Issuu on Google+

Materna

Maternidade São Luiz é TOP hospitalar: conforto e tecnologia Revista Sempre

Ano VI • no 21 Publicação da Unika Press Comunicação e Editora

Quando a infertilidade é dele Prevenção em dobro: vacina em gestantes protege o feto Animais de estimação: quais os benefícios dessa amizade

Como

limpar os

brinquedos do seu

baby

Sono na gravidez

Cuide dos mamilos e tenha sucesso na amamentação Capa 01.indd 1

1/5/2010 15:54:36


PGS 02_13.indd 2

2/5/2010 18:43:12


Sumário

Revista Sempre

Materna 6

HORA DE RELAXAR Os benefícios da massagem nos bebês desde o nascimento

9

DELIVERY MATERNA A comodidade em ter a equipe Sempre Materna em sua casa

10

MAMILOS O sucesso da amamentação começa nos cuidados durante a gravidez. trate bem deles!

20 23 24

MAMÃE SONECA Saiba quais as causas do sono na gravidez SUPER AGULHAS Veja as vacinas essenciais para a gestação BONS AMIGOS Os limites entre o bebê e o animal de estimação

27 30 32

DOM DAS CÉLULAS O congelamento das células-tronco TUDO LIMPINHO Aprenda a higienizar cada tipo de brinquedo

SINTOMA DE OUTONO Conheça as alergias vilãs dessa estação

17

VIGILANTES DO PESO O peso do bebê começa a ser observado na gestação

SEÇÕES

Boletim Médico.................................................................................8 Entrevista: O doutor em Urologia pela UNiFESP, Archimedes Nardozza, desmistifica os principais problemas em relação à infertilidade masculina..............14 Cantinho Materna..........................................................................22 Empório Materna.............................................................................26 Babyoteca............................................................................28 Leitor e Onde Encontrar..............................................................34

PGS 02_13.indd 3

2/5/2010 18:43:28


Editorial

É isso mesmo, o projeto Sempre Materna tem a validação técnica e científica do Hospital e Maternidade São Luiz, eleito pela terceira vez consecutiva o Melhor Hospital Privado do Brasil, no Top Hospitalar, que premiou os melhores de 2009. Para nós da equipe Sempre Materna é uma alegria indescritível ter ao nosso lado os melhores. Isso mostra que o sonho de realizar um projeto sério e íntegro focado na gestação, mamães e bebês foi absolutamente realizado. Só para vocês acompanharem, ao todo, o São Luiz soma seis reconhecimentos dessa premiação. Isso é para poucos, pouquíssimos. Em suas mãos está a primeira edição da nossa nova trajetória, portanto delicie-se e perceba as diferenças. Claro, para muito melhor. Para nossas leitoras que estão grávidas a sugestão é que tenham seus bebês no São Luiz, unidades Itaim ou Anália Franco, além de estarem nas mãos de uma equipe multidisciplinar reconhecida e de degustarem o glamour de dar à luz numa instituição que também prioriza a hotelaria, as futuras mamães terão acesso a serviços pioneiros no país como o nascimento transmitido via internet. É a emoção do parto compartilhada por parentes e amigos à distância, em quaisquer lugares do mundo, através da tecnologia streaming. Nós faremos história junto ao São Luiz. E você vai deixar de começar a história do seu filho no melhor Hospital Privado do Brasil? Aproveite sua leitura, opine, participe e não deixe de visitar nosso portal, www.semprematerna.com.br por lá as novidades são diárias. Esperamos vocês. Um beijo mais que carinhoso,

PRODUÇÃO EXECUTIVA UNIKA Press Comunicação e Editora Tel/Fax: (55 11) 3881-0002 E-mail: unikapress@unikapress.com.br

Materna

Revista Sempre

Sempre Materna agora é parceiro São Luiz

Edição 21 Portal: www.semprematerna.com.br

DIRETORA EDITORIAL Keila Cristiuma Robles semprematerna@semprematerna.com.br REDAÇÃO Editor de Arte: helton Meschine helton@semprematerna.com.br Revisão: Maria do Rosário Sousa Fotos: Flávio Santana e istockphoto Redação: Carolina ildefonso e Ariane Camilla Jornalista Responsável: keila Cristiuma Mtb: 25.452 PUBLICIDADE Tel/Fax: (55 11) 3881-0002 / 8198-1515 semprematerna@semprematerna.com.br PERIODICIDADE trimestral PROPRIEDADES E DIREITOS A revista Sempre Materna é publicação da UNikA Press Comunicação e Editora, com apoio do hospital e Maternidade São Luiz. É proibida a reprodução de fotos e matérias sem aviso prévio e sem citação da fonte. DÚVIDAS, CRÍTICAS E SUGESTÕES semprematerna@semprematerna.com.br Participe! DISTRIBUIÇÃO hospital e Maternidade São Luiz, consultórios médicos nas especialidades de ginecologia e obstetrícia e pediatria, clínicas de vacinação, clínicas de reprodução humana, clínicas de criobiologia, laboratórios de análises clínicas e lojas do segmento materno-infantil. APOIO

Diretora Editorial Nota da redação: Preparamos para voçê um projeto gráfico com uma carinha mais leve. Por isso atrasamos um pouco essa edição.

SIGA-NOS www.twitter.com/semprematerna http://blog.semprematerna.com.br

4 | Sempre Materna

PGS 02_13.indd 4

2/5/2010 18:43:32


PGS 02_13.indd 5

2/5/2010 18:43:33


Relaxamento

Mãos de fada Como mágica, o toque no recém-nascido acalma e amarra os laços familiares

A

través da massagem é possível relaxar, demonstrar segurança, aumentar os vínculos afetivos e ainda ajudar no desenvolvimento físico e psicológico do bebê. Para que todos esses resultados sejam alcançados não requer prática nem habilidade, basta reunir atenção, carinho e amor. Comece pelo rostinho, desça para os bracinhos, passe pela barriguinha, mexa nas perninhas até chegar aos pezinhos. A enfermeira obstetra, do projeto Momento do Toque, da Johnson, Vânia Pugliesi, explica que a massagem nos bebês pode ser feita desde o primeiro dia de vida. O recém-nascido precisa sentir-se acolhido. “Reviver as experiências do ambiente intra-uterino através dos toques realizados pelos pais favorece o vínculo entre eles e o bebê tende a se sentir mais seguro e tranquilo”. Segundo Dra. Márcia Maria da Costa,

PARA APRENDER A MASSAGEAR

o hospital e Maternidade São Luiz- unidade itaim – oferece para as mamães e papais o Momento do toque. Um serviço gratuito, patrocinado pela empresa Johnson’s, que ensina aos pais interagir com o recém-nascido através da massagem desde o curso de gestantes até a alta hospitalar.

ginecologista, obstetra e coordenadora médica do Hospital e Maternidade São Luiz — unidade Itaim — os movimentos devem ser feitos com firmeza, em ritmo lento e constante e sempre de dentro para fora e de baixo para cima. “Dificilmente a mãe irá machucar o bebê pelo toque. Mas, é importante que tenha intensidade confortável”, aconselha. Ritmo e calor são as palavrinhas mágicas para esse momento. O objetivo é que o recém-nascido sinta-se ‘em casa’. Para as especialistas, o contato direto restabelece o vínculo entre mãe-filho interrompido com o parto. Sensação de proteção, adaptação ao novo ambiente e fortalecimento da comunicação entre os pais e o bebê são alguns

ROSTO

PERNAS E PÉS

Circule os olhos com a ponta dos dedos, do centro da testa para os lados. Deslize também nas bochechas, do nariz para as laterais e massageie o rosto inteiro, desde a sobrancelha até o queixo.

