerca de 40 metros (20m em cada faixa rodoviária). Tendo a rua um único sentido de trânsito, a pintura será realizada numa faixa de modo a ter leitura num dos passeios e na outra faixa de modo a ter leitura no outro passeio. À semelhança de uma banda desenhada, a pintura basear-se-á nos conteúdos selecionados dos suportes de comunicação. Alguns metros antes da BD, haverá uma anamorfose também pintada no asfalto. Local: Rua Dr. Arlindo Vicente (frente ao novo edifício da Estação da CP)

4. Estendal das Acessibilidades

Instalação artística efémera do Coletivo NORA, a realizar nas varandas e janelas de 10 edifícios da Rua João Mendonça, Aveiro. Inspirada e simulando visualmente os estendais de roupa, Estendal das Acessibilidades tem um propósito fortemente comunicacional. Os panos a colocar nos estendais têm impressões a preto que promovem a Cidade Para Todos, a Cidade Acessível. A instalação Estendal das Acessibilidades é temporária ficando no local no período de 14 de outubro a 14 de novembro de 2013. Local: Rua João Mendonça

5. Encosta-te

a Mim (Paragem de Autocarro)

Na rua Comandante Rocha e Cunha, junto à paragem de autocarro, far-se-á a montagem de uma estrutura denominada “Encosta-te a mim”. Esta estrutura tem como objetivo servir os utentes dos transportes públicos, proporcionando algum conforto e, simultaneamente, servir de abrigo nos dias de mau tempo. Devido às exíguas dimensões do passeio, a conceção da estrutura teve como principal preocupação a gestão

adequada do espaço para que o mesmo pudesse servir à passagem de peões e, por outro lado, proporcionar aos utentes o conforto de se encostarem enquanto esperam pelo autocarro. Esta estrutura será também um objeto de comunicação, sendo possível criar um conceito em torno da ideia “Encosta-te a mim” como algo que também “é teu”… Local: Rua Comandante Rocha e Cunha

9


10

CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO Por toda a cidade serão afixados e/ou distribuídos diversos suportes de comunicação: Mupies, totens, autocarros, o Jornal “Notícias Todos Cá Fora”, entre outros.

B. 11


12

C.

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL A conferência terá como objetivo discutir estratégias para recuperar e incentivar outras dinâmicas de espaço público e as respostas/ desenhos a considerar nos novos espaços de modo a que estejam preparados para TODOS. Mais do que só espaço público, ou modos de transporte, a conferência pretende contribuir para a reflexão de como construir cidades partilhadas, equitativas, inclusivas, seguras, confortáveis, atrativas. “Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar. Onde leva? Não perguntes, segue-o!” Friedrich Nietzsche

13


O

VOLUNTARIADO


16

Definição de Voluntariado Voluntariado é o conjunto de ações de interesse social e comunitário realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projetos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas.

Definição de Voluntário O voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada e responsável se compromete, de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre, a realizar ações de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.

O voluntariado obedece aos princípios da solidariedade, da participação, da cooperação, da complementaridade, da gratuitidade, da responsabilidade e da convergência.

2

1

O princípio da participação implica a intervenção das organizações representativas do voluntariado em matérias respeitantes aos domínios em que os voluntários desenvolvem o seu trabalho.

4

O princípio da solidariedade traduz-se na responsabilidade de todos os cidadãos pela realização dos fins do voluntariado.

3

O princípio da cooperação envolve a possibilidade de as organizações promotoras e as organizações representativas do voluntariado estabelecerem relações e programas de ação concertada.

O princípio da complementaridade pressupõe que o voluntário não deve substituir os recursos humanos considerados necessários à prossecução das atividades das organizações promotoras, estatutariamente definidas.

17


18

O princípio da gratuitidade pressupõe que o voluntário não é remunerado, nem pode receber subvenções ou donativos, pelo exercício do seu trabalho voluntário.

7

O princípio da convergência determina a harmonização da ação do voluntário com a cultura e objectivos institucionais da entidade promotora.

5

6

O princípio da responsabilidade reconhece que o voluntário é responsável pelo exercício da actividade que se comprometeu realizar, dadas as expectativas criadas aos destinatários do trabalho voluntário.

