Page 1

Sergi ArbusĂ


PROJETO O Cubo, um cubo de gelo maciço, de 10m x 10m x 10m (1000m3) situado na praça Tiradentes do Rio de Janeiro. O cubo de gelo será esculpido pelas inclemências meteorológicas e pelo tempo, até derreter. A obra será instalada no verão, melhor período se considerada a inclinação do sol, mais especificamente do dia 13 de dezembro até descongelar completamente, que estimamos acontecerá no 31 de janeiro de 2017. Objetivo O Rio de Janeiro é uma cidade com grande potencial cultural e reconhecida presença mundial. Desde os tempos de Capital Federal, é considerada vanguardista na arte e um símbolo da cultura. Cidade com grandes referências musicais, arquitetônicas, principalmente nos movimentos modernistas de pós-guerra e artísticas em geral. Nos últimos anos, foi a sede de relevantes eventos culturais, ambientais e esportivos, entre eles se destacam a Conferência das Nações Unidas Rio+20 em 2012, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Por estas razões e tantas outras, a Cidade escolhida para realizar a peça tem uma importância cultural considerável em relação ao Brasil e ao Mundo. Rio de Janeiro é uma cidade do litoral sudeste do Brasil, país que contém a maior reserva de água doce do mundo, em uma área de clima tropical, onde a flora é abundante e exuberante. Uma metrópole situada em uma região de vasta hidrografia, composta por grande número de rios e lagoas. Nesta condição, pode-se dizer que a região geográfica onde localiza-se o Rio de Janeiro não é, na sua essência, caracterizada pela escassez hídrica, no entanto, o racionamento de água não é uma situação estranha para os habitantes da cidade e isto nos leva para um ponto, certamente, mais político. O Cubo é uma obra que será realizada com água de reúso, um recurso que a Cidade está implementando e que atende à demanda de redução do consumo e da poluição, nos aproximando a um consumo mais responsável e sustentável da água, recurso de vital importância. A Obra será situada na Praça Tiradentes na Cidade do Rio de Janeiro. Praça que, como afirma o Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IRPH), é “uma das regiões mais representativas na vida e na formação da personalidade carioca”. A finais do século XIX e início do século XX, a Praça foi um importante lugar de encontro de artistas e personalidades ligadas à cultura. Centro da região que concentrava a maior parte dos teatros cariocas, a Praça Tiradentes foi, literalmente, o palco da evolução da dramaturgia brasileira e de todos os principais autores da época. Durante os últimos anos, devido à consolidação do Centro como centro financeiro e comercial, a região ficou abandonada; a pouca ocupação residencial fez da área central da Cidade um lugar muito movimentado de dia e vazio à noite e nos finais de semana. A partir de 1983 com o projeto Corredor Cultural e recentemente com outros tantos projetos, se começa a trabalhar para a revitalização do local e, juntamente com o projeto Tiradentes Cultural, o Cubo pretende ajudar a consolidar a Praça como polo cultural da Cidade, condição que não deveria ter perdido nunca. Por estas razões, por ser a Cidade que escolhi para viver e pela qual estou completamente apaixonado, que a proponho para acolher a obra, O Cubo. Justificativa O projeto busca, assim como outras propostas artísticas, levar a arte para as ruas e chegar a todos os públicos. Interessa tanto o espectador mais especializado como o menos familiarizado com essa linguagem; interessa tanto o espectador que vai para ver a obra como o que a encontra no meio do seu caminho. Uma proposta que pretende, além de oferecer uma experiência estética, abrir um núcleo de debate sobre o tema da água. Durante a exibição da Obra, serão articulados eventos, encontros e palestras, para tratar de assuntos relativos à água e suas políticas, como também organizados eventos festivos no entorno da Obra, a combinar com o Patrocinador.


Particularidades Trata-se de um cubo de gelo de 1000m3 no meio da cidade, similar ao cubo de gelo de uso doméstico, porém infinitamente maior. É água. É uma enorme massa que pesa 1000 toneladas e vai derretendo, agonizando em frente ao espectador. Por um lado, é majestoso, sublime; por outro é frágil, temporário, efêmero. A obra será construída na própria Praça. A instalação de uma Câmara Refrigeradora de 12m x 12m x 12m fornecerá a temperatura necessária para congelar a água, que será colocada em camadas de 20cm de altura, até chegar aos 10m, deixando-se congelar a camada inferior antes de adicionar a seguinte. Este processo é escolhido por possibilitar a fabricação de um cubo destas dimensões sem a necessidade de se instalar uma represa que suporte um milhão de litros de água. Para isto, será instalado um molde contentor removível, construído a partir de uma estrutura tubular e uma lona PVC. A água utilizada para fazer a peça será Água de Reúso da Estação de Tratamento de Esgoto da Penha, no Rio de Janeiro. Como é uma Obra de peso considerável, antes de sua instalação propriamente dita, será realizado um estudo geológico no local com o objetivo de se apurar a necessidade de uma fundação que sustente o peso da peça para, que de nenhuma maneira, se corra o risco de danificar o entorno da Praça. Em levantamento já realizado, constatamos que não há nenhum tipo de instalação que atravesse o subsolo da Praça, tampouco linha de metrô ou estacionamento. Cronograma da montagem Instala-se a estrutura inferior que atuará como delimitadora da peça e será o espaço de informação e patrocínio. Uma estrutura realizada a partir das peças modulares de treliça conhecidas como truss. A Estrutura terá ainda quatro aberturas que, a partir de bombas, conduzirão a água derretida ao sistema de coleta de águas pluviais. Neste ponto, instala-se também a base isolante, que fará parte da câmara refrigeradora, para evitar a troca de temperatura que aconteceria entre o frio da peça e o calor do chão.