BRAÇOS E MÃOS

Deslize em direção aos pés com as mãos alternadas. Torneie a perna com movimento de rotação em direção aos pezinhos e faça massagem na planta dos pés e dedos.

Deslize do ombro ao punho, alternando as mãos. Torneie o braço com as mãos opostas. Pegue as mãozinhas e massageie na palma e nos dedinhos.

FOtOS: FLÁViO SANtANA

6 | Sempre Materna

PGS 02_13.indd 6

2/5/2010 18:43:47


dos benefícios da técnica. “No quesito emocional, a criança fica menos chorosa e sente-se mais amada. Já do ponto de vista físico passa a ter mais ‘consciência’ do próprio corpo, ou seja, ganha noção de espaço e limites, auxilia no relaxamento e melhora os padrões de sono”, esclarece Dra. Marcia. De acordo com a enfermeira Vânia não há regras pré-estabelecidas, a intenção é de descobertas conjuntas. “O momento ideal e as melhores manobras na massagem são desvendadas a partir da experimentação e da reação do bebê”. QUE TAL UMA MASSAGEM NA BARRIGUINHA

para aliviar a cólica? Outra vantagem do toque é o auxílio no alívio de incômodos específicos dos RNs. “Atualmente, existem massagens no abdômen para a cólica, no peito para melhorar a respiração (com a expansão da caixa toráxica), na face para desobstruir o nariz e relaxar a musculatura facial e até para a estimulação do funcionamento do intestino e da coluna vertebral”, afirma a obstetra. É importante lembrar que o que vai guiar todo o processo é o bem-estar do bebê. Entretanto, a orientação de especialistas é fundamental, principalmente para alertar sobre as contraindicações. “Não é indicado praticar o toque

quando o bebê estiver febril, resfriado, com diarreia ou infecções. Não menos importante é destacar que após as mamadas, durante choro contínuo ou quando o bebê está dormindo a massagem deve ser adiada”, explica Dra. Márcia que finaliza: “Para os pequenos que têm refluxo é recomendável colocar um travesseiro sob sua cabeça, elevando-a para evitar a regurgitação”.

PEITO

Deslize com as duas mãos do centro para as laterais. Depois cruze do ombro direito para o quadril esquerdo.

COSTAS

(Com o bebê deitado de bruços, com a cabeça para o lado esquerdo); massageie com a palma das mãos alternadas, deslizando para a lateral, da nuca até o bumbum. Desça com a mão esquerda até as nádegas, enquanto a direita sustenta as nádegas, até o encontro das duas mãos. Depois, deslize do bumbum até os pés e finalize com o deslizamento da nuca aos pés.

BARRIGA

Faça movimentos circulares, no sentido horário. Com uma das mãos, deslize do peito para o ventre. Em seguida faça movimentos de flexão e extensão das pernas do bebê sobre a região abdominal.

www.semprematerna.com.br | 7

PGS 02_13.indd 7

2/5/2010 18:44:01


iStOCk PhOtO

Boletim Médico

De ponta cabeça

Estudos comprovam que a dor de cabeça também é problema para as crianças

A

cefaleia infantil é mais comum do que parece e atinge cerca de 10% das crianças. Não tem dia nem hora para aparecer, pode ser passageira, durar horas ou semanas, o que preocupa os pais e faz da busca por tratamentos uma maratona. A dica é simples: tenha sempre um caderninho de anotações por perto para refrescar a memória. O membro da Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil (SBNI) e chefe do setor de Neurologia Infantil do Hospital São Luis, Paulo Breinis, explica que a história clínica minuciosa contada pela família é muito importante para o diagnóstico correto do especialista. Segundo a IHS (International Headache Society), a cefaleia é classificada em três grandes grupos: primárias, secundárias e neuralgias ou dores faciais. “As primárias são as mais frequentes e responsáveis por mais de 80% dos casos. Sem causa definida pode ainda se dividir em cefaleia tensional — desencadeada por problemas emocionais — e enxaqueca – causada por componente genético e incidência familiar”, diz Dr. Paulo. Atenção, se seu filho além das predisposições citadas tem dores nas têmporas (lateral da cabeça,

próximo a região do ouvido) e no pescoço é sinal de cefaleia tensional. “Nesse caso, orientação familiar somada ao acompanhamento psicológico são os métodos indicados. Entretanto, podese também usar medicações para controle da depressão e da ansiedade de maneira profilática” esclarece o neuropediatra. Mas, se as crises no pequeno são constantes e variam de moderada a forte, acompanhadas de náuseas, vômitos, fotofobia (sensibilidade a luz) e fonofobia (horror a voz alta), pode ser a famosa e desagradável enxaqueca. “O tratamento está baseado na melhoria da qualidade de vida com dieta adequada, coerentes horas de sono e exercícios físicos. Há quem prefira partir também para os métodos terapêuticos” ressalta o médico. Já a cefaleia secundária, não tão frequente, mas não menos importante, é causada por patologias como a meningite, a hidrocefalia, o tumor cerebral, entre outras. Para finalizar e deixar os cuidadores afiados no assunto o especialista comenta: “A cefaleia mais rara é a neuralgia craniana e seu tratamento poder ser desde acupuntura até descompressão cirúrgica”.

8 | Sempre Materna

PGS 02_13.indd 8

2/5/2010 18:44:03


Atendimento VIP

Delivery

Sempre Materna Ter a Sempre Materna em casa é sinônimo de praticidade, modernidade e atendimento diferenciado da gravidez à gestação

D

ores comuns da gestação, preocupações e dúvidas com a hora H, dificuldades na amamentação, nos cuidados com a higiene, no preparo das papinhas, depressão pósparto... Naquele momento que parece não ter solução a Sempre Materna bate à porta da sua casa. Pesquisas ressaltam a fragilidade e insegurança da mulher no início da gravidez e a importância

de um suporte profissional, além do tempo de internação, para aprender a lidar e cuidar do recémnascido após a alta hospitalar. Precisa de ajuda? Disque Sempre Materna e solicite uma de nossas profissionais. Psicólogas, obstetras, enfermeiras pediátricas, fisioterapeutas e nutricionistas fazem parte da equipe para atendimento vip e pioneiro, no conforto do seu lar. “Muitas de nossas clientes relataram que na maternidade tudo parecia fácil. Mas, em casa, ficaram perdidas na hora do banho, higienização do coto, amamentação e até troca de fralda. Com o atendimento delivery levamos a técnica, o conforto e a tranquilidade ao encontro das novas mamães”, comenta Keila Cristiuma Robles, jornalista e diretora executiva da marca Sempre Materna. PARA SER A “MELHOR MÃE DO MUNDO” vale

tudo. Há quem prefira se preparar com antecedência e sair com o certificado do curso de gestantes em mãos. “Queremos atender também futuras mamães que por ordens médicas precisam de repouso, casais que não encontram tempo na agenda para desfrutar dos inúmeros serviços oferecidos para essa mágica fase da vida e até mesmo àqueles que preferem um serviço individualizado. Ter a oportunidade de aprender, no ritmo e necessidade do casal, mostrouse fundamental para quem vive numa cidade tão intensa como São Paulo”, completa Keila. Não perca tempo, para conhecer essa novidade agende sua consulta. O horário e o local do atendimento você decide.

