Page 1

PORTFOLIO

SÉRGIO PORTO | ARQUITETURA & URBANISMO


sĂŠrgio porto portfolio

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil | 2014


índice

curriculum

04 projetos Residencial Salles Biblioteca Engenho de Dentro Loja FOLIC

06 16 26

expressão gráfica

36


INFORMAÇÕES PESSOAIS Nascimento: 14 de Maio de 1992 Nacionalidade: Brasileiro Contato: sesp.eduardo@gmail.com +55 21 986764164

FORMAÇÃO 2007-2009

Ensino Médio e Técnico em Eletrotécnica Centro de Excelência em Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ)

2011-atual

Graduação em Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

FORMAÇÃO COMPLEMENTAR 2013 2013

Workshop em Acessibilidade – Orientação para projetos acessíveis Núcleo Pró-acesso/PROARQ /UFRJ Curso “A Vegetação Nativa em Projetos Paisagísticos” Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio de Janeiro Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas

HABILIDADES SOFTWARES

IDIOMAS

AutoCAD 2D

Adobe Illustrator

Inglês

Corel DRAW

Adobe Photoshop

Italiano

Sketch Up Pro

Adobe InDesign

Francês

3ds Max

Microsoft Office


curriculum ATIVIDADES ACADÊMICAS 2013-atual

Bolsista de Extensão do Núcleo Pró-Acesso (NPA/PROARQ/UFRJ) Núcleo de pesquisa, ensino e projeto sobre acessibilidade e desenho universal Orientação: Cristiane Siqueira Duarte / Regina Cohen

2013-atual

Pesquisador de Extensão no Núcleo Pró-Acesso (NPA/PROARQ/UFRJ) Pesquisa: Averiguação de Acessibilidade e Desenho Universal nas Instalações da Copa do Mundo da FIFA 2014 no município do Rio de Janeiro e seus impactos no Turismo Inclusivo. Orientação: Cristiane Siqueira Duarte / Regina Cohen

2013-atual

Pesquisador Iniciação Científica no Laboratório de Estudos Urbanos (LeU/PROURB/UFRJ) Pesquisa: Culturas urbanas e pensamento urbanístico no Brasil Orientação: Margareth da Silva Pereira

2014-atual

Monitoria de Crédito da disciplina Análise da Forma Urbana e da Paisagem II (AUP2/DPUR) Orientação: Patrícia Maya Monteiro

ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES 2011

Monitor na Exposição FAU 65 anos [re]conexão e futuro Centro de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro

2011

Exposição de trabalhos da disciplina Desenho de Observação I DARF – FAU – UFRJ

2012

Exposição CLAlouros CLA – UFRJ

2013

Exposição EXPO FUGA DARF - FAU – UFRJ

2013

2ª edição da exposição “Que História é essa?” DHT - FAU – UFRJ

2013

4º Colóquio de Pesquisa PROARQ Representando o Núcleo Pró-acesso – PROARQ – UFRJ

2013

10º Congresso de Extensão da UFRJ Representando o Núcleo Pró-acesso – PROARQ – UFRJ

2014

Exposição da disciplina Projeto de Interiores DPA – FAU - UFRJ


RESIDENCIAL

SALLES

PROGRAMA: LOCAL: ORIENTAÇÃO: ANO:

residencial - 80% / comercial - 20% Catete, Rio de Janeiro - RJ Carlos Feferman / Andréa Rego 2012-2013

O projeto consiste de edifício residencial com embasamento comercial inserido em lote de esquina, com partido que busca intermediação entre áreas de domínio privado e a cidade. Com 25 apartamentos e 5 lojas, além de pavimento de uso comum, sua implantação permite que o mesmo delimite espaço de uso comum no centro do terreno, de forma que possua conexões visuais diretas com os espaços públicos do entorno através de cobogós. Isso visa não só a ‘respiração’ do edifício, possibilitando a entrada de luz e ar, como possibilita quebra da alta densidade edificada na quadra.


