Issuu on Google+

MatĂŠria e PoĂŠtica: uma abordagem sobre o elemento material na obra de arte

SerjĂŁo Augusto


A matéria é nosso espelho energético. Gaston Bachelard

A pesquisa aqui apresentada vem sendo desenvolvida, principalmente a partir do trabalho Igor (2007), que propôs a intervenção com sal sobre uma escrivaninha do próprio espaço de exposição. Assim, a incorporação dos elementos simbólicos associados ao sal mesclaram-se aos pré-existentes e presentes no objeto e no lugar. Em Síndrome do Colonizador (2010) outros elementos, como áudio e texto, foram incorporados ao sal, enfatizando referências políticas e relações de hierarquia e poder. A série Mulher de Ló (2012) foi o primeiro trabalho produzido no período do Mestrado, tendo sido importante como elemento disparador de reflexões e, sobretudo, observações quanto à transformação do sal em contato com o metal. A partir daí muitas experiências foram realizadas, no intento de proporcionar diálogos entre o sal e metais, bem como colocá-lo em contato com outros materiais, buscando construir diálogos com os autores e intuições que surgiram neste percurso. Desta forma, este recorte pretende mostrar de maneira resumida o trajeto que foi desenvolvido, até este momento, dentro da pesquisa acadêmica e artística. “(...)em todas as eras, atribuiu-se ao sal um significado que excede em muito àquele inerente em suas propriedades naturais. O fato de que isso tenha se repetido em todas as partes do mundo e em todas as épocas mostra que estamos lidando com uma tendência humana geral e não com um costume, circunstância ou conceito local.” Ernest Jones

IGOR | sal, móvel de madeira | 200 x 100 x 150 cm | 2007


SรNDROME DO COLONIZADOR sal, pรกrabrisas automotivos, arame, resina, รกudio | 300 x 350 x 300 cm | 2010 IGOR | sal, mรณvel de madeira | 200 x 100 x 150| cm | 2007


“...a cadeira representa um tipo de anatomia que é humana, e é ocupada pela área dos órgãos ligada a processos digestivos, excretivos e sexuais, onde ocorrem interessantes transformações químicas relacionadas psicologicamente ao desejo” Joseph Beuys

CADEIRINHA | sal, acrílico, madeira, resina, luz | 70 x 70 x 60 cm | 2012


CAVALETE da série MULHER DE LÓ | sal, madeira, metal, resina, luz | 120 x 200 x 200 cm | 2012 vista e detalhe


OUTROS TRABALHOS | sal, metal, objetos diversos, resina | 2012/13


MATER | sal, ferro, prata, resina | 60 x 160 x 60 cm | 2012 vista e detalhe


SรNDROME DO COLONIZADOR | sal, pรกrabrisas automotivos, arame, resina, รกudio | 300 x 350 x 300 cm | 2007

PROMETEU | sal, metal e resina | 80 x 50 x 50 cm | 2012 vista e detalhes


INTRO | sal, metal, resina, luz | 120 x 100 x 110 cm | 2012 vista e detalhe


A matéria é nosso espelho energético. Gaston Bachelard

A MATÉRIA É O NOSSO ESPELHO ENERGÉTICO | sal, desenho sobre latão, caixa de vidro | 30 x 30 x 2 cm | 2013 imagens em fevereiro e junho de 2013, respectivamente


MÁSCARA DE SI VER | sal, vidro | dimensão variável | 2013 máscaras de vidro penduradas com sal no interior. Perfuradas deixam o sal líquido pingar.


FALO | sal, metal, resina, fibra de vidro | 80 x 180 x 80 cm | 2013


LEBRE | sal, resina | 15 x 20 x 02 cm | 2013 os objetos são deixados em diversos locais no detalhe Intervenção realizada em junho/13 no Sesc Nova Iguaçu/RJ


HIPOPÓTAMO | sal, resina | 20 x 10 x 10 cm | 2013 os objetos são deixados em locais diversos


PĂ SSALRO | sal, metal, resina | 25 x 10 x 10 cm | 2013 os objetos sĂŁo deixados em locais diversos


Matéria e Poética: uma abordagem sobre o elemento material na obra de arte.