iStOCk PhOtO

DELIVERY SEMPRE MATERNA Consultoria Individual em: Psicologia, Fisioterapia, Nutrição, Enfermagem Obstétrica e Enfermagem Pediátrica. Mais Informações: (11) 3881-0002 ou pelo site: www.semprematerna.com.br www.semprematerna.com.br | 9

PGS 02_13.indd 9

2/5/2010 18:44:04


Amamentação

Bebê

bom de bico Incentivar a pega adequada na amamentação evita dores e rachaduras

Q

uem nunca se deparou com caretas ao falar de amamentação com a vizinha, no salão de beleza e até com as tias e avós? Mesmo sabendo que o leite materno é o melhor alimento que existe para o RN, a falta de informação gera medo nas mamães. Segundo a enfermeira coordenadora do GAAM (Grupo de Apoio ao Aleitamento Materno), do Hospital São Luiz — Unidade Anália Franco — Regina Célia Guedes Barreto, o sucesso do aleitamento materno depende de vários fatores relacionados ao manejo clínico da amamentação. O primeiro passo para o sucesso são os cuidados durante a gravidez. “Um sutiã adequado (de sustentação) e o banho de sol na região areolar e mamilos, antes das 10 ou após as 16 horas, são benéficos”, explica a enfermeira. Apesar de todos os seios serem capazes de amamentar, muitas gestantes temem as dificuldades vinculadas aos mamilos. Mas, a boa notícia é que eles têm a função singular de tocar o palato (céu da boca) e fazer com que bebê perceba o peito em sua

boca e inicie a sucção. “Devido à coloração escura, servem também como ponto de referência para o pequeno se direcionar.” Protruso (salientes), semi-protruso (pouco saliente), plano (incorporado a região areolar) ou invertido (contrário ao protruso), o formato pode mesmo influenciar? A maioria das mulheres tem mamilos protrusos. A enfermeira ressalta que independente da anatomia os mamilos da mãe são próprios para o bebê, e necessitam apenas de adaptação de ambos. “O segredo é o treino através da sucção. É importante lembrar também que com o ritmo das mamadas eles podem mudar o formato”, comenta. Para aguentar a maratona, os seios precisam ser bem tratados. A especialista esclarece ainda que a higiene deve ser feita na hora do banho apenas com água corrente para não tirar a camada natural de proteção da pele. Porém, o cuidado mais importante se faz no ato da amamentação, ou seja, está relacionado à técnica de mamada. “Se o bebê pegar adequadamente (região areolar + mamilo) as doloridas rachaduras não acontecem”, finaliza.

10 | Sempre Materna

PGS 02_13.indd 10

2/5/2010 18:44:06


Mamilos,

cuide bem deles Durante a amamentação, evite atrito na região aréola-mamilar. O ideal é que após as mamadas o local permaneça hidratado. Para isto, sugere-se a hidratação com o próprio leite materno; Antes das mamadas é importante observar a flexibilidade areolar. Caso haja acúmulo de leite é necessário a retirada do mesmo com as próprias mãos, através da ordenha manual; Após a mamada, principalmente em fase de descida de leite, é importante a mãe avaliar a turgidez das mamas. Se permanecerem cheias é recomendado extrair o leite, também através da ordenha manual; Um bom sutiã é fundamental para sustentar a mama. Assim, evita desconfortos à lactante e também o ingurgitamento (acúmulo de leite em certas áreas da glândula mamária ou em toda ela).

Dicas para ordenha manual Massageie as mamas utilizando os dedos (indicador e médio) fazendo movimentos circulares no sentido da aréola na mama inteira. Os movimentos devem ser feitos na base da aréola em direção ao mamilo, alterando a posição.

istock photo

Após a massagem, limpar com algodão umedecido, em água fervida, a região areolar e mamilo (utilizar um algodão para cada mama). Em seguida desprezar os primeiros jatos, utilizando novamente um algodão umedecido para cada mama. Esse cuidado é para deixar o canal de saída do leite isento de resíduos da retirada anterior.

www.semprematerna.com.br | 11

PGS 02_13.indd 11

2/5/2010 18:44:08


PGS 02_13.indd 12

2/5/2010 18:44:09


PGS 02_13.indd 13

2/5/2010 18:44:10


flavio santana

Entrevista

Infertilidade masculina O homem Ê personagem fundamental durante o processo de reprodução e precisa estar em dia com as visitas ao urologista

14 | Sempre Materna

PGS 14_25.indd 14

5/5/2010 10:12:11


F

alar em gestação não é assunto exclusivo para o universo feminino, os homens também estão convidados a fazer parte desta conversa. Engana-se quem pensa que a participação masculina na gravidez não passa de espermatozóides. A medicina comprova que assim como as mulheres, eles são responsáveis por 50% de todo o processo. Quando o tema é infertilidade não é diferente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essa deficiência é a incapacidade de um casal, sexualmente ativo, sem o uso de qualquer método contraceptivo, conceber uma gravidez no período de um ano. Ainda assim, os pensamentos machistas falam mais alto e a expectativa do resultado positivo da gravidez fica direcionada a ala feminina. Você já parou para pensar quantas vezes o homem visita seu urologista ao ano? Por características culturais está provado que a mulher vai mais ao médico do que seu parceiro. Já que o hábito é criado desde o início da menstruação, quando é de praxe que seja feita a primeira consulta ao ginecologista. Por isso, é comum que as doenças urológicas sejam descobertas na fase da reprodução e tenham como reflexo a infertilidade. Para desmistificar os caminhos de reprodução masculina, a Sempre Materna conversou com o Professor Doutor de Urologia da UNIFESP, Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – São Paulo e urologista do Hospital e Maternidade São Luiz, Archimedes Nardozza Jr., que explica quais as causas e possíveis tratamentos para realizar o sonho da paternidade.

