Issuu on Google+

O SUL Jornal de debate e cultura

+Negócios Montijo retoma Feira do Porco

Caderno 8 Sábado | 22.Setembro. 2012

Director: Raul Tavares

+Desporto Barreirense abandona basquetebol

14

Anti-Stress “Peça para Dois” em Alcochete

15

semanário - edição n.º 731 • 5.ª série - 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Governo promete empurrar fileira do pinhão de Alcácer ABERTURA Numa altura em que a fileira do pinhão está a crescer de forma muito consistente, nomeadamente no concelho de Alcácer do Sal, que é o maior pro-

dutor do sector em todo o país, a tutela promete novos sistemas de incentivo para rentabilizar a actividade dos produtores. Só no nosso Litoral Alen-

Socialistas do Montijo puxam orelhas ao PSD local +POLITICA Depois das acusações de despesismo por parte da concelhia do PSD em relação à gestão do PS na autarquia montijense, surgem ago-

ra os socialistas a afirmar que os social-democratas «são um deserto de ideias» e estão de má-fé. E lembram a obra de Amélia Antunes. PÁG.10

tejano existem cerca de 36 mil hectares, sendo que 22 mil estão localizados em Alcácer do Sal, o grande pulmão do sector. Segundo dados a que o Sem-

mais teve acesso, durante um seminário, o porto de Setúbal exportou 25 mil toneladas de pinha só no ano PÁG.2 passado.

Semana alucinante de crimes violentos na região ACTUAL A região foi confrontada nos três primeiros dias desta semana com crimes de grande violência, em Setúbal, na Charneca e na Costa da Ca-

parica. O mais robusto chocou a opinião pública, envolvendo dois casais num tiroteio que fez duas mortes e um PÁG.4 ferido grave..

Faleceu a fundadora da ‘Casa Ermelinda Freitas’ PÁG.5

Finalmente o Fórum Luísa Todi

Europeu de patinagem de Grândola já deu bronze a Portugal pág. 14

Foto: Câmara Municipal de Setúbal

IPS une-se à Aicep em nome da região

Depois de polémicas e expectativas sobe o pano Pub.

+NEGÓCIOS Trata-se de uma aliança

pág. 7

estratégica com vista à partilha de conhecimentos entre as duas entidades. Mas o protocolo pode resultar em acções mais concretas. Os responsáveis do Instituto Politécnico de Setúbal querem mesmo trazer novos investimentos para a PÁG.8 região.


2

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

Abertura Alcácer do Sal tem 22 mil dos 36 mil hectares de pinheiro manso no Alentejo Litoral

Tutela promete sistema de incentivos para dar empurrão à fileira da pinha e pinhão Vice-presidente do ICNF reconhece que legislação actual é insuficiente. Promessas deixam União da Floresta Mediterrânica esperançada, numa altura em que esta desenvolve esforços para gerar riqueza e combater a desertificação.

O

Governo quer criar um sistema de incentivos que encurte o processo de circulação económica da pinha e do pinhão, de modo a ver aumentado o valor acresPub.

centado da fileira, bem como as suas exportações. A revelação foi feita em Alcácer do Sal por João Soveral, vice-presidente do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que concordou com os produtores relativamente

às insuficiências da legislação que regula a fileira, «criada há muito tempo». Durante a apresentação do “Programa de Valorização da Fileira da Pinha/ Pinhão”, da União da Floresta Mediterrânica (UNAC), João Soveral

deixou ainda no ar a possibilidade de monitorização sanitária da fileira e a introdução de alterações ao actual período de interdição (de 1 a de Abril a 15 de Dezembro), que impede a colheita, o transporte e o armazenamento da matéria-prima. Com as alterações que se pretendem introduzir, a colheita continua a estar interditada, mas o mesmo não acontece com a comercialização. A tutela prevê ainda a criação de um sistema de rastreabilidade, «sem excessivos custos financeiros ou burocráticos junto dos produtores».

o dinamismo do sector e garantiu que este «tem imensas condições para crescer». Na mesma ocasião, António Costa da Silva, vogal executivo da comissão directiva do Inalentejo, acrescentou que é fulcral os produtores de pinha e pinhão «associarem-se, de modo a ganhar escala junto de

mercados que tradicionalmente muito agressivos». Com um investimento a rondar os 114 mil euros e comparticipado em quase 80 mil por fundos comunitários, o programa de valorização da fileira da UNAC visa ainda criar emprego em zonas rurais, conservar as espécies e contribuir para combater a desertificação dos territórios, criando infraestruturas e condições que melhorem a competitividade da pinha e do pinhão.

25 mil toneladas de pinha exportadas por Setúbal

Sector dinâmico que não pára de crescer O presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Pedro Paredes, ficou satisfeito com as promessas e afirmou que, na actual conjuntura, «só existem dois tipos de empresários, nomeadamente os maus, que dizem mal de tudo e todos, e os bons, que tentam contribuir para salvar a economia». Alcácer do Sal é, actualmente, o player mais importante ao nível do pinheiro manso em todo o Alentejo Litoral. Dos cerca de 36 mil hectares de pinheiro manso da região, aproximadamente 22 mil estão em território alcacerense. Por seu lado, António Gonçalves Ferreira, presidente da UNAC, lembrou

Fotos: DR

::::::::::: Bruno Cardoso ::::::::::::

João Soveral, António Gonçalves Ferreira e Pedro Paredes

De acordo com os dados divulgados pela UNAC, só em 2011 foram exportadas 25 mil toneladas de pinhas através do porto de Setúbal. A maior parte do pinhão por aqui produzido teve como destino a Espanha e a Itália. Para o futuro fica o desejo de constituição da primeira Denominação

de Origem Protegida para o pinhão do Alentejo. Este é, aliás, um dos objectivos da UNAC, entidade que reúne sete associações de produtores florestais, de entre as quais a ANSUB (Associação de Produtores Florestais do Vale do Sado) e a AFLOPS (Associação de Produtores Florestais).


Sábado | 22.Set.2012

Editorial

// Raul Tavares

A crise política Ninguém consegue esconder que estamos a viver uma crise política provocada com a última investida de austeridade sobre a grande maioria dos portugueses. Sempre disse que, de forma anacrónica, o elo mais fraco do Executivo - o CDS-PP - poderia ser uma espécie de fiel da balança, tendo em conta o seu histórico recente de maior sensibilidade social, o que não abona muito a favor de um PSD que deveria honrar a memória de alguns dos seus líderes fundadores, nomeadamente Sá Carneiro. Mas este PSD é muito pouco social-democrata, como provam as suas políticas e o seu desregrado neo-liberalismo, sustentado nas teses americanas e europeias liberais que nos conduziram ao descalabro em nome de mercados especulativos. Apesar de tudo, a posição do PP também é pouco compreensível. Participou na discussão e terá dado o seu assentimento. Mas não teve força suficiente para bloquear a TSU e não quis abrir uma crise política. Estou de acordo. A actual situação do país não se compadece com eleições antecipadas, e a força da rua, das manifestações não partidárias que se viveram no último sábado, poderão ter sido a grande mola para evitar a paz podre do actual Governo. E serviu também para clarificar posições no seio do Governo. E fazer com que o PS se revelasse, preparando-se, aos olhos dos portugueses, como eventual alternativa. Mas nada pode ficar como dantes. Será Passos Coelho capaz de entender a exacta medida das suas últimas decisões e recuar?E Cavaco será capaz de ser consequente com as suas posições? A verdade é que se o Governo continuar a fazer orelhas moucas aos sinais que despontam de todos os lados, pode mesmo morrer na praia e isso não será bom para nenhum dos protagonistas e muito menos para os portugueses.

ficha técnica

Espaço Público

www.semmaisjornal.com

Nem a propósito

M

ais uma grande Festa do Avante! a fazer em 2013 e este título afigura-se-nos de novo apropriado para o relato da conhecida história das operárias de uma pequena empresa da região cujo patrão se notabilizou, antes do 25 de Abril (como depois, enquanto pôde), por uma brutal repressão. Dado que o homem caminhava apoiado sobre muletas, o que implicava fazer o percurso desde a entrada dos portões sobre a estrada até à porta do edifício propriamente dito, de rés de chão, num tempo mais dilatado, congeminou a solução para poder apanhar de surpresa as operárias, no pressuposto, o seu, de que na sua ausência estas, falando de mais e trabalhando pouco, não justificavam o salário que recebiam. E assim mandou pintar todos os vidros das janelas de branco, o que permitia que no interior houvesse luz minimamente indispensável para que as mulheres laborassem, mas não a transparência que lhes facultasse o controlo da chegada e aproximação do capitalista e, consequentemente, o precipitado fingimento da sua aplicada e ininterrupta dedicação à produção da qual, em abono da verdade, se (lhes) extorquia a mais-valia. Continua a não interessar saber se alguém ou quem foi assaltado por imagens emergentes das suas deambulações, como por exemplo o efeito na escuridão da Catedral de Castelló de Ampurias da projecção de um branco sujo homogéneo graças à invulgar laminação ao milímetro de chapas de pedra que, recortadas bem alto nos vitrais da cúpula do altar-mor, também secundaram, na sua representação cultural secular, uma outra forma de opressão. Ou, num caldo de cultura mais próximo e contemporâneo, pelo rememorar da abertura do “Ensaio sobre a Cegueira”, onde a primeira vítima do “surto epidémico” se sentiu abruptamente

Valdemar Santos*

3

Maletas Pedagógicas

N

“como se tivesse caído num mar de leite” - “mal branco” na linguagem do governo que, “consciente das suas responsabilidades” e “acima de quaisquer outras considerações”, encarcerou as “pessoas afectadas” e “as que com elas tiveram algum tipo de contacto”, num “acto de solidariedade para com o resto da comunidade nacional” (páginas 10 e 158 da edição de 2003 da Editorial Caminho). É que noutra onda estava um outro militante da Quinta da Atalaia numa dessas jornadas de trabalho de há mais ou menos uma década, que na acalorada ou se se preferir temperada conversa atalhou a direito: “E ainda nos admiramos das novas tecnologias!…”, justamente acerca dos sofisticados meios de controle em cadeia de cada gesto das operárias e dos operários, dos trabalhadores das modernas unidades fabris (ou outras) sob o signo do alto nível de produtividade e competitividade, esses conceitos que o PCP, de novo a preparar Congresso, não deixa de caracterizar (no quadro de uma apreciação sempre a desenvolver e independentemente do grau de objectividade que comportam) como sujeitos a “uma enorme mistificação ideológica”. No romance em questão, páginas finais, cada cego que recupera a visão “vê mesmo bem, como via antes, não há vestígio de branco”. Na fabriqueta das janelas brancas, é possível imaginar que por cada passo suspenso do patrão (a sussurrar ao guarda-costas, caso o tivesse: “chiu!”) um traço fino foi sulcando em zig-zag a tinta pincelada. No imenso colectivo dos que lutam - tudo isto afinal a propósito - há sempre um instrumento que serra as grossas grades das masmorras.

o desenvolvimento do seu programa de atividades para o ano letivo 2012 / 2013 a ENA criou um novo recurso de apoio aos professores e educadores, de seu nome Maletas Pedagógicas para a Sustentabilidade.

* Militante PCP

3 Maleta da Batalha da Energia

Esta iniciativa tem dois grandes objetivos: 1 Auxiliar os professores do 1.º ciclo do Ensino Básico e os educadores do pré-escolar na introdução de conceitos relacionados com a energia, os recursos naturais e o ambiente, na sua prática letiva diária. 2 Promover a adoção de hábitos mais sustentáveis de utilização dos recursos naturais e gestão de resíduos, na escola e em casa, através do envolvimento prático e ativo das crianças e jovens, bem como das respectivas famílias. Estão disponíveis três maletas, cada uma com tema e públicoalvo específico: 1 Maleta “Separar para reciclar” (pré-escolar e 1.º ciclo do EB) O que acontece aos resíduos depois de os entregarmos para reciclagem? Conheça o ciclo de vida dos materiais, com recurso vídeos e a amostras dos produtos intermédios da transformação dos materiais recicláveis e de objetos do quotidiano que incorporam materiais reciclados. 2 Maleta da Iluminação (préescolar e 1.º ciclo do EB) Uma introdução ao mundo da energia, da iluminação e da eficiência energética em linguagem muito simples.

Esta iniciativa da ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida conta com o apoio da AFCAL, Ecopilhas, Embar, Ilumina, Plastval, Recipac, Renova, Sociedade Ponto Verde, e Tetra Pak.

(1.º e 2.º ciclos do EB) Aumentar a eficiência energética de nossa casa através de um jogo de computador, explorando o significado da etiqueta energética e do guia EcoSave para a boa utilização dos eletrodomésticos. As maletas contêm um manual de utilização, uma introdução ao tema da maleta em forma de apresentação PowerPoint, jogos lúdicopedagógicos, entre outros materiais. Para saber mais sobre o conteúdo das maletas visite www. ena.com.pt, seguindo sucessivamente os links: “ENA vai à escola” e “Maletas pedagógicas”. As maletas estarão disponíveis para empréstimo aos docentes e educadores interessados a partir de 15 de Setembro, através da ENA ou das Câmaras Municipais de Sesimbra, Setúbal e Palmela mediante preenchimento de uma ficha. Esta iniciativa da ENA conta com o apoio das seguintes entidades: AFCAL, Ecopilhas, Embar, Ilumina, Plastval, Recipac, Renova, Sociedade Ponto Verde e Tetra Pak. Junte a sua à nossa energia em www.ena.com.pt

Director: Raul Tavares; Editor-Chefe: Joaquim Guerra; Redacção: Anabela Ventura, Bruno Cardoso, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Dinis Carrilho. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 265 538 819 (geral); Fax.: 265 538 819. Email: redaccao.semmais@mediasado.pt; publicidade.semmais@mediasado.pt. Administração e Comercial: Tel.: 265 538 810; Fax.: 265 538 813. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98

Pub.


4

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

Actual

Tiros entre casais matam dois homens e ferem mulher numa semana alucinante

S

ão mais três casos de violência extrema entre casais na região. Uma mulher matou o marido, em plena rua, mesmo à porta da Conservatória de Almada onde se iam divorciar no dia 14. Quase em simultâneo, na Costa de Caparica, um outro homem morria com um tiro na cabeça enquanto perseguia a ex-mulher. Três dias depois, um morador da Aldeia da Piedade (Sesimbra)foi ter com a ex-companheira ao seu emprego, em Vila Nogueira de Azeitão, e desferiu-lhe um tiro de caçadeira no abdómen. Está livre de perigo e a recuperar. Mas houve mais crimes violentos a semana foi marcada por mais episódios de violência. Leia Oliveira, uma imigrante brasileira, 33 anos, chocou Almada quando no dia 14 utilizou uma caçadeira Pub.

para matar Leomagno França, 22 anos, com um tiro no peito. O ex-companheiro recusou-se a dar-lhe o divórcio e a vingança foi servida à porta da Conservatória do Registo Civil, onde começaram por discutir. A mulher ficou em prisão preventiva, tendo admitido que comprara a arma na véspera do crime, depois de ter vendido a aliança de casamento, porque tinha medo que o ex-companheiro lhe batesse. Entrou com a caçadeira de canos serrados na conservatória e foi detido em flagrante pela PSP. Ainda com contornos dúbios está o episódio que decorreu quase em paralelo na Costa de Caparica, na Torre das Argolas, quando um homem corria atrás da ex-mulher, que entrou para um prédio de arma em punho e se ouviu um tiro. Porém,

quando os vizinhos abriram as portas de casa era o homem que estava morto no chão, com um tiro na cabeça. A PJ de Setúbal está a investigar. Já na manhã de segundafeira Sandra Silva, 36 anos, seria atingida pelo ex-marido que foi ter com ela ao local de trabalho, num condomínio em Vila Nogueira de Azeitão, sendo que na origem da tentativa de homicídio, como designou a GNR, terão estado razões passionais. Quem conhece o antigo casal garantia que o homem, de 50 anos, andava «triste e estranho» e que já teria havido mais cenas de violência. Eram cerca das 09.30 horas, quando Sandra Silva começava da pior maneira mais uma semana de trabalho, no condomínio da rua Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense, um bairro de moradias de Azeitão. Seria

Outros crimes na semana »» Segunda-feira - Jovem de 17 anos rouba por esticão um fio de ouro a uma sexagenária, magoando-a , na Rua António Forjaz, em Setúbal, mas seria detido pela polícia.

