Issuu on Google+

16 anos

Distribuído com o

A REGIÃO

SOMOS TODOS

NÓS

edição especial comemorativa do 16º aniversário do semmais

VENDA INTERDITA Sábado | 21 junho 2014

Diretor: Raul Tavares

semanário — edição n.º 816 • 7.ª série — 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Atual 7

Cultura 9

Política 10

20 anos de Super Bock, Super Rock prometem música da boa

Pedro Abrunhosa & os Comité Caviar atuam dia 23 na Pimel de Alcácer

Apoios do Estado vão contemplar empresas do distrito até 2020 Fotos: DR

Quercus dá “ouro” a 35 praias da região As escolhas da associação ambientalista voltaram a confirmar a excelência das praias do distrito, da península ao litoral alentejano. Entre bandeiras azuis, distinções de mobilidade e ouro, que chancelam as águas de grande qualidade, as nossas praias então mesmo entre as melhores, capazes de atrair cada vez mais turistas.

ABERTURA PÁG. 4

Península perde 300 empregos e Litoral Alentejano ganha 17

Baia do Tejo homenageia Alfredo da Silva em mais um passo para o futuro

NEGÓCIOS Dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional indicam que a região está na cauda da perda de emprego. Palmela e Sesimbra escapam à grande queda e o Litoral Alentejano aguenta-se, com Sines à cabeça.

ATUAL A empresa do Barreiro organiza de 24 a 27 deste mês três grandes conferências, com a presença de membros do Governo, empresários e académicos. Lança o Prémio Empreendedorismo e perdura a imagem do obreiro da CUF.

PÁG. 12

PÁG. 6

Pub.

AGORA, DURANTE AS TARDES, A PARTIR DAS 16H00, JÁ PODE DESFRUTAR DO NOSSO JARDIM DOS PETISCOS


2

ESPAÇO PÚBLICO

EDITORIAL

Raul Tavares

Cavaco e a guerrilha institucional

A

luta entre Governo e Tribunal Constitucional (TC) não deixa ninguém fora deste jogo sujo e compromete, a cada desforra, o normal funcionamento da democracia. As culpas do Governo estão cifradas. Tem gerido o país ao arrepio de questões básicas da Constituição e, avisado, continuou a progredir nessa senda. Pôs-se a jeito e perdeu. Agora está a inflacionar a guerrilha e a arranjar bodes expiatórios. Mas não dou totalmente crédito a todas as posições de gincana dos juízes do TC. Abriram um precedente, na análise constitucional do primeiro orçamento (OE) de Estado de Passos Coelho, ao ‘deixarem-passar’, em nome da crise, normas proibidas. Emendaram a mão no segundo OE, mas ficou, na espuma do acórdão, a ideia de que o fizeram porque as suas remunerações (tal como aconteceu com Cavaco Silva) sairiam igualmente beliscadas. A última versão é mais assertiva. Os chumbos são percetíveis, mas a decisão ficou beliscada por uma alegada intencionalidade política. Agora, não seria nada difícil admitir a aclaração dos fatos, retirando ao governo esta premissa de brincar aos timings que, afinal, deixam milhares de portugueses injustiçados nas suas remunerações e abre, mais uma vez, o tormento da equidade. O país não precisa destas demandas porque já sofre o suficiente. E a sombra do presidente da República continua a nada fazer, assumindo o papel de figura menor no atual contexto nacional. Razão tem Garcia dos Santos para afirmar ter ficado farto de tanto discurso de Cavaco sem consequências.

Ficha técnica Diretor: Raul Tavares; EditorChefe: Roberto Dores; Redação: Anabela Ventura, António Luís, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projeto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Natália Mendes. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redação: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 265 538 819 (geral); Fax.: 265 538 819. E-mail: redaccao.semmais@ mediasado.pt; publicidade. semmais@mediasado.pt. Administração e Comercial: Telem.: 93 53 88 102; Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

A Festa na Cidade, do Teatro Azul ao Feijó: Festival de Almada arranca a 4 de Julho

Q

uando foi fundado, em 1984, na zona histórica da Cidade, o Festival de Almada (que começou por chamar-se Festa) consistia numa mostra dos espectáculos montados pelos grupos de teatro amadores que eram animados, ao longo do ano, por membros da CTA. Nos últimos anos, graças à prosperidade cervejeira e à dos telefones portáteis, surgiram em Portugal festivais como cogumelos – a maior parte nasce e extingue-se pouco depois, conforme convém aos grupos económicos que os sustentam. De Caminha a Vila Real de Santo António, não há produtor de eventos que não crie o seu festival de qualquer coisa: do berbigão, de gigantones, da sardinha assada. Quando se fala de Festival, está a falar-se do quê? Sabemos que o que gastamos a alojar e a alimentar as centenas de artistas que cá vêm, ou a comprar materiais para as montagens, ou a empregar, sazonalmente, os jovens estudantes que nos ajudam – não é pouco. Mas não é o dinheiro, ou o mister de amealhá-lo, que nos move: é outra coisa. É regressarmos, trinta anos passados, à proximidade tu-cá, tu-lá com a Cidade (e irmos à Rua Cândido dos Reis, à Praça do MFA, à Praça São João Baptista, à Praça da Portela, no Feijó, com espectáculos de rua que, mais do que criar festarola, lembrarão aos almadenses que o seu Festival irá decorrer em cinco salas da Cidade, e que em

LETRAS EM PAPEL QUADRICULADO

Quer-me Parecer

A Rodrigo Francisco Diretor da CTA Almada há este ano 23 peças para ver). É iniciar, em parceria com a Share Foundation (que não nos inquiriu acerca de retornos económicos), um projecto de quatro anos chamado O sentido dos Mestres, porque somos dos que acham que, na Arte, faz sentido que os Mestres nos indiquem um sentido – nem que seja para poder, depois, pô-lo em causa, como os verdadeiros Mestres fazem constantemente consigo mesmos. O que nos move, no fundo, é acharmos que um Festival não é uma negociata, e que, por exemplo, o que o Luis Miguel Cintra vai partilhar connosco na Casa da Cerca não é passível de ser inserido num caderninho de deve e haver. Quer se queira, quer não se queira, a palavra Festival carrega este lastro consigo. Temos essa consciência quando chamamos Festival àquilo que fazemos. Temos bem claro, nas nossas cabeças, que o alcance de um Festival, uma Festa que é estival, não pode redundar em vender cerveja e bifanas (de que também gosto, por sinal). Não queremos ser farinha desse saco. Vamos lá, então?

cho uma incongruência, este não sei quê, inventado por não sei quem em que temos de viver não sei como. Por entre cálculos, restrições, formas amovíveis e todo o concretismo, querem que viva, expresse, sonhe, imagine… Pior: querem que seja eu mesma. Neste mundo limitado? Não, asseguro-vos que nunca conseguirei ser quem sou: há uma partitura de complexidade que ultrapassa os parâmetros físicos e possíveis da realidade presente em todos nós e só é possível viver plenamente se não nos apercebermos que ela existe. Escolhe! Despacha-te! Define-te! Escolhe mais depressa! — Não. Recuso-me. Não me quero apressar, nem escolher e muito menos definir-me neste mundo, de acordo com eles e não de acordo comigo. Para quê? Para que servem todas as definições e todas as barreiras? É uma espécie de limite mental com o qual nos temos de conformar. Neste mundo temos a infeliz oportunidade de poder lamentar: “Estou dividida…” Estou dividida? Dividida? Dividida entre duas partes de quem sou? Não! Se as duas partes me pertencem, se os dois desejos são meus, então essas duas metades são o que sou. E ninguém

Finda a nota de imprensa, convenhamos…

Q

ue de novo os Valores de Abril, de que Vasco Gonçalves e Rosa Coutinho foram grandes figuras de há 40 anos, voltaram a marcar espaço, faz hoje oito dias, na Cooperativa de Habitação Bem-Vinda a Liberdade, no Faralhão, em Setúbal, num almoço-convívio de homenagem ao único Primeiro-Ministro a quem os trabalhadores e o povo português trataram como “Companheiro”, “Camarada”, alguma comunicação antecedeu o Semmais a divulgá-lo, naturalmente. A iniciativa rememorou as sucessivas deslocações àquela Cooperativa que se abeira dos Sapais de Mitrena de Vasco Gonçalves, Rosa Coutinho e José Casanova, escritor e então Director do Avante!, no quadro da afirmação da solidariedade com Cuba promovida pelo Núcleo de Setúbal da Associação de Amiza-

de Portugal-Cuba (AAPC), facto igualmente revivido pela leitura de poemas por duas das suas militantes mais antigas, Odete Santos e Olinda Peixoto. Perante mais de 80 participantes, com forte presença de um outro núcleo setubalense, o da União dos Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), tomaram a palavra o Comandante Manuel Begonha, Militar de Abril, e José Casanova, respectivamente Presidente e Vice-Presidente da Associação Conquistas da Revolução. Ambos repartiram o destaque a dar ao General e ao Almirante da Revolução do 25 de Abril, após uma introdução de Nuno Lopes, membro da Direcção. De permeio, também se falou de Álvaro Cunhal e Eugénio de Andrade, dos dias 11 a 13 de Junho de 2005 entre os quais ambos faleceram após Vasco.

Valdemar Santos Militante do PCP

Manuel Vestias, Presidente da Junta de Freguesia do Sado, deixou uma saudação. Com dezenas de reformados, pensionistas e idosos, no âmbito da regular actividade daquele órgão autárquico, deslocara-se a uma terra, Peniche, cujo simbolismo - o da resistência e luta antifascista - não deixava de se ligar ao Faralhão que abria de novo portas a quem resistiu e lutou. Finda a nota de imprensa, talvez devamos dar a mão à palmatória: não foi citado o colectivo da Cooperativa que arregaçou mangas e pôs mão à obra, com destaque para o apuramento gastronómico. E nessa permuta de afazeres se instalou a pergunta: “Quando veio Vasco, a primeira vez?” Estava a Bem-Vinda a Liber-

Margarida Nieto Estudante poderá entender-me como um todo porque estou delineada, restritamente desenhada, pois o mundo obriga-me a escolher e, embora não querendo, escolher é a única coisa que posso fazer. Quero dizer, já que se lembraram de nos encaixar em recipientes corporais para nos expressarmos, porque não deixar tudo o resto em aberto? Sei lá. Acho que já tinham até construído uma estrada que levava à Matemática, à Ciência, à Política, à Literatura esperando que alguém a descobrisse para delimitar tudo o que começou por não ter limites. Só porque quero duas coisas opostas, incompatíveis… E por isso, tudo isto é incongruente, desconexo… Não está certo, deveria ser uma realidade em que podemos ser sem escolher, no mais amplo sentido dos sentimentos, das emoções – sem limites. Sim. E peço assim ao mundo algo que ele nunca me poderá dar, obrigando-me, mais uma vez, a conformar-me. Infelizmente.

dade em construção, havia a Comissão de Moradores, Vasco Gonçalves fez um desvio entre o Entreposto Industrial e a Setenave, onde se encontrava com os trabalhadores. A propósito da primeira, foi recordada a recepção de Jerónimo de Sousa à porta da empresa, numa acção de campanha eleitoral onde a aparelhagem sonora transportada num carro de apoio entendeu-se ser substituída pelo megafone com que os operários se faziam ouvir nas ruas e estradas (na Nacional 10, cortada em defesa do futuro e dos postos de trabalho). Mas por muito que as datas se perdessem no tempo, logo veio um contraponto de memória, pura e dura: — “Certo é no 1 de Outubro termos de nos juntar em massa no Monumento ao 25 de Abril e às Nacionalizações, na Praça de Portugal. Foi feito e montado pelos trabalhadores do Estaleiro da Setenave e inaugurado no aniversário da CGTP-IN, em 1985”. O devir, pois, ditava as regras.