1

2

4

3

Largo do Machado, Catete

CONTEXTO

1

A área de intervenção encontra-se no Largo do Machado, bairro do Catete, zona sul da cidade do Rio de Janeiro. Seu entorno é composto por escolas, restaurantes, lojas e um centro cultural – o Oi Futuro – além de ser uma região com grande concentração de comércio e próximo a grandes espaços livres públicos. O terreno oferece um desafio, pois seus limites internos são tomados por empenas cegas, impedindo o sol da manhã. Possui esquina privilegiada com vista para o Largo do Machado, além de ter característica de fechamento de quadra.

2

3

1 – Rua do Catete, calçadão em frente ao terreno; 2 – Esquina da Rua do Catete com a Rua Irineu Bornhauser; 3 – Rua Arno Konder, estacionamento; 4 – Largo do Machado.

4


salles

1

2

3

HIPÓTESES

Bloco inicial, de massa equivalente ao ATE.

evolução da hipótese 03

Qualificação do pátio interno, ampliando ventilação, iluminação e diálogo com os logradouros adjacentes.

Determinação de espaço interno. Pátio como elemento estruturador do efifício

Ajustes da forma de acordo com a necessidade de ventilação e privacidade às unidades residenciais ao delimitar acesso e PUC.


A’ A

PAVIMENTO - TIPO RESIDENCIAL

A’ A

PAVIMENTO DE USO COMUM


salles

A’ A

PAVIMENTO TÉRREO

CORTE A - A’

Técnico

Residencial

P.U.C. Comercial Garagem


RUA DOIS D

RUA DO CATETE

E DEZEMBR

OI FUTURO

3 1

2

LARGO DO MACHADO

PRAÇA IRINEU BORNHAUSER

GALERIA SÃO LUÍS

RUA DO CATETE

O


salles Foi elaborada intervenção paisagística no contexto urbano imediato ao edifício além do seu pátio interno, compreendendo toda a quadra. A proposta defende o fechamento das ruas Irineu, Arno Konder e a projetada pois assim teriam seu potencial atingindo ao deixá-las exclusivas para pedestres. Foram distribuídas áreas de permanência, vegetadas, voltadas para o comércio de ambulantes, inclusive ao comércio formal. Este último exige uma pequena circulação de veículos, próximo onde há entrada pontual de garagem e aproveita-se para um pequeno estacionamento.

1

pátio interno do edifício projetado

2

espelhos d’água e mobiliário em níveis

Visando a demanda do Oi Futuro cria-se um corredor cultural através do fechamento das ruas para veículos, além da elaboração de equipamentos urbanos que permitem a mescla com as possíveis atividades culturais promovidas pelo espaço cultural.

3

setor infantil em frente ao Oi Futuro


salles

módulos de esquadrias, placas e luminárias

Na intenção de configurar um ícone na paisagem, a fachada principal (Sul) foi projetada intercalando placas de alumínio micro-perfuradas (devido ao conforto ambiental) e de luminárias junto as esquadrias.

corte da fachada sul


BIBLIOTECA

ENGENHO DE DENTRO

PROGRAMA: LOCAL: ORIENTAÇÃO: CO-AUTORIA: ANO:

biblioteca infanto-juvenil Engenho de Dentro, Rio de Janeiro - RJ Vera Regina Tangari Artur Martins Picamilho 2013

A intenção do projeto é elaborar biblioteca pública voltada principalmente para crianças de até 12 anos, no bairro do Engenho de Dentro, local que carece de edificação que contenha esse programa. Foi adotada a tipologia arquitetônica agrupada, onde diversas funções do programa se distribuem em edificações distintas. Essa tipologia permite maior domínio do terreno, criação de espaços livres que se conectam com as edificações e hierarquização destes mesmos espaços.


2

CONTEXTO

1

O área de intervenção de 18230,45m² , é próximo do Estádio João Havelange (Engenhão) e da Linha Amarela (importante via expressa da cidade). O seu entorno tem configurações distintas, tendo ao Norte o recente condomínio residencial Arena Park despontando do skyline da região, ao Oeste conjuntos habitacionais e a Leste a favela Belem-Belem. O acesso a todos esses locais são dificultados por barreiras como o Rio Farias e a própria Linha Amarela.

1

É visto, então, como necessidade do programa que a biblioteca atue como conector dessas realidades, oferecendo a possibilidade de ser usufruída por todos os públicos presentes no entorno.