FUNÇÕES DOS VOLUNTÁRIOS NO “TODOS CÁ FORA” A participação dos Voluntários nas atividades promovidas no âmbito do programa Todos Cá Fora! engloba essencialmente as seguintes funções:

a)

Colocação dos balões (um ou dois) e flyer nos veículos incorretamente estacionados no âmbito da ação FORA!;

b)

Interpelação dos cidadãos e dinamização das ações Sentir para Crer, apelando à sua participação e conduzindo-os nas atividades de role playing;

c)

d) Apoio à organização da Conferência Internacional, designadamente no acolhimento e receção dos participantes e distribuição de documentação;

e)

Fornecimento de informações de caráter geral sobre o programa Todos Cá Fora!;

f) Distribuição do Jornal “Todos Cá Fora” concebido para divulgar o programa Todos Cá Fora!.

Apoio à execução da pintura de rua no âmbito da ação Street Art;

19


DURAÇÃO E HORÁRIO

O Programa de Voluntariado para a Acessibilidade Todos Cá Fora! decorrerá entre 14 de Outubro e 14 de Novembro de 2013. O período de trabalho do voluntário será acordado entre este e a coordenação do projeto, fixando-se a calendarização das atividades em função da disponibilidade dos voluntários. A título excecional, o Voluntário pode solicitar a alteração da sua disponibilidade mediante comunicação à Coordenação do Programa, com a maior antecedência possível. Se a alteração se revelar incompatível com o normal funcionamento das atividades previstas, tal pode implicar a desvinculação do Voluntário.

SUSPENSÃO E CESSAÇÃO DO TRABALHO VOLUNTÁRIO

O Voluntário pode interromper ou cessar o trabalho voluntário mediante comunicação à Coordenação do Programa com a antecedência de três dias. A Coordenação do Programa pode dispensar a colaboração do Voluntário sempre que a alteração dos objetivos, das atividades ou outra razão superveniente o justifique, devendo comunicar a sua decisão ao Voluntário com a antecedência de 3 dias. A Coordenação do Programa, após audição do Voluntário, pode determinar a suspensão ou a cessação da sua colaboração, em todas ou em algumas tarefas, no caso de incumprimento do programa de voluntariado.

ACESSO E IDENTIFICAÇÃO

Para efeitos de acesso e circulação será entregue ao Voluntário um cartão de identificação próprio, que deverá ser utilizado de forma visível durante todo o período de trabalho. Será disponibilizado ao Voluntário vestuário próprio de utilização obrigatória durante todo o período de trabalho.

FORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO Aos Voluntários será proporcionada, antes do início do seu trabalho voluntário, formação e orientação acerca do programa Todos Cá Fora!, bem como das atividades específicas a desempenhar, na medida do necessário e suficiente para a boa realização das tarefas atribuídas.

CERTIFICAÇÃO No final do período de prestação de voluntariado, será emitido um certificado onde, para além da identificação do voluntário, irá constar, designadamente, o domínio da respetiva atividade, o local onde foi exercida, bem como o seu início e duração.


22

Direitos dos Voluntários

Deveres dos Voluntários

a) Ter acesso a programas de formação inicial e contínua, tendo em vista o aperfeiçoamento do seu trabalho voluntário; b) Dispor de um cartão de identificação de voluntário; c) Exercer o seu trabalho voluntário em condições de higiene e segurança; d) Ver respeitado o acordo estabelecido com a entidade com que colabora onde são fixadas as suas relações mútuas e o conteúdo, natureza e duração do trabalho voluntário que vai realizar; e) Ter a oportunidade de desenvolver uma tarefa que o valorize, aproveitando as suas capacidades, conhecimentos e experiências e que vá, na medida do possível, ao encontro dos seus interesses; f) Receber apoio no trabalho realizado; g) Ter acesso a informações claras referentes às tarefas e responsabilidades que lhe cabem; h) Solicitar apoio sempre que considerar necessário; i) Receber reconhecimento e estímulo; j) Ter um ambiente de trabalho agradável.

