Issuu on Google+

Sábado | 11.Maio.2013

anos

semanário - edição n.º 762 • 6.ª série - 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Negócios Moscatel da Malo Tojo ganha Festival Ibérico

12

As potencialidades e as ofertas da Costa Alentejana podem ser consultadas no caderno que apresentamos nas centrais. Um roteiro e um guia de valências para melhor usufruir este Verão de um dos destinos de excelência do país turístico. De Alcácer a Grândola, de Santiago a Sines e Odemira. Vele a pena espreitar.

Negócios Adrepes lança Festival Prove durante um mês

12

Cultura Lúcia Moniz canta em Santiago

14

Erosão da Caparica à beira do colapso mas ninguém a quer deixar ABERTURA A recorrente erosão das areias da Costa da Caparica está a deixar a zona à beira do colapso, segundo a maior parte dos especialistas. A Quercus admite mesmo que o fenómeno se pode agravar, caso avance o projectado terminal de contentores na Trafaria. Mas mesmo perante esta ameaça, 97,5 por cento

da população residente garante que não quer deixar a zona, segundo um estudo do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, cujos resultados deverão ser conhecidos em breve, e a que o Semmais teve acesso. Entretanto, desde 1999, o mar recuou 234 metros e já foram gastos 22 milhões em ‘enchimento artificial’.

CADERNO

Pub.

Fotos: DR

XV

A REGIÃO SOMOS NÓS!

Director: Raul Tavares

PÁG. 2

Santiagro promete feira de excelência para amenizar dores da crise

“O Setubalense” suspende edições após 158 anos de vida

Ceia da Silva diz que extinção da Costa Alentejana não é grave

ACTUAL Apoiar os produtores agropecuários é um dos objectivos da Santiagro deste ano. Para além disso, há muita festa e um programa arrojado que promete muita visita. PÁG. 5

ÚLTIMA A crise que veio avolumar as

ACTUAL O presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo garante que não vai «deitar por terra» o trabalho desenvolvido no pólo da Costa Alentejana. PÁG. 7

dificuldades do sector nos últimos anos obrigou a administração do vetusto jornal a fechar portas. Cerca de uma dezena de funcionários ficam no desemprego. O director do jornal queixa-se da falta de apoio da câmara e das empresas.


ABERTURA Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 2

Estudo do Instituto de Ciências Sociais da Univ. de Lisboa com conclusões surpreendentes

População teima em bater o pé a erosão na Costa da Caparica Presidente da Junta da Costa da Caparica diz que problemas de 2007 podem repetir-se porque defesa aderente «está à beira do colapso». Mas o problema da erosão costeira no local poderá agravar-se caso o terminal de contentores venha mesmo para a Trafaria.

Bruno Cardoso

87

por cento da população da freguesia da Costa da Caparica tem consciência de que o problema da erosão costeira local é muito grave, mas um número significativo maior (97,5 por cento) não está disposto a viver noutro local que não o actual. Esta é uma das principais conclusões do estudo “Mudanças Climáticas, Costeiras e Sociais” (Change), que volta a trazer para a ribalta o dilema da erosão costeira na Costa da Caparica. O tema continua sem gerar consensos e não tem soluções à vista, embora os especialistas no geral acreditem, a pés juntos, que está relacionado com a pressão urbanística a que a Costa da Caparica foi sujeita nas últimas duas décadas, com o aumento do número de habitantes (94 por cento), edifícios (44 por cento) e alojamentos sazonais

(60 por cento). Em declarações ao Semmais, Luísa Schmidt, coordenadora do projecto Change, desenvolvido no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, em colaboração com uma equipa de investigação da Faculdade de Ciências da mesma universidade, acrescentou que a maior parte da população inquirida (82 por cento) no estudo considera que «não devem ser permitidas mais construções nos locais directamente afectados» e que 74 por cento não confia na capacidade actual de gestão das entidades envolvidas no problema. «Isto não quer dizer, porém, que não confiem nas soluções técnicas encontradas», sublinha. Além do paredão e das dunas artificiais construídos no âmbito do Polis, a frente urbana da Costa da Caparica foi alvo de enchimentos artificiais de areia entre 2007 e 2009 pelo INAG. Embora o investimento em torno desta solução, a roçar os 22 milhões de euros, tenha sido avultado, nem sempre gerou consensos. Defesa aderente está «em risco de colapsar»

O presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica é muito crítico sobre a opção tomada pela tutela, mas acusa-a de não a levar por diante, não dando à localidade o mesmo tratamento que às praias do Algarve. E pede que se avance, à falta de outras soluções mais eficazes, com o enchimento artificial das praias. «Estava inclusive prevista a colocação de 1,5 milhões de metros cúbicos de areias este ano pelo Governo, mas, até ao momento, nem este confirmou que o fazia, nem dá respostas», lamenta António Neves. O autarca alertou para o facto de a defesa aderente na zona entre os parques de campismo «estar já fragilizada e em risco de colapsar». «Houve um desassoreamento acentuado nos últimos tempos e isso criou muitas dificuldades nos acessos às nossas praias», assevera. Há quem sustente, porém, que o Governo estará a «atirar dinheiro fora» caso persista com o enchimento artificial das praias. E propõem, em alternativa, a reposição do istmo que ligava a Cova do Vapor, a seguir à Trafaria, e o ilhéu onde está instalado o farol do Bugio, ou seja, o fecho da golada. «Não sei se essa seria efectivamente a melhor solução, mas os

«Os dentes de um pente» investida do mar tornou-se difícil de conter. Só não piorou porque se fez a alimentação artificial das praias, além de múltiplas obras de reparação e manutenção dos esporões e estruturas aderentes. São tantas as obras desde 1959 que a orla costeira do local, vista do céu por uma gaivota, se assemelha aos dentes de um pente.

Terminal de contentores pode agravar erosão costeira Apesar de não existir unanimidade em torno das soluções para combater o problema, Carla Graça, do núcleo de Setúbal da Quercus, afirmou ao Semmais que a erosão costeira se poderá vir a agudizar futu-

ramente com a instalação de um terminal de contentores na Trafaria. «Isso pode ter efeitos tendo em conta a necessidade de dragagens profundas e a infra-estruturação do local», alerta a ambientalista, que pede que o Governo desenvolva estudos para acautelar as consequências provocadas pelo investimento na hidrodinâmica da Costa da Caparica. Entretanto, o Governo tem já previsto um leque de medidas para a zona ao abrigo do Plano de Acção de Protecção e Valorização do Litoral 2015 – 2015, projectando intervir fortemente na defesa costeira, na sua gestão e monitorização e propondo projectos de requalificação, que foquem na salvaguarda das pessoas e bens. Segundo informação do projecto Change, também o Polis pressupõe, aliás, o reordenamento territorial, com a relocalização dos parques de campismo da zona Sul para mais longe da praia, o recuo dos parques a Norte e a demolição dos palheiros da praia da Saúde. As decisões têm sido contestadas. Até ao fecho desta edição, a Associação Portuguesa do Ambiente e a Câmara Municipal de Almada não prestaram esclarecimentos sobre este assunto.

Erosão costeira VS obras de defesa O primeiro esporão de defesa da Costa da Caparica foi construído em 1959, na sequência do avanço do mar no ano anterior. Mas ao longo dos anos seguintes foi instalado um campo de esporões com o intuito de defender o núcleo populacional que estava em franca expansão. No início dos anos 70 já havia sete esporões e um paredão de 2,5 quilómetros

mesmo em frente da vila. Mas a fragilidade da situação da Costa foi novamente evidenciada nos anos de 2000, quando, entre 2003 e 2009, o mar avançou e destruiu boa parte de um parque de campismo, bares e restaurantes. Perante o avanço do gigantesco Golias que invade o terreno das pessoas sem ser convidado, só há uma pergunta inevitável: como o deter? DR

As praias da Costa da Caparica estão entre as mais populares do país e continuam a atrair muitos veraneantes. A história do crescimento do local confunde-se com as das obras levadas a cabo à medida que o mar ia ganhando terreno à terra. Com a protecção natural fragilizada, dada o crescimento urbanístico, a

especialistas acreditam nisso», diz António Neves. Outros, porém, defendem a relocalização total da população, uma solução que controlaria a pressão urbanística actual e o desordenamento territorial, que permitiu a construção nas dunas, nas praias, sobre as arribas e noutras zonas de reconhecida fragilidade ambiental. Essa ocupação, que tem contribuído para situações de desequilíbrio como as que se verificaram em 2007, altura em que o mar destruiu boa parte de um parque de campismo em São João da Caparica e bares e restaurantes, bem como a ruptura da golada, que teve início na década de 40, tem, segundo especialistas, precipitado a erosão costeira na Costa da Caparica. O mar terá mesmo avançado 234 metros sobre a terra entre 1999 e 2007, num ritmo de 26 metros por ano.

ficha técnica Director: Raul Tavares; Editor-Chefe: Bruno Cardoso; Redacção: Anabela Ventura, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Dinis Carrilho. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 935 388 102 (geral); Email: redaccao.semmais@mediasado.pt; publicidade.semmais@mediasado.pt. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98


3

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com Espaço Público

Editorial // Raul Tavares

O que é pessoal é político!

Pobres… mas eufóricos Não fora o deslize do glorioso esta segunda-feira, que mostra bem a capacidade genética de sofrimento de pelo menos 6 milhões de portugueses, esta semana teria sido de arromba. O regresso aos mercados deixou-me eufórico. Há muito tempo que não me sentia assim, tão nas nuvens… E fiquei deslumbrado com o nosso Gaspar em Bruxelas. Mesmo sonolento, ouvi-lo dizer que o nosso ajustamento “é muito lindo” é de ir às lágrimas. É por estas que o ‘mago´ Gaspar faz-me lembrar a lenda do faraó Akhenaton, ainda considerado o patrono do monoteísmo, que obrigou muitas centenas de anos antes de Cristo os sacerdotes e os súbditos igípcios a venerar apenas um ‘deus’, de nome Aton. Por sinal, após a sua morte, foi o descalabro, um fartar vilanagem de deuses, cultos e anarquia teológica. Gaspar (e ainda bem pelos vistos) tem o culto dos mercados. E venera esse ‘deus maior’. É o seu monoteísmo em forma de moeda. Mesmo que só o ano passado esse ‘deus mercado’ tivesse cobrado mais de 1,2 milhões de juros, a um país que perdeu nos últimos três anos dez por cento da sua riqueza. E mesmo que a bendita Alemanha - que pode muito ser comparada a Nefertiti, mulher do tal Akhenaton - tenha pago apenas 7,5 milhões de euros por 1,5 mil milhões nos mesmos mercados. E tenha, à nossa conta, injectado nos seus bancos milhões de euros à custa da pobreza inevitável do “ajustamento lindo” de Gaspar. Mas, pronto, isso são trocos. Com a chegada aos mercados está tudo no bom caminho, mesmo que a dívida pública tenha superado os 120 por cento do produto, a economia esteja condenada a uma recessão jamais vista e a vida das famílias lusas tenha regressado à cortina do Estado Novo. Mas os portugueses não vão deixar de ter o amparo do nosso Gaspar. A sopinha não faltará e ainda havemos de ter mais IPSS’s que empresas. Isso é bom! E para que a semana tivesse sido mesmo uma delícia tivemos o Paulo (outro nome sagrado, meu Deus) a lutar por nós no concílio dos passistas que demorou uma eternidade, coisa que só mesmo nos edílios ocorre. Que tempos majestosos, sem faltar as traições, as lutas intestinas e o jogos de poder em nome da populaça. Vamos bem assim. Agora é seguir em frente. Era mesmo bom que o Benfica se sagrasse campeão. Alguém disse um dia que quando o glorioso vence o país fica mais animado, mais rico, a economia refloresce, a violência doméstica acalma, o crime amaina, o governo descansa e o até o ‘rei’ Gaspar acelera o ritmo discursivo e abate nas olheiras.

