Page 1

Pub.

Sábado | 23.Fevereiro.2013

Director: Raul Tavares

semanário - edição n.º 751 • 6.ª série - 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Negócios Freeport vai ter mega centro de congressos

12

Cultura João da Ilha canta para novela da TVI

Local Santiago planta ‘pulmão’ contra nemátodo

14

11

80 idosos agredidos na região e filhos são quem mais bate ABERTURA O fenómeno está a crescer e é uma preocupação das autoridades, que estão a aumentar os esforços de vigilância. Há situações dramáticas e, segundo os relatos das policias, muitos idosos correm

mesmo perigo de vida. Em cerca de 40 por cento dos casos registados oficialmente os agressores são os próprios filhos. No total, as mulheres idosas constituem o grupo de maior risco a esta ameaça dentro de portas. PÁG. 2

Barcos mais lentos na travessia do Tejo deixam utentes à beira de um ataque de nervos ACTUAL Em média, os barcos demoram mais cinco minutos do que o habitual. Mas os transtornos para os passageiros são

Quatro empresas da Região aderem à Igualdade de Gènero CENTRAIS A Administração do Porto de Sines, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, Baia do Tejo e Visteon assumiram o compromisso lançado pela CITE para promoverem na sua gestão medidas de Igualdade de Género. Pub.

de grande dimensão, sobretudo devido às ligações multimodais. A empresa explica que a situação ocorre apenas em horários onde

se verifica menos afluência de passageiros. E diz estar a poupar bastante dinheiro. PÁG. 4

Opinião Demétrio Alves Escreve sobre construção civil e os mitos urbanos.

Vitor Ramalho Apresenta a versão poética da actual crise.

Pedro do Ó Ramos Salienta a importância dos bons investimentos.

Vitor Sequerra Discorre sobre a ‘invasão’ de ‘craques’ argentinos no futebol português

Caldeirinha subtitui Carlos Lopes Coca-Cola promete nos Portos de Setúbal e Sesimbra manter postos de trabalho em Cabanas ÚLTIMA O ex-director de estratégia da APSS assumiu funções ontem, num processo tão célere que apanhou toda a gente desprevenida. Setúbal perde um vogal e, dentro em breve, haverá gestão conjunta com o Porto de Lisboa.

NEGÓCIOS A direcção da empresa desmentiu notícias postas a circular a semana passada, segundo as quais a unidade da Regrige, em Cabanas, iria encerrar. 420 colaboradores da empresa PÁG. 12 entraram em desespero.

Paulo Janela Opina sobre a polémica em torno da apresentação de facturas.


Autoridades falam ainda de muitos casos não registados

ABERTURA

80 idosos agredidos no distrito e filhos são quem mais bate

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 2

DR

Os números são da APAV e confirmados pelas forças policiais, que têm aumentado a vigilância. E o fenómeno está a crescer, com casos dramáticos.

Cerca de 40 por cento dos casos de violência deste tipo ocorre entre filhos e pais, enquanto 26,9 por cento regista-se entre marido e mulher, sendo que 80% das vítimas são mulheres

Roberto Dores

O

s números oficiais, só por si, já são mais do que suficientes para preocupar as autoridades, mas acredita-se que a realidade seja ainda mais dura: 80 idosos foram agredidos na região, em 2012, sendo a maioria violentados pelos próprios filhos, segundo avança a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV). Fontes da GNR e PSP admitem que o fenómeno tem aumentado, mas que os militares intensificaram a vigilância, sobretudo, junto da população mais isolada. O caso de uma idosa de Azeitão que foi encontrada amarrada a uma cadeira, pelo próprio filho com quem vivia, vindo a descobrir-se que era regularmente agredida pelo homem, é um dos exemplos da violência que afectou os idosos no ano passado na região, onde também surge o caso de um idoso, com mais de 80 anos, que deu entrada no hospital do Barreiro com vários hematomas. Apesar de ter procurado

esconder as agressões físicas infligidas pelos filhos toxicodependentes, garantindo que caía regularmente por falta de equilíbrio, veio a provar-se que era vítima de uma espécie de tortura sempre que não tinha dinheiro para alimentar o vício dos homens, que estão proibidos de se aproximar do pai. Policias falam em «perigo de vida» «Alguns correm perigo de vida», avisa fonte policial, admitindo que o agravamento da situação social que está a atingir algumas famílias mais problemáticas no distrito, explica o aumento da violência sobre os idosos. «É quase sempre por causa do dinheiro. Quando os pais não dão o querem, acabam por sofrer represálias dos próprios filhos, que descambam em situações muito graves», relata a mesma fonte. Mas as autoridades alertam ainda para casos em que há grande violência entre os casais de idosos, recordando um exemplo mediático de Setúbal, em que um ancião, de 85 anos, foi detido com um

autêntico arsenal de guerra em casa, sendo agressivo para a mulher e outros familiares (ver caixa), embora este tenha sido um caso de características raras entre as que estão documentadas pela APAV. A maioria das situações indicam que a relação entre agressor e vítima é de filhos e pais, (quase 40% dos casos), enquanto em 26,9% dos casos ocorrem entre marido e mulher, sendo que 3,1% das situações incidem entre netos e avós, sendo que os idosos que vivem mais isolados acabam também por ser os mais vulneráveis, mostrando as estatísticas que 80% das vítimas são mulheres, entre os 70 e os 80 anos. «Estamos falar de pessoas reformadas, regra geral, que vivem apenas das reformas e com fracos conhecimentos e baixo nível de escolaridade», diz a fonte da GNR, revelando que «muita gente nem sabe a quem se dirigir ou o que dizer, quando perde o medo e decide apresentar queixa.» Relativamente à escolaridade, 8,1% dos autores do crime apenas sabiam ler e escrever. Quanto à

Idoso armado batia regularmente à mulher Em meados de Abril, um idoso de 85 anos foi detido pela PSP, no bairro da Bela Vista, acusado da posse ilegal de armas, sendo que até os agentes da autoridade ficaram surpreendidos com aquilo que encontraram na casa do homem, na rua Padre Maria Nunes da Silva, quando ali se deslocaram para tentar pôr fim a «mais um caso» de violência protagonizado pelo mesmo ancião, conhecido entre a PSP e os vizinhos por continuar a ser «violento e brigão», apesar da avançada idade. Além de uma catana, um sabre, quatro machados e três punhais, o idoso guardava ainda 14 facas de vários modelos, duas espingardas, um revólver, duas pistolas de alarme, 57 munições e

actividade económica, 21,4% estavam empregados, 20,7% reformados e 18,4% desempregados.

uma soqueira, o que, a juntar às acusações de violência, levou os agentes da PSP a procederem à sua detenção. «Representava uma séria ameaça para os familiares que vivem com ele, porque estava muito perturbado, e a PSP não quis correr nenhum risco», explicou na altura fonte próxima do processo, para justificar a detenção. Os agentes encontraram esta espécie de «arsenal» após a denúncia dos mesmos vizinhos que deram o alerta de mais um episódio de violência, no qual o idoso tentava espancar a sua companheira dentro de casa. Um episódio que se terá repetido com alguma frequência ao longo dos últimos anos.

Perto de 17% eram dependentes do álcool e 8,1% não tinham antecedentes criminais.

ficha técnica Director: Raul Tavares; Editor-Chefe: Bruno Cardoso; Redacção: Anabela Ventura, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Dinis Carrilho. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 935 388 102 (geral); Email: redaccao.semmais@mediasado.pt; publicidade.semmais@mediasado.pt. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98


3

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com Espaço Público

Editorial // Raul Tavares

Nos calores da contestação Estou ao lado dos que têm manifestado alguma preocupação pelas recentes investidas de grupos de contestação, cuja acção impede governantes de falar em público. Não me parece ser intrinsecamente democrático. Nem sensato. O nosso universo político está repleto de exemplos em que os alegados ‘malfeitores’ por acção governativa acabam por ser as vítimas. E já se nota um coro de lamentações em defesa de Relvas e de outros ministros mais comedidos. Não é bom! Estas iniciativas, cujo protesto tem sobejas razões de ser, podem vir a ter um efeito contrário e desajustar (a palavra inversa está hoje muito em voga) as verdadeiras plataformas de contestação, que unem, tenho quase a certeza, a esmagadora maioria dos portugueses. Claro que o Governo se põe a jeito, incita, provoca, promove o mal-estar. É uma tipicidade da actual governação, que encontrou nos portugueses uma mole para bater forte-e-feio. Porque, para a actual maioria há uns tantos bons e o resto é quase uma espécie… O caldo de desencontros que se está a fabricar ainda nem ferveu. E a responsabilidade de Passos Coelho não é grande, é enorme. Quebrou as fronteiras da sensatez e todos os caminhos de diálogo. Os portugueses já estão aturdidos e as ondas de choque, como mostra a história, são feitas de zonas mais ou menos mornas e outras totalmente escaldantes. E se agora estamos preocupados com estes episódios condenáveis de calar a boca a quem parece estar a desgovernar-nos, que dizer quando houver barricadas, invasões a sério do espaço institucional e violência nas ruas. Será democrático? E se o povo quiser mesmo derrubar este Governo, será legítimo?

Mitos urbanos

E

m 2006 realizou-se em Setúbal um Encontro para análise do “momento difícil para o setor da construção civil e para o país”. Era, então, já muito notória a crise económica do setor da construção de edifícios habitacionais. Houve quem tivesse registado a sua presença alguns anos antes. O município de Setúbal foi, então, muito criticado e apontado como responsável pelo facto de a cidade estar “adiada e sem estratégia”. Um dos intervenientes da AECOPS teceu várias reflexões em torno das alegadas responsabilidades municipais e, designadamente, acerca dos prazos dos processos. Tentei esclarecer aquele responsável acerca dos seus erros de análise e, sobretudo, de que o fundamental do problema não estava no município, mas não fui escutado. Só muito mais tarde foi percecionado pelos responsáveis do setor que a crise não tinha que ver com os ritmos municipais, embora pudesse haver melhorias. Em Setúbal e no resto do país. Apesar de tudo não desistiram enquanto não conseguiram ver as demagógicas “soluções” do “licenciamento zero”, do “urbanismo na hora”, dos processos desmaterializados em plataformas internéticas, etc., materializados na lei. Isso, e os PIN. Quando se percebeu que o problema era muito grave (em 2002 construíram-se 125 603 fogos e, em 2010, apenas 43 000), passou-se à propaganda dos “novos” paradigmas: a reabilitação/regeneração, a necessidade do mercado de arrendamento urbano e a construção de casas para os reformados do centro e norte da Europa.

