Issuu on Google+

Sábado | 29.Junho.2013

anos

semanário - edição n.º 769 • 6.ª série - 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Actual Florindo conta drama de ‘O Setubalense’

4

Negócios Rio Frio aposta forte na fileira equestre

14

Cultura Festival FUMO arranca em Setúbal

13

Prisão de Setúbal é a “mais cheia” do país O estabelecimento prisional de Setúbal, situado na zona dos ‘4 Caminhos’ é o mais lotado do país. Neste momento tem

uma população prisional 225 por cento acima do que está estabelecido pelas regras europeias. E, a montante,

faltam guardas, numa média de um para três. As autoridades dizem que a situação pode ser explosiva.

ABERTURA PÁG. 2

Com a extinção formal à beira da porta, o Pólo Turístico da Costa Alentejana fez um balanço com nota positiva da actividade destes quatro anos. Ganhouse uma marca e não se deixaram dívidas. DESTAQUE PÁGS. 8 e 9 Pub.

Fotos: DR

XV

A REGIÃO SOMOS NÓS!

Director: Raul Tavares

Opinião Vítor Ramalho Em período pré-eleitoral o PS não deve ser confundido com a direita. Demétrio Alves Os fundos comunitários são pretexto para o articulista falar dos territórios da AML. Mário Cristovão Acredita que as eleições autárquicas podem mudar o rumo do país. David Sequerra Em Toulon assistiu ao ‘magote’ de olheiros que gerem o futebol jovem na Europa.

Paredes não deve assumir recandidatura a Alcácer do Sal ÚLTIMA O ainda presidente da Câmara de Alcácer está prestes a quebrar o seu tabu autárquico, após ter feito saber que iria recandidatar-se como independente. Mas não deve avançar. Pedro Paredes preparase para a falar aos alcacerenses esta semana e anunciar a sua saída da corrida autárquica.

Praia da Costa da Caparica é a 5.ª melhor citadina do mundo

Governo destitui melhor gestora pública do país

ACTUAL A lista publicada pelo portal Cheapflights é liderada pela praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, Brasil. A distinção gerou surpresa e também muito orgulho. PÁG. 4

ÚLTIMA Lídia Sequeira foi esta segunda-feira substituida no cargo de presidente da administração do Porto de Sines por João Franco, que integrava o mesmo conselho de administração. O novo líder, por sua vez, vai ter uma carga de trabalhos, porque Sines vai assumir portos algarvios.


ABERTURA Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 2

Lotação excede 225 por cento

Fotos: DR

Prisão de Setúbal é a “mais cheia” do país A situação do estabelecimento prisional de Setúbal, situado nos ‘4 Caminhos’ é considerada explosiva, devido ao facto de haver mais detidos do que a norma e menos polícias do que os necessários

São dados oficiais e comprometedores. O estabelecimento prisional dos 4 Caminhos, em Setúbal, está 225 por cento acima da capacidade oficial. No final do ano passado, a lotação era de 319 reclusos. Roberto Dores

O

guarda prisional da cadeia de Setúbal que foi atacado por cinco reclusos há um mês – acabando por ser suturado no lábio e sobrolho no hospital de São Bernardo – é apenas um exemplo que traduz as dificuldades com que os profissionais daquele estabelecimento se debatem ao trabalharem na cadeia mais sobrelotada do país. O presídio sadino é mesmo citado pelo relatório do Comité Europeu para a Prevenção da Tortura (CEPT), já que se situa 225% acima da capacidade oficial. Ou seja, a cadeia tem lotação para 131 reclusos, mas acolhe, 319, segundo a última estatística, referente a Dezembro de 2012. «O que se está a passar em Setúbal é o espelho de uma situação explosiva», assegura ao Semmais Jorge Alves, do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda

Prisional, garantindo que «quanto mais o número de reclusos aumentar e o de guardas diminuir, maior serão as quebras de confiança. Setúbal é o caso mais grave que conhecemos no país», diz o dirigente, alertando que um só guarda chega a ficar com as chaves da cadeia e das celas juntas, enquanto faz revista aos pavilhões. «Parece mentira, mas foi a isto que se chegou por não haver gente para os serviços», afirma. Um guarda a fazer por três

A opinião é partilhada por júlio Rebelo, líder do Sindicato Independente da Guarda Prisional, alertando que «um guarda não pode continuar a fazer o lugar de dois ou três elementos», alertando que o CEPT já recomendou às autoridades portuguesas que encontrem soluções para erradicar a sobrelotação deste estabelecimento prisional, colmatando a insuficiência de guardas. Uma posição referida no relatório do comité do Conselho Europeu, elaborado após visita a Portugal de uma delegação

Dorme-se nos corredores ou no chão no Montijo Os sindicatos alertam ainda para uma situação invulgar na cadeia do Montijo, denunciando que a falta de espaço nas celas estará a obrigar alguns reclusos a dormirem nos corredores em beliches ou colchões no chão. Jorge Alves considera residir aqui uma «falha muito grave, que compromete ainda mais a segurança», justificando que, afinal, os reclusos estão a «dormir livres e muito

próximos dos guardas, que têm as chaves de todas as celas.» Diz o dirigente que «isto só serve para agravar, ainda mais, a tensão dentro da cadeia. A DGRSP assegura ter plano de obras a realizar até 2016 com financiamento através do Fundo de Modernização da Justiça para intervenções consideradas mais urgentes e prioritárias, onde se inscrevem as cadeias do Montijo e Pinheiro da Cruz (Grândola).

realizada em 2012. Uma das razões que explica a sobrelotação da cadeia de Setúbal tem a ver com o facto de ali estarem muitos presos preventivos, que por residirem na região acabam por fazer um acordo com o tribunal sobre a prisão onde preferem cumprir a pena. Alegam ser em nome de uma “melhor inclusão social”. Os guardas prisionais, sabe o Semmais, têm apresentado frequentes queixas junto dos representantes sindicais, alertando para permanentes ameaças, incluindo à sua integridade física, como aconteceu a um profissional agredido recentemente com um caixote do lixo, a que se seguiu um colchão incendiado numa cela. A Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) abriu um inquérito a este caso, mas negou ter havido qualquer motim, «ou mesmo um princípio de motim». Porém, os guardas dizem que “com ou sem motins, a verdade é que as pessoas trabalham ali e não podem estar constantemente com receio que haja agressões ou alterações ao normal funcionamento da cadeia por falta de profissionais», diz Júlio Rebelo.

ficha técnica Director: Raul Tavares; Editor-Chefe: Bruno Cardoso; Redacção: Anabela Ventura, António Luís Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Dinis Carrilho. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 935 388 102 (geral); Email: redaccao.semmais@mediasado.pt; publicidade.semmais@mediasado.pt. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98


3

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com Espaço Público

Editorial // Raul Tavares

Mexidas em Sines, mexidas no país… Não tenho dúvidas de que o novo presidente do porto de Sines é competente. Mede-se o seu currículo e isso fica provado. Como não tenho dúvidas de que a sua antecessora, Lídia Sequeira, não pensaria eternizar-se no cargo e que ninguém é insubstituível. Mas fica claro o pior que os ciclos políticos cogitam e inferem: tudo muda em função dos apetites do mundo da política partidária. Nem quero ousar pensar que Lídia Sequeira, a quem a esquerda e a direita teceram loas, foi saneada por ter opinião, nomeadamente por ter-se manifestado contra o ‘atentado’ de instalar na Trafaria um mega terminal de contentores. É mais aceitável aceitar a vertigem das mudanças e das vontades políticas. Mas o pior está a montante. Este Governo está tresloucado. A reestruturação no turismo é monstruosa, com o Alentejo a estender-se até às portas da capital do país, e agora esta coisa de dar a Sines portos algarvios. Dá ideia, como em muitas outras áreas, que estamos num jogo da bolsa, onde cada jogador pode empreender as suas matrizes sem discussão, sem estratégia, sem pensamento estruturado. É tudo avulso, ao sabor de meia dúzia de cabeças tolas, imberbes, com todo o poder nas mãos. Isso sim é crime de lesa pátria.

Áreas metropolitanas e os fundos comunitários

U

ma área metropolitana é parte de um território nacional centrada numa, ou mais, grandes cidades, com influência na organização espacial regional de um país ou mesmo de um conjunto de países integrados num espaço económico e político comum. São, portanto, espaços geográficos com forte caráter urbano e elevadas densidades populacionais, que abrangem territórios política e administrativamente autónomos, onde se verifica haver uma grande intensidade diária de deslocações pendulares de pessoas entre as áreas de residência e os locais de trabalho, de consumo e de estudo. Como fator dominante da delimitação, formal ou informal, de uma área metropolitana, estarão as questões económicas relacionadas com o fator trabalho. Uma área metropolitana é, no fundo, uma bacia de

O coração do PS bate à esquerda

A

política, queira-se ou não se queira é a arte mais complexa que existe. O seu exercício põe em causa o mais profundo no ser humano. Conceitos como a liberdade, a sobrevivência,, o bem-estar, e a própria esperança no futuro tem a ver com a política. Falar da política é falar do espírito de servir. Nunca da politiquice. Nos dias que correm a política e os políticos são vistos de forma muito negativa.Esta ideia é perigosa. Ela tem por base a transigência perante o endeusamento dos mercados, a ganância do dinheiro, a resignação perante a corrupção, a quebra dos valores e princípios, a enorme desvalorização do papel do estado e a desregulação que conduz ao medo No que respeita aos partidos, a regra passou a ser a marginalização das ideologias, ou seja o abandono claro de uma linha de rumo coerente, que sustente projetos de esperança. Daí a dificuldade dos partidos em hoje captarem os melhores e os mais qualificados transigindo muito perante o carreirismo. O que se passou com a terceira via de Tony Blair, que teve seguidores em muitos partidos socialistas e sociais-democratas está aí a provalo. O mesmo se passa com os partidos

Demétrio Alves Professor Universitário

emprego. Podem, a partir desta circunstância fundacional, construir-se as diversas e criativas narrativas geográficas, sociais, culturais e políticas, podendo até, chegar-se a definir uma área metropolitana como ente político-administrativo. Mas, tanto uma como outras, têm sempre um fundamento voluntarista que, se não se cuidar na vertente política, social e económica de forma democrática (visão abrangente), podem cair numa deriva idealista. Em diversas partes do mundo, designadamente naquelas onde se verificam fenómenos de urbanização mais intensos, as áreas metropolitanas existem apenas num plano estatístico ou como unidade de estudos, monitorizações e investigação académica. Em diversos casos existem, também, entidades que se

democratas cristãos hoje todos convertidos em partidos populistas. Aquilo que ocorre com o PSD que deixou de atender aos ensinamentos de Sá Carneiro e é hoje um partido neoliberal reforça o que digo. O próprio PCP, que viu ruir todos os regimes do bloco de Leste, desmente-se a si próprio por nunca ter feito um autocritica pública clara, na lógica dos teóricos que alega serem a base da sua ideologia. Este estado de coisas tem de ser alterado e isso é tarefa a prosseguir no interior dos partidos. Sucede que não há democracia sem partidos e que estando a democracia doente e em perigo devemos de forma clara saber o que fazer para a salvar. É preciso com coragem começar a chamar as coisas pelos nomes, agir em conformidade fixando prioridades e iniciar uma ação pedagógica de sensibilização forte de todos quantos entendem que o futuro se ganha no presente exercendo uma accão transformadora nos partidos, com espirito de servir e olhando para o futuro. Os riscos são múltiplos mas superáveis. Diz o povo e com razão

que depois da tempestade vem a bonança. Ao contrário do que parece o elevado numero de independentes, às próximas eleições autárquicas, que ontem eram membros dos partidos e deixaram de o ser não são um bom sintoma da vitalidade da democracia porque grande parte deles se candidatam por mero apego ao poder ou ao desejo de o alcançarem. O mesmo se diga de candidatos partidários que escondem a sigla dos partidos de que são militantes. Neste caso há muita hipocrisia. Estes dois factos revelam frouxidão das lideranças partidárias porque liderar é dirigir, assumir com orgulho o partido a que se pertence e não ceder perante concepções basistas inclusive ou sobretudo de sindicatos de voto que são uma caricatura da democracia e só a desvirtuam. Do meu ponto de vista, aqui e agora, a prioridade que tem um partido como o PS, ao qual com orgulho pertenço, é o de contribuir para unir todas as forças patrióticas estejam onde estiverem para derrubar este governo que nos conduz para o abismo. Nunca é demais repeti-lo. As alterações qualitativas virão a seguir .Não há que recear. Pior não é possível. Foi esse sinal que o insuspeito dr Mário Soares deu ao promover recentemente um grande encontro na Aula Magna da reitoria da Universidade de Lisboa onde estiveram personalidades do PSD, como Pacheco Pereira, da igreja, como Frei Bento Domingos, para além de

