Page 1

Construindo cenários de aprendizagem

Design de experiências de

aprendizagem

Criatividade e inovação para o planejamento das aulas Alex Sandro Gomes Paulo André da Silva


volume 3


Construindo cenários de aprendizagem

Design de experiências de

aprendizagem

Criatividade e inovação para o planejamento das aulas Alex Sandro Gomes Paulo André da Silva

Pipa Comunicação recife, 2016


Copyright 2016 © Alex Sandro Gomes, Paulo andré da Silva e pipa comunicação. Reservados todos os direitos desta edição. É proibida a reprodução total ou parcial dos textos e projeto gráfico desta obra sem autorização expressa dos autores, organizadores e editores.

CapA e Projeto Gráfico Karla Vidal DIAGRAMAçÃO Augusto Noronha e Karla Vidal Revisão Os autores edição Pipa Comunicação - http://www.pipacomunica.com.br

Catalogação na publicação (CIP) Ficha catalográfica produzida pelo editor executivo G6331

Gomes, A. S.; Silva, P. A. Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas / Alex Sandro Gomes; Paulo André da Silva - Recife: Pipa Comunicação, 2016. 162p. : Il., Fig., Quadros. (Série professor criativo: construindo cenários de aprendizagem - vol. 3)

Inclui bibliografia. 1ª ed. ISBN 978-85-66530-56-8

1. Educação. 2. Design de Experiências de Aprendizagem. 3. Criatividade. 4. Inovação. 5. Planejamento de Aulas. I. Título.

370 CDD 37 CDU c.pc:03/16ajns


Prefixo Editorial: 66530

http://www.pipacomunica.com.br/livrariadapipa

Comissão Editorial Editores Executivos Augusto Noronha e Karla Vidal Conselho Editorial Alex Sandro Gomes Angela Paiva Dionisio Carmi Ferraz Santos Cláudio Clécio Vidal Eufrausino Cláudio Pedrosa Clecio dos Santos Bunzen Júnior Leila Ribeiro Leonardo Pinheiro Mozdzenski Pedro Francisco Guedes do Nascimento Regina Lúcia Péret Dell’Isola Ubirajara de Lucena Pereira Wagner Rodrigues Silva Washington Ribeiro


Sumário 13 Prefácio 17 Palavras iniciais 19 Apresentação 23 Introdução 27 Parte 1 O planejamento do trabalho pedagógico

33

Planos de ensino e de aula

37

Da era industrial à era pós-industrial

38

O modelo prussiano de ensino

42

O paradigma libertador e libertário

42

Abordagem pós-industrial


46

A noção de aula

53

Modelos contemporâneos de sala de aula

54 56 57 58 60

A escola Quest to Learn (Q2L) Organização escolar sueca Vittra Projeto NAVE - PE e RJ Projeto GENTE Vanguarda dos espaços educacionais

62

Postura docente

64

Algumas considerações

67

parte 2 Concepção de experiências de aprendizagem

68

Design

71

O raciocínio de design


73

Design de novas de experiências de ensino

76 78

Restrições

83

Imersão

Design de experiências de aprendizagem

85

Pesquisa bibliográfica ou pesquisa de mesa (research desk)

86 88

A leitura de relatos de experiências Experimentação de novas práticas de aprendizagem com tecnologias

89

90

Análise e síntese

91 93 95

97

Gerar soluções em grupo

Cartões de insight Mapas mentais Mapas conceituais

Ideação


98

Características de um ambiente criativo e inovador

99 101 103 106

107

Brainstorming Cartões de Planejamento (card playnning) Workshop de cocriação

Prototipagem

108 111 116 117 119 121

123

Geração de soluções

Storyboard Cenários Diagrama de tempo de cenários Triângulo didático Painel de planejamento ou Canvas Análise de riscos

Algumas considerações

125 parte 3 avaliação de experiências de aprendizagem


126

A noção de efetividade

128

A efetividade de experiências de aprendizagem

130

Técnicas para avaliação

131 132 136 138 139

142

Diário de auto-observação Questionários Entrevistas Observações Impacto no desempenho e na aprendizagem

Algumas considerações

143 Conclusões 147 referências 161 sobre os autores


Prefácio

O livro Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas está atento a um cenário sociotécnico e oferece contribuições oportunas. Vem atender à demanda por um novo modus operandi da sala de aula em que o estudante esteja menos acionado a olhar, ouvir, copiar e prestar contas, e mais mobilizado a criar, modificar, construir, aumentar e colaborar. Marco Silva Professor da Faculdade de Educação da UERJ