DR

:::::::::::: Roberto Dores ::::::::::::

Entrada para as garagens do condomínio onde é dado o tiro

surpreendida pelo ex-companheiro, que lhe apontou a arma e disparou, sem que tenha havido possibilidade de diálogo entre ambos. A mulher tinha ido viver recentemente para Almada, com a filha de oito anos, enquanto o homem continuava a residir

na estrada do Parral, na Aldeia da Piedade. Foi aqui que se refugiou logo após o disparo, vindo a telefonar para o posto da GNR de Azeitão para se entregar aos militares que o foram deter, apreendendo também a arma.

»»Terça-feira - Um homem assaltado, amarrado e agredido com uma paulada na cabeça, dentro da própria casa, por um trio de encapuzados, na Charneca de Caparica. »»Quarta-feira - Um bar na praia do Castelo, na Costa de Caparica, ardeu de madrugada. A PJ de Setúbal recolheu, podendo estar em causa um cenário de fogo posto no bar.


Sábado | 22.Set.2012

5

www.semmaisjornal.com

A fundadora da Casa Ermelinda Freitas havia passado o testemunho à filha Leonor que fez crescer a marca

Ermelinda Freitas morre aos 81 anos

Pub.

Ermelinda viveu a revolução dos negócios operada nos últimos anos

que deu emprego a muita gente», explicou. Ermelinda Freitas, que assumiu a direcção da sua empresa após a morte do marido, foi fundamental, juntamente com a filha Leonor, na mudança de qualidade dos vinhos produzidos na região da Península de Setúbal. Uma dinastia de mulheres Ermelinda Freitas deu sempre especial atenção ao vinho e a qualidade deposita nos seus produtos tem-lhe valido ao longo dos anos importantes prémios em concursos nacionais e internacionais. A Casa Ermelinda Freitas foi fundada em 1920, com Deonilde Freitas no leme, tendo sido continuada por Germana Freitas e, mais

DR

A PRODUTORA de vinhos de Fernando Pó, Ermelinda Freitas, faleceu na segunda-feira, em sua casa, aos 81 anos de idade. A região perdeu um dos nomes mais marcantes da história do vinho em Portugal e na Península de Setúbal. O corpo esteve em câmara ardente na capela do Poceirão e o funeral realizou-se na terça-feira, pelas 17 horas, para o jazigo da família, localizado no cemitério daquela localidade. José Carlos Caleiro, líder da Adega Cooperativa de Palmela, considera que Ermelinda Freitas foi um «marco importantíssimo na divulgação e crescimento da sua casa». A seu ver, tratou-se de alguém que «dinamizou a região onde se inseria e

Perda irreparável para os produtores A Câmara de Setúbal, na sessão pública de quarta-feira apresentou um voto de pesar pelo desaparecimento de Ermelinda Freitas, “grande impulsionadora de uma das principais empresas vitivinícolas da região”. O êxito na promoção dos vinhos da Península de

Setúbal é salientado no texto, que enaltece o dinamismo de Ermelinda Freitas. “Com a filha Leonor, soube transformar uma empresa desconhecida numa empresa de excepção com uma notoriedade que vai muito para lá das fronteiras nacionais”.

tarde, por Ermelinda Freitas, após o desaparecimento precoce do marido Manuel Freitas. A firma começou por comercializar vinhos a granel, sem marca própria e, nos dias de hoje, gaba-se de ser uma das empresas de vinho mais afamadas da região. O Terras do Pó tinto foi o primeiro vinho produzido e engarrafado pela Casa Ermelinda Freitas, em 1997. Ermelinda Freitas, com a preciosa colaboração da filha Leonor Freitas, deu continuidade ao negócio, tendo esta reforçado a liderança feminina na

empresa, embora a sua área de formação nada tenha a ver com o sector dos vinhos. Foi com a gestão da filha Leonor Freitas que se deu a grande mudança de se criar marcas próprias. Desde então a Casa Ermelinda Freitas tem ganho vários prémios nos concursos mais prestigiados pelo mundo com marcas como Terras do Pó, Dona Ermelinda e Quinta da Mimosa, bem como o conceituado prémio de melhor tinto do mundo no concurso Vinailes Internacionales com o Syrah 2005. O Semmais apresenta à família enlutada de Ermelinda Freitas as mais sentidas condolências pela perda de tão importante vulto ligado ao sector vitivinícola, em especial a Leonor Freitas.


6

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

Programa municipal prevê criação de mais 84 quilómetros de circuitos pedonais e cicláveis em todo o concelho. Autarquia quer fomentar mobilidade sustentável e lidar com a crise e os problemas ambientais. A CÂMARA Municipal da Moita vai criar uma rede de percursos pedonais e

cicláveis um pouco por todo o município. No total serão 100 quilómetros de rede, um número bem longe dos actuais 16 quilómetros e que demonstra bem a aposta do executivo liderado por João Lobo na mobilidade sustentável no concelho. Em declarações ao Semmais, o autarca reafirma a importância do Programa Municipal de Percursos Pedonais e Cicláveis (PMPPC) e não esquece a cada vez maior utilização pela população dos percursos actualmente existentes. «Trata-se de um programa estratégico, que funcionará como alternativa aos automóveis, importante numa altura em que o serviço público diminui de dia para dia e tendo em conta os graves constrangimentos económicos que o país atra-

vessa», assevera. A ligação pedonal e ciclável entre o Rosário e Sarilhos Pequenos deverá avançar em primeiro lugar e será a primeira de muitas a criar no futuro. O programa, que se espera vir a contar com o apoio dos fundos comunitários, não tem data para estar concluído, pelo que vai sair do papel consoante as disponibilidades financeiras municipais. Na prática, o PMPPC da Moita visa criar uma rede de percursos em todas as freguesias do concelho, com ligação aos municípios limítrofes, bem como a interligação com a rede de transportes públicos, de modo a que a bicicleta funcione como alternativa de transporte nas curtas e médias distâncias e não apenas como lazer. A rede de percursos prevê ainda

DR

Moita cria mega programa para promver uso intensivo da bicicleta

ligações aos principais equipamentos desportivos, culturais e de lazer da Moita, ligando a rede escolar municipal, o património e os valores ecológicos do território. Protocolo em nome do uso da bicicleta

Para incentivar o uso da bicicleta, o município celebrou recentemente um protocolo de colaboração com a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta. O documento pretende estabelecer parcerias, estimulando e desenvolvendo

projectos e acções comuns que visem o bem-estar dos munícipes, através do incentivo e melhoria das condições para a utilização das bicicletas e dos circuitos pedonais e cicláveis. «Dadas as características naturais do concelho, estão reunidas as condições para promover as deslocações a pé e a bicicleta, quer numa vertente de recreio e lazer, quer nas deslocações quotidianas», lê-se no documento. O PMPCC prevê a instalação de parques para bicicletas, de guias em escadarias públicas e a criação de um sistema de bicicletas municipais de uso partilhado, numa fase mais posterior do projecto. Uma equipa interdepartamental na câmara da Moita já foi criada para implementar o programa. Bruno Cardoso

Pub.

Festas com balanço positivo AS FESTAS em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, na Moita, terminaram este ano com mais um balanço positivo. O presidente da câmara municipal, João Lobo, destaca o elevado número de visitantes nos dez dias de festa, apesar da crise que afecta o país e os bolsos das pessoas. Talvez por esse motivo, o autarca admitiu que a edilidade «não está a pensar reduzir o número de dias» do certame, até porque a medida, a ser tomada eventualmente,

traria consequências negativas para o comércio local, que sobrevive com dificuldades durante o resto do ano. Os pontos mais altos foram a maior feira taurina do país, a Corrida do Dia do Município e as tradicionais largadas de toiros. No campo musical, as actuações de Boss AC, Quim Barreiros e Amor Electro puxaram pelas festas, enquanto no Tejo a regata em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem e o concurso de barcos engalanados foram

os destaques. A tradicional tarde do Fogareiro também reuniu milhares, num enorme espaço de convívio que não fugiu ao tradicional: mesas montadas, fogareiros acesos, amigos e muita animação. No primeiro domingo de festa, o destaque recaiu sobre a procissão em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem pelas ruas da vila. A tradicional Feira Comercial de Industrial teve uma vez mais lugar no Pavilhão Municipal de Exposições.

Ermelinda Freitas Faleceu a 17/09/2012

AGRADECIMENTO E PARTICIPAÇÃO A família de Dona Ermelinda Freitas vem agradecer, penhoradamente, a todos os que se dignaram manifestar o pesar pelo falecimento do seu ente querido e participa que será rezada na próxima segunda-feira, 24 de Setembro, pelas 18 horas, na Igreja de Águas de Moura/Marateca, a Missa do Sétimo Dia.


09 . 12

NR 26

ano: 2012 . nr 26 . mês: Setembro . director: António Serzedelo . preço: 0,01 €

Mandar o agressor para onde deve ir “Todos temos de fazer sacrifícios”, o slogan dos políticos que nos colocaram neste estado de coisas, repetido até à náusea pelos seus avençados na comunicação social, fez escola; a par de um outro que acusa quem duvida desta narrativa “de empurrar a dívida com a barriga”. Dívida, dívida… não se tem ouvido e lido outra coisa, de “Dívida Pública”, de “nós”. Todos aqueles que se atreveram “Dívida? Muito bem, façamos uma Auditoria para se saber pormenores dessa dívida, saber quem deve o quê…” foram absolutamente cilindrados, desapareceram da comunicação social. Só os Dupont & Dupont têm lugar para falar de “alternativas”. E descaradamente, sem puder, viram-se para as suas câmaras privadas e perguntam: “Alternativas, onde estão?” Tudo para nos convencerem da nossa “culpa”. E convenceram, muitos reproduziram-lhe o discurso, com a mesma convicção daquela mulher que apanha constantemente pancada do cobarde do marido e se convenceu de que as nódoas negras são culpa sua. E temos vindo a pagar, sem sequer exigir que se coloque a nu quem contraiu a dívida, porquê… e quem lucrou no entretanto. E entregámos o dinheiro de um empréstimo inteiro aos bancos, aos mesmos que andaram a “brincar” nos casinos financeiros internacionais, a distribuir dividendos pelos seus accionistas e a pagar principescamente aos seus gestores. Como se fosse normal. A proposta de aumento de 7 pontos percentuais da Taxa Social Única, TSU, para os trabal-

hadores por conta de outrem e a descida de 5,75 por cento da contribuição das empresas não representa somente um cálculo de contas mal feito – também é, conforme o estudo tornado público por investigadores das Universidades do Minho e Coimbra -, não é um acidente de percurso motivado pelo voluntarismo, ou erro de cálculo de quem só está habituado a fazer contas de somar, é a demonstração mais evidente da forma peculiar como os poderosos do dinheiro e os seus peões no xadrez da sociedade olham para quem não teve a oportunidade de crescer à sombra de uma juventude partidária e do emprego proporcionado por cúmplices políticos. Aos outros resta darem sinais de vida, como no passado dia 15 de Setembro. Relembrando a mulher espancada, mandar o agressor para onde deve ir: à merda! José Tavares da Silva Deputado da Assembleia Municipal de Setúbal, eleito pela lista do Bloco de Esquerda

Ilustração Dinis Carrilho

http://jornalosul.hostzi.com


PUBLICIDADE

Passos perdido(s) MARCELO REBELO DE SOUSA, DISSE  QUE O NOSSO PRIMEIRO "NÃO ESTÁ PREPARADO PARA O LUGAR".

celer Merkel, a fazer deste país um laboratório de experimentação de arriscadas teorias neo-liberais. Enquanto a Troika anunciava um alargamento dos prazos por mais um ano, dos valores incompridos do Pib, P.Coelho resolvia endurecer a austeridade, e conseguiu numa alocução de 10 minutos, mudar qualitativamente o ambiente politico todo. Disse-o na TV depois da inter Veja- se o dia 15 de Setembro. venção desastrosa do dia 7, quanOs portugueses saíram à rua em do Passos Coelho anunciou novos massa, em 40 cidades do país, num impostos, TSU, e mais austeridade . total próximo de um milhão, a dizer Mal acabara surgiu uma consBasta! telação de críticas, dos mídia à net . Não querem mais Troika, que lhes Percebia -se que quando passassem trocou as vidas. do virtual para a rua, Não querem mais originaria inesperadas impostos que não po(...) dia 15 de rupturas sociais, UGT, dem pagar,onde não há e rupturas de consen- Setembro. equidade, critério,justiça sos partidárias, PS , Os portugueses social . Exigem outra face ao Memoradum. Sobretudo, colocando o ambiente saíram à rua em politica,e que as gorduse quiserem evitar que a situação politico à beira de uma massa, em 40 ras do Estado não sejam escorregue para uma próxima da explosão de cidadania . os trabalhadores,os recidades do país, Grega,com o centro a explodir, e os Manuela Ferreira formados ,os jovens, os num total próximo desempregados , a es- extremos a ganhar... Leite ,ex líder do PSD Com este primeiro ministro isso foi duríssima dizendo de um milhão, a cola publica, e a saúde a pode acontecer, sobretudo se não se que “a receita não está dizer Basta! pagar, em nome da crise vislumbra nenhuma alternativa à sia resultar, o País está a que não criaram. tuação em que vivemos, depois da De repente P. Coelho,é um homem ficar destroçado, com esta  falta de Troika que não tinha outra solução, só,isolado, a quem o líder do CDS e “bom senso”. ter até alargado prazos para ajudar. ministro de Estado, Paulo Portas ,deDepois, foi a vez de líderes do CDS, Continuamos num impasse que pois de longo silêncio muito significaaltos representantes da igreja católigera frustração,desmobilização, detivo , se atreveu a dar uma inteligenca, centrais sindicais,responsáveis do silusão e desespero. te e oportunista ensabuedela,numa patronato e dos partidos, da esquerda De facto, uma crise pose de homem de à direita, todos acompanhados de um de poder não é,talvez, Estado,que colocou a imenso clamor de protestos e de inAgora, é agora o que mais concoligação PSD-CDS sultos contra o 1º ministro, acusado na rua que os venha ao país . á beira de um ataque de ser insensível ao sofrimento dos Consciente disso o de nervos,ao prometer Portugueses portugueses, e incompetente. P.R resolveu consultar justamente, que não a começam a Formado e criado nas Jotas,com o Conselho de Estado poria em risco. um curso acabado tarde, fraca expeencontrar-se. Mantêm-se o GoAgora, sabemos riência de gestão, salvo em empresas verno? A sua quebra pode ser um todos e os partidos também, que se do seu mentor ideológico , um barão desastre,mas a sua manutenção acabaram os brandos costumes. Viudo PSD, Ângelo Correia, promovitambém o é. O governo é remose na noite de 15 de Setembro frente do por um desacreditado Relvas a delado? É melhor um mau orçaao Parlamento. quem tudo deve,não é de admirar que mento, ou não haver orçamento A demonstração, de que se perdeu o Povo- país e até o PSD comecem a nenhum? Como reagem os mero medo, e que há gente disposta à pôr em causa a escolha que fizeram cados? Caminha- se para novas violência. há ano e meio. eleições ,assunto demorado,caro,e Os partidos em geral , particularNunca se tinham ouvido criticas pode não ser conclusivo,ou vaimente o PS têm de pensar muito bem tão fortes a Passos e ao seu Ministro se para um Governo de Salvação nas posições que tomam,sobretudo Gaspar, ambos bons alunos da chan-

FOTO: JOSÉ CARRILHO | MANIFESTAÇÃO DE 15 DE SETEMBRO

2012

NR 26

SET

02 NA VIGIA

Nacional, sem Passos Coelho,com um primeiro ministro tecnocrata apoiado, pelo menos, pelo CDS, PSD e PS? Estamos face a uma conjuntura europeia que não é fácil, em aparente evolução positiva no tocante ao euro, mas o mercados contam a cima de tudo, para os juros que o país tem de pagar. O PR tem uma alta responsabilidade.Tem dito que os sacrifícios devem abranger os que tem escapado à austeridade.Pode mandar o novo orçamento para o Tribunal Constitucional se não for alterado .Pode e deve ver, se há respeito pela equidade,o que não parece líquido. Agora, é na rua que os Portugueses começam a encontrar-se. Devem organizarem se com palavras de ordem apropriadas, sem jogos partidários, solidários com os movimentos de Cidadania ,e os movimentos Alternativos,com os sindicatos, em nome da sobrevivência do País ,que querem ajudar a salvar, para alterar o rumo desta “barca do inferno” sem futuro,nem esperança. António Serzedelo Director do jornal O Sul