militantes do PCP, do BE, dos Verdes e tantos outros homens e mulheres sem partido num total de mais de duas mil e trezentas pessoas. Como é óbvio ninguém no seu bom senso deixa de compreender que todas as personalidades e partidos que estiveram na Aula Magna continuam em muitos casos a pensarem diferentemente mas ali estavam unidos unidos de forma patriótica com um mesmo objectivo de luta contra a austeridade e de derrube do governo Como na vida em política não se podem seguir duas estradas ao mesmo tempo. Nesta perspectiva só esta linha de rumo reforçará também o PS no actual quadro das eleições autárquicas inclusive´ num distrito como Setúbal em que o único adversário autárquico nelas é o PCP, excepto no concelho do Montijo, que é o PSD. Daí a necessidade do PS dever procurar concorrer para derrubar o governo no plano nacional e fazendo ainda tudo o que puder no plano autárquico para ainda concorrer unido apresentando propostas pela positiva que sirvam as populações e não embarcando na cedência epidérmica de quem confunde a árvore com a floresta e menos ainda o plano nacional com o autárquico. Os eleitores sabem o que querem, distinguem o que é de distinguir e como sempre afirmei sem falsa modéstia o coração do PS tem de bater sempre á esquerda Não há vitorias antecipadas e a politica afere-se sempre pelos resultados

encarregam da gestão integrada dos transportes coletivos, públicos ou privados, porque constituem um sistema fundamental para as deslocações pendulares. Trata-se de uma expressão que teve origem nos EUA nos anos cinquenta do século XX, onde ainda hoje são unidades estatísticas que correspondem a vastas aglomerações urbanas, não possuindo, em geral, governação própria. De facto, não faria muito sentido na realidade norte-americana haver uma autoridade político-administrativa que dirigisse as áreas metropolitanas de Noiva Iorque ou de Los Ângeles, respetivamente com 23,4 e 18,2 milhões de habitantes. Nem sequer a micropolitan area de Eureka, California, com os seus 135 000 habitantes tem uma “autoridade metropolitana”. O conceito foi introduzido em França em 1966 através da criação das OREAM – Organisation d’étude d’aire métropolitaine, organismos públicos desconcentrados com a finalidade principal de elaborar planos regionais de ordenamento do território que serviriam de enquadramento aos instrumentos de ordenamento mais detalhados. Na União Europeia, o seu orga-

nismo estatístico, o Eurostat, criou o conceito LUZ – Larger Urban Zone, tendo havido um acordo entre os diversos países aquando do Urban Audit em 2004 (profundamente revisto em 2006) quanto a diversos conceitos e definições correlativas. Analisando o mapa das LUZ e das áreas metropolitanas europeias coincidentes com as respetivas capitais, uma primeira constatação avulta: a enorme diversidade dimensional nos planos, físico, económico e populacional. De facto, entre as áreas urbanas de Paris, Londres ou Madrid com 10,9 milhões de habitantes, 9,6 milhões e 6,1 milhões respetivamente (não confundir com as respetivas áreas metropolitanas, que são maiores, ou com a “cidade” que é menor ) e as que existem em Portugal, vai uma enorme diferença dimensional. Não há, nem poderia haver, um padrão político-administrativo adotável a tão grande diversidade, até porque na génese do conceito de área metropolitana não há um racional científico claro e inquestionável. Adotar esta ou aquela forma de governação político-administrativa numa área metropolitana dependerá

muito do contexto nacional específico, embora duas condicionantes devam estar na base da decisão: em primeiro lugar que isso tenha interesse objetivo, de curto, médio e longo prazo, para as populações residentes e, em segundo lugar, que a governação seja assegurada através de referenciais democráticos, com representatividade direta dos dirigentes metropolitanos. O que parece não fazer sentido é ter uma delimitação político-administrativa metropolitana que, não tendo vantagens socioeconómicas para os residentes no curto e médio prazo, designadamente no que aos fundos comunitários diz respeito, também não se baseia nos princípios da administração regional democrática. Não se vislumbra, num horizonte temporal credível, que, nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto vá passar a haver uma governação democrática. Já não se passa o mesmo quanto aos fundos comunitários que, na área metropolitana de Lisboa se tornaram muito escassos, principalmente para aquela parte da região metropolitana que mais prejudicada sai da integração numa região “rica”, a Península de Setúbal.

Vítor Ramalho Advogado


Pequenos actores no Carvalhal

ACTUAL

A ESTREIA do musical “O Principezinho”, de Victor Palma, tem lugar este sábado, às 21h30, no recinto de feiras do Carvalhal (Grândola), sendo os actores e os figurantes os próprios

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 4

alunos, dirigidos pelo maestro Nuno Lopes, do Teatro Nacional de S. Carlos, e acompanhados pelo Coro Juvenil de Lisboa. A direcção coreográfica é de Maria Luisa Carles.

La Feria estreia musical FILIPE La Feria estreou, na quinta-feira, no Teatro Politeama, em Lisboa, a sua nova produção. Trata-se de “A Grande revista à Portuguesa”, que tem como principais protagonistas Marina Mota, João

Praia da Costa da Caparica é Copacabana da Europa

Baião e Maria Vieira. O espectáculo assinala os 100 anos do Politeama. 20 anos depois de La Féria revolucionar o teatro musical com “Passa por mim no Rossio”, agora está de volta a este género do agrado público.

DR

Morreu forcado esfaqueado na PIMEL

DR

Portal Cheapflights considera que a praia da Costa da Caparica é um dos melhores areais citadinos da região... lado a lado com apenas outra europeia: Barceloneta. Seis das vinte melhores praias de nudismo do país estão no distrito de Setúbal, nomeadamente o Meco, praia do Salto, Comporta, Monte Velho, entre outras

perderem a agitação emocionante da cidade». O artigo publicado escreve que na Caparica o «areal parece prolongar-se por milhas e milhas» e destaca a proximidade da praia a Lisboa informando os leitores de que os transportes públicos para os extensos areais são frequentes e que distam cinco minutos da praia, reforçando a oferta existente a nível local de transportes até junto da praia. Para além da areia e do mar, o artigo sublinha que os veraneantes e visitantes da Costa não devem perder os bares de praia com oferta variada e música ao vivo.

Marta David

À

partida pode pensar-se que a Costa da Caparica, em Portugal, South Beach, em Miami, e Copacabana, no Brasil, têm pouco em comum, mas um site mundial de viagens que se dedica a pesquisar e comparar promoções e preços de voos e férias, coloca as três praias na mesma lista: a das dez melhores praias citadinas do Mundo. Na lista consta apenas outra praia europeia, a praia de Barceloneta, em Barcelona, Espanha. A Caparica é apontada como a quinta melhor do mundo. O portal Cheapflights, que disponibiliza pequenos guias de viagens, escolheu «dez praias onde os viajantes têm garantido o sol de Verão sem

Praias naturistas do distrito entre as melhores do país Os extensos areais da Costa de

Caparica não são só ponto de interesse para banhistas ávidos de sol e animação citadina. A praia da Bela Vista, próximo da Fonte da Telha, também no concelho de Almada, é um dos pontos preferidos por naturistas quando se trata de escolher o local para a prática de nudismo. Oficializada pela Federação Portuguesa de Naturismo (FPN) é, no entanto, apontada como praia onde os “mirones” podem ser um entrave à prática do nudismo. Ainda próximo da Fonte da Telha fica a praia da Adiça onde o nudismo é frequente e tolerado. Ao todo, em Portugal, estão designadas 60 praias naturistas ou onde o nudismo é tolerado. Na escolha das vinte melhores, seis delas são no distrito de Setúbal e a mais conhecida será seguramente a do Meco. Segundo a FPN trata-se de uma praia

que «embora frequentada por “têxteis”, mantem um ambiente naturista familiar». Na lista elaborada contam-se ainda a praia do Salto, em Sines, considerada 100 por cento nudista que é designada como “encantadora” apesar dos difíceis acessos. No Litoral Alentejano, a praia da Comporta é vista como «um paraíso quase virgem» bem servido no que se refere a bares e restaurantes, assim como estacionamento. A contagem fica completa com a praia do Monte Velho, ou Porto das Carretas, junto a Santo André, entre as lagoas de Santo André e da Sancha, com vasta zona de dunas oferece o ambiente ideal para os naturistas e tem como factor preponderante no momento da escolha o facto de ser a praia mais próxima do monte naturista “O Barão”.

O falecido José Cortes

JOSÉ Maria Cortes, de 29 anos, esfaqueado numa rixa que envolveu mais de 60 pessoas, em Alcácer, não resistiu aos ferimentos e morreu, esta quinta-feira. O forcado de Montemor-o-Novo foi esfaqueado junto ao coração, na madrugada de domingo, depois de uma garraiada na PIMEL. José Maria Cortes era jogador de râguebi, no Agronomia, o que motivou manifestações de pesar da equipa, amigos e da selecção nacional da modalidade. «A notícia da morte do Zé Maria Cortes deixou-nos a todos, aqui em Moscovo, muito comovidos e gostaríamos de nos associar, neste momento de grande dor, ao sofrimento da sua família e dos seus muitos amigos», disse, em comunicado, o presidente da Federação Portuguesa de Râguebi, Carlos Amado da Silva. O falecido estava internado no Hospital de Sta. Maria, em Lisboa, depois de ter sido submetido a uma cirurgia no Hospital do Litoral Alentejano.

“OS ÚLTIMOS Dias do Jornal O Setubalense” é o título do livro que Florindo Cardoso, jornalista e ex-chefe de redacção daquele trissemanário, que suspendeu a actividade a 10 de Maio passado, vai lançar este sábado, pelas 17h30, no Club Setubalense. «Quero, com esta obra, homenagear os dez funcionários da fase final da empresa exploradora do jornal, a Plurijornal, e esclarecer os setubalenses sobre os reais motivos que levaram à suspensão do jornal onde trabalhei durante cerca de 14 anos», começa por afirmar Florindo Cardoso, que acrescenta que desde o falecimento do director do jornal João Fidalgo, a 18 de Junho de 2010, notou que a Plurijornal começou a entrar numa «agonia» financeira sem prece-

DR

Florindo Cardoso recorda últimos dias de agonia de “O Setubalense”

O autor Florindo Cardoso

dentes e sublinhou que, apesar desses entraves, os trabalhadores não abandonaram o barco e, inclusive, chegaram a apresentar algumas propostas para salvar um dos jornais mais antigos do País. «Os trabalha-

dores sofreram imenso nos dois últimos anos e sentiram na pele as dificuldades da empresa. Criou-se uma grande instabilidade emocional e financeira. Começaram a ter salários em atraso, porque cada vez havia menos publicidade e as vendas do jornal começaram a decair, e isso não antevia nada de bom para o futuro do jornal», sublinha, concluindo: «Foi uma autêntica vitória termos conseguido aguentar o jornal nos dois anos a seguir à morte de João Fidalgo». Para Florindo Cardoso, o seu segundo livro, depois daquele que, em 2010, testemunhou a sua luta contra o cancro, «não é contra ninguém e não tem ressentimentos nem ódios». Todavia, relembra que «o poder autárquico em Setúbal deixou de apoiar o

jornal, através da inserção de publicidade obrigatória, porque pensou que o jornal estava ligado a um partido político. A nossa secção “Reparos” não era bem vista pela Câmara de Setúbal, porque viam essa rubrica como um ataque político ao seu trabalho, o que não era. O que se pretendia era alertar para a resolução dos problemas da cidade. A EDP, por exemplo, até agradecia aos nossos reparos e muitas vezes conseguia resolver as situações levantadas pela população». Livro aborda história do jornal O livro, uma edição de autor, com 82 páginas e a tiragem de 500 exem-

plares, aborda também a história, a tradição e a importância deste jornal na região, que completaria 158 anos no próximo dia 1 de Julho, o seu relacionamento com os agentes políticos, sociais e económicos e os vários directores do jornal. O livro demorou dois meses a preparar e o preço de capa ronda os 7 euros. A apresentação de “Os Últimos Dias do Jornal O Setubalense” vai estar a cargo da professora/apresentadora Dina Barco e a obra contém depoimentos de três directores de jornais da região, nomeadamente Raúl Tavares (Semmais Jornal), Francisco Rito (Diário da Região) e Setúbal na Rede (Pedro Brinca). António Luís