Uma agenda de engajamentos para o planejamento da docência e da aprendizagem Marco Silva Professor da Faculdade de Educação da UERJ

Tem razão quem disse que a televisão é um chiclete para os olhos. Passamos horas mastigando a goma transmitida enquanto há sabor e mesmo depois. Fazendo analogia com a educação baseada naquilo que este livro reconhece como “modelo prussiano de ensino” – a sala da aula baseada nos rituais de ensino-aprendizagem de transmissão e memorização –, podemos verificar que a aula prussiana prevalece nos sistemas de ensino até hoje no planeta. Os alunos mastigam a goma transmitida como conteúdos de aprendizagem enquanto há sabor e mesmo depois. No Brasil a sala de aula, com raras exceções, sempre esteve sustentada pelo mesmo paradigma informacional unidirecional que prevaleceu na missa, no teatro, na imprensa, no rádio e na televisão: a apresentação de conteúdos para a recepção dos alunos. Historicamente, esse paradigma tem sustentado os sistemas midiáticos e de ensino públicos e privados. Porém, em nosso tempo ele é questionado não apenas pelos críticos dos sistemas de informação e de educação. Essa crítica ganha força com a ampliação da cultura que emerge com crescimento das opções de autoria e colaboração via tecnologias digitais em redes sociais.

13


Design de experiências de aprendizagem

Podemos observar que a chamada “cultura digital” vem ganhando o centro da cena ocupado secularmente pela cultura do audiovisual controlado pela emissão e destinado à recepção. O chiclete unidirecional encontra-se ameaçado nesse cenário social e tecnológico. Os computadores, tablets, celulares e os sujeitos incluídos digitais favorecem a expressão da autoria e da colaboração em redes num cenário que se apresenta assim: •

Social: o novo espectador, menos passivo diante da mensagem mais aberta à sua intervenção, migra do controle remoto da tv de massa para a tela tátil, imersiva e em rede conversacional, que lhe permite adentramento, autoria, colaboração e o gesto instaurador que cria e alimenta a sua experiência autoral, comunicacional e colaborativa.

Tecnológico: a tela do tablet, laptop e celular não é espaço de transmissão, mas ambiente de imersão, manipulação e interlocução, com janelas, ícones e aplicativos móveis, abertos a múltiplas conexões off e online, que permitem intervenções e modificações, autorais e colaborativas nos conteúdos e na comunicação.

O livro Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas está atento a esse cenário sociotécnico e oferece contribuições oportunas. Vem atender à

14


prefácio

demanda por um novo modus operandi da sala de aula em que o estudante esteja menos acionado a olhar, ouvir, copiar e prestar contas, e mais mobilizado a criar, modificar, construir, aumentar e colaborar. E promove a superação da prevalência do chiclete para os olhos, em favor da aprendizagem criativamente planejada para não esgotar o sabor de autoria e de colaboração. Os autores Alex Sandro Gomes e Paulo André da Silva oferecem aos professores uma agenda de engajamentos para o planejamento da docência e da aprendizagem, quando o modelo prussiano de educação se encontra ameaçado pelo cenário sociotécnico da cultura digital. Seu livro chega em boa hora, quando os professores estão mais pressionados pela cena sociotécnica, quando o caminho está mais aberto à modificação da sala de aula baseada na transmissão do chiclete para os olhos do espectador, quando a cultura do audiovisual unidirecional perde centralidade para a cultura digital autoral e colaborativa. Em uma feliz coincidência histórica o cenário sociotécnico da cultura digital emerge em sintonia com as abordagens pedagógicas de Paulo Freire e Vygotsky, baseadas nos princípios e modus operandi da democracia dialógica e do sociointeracionismo. Para os professores e gestores escolares, criatividade e inovação no planejamento das aulas é exigência da educação em sintonia com a cultura digital e com a cidadania. Com o foco no trabalho docente, este livro vem promover o planejamento pedagógico capaz de contemplar essa sintonia. Inicialmente, mostra que pouco mudou na forma de se planejar e ministrar aulas ao longo do século XX. Em seguida, mobiliza técnicas para aprimorar ou reinventar as ha-