2012 SET

NR 26

NA VIGIA 03 Contra o ocidente marchar marchar Em cerca de 30 países do mundo árabe e islâmico, passando até pela Austrália,tem-se levantado uma enorme onda de fundamentalismo islâmico, motivado pela nebulosa Al Queda,dirigida contra o Ocidente. O pretexto foi um vídeo colocado no youtube , propositadamente em período eleitoral nos EUA, a 52 dias das eleições presidenciais, por fundamentalistas coptas,(idênticos aos salafitas islâmicos) e legendado, não por acaso, em árabe. Nele se insulta e troça do profeta Maomé,chamadol h e m u l h e r e n g o , e mentiroso,apresentado em imagem por um actor o que nunca

deve acontecer, segundo a tradição islâmica. No início parecia que os ataques eram só contra os EUA,mas quando se vê que as embaixadas da Alemanha, Inglaterra,e até Holanda são ameaçadas, percebe-se que a revolta é mais ampla.É manipulada por fundamentalistas,explorando ressentimentos anti americanos, grupos que foram esmagados pelos ditadores árabes que o Ocidente ajudou a depôr,e que agora  se aproveita das liberdades conquistadas, para atacar a cultura e a civilização democrática tal como a entendemos os Ocidentais. A primeira consequência foi

discurso onde anunciava uma na Líbia, onde se crê que um viragem no relacionamento dos grupo de ex apoiantes de GadaEUA com o mundo islâmico, e fi ,á mistura com salafitas,num lhes prometia apoio no muito ataque preparado em Benghasi difícil percurso da construção no dia 11 de Setembro, ás instada Democracia. lações diplomáticas Obama tem gedos EUA mataram o No início rido a crise com saembaixador, e outros bedoria, aí marcando funcionários do con- parecia que os pontos em política sulado, onde se en- ataques eram só externa, relativamencontravam. contra os EUA,(...) te ao seu contendeDepois foi o Cairo, percebe-se que dor republicano Mitt Tunis,Cartum,Líbano, a revolta é mais Romney. e por aí fora, em todo ampla. O Presidente por o lado com mortes e um lado, tem tentado nas suas feridos registados. intervenções não ofender de forÉ uma ironia que tudo isto ma nenhuma o Islão,ao mesmo rebente, com o Presidente Obatempo que não põe em causa os ma, o homem que pronunciou valores americanos. no Cairo, em 2009 ,um célebre

Por outro, mostrando firmeza na defesa das embaixadas americanas sediadas nestes países,despachando para lá marines,recordando aos Governos os seus deveres para com as embaixadas, e dizendo que os culpados serão apanhados e consequentemente julgados. Enfim a crise ajudou a apertar laços entre Europeus e Americanos, ao mesmo tempo que Obama tenta evitar, a todo o custo,que possa ser entendida como um “choque de civilizações” como interessa ao fundamentalistas de todas as religiões. António Serzedelo Director do jornal O Sul

Saúde Natural & Crianças não será esta a altura certa de Parar O nosso progresso depende de uma e Refletir sobre o futuro que estamos nova geração de crianças Saudáveis, a criar? Com uma população idosa a Ativas e Motivadas. | S. Loureiro tomar cerca de 10 medicamentos (no Vivemos atualmente numa somínimo!) por dia, é esta a perspetiva ciedade acostumada a que a saúde que queremos oferecer às gerações não está nas suas mãos mas é sim da vindouras? Qual a real Qualidade de responsabilidade de outrem, ou de alVida desta população sénior? gum agente externo; numa população Como foi possível perdermos a sujeita a uma excessiva medicalização noção de que o nosso corpo possui um em que ninguém pretende dar tempo poder natural de cura – a tão aclamada ao tempo para uma recuperação do Vis medicatrix naturae - após poucas equilíbrio funcional do organismo; décadas da implementação massiva da numa época em que perdemos o conindústria farmacêutica? Qual o papel tacto e a Consciência de nossa própria que jogámos neste jogo e como perdenatureza e do nosso ritmo biológico. A mos as Memórias não tao longínquas análise crítica em relação ao que nos é dos tratamentos naturais prescrito é praticamente tradicionalmente usanula, sendo que diversas (...) o nosso dos? E se o paradigma pessoas chegam a tomar começasse a mudarAqui o mesmo medicamen- corpo possui um & Agora, para uma soto simultaneamente, em poder natural de ciedade mais Responformatos diferentes, sem cura sável e Consciente de sequer o notar. A usual si própria tanto a nível físico, mental indignação do “fui ao médico e ele nem como emocional? E se o paradigma me receitou nada!”, comprova a noção mudasse de modo a que, em vez de de que a “saúde”parece medir-se pela se recorrer logo a medicamentos de quantidade de drogas medicamentosíntese mais agressivos para o orgasas que se tomam. nismo, explorássemos em primeiro O paradigma está tao vinculado lugar modos mais naturais de manter que certos pais sentem-se culpabilie recuperar o equilíbrio do nosso orzados ao procurarem alternativas à ganismo, recorrendo a remédios mais farmacoterapia sem se aperceberem invasivos apenas quando o organismo que diversos desses medicamentos já perdeu a sua capacidade natural possuem efeitos secundários que pode reação? dem colocar em risco o equilíbrio funEstamos em tempo de Mudar e cional do - ainda imaturo - organismo proporcionarmos aos mais pequenos da criança (veja-se a grande polémica um estilo de vida saudável, um modo à volta da Ritalina – droga medicamennatural de Ser e Estar, e procurar catosa psicoestimulante abusivamente minhos positivos salutares em Harreceitada por certos profissionais de monia connosco e o que nos rodeia. saúde a crianças catalogadas de hiDesse modo estaremos a contribuir perativas). Neste âmbito, a estimacertamente, mas muito certamente tiva do número de crianças sujeitas (!), para uma Nova Geração Saudável, a excessiva medicalização no outro Ativa e Motivada. lado do oceano (E.U.A). é assustador! Caminhemos Gentilmente neste Mas, ainda pior, na Europa parece que mundo que nos acolhe. estamos a importar este modelo americano. Tomando a premissa de que Sofia Loureiro o nosso Futuro é determinado pelo Terapeuta Natural modo como vivemos o nosso Presente,

CAPA DO LIVRO | GUIA DE REMÉDIOS NATURAIS PARA CRIANÇAS


Tarefas infinitas esses valores preciosos, mas o comisÉ uma exposição estonteante, sário da exposição quis fazer deste estas “Tarefas Infinitas” que estão acontecimento um grande ensaio e no Museu Gulbenkian até 21 de Oudaí esta reflexão sobre os limites que tubro. Os livros de artista dialogam transvasam a beleza e a criatividade com objetos, obras de arte, o visitante artística. entra e sai perplexo. Se vai à espera A organização das obras e livros de ser confrontado com as técnicas e de artista permitem estar com Amaestéticas das obras de arte, desiludadeo de Sousa-Cardozo, Vieira da Silse. Há para ali um conjunto de caixas va, Lurdes Castro, Filippo Marinetti, de ferro onde Rui Chafes guarda as Stéphane Mallarmé, Jean-Luc Gocinzas dos textos que escreve lado a dard, José Escada, Christian Boltanski, lado com um Apocalipse iluminado entre muitos outros. A documentação do século XIII, que mostra numa midistribuída faz fé de como a exposição niatura a fogueira onde padecerão os convoca interpelações inquietantes: condenados Juízo Final, o que pode de que modo a arte põe sugerir que há várias à prova o livro, e como leituras para o fogo e Haverá o livro põe à prova a as cinzas. Embrenhaarte? E quando o cose o visitante exposição momentos missário observa que adentro e as surpresas em que o estamos perante um repetem-se, há para ali confuso visitante ensaio, ele estabelece, filmes, fotografias, es- questionará se são culturas e instalações as ousadias da arte na perfeição, as regras de jogo que condicioa conversar com livros que põe à prova o nam a perplexidade e iluminados medievais e o deslumbramento do livros de artistas con- livro (...) ou se são visitante. Assim: temporâneos, que nem os livros que Somos prevenidos, lhe passa pela cabeça. estão no limiar da exposição, Haverá momentos em predestinados a que abrir um livro é corque o confuso visitante pôr à prova rer o risco de encontrar o questionará se são as a arte(...) infinito. O livro é infinito, ousadias da arte que o que temos nas mãos, põe à prova o livro depois de lido ou contemplado, procomo bem intemporal ou se são voca mudanças, um outro estado de os livros que estão predestinados a espírito, e então o livro descentra-se, pôr à prova a arte e os seus títulos espraia a liberdade. É o começo do absolutos. começo. É uma exposição ousada, porEntra-se no espaço do livro e cortanto, ao estabelecer pontes insusre-se inúmeros riscos, não podemos peitadas, ao provocar a concepção prever a explosão das palavras, ideias, tradicional que temos do livro. Ao que imaginação. Entrar e sair do livro pode parece, o Museu e a Biblioteca de Arte ser um abismo entre a ordem e o caos. da Fundação Gulbenkian queriam Na secção seguinte somos avisauma exposição sobre livros de artisdos que a escrita e a leitura têm isso tas existentes nos respetivos espólios de comum, são tarefas inacabáveis. (e que arte magnífica não há nesses E há um outro problema: os autolivros!), um esclarecimento sobre as res contaminam-se, as personagens, intenções dos artistas quando criam

CENT MILLE MILLIARDS DE POÈMES, DE RAYMOND QUENEAU, FOTO: CARLOS AZEVEDO

2012

NR 26

SET

04 À BOLINA

citações e ideias migram de uns livros para outros. O livro exige de nós tempo. Aqui começa uma história interminável. E depois partimos para um estranho labirinto onde tudo se dirige para um livro. É essa a ordem natural das coisas: o trabalho e o descanso, a dor e o prazer, a ficção e a realidade. O visitante pode estar confuso mas sente que já está em melhores condições para perceber com é vão o desejo enciclopédico da apreender todo o conhecimento do mundo. Noutra secção lança-se uma mensagem urgente, gritam-se avisos, do género: os livros são perigosos, são temíveis, acresce que o ser humano é um mapa aberto à viagem, traz aos ombros o monte de palavras, assistelhe a possibilidade de ler e reler, tem sempre pela frente a biblioteca interminável de Babel. Agora já se perceba que estas tarefas são infinitas não se

limitam ao tempo de vida de um indivíduo e são criação comunitária. Há exposições que não vêm sós, arrastam filmes, conferências, catálogos ou folhetos auxiliares para o visitante. Pede-se a atenção para as importantes conferências ao longo de Setembro e Outubro e até para as visitas orientadas. O catálogo está mesmo à altura do fulgor destas tarefas infinitas, atrevo-me a dizer que é um catálogo soberbo, irá ser disputado pelos bibliófilos. Porque um catálogo seve para conservar e rever tudo aquilo que já nos encheu as medidas e até os limites da compreensão: é verdade que o livro é uma casa estranha para onde somos convidados, lê-lo pode ter o mérito de abrir janelas, abrir portas, estabelecer espaços de fronteira. O livro pode ser um laboratório artístico, um acontecimento. Há momentos em que percebemos claramente que o

livro é transbordante. É o caso dos livros bordados de Lurdes Castro, onde o direito e o avesso, e o avesso do avesso, podem induzir um livro infinito, uma tarefa infinita, a existência de linhas que não se tocam ou que criam malhas. Tanta coisa para chegar a um livro! Como se escreve no catálogo: “Num livro podemos encontrar o comum e o extraordinário, o quotidiano mais simples e a experiência mais estranha, a banalidade e o espetacular. O livro transporta ambas com a mesma dignidade e destrona mesmo a pretensa superioridade daquilo que se considera habitualmente importante”. Mas atenção o livro é também uma fronteira instável entre a sabedoria e a loucura, por isso se vê na exposição uma pintura flamenga com uma paisagem à primeira vista bucólica onde Santo Antão, junto a uma floresta tem um livro aberto nas mãos, absorto, parece não dar conta de uma procissão grotesca e cómica, talvez as figuras da tentação. Afinal, ler é mais do que ler as palavras de um livro, adverte o comissário, ler é experimentar o mundo de outro modo e quem não sai consolado, apaziguado, esclarecido desta exposição, não se preocupe, uma exposição que é um ensaio é obra inacabada, abre terreno para a luz de um outro princípio, se a arte e o livro se ilimitam estamos comprovadamente sujeitos a tarefas infinitas. Recomenda-se que não se perca semelhante provocação, há que vencer todos os obstáculos que, qual arame farpado, tornam difícil o acesso às artes do livro. Não se esqueçam: na Gulbenkian, até 21 de Outubro. Beja Santos Docente Universitário

Apoios:

A VIAGEM Teatro Interactivo para toda a Família

23 e 30 de Setembro às 11 h Teatro Estúdio Fonte Nova Rua Doutor Sousa Gomes nº 11 Setúbal Preço único:

3,50 €

Propriedade e editor: Prima Folia • Cooperativa Cultural, CRL / Morada: Rua Fran Paxeco nº 178, 2900 Setúbal

/ Telefone: 963 683 791 • 969 791 335 / NIF: 508254418 / Director: António Serzedelo / Subdirector: José Luís Neto • Leonardo da Silva / Consultores Especiais: Fernando Dacosta •

Raul Tavares / Conselho Editorial: Catarina Marcelino • Carlos Tavares da Silva • Daniela Silva • Hugo Silva • José Manuel Palma • Maria Madalena Fialho • Paulo Cardoso / Director Artístico:

Dinis Carrilho / Consultor Artístico: Leonardo Silva / Morada da Redacção: Rua Fran Pacheco nº 176 1ª 2900-374 Setúbal / Email: Jornalosul@gmail.com / Registo ERC: 125830 / Deposito Legal:

305788/10 /Periocidade: Mensal / Tiragem: 45.000 exemplares / Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA - Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 Moralena 2715-029 - Pêro Pinheiro


Sábado | 22.Set.2012

7

www.semmaisjornal.com

Liga dos Amigos lembrou caminho difícil de anos que gerou «controvérsia e incompreensão»

Fórum Luísa Todi devolvido à população de Setúbal A CÂMARA Municipal de Setúbal devolveu à população da cidade o seu mais importante espaço de cultura, integralmente renovado e ampliado, o Fórum Luísa Todi. Durante a cerimónia de reabertura, que a edilidade fez coincidir com as comemorações do dia da cidade, a presidente da autarquia disse ter «cumprido» o seu dever, não conseguindo, na ocasião, conter aquela que diz ter sido uma «grande emoção». Maria das Dores Meira recordou que o percurso, iniciado em 2008, foi «longo e complexo», mas não esqueceu o apoio da liga dos Amigos do Fórum Luísa Todi e de vários artistas setubalenses, cujas receitas dos espectáculos reverteram inteiramente para as obras. Apesar de reconhecer que a morosidade da requalificação gerou demasiada expectativa na cidade, a autarca recordou que a opção passou sempre por requalificar o edifício antigo já existente, dado que o «Luísa Todi não podia perder as suas características mais puras, as

Fotos: Câmara Municipal de Setúbal

Presidente não escondeu emoção e lembrou caminho difícil e expectativas na cidade. Etapa final ascendeu a 4,2 milhões de euros com apoio comunitários.

linhas mais simples e harmoniosas que marcaram indelevelmente o traçado do grande passeio público da cidade». «Não escolhemos o caminho da demolição, porque o novo é sempre novo e nessa novidade se evaporariam memorias e passados preciosos», acrescentou. A presidente da Liga dos Amigos do Fórum Luísa Todi lembrou que esta tinha nascido para chamar a si a responsabilidade social pela reabilitação da infra-estrutura, que haveria de passar, em 2011, para as mãos da autarquia. «O trabalho da liga foi objecto de controvérsia e de incompreensão, mas, actualmente, o que há a destacar é que Setúbal está num grande momento de criatividade

cultural, especialmente depois do renascimento do Fórum Luísa Todi», afirmou Maria Helena Matos. Já o director do equipamento gabou o facto de a cidade abrir um novo espaço deste género, numa altura em que alguns municípios têm encerrado infra-estruturas dada a conjuntura económica actual. João Pereira Bastos elogiou também a «tenacidade» da Câmara Municipal de Setúbal e garantiu que a programação do equipamento não cairá, «com ou sem dinheiro». Autarquia tenta apoios para garantir programação Durante o discurso de reabertura, Maria da Dores

Moda ecológica da Amarsul é caso de sucesso nacional O PALÁCIO dos Duques de Aveiro, em Azeitão, foi o palco escolhido para a 3ª edição do Amarsul Eco Fashion 2012. Com uma forte adesão da população, o desfile cuja apresentação esteve a cargo da actriz setubalense Sara Prata, contou com criações de sete novas estilistas, totalmente concebidas a partir de materiais recicláveis, tais como jornais/revistas, sacos de plástico, embalagens, entre outros materiais. Além do desfile destaca-

se a exposição no interior do Palácio, que apresentou de forma original, manequins que encarnaram os modelos de uma colecção denominada “Falsos Valores”. Para a Amarsul, o sucesso da iniciativa provou «mais uma vez, a razão pela qual o desfile foi considerado o melhor evento especial realizado em 2011», pela Associação Portuguesa de Comunicação de Empresa. A Amarsul, que tem como missão adoptar soluções

DR

O evento ganhou prémio em 2011

adequadas de tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos produzidos na margem sul Tejo, contribuindo para desenvolvimento sustentável da região e do país e para a maximização do bem-estar humano, abrange os municípios de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, servindo cerca de 800.000 pessoas.

