Page 1

Os nomes da Praça

Solicitaram-me uma explicação sobre os nomes que já designaram a actual Praça da República. Numa troca de impressões que se generalizou, parece existirem muitas duvidas e confusões, sobre os nomes, e em que datas, teriam sido atribuídas outras designações àquele local, sem duvida a centralidade da urbe, e por isso, o local mais fotografado logo que as novas tecnologias trouxeram com elas a possibilidade de registar para a posteridade o que apenas de outro modo se poderia fazer, de memória. Resolvemos juntar uma série de clichés e com eles tentar estabelecer uma certa ordem cronológica da evolução daquele centro urbano. Desde logo outros documentos se poderão ir juntando, se justificado. Desde já é, certamente, importante referir que foi ali naquela praça que esteve implantado o Pelourinho, de que não existem referências conhecidas, quanto ao seu tipo, mas que, erecto no reinado de D.Manuel I, deveria ser muito idêntico aos que se espalharam pelas diversas vilas a quem foram concedidos Forais Novos. O Pelourinho deveria ser muito idêntico ao ainda existente em Esgueira, encimado pela esfera armilar. Este Pelourinho e a designação da praça onde o mesmo estava colocado, aparecem-nos referenciados no Auto de Posse de 1713, quando o Procurador de D.Maria Antónia d’Almada (Donatária) tomou posse da Vila e da Igreja, de Ílhavo. Deve ter sido esta – Praça do Peloutrinho – uma das primeiras, senão a primeira designação, para lá da simples Praça (que dava ao rio da villa). Na busca feita às actas camarárias não encontrámos a data em que teria sido atribuído o nome de Praça Mouzinho de Albuquerque, à mesma. Mas deveria ter sido cerca de 1850. A foto 1 retrata-a tal como seria, numa altura em que se tentava ensaiar uma tosca arborização na mesma.

A dança dos nomes na Praça da República  

Senos da Fonseca