Melhores Investimentos

P

erante a cruel realidade das contas públicas nacionais, o actual Governo tem concentrado esforços no compromisso do acordo que Portugal fez com os seus credores externos. Sem o qual, não é possível voltar a ter independência económica e social, e não é possível voltar a definir políticas internamente, que melhor se adaptem às circunstancias portuguesas. O resultado desse esforço do Governo começa a ser visível. Os baixos valores dos juros a cada emissão de dívida pública, fazem crescer a nossa credibilidade externa, com repercussões positivas na vida

Pedro do Ó Ramos Líder distrital do PSD

quotidiana dos portugueses, a médio prazo. Este facto, muito meritório, só por si não chega para ultrapassar todas as barreiras que o nosso País ainda tem pela frente. Portugal como membro activo da União Europeia compete num mercado mundial com as condições de uma União Económica e Financeira que pretende ser competitiva

Os órgãos de comunicação social, através de publicidade paga travestida de notícia, encheram-se de extraordinários discursos sobre o milagre que aí viria. Pergunta-se: será possível refletir e debater esta matéria de uma forma racional e séria? Não há qualquer dúvida acerca da importância económica e social que o setor da construção teve e tem no país. Também se conhece a grande implantação do setor da atividade imobiliária e, um outro, diferente, o da promoção imobiliária, que se mantiveram em alta até muito recentemente. Estes setores, por vias diferentes, estão muito ligados à atividade da banca comercial e, também, da banca de investimento. Entretanto, devido ao prolongado ciclo de especulação imobiliário-financeira neoliberal, também em Portugal isto determinou um colapso. Embora não tenha havido uma “bolha imobiliária” característica, assistiu-se entre nós a uma lenta agonia. No rescaldo sabe-se da existência de imparidades imobiliárias (ativos tóxicos) que instabilizam alguns dos bancos portugueses. E centenas de milhares de desempregados. E milhares de famílias sem poderem pagar as casas. As grandes empresas procuram novos negócios no estrangeiro. O grande problema é o dos pequenos e médios. E dos setores a montante. Contudo, o fundamental da

regulação urbanística e do ordenamento do território, com o quadro legal existente, não está, de facto, nas mãos dos municípios. Isto pode parecer inverosímil mas não é. O legislador político assim o quis. A regeneração/reabilitação das cidades é vital. Sabe-se desde há muitos anos. Mas, não é fácil de concretizar, e, sobretudo, não é uma varinha mágica. E, quando o faz, normalmente arrasta consigo a gentrificação. Muito se tem falado também na necessidade de haver um mercado de arrendamento urbano e de que, para isso acontecer, seria necessário liberalizar as rendas. Está aí o resultado: será com rendas de 700 a 1000 euros por mês que “os jovens deixam de comprar casa de forma prematura”? Seria bom que não se tentasse resolver o problema através da propaganda de mitos urbanos, principalmente quando resultam da manipulação apressada das realidades de outros países. As políticas públicas nacionais dos países europeus relacionadas com a habitação variaram muito nas últimas décadas, nomeadamente desde 1945. Em 1995, os países onde o arrendamento privado preponderava eram a Suíça, Alemanha, Luxemburgo e Bélgica. Entre os países do sul, nos quais se privilegiou a compra, era, apesar de tudo, Portugal que tinha maior relevo na habitação alugada. Já o arrendamento social, num nível acima da média europeia, verificava-se nos Países Baixos, Áustria, Suécia, Dinamarca e França. Sintomático. O nível de construção anual de alojamentos, novos e reabilitados, indicado para o parque habitacional que temos e em concomitância com a demografia, situa-se à volta dos 50 000. É nesse nível que deveremos calibrar o nosso poder produtivo.

a nível económico, social e ambiental. É neste sentido que as políticas definidas no seio da União Europeia para o próximo quadro comunitário de apoio serão cruciais para Portugal. É com as balizas e apoios das políticas comuns da EU, que Portugal terá a oportunidade de continuar a se adaptar às constantes exigências do mercado, podendo desenvolver actividades económicas que o ajudem a ter um crescimento sustentável. Contudo, a proposta de Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia 2014-2020 prevê, pela primeira vez, montantes inferiores ao anterior (2007-2013). Portugal terá, à semelhança dos restantes Estados membros, quebras no montante das verbas para áreas centrais, embora a perda expectável acordada tenha sido atenuada durante o processo negocial. Não deixa de ser, no entanto,

um desafio nacional: voltar aos crescimentos económicos, ao mesmo tempo que são diminuídas as verbas dos Fundos de Coesão, de Convergência e dos da PAC. Quanto à agricultura é inegável que perderá, devido a uma diminuição de apoios e incentivos ao seu crescimento. Embora a quebra prevista para Portugal seja inferior, à média prevista para os restantes Estados membros, o que só foi possível atendendo à credibilidade que o nosso País tem conquistado, a que se deve juntar a boa execução do actual programa de desenvolvimento rural, a verdade é que Portugal é um dos países da EU que menos beneficiou da PAC, em termos de montante global e mesmo por indicadores de área, produção, ou produtor, ao longo dos anos. Neste sentido, o facto de “perder menos

Demétrio Alves Professor universitário

Basta! A bandeira ondula hipotecada soprada por credores sem escrúpulos com rostos de vingança adestrados em artes ancestrais de capitulação pelo medo. O deserto das ideias conquista o espaço e o próprio tempo em teraa agora sob protetorado penhorada para garantia de usuários ao som do uivo das hienas que aguardam o assalto final salivando o próprio snague enquanto bandos de abutres espreitam a carcaça do cadáver. Há também carpideiras que desmaiam no festim forjando a encenação enquanto pregadores fazem e desfazem com a mesma veste professoral comentários pagãos que se servem em horas nobres sobretudo no dia do senhor para que nada fique a dizer no tempo da salvação do défice alimentado por cortes no salário mínimo de famintos que dizem não o merecerem. O maestro sem rosto maneja com destreza a batuta seguindo à letra a partitura da sinfonia encomendada aos donos dos mercados para aquietar os pobres a quem mandam chacais tranvertidos de fiscais conceder-lhes a salvação pelo sacrifício da austeridade. Há depois uma covardia larvar que afeta principios e valores fazendo correr juros usuários que caem nas contas de mercados insaciados. A terra hoje sob protetorado é leiloada a retalho a mandatários dos credores negando-se a livre escolha sob um mandato da perfidia. Neste lugar que está amedrontado existe porém um oceano largo que nos inunda e não esconde a memória pelo que o tempo é sempre relativo e atrás de tempo tempo virá não sendo o futuro dos chacais transvertidos de discais. É preciso acreditar porque é tempo de lutar e dizer - basta!

Vitor Ramalho (Ex-Presidente do INATEL)

que a média” poderá ser uma falsa questão. Portugal perdendo menos, poderá ser mais prejudicado que outros países com quebras mais acentuadas, mas com estruturas produtivas mais sólidas e competitivas do que a nossa. O desafio reside assim na qualidade do investimento. O Governo português na definição de regras de aplicação de verbas da PAC, sejam elas do primeiro ou do segundo pilar, terá de maximizar o investimento de qualidade e produtivo. O sector agrícola cresceu praticamente 3% no último ano e o potencial de crescimento é enorme, mas com menos fundos, só poderemos fazer mais, se formos eficazes e eficientes. Este é um desafio não só para o Governo, mas também para agricultores e consumidores.


Protecção de menores em colóquio

ACTUAL Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 4

NO ÂMBITO da semana diocesana da Cáritas, realizase, no próximo dia 26, pelas 17h30, na Biblioteca de Setúbal, um colóquio sobre a “Proteção de Menores”, com a intervenção de

Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco. Presidirá a este colóquio a presidente do Instituto da Segurança Social, Mariana Ribeiro Ferreira.

Comando da PSP faz 86 anos AS CELEBRAÇÕES do 86.º aniversário do Comando Distrital da PSP têm lugar no próximo dia 25, a partir das 10 horas, no auditório Augusto Cabrita, no Barreiro. As cerimónias incluem missa

na Igreja de Nossa Senhora do Rosário e prestação de honras policiais à entidade que preside a cerimónia. Haverá também a imposição de condecorações e entrega de louvores.

Situação terá a ver com poupanças e teve efeitos nos transportes rodoviários do Barreiro

Barcos mais lentos no Tejo deixam utentes à beira de ataque de nervos Roberto Dores

H

á quase um ano que Paulo Serra deixou de ter como dado adquirido que iria chegar «cedo» à sua casa, no Pinhal Novo (Palmela), sempre que o horário de saída do centro comercial onde faz segurança, em Lisboa, fosse às 15.00 horas. Desde que a Transtejo e Soflusa reduziram a velocidade dos barcos que fazem a travessia do Tejo, entre o Terreiro do Paço e o Barreiro, fora da hora de ponta, este utente começou a não chegar a tempo de apanhar o comboio da linha do Sado, sendo obrigado a esperar mais meia hora, pela seguinte composição. «Isto tem mexido muito com a dia a dia das pessoas. Estamos a trabalhar sempre com esta pressão dos horários fora da hora de ponta», lamenta, revelando que de

manhã nunca teve problemas, porque viaja no comboio das 08.00, mas nas tardes em que regressa antes da hora de ponta – quando as embarcações fazem a travessia com a velocidade mais reduzida, demorando mais cinco minutos e diminuindo as frequências – regra geral, perde o comboio. Mais cinco minutos em horas de menor movimento A empresa garante que são apenas mais cinco minutos de viagem nas horas de menor movimento, com o objectivo de reduzir custos, mas Paulo Serra diz que não. «Já tenho apanhado muito mais do que cinco minutos, sobretudo quando as marés estão desfavoráveis», refere, sendo nestes dias que corre desesperado para o comboio que, afinal, já partiu, há dois ou três minutos.

DR

As demoras são assumidas pelas empresas Transtejo e Soflusa, em horários com menos procura. Os utentes estão pressionados.

As esperas nas estações fluviais chegam a atingir mais de meia hora.

Também Joaquim Lagarto, residente na Quinta do Conde, se queixa, alegando que «dalém de nunca sabermos se vamos ter transporte, no Inverno é horrível estar meia-hora à espera na estação do Barreiro, que é gelada, apesar de ser um interface», lamenta, alertando que há mais de 20 anos que frequenta transportes públicos e «nunca houve esta falta da articulação», diz, mostrando o passe-social, que aumentou mais do dobro. Pagava 40 euros em 2011 e hoje desembolsa 88 euros mensais.

Pub.

Câmara Municipal de Sesimbra Hasta Pública de cessão de exploração do snack-bar e minimercado do Parque Municipal de Campismo do Forte do Cavalo – sito no Porto de Abrigo, em Sesimbra A hasta pública de cessão de exploração do snack-bar e minimercado do Parque Municipal de Campismo do Forte do Cavalo realiza-se no dia 05 de março, às 10:30 horas, no Auditório Conde de Ferreira, em Sesimbra. A base de licitação é de 100,00 € (cem euros). A cessão de exploração tem início a 25 de março e término a 31 de outubro de 2013. Os interessados deverão apresentar as propostas por correio, sob registo em sobrescrito fechado ou em mão, na Divisão de Gestão de Aprovisionamento e Património da Câmara Municipal de Sesimbra, no edifício Âncora, Avenida 25 de Abril, n.º 9 M, 2970-634 Sesimbra, até às 15:00 horas, do dia 04 de março de 2013. Podem intervir na praça apenas os interessados que tiverem apresentado propostas, ou os seus representantes, devidamente identificados, e, no caso de pessoas coletivas, habilitados com poderes bastantes para arrematar. Se não tiver havido propostas antes do ato da praça, poderá ser adjudicado provisoriamente ao apresentante da melhor proposta, que surja durante aquela, por preço nunca inferior à base de licitação. No ato público da hasta pública será adjudicada provisoriamente a cessão de exploração do snack-bar e minimercado do Parque Municipal de Campismo do Forte do Cavalo a quem tiver oferecido o preço mais elevado, havendo lugar ao pagamento correspondente ao valor da adjudicação. As despesas e encargos inerentes à redução do contrato a escrito, bem como os impostos legalmente devidos pelo adjudicatário são da responsabilidade deste. Os Elementos do Procedimento encontram-se disponíveis para consulta ou aquisição na Divisão de Gestão de Aprovisionamento e Património, nos dias úteis, das 09:00 às 12:30 e das 14:00 às 17:30 horas, até à data e hora limite de entrega de propostas.

Mais lentos para poupar 400 mil euros Desde 15 de Julho de 2012 que grupo Transtejo aumentou o tempo de viagem dos catamarans da Soflusa, que ligam Lisboa ao Barreiro, fora das horas de ponta nos dias úteis e aos fins-de-semana. A alteração foi feita com o objectivo de poupar 400 mil euros por ano. A empresa, que engloba a Transtejo e a Soflusa, diz que não

houve alterações nos horários, mas sim um aumento do tempo de algumas viagens de 20 para 25 minutos, «em resultado da redução da velocidade dos navios». Esta medida obrigou a Câmara do Barreiro a alterar os horários dos Transportes Coletivos do Barreiro, de modo a conciliá-los com os dos barcos.