Meira disse que é «fundamental» existirem outros apoios, que não o da câmara, para colocar de pé uma programação exigente. Ainda assim, a edilidade está a preparar para Outubro um conjunto de iniciativas com várias colectividades que vai abrir as portas da sala a toda a população. A partir de Janeiro, as programações quadrimestrais começarão a ser anunciadas. A sala principal do Fórum Luísa Todi tem capacidade para 634 pessoas e conta com acessos a pessoas com mobilidade reduzida. A nova régie está acompanhada de quatro cabinas de tradução, enquanto o palco cresceu dez metros em profundidade. Um fosso

de orquestra, com capacidade para 55 músicas, foi igualmente criado. A zona de camarins e salas administrativas também foi recuperada, permitindo criar num novo andar, ocupado por uma sala polivalente para espectáculos de menor dimensão, com vista panorâmica para o Sado e a Arrábida. O projecto de remodelação de Fórum Luísa Todi ascendeu a 4,2 milhões de euros e teve uma comparticipação do Programa Operacional Regional de Lisboa em 65 por cento. A remodelação faz parte do programa de Regeneração Urbana do Centro Histórico de Setúbal (ReSet).

PS lembra alegadas irregularidades Na última reunião camarária, o vereador do PS, António Caracol, lamentou que o executivo tivesse inaugurado o Fórum Luísa Todi sem este estar terminado. O autarca lembrou que o ar condicionado não funcionou na cerimónia de reabertura e sublinhou o facto de os bastidores não estarem visitáveis. «O atraso na empreitada do fórum não se deveu à oposição, mas sim a este executivo pela forma como conduziu o processo, com ilegalidades desde o início», acrescentou. Dores Meira alertou o socialista e desafiou-o a provar as alegadas irregularidades. A edil vincou ainda o facto de esta obra ter sido inspeccionada como mais nenhuma outra no município pelo Tribunal de Contas e também pela CCDR-LVT.

Bruno Cardoso Pub.


8

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

+ Negócios

A

Associação de Comerciantes e Serviços do Distrito de Setúbal (ACSDS) condena as novas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo de Passos Coelho, em particular o aumento da taxa social única de 11 para 18 por cento para os trabalhadores. O presidente da ACSDS lembra que, actualmente, têm encerrado uma média de 30 empresas por dia em Portugal, situação que «agrava a taxa do desemprego, origina um decréscimo na receita fiscal e uma maior sobrecarga de impostos para aquelas que ainda laboram». Francisco Carriço consi-

gravamento das contribuições fiscais e autárquicas», lê-se, na missiva

enviada a Passos Coelho. Francisco Carriço acusa o governante de estar a colher as reacções de «repulsa de uma sociedade em polvorosa com a nova vaga anunciada de austeridade» e promete lutar, nas ruas, caso o executivo não volte atrás. «Faremos parte desta contestação e endurecêla-emos caso não sejamos ouvidos», prometeu.

Repulsa da sociedade Numa carta aberta enviada ao primeiroministro, a ACSDS afirmava que o Governo devia ter o «discernimento e a coragem necessária» para tirar o país da crise, «lutando com as armas certas para defender e elevar a economia

DR

Montijo retoma Feira Nacional do Porco DEPOIS de dois anos de interregno, a Feira Nacional do Porco regressou, este ano, ao Parque de exposições do Montijo. Considerada como um dos mais importantes eventos do país, na fileira do porco, arrancou ontem, em simultâneo, a 21.ª edição da Feira do Porco, a 19.ª Feira Nacional da Salsicharia e a 1.ª Feira das Actividades Agrícolas. Promovida pela ALIS, Associação Livre de Suinicultores, com o apoio da autarquia, a feira vai decorrer até domingo, oferecendo a produtores, comerciantes, industriais e público em geral, a oportunidade de conhecer um pouco melhor o sector

nacional». «É preciso que haja uma renegociação da taxa de juros para valores suportáveis e relançar a economia portuguesa, o que só acontecerá através da baixa da taxa de juro bancário para valores suportáveis pelas micro, pequenas e médias empresas, pela libertação de medidas de incentivo ao investimento e desa-

suinícola em Portugal e participar nas jornadas técnicas e conferências que decorrerão ao longo de todo o certame. Nos encontros com especialistas serão debatidas algumas especificidades do sector, como os constrangimentos à actividade e as boas práticas empresariais.

Sunergetic é líder das PME A SUNERGETIC S.A., Parque Empresarial Pinhal do Forno, em Alhos Vedros, na Moita, acaba de ser distinguida como PME Líder pelo IAPMEI. Este galardão exige um mínimo de 4 exercícios de actividade da empresa. «É uma satisfação adicional termos alcançado este desiderato justamente ao fim do nosso 4º exercício empresarial em 2011, uma vez que a empresa foi fundada a 10 de Outubro de 2008», sublinha Frederico Rosa. Para a Sunergetic S.A., o ano de 2011 foi de extrema importância, tendo atingido patamares

que são o fruto directo do trabalho de todos os que fazem parte da equipa da empresa. «Em Julho de 2011 passámos de uma sociedade por quotas para uma sociedade anónima com aumento de capital social e alargamento do corpo accionista, o que nos veio fortalecer em termos de inteligência e pensamento crítico da empresa como um todo, afirma, ao recordar que a empresa foi, ainda, distinguida pelo Diário Económico, pela consultora Heidrick&Struggles e pelo ISCTE com o prémio Excelência no Trabalho – Evolução.

Tecnopolo investe na logística O SINES Tecnopolo e a Associação Portuguesa de Logística (APLOG) estabeleceram uma parceria que vai permitir, a partir de Outubro, ministrar a formação que dá acesso ao Certificado Europeu em Logística. Esta formação visa o desenvolvimento de conhecimentos sobre a Cadeia de Abastecimento e a promoção da aplicação de soluções de optimização logística, tendo em vista a melhoria do desempenho e aumento da produtividade de cada profissional na sua actividade. Os métodos pedagógicos utilizados incluem o recurso a casos práticos resultantes da experiência profissional dos formadores. Os formandos aprovados obterão o Certificado Europeu em Logística emitido pela ECBL - European Certification Board of Logistics, organização independente responsável pela homologação da certificação.

APSS reforça eficiência energética A ADMINISTRAÇÃO dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) prossegue a implementação do programa ECO.AP que tem como objectivo aumentar em 30 por cento a eficiência energética nos serviços públicos, equipamentos e organismos da administração pública, tendo como horizonte o ano de 2020. Nesse quadro, destacam-se, já durante o ano de 2012, a substituição da iluminação dos edifícios principais por equipamentos de melhor eficiência e menor consumo; a adjudicação de um sistema de minigeração (energia fotovoltaica) a instalar nas suas instalações do Trem Naval em Setúbal; a instalação de sistemas de aquecimento

DR

::::::::::: Bruno Cardoso ::::::::::::

dera que a decisão governamental vai «suprimir» ainda mais a classe média portuguesa e pede, em alternativa, a eliminação total das isenções fiscais e subsidiações a fundações criadas por mecenas, a introdução de um novo escalão em sede de IRS que abarque os administradores públicos e a classe política, o reajustamento do número de deputados na Assembleia da República, autarquias, juntas de freguesia e outras instituições públicas e o «estabelecimento de um tecto salarial para os administradores das empresas e instituições públicas, detentores de escandalosos ordenados». «Isto demonstra bem o estado do país», lamenta o Francisco Carriço, que acusa ainda o Governo de «ter falta de coragem na hora de cortar nos seus próprios gastos».

DR

ACSDS enviou carta aberta a Passos Coelho a pedir alívio da carga fiscal. A associação propõe ainda alternativas e promete sair à rua, caso a situação se mantenha como está.

DR

Comerciantes desesperam com nova vaga de austeridade

solar térmico em todos os edifícios com necessidade de água quente; a diminuição do consumo na rede de iluminação pública através do controlo rigoroso dos horários de funcionamento e substituição dos equipamentos menos eficientes; e a continuação da campanha de sensibilização “Não está a usar? Desligue!”, junto de todos os trabalhadores.


Sábado | 22.Set.2012

9

www.semmaisjornal.com

Aicep Global Parques e IPS unem forças em nome do futuro da região Entidades assinaram protocolo de colaboração com vista ao desenvolvimento económico e sustentável da região. Documento prevê instalação de empresas star-ups do IPS no BlueBiz, estágios curriculares, prémios monetários e partilha comum de serviços. Portas abertas para start-ups do IPS

DR

A AICEP Global Parques e o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) iniciaram esta semana uma «aliança estratégica» com vista à partilha de experiências e de conhecimentos entre as duas entidades. Esta cooperação visa, em termos práticos, atrair novos investimentos no futuro para a região, gerando mais emprego e riqueza. Durante a assinatura do protocolo de cooperação entre ambas as entidades, o presidente da comissão executiva da Aicep Global Parques referiu que o passo agora dado «sela a oferta conjunta relativamente àquilo que deve estar neste território». Francisco Sá não esqueceu ainda a necessidade de a região «ter elementos cada vez mais diferenciadores das

demais, que a permitam captar investimentos e projectos, tendo em linha de conta o reconhecimento que o IPS já detém no exterior». O presidente do IPS alinhou com Francisco Sá na ideia de desenvolvimento económico e sustentável que se quer para a região. Armando Pires acrescntou que o documento vai «potenciar a apren-

dizagem de estudantes, melhorando a sua formação e adaptando-os, ainda mais, ao mercado do trabalho». «É um protocolo de extrema importância para o IPS porque saberes e competências serão, a partir de agora, partilhados, promovendo conhecimento e potenciando a criação de um território mais inovador», vincou.

Um dos principais objectivos do protocolo de colaboração visa a disponibilização de espaços no BlueBiz – Parque Empresarial de Setúbal da Aicep Global Parques, para a localização de empresas starups do IPS com condições especiais. Está igualmente prevista a possibilidade de utilização de serviços prestados pelo Politécnico às empresas do BlueBiz. Paralelamente, o documento prevê a atribuição de um prémio monetário ao melhor aluno de todos os cursos ministrados no IPS. O acordo abre ainda caminho à realização de estágios

curriculares dos alunos do IPS na Aicep Global Parques ou em clientes instalados

nos seus parques. Bruno Cardoso

Mais sobre as duas entidades A Aicep Global Parques integra o universo Aicep Portugal Global e é parceira de referência no apoio a estratégias de localização empresarial. Disponibiliza espaços infraestruturados e plataformas logísticas para localização de empresas ou de entidades não empresariais e promove a prestação de serviços de gestão integrada, contribuindo para fixar investimento.

O IPS, criado em 1979, integra cinco escolas superiores, desenvolvendo as suas actividades nos domínios do ensino, investigação, transferência do conhecimento e tecnologia e da prestação de serviços à comunidade, abrangendo um vasto leque de áreas do saber. Procura contribuir para o desenvolvimento da sociedade em geral e da região de Setúbal em particular. Pub.

Greve da Galp com 8,6 % de adesão A GREVE de três dias da Galp contou com uma adesão de 8,6 por cento, mas foi na Refinação e Logística que se verificou a maior taxa de adesão, a qual atingiu 26,8 por cento. Fonte sindical contradiz os números e refere que a greve nas refinarias de Sines e Matosinhos, teve uma adesão de cerca de 90 por cento, embora a empresa desminta esta versão. Ao longo da greve a empresa assegurou o abastecimento do produto aos clientes, não tendo ocorrido interrupções de abastecimento. O sindicato diz que a greve visou «a defesa dos direitos dos trabalhadores», numa altura em que «a empresa quer tirar-lhes direitos, sobretudo aos que estão na contratação coletiva», bem como «retomar o protesto contra a atualização salarial de apenas um por cento», ocorrida no início do ano.

Ponte angolana ganha prémio Secil A PONTE 4 de Abril, na Catumbela, localizada na via rápida Benguela - Lobito, em Angola, com projeto da autoria de Armando Rito e Pedro Cabral, foi distinguida com o Prémio Secil de Engenharia Civil 2011, atribuído pela Secil e pela Ordem dos Engenheiros. O galardão, reconhecido como o prémio referência de engenharia civil, distingue, de dois em dois anos, o mais significativo projeto na área. A referida ponte envolveu 14 900 metros cúbicos de betão, 591 mil quilos de aço de pré-esforço e 1 milhão e 700 mil quilos de aço e caracteriza-se pela inovação das técnicas usadas e pelo planeamento e execução dos trabalhos em obra. As duas torres da ponte, em forma de “U”, destacam-se pela sua transparência devida à ausência de contraventamentos. Pela primeira vez na história dos Prémios Secil Engenharia Civil, este galardão é atribuído a uma dupla de engenheiros. O galardoado engenheiro Armando Rito afirma que «este é, efetivamente, um marco importante na história dos Prémios

Secil Engenharia Civil porque, pela primeira vez, é atribuído a uma obra no continente africano, exemplo da internacionalização da nossa engenharia e com particular significado afetivo por a mesma se localizar num País da CPLP». E acrescenta que «fico muito orgulhoso por este prémio ter sido atribuído a uma obra minha e do engenheiro Pedro Cabral que muito contribuiu para a realização desta obra de inegável valor para o desenvolvimento da Província de Benguela». O dono da obra é o Instituto de Estradas de Angola, do Ministério das Obras Públicas da República de Angola, a sua construção esteve a cargo do consórcio Mota-Engil/Soares da Costa e o cimento utilizado é proveniente da fábrica SecilLobito, situada nas imediações da obra. O Prémio Secil de Engenharia Civil visa incentivar e promover o reconhecimento público de autores de soluções que tenham sido aplicadas em obra e constituam peças significativas no enriquecimento da engenharia civil.

ACEITA PROPOSTAS PARA EXPLORAÇÃO COMERCIAL •Cafetarias dos Terminais Fluviais do Montijo e do Seixal •Bares dos navios que efetuam as ligações Montijo – Cais do Sodré e Seixal – Cais do Sodré

Carta Convite e Caderno de Encargos Estes documentos encontram-se disponíveis até ao próximo dia 3 de outubro - todos os dias úteis, entre as 09h00 e as 17h30 -, na Sede do Grupo TRANSTEJO: Terminal Fluvial do Cais do Sodré, 1º andar - sala 39

Terminal Fluvial do Cais do Sodré | Rua Cintura do Porto de Lisboa - 1249-249 LISBOA | Tel.: 210 422 400 | Fax 210 422 499 | www.transtejo.pt


10

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

Política PS Montijo puxa orelhas a ‘laranjas’

Manif de Setúbal juntou quatro mil na capital do distrito

Fotos: R. D.