2

1 - condomínio Arena Park, separado pelo Rio Farias da área de intervenção; 2 - conjunto habitacional de acesso pela passarela que corta a Linha Amarela; 3 - Estádio João Havelange; 4 - Estação de Trem do Engenho de Dentro, próxima ao Engenhão.

3

4 4 Enegenho de Dentro

3


LANDA AMADO

CONJUNTO HABITACIONAL

RLOS LACERDA

Av. HENRIETE DE HO

CA Av. GOVERNADOR

IS

RUA JOSÉ DOS RE

RUA JOSÉ DOS RE

IS

ADA ROJET

RUA P

GARAGEM DE ÔNIBUS

Para a implantação, priorizou-se uma questão social ao criar eixo longitudinal que atravessa o terreno e conecta os públicos ao redor, buscando beneficiar a todos. Além disso, os edifícios delimitam uma praça pública, concedendo espaço livre para os moradores usufruirem.


biblioteca Próximo á passarela da Linha Amarela, área de maior circulação de veículos e pedestres, concentrou-se atividades de maior dinâmica, o acesso ao estacionamento na biblioteca e o acesso ao bloco público, pontuado por setores de permanência curta. Na fronteira com a comunidade Belém-Belém, optou-se por áreas de permanência prolongada, com vegetação abundante, além de espaço infantil. O uso de vigas calhas como cobertura do acervo da biblioteca possibilita flexibilidade em soluções de conforto ambiental com possibilidade de implantar nelas shed para ventilação e iluminação, teto jardim e sistema de reaproveitamento de água da chuva.

sistema estrutural viga calha e pilar duplo

ZONEAMENTO E ESTUDO DO FLUXO DE PEDESTRES

auditório praça atend. público biblioteca

skate estacionamento

CORTE LONGITUDINAL DO TERRENO

espaço infantil

jardim


BLOCO 01 - BIBLIOTECA B

A

A’

B’

CORTE B - B’

TÉRREO - BIBLIOTECA


biblioteca Por questões funcionais o acervo necessita estar em conjunto das funções técnico/administrativas. Para diferenciar os espaços foram criados dois volumes, um maior para o acervo e leitura e um menor para a área técnica. Essa diferenciação das dimensões dos espaços exigiu diferentes soluções estruturais para o bloco da Biblioteca.

mobiliário no hall de entrada

CORTE A - A’


BLOCO 02 - ATENDIMENTO AO PÚBLICO

A’

B’

B

A

TÉRREO - ATENDIMENTO AO PÚBLICO

CORTE B - B’


biblioteca Por se tratar de um bloco com funções voltadas para o público, foi implantado de frente para a zona de maior movimento, onde se encontram as escolas municipais, o posto de saúde e a passarela de travessia da Linha Amarela (forte elemento de conexão da região). Nele se encontram as funções de apoio para a população local, como salas de oficinas, sala de informática e sala Meu Bairro. A sala Meu Bairro atende aos moradores de acordo com suas necessidades, estando à disposição dos mesmos 24h por dia. Neste espaço, aberto à intervenção de seus usuários, podem ocorrer reuniões, workshops e atividades culturais.

CORTE A - A’


BLOCO 03 - AUDITÓRIO

B

A

A’

B’

TÉRREO - AUDITÓRIO

CORTE B - B’


biblioteca Encontra-se voltado para a Praça Central do terreno e também de frente para a zona de maior movimento, porém não tão próximo. Assim levou-se em consideração que esse elemento deveria ser marcante para em conjunto com a praça atrair o público para o espaço da biblioteca. Aproveitando o partido da tipologia que possibilita diferentes identidades para as edificações do conjunto, criou-se uma forma um pouco mais diferenciada do contexto no entorno, que desperte a curiosidade do público.