Americanos dão formação no Porto de Sines DE 18 A 20 deste mês estiveram no porto de Sines técnicos dos Estados Unidos para ministrarem formação no âmbito da “Container Security Initiative” a elementos da Alfandega portuguesa. A acção teve como tema principal o treino sobre as formas de prevenir as ameaças da proliferação de armas de destruição maciça e armas químicas e biológicas na óptica do controlo efectivo da exportação das tecnologias que permitem o desenvolvimento das mesmas. O porto de Sines representa já um tráfego muito significativo de contentores para os Estados Unidos e, como tal, tem sido alvo de várias acções de evolução, nomeadamente com a instalação e utilização de um scanner de contentores e acções de treino aos técnicos da Alfandega.

Judiciária desarticula fraude na Farmácia da Quinta do Conde UMA FARMÁCIA em Quinta do Conde, Sesimbra, servia de fachada para uma fraude com receitas que lesou o Estado em mais de um milhão de euros. Tudo acabou esta semana, numa operação concertada da PJ, que depois de uma investigação prolongada, deteve três homens e duas mulheres «ligados à actividade médica e farmacêutica», suspeitos de burla qualificada e falsificação de documentos. Em comunicado, a PJ adianta que o modo de actuação do grupo passava pela «emissão fraudulenta de receituário relativo a medicamentação comparticipada pelo Estado numa percen-

tagem muito elevada», cerca de 90 por cento. A investigação da PJ apurou que os arguidos não só recebiam as comparticipações do Estado como se apropriavam dos medicamentos receitados de forma fraudulenta. Na operação desencadeada pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária, em colaboração com o Ministério da Saúde, foram efectuadas 21 buscas a residências, uma farmácia da Quinta do Conde, em Sesimbra, viaturas e outros locais relacionados com as actividades ilícitas dos arguidos. Recorde-se que o Minis-

tério da Saúde comunicou às entidades competentes nos últimos meses mais de 60 casos de fraudes relacionadas com prescrição e facturação de medicamentos, num montante que ultrapassa os 45 milhões de euros. O Ministério da Saúde salientou que os casos reúnem «fundadas suspeitas da existência duma prática irregular ou ilegal» e acentuou que, «sempre que solicitado, continua a prestar às autoridades judiciárias e à polícia criminal, no quadro dos inquéritos na área da Saúde, a colaboração considerada indispensável à obtenção de resultados». Ana Bela Ventura


5

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

Primeira pedra do novo centro comercial de Setúbal acaba com cepticismo sobre o investimento

Desempregados inscritos nos centros de emprego e população sadina vão ter prioridade. São 1500 postos de trabalho. As obras arrancam já na próxima semana e terminam em Outubro de 2014. O GRUPO Immochan e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) vão criar uma bolsa de emprego pra potenciar a criação de novos estágios profissionais e a especialização dos futuros recursos humanos do centro comercial Alegro Setúbal. A revelação foi feita pelo directorgeral do grupo, Mário Costa, durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra do futuro espaço comercial, que

DR

Immochan e IEFP criam bolsa de empregos para Alegro

A edil Dores Meira presente no lançamento da primeira pedra

resulta de um investimento de 110 milhões de euros, e cuja inauguração está prevista para Novembro de 2014. Na mesma ocasião, Mário Costa esclareceu que «pessoas inscritas nos centros de emprego e residentes em Setúbal» vão ter prioridade sobre as restantes na altura de serem selecionadas. A solução visa responder ao elevado número de candidaturas espontâneas que o grupo tem recebido nos últimos

tempos, contribuindo para gerar riqueza e novos empregos na região. «Esta colaboração com o IEFP visa também contrariar o aprofundamento da má conjuntura económica, sendo também expectável que os setubalenses contribuam para o futuro do Alegro, deixando a crise à porta», sublinhou. Para Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, a colocação da primeira pedra da

nova superfície comercial do concelho representa o fim «do cepticismo» que se apoderou da cidade nos últimos tempos, a única capital do distrito em todo o país até agora sem um espaço com estas condições. A edil revelou ainda que continua a trabalhar para captar mais investimentos para o concelho e sublinha a importância dos dois encontros que vai ter no próximo mês com as câmaras de comércio de países árabes, dos EUA, da América Latina e da Europa. «Vêm aí surpresas agradáveis, nomeadamente na área da farmacêutica», disse. Novo centro vai captar 320 mil consumidores O novo centro comercial vai ser construído numa área capaz de captar 320 mil consumidores e nasce da ampliação da galeria comercial do Jumbo Setúbal, hipermercado que já está igualmente a sofrer obras profundas de remodelação no

âmbito deste projecto. O Alegro Setúbal tem uma área bruta locável de 41 200 metros quadrados e três pisos onde se incluem 115 lojas, 20 restaurantes, 10 salas de cinemas, um health club e uma loja Box. O espaço terá capacidade para 2600 lugares de estacionamento e será responsável pela criação de 1500 novos postos de trabalho, mil dos quais directos. A construção do Alegro vai transformar profundamente a zona da Nova Azeda, estando prevista a construção de uma rotunda na saída da A12, que deverá começar a ganhar vida já no próximo mês, e o reperfilamento integral da avenida Antero de Quental e da rua nova Sintra. Para a avenida está prevista a construção de um novo acesso ao viaduto do Alegro Setúbal, assim como uma rotunda na intersecção desta via com a estrada dos Ciprestes.

AICEP olha com «bons olhos» A directora-geral do AICEP, Madalena Oliveira e Silva, vê com bons olhos o investimento avultado da Immochan em Setúbal e lembra que, «desde a primeira hora», não foram medidos esforços para potenciar mais crescimento económico na cidade. «Trata-se de um projecto complexo, integrado na malha urbana e que requalifica o espaço existente, bem como a envolvente que o rodeia», afirma Madalena Oliveira e Silva, confiante de que a nova superfície comercial é «um exemplo da esperança e confiança renovadas que Portugal deve ter no seu futuro».

Bruno Cardoso Pub.


Almoço de aniversário do PCP

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 6

NO DIA 3 de Março realizase, pelas 13 horas, o almoço do 92.º aniversário do PCP, no Centro de Trabalho do PCP, na Quinta do Conde. O repasto conta com a presença de Francisco Lopes, membro

do secretariado e da comissão politica do Comité Central do PCP. Após o almoço terá lugar um debate subordinado ao tema “A soberania nacional, pensamento e obra de Álvaro Cunhal”.

“Montijo Tem Voz” passou pelo Alto Estanqueiro/Jardia

A

plataforma “Montijo Tem Voz” passou, no passado dia 15, pela freguesia do Alto Estanqueiro/ Jardia para troca de ideias e propostas com a população. O candidato do PS à presidência do município, Nuno Canta, apresentou as suas ideias para o concelho nos

próximos anos, e concluiu que «o grande desafio dos montijenses é respeitar o que é fundamental para o nosso futuro colectivo». Nuno Canta discutiu com a população a necessidade de um desenvolvimento económico que combata as desigualdades sociais e contribua para a

justiça social. «Estamos perante uma emergência social em Portugal e no Montijo, os efeitos da austeridade excessiva levou a um nível de desemprego sem precedentes, um flagelo que afecta inúmeras famílias, e os políticos têm a responsabilidade de responder a esta chaga social», vincou.

Mercês reúne com bombeiros e empresários A CANDIDATA do PSD à Câmara do Montijo, Maria das Mercês Borges, reuniu na passada semana com as corporações de bombeiros de Montijo e Canha e com a Associação de Comerciantes do Montijo e Alcochete, para se inteirar dos seus principais problemas.

Mercês Borges considera que o município «não tem apoiado convenientemente» as corporações de bombeiros de Montijo e Canha, sobretudo esta última, que responde a «uma população bastante envelhecida e numa área rural». A candidata aponta ainda «a falta de eventos no

Avante já tem data marcada

concelho e a incapacidade da autarquia em fixar empresas, bem como a falta de incentivos à captação das mesmas». Estão já agendadas novos encontros com as forças vivas do concelho, respondendo assim a muitos que desejam ser efectivamente ouvidos por quem faça a diferença.

A FESTA do Avante, a maior iniciativa político-cultural e de massas no nosso país, já tem a 37.ª edição marcada para 6, 7 e 8 de Setembro de 2013. Já está à venda a EP – Entrada Permanente. É uma grande

Biografia de Marcelo Rebelo de Sousa é lançada em Grândola A BIOGRAFIA “Marcelo Rebelo de Sousa”, da autoria de Vitor Matos, é apresentada este sábado, às 17 horas, na biblioteca de Grândola. O autor da obra é natural de Grândola e jornalista da revista “Sábado”. A apresentação está a cargo de Celso Filipe, directoradjunto do “Jornal de Negócios” e a moderação fica por conta de José Abreu, professor de história. Numa viagem ao longo de 64 anos, o autor conta-nos a história da família, da sua infância, desde que Marcello Caetano conduziu a sua mãe à maternidade. Marcelo viajou pelo país salazarista com o pai Baltazar, subsecretário de Estado, governador-geral de

Alexandre Azevedo. DR

POLÍTICA

Moçambique e futuro ministro. Esteve na fundação do Expresso com Francisco Pinto Balsemão. Foi um dos primeiros militantes do PPD. Hoje tem o número três no cartão do partido. Mas, de acordo com o autor, esta obra original traznos também «a visão do homem profundamente católico, divertido e excêntrico.»

Pub.

Saiba o que fazer quando começam as dores nas articulações

Dra. Inês Veiga (*)

A utilização de glucosamina e condroitina, duas substâncias naturais, contribuem para menos dores e um melhor funcionamento das articulações. As dores nas articulações surgem geralmente nas pessoas mais velhas, o que não quer dizer que não se possa começar a ter sintomas mais cedo. A osteoartrose é uma perda gradual da cartilagem articular que eventualmente pode conduzir a dores e degradação do funcionamento das articulações. O problema pode piorar com o tempo frio e húmido, mas existem formas de melhorar esta situação sem ter que recorrer a medicamentos. A glucosamina e a condroitina são uma combinação que demonstrou aliviar as dores articulares e melhorar o

funcionamento das articulações quando tomada regularmente, para tratar ou prevenir os sintomas. É cada vez mais utilizada por pessoas com dores nas articulações, por ser eficaz e extremamente segura. • A glucosamina associada à condroitina pode aliviar as dores tão eficazmente como os medicamentos • Tanto a glucosamina como a condroitina são componentes naturais e constituintes importantes da cartilagem

Previne a degradação da cartilagem O facto interessante acerca da combinação de glucosamina e condroitina é que impede a degradação da cartilagem e ajuda a reparar parte da que está em falta. Até agora, nenhuma outra substância demonstrou o mesmo efeito. A glucosamina estimula a síntese corporal de cartilagem e atua como um tijolo da cartilagem das articulações. A condroitina auxilia estas ações. Estudos demonstraram que a

glucosamina associada a condroitina pode prevenir a progressão da degradação da cartilagem e, alguns peritos afirmam ainda que, pode reconstruir lentamente parte dos tecidos já danificados.

Porque se degrada a cartilagem? A cartilagem, tal como qualquer outro tecido do corpo humano, depende dum aporte constante de nutrientes que participam nos mecanismos de produção e reparação que mantêm os tecidos em bom funcionamento. Ao contrário de todos os outros tecidos, não existem vasos sanguíneos na cartilagem. Deste modo, é utilizado um mecanismo para levar os nutrientes às células da cartilagem.