Sรกbado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

5


6

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

ACTUAL

Câmara Municipal e Instituto Politécnico de Setúbal assinam protocolo crucial

Centro histórico de Alhos Vedros vai ser o primeiro a ser reabilitado, depois de constituição de área de reabilitação urbana e da definição de incentivos fiscais aos privados. Presidente da autarquia diz que reabilitação é prioridade. A CÂMARA Municipal da Moita quer reabilitar até 2025 os seis núcleos urbanos mais antigos do concelho, a começar por Alhos Vedros, considerado o mais necessitado e degradado. A intenção poderá começar a ser concretizada já a partir do próximo ano, reafirmando assim a atenção da edilidade relativamente ao problema e o desejo de ver melhorada a qualidade de vida dos habitantes. Durante a apresentação do programa de reabilitação urbana, João Lobo, presidente da Câmara Muni-

DR

Núcleos urbanos antigos da Moita vão ser reabilitados até 2025

João Lobo e Armando Pires, durante a assinatura do protocolo

cipal da Moita, referiu que está se trata de uma «prioridade» querendo assim ver «mobilizado todo um concelho em torno dos trabalhados de reabilitação que podem ter na autarquia um motor para toda a operação e um verdadeiro agente facilitador». A reabilitação urbana em Alhos Vedros, que se estenderá faseadamente à Moita, GaioRosário, Sarilhos Pequenos, Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, implica a delimitação das chamadas Áreas de Reabilitação Urbana bem como a definição por parte da autarquia de um conjunto múltiplos de benefícios fiscais a conceder aos privados a nível do IMI e do IMT. A proposta já existente para Alhos Vedros abrange todo o centro do aglomerado urbano, bem como a zona poente e toda uma outra área

que se estende até à linha do comboio. No total, são 42 hectares, o correspondente a 688 edifícios e a 2709 habitantes. Segundo a autarquia, 85 por cento destes edifícios já existiam na década de 80, estando actualmente 53 por cento em mau estado de conservação e 14 por cento em ruinas. Caso seja aprovada, esta área de reabilitação urbana abrange igualmente a requalificação de 3 equipamentos de saúde e 13 culturais. «O objectivo passa por valorizar a área central de Alhos Vedros, estimular a tendência de recuperação do centro urbano e prepará-lo para o comércio e serviços, tornando-o mais actual», sublinha a autarquia. IPS vai ter papel crucial nesta reabilitação urbana

Esta proposta de delimitação da área de reabilitação urbana utiliza grande parte da informação gerada depois da constituição de um gabinete técnico local, entre 2000 e 2002, da aprovação do Plano Director Municipal e da existência de dois documentos internos que, basicamente, regulamentam a urbanização e o edificado no município. «Até 2025, queremos assegurar a sustentabilidade dos edifícios, melhorar a habitabilidade, promover a sustentabilidade dos espaços, requalificar outros, preencher vazios existentes e captar o interesse de novos moradores», sublinha João Lobo. Durante a apresentação desde programa, a Câmara Municipal da Moita assinou um protocolo com o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) que visa o desenvolvimento de um conjunto de acções ao nível da reabilitação urbana, das tecnologias e da construção sustentável. «É um protocolo pioneiro, mas que se enquadra na missão do IPS de se envolver com a região onde está inserida», realçou Armando Pires, presidente da instituição. Bruno Cardoso

ALUGA-SE

Pub.

Casas c/3 assoalhadas Na Quinta da Horta Seca Com parqueamento (Baixa de Palmela) Contactos: 212 353 320 916 916 395

OS SERVIÇOS prestados pelas autarquias locais foram aqueles em que mais se sentiu a adesão à greve geral na região desta quinta-feira. Os transportes, hospitais e serviços vários da administração pública tiveram adesões médias entre os 70 e os 90 por cento. Foi a segunda greve geral desde que Pedro Passos Coelho tomou posse como primeiro-ministro e para Luís Leitão, representante da CGTP no distrito, foi «o mostrar de mais um cartão vermelho a este governo e a estas políticas». Segundo o dirigente sindical esta foi «uma jornada de luta bastante participada, mais ainda que a greve geral de 14 de Novembro» e à qual aderiram «trabalhadores do sector privado, empresarial do estado e da administração pública» com destaque para

os trabalhadores dos transportes e das autarquias locais. «Na linha do Sado não houve comboios a circular e tanto na Transtejo como na Soflusa apenas um barco fez carreira. E nos Transportes Sul do Tejo a adesão à greve foi na ordem dos 75 por cento». Os dados apresentados pela central sindical dão ainda conta de que a maior parte dos serviços de atendimento da Segurança Social estiveram encerrados e que nos vários hospitais do distrito e centros de saúde a adesão à greve foi superior a 70 por cento. Alfeite com 90% de adesão No Arsenal do Alfeite perto de 90 por cento dos trabalhadores aderiram à paralisação assim como grande parte das empresas

DR

Transportes e autarquias com fortes adesões

CGTP no terreno

do parque industrial da Autoeuropa. A fábrica da Volkswagen, em Palmela, não laborou no dia 27 de Junho ao abrigo de um acordo feito com os trabalhadores já em greves anteriores fazendo um dia de “não produção” minimizando assim os efeitos da irregularidade dos serviços

públicos, nomeadamente nos transportes e na rede escolar. Apesar disso, em comunicado, a empresa faz saber que cerca de 10 por cento dos seus trabalhadores terá aderido à greve. Luís Leitão admite que «a adesão no parque industrial de Setúbal foi menor que em outros sectores, mas ainda assim muitas pequenas empresas um pouco por todo o distrito estiveram paradas em sinal de protesto.» Por sua vez, a UGT Setúbal fez saber, em declarações à Sesimbra FM que a greve no distrito tornou os serviços públicos «praticamente inoperacionais», com os hospitais da região a registar uma adesão de 87 por cento e os transportes «uma paralisação de 100 por cento». Marta David


Socialista João Ribeiro é apresentado terça-feira na Praça do Bocage

POLÍTICA

A APRESENTAÇÃO de João Ribeiro, o candidato do PS à presidência da Câmara de Setúbal está agendada para o dia 2 de Julho, às 18 horas, na Praça de Bocage. O acto conta com a presença do líder socialista António José

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com DR

7

Autarcas lideraram Junta de Coina pelo PS durante 12 anos

Cisão no PS abre caminho a independentes em Coina Actual presidente da Junta de Freguesia de Coina queria estar em lugar elegível na lista do PS à Câmara do Barreiro, um reconhecimento do trabalho desenvolvido até aqui. Recusa dos socialistas leva autarcas a desfiliarem-se. Bruno Cardoso

Fotos: DR

O

s autarcas eleitos pelo PS na Junta de Freguesia de Coina, no Barreiro, decidiram não continuar a defender as cores dos socialistas nas próximas autárquicas por não concordarem com as listas do partido na corrida àquela autarquia e à Câmara Municipal do Barreiro. O actual presidente de Junta, Juvenal Silvestre, a face mais visível deste descontentamento, lamenta em declarações ao Semmais que o trabalho de proximidade junto das populações nos últimos doze anos «não tenha sido valorizado por quem de direito» e acusa o candidato à liderança da Câmara do Barreiro, Luís Ferreira, «de privilegiar apenas as amizades em detrimento do trabalho». Juvenal Silvestre ambicionava estar num dos três primeiros lugares da lista do PS na corrida à autarquia, «um desejo normal de quem espera ver o seu trabalho reconhecido com a subida de apenas mais um degrau». Foi deixado, contudo, num lugar onde à partida não é elegível. «Esta é, claramente, uma lista perdedora e é escandaloso que dois primeiros nomes que a integram, Luís Ferreira e Marcelo Moniz, estejam ambos ligados à Santa Casa da Misericórdia do Barreiro», acres-

Luís Ferreira

Juvenal Silvestre

centa Juvenal Silvestre. Marcelo Moniz acumula ainda a presidência da concelhia do PS no Barreiro. O actual presidente da Junta de Freguesia de Coina está disponível para ser alvo de um processo disciplinar, «para esclarecer todo o processo até aqui, apesar de saber que provavelmente não dará em nada». Segundo apurou o Semmais, nenhum dos actuais autarcas do PS, da «equipa» de Juvenal Silvestre, terá igualmente recebido convites para ser cabeça-de-lista à União de Freguesias de Coina e de Palhais nas próximas autárquicas. A junção dessas duas «faltas de reconhecimento» abriu assim o caminho à constituição de um grupo de independentes naquelas duas freguesias que deverá avançar sem o PS nas próximas eleições. O mandatário e a data apresentação oficial do candidato desse movimento devem ser conhecidos em breve.

Candidato do PS lamenta inexistência de consenso Contactado pelo Semmais, Luís Ferreira lamenta que não tenha sido possível conciliar as intenções de Juvenal Silvestre com as do partido e lembra que o PS, acima de tudo, «é um partido democrático, no qual as pessoas não podem degradar a qualidade da vida democrática». Quanto à possibilidade de o PS perder as freguesias de Coina, localidade onde os socialistas sempre obtiveram os melhores resultados no Barreiro, e de Palhais para esse grupo de independentes, Luís Ferreira diz apenas que não faz futurologia. André Pinotes é o número três da lista do PS à Câmara Municipal do Barreiro. Já o poeta, cantor e compositor português, Jorge Fernando, é o mandatário da candidatura de Luís Ferreira à Câmara Municipal do Barreiro.

DOIS DIAS antes da greve geral, Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, já tinha apelado à mobilização dos trabalhadores do sector público do distrito, mas também das empresas privadas. À porta da Visteon, em Palmela, o comunista lembrou a «barbárie da precariedade» ali praticada, «com contratos de 7 a 8 dias e outros que nem chegam a fazer um ano para impedir que os trabalhadores tenham acesso ao subsídio de desemprego». «Trata-se de uma exploração

feudal e um retrocesso laboral e civilizacional sem precedentes», lamentou Jerónimo de Sousa. Na ocasião, o secretário-geral do PCP afirmava acreditar que a população em geral iria aderir à greve, demonstrando ao actual Governo que «está na hora de acabar com as políticas de austeridade e de devolver ao povo a decisão de eleger novos governantes». «Essa grande participação na greve fará ecoar um grito de basta», reiterava Jerónimo de Sousa.

DR

Jerónimo apela à greve contra a precariedade

Secretário-geral do PCP

Seguro. João Ribeiro já visitou as Juntas de Freguesia de S. Simão (CDU), S. Lourenço (Movimento) e Anunciada (CDU). A seu ver, são visitas institucionais que dignificam a política e a democracia e que pretendem valorizar

a importância das freguesias na sua relação diária com os cidadãos. «Quando o PS for Governo, o processo de reorganização administrativa será reiniciado e as populações serão ouvidas», frisa.

Há uma nova esperança...