a) Respeitar as normas que regulam o funcionamento da entidade a que presta colaboração e dos respectivos programas ou projectos; b) Atuar de forma diligente, isenta e solidária; c) Participar nos programas de formação destinados ao correto desenvolvimento do trabalho voluntário; d) Zelar pela boa utilização dos recursos materiais e dos bens, equipamentos e utensílios postos ao seu dispor; e) Colaborar com os profissionais da organização promotora, respeitando as suas opções e seguindo as suas orientações técnicas; f) Não assumir o papel de representante da organização promotora sem o conhecimento e prévia autorização desta; g) Ser responsável no cumprimento dos compromissos assumidos (assiduidade, pontualidade, normas de trabalho específicas, etc); h) Respeitar todas as pessoas com quem tem de se relacionar no decorrer do trabalho voluntário (colegas voluntários, público, superiores, profissionais, etc); i) Utilizar devidamente a identificação como voluntário no exercício da sua atividade; j) Informar atempadamente a organização do evento da necessidade de qualquer ausência temporária ou da intenção de por fim à colaboração; k) Zelar pelo bom nome da organização/evento.

23


NORMAS ADICIONAIS DE PRESTAÇÃO DO TRABALHO VOLUNTÁRIO NO TODOS CÁ FORA!: Durante o período de trabalho o voluntário deve abster-se de: • • • • •

Fumar Beber bebidas alcoólicas Usar headphones Falar ao telemóvel Comer

O local de encontro para o início das atividades é o Espaço Voluntário.

Para o bom funcionamento do trabalho do voluntário este deve comparecer no local de encontro 10 minutos antes do horário previsto do início da atividade. No Espaço Voluntário é possível: • Guardar objetos pessoais (carteira, casacos, etc…) • Descansar • Beber água • Contactar um funcionário do Município que articulará com a Coordenação do Programa de Voluntariado. • Recolher o material a utilizar durante as ações.

ALGUMAS ORIENTAÇÕES RELATIVAS À RELAÇÃO COM O PÚBLICO: No contacto com o público o mais importante é demonstrar sempre disponibilidade e simpatia, através de contacto visual e atenção. É fundamental que a abordagem aos cidadãos seja feita de modo educado, adotando uma postura calma e linguagem positiva, procurando passar com clareza a informação sobre o projeto.

Caso se verifiquem situações em que os cidadãos abordados ou abrangidos pelas ações assumam uma postura de exaltação, é fundamental falar de forma serena e mostrar compreensão pelo problema. Nunca argumentar e ser o mais claro possível de modo a conseguir ajudar e propor alternativas. Qualquer informação/ ajuda que não se saiba ou não se consiga dar, deverse-á recolher o contacto da pessoa, indicando que será contactado pela coordenação do projeto.


O que fazer em caso de emergência: Nº emergências: 112 Bombeiros Voluntários de Aveiro: 234 422 122 | 234 422 333

«Chamar o 112» Preparado para responder: • Onde ? • O quê ? • Quem ? Indicar claramente o local onde se encontra a vítima. Explicar, caso tenha visto, como se deu o acidente. Descrever o estado da vítima. Pedir a quem atendeu a chamada para repetir a mensagem, a fim de verificar se esta foi devidamente entendida. Enquanto aguarda pela chegada do veículo de emergência: • Não tocar na vítima, sob nenhum pretexto; • Não dar alimentos nem água, mesmo que a vítima o solicite. • Afastar os «mirones», criando um perímetro de segurança • Se possível, conversar calmamente com a vítima, procurando tranquiliza-la. • Nunca abandonar a vítima.

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA A ACESSIBILIDADE TODOS CÁ FORA!: a) Participar ativamente na promoção da mudança da cidade, contribuindo para tornar o espaço público mais democrático e acessível; b) Acesso a bilhetes de autocarro para circular na cidade de Aveiro; c) Acesso a publicações sobre arte portuguesa; d) Participação na Conferência Internacional sobre acessibilidade e mobilidade; e) Certificação das funções desempenhadas, através da emissão de um certificado de atividade voluntária; f) Apólice de seguro nos termos da legislação em vigor;

CONCEÇÃO E COORDENAÇÃO OPERACIONAL DO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA A ACESSIBILIDADE TODOS CÁ FORA!: Ana Hortense Vieira | Setepés ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS Ana Vieira: 935 764 764 anavieira@setepes.pt Márcia Pinto: 939 707 110 setepes@setepes.pt Setepés: 222 081 969


28

29


30

31



Manual Voluntariado