Imagine a sua cartilagem como uma esponja. Uma esponja pode absorver líquidos e libertá-los novamente quando se espreme. A cartilagem funciona de modo muito semelhante. A cartilagem recebe a maior parte dos seus nutrientes para reparação através dum líquido existente no interior da cápsula articular. Este líquido é conhecido como líquido sinovial. Para além disso, funciona como um lubrificante e amortecedor das articulações. Eur Radiol. 2009 Arthroscopy. 2009 Jan;25(1):86-94. (*) Farmacêutica

Seguro e eficaz A extensa investigação que tem sido realizada mostra que este produto atua geralmente num período de 8 a 12 semanas. Uma vantagem muito importante é o facto de não apresentar efeitos secundários, uma vez que tanto a glucosamina como a condroitina são parte natural da bioquímica corporal e, deste modo, não atuam como substâncias estranhas.

iniciativa de convívio, mas também de luta e combate à política de direita; um espaço privilegiado de dar a conhecer a milhares de pessoas as propostas e projecto do PCP para a região e País.

Beato chancela Campaniço O EX-PRESIDENTE da Câmara de Grândola, Carlos Beato, escreveu esta semana aos membros das suas comissões de honra explicando as razões que o levaram a apoiar Ricardo Campaniço a candidatar-se à Câmara da ‘Vila Morena’. «É a melhor opção, numa natural renovação de liderança e definição de novos rumos», afirma Beato. Aludindo ao facto de Campaniço manter vivo os valores do ‘Novo Ciclo Autárquico’, garante apoio total ao mcandidato socialista.


Acordo da CITE com o mundo empresarial para a Igualdade de Género

DR

O Fórum Empresas para a Igualdade, organizado pela CITE comprometeu 21 empresas a trabalharam em nome da Igualdade de Género, sem esquecer o mérito. 93% das administrações em Portugal só contam com o factor masculino.

«Sucesso significa mudar a forma como se vê o papel dos homens e das mulheres»

Sandra Ribeiro

(Presidente da CITE)

Pub.

DR

A presidente da Comissão a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE), Sandra Ribeiro, exortou, na abertura do “Fórum Empresas para a Igualdade”, para que se transforme este compromisso «histórico para a mudança da cultura empresarial», num instrumento de competitividade. Uma mudança que, frisou Sandra Ribeiro, «Não vai ser fácil nem rápida, e que só pode acontecer com o empenho de quem dirige estas empresas». Perante uma plateia de dirigentes empresariais com larga maioria de homens, o líder da CITE não deixou de sublinhar que este facto é a prova de que «a igualdade de género não é uma questão de mulheres, mas sim uma questão de homens e de mulheres». Antes, havia questionado sobre se as empresas «facilitam e promovem a partilha de responsabilidade familiares», ou se a razão pelas quais não há mais mulheres em cargos de direcção «será pela típica cultura organizacional das empresas». A verdade é que, lembrou Sandra Ribeiro, «há hoje cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós docs e MBA’s». «Se é certo que cada vez há mais mulheres no mercado de trabalho, também se mantém verdadeira a constatação de que são elas quem continua a ocupar postos de trabalho com salários mais baixos. E porque será que assim acontece?Não será que as tradicionais escolhas escolares das mulheres também perpetuam a segregação profissional e a situação do chamado “telhado de vidro”?, voltou a questionar a líder da CITE.

Recados da OCDE como bom exmplo E lembrou que a OCDE, nos seus últimos relatórios, «tem invariavelmente chamado a atenção para este intrincado fenómeno, profetizando que as empresas que mais rapidamente conseguirem adotar políticas de organização interna atentas às questões deigualdade de género, serão as que vão conseguir aproveitar de uma forma mais cabal os talentos profissionais disponíveis, e terão mais condições para a curto prazo, aumentarem de forma sustentável a sua competitividade, até porque serão essas as empresas que atrairão os melhores talentos futuros». Fazendo a apologia do equilíbrio entre sexos na gestão e direcção empresarial, Sandra Ribeiro enfatizou algumas das vantagens económicas da resolução deste fenómeno: «Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Em segundo lugar, porque se traduzem numa maior diversidade no local de trabalho, o que conduz potencialmente a melhores performances; E em terceiro lugar, porque permitem às empresas chegar de uma forma mais eficiente ao mercado onde grande parte do consumo é feito ou determinado por mulheres. Mas não deixou de frisar o médito, ao referir que «num mundo onde as pressões competitivas são cada vez mais ferozes, é fundamental que as empresas possam recorrer aos melhores talentos, sejam estes homens ou mulheres». E rematou: «Claro que este é um tema difícil, e tratá-lo com sucesso significa operar uma mudança na forma como a sociedade encara o papel dos homens e das mulheres em função do seu sexo, e também, a forma como a própria sociedade e a economia funcionam».


8

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

IGUALDADE DE GÉNERO NO MUNDO EMPRESARIAL

A região não quis ficar de fora do acordo que a CITE celebrou com empresas nacionais para a promoção da Igualdade de Género. E ficaram obrigadas a zelar por esse equilíbrio.

A Comissão para a Igualdade de Género (CITE) lançou o desafio ao mundo empresarial para aderir a um conjunto de medidas com vista a desenvolver acções de promoção de igualdade de género das suas organizações. A cerimónia no Fórum Portugal Telecom, contou com a presença da secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e Igualdade,Teresa Morais, firmou o acordo com

«Mudar cultura empresarial»

O

Fórum Empresas para a Igualdade – o nosso compromisso, é um projeto feito com e para as empresas. Insere-se na missão da CITE – promover a igualdade de género no trabalho, no emprego e na formação profissional. Pub.

21 empresas de vários sectores de actividade, entre elas quatro da região de Setúbal, nomeadamente a Administração do Porto de Sines, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, Baia do Tejo e Visteon. Na ocasião, a membro do Governo realçou o facto de «93 por cento dos conselhos de administração em Portugal serem ocupados por homens», e lembrou as áreas críticas que devem ser

Alavancar instrumentos para a igualdade com 90 medidas. Natividade Coelho Vice-Presidente da CITE

A cerimónia de assinatura do Acordo e compromissos foi, por um lado, o culminar de um processo, com cerca de um ano de

trabalho e, por outro, o início das esperadas mudanças e progressos dentro das organizações. A implementação das 90 medidas permitirão uma alavancagem significativa nas mentalidades, na cultura empresarial e nas práticas de gestão, em cada

ainda «um combate de todos», nomeadamente o desemprego no sector feminino, o assédio moral e sexual no trabalho e a discriminação salarial. O acordo da CITE com as 21 empresas a nível nacional estabelece um conjunto de 90 medidas e práticas de gestão, reconhecendo a necessidade de alterar este equilíbrio como pilar do desenvolvimento e sustentabilidade do mundo empresarial.

uma das empresas signatárias. Enquanto coordenadora deste projeto por parte da CITE, agradeço a todos e todas que o tornaram possível nas empresas. Este é um Fórum aberto, estas 21 empresas foram as primeiras com condições para assinar o acordo, outras o farão em prol da igualdade entre homens e mulheres no mundo laboral, porque se trata de uma questão de justiça, de desenvolvimento, de competitividade e de negócio.

DR

Quatro da região ‘aderem’ à CITE

APS Lídia Sequeira

(Pres. do C.A. da APS)

«Mérito e oportunidades iguais» «Considero que o mérito deve ser prioritário, mas temos sempre em atenção que, em circunstâncias iguais, devemos dar as mesmas oportunidades às mulheres em diversas funções e patamares. Essa é uma prática já instaurada na nossa organização. E registamos que no final do ano passado a APS contatou a primeira mulher piloto dos portos nacionais. Relativamente ao conjunto de

Setor de atividade

Actividades Transportes por Água Dimensão

Média Número de trabalhadores/as

172 Homens

Mulheres

125

47

medidas que o acordo estabelece fica claro que as mesmas têm a ver com a diversidade de cada uma das empresas, que pode pôr em prática estas e outras medidas com o mesmo objectivo. Não sou a favor de cotas como princípio geral, mas ajudam a encurtar esta diferença cultural que não se compadece com a modernidade».


DR

DR

APSS Carlos Lopes

(Pres. do C.A. da APSS)

«Mais um instrumento de trabalho» «No nosso dia-a-dia já incorporamos este tipo de preocupações com a igualdade de género. Este tipo de acordos ajudam a aprimorar estas políticas, tornando mais claras as medidas a colocar em prática, muitas delas já há muito estabelecidas na gestão da APSS em diversas valências. Podemos dizer que praticamos esse equilíbrio tanto ao nível das direcções, como também nas chefias interPub.

DR

EMPRESAS ADEREM AO COMPROMISSO COM A CITE 9

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

BAIA DO TEJO

Setor de atividade

Setor de atividade

Jacinto Pereira

Autoridade Portuária Dimensão

Média Número de trabalhadores/as

162 Homens

Mulheres

117

45

médias. Não julgo ser necessário quantificá-las, porque estamos a fazer esse caminho já há algum tempo, com a consciência de que é fundamental para alterar uma questão que no nosso país é também cultural». Os números espelham esta realidade e todos os esforços são poucos para a alterar.

(Pres. do C.A. da Baia do Tejo)

«Parceiros para inverter este ciclo» «Somos um parceiro de grande envolvimento nesta questão da igualdade de género, que é um princípio que esta administração quer promover e desenvolver. Cerca de 40 por cento do universo dos colaboradores da empresa são do sexo feminino e não esquecemos o mérito como uma condição essencial. Por outro lado, este compromisso através da Baia do Tejo pode ser estendido aos cerca de 250

VISTEON João Paulo Ribeiro

Gestão de Parques Empresariais Dimensão

PME Número de trabalhadores/as

69 Homens

Mulheres

42

27

clientes do nosso universo, o que é muito relevante. Vamos implementar algumas das medidas e colocar em prática muitas outras para que se alcancem estes objectivos, nomeadamente oferecendo condições de igualdade, formação e oportunidades às mulheres que exercem actividade na nossa empresa»

(Director-Geral da Visteon)

«Temos uma população feminina activa» «Podemos considerar que a Visteon já é uma empresa mista em vários patamares da sua gestão e sectores, mas é importante este tipo de acções de sensibilização para aproveitar sinergias e partilhar experiências entre outros universos empresariais. No nosso caso, dispomos de uma população feminina muito activa, em muitos sectores da empresa, incluindo cargos de direcção.

Setor de atividade

Industria Eletrónica Dimensão

Grande Número de trabalhadores/as

1.185 Homens

Mulheres

439

746

E perante o conjunto de medidas que este acordo estabelece, vamos olhar para as mesmas e procurar dinamizá-las, integradas nos conceitos e filosofia da empresa. Os números que senhora secretária de Estado aqui nos trouxe são preocupantes e devem ser combatidos com eficácia e mérito.