3

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

COMENTÁRIOS DIVERSOS (2 — Ensino)

Onze e uma bola

O

nze e uma bola. E mais onze. O mundo (ou uma parte do mundo) deixa a sua rotação como planeta e passa a rolar naquela outra bola. A bola de futebol. Porquê? Ninguém sabe. Eu, pelo menos, não sei. Mas que qualquer coisa acontece, acontece. Qualquer coisa de irracional e, a um tempo, racional. Corremos, como se não houvesse amanhã, para olhar para um campo de futebol. E tudo se resume, então, a um jogo. Um jogo de futebol. A vida em hora e meia. Desde pequeno, pela mão do meu avô, que sofro. Penas e danos. Lágrimas e alegrias que valem por muito. Sofro como sofre qualquer adepto ferrenho do Vitória de Setúbal. Mais derrotas do que vitórias. Mais esperança do que realismo. E, como se não chegasse, aquela saudade dos anos 60 e 70. JJ não é nome de rapper é nome do nosso herói. O das jogadas impossíveis que afinal foram possíveis. Foi assim com o Vitória que aprendi a ver futebol. Mas desde esse tempo (noutro século e noutra “dimensão futebolística”) que, mais do que campeonatos ou taças, acompanhei com emoção, entusiasmo e uma empatia para lá da explicação, os mundiais de futebol. Primeiro, na longa “noite” em que Portugal não calçava torcendo pelo Brasil. Agora torcendo pelos dois. Por isso Mané Garrincha, na verdade Manuel dos Santos, (1933 - 1983) foi, é, e será, o jogador da minha vida. Um jogador, aliás, acima da vida. Tudo nele era improvável. E essa improbabilidade explica o seu futebol. Quando em 1958, na Suécia; ofereceu o primeiro mundial ao Brasil, perguntou, na véspera da final, a Nilton Santos, quem era o próximo adversário. Nilton santos incrédulo disse-lhe: “é a Suécia, e será o último jogo”. A resposta de Garrincha ficou para a história. “Já. Mas que torneio mixo! O campeonato carioca é muito me-

Já chega! Marquem-se as ‘diretas’

O

PS tem um problema para resolver que se prende com a clarificação da sua liderança e da estratégia política associada. Esta é uma evidência que exige à atual direção, e em particular ao Secretário Geral, a assunção urgente da atitude adequada que deve ser a marcação de eleições diretas antecipadas para a liderança a que terá de se seguir todo o processo normal de formação de novos orgãos. Não pode a resposta ser outra em face do desafio que foi lançado por um socialista com provas da-

T Turismo Semmais Jorge Humberto Silva lhor, que tem turno e returno (primeira e segunda volta)”. E pronto, o Brasil ganhou o primeiro de cinco títulos mundiais. A felicidade de ver Portugal ser uma presença habitual em mundiais não tem paralelo. Senão vejamos: 2002; 2006; 2010; 2014. Quatro mundiais sempre com Portugal. Antes só lá estivemos em 1966 e 1986. Por isso vamo-nos divertir: Portugal está lá de novo. E nós também, cada um com Portugal. Depois, não se iludam, serão apenas onze e uma bola. E, no outro lado, mais onze só para chatear. Não começamos bem é verdade. 4 secas da Alemanha é duro. Mas não nos esqueçamos que o futebol não é o espaço nem da euforia nem do desespero. O futebol é o espaço da equipa, da convicção e do acreditar. Para além, claro, do talento do esforço e do trabalho. Como a vida, aliás. O futebol é assim uma interrupção na existência. Uma interrupção talvez não tanto assim. Talvez certas coisas não mudem mesmo. Afinal sabem quantos milhões de reais o turismo trará ao Brasil durante a copa? E, já agora, quanto custaram os estádios? Claro que não sabem. Também o que é que isso interessa, não é? Venha então o que conta: o futebol. Onze e uma bola. E mais onze. Talvez um novo Garrincha chegue e resolva. Talvez, esse novo Garrincha, tenha nome de estrela global: CR7. Afinal o futebol não é um jogo coletivo? Nota final: devo esta crónica à inspiração que foi ler “Estrela Solitária. Um brasileiro chamado Garrincha”, de Ruy Castro, Companhia das Letras, 1995.

Eurídice Pereira Deputada do PS das de pertença ao Partido e à causa pública, e validado por milhares de militantes. Diz-se que, pelo formato estatutário, o secretário-geral do PS não pode ser demitido “por qualquer dos órgãos do partido”! Falso. Pode. Pode por ele próprio. Pode “por decisão pessoal”… Por muito que seja incómodo afirmar, o grande Partido Socialista está nas mãos de um só homem, com milhares de militantes, como já referi, a apelarem a uma clarificação imediata.

er acabado com o Ensino Técnico Profissional foi tremendo ERRO. Retirar o “saber fazer” contribuiu para maior dependência externa. O FSE, fora do sistema de ensino, colmata mas às vezes sem ir ao encontro das necessidades empresariais e “perdendo-se verbas no caminho” só compensou parte da débil Economia. Não é por acaso que o maior desenvolvimento se verifica em países c/sistemas de formação exigentes como é ex. a Alemanha que continuou a apostar no ETP aplicando método Dual (alternância Escola–Empresa) que em Portugal é ex. ATEC elevando-a tecnicamente a “anos-luz” de Portugal. Devia ter-se alargado o ETP a outras actividades profissionais, implementar evolução tecnológica (apesar de bons resultados na Informática) e métodos de organização p/aumento da produtividade. — A impreparação dos decisores p/massificação do ensino e, os efeitos das políticas de ensino só se detectarem pós uma geração, levou o sistema político a não lhe dar atenção. Foi o “quem vier a seguir que feche a porta”. A “infatilização do eduquês” fez com que os alunos saiam da Escola sem noção do que é a vida prática. Passou a apostar-se só no papel/caneta e políticas educativas facilitistas, acabando p.ex. c/avaliações em finais de ciclo e pressionando docentes a aprovarem alunos sem o merecerem (p/ estatísticas) subvertendo o objectivo para que serve a Escola, criando a ilusão que esta é extensão do espaço de lazer. -Alterações na sociedade, onde ambos os progenitores trabalham, divórcios e/ou avós permissivos/ ausentes, dificultam incutir em casa valores educacionais (éticos/ cidadania/culturais) e disciplina de estudo, que se têm degradado geracionalmente.

-A prematura introdução de recursos computacionais incluindo calculadoras nos 1ºs ciclos, de que o magalhães é exemplo, descuraram conceptualização e “ginástica mental”. PC´s/Redes Sociais/programas TV alienantes/ Telemóveis, sem controlo da sua utilização, levou alunos influenciáveis a dispersarem-se por actividades não formativas, passando noites acordados, dando origem à sonolência retirando-lhes a concentração necessária para as aulas do dia seguinte, como se não bastassem as lacunas de aprendizagens anteriores. O objectivo de dar maior possibilidade de acesso à informação permitida pela Internet foi adulterado, perturbando o bom ambiente na aula. Os programas do secundário permitirem calculadoras (e bem) mas não no superior são ex. da deficiente articulação entre estes níveis de ensino. Tudo isto trouxe mais desvantagens do que vantagens. — Contrariando o objectivo de dar oportunidades iguais independentemente do estrato-social, assiste-se ao contrário. Antigamente c/níveis de exigência mais elevados era possível um aluno de baixo estrato-social singrar. Hoje é mais difícil dadas as motivações extra-curriculares. Salvo honrosos casos de alunos que sabem o que querem para o seu futuro e/ ou são bem orientados pela família, amigos e docentes, parte da nossa juventude não tem sido bem orientada. Será que a massificação serve para reter o grupo frágil de alunos, senão ficam mais cedo “parasitas”? — Como se não bastasse, em inversão do que seria natural, assiste-se à prática de e.v. de se avaliarem alunos, avaliam-se docentes (avaliados nas formações académica/profissional) espante-se pelos enc.educação/alunos, desautorizando quem devia ter a Autoridade, salve-se a expressão

A atual liderança do PS não tem condições de exigir com uma mão a terceiros aquilo que nega aos militantes com a outra . É uma questão de…força da palavra. Dificilmente falharei se disser que, em idênticas circunstâncias, qualquer secretário geral anterior ter-se-ia disponibilizado para ver a sua liderança ‘reapreciada’. E não se argumente com as ‘primárias’ porque elas são apenas um instrumento de recurso que possibilitou o adiamento do que devia ter sido enfrentado, sem rodeios, no primeiro momento, a disputa do cargo de líder do PS. António Costa disponibilizou-se para o efeito não em consequência de um ímpeto individual mas de um apelo coletivo, interno e externo ao Partido. É portanto o cargo de secretário

geral que deve ser sujeito a escrutínio antecipado. E o escolhido é aquele que o Partido indicará para ocupar o lugar de primeiro ministro. Todos o sabemos. Não há nada a inventar e os eleitores, que obviamente vivem a situação do PS, não entendem o arrastar do problema. Quem por cá anda sabe bem que a disponibilidade de Costa abriu uma porta de esperança para a mudança desejada. É factual. Os portugueses e as portuguesas sabem que para enfrentar a direita é necessário um PS forte, que não deixe margem para dúvidas e que obtenha amplo reconhecimento. É obrigação do PS responder neste sentido. E tendo o PS a resposta, os/as eleitores não ‘perdoarão’ se ela não for disponibilizada ao país.

Caldeira Lucas (Eng.o, Gestor, Prof., Consultor) “como se criminosos pudessem avaliar juízes”. Foi “caixa de pandora” para a indisciplina que impera na Escola. Foi a “MACHADADA FINAL”. — O menos culpado é o Docente. A incompetência transformou o que antes era uma escola formativa, num espaço de perseguição aos sobrecarregados Docentes, antes respeitados e considerados fundamentais para Portugal. — A Economia também devia dar o seu contributo de crescimento, senão é continuar a formar alunos para depois emigrarem, como se os jovens fossem um produto de exportação, e desmotivando os que ficam.

O Autor foi aluno do quadro-honra na Escola Agro-Industrial-Grândola e na melhor Escola Técnica da Península Ibérica. Eng.º Mecânico e Electrotécnico (IST) Pós-Graduado em Gestão Empresarial e especialista em Transportes. Além de outras actividades profissionais foi 40 anos docente nos Ens. Secundário/Superior leccionando 27 disciplinas nas áreas: Engenharias/Gestão/ Economia/Matemáticas. No 25/4/1974 era membro do Conselho Pedagógico Esc.Com.Industrial-Setúbal. Prof-Almada. Director da 1ª Escola Secundária de Sesimbra. Director de Formação numa Grande Empresa Nacional e membro da 1ªComissão Empresa-Escola p/retoma do ETP. Formador/ Consultor ATEC-Câmara Comércio Indústria Luso-Alemã/ Volkswagen/Siemens/Bosch-Palmela.

