Page 1

Construindo cenรกrios de aprendizagem

Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa Thaisa Sampaio Sarmento Alex Sandro Gomes


Volume 6


Construindo cenários de aprendizagem

Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa Thaisa Sampaio Sarmento Alex Sandro Gomes

Pipa Comunicação Recife, 2019


Copyright 2019 © Thaisa Sampaio Sarmento, Alex Sandro Gomes e pipa comunicação. Reservados todos os direitos desta edição. É proibida a reprodução total ou parcial dos textos e projeto gráfico desta obra sem autorização expressa dos autores, organizadores e editores.

CapA e Projeto Gráfico Karla Vidal DIAGRAMAçÃO Augusto Noronha e Karla Vidal ILUSTRAÇÕES INTERNAS: Thaisa Sampaio Sarmento e Morgana Camila Revisão Os autores edição Pipa Comunicação - http://www.pipacomunica.com.br

Catalogação na publicação (CIP) Ficha catalográfica produzida pelo editor executivo Sa743

SARMENTO, T. F. C. S.; GOMES, A. S. Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa / Thaisa Francis César Sampaio Sarmento, Alex Sandro Gomes. – Pipa Comunicação, 2019. 332p. : Il., Fig., Quadros. (Série professor criativo: construindo cenários de aprendizagem - vol. 6) (e-book) 1ª ed. ISBN 978-85-66530-96-4 1. Educação. 2. Aprendizagem. 3. Aprendizagem criativa. 4. Escola. 5. Ambiente escolar. 6. Design de ambiente escolar. I. Título. 370 CDD 37 CDU c.pc:07/19ajns


Prefixo Editorial: 66530

http://www.livrariadapipa.com.br

Comissão Editorial Editores Executivos Augusto Noronha e Karla Vidal Conselho Editorial Alex Sandro Gomes Angela Paiva Dionisio Caio Dib Carmi Ferraz Santos Cláudio Clécio Vidal Eufrausino Cláudio Pedrosa Leila Ribeiro Leonardo Pinheiro Mozdzenski Clecio dos Santos Bunzen Júnior Pedro Francisco Guedes do Nascimento Regina Lúcia Péret Dell’Isola Ubirajara de Lucena Pereira Wagner Rodrigues Silva Washington Ribeiro


Su má rio 12 Prefácio 19 Parte 1

Breve história dos espaços de aprendizagem

21

As civilizações orientais e o desenvolvimento da

escrita

27

Princípios educacionais na Era Clássica - Grécia

e Roma

42

A educação na Idade Média

48

A aprendizagem no Renascimento e as corporações

de ofício

62

A Revolução Industrial e a educação de massa


65 A educação no Brasil: da Colônia ao Modernismo 70 Antes de ser moderno 75 87 89 91

Configurações de escolas modernistas Espaços escolares Montessorianos Espaços escolares Waldorf Influências de Anísio Teixeira em projetos

arquitetônicos escolares

96

Espaços de aprendizagem brasileiros no

final do século XX

102 Salas de informática 106 Desafios para a concepção de espaços de

113

aprendizagem de escolas brasileiras

Em busca de flexibilidades educacionais no período

Pós-Moderno

121 Aprendizagem centrada no estudante, um

novo paradigma

125 O digital e a aprendizagem contemporânea

132 Smart Classrooms

Su má rio


Su má rio

136 Ensino híbrido, Blended Learning 140 Inovar talvez seja eliminar as salas de aula:

o caso Vittra, na Suécia, e Quest to learn,

nos EUA

147 Qual é o lugar de aprendizagem na vida

mundana?

150 Referências 165 Parte 2

Conforto em ambientes de aprendizagem

166 A constituição do espaço de aprendizagem 175

Arquitetura bioclimática e o conforto ambiental


182 Como obter melhor desempenho térmico em

186 Como obter melhor desempenho lumínico em

aprendizagem?

194 Como melhorar a condição acústica nos

sala de aula?

191 Como usar cores no interior dos ambientes de

sala de aula?

ambientes de aprendizagem?

198 Como melhorar as condições de

acessibilidade física em salas de aula?

205 Ergonomia e dimensionamento para ambientes de aprendizagem

207 Como aprimorar as condições ergonômicas

globais do ambiente de aprendizagem?

211 Como escolher adequadamente o mobiliário

para espaços de aprendizagem?

215 Condicionantes culturais e sociais nos ambientes de aprendizagem

223 Uso de tecnologias digitais nos

ambientes de aprendizagem

Su má rio


Su má rio

223 Como aprimorar a infraestrutura para

uso de Tecnologia da Informação em

ambientes de aprendizagem?