Entre homens e mulheres, quem costuma ter mais problemas com infertilidade? É na mesma proporção: 30% fator masculino, 30% fator feminino e 40% fator misto (ambos). A poluição do ar é uma causa moderna de infertilidade? Sim. A poluição pode causar infertilidade masculina. Há estudos comprobatórios de que aqueles que respiram muita poluição tem uma maior concentração de radicais livres no sangue, o que causa um esperma de qualidade inferior até mesmo de homens inférteis. Por que quando há problema de infertilidade no casal a culpa costuma ser jogada para a mulher? É uma questão cultural. Como não engravida, a mulher normalmente procura auxílio médico primeiro. Quais as principais causas da infertilidade masculina? As principais causas são: varicocele; doenças virais, como orquite pós-parotidite (caxumba); doenças congênitas de provável caráter genético, como criptorquidia (nascer com o testículo fora da bolsa); agenesia bilateral de ductos deferentes; doenças genéticas, como aberrações cromossômicas; microdeleções do cromossomo Y, uso de drogas ou medicamentos, obesidade, exposição a calor, substâncias tóxicas, irradiação e outras. Após quantas tentativas sem sucesso o casal pode procurar ajuda sobre infertilidade? Por definição, um ano. Mas, não é necessário esperar todo esse tempo se o casal já sabe que tem algum antecedente importante ou procura por simples avaliação. Como funciona o sistema reprodutor masculino? Os espermatozóides são produzidos nos testículos. Através dos ductos deferentes chegam às vesículas seminais, onde se misturam com o líquido seminal formando o esperma e, então, ficam armazenados até a ejaculação. Há como detectar a infertilidade do homem precocemente? Sim, indo ao urologista desde a adolescência, pelo menos uma vez ao ano, em grande parte das vezes é possível detectar e tratar o problema. www.semprematerna.com.br | 15

PGS 14_25.indd 15

2/5/2010 18:45:29


Entrevista

Assim como as mulheres, os homens devem fazer acompanhamento médico periodicamente para certificar sua saúde reprodutiva — Archimedes Nardozza Jr.

A infertilidade é congênita ou se desenvolve ao longo dos anos? Pode ser congênita ou adquirida. Tem doenças que levam à infertilidade desde o nascimento, por exemplo, a criptorquidia, agenesia de deferentes. Mas há também as que se desenvolvem durante a vida, como infecções virais, uso de drogas, medicamentos e obesidade. Assim como as mulheres, os homens devem fazer acompanhamento médico para certificar a saúde urológica? Com certeza. Os exames devem ser feitos periodicamente para ambos os sexos. E antes de planejar a gravidez, quais cuidados o futuro papai deve ter? Fazer espermograma e procurar ter uma vida saudável com bons hábitos alimentares, manter as vacinas em dia, ir periodicamente ao urologista, não ingerir bebidas alcoólicas, cigarro e outros produtos tóxicos. Quais são os exames de rotina que os homens devem fazer na idade fértil? A princípio, só o espermograma. Caso o REULTADO esteja alterado é necessário complementar com dosagens hormonais e, algumas vezes, exames genéticos. Como é diagnosticado que o homem é infértil? A infertilidade é conjugal por definição. Refere-se ao casal com mais de um ano de relações sexuais frequentes, bem distribuídas ao longo do ciclo, sem método contraceptivo e sem obter gestação. Então, é necessário realizar um exame físico e ultrassom dos testículos, e se der alguma alteração, em seguida, deve-se fazer o exame de perfil hormonal.

A baixa quantidade de espermas é um problema comum? A quantidade por si só não é tudo. Depende também da qualidade deles. O espermograma avalia o potencial fértil do homem, não se ele é fértil, pois há as porcentagens da mulher também. O tratamento é feito em função do diagnóstico. Quando acaba o período fértil do homem? Diferente da mulher, esse período diminui, mas não acaba ao longo da vida para a ala masculina. Quais os tratamentos para as doenças de infertilidade masculina? Os tratamentos dependem do diagnóstico. Mas os princípios básicos são: varicocele (correção cirúrgica), doenças genéticas ou congênitas (se o homem tiver espermatozóide no ejaculado ou testículo, usá-lo para fertilização in vitro), drogas, medicamentos, obesidade, calor (afastar causas, trocar medicamentos, emagrecer, ter vida mais saudável). A ansiedade do casal pode atrapalhar nos tratamentos? Pode atrapalhar, mas não é a causa única de infertilidade. Com acompanhamento médico, qual a chance do homem conseguir realizar o sonho de ser papai? Dependerá da idade e potencial da mulher. Porém, com as técnicas hoje existentes a quase totalidade pode ser pai, se não por meios naturais, através da reprodução assistida. Quando recorrer à reprodução assistida? Quando não for possível ou indicado tratamento medicamentoso ou cirúrgico que melhore o potencial masculino. Há novidades ou estudos científicos a fim de aprimorar as técnicas e tratamentos? Sempre, a cada dia há novas pesquisas na medicina para casais HIV positivo, lesados medulares (cadeirantes), ausência de espermatozóides no ejaculado, pós-tratamento de diversos cânceres, etc.

istoCk photo

Quais as diferenças entre esterilidade e infertilidade? Esterilidade é a impossibilidade do homem ter filhos e infertilidade é a dificuldade em um homem de ter filhos.

16 | Sempre Materna

PGS 14_25.indd 16

2/5/2010 18:45:30


Balança

Vigilantes do peso O peso do bebê começa a ser acompanhado na gravidez, ao nascer representa o resultado da gestação

istoCk photo

D

epois do nascimento, o peso e a altura dos bebês são as informações mais divulgadas para familiares e amigos. Muitos leigos ainda associam saúde à imagem de gordinho. Mas, segundo o pediatra e especialista em crescimento infantil, Mauro Borghi, do Hospital e Maternidade São Luiz — unidade Anália Franco — o peso médio do nascimento, com mínimo de 39 semanas é de 3,300kg (a estatura varia de 49 a 50 cm) podendo oscilar de 150 a 200 gramas no caso dos meninos que, na maioria das vezes, são mais pesados. Ainda de acordo com o pediatra são considerados de baixo peso os que nascem com menos de 2.500kg. “Independente do peso, recém-nascidos perdem cerca de 10% dele nos primeiros dias de vida e recuperam posteriormente com a amamentação. Esse fenômeno fisiológico nada mais é do que a recuperação do parto, ou seja, elimina excesso de água e gordura marrom, responsável por manter o calor e proteger o RN”, explica Borghi. Mas, ao deixar a maternidade é que a inquietação das mamães aumenta. “Lamentavelmente, ainda existe o mito do leite fraco. Mas, o aleitamento materno é o melhor caminho para nutrir e proteger

o lactente, pois é rico em todos os ingredientes necessários para o bom desenvolvimento da criança”, enfatiza o médico. Nos primeiros 12 meses de vida o bebê deve ir ao pediatra mensalmente. A cada visita o médico anota em um gráfico - denominado curva do crescimento e estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – o peso, o comprimento e o perímetro cefálico de um lactente para se assegurar que o crescimento está ocorrendo de modo regular. “Os percentis são uma maneira de comparação com bebês da mesma idade. Mais importante do que isso, os percentis individuais são analisados com base na consulta anterior”, ressalta Mauro Borghi. Para as mamães, a lição de casa é seguir atentamente as indicações do pediatra e não fazer comparações, já que cada criança tem sua trajetória, lembrando que aqui estamos falando de médias.