Instala-se a Estrutura/Molde que conterá a água, uma estrutura de andaime metálico com seu interior revestido de tecido plástico PVC. O tecido plástico será feito na cor cinza claro e, na parte que forra a base da estrutura, terá textura para evitar o movimento do cubo.


Posteriormente, ergue-se a Câmara Refrigeradora, em volta da Estrutura/Molde que conterá a água, possibilitando que se alcance a temperatura ideal para o congelamento da peça. Instala-se a máquina refrigeradora e conecta-se ao sistema elétrico.

Enche-se o Contentor/Molde de água em camadas de 1000cm x 1000cm x 20cm, 20.000 litros de água, e congela-se uma a uma. Uma vez a camada inferior congelada, adiciona-se a camada seguinte até chegar à altura total da peça.


Quando a peça toda estiver congelada, retiram-se todos os elementos o mais rápido possível, deixando o cubo e a estrutura inferior.

A partir daqui, a peça esta pronta, exposta e a mercê do clima e do tempo.

Todo este processo será documentado, assim como o processo de derretimento da peça e os depoimentos dos visitantes. Cronograma do projeto Pré-produção / 15 set 2016 a 01 fev 2017 Com o projeto, começar a divulgar a proposta, em busca de uma empresa interessada no patrocínio, e apresentá-la ao Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, a fim de obter permissão e apoio para a realização da Obra. A partir daí entrar em contato com todas as empresas que irão participar na construção da peça e estabelecer um cronograma de montagem. Financiamento / 01 fev 2017 a 01 jun 2017 Inscrever o projeto na Lei Rouanet e outras leis de incentivo à cultura e começar a captação de recursos para financiá-lo e viabilizá-lo.

Fechar os contratos com todas as equipes.

Produção / 01 jun 2017 a 13 dez 2017 · Realizar a peça: · Sondagem geológica (01 jun a 01 ago) · Fundação, se necessária (01 ago a 01 nov) · Instalação da Base (01 nov) · Construção Molde/Contentor (02 nov a 07 nov) · Construção Câmara Frigorífica (08 nov a 14 nov) · Congelar a água (14 nov a 28 nov) · Desarmar o Molde/Contentor (29 nov a 6 dez) · Desarmar a Câmara Frigorífica (10 dez a 12 dez) · Divulgar nos meios de comunicação. · Acompanhar e registrar todos os processos da montagem.


Exposição / 13 dez 2017 a 31 dez 2017 · Inauguração da Obra (13 dez 2017) · Eventos, encontros, palestras e festividades entorno do assunto da água e suas políticas, a serem definidos. · Acompanhar e registrar a exposição da peça, documentar as impressões dos visitantes e o próprio derretimento da peça. Pós-produção / 01 jan 2018 a 01 abr 2018 · Análise final. · Prestação de contas e finalização do Projeto. · Finalização Projeto Audiovisual de documentação. Ficha técnica · Diretor: Sergi Arbusà · Produtor: Inusitado Design · Geólogo: Johannes Stein, Envirogeo · Engenheiro: A definir · Construtora: A definir · Produtora Audiovisual: Malícia Visual · Documentação Time-Lapse: Huoliver · Designer de iluminação: Tamara Torres · Comunicação: Banana Brasil · Assessor de Imprensa: Silas Martí · Captador de recursos: A definir · Contador: A definir · Advogado: A definir · Segurança: ADT Brasil Materiais · Água: Água de Reúso da Estação de Tratamento de Esgoto da Penha, Rio de Janeiro. CEDAE. · Eletricidade: Eletricidade da fonte ou de um gerador. Light. · Câmara Fria: Termckal do Brasil · Mâquina refrigeradora: A definir · Estrutura de Andaimes: Feeling · Estrutura contentora da peça: Feeling · Plástico para realizar o molde, PVC: Delta Vinil · Bombas d’água: A definir · Mangueiras: A definir · Fiação elétrica: A definir · Iluminação: Green Solar · Banners de publicidade e informação: A definir · Câmeras de vídeo e fotografia: A definir Contrapartidas (RETORNO) ao Patrocinador e à Cidade A principal contrapartida ao Patrocinador é o financiamento e participação em um projeto cultural, que pretende levantar questões relativas ao consumo responsável, criar consciência ecológica e apontar para novas políticas deste recurso tão importante. Por outro lado, o Projeto não é pequeno e, desde a organização, será feito um exaustivo trabalho de comunicação e divulgação.