Manifestação sem bandeiras negras

Cândido Domingos | Professor

Silvéria Chaínho | Cozinheira

Raul Reis | Designer

A luta do professor, do designer e da cozinheira Unidos na revolta, deram corpo à manifestação contra a troika e medidas de austeridade do Governo na capital do distrito. São exemplos de como a luta aquece. Foram quatro mil nas ruas de Setúbal. Contamos a história de três vidas a definhar. ::::::::::::::::::: Roberto Dores :::::::::::::::::::

T

rês profissões. Um professor, um designer e uma cozinheira. Nenhum se conhecia. Mas naquele dia desfilaram juntos sobre a avenida Luísa Todi. Quase lado a lado. Cândido Domingos, Raul Reis e

Silvéria Chaínho estavam por ali com um objectivo comum: Protestar contra o plano de austeridade. O mesmo polémico plano que levou à rua um recorde de manifestantes em todo o país e que em Setúbal juntou para cima de 4 mil pessoas. Não chegou a haver números oficiais. E já lá vão oito dias. A esta hora até possível que os três manifestantes estejam mais optimistas, comparando com o estado de espírito que exibiam no sábado quando foram abordados pelo Semmais, enquanto a «marcha» seguia ao som de palavras de ordem rumo à Praça do Bocage. Afinal, o decorrer da semana deixou a esperança de aliviar a carteira – leia-se impostos, mesmo – aos contribuintes. Pesou o povo ter gritado «gatunos» a plenos pulmões, como se não houvesse amanhã. Nem hoje! «Então, não havemos de lhe chamar gatunos? E já viu o que eles estão a fazer às pessoas?» questionava Cândido Domingos, 53 anos, o professor a quem austeridade subtrai cerca de 7 mil euros num ano. E se pudesse falar directamente para Pedro Passo Coelho, o que lhe diria?

Classe média a «pagar a crise» «Que a classe média não pode continuar a pagar a crise, numa altura em que grande parte da população começa a empobrecer. Perdemos direitos, mesmo na Segurança Social. Eu trabalho há 36 anos e vou ter que trabalhar mais dez. Mas há outros que têm todas as regalias, porque são ricos», disparava revoltado o docente, para assegurar que reside aqui «o grande problema do país.» Na mesma linha, mas em tom mais sereno, o designer Raul Reis, 38 anos, que perdeu mais de 30% da facturação desde o início da austeridade, reclamava mais moderação ao primeiro-ministro. «Tem que ser ponderado relativamente às medidas que está a tomar, mas também chegou a hora de ser mais exigente consigo próprio.» Alegava o mesmo manifestante que só assim é que o Governo «poderá tentar impor aos portugueses estas medidas que não estão a agradar a ninguém, pelos motivos que são conhecidos.» Já Silvéria Chaínho, 53 anos,

Cerca de 4 mil pessoas terão saído à rua em Setúbal, para uma marcha a pé pela avenida Luísa Todi. Ainda não foram exibidas bandeiras negras, uma tradição histórica na região em tempos de crise. Mas viam-se entre os manifestantes bandeiras Nacionais. «Ainda não é a hora de mostrar bandeiras negras, porque a fome que nos atingiu na década de 80 também ainda cá não chegou», garantia Vitalina Teixeira, enquanto levantava o braço e cerrava o punho para gritar uma das palavras de ordem que percorreram a tarde sadina: «Está na hora do Passos se ir embora» . Pela tarde fora surgiram muitos auto rotulados de «estreantes a manifestações», que haviam de se concentrar na Praça do Bocage durante aproximadamente meia hora.

cozinheira, tinha dedicado a tarde à «luta». Ainda que longe do habitual fogão. Não perdoava ao Governo os 600 euros que perdeu, sem hesitar em afirmar que o país está «mergulhado num desastre». E como se evitaria a crise? «Quem governa está a tomar decisões sem querer saber de nós e isso não pode continuar. Estamos a ficar mesmo pobres e sem meios de sobrevivência, como é o meu caso», exemplificava, garantindo que até nem é pessoa de andar por aí em manifestações. «Mas hoje tive que vir para a rua, porque ganho o salário mínimo e, mesmo assim, vou sofrer cortes.»

PS quer sabes das verbas do QREN para o lar de idosos de Alvalade OS DEPUTADOS socialistas eleitos pelo Círculo Eleitoral de Setúbal, estão preocupados com o atraso no reembolso das verbas do QREN para a construção do lar de idosos de Alvalade, pelo que já manifestaram intenção de perguntar ao Ministério da Solidariedade e Segurança Social o porquê deste cenário nada agradável. Vieira da Silva, Eurídice Pereira, Eduardo Cabrita e Duarte Cordeiro, souberam da boca do presidente da

Casa do Povo de Alvalade, em Santiago do Cacém, durante uma reunião, que o Governo ainda não lhes pagou as verbas do Programa Operacional Potencial Humano (POPH), do QREN. A construção do lar, pela Casa do Povo de Alvalade, arrancou no passado mês de Janeiro, tendo a instituição, até à data, investido fundos próprios que ascendem a meio milhão de euros. A obra custa dois milhões de euros e é compar-

ticipada em 60 por cento por fundos comunitários. Depois de uma visita à Feira Medieval de Alvalade, no passado fim-de-semana, onde assistiram ao cortejo medieval, os deputados deslocaram-se também às festas anuais da Moita, onde contactaram com as estruturas locais do PS. Nos encontros com a população, os deputados registaram diversas queixas e desabafos. Todos manifestaram sentimentos de desalento

e grande descontentamento com as novas medidas de austeridade. Aos deputados foram descritas situações sociais dramáticas relacionadas com dificuldades financeiras e a incapacidade de as famílias darem cumprimento às suas obrigações. «O desemprego, a incerteza das perspectivas das actividades económicas na região, a crise no comércio, na restauração e na agricultura» são as queixas mais ouvidas, refere o deputado Eduardo Cabrita.

O PS Montijo acusa o PSD local de não apresentar propostas «construtivas e fundamentadas» para o concelho. Além desse «deserto de ideias», os socialistas dizem que os ‘laranjas’ protagonizam posições que demonstram «um total afastamento da realidade do concelho, insensibilidade social, impreparação política para discutir vários dossiês de interesse municipal, desconhecimento da realidade local e má-fé através de acusações sem fundamento que em nada dignificam o debate político». «Quando todos os autarcas de todos os partidos, incluindo os do PSD em todo o País e também no Montijo, criticam as severas e desproporcionais restrições orçamentais a que o Governo sujeitou as autarquias, colocando em causa a prestação de serviços essenciais às populações, o PSD Montijo, desconhecendo os mecanismos de funcionamento das autarquias, defende-as, porquê?», questiona o PS Montijo. Aquela estrutura sublinha que tem «orgulho» nos seus autarcas, os quais têm vindo a demonstrar uma «prática política séria, honesta e transparente», o que muito tem contribuído para o progresso e desenvolvimento da nossa terra».

PSD Barreiro sugere ao município que adira ao PAEL O PSD Barreiro aconselhou o município local a aderir ao Programa de Apoio à Economia Local, lançado este ano pelo Governo, o qual se compromete a lançar uma linha de crédito até ao montante de 2 milhões de euros, e que tem como objectivo a revitalização das economias locais. Os ‘laranjas’ dizem que «o município tem vindo a aumentar o prazo de pagamento a fornecedores, colocando assim vários constrangimentos aos empresários, muitos deles em grave dificuldade financeira», assinala o PSD local. O PSD refere que a autarquia é «uma das mais endividadas do distrito e aquela que na região demora mais tempo a pagar». «Ao não honrar os seus compromissos a tempo e horas, a autarquia está a criar entraves económico-financeiros às pequenas e médias empresas», avisam os socialdemocratas.


2012 SET

NR 26

À BOLINA 05 Pintura de Onofre Manata ou a Cidade e os seus habitantes gens escondidas, nas esquinas, na rua, simples e cruas. Não são pessoas especiais. Facilmente se adivinha as suas profissões, reivindicações, vícios, vidas. São pessoas verdadeiras. E toda a nossa ignorância sobre os habitantes destas cidades labirínticas se desfaz. Já não somos turistas, estas personagens são reais, habitam os nossos espaços e imaginários, podem ser o Sr. Lopes ou o Joaquim, a “Santinha”, a Miquelina, o “Belga” ou o “Nazaré”. Intimidade Só então compreendemos e somos aceites na intimidade destas casas e personagens. Podemos partilhar a mesa, a vista de uma janela aberta, ou um rosto, como que numa visita a casa de um amigo. Os momentos de intimidade que partilhamos na casa dos amigos, não são coisas que se comentem, apenas desfrutamos a generosidade.

PINTURA DE ONOFRE MANATA | “LABIRINTOS DA NOITE” | ÓLEO SOBRE TELA, 92 CM X 73 CM

A pintura de Onofre Manata desperta emoções. Num itinerário possível, proponho a seguinte leitura, sem seguir qualquer cronologia: Labirintos Fico particularmente fascinado com as cidades labirínticas, tão familiares e tão distantes, onde tudo acontece entre paredes e apenas se adivinha a vida das pessoas, onde, num quase voyeurismo, procuramos os detalhes, quase envergonhados, testemunhos de personagens escondidos mesmo quando estão à nossa frente. São assim as cidades labirínticas de Onofre Manata, sejam traçadas a tinta-da-china ou pintadas a cores fortes. Cidades oníricas de ângulos impossíveis, que saturam o espaço, nos tiram o fôlego, e nos dizem que naqueles territórios somos apenas turistas, que podemos visitar, ver e cheirar mas que nunca poderemos verdadeiramente habitar. Pessoas E a seguir pinta estas persona-

Fernando Teixeira www.galeria.apriltrade.pt

O Ar e o Cinema Livre ao Ar Livre A Prima Folia Cooperativa Cultural e o Made in Café efectuaram uma parceria no sentido de oferecer à cidade de Setúbal uma tela pintada com imagens em movimento junto ao Sado. Mestres do Cinema ao Ar livre, assim se chama o resultado desta combinação de vontades, que através de filmes mudos e a preto e branco pretende arriscar as mais variadas cores em quem vier para se juntar a assistir. E assim foi, no passado dia

14 o ciclo cinematográfico arrancou com “Os Tempos Modernos” de Chaplin, a noite era soalheira e dada a pouco movimento porque o próprio respirar era pesado, suspirava-se pelos gelados, a bebida fresca, ou com os pés de molho no rio quando o filme começou... o que de inicio poderia ter causado alguma indiferença às amenas cavaqueiras de sexta à noite, Chaplin e sua muito querida personagem Charlot começam a despertar curiosidade. Primeiro nos mais

novos, a empatia pela honestidade e coração da personagem, o seu andar, a capacidade de rir e fazer rir apesar das circunstâncias e do seu ser atrapalhado e ainda assim descomplexado. Depois os graúdos, contagiados pelas crianças, deixaram-se ir com o “rolar da fita”. Ainda Charlot começava com as suas peripécias a desafiar os males nos seus tempos que corriam mais depressa que a vida das pessoas, tal como hoje em abono da verdade, com o sorriso e e

infindável esperança mesmo em adversidade, a comunhão concretiza-se entre todos os que se juntaram em família, sozinhos e acompanhados. Como achamos que o cinema de autor não é só coisa de elites, fizemos uma programação para toda a família, clássicos para ver e rever, para levar a família, amigos, filhos, avós e netos, mas, ao Ar Livre num local privilegiado como este onde o Made In Café assenta arraiais. Haverá Chaplin, Buster Keaton, Fritz

Lang, Méliès, Bucha e Estica, os Três Estarolas entre outros... Desta forma convidamos todos os que quiserem a vir ao Cinema nestas Sextas de Setembro e Outubro, sempre às 22 horas no Parque Urbano de Albarquel. (Sempre que as condições climatéricas o permitirem).

Mestres do Cinema ao Ar Livre No Parque Urbano de Albarquel em Setúbal todas as Sextas feiras de Setembro e Outubro às 22h Cinema para toda a família na melhor esplanada do Sado Chaplin, Buster Keaton, Laurel an Hardy, Dziga Vertov, Fritz Lang, Murnau entre outros...

Uma parceria: made in café e prima folia

Leonardo Silva Presidente Prima folia Cooperativa Cultural


2012

NR 26

SET

06 CULTURA

A Obsessão e o seu Dia vistas internacionalmente, acabaria por viver um tempo áureo em Hollywood entre os meados dos anos 80 e os finais dos anos 90 (e retornado à sua terra naVivemos numa época de retal viria a realizar, em 2006, makes – de cansativos e incomo aclamado thriller de guerra preensíveis remakes. Um sinal “Black Book”). Será suficiente dos tempos, sem dúvida. Mas dizer que, na sua passagem pelos um que se explica. Primeiro, Estados Unidos, Verhoeven acacom a falta de originalidade arbaria por assinar aquilo que são, gumentativa que, salvo algumas ainda hoje, algumas das mais raras excepções, não parece, inteligentes obras actualmente, parcinematográficas ticularmente gras(...) de ficção-científica. sar por Hollywood. Falo naturalmente S e g u n d o , c o m a a falta de de “RoboCop” (1987), a u s ê n c i a d e u m originalidade com um sempre real conhecimento argumentativa muito injustamente cinematográfico dos que, subvalorizado Peter últimos, digamos, Weller, e de “Total vinte a trinta anos salvo algumas Recall” (1990), com (e nem se procure raras excepções, um sempre divertido r e c u a r m a i s ) d a s não parece,(...) Arnold Schwarzenenovas gerações de grassar por gger e uma sempre possíveis especta- Hollywood. fatal Sharon Stone. dores que por aí se Mas falo também de passeiam, e que tudo um transgressivo “Basic Instinct” tomam por novo e maravilhoso. (1992) com um Michael Douglas Neste triste estado de coisas, e, daí em diante (com o seu desPaul Verhoeven parece uma víticruzar e cruzar de pernas), uma ma óbvia do momento, destinado lendária Sharon Stone, e de um como parece estar a ver nascer algo controverso “Starship Tronovas versões de algumas das opers” (1997), livremente basesuas mais icónicas obras. É claro ado na obra homónima de 1959 que relembrar Paul Verhoeven do escritor Robert A. Heinlein é relembrar o realizador de ori(também ela particularmente gem holandesa que, após dar nas

Paul Verhoeven revisitado

controversa). com Marte. A viagem é cara e E este é o ponto. Ao que pao dinheiro não abunda, razão rece, lá para 2013, “RoboCop” pela qual recorre a uma empreserá alvo de remake, com o sa, REKAL, Inc., de modo a que realizador José Palhe sejam implantadilha (Tropa de Elite das memórias duma (2007)) a liderar um hipotética viagem É preciso elenco que, segundo dizer que a como um agente seos últimos rumores, creto em missão no premissa de “Total promete (ao contráplaneta. No entanto, Recall” é uma rio do argumento a meio do procedique, diz quem já leu, inspirada num mento, algo corre não impressiona). pequeno conto mal. Aparentemente, “Total Recall”, esse, de Philip K. Dick as memórias a serem já sofreu essa mes- intitulado “We Can implantadas já exismíssima sina (este tem, escondidas, na Remember It for ano), com realização mente de Quail e You Wholesale” a cargo de Len Wicomeçam nesse moseman, e com Colin (1966) mento a despertar: Farrell e Kate Bena realidade, Quail ckinsale nos papéis principais. é de facto um agente secreto Vi a nova produção (curiosia quem haviam apagado todas dade, curiosidade). Digo: vi e, no as memórias de uma missão em momento, relembrei Verhoeven. Marte. Tinha boas razões para isso. Detenho-me. Não quero É preciso dizer que a predesvendar o desenlace surpremissa de “Total Recall” é uma endente. Especialmente porque inspirada num pequeno conto é neste momento que o filme de Philip K. Dick intitulado “We de Verhoeven se desprende do Can Remember It for You Whoconto. O filme mantém-se no lesale” (1966). Resumo a ideia. entanto fiel à problemática que o Um homem, Douglas Quail, preinspira: a natureza da realidade, o papel do desejo inconscienso a um trabalho sofrível e a te e o lugar das memórias na uma vida sem emoção, procura fundamentação da identidade aventura e, mais do que isso, pessoal, não só lhe oferecendo um sinal da sua importância. um outro nível de profundidade Por razões desconhecidas sonha

como, para mais, acrescentandolhe uma verdadeira história de espionagem e duplicidade, numa parábola revolucionária que opõe os muitos aos poderosos. É claro que o remake de “Total Recall” acaba por não fugir grandemente a nada disto. É certo que lhe muda o universo (trocando Marte por um planeta Terra devastado por um holocausto químico) e é certo que troca uma Sharon Stone por uma igualmente sensual Kate Beckinsale. No entanto, e no fim, tudo acaba por saber a pouco (lamento Kate). Numa palavra, falta-lhe inteligência, falta-lhe sofisticação. Uma coisa, apesar de tudo, deve ser louvada: as pequenas alusões que naturalmente nos remetem para o filme de Verhoeven. A um remake exigese isso: um subtil mas essencial piscar de olho à obra que lhe forneceu o material de base. É uma questão de respeito, mas também de reconhecimento. E é também, claro, regra geral, algo que pontualmente nos recorda o que estamos a perder: o tempo que poderia ser melhor gasto a ver o filme original. Este é, aliás, um caso que nisso não engana. Tiago Apolinário Baltazar t.apolinariobaltazar@gmail.com