N

o final das anos 70 as feministas afirmaram uma nova postura perante a sociedade traduzida na frase “o que é pessoal é político”. Esta frase que visava trazer a esfera privada para o domínio da responsabilidade política voltou a tornar-se, hoje, muitíssimo atual. A nossa atitude individual e pessoal face ao governo e às políticas para nos empobrecer não pode ser de depressão e inação, mas sim, de ação, de combate, em ultima instância, de desobediência. O que estes senhores querem é pôr-nos a pata em cima por via da tristeza e do desalento individual, atingindo desta forma o coletivo. Pois comigo não contem, não me resigno, a minha atitude individual quotidiana, mesmo com pouquíssimo dinheiro e a ter que abdicar de muita coisa que levou anos a construir na minha vida e no meu bem-estar, é declaradamente uma atitude política. O plano que Passos e Gaspar arquitetaram com o beneplácito de Portas, que tenta disfarçar através de teatralizações desavergonhadas, para enganar o seu pertenço eleitorado, deu mais um passo em frente com requintes refinados de ataque ao estado social, revestidos de mais umas quantas inconstitucionalidades, quer no que diz respeito aos funcionários públicos, que como é sabido não

Nova Etiqueta Energética

O

s eletrodomésticos como máquinas de lavar, frigoríficos, entre outros vulgarmente designados de linha branca, assim como fornos elétricos, ar condicionado e as fontes de luz, são os equipamentos de maior uso nas nossas casas. Comprar um equipamento eficiente é fundamental para reduzir o consumo de energia e consequente despesa da fatura da luz, a sua identificação é fácil de encontrar com a nova etiqueta energética. A Etiqueta Energética da União Europeia tem por objetivo fornecer ao consumidor informações precisas, reconhecíveis e comparáveis no que respeita ao consumo de energia, ao desempenho e a

Sempre Ser

A

têm direito a subsídio de desemprego, quer no que diz respeito aos pensionistas, havendo pela primeira vez a tentativa descarada de fazer um corte definitivo nas pensões já atribuídas. Estes ataques precisam da mobilização de todos e todas nós, dos sindicatos que têm aqui um papel determinante, não só na rua mas também e fundamentalmente na mesa das negociações, dos partidos enquanto representantes do povo, garante da constituição e da democracia, mas também dos cidadãos e cidadãs, através dos movimentos sociais ou individualmente, na atitude que assumimos diariamente. As megamanifestações inorgânicas têm que produzir resultados como aconteceu no 15 de Setembro quando levou ao recuo do Governo relativamente à TSU. Estes momentos não podem ser apenas um momento de catarse, com ar de funeral e servindo apenas para expressar uma depressão coletiva que serve os intuitos destes facínoras. Temos que resistir e dizer não todos os dias, tornar o que nos afeta pessoalmente numa questão política. Desafio todos e todas a esta postura de resistência individual!

histórica fotografia dos republicanos a deixarem a Espanha a caminho do exílio que em França teria a sua primeira etapa, da autoria de Roberto Capa, escolhida que foi pelo Teatro do Elefante, de Setúbal, para ilustrar o anúncio da estreia, esta noite, no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, da sua peça «A Casa de Eulália», a partir do texto de Manuel Tiago, pode lembrar. Pode lembrar o discurso de Dolores Ibarruri, La Pasionaria, líder do Partido Comunista de Espanha, na despedida das Brigadas Internacionais a 15 de Novembro de 1938, em Barcelona, mas não sem antes dirigir-se às mulheres catalãs: «Mães! Mulheres! Quando tiverem decorridos os anos e as feridas da guerra sangrarem… falem aos vossos filhos das Brigadas Internacionais. Contemlhes como vindos pelo mar e de além montanhas… estes homens «abandonaram tudo, as suas casas, o seu país, os seus bens - pais, mães, mulheres, irmãos e filhos -, e vieram dizer-nos: “Aqui estamos, a causa de Espanha é a nossa causa, é a causa de toda a humanidade progressiva e adulta”» (Hugo Thomas). Pode lembrar Eulália Mendes, cujo pai ficara contente por ela nascer a 30 de Abril e ele assim poder ir à manifestação do 1º de Maio, lá em Gouveia - o mesmo que, já em New Bedford, e estando ela, com 18 anos, a viver de perto a greve de 1928, lhe ensinava a vencer o medo com uma laminar recomendação: «onde estiverem os grevistas é onde tens de estar». Para já em 1935, ser - sempre ela - dirigente regional do Partido

outras características essenciais dos produtos. A etiqueta energética permite que o consumidor conheça o nível de eficiência energética de um produto e que avalie o potencial de redução de custos de energia que este proporciona. A etiqueta é uniforme para todos os produtos da mesma categoria e por isso permite que o consumidor compare facilmente as características dos vários produtos, tais como o consumo da água ou de energia, ou a sua capacidade. A etiqueta começou por classificar os produtos de A a G, sendo A a classe energética mais eficiente e G a menos eficiente. Atualmente, a nova legislação europeia introduziu novas classes, até A+++, para adaptar a informação à evolução tecnológica e permitir uma maior

diferenciação do produto em termos de eficiência energética. As etiquetas Energy Star e GEA são utilizadas em equipamentos de escritório e na eletrónica de consumo. Estabelecem o valor máximo para o consumo energético do aparelho quando não está a ser utilizado, ou quando está em modo de espera (stand-by). Os equipamentos que têm estabelecida a nova etiquetagem energética são: • Frigoríficos, congeladores, combinados e garrafeiras frigoríficas. • Máquinas de lavar roupa • Máquinas de lavar loiça • Televisores As etiquetas têm como elementos comuns: • A uniformidade, é igual em todos estados membros da EU-27; • Setas coloridas indicando o nível de eficiência, desde o vermelho menos eficiente ao verde escuro, aparelho mais eficiente; • Classes adicionais para a eficiência energética: A+, A++;A+++

Caterina Marcelino Dirigente do PS

Valdemar Santos Militante do PCP

Comunista Americano. Pode lembrar que na «terra da liberdade», nos Estados Unidos, o FBI abria-lhe a correspondência, fazia-lhe escutas ao telefone, várias vezes lhe bateu à porta: «Declararase comunista nos papéis da imigração de 1935 e negara-se a dizer que não pertencia ao partido quando, a partir de 1948, a lei Taft-Herteley exigia que todos os dirigentes sindicais o fizessem» (Catarina Carvalho). E que, detida em 1950 e deportada a 26 de Maio de 1953 para Varsóvia, na Polónia, onde, com mais de 90 anos, viria a morrer, este tempo é fácil de adivinhar, bastando ouvila: «agora eles olham para mim de lado, porque conhecem o meu passado, que é o meu presente. Eu ainda sou comunista». «Em 1935, Álvaro Cunhal passa à clandestinidade e em 1936 deslocase a Espanha em tarefa do Partido. Aí participa ao lado do povo espanhol em defesa da República face ao golpe fascista de Franco». Escrito na brochura da Exposição «Vida, pensamento e luta: exemplo que se projecta na actualidade e no futuro», a decorrer até 2 de Junho, no Pátio de Galé, Terreiro do Paço, em Lisboa, desta grandiosa iniciativa comunista pode-se ficar agora com a sensação de assentar naquele, afinal, «apenas» ainda ser.

• Nome do fornecedor ou marca e identificação do modelo; • Pictogramas: há características e desempenhos cuja informação é evidenciada na etiqueta; • Consumo anual de energia em Kwh. A faixa para a classe de eficiência energética e / ou os pictogramas podem mudar consoante a categoria de produtos. A escala foi alargada porque as evoluções tecnológicas criaram a necessidade de diferenciar a categoria “A”. Este aumento visa o incentivo dos fabricantes a serem mais competitivos, desenvolvendo produtos cada vez mais eficientes e que permite também transmitir informação aos consumidores de forma mais adequada aos novos produtos, de modo a que lhes seja possível continuar a fazer escolhas informadas e energeticamente inteligentes. Junte a sua à nossa energia em www.ena.com.pt


ACTUAL Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 4

Formação profissional em destaque O CENTRO de Emprego e Formação Profissional de Setúbal vai apresentar, entre os dias 20 a 24 de Maio, o trabalho e as saídas profissionais que o ensino profissional proporciona, apresen-

Fernando Pó com boa pinga

tando também as instalações, equipamentos e materiais com que os formandos trabalham diariamente. Escolas, empresas, IPSS, autarquias, entre outras, podem visitar a “Semana Aberta”.

A 18.ª Mostra de Vinhos de Marateca e Poceirão e a Feira de Vinhos do Concelho de Palmela decorre este sábado e domingo, em Fernando Pó, Palmela. Além da prova e

Festival que promove Sesimbra, Setúbal e Palmela tem sido um êxito

Marta David

A

constituição da Arrábida Film Comission com o objectivo de valorizar e promover a região da Arrábida enquanto destino de potencial cinematográfico, criando uma estrutura mais coesa e apropriada para a divulgação é o próximo passo que Carlos Sargedas pretende dar após duas edições do Finisterra – Arrábida Film Art & Tourism, cuja segunda edição termina amanhã, domingo, ao final do dia, em Sesimbra, com a entrega de prémios aos realizadores dos filmes escolhidos pelo júri. Na cerimónia de abertura que decorreu na nova Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, quartafeira, e onde estiveram represen-

tantes das três autarquias envolvidas e da região de turismo, a unanimidade sobre as potencialidades da Arrábida e zonas envolventes enquanto cenário para algumas produções, foi uma realidade. A luz natural, a conjugação da serra e do mar, o património edificado, o relevo e o clima são cartões-de-visita que podem ser aproveitados enquanto cenários naturais. Ao longo dos cinco dias de mostra de filmes, o programa do Festival contou com passeios turísticos destinados aos realizadores e produtores estrangeiros participantes. Segundo Carlos Sargedas, «dando a conhecer estas potencialidades é possível que alguns locais possam ser escolhidos para a produção de filmes». Filmagens no Espichel já garantidas Prova disso é o facto de que um dos produtores que se deslocou a Sesimbra durante a primeira edição do Finisterra começará em breve a filmar uma longa-metragem espanhola na zona do Cabo Espichel. Para além disso, há ainda contactos com uma produtora internacional que pretende realizar um filme na zona da Quinta de

Arroz de Lingueirão com choco de Sines é finalista nacional O RESTAURANTE “Cais da Estação”, de Sines, é um dos finalistas do concurso Melhor Arroz de Portugal 2013 promovido desde Março pela Unilever Food Solutions, com o objectivo de chegar ao consumidor final e aos restaurantes. O concurso contou com a participação de mais de mil restaurantes, cada um com a sua especialidade, e uma adesão superior a 40 mil pessoas que votaram nas suas receitas preferidas. O restaurante vencedor será conhecido na grande final que terá

lugar no próximo dia 13, na sede da Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal, em Lisboa. O “Cais da Estação” vai a concurso com o prato Arroz de Lingueirão com choco. Além de Sines, estão na corrida ao prémio final restaurantes de Vila Nova de Poiares, Esposende, Chaves e Sobral de Monte Agraço.

Carlos Sargedas quer Arrábida como destino de potencial cinematográfico

Calhariz e no Cabo Espichel por considerar estas áreas semelhantes a algumas zonas do México. O programa social do Finisterra tem servido também para colocar os produtores e realizadores em contacto com as várias ofertas. Visitas às caves e adegas, aos castelos e ao convento da Arrábida, assim como um passeio de caravela pela costa vai permitir «vender a nossa região como destino cinematográfico e uma vez que vão ter a possibilidade de o ver inclusive do mar, quem sabe

se não haverá quem se lembre de fazer o próximo “Piratas das Caraíbas” aqui na região», brincou Carlos Sargedas. E para mostrar as belezas da Arrábida ao Espichel aos produtores e realizadores que não venham a Portugal participar no Finisterra, o director do Festival encontrou solução. «Logo após o fim do festival sigo para Cannes numa carrinha totalmente decorada com Sesimbra, Arrábida e Cabo Espichel. Vou "vender" os cenários naturais para cinema.»