Somando isto ao fato de que a peça será instalada no Centro da Cidade, por onde passam mi lhares de pessoas diariamente, a visibilidade que o projeto pode atingir é incalculável. Além disso, já que o projeto concorrerá aos favores de leis de incentivo à cultura, como a Lei Rouanet, o Patrocinador será contemplado pelos benefícios por elas oferecidos. A principal contrapartida à Cidade é acolher um projeto cultural destas características, junto com o evento onde se discutirão e divulgarão questões relativas à água, em um lugar culturalmente representativo da Cidade, que, se juntado às políticas implementadas, ajudará a revitalizar a Praça. Por último, em relação à parceria público-privada que esta obra propõe, estamos abertos a tratar outras possíveis trocas e contrapartidas que os dois agentes mais importantes para a viabilização da Obra, a Cidade e o Patrocinador, acharem convenientes. A seguir, uma listagem mais específica de como o Patrocinador e eventuais Colaboradores se relacionariam com a Obra. Inserção destacada de logomarca em qualidade de Patrocinador em: · Material gráfico geral · Banner na base da instalação · Banner na abertura · Newsletter · Utilização de mailing autorizado · Divulgação pela assessoria de imprensa · Inserções em mídia já negociadas · Menção e destaque na abertura · Convites pessoais para a inauguração · Lugares reservados, para patrocinadores e seus convidados · E outras opções a combinar com o próprio Patrocinador Inserção de logomarca em qualidade de Colaboradores em: · Material gráfico geral · Banner na base da instalação Estratégia de captação Inscrever o projeto na Lei Rouanet e, se couber, em alguma outra. A captação de recursos será feita por conta própria e por um profissional na área.


Valores

Orçamento aproximado dos custos do projeto.

PROJETO: O CUBO PRÉ-PRODUÇÃO ITEM QUANTIDADE UNIDADE QUANTIDADE DE UNIDADE VALOR UNITÁRIO R$ VALOR TOTAL R$ Projeto de engenharia 1 projeto 1 1.500.000,00 1.500.000,00 Sondagem geológica 1 projeto 1 63.200,00 63.200,00 PRODUÇÃO materiais água Água de Reúso 1 m3 1.000 5,00 5.000,00 estrutura Estrutura base Truss 1 unidade 1 116.000,00 116.000,00 Estrutura Andaime 1 unidade 1 424.511,00 424.511,00 Membrana PVC 1 unidade 1 50.330,00 50.330,00 Câmara frigorífica 1 unidade 1 515.000,00 515.000,00 Bombas de água 1 unidade 4 3.000,00 12.000,00 Mangueiras 1 unidade 6 5.000,00 30.000,00 Banner informação e patrocinio 1 unidade 4 1.500,00 6.000,00 maquinária Guindaste 2 horas 100 200,00 40.000,00 Elevadores 12 horas 100 100,00 120.000,00 Gerador elétrico 2 dias 40 2.000,00 160.000,00 serviços Transporte de água 1 caminhões 50 1.000 50.000,00 Projeto estrutural fundação 1 projeto 1 24.000,00 24.000,00 Construtora (fundação) 1 execução 1 900.000 900.000,00 Construtora (finalização) 1 execução 1 100.000 100.000,00 Projeto de iluminação 1 projeto 1 80.000,00 80.000,00 Projeto audiovisual 1 projeto 1 724.900,00 724.900,00 Produção 1 mês 7 50.000,00 350.000,00 Captação de recursos 1 unidade 1 500.000,00 500.000,00 Segurança 4 dias 180 100,00 72.000,00 Honorários artista 1 unidade 1 300.000,00 300.000,00 Imprevistos 1 % 20 6.142.941,00 1.228.588,20 PARCIAL 7.371.529,20 DIVULGAÇÃO (max 20%) Assessoria de imprensa 1 unidade 1 25.000,00 25.000,00 Comunicação 1 unidade 1 750.000,00 750.000,00 CUSTOS ADMINISTRATIVOS (max 15%) Contabilidade 1 serviço 1 40.000,00 40.000,00 Advogado 1 contrato 27 20.000,00 540.000,00 TOTAL

8.726.529,20


Sergi ArbusĂ 13 de setembro de 2016, Rio de Janeiro.

Contato: Sergi ArbusĂ . Telefone: (21) 996991201. e-Mail: sergiarbusa@gmail.com

Projeto: O Cubo 2016  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you