Média de ganho de peso ao dia nos primeiros 12 meses, segundo Dr. Mauro Borghi:

25 a 30g

1º TRIMESTRE

20 a 25g

2º TRIMESTRE

10g a partir do 2º SEMESTRE

www.semprematerna.com.br | 17

PGS 14_25.indd 17

2/5/2010 18:45:31


PGS 14_25.indd 18

2/5/2010 18:45:33


PGS 14_25.indd 19

2/5/2010 18:45:35


Sono

Minha amiga

cama

O excesso de hormônios e o metabolismo mais lento são os causadores do sono na gestação

A

cordar, trabalhar, comer e fazer exercícios físicos. Na gestação todas essas atividades são acompanhadas de boas doses de sonolência. É quando a cama parece ser a melhor companheira e o despertador o grande inimigo. Umas chamam de preguiça, outras de cansaço, mas nas primeiras semanas o sono é um dos sintomas tradicionais na gravidez. Para as futuras mamães qualquer cantinho é bom para tirar um cochilo e, se possível, devem fazê-lo já que é uma forma de compensar as noites mal dormidas que estão por vir. O especialista em ginecologia e obstetrícia, do corpo clínico do Hospital e Maternidade São Luiz, Otávio de Berça Fraige, explica que um dos motivos para tanta sonolência está relacionado os altos níveis de progesterona – hormônio responsável por manter a gravidez e a placenta. “No primeiro trimestre a alteração hormonal aumenta cerca de 50% do volume de sangue no corpo da mulher. Isso gera esforço maior para bombear o coração, e leva embora as boas horas de sono”, esclarece a fisioterapeuta, Edna Hirota, da unidade Itaim. Segundo os profissionais não é exagero apelidar as gestantes de ‘bichos-preguiça’. “O metabolismo da mamãe fica extremamente lento. Para acompanhar o raciocínio, o que o organismo de um adulto faz em duas horas o da gestante precisa de cinco”, diz Fraige. O obstetra comenta ainda que para ter disposição durante o dia, uma noite saudável e bem dormida é fundamental. “O mínimo necessário é entre sete a oito horas de sono. Para as grávidas, a sugestão é tirar soneca - uma hora após o almoço - para recuperar as energias e ter uma tarde produtiva”.

Entretanto, é importante

lembrar que nem sempre dormir bem será possível. A expectativa para os futuros papais é de noites inconstantes depois do nascimento do bebê, em função dos choros ocasionais (adaptação ao meio) e as mamadas programadas. No entanto, essa experiência pode chegar mais cedo. “Na reta final o inimigo do sono é o grande volume da barriga e o aumento dos movimentos fetais”, esclarece Dr. Otávio. O ginecologista explica que mesmo fazendo “festa” no ventre materno o bebê está dormindo, no

20 | Sempre Materna

PGS 14_25.indd 20

2/5/2010 18:45:36


Dicas para a gestante dormir com os anjinhos Beba muito líquido durante o dia, mas reduza perto da hora de dormir; Para prevenir a azia, não coma grande quantidade de alimentos muito temperado, ácido ou frito; Faça exercícios leves, acompanhada por um profissional, para melhorar a circulação sanguínea e prevenir as cãimbras; Diminua o ritmo de suas atividades no começo da noite, assim estará mais tranquila ao deitar; Massagens, exceto na barriga, alongamentos e hidroginástica ajudam a relaxar; Café, mesmo moderado, e chocolate não devem ser ingeridos à noite. Eles podem deixar você mais agitada;

istoCk photo

Prefira dormir em um ambiente escuro e sem barulho. se tiver televisão no quarto, desligue-a antes de deitar;

chamado sono REN, ou seja, está adormecido. Porém, tem consciência, se desenvolve e também se mexe. E para que mãe e filho possam descansar juntos antes do nascimento, a fisioterapeuta explica: “Dormir sobre o lado esquerdo melhora a circulação do sangue nos órgãos e extremidades e facilita o fluxo também no útero. Já deitar-se de barriga para cima não é um bom caminho pois diminui a oferta de oxigênio para o bebê”. Por incrível que possa parecer

os travesseiros são importantes aliados nos últimos meses da gestação, pois ajudam a sustentar o peso do corpo. Além disso, investir num colchão firme e macio evita dores na região do pescoço e nas costas por mau posicionamento. Para finalizar, Edna dá uma dica indispensável: a participação do papai. “Ele pode colaborar por meio de massagem nas costas, mãos e pés, promovendo um relaxamento que contribuirá para noites mais tranquilas”, aconselha.

Tente se acostumar, desde o início da gravidez, a dormir sobre o lado esquerdo do corpo.

Veja em 3 passos as formas corretas de deitar e levantar da cama Deitar sente na beira da cama; apoie o tronco sobre o cotovelo; Gire de costas, colocando as pernas sobre a cama e relaxe. Levantar Gire o corpo para o lado; Coloque as pernas para fora da cama; sente-se na cama.

www.semprematerna.com.br | 21

PGS 14_25.indd 21

2/5/2010 18:45:38


Cantinho Materna

Por que o São Luiz?

Mais que moderno humano. Essa fase resume a história do Hospital e Maternidade São Luiz pautada na prestação de serviços de alta tecnologia, sem perder o caráter humano no atendimento SÃO LUIZ TOP

Quando o assunto qualidade e confiança o Hospital e Maternidade São Luiz está em primeiro lugar. Pela terceira vez consecutiva é eleito “Melhor Hospital Privado do Brasil”. Ao todo a instituição soma seis reconhecimentos dessa premiação. Inovação tecnológica, qualidade de atendimento e gestão foram os diferenciais que os tornaram simplesmente TOP.

A unidade Itaim, do Hospital e Maternidade São Luiz acaba de lançar o nascimento via web. Pioneiros na técnica, todos os partos realizados na maternidade poderão ser assistidos de “camarote” de qualquer lugar do mundo, basta um computador com internet. Já se foi a época em que só o papai participava do parto. Com o apoio da tecnologia, atualmente o primeiro choro é em banda larga. Até mesmo quem tem “horror” a sangue, pode assistir, pois a exposição é feita com respeito à ética e também aos olhos do telespectador. A visão é privilegiada, mamãe, papai e bebê são os

personagens principais. “Em geral, os familiares ou amigos que não podem estar presentes no momento do parto ficam bastante ansiosos por notícias ou informações. Com esse serviço, o São Luiz possibilita a essas pessoas, estejam elas onde estiverem, a oportunidade de acompanhar, em tempo real, a chegada do bebê tão esperado”, explica a ginecologista e coordenadora clínica da unidade Itaim, Dra. Marcia Maria da Costa. O serviço é opcional e gratuito. Para participar, basta os pais assinarem o termo de adesão antes do parto, e pronto, ainda no nascimento o bebê vira celebridade. É importante lembrar que a senha para o acesso das imagens será cedida somente para o casal “grávido”. Portanto, serão eles os responsáveis por divulgá-la para amigos e familiares.

UTI Neonatal

Mais que moderno, humano. Essa frase resume a missão do são luiz que criou um espaço especial para aumentar o conforto das mamães que têm seus bebês cuidados pelo serviço de Uti neonatal. nessas salas, com armários individuais para que guardem seus pertences, elas podem relaxar em sofás e poltronas e há espaço para leitura e televisão. Reconhecendo a fase de nervosismo dessas mães, a instituição faz o que é possível para amenizar o estresse.