10

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

IGUALDADE DE GÉNERO NO MUNDO EMPRESARIAL

AS OUTRAS EMPRESAS

As empresas que rubricaram o acordo representam múltiplos sectores

Processo levou quase um ano e os esforços conquistaram grandes empresas nacionais. A CITE, Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, tem, ao longo dos anos, desenvolvido um trabalho em rede com empresas e organizações, com o objetivo da promoção da Igualdade de Género no trabalho e no emprego. Na sequência de projetos e parcerias nacionais e internacionais, foi identificada a necessidade de criar um grupo que, de forma organizada, constituísse o núcleo inicial para um Projeto que agregasse empresas no compromisso de promover, nas suas organizações, medidas para a igualdade de género. Assim, no âmbito da missão, atribuições e competências da CITE e, tendo em conta a estratégia europeia 2020, bem como as prioridades do estado português relativamente à Igualdade de Género no quadro dessa estratégia, foi então concebido e desenvolvido um projeto com e para as empresas cuja finalidade é a criação de um fórum de empresas que, face aos desafios da competitividade, querem assumir uma cultura coletiva de responsabilidade

social, incorporando nas suas estratégias de gestão os princípios de igualdade entre mulheres e homens num compromisso claro com a promoção da igualdade profissional e com o combate a todas as formas de discriminação de género no trabalho e no emprego. Em 19 de Abril de 2012, a CITE convidou a participar, numa 1ª reunião, um conjunto de empresas que, de alguma forma, já tinham evidenciado boas práticas em matéria de Igualdade de Género e outras que já tinham manifestado interesse na sua promoção. A adesão a este Projeto foi grande, por parte de um número significativo de empresas, tendo o mesmo passado a designar-se “Fórum Empresas para a Igualdade de Género – o nosso compromisso” Task Force foi vital para assegurar missão Foram realizadas até ao momento três reuniões plenárias com a presença regular de cerca de 25 empresas. Foi criada uma TASK FORCE (CITE, AUCHAN, BANCO SANTANDER TOTTA, NESTLÉ, GRUPO CH, IBM, VISTEON) cuja missão é assegurar a coordenação do FÓRUM, a metodologia de trabalho, os objetivos, a estratégia, as atividades, os documentos e toda

a logística. O pressuposto da adesão de qualquer empresa ao projeto “Fórum Empresas para a Igualdade de Género – o nosso compromisso” é, portanto, a definição de compromissos ou de melhoria de medidas / práticas em matéria de igualdade de Género por cada empresa parceira, que é parte integrante de um protocolo de adesão. No próximo dia 18 de Fevereiro, pelas 10h30, no Fórum TELECOM, 21 empresas representativas dos mais importantes setores da economia nacional juntam-se, para assinar o Acordo de Adesão. O Acordo de Adesão ao Fórum de Empresas para a Igualdade de Género (IGEN) é promovido pela Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) e pelas empresas aderentes, que, por esta via, se comprometem a desenvolver ações de promoção de igualdade de género nas suas organizações, com metas quantificadas. O documento é assinado pelo Banco Espírito Santo, Banco Santander Totta, Baía do Tejo, Carris, CTT, EDP, Gebalis, Grupo Auchan, Grupo CH, IBM, INCM, Microsoft, Nestlé, PSA Peugeot Citroen, Portugal Telecom, RTP, Visteon, Xerox, e Portos de Leixões, Setúbal e Sines, ao mais alto nível.

APDL Setor de atividade

Consultoria

Transporte Marítimo

Dimensão

Dimensão

PME

Grande

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

75

213

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

22

53

137

76

BES

CTT

CARRIS

Setor de atividade

Setor de atividade

Setor de atividade

Banca

Comunicações Postais

Transportes e Logística

Dimensão

Dimensão

Dimensão

Grande

Grande

Grande

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

6.107

13.835

2.196

DR

Historial - Fórum empresas para a igualdade

GRUPO CH Setor de atividade

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

3.308

2.799

9.235

4.600

1.986

210

BANCO SANTANDER TOTTA

EDP

GEBALIS

Setor de atividade

Setor de atividade

Setor de atividade

Banca / Serviços Financeiros

Energia

Administração de Imóveis

Dimensão

Dimensão

Dimensão

Grande

Grande

Média

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

5.544

12.297

202

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

3.008

2.536

9.607

2.690

93

109

INCM

PT

XEROX

Setor de atividade

Setor de atividade

Setor de atividade

Prod. de Doc. de Segurança e outros

Telecomunicações e outras atividades

Comércio de Equipamentos de Escritório

Dimensão

Dimensão

Dimensão

Grande

Grande

Média

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

686

11.800

173

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

359

327

7.400

4.400

128

45

MICROSOFT

AUCHAN

IBM

Setor de atividade

Setor de atividade

Setor de atividade

Tecnologias de Informação

Supermercados e Hipermercados

Gestão de Equipamentos Informáticos

Dimensão

Dimensão

Dimensão

Grande

Grande

Grande

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

291

8.297

548

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

233

58

2.926

5.371

391

157

NESTLÉ

RTP

PEUGEOT

Setor de atividade

Setor de atividade

Setor de atividade

Bens de Consumo - Alimentação

Comunicação Social

Montagem de Veículos Automóveis

Dimensão

Dimensão

Dimensão

Grande

Grande

Grande

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

Número de trabalhadores/as

1.821

2.032

855

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

Homens

Mulheres

1.116

704

1.240

792

756

99


Escolhas Sadinas Por Ana Sobrinho M@RÇO.28 DIA 1/03 ÀS 23H00 NA CASA DA CULTURA/ CAFÉ DAS ARTES – FESTA DE LANÇAMENTO M@rço.28/ Concertos. Com atuação do cantor Noah./ Entrada livre DIA 1/03 ÀS 24H00 NO

nais e uma versão, num estilo musical «próprio», que funde diversas influências que vão da música tradicional portuguesa, à world music, passando pelo jazz e música pop. «A base da minha inspiração musical é o cenário da baía sadina. A mensagem deste álbum reside exactamente no “Amanhecer”, na inspiração da primeira luz da

manhã, encarando cada dia com o lado da vida, mas depois com mensagens específicas de cada música, como se retratasse diferentes dias e situações das nossas vidas», conta. “Oh Meu Velho!” exprime emoções dos mais velhos na sua relação com os mais novos, e tem inspiração na música tradicional portuguesa. O videoclip contou com a participação especial do conhecido actor setubalense Carlos Rodrigues, e pode ser visto no YouTube – http://youtu.be/ WvNYTa0qHKI.

DR

O

tema “Oh Meu Velho!”, do jovem cantautor açoriano João da Ilha, a residir há 13 anos em Setúbal, faz parte da banda sonora da nova novela da TVI “Destinos Cruzados”. A canção acompanha o conceituado actor Ruy de Carvalho, que interpreta a personagem do velho Inácio. João da Ilha, 33 anos, mostrase satisfeito com a inclusão do tema na banda sonora da novela de António Barreira, porque reconhece como «é importante a exposição do nosso trabalho na televisão nacional para chegarmos a um público maior e, por isso, de algum modo, também premeia o nosso esforço e dedicação de vários anos». “Oh Meu Velho!” pertence ao seu álbum de estreia de João da Ilha, “Amanhecer”, lançado em finais de 2011, com concerto de apresentação na Casa da Baía, em Setúbal. O disco contém onze temas origi-

Quarta

Canção de João da Ilha em banda sonora de “Destinos Cruzados”

OUCTUBROS CONCEPT BAR (AV. 5 DE OUTUBRO) – NOITES JOVENS/ DJ’S - DJ Leonardo./ Entrada livre 10ª MEIA MARATONA FOTOGRÁFICA de Setúbal - Inscrições até dia 1 de Março./ Informações e inscrições: 265 236 168/ gabjuventude@ gmail.com WORKSHOP MODA / PASSERELLE DIA 3 DE MARÇO DAS 09H30 ÀS 13H00

NA CASA DA BAÍA – Este Workshop visa a aprendizagem das técnicas básicas de passerelle, onde a postura e a confiança estarão em destaque e potenciar a ética profissional./ Idades compreendidas entre os 12 e os 30 anos./ Formadores: Ana Sobrinho (Miss Portugal 1989 e Ex-modelo) e Mauro Lopes (Prémio New Faces 2010 da Fashion TV e Modelo Look Elite Lisbon) / Preço: 15€./ Informações e inscrições265 236 168 / 939 833 344

Final do fado amador com sete concorrentes Custódio Magalhães (guitarra portuguesa), Vítor Pereira (viola de fado), e Albano Almeida (viola baixo). O júri do “V Concurso de Fado Amador de Setúbal” é constituído pelo maestro Nuno Batalha, em representação da Câmara, pelo pianista Afonso Melão, pela Capricho Setubalense, e pela fadista Ada de Castro, como convidada. A gala final do concurso conta com a participação dos concorrentes Diana Soares, Margarida Piedade, Pedro Calado e Sónia Colaço,

apurados na primeira semifinal, e Sofia Ferreira, Milene Sofia e Maria Caetano, na segunda. O bilhete, com jantar incluído, custa 13,5 euros.

Cartaz... Noite de encanto e glamour O Russian Classical Ballet promete uma noite de encanto e glamour com o bailado “Giselle”, que narra a história de uma jovem camponesa apaixonada por Albrecht, Príncipe da Silesia, que se faz passar por camponês para conquistar o seu amor. Cineteatro S. João, Palmela | 21h30.

23

A precariedade e a sobrevivência “Pedra-Pão”, pela companhia Ciculando, tem como ponto de partida o entendimento da precariedade como motor de reinvenção das condições de sobrevivência. Cineteatro João Mota, Sesimbra | 21h30.

Gala do Fado A Gala do Fado, organizada pela Associação NÓS – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente, visa angariar fundos para a construção do projecto “Uma Cidade para Todas as Pessoas”. Auditório Augusto Cabrita, Barreiro | 21h15.

23

Histórias para adormecer “BOA NOITE – Histórias para Adormecer”, com texto e ilustrações de Gill Guile, ao longo das 64 páginas, com edição da Porto Editora, é uma maravilhosa colectânea de histórias originais para serem lidas em família, perfeitas para a hora de dormir. O texto simples e as bonitas ilustrações irão certamente encantar todas as crianças.

Histórias originais para dormir

Ofertas Semmais Baladas românticas de encantar

DR

SOFIA FERREIRA (Almeirim), Milene Sofia (Loures), e Maria Caetano (Setúbal) marcam presença na final do “V Concurso de Fado Amador de Setúbal”, este sábado, às 21h30, na Capricho Setubalense. As três concorrentes garantiram o apuramento na segunda semifinal, realizada no sábado à noite, naquela colectividade. Os dez participantes na derradeira semifinal, que interpretaram dois temas cada para avaliação do júri, foram acompanhados por

27

de violino para os Arcade Fire, actua no palco EDP e as Anarchicks apresentam o primeiro álbum “Really?!”. As mais recentes confirmações são os Ash e os Kaiser Chiefs.

DR

11

CINCO NOVOS nomes vêm ao 19.º Super Bock Super Rock. Gary Clark Jr., comparado a Jimmy Hendrix, traznos o genial álbum de estreia “Blak and Blu”. Owen Pallett, responsável pelos arranjos

cinema. O vale da refeição pode ser usado numa das 14 lojas aderentes do Forum. A acção exclui os filmes 3D e sessões nos feriados sendo que os bilhetes são válidos para o dia da compra.

Sábado

Sábado // 23 . Fev. 2013 // www.semmaisjornal.com

O FORUM Montijo lançou o “Menu Cinema”, que permite ao cliente comer e ver um filme por 8 euros. Os ‘vouchers’, que devem ser adquiridos nas bilheteiras, contemplam uma refeição e uma sessão no

Gary Clark Jr. vem ao Super Rock

Sábado

CULTURA

Menu cinema no Fórum Montijo

Novos talentos do fado

“Romântico - Volume 13” é o álbum, editado pela Espacial e composto por 19 temas, que temos para oferecer esta semana aos nossos leitores. Inclui as baladas “Não me dou por vencido”, “De que Vale”, “Diz-me onde é que eu errei”, “Voar com os teus beijos”, “Fica em Mim” e “Vou Chorar outra Vez”, interpretadas por Marco Paulo, Ágata, Leandro, Santamaria, Adelaide Ferreira e Toy, respectivamente. Para se habilitar aos discos, que também contém canções de Lucas & Matheus, Miguel & André, Emanuel, José Malhôa, Ana Ritta e Sérgio Rossi, entre outros, basta ligar 918 047 918 ou enviar um email para: passatempos. semmais@mediasado.pt


NEGÓCIOS Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 12

Páscoa especial em Tróia OS BLUE&GREEN prepararam uma experiência única para a sua Páscoa em família. No Tróia Design Hotel, na bonita e verdejante Península de Tróia, a quadra da Páscoa promete ser muito especial. Está progra-

Trabalho e Indústria na BTL

mado um concerto com António Zambujo, no Casino de Tróia, um almoço de Páscoa e uma grande caça aos ovos. Tudo para que as famílias e casais passem da melhor maneira a época pascal.

O MUNICÍPIO do Barreiro vai estar representado na Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre de 27 de Fevereiro a 3 de Março, na FIL. Neste que é um dos maiores eventos nacionais de promoção da

indústria, a autarquia irá apresentar, no dia 2, às 12 horas, o projecto “Rota do Trabalho e da Indústria”, sessão que contará com a presença do presidente Carlos Humberto e da vereadora da Cultura.

Notas Fiscais

Faturas!

DR

M

O novo centro de congressos do Freeport tem uma área de 12.500 metros quadrados

Maior Centro de Congressos Ibérico é no Freeport

O

Freeport inaugura quartafeira o maior Centro de Congressos da Península Ibérica em número de salas e auditórios. Com uma área de 12 500 metros quadrados, o novo espaço, onde funcionavam os cinemas, é o único centro de congressos do país com uma oferta mais de 20 salas e auditórios com capacidade entre os 96 e os 800 lugares, sala multiusos de 2 mil metros quadrados, uma sala de exposições de 500 metros quadrados e diversas zonas de apoio, numa estrutura de tipologia única na Península Ibérica. Representando um valor de investimento de 3 milhões de euros, o Centro de Congressos Freeport, é inaugurado após um conjunto de obras de adaptação dos auditórios, foyer, salas multiusos e espaços de circulação que visaram adaptar o espaço às exigências de áreas e funcionalidades próprias de uma infra-estrutura com estas funções

Orçamentada em 300 mil euros, a requalificação pautou-se pela conservação integral da imagem do edifício e a sua estrutura interior. As intervenções efectuadas e a instalação de novos equipamentos permitiram a criação de espaços multifacetados para uma utilização flexível que, para além de congressos, seminários e conferências prevê ainda a realização de espectáculos, concertos, exposições, feiras e eventos de caráter social e corporativo. De acordo com Nuno Oliveira, director-geral do Freeport, «o novo Centro de Congressos constitui-se como uma nova área de negócios do maior outlet da Europa, que irá complementar a nossa principal atividade, que é o retalho. Identificámos uma oportunidade para contribuir para o turismo de negócios, uma necessidade apontada pelo Plano Estratégico Nacional de Turismo, e reunimos os melhores

parceiros para criar o maior e mais completo centro de congressos em Portugal». 21 auditórios e uma sala multiuosos O espaço conta com 21 auditórios dos 95 aos 800 lugares de capacidade, um foyer com duas zonas de recepção distintas, uma sala multiusos de 2 mil metros quadrados, uma sala de exposições de 500 metros quadrados e diversas zonas de apoio, assim como um estacionamento interior e exterior com capacidade para 2 475 lugares. O auditório 1 utiliza um dos maiores ecrãs do país, com uma área de projeção 250 metros quadrados. O facto de estar localizado no Freeport, o maior outlet da Europa permitelhe ainda beneficiar de uma extensa área comercial com mais de 140 lojas com uma oferta que inclui as mais prestigiadas marcas internacionais.

uito se tem falado sobre a obrigatoriedade de emitir e exigir faturas. Com a entrada do novo regime de faturação, muitas têm sido as críticas sobre o novo regime, quer por parte dos emitentes, quer por parte dos consumidores. As redes sociais têm sido inundadas por mensagens expressando indignação sobre a obrigatoriedade de exigir fatura. Devo dizer que, em bom rigor, a notícia divulgada sobre a intenção de o Governo aplicar coimas aos consumidores que não exigissem fatura, teve um impacto bastante negativo sobre esta matéria. Na realidade, não foi uma intervenção feliz. No entanto, nada impede o controlo sobre a emissão de faturas num determinado local. Aliás há muito que isso é feito, quer em intervenções especificas, quer em ações conjuntas com outros organismos inspetivos. Sendo que, para a realização de tais operações, os inspetores necessitam da respetiva credenciação para o efeito, através de Despacho ou Ordem de Serviço.Importa também referir que o Art.º 123 do Regime Geral das Infrações Tributárias, desde 2012 que prevê a punição por quem não exigir facturas ou recibos. Na minha modesta opinião, sendo agora sempre obrigatório a emissão de “fatura” ou fatura simplificada”, a redacção do n.º 2 do referido artigo, não tem razão de ser. Até porque, não faz sentido punir o consumidor quando é o comerciante ou o prestador de serviços que tem a obrigação de proceder à emissão do documento. No entanto, importa retirar algumas ilações sobre toda esta polémica gerada sobre esta questão. Em primeiro lugar, importa referir que os portuguese estão-se literalmente a “borrifar” para as faturas. É uma realidade que sempre existiu, existe e irá continuar a existir.

Paulo Janela Inspector tributário (pjjanela@gmail.com)

Veja-se a título de exemplo, que os portugueses só aproveitaram 13% das faturas para beneficiarem do IVA, sendo a maioria referentes a serviços de reparação automóvel. Como já tive a oportunidade de aqui referir, a mentalidade dos portugueses no que concerne ao cumprimento das obrigações fiscais, em muito tem contribuído para a economia paralela a fraude e evasão fiscal. Uma realidade que tem se ser alterada, e o novo regime de faturação é louvável neste sentido. Não se trata de um inspetor tributário a espreitar a cada esquina, mas sim de incutir no espírito do cidadão, que todos têm de contribuir. É certo que a elevada carga fiscal que assombra o nosso país, também em muito tem contribuído para um descredito e desinteresse no que respeita a impostos. Mas é intolerável, pessoas que já fizeram parte do executivo, mais concretamente um ex-secretário de Estado da Cultura, proferir comentários absurdos sobre esta matéria. É um péssimo exemplo e nada dignificante para um país que “por causa de uns pagam os outros”. Já o PCP refere que tal medida interfere com a privacidade das pessoas. Estranho tal afirmação, já que o referido partido politica tem-se pautado pela derrogação do sigilo bancário em matéria fiscal. Parece que quando toca a obrigações fiscais todos voltam a cara para o lado, e a ser assim, venham as “troikas” que vierem, nunca sairemos do mesmo.

Coca-Cola mantém 420 postos de trabalho em Cabanas A NOTÍCIA do alegado encerramento da fábrica da Coca-Cola em Cabanas, Palmela, lançou esta semana o desespero entre os 420 colaboradores da unidade, mas já foi prontamente desmentida pela multinacional. O director-geral da empresa esteve reunido com a direcção da Refrige e comissão de trabalhadores e deu garantias de que a produção da unidade fabril vai aumentar, «refor-

çando a sua presença no mercado nacional». Em comunicado, a empresa esclarece que o processo de integração de sete engarrafadores vai mesmo para a frente, mediante a criação de uma sociedade que vai desenvolver os seus planos de negócio a partir de agora. No mesmo documento, a empresa diz que a «Refrige vai continuar a ser o engarrafador da compa-

nhia para o mercado», sendo expectável um «reforço da sua presença industrial e comercial», dada a integração num engarrafador único que «vai criar um modelo mais eficiente no mercado ibérico e mais competitivo a nível internacional». A unidade da Refrige em Cabanas, a única em Portugal, está em laboração há 36 anos em Cabanas e tem duas linhas de enchi-

mento de vidro, duas de PET (plástico), uma de latas, uma de tanquetes e outra de “bag in box”. Nos últimos anos a fábrica foi alvo de investimentos de modernização que se traduziram em melhorias na competitividade e aumento da capacidade de resposta. Uma Estação de Tratamento de Águas Residuais, nunca formalmente inaugurada, foi criada em 2008, um investimento que

rondou os 3 milhões de euros. A Refrige vai ser distinguida com o prémio FQS em breve, menção que premeia as boas práticas a nível laboral desta empresa. A fábrica da Coca-Cola em Palmela produz para o mercado nacional, mas exporta igualmente para Espanha, onde não é permitida a produção, a título de exemplo, de bebidas energéticas.


Seminários sobre associativismo

DESPORTO

O MUNICÍPIO de Almada está a promover três seminários destinados a dirigentes e treinadores, no Complexo “Cidade de Almada”, no Feijó. O primeiro, este sábado, a partir das 9h30, é alusivo ao

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 13

tema “Modelos de Gestão – Realidades”. O segundo, com o tema “Parcerias e Atividades Emergentes”, realiza-se a 23 de Março, enquanto “Um Novo Desafio. Que Futuro?” decorre a 13 de Abril.

Falta de apoio levou-os para outras paragens mas treinam em Setúbal

Ex-atletas do Vitória brilham na pista coberta

DR

R

uth Limpo, do JOMA (Juventude Operária Monte Abraão), e Ângelo Marques, com a camisola do Benfica, mostraramse em boa forma na época de pista coberta, em atletismo. Ela foi, aos 22 anos, bronze nos campeonatos nacionais em 60 metros, e ele, com 17, foi campeão nacional de juniores nos 400 metros. Em comum, os dois atletas têm o facto de, até ao final da época passada, terem representado o Vitória Futebol Clube. Para além disso partilham o mesmo treinador, Fernando Ferreira, trabalham com o mesmo grupo e treinam diariamente em Setúbal, quer na pista de cinza do Bonfim, quer no tartan da pista municipal de atletismo. A falta de apoio por parte do VFC levou os dois atletas a transferiremse, no início desta época, para clubes da associação de atletismo de Lisboa. Uma decisão «muito ponderada e tomada só mesmo no último dia das inscrições na Federação Portuguesa de Atletismo», como referiu ao Semmais o treinador dos atletas. «Até à última hora achámos sempre que poderia surgir uma solução que não passasse por desvincular os atletas do clube», mas a ausência de apoios do clube e de patrocínios privados não permite que a secção de atletismo disponha de meios financeiros para acompanhar os atletas em competições fora de Setúbal. Fernando Ferreira afirma que, até Lisboa, Ruth Limpo e Ângelo Marques ainda conseguem ir, com «a colaboração dos pais dos atletas», que reúnem as condições para os levar a competir», mas uma ida a Pombal, por exemplo,

Ex-atletas do V. Setúbal dão cartas agora com a camisola do Benfica

onde se realizaram os campeonatos de Portugal de Pista Coberta, «tem custos incomportáveis para uma secção sem orçamento». Orgulhosa com o resultado e com a marca obtida esta época, em 60 metros (7, 56 seg), que constitui a 3.ª melhor marca ibérica e está ao nível das melhores marcas nos campeonatos francês e italiano, Ruth Limpo lamenta o facto de não ter conquistado estas performances ao serviço do Vitória. «Tenho pena, mas estou feliz com a oportunidade que o JOMA me dá em poder competir com regularidade e a um nível que não lhe seria possível em Setúbal», reafirma ao Semmais. A história repete-se Actualmente, a secção de atletismo do Vitória conta com pouco mais de duas dezenas de atletas e

representa o regresso da modalidade ao clube depois dos anos de ouro na década de 80. Nessa altura, vestiam de verde e branco alguns dos melhores atletas nacionais, entre eles a recordista do salto em altura feminino à época, Maria José Travessa, a primeira mulher portuguesa a saltar acima de 1,70 m. No final dos anos 80, era uma constante ver os atletas do Vitória intrometerem-se entre os maiores e conquistarem medalhas e boas classificações a nível nacional. Muitos atletas chegaram mesmo a representar a selecção nacional em vários escalões. Os bons resultados levaram as equipas, masculina e feminina, a sagrarem-se campeãs nacionais da II Divisão e a ingressar no escalão maior do atletismo nacional sénior. Apesar disso, no início dos anos 90, o clube acabou com o atletismo sénior e, já nessa altura, os melhores atletas tiveram de rumar a outras paragens.