224 Problemas posturais decorrentes do uso de

equipamentos digitais

228 Design responsável em intervenções em

ambiente escolar

231 Referências 241 Parte 3

Intervenções participativas em ambientes de aprendizagem

243 O projeto e o projetista

252 O processo de projeto pode ser criativo e participativo


259 Como o Design Participativo envolve os

usuários?

263 Design Participativo de ambientes escolares 268 Projetando com usuários

270 277 285 292 309 310

317

Considerações finais

Etapa 1 - IMERSÃO Etapa 2 - IDEAÇÃO Etapa 3 - REFLEXÃO Etapa 4 - IMPLEMENTAÇÃO Etapa 5 – USO Etapa 6 – AVALIAÇÃO

321 Referências

Su má rio


Prefácio

Estamos diante de um texto instigante, que convida o leitor a refletir sobre a Educação no Brasil, mais especificamente sobre o processo de projeto de edificações escolares. Espero que o excelente material que ela compartilha com aqueles interessados nas áreas de Design, Arquitetura e Urbanismo, seja utilizado por estudantes de graduação, professores e pesquisadores dessas áreas. Leonardo Salazar Bittencourt FAU-UFAL


Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa Leonardo Salazar Bittencourt Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFAL

A importância da Educação, para a formação de uma nação justa e democrática, é indiscutível. Um país com uma população sem educação é incapaz de escolher adequadamente seus representantes legais. Tende a ser governado por oportunistas carismáticos eleitos com o apoio de publicitários, e financiados por oportunistas ainda maiores. Nesse contexto, a discussão sobre Educação, em seus vários aspectos, constitui-se em tema de fundamental importância para o Brasil. Trata-se de um país que se caracteriza por fortes contrastes, formados, de um lado, pelo pensamento de intelectuais do quilate de Paulo Freire e Anísio Teixeira, e por outro lado, pelo descaso com que os governantes tratam a questão educacional. Que convive com a excelente qualidade dos Colégios de Aplicação e a precariedade das escolas rurais. Entre as temáticas pouco abordadas pelas instituições responsáveis pela Educação estão aquelas concernentes às edificações escolares. Este livro vem de encontro à necessida-

13


Design de Ambiente Escolar para Aprendizagem Criativa

de de conhecer e discutir os múltiplos tópicos envolvidos na concepção e construção de escolas, no panorama brasileiro. Escrito em linguagem clara e objetiva, começa com um breve panorama sobre a evolução das escolas ao longo do tempo, no Ocidente, com destaque para o cenário nacional no período do Modernismo e a contribuição do educador Anísio Teixeira. Em seguida, aborda a demanda por novas configurações espaciais capazes de abrigar abordagens pedagógicas como as de Montessori e Waldorf, bem como novos enfoques. A questão se reveste de fundamental importância para o Design escolar e remete para a necessidade dos projetistas de edificações escolares de conhecer melhor as diferentes abordagens pedagógicas e seus reflexos na espacialidade dos ambientes concebidos. Entre as demandas, encontra-se a flexibilidade de uso desses ambientes, bem como, a adoção de novos paradigmas como a abordagem centrada no aluno e a aprendizagem nos tempos digitais, passando pela eliminação dos espaços de salas de aula, como no caso Vittra, na Suécia, e na Quest to learn, nos EUA. Neste sentido, o questionamento sobre a forma mais adequada para os ambientes de aprendizagem, certamente, suscitará importantes discussões nas escolas de Arquitetura e Design, da mesma forma que o item referente ao uso de cores nos diversos setores que compõem uma edificação escolar.

14


prefácio

A segunda parte do livro, dedica-se às questões relacionadas ao conforto ambiental e ao bioclimatismo nos espaços escolares. Associado ao conceito de conforto ambiental e arquitetura bioclimática, está a chamada eficiência energética em edificações, que representa o grau de desperdício (ou de economia) da energia necessária para a operação e manutenção de um imóvel. O desempenho termo energético de uma construção depende de muitos fatores, entre eles, dos padrões arquitetônicos adotados pelo projetista. O desempenho de cada padrão depende de sua configuração e das características climáticas do local onde será implantada e escola. Não é difícil deduzir, portanto, que uma edificação projetada para a cidade de Santa Maria/RS, que apresenta invernos frios, deveria ter uma configuração diferente daquela recomendada para o sertão nordestino. Não obstante, as instituições responsáveis pelas escolas brasileiras teimam em adotar propostas-padrão para serem implantadas em todo o território nacional, a despeito das difereças regionais. Essa generalização tem produzido edificações inadequadas ao clima, desperdiçando as chances de demonstrar o potencial da ventilação natural para refrescar os espaços arquitetônicos; ou do sol para produzir aquecimento em sala de aula.

