Page 3

Na estrada que liga a rua Serpa Pinto a Alqueidão. Andámos intrigados com estes «aquedutos». Não se tratava dos célebres pontilhões que ligavam Alqueidão à Matriz, pois esses teriam sido feitos por Maia Vizinho, com o intuito de permitir à sua família aceder á Matriz para assistir à missa dominical, num balcão especialmente construído no interior daquela, de modo a que ficasse isolada e independente dos restantes assistentes. Ao referido balcão tinha-se acesso por um túnel vindo Passal, propositadamente construído de modo a que os senhores nunca fossem importunados pelo povo. Só recentemente dei com a fotografia abaixo, onde se pode ver com clareza um aqueduto, executado em pedra (vermelha), já com indícios de princípio de derrocada. Poderá ter sido aqui que foi empregue a pedra proveniente da Capela das Almas. Ou simplesmente para os «aquedutos que permitiram substituir os referidos pontilhões..é assunto não totalmente esclarecido.

Aqueduto O referido «aqueduto» era aquele em que o engenho enorme assente em quatro pilares, existente por detrás dos quintais dos senhores Maias, vinha, com os seus alcatruzes mergulhar no poço do rio da Vila, para dele alçarem a água para a levar para outros locais da Vila, de cota mais elevada. Deste engenho temos ainda perfeita imagem, pois muitas foram as vezes que brincámos, em miúdo, no rio da Vila, ali navegando com os barquinhos de carqueja, o entretém do rapazio a imitar os maiores. Voltando ao terrado onde estava implantada a «Capela das Almas»,

A Demolição da Capela das Almas  

Senos da Fonseca

A Demolição da Capela das Almas  

Senos da Fonseca