TST não aceita multimodais enquanto Governo não pagar 5,5 milhões A TRANSPORTES Sul do Tejo garante que se o Governo não pagar as compensações em atraso deixa de aceitar o passe social a partir de Agosto. A TST fala em 5,5 milhões de euros em falta, verba essa que corresponde às «compensações pela diferença entre o passe social e o preço comercial do serviço nos dois últimos anos», nos passes e nos títulos combinados com o Metropolitano de Lisboa e a Carris, vinca o administrador António Sampaio. De acordo com a mesma fonte, este valor equivale aos resultados negativos que a TST registou nos anos de 2011 e 2012. Segundo a empresa, o passe intermodal é utilizado por 12 mil passa-

DR

Termina este domingo a 2.ª edição do festival de cinema Finisterra, que decorre entre Sesimbra, Setúbal e Palmela. Mais um êxito para promover a região dos três castelos.

DR

Arrábida Film Comission é passo seguinte ao Finisterra que vai a Cannes

Os TST acumulam prejuízos

geiros e a aquisição de um passe TST aumentará o custo das suas deslocações entre os 8 e os 20 euros. Por seu turno, o coordenador dos transportes da Área Metropolitana de Lisboa considera que as empresas privadas não devem usar os cidadãos para «chantagear» o Governo.

venda dos néctares de qualidade da região, os visitantes poderão assistir a colóquios, bailes e actuação de ranchos folclóricos. Irmãos Cabana animam o certame.

Câmara de Setúbal garante pagamento de gratificados à PSP até final do mês O VICE-PRESIDENTE da Câmara Municipal de Setúbal, André Martins, garantiu que a autarquia vai pagar até ao final do mês os gratificados em atraso aos agentes da PSP, relativos à vigilância do Parque Urbano da Albarquel e da última edição da Feira de Sant’Iago. Em causa, segundo avançado pelo vereador socialista na autarquia, António Caracol, estará uma quantia de 90 mil euros. Na resposta, André Martins reconheceu o problema, mas afirmou que a autarquia está «há muito tempo» em conversações com o comandante da PSP de Setúbal para resolver o problema. «A situação financeira da autarquia está controlada, mas não está fácil tendo em conta a conjuntura económica actual, que afecta a esmagadora maioria dos municípios portugueses», desabafou. O vice-presidente da autarquia responsabilizou ainda o anterior Governo pela não autorização para contracção de um empréstimo por parte da autarquia. André Martins afirmou que a Câmara Municipal de Setúbal tinha expectativa de contrair esse empréstimo por forma a fazer face a este tipo de compromissos. Com a sua inviabilização, a maior parte do dinheiro tem sido canalizado para pagamento das comparticipações municipais em projectos financiados ao abrigo do Quadro de Referência Estratégico Nacional. A garantia deixada pelo autarca surgiu depois de a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) ter vindo denunciar publicamente o atraso no pagamento dos gratificados em causa. Segundo a ASPP, o não pagamento do valor punha em causa o normal pagamento das prestações das casas dos agentes e outras contas. Os gratificados são feitos nas folgas ou após os horários de serviço e têm dois valores, nomeadamente a partir de 19 euros, quando pagos pelo Ministério da Administração Interna por 4 horas, e a partir de 28 euros, pelo mesmo tempo, por particulares. Bruno Cardoso


5

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com

Autarquia aposta forte no cartaz musical da 26.ª edição do certame

Santiagro de excelência para combater a crise Feira abre oportunidade para produtores lutarem contra conjuntura económica adversa. Objectivo passa por estabelecer Santiago do Cacém como um pólo dinamizador do sector agropecuário e agroindustrial na região.

CMSC

A 26.ª edição da Santiagro – Feira Agropecuária e do Cavalo vai voltar a promover os produtos regionais de excelência da Costa Alentejana, contribuindo para dinamizar a economia local e para pôr em evidência uma região que é cada vez mais procurada. Durante a apresentação de mais uma edição do certame, que este ano decorre entre os dias 31 de Maio e 1 e 2 de Junho, em Santiago do Cacém, o presidente da câmara municipal, Vítor Proença, enalteceu a forte componente económica da Santiagro e lembrou que a feira vai decorrer em 2013

Um factor de atracção turística e de dinamização do território

Friso de figuras públicas na apresentação da 26.ª edição do evento

«numa conjuntura económica difícil e num momento em que é preciso valorizar cada vez mais aquilo que a terra tem para dar». A mesma posição foi partilhada pelo presidente da Caixa de Crédito Agrícola da Costa Azul, Jorge Nunes, que considerou inclusive que uma grande parte da população está nos dias de hoje a regressar à terra,

depois de ver fechadas oportunidades no sector da construção civil e no estrangeiro. «A CCA Costa Azul criou inicialmente este certame para ser apenas uma mera pequena exposição, num período em que a agricultura estava em franca expansão, tendo merecido ao longo dos anos seguintes vários investimentos», lembrou.

Já o presidente da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo, Ceia da Silva, considerou que a Santiagro deve ser vista enquanto factor de atracção do território, dado o seu contributo para a criação de dinâmicas locais e para o aumento da taxa média dos visitantes. Ceia da Silva sublinhou também que a aposta da autarquia no certame tem permitido aos expositores locais encontrar novas janelas de oportunidades, uma visão «inteligente» e partilhada pela própria ERT que quer ver criadas futuramente plataformas logísticas rurais por forma a desenvolver ferramentas que possibilitem aos produtores escoar os seus produtos locais. «Esta feira é um emblema de Santiago e do Alentejo», acrescentou. Cartaz dominado pelos Xutos, Diabo na Cruz e não só Álvaro Beijinha, vereador na autarquia com a pasta das Actividades Económicas, afirmou que

os três dias da feira serão dedicados às coudelarias, caça e aves, à agricultura biológica e suinicultura e à floresta, bovinos e caprinos. Como pontos altos do certame, o autarca destacou a realização de diversos colóquios, cujos temas estão intimamente ligados à agricultura e pecuária, de um leilão de gado (uma inovação na Santiagro), dos food shows, das provas de vinhos, e da já tradicional corrida à portuguesa, com a presença dos toureiros Joaquim Bastinhas, Rui Salvador, Sónia Matias, Forcados Amadores de Beja, Moura e Ribatejo e Ganadaria Ascensão Vaz. Os Diabo na Cruz, os Xutos e Pontapés e um espectáculo musical com Vitorino, Janita Salomé, Filipa Pais e Grupo Coral Cantadores do Redondo vão deliciar as cerca de 25 mil pessoas que são esperadas nos três dias do evento, orçado em 188 mil euros. As entradas mantêm-se pagas, embora os preços sejam inferiores ao ano passado. Está já confirmada a presença de 145 expositores, mais 38 do que em 2012. Bruno Cardoso

Um modo natural de ajudar as articulações dolorosas

rioração. Alguns peritos reclamaram ainda que a glucosamina pode recuperar alguma da cartilagem já degradada.

A osteoartrose, a deterioração da cartilagem das articulações que surge numa idade mais avançada, faz parte do processo de envelhecimento. O que é interessante saber é que a investigação científica encontrou uma solução natural que parece ser muito eficaz: glucosamina combinada com condroitina.

Tijolos de cartilagem A glucosamina é um amino-açúcar, produzido a partir dum aminoácido e de glucose. É um tijolo biológico e um componente estrutural da cartilagem das articulações. O que torna a glucosamina tão especial é a sua capacidade de estimular a síntese corporal de cartilagem e foi exactamente isso que a investigação mostrou ser benéfico na osteoartrose. A condroitina, o outro componente, é extraído normalmente da cartilagem de porco ou de vaca, mas também é usada a cartilagem de tubarão. A condroitina é um componente estrutural vital da cartilagem.

Estamos familiarizados com a típica situação em que o avô se levanta da sua cadeira. Pára a meio e fica “congelado”, como se algo o prendesse àquela posição. Lamenta-se, mostrando claramente que tem dores, e lá consegue pôr-se de pé. Esta imagem clássica é osteoartrose, o resultado doloroso do desgaste da cartilagem. As extremidades ósseas expostas friccionam entre elas, originando dor, estalidos e perda de mobilidade, mas investigadores empenhados encontraram o que parece ser uma solução muito útil. Não se trata de cirurgia, nem de medicamentos de síntese… é uma combinação de dois componentes naturais. Uma chama-se glucosamina, a outra condroitina.

Nenhuma outra substância tem este efeito Ao contrário dos medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, que eram a opção não cirúrgica mais comum para as pessoas com osteoartrose, a glucosamina e a condroitina têm outros efeitos para além de melhorar a dor, impede a degradação da cartilagem. Até ao momento, este é o único tratamento capaz de prevenir a futura perda de cartilagem articular. Os investigadores científicos ainda não chegaram a um consenso sobre como a glucosamina combinada com a condroitina consegue este efeito, mas parece que o tratamento inibe as enzimas que degradam a cartilagem, provocando a sua dete-

camentos anti-inflamatórios não esteróides) que são amplamente utilizados para tratar articulações inflamadas e dolorosas. De facto, investigadores Espanhóis do Hospital Universitário Dr. Peset em Valência publicaram recentemente um estudo na revista científica Radiologia Europeia (European Radiology), no qual comprovaram a capacidade da glucosamina diminuir a dor e melhorar o funcionamento das articulações em pessoas com a cartilagem do joelho degradada.

Dra. Inês Veiga (*)

Documentado cientificamente Actua mesmo? De acordo com estudos científicos, definitivamente parece que sim. Não só melhora o funcionamento das articulações, como os estudos também demonstram que reduz as dores articulares tão eficazmente como os AINE’s (medi-

Eur Radiol. 2009 Arthroscopy. 2009 Jan;25(1):86-94. (*) Farmacêutica

Porquê “sulfato”? Estudos demonstram que o melhor efeito é obtido com sulfato de glucosamina e sulfato de condroitina. O prefixo “sulfato” refere-se ao facto dos componentes serem combinados com enxofre. Biologicamente, a glucosamina e a condroitina necessitam da presença de enxofre para actuar adequadamente. Outra forma de glucosamina predominantemente utilizada em preparações de glucosamina nos Estados Unidos é o “cloridrato de glucosamina”. Esta forma da substância não actua tão bem quanto o sulfato de glucosamina, explicando a razão por que alguns estudos não apresentam os efeitos esperados. Algumas pessoas tomam glucosamina pura com MSM (metil sulfonil metano), que é um composto de enxofre, de modo a permitir que a glucosamina actue adequadamente. Outras combinam a glucosamina com sulfato de condroitina, outra substância estimuladora da cartilagem. A maioria dos estudos publicados com efeitos comprovados na osteoartrose utilizaram sulfato de glucosamina.


7

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com ACTUAL

Ceia da Silva diz que novo mapa não atrasa Costa Alentejana O PRESIDENTE da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo voltou a reafirmar ao Semmais que concorda com a revisão do mapa turístico português, uma refundação que prevê apenas a manutenção de cinco grandes regiões em Portugal Continental. A revisão do mapa implica, no distrito, acabar com o pólo turístico da Costa

Alentejana, uma decisão que «não vai deitar por terra todo o trabalho já desenvolvido até ao momento». «Deve haver apenas cinco marcas e as cinco têm de defender as suas áreas estratégicas turísticas», sublinhou Ceia da Silva. O presidente da ERT do Alentejo gabou a afirmação da «sub marca “Litoral Alentejano”», mas

garantiu que «as perspectivas de desenvolvimento para a costa não se perderão». Em função dessa pujança, que disse querer manter, Ceia da Silva revelou que o actual Secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, vai reunir com autarcas e promotores em Tróia no próximo dia 22 para se inteirar dos projectos que

se perspectivam no horizonte próximo. Ceia da Silva acredita igualmente que a região do Alentejano vai voltar a crescer em termos turísticos já este ano, depois da quebra de 5 por cento verificada em 2012, que travou as subidas verificadas em anos anteriores. «Já há inclusive muitas reservas para o

próximo Verão», assegurou, acrescentando também que a região deve procurar internacionalizar-se cada vez mais e diminuir a sua excessiva dependência dos mercados português e espanhol, ambos a ressentiremse com a crise. O crescimento que se perspectiva para o futuro deverá ser feito, na

contramão, à custa de mercados emergentes. «No ano passado não houve milagres, a crise fez-se sentir», lamentou Ceia da Silva, que pretende agora que os vários eventos festivos da região prolonguem a taxa média de estadia do turista, em média de 1,7 dias actualmente. Bruno Cardoso Pub.