Adotou-se um partido estrutural de treliças metálicas para vencer os grandes vãos desse espaço e por conta de sua forma diferenciada essa estrutura deveria ser leve para não aumentar o peso-próprio das lajes.

croqui de sistema estrutural por treliças metálicas

CORTE A - A’


LOJA

FOLIC

PROGRAMA: LOCAL: ORIENTAÇÃO: CO-AUTORIA: ANO:

comercial Botafogo, Rio de Janeiro - RJ Stella Hermida Artur Martins Picamilho 2013

O projeto consiste na elaboração de uma nova ‘loja-conceito’ para a FOLIC, marca nacional de vestuário e acessórios femininos. O conceito foi fundamentado não só no perfil da FOLIC, mas como também no de sua clientela, respeitando seus gostos, assim, o tema adotado foi o de ‘cinema’. O programa, então, vai além do normalmente encontrado no comércio, não só apresentando uma pequena sala de cinema, mas também oferecendo aos compradores FOLIC banheiro e café, fora espaços propícios para exposições artísticas e a venda/lançamento de livros.


Shopping Rio Sul, Botafogo

CONTEXTO Foi escolhido para a nova loja espaço no segundo andar do shopping Rio Sul, lojas B22a, B23 e B24/B24a que somam uma área de aproximadamente 250 m². A escolha foi de acordo com o fluxo comum ao perfil de clientela da marca FOLIC.

1

2

3

4

1 - Corredor de acesso à loja; 2 - Loja LE LIS BLANC DEUX - em frente a loja selecionada; 3 - Espaço de permanência em frente à loja selecionada; 4 Corredor de acesso à loja.


B

C

A

A’

B’

TÉRREO

C’


folic

conexão café-provador-exposição - térreo

conexão café-provador-exposição - térreo


B

C

A

A’

B’

MEZANINO

C’


folic

entrada do cinema - mezanino

sala de cinema - mezanino


CORTE B - B’


folic

CORTE A - A’

CORTE C - C’


café e exposição - térreo

provador - térreo


folic

café e exposição - térreo

sanitário - térreo


EXPRESSテグ

GRテ:ICA


2

1 - lรกpis aquarelรกvel branco sobre color plus preto; 2 - grafite sobre papel papel kraft; 3 - grafite sobre papel kraft.

1

3


grรกfica

4

4 - nanquim e magic color sobre canson colorido; 5 - nanquim sobre canson colorido; 6 - aquarela sobre canson.

5

6


grรกfica

7 - aquarela sobre canson; 8 - aquarela sobre canson.


SEMINÁRIOS PROURB apresenta

Carlos Feferman DE AMÉRICA SUR A LATIN AMERICA Dos decadas de evolución en el conocimiento y entendimiento de la arquitectura latino americana.

Arquiteto e Urbanista (1997) e mestrado em História da Arte (2000) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Doutorado em Urbanismo pelo PROURB-UFRJ (2007), tendo feito Estágio Doutoral no Institut d'Urbanisme de Paris (2005).

A Cidade Linear e o Urbanismo Moderno

Professora Titular na Escuela Técnica Superior de Arquitectura da Universidad Politécnica de Madrid (ETSA-UPM) desde 2009. Doutorado pela UPM no programa Teoria e História da Arquitetura em 2008. Arquiteta e PhD Summa Cum Laude, ganhou o Prêmio Extraordinário de Doutorado UPM e Menção Especial em "Urbanismo, Arquitetura e Obras Públicas" XXII Awards. Redatora das revistas AV Monografías e Arquitectura Viva, 1999-2002.

02/12 12:00h

Atelier I - sala 521 - PROURB Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro Av. Reitor Pedro Calmon 550 - 5º andar Cidade Universitária - Rio de Janeiro - RJ

12/03, quarta 11:30h

Atelier PROURB - sala 521 Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro


gráfica

Produção de cartazes de divulgação para eventos promovidos pelo Laboratório de Estudos Urbanos (LeU/PROURB/UFRJ), pelo Laboratório de Análise Urbana e Representação Digital (LAURD/PROURB/UFRJ) e pelo PROURB/UFRJ, em parceria com CNPq, CAPES, Fundação Casa de Rui Barbosa e IAB-RJ no período de novembro de 2013 até o presente, como a série SEMINÁRIOS PROURB e a série DIÁLOGOS FRANÇA-BRASIL 2.


Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil | 2014

Portfólio Arquitetura e Urbanismo | Sérgio Porto 2014  

Portfolio with selected projects and activities about architecture and urbanism developed at FAU - UFRJ by Sérgio Porto, between 2011-2013.