Sala de espera de parto natural

para as pacientes que optaram pelo parto natural, a unidade itaim possui confortável espaço de espera para familiares e amigos. a área é reservada, com iluminação baixa para proporcionar mais tranquilidade, tem poltronas aconchegantes e televisão. assim que nasce o bebê, os acompanhantes são informados de todos os detalhes. É o são luiz pensando em todos que vibram com a chegada do novo ser.

fotos: DivUlGaÇÃo

Nascimento de celebridade

Por Carolina Ildefonso • carolina@semprematerna.com.br 22 | Sempre Materna

PGS 14_25.indd 22

2/5/2010 18:45:43


Imunização

Sorria, você será

vacinada!

Não fuja da imunização na gravidez. É proteção que vale por dois

fotos: DivUlGaÇÃo

tipoS DE piCaDa. Dr. Marcelo indica ainda as imunizações que não podem ficar de fora desse período. “Vacinas de tétano e difteria (dupla do tipo adulto) devem ser rotineiramente realizadas na gestação a partir do segundo trimestre, naquelas pacientes que não estiverem com suas doses de reforço atualizadas”, aconselha. E completa: “As demais, avalia-se individualmente a necessidade, de acordo com o risco potencial da doença, que pode

istoCk photo

R

esponsáveis por sensibilizar o sistema imunológico e prevenir a ação de vírus e bactérias, as vacinas são poderosas ferramentas para afastar doenças de pessoas de todas as idades e camadas sociais. E por falar em prevenção, as gestantes, consideradas grupo de risco, devem ser as primeiras da fila. Para desmistificar o efeito das ‘picadinhas’ nas futuras mamães, o obstetra e ginecologista do Hospital e Maternidade São Luiz, Marcelo Giacobbe, esclarece que na gestação, preferencialmente, utilizam-se vacinas não vivas – elaboradas com microorganismos inativados. “As imunizações que utilizam vírus vivos - feitas com o microorganismo vivo atenuado - devem ser evitadas pelo receio de consequências nocivas para o feto. Já as provindas de vírus mortos podem ser administradas normalmente.” Ainda assim, as ‘barrigudinhas’ se preocupam com as reações. “Diferente das crianças, a manifestação de sintomas exuberantes nos adultos não é comum, após receber vacinas. Entretanto, reações dermatológicas locais e febre baixa podem ser observadas em alguns casos”, diz Giacobbe. Certificada a segurança e credibilidade das agulhadas, mais um motivo para a mulher acompanhar o calendário e preencher corretamente a carteirinha de vacinação é saber que, nessa fase, os benefícios vêm em dobro. “O feto recebe, através da circulação placentária e amamentação, anticorpos maternos que podem, em alguns casos, durar até os seis meses de vida”, afirma o médico.

variar da região em que vive e a presença ou não de surtos naquele momento.” E por falar em epidemias, as campanhas de vacinação sazonais também devem ser ressaltadas. A mais recente é contra o vírus Influenza A (H1N1). Segundo pesquisas, aproximadamente 10% dos adultos e 30% das crianças são contaminados por essa nova gripe, que causa doença respiratória aguda e pode levar à morte. O Center for Desease Control, dos Estados Unidos da América, recomenda a vacinação das gestantes em qualquer período da gravidez para a melhor proteção da mamãe e do seu bebê. “É importante lembrar que a vacina de spray nasal contra a Gripe Suína não deve ser feita na gestação, pois ela usa vírus atenuados. A ideal é a imunização intramuscular aplicada em dose única”, alerta o ginecologista. Fique de olho às restrições. “No caso das gestantes consideradas de risco é necessária avaliação para saber quais as possibilidades da mulher contrair a doença em questão e analisar os efeitos descritos da patologia para a mãe e o feto”, finaliza Dr. Marcelo. www.semprematerna.com.br | 23

PGS 14_25.indd 23

2/5/2010 18:45:44


Companheiros

Bichos de estimação Mais que companheiros, animais ajudam a desenvolver responsabilidade nas crianças

C

Istock photo

achorro, passarinho, gato ou chinchila, qual é seu preferido? Queridos por toda a família, os animais de estimação são companheiros para todas as idades. Independente do tipo de linguagem (latir, miar ou piar), a comunicação é perfeita. Os mais íntimos, costumam até dividir a cama com o dono. A pediatra e pneumologista infantil do Hospital São Luiz — unidade Anália Franco — Eliane Henriques Moreira Alfani, explica que os bichinhos são xodó principalmente dos pequenos, porém, em alguns casos podem ser contraindicados por desencadear processos alérgicos e acidentes com lesões sérias, como mordidas e arranhões. “Existem exames que definem quais os fatores alérgicos de cada criança. Mas um dos problemas comuns são os pêlos de animais que servem de alimentos para os ácaros - os principais responsáveis pelas alergias respiratórias”. Quem chegou primeiro? Os bichinhos de estimação, por mais amados que sejam são seres irracionais e dividir o reinado com o bebê pode causar ciúme e irritação. Eliane explica que o melhor a fazer nesses casos é introduzir o pequeno na rotina do animal sem

24 | Sempre Materna

PGS 14_25.indd 24

2/5/2010 18:45:47


afastá-lo totalmente de seus locais preferidos, para que não se sinta rejeitado. Ainda segundo a médica, a coerência deve prevalecer e a circulação do companheiro “irracional” ser proibida ao ambiente que estiver o indefeso bebê. “O animal precisa conhecer a criança, mas sem exageros na relação, pois o ciúme pode levar a agressões inesperadas”, afirma. apÓS FortaLECiDoS oS LaÇoS é comum

que a criança e o bichinho sejam excelentes amigos. “Essa relação é conquista da criança e o envolvimento nos cuidados é mais um aprendizado para o pequeno. Já para os filhos únicos, que se sentem solitários, ou para os introvertidos, adotar um ‘novo amigo’ pode ser a solução”, sugere a pediatra. Durante as brincadeiras, abraços e lambidas são inevitáveis. Mas, a especialista alerta: “Os animais podem transmitir doenças às crianças através da urina, fezes ou saliva. Os donos devem levá-los com frequência ao veterinário para as vacinas e vermífugos necessários”. Mesmo bem cuidados, a higiene da família é fundamental. É importante que os pais ensinem aos filhos que após brincar com o animal deve-se sempre lavar bem as mãos. “Nunca deixe que ele suba na cama ou sofá da criança, areje bem os cômodos da casa, aspire e limpe, ao menos uma vez ao dia para evitar o acumulo de pêlos e pó, e higienize com produtos adequados os locais com fezes e urina animal”, conclui Eliane.

www.semprematerna.com.br | 25

PGS 14_25.indd 25

2/5/2010 18:45:52


Empório Materna

Baby boutique

A chegada do outono traz novas tendências para a moda infantil. Veja os looks que preparamos para não errar na hora da festa nesta estação

fotos: divulgação; site das loJas na seção onde encontrar preço suJeito a alteração sem aviso prÉvio

Meninos As festas durante a tarde ficaram mais bonitas com o conjunto de calça branca e camisa xadrez R$ 89,00 Os Quindins

Daminhas

O passeio em família ganha charme com a bata branca, em cambraia, com sobreposições R$ 164,90 Lilica Ripilica