- Quando uso uma palavra – disse Humpty Dumpty em tom escarninho – ela significa exactamente aquilo que eu quero que ela signifique… nem mais nem menos. - A questão - ponderou Alice – é saber se o senhor pode fazer as palavras dizerem coisas diferentes. - A questão – replicou Humpty Dumpty – é saber quem manda aqui. É só isso. Lewis Carrol Em 2009 foi implantada no morro de Santa Marta, no Rio de Janeiro, a primeira Unidade Policial Pacificadora (UPP) brasileira. Este é um «novo» modelo de Segurança Pública que policia e «recupera» as favelas ocupadas por redes organizadas de tráfico. Desde aí, cerca de 25 favelas receberam UPP’s, estando hoje libertas do crime organizado, pelo menos, daquele representado pelas mais poderosas facções de tráfico ou milícias. Estudos apontam para uma queda de 75% nos crimes contra a vida, embora tenham tri-

centros de emprego? Como se resolplicado as lesões, ameaças e outros verão os problemas infra-estruturais crimes relacionados com drogas. ao nível da habitação e da recolha de O critério linguístico aplicado pelo lixos? Como é que estes territórios Estado para designar a vitória das conquistarão o poder da inclusão UPP’s sobre o tráfico dita que esterritorial perante o resto da cidade? tes 25 territórios deixaram de ser A Avenida Brasil foi favelas para ser agora feita para ligar a cidacomunidades. Agora de do Rio de Janeiro ao Saltando por cima habitantes de resto do país. Abandodas estratégias polítina a cidade rumo ao cas e económicas asso- territórios mais norte e inicia um traciadas a este processo seguros e livres do jecto pouco apetecível (desde o aumento da crime organizado, a turistas. As avenidas especulação imobiliá- continuam no largas são substituídas ria até à realização dos entanto com os por vielas sufocadas, Jogos Olímpicos em mesmos problemas onde a construção é 2016), as UPP’s trouabarracada e toda a xeram a estas favelas sócio-económicos. paisagem é trancada brasileiras mais segu- Continuam a viver à chave pelas fachadas rança física e maior in- num gueto. cinzentas e vermelhas dependência popular do latão e do tijolo. Dezenas de favedas redes de tráfico. No entanto, estas las surgem ao longo desta avenida, vitórias não respondem a todas as indistinguíveis umas das outras a questões: as favelas continuarão a olho nu. Todos os dias, milhares de ser bairros de lata? Irão lá construir homens e mulheres percorrem a escolas, bibliotecas e cine-teatros? Avenida Brasil de autocarro para Passarão a existir nas favelas hospiconstruir ou limpar os edifícios cintais, representações das finanças ou

PUBLICIDADE

15% descontos

A &D

Arte e Decoração José Paulo B. Nobre

Pintura decorativa de interiores e exteriores - Conservação e restauro de Pintura Mural artedecoracao93@gmail.com tm: 963106106 Rua do Pincho nº 10 - 2250-055 Constância

tilantes de Copacabana e Ipanema. São favelados, alvo de estudo de diversos fenómenos de exclusão social, pobreza e marginalização. Agora habitantes de territórios mais seguros e livres do crime organizado, continuam no entanto com os mesmos problemas sócio-económicos. Continuam a viver num gueto. A mítica linha física que desenha um cerco em torno deste território – e que sustenta a ideia de que não se pode entrar numa favela – acompanha uma linha simbólica que retira aos seus habitantes oportunidades de comunicar, de se relacionar e de participar na cidade. No entanto, a favela é indispensável à cidade do ponto de vista relacional, tal como realça o geógrafo Jailson de Souza e Silva, ao afirmar que não existe cidade sem favela, uma vez que ela é fundamental para garantir a própria identidade do Rio. Ainda assim, ela é silenciosa. O seu discurso é o discurso dos outros – dos media, do Estado, da polícia militar e agora das UPP’s. Quando Eduardo Granja Coutinho cita Humpty Dumpty, ele fá-lo porque não importa (...) a verdade contida na fala histórica de um grupo social subalterno, mas sim quem tem o «monopólio da fala» ou, em termos gramscianos, quem dispõe dos aparelhos de hegemonia. Em todas as pólis deste mundo existem territórios à margem dos discursos correntes, sem voz para fazer parte da construção da história e sem voz para lutar contra a forma como nela são incluídos. Essa voz, que pode ser materializada através de diversos instrumentos comunicacionais, dá a uma parte da sociedade a possibilidade de construir e dar a conhecer a sua própria estética: o olhar dirigido a si próprio que escapa ao gueto social ao qual foi confinado e que se opõe ao olhar exterior que tem marcado a documentação social desde as suas origens. O combate ao crime organizado

é uma pequena parte da problemática em torno das favelas. Silenciar os restantes desafios que se impõem à cidade do Rio de Janeiro e às suas instituições é perpetuar o silêncio dos seus habitantes, cujo poder de expressão e de reivindicação se mantêm muito aquém daquilo que se defende no palavrão da Cidadania. Esses poderes precisam de ser conquistados, e às vezes roubados, aos detentores do monopólio da fala – só aí se assiste a um verdadeiro processo de desenvolvimento urbano. Sandra Coelho Jornalista

PUBLICIDADE

Nova colecção Outono / Inverno Av. Independência das Colónias, 2- B 2900- Setúbal Tel: 265 532 614 Loja cavalo

Av. Luísa Todi 239 Setúbal 265 536 252 • 961 823 444

garrafeiratody@hotmail.com

FOTO: SANDRA COELHO | FAVELA NOVA HOLANDA, COMPLEXO DA MARÉ, RIO DE JANEIRO

EM 2016 NÃO EXISTIRÃO FAVELAS, APENAS GUETOS

2012 SET

NR 26

NA VAZANTE 07


Sábado | 22.Set.2012

11

www.semmaisjornal.com

+ Região

APESAR dos «graves problemas financeiros», dos «graves problemas sociais» e da legislação «que aperta o cerco», os serviços municipalizados de transportes são uma mais-valia. A convicção é do vereador da Administração Geral e Patrimonial e Vogal dos Serviços Municipalizados de TCB, para quem os serviços municipalizados de transportes do Barreiro exercem um «papel ímpar, no concelho. Num debate, esta semana, sobre os municípios com estes serviços, Carlos Moreira considerou necessário «mostrar que o transporte público é factor de coesão e é, acima de tudo,

DR

BARREIRO

TCB, exemplo de boa gestão

uma forma de crescimento e desenvolvimento». Já para o director da Transportes em Revista, José Limão, estas empresas «têm um historial longo, têm muitos anos, tem um know how acumulado e um conhecimento acumulado que é um património».

Alentejo no Seixal

Uma ideia defendida também pelo vereador Rui Lopo, do Planeamento e Gestão Urbana, para quem «os municípios estão confrontados com aspectos legislativos que colocam novos desafios e novos enquadramentos» ao desenvolvimento da actividade. «Quando associamos este enquadramento municipal genérico à gestão de transportes municipais a coisa torna-se – ou tornou-se nos últimos tempos – mais complicada». Tal coloca um desafio, num sector, de uma forma geral, encarado por todos como «deficitário pela natureza do serviço que presta», concretizou.

Outfest dá música alternativa BARREIRO

DE 10 a 13 de Outubro avança a nona edição do OUT.FEST Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro. Estão previstos espectáculos para diversas salas e espaços do concelho do Barreiro, tais como o Be Jazz Café, o Teatro Municipal do Barreiro, o Convento da Madre de Deus da Verderena, o Centro de Educação Ambiental da Mata da Machada, a Igreja Nossa Senhora da Graça de Palhais e a Escola de Jazz do Barreiro. O festival é produzido pela OUT.RA – Associação Cultural, em cooperação com a Câmara e com a Associação Filho Único.

Mercado de rua invade Cacilhas

Cante Alentejano um dos maiores patrimónios regionais SEIXAL

ESTE sábado, o Clube Recreativo do Fogueteiro recebe a 31.ª edição do Encontro de Corais Alentejanos do Concelho do Seixal. O cante alentejano é uma tradição popular muito vincada no concelho, resultado da migração de centenas de pessoas do Alentejo que aqui se fixaram nos anos 70 e 80. No evento, organizado pela Associação de Reformados do Fogueteiro, com o apoio da Câmara e das juntas, participam os grupos

corais alentejanos da Casa do Alentejo de Albufeira, Casa do Povo da Amareleja, das Autarquias do Seixal, Eco do Alentejo da Casa do Povo de Corroios, As Ceifeiras da Semblana, As Papoilas, da Associação de Reformados e Idosos do Fogueteiro, As Margaridas da Junta de Peroguarda, Lírio Roxo da Sociedade 5 de Outubro, Diversos do Alentejo, do Centro de Solidariedade Social de Pinhal dos Frades, e o Operário Alentejano do Clube Recreativo das Paivas.

Ecomuseus em congresso SEIXAL

DURANTE dois dias, o Seixal acolheu o Congresso Internacional Ecomuseums 2012, a primeira conferência internacional de ecomuseus e museus de comunidade, que sexta e sábado juntou académicos, investigadores e

museólogos no Fórum Cultural e no Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal. Por acolher o mais antigo e bem sucedido ecomuseu em Portugal, o Seixal surgiu como uma escolha natural para receber o evento.

U M MERCADO de rua, com novos criadores, vinis, bicicletas, produtos biológicos ou de produção agrícola local, produtos de comércio justo de todo o mundo, vai invadir este sábado, durante todo o dia, a rua Cândido dos Reis, em Cacilhas. Esta iniciativa está integrada na Semana Europeia da Mobilidade 2012 que está a ser desenvolvida pelo município. A animação é garantida ao longo do dia e noite, entre concertos, animação nas esplanadas, check-ups de saúde gratuitos, oficinas e exposição de bicicletas, segways para utilização livre, instalações artísticas,

DR

DR

ALMADA

SESIMBRA

O CONCELHO de Sesimbra passou a contar com mais um produto registado: a Maçã Camoesa ou Férrea Azoia, Variedade Tradicional da Região de Sesimbra. A candidatura foi apresentada pela Câmara e recebeu parecer favorável do Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Com esta aprovação, a autarquia passa a deter o direito exclusivo da marca, que tem um logótipo associado, o que impede que terceiros utilizem, sem o seu

Fruto ganha mais peso

consentimento, qualquer imagem igual ou semelhante. Despertar o interesse de novos agricultores para este produto e associá-lo à região foram os principais objectivos desta acção.

Festa solidária ajuda criança doente SESIMBRA ESTE sábado, o salão dos Bombeiros Voluntários de Sesimbra abre portas a uma campanha a favor da pequena Inês, vítima de uma doença rara que impede o desenvolvimento. A Maria Inês vai ser ajudada pelas verbas apuradas na iniciativa promovida pelo Centro

Paroquial da Corredoura e um grupo de amigos. Este espaço terá para insufláveis; pinturas faciais; modelagem de balões; rifas; música ao vivo; bar com café, sumos e doces; pipocas; cabeleireiro infantil; tratamento e pintura de unhas. O valor cobrado será, no mínimo, de 1 euro por actividade.

Animação garantida

actividades desportivas, passeios guiados, jogos tradicionais, performances e muito mais. O dia termina com o espectáculo multimédia “Uma rua de histórias», seguido de uma festa dos anos 80.

Bar da Costa da Caparica destruído pelas chamas ALMADA O BAr Jamming, na praia do Castelo, na Costa de Caparica, ardeu por completo na madrugada de terça-feira. A Polícia Judiciária de Setúbal já recolheu vestígios no local para apurar as causas do sinistro e comprovar se está em causa o cenário de fogo posto. O fogo, que teve início por volta das 4h20 e foi dado

Maçã Camoesa é marca de Sesimbra

DR

Barreiro acarinha serviços públicos de transportes

como extinto por volta das 7h18, foi combatido por treze bombeiros da corporação de Cacilhas. O referido bar funcionava há vários anos e no Verão proporcionava aos seus clientes espectáculos musicais. Os donos do bar preferem não falar enquanto não chegam os resultados das investigações da PJ.

Alcochete adere à bicicleta ALCOCHETE O CONCELHO associou-se à Semana Europeia da Mobilidade, pelo que hoje e amanhã, bicicletas de BTT e eléctricas, segways, pedalkarts, automóveis e motas eléctricos e ainda veículos híbridos são os meios de transporte à disposição dos munícipes. As crianças são desafiadas para colaborar na pintura de um veículo e a S.Energia também promoverá a realização do Jogo da Mobilidade e do Jogo dos Pares da Energia, bem como a EcoTrocas, uma iniciativa através da qual o lixo reciclável pode ser trocado por bilhetes para os transportes públicos.

Aventura no campo de tiro ALCOCHETE

DEPOIS de uma pausa em Agosto, o programa Alcochet’Aventura está de volta este domingo, com um passeio pedestre no Campo de Tiro, área militar localizada em plena charneca ribatejana. O percurso pedestre tem uma extensão de cerca de 8 quilómetros possibilitando aos participantes um agradável passeio e simultaneamente apreciar a mancha florestal existente, constituída fundamentadamente por sobreiros e pinheiros mansos, que abrigam uma abundante fauna cinegética.


12

Sábado | 22.Set.2012

SETÚBAL

O MUNICÍPIO vai arrancar no final de Setembro, às 21 horas, com reuniões de balanço com moradores sobre as operações de requalificação em curso na Bela Vista, Manteigadas e bairros envolventes. Em Setembro, há sessões com os moradores da Alameda das Palmeiras, dia 24, no Centro Nossa Senhora da Paz, e com os residentes do Bairro das Manteigadas, a 27, na Escola Profissional de Setúbal.

Em Outubro, os moradores da Quinta de S. António reúnem-se com os responsáveis autárquicos no dia 1, no centro multicultural, enquanto os residentes do Forte da Bela Vista têm encontro marcado no dia 4, no Centro Nossa Senhora da Paz. Para os moradores da Bela Vista há encontros, em Outubro, nos dias 15, 18, 22, 25 e 29, e, em Novembro, a 5 e 8, todos no auditório do Centro Nossa Senhora da Paz.

Setúbal incentiva ao uso da bicicleta SETÚBAL

O INCENTIVO ao uso da bicicleta é uma das principais mensagens do programa de atividades das comemorações do Dia Europeu Sem Carros a realizar em Setúbal este sábado. A Avenida Luísa Todi vai estar encerrada ao trânsito no lado norte, das 8 às 18 horas, entre a rua Pereira Cão e a Avenida 22 de Dezembro. Durante aquele período,

a faixa da Avenida Luísa Todi cortada ao trânsito rodoviário acolhe expositores de bicicletas, com o público a poder a experimentar diversos modelos. Há também animação de rua. Nesta iniciativa, a Câmara vai criar para os funcionários da autarquia condições especiais de parqueamento em frente das várias instalações da edilidade.

Contagem da água por telefone gratuíto MOITA

A CÂMARA Municipal da Moita tem já, no terreno, um novo serviço gratuito que permite o registo automático de leituras de consumo de água, via telefone. De acordo com o executivo de João Lobo, este novo serviço vai ao encontro de uma «maior comodidade dos munícipes».