UMA nova ciclovia com 1,6 quilómetros de extensão vai nascer até ao final do ano no Pinhal Novo. Álvaro Amaro, vereador na Câmara Municipal de Palmela com a pasta dos Transportes, sublinhou que o «novo investimento vai promover a deslocação de modos suaves e não poluentes na freguesia», ligando as zonas norte e sul da vila, mas em parte, também as zonas nascente e poente da localidade. Durante a apresentação do projecto, o autarca referiu igualmente que a nova ciclovia vai requalificar a «envolvente paisagística e a vivência da população», potenciando a utilização do novo troço ciclável e dos outrora existentes como espaços de lazer e de circulação privilegiada para modos suaves de deslocação no aglomerado urbano. A construção da ciclovia vai ligar a zona da vila Serena à estação ferroviária local e ao extremo sul do Pinhal Novo, através do loteamento de Val’Flores. A aprovação do projecto surgiu do aproveitamento de um espaço do domínio público

DR

Palmela investe 350 mil em nova ciclovia para o Pinhal Novo

Ciclovia terá 1,6 quilómetros

ferroviário, o antigo ramal do Montijo (já desactivado), cedido e protocolado com a Refer, para a instalação das chamadas vias verdes, um conceito que pretende ligar através destes corredores grande parte do espaço europeu. O projecto foi também alvo de acompanhamento e aprovação por parte de diversas entidades, designadamente da Administração Regional Hidrográfica de Lisboa e Vale do Tejo/Agência Portuguesa do Ambiente, da Refer e das Estradas de Portugal. O projecto tem um custo estimado em aproximadamente 350 mil euros, acrescido do IVA à taxa legal em vigor. As obras no terreno deverão arrancar em Outubro.

Porto de Sines debateu estratégia do Mar até 2020 O SECRETÁRIO de Estado do Mar, Manuel Pinto Abreu, presidiu no Porto de Sines à apresentação e debate sobre a Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020. No evento, que contou na sessão de abertura com a presidente da APS – Administração do Porto de Sines, Lídia Sequeira, marcaram presença cerca de 90 representantes da comunidade portuária e

empresarial de Sines. O documento que vai balizar a actividade portuária nos próximos anos, encontra-se em discussão pública e é um instrumento que apresenta a visão de Portugal no que se refere ao modelo de desenvolvimento deste cluster, assente na «preservação e utilização sustentável dos recursos e serviços dos ecossistemas marinhos».


POLÍTICA Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 8

AM de Almada contra novo SAP A ASSEMBLEIA Municipal de Almada reclama a reposição dos horários de funcionamento do atendimento complementar nos Centros de Saúde entretanto retirados, bem

como o prolongamento do SAP, até às 24 horas. Os deputados são contra o funcionamento do SAP das 10 às 17 horas, ao fim de semana, a partir de 2 de Março.

PSD apresenta lista para Alcochete O PSD de Alcochete apresenta este sábado, às 17 horas, na biblioteca, os cabeças-de-lista aos órgãos autárquicos. Maria do Rosário Prates e João do Valle são os candidatos

à Câmara e à Assembleia Municipal, respectivamente. António Silva, Nelson Constantino e Vasco Vitória concorrem às Juntas de Alcochete, Samouco e S. Francisco.

Candidato do PSD apresenta propostas

O

candidato do PSD ao município de Santiago do Cacém, Paulo Gamito, defende que o desenvolvimento e o emprego são essenciais para o futuro do concelho e para a qualidade de vida das populações. Na apresentação pública da candidatura, realizada na quintafeira, candidato criticou a gestão

CDU avança em breve com ‘pesos pesados’ AUGUSTO Pólvora, actual presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, vai ser hoje apresentado como cabeça-delista pela CDU para o mesmo cargo nas próximas eleições autárquicas. Ao Semmais, o edil já tinha demonstrado interesse em candidatar-se a mais um mandato à frente dos destinos do concelho de Sesimbra. Praticamente confirmada está também a recandidatura de Maria das Dores Meira pela coligação unitária à presidência da Câmara de Setúbal. O anúncio formal deve ser feito nos próximos dias, agora que já se conhecem os principais rivais: Luís Rodrigues, pelo PSD/CDS e João Ribeiro, PS. Também Carlos Humberto e Luís Franco estão praticamente confirmados para o Barreiro e Alcochete.

da CDU na autarquia, considerando que a mesma «não tem estratégia, nem capacidade para atingir o caminho do sucesso». «Basta desta política de estagnação. Inovação, desenvolvimento e competência não existe na prática, apenas na retórica», reforça. No novo quadro comunitário, Santiago do Cacém «tem que se assumir como o concelho mais empreendedor do Alentejo», para que assim possa captar empresas e criar emprego, atraindo mais população. «Sem desenvolvimento económico não há empresas, sem ela não há emprego», realça. Neste âmbito, o candidato defende a criação de um programa de empreendedorismo alargado às escolas das freguesias e de uma feira de empreendedorismo jovem do Alentejo litoral. Paulo Gamito pretende ainda

Paulo Gamito critica política de «estagnação» e «retórica» da CDU

promover um programa de bolsa de terras dirigido para os jovens, assim como criar uma bolsa para projectos de empreendedorismo social e associativo. O presidente da distrital de Setúbal, Pedro do Ó Ramos, lamenta que Santiago do Cacém

não tenha a identidade que as pessoas merecem. «Não há nenhuma marca que identifique Santiago do Cacém», explica, salientando ainda que a autarquia «não tem rasgo, não tem imaginação, não dá a qualidade de vida que as pessoas precisam».

Candidato do PS quer aproximar geminações europeias e fala com ex-presidentes O CANDIDATO do PS à Câmara de Setúbal escreveu esta semana uma carta às cidades europeias geminadas com a cidade sadina com o objectivo de, caso seja eleito, incrementar a cooperação e “reforçar” a identidade europeia dos municípios congéneres e “enriquecer um projecto comum” entre as diferentes diversidades culturais. João Ribeiro, que tem optado por dar notas das suas iniciativas via facebook, garantiu na mesma missiva que pretende assinar todos os anos, no dia da Europa, “um novo protocolo de geminação com outras cidades euro-

DR

O candidato, actual administrador da Baia do Tejo, está empenhado em fazer uma campanha forte e a conseguir um ‘score’ eleitoral que possa surpreender as maiorias do concelho. E quer Santiago mais empreendedora.

DR

Paulo Gamito defende emprego e desenvolvimento para ganhar Santiago

João Ribeiro quer Setúbal europeia

peias”, no sentido de alavancar “uma estratégia comum para atracção do investimento e do desenvolvimento de um cluster económico articulado com a política educativa, desportiva e cultural da cidade”. “Tenciono,

logo após as eleições autárquicas convidar os presidentes dos municípios geminados para participar nas comemorações do dia da Europa, em 2014, em Setúbal”, afirmou João Ribeiro. Esta semana ficámos também a saber que o candidato socialista falou com os três anteriores presidentes da Câmara de Setúbal, eleitos após o 25 de Abril, Francisco Lobo (APU), Mata Cáceres (PS) e Carlos Sousa (CDU), com o objectivo de lhes manifestar a intenção de conversar sobre “como viam Setúbal no início dos seus mandatos e com o veem agora”.

Bloco de Esquerda contra mega-agrupamentos POR proposta dos deputados municipais do Bloco de Esquerda, Álvaro Arranja e José Luís Andrade, a Assembleia Municipal de Setúbal aprovou na sua última reunião uma moção contra a constituição de mega-agrupamentos e em defesa

da escola pública, com os votos a favor do Bloco de Esquerda, da CDU e do PS e os votos contra do PSD e CDS. A constituição de um megaagrupamento foi imposta recentemente à Escola 2.3 de Aranguês, ao Agrupamento de Escolas

Cetóbriga e à Escola Secundária Sebastião da Gama. Com o ano lectivo a decorrer, o BE de Setúbal diz que «assistimos a demissões e mudanças nos órgãos de direcção, prejudicando gravemente o funcionamento destas escolas».

CDU aposta em Figueira Mendes para Grândola O ANTIGO autarca Figueira Mendes é o candidato da CDU à presidência da Câmara de Grândola, liderada pelo PS, nas eleições autárquicas deste ano. A candidatura de Figueira Mendes, 70 anos, gerente de profissão, foi aprovada por unanimidade pela comissão concelhia local do PCP. O candidato da CDU foi presidente da Câmara de Grândola durante quatro mandatos, entre 1976 e 1989, tendo depois ocupado o cargo de presidente da Assembleia Municipal por oito anos, entre 1989 e 1997. Além de Figueira Mendes, o presidente da Assembleia de Freguesia de Melides, António Candeias, eleito como independente pelo PS, já anunciou a sua candidatura à liderança do município de Grândola por um movimento independente. Socialistas na expectativa com processo da concelhia O candidato dos socialistas, após um diferendo ainda não totalmente sanado junto da concelhia local, é Ricardo Campaniço, após as cúpulas nacional e federativa terem optado por essa solução. O processo está ainda por resolver, uma vez que a concelhia aguarda uma providência entregue ao tribunal. Aníbal Cordeiro, que no dia 25 de Abril declarou-se candidato independente, era a opção de um grupo de dirigentes ‘rosa’ de Grândola. A Câmara de Grândola é dirigida desde 10 de Janeiro do corrente ano por Graça Guerreiro Nunes, até então vice-presidente, que rendeu no cargo Carlos Beato, impedido legalmente de se recandidatar a um quarto mandato e actualmente administrador do Montepio Geral. Uma eventual coligação PSD/PP poderá vir a apoiar a candidatura de Aníbal Candeias, ex-presidente da junta de Melides.


Editorial

N

O conjunto de potencialidades que a Costa Alentejana oferece para a consolidação do cluster turístico da região e do país, tem merecido crescente interesse das tutelas do sector, operadores no terreno e de investidores nacionais e estrangeiros. A magia da sua história, a majestade do património natural e a riqueza da sua cultura e das gentes, fazem parte de uma carteira de oferta cada vez mais apelativa. Este caderno, da responsabilidade da Entidade Regional de Turismo da Costa Alentejana, pretende marcar este desígnio num dos destinos turísticos de excelência de Portugal.

a Costa Alentejana, não temos os edifícios mais altos do mundo nem as avenidas mais movimentadas. Não temos praias sobrelotadas nem ilhas artificiais. Temos quilómetros de costa, onde a terra termina e o mar começa. Marinas para aportar, partir e regressar. Cidades cheias de história, entre castelos, praças, igrejas, vestígios de séculos passados e sonhos de um futuro perfeito. Temos refúgios secretos, longe das multidões, escondidos entre o silêncio e uma natureza majestosa, intacta, por descobrir. Temos areais imensos que falam de liberdade. Temos espaço, muito espaço aberto para seguir em todas as direcções ou contemplar a grandeza das coisas simples. E temos lagos e pássaros, lugares mágicos concebidos para celebrar o pôr-do-sol. De noite ou de dia, comemoramos a vida, num Verão que parece eterno. De Março a Novembro, o termómetro insiste em não descer abaixo dos onze graus centígrados; de Dezembro a Fevereiro, um suave sol de Inverno acompanha-nos a casa. Na Costa Alentejana, gostamos do peixe acabado de pescar, da comida farta, confeccionada com produtos da região, de cometer um ou outro pecado com uma sobremesa doce… De festejar momentos únicos com um copo de vinho e um brinde à alegria. Gostamos dos amigos, de desporto, de percorrer a planície sem destino. Gostamos de passar algum tempo com o mar – só ele e nós; de aprender a língua original de plantas e animais. E gostamos de receber, de ter sempre um lugar à mesa para quem vier. De deixar portas e braços abertos, à sua espera, o ano inteiro.