O frio chegou

Para ficar com cara de gente grande o mais indicado é a jaqueta branca com capuz R$ 124,00 Tip Top

Clássico em alta

o vestido tradicional ganha toque especial com os detalhes em dourado e a sapatilha no mesmo tom Paola da Vinci

Glamour para a noite das meninas, o conjunto de vestido quadriculado em maquinetado com body em meia malha stretch R$ 154,90 Lilica Ripilica Por Ariane Camilla • ariane@semprematerna.com.br 26 | Sempre Materna

PGS 26_36.indd 26

2/5/2010 18:40:38


Células-tronco

Supercordão

O

sonho de todos os pais é ver seu filho sempre imune a quaisquer patologias. Você já ouviu falar em transplante de células tronco do cordão umbilical? O primeiro foi realizado entre irmãos, no ano de 1988, na França e resultou na cura de Anemia de Fanconi. Atualmente, para realizar essa terapia celular os procedimentos são feitos no momento do parto. Indolor sem causar riscos ao recémnascido e à mamãe, não interferem nas técnicas obstétricas e devem ser autorizados pelo casal ainda na gravidez. O diretor do Centro de Criogênia Brasil – CCB, Carlos Alexandre Ayoub, afirma que as célulastronco são a grande aposta da medicina atual. “Ao se dividirem podem se transformar em qualquer um dos mais de 200 tipos de células que formam o corpo humano.” Após recolhidas, as ricas células passam por uma série de exames para istock photo

fotos: divulgação; site das loJas na seção onde encontrar preço suJeito a alteração sem aviso prÉvio

Você já pensou que o cordão umbilical pode salvar vidas? garantir que estão livres de vírus e doenças que possam invalidar a criopreservação e finalmente são armazenadas. Pesquisas afirmam que se devidamente conservadas, em tanques de nitrogênio líquido a –196º C, as células-tronco têm longa validade. A maior experiência comprovada é de 18 anos. Além disso, quando em bancos privados podem ser utilizadas não só pelo próprio doador – transplante autólogo mas também beneficiar familiares compatíveis. Segundo Ayoub, a criogenia - preservação a baixíssimas temperaturas e terapia com célulastronco - é segura para qualquer momento da vida. “Cada dia surgem novas técnicas e aplicações para as células-tronco. As propriedades que elas apresentam são importantes também para doenças raras que necessitam de regeneração”, finaliza.

A CCB GARANTE!

O Centro de Criogenia Brasil – CCB tem o prazer de armazenar as células tronco do seu bebê. A jornalista e mãe de Laura, Maria Cândida, aprova a iniciativa e já garantiu o futura de sua gatinha: As células-tronco são o futuro. (...) Uma pessoa bem-informada não pode fechar os olhos para o que a Medicina nos oferece. Salvar a vida de uma criança pode ser muito fácil se nós, como pais e mães, guardarmos o sangue do cordão umbilical como uma forma de prevenção. São cinco minutos que podem valer uma vida — Maria Cândida www.semprematerna.com.br | 27

PGS 26_36.indd 27

2/5/2010 18:40:41


Babyoteca

Super mix cultural Dicas de música, livros, desenhos e muitas historinhas para ensinar e divertir do bebê à vovó Os três porquinhos

P

arte da coleção “As mais belas histórias”, a clássica e tradicional história dos porquinhos, além de divertir, desperta valores importantes para formação das crianças. Como amizade, confiança e verdadeiro amor. Tudo isso ao som de lindas trilhas sonoras.

Massagem para bebês

O

objetivo é estimular o bemestar físico, desenvolvimento emocional, equilíbrio energético e criar vínculo maior entre os pais e o bebê nos primeiros meses de vida. Com linguagem simples e agradável, o DVD traz aulas que ensinam papais e mamães sobre os benefícios da massagem (Shantala) e posturas induzidas de Yoga (Baby Yoga).

A criança até 4 anos

É

Coleção Bebê Achou!

P

erfeita para bebês de até dois anos, além de exercitar a habilidade motora dos pequenos, a coleção promove horas de diversão. Com ilustrações atrativas, os pop ups contém também sons característicos dos desenhos que estimulam o aprendizado dos bebês.

fotos: divulgação

um “guia” de educação infantil feito pela educadora Vânia de Almeida Salek. Nele a autora responde a questionamentos e apresenta o cotidiano de uma escola de educação infantil desde o ingresso do bebê. Nesse percurso ela leva em conta todos os personagens envolvidos no processo educacional: a família, a criança, o educador e a própria instituição, mostrando o papel de cada um. 28 | Sempre Materna

PGS 26_36.indd 28

2/5/2010 18:40:45


fotos: divulgação

PGS 26_36.indd 29

2/5/2010 18:40:46


Higienização

Brinquedos

também tomam banho Pediatra explica a diferença entre imunidade e sujeira e ensina como higienizar os objetos das crianças

N

o quarto, no tapete da sala, no quintal, na cozinha, embaixo da cama, em cima do sofá, tropeçar em brinquedos é cena comum na casa onde tem criança. Não pode bebê... é caca!!! Até parece que tem imã, do chão direto para a boca. Com tanta bagunça, a equipe da faxina precisa entrar em ação. E nessa hora a ‘diversão’ fica por conta dos pais. Balde, pano úmido, água, máquina de lavar e sabão. Tudo preparado. Mas a dúvida é: como limpar? Até que ponto a sujeira ajuda na criação de anticorpos para o pequeno? Para evitar confusões, o pediatra Ricardo Simões Morando do Hospital e Maternidade São Luiz explica: “Anticorpos são proteínas produzidas por células de defesa do organismo (linfócitos B), acionados quando o sistema imunológico entra em contato com algum agente agressor (fungos, vírus, bactérias, ácaros, pêlos de animais, restos de descamação celular, poeira doméstica, resto de insetos, protozoários)”. Ainda segundo o Dr. Ricardo, a imunidade pode

fazer parte das brincadeiras, mas é algo que se complementa com o passar do tempo e dispensa exageros. “A superproteção atrapalha, uma vez que a ausência de contato das crianças com os agentes infecciosos e microorganismos não estimula o sistema imunológico”, diz. Mesmo assim, “sujinho” nem sempre é sinônimo de vantagem. O pediatra ressalta ainda que os brinquedos podem ser também fontes de transmissão de doenças. “Se não adequadamente higienizados podem acumular alérgenos ambientais (poeira domiciliar, ácaros, fungos, restos de insetos, pêlos de animais) desencadeantes de rinite alérgica e crises asmáticas em crianças predispostas. Além de facilitar o contágio de doenças de etiologia viral, por secreções”, afirma. Por isso, o bom senso e higiene devem ser bons amigos. Para que os brinquedos sejam somente motivos de alegria, o pediatra dá dicas para as mamães de como mandar a sujeira embora na hora certa, de acordo com a intimidade entre o bebê e o objeto.