Para comunicar a leitura do contador de água, num serviço que não terá qualquer custo, basta ao munícipe ligar 800 502 443, no período mencionado na factura (junto aos gráficos de consumo), indicando também a referência correspondente ao consumo. A linha está disponível 24 horas por dia.

combate às desigualdades e à discriminação com base no género, que se tem desenvolvido em várias frentes e assumido diferentes formas. O prémio entregue tomou em consideração os projectos levados a cabo pela autarquia, ao longo dos anos, tais como o Espaço Informação Mulheres, a Rede de Apoio a Mulheres em Situação de Violência, o Plano Municipal para a Igualdade de Género do Montijo e o Projecto Bola de Neve. Segundo a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, a cerimónia de entrega do Prémio decorrerá no dia 24 de Outubro em local a designar.

PALMELA

N O ÂMBITO da sua estratégia para a mobilidade, o município está a promover iniciativas integradas na Semana Europeia da Mobilidade, uma vez que está convicto de que uma nova cultura de mobilidade só se constrói com a tomada de consciência e ação por parte dos cidadãos. As iniciativas prolongam-se até Outubro, sendo de destacar o projecto das freguesias “Vaivém Social – Transporte Flexível”; beneficiação do corredor ciclável na Rua Infante D. Henrique, em Pinhal Novo; a “+ Mobilidade Carbono”; que desafia as empresas a incentivarem os seus trabalhadores a utilizarem transporte alternativos; a “De Bici-

Curso de prova vinhos no Dia do Turismo A CÂMARA MUNICIPAL do Montijo promove mais um curso de iniciação à prova de vinhos nível I, no dia 30, no Museu Agrícola da Atalaia. A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões; a empresa Copo de Três, Consultoria em Vinhos; e o Restaurante O Ninho. Este evento surge no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Turismo, que se celebra a 27 de Setembro. Para assinalar esta data, para além do curso de prova de vinhos, a autarquia junta iniciativas como

DR

O MUNICÍPIO do Montijo foi um dos quatro municípios do país a ser distinguido com o prémio “Viver em Igualdade” pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG). Os outros municípios distinguidos foram os de Abrantes, Seixal e Valongo. A distinção visa distinguir os municípios com boas práticas na integração da dimensão da igualdade de género, cidadania e nãodiscriminação, quer na sua organização e funcionamento, quer nas actividades por si desenvolvidas. A Câmara do Montijo iniciou, há mais de uma década, um trabalho continuado e consistente no MONTIJO

Palmela incentiva bicicleta

cleta para o Trabalho”, dirigida aos trabalhadores do município; um ciclo de cinema; a divulgação de uma plataforma de carpooling; a exposição “Mobilidade Sustentável”; uma “Cãominhada”, que permitirá levar também a passear o animal de estimação; e o seminário “De Bicicleta na Direção Certa”.

Co-produção europeia no Bando

MONTIJO

PALMELA DEPOIS de passar pela Noruega, a co-produção europeia “Face Me”, desenvolvida dentro do contexto do projecto Platform 11+, passa este domingo pelo Bando, em Vale de Barris, a partir das 21h30. Uma das partes deste evento, encenada por Miguel Moreira, passará por Palmela, antes de invadir as salas de aula no Poceirão. Resultado do encontro de um grupo «muito heterogéneo» de criadores interessados em colocar questões e em interrogar a sociedade

Novos apreciadores

uma mostra de artesanato, a degustação de produtos locais e uma observação astronómica. Quem queira inscreverse pode fazê-lo através do posto de turismo instalado no mercado municipal, ou pelo e-mail pturismo@ mun-montijo.pt

em conjunto com os espectadores mais jovens, esta criação pretende apagar as fronteiras que separam o espaço artístico do território quotidiano quando «a sala de aula se torna palco, quando invadimos as escolas, criamos a possibilidade de descobrir o mundo com um olhar renovado». No Bando, este momento teatral será precedido de uma conversa que o contextualiza e será apresentado ao ar livre. A entrada para “Face Me”, em Vale de Barris, é livre, mas é obrigatório levar agasalho.

Moita alarga rede de ensino pré-escolar MOITA

DESDE esta semana, o concelho da Moita conta com mais uma valência ligada ao ensino pré-escolar, num investimento feito pela autarquia do comunista João Lobo que eleva para 800 as crianças beneficiadas com este serviço. Trata-se da nova sala no Jardim-de-Infância do Carvalhinho, na Moita, alargando assim a oferta de ensino pré-escolar naquele estabelecimento de ensino. A Escola do Carvalhinho,

que até à semana passada funciona apenas com ensino pré-escolar, disponibiliza, a partir deste ano lectivo, duas salas de aula com capacidade para cinquenta crianças. Para o pleno funcionamento desta nova sala, a Câmara da Moita assegurou a aquisição de mobiliário e equipamento escolar e as obras de adaptação estiveram também a cargo da Câmara Municipal, em parceria com a Junta de

DR

O município vai realizar encontros nos bairros carenciados

Palmela aposta na mobilidade

Montijo ganha prémio Viver em Igualdade

DR

DR

Autarquia sadina mostra obras da Bela Vista

www.semmaisjornal.com

O número de salas de apoio disparou nos últimos anos

Freguesia da Moita. A oferta de Ensino PréEscolar público no concelho da Moita eleva-se assim para 32 salas de aula, permi-

tindo a 800 crianças, entre os 3 anos e a idade de ingresso no ensino básico, o acesso gratuito à educação pré-escolar.


Mundo vinícola revisitado

DR

Câmara pede sugestões

domésticos danificados. Segundo conta o executivo, para melhor indicar o local da ocorrência, o munícipe pode recorrer ao mapa disponível no formulário. Para aceder ao mapa, seleccione primeiro o distrito, depois o município e, por fim, a freguesia.

Livros sobre rodas GRÂNDOLA

ATÉ ao final deste mês, anda por montes e vales a Biblioteca Itinerante de Grândola, para levar cultura aos munícipes das zonas mais isoladas do concelho. O projecto é da autarquia e consiste numa

carrinha totalmente equipada com livros, cd, revistas e jornais que são cedidos pelos técnicos camarários aos moradores daquelas localidades. Uma forma de democratizar a cultura e combater o isolamento.

A câmara faz questão que todos tenham manuais de estudo

o executivo alcacerense. O objectivo, segundo adianta a autarquia do socialista Pedro Paredes, é «garantir igualdade de acesso aos livros para todas as crianças, contribuindo, assim, para a melhoria das condições de aprendizagem». Para além dos manuais escolares, o município ajuda

as crianças do 1º ciclo com os denominados apoios económicos directos, extensíveis aos alunos do ensino pré-escolar e que constam de vales para aquisição de material escolar de 40 euros e 20 euros para o 1º ciclo, respectivamente para alunos no escalão A e B, e de 20 euros e 10 euros, para

Sines muda horário dos autocarros SINES ENTROU em vigor esta semana o novo horário dos Transportes Urbanos Municipais de Sines, para o período de Inverno 2012-2013. A medida, tomada anualmente pela autarquia, visa adequar este serviço público à necessidade das populações, nomeadamente durante o ano lectivo. O horário pode ser adquirido, gratuitamente, em qualquer edifício municipal ou nos mini-bus, e está ainda disponível para descarregamento no sítio da câmara, na Internet. O serviço de transporte

Horário de Inverno chegou

urbano na cidade de Sines, através de mini-bus, teve início em 2005 e inclui transportes todos os dias úteis, de hora a hora, funcionando

entre as sete da manhã e as oito da noite. O circuito, que começa na ZIL 2, permite o acesso da população a pontos-chave na cidade e aos serviços públicos, como é o caso das piscinas municipais, cemitério, escolas, creches e infantários, mercado, zona comercial, câmara e centro de saúde. O novo horário vigora até 30 de Junho de 2013, altura em que será substituído pelo horário de Verão, já que, durante esse período, o circuito sofre alterações, permitindo o acesso da população à Praia Vasco da Gama.

Santiago de volta à Idade Média SANTIAGO

O JULGAMENTO das bruxas e bruxarias e a maldição dos ratos brancos encerraram a 10.ª edição do Alvalade Medieval, com milhares de visitantes em arraiais e arruadas pelas ruas do burgo, numa recriação histórica da entrega do Foral Manuelino a Alvalade. O evento Alvalade Medieval, que constitui uma das maiores iniciativas do género realizadas no Alentejo Litoral, trazendo à região milhares de visitantes, incluiu,

entre outras iniciativas, o cortejo régio, o encontro de trovadores, o torneio a cavalo e o festim sarraceno com danças mouras. A iniciativa, que terminou oficialmente na quinta-feira, dia em que Alvalade comemora os 502 anos da entrega do Foral, serviu, ainda, para a inauguração da exposição 10 anos de Viagem num tempo Medieval, patente ao público em plena Praça D. Manuel I. Na Igreja da Misericórdia também está patente ao

DR

Municipal, em colaboração com o comércio e restauração do concelho, tendo por objectivo projectar a terra e a região do Alentejo litoral fora de portas, de modo a potenciar as capacidades endógenas locais ao nível do turismo e da actividade económica em torno da vinha, do vinho, da salinicultura, da gastronomia, turismo de lazer e de natureza e, ainda, turismo cultural.

O EXECUTIVO da Câmara Municipal de Alcácer do Sal começou esta semana a entregar pessoalmente os manuais escolares oferecidos a todos os alunos do 1º ciclo do ensino básico das escolas do concelho. É o terceiro ano que a autarquia apoia desta forma as crianças deste grau de ensino e as suas famílias, o que no presente ano lectivo abrange 484 meninos e meninas. «Apesar das actuais limitações financeiras municipais e com consciência da realidade económica do País, a câmara decidiu manter a iniciativa e, mais uma vez, de forma a não prejudicar o pequeno comércio», os manuais foram adquiridos nos estabelecimentos locais que se dedicam à sua venda, afirma

DR

Vinha e vinho em destaque

Cidadãos de Grândola por mais obra pública GRÂNDOLA A AUTARQUIA grandolense avançou, no terreno, com o projecto A MINHA RUA que permite a todos os cidadãos reportar as mais variadas situações relativas a espaços públicos. Com fotografia ou apenas em texto, todos os relatos são encaminhados para a autarquia seleccionada, que lhe dará conhecimento sobre o processo e eventual resolução do problema, que pode ir desde a iluminação, jardins, passando por veículos abandonados ou a recolha de electro-

Alcácer oferece livros escolares a centenas de alunos do 1º ciclo ALCÁCER

DR

ALCÁCER

ESTE sábado, a iniciativa Alcácer dos 5 Sentidos é dedicada à temática do vinho, pelo que os visitantes terão oportunidade de observar algumas das vinhas onde se produzem os galardoados néctares do concelho alcacerense. A viagem pelo vinho e pela vinha será finalizada com uma visita a uma adega. O ponto de encontro está marcado para a Praça Pedro Nunes, prevendo-se que, mais uma vez, participem dezenas de turistas locais e de fora da região numa iniciativa integrada num programa mais vasto que decorre até ao final do ano, em torno do património natural, arquitectónico e cultural do concelho alcacerense. O Alcácer dos 5 Sentidos é uma iniciativa da Câmara

13

www.semmaisjornal.com

DR

Sábado | 22.Set.2012

Recriação de Duelo Medieval

público, durante um ano, a exposição documental e etnográfica Posto de Culturas Regadas D. Manuel de Castello Branco – Aprender primeiro para ensinar depois.

os mesmos escalões mas no ensino pré-escolar. O município assegura ainda as normais reduções em senhas de refeição para as crianças abrangidas pelos escalões de auxílios directos. Assegura também transporte de crianças de todo o concelho, quer transferindo verbas para outras entidades que transportam as crianças quer contratando serviços de transporte quer com viaturas e motoristas próprios da autarquia. A câmara assegura também as actividade extra curriculares de inglês, expressões plásticas e musicais - com a contratação de dez professores no presente ano lectivo -, bem como de deporto, pelos técnicos da própria autarquia, e serviços de ATL com capacidade para uma centena de crianças.

Gastronomia na Docapesca SINES

O MERCADO Municipal de Sines recebeu ontem diversas aulas de culinária dedicadas à confecção da cavala, ministradas por um Chefe da Escola Profissional da Fundação de Odemira. O evento decorreu no âmbito de uma campanha da Docapesca dedicada à promoção da cavala, onde os participantes assistiram a aulas de culinária e degustações gratuitas e aprenderam a confeccionar receitas inovadoras com cavala fresca e em conserva.

Sto. André previne cancro SANTIAGO ATÉ dia 18 de Outubro, Vila Nova de Santo André vai acolher o Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro para mais um rastreio do cancro da mama. A campanha é gratuita e confidencial, afirma a autarquia, parceira deste projecto que está no terreno desde 2008, altura em que foram convidadas 5511 mulheres e realizaram-se 1242 exames. Confirmaram-se 10 casos positivos.


14

Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

+ Desporto V. Setúbal segue em frente na Taça da Liga

Bike tour abre inscrições

Ao empatar em casa, na quarta-feira, com o Leixões, a uma bola, o V. Setúbal passou à terceira fase da Taça da Liga, a fase de grupos. O golo dos sadinos foi apontado, em penalti, por Meyong.

Cerca de um milhar de participantes são esperados no 2.º Setúbal Bike Tour, passeio de cicloturismo a ter lugar no dia 7 de Outubro, num percurso urbano de descoberta do património natural.

Barreirense suspende basquetebol por falta de verbas DR

posse, em Abril de 2012, a actual direcção traçou como metas «o equilíbrio financeiro da actividade corrente» e a interrupção da sua «delapidação patrimonial», devido às dívidas antigas de anteriores direcções na secção de Basquetebol. Sem capacidade financeira para honrar as responsabilidades da participação do Basquetebol no escalão profissional, o clube, 70 anos depois, vê-se obrigado a suspender uma modalidade que deu muitas alegrias aos associados. «Conseguimos dois títulos de Campeão Nacional e seis Taças de Portugal

e, no ano passado, terminámos o campeonato em 5.º lugar. Logo que seja possível voltaremos», recorda, emocionado. «Ninguém está contente com esta decisão, dado tratar-se de uma modalidade com pergaminhos no clube», sublinha António Martins, que acrescenta que «não vamos assumir o que não podemos cumprir, numa altura em que lutamos pela viabilidade económica do clube». Todavia, deixa bem claro que os escalões de formação e minibasquete vão continuar no clube, bem

como o futebol e a ginástica. Mário Saldanha, o presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol, já lamentou a extinção da equipa principal do ‘histórico’ Barreirense. «É uma pena porque é um clube histórico. Acabar abruptamente com uma equipa de basquetebol de um campeonato principal acontece devido à parte das pessoas que só pensam no futebol. Acabam por investir tudo no futebol para tentarem subir de divisão e ganhar visibilidade», afirmou.

Torneio de pesca à Boia

Patinagem em Grândola dá bronze a Portugal

DR

PESCADORES federados e não federados entram em competição no torneio de pesca à boia, no dia 30, no aterro da Secil, em Setúbal. As inscrições devem ser feitas até às 22 horas do dia 28. Os pescadores podem participar no torneio, a realizar entre as 8h30 e as 12h30, com concentração às 7 horas no local da prova, individualmente ou em equipas com um mínimo de

Momento de euforia com a vitória em casa de Luís Galego

PORTUGAL conquistou, quartafeira, a primeira medalha no Campeonato da Europa de Patinagem Artística, a decorrer em Grândola. Luís Galego obteve o 3º lugar na competição de Juvenis Masculinos – Figuras Obrigatórias. Em competição estão cerca de 200 atletas em representação de 12 países. Alemanha, Áustria, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, França, GrãBretanha, Holanda, Israel, Itália, Suíça e Portugal são as selecções nesta competição organizada pela Federação de Patinagem de Portugal, o município de Grândola, a Asso-

O basquetebol volta quando houver maior disponibilidade financeira

ciação de Patinagem de Setúbal e o Clube Patinagem de Grândola. No campeonato, que termina neste fim-de-semana, são esperadas exibições de alto nível, uma vez que Portugal está representado pelos melhores atletas: Manuel Pereira - Campeão da Europa em 2010, Diogo Silva – 2º classificado na Taça da Europa em 2011, Mariana Souto e José Souto – 3º lugar no Campeonato da Europa em 2011, Madalena Serrão – 3ª classificada na Taça da Europa em 2011 e Filipe Galego – 3º lugar na Taça da Europa em 2012.

quatro elementos, devendo apresentar licença de pesca válida. Cada pescador só pode utilizar uma cana com o máximo de dois anzóis. Os três melhores classificados a nível individual recebem um valor monetário e um troféu, galardão atribuído até ao vigésimo melhor participante. Já as três melhores equipas recebem troféu.