Afinal, pode o Presidente da República continuar a protelar a queda do Governo se houver uma alternativa amplamente desejada? Óbvio que não pode. E toda a direita ultra-liberal sabe que assim é. Então, por Portugal, marquem-se eleições diretas no PS para clarificar a liderança. Já chega !

“ Não há nada a inventar e os eleitores, que obviamente vivem a situação do PS, não entendem o arrastar do problema”


4

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

ABERTURA

Depois das azulinhas, praias da região somam distinções

Quercus dá “ouro” a 35 praias da região Não bastam terem desfraldadas bandeiras azuis. São mesmo as melhores entre as melhores neste país de mar e de sol. A região tem 35 praias de “ouro”, um chamariz que só aumenta a responsabilidade e a marca. A distinção é da Quercus. nha) e Sesimbra quatro (Bicas, Lagoa de Albufeira, Moinho de Baixo e o leitor é daqueles verae Ouro – a novidade da lista), ao pasneantes para quem a qualiso que Setúbal fica com três praias dade da água do mar conta na douradas (Figueirinha, Galapos e hora de escolher a praia, saiba que Portinho da Arrábida). Santiago do o distrito de Setúbal oferece 35 boas Cacém exibe ouro em duas zonas balneares (Costa de Santo André e razões para o fazer. Tantas quantas Fonte do Cortiço). as zonas balneares que conquisRecorde-se que a bandeira taram a «Qualidade de Ouro» em “Qualidade de Ouro” é atribuída 2014, o mais importante galardão pela Quercus tendo como base a atribuído pela associação ambienexcelência da qualidade da água talista Quercus. Grândola detém o maior núbalnear, tendo o galardão voltado mero de praias douradas na rea distinguir a Praia Vasco da Gama gião, com um total de dez (Aber(Sines), pelo terceiro ano consecuta Nova, Atlântica, Carvalhal, Comtivo, o que significa que a zona balporta, Galé, Melides, near manteve, durante Quercus Pego, Tróia Bico das Luum período de cinco anos premeia las, Tróia Galé e Tróia e sistematicamente, os excelência da Mar), seguindo-se Almamelhores resultados, de água balnear da, com um total de nove acordo com os indicado(CDS, Cova da Vapor, Mata, Praia res disponibilizados pelo InstituNova, Rainha, Riviera, São João to da Água, ao abrigo da legislação da Caparica, Saúde e Tarquíneo/ nacional e comunitária em vigor. Com estas distinções os amParaíso/Dragão Vermelho). Sines garante seis (Porto Covo, bientalistas pretende exibir a «gaIlha do Pessegueiro, Morgavel, São rantia de praias que ao longo de Torpes, Vasco da Gama e Vieirivários anos, Roberto Dores

S Grande parte das praias do litoral alentejano conseguem a cada ano somar excelência. São belezas naturais, algumas das quais ainda quase virgens.

Quando a qualidade compensa Recorde-se que para este Verão, a costa do distrito já tinha assegurado 28 bandeiras azuis, com o presidente da Associação Bandeira Azul da Europa, José Archer, a sublinhar que o galardão «trás retorno e mostra que vale a pena in-

vestir». Opinião corroborada por Francisco Ferreira, para quem a melhoria da qualidade de água é fruto do investimento que tem sido promovido pelas autarquias da região, sobretudo ao nível do tratamento de esgotos.

apresentam sistematicamente boa qualidade», como sublinhou Carla Graça, garantindo a associação que estas praias oferecem, por inerência, «uma maior fiabilidade no que respeita à boa qualidade da água, confirmando ainda a sua excelência na última época balnear». Ainda assim, a classificação máxima na qualidade da água correspondia a «boa» até 2009 e é de «excelente» desde 2010, tratando-se de um critério mais apertado do que o das normas sobre as águas balneares, que resultam de uma diretiva europeia. O dirigente da Quercus Francisco Ferreira diz que a associação ambientalista «vai mais longe para prestigiar as praias que de uma forma muito consistente têm tido água de qualidade excelente», considerando que este passo contribui para valorizar «a escolha das pessoas quanto às zonas balneares que querem frequentar».


6

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

ATUAL Semana de homenagem a Alfredo da Silva decorre de 24 a 27 deste mês

Baía do Tejo lembra passado com olhos lançados ao futuro É uma iniciativa em grande que vai trazer à Baia do Tejo o Governo em peso. A homenagem ao grande industrial é mais um passo para a consolidação da estratégia da empresa, na promoção e na alavancagem de desenvolvimento industrial da região e do país.

Pub.

maiores industriais e emtes territórios», é a melhor preendedores do país, mas forma de garantir a passatambém chamar a atenção gem dos tempos. «Temos a para o potencial dos terriobrigação de não permitir tórios do Arco Ribeirinho esquecer aquele que foi um Sul e dos parques empresados maiores expoentes da riais da Baia do Tejo», disse atividade industrial no país ao Semmais Jacinto Pereie na europa do Século XX». ra, o presidente do conse«Chamar a atenção» para lho de administração da emas potencialidades destas zonas industriais da Marpresa. Jacinto Pereigem Sul é pois um Lider da empresa ra lembra que o objetivo assumidiz que ARS do pela adminisfato de o evento se é alavanca de realizar no Museu desenvolvimento tração da Baia do Tejo, sobretudo Industrial da Baia do Tejo, «um espaço que numa altura em que a estraeterniza as memórias da atitégia de reindustrialização do país está em cima da vidade transformadora nes-

mesa. «Tendo em conta o adn destes territórios e a sua capacidade instalada, nomeadamente no Barreiro e no Seixal, nenhum processo de reindustrialização do país pode avançar sem passar por estes espaços», acentua Jacinto Pereira. E acrescenta: «Estes territórios têm condições para alavancar o crescimento e desenvolvimento económico da região e do país, uma vez que dispõem de uma grande capacidade para acolher todo o tipo de projeto e investimento». Desenvolvimento futuro tem que passar pelo ARS E as condições falam por si. Via-férrea própria, portos, acesso às principais vias de comunicação rodoviária, proximidade do porto e do centro de Lisboa, entre outras. «São vantagens competitivas para todo o tipo de instalação industrial que não podem ser ignoradas», acentua o responsável. Por isso esta iniciativa ganha um peso substantivo para a administração da Baia do Tejo. Uma homenagem que tardava e uma forma de recolocar no centro das opções os territórios do Arco Ribeirinho Sul. E as expectativas são grandes, segundo Jacinto Pereira. «Esperamos que seja entendida como uma medida de promoção e que se afirmem cada vez estes territórios de excelência como uma mais-valia para os clientes da Baia do Tejo, para os empresários e para as populações em geral», conclui.

O presidente da Baia do Tejo, Jacinto Pereira, numa roda de iniciativas. DR

R

elembrar a façanha do empresário de Alfredo da Silva, que tornou o complexo industrial da antiga CUF, no Barreiro, num dos maiores expoentes do setor em Portugal e na Europa, é o grande objetivo da homenagem que a Baia do Tejo vai levar a efeito entre 24 e 27 deste mês no seu Museu Industrial. Um programa recheado, que vai contar com a presença de vários membros do governo, empresários de renome e outras personalidades (ver caixa), com o sentido de «homenagear um dos

Governo vai estar em peso O programa é composto por três grandes conferências, uma exposição sobre a “Vida e Obra de Alfredo da Silva” e lançamento do “Prémio de Empreendedorismo”. E nem falta o concerto de encerramento a cargo de Rodrigo Leão, a decorrer no recinto do Mausóleo, com entrada livre. Mas a presença de vários membros do governo, como os ministros da Economia, Pires de Lima, do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Mo-

reira da Silva, e pelo menos três secretários de Estado, Castro Almeida (Desenvolvimento Regional), Adolfo Mesquita Nunes (Turismo) e Pedro Gonçalves (Inovação, Investimento e Competitividade), marcam o interesse estratégico do evento e dos territórios do Arco Ribeirinho Sul. Para além destas figuras da cúpula do Estado, a iniciativa vai ainda contar com inúmeras personalidades de reconhecida reputação empresarial e académica.

Prémio Empreendedorismo A administração da Baia do Tejo vai aproveitar para lançar um prémio de empreendedorismo, que aposta no espírito empreendedor, na inovação e na capacidade concretizadora. Foram estes atributos, diz Jacinto Pereira, que estiveram na base

na visão e na postura de Alfredo da Silva. O que se pretende é captar «boas ideias» e facilitar o contato e desenvolvimento de sinergias entre novos projetos, empresas consolidadas e a universidade, dentro dos seus parques industriais, reafirma.

“Universidade de verão” na UNISETI A UNISETI – Universidade Sénior de Setúbal vai organizar entre 23 de Junho e 11 de Julho um conjunto de seminários, palestras e workshops destinados ao público em geral, no quadro de mais da 1.ª “Universidade de Verão” daquela

prestigiada instituição. Os temas são abrangentes, da arqueologia e património industrial, envelhecimento ativo, leitura histórica, turismo religioso, saúde e bem-estar, entre outros. «A ideia é conceber a iniciativa como espaço de debate

e reflexão sobre estas diversas áreas e completar, desta forma, as disciplinas curriculares que fomentam a preparação cultural, técnica e prática dos participantes, alunos e público em geral», explica o coordenador da iniciativa, Arlindo Mota.


7

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

20 anos de Super Bock Super Rock assinalados com muita e boa música O 20.º Festival Super Bock Super Rock, organizado pela Música no Coração, que decorre de 17 a 19 de Julho, junto à praia do Meco, foi apresentado na última quarta-feira no recinto da Herdade do Cabeço da Flauta, no concelho de Sesimbra, onde decorre há cinco anos. Massive Attack, Disclosure, Eddie Vedder, Woodkid, Kasabian, The Kills, Metronomy e Foals são alguns nomes do cartaz deste ano que irão atuar no palco principal, sendo que nos palcos EDP e Antena 3 também irão atuar muitas outras bandas Luís Montez, líder da organização, realçou que o festival decorre num espaço «único, sem vizinhos e onde se pode fazer barulho à vontade», acrescentando que as expectativas para a presente edição são as melhores. «A venda de bilhetes está a decorrer melhor do que no ano passado, o cartaz é excelente e o público acredita na programação». Luís Montez acon-

Os Massive Attack são um dos cabeça de cartaz.

selha o público a ir para o festival de transporte público para evitar os congestionamentos. «A melhor solução é usar o transporte público para se poder beber à vontade e mas se vierem de carro tragam o maior número possível de pessoas», vincou. Estão garantidos, além de transporte gratuito para a praia, autocarros com partidas da Praça de Espanha, Gare do Oriente e estação de Coina, com bilhetes entre os

Setúbal ganha empresa de consultoria em comunicação A MEDIACTION – Sociedade de Comunicação, que foi apresentada quinta-feira, no Mercado do Livramento, é uma nova empresa de consultoria em comunicação, fundada por Emídio Simões, ex-jornalista que trabalhou da agência Lusa. Sediada no Ninho de Novas Iniciativas Empresariais de Setúbal, a Mediaction pretende trazer valor às empresas através de uma estratégia de comunicação profissional. «Verificámos que não havia qualquer empresa a prestar estes serviços no distrito e consideramos que há um mercado a trabalhar ao nível das PME, instituições de solidariedade social e autarquias. Acreditamos que o nosso ‘know-how’ pode ser importante para criar valor para o tecido empresarial, que vive um momento delicado», referiu Emídio Simões.