15


Design de experiências de aprendizagem

bilidades de planejar situações de docência e aprendizagem. Finalmente, discute formas de avaliar a efetividade de experiências de aprendizagem. Assim desenhado, vem encorajar o professor diante da oportunidade potencializada pelo espírito do nosso tempo. E aproveita essa oportunidade para promover a educação autêntica. Para quem ainda duvida da potência deste livro, destaco o trecho em que os autores sintetizam o que pensam sobre planejamento pedagógico: [...] pode ser útil não apenas para o uso de tecnologias na concepção de novas formas de aprendizagem. Ele pode ser também uma forma radical de conceber a experiência de aprendizagem envolvendo cenários, espaços, artefatos e processos avaliativos focados em experiências criativas e inovadoras. O design [do planejamento] pode contribuir muito para criarmos as melhores condições para que a aprendizagem ocorra de forma mais efetiva no interior das instituições de ensino e impactem positivamente a sociedade. A leitura do livro favorece compreender que é possível o professor ser criativo e inovador quando sabe planejar suas aulas, ou seja, que há vida e educação autênticas quando o professor questiona e supera a sala de aula que naturalizou distribuir o chiclete a ser mastigado pelos estudantes. Rio, abril de 2016

16


Sobre os autores


Alex Sandro Gomes Alex Sandro Gomes é Engenheiro Eletrônico (UFPE, 1992), Mestre em Psicologia Cognitiva (UFPE, 1995) e concluiu o doutorado em Ciências da Educação pela Université de Paris V (René Descartes) em 1999. Atualmente é Professor no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, Bolsista de Produtividade Desen. Tec. e Extensão Inovadora 2 do CNPq e membro da Academia Pernambucana de Ciências. Atua com a concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem. Publicou mais de 200 trabalhos em periódicos especializados e em anais de eventos, orientou ou co-orientou mais de 50 dissertações de mestrado e teses de doutorado na área. Atuou como coordenador dos eventos SBIE e IHC, promovidos pela SBC. Atuou como membro das comissões especiais de Interação Humano Computador e Informática Educativa da SBC. É líder do grupo de pesquisa Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional. É Coordenador das comunidades de software livre Amadeus, Openredu e Youubi.

Paulo André da Silva Doutorando em Educação Matemática e Tecnológica (EDUMATEC/UFPE) (2014...). Mestre em Educação pela UFPE (2007), com pesquisa na área de Tecnologia Educacional, pesquisando sobre relação da Cultura Digital com o ambiente escolar. Especialista em Gestão de Recursos Humanos para Educação pela FAFIRE (2004). Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2002). Professor efetivo do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas no Centro Acadêmico de Vitória, ministrando

161


Design de experiências de aprendizagem

disciplinas pedagógicas. Profissionalmente atuou por 3 anos no Projeto Olimpíada de Jogos Digitais e Educação (OJE), como Coordenador Educacional do mesmo, inicialmente pelo CESAR.EDU e dando continuidade na Joy Street S.A. Atuou como professor de graduação e pós-graduação em Faculdades Privadas, ministrando disciplinas na área de Ensino-Aprendizagem e Tecnologia Educacional. Também atuou como professor no Ensino Fundamental e Médio em colégios particulares, ministrando Filosofia, Sociologia e Informática Educacional. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Tecnologia Educacional, Cultura Digital, Educação a Distância, Processos de Ensino-Aprendizagem, Avaliação e Fundamentos da Educação. Pesquisador sobre processos de planejamento e orquestração didática com uso de técnicas de design thinking para Educação.

162


Construindo cenários de aprendizagem VAI REFERENCIAR ESTA OBRA? SAIBA COMO: Gomes, A. S.; SILVA, P. A. Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas. Recife: Pipa Comunicação, 2016. 162p. (Série professor criativo, III). ACESSE NOSSO WEBSITE: www.pipacomunica.com.br/professorcriativo CURTA NOSSA FANPAGE: www.facebook.com/serieprofessorcriativo

Conheça os demais volumes da Série Professor Criativo

Volume 1

Volume 2


Construindo cenários de aprendizagem

Este livro tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento de habilidades de concepção de experiências de aprendizagem entre os profissionais de ensino. Ao longo da obra discute-se a noção de aula e como a mesma impõe limitações à forma natural como os seres humanos aprendem. Argumenta-se que noção de experiências de aprendizagem amplia a visão de como se pode promover melhores aceitação e engajamento dos métodos de ensino e retenção do aprendizado. Técnicas de design são valiosos instrumentos para conceber tais cenários e amplia o leque de procedimentos pedagógicos para o professor. Ao longo do livro mostramos como experiências de aprendizagem podem ser concebidas, prototipadas e avaliadas do ponto de vista do impacto desejado.

ISBN EDIÇÃO DIGITAL: 978-85-66530-56-8

Preview Design de Experiencias de Aprendizagem  

Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas. Série Professor Criativo — Volume 3. ISBN 97...

Preview Design de Experiencias de Aprendizagem  

Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas. Série Professor Criativo — Volume 3. ISBN 97...

Advertisement