NOS dias 29 e 30, o troiaresort, o Casino de Tróia e Fernando A l v i m recebem 10 casais que integrarão, no troiagolf, um evento inédito em Portugal: o 1.º Torneio de Golfe para Nabos. Além de cinco pares compostos por figuras públicas, serão apurados mais cinco casais através de um passatempo no facebook do humorista. A condição obrigatória e comum, entre todos, é que ninguém pode saber jogar golfe. Através da congregação entre o humor e o desporto, nascem dois momentos distintos, que serão protagonizados, por figuras públicas e por cinco pares que, ao serem escolhidos através do passatempo “Prove que será um excelente jogador de golfe”, demonstrarão que é possível: estar apto para integrar um torneio de golfe em dois dias - as aulas iniciais prepararão o grupo de iniciados para o 1.º Torneio de Golfe para Nabos; que mesmo de bicicleta se pode estar aprimorado. O 1.º Passeio Cycle Chic provará que se pode pedalar de forma elegante na ciclovia do troiaresort. Para participar e ganhar este fim-de-semana, os interessados deverão, até 23 de Setembro, inscrever-se na página oficial do facebook de Fernando Alvim. Há diversos prémios para os casais vencedores deste 1.º Torneio de Golfe para Nabos.

Manos Rosado pedalam solidários no Brasil OS BIKE Angels, equipa de BTT formada por Nelson e Sérgio Rosado, da banda Os Anjos, pelo ex-ciclista Marco Chagas e pelos atletas Paulo Quintans, Pedro Duque e Nuno Margaça, vão participar numa das provas mais duras de BTT, que tem lugar na Bahia, no Brasil, entre 23 a 27 deste mês. Os Bike Angels aceitaram o desafio de competir no Brasil Ride 2012, uma ultramaratona de BTT com um percurso de 700 quilómetros. Os manos Rosado, que confessam que são «apaixonados

DR

O

Futebol Clube Barreirense suspendeu a equipa sénior de Basquetebol das competições profissionais na época 2012/2013, cujo orçamento rondava os 80 mil euros. A decisão tem a ver com questões financeiras e a falta de apoios. O Barreirense competia no principal campeonato do basquetebol português e conquistou importantes prémios de cariz nacional. O clube vai, no entanto, manter os escalões de formação, que movimentam cerca de 350 atletas. António Martins, presidente do clube, recorda que ao tomar

Golfe para ‘nabos’ no troiaresort

pelo desporto», realçam que a equipa está associada ao movimento solidário 4Help, que tem como finalidade arranjar fundos para a Casa das Cores, a Casa dos Rapazes, a Terra dos Sonhos

e o Instituto da Imaculada Conceição. «Esta é a vertente mais importante, além da mensagem de que nada é impossível!», disse Nelson Rosado. Por seu lado, o capitão Marco Chagas, afirma que a equipa está preparada para cumprir a sua missão solidária, independentemente dos resultados alcançados. «Espero que tudo corra bem. A minha preparação, em particular, não foi a melhor, mas vou com muita vontade de pedalar no Brasil», disse o antigo campeão da Volta a Portugal em Bicicleta.


Sábado | 22.Set.2012

15

www.semmaisjornal.com

Anti-stress

A

20. ª Quinzena de Dança de Almada, que decorre entre 22 de Setembro e 7 de Outubro, está orçada em cerca de 39 mil euros. A Companhia de Dança local, que organiza o certame, vai estrear “Are you There”, de Rita Galo, este sábado, às 21h30, no Teatro Municipal. Destaque para a coreografia de nu integral de Fernando Belfiore, “The Miserable Thing”, que sobe ao palco a 4 de Outubro, às 21h30, no Teatro de Almada. Mas também há trabalhos interessantes de companhias da Suécia, França, Itália, Brasil, Polónia, República Checa, Países Baixos e Croácia. A directora da companhia, Maria Franco, deposita boas expectativas na edição deste ano, sublinhando que a iniciativa visa desenvolver «inte-

ração entre os bailarinos contemporâneos, criadores e técnicos de diversos países e culturas». Além de apostar em espectáculos «importantes para a comunidade nacional da dança», a Quinzena proporciona «a mostra de novas criações a diferentes públicos e a oferta de novas experiências de dança à comunidade, bem como fomentar a comunicação entre artistas, académicos e o público em geral». Como novidades, é de destacar a conferência internacional “Corpos (Im) Perfeitos na Performance Contemporânea”, entre 27 e 30 de Setembro. «A ideia é explorar a inclusão de nãobailarinos, de corpos com alguma deficiência ou de tipos de corpos não-estereotipados, na criação da performance contemporânea e abrir novos

DR

Quinzena da dança traz espectáculo de nu integral

A CDA estreia novo bailado

caminhos para a compreensão da dança como forma de arte acessível a todos», argumenta Maria Franco. O município é o principal patrocinador da Quinzena, que em 2011 foi vista por cerca de 2 700 pessoas. Como actividades paralelas, temos aulas abertas para várias idades e experiências em dança, bem como workshops e master classes para estudantes e profissionais da dança.

Ofertas Semmais Ganhe álbuns de Pedro Miguel Temos álbuns “Vais-te apaixonar”, de Pedro Miguel para oferecer aos nossos leitores. Composto por dez temas, este registo apresenta deliciosas baladas românticas que derretem qualquer coração. Para se habilitar aos discos, ligue 918 047 918.

Escolhas Sadinas Por Ana Sobrinho CINEMA DE DIA 21 A 30 DE SETEMBRO NO FORÚM MUNICIPAL LUÍSA TODI E CINEMA CHARLOT - “28.º FESTROIA – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE SETÚBAL”, a Croácia é a homenageada nesta edição, marcada pelo regresso ao renovado Fórum Municipal Luísa Todi. Este ano, em que o ciclo temático é o “Thriller Europeu”, são exibidos cerca de 180 filmes de 40 países. A atriz portuguesa Alexandra Lencastre é homenageada com o Golfinho Carreira./ Preço: Bilhete normal – 4€, bilhete para cartão jovem e reformados – 3€, série de 10 bilhetes – 20€ e série de 20 bilhetes – 37,50€ /PROGRAMA: WWW.FESTROIA.PT ARTES DE RUA DIA 22/09 DURANTE TODO O DIA NO CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE - MOVE. AR: ARTES DE RUA, uma iniciativa do Teatro do Elefante /Às 10H00 no Largo da Ribeira Velha, uma pintura de banners com a Associação Kutsemba./ ENTRE AS 10H30 E AS 12H30 E À TARDE DAS 17H30 ÀS 19H00, percorre o Centro Histórico e a Av. Luísa Todi, “Uma Nuvem Voadora” com os “Irmãos Esferovite”./ DAS 10H30 ÀS 12H30 E DAS

15H00 ÀS 17H00, na faixa central da Avenida Luísa Todi, o ”Elefante” leva o Teatro de Feira./ ÀS 19H00 no Largo da Ribeira Velha, “Staticman” (conceituado homem estátua – António Gomes dos Santos) / ÀS 21H00 no Passo do Olival conversa sobre “Sorrir na Palestina”, seguindo-se, uma hora mais tarde, a Festa das Artes da Rua. DESTAQUES - (LOJAS DE SETÚBAL) Esta semana o meu destaque vai para a loja, LA SPOSA/ SETÚBAL. Uma loja com mais de um quarto de século de actividade no concelho e que tem tornado ainda mais belas as noivas num dia que é sempre especial. Para além da possibilidade que dá a quem vai casar de ir efetuando pagamentos faseados, a La Sposa tem sempre um “miminho” para cada noiva. Um acessório, uma flor, uma recordação… Em pleno centro da cidade, na avenida 5 de Outubro 53 A, a loja La Sposa tem ainda fatos de cerimónia para um evento especial. Pub.

+ Cartaz... Peça para Dois

A Barraca apresenta a “Peça para Dois”, que conta a história de Felice e Clare, dois actores irmãos abandonados pela sua companhia, num teatro de província. Forum Cultural de Alcochete | 21h30.

Sáb.

Sáb.

22

Curtas e bandas Na tela passa a curta “Gasoline”, de Júlio Barreiros e Álvaro Teixeira, seguindo-se a actuação das bandas locais Stereofux, Urbanvibsz e B-Skilla. Casa da Cultura da Quimiparque, Barreiro | 21 h.

Sáb.

22

22

Amarelo Destinado a crianças dos 3 aos 6 anos, “Amarelo”, uma criação de Catarina Requeijo, faz descobri-las todos os segredos da cor amarela. Teatro S. João, Palmela | 16 h.

Ofertas Semmais Ganhe convites para o Festróia Temos convites para oferecer aos nossos eleitores para assistirem a sessões de cinema de qualidade do 28.º Festróia, que arrancou ontem, dia 21, e se prolonga até 30, no renovado Forum Luísa Todi, em Setúbal. O Festival, que este ano homenageia a cinematografia croata e a carreira de Alexandra Lencastre, conta na secção oficial com 14 longas-metragens, sem esquecer as secções Primeiras Obras, o Homem e a Natureza e a temática dedicada ao suspense e terror. Para se habilitar aos convites basta ligar 918 047 918 ou enviar um e-mail para: passatempos. semmais@mediasado.pt


Sábado | 22.Set.2012

www.semmaisjornal.com

Arquitectos da Noruega visitaram escola Emídio Navarro de Almada Escolar, EPE. A Escola Secundária de Emídio Navarro, cujo projecto de requalificação foi executado pelo arquitecto José Laranjeira, pertence à segunda fase do Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário, tendo ficado concluída em Janeiro de 2011. Os edifícios escolares foram reorganizados, recorrendo a ações profundas do

ponto de vista construtivo e funcional. A escola requalificada tem 43 salas de aula, com capacidade para 885 alunos e conta com laboratórios, oficinas, auditório, biblioteca, ginásios, campo de jogos coberto, bar e refeitório, espaços para convívio e trabalho para professores e alunos. DR

UMA equipa de 35 arquitectos noruegueses da Lund + Slaatto Architects visitou quinta-feira a Escola Secundária de Emídio Navarro, em Almada, tendo escolhido o projecto da região entre um leque de escolas europeias, para conhecerem o modelo de requalificação de estabelecimentos de ensino secundário, que está a ser efectivado em Portugal pela Parque

Roberto Dores

Semmais

Suspensão de obras na A26 deixa Alentejo Litoral em polvorosa Nova carreira para o Marquês A TST- Transportes Sul do Tejo dá início no próximo dia 26 à carreira 169 que faz a ligação entre Santa Marta do Pinhal (Seixal) e a rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa. Disponível todos os dias, esta nova carreira permite fazer a ligação directa entre a margem sul, mais concretamente, a zona de Corroios, e o centro da cidade de Lisboa. Para dar a conhecer esta nova carreira e incentivar a sua utilização, a TST disponibiliza o serviço gratuitamente no período de 26 a 30 de Setembro. Esta acção tem como objetivo não só dar a conhecer a nova carreira e o seu trajecto, como também permitir aos passageiros TST avaliar se esta carreira se adequa às suas necessidades, antes de adquirirem o título mensal do mês seguinte.

Entretanto, a TST vai, a título experimental, iniciar uma campanha de promoção do transporte público, até 31 de Dezembro, Com uma redução de 32 por cento no preço, o bilhete de bordo nas carreiras 112, 113, 121, 184 e 195 passa a custar 1,50 euros, em vez dos actuais 2,20 euros.

O ANÚNCIO da suspensão da construção de alguns lanços da futura A26, que ligaria Sines a Beja, caiu que nem uma bomba no Litoral Alentejano. Os autarcas de Grândola, Santiago do Cacém e Sines não se conformam com a decisão e pedem ao Governo para dar justificações cabais ao país. Em declarações ao Semmais, o presidente da Câmara Municipal de Grândola, Carlos Beato, considerou que a decisão, tomada ao abrigo da renegociação da subconcessão do Baixo Alentejo, «põe em causa a estratégia de desenvolvimento em que a região está envolvida e até o próprio Governo, que insiste em promover o porto sineense e depois adia o investimento em acessibilidades». «Vai parecer uma terra de ninguém», desabafa. À agência Lusa, Vítor Proença, que lidera a autarquia de Santiago do Cacém, afirmou que «esta história está muito mal contada» e considerou as medidas «redutoras». «É uma decisão extraordinariamente negativa para o desenvolvimento económico e regional e provoca o estrangulamento da circulação»,

acrescentou. À mesma agência, o autarca lembrou que há «contradições» no anúncio feito recentemente pela Estradas de Portugal (EP) e recordou as obras já no terreno, como terraplanagens e viadutos, bem como as expropriações em curso. «Não vemos uma preocupação do Governo em definir prioridades para dinamizar a economia», sublinhava, por outro lado, o presidente da câmara de Sines. Manuel Coelho admitiu estar «surpreso e preocupado» com a decisão e lamentou que, «mais uma vez, a decisão tenha sido tomada nas costas dos autarcas». Ainda antes de esta ser conhecida, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo (CIMAL), sabe o Semmais, enviou um ofício ao Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, com conhecimento de Cavaco Silva e do secretário de Estado que tutela a área a dar conta da preocupação e dos argumentos da região. «Disseram que o assunto estava a ser analisado, pelo que estranhámos saber destas decisões esta semana pela comunicação social», reitera Carlos Beato, que também acumula a presidência da CIMAL.

Poupanças estimadas em 338 milhões Em comunicado, a EP anuncia a suspensão dos trabalhos de construção do lanços entre Relvas Verdes e Grândola, entre Santa Margarida do Sado e Beja e entre o nó de Monte de Pinheiros e nó do Ramal. Os trabalhos de duplicação do IP8 entre Relvas Verdes e Roncão também foram, igualmente, suspensos. A empresa garante que serão concluídas as ligações entre Sines e Santo André e entre Sines e Santiago do Cacém em perfil de autoestrada. O memorando de entendimento entre a EP e a SPER, subconcessionária do Baixo Alentejo, permite uma poupança de 338 milhões de euros, dos quais 199 milhões serão de investimentos em capital fixo. Este é o quinto acordo celebrado no âmbito da renegociação das subconcessões e surge na sequência dos já alcançados com as subconcessionárias do Pinhal Interior, Autoestrada Transmontana, Litoral Oeste e Baixo Tejo. Bruno Cardoso

Simarsul e investigadores discutem Pré-História na Passadeira A IMPORTÂNCIA estratégica do sítio Pré-Histórico da Ponta da Passadeira será o assunto em debate com especialistas que nos dias 28 e 29 se reúnem no auditório da ETAR Barreiro/Moita, no âmbito das Jornadas Europeias do Património. Promovida pela Simarsul, com a colaboração do IGESPAR, que promove estas jornadas a

nível nacional, e a colaboração especializada do Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, a iniciativa vai decorrer no auditório da ETAR, que se localiza precisamente na restinga da desembocadura do esteiro da Moita. No encontro de dia 28, os convidados visitarão o sítio arqueológico e vão visionar um

filme sobre a ETAR. No dia seguinte, será realizada uma palestra sobre o sítio pré-histórico da Ponta da Passadeira, “a exploração do sal e o seu enquadramento na Pré-História europeia das zonas ribeirinhas”, pela arqueóloga Joaquina Soares. A ocupação humana mais antiga Ponta da Passadeira ocorreu durante o Paleolítico

médio (base da C.5), há cerca de 35000-30000 anos. A paisagem da Ponta da Passadeira era muito diferente da actual. O rio corria encaixado, pois o nível médio das águas do mar estaria 60m abaixo do actual. O clima era frio. Os caçadores Neandertais que viveram na Península de Setúbal alternavam a sua estada em grutas

e abrigos da Arrábida, com a frequentação de praias fluviais. Eram motivados pela qualidade e quantidade de matérias-primas líticas (seixos bem rolados, em geral de quartzito), destinadas à execução dos seus instrumentos e pela riqueza cinegética dessas planícies litorais, onde caçavam provavelmente rinocerontes, cavalos, auroques e veados.


Semmais_22_9_2012