2,50 e os 4 euros. Miguel Araújo, representante da marca de cerveja, afirmou que 2014 vai ser uma edição «muito especial» para a Super Bock, uma vez que está garantida cerveja «recente, de qualidade e fresca», bem como um espaço onde o público poderá aprender a tirar cerveja de forma correta. O presidente do município sesimbrense, Augusto Pólvora, faz um balanço «muito positivo» do festival em ter-

ras de Sesimbra. «Os problemas do terreno, que não tinha as condições necessárias no primeiro ano, foram ultrapassados. Hoje estão garantidas as acessibilidades, a qualidade dos espaços e acabou a poeira. O festival está hoje consolidado e já é um evento de referência e de grande importância para a economia local e para a divulgação do nosso bom peixe», sublinha o edil. O SBSR vai ter Hi-Fi gratuito, espaço Baby-Siter, o Super Cooler, para refrescar as latas de cerveja Super Bock, um supermercado, campismo, espaço para auto-caravanas e estacionamento para 7 mil carros. Dando continuidade à atenção com a sustentabilidade, à parceria com a Quercus, junta-se este ano nova parceria com a Sociedade do Ponto Verde. As portas abrem às 16 horas. O bilhete diário do SBSR custa 48 euros e o passe de três dias 90 euros.

Assalto violento dá prisão preventiva UM dos dois indivíduos que na madrugada de quarta-feira agrediram violentamente um homem de 40 anos na avenida Luísa Todi, durante um assalto, ficou em prisão preventiva, enquanto o outro suspeito viu o Tribunal Judicial decretar-lhe apresentações diárias na área de residência. As autoridades policiais admitem que os contornos do caso geraram alarme social na cidade. A violenta agressão ocorreu no momento em que o cartão Multibanco da vítima foi retido pela caixa ATM, após três tentativas falhadas dos assaltantes para levantarem dinheiro, devido à introdução de código errado. Os suspeitos, de 20 e 21 anos, eram conhecidos pela PSP por outros crimes do género. O duo abordou o homem na via pública, usando de imediato a violência para o obrigar a dar-lhes o pin do cartão, com o objetivo de fazerem levantamentos da sua conta. Porém, a vítima resolveu fornecer um

o código errado – acabando o cartão retido pelo equipamento à terceira tentativa - o que levou os suspeitos a partirem para a «extrema violência», revela a PSP, à base de socos e pontapés. O homem necessitou de tratamento hospitalar, vindo a ser submetido a vários exames no hospital de São Bernardo. O assalto ocorreu pelas 04.30 horas, quando os dois suspeitos abordaram a vítima na via pública e a obrigaram a dirigir a uma caixa ATM, mas perante a impossibilidade de levantar o dinheiro, o duo apoderou-se de bens pessoais do homem. Telemóvel, tabaco e chaves da casa. Foi já «quando os assaltantes se preparavam para abandonar a vítima na via pública», relata a PSP, que chegaram ao local agentes da investigação criminal de Setúbal que detiveram os indivíduos, recuperando os artigos roubados e apreendendo uma faca «que não foi utilizada no ilícito», esclarece a polícia.

CRÓNICA UM CAFÉ E DOIS DEDOS DE CONVERSA

D.

Felipe VI é um nome que não gosto. Não gosto dos Filipes. Nenhum Português gosta, ou melhor, devia gostar. Não nos esqueçamos que Filipe II de Espanha reinou no nosso burgo, tendo sido simultaneamente Filipe I de Portugal e esteve associado ao período mais negro da nossa história, assim, como os seus sucessores. Não será concerteza o simpático e cavalheiro Felipe, nascido no dia 30 de janeiro de 1968, em Madri, educado em Espanha e no exterior, com formação militar, com o único objetivo de se tornar chefe de Estado e com a sua única meta - servir à Espanha e até aqui Príncipe das Astúrias, que nos apoquentará; e não devemos alinhar pelo adágio popular que nos diz que “De Espanha, nem bom vento, nem bom casamento”, antes pelo contrário - devemos todos desejar um bom reinado e que a Espanha progrida em todos os sectores, porque uma Espanha forte, nosso principal importador e privilegiado parceiro cultural, social e económico, tornar-nos-á, de certeza, mais fortes. A verdade é que parece que, pelo menos no que respeita ao mundo do futebol, a Ibéria está contagiada pela Lei de Murphy - é um epigrama da cultura ocidental que normalmente é citada como: “Qualquer coisa que possa correr mal, ocorra mal”. Ela é comumente citada (ou abreviada) por “Se algo pode dar errado, dará” e assim Felipe VI é coroado precisamente no dia seguinte a uma depressão colectiva do seu Povo. mas deixemo-nos de maus agoiros... Quem também invoca esse adágio popular são os Portugueses e sobretudo aqueles envolvidos na humilhação às mãos da Sra. Merkel, perdão, à mão, ou melhor, aos pés dos jogadores da Alemanha. E tudo isso num Estádio que não contou com a presença do nosso Primeiro-Ministro, nem do nosso Presidente da República, Prof. Aníbal Cavaco Silva, ausências estupidamente chamadas à liça da discussão política, o que nos leva a questionar o que diriam os mesmos comentadores e “opinion makers” se Pedro Passos Coelho envolvido em tirar a situação do País do estado calamitoso em que ainda está e se encontra, delapidasse milhares de euros numa viagem para ir ver um jogo de futebol. Ainda se fosse a final... Mas, voltando ao jogo, tendo em conta tudo o que aconteceu e que me escuso a comentar detalhadamente, penso que a ter existido tal jogo, não há dúvida que nesse momento e em relação à nossa equipa se aplicou a

Paulo Edson Cunha Vereador PSD/Seixal já referida “Lei de Murphy”, pois o que podia correr mal, de facto correu. Mesmo assim, há optimistas que conseguem retirar aspectos positivos, mas esses são mauzinhos, na medida em que para esses cavalheiros o que correu bem foi termos a certeza de que Hugo Almeida e Rui patrício não jogam os próximos dois jogos. Claro que à semelhança do que acontece com o caso de Pedro Passos Coelho que seria sempre “preso por ter cão e por não ter”, também aqui Paulo Bento estava tramado, pois se tivesse metido a jogar Helder Postiga ou levado Quaresma ao Mundial, todos aqueles que agora anseiam pela chamada desses jogadores, seriam os mesmos que estariam agora aqui e agora a dizerem que era melhor ter jogado Hugo Almeida ou Quaresma. Mas claro que eu estou a falar num “suponhamos”, pois estou em crer que há aqui uma incrível maquinação perpetrada pela CIA, através da ingestão de um aluciogenico na água e com o objectivo de colocar o nosso povo a alucinar e os EUA passarem aos oitavos de final e, vai-se a ver, o jogo é só para a semana. Eu nornalmente não alimento estas especulações doentias, mas como sei que é impossível jogarmos tão mal, nem nunca o fizemos, vai-se a ver, também bebi dessa água e confundi o jogo que vi o meu filho fazer na Playsattion e confundi com um jogo real. Até me lembro de ter refilado com ele, com duras palavras, para o despertar para avida: “filho, não podias colocar Portugal a ganhar aos Alemães? Já não nos chega os castigos que eles nos obrigaram a passar durante os últimos três anos e tu, até na Playstation os pões a ganhar? se não nos pões a ganhar, ainda te coloco de castigo”. E pronto, a verdade é que também sou um dos portugueses que anda com pesadelos e pensa que o jogo já ocorreu. Como se isso fosse possível. Nós temos o melhor do mundo, três campeões europeus deste ano, mais alguns noutros anos (Raul Meireles, pelo Chelsea e Nani pelo M. United), campeões em vários países, o guarda-redes vencedor da Liga Europa, alguns dos finalistas vencidos, íamos lá levar quatro dos Alemães! Acordem rapazes...


8

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

CULTURA Barreiro lembra Zeca Afonso

Seixal recebe fotos para concurso

A biblioteca do Barreiro recebe, este sábado, às 21h30, o espetáculo “Lembrar Zeca”, uma iniciativa promovida pela Associação José Afonso – Núcleo do Barreiro. O even-

Até ao dia 30 ainda pode entregar os trabalhos para o 17.º Concurso de Fotografia de Corroios alusivo ao tema “40 anos de comemoração do 25 de Abril”. A iniciativa

to conta com atuações de Francisco Fanhais, Francisco Naia, Tony da Costa e Rui Curto, Vitor Sarmento, Vida Airada, Valu e Grupo Coral “Os Amigos do Barreiro”.

DICIONÁRIO ÍNTIMO Maria Teresa Meireles

Memória

M

emória, lembrança, recordação, anamnese. Memória, memorável, memorizar, fixar. Memória verbal, fotográfica, visual, virtual, viral; memória das palavras, memória das imagens. Ter «boa», «má», «fraca» ou «curta» memória; memória “de galinha” ou “de elefante”. Ser «digno de memória», saber «de memória», «ficar na memória». Memória informática: memória ram, bits; interna e externa; ficheiros e arquivos. Memorialismo: memórias, autobiografias, diários – reconstruções de vida: toda a escrita é um memorando. Lembretes, listas, apontamentos. Lápides e epitáfios; citações e dedicatórias. Mnemotécnica: a arte da memória. A memória é um reconhecimento. Memória e vontade: decorar, saber «de cor». A memória excita-se, exercita-se, trabalha-se, fortalece-se. A memória é um músculo? Mecanismos para exercitar a memória: passar, copiar, (re)contar, repetir; a repetição refina, afina e afia a memória. Memória e História – a memória tacteia, a memória é uma teia, uma trama, um tempo. Memória é Passado, âncora, caução. A memória é coisa morta, resíduo. Ao lembrar, apelamos ao Passado e o Passado é pesado e excessivo para quem quer avançar. Memória afectiva, olfactiva, gustativa – uma memória dos sentidos. Memória das pessoas, dos locais, palavras ou sons. Memória incisiva, invasiva, evasiva, excessiva. Memórias de infância; memória aguda, agudizada, afunilada, selectiva. O que lembramos e o que es-

quecemos? A nossa natureza (optimista/pessimista) ou os nossos mecanismos (de defesa ou autodestruição) podem ser avaliados através daquilo que recordamos - os bons ou os maus momentos; as boas ou as más experiências? Mitologia: as Nove Musas são filhas de Mnemosyne, a Deusa Memória – a Arte é recordação do divino? Rio Letes, letal – perder a memória torna-nos ninguém, mortos-vivos, bichos, nada. Amnésia. Esquecimento é Morte. Antes de transformar os marinheiros em porcos, Circe retira-lhes a memória através de uma poção mágica – a memória organiza, mantém e sustém a nossa humanidade? A memória dos outros é a nossa vida «post-mortem», «porque as memórias», assim ensina Agustina, «procriam com se fossem pessoas vivas.» A memória descritiva. E memória narrativa, haverá? Memória é sempre selecção, redução, deturpação, usurpação. A memória é uma ficção; a memória é um drama; a memória é poesia - a memória é boa ou má literatura. A memória estimula a própria memória; vive da palavra e só através dela se sedimenta e materializa - mas a palavra oral ou escrita diferem no seu alcance e sentidos. Memória individual ou colectiva – a memória existe e persiste quando a palavra a reactiva ou reanima. É pelo contar e recontar que o passado continua presente em nós. Contamos para não esquecer. Nos contos tradicionais, o alecrim é a planta da memória e esta pode ainda ser activada ou desactivada pelo uso de um anel mágico. Ainda hoje, há quem mude o anel de dedo quando tem algo que quer lembrar. dicionariointimo@gmail.com

Sempre com a região, sempre pela região...