Kotas Bike Team à espera de mais de 600 participantes A 4.ª MARATONA BTT “Na Rota do Casqueiro” realiza-se domingo. A prova organizada pelos Kotas Bike Team, de V. N. de S. André deverá contar com mais participantes do que em 2012. A prova denominada “Rota do Casqueiro” encontra-se já consolidada. Trata-se de uma homenagem ao tradicional pão de trigo alente-

jano que será oferecido aos participantes. A prova tem duas distâncias (40 e 80 quilómetros) e segundo António Parreira, o presidente da direção dos Kotas Bike Team, este ano «o percurso vai ter algumas surpresas pela sua natureza e dificuldade». «Acho que vamos surpreender

Kia entrega carros ao Vitória

até mesmo os praticantes da região que conhecem vários caminhos, porque vamos contar com novos trilhos», adiantou o dirigente. A 1.ª “Rota do Casqueiro” contou com 370 participantes. No segundo ano aumentou para 503, no ano passado contou com a presença de 640 pessoas e o objectivo para este ano é aumentar ainda mais.

NA PASSADA quarta-feira, no relvado do Estádio do Bonfim, pelas 15 horas, antes do jogo-treino com o Kabuscorp do Palanca, que o V. Setúbal venceu por 2-1, com golos de Makukula e

Jorginho, a Kia, um dos principais patrocinadores do clube, entregou uma viatura ao treinador José Mota e outra ao jogador Makukula. A equipa recebe este sábado o Beira-Mar, às 16 horas.

Os «invasores» argentinos

C

erto e sabido que os argentinos são, de há muito, uns belíssimos especialistas de «la pelota», à mais alta escala mundial. As proezas dos seus melhores jogadores vêm de muito longe, desde Guillermo Stabile e Adolfo Pedernera ao actualíssimo Lionel Messi. Daí que não possa surpreender a pacífica «invasão» de futebolistas argentinos (nem todos bons…) na Europa e, nomeadamente, em Portugal. Neste nosso cantinho à beira mar plantado são mais de 3 dezenas os cidadãos gaúchos profissionais de futebol, com um muito especial destaque para a dúzia de «craques» que militam no Benfica (5), no Sporting (4) e no FCPorto(3) arrecadando boas «maquias» com as suas bens adjectivadas actuações. E vale a pena tecer alguns considerandos relativamente a essa peculiar «invasão». Já lá vão mais de 70 anos quando se notabilizaram, no futebol português, os muito cotados argentinos daquela época, na condição de emigrantes: Alejandro Scopelli, Tarrio e os irmãos Tellechea, vindos de Buenos Aires para Belém (Salésios) quando o Belenenses era, de facto, um dos «grandes» do nosso futebol. Desse quarteto, Scopelli e Oscar Tellechea foram os que deixaram rasto de simpatia e qualidade como eu próprio verifiquei e apreciei mediante o conhecimento directo com esses argentinos que muito se distinguiram com treinadores de 1º nível. Numa 2ª leva vieram, depois, por influência de «mestre» Scopelli, Di Pace, Ricardo Perez e Pellejero, para se exibirem no histórico Campo dos Salésios, em Belém, e arriscamos que por essa altura também o Vitória de Setúbal terá pensado em recorrer ao «mercado» argentino. Mas nada de especial aconteceu apesar dos jogadores «gaúchos» não serem, então, dos mais caros. E tal como já evocámos numa crónica de há tempos, foi já em pleno século XXI que os «sadinos» se decidiram a contratar um jogador argentino, vindo de França, sem qualidade garantida e, por isso, de passagem muito fugaz que poucos recordarão. Estrangeiros de bitola apreci-

David Sequerra Colaborador

Já lá vão mais de 70 anos quando se notabilizaram, no futebol português, os muito cotados argentinos daquela época, na condição de emigrantes: Alejandro Scopelli, Tarrio e os irmãos Tellechea, vindos de Buenos Aires para Belém (salésios) ável tais como Wagner, Yekini ou Meyong nãos são de todos os dias. E em Setúbal a tal «invasão» argentina não acontece... Se Saviola, «el conejo» não tivesse zarpado para Málaga e o promissor Fernandez não decepcionasse, mais de metade do «plantel» de base do Benfica era de argentinos, contributo principal para a super-insólita condição dos «águias» actuarem repetidas vezes sem um único português na equipa. Citemos nomes da «malta das pampas», de inegável valia: Garay, Aimar, Enzo Perez, Sálvio e Gaitan. É obra, como sói dizer-se. E a «culpa», para além de hábeis empresários foi do saudoso Alejandro Scopelli em 1938/39 e, já em 1947, do rotundo sucesso da mágica equipa do San Lorenzo de Almagro com uma linha de ataque de admiráveis virtuosos (Imbelloni, Farro, Portuni, Martino e Silva) que perfumou o relvado do Jamor com uma estrondosa exibição, aplicando 10-4 a uma mais do que assustada selecção de Lisboa. Curiosamente, todo esse quinteto não regressou a Buenos Aires, ficando a jogar na Europa, com Mário Imbelloni e «Paco» Silva em Portugal, em Braga e na Covilhã. Já poucos se recordam de tais episódios de há mais de 60 anos. Mas a propósito da actual «invasão», ousámos voltar ao tema que acabamos de expor. E convenhamos, com oportuno optimismo, que há «invasões» bem mais penosas do que esta dos futebolistas argentinos.


LOCAL Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com 14

Coral Sinfónico actua em Almada ESTE DOMINGO, às 17 horas, o Teatro Joaquim Benite, em Almada, recebe o coro e a orquestra do Coral Sinfónico de Portugal, com “A Criação”, de Franz Haydn, e com direcção musical de Saraswati.

O CSP reúne cantores e músicos de todos pontos do País. Desde 1991 que o coro e a orquestra do CSP interpretam obras de grandes compositores. Bilhetes entre os 10 e os 15 euros.

“Setúbal mais bonita” regressa AS INSCRIÇÕES para os cidadãos apresentarem propostas de intervenções ou participarem como voluntários na 3.ª “Setúbal Mais Bonita” já estão a decorrer. A iniciativa desenvolvida no âmbito da

política de participação cidadã do município, que contou com o contributo de cerca de 2 mil pessoas em 2012, realiza-se entre os dias 3 e 5 de Maio. Inscrições abertas até 15 de Março.

DR

Sines ‘toma pulso’ à regeneração urbana

A reflorestação de Sto. André é a resposta à praga do nemátodo que matou mais de 90 por cento dos pinhais daquela zona do concelho

Plantação de 4 mil árvores é a resposta a doença do nemátodo do pinheiro em santo André

Santiago vai ter novo ‘pulmão verde’

Bruno Cardoso

V

ila Nova de Santo André vai ter cerca de 4 mil novas árvores plantadas até Novembro de 2014. A iniciativa de reflorestação vai ser levada a cabo pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém

Abandono de animais cresce no Seixal O AUMENTO da quantidade de cães e gatos abandonados leva a direcção do canil/gatil do Seixal a lançar um apelo público a favor da adopção e do apoio aos animais sem dono. «Todos os dias, pessoas continuam a abandonar animais» à porta do canil/gatil seixalense, ameaçando a instituição de ruptura, uma vez que já não composta mais ‘inquilinos’. Classificando esta situação de insustentável, o canil/gatil apela à adopção este sábado, numa iniciativa do Gabinete de Intervenção Veterinária da Câmara do Seixal.

e pela Junta de Freguesia local e complementa o Plano Integrado de Qualificação Urbana (PIQURB) da cidade, já executado. Em declarações ao Semmais, Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, explica que o plano de reflorestação é a resposta municipal à «praga do nemátodo do pinheiro, que dizimou mais de 90 por cento dos extensos pinhais da cidade». A reflorestação vai abranger uma área de 10 héctares e inclui espécies autóctones de Portugal, nomeadamente alfarrobeiras, sobreiros, azinheiras, medronheiros, loureiros, entre outras. «Este plano de reflorestação

fazia imensa falta a Santo André e com ele vai ser possível captar agora mais CO2, aumentando o pulmão verde local», enfatiza o autarca. O investimento neste projecto ainda não está quantificado, mas conta desde já com o apoio de diversas empresas da região e com fundos comunitários ao abrigo do programa “Floresta Comum”. Voluntariado semeia para colher nova cidade verde alentejana Uma das principais iniciativas está agendada para o próximo dia 6 de Março e visa a plantação de 650 árvores no Parque Central da

Encontros com Energia no concelho do Montijo NO ÂMBITO do ciclo de Seminários e Workshops “Encontros com Energia”, a S.Energia - Agência Regional de Energia realiza, quartafeira, um seminário sobre Iluminação Eficiente em Edifícios, na Casa do Ambiente, no Montijo. O vice-presidente da Câmara do Montijo e presidente do Conselho de Administração da S.Energia, Nuno Canta, dará início a este seminário que contará com oradores do Centro Português de Iluminação (CPI), da ADENE – Agência para a Energia, da Schneider Electric e da Philips. Estes encontros pretendem sensibilizar a população para a

DR

Voluntários e empresas chamadas a ajudar na causa. Projecto conta com apoios comunitários.

Palavra de ordem é poupar

premência do incremento da eficiência energética, através da adopção de comportamentos mais eficientes e o recurso a fontes energéticas mais amigas do ambiente.

Cidade. A acção vai contar com o apoio dos alunos da escola Padre António Macedo. A grande maioria das iniciativas deste plano de reflorestação vai decorrer, aliás, nas próximas três semanas e em Novembro. Para o dia de hoje, está prevista uma outra iniciativa no bairro Pôrdo-Sol que vai contar com mais voluntários, inclusive jovens e população, bem como elementos de associações locais, nomeadamente a Academia Sénior de Artes e Sabores, a Litoral Aventura e os escuteiros. Em 2014 estão igualmente previstas mais duas acções, a última das quais a decorrer no bairro Atalaia Norte.

Grândola mostra Jardim Botânico no Mundo UMA EXPEDIÇÃO ao arquipélago de São Tomé e Príncipe é a proposta do Centro Ciência Viva do Lousal até ao final de Março. Trata-se de uma exposição desenvolvida pelo Museu Nacional de História Natural e da Ciência. O arquipélago de São Tomé e Príncipe preserva florestas com uma elevada biodiversidade. Em 2007 e 2008 César Garcia, investigador do Museu Nacional de História Natural, realizou duas expedições a este arquipélago para estudar a flora briológica da região, tendo recolhido mais de 7000 espécimes de briófitos.

A OBRA de requalificação da Avenida Vasco da Gama, consolidação e tratamento paisagístico da falésia e construção do elevador está a decorrer, embora com atrasos relativamente à programação da empresa. A autarquia justifica os atrasos com vários problemas, desde o mau tempo à detecção de infra-estruturas enterradas e não identificadas. Os muros de contenção da falésia junto ao Largo dos Penedos da Índia foram concluídos, aguardando-se o início da empreitada que fará o tratamento da falésia entre essa zona já consolidada e as Escadinhas do Muro da Praia. Na operação arruamentos, os pavimentos e infra-estruturas estão prontos, faltando completar alguns elementos de mobiliário urbano e paisagismo. A operação Câmara Velha, edifício que está a ser recuperado e adaptado para receber a escola de música da Escola das Artes, vai entrar na fase de acabamentos.

Alcácer ‘trata’ bullying nas escolas NUMA ALTURA em que o fenómeno da violência entre alunos está na ordem do dia, Alcácer apresentou o trabalho Plano Bullying, um livro destinado à comunidade educativa e que lança pistas sobre o modo como esta realidade pode ser combatida. Os autores da obra, Luís Fernandes e Sónia Raquel Seixas, dizem que o objectivo deste livro é ajudar os professores e outros agentes educativos a identificar problemas e elaborar e avaliar acções de intervenção. Luís Fernandes nasceu na Amora em 1974, é licenciado em Psicologia Educacional e mestre em Observação e Análise da Relação Educativa. Foi docente no ISPA e desenvolve a sua actividade profissional na Associação Sementes de Vida, em Beja. Sónia Raquel Seixas nasceu em Lisboa em 1970, é licenciada em Antropologia Social e em Psicologia Educacional, e doutorada em Psicologia Pedagógica. É subdirectora na Escola Superior de Educação de Santarém.


15

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

Almada assegura conservação urbana AS ONZE juntas de freguesia do concelho de Almada vão assegurar trabalhos de conservação urbana através da intervenção em corrimãos, baias, bancos de jardim, balaústres e pilaretes. O valor do município a transferir para as onze Juntas de Freguesia ascende aos 118. 670 euros. Os acordos de cooperação, entre as Juntas e o município, foram assinados na passada segundafeira, dia 18, no edifício do Poder Local, no Feijó. No global, serão pintados e reparados mais de 22 mil metros lineares de corrimãos e baias, cerca de

900 bancos de jardim e mais de três mil balaústres e pilaretes. Após a assinatura dos acordos de cooperação, a presidente da Câmara Municipal de Almada, Maria Emília de Sousa, afirmou que este é «mais um acto simples mas de grande importância na participação das nossas freguesias para a melhoria da qualificação urbana do concelho». Ao longo dos anos, a experiência de cooperação entre o município e as Juntas de Freguesia tem-se revelado de grande importância na prestação de serviços às populações e na qualificação da imagem urbana do concelho.

Setúbal cultural na D. João II A SECUNDÁRIA D. João II, em Setúbal, levou a cabo, de 18 a 22, a primeira semana cultural “Um só Mundo – Estratégias de Cooperação”. A acção envolveu a participação de diversos conferencistas, como Luís Fazenda, coordenador do BE para a Educação; Paulo Guinote, autor do blog “A Educação do Meu Umbigo”; Pedro Lima, líder da Robótica, no IST; Francisco Ferreira, presidente da Quercus;

entre outros. O coordenador João Maia realça que o feedback dos alunos e professores foi «excelente», sublinhando que o evento visou «estimular os alunos, os professores e outros agentes educativos a nível da cooperação estratégica interdisciplinar, o que constitui uma prática que deve estar presente em tomadas de decisão públicas, esclarecidas e eticamente responsáveis».

Moita discute lei do aborto NA SEMANA em que o Governo admite reequacionar a lei do aborto, a biblioteca Municipal do Vale da Amoreira, no concelho da Moita, recebe hoje um dos debates mais ‘quentes’ do ano. O Aborto em Portugal: Causas e Soluções é o tema do colóquio que reune vários especialistas e entidades regionais, realizado no âmbito das Comemorações do Centenário do Nascimento do

fundador do PCP, Álvaro Cunhal. No ano em que se assinala o centésimo aniversário do nascimento de Álvaro Cunhal, o município da Moita decidiu associarse também às várias homenagens que acontecem um pouco por todo o país, dinamizando iniciativas que pretendem, essencialmente, dar a conhecer a vida, o pensamento e a obra de Álvaro Cunhal.

Concerto de Ano Novo

A INICIATIVA «Eleito Por Um Dia», inserida na 10.ª edição da Assembleia Municipal de Jovens, decorre de 25 a 28 de Fevereiro. Privilegiar o relacionamento entre as instituições públicas e os alunos, contribuindo para a sua formação enquanto cidadãos, é o principal objectivo da actividade, que já se realiza desde 2011. No dia 25, Felícia Costa, vereadora da Educação, vai estar acompanhada pelos alunos da Escola Básica 2,3/S Michel Giacometti. No dia seguinte, é a vez dos representantes da Básica Integrada da Boa Água estarem lado a lado com Vítor Antunes, presidente da Junta

ESTE SÁBADO, dia 23, pelas 21h30, a banda de música da Sociedade Filarmónica Palmelense “Os Loureiros” realiza o seu tradicional concerto de Ano Novo, sob a direcção do maestro Pedro Ferreira, nesta popular colectividade. Toda a população poderá assistir gratuitamente ao concerto.

de Freguesia da Quinta do Conde. O dia 27 está reservado aos três elementos da Escola Básica Integrada da Quinta do Conde, que vão conhecer o dia a dia do presidente da Câmara, Augusto Pólvora, e da Escola Básica 2,3 Navegador Rodrigues Soromenho, que vão saber mais sobre o papel do presidente da Junta de Freguesia do Castelo, Francisco Jesus. No último dia, cabe à presidente da Assembleia Municipal, Odete Graça, e à presidente da Junta de Freguesia de Santiago, Ana Cruz, conduzir os jovens da Escola Básica do Castelo e da Escola Secundária de Sampaio.

Palmela dá formação a desempregados O MUNICÍPIO e a PSIquatro/ Tempos Brilhantes vão promover o programa de formação e coaching em empreendedorismo para desempregados do concelho de Palmela. Trata-se de um projecto constituído por acções de formação, sessões de coaching, workshops temáticos e sessões de networking com empresários e parceiros locais, no total de 40 horas, que decorrerá entre Fevereiro e Junho, das 9 às 13 horas, na biblioteca de Palmela e no Centro de Estudos e Formação Autárquica de Palmela – Luís Sá. Este programa tem como objectivo a aquisição de competências ao nível do empreendedorismo, para iniciar um processo de mudança no sentido de criar um negócio local rentável. Esta acção foi apresentada no passado dia 21, às 16 horas, com uma sessão de esclarecimento na Biblioteca Municipal de Palmela, tendo alguns interessados aproveitado o momento para se inscreverem.

Prioridade para obras ribeirinhas

Alcochete investe em ano de crise APESAR da redução das verbas para este ano, o executivo de Alcochete faz questão de manter as prioridades de investimento definidas, em áreas como a regeneração urbana e mobilidade. Os documentos previsionais reflectem uma redução global de cerca de 2 milhões e 800 mil euros e, ainda assim, mantém os dois grandes objectivos: a regeneração da frente ribeirinha, que integra acções, que estão previstas serem concretizadas durante o ano de 2013, assim como a requalificação de caminhos agrícolas, estando também previstas outras obras de menor dimensão.

Barreiro defende património de azulejos históricos O PATRIMÓNIO azulejar do Barreiro Antigo é hoje motivo de discussão na galaria municipal, entre diversos especialistas. A iniciativa conta com a presença da directora do Museu Nacional do Azulejo, Maria Antónia Pinto de Matos, Leonor Sá, coordenadora do Projecto S.O.S Azulejo, Isabel Pires, da Rede Temática de Azulejaria João Miguel dos Santos Simões, e o artista plástico Rui Madeira. Recorde-se que o concelho do Barreiro possui um património

azulejar diversificado e abundante, o qual vai ser objecto de identificação, inventariação, restauro, conservação, estudo e divulgação. A área urbana do Barreiro Antigo apresenta um conjunto edificado com uma grande variedade e complexidade azulejar, rico a nível artístico e histórico. Consciente desta situação, a Câmara está a promover um plano de acção, com o objectivo de apelar e sensibilizar a população para a importância deste património artístico e histórico.

Debate sobre Álvaro Cunhal REALIZA-SE este sábado, às 15 horas, o debate “Álvaro Cunhal, a Organização e a Luta dos Trabalhadores”. É uma iniciativa no âmbito das comemorações do Centenário do nascimento deste político e tem lugar na biblioteca de Santiago do Cacém, com a participação de Domingos Abrantes.

Março Jovem no Seixal APROXIMA-SE mais uma edição do Março Jovem. A iniciativa, que celebra 20 anos de é apresentada hoje. Durante todo o mês de Março, decorrem pelo concelho iniciativas como exposições, música de vários estilos, actividades de âmbito ambiental, surf, workshop, dança, cinema, pintura ou teatro.

Músicas em Sines ESTÃO CONFIRMADOS os primeiros três nomes para a edição 2013 do Festival Musicas do Mundo de Sines. As primeiras três confirmações oficiais chegam do Mali: Amadou & Mariam, Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba e Rokia Traoré. O festival acontece entre os dias 18 e 27 de Julho e celebra a sua 15.ª edição.

DR

Mais de 118 mil euros garantem às Juntas um trabalho de conservação

Jovens acompanham dia a dia dos autarcas de Sesimbra

DR

DR

INICIATIVAS

Música étnica atrai milhares


Luís Rodrigues desafiado

Rodrigues pondera defender PSD em Setúbal O EX-DEPUTADO e ex-líder distrital do PSD, Luís Rodrigues, confirmou ao Semmais estar a ponderar o convite «das bases» que o PSD lhe fez para candidatar-se à Câmara de Setúbal. «Estou a ponderar e coloquei como condição que todo o partido diga o que quer e não afastar ninguém», afirmou. Rodrigues diz não ser ainda «candidato oficial» e, se o for, admite coligações com o PP e com outras frentes partidárias e independentes. Pub.

2013 e 2014 dramáticos no parque d Autoeuropa A CONJUNTURA económica poderá ditar o despedimento de pelo menos 500 pessoas este ano entre as empresas do parque industrial da Autoeuropa e o cenário não é muito animador para 2014, pelo menos enquanto a produção de um novo modelo na unidade fabril da VW de Palmela para 2015 não for formalmente anunciada. Daniel Bernardino, da Comissão Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Autoeuropa, diz que o «ambiente é de incerteza entre os trabalhadores», muitos deles já alarmados com os ajustamentos que as empresas se preparam para fazer face ao previsível abaixamento da produção na Autoeuropa para os 425 veículos por dia. Em declarações ao Semmais, Daniel Bernardino lembra que desde o começo do ano cerca de 100 pessoas já foram despedidas, um flagelo que assola diversas empresas do parque como a Faurecia, responsável directa pelo despedimento de 69 colaboradores, Wheels e outras como a SAS, a Inapal Plásticos, a Vanpro, a Pain-

Caldeirinha assume APSS na nova administração

Só um novo modelo pode estancar problemas maiores no parque de Palmela

tYes, entre outras. Também a Schnellecke se prepara para despedir 50 colaboradores em Maio, depois de a Autoeuropa ter decidido chamar até si a responsabilidade pelo serviço de selecção de peças automóveis prestado pela empresa de componentes. «A própria Autoeuropa está a adaptarse à conjuntura e tem de encontrar soluções para os cerca de 600 trabalhadores excedentários», afirma. Formação profissional é o caminho Daniel Bernardino recorda que as várias comissões de trabalhadores têm lutado para evitar que o número de despedimentos aumente, mas afirma que o Governo poderia disponibilizar-se mais para ajudar, «não

voltando as costas como até agora». «Até agora o Ministério do Emprego não deu qualquer resposta no sentido de intervir junto das várias empresas de modo a colocar as pessoas em formação profissional e a aumentar as suas competências técnicas e académicas», diz. «As pessoas estão, cada vez mais, a desacreditar no futuro e isto pode vir a comprometer a produtividade e a qualidade dos produtos que aqui são fabricados», alerta. Daniel Bernardino garante que a comissão continua disposta a «contribuir com soluções, dispondo-se a reunir com as direcções das empresas, seja da própria Volkswagen Autoeuropa, seja do parque industrial e do Governo». Bruno Cardoso

VÍTOR CALDEIRINHA, que nos últimos anos desmpenhou funções na direcção de estratégia do Porto de Setúbal e Sesimbra (APSS) assumiu, esta sexta-feira, o cargo de presidente da administração, substituindo Carlos Lopes na liderança daquela plataforma portuária. Seixas da Fonseca, oriundo do IPTM, será o novo vogal. A decisão surgiu por ‘deliberação unânime por escrito’, através das secretarias de Estado do Tesouro e das Obras Públicas,. Transportes e Comunicações, e apanhou meio mundo desprevenido. Setúbal perde assim um vogal e, em breve, deverá ter administração conjunta com o Porto de Lisboa, para onde foram indigitados Marina Ferreira, ex-autarca do PSD em Lisboa, Andreia Ventura, que se mantém, e Nuno Sanches Osório, ex-gestor da ETE Logística.

DR

DR

Sábado // 23 . Fev . 2013 // www.semmaisjornal.com

Coordenadora das CT diz que podem estar em causa 500 empregos

DR

ÚLTIMA

Vítor Caldeirinha novo líder da APSS

Semmais_23_Fev  

Edição 23 de Fevereiro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you