C

om a marcação das eleições autárquicas para o próximo dia 29 de Setembro inicia-se uma nova etapa no nosso futuro colectivo. Portugal vai escolher aqueles, que estando mais próximo dos seus eleitores, têm a responsabilidade de gerir os nossos destinos colectivos e de romper com esta cultura de desgraça nacional e de miserabilismo institucional. Iniciou-se já um período de précampanha com os candidatos a percorrerem os seus concelhos e a darem-se a conhecer ao eleitorado. Trabalho que tem vindo a ser feito usando um misto de técnicas habituais e de alguma inovação. A crise em que o País mergulhou e em que o Governo teima em continuar, como se fosse um castigo a imputar aos meninos que se portaram mal, leva-nos a pensar o País a partir do conhecimento que temos do mundo que nos rodeia e que nos faz viver. As comunidades locais, onde nos inserimos, são por isso, hoje em dia, uma mais-valia que não podemos esquecer nem ignorar, porque são elas a fonte de toda a solidariedade, de toda a construção da sociedade que queremos e que desejamos para os nossos filhos, da procura permanente de soluções para tornar a nossa existência mais leve e mais agradável. O Homem, para respirar e ser livre, não tem que ser escravo de ninguém e muito menos de poderes estranhos e sem rosto, como são os mercados. Portugal foi dos primeiros países do mundo a abolir a escravatura e agora querem-nos remeter à condição de escravos. Que ingratidão cometemos para com os nossos antepassados e que infâmia cometeremos para com os nossos descendentes. Portugal foi e será uma Pátria de homens livres, de gente que trabalha e que sabe o que quer, de gente inovadora e criativa, capaz de dar novos mundos ao mundo, como nos dizia Camões. Só um Governo obstinado em querer ser o que não é, certamente porque tem vergonha do que foi, é que é capaz de assumir posições tão desajustadas da realidade dos cidadãos. O desemprego, a saúde dos mais idosos e dos mais novos, a pobreza, a educação, a formação dos cidadãos, tudo foi deixado para trás e à ganância dos mercados, para que o servilismo luso pagasse aos mercados aquilo que os mesmos já nos tinham extor-

Mário Cristovão Ex-governador civil

quido. É preciso dizer que, à luz do bom comportamento europeu, nós andámos duas décadas a acabar com a nossa agricultura e com as nossas pescas para, nos últimos anos, e quando as nossas estruturas estavam completamente débeis e esgotadas, descobrirmos que o nosso grande desígnio era o mar. Precisamos de acreditar e de confiar, precisamos de ganhar esperança e recuperar a nossa auto-estima, não importa agora passarmos a vida a culparmo-nos sobre quem foi mais ou menos responsável por tanto disparate que fizemos. Precisamos de olhar em frente, de nos assumirmos como povo e não como gente, precisamos de recuperar a nossa alma e dizer ao mundo que Portugal é mais, muito mais do que uma dívida externa, do que um mercado e do que uma transacção. Portugal é um país de homens e mulheres que foram capazes, ao longo de quase mil anos de história, de resolver todos os seus problemas e, ainda, de ser solidários com os povos que mais necessitavam da sua ajuda. Nós sempre fomos um Povo que se respeitou e, infelizmente, sempre tivemos uma elite medíocre e incapaz porque viveu sempre à custa do trabalho alheio. Hoje, com as eleições autárquicas, o desafio está novamente colocado nas nossas mãos e é perante esse desafio que importa assumir se queremos ou não escolher um outro caminho. Estou certo que todos desejamos um novo caminho capaz de potenciar o desenvolvimento sustentado e sustentável da nossa comunidade, acreditando na dimensão estratégica do concelho de Palmela no quadro da Área Metropolitana de Lisboa, procurando diferenciar os produtos da nossa agricultura e da indústria, que aqui se veio instalar a partir dos anos 80 do século passado. O caminho não é fácil mas é possível. Os candidatos do PS, pela postura, pela capacidade de ouvir e pelo conhecimento poderão ser os líderes que fazem falta para que Palmela seja a centralidade de todo o desenvolvimento da Península de Setúbal. Estou crente que há esperança em Palmela, ao fim de quase 40 anos de Governação CDU é preciso acreditar que o futuro é já hoje…


DESTAQUE Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

Costa Alentejana apresenta balanço e defende futuro

Associação de produtores de vinhos pujante Um dos orgulhos da estrutura agora extinta foi ter deixado a Costa Alentejana com uma Associação de Produtores de Vinho em actividade plena. A entidade tem meses de vida mas mostra já grande pujança. «Estamos a falar de vinhos de alta qualidade e os nossos produtores estão a fazer por potenciar a marca», disse Jacinta Sobral, responsável pela marca ‘Soberana’ e vice-presidente da Associação. No total, são dez os produtores que compõem a associação.

Fotos: DR

8

A realização das ‘7 Maravilhas - Praias de Portugal’, nas areias de Tróia, foi uma das iniciativas mais mediáticas deste destino turístico de excelência

O Pólo Turístico da Costa Alentejana vai acabar. Esta semana apresentou contas aos parceiros e uniu forças para projectar forças para o futuro

O

encerramento do Pólo Turístico da Costa Alentejana, na sequência da nova reestruturação orgânica do turismo em Portugal, pode não implicar que o trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos «fique pelo caminho». Esta é a convicção de Carlos Beato, presidente daquele organismo e é seguida pela maioria dos agentes institucionais e privados que se têm batido pela «excelência» deste destino e revolucionaram a marca turística da região. A extinção funcional do Pólo tem data marcada para meados de Agosto, mas parece seguro a manutenção de uma ‘delegação’, com sede em Grândola, sob a alçada e parceria da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, entidade privada, que desta forma quer «aumentar a

«Fechamos sem dívidas e com marca alavancada» Que balanço quer destacar destes quatro anos? Em primeiro lugar, quero destacar a relação e a sintonia que se registou entre os cinco municípios, os agentes privados e o movimento associativo, sem o qual nunca seria possível pensar este território como um todo. Essa foi a maior conquista. Por outro lado, mesmo com um intenso caderno de encargos, de promoção, apoios diversos, estratégia e lançamento de marca fechamos o ciclo sem dívidas, o que significa que a missão foi cumpri-

sua capacidade de intervenção» (ver caixa), explica ao Semmais o responsável António Lacerda. Esta semana, em jeito de balanço, os responsáveis do Pólo Turístico da Costa Alentejana, apresentaram contas de «quatro anos intensos de promoção e estratégia», segundo o líder Carlos Beato, aos parceiros mais relevantes. «Valeu a pena, temos resultados palpáveis deste trabalho que juntou cinco municípios em defesa de um só território e agora é preciso encontrar formas de lhes dar continuidade», frisou Carlos Beato. (ver entrevista). A verdade é que o número de visitas e a inversão dos rácios entre os mercados nacional e estrangeiro provam as mudanças que já se fazem sentir. «No quadro do Alentejo, em 2005 para um total de 939.000 dormidas, apenas 244.641 foram do mercado externo e o ano passado, para um total de 1.152.347 dormidas, já se registou a presença de 355.195 estrangeiros», explica ao Semmais António Lacerda, um dos responsáveis da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo e profundo conhecedor da realidade específica da Costa Alentejana.

Carlos Beato é o presidente

da na plenitude. Quer apontar algumas das iniciativas mais relevantes? Deixámos um plano estratégico de marketing para este destino de excelência, duas conferências sobre ambiente e a biodiversidade de Tróia e a abordagem sobre a sozonalidade turístico da Costa Alentejana. O filme promocional, em português, inglês e alemão também foi muito importante. Entre muitas outras iniciativas.

O papel «aglutinador» do Pólo Turístico, que apostou tudo na promoção e visibilidade da região foi decisivo. «Foram inúmeras as iniciativas e hoje podemos estar orgulhosos de o nosso portal ter registado mais de 1,3 milhões de visualizações, já com uma forte componente no estrangeiro», lembrou Carlos Beato. Cinco concelhos unidos pelos objectivos Não esquecendo que foram investidos mais de 400 mil euros no apoio a eventos e a iniciativas diversas nos cinco concelhos da Costa Alentejana (incluindo Odemira) e «orgulho» de trazer às areias de Tróia, com transmissão em directo da final do concurso das “7 Maravilhas das Praias de Portugal”. «Foi um trabalho conjunto que pela primeira vez juntou as sinergias dos cinco concelhos e ficou claro que esta região deixou de ser subvalorizada. Soubemos trabalhar em conjunto e esse factor tem que ser continuado, com ousadia», diz Manuel Coelho, presidente da Câmara de Sines.

Os agentes locais também reconhecem a importância dos apoios do Pólo, de que montantes estamos a falar? Para além de outros de cariz mais estratégico, estamos a falar de cerca de 400.000 euros. Mas podemos falar do patrocínio à Volta do Alentejo o ano passado e já consagrado para este ano, a implementação da Rota Vicentina. Fizemos renascer a importância da marca e ajudar a potenciar a diversidade de todos os cantinhos que podem fazer a diferente em termos turísticos de captação de visitantes. Há a ideia de que o mercado externo começou a mexer… E é verdade. Nessa área refiro a criação do Portal que conquistou uma posição de relevo, atingindo 136 mil visitas, sendo que temos regis-

Esta «relação estreita» entre as diferentes autarquias é também enaltecida por Graça Nunes, actual presidente da Câmara de Grândola e por Álvaro Beijinha, vereador e actual candidato da CDU ao município de Santiago do Cacém. A autarca grandolense espera apenas que se não perca «a experiência acumulada e as parcerias conseguidas com o movimento associativo e entidades privadas» E lembra que primeira vez «As câmaras deixaram de olhar cada uma par o seu espaço e trabalhar para uma só região». Bejinha, por sua vez, recorda que, pelas mãos do Pólo Turístico «os municípios puderam sentir-te como parte do processo e a traçar um destino comum com todas as diversidades». Já Henrique Montelobo, um dos vice-presidente do Pólo, mostrouse reticente em relação ao facto de o novo modelo poder servir melhor os interesses da região, e exortou os agentes locais, nomeadamente «câmaras e privados» a tomarem o pulso ao futuro. «Os investidores estão cada vez mais interessados em apostas que incluam a diferenciação dos seus destinos e querem estar ao

lado dos agentes locais. Neste caso os autarcas têm um papel preponderante em encontrar respostas que mobilizem e cativem os grandes investimentos», afirmou. Montelobo lembrou que há quatro anos atrás foi contra o modelo dos polos, mas reconheceu que «a experiência foi exemplar», porque foi possível «fazer muito com poucos meios». E explicou melhor: «O que se fez foi aplicar os recursos em coisas positivas sem desbaratar o dinheiro dos contribuintes». Entidades como a Associação de Desenvolvimento do Alentejo, os privados que gerem, na região, as grandes marcas turísticas, como a Herdade da Comporta, Pinheirinhos ou Tróia Resort, a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo – Costa Azul e a Agência de Promoção Turística do Alentejo, foram «parceiros exemplares e sempre presentes», afirmou Carlos Beato, enaltecendo igualmente os serviços técnicos de turismo das cinco câmaras. Bem como o seu vicepresidente, Carlos Silva, «um dos grandes executores da estratégica» que, frisou, «mostrou grande competência, capacidade e conhecimento do território».

to de mais de 66 mil visitas da Alemanha, França e Inglaterra. Só em visualização estamos a falar de mais de 1,2 milhões. Aliás, a utilização das redes sociais foi um trunfo, o facebook conta com 1,6 milhões de visitas e no caso do YouTube cerca de 45.000 visualizações. Mas também para a implementação da estratégica de promoção no exterior, com apoio da ARPTA, realizámos acções na Alemanha, Inglaterra e Suécia.

deixar de mencionar o facto de termos conseguido trazer para Tróia a final das “7 Maravilhas Praias de Portugal”, porque nos deu projeção mediática durante cerca de três meses.

E em termos internos? Produzimos 30 mil mapas da Costa Alentejana, que não existia, colocámos outdoors em zonas cirúrgicas, na última fase produzimos cadernos especiais na imprensa regional e nacional, até porque o mercado interno continua a ser uma aposta para combater a sazonalidade. Não posso

Dever cumprido e agora? Temos essa convicção e temos que agradecer a todos os que se empenharam. Recordo ainda, que conseguimos trazer um grande evento internacional que se realizará em Outubro, que é a Taça do Mundo de O-BTT e Campeonato do Mundo de Veteranos de O-BTT, que se prevê trazer a esta região mais de 500 participantes estrangeiros. Quanto ao futuro, estou esperançado que a nova entidade saberá reconhecer este trabalho e não deixará de apoiar os agentes locais, nomeadamente as autarquias a prosseguir este caminho.


9

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

A presença e os apoios que a CCAMCosta Azul desenvolve no âmbito da promoção turística da Costa Alentejana faz parte da nossa estratégia de desenvolvimento comum. E a importância deste destino turístico faz também mexer a nossa economia.

Jorge Nunes*

Beirão da Veiga*

Henrique Montelobo*

Foi um prazer fazer parte, nestes quatro anos, do Pólo e do seu trabalho em prol da promoção da nossa Costa Alentejana. Aprendi muito e a Herdade da Comporta vai continuar a apoiar e apostar na divulgação desta região, objectivos que a todos servem.