é dirigida a todos os fotógrafos amadores ou profissionais, e procura estimular a criatividade de todos aqueles que se dedicam ao prazer de captar e fixar imagens.

Fernanda Silva, diretora do Festroia, em balanço da edição deste ano

«Só há extensão do festival em Troia se a proposta for vantajosa» Com muito público e fitas de qualidade, o Festroia só voltará ao local onde nasceu quando tiver uma proposta vantajosa António Luís

S

e surgir uma proposta «vantajosa», a diretora do Festroia – Festival Internacional de Cinema de Setúbal, Fernanda Silva, admite criar uma extensão do festival de cinema em Troia, onde o certame nasceu pela mão de Mário Ventura Henriques. «Aceito de bom grado uma extensão em Troia desde que não prejudique o orçamento do A representante do filme vencedor “As Crianças do Sacerdote” festival, que é muito pequeno», vinca, relembrando que há cinco anos túbal também viria a ganhar. «Veainda que vários filmes que passaatrás, a direcção do evento esteve mos com bons olhos essa extenram este ano no festival foram adreunida com os responsáveis da são mas o festival não sairá de Sequiridos, o que «só mostra que os nossos filmes têm qualidade». Sonae Turismo, mas não ficou agratúbal, nem pensar! O festival tem dada com as condições oferecidas, muita qualidade e já criou o seu púO filme “As Crianças do Sacerdado que prejudicavam «imenso» blico em Setúbal, algum até vem dote”, uma co-produção servoo festival». Todavia, vinca, «estou da Área Metropolitana de Lisboa e -croata, de Vinko Bresan, sagrouaberta a qualquer proposta desde de vários países, no âmbito da rota -se vencedora do festival, que hoque o festival não saia a perder». turística dos festivais». menageou a cinematografia alemã O repto havia sido Fernanda Silva faz um e o produtor Paulo Branco. O certame teve A diretora do Festroia foi dislançado pela presidente balanço «muito positivo» uma grande Dores Meira durante a do certame, devido à tinguida pela organização não-goadesão de sessão inaugural do 30.º vernamental de jornalistas católipúblico este ano «grande adesão» de púFestroia, que acredita que blico. Para o próximo ano, cos SIGNIS, tendo recebido do bisuma extensão do outro lado do rio a responsável admite que a cinepo de Setúbal, D. Gilberto dos Reis, Sado poderia converter-se num matografia do Luxemburgo ou da um prémio que sublinha o trabaatractivo suplementar para aqueBulgária poderão ser homenagealho de qualidade desenvolvido pelo le espaço turístico, com o qual Sedas. A diretora do Festroia revelou Festroia.

Nova revista da ASA sempre com casa cheia A NOVA revista da Academia de Santo Amaro, em Alcântara, intitulada “ASA – É Formidável”, prossegue a sua carreira nesta colectividade de Lisboa, com muitas gargalhadas, colorido, boa música e casa cheia. Com textos de Mário Rainho, Paulo Vasco e Flávio Gil, o espectáculo conta com música e orquestrações de Carlos Dionísio e encenação de Paulo Vasco. O encenador Paulo Vasco confessa que o espectáculo foi «um ‘filho’ difícil e que levou um mês e meio a preparar, mas valeu a pena», não deixando de sublinhar o «grande apoio» do empresário Hélder Costa, que cedeu alguns cenários. «Já fiz cerca de 12 espectáculos na ASA e penso que este é o mais conseguido a nível visual, texto e música. Esta casa é a grande escola de atores que pretendem seguir uma carreira profissional», vinca.

Já Vasco Antunes, presidente da ASA, realça que a nova revista está a ter «muito público», relembrando que esta colectividade produz revistas há cerca de 30 anos e que da sua escola de teatro saem «grandes talentos» para as suas produções e para outros palcos. A revista vai ao palco este sábado e a 27 e 28, regressando depois a 4, 5, 11, 18 e 25 de Julho.


9

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

A Orquestra Sinfónica ESART, da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, dá um concerto para apresentar um repertório instrumental português do século XIX, sob a direção do maestro Luís Carvalho. Teatro Joaquim D’Almeida, Montijo • 17 horas.

Seg.

Pedro Abrunhosa & os Comité Caviar atuam na XXIV Feira do Turismo e das Atividades Económicas, em Alcácer do Sal, para recordar muitos dos sucessos deste cantor nortenho. Palco principal da PIMEL, Alcácer do Sal • 22 horas.

23

Dom.

Abrunhosa em terras alentejanas

22

POPular anima Sesimbra POPular é um evento que une a música à dança, com a atuação dos Anonima Nuvolari, um grupo de músicos italianos residentes em Portugal, e dos Aqui há Baile, um grupo de danças tradicionais oriundo de Évora. Teatro João Mota, Sesimbra • 21h30.

21

As emoções das adolescentes O ATA volta à cena com a peça “Adolescentes”. É num turbilhão de emoções que quatro raparigas se vão deparar com as questões cruciais de quem está a atravessar a adolescência. A amizade, o sexo, as drogas e a morte vão ser parte de muitos dos dramas vividos na pele destas quatro amigas. Centro Cultural do Poceirão • 21h30. Sábado

21

Concerto de repertório instrumental

Sábado

Sábado

Cartaz...

Corvos vão à festa da Academia

21

O agrupamento português “Os Corvos” participa no concerto comemorativo do 53.º aniversário da Academia de Música e Belas Artes Luísa Todi, com ingressos a dez euros. Forum Luísa Todi, Setúbal • 18 horas.

Coletividades mostram coreografias e surpresas AS DEZ coletividades participantes nas Marchas Populares de Setúbal 2014 mostram as suas coreografias e surpresas, preparadas durante três meses de intensos ensaios, ao júri esta sexta-feira e sábado, à noite, na Praça de Touros Carlos Relvas. Ontem, competiram a Associação Cultural ACTAS, o Centro Cultural e Desportivo de Brejos de Azeitão, o Grupo Desportivo “Os 13”, o Núcleo Bicross de Setúbal e a Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense. Extra-concurso, entraram a APPACDM e a marcha infantil do Bairro Santos Nicolau. Este sábado é a vez de mostrarem o que vale o Grupo Desportivo “O Independente”, da União Desportiva e Recreativa das Pontes, da Cooperativa de Habitação e Construção Económica “Bem-Vinda a Liberdade”, o Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau e a Associação Cultural Diabo no Cor-

Susana Almeida, a madrinha das madrinhas, voltou a encantar na Avenida

po. Extraconcurso participa a marcha infantil das associações de moradores do Bairro da Anunciada e do Casal das Figueiras. Os resultados das Marchas Populares de Setúbal 2014 são divulgados durante a tarde de domingo na página da internet da Câmara Municipal de Setúbal, em www.mun-setubal.pt. O júri do concurso é composto pela cantora Maria José Valério (presidente), Carlos Matos (cenografia), Iolanda Rodrigues (coreo-

grafia), Maria do Céu Campos (figurino), João Reis Ribeiro (letra) e Helena Mendes (música). A cerimónia da entrega de prémios está agendada para o dia 26 de julho, às 21 horas, na Praça do Mundo da Feira de Sant’Iago, com a presença de madrinhas, dos marchantes e de alguns arcos. Os bilhetes individuais para assistir aos desfiles na Praça de Touros Carlos Relvas, ambos com início às 22h00, custam 2,5 euros e devem ser adquiridos no local.

Ofertas Semmais ­­• Ligue e peça os seus convites Ganhe convites para a revista popular da A.S.A. Temos convites duplos para oferecer para a revista popular “A.S.A – É Formidável” para o dia 27 deste mês, às 21h30, na Academia de Santo Amaro, em Alcântara, Lisboa. Não perca este formidável espectáculo revisteiro com um grande elen-

co, figurinos de encher o olho, música e cantores maravilhosos, cenários lindíssimos e um grande corpo de baile. Para se habilitar aos prémios, basta ligar 918 047 918 e pedir os seus convites. passatempos.semmais@mediasado.pt.


10

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

POLÍTICA Está prevista uma concentração dia 27 deste mês à porta do Ministério Paulo Macedo

Municípios unidos arrasam saúde na região e lançam ofensiva O diagnóstico da saúde na região é arrasador. A AMRS e os autarcas da península de Setúbal querem ser ouvidos pelo ministro da Saúde e prometem luta. Está agendada para dia 27 uma grande concentração.

Anabela Ventura

O

s municípios da região de Setúbal estão a convocar para o próximo dia 27 de Junho uma concentração junto ao Ministério da Saúde, na sequência da publicação da Portaria 82/2014, de 10 de Abril, que procede à reorganização da rede hospitalar pública. Os autarcas da região, no âmbito da Associação dos Municípios da Região de Setúbal (AMRS) consideram que as novas medidas «vêm por em causa os serviços de saúde prestados às populações» do distrito e defendem a revogação da portaria. Em causa, segundo os autarcas da AMRS está o «contínuo esvaziamento dos centros hospitalares do Barreiro-Montijo e de Setúbal, bem como a sobrelotação do Centro Hospitalar de Almada. E exigem uma audiência com o ministro da Saúde, Paulo Macedo. «O Governo pretende retirar especialidades médicas e cirúr-

gicas a estes centros hospitalares e isso é inaceitável», afirmam os autarcas. Para dar força a estas iniciativas a AMRS está a intensificar também a divulgação das suas posições junto da opinião pública. E sobretudo com a ideia de que «é preciso agir». Sobre o estado de saúde na região os responsáveis da AMRS e autarcas da península de Setúbal fazem um diagnóstico arrasador. A começar pela Falta de centros de saúde, de médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar. Num comunicado que já está a circular junto das populações, os autarcas reafirmam também as listas de espera para consultas, exames e cirurgias, bem como as «grandes limitações nos vários serviços de urgência» e a falta de contratação de camas para acolher os doentes necessitados de cuidados continuados. E lembram o pesadelo da sobrelotação do Garcia de Orta, construído para cerca de 150 mil

Petição pública pelo novo hospital do Seixal Maquetas do projetado hospital do Seixal, uma urgência na Península de Setúbal.

utentes, atualmente a atender 400 mil. «Todos os estudos encomendados pelo governo e várias entidades apontam para a necessidade da construção do novo hospital do Seixal», lembra a direção da AMRS.

ENTRETANTO o Fórum Seixal tem vindo a apresentar à população o projeto do novo hospital do Seixal em várias sessões, como forma de promover junto da opinião pública a urgente necessidade daquela unidade. Dia 28, pelas 18 horas, no Clube de Pessoal da Siderurgia Nacional decorre mais uma sessão. Está também a decorrer uma petição pública nas redes sociais para amplificar a luta pela construção do hospital que tanta falta faz à península de Setúbal.

Apoios do Estado para a região até 2020 AS EMPRESAS da península de Setúbal vão poder receber ajudas estatais com finalidade regional, já a partir deste mês e até 2020, segundo avançou fonte da secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional. Os concelhos abrangidos são Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, revelando o Governo que será dada «prioridade máxima» às pequenas e médias empresas (PME), justificando serem estas as unidades empresariais que traduzem a «base do tecido económico do país». Segundo o plano anunciado, o nível máximo de ajudas que pode ser concedido a grandes empresas nas áreas assistidas está fixado entre 10% e os 45% dos custos totais de investimento, consoante as áreas. Já no que diz respeito aos investimentos efetuados, estas percentagens podem ser incrementadas em 10% no caso das empresas de média dimensão e em 20% no caso das pequenas empresas. Em conformidade com as orientações sobre apoios com finalidade regional, as áreas com um PIB percapita inferior a 75% da média da UE são prioritárias para receber auxílios ao investimento regional, uma vez que o objetivo de tais ajudas é o fomento do desenvolvimento das regiões menos favorecidas da Europa, pertencendo a esta categoria regiões que albergam 69,01% da população portuguesa.

Pub.

PCP contra privatização da Soflusa e da Transtejo O PCP promove no próximo dia 23, um conjunto de encontros com trabalhadores nas empresas do grupo Transtejo, no Barreiro e em Cacilhas. O dia inicia-se com uma tribuna pública no terminal rodo-ferro-fluvial do Barreiro, em que participará Bruno Dias, deputado do PCP eleito pelo círculo eleitoral de Setúbal. Segue-se o encontro com órgãos representativos dos trabalhadores da Soflusa, pelas 9 horas, nas instalações da Comissão de Trabalhadores, no terminal. Às 11h30, em Cacilhas, segue-se o encontro com os representantes dos trabalhadores. O percurso do Barreiro para Almada será feito de barco.


11

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

DESPORTO Edi Maia venceu a prova de Salto com Vara do Meeting Elite d’Hérouville, em França, ultrapassando a fasquia a 5.60 metros, o que constitui a melhor marca portuguesa

Corrida pela sustentabilidade ambiental na Auotoeuropa

da corrente temporada. No meeting francês, o saltador formado nas escolas do Grupo Desportivo Independente, de Setúbal, bateu o ucraniano Alexsander Korchmid.

AF Setúbal forma novos árbitros A Associação de Futebol de Setúbal formou 31 novos árbitros de futebol e futsal, assim como nove novos observadores, no primeiro curso organizado sob a égide da Acade-

mia de Arbitragem. A cerimónia de entrega de certificados aos formadores e diplomas contou com a presença de Lucílio Batista e Ezequiel Feijão entre outros.

Bons resultados e várias subidas ao pódio revelaram boa performance

Setúbal é vice-campeão no Torneio Olímpico Jovem

Forte adesão na corrida de 2013

CENTENAS de atletas devem concentrar-se à partida, este domingo, de manhã, no Castelo de Palmela para a terceira edição da Corrida Volkswagen, a única prova de atletismo do calendário nacional cujo percurso inclui uma passagem no interior de uma fábrica. A prova de 12,5 km começa às 9h30 e conta com duas metas volantes, ao estilo das provas de ciclismo, e que servirão para premiar os atletas que passem em primeiro lugar por qualquer uma delas, mesmo que não sejam os vencedores da corrida. As metas volantes estão localizadas Quinta do Anjo e na entrada norte da fábrica. Paralelamente à prova de atletismo será realizada a caminhada de 4,5 km, com início marcado para as 9h15 e que decorrerá no perímetro da unidade fabril. Esta competição é organizada no âmbito do Think Blue. Factory, o programa de sustentabilidade para as fábricas da marca Volkswagen e que tem como objectivo reduzir em 25% o consumo de energia e de resíduos.

Os 3 M, Maxi, Mágoa do Maracanã!

F

oi em 1950, há nada menos do que 64 anos, toda uma vida! No Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, com perto de 200 mil espectadores, disputava-se a grande final do Campeonato do Mundo, um Brasil-Uruguai de grandes tradições, com elevadíssima percentagem de favoritismo para os “canarinhos”. A grande festa estava preparada com estridente foguetório e fogo de artifício, restando apenas saber por quantos iria ga-

DR

DR

A

selecção distrital de atletismo sagrou-se vice-campeã nacional por equipas na fase final do torneio Olímpico Jovem, destinado a das categorias de iniciados e juvenis, tendo conquistado um bom leque de resultados, com várias subidas ao pódio e boas classificações entre os primeiros oito lugares. A conquista da selecção da Associação de Atletismo de Setúbal (AsAS) ganha ainda maior dimensão se for tida em conta a ausência no torneiro do ano passado e o sexto lugar, entre doze formações, no Olímpico Jovem de 2012. O crescimento e desenvolvimenJovens atletas medalhados to desportivo dos vários clubes da região e o interesse que parece voltar a fazer-se sentir em torno do atleequipa coesa, quer masculina quer feminina, em ambos os escalões, a tismo são as principais razões para o sucesso alcançado, juntando a isso Associação de Setúbal mostrou exuma maior maturidade de alguns celentes valores individuais, com destaque para a velocista Margariatletas e o facto de terem surgido recentemente muito bons valores no da Monteiro que conquistou três meatletismo regional. dalhas. A atleta juvenil que repreAs provas realizadas senta o Vitória de Setúbal Bom coletivo no fim-de-semana pasfoi vencedora na prova de e valores sado, no estádio Univer100 metros e conquistou individuais sitário, em Lisboa, contamais dois segundos lugaem alta ram com a participação res nos 300 metros e na estafeta de 4X100 metros. de centenas de atletas em representação das associações de atletismo Em bom plano também a atleta de todo o país. A selecção de Setúiniciada Angela Costa que se sagrou bal levou à competição mais de três vice-campeã por três vezes, nas prodezenas de atletas. vas de dardo e peso e também na esPara além de ter apresentado uma tafeta de 4X80 metros.

David Sequerra Colaborador

nhar o Brasil, decerto uma “cabazada”, com Jair e Ademir em grande. Mas tal não aconteceu! Surpreendentemente o Uruguai ganhou por 2-1, repetindo também o inesperado sucesso de 1934, permanente razão de orgulho. Enorme decepção no super-repleto Maracanã dando aso ao mote dos 3M – Maxi-Mágoa no Maracanã. Quem tal diria, o Brasil perder o “seu” Campeonato? Mas foi isso mesmo que aconteceu…

Dos 22 actuantes nessa célebre final do Maracanã, só há um sobrevivente: o hábil uruguaio Alcides Ghiggia, a caminho dos 88 anos de idade, ele próprio o herói desse jogo ao marcar o golo da vitória que tanto magoou todo o Brasil. Recentemente entrevistado, no seu recanto periférico da bela cidade de Montevideu, Ghiggia exercitou a sua boa memória e disse: “No momento do meu golo pensei na minha família e nos meus amigos e hoje continuo a sentir que fiz algo de importante para o meu País”. Pequenote, ágil, imaginativo, na condição de protegido principal do magistral Obdulio Varela, Ghiggia era o extremo direito, do tipo de “rato” matreiro, de notável rapidez de que fez uso no golo

RESULTADOS INICIADOS MASCULINOS 1º Filipe Nascimento 1.500 m obstáculos – 4.17,86

Desportos náuticos no Montijo e Alcochete A FRENTE Ribeirinha do Montijo vai ser palco, este domingo, pelas 10 horas, da “Regata de São Pedro”. A prova integrada no Calendário da Federação Portuguesa de Canoagem, como Campeonato Regional de Esperanças – Lisboa e Vale do Tejo, tem prevista a participação de uma centena de jovens atletas federados provenientes das regiões de Lisboa, Setúbal, Santarém, Leiria e Castelo Branco. Nesta regata participam canoístas femininos e masculinos, dos escalões de infantis, iniciados e menores nas categorias de K1, K2, C1 e C2. A prova é uma organização da Câmara Municipal do Montijo, do Clube Atlético do Montijo e da Federação Portuguesa de Canoagem, e conta com o apoio da Associação de Canoagem Baia do Tejo. A Câmara Municipal de Alcochete, através da Divisão de Desporto, promove, no mesmo dia, o passeio “Rota da Base”. Um passeio de caiaque no rio Tejo, com partida pelas 9.30, no cais fluvial do Samouco e com chegada à base aérea nº6, num percurso de cerca de seis quilómetros.

1º Hélder Gonçalves 4.000 m marcha – 20.30,90 2º 4X80 m (Diamantino Silva/ Pedro Trindade/Armando Assembleia/Odair Gomes) 36,75 seg 3º Odair Gomes dardo – 38,71 m 3º Armando Assembleia comprimento – 6,15 m

DR

Edi Maia com melhor marca no salto com vara

A prova tem registado boa adesão

que arrasou Maracanã. O êxito do Uruguai, totalmente inesperado, teve nefastas consequências muito “badaladas” naqueles tempos. Houve tentativas de suicídio, internamentos hospitalares, actos censuráveis como os de agressões e ofensas a jogadores e seus familiares com particular destaque para o “keeper” Barbosa, do Vasco da Gama. Um negrinho sobre o baixo, muito ágil, indiscutível no seu posto, Barbosa foi alvo de ardentes queixas por “culpas no cartório” no histórico golo de Ghiggia. E vai daí ei-lo alvo de ameaças e até de morte, moléstias fortes à família, momentos difíceis para o amargurado nº1 da Selecção “canarinha”.

Em contrapartida o actual sobrevivente Alcides Ghiggia foi recebido na capital uruguaia como um verdadeiro herói, saindo do Aeroporto em ombros e recebendo apetitosas propostas para jogar na Europa, em especial de clubes italianos. Do público de 1950 já não haverá um grande número de sobreviventes, decerto lembrados desse epíteto dos 3M – Maxi-Mágoa do Maracanã. Cabe à equipa liderada por Scolari, sempre optimista, afastar por completo essa não esquecida ameaça de repetição das amarguras. O Estádio não é o mesmo, Ghiggia vai nos 88 anos e o estigma de há 64 anos não se repetirá, certamente. Mas... nunca fiando, Brasil!


12

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

NEGÓCIOS Três equipas da ESCE vão às “24H de Logística”

Incubadora do Seixal apoia novas empresas

A Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal vai participar na IX Edição das “24H de Logística do Porto de Sines, numa iniciativa da

A Câmara do Seixal lançou a abertura da 2.ª fase de candidaturas para a utilização dos espaços da Incubadora de Empresas instalada no Núcleo Urbano Antigo do concelho.