Amigos especiais

Amigo de todas as horas

Amigo à distância

aqueles brinquedos que são os companheiros das crianças em horas especiais, como no banho e na papinha devem ser higienizados antes e depois da brincadeira para não acumular resíduos e restos de comida. devem ser guardados em locais próprios.

os brinquedos que não saem da mão e da boca do bebê, de plástico ou de borracha, como os mordedores devem ser limpos diariamente, com água e sabão. mas, não precisam ser fervidos constantemente.

os brinquedos que não são manipulados com frequência e costumam ficar como enfeite no quarto do pequeno podem ser limpos uma vez por semana ou, no máximo, a cada 15 dias, basicamente com água e sabão neutro, sem o uso de produtos tóxicos. bichos de pelúcia devem ser armazenados preferencialmente em sacos plásticos e retirados apenas na hora de brincar.

fotos: istock photo

Dicas para limpeza dos brinquedos

30 | Sempre Materna

PGS 26_36.indd 30

2/5/2010 18:40:47


fotos: istock photo

www.semprematerna.com.br | 31

PGS 26_36.indd 31

2/5/2010 18:40:50


Alergias

Estação das

“ites”

Veja como cuidados caseiros podem aliviar as crises alérgicas dos pequenos

istock photo

D

epois de curtir as regalias do verão com muito sol e viagens é hora de se adaptar às folhas secas do outono. Queda de temperatura, chuva e diferentes cores na natureza são algumas características típicas dessa fase no que diz respeito ao cenário. Já quando o assunto é saúde a estação costuma vir acompanhada de espirros e tosse que deixam os pais de cabeça “quente”. Nessa época do ano é comum a criançada ter a liberdade reduzida: as brincadeiras no parque são substituídas por programas caseiros e as leves roupas do verão dão espaço aos “modelitos” mais quentinhos. Assim, as famosas ‘ites’- doenças alérgicas respiratórias – como a rinite (inflamação das mucosas do nariz) e a bronquite (inflamação dos brônquios) entram em ação. Segundo Cid Pinheiro, Professor Assistente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e Coordenador Responsável dos Serviços de Pediatria do Hospital São Luiz, a alergia é uma reação específica do sistema de defesa do corpo humano a substâncias desconhecidas. No outono são causadas principalmente pela variação climática, seguida dos vilões: ambientes fechados e úmidos, poeira, lã, fumaça de cigarro, pêlo de animal e fortes odores. “Esses fatores fazem com que as doenças alérgicas se manifestem com mais facilidade, principalmente nos organismos que tem genética pré-determinada para o problema”, explica. A dica para os pais é desvendar se o pequeno é vitima das “ites”. Perceber os sintomas é fácil, pois são imediatos: coceira no nariz, espirros, corisa, tosse e desconforto respiratório – falta de ar. “Assim que descobertos o médico deve ser procurado para fazer os diagnósticos. Por serem doenças crônicas, os tratamentos são específicos e contínuos, sendo

possível diminuir o número e a intensidade das manifestações alérgicas”, aconselha o pediatra. ENTRETANTO, OS CUIDADOS CASEIROS

não podem ser esquecidos. O especialista recomenda a ingestão de líquidos, inalação com soro fisiológico e higiene das vias aéreas com jato de água. “Troque os brinquedos de pelúcia por outros mais fáceis de limpar, tire cortinas, tapetes e almofadas do quarto, passe pano úmido ao menos uma vez ao dia no chão”, diz Dr. Cid que ainda completa: “Evite frequentar locais com aglomeração de pessoas para ficar longe de infecções e não deixe seu filho ir à escolinha quando estiver resfriado ou em crise”. Em relação às alergias, vale destacar que a prevenção pode ser feita ainda na gestação, principalmente em função da hereditariedade. A futura mamãe deve manter o quarto e acessórios do bebê higienizados antes mesmo do nascimento. (Não deixe de ler matéria da página 30 )“Se só a mãe ou o pai tiver a doença há 30% de chances do filho herdar, porém se forem os dois, as chances dobram”, finaliza Pinheiro.

32 | Sempre Materna

PGS 26_36.indd 32

2/5/2010 18:40:51


PGS 26_36.indd 33

2/5/2010 18:40:52


Leitor Desejos Dizem que as gestantes têm desejos de doces e guloseimas, mas no meu caso é de informação. Sempre fico ansiosa pela chegada da próxima Sempre Materna. Eu gostaria muito de recebê-la toda mês, pois é maravilhoso poder passar umas horinhas “mergulhada” no mundo de gestantes e mamães. Sinto-me mais próxima do meu bebê, que chegará logo logo.

Indispensável Participei de um dos cursos da Sempre Materna quando ainda estava grávida e me apaixonei pelo projeto. Apesar do meu pequeno já ter nascido, o conteúdo da revista e portal servem como meus anjos da guarda até hoje. Virou vício, sempre presenteio minhas amigas grávidas com um exemplar da revista. Sempre Materna, você já faz parte da minha família!

Aline de Oliveira Belo Horizonte – MG

Mônica Assunção São Paulo – SP

Informação Encontrei a Sempre Materna durante visita à Maternidade do Hospital São Luiz – unidade Anália Franco. Adorei as matérias da revista e corri para visitar o portal. Fiquei encantada com a galeria de fotos, o diário materna e, principalmente, as rápidas informações que salvam mamães e papais de primeira viagem. Além disso, sigo todas as dicas de moda para meu pequeno. A Sempre Materna já está em meus favoritos. Sueli Lima Guarulhos – São Paulo

Onde Encontrar gObstetra e Ginecologista gOtavio Fraige (11) 3846-2014 gMarcelo Giacobbe (11) 2293-3909 gMarcia Maria da Costa (11) 3040-1579 gFisioterapeuta gEdna Hirota (11) 5073-2203 gEnfermeira gVânia Pugliesi (11) 3040-1100 gRegina Guedes Barreto (11) 3386-1028 gPediatra gCid Pinheiro (11) 3849-9325 gMauro Borghi (11) 3386-1100 gRicardo Morando (11) 3578-1477 gPediatra e Pneumologista gEliane Alfani (11) 3386-1100 gEspecialista em Reprodução Humana gCarlos Alexandre Ayoub (11) 3057-0510 gNeurologista Infantil gPaulo Breinis (11) 3151-5883 gUrologista gArchimedes Nardozza (11) 3168-4144 gEmpório Materna gTip Top www.tiptop.com.br gOs Quindins www.osquindins.com.br gLilica Ripilica www.lilicaripilica.com.br

Delivery Materna

a mamãe precisando de ajuda...

Naquele momento que parece não ter solução a Sempre Materna bate à porta da sua casa. Dores nas costas na gestação, preocupações e dúvidas com o parto, dificuldades na amamentação, nos cuidados com a higiene, no preparo das papinhas, depressão pós-parto. Consultoria Individual em: Psicologia, Fisioterapia, Nutrição, Enfermagem Obstétrica e Enfermagem Pediátrica. Mais Informações: (11) 3881-0002 ou pelo site www.semprematerna.com.br

...a equipe sempre materna

34 | Sempre Materna

PGS 26_36.indd 34

2/5/2010 18:40:57


PGS 26_36.indd 35

2/5/2010 18:41:02


PGS 26_36.indd 36

2/5/2010 18:41:05


Revista Sempre Materna, edição 21