Foi importante podermos trabalhar com o Pólo, entidade que sempre nos incentivou e apoiou. A actividade vitivinícola da região está hoje mais empenhada e a criação da Associação dos Produtores de Vinho da Costa Alentejana é prova da vitalidade do sector.

Jacinta Sobral*

* Pres. CM Grândola

É pena que este trabalho não possa ter continuidade com este desenho, resultados e objectivos concretos. Receio que volte o esquecimento deste território, mas acredito na força dos autarcas e do movimento associativo na defesa de uma só região.

Foi importante a dedicação e a sintonia de todos os que connosco trabalharam. Estes quatro anos foram marcantes para o turismo da Costa Alentejana e cada uma das entidades tem a sua cota parte de responsabilidades. A promoção e visibilidade deve continuar.

Maria João*

* Resp. do P.T. C. Alentejana

* Vice-pres. P.T. C. Alentejana

* Pres. CM Sines

Estes quatro anos provaram que a experiência valeu a pena, apostando na diferenciação e nas especificidades locais. Os grandes investidores já o perceberam e estão dispostos a apoiar. Cabe aos municípios mobilizaram e captarem mais investimentos.

Graça Nunes*

* Resp. da ADL

Nestes quatro anos algo mudou, nomeadamente a captação de turistas estrangeiros. E os números são prova disso. Nunca como hoje ganhámos tanto mercado externo e é preciso insistir. Este trabalho não será desperdiçado e a ARPTA está empenhada nisso.

Deixámos de ter um território subvalorizado e soubemos marcar as nossas diferenças. Agora o futuro pertencenos e acredito na experiência acumulada para apreendermos o que é importante, sendo que a CIMAL vai ser fundamental na estratégia futura.

*Ass. Prod. Vinhos C. Alent.

António Lacerda*

Álvaro Beijinha*

Manuel Coelho*

* Pres. H. da Comporta

* Resp. da ARPTA

É lamentável que num espaço de quatro a seis anos já tivéssemos experimentado três modelos diferentes para o nosso turismo. Mas é preciso preservar este trabalho, porque passámos a ter uma voz em conjunto. Somos um grande destino turístico.

* Vereador CM Santiago

Carlos Beato*

O nosso sucesso fica a dever-se ao esforço e dedicação de todos os agentes locais, sem esquecer os promotores que perceberam a importância de salvaguardar a nossa diversidade. E os municípios souberam estar lado a lado em defesa de um território de excelência.

* Pres. CCAM Costa Azul

* Pres. do P.T. C. Alentejana

Testemunhos no fim de um ciclo de quatro anos

Carlos Silva*

Receio que estas mudanças não estejam totalmente de acordo com o espírito com que se perspectivou o Pólo Turístico da Costa Alentejana. Esta dimensão de sinergias entre as entidades públicas e privadas foi fundamental. A ADL vai continuar a trabalhar na mesma linha.

A reunião que juntou os principais parceiros do Pólo Turístico da Costa Alentejana decorreu no Monte das Faias, uma das herdades mais reputadas do concelho de Grândola. Pub.

Grândola pode manter ‘dispositivo’ em casa da ARPTA A AGÊNCIA Regional de Promoção Turística do Alentejo (ARPTA), de direito privado, pode vir a ser o grande motor da defesa do turismo da Costa Alentejana. Com a extinção do Pólo, a APTA desafiou a Entidade Regional de Turismo do Alentejo para receber no seu seio um «pequeno dispositivo» que lute pelas diversidades e diferenciações do ‘cluster’ naqueles cinco territórios. Trata-se de uma hipótese aplaudida pelas entidades públicas e privadas que deram corpo ao desenvolvimento no Pub.

António Lacerda, da ARPTA

terreno do Pólo agora extinto. «Podemos congregar aqui, em Grândola, estes nossos interesses mais locais, com o acolhimento de serviços e sem grande dispêndio de recursos

financeiros», explica ao Semmais António Lacerda. Em termos objectivos, parece haver já um «compromisso» dos responsáveis da Entidade de Turismo do Alentejo, que vai receber o Pólo, em «descentralizar» uma pequena delegação dedicada a este território específico. «O presidente Ceia da Silva já o garantiu e nós estamos dispostos a isso, porque mantemos esse olhar mais local e podermos aumentar, com essa sinergia, a nossa capacidade de promoção da região».


Espaços vagos no castelo

LOCAL

O MUNICÍPIO de Palmela aprovou a abertura de hasta pública para a concessão do direito de ocupação do Café Esplanada e das lojas 1 e 3 da área comercial do Castelo. As propostas

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 10

poderão ser entregues até ao último dia do prazo fixado em edital, nos atendimentos municipais, em Palmela, Pinhal Novo e Quinta do Anjo, ou através dos serviços postais.

Dia aberto na EP Moita A ESCOLA Técnica Profissional da Moita promove este sábado, a partir das 15 horas, o Dia Aberto Leonardo da Vinci. Esta escola está a desenvolver o seu projecto de mobilidade europeia

Leonardo da Vinci, que é financiado pela Comissão Europeia. Neste projecto participam alunos dos cursos de Energias Renováveis e de Restauração, dos 17 e os 23 anos.

Câmara diz que empresa não cumpriu

O parque de Campismo de S. Torpes, com a classificaçãoo de 1 estrela, não estava a cumprir com os requisitos

Sines deita abaixo campismo em S. Torpes Segundo a autarquia, o referido parque possuía um historial de obras não licenciadas, ocupação não legitimada de território e queixas referentes ao seu funcionamento. A empresa exploradora do parque chegou a avançar com uma providência cautelar, com a finalidade de continuar em actividade, mas, sem qualquer efeito, uma vez que a empresa não cumpriu com as exigências do tribunal. Na ausência de qualquer título que permita a abertura do empreendimento, o mesmo terá de ser encerrado, demolidas as edificações/ instalações executadas sem qualquer licença e retirados os equipamentos que foram instalados em desconformidade com o instrumento

O município entende que o concelho deve ter a funcionar parques de campismoo com qualidade de forma a satisfazer os seus frrequentadores.

O

parque de Campismo de S. Torpes foi mandado encerrar por decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja, proferida no âmbito de Providência Cautelar. A licença de exploração caducou em 2010 e os requisitos, exigidos por lei, para a sua renovação não foram satisfeitos.

A ASSEMBLEIA Municipal de Alcochete aprovou terça-feira, por unanimidade, a adesão do município ao Pacto de Autarcas. Segundo a proposta, “esta iniciativa da Comissão Europeia estabelece o compromisso das cidades signatárias em reduzirem pelo menos 20 por cento das emissões de gases com efeito estufa nos seus territórios até 2020”. O referido conjunto de medidas “consiste num compromisso assumido pelos municípios aderentes para ultrapassarem as metas

DR

Pacto de autarcas protege ambiente na vila de Alcochete

Alcochete reduz emissão de gases

traçadas pela política energética da UE em matéria de redução das emissões de CO2”.

de ordenamento do território em vigor (Plano Diretor Municipal). O presidente da Câmara de Sines, Manuel Coelho, reitera o «interesse da Câmara na existência de um parque de campismo com as dimensões e qualidade que respondam às necessidades de um equipamento turístico deste género naquela zona de grande beleza e proximidade das praias». Mas esse parque, explica o presidente, «tem que ser, obrigatoriamente, dotado das infraestruturas de saneamento e equipamentos de apoio aos clientes que respondam à legislação em vigor e às exigências de conforto e qualidade adequadas, sendo para tal indispensáveis os pareceres favoráveis das entidades competentes».

Almada velha em festa DURANTE este mês, Almada Velha, com os seus largos, ruas, jardins e vários equipamentos, continua a ser palco de arraiais e animações, que integra as Festas da Cidade. Além dos habituais arraiais e festas populares, haverá animações com concertos, espectáculos de rua, teatro e artesanato nas ruas, praças e jardins.

DR

O GABINETE da juventude do município está a aceitar inscrições para o intercâmbio “Let’s Know our Rights” que terá lugar na Polónia, de 16 a 23 de Agosto, ao abrigo do programa comunitário Juventude em Acção. Desta vez, serão seleccionados sete jovens, entre os 18 e 25 anos, e um líder de grupo, sem limite de idade. As inscrições estão abertas até ao próximo dia 1 de Julho. Os principais objectivos deste intercâmbio são promover o empreendedorismo e o espírito de iniciativa, encontrar formas de prevenir o desemprego, bem como a exclusão social, através da promoção da participação activa dos jovens nas suas comunidades locais. As actividades a desenvolver enquadram-se dentro do método

Inscrições até dia 1 de Julho

de educação não formal, workshops, debates, role play’s, entre outras. O idioma utilizado durante o curso é o Inglês. O Programa Juventude em Acção assegura o pagamento de setenta por cento dos custos da passagem de avião, tal como as despesas com alojamento e alimentação.

Alcácer do Sal venera gentes do mar em procissão ALCÁCER do Sal recebe este sábado, a 7.ª edição da Romaria e Procissão no Rio Sado, uma iniciativa que interliga a religiosidade com a dinamização da cidade. O evento começa às 18 horas, com animação musical no largo da Ribeira Velha, com Paulo Espinho. Por volta das 20 horas, o Rancho de Alcácer do Sal mostra, no largo Luís de Camões, as suas danças e cantares tradicionais do Vale do Sado. Pelas 21 horas, a praça Pedro Nunes recebe a banda da ‘Calceteira’. À mesma hora, a Igreja de Santa

Maria do Castelo acolhe a eucaristia, partindo daqui depois o cortejo religioso até ao cais da Ribeira Velha, acompanhado pela música da ‘Pazôa’. Uma vez aí, as imagens de Nossa Senhora do Castelo e Nossa Senhora de Troia entrarão numa embarcação de pesca, que vai ser escoltada por outras 30 oriundas de Setúbal, Carrasqueira e Alcácer do Sal, desfilando pelas águas do Sado para abençoar a pesca e a memória dos que deram a sua vida em nome da actividade piscatória. A partir das 23h30 há baile com Gina Reis.

Grândola segue rota das tabernas com pestiscos e muita música O MUNICÍPIO de Grândola continua a apresentar, até 13 de Julho, a 19.ª edição da Rota das Tabernas, a partir das 20 horas. A ementa é recheada de vinhos e pratos típicos da cozinha alentejana. Não falta a animação com poetas, cante alentejano, fado e música popular. Depois de uma passagem pela “Taberna do Agostinho”, em Santa Margarida da Serra, no dia 22, o evento prossegue este sábado, na “Taberna”, seguindo-se, a 6 de Julho, a “Casa Dimas”, e a 12 de Julho, “A

DR

DR

Montijo leva jovens em intercâmbio à Polónia

A lotação tem estado esgotada

Venda”. A Rota termina no dia na taberna “O Justense”. As reservas devem ser feitas nas respectivas tabernas aderentes.


11

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

Sesimbra aprova Plano de Urbanização da Lagoa

Depois de vários anos de luta, Albufeira vê finalmente plano aprovado

DR

Desfile etnográfico pelas ruas

nala o 42.º aniversário do Rancho Folclórico do Poceirão, será outro dos momentos altos da festa, com a participação, também, de Ranchos Folclóricos da Afurada (Vila Nova de Gaia), de Cabeção (Évora) e do Furadouro (Torres Vedras).

6.º “Moda Sado” valoriza jovens talentos de Setúbal VINTE jovens modelos desfilam este sábado, às 22 horas, no auditório José Afonso, em Setúbal, no 6.º “Moda Sado”. Após a realização de dois castings, nos dias 1 e 2 de Junho, os modelos seleccionados, de ambos os sexos, dos 15 aos 25 anos, vão exibir na passerelle as novas colecções de duas lojas da baixa,

e das propostas de Romana Mussagy e Milene Santos. O espectáculo, sob a batuta de Ana Sobrinho e organização do município, conta com animação de Fernando e Ricardo Duarte, e pretende ainda apresentar os manequins que ambicionam oportunidades de carreira no mundo da moda e à procura de agenciamento.

do desenvolvimento da Lagoa desde os anos 80 do século XX até à actualidade, tendo afirmado que o plano «é hoje uma realidade graças ao empenho de todos». Já João Raposo, arquitecto coordenador da revisão do Plano, centrou-se nos aspectos técnicos e destacou a dinâmica das pessoas.

