Issuu on Google+


As fanzines, publicações independentes e editadas por fãs de um tema em específico, foram o veículo de comunicação que muitos cidadãos europeus encontraram para exprimir os seus pensamentos e opiniões acerca de uma Europa que é nossa mas muitas vezes fica esquecida. Com mensagens bastantes concretas ou com uma linguagem abstrata, esta publicação recorreu a várias formas de expressão no que toca à sua linguagem gráfica, como a pintura, o desenho, a colagem e o stencil, relacionando-se assim com as primeiras publicações deste género. Esta coleção de fanzines resulta do projeto Variações sobre a Europa e integra alguns dos seus temas: “Este país não é para velhos”, “A pele que habito”; “Quo Vadis Europa?” e “Occupy Politics”. Pretende ser um desafio à reflexão e discussão para a construção de uma Europa democrática.

84% dos cidadãos europeus pensam que a taxa de participação nas eleições para o Parlamento Europeu seria mais elevada se tivessem acesso a mais informações sobre o impacto da União Europeia no seu quotidiano. * * Dados do Eurobarómetro de Março de 2013.

Os conteúdos – texto e imagem – vinculam exclusivamente os seus autores, não representando a opinião da União Europeia. A Comissão Europeia não se responsabiliza por qualquer uso que possa ser feito da informação aqui contida.


O projeto Variações sobre a Europa deixou-se seduzir pelo poder das narrativas experimentais dos cidadãos. Não porque os discursos institucionais não sejam necessários, bem pelo contrário – mas porque num contexto de fadiga e desafeto pelas formas de comunicação política, eles não serão suficientes para construir o futuro da Europa. Às narrativas habituais e grandiloquentes acerca da identidade ou da cultura europeia, optámos por justapor estes fragmentos visuais, como uma intersecção entre o pessoal e o público, como um verdadeiro exercício – não acabado – de imaginação cultural e política.



Fanzine #3 | Variações sobre a Europa