15


Design de Ambiente Escolar para Aprendizagem Criativa

As escolas construídas desconsiderando o clima local tenderão a gerar elevadas contas de luz na tentativa de obter espaços minimamente confortáveis para o desenvolvimento das atividades escolares. As elevadas contas de eletricidade assim geradas, além de reduzir os parcos recursos destinados à administração escolar, impactam negativamente o meio ambiente e a economia. A necessidade de ampliar a geração da energia para cobrir uma grande parcela que está sendo desperdiçada, aumenta a demanda por recursos financeiros necessários a essa geração, desviando uma parte dos recursos que poderiam ser alocados em saúde pública, habitação e até mesmo em Educação no país. O livro elenca medidas a serem adotadas para melhorar o desempenho térmico, lumínico e acústico, sem esquecer as questões relativas à acessibilidade e à ergonomia dos espaços de ensino, particularmente daquelas associadas ao uso de equipamentos digitais. Os autores chamam a atenção para a necessidade de se considerar adequadamente a influência das diferenças socioculturais na configuração dos ambientes escolares de modo a abrigar diferentes visões de mundo. A terceira e última parte do livro trata de questão polêmica: a participação dos usuários na concepção do edifício escolar. Se por um lado, verifica-se a falta de treinamento técnico profissional dos usuários para lidar com certos aspectos

16


prefácio

da obra; por outro lado, a participação dos usuários permite identificar as demandas e necessidades daqueles que efetivamente usarão as escolas. Um processo projetual, dividido em seis etapas, que envolve a participação dos usuários é apresentado e discutido, contribuindo para o debate sobre o papel do arquiteto e do designer. Aprecie a leitura deste livro.

17


Sobre os autores


Thaisa Sampaio Sarmento A arquiteta e professora da UFAL, Thaisa Sampaio Sarmento foi bolsista do então Programa de Educação Tutorial em Arquitetura e Urbanismo (PET/ ARQ) entre 1998 e 2000. Fez o Mestrado em Dinâmicas do Espaço Habitado na UFAL e Doutorado em Design, na UFPE. Iniciou sua carreira docente em 2006, no período da interiorização das IFES, tendo contribuindo com o ensino de graduação em Arquitetura e Urbanismo, e ao mesmo tempo com o plano diretor e projetos de edificações escolares para o Campus Arapiraca da UFAL. Nesse período, chamava a atenção o espírito empreendedor que sempre apresentou. Desde 2014, é professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFAL, e líder do grupo de Pesquisa Interseções entre Design e Ambiente Contruído – IDEA.

Alex Sandro Gomes O engenheiro e professor da UFPE, Alex Sandro Gomes atua no Centro de Informática – Cin da UFPE desde 2001. Fez Mestrado em Psicologia Cognitiva e Doutorado em Educação na Université de Paris V - Rene Descartes. É líder do Grupo de Pesquisa Cognitive Science and Educational Technology – CCTE. Alex Sandro acumula mais de 20 anos de experiência liderando e colaborando com pesquisas e com o desenvolvimento de projetos que envolvem design de tecnologias para fomentar experiências de aprendizagem.

331


Construindo cenários de aprendizagem Vai referenciar esta obra? Saiba como: SARMENTO, T. F. C. S.; GOMES, A. S. Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa. Recife: Pipa Comunicação, 2019. 332p. (Série professor criativo, VI).

Acesse nosso website: www.professorcriativo.com.br Curta nossa fanpage: www.facebook.com/serieprofessorcriativo


Conheça os demais volumes da SÊrie Professor Criativo

Volume 1

Volume 2

Volume 4

Volume 3

Volume 5


Construindo cenários de aprendizagem

‘Estamos diante de um texto instigante, que convida o leitor a refletir sobre a Educação no Brasil, mais especificamente sobre o processo de projeto de edificações escolares. Espero que o excelente material que ela compartilha com aqueles interessados nas áreas de Design, Arquitetura e Urbanismo, seja utilizado por estudantes de graduação, professores e pesquisadores dessas áreas.’

— Leonardo Salazar Bittencourt Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFAL

Profile for Série Professor Criativo

Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa  

O sexto volume da Série Professor Criativo apresenta os resultados dos estudos desenvolvidos pelos pesquisadores Thaissa Sampaio Sarmento e...

Design de ambiente escolar para aprendizagem criativa  

O sexto volume da Série Professor Criativo apresenta os resultados dos estudos desenvolvidos pelos pesquisadores Thaissa Sampaio Sarmento e...