Mas na Costa Alentejana temos algo ainda mais importante. Um mistério que se desprende de tudo e que lhe é revelado desde o primeiro dia em que aqui chegar. O mundo fica para trás; a vida de todos os dias é colocada em suspenso. As coisas que parecem urgentes perdem, subitamente, toda a importância… E, então, desvendamos o tempo. O tempo e o espaço para relaxar e redescobrir aquilo que é realmente importante: nós próprios, aqueles que amamos, as emoções, os sonhos, a paz… Tempo e espaço para sentir, celebrar e começar de novo. A tranquilidade é a nossa maior atracção, as nossas pirâmides, a nossa Torre Eiffel, a “especialidade da casa”. O conforto do mar rebentando na praia, lá fora. A serenidade de um céu estrelado, longe das luzes da cidade. Aprendemos a viver devagar porque, por vezes, o mundo anda demasiado depressa. Entre telefones, computadores, filas de trânsito e edifícios de escritórios, temos dificuldade em ouvir-nos a nós próprios. Por isso é que, para além dos hotéis e pequenas pousadas, do sol e da história, das grandes praias do norte e dos areais escondidos entre as falésias do sul, além da gastronomia e da paisagem e do desporto e da aventura, vai encontrar aqui algo ainda mais raro e fundamental: vai encontrar-se a si. Esta é a Costa Alentejana. Uma terra de vida real, com gente verdadeira que aprendeu a apreciar a vida sem pressa, a saborear cada instante, cada milagre da natureza, cada momento especial. Um sítio autêntico, pouco dado a lojas de souvenirs. As recordações que daqui levar não se compram nem levam na mala; seguem para sempre na sua memória, no seu coração. Na sua pele. Isto é o que conseguimos explicar por palavras e imagens; para compreender tudo o resto, é preciso sentir. É preciso vir aqui.

Costa Alentejana. A vida é para sentir. O resto é paisagem.


Alcácer do Sal

História ALCÁCER DO SAL é uma das mais antigas cidades da Europa. O seu nome, advém de ter sido historicamente uma região fornecedora de Sal. Dos pinheiros da região utilizados na construção das caravelas, à importância do rio Sado para o comércio, um lugar impar, onde as tradições se aliam à riqueza geográfica de um lugar… único. Aqui pode conhecer um museu único a nível nacional, escavado no subsolo de um castelo. Pode ainda deixar-se seduzir pelo verde dos extensos arrozais, dos espessos pinhais e do montado de sobro, ou atrever-se a caminhar sobre as águas num cais palafítico único na Europa. O Rio Sado é um dos grandes símbolos do município e tem a particularidade de ser um dos poucos rios da Europa que corre de sul para norte, percorrendo cerca de 18 km até à foz.

Património Construído Alcácer do Sal é uma cidade rica em património arquitetónico e arqueológico de diferentes épocas. Quem visita a cidade pode viajar no tempo por entre ruas estreitas e sinuosas que conduzem por entre casas típicas e senhoriais, igrejas, capelas e achados arqueológicos. São pontos de paragem obrigatória o Castelo de Alcácer do Sal, a Cripta Arqueológica, o Fórum Romano, o Santuário do Senhor dos Mártires e a Igreja de Santiago.

Gastronomia e Vinhos Património Natural Com um rio de perder de vista e extensos arrozais, Alcácer do Sal tem uma paisagem diversa que muda de cor com as estações do ano e as diferentes fases de produção agrícola. A Reserva Natural do Estuário do Sado abrange parte significativa do município de Alcácer do Sal, e a maior parte do estuário e da sua zona circundante, conferindo uma beleza arrebatadora, grande diversidade de paisagem e de uma riqueza natural magnífica. Representando uma área protegida de incomparável diversidade biológica, a Reserva Natural do Estuário do Sado compreende 23.160 ha. A importância da fauna e da flora desta reserva estende-se desde a vegetação de água salgada que margina o estuário, ao sapal, aos lodos que, juntamente com a dinâmica das marés, são abrigo das inúmeras espécies que aqui se podem encontrar, com destaque para os golfinhos e flamingos que dominam o Rio Sado, as cegonhas-brancas, as garças, os perna-longas, os colhereiros, os flamingos-rosa, as aves de rapina, os patos, os alfaiates e ainda a lontra europeia, os saca-rabos, os gamos e os golfinhos, entre outras.

II | Ver mais em www.costaalentejana.com.pt

A gastronomia de Alcácer do Sal prima pela sua riqueza. Baseada na triologia mediterrânica que combina pão, azeite e vinho, os habitantes locais adicionaram-lhe ervas aromáticas e outros produtos da terra, com destaque para a carne de borrego, porco e caça. Destaque ainda para o papel do arroz, do pinhão e de outras especialidades que sazonalmente nascem de forma espontânea pelos campos do município, caso dos espargos selvagens, das túbaras ou das carrasquinhas. Destacam-se ainda os produtos de confeção tradicional, como os enchidos e queijos de ovelha, que são bastante apreciados. A gastronomia de Alcácer prima ainda pela doçaria conventual. São famosas as suas receitas (algumas delas secretas) em que a qualidade dos géneros se combinou com a mestria dos confecionadores para produzir requintados paladares. É preciso, sobretudo, não deixar de saborear as pinhoadas, a tarte de pinhão, os rebuçados de ovos, o bolo de mel, as queijadas de requeijão, os salatinos, o bolo real e os pastéis de feijão e amêndoa. Quanto aos vinhos, destacam-se os vinhos da Herdade de Portocarro, da Herdade da Comporta, da Herdade da Monteira e da Herdade das Soberanas.


Outros locais de interesse em Alcácer do Sal

A COMPORTA faz parte do município de Alcácer do Sal. Integrada na Reserva Natural do Estuário do Sado, a Comporta é um autêntico paraíso natural banhado pelo Rio Sado. Esta aldeia com crescente importância turística situa-se a pouca distância da costa oceânica e tem um conjunto arquitetónico equilibrado, que constitui um testemunho contra a uniformização e despersonalização típicos do desenvolvimento moderno. Além das belas praias, das casas típicas dos pescadores, da gastronomia e do desporto, a Comporta tem tradição na produção de arroz, batata doce e mais recentemente de vinho.

Vila de casas térreas, muito brancas, com chaminés escuras rentes ao beiral, o TORRÃO esconde uma história de muitos séculos de ocupação que atinge épocas pré-históricas. O Torrão pertence ao município de Alcácer do Sal, onde se tornam dominantes as marcas arqueológicas de ocupações pré-históricas e romanas. Da forte ocupação árabe sabe-se que terminou definitivamente com a reconquista de Alcácer do Sal de 1217, a cujo domínio pertencia nesse período. A barragem de Vale de Gaio é um dos locais ideais para a prática da vela, do windsurf e da pesca desportiva.

Merece ainda destaque a CARRASQUEIRA, o povoado de pescadores integrado na Reserva Natural do Estuário do Sado, e o seu cais palafítico – o maior da Europa. O intrincado labirinto de estacas e passadiços em ziguezague, construído para permitir o acesso dos homens do mar, oferece um cenário único, pelo Sado adentro, onde se pode observar a natureza e azáfama dos pescadores regressados da faina com peixe fresco.

Grândola

Grândola na página seguinte

Ver mais em www.costaalentejana.com.pt | III


História Aquela que ficou conhecida como "A Vila Morena" é no entanto bastante mais do que isso, pelo seu passado espelhado no vasto património construído, pelo seu presente delineado no magnífico património natural, dos mais ricos, em todo o país. Um município, para visitar… e regressar! A Frente Atlântica do município de GRÂNDOLA representa a maior extensão de praia do País, caracterizada pelos seus 45 km de praias de areias brancas e águas cristalinas. Em termos geológicos, o seu território é caracterizado por três grandes zonas, a serra de Grândola, excelente para fazer caminhadas, a planície e a faixa costeira, que apresentam marcadas diferenças na composição do solo, no relevo, na flora e na paisagem em geral.

Património Construído Do passado histórico de Grândola, há vestígios romanos no Cerrado do Castelo, onde estariam localizadas umas termas. No centro da Vila merece destaque a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção e ainda o Museu de Arte Sacra, instalado na Igreja de S. Sebastião, o Memorial ao 25 de Abril, o monumento a José Afonso e a Praça D. Jorge.

Gastronomia e Vinhos

Património Natural Devido às suas condições naturais, o território do município de Grândola é bastante diversificado. De facto, podem considerar-se nele pelo menos três sub-unidades regionais: a Serra, a Planície e a Costa, cada uma delas com as suas características específicas. A diversidade faunística é inegável: saca- rabos, gineta, raposa, javali, gato bravo (único local), lebres, coelhos, chapins, perdizes, melros, piscos, cartaxos, rolas, pombos torcazes, picapau, águia cobreira, águia - de – asa - redonda, rapinas noturnas como: mocho galego, coruja das torres, coruja do mato, entre outras espécies. Aqui dominam os montados de sobro, azinho ou mistos, os povoamentos mais característicos do sudoeste da Península Ibérica; abundam ainda estevas, medronheiros, rosmaninho, urzes e giestas. Associa-se-lhes uma exploração agro-silvo-pastoril. São belíssimas as praias entre Tróia e Melides, algumas, verdadeiros paraísos escondidos.

Na cozinha tradicional do município de Grândola coexistem dois aspetos fundamentais. Por um lado, o resultante das influências do Alentejo interior, onde predominam os caldos, as açordas, os jantarinhos, os pratos à base de carne de porco e borrego e os pratos de caça; por outro lado, o que deriva das atividades piscatórias artesanais desenvolvidas ao longo da faixa costeira e da proximidade de importantes portos de pesca, resultando em vários pratos de peixe, como por exemplo: as sopas e massa de peixe, as enguias (ensopado, caldeirada ou fritas). Relativamente aos vinhos, destacam-se os vinhos do Monte da Serenada, do Pinheiro da Cruz e do Brejinho da Costa. Na doçaria, é possível desfrutar das alcomonias e os rebuçados de pinhão de Melides.

Outros locais de interesse em Grândola MELIDES é uma pequena aldeia, a apenas 5 km da praia, que, apara além da lagoa de Melides, alberga os mais antigos vestígios de ocupação humana desta área: o Dolmen da Pedra Branca, da Idade do Bronze. Aqui, onde o mar e a costa se unem, encontra o lugar ideal para se aventurar na descoberta. A Lagoa de Melides, separada do mar pela faixa de areia que se estende ao longo da Costa, oferece aos visitantes uma experiência riquíssima ao nível da diversidade de fauna e flora, destacando-se a avifauna, com mais de duas centenas de espécies identificadas.

Situada numa zona de grande beleza natural e integrada na Reserva Natural do Estuário do Sado, a Península de TRÓIA é uma faixa de areia dourada com cerca de 17km de comprimento e 1,5km de largura, rodeada por um mar azul que faz deste local um destino privilegiado para momentos de lazer. As praias de Tróia são famosas pela sua tranquilidade e boas condições que oferecem a todos os visitantes, usualmente praias de larga extensão que consagram espaço e condições inigualáveis. A ocupação humana de Tróia remonta à época romana, quando aí foi instalado um centro de produção de molhos e salga de peixe que se tornou um aglomerado urbano abandonado no séc. VI. No século XVI fazem-se romarias à Ermida de Tróia. A ocupação turística começou nos anos 60 e continua hoje com vários projetos turísticos, de grande qualidade. De salientar que a Praia Tróia-Mar, foi em 2012, uma das 21 finalistas do evento 7 Maravilhas de Praia – Praias de Portugal.

IV | Ver mais em www.costaalentejana.com.pt

Com uma faixa costeira a rondar os 30 km, o CARVALHAL situa-se a 22 km de Grândola, a 25 Km de Tróia e a 17 Km de Melides. O seu território é, na sua maior parte, constituído por dunas arenosas e sapais. Uma parte importante deste território é a península de Tróia, resultado da acumulação de areias fluviais e marítimas. A fragilidade destes ecossistemas e, simultaneamente, a sua riqueza biológica, levaram a que uma parte fosse considerada reserva botânica, e a outra fosse integrada na Reserva Natural do Estuário do Sado. Embora se possa considerar a costa do Carvalhal como uma única praia contínua, em termos de apoios e equipamentos, está dividida em várias praias, das quais há que referir, para além das da Comporta e de Tróia, a da Raposa, do Pego, do Carvalhal, do Brejo, e da Torre. De referir que a Praia do Carvalhal, foi em 2012, uma das 21 finalistas do evento 7 Maravilhas de Praia – Praias de Portugal.