Feira da ladra em Grândola A FEIRA da ladra de Grândola decorre este sábado, no Largo Catarina Eufémia, junto aos CTT, a partir das 9 horas. Objectos usados, como mobiliário, antiguidades, roupas, quadros, artigos de decoração, bijuterias ou livros estão disponíveis, num espaço partilhado por todas as pessoas que queiram participar.

Caminhada pela natureza FOMENTAR a prática de exercício físico ao ar livre é um dos objectivos do programa NaturalMoita que este sábado tem agendado o passeio “Caminhada na Natureza Noturna II”. A concentração dos participantes está marcada para as 21 horas, junto ao Moinho de Maré, em Alhos Vedros.

«NÃO IMAGINO o Barreiro sem TCB», disse o vereador, Carlos Moreira, na apresentação pública dos resultados do Inquérito de Satisfação ao Cliente, realizada esta semana. O inquérito foi feito no interior dos autocarros, escolas e paragens, por três alunas estagiárias de uma turma do 12.º ano da Escola Augusto Cabrita. Foram inquiridas 700 pessoas, dos quais 57 por cento eram jovens. As carreiras 7, 14 e 15 são as mais utilizadas e 72 por cento diz estar satisfeito com o serviço. A directora da escola, Mariana Alves, agradeceu ao município «terem dado esta possibilidade das nossas alunas terem feito este trabalho e poderem entrar em contacto com a vida activa».

DEVIDO ao Verão, alguns equipamentos municipais suspendem o seu funcionamento, encerrando ou alterando os horários. A biblioteca encerra em Agosto e os núcleos de Amora e Corroios estão fechados em Julho e Setembro. O auditório, a galeria de Augusto Cabrita, o cinema S. Vicente e a galeria de Corroios também encerram em Agosto. Os pavilhões do Alto do Moinho e Torre da Marinha, a pista de Atletismo Carla Sacramento e as piscinas de Amora e Corroios também fecham nesse mês. Os pavilhões escolares fecham a 24 de Julho.

Idosos celebram em Santiago

DR

Novos horários no Seixal

TREZENTOS idosos do concelho celebraram os Santos Populares, no dia 25, no parque de merendas do Rio da Figueira, em Santiago do Cacém, em mais uma actividade integrada no projecto “Ser Idoso, Ser Activo 2013”, levado a cabo pelo município. Após o almoço-convívio, a animação tomou conta do espaço com marchas populares trazidas pelos utentes do Centro de Dia de Alvalade e pela Academia Sénior de Artes e Saberes, de Santo André. As canções alusivas aos Santos Populares aqueceram ainda mais a já quente tarde de Verão que se

INICIATIVAS

Transportes agradam no Barreiro

Bombeiros em festa

Dia do Bombeiro SEIXAL comemora este sábado o Dia Municipal do Bombeiro. A cerimónia de homenagem decorre na Av. Humberto Delgado, em Paio Pires, às 9 horas. O programa arranca com o desfile de viaturas, que antecede a apresentação das fanfarras, bombeiros e viaturas com tripulação.

Festa amarela

DR

exemplo de reconversão urbanística», frisou o presidente Augusto Pólvora, lembrando as dificuldades e os entraves que foram surgindo durante a sua elaboração. A mesma satisfação foi partilhada por José Alexandrino, coordenador do projecto municipal das AUGI, que apresentou um historial

Palmela valoriza os seus produtos locais de excelência A 24.ª FEIRA Comercial e Agrícola do Poceirão volta a apostar na valorização dos produtos locais de qualidade e da identidade das gentes do mundo rural. O certame, que decorre entre 5 e 7 de Julho, além da tradicional exposição agropecuária, do pavilhão das adegas de 19 produtores e da presença das instituições e movimento associativo local, conta com animação, onde não falta a música, o teatro de revista, o desporto, a comédia, a gastronomia e o desfile etnográfico pelas ruas da aldeia, no final de domingo. A organização destaca, também, o encontro/debate sobre os impactos na agricultura, derivados das novas regras fiscais e de transporte, promovido pela Associação de Agricultores do Distrito de Setúbal, e várias sessões de esclarecimento sobre financiamentos ao sector agro-pecuário. O Festival de Folclore, que assi-

JÁ ENTRARAM em funcionamento as bibliotecas municipais na praia fluvial do Rosário e no parque José Afonso, na Baixa da Banheira. Com esta iniciativa, de levar as bibliotecas a zonas de lazer mais frequentadas nos meses de Verão, a Câmara Municipal da Moita pretende fomentar o gosto pelo livro e pela leitura e, simultaneamente, atrair novos leitores para as bibliotecas municipais. A biblioteca do Rosário funciona de terça a sexta-feira, das 10 às 18 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 19 horas. Já a biblioteca do parque está aberta, de terça-feira, a sábado, das 9h30 às 20 horas. Ambas as bibliotecas disponibilizam livros, revistas e jornais e desenvolvem jogos didácticos, trabalhos manuais e ateliês para os mais novos. Os adultos têm também à sua disposição jogos como xadrez ou damas.

DR

«ESTAMOS a viver um momento histórico», afirmou a presidente da Assembleia Municipal, Odete Graça, após a aprovação, por unanimidade, do Plano de Urbanização da Lagoa de Albufeira, no passado dia 21. A aprovação do documento mereceu um forte aplauso por parte dos deputados, moradores e representantes de comissões de administração de Áreas Urbanas de Génese Ilegal da Lagoa de Albufeira, que fizeram questão de marcar presença num acontecimento há muito esperado, que culmina um processo iniciado há 13 anos, e que só foi possível levar a bom porto com o empenho dos moradores e do município. «Se não fosse a predisposição dos proprietários, o empenho das comissões de administração, e a determinação da autarquia não estaríamos hoje aqui a aprovar este plano, que fará da Lagoa um grande

Leituras nas praias e parques da vila da Moita

300 idosos conviveram no parque

fez sentir e fizeram as delícias dos presentes. Marcaram presença diversas associações e entidades que trabalham com idosos.

ENTRE as 15 e as 21 horas deste sábado, decorre no Centro de Santo Amaro, no Laranjeiro, a 13.ª Festa Amarela, sob o tema “Arraial na Quinta!”. Há exposições, workshops, bancas do mundo, artes e espectáculos e desporto e aventura. A iniciativa é da Câmara de Almada, em parceria com as associações e colectividades.


CULTURA Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 12

Concerto retrospectivo A 19 de Julho, às 21h30, o Coral Luísa Todi vai apresentar no Fórum Luísa Todi, em Setúbal, um concerto retrospectivo dos seus 50 anos de actividade. Este concerto vai fazernos recuar no tempo, recordar

alguns dos momentos mais marcantes da actividade desta instituição ao longo dos seus 50 anos de actividade, e trazer também até nós algumas pessoas que fizeram parte desse percurso.

Com homenagem a Lenita Gentil

Fotos: DR

‘Stars’ da eurovisão brilham em Setúbal

Guilherme Santos, da organização, orgulha-se de o Eurovision Live Concert de Setúbal ser um dos maiores da Europa

Muita música, homenagens e fitness são apostas do Eurovision Live Concert de Setúbal que assinala um crescimento ímpar na Europa. António Luís

O

Eurovision Live Concert volta realizar-se em Setúbal, pela quinta vez, sob a batuta de Guilherme Santos, trazendo à capital de distrito várias estrelas da Eurovisão. Desta feita, Setúbal vai ser palco de 3 dias de concertos, nomeadamente nos dias 5 e 6 de Setembro, no Forum Luísa Todi, e no dia 7, no Largo José Afonso. O município sadino é o principal parceiro do evento. Só os espectáculos do Forum são pagos. Guilherme Santos deposita «as melhores expectativas» na edição, sublinhando que Portugal é o primeiro País a realizar esta festa durante três dias. O evento sadino, devido à grande adesão de público e de artistas registada no ano passado - 6 mil pessoas -, é já considerada «a maior da Europa, tendo ultrapassado as festas da Holanda e da Suécia». No dia 5, às 21h30, o show é dedicado apenas aos portugueses que venceram o Festival da RTP e/ou representaram Portugal no Eurofestival, e dá pelo nome de “Portugal, o País do Fado”. «Não é uma grande noite de fado, mas sim uma homenagem ao fado», levanta o véu Guilherme Santos, que revela que os nomes de Ricardo Soler, Liana, Anabela, Piedade Fernandes, Ana Lains, Carla Pires e Lenita Gentil vão abrilhantar a primeira noite, sendo que esta última artista, um nome «incontornável» do fado, merece

homenagem. «É uma artista que acolhe grande carinho dos setubalenses, porque gravou a marcha do V. Setúbal e está a comemorar 45 anos de carreira», frisa. A noite do dia 6, à mesma hora, actua o jovem israelita Chen Aharoni, que nunca pisou o palco do Eurofestival, mas que já esteve em Setúbal em 2010. Do mesmo país chega também Moran Mazor, que representou este ano o seu país no Eurofestival. A segunda parte do espectáculo é preenchida com uma «espécie de recital de canto lírico, acompanhado ao piano» por um dos artistas «mais emblemáticos» da Roménia, Vladir Mirita, que representou o seu país em 2008.

Moran Mazor (Israel)

Dia pleno de actividades O último dia do Eurovision Live Concert de Setúbal arranca, às 10 horas, com uma aula de Fitness, na placa central da Avenida Luísa Todi, ao som de música da Eurovisão, aberto à população em geral. Está também programado um passeio pela Arrábida, às 10 horas, por forma a dar a conhecer as nossas belezas naturais às estrelas estrangeiras. Às 16 horas decorre um concerto no coreto da Avenida Luísa Todi, onde são interpretados vários temas festivaleiros. Pelas 18 horas, na Casa da Cultura, decorre a apresentação oficial do novo single da dupla Jalize, a estreia de Itália em Setúbal. A partir das 20 horas, no auditório José Afonso, tem lugar o cocktail de boas vindas, sendo que o show de encerramento arranca às 21h30, com a participação de Vlad Mirita, Jalize, Pocket, Chen Aharoni, Moran Mazor, Roberto Bellarosa, entre outros ainda por confirmar. Os apresentadores de serviço são o Pedro Granger, Pedro Penin, Marco Lopes e Natália Abreu.

Roberto Bellarosa (Bélgica)

Vlad Mirita (Roménia)

Chen Aharoni (Israel)


13

Município reconhece talento jovem setubalense

Ruben Santana, Filipe Torrado e Solângela Varela foram distinguidos na área de ciência e tecnologia, enquanto Mariana Morgado se destacou na moda. As facetas de empreendedorismo e associativismo de Hugo Silva e João Fernandes valeram o reconhecimento do município. O vereador André Martins referiu que os distinguidos, «cujo sucesso obteve o reconhecimento da comunidade setubalense», traduz «apenas uma pequena parte do todo

a pintura e a escultura em pedra. A exposição pode ser apreciada por todos os visitantes da Casa Museu José Maria da Fonseca, enquadrada nas visitas guiadas ao espaço, de segunda-feira a domingo, das 10 às 12 e das 14h30 às 17h30. Sofia Soares Franco, responsável pelo Enoturismo e Comunicação da JMF, refere que a empresa está «orgulhosa» de receber, na sua Casa Museu, uma exposição «desta dimensão e, sobretudo, de termos a possibilidade de apoiar artistas da nossa região».

Ganhe CD´s de Rebeca “Simplesmente” é o título do mais recente trabalho discográfico da cantora Rebeca, que volta a contar com Ricardo Landum na produção. Composto por onze faixas, trata-se de um disco biográfico , que é baseado na sua própria vivência. Neste novo CD, a cantora mostra-se mais madura e aposta em temas mexidos e baladas. Para se habilitar ao disco “Simplesmente”, basta ligar 918 047 918. Os prémios não são enviados

via CTT mas sim levantados nas nossas instalações.

maravilhoso que são os representantes das novas gerações». O autarca apelou à «capacidade construtiva e transformadora» dos 25 jovens, «confrontados com as sempre novas e cada vez maiores dificuldades». A participação activa dos jovens na sociedade, «local, nacional ou em qualquer outro lugar do mundo, por vezes em contextos sociais e económicos precários, reflete-se, possibilitando e potenciando uma nova consciência criadora», salientou.

29

Festival FUMO

Integrado no Festival FUMO, da Associação Experimentáculo, os Pop Dell´Arte e os Um Corpo Estranho sobem ao palco da capital de distrito para dar animar os setubalenses e não só.

29

Sábado

sábado

Vereador André Martins entregou prémios aos jovens

Casa Museu da JMF acolhe mostra “3 Castas” A CASA Museu José Maria da Fonseca acolhe, entre 28 de Junho e 14 de Julho, uma exposição única inteiramente dedicada ao vinho e apresentada por três artistas da Península de Setúbal. Trata-se de “3 Castas” é o título da exposição colectiva de Pedro Marques, Teresa Machado e Pedro Botelho. Com esta mostra, os artistas apresentam o seu trabalho, tendo o vinho como a sua principal fonte de inspiração e um tema que tem vindo a desenvolver com as suas ferramentas criativas, a escultura em ferro,

Cartaz...

Forum Luísa Todi, Setúbal | 21h30

DR

25 JOVENS setubalenses que se destacaram nas áreas da cultura, desporto, associativismo e empreendedorismo foram homenageados pelo município, no passado dia 21, à noite, no auditório José Afonso. A Festa Jovem Revelação 2013, que contou com danças de salão, distinguiu, no desporto, João e Pedro Valido, do pentatlo moderno, Ruben Duarte e Nádia Leitão, da natação, Filipa Fernandes, de ciclismo e BTT, Rute Limpo e Patrícia Alminhas, do atletismo, Bernardo Santos, da ginástica, e Pedro Figueiredo, do golf. Na cultura, Ana Carpinteiro e Ivanoel sobressaíram na dança contemporânea, Bernardo Mota e Tiago Pereira, na banda desenhada, Pedro Calvo, nos audiovisuais, Inês Pereira, no fado, Susana Jordão e Ricardo Duarte, na música e no teatro, Ricardo Campos, nas artes plásticas, e Samuel Simão, em música e literatura.

Sábado

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

29

Histórias de ciclistas A actriz Maria João Luís encena e protagoniza o monólogo “O Ciclista”, com textos de Karl Valentin. Em palco vão estar vários sketchs com personagens que circularam em pasteleiras e bicicletas da primeira metade do século XX, criando uma dinâmica fluente, onde cada cena se poderia passar em qualquer rua de qualquer lugar. Cine Granadeiro, Grândola | 21h30.

Claud e o “Ministério do Amor” Claud apresenta o seu mais recente álbum “Ministério do Amor”. As letras das músicas falam da situação económico-financeira do país, mas sempre com mensagens positivas e muito humor à mistura. Centro de Artes de Sines | 22 horas. Pub.

Ganhe convites para a Feira de Artesanato A 26.ª edição da Feira Internacional de Artesanato – FIA 2013, organizada pela AIP/ FIL, vai decorrer de 6 a 14 de Julho, nas instalações da FIL, em Lisboa - Parque das Nações, este ano com a exposição central do IEFP, e respectivo catálogo, a destacar a temática “Idades Entrelaçadas - Formas e Memórias das Artes de Trabalhar Fibras Vegetais”. Nesta edição da FIA, o IEFP apoia a participação dos artesãos portugueses, a título individual e em grupo, através da atribuição de 140 módulos de 9 metros quadrados cada, ou seja, mais 20 do que nos anos anteriores. Para ganhar os convites ligue 918 047 918 ou envie um email para: passatempos.semmais@ mediasado.pt

Fontenova acolhe “Ça Va?” O TEATRO Estúdio Fontenova, acolhe no seu espaço da Quinta Alves da Silva, em Setúbal, entre 28 de Junho e 6 de Julho, sempre às 21h30, a peça “Ça va?”, de Jean Claude Gumberg, protagonizada por seis actores. O trabalho tem como enfoque doze variações sobre a comunicação entre as pessoas, que, ao fim e ao cabo, é um pretexto para um recorte da sociedade actual.


NEGÓCIOS Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 14

Laranjeiro já tem uma lavandaria ‘low-cost’ JÁ ABRIU no Laranjeiro, em Almada, a lavandaria self-service “Glutões” que aposta num serviço de qualidade a preços muito acessíveis. Aberta todos os dias e com um horário alargado, a nova lavandaria ‘low-cost’ destaca-se

por lavar roupa de forma rápida, económica e ecológica. Segundo Pedro Paiva, gerente da “Glutões”, «as mais-valias para os clientes traduzem-se num serviço fácil, rápido, económico e sobretudo de qualidade. E enquanto

usufruem de todos os nossos serviços os clientes podem ainda aproveitar para desfrutar de um momento de pausa com televisão e internet, ou então dar aquela voltinha na zona central que tanto precisavam.

Fotos: Semmais

Investimentos desde 2010 já ultrapassam os 3 milhões de euros

Ramos Rocha espera produzir 300 mil litros de vinhos brancos, tintos e moscatéis a partir dos 117 hectares de vinha já consolidada em Rio Frio

Rio Frio mostra plenitude ao mundo a partir de 2015 Reactivação do pólo equestre de Rio Frio vai permitir ao território voltar a tirar proveito das suas potencialidades a nível agrícola e turístico. Sociedade Agrícola de Rio Frio está entusiasmada com dinâmica que já está a ser gerada na localidade. Bruno Cardoso

U

m conjunto de eventos ligados ao cavalo puro-sangue lusitano e a outras raças purosangue vai colocar Rio Frio em 2015 na rota dos maiores eventos a nível internacional ligados a esta fileira. A revelação foi feita em exclusivo ao Semmais por Ramos Rocha, presidente da Sociedade Agrícola de Rio Frio, que diz que o objectivo passa por tentar tirar o «máximo proveito das multifuncionalidades que o território rural potencia, a nível agrícola e turístico». O conjunto dos eventos, progra-

mados em parceria estratégica com múltiplas instituições públicas e privadas francesas, vai permitir reactivar assim o pólo equestre de Rio Frio à escala internacional, cuja inauguração está igualmente prevista para 2015, retomando a história da localidade e dos produtos que sempre lhe acrescentaram valor. O desenvolvimento deste pólo equestre implica a reactivação da coudelaria Rio Frio, a criação de uma academia de equitação, através da requalificação do das antigas instalações do hospital, das boxes e do antigo picadeiro, e a instalação de um verdadeiro centro hípico no local, que terá na sua pista de 1800 metros de comprimento e nos seus cerca de 200 quilómetros para percursos os verdadeiros ex-libris do projecto. «Continuamos a querer afirmar Rio Frio como um projecto ambicioso no seio da Área Metropolitana de Lisboa, mas também no resto do país e mesmo a nível internacional», sublinha Ramos Rocha. Este conjunto de eventos é apenas a ponta do icebergue de uma série de empreitadas que já decorrem no terreno, mas que só

deverão estar totalmente finalizadas em 2018. Vinha, montado e cavalos, uma aposta ganha De 2010 a esta parte, foram já investidos 3,2 milhões, mas a intenção passa por quase quadruplicar esse valor até 2015. Entretanto, a Sociedade Agrícola Rio Frio tem já consolidados 117 hectares de vinha, perspectivando a produção de 300 mil litros de vinhos tintos, brancos e moscatéis, este ano, a partir de castas como o Castelão,Touriga Nacional, Syrah, entre outras. «Há intenção de plantar mais 18 hectares para o ano», sublinha Ramos Rocha, sem esquecer também os esforços que foram feitos com o intuito de aumentar para 92 o actual efectivo cavalar, bem como das pastagens, graças a intervenções ao nível do fundo de fertilidade de aproximadamente 2 mil metros quadrados de montado. Paralelamente, a Sociedade Agrí-

cola de Rio Frio deverá arrancar em breve com as obras da nova adega, recuperando a infra-estrutura já existente no local. Além de uma sala de eventos com 600 metros quadrados capaz de acolher eventos de grande dimensão, as obras em torno de um museu ligado ao espólio da terra estão praticamente concluídas, estando a inauguração oficial marcada para o próximo dia 7 de Setembro, aquando da realização da Festa do Cavalo de Rio Frio. Para essa altura, também as 86 novas boxes criadas deverão estar totalmente operacionais. Mas o grande projecto turístico previsto para o Rio Frio inclui ainda a construção no local de um hotel de cinco estrelas com piscina, spá, ginásio e 118 camas, e de quarenta apartamentos turísticos T1 e T2. O objectivo passa por tê-los concluídos a tempo de a localidade acolher as iniciativas de grande dimensão previstas para 2015. «É um projecto que, de facto, retoma e reactiva a componente do agro-alimentar, da vinha, do bovino, do cavalo e do turismo de animação em Rio Frio», resume o presidente da Sociedade Agrícola de Rio Frio.

Produtores de arroz vão às ruas em Alcácer OS PEQUENOS e médios produtores de arroz de Alcácer do Sal vão voltar a sair à rua no dia 4 de Julho em protesto pela decisão de cedência do centro de secagem da cidade ao Agrupamento de Produtores de Arroz do Vale do Sado (APARROZ). A revelação foi feita ao Semmais por Avelino Antunes, da Associação de Agricultores do Distrito de Setúbal (AADS), que acrescenta que os pequenos e médios produtores «irão até às últimas consequências para impedir o despejo que este Governo quer promover». Os protestos, que deverão decorrer em frente da delegação das finanças alcacerense e junto da APARROZ, são uma resposta à decisão da tutela de os pequenos e médios produtores ficarem apenas com o centro de secagem de Águas de Moura, assumindo a APARROZ a gestão do de Alcácer do Sal. A decisão é «insuficiente porque não responde às necessidades da produção de arroz» e acabará por gerar «mais empobrecimento e desemprego numa região já muito fustigada pela actual conjuntura». «Além disso, a APARROZ tem os seus próprios centros de secagem e não precisam destes dois», assegura. Mas os produtores de arroz prometem ainda apelar às instâncias europeias para travar a decisão de os arredar da gestão destes centros de secagem. «É uma luta que vai ser feita com determinação, até porque não foi preciso nenhum decreto-lei para realizar o 25 de Abril», ameaça. Agricultores vão ouvir Sec. Estado no Parlamento Também no próximo dia 9 de Julho, os produtores deverão estar presentes na Comissão Parlamentar de Agricultura e Pescas, onde assistirão cara-a-cara às explicações do Secretário de Estado da Agricultura. «Aquilo que se está a fazer é inconstitucional porque se está a tirar aos mais pobres para encher os bolsos aos mais ricos», acusa. A polémica em torno desta questão terá começado, segundo explica a AADS, quando a coligação PSD/CDS-PP chegou ao poder, assumindo «o imperativo de afastar os pequenos produtores» da gestão destes dois centros de secagem. «Primeiro tentaram com a hasta pública e agora tentam por outros meios, mas vamos continuar a intervir para impedir este crime económico e social, que mais não é do que um roubo à região de Setúbal», promete. Bruno Cardoso


Patinagem de Grândola em grande

DESPORTO

O HÓQUEI Clube Patinagem de Grândola venceu o Troféu Associação – Clube do Ano, atribuído pela Associação de Patinagem de Setúbal. O prémio distingue o clube com melhores resultados obtidos

Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com 15

Canoagem anima no Montijo

na época 2011-2012, na modalidade de hóquei em patins, e na época 2012, na modalidade de patinagem. O clube de Grândola é o clube do distrito que conquistou mais campeonatos e maior número de atletas.

O atleta jogou a época passada no Xanthi, da Grécia

O CLUBE Atlético do Montijo e a Câmara promovem a Regata de São Pedro 2013 – Campeonato Regional de Esperanças, este domingo, a partir das 10 horas, na frente ribeirinha. A organização espera a

A “febre” dos olheiros

Médio Dani assina duas épocas pelo V. Setúbal E Trata-se de uma das contratações fortes para a próxima época e está a gerar grande expectativa.

Patrícia Alminhas bate record nacional

António Luís

DR

O

V. Setúbal chegou a acordo, para a celebração de contrato, por duas épocas, com o médio defensivo português, Dani, que jogou na última época no Xanthi da Grécia. O experiente médio, cuja formação foi feita no FC Vizela, estreou-se na I Liga, época 2006/2007, ao serviço do Paços de Ferreira, tendo-se transferido, ainda, no decorrer desse ano para o CFR Cluj, da Roménia, clube onde permaneceu até 2009/2010. Dani, foi campeão romeno por duas vezes, ao serviço do CFR Cluj, e conta, ainda, no palmarés com 3 Taças e 2 Supertaças, do mesmo País. Na época 2009/2010 actuou, pelo clube romeno, na Liga dos Campeões, realizando 5 jogos a titular. Depois do futebol romeno transferiu-se para a Grécia e jogou uma época (2009/2010) no Iraklis e duas – épocas 2011/2012 e 2012/2013 - no Xanthi. Dani afirma que «depois de

Dani promete dar luta

sete anos fora de Portugal estava na altura de regressar ao meu País e não podia recusar um convite de um clube com tantas tradições como é o Vitória. O facto de voltar a trabalhar com o mister José Mota também foi preponderante nesta minha decisão». Apesar de afastado de Portugal, nos últimos anos, o médio revela que sabe bem o que o espera, «esta massa associativa é fantástica e muito exigente e peço-lhes que entrem, nesta nova época, com motivação e ambição renovadas para que, todos em conjunto, consigamos elevar bem alto o nome do Vitória». O jogador português tem uma

Patrícia Alminhas, atleta do V. Setúbal, no dia 21, na pista da Sobreda da Caparica, conquistou o recorde nacional dos 150 metros com o tempo de 19,25 segundos, no âmbito dos 150 metros dos Campeonatos de Lisboa. Este resultado é o 2.º melhor Ibérico na distância na decorrente época. Em 1968, Idalina Almeida, com 21.75 segundos, também foi recordista nacional nesta distância e neste escalão, pelo V. Setúbal.

opinião muito concreta sobre o plantel que está a ser construído, para a nova época, e não hesita em afirmar que «a mescla existente no plantel, de jogadores mais jovens com outros mais experientes, dará ao Vitória uma solidez competitiva que será determinante ao longo da época». Além de Dani, já assinaram também pelo V. Setúbal, Pedro Coronas, Pedro Tiba, Min-Woo e Lunguinha.

Benfica dá ‘empurrãozinho’ para a criação do estádio municipal do Seixal

DR

Feira do desporto e saúde

A CÂMARA Municipal do Seixal e o Sport Lisboa e Benfica Futebol SAD assinaram ontem às 11.30 horas, no auditório dos serviços centrais do município, um protocolo que permite ampliar o Centro de Estágio – Caixa Futebol Campus, existente naquele concelho, bem como a criação do primeiro Estádio Municipal do Seixal.

Este importante passo desportivo, para ambas as entidades, contou com a presença do presidente da Câmara Municipal do Seixal, Alfredo Monteiro, e do presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira.Na próxima edição daremos mais pormenores sobre esta cerimónia.

O PARQUE do Rio da Figueira, em Santiago do Cacém, recebe, este sábado, a Feira de Desporto e Saúde, uma organização do Grupo de Trabalho de Combate à Obesidade Infantil. O evento arranca às 9h e conta com actividades lúdico-desportivas para crianças ao longo de todo o dia, com a participação e colaboração de clubes e associações do concelho; aulas e actividades na terra e na água, e rastreios de saúde até às 19h.

participação de uma centena de jovens canoístas, pertencentes a clubes da região do Vale do Tejo, incluídos na Associação de Canoagem da Bacia do Tejo. A prova integra o calendário da Federação.

m bom português, digno de registo em convincente dicionário, olheiro é “aquele que olha por alguma coisa, que vigia outros trabalhos, que é informador”. Curiosamente também pode ser fojo de onde rebenta a água no solo ou o típico cachão. O sublinhado é nosso, por evidentes razões e leva-nos aos meandros do futebol onde os olheiros, enquanto informadores abalizados, são cada vez mais e de maior grau de eficácia. Neste hiato do futebol competitivo pode dizer-se que os olheiros não têm olhos a medir… E é uma verdadeira “febre” que acontece pelos 5 Continentes, de mãos dadas com hábeis empresários que bem se governam com os resultados de muitas “olhadelas”. Em concreto, podemos relatar o que pessoalmente testemunhámos na 41ª edição do Festival “Espoirs”, de Toulon, onde Portugal foi 4º classificado entre 10 participantes. Envolvidos numa bem cuidada organização, com alguns proventos materiais de razoável nível, nada menos do que 137 “olheiros” passaram pelas bancadas dos estádios onde decorreu o prestigiado certame, assinalados por credenciais indicativas e provenientes de 23 países onde se pratica a incessante “pesca” de jovens talentos. Portugueses estiveram lá 5 “olheiros”, com natural destaque para o bem conhecido Rui Barros, ao serviço do F.C. Porto. Mas também o Benfica, o Sp.Braga, o Paços de Ferreira e cremos que o Sporting também seguiram de perto quase todos os 20 jogos do “Festival”. E era vê-los de bloco e caneta em punho, circunspectos e concentrados, de olhos postos em promissores praticantes com idades entre os 18 e 21 anos, cidadãos de 10 países distintos. De soslaio pudemos identificar zelosos olheiros de muitos clubes da Alemanha, dos “maiorais” de Espanha, de típicos “britishs” ansiosos de boas recolhas e também transalpinos alegres e faladores. As tarefas não eram fáceis já que a “pescaria” de valores já tinha sido feita em muitos casos. Por exemplo: dos 21 jogadores da República do Congo, nação estreante em Toulon, 19 já actuavam em clubes europeus, alvos do labor de outros “olheiros”, alguns deles em repetição no “Festival”. Os

David Sequerra Colaborador

Envolvidos numa bem cuidada organização, passaram pelas bancadas dos estádios onde decorreu a 41.ª primeira edição do Torneio de Toulon 137 “olheiros”, provenientes de 23 países.

jovens congoleses, de excelente compleição física, actuavam na Bélgica, na Holanda, em Inglaterra, Itália, países escandinavos e até em Espanha. Mesmo assim, julgava-se ser possível a “promoção” desses jovens, sob o apetecido signo do cifrão. E para completar esta divagação sobre os “olheiros de Toulon”, relatemos o sucedido com o lusitano Alberto Aladje Gomes Pina , oriundo da Guiné Bissau, de uns bem recentes 19 anos de idade, a actuar em Itália, no Aprilia, da 2ª Divisão. E vale a pena reflectir… O “menino” Alberto, com 16 anos, já tinha quase 1.90m de altura e jogava num modestíssimo agrupamento de Bissau. E surgiu um espertíssimo e inspirado “olheiro” que convenceu a família Gomes Pina, de raiz portuguesa, a deixálo viajar para Itália onde tem feito sucesso, sem ter passado por Portugal, o país da sua cidadania. Em 20 anos, “rodando” agora num clube do escalão secundário, Aladje foi “redescoberto” para a equipa nacional de “Sub-20” que competiu em Toulon, integrandose na perfeição, obtendo 3 golos de excelente execução e ampliando “apetites” de contratação, que não se fizeram esperar. Fala-se do Sp.Braga, do F.C. Porto e de “maiorais” italianos. Pelo que vimos em Toulon e suas cercanias, vale a pena fixar este nome: Aladje. E vivam os “olheiros”!


Sábado // 29 . Jun . 2013 // www.semmaisjornal.com

Governo deixa cair Lídia Sequeira no Porto de Sines

A

substituição, segundafeira, de Lidia Sequeira na presidência da administração do porto de Sines (APS), por João Franco, um dos seus vogais, não deixou de surpreender a comunidade portuária sineense, que ainda a semana passada embandeirou em arco com as contínuas performances da sua gestão nos últimos oito anos. Lídia Sequeira, que foi há dois anos considerada a melhor gestora pública do país, «era uma apaixonada pelo porto de Sines e o seu trabalho é altamente meritório»,

DR

O Governo não resistiu a substituir Lídia Sequeira. O seu sucessor já fazia parte do CA da APS. E vai ter uma carga de trabalhos. Lídia Sequeira sai e João Franco entra

saber se o Governo vai manter essa força se não a reivindicarem», enfatiza um ex-administrador portuário que diz conhecer «muito bem» os dois gestores. Tanto mais que no novo desenho organizacional dos portos nacionais, Sines irá assumir a gestão dos portos de Portimão e Faro.

confessou ao Semmais um agente portuário, que opera nos portos da região. Não sendo totalmente abrupta, e considerada por outras fontes «como normal no processo político», a saída da ex-presidente da APS abre um novo ciclo naquela plataforma portuária, já que, o seu sucessor tem um perfil diferente. «São pessoas distintas. O novo presidente é mais ‘low profile’ e mais de gabinete, não deixando de conhecer muito bem a realidade de Sines e da sua actual estratégia. Resta

João Franco com grande currículo público João Franco, contudo, vai ter uma tarefa gigante, já que, tudo indica, irá acumular os

projectos de Sines com as actividades portuárias de Faro e Portimão. «Há muito a fazer ainda em Sines, o contínuo reforço do terminal da PSA, a frente de cais, onde nascerá o novo terminal Vasco da Gama, e a captação de novos clientes que feito parte da estratégia de agressividade da APS», afirma a mesma fonte. O actual presidente - que já presidiu a empresas como a Metropolitano de Lisboa, Transtejo e Soflusa e Instituto Marítimo Portuário -, tomou conta do cargo na segunda-feira. E é o único do actual conselho a permanecer em funções. Lince de Faria, primeiro vogal, também foi substituído. A equipa de João Franco é composta por Eduardo Bandeira, que ocupava o cargo de director de qualidade do Porto de Sines e José Pedro Soares, oriundo da Portimão Urbis.

Manif tenta cortar ponte 25 de Abril O CORPO de Intervenção da PSP conseguiu impedir que cerca de duzentos manifestantes cortassem o acesso à ponte 25 de Abril, em Lisboa, na passada quinta-feira, dia da greve geral. A polícia formou um quadrado e cercou os manifestantes junto às Amoreiras. Após a manifestação frente à Assembleia da República, este grupo seguiu num protesto não autorizado rumo à zona das Amoreias e chegou a cortar o acesso à A5, tentando depois bloquear a entrada na ponte 25 de Abril. Os manifestantes foram colocados dentro de uma caixa de segurança e movidos para trás de um edifício camarário, junto a uma bomba de abastecimento de combustível. De acordo com a PSP, cerca de uma centena de manifestantes foram ouvidos pela polícia.

DR

ÚLTIMA

O actual pres. da CM Alcácer

Paredes não vai a votos em Alcácer O ACTUAL presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Pedro Paredes, está a ponderar a hipótese de se afastar da corrida eleitoral das próximas autárquicas. O putativo candidato que, em círculos fechados, fez saber que iria a votos como independente, e tem mantido esse tabu, terá mesmo já decidido abandonar essa ideia, sem ter revelado as razões da decisão. Recorde-se que Pedro Paredes, que cumpre o seu segundo mandato eleito pelo partido socialista, foi preterido pela estrutura local dos socialistas, por alegadas divergências com o líder da estrutura. O PS optou pela candidatura de Torres Couto, num processo de grande polémica com as estruturas local e distrito do partido da rosa.

A ASSOCIAÇÃO Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) considera que a comarca de Setúbal, pela sua dimensão e características, devia ser dividida em duas, alertando que se o Ministério da Justiça mantiver o actual modelo, a reorganização judicial «não será eficaz”, segundo o presiPub.

dente da ASJP, Mouraz Lopes. O dirigente disse mesmo que a reorganização judicial apresentada pelo Ministério da Justiça para o distrito de Setúbal «é um retrocesso», ao falar na Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, deixando claro que «um sistema de gestão de tribunais

DR

Juízes querem Setúbal com duas comarcas

Dirigentes sindicais falam em reorganização de retrocesso

bicéfala ou tricéfala pode trazer problemas onde não existem.» Mouraz Lopes acrescentou que a figura do juiz presidente funciona e deve ser alargada a todas as comarcas, alertando ser «útil e eficaz o princípio da especialização», já que, justificou, a especialização pode trazer uma melhor eficácia no

tratamento dos processos. Recorde-se que a proposta de reorganização judicial apresentada pelo Ministério da Justiça prevê uma comarca judicial em cada distrito, também mereceu um reparo da associação dos juízes. Roberto Dores


Semmais 29 junho