SFORI. As três equipas de estudantes da Licenciatura em Gestão da Distribuição e da Logística da ESCE vão ter oportunidade de adquirirem competências.

A Incubadora oferece gabinetes modernos e qualificados, infraestruturados e equipados com todo o tipo de serviços necessários para a fase inicial da atividade empresarial.

Dados revelados pelo IEFP

São índices que nos colocam na cauda da perda de empregos. Na península de Setúbal escapam os concelhos de Palmela e Sesimbra. O Litoral Alentejano segue bom ritmo, com Sines à cabeça.

DR

Península perde 300 empregos e Litoral Alentejano ganha 17 O desemprego tem vindo a diminuir nas estatísticas, mas a península de Setúbal não está a gerar vagas

prego na região. O concelho alencundário (que prevê transformar tejano tem hoje 77 lugares por a matéria-prima extraída ou propreencher contra os 27 de há 12 duzida pelo sector primário em anos, enquanto Sesimbra regista produtos de consumo) a redução um aumento de 11 para 47. Palmefoi dos 140 para 48. O terciário (onde se inscrevem os serviços la exibe uma subida mais ténue em contexto económico, envol(55-58), enquanto a sul Alcácer do Sal aumentou de 19 para 22, Grânvendo, por exemplo, a comerciadola subiu de sete para 21 e Sanlização) seguiu a curva descente: tiago de Cacém de 16 para 21. eram 287 ofertas em 2001 e passaram a 260 em 2013. Em queda surgem AlÍndices «O distrito de Setúcochete, que passou de 14 colocam-nos ofertas em 2001 para seis bal acaba por assistir ao na cauda em 2013, Almada, de 112 mesmo fenómeno que com Algarve para 111, Barreiro, de 101 afeta a Grande Lisboa, para 47, Moita, de 35 para zero, Monque é, juntamente com o Algarve, tijo, de 92 para 13, Seixal, de 88 para a região que perdeu mais ofertas 24, e Setúbal, de 88 para cinco. de emprego na última década», exNa península, o sector primáplica o economista Álvaro Vidirio (onde se inclui a agricultura, nha. O mesmo especialista garanpecuária, pescas ou caça), as oferte que a falta de saídas profissiotas baixaram de uma média anual nais nesta zona do país «contribui de nove para 4,5, enquanto no sede forma decisiva para que Por-

Roberto Dores

É

mais um reflexo da crise instalada no distrito. A média anual de ofertas de trabalho disponível nos centros de emprego e formação profissional da caiu quase para metade no espaço de 12 anos. E na generalidade dos sectores de atividade económica, de acordo com os dados revelados pelo IEFP e Segurança Social, segundo os quais a península tinha 600 postos de trabalho por preencher em 2001 e 313 em 2013. Ou seja, menos 287. Só os quatro concelhos do Litoral Alentejano, a par de Sesimbra e Palmela escapam à tendência. Sines e Sesimbra são os concelhos que lideram, de forma destacada, o aumento da oferta de em-

tugal seja hoje um dos países europeus com menos empregos disponíveis» Aliás, uma afirmação reforçada pelos dados revelados esta semana, que indicam que no primeiro trimestre do ano, a taxa fixava-se em 0,6%, e, embora registe um crescimento de 0,2 pontos percentuais face ao trimestre anterior, este valor ainda está distante da média europeia (1,6%) e da zona euro (1,7%). De acordo com os dados do Eurostat, Espanha regista a mesma taxa que Portugal e há apenas três países com menos ofertas de emprego por preencher: Chipre (0,2%), Polónia (0,4%), embora aqui os dados sejam relativos ao final de 2013, e Letónia (0,5%). No extremo oposto está a Alemanha, cuja taxa de vagas disponíveis ascendia a 2,9% no início do ano.

Setores com emprego zero Houve mesmo sectores que deixaram de ter ofertas emprego. O primário não exibia em final de 2013 qualquer disponibilidade nos concelhos de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Seixal e Setúbal, sendo que também o sector secundário caiu de 11,8 para uma média anual de 1,6. Seixal baixou de 25 para quatro e Almada de 23 para oito. No terciário é onde há mais ofertas. Almada registava mesmo um aumento de 78 para 102 e Palmela de 25 para 49.

O DIA do Porto de Sines foi assinalado quinta-feira com uma visita às obras de construção da nave logística armazenamento de frio na ZALSINES e uma homenagem a Consiglieri Pedroso, ex-secretário de Estado do Mar, que vê assim o seu nome atribuído ao molhe leste daquela plataforma portuária. O novo pavilhão logístico é constituído por dois módulos, um dos quais destinado a escritórios e apoio administrativo. A sua construção, segundo os responsáveis da Administração do Porto de Sines, vai permitir aumentar a capacidade de oferta

DR

Porto de Sines homenageou Consiglieri JMF festeja 180 anos Pedroso com nome no molhe leste de atividade com arraial

Descerramento da lápide.,

às empresas logísticas e era uma exigência deste setor nos últimos tempos. Como novidade, a cobertura

da nave está preparada para receber 2.000,00 m2 de painéis fotovoltaicos, com uma potência de injeção de 250 KW, vocacionada para a produção de frio. No âmbito das comemorações — que fecharam com o “III Serão Porto de Sines”, no qual participou o grupo de fados de Coimbra “Serenata ao Luar” — decorreu também o batismo da lancha de pilotos “Simenta de Carvalho”, produzida em Peniche e orçada em 625 mil euros. As cerimónias contaram com a presença do secretário das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro.

A JOSÉ Maria da Fonseca (JMF) vai celebrar os seus 180 anos de actividade com um arraial popular, aberto ao público, no próximo dia 27, a partir das 19 horas, no Largo do Rossio, em Vila Nogueira de Azeitão. O arraial comemorativo contará com muita animação, música, petiscos e vários vinhos da JMF. Tendo em conta o sentido de responsabilidade social que a empresa preserva, as bebidas alcoólicas serão simbolicamente cobradas. A totalidade da receita reverterá a favor da Santa Casa da Misericórdia. Os petiscos e bebidas não-alcoólicas serão gratuitos. António Soares Franco, presi-

dente da JMF refere que «Este é um ano especial para a empresa, pois celebramos 180 anos de vida, um marco extraordinário não só para a empresa, mas também para a região e para o País. É com enorme prazer que decidimos celebrar esta data tão significativa com uma festa aberta a todos os consumidores e amigos». Paralelamente a esta iniciativa, este ano a JMF realizou e irá ainda realizar várias iniciativas que visam marcar esta data, nomeadamente: o lançamento da primeira Loja Online, lançamento de vinhos comemorativos e ainda o Leilão de um Moscatel de Setúbal dono início do século XX.


14

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

LOCAL Festas Populares de S. Pedro no Montijo

Barreiro desafia criatividade dos alunos

As Festas de S. Pedro do Montijo decorrem de 25 a 30 deste mês. São cinco dias de atividades de caráter religioso e outras de dimensão profana, como concertos e larga-

No âmbito dos 30 anos da elevação do Barreiro a cidade, o município convidou as turmas de todas as escolas do 1.º ciclo e pré-escolar da rede pública, IPSS e Universi-

dade da Terceira Idade, a participar na elaboração de uma publicação, subordinado ao tema “30 anos Barreiro Cidade”. Do conjunto desses trabalhos resultam 2 livros.

O 12.º Festival Internacional de Papagaios atrai alguns dos melhores praticantes Além dos papagaios multicolores, o evento conta também com outras atividades paralelas, como kite surf, BMX, skate e escalada.

Papagaios dão colorido aos céus de Alcochete

M

DR

ais de 10 mil pessoas são esperadas no 12.º Festival Internacional de Papagaios de Alcochete (FIPA), que se realiza de 27 a 29 de junho, na Praia dos Moinhos. A iniciativa atrai alguns dos melhores praticantes a nível mundial e tem o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa (ERT-RL). Organizado pela Câmara MuNo festival, que aguarda por mais de 10 mil pessoas, participam equipas nacionais e internacionais nicipal de Alcochete, em parceria com a Associação Gil Teatro, atrariais reciclados. vés da GilPapagaios, o FIPA reúPapagaios de Combate Indianos, turno com lançamento de papagaios Provas e demonstrações de ne na Praia dos Moinhos alguns e Peter Lynn, o neozelandês que luminosos, na noite de 30 de Junho, dos melhores praticantes munse notabilizou pela construção do papagaios acrobáticos, papagaios num espetáculo de manobras e pediais nas vertentes de Papagaios maior kite surf do mundo. estáticos e gigantes, kite Surf, BMX, rícias, luz, cor e som. Estáticos, Acrobáticos e de TracO FIPA inclui também sua proskate, escalada, rappel, bungee O FIPA constitui uma mais-vação, além de Kite surf e board cross. gramação o Festival das Escolas, dijumping, balonismo, espetáculos lia da dinamização e revitalização Para além das equirecionado para os alunos de artes performativas, ateliês de da frente ribeirinha de Alcochete Dia 30 há ainda o do 1.º Ciclo do Ensino Bápas nacionais, particie contribui para a divulgação de construção de papagaios e de patradicional pam também no Festiatividades ao ar livre e a prática sico dos Concelhos de Alpagaios tradicionais portugueses desfile noturno de desportos náuticos e radicais val equipas da Espanha, cochete e Montijo, e que são algumas das atividades deste de pagagaios França, Holanda, Itália, reúne mais de 1 500 crianfestival que pretende impulsionar não poluentes, dando a conhecer Suíça, Grã-Bretanha e Índia, desças na Praia dos Moinhos para pare promover a prática de desporao mesmo tempo o melhor do contos náuticos não poluentes. tacando-se ainda a presença de ticiparem em ateliês de construção celho de Alcochete, na Região de No âmbito do FIPA, realiza-se Stafford Wallace, o praticante de de papagaios e de moinhos de venLisboa, como a gastronomia, hismaior prestígio na modalidade de to, usando exclusivamente matetambém a 7.ª edição do Festival Notória, tradições e museus.

OS PORTUGUESES D.A.M.A, o rapper REGULA e os Dj's Karetus são os cabeças de cartaz do XI Festival Atlântico, dedicado à música portuguesa, que está a decorrer até domingo, no Castelo de Sines. O festival, que regressa em 2014 após paragem de 10 anos, está inserido no programa “Rádio Escola”, da autoria da rádio Miróbriga, que percorre os principais estabelecimentos de ensino do Litoral Alentejano com um conjunto de iniciativas dirigidas à comunidade escolar. «O projeto Rádio Escola está definitivamente enraizado na comunidade escolar, tem 20 anos de existência e atingiu este ano 15000 jovens estudantes do secundário dos agrupamentos de escolas do Litoral Alentejano e Baixo Alentejo», adiantou Sérgio Valadares, di-

DR

Castelo de Sines acolhe festival Atlântico

A música portuguesa vai estar em destaque no certame da Miróbriga

retor de estação. A culminar o programa “Rádio Escola” a estação emissora, com sede em Santiago do Cacém, juntou alguns dos maiores nomes da música portuguesa que vão passar por Sines no penúltimo fim-de-semana deste mês. «Este ano tivemos como principal preocupação não só atingir

os jovens alunos como tornar o festival mais abrangente em termos de target, por isso apostou-se numa sexta-feira mais familiar e num sábado para um público mais jovem. Em termos musicais há bandas com estilos muito diferenciado», acrescentou o director. O bilhete diário custa 8 euros e para os três dias 13 euros.

Nove marchas populares dão côr a Almada AS NOVE marchas vão desfilar dia 23, às 22 horas, na Av.ª Aliança Povo MFA, em Cacilhas. Os atores João de Carvalho, Paula Marcelo, Mara Galinha, Paulo Vasco, Rosa Villa ou Filipe Salgueiro são alguns dos artistas apadrinham as marchas. Eis as marchas e os temas: Beira Mar – “Beira-Mar de cravo na mão”; Capa Rica – “Caparica, uma arte traçada no chão”; Pragal – “Taberna portuguesa”; Al-Madan – “Amar Almada, pelas mãos do seu passado”; Centro Comunitário PIA II – “Alma d’Água”; Costa da Caparica – “Costa coração de marinheiro”; Rua 15 – “Rua 15 volta a marchar”; Figueirinhas – “Cacilhas uma história chamada amor”; Monte de Caparica – “Lendas de S. João de Almada” A festa termina com fogo-de-artifício, nos antigos estaleiros da Lisnave.

Barreiro distribui fogos sociais O MUNICÍPIO entregou, dia 18, seis habitações a famílias carenciadas. As casas localizam-se no Bairro Alves Redol, no Alto do Seixalinho e são propriedade do município. Os fogos foram totalmente renovados, no âmbito do Plano de Reabilitação e Reestruturação para o referido bairro. Neste sentido, e com vista à melhoria das condições de salubridade destas casas, a autarquia executou uma empreitada que incluiu a remoção e substituição das redes de águas, saneamento e eletricidade, remoção de pavimentos, sanitários, caixilharias e mobiliário de cozinha, reparações de tetos, paredes e portas interiores, bem como aplicação de novos revestimentos, incluindo eletrodomésticos. A empreitada representa um investimento superior a 44 mil euros.

Município de Sesimbra aposta em novo site O MUNICÍPIO lançou uma nova versão do site Visit Sesimbra, criado em 2008, e disponível desde então em www.visitsesimbra.pt. Destinado à promoção do turismo no concelho, este novo espaço na Internet é mais facil de consultar, tem mais imagens e reúne informação sobre os principais pontos de interesse do município. Praias, gastronomia, mar, natureza, património e mergulho são as áreas em destaque. É possível encontrar também notícias, sugestões de visita, os principais eventos, percursos, fotos panorâmicas e contactos de alojamentos ou de empresas de atividades turísticas. Neste momento o Visit Sesimbra está disponível em português e inglês, mas em breve voltará a ser disponibilizado em espanhol e alemão.

DR

das de toiros, que enchem a cidade de cor, luz e muita animação. Na vertente religiosa, o dia de S. Pedro é o ponto alto das comemorações com as habituais procissões.

A nova imagem do site da CMS


15

Sábado • 21 junho 2014 • www.semmaisjornal.com

Alcácer do Sal adere à rede de respostas à violência doméstica

Alcácer do Sal quer quer eliminar o problema social da violência

monitores a trabalharem ativamente em colónias de férias, com um conjunto de dinâmicas de grupo e através da troca de experiências. Os participantes poderão ainda realizar um estágio durante o mês de julho. A inscrição tem um valor de 75 euros. Mais informações disponíveis através da Acrescer.

Montijo revive festas de S. João

Largadas de toiros são prato forte

ATÉ AO dia 24 continuam a decorrer as Festas Populares de S. João, em Pegões. Vira Milho, Mónica Sintra e Saúl são os cabeça de cartaz das festividades. Há tasquinhas, jogos tradicionais, fados, demonstração de Zumba, baile, charanga, sardinhada, largadas de toiros e fogo-de-artifício, entre outras iniciativas. As festas encerram com a procissão em honra de S. João e Nª Sr.ª de Fátima.

Palmela debate agricultura familiar REALIZA-SE em Palmela, a 27 e 28, o IV Encontro Rural Report – Rede de História Rural em Português. Organizado em parceria pelo município e pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e pela Sociedade de Estudos Rurais, o encontro decorre na biblioteca e na Casa-Mãe da Rota de Vinhos, sob o tema “Agricultura familiar na história: comunidades, economias e paisagens”, e in-

sere-se no projeto “Agricultura em Portugal: alimentação, desenvolvimento e sustentabilidade ”. Estes encontros anuais visam reunir os interessados nestes temas e disseminar o debate dentro e fora da academia. O empenho do município em promover a pesquisa histórica e a preservação do património de caráter rural determinaram a escolha de Palmela como anfitriã desta 4.ª edição.

mentaridade pela potenciação de recursos localmente disponíveis para o combate à violência doméstica». Ainda de acordo com a vereadora, «só através da definição de mecanismos de trabalho articulado entre as entidades parceiras envolvidas, quer ao nível da prevenção primária, quer ao nível do diagnóstico, é possível o aprofundamento do conhecimento do fenómeno».

Santiago protege crianças e jovens com plano local A COMISSÃO de Proteção de Crianças e Jovens de Santiago apresentou esta semana o Plano Local de Promoção e Proteção dos Direitos da Criança, o qual surge no seguimento do desafio lançado às Comissões Nacionais de Proteção das Crianças e Jovens em Risco, no âmbito do “Tecer a Prevenção” que visa construir uma cultura de promoção dos direitos das crianças e dos jovens e prevenção para situações de perigo. O presente plano resulta de um diagnóstico efetuado no concelho, fruto de um esforço entre entidades locais com competência e interesse em matéria de infância e juventude, que a convite da modalidade alargada da comissão nacional, integraram diferentes momentos de trabalho, através dos quais foram aferidas as situações de risco com maior incidência no concelho.

Setúbal altera circulação no José Afonso

Largo José Afonso, em Setúbal

A CONVERSÃO da via poente do Largo José Afonso para sentido único de trânsito foi aprovada quarta-feira. Aquela via fica apenas com um sentido norte/sul, na ligação da Av.ª Luísa Todi com a frente ribeirinha, sendo que o sentido inverso é assegurado pela João de Deus. A decisão é implementada no âmbito da obra de requalificação em curso naquele largo, intervenção que visa dotar aquele espaço de melhores condições de usufruto.

Grândola vai estar em festa com petiscos e concertos SARDINHADA, vinho da região servido em típicos copos de barro e animação musical são os principais ingredientes da Festa da Fonte dos Olhos, na aldeia de Melides, no concelho de Grândola, que acontece este sábado, a partir das 18 horas. Num local de beleza única, esta é uma festa popular de verão, que atrai a esta aldeia junto da praia de Melides muitos residentes e turistas, para um fim de tarde com começa com a arruada dos Skalaba

INICIATIVAS

Alcácer de arco e balão O município de Alcácer está a promover em conjunto com comerciantes e moradores o projeto o “Ruas de São João”, que tem por objetivo revitalizar tradições e transmitir conhecimentos às gerações mais novas, com as ruas da cidade a serem enfeitadas com manjericos de papel, bandeirinhas e chorões.

Desfile manuelino A realização de um desfile dos “500 Anos do Foral Manuelino de Setúbal”, no dia 27, entre as 18 e as 19 horas, vai interromper o trânsito em algumas vias da cidade. Os cortes sucedem-se, mediante a passagem do desfile, no Largo de Jesus, nas Avenidas 22 de Dezembro e 5 de Outubro e no Largo do Poço do Concelho.

DR

tejo Litoral, as CPCJ, representantes da Saúde, da Segurança Social, do Emprego, o Instituto Politécnico de Setúbal e as várias instituições que trabalham a problemática da violência doméstica. De acordo com a vereadora Ana Chaves, «a finalidade da constituição da RIVDAL centra-se na promoção de atitude de permanente articulação/cooperação e de comple-

Seixal forma animadores para colónias de férias ENTRE os dias 24 a 27, das 10 às 17 horas, decorre uma acção de formação para animadores de colónias de férias nas instalações do Centro de Apoio ao Movimento Associativo Juvenil, na galeria comercial da estação de comboios do Fogueteiro. A ação está aberta a todos os interessados e pretende capacitar os

ATÉ DIA 28, o Fórum da Baixa da Banheira continua a acolher o III BB Blues Fest, que pretende mostrar o que de melhor a nova geração do blues produz, em Portugal e além-fronteiras. Promovido pela Associação BB Blues Portugal, o evento internacional aposta num cartaz reforçado e variado entre o novo blues inglês, espanhol, holandês e português. A encerrar o festival, dia 28, pelas 23 horas, atua o inglês Paul Lamb. Nos restantes dias, a qualidade e diversidade dos espetáculos mantêm-se com nomes como Chantel Mcgregor, Li’L Twister, The Yellow Dog Blues Band, The Ramblers, Budda Power Blues, Stonebones & Bad Spaghetti, Nobodys Bizness, Mingo & The Blues Intruders e Contra Blues.

DR

O MUNICÍPIO aderiu à Rede Integrada de Respostas à Violência Doméstica do Alentejo Litoral através de um protocolo que foi assinado recentemente, em Santiago do Cacém. A nova entidade surgiu da constituição de um grupo de trabalho no Alentejo Litoral, em 2012, e de uma formação promovida pela União Mulheres Alternativa e Resposta sobre capitação de técnicos para intervenção em situações de violência doméstica. O problema da violência doméstica tem assumido uma visibilidade a nível nacional e também local cada vez maior, tornando-se prioritário o esforço da comunidade para a eliminação e prevenção deste problema que compromete, claramente, o desenvolvimento da criança, da família e da comunidade em geral. Consequência desta necessidade de intervenção articulada e em rede, a RIVDAL tem ampliado o número de parceiros e integra, atualmente, os municípios do Alen-

Moita vibra ao som de blues

Tuka e termina noite dentro com um baile popular ao som de João Paulo Cavaco. Pelo meio há jogos tradicionais, demonstração karaté Infantil pela Escola Murakami de Melides, o grupo de cantares regionais e anedotas "Tem Avondo" e o grupo de música popular "Falta Um". A festa da Fonte dos Olhos é organizada pela Associação Lufada D’ideias, com os apoios do município e Junta de Freguesia de Melides, e tem entrada livre.

Rota das tabernas A 20.ª Rota das Tabernas segue este sábado, para o Café Triunfo, taberna em Santa Margarida da Serra. Salada fria, jantarinho de grão com hortaliças e caldeirada de borrego são os tradicionais petiscos que poderá degustar desta vez. As iguarias são acompanhadas por animação com poetas populares, cante alentejano, fado e música popular.

Festas no Seixal De 25 a 29, as Festas de S. Pedro estão de volta ao Seixal com muita música, animação, marchas populares e bailes. Além das marchas, o programa é preenchido por concertos de bandas de rock e de música popular, fado, ginástica, bandas filarmónicas e um espetáculo do coletivo Cais Sodré Funk Connection.



Semmais 21 junho 2014