Casino de Tróia – Inaugurado no primeiro dia de uma arquitetura e decoração arrojadas. Para além táculos com uma programação de concertos e infantis, entre outros.

A Mina do LOUSAL e a respetiva aldeia mineira correspondem a um antigo couto mineiro explorado desde o final do século XIX. Localiza-se na freguesia de Azinheira dos Barros e São Mamede do Sádão. Toda a história do Lousal está ligada à exploração mineira e ao desenvolvimento e mecanização das minas. No Lousal não se pode deixar de visitar o Museu Mineiro do Lousal, situado na Central Elétrica das antigas instalações da mina. O museu dispõe de um rico conjunto de objetos associados à atividade social e cultural, que evocam a memória e conhecimento ligados ao trabalho e técnicas de mineração que fizeram a história do Lousal. Nas imediações merece destaque o Centro Ciência Viva do Lousal, instalado num antigo edifício das minas. Trata-se de um centro que tem como principal objetivo a divulgação da cultura científica e tecnológica junto dos visitantes. No Centro Ciência Viva do Lousal é convidado a viajar no tempo e a recuar à época em que a mina do Lousal se encontrava ativa, onde minérios formados há milhões de anos foram explorados por milhares de mineiros. O Centro integra áreas expositivas, módulos interativos, gruta virtual, laboratório, cibercafé, auditório, espaços recreativos e um miradouro. Quer o Museu Mineiro, quer o Centro Ciência Viva do Lousal, organizam visitas guiadas aos seus visitantes.

2011, é um espaço sofisticado e dinâmico, com dos salões de jogo, dispõe de um Centro de Espeartistas nacionais e internacionais, espetáculos

Ruínas Romanas de Tróia - Classificadas como Monumento Nacional desde 1910, são o maior complexo de produção de conservas e molhos de peixe conhecido no Ocidente romano. As Ruínas Romanas de Tróia são testemunho de um grande centro de produção de salgas de peixe com os típicos tanques de salga aglomerados em oficinas de salga. Fundado no século I, depressa se tornou um aglomerado urbano com casas, termas, necrópoles e uma basílica paleocristã de finais do século IV com pinturas murais a fresco. Conhecidas desde o século XVI, foram alvo de várias campanhas de escavação, a primeira das quais no séc. XVIII, por iniciativa da Infanta D. Maria, futura D. Maria I, e outras de grande envergadura nos séculos XIX e XX. Um raro património que pode ser visitado, com marcação, com atividades para crianças, passeios organizados e programas de escavação para jovens com os arqueólogos.


Santiago do Cacém

Património Construído O município de Santiago do Cacém é riquíssimo em termos de história, detendo um património arquitetónico e arqueológico ímpares, com paisagens maravilhosas que o convidam à descoberta. Destaca-se o Castelo no cimo de uma colina, com as suas cinco torres semicirculares, presume-se de origem árabe. Tal como o Castelo, também a Igreja Matriz está classificada como Monumento Nacional. Circundando estes monumentos está o Passeio das Romeirinhas, onde se pode apreciar uma paisagem magnífica que encanta os sentidos e faz sonhar. O Museu Municipal está instalado na antiga Cadeia, conservando ainda uma cela intacta. No Museu é possível apreciar um importante espolio arqueológico que retrata

a presença humana desde o Paleolítico, além de inúmeras peças provenientes de Miróbriga. Merecem ainda evidência a Quinta do Chafariz, o Moinho da Quintinha, a Igreja da Misericórdia, o Pelourinho, entre outros. À saída da cidade de Santiago do Cacém fica Miróbriga, que

constitui um dos mais importantes sítios arqueológicos de Portugal, e revela os traços de um passado que interessa recordar. Classificadas como património de interesse público desde 1940, as Ruínas Romanas de Miróbriga são um testemunho interessante da presença romana. Pode observar-se que Miróbriga terá sido uma cidade Romana, com ruas pavimentadas, casas de mais de um piso, sendo que na parte inferior funcionavam as lojas ou locais de trabalho e na parte superior as habitações. As termas são as mais bem conservadas e considerado o mais importante balneário romano do nosso País. É possível visitar Miróbriga e imaginar como seria a vida numa cidade Romana.

Gastronomia e Vinhos Património Natural A natureza, e o que tudo ela oferece, constitui um dos pontos mais fortes do município. Em Vila Nova de Santo André encontra-se um dos maiores sistemas lagunar costeiro da Costa Alentejana, a Lagoa de Santo André, inserida na Reserva Natural das Lagoas de Santo André e da Sancha, onde é possível avistar inúmeras espécies de aves e peixes, tais como as águias, os flamingos. É possível efetuar visitas guiadas pela Reserva Natural, devendo para tal contactar a entidade responsável.

SANTIAGO DO CACÉM, é um lugar para descobrir...e redescobrir! O município, oferece ao visitante não só um leque variado de praias, mas também um riquíssimo património natural, arquitetónico e arqueológico, que transforma cada visita, numa verdadeira descoberta... para repetir.

Santiago do Cacém, apresenta uma diversidade gastronómica onde ricos sabores sobrevivem na história e na tradição. As enguias da Costa de Santo André, fritas, são um petisco muito apreciado, que pode ser acompanhado com pão e vinho da região. As carnes de caça como a lebre, o coelho, a perdiz e o javali, multiplicamse numa grande variedade de pratos e petiscos. Coentros, poejos, orégãos, hortelã, alho, pimentão, salsa e louro são as ervas os temperos mais utilizados na confeção dos nossos comeres. Dos vinhos existentes no município de Santiago do Cacém, destacam-se, por serem os únicos, os da Herdade do Cebolal. A doçaria conta com o Bolo de Santiago, feito de amêndoa, gila e canela, as alcomonias e os rebuçados de pinhão e mel embrulhados em papel colorido, entre outros.

Santiago do Cacém na página seguinte

Ver mais em www.costaalentejana.com.pt | V


Outros locais de interesse em Santiago do Cacém

COSTA DE SANTO ANDRÉ - Localizada próximo do mar e rodeada por um areal que se estende por vários quilómetros, a Costa de Santo André é uma área excelente de lazer, onde ainda se podem observar barcos de pesca artesanal. Santuário ornitológico que importa salvaguardar, constitui um ponto estratégico para a estada, passagem e nidificação de muitas aves migratórias. Neste local encontra as condições ideais para o sucesso de umas boas férias de praia, mar e sol. Um paraíso para todo o ano.

Parque Temático – O Badoca Safari Park é um parque natural, com uma área de 90 hectares, que o convida a passar um dia diferente no meio da natureza e a conhecer a beleza da vida animal, em plena liberdade. Viva a aventura do safari e conviva de perto com zebras, girafas e muitas outras espécies e sinta-se transportado para o continente africano. Se deseja envolver-se no trabalho de conservação da vida selvagem, levado a cabo no Badoca Safari Park, pode adotar um dos animais do parque. Uma das novas atrações é o verdadeiro esqueleto de girafa que o Badoca Safari Park tem em exibição. Uma ótima forma dos visitantes ficarem a conhecer de perto estes magníficos animais.

Sines

VI | Ver mais em www.costaalentejana.com.pt


História

Património Construído

A história de Sines tem sido enformada pela importância do Oceano e pelo caráter inigualável das suas gentes. O elemento marítimo tem sido assim uma presença constante na História do município de Sines, cidade berço do grande navegador Vasco da Gama. Os seus recursos definiram a economia, deram corpo a uma cultura rica e diversificada, afirmaram o caráter das suas gentes, numa cidade que hoje, é um importante ponto turístico da Costa Alentejana. Em termos de morfologia, o município de Sines divide-se em três grandes unidades: a planície, a escarpa oriental e o relevo residual do maciço vulcânico de Sines. São também relevantes a costa arenosa norte, o cabo de Sines e a costa rochosa sul. No que diz respeito ao uso do solo, verificase que na cobertura vegetal do município de Sines predominam as matas de pinheiros e eucaliptos, plantadas pelo homem.

O navegador Vasco da Gama, descobridor do Caminho Marítimo para a Índia, é uma das maiores figuras da história portuguesa e mundial e foi em Sines que nasceu. É impossível dissociar o navegador do património histórico da cidade de Sines. É bastante fácil traçar um roteiro na cidade de Sines baseado nos monumentos do Gama. Esse roteiro começa no Castelo (onde passou a infância e poderá ter nascido), passa pela Igreja Matriz (onde foi ordenado), para na Estátua de Vasco Gama (testemunho do amor de Sines pelo seu filho mais célebre) e termina na Igreja de Nossa Senhora das Salas (que mandou reconstruir e por cuja santa tinha uma especial devoção). O núcleo sede do Museu de Sines e a Casa de Vasco da Gama estão instalados no Castelo e apresenta as peças mais significativas do património arqueológico do município. Através de um conjunto de instalações multimédia, a Casa de Vasco da Gama, na Torre de Menagem, mostra a biografia do navegador, os espaços onde habitou e o contributo da viagem pioneira do Gama para a visão do mundo.

Património Natural

Gastronomia e Vinhos

Sines é um município privilegiado do ponto de vista natural, nomeadamente no seu recorte de costa. A parte sul do município está integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Grandes escarpas, prainhas, complexos de dunas, pequenos ribeiros, charnecas, zonas de serra… é um lugar de uma diversidade única e uma experiência de paisagem emocionante. A norte do município, a zona húmida da Lagoa da Sancha (integrada na Reserva Natural da Lagoa de Santo André e da Sancha) é um elemento de grande valor natural.

A cozinha típica do município tem como base o peixe e o marisco, ingredientes sempre frescos, provenientes, em grande parte, das duas lotas existentes, em Sines e Porto Covo. Pratos como o arroz ou massinha de peixe ou de marisco e a feijoada de búzios, são exemplos também da influência do interior alentejano, resultando numa combinação irresistível entre os sabores da costa e da planície. Se a principal força da gastronomia de Sines está nos frutos do mar, sob todas as formas - pratos quentes, saladas, petiscos -, não deixe de provar o doce regional “Vasquinhos”, pequenos bolos à base de amêndoa que tomam o nome do navegador aqui nascido.

Outros locais de interesse em Sines PORTO COVO - Situada em pleno coração do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a aldeia de Porto Covo tem um encanto que maravilha quem procura um ambiente tranquilo e natural. Irresistível para quem se aventura à descoberta do melhor que a Costa Alentejana tem para oferecer. Turismo sustentado por uma oferta de qualidade, inserida numa paisagem deslumbrante, que alcança no mar e repousa nas casas brancas de uma aldeia que se ergue sobre as mar. Além de ser uma característica povoação piscatória, Porto Covo é também um pólo de interesse turístico, com as suas praias de areia fina e branca, aquecida pelo sol entre as falésias. As suas águas são transparentes e ricas em peixes saborosos que deliciam os visitantes.

Pub.

Ver mais em www.costaalentejana.com.pt | VII


Outros locais de interesse em Odemira

Odemira

História Dotada de uma localização estratégica, Odemira teve no rio Mira a via natural de passagem e penetração para o Alentejo interior, o que fez dela um ponto estratégico cobiçado pelos vários povos que aqui viveram. O povoamento do município é bastante remoto, como o provam os numerosos vestígios de culturas anteriores à romanização e os testemunhos das culturas posteriores. O município de Odemira caracterizase pela imensa diversidade paisagística, estendendo-se entre a planície, a serra e o mar, encontrando-se organizado segundo três faixas territoriais/económicas distintas: Na faixa costeira surgem pequenas praias que recortam as falésias e os portos de pesca tradicionais que disponibilizam as melhores riquezas gastronómicas da costa. Dos seus 55 km de costa atlântica, 12 km são de praia. Toda a zona costeira do município está integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. A faixa central faz a transição entre a charneca, dominante na faixa costeira, e a serra, dominante na faixa interior. A faixa interior do concelho, marcada por uma orografia bastante acidentada, é palco para a maior mancha florestal do país, seja ela autóctone (sobreiro e azinheira), seja ela exótica (como o eucalipto).

Gastronomia e Vinhos

A oferta Gastronómica do município de Odemira é variada, com peixe e marisco fresco, enchidos de qualidade, bons queijos e vinho, pão e aguardente de medronho. É possível encontrar, ao mesmo tempo, pratos de peixe fresco, nomeadamente grelhado, com os tradicionais pratos alentejanos, como os enchidos. Será impossível não se surpreender pela qualidade da sua gastronomia, da qual destacamos nas sopas a Sopa de tomate, a Sopa de batata com beldroegas, e a Açorda de marisco. Quanto à Carne, evidenciam-se o Frango de molho, o Jantarinho de grão e o Ensopado de borrego. Relativamente ao Peixe o destaque vai para o Sargo grelhado, os Filetes de peixe pampo, a Moreia frita, a Feijoada de búzios, o Arroz de polvo ou o Arroz de marisco. Na doçaria sugerimos o Bolo lêvedo, o Bolo de torresmos e as Alcôncoras (biscoitos de azeite e mel). Dos vinhos existentes no município de Odemira, destacamse os da Adega dos Nascedios.

VIII | Ver mais em www.costaalentejana.com.pt

Património Construído A diversidade morfológica deste município, atravessado pelo rio Mira, permitiu que as populações aqui se fossem estabelecendo desde tempos muito recuados, conforme as suas necessidades e capacidades tecnológicas. Do património arqueológico local, destacam-se os inúmeros vestígios arqueológicos existentes e salientese a Necrópole do Pardieiro e um troço das muralhas do antigo castelo de Odemira, ambas da Idade do Ferro e passíveis de ser visitadas. Desses tempos longínquos até hoje, são infinitos os exemplos de arquitetura tradicional em taipa, ou outros edifícios genuínos, grandes montes agrícolas ou pequenas povoações, chafarizes, noras, moinhos, sendo de salientar o enquadramento paisagístico em que estes testemunhos se inserem. As igrejas históricas, que estiveram na origem das povoações, devem também ser referenciadas como elementos importantes de estruturação da paisagem e pela sua beleza singular. A nível de património militar, o forte de S. Clemente, protetor da povoação de Odemira, que tinha em Vila Nova de Milfontes o seu posto avançado contra a pirataria, aparece como um dos mais emblemáticos do concelho.

Património Natural Situado no sudoeste de Portugal, o município de Odemira evidencia características tão distintas como a planície, a serra, o rio, a barragem, o mar e as praias, sendo esta imensa diversidade o principal atrativo do maior concelho do país, com 43% da sua área territorial em Rede Natura e Parque Natural. Oferece 12 km de praias ao longo dos seus 55 km de costa, os quais estão integrados no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), um dos mais extensos parques naturais portugueses. A Costa Sudoeste constitui uma das faixas costeiras menos afetadas pela intervenção humana e têm características biofísicas e ecológicas únicas no contexto europeu. Nesta faixa costeira a flora é deslumbrante. Também a fauna nos oferece características únicas nestas paragens, pois ao longo de toda a costa, encontra-se a única população portuguesa de lontra (Lutra lutra) que utiliza o meio marinho para se alimentar de peixes e crustáceos. Nas falésias rochosas é possível encontrar várias espécies que aí nidificam, como o falcão-peregrino e a cegonha branca (Ciconia ciconia). Nestas zonas são também frequentes espécies faunísticas mediterrânicas, destacando-se, o javali, raposas, ginetos, texugos e os saca-rabos.

No município de Odemira, há ainda locais de grande interesse turístico, dos quais se destacam: A aldeia de ALMOGRAVE caracteriza-se sobretudo pelo seu sossego impar, a cerca de 500 metros do mar, convidando a um passeio a pé ou de bicicleta até à praia. Com duas partes muito distintas entre si, Almograve oferece uma das praias mais bonitas da Costa Alentejana. De um lado, a praia de rochas e arribas de xisto, do outro, a praia de areia encostada às dunas. Almograve está inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, permitindo ao visitante estar em contacto com a natureza no seu estado mais virgem, observando toda a riqueza da sua fauna e flora. Na aldeia, e para além das bonitas praias, destaque também para a igreja da aldeia e para o Moinho de Vento da Longueira, propriedade da Câmara Municipal de Odemira e disponível para visitas. SANTA CLARA-A-VELHA merece uma visita atenta e demorada. A aldeia, branca e florida, desenvolveu-se à sombra da igreja de Santa Clara de Assis, conservando o seu carácter rural. Nota também para a fonte do Azinhal, datada de 1892 e restaurada em 1995, junto da qual existe um aprazível parque de merendas Santa Clara-a-Velha merece uma visita atenta e demorada. A não perder é a barragem de Santa Clara, a quatro quilómetros da aldeia. O espelho de água de Santa Clara é dos mais fortes pontos de interesse turístico do interior do município de Odemira. Um passeio por este lago gigante permite observar os seus inúmeros recantos e ilhéus, quase sempre com uma paisagem de floresta como envolvência. Em pleno Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, VILA NOVA DE MILFONTES é um dos destinos de férias mais procurados da região. As praias são o seu principal ponto de atração turística, a juntar, cada vez mais, às límpidas águas do rio Mira, que aqui se abre num magnífico estuário, com o devido destaque para a Praia das Furnas, uma das 7 vencedoras em 2012, das 7 Maravilhas de Praias – Praias de Portugal, na categoria de Praias de Rios. O seu casario, branco e azul, estende-se até ao rio Mira, cujo imenso estuário é um ecossistema notável e equilibrado. Junto ao rio, o pequeno porto de pesca mantém a tradicional atividade de Milfontes. Daqui é possível atravessar por barco até à outra margem ou navegar rio acima até Odemira. Recomendável é também uma visita à igreja matriz e às capelas de São Sebastião e de Santo António da Cela. Igualmente interessante é um passeio pela zona privilegiada de Barbacã, junto da qual se encontra o Forte da Boca do Rio, edificação filipina do início do séc. XVII e também conhecido por castelo. As praias continuam a ser o maior motivo de atração da ZAMBUJEIRA DO MAR e consegue-se perceber isso mesmo, através da distinção da Praia da Zambujeira do Mar, enquanto vencedora na categoria de Praias Urbanas do evento 7 Maravilhas de Praias – Praias de Portugal. No cimo da falésia, a pequena povoação de Zambujeira do Mar, que desde tempos remotos se dedica à atividade piscatória, é um miradouro natural para o imenso oceano. O mar foi recortando as grandes arribas de xisto, estendendo grandes areais ou criando pequenas praias, muitas delas desertas. As dunas estão povoadas de estorno e camarinhas. A presença de numerosas espécies de aves, águias, garças, cegonhas, pombos da rocha e andorinhas do mar demonstra a riqueza deste ecossistema.

CRÉDITOS - A imagem dos golfinhos da Sado da pág. II é da autoria de Pedro Narra. Na Pág. III, a foto do Cais Palafítico da Carrasqueira é de André Moreira Boto e a da Comporta é de José Manuel Correira. As restantes imagens têm direitos reservados.


Ténis de mesa no Barreiro

DESPORTO

O PAVILHÃO da Escola Secundária de Santo António da Charneca, no Barreiro, vai receber, este sábado, 11 de Maio, a partir da 9 horas, o 33.º Torneio Nacional Aberto de Ténis de Mesa, a contar

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 9

para o Ranking List da Competição do Inatel. Esta competição, durante todo o dia, como já é tradição, é promovida pelo Grupo Recreativo da Quinta da Lomba e conta com o apoio do município.

Derrotas em casa fazem Vitória andar de calculadora

D

O treinador José Mota diz que já podia estar «descansado»

embora desta vez dependa apenas de si próprio para assegurar a continuidade entre o escalão maior. «Já poderíamos ter garantido a permanência. E era merecido. Os 26 pontos até podem chegar, mas matematicamente ainda não está nada decidido. Uma vitória garante-nos esse objetivo, mas um empate também pode chegar», disse o técnico em conferência de imprensa. Mota diz que já podia estar «descansado»

DR

Aquatlo movimentou 450 atletas CERCA de 450 atletas participaram no “I Aquatlo de Setúbal”, que decorreu no passado domingo no parque de Albarquel. O evento começou com o 6.º “Campeonato Nacional Jovem”, prova com 280 participantes, que percorreram várias distâncias a nadar e em corrida. A competição, por clubes, que contou com a participação de jovens atletas dos escalões de benjamins, infantis, iniciados e juvenis, foi ganha pelo Alhandra, seguindo-se o Clube de Natação de Torres Novas e o Teleperfomance “Os Belenenses”. O Campeonato Nacional de Grupos de Idade de Aquatlo, prova única, com a participação de 120 atletas, definiu os novos campeões

Prova aberta foi destaque

nacionais individuais da modalidade. A prova, que englobou a realização de 750 metros em natação e de cinco quilómetros em corrida, teve como vencedores absolutos Ruben Costa, do Colégio Vasco da Gama, e Ana Amorim, do Alhandra. O público apreciou ainda uma prova aberta em aquatlo, com 39 atletas, em vários escalões, de juvenis a veteranos.

«A salvação passa por este jogo. Pode ser o dia em que tudo ficará resolvido», explicou José Mota, apesar de ter admitido que a esta altura a equipa «já podia estar descansada». No último jogo, em casa, os adeptos do Vitória esperam que não seja necessário fazer contas, mas a enchente no Bonfim deve estar garantida já que dia 19 vai ser o Dia do Vitoriano, uma iniciativa que se realiza pela segunda vez.

Young Athletes na Qt. do Conde O PAVILHÃO de Quinta do Conde acolhe, este sábado, entre as 9 e as 13 horas, o programa desportivo Young Athletes (YA). O projecto YA pretende ajudar as crianças com necessidades educativas especiais a melhorar a sua condição física, a desenvolver a capacidade cognitiva, a promover a inclusão social, desenvolvendo capacidades fundamentais para que possam participar em diversas modalidades e até treinar e competir no Special Olympics. A iniciativa é dirigida a todos os pequenos atletas, com idades entre os 3 e os 8 anos dos três agrupamentos da Quinta do Conde.

Maratona sadina leva para a rua 1500 atletas 1 500 atletas vão participar na 24.ª Meia Maratona Internacional de Setúbal e na Mini-Maratona das Famílias ACM, que decorrem este domingo, a partir das 10 horas, com partida e chegada ao Largo José Afonso, em Setúbal. Filipa Almeida (Benfica), Amilcar Duarte (Sporting), André Correia (GD

A “GERAÇÃO +” idosa de Grândola, Alcácer do Sal, Aljustrel, Almodôvar, Beja, Castro Verde e Sines, reúne-se este sábado, no Parque de Feiras e Exposições para a 5.ª Feira Sénior de Grândola – GERAÇÃO +,

O SuperPrestígio do “Festival” de Toulon

A

DR

epois da derrota, em casa, frente à Académica de Coimbra, no fim-de-semana passado, e que poderia ter livrado a equipa de mais sobressaltos, a duas jornadas do fim da I Liga o Vitória ainda tenta assegurar a manutenção. Com 26 pontos, em 28 jogos, a equipa do Sado está dois pontos acima da linha de água e as duas últimas jornadas têm de ser vistas como “duas finais”. A deslocação ao terreno do Moreirense, hoje, às 18:15 horas, para defrontar o lanterna vermelha pode, em caso de triunfo, resolver a questão da manutenção. Na última jornada da Liga ZON Sagres, os sadinos recebem o Sporting de Braga, um adversário mais complicado que o clube de Moreira de Cónegos quase despromovido, com 21 pontos. Nas contas para a manutenção, o empate hoje pode resolver já a questão, mas a vitória é o resultado ideal. Para José Mota, treinador dos sadinos, a manutenção poderia mesmo já estar assegurada, mas uma vez mais, a duas jornadas do fim, o Vitória anda de calculadora na mão,

Idosos em festa em Grândola

Condeços), Hermano Ferreira (Conforlimpa) e Cláudia Pereira (Moinho de Vermoi), que já venceu a Meia Maratona Internacional de Setúbal há dois anos atrás, são os nomes mais sonantes da prova com um novo percurso de 21 quilómetros e 96 metros pelo centro e zona ribeirinha da cidade. Já a Mini-Mara-

tona das Famílias ACM tem uma extensão de 5 600 metros. A organização das provas, com um orçamento de 20 mil euros, está a cargo do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara de Setúbal que tem para distribuir aos principais premiados valores monetários e troféus.

o findar de Maio, na cidade capital do Distrito do Var no Sul de França, encetarse-á a 41ª edição do muito prestigiado “Festival d’Ésports”, sob a égide do Racing Club de Toulon. Portugal vai estar presente, uma vez mais, com a sua selecção de “Sub-20”, em oportuna rodagem para o “Europeu” de tal categoria, em diversas cidades da Turquia. No Festival de Toulon-2013 participam 10 equipas nacionais, repartidas por duas “poules” cabendo a Portugal defrontar as equivalentes Selecções da Bélgica, Nigéria, México e Brasil, prevendose naturais dificuldades de afirmação lusitana. Tudo leva a crer que o Vitória de Setúbal terá representação nessa jovem equipa nacional que serve sempre de apetecível “trampolim” para carreiras de aplaudido mérito. Jovens valores como os “centrais” Miguel Lourenço e Frederico Venâncio terão uma palavra a dizer a par de outros valorosos “Sub-20” que quererão aproveitar a oportunidade que o “Festival” de Toulon desde há muito proporciona. Os “portistas” Tozé, Tiago Ferreira e Sérgio Oliveira, os “sportinguistas” a estagiar em Barcelona, Domingos Cá e Emiliano Ié (de origem guineense), os “benfiquistas” André Gomes e Bruno Varela, o “azul” Tiago Silva, o “stopper” vimaranense Paulo Oliveira, o polivalente Daniel Mateus (em “rodagem” no Gil Vicente) e talvez o ainda júnior Bruma que tem vindo a merecer oportunidades de dar nas vistas na 1ª categoria do Sporting, do prof. Jesualdo, são nomes a ter em conta. Outras revelações, do jeito de (quase…) ilustres desconhecidos são de antever ao longo dos 10 dias do Festival que se distribuirá, geograficamente, por 6 cidades, a saber: Toulon (logicamente) mas também Nice, Nimas, Avignon, Saint Raphael e Hyeres. Portugal vai estrear-se em 31 de Maio frente à Bélgica para dois dias depois, defrontar o Brasil. Acresce dizer-se que no outro Grupo, teoricamente mais fácil estarão a Colômbia, a Coreia do Sul, a República do Congo, os Estados Unidos e, é claro, a França que até poderá ter por “vedeta” nº1 o defesa Varane de 19 anos, valioso discí-

promovida pelo município de Grândola. Os destaques vão para a entrega de material ortopédico a Instituições de Solidariedade Social e o 8.º Encontro Regional de Exercício Físico.

David Sequerra Colaborador

Tudo leva a crer que o Vitória de Setúbal terá uma representação na equipa nacional. pulo de José Mourinho no Real Madrid. Dentro de escassos dias a 41ª edição do “Festival”, iniciado em 1967 e sem interrupções desde 1974 arranca no Estádio L. Lagrange em Toulon, com um Coreia do SulColômbia ao qual se seguirá um prometedor embate França-Estados Unidos. As bancadas do estádio estarão repletas de “olheiros” bem credenciados numa espécie de “super-mercado” de detecção de talentos com muitos cifrões à mistura. Menos vistos (e de melhores preços, certamente) serão os congoleses e os coreanos com os empresários britânicos a optarem pela “pesca” de novos valores dos “States”. É quase certo que para o “Semmais” voltaremos a falar do Festival de Toulon. Assuntos de interesse futebolístico não hão-de faltar!

O calendário da seleção nacional Integrado no grupo A, bastante bem acompanhado, Portugal vai efectuar 4 jogos entre 31 de Maio e 6 de Junho, com hipóteses de mais um jogo se ficar em 1º ou 2º lugar do grupo. O calendário é o seguinte: 31 de Maio Portugal-Bélgica (em Nimes) 2 de Junho Portugal-Brasil (em Avigon) 4 de Junho Portugal-México (em Saint Raphael) 6 de Junho Portugal-Nigéria (em Toulon) Se ficar em 1º ou 2º lugar do seu grupo, Portugal voltará a jogar, em Toulon, a 8 de Junho.


LOCAL Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 10

“Broadway Baby” anima Setúbal ESTE SÁBADO, dia 11, no Forum Luísa Todi, pelas 21h30, os irmãos Henrique e Nuno Feist festejam trinta anos de carreira com a história do musical americano. O espectáculo “Broadway Baby”

Caminhada do Xarrama

recorda muitos dos grandes compositores que deram fama à Broadway, em particular Cole Porter, George Gershwin, Irving Berlin, Jerome Kern e Richard Rodgers. Ingressos a dez euros.

UMA CAMINHADA do rio Xarrama ao rio Sado, envolvida por uma paisagem plena de contrastes, com a água sempre presente, mas enquadrada numa vegetação luxuriante onde o verde é ponti-

lhado pelas numerosas cores das flores da Primavera alentejana. É esta a proposta do Programa “Alcácer dos 5 Sentidos”, para este sábado, com um percurso de treze quilómetros.

Adesão reflecte preocupação com ambiente

Arrancou segunda fase da fortaleza de Sesimbra

DR

JÁ ARRANCOU a segunda fase da requalificação da Fortaleza de Santiago. Adjudicada por 736 mil euros, a obra consiste na colocação de pavimentos, tectos, paredes, instalações sanitárias e infraestruturas, a fim de adaptar o imóvel aos usos previstos, de onde se destaca um novo pólo museológico e etnográfico. Além das valências associadas ao Museu do Mar, e de espaços expositivos associados à história da Fortaleza, o edifício passará a albergar o posto de turismo, uma cafetaria e uma sala polivalente nas áreas anteriormente destinadas à GNR, que passaram para esfera municipal no âmbito do acordo da cedência definitiva da Fortaleza, assinado entre a Câmara Municipal e a GNR, em Novembro de 2012.

Museu do Mar vai nascer no espaço

José Luís Alfélua. “Desde 2007/2008 que o município já vem implementando um conjunto de medidas que vão ao encontro do compromisso de até 2020 podermos atingir estes valores, desde a iluminação led, com impacte na eficiência energética no núcleo antigo da vila, um conjunto de remodelações que se fez na rede de iluminação pública, que também permitiu maior eficiência energética e reduzir emissões de CO2, entre outras», recordou oo autarca. A adesão ao pacto dos autarcas comporta também vantagens em termos de financiamentos comunitários, pois o próximo quadro

Câmara do Montijo sensibiliza para o asseio das ruas

“Brigada Ruas Limpas” vai deixar de cara lava ruas montijenses

A CÂMARA do Montijo, através da Casa do Ambiente, leva a efeito a partir do presente mês uma campanha de sensibilização com o objectivo de contribuir para uma cidade mais limpa. No âmbito da campanha, uma equipa constituída por cerca de dez elementos, entre trabalhadores da autarquia e membros da comunidade, devidamente identificados, irão formar a “Brigada Ruas Limpas” e percorrer a cidade do Montijo uma vez por mês, em data e zona aleatória. O objectivo é sensibilizar os munícipes para a necessidade de recolherem os dejectos e fazerem a conservação e manu-

tenção dos equipamentos de recolha de lixos, no sentido de previr o desenvolvimento de doenças e pragas. A brigada irá registar as ocorrências e, sempre que necessário, alertará os serviços camarários ou a fiscalização, de forma a agirem em conformidade, nomeadamente no que diz respeito aos dejectos caninos. O regulamento dos resíduos sólidos urbanos contempla as infracções referentes à manutenção e limpeza do espaço público, puníveis com coimas que vão dos 24,94 euros até ao máximo de dez vezes o salário mínimo nacional, dependendo das situações.

Alcochete prepara-se para reduzir em até 20 por cento emissões de CO2

comunitário de apoio que ainda não está completamente fechado tem um eixo que valoriza muito a questão da eficiência energética. Neste pacto de autarcas está ainda prevista a adaptação das estruturas municipais, incluindo a atribuição de recursos humanos sufi-

cientes, assim como a mobilização da sociedade civil nas respectivas áreas geográficas para participar no desenvolvimento do plano de acção, delineando as políticas e medidas necessárias para aplicar e realizar os objectivos definidos no plano de acção.

Escolas de Palmela testam segurança

Brigada limpa praia da Aberta em Grândola

NO ÂMBITO das comemorações do Dia Municipal do Bombeiro, o município de Palmela e as Associações de Bombeiros do concelho promovem, entre 3 e 23 deste mês, oito simulacros de incêndio em escola básicas do concelho, envolvendo a comunidade educativa e todos os agentes locais da Protecção Civil. Os próximos simulacros realizam-se no dia 14, na Escola Básica com Jardim de Infância Joaquim José de Carvalho, em Palmela; no dia 16, na Escola Básica Salgueiro Maia, em Pinhal Novo; no dia 21, na Escola Básica de Cabanas; dia 22, na Escola Básica Alberto Valente, em Pinhal Novo; no dia 23, na Escola Básica de Lagoa da Palha. Estes exercícios decorrem sempre às 11 horas e enquadramse no conjunto de acções promovidas pelo Gabinete Municipal de Protecção Civil, Corporações de Bombeiros do Concelho, Comando Distrital de Operações de Socorro e Agrupamentos de Escolas, com o objectivo de testar os planos de emergência das escolas, bem como a capacidade de resposta e de organização no terreno de todos os intervenientes. Os simulacros implicam a evacuação e o socorro às vítimas, prevendose uma anormal circulação de viaturas de emergência.

A BRIGADA do Mar já está no terreno até dia 26, pelo quinto ano consecutivo, para mais uma acção de limpeza desenvolvida ao longo dos 45 quilómetros da Frente Atlântica do concelho, entre as praias de Melides e Tróia. A praia da Aberta Nova, é a primeira a receber a Brigada do Mar, este sábado, dia 11, a partir das 9 horas. O projecto desde 2009 na “areia da praia” conta até ao momento com o envolvimento de 400 voluntários. Nestes cinco anos foram limpos mais de 150 quilómetros de costa e recolhidas cerca de 80 toneladas de lixo, posteriormente reencaminhadas para as entidades responsáveis e devidamente seleccionadas para efeitos de reciclagem. A Brigada do Mar, que aceita novos voluntários, é uma iniciativa única a nível Europeu, sem fins lucrativos, que tem como principal missão a consciencialização e educação ambiental. O projecto conta com o apoio da Câmara de Grândola.

DR

O

município de Alcochete aprovou em reunião pública, a 8 de Maio, a adesão ao Pacto dos Autarcas, uma iniciativa da Comissão Europeia promovida pela Agência

Europeia para a Competitividade e Inovação, que estabelece o compromisso das cidades signatárias reduzirem em, pelo menos, 20 por cento as emissões de gases com efeito de estufa nos seus territórios até 2020, tal como é referido no Pacote de Medidas da União Europeia sobre o Clima e as Energias Renováveis. «As questões ambientais constituem uma preocupação de todos nós e esta proposta de adesão ao pacto dos autarcas é um compromisso dos municípios no sentido de implementar um conjunto de medidas para que até 2020 se consiga ter uma redução de 20 por cento na emissão de CO2», referiu o vereador

DR

Vila aderiu ao Pacto dos Autarcas, iniciativa que estabelece a redução das emissões em até 20 por cento. Município já implementava medidas nesse sentido.

DR

Pacto em Alcochete para reduzir emissão de CO2

A brigada em acção pelo areal


11

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com

Almada ganha novo ‘pulmão verde’

Ajudar os animais DECORRE este sábado e domingo a campanha de recolha de alimentos do Banco Solidário Animal. A iniciativa permite apoiar mais de 20 mil animais em risco de 60 associações de protecção animal. A acção decorre no Continente do Barreiro, Montijo e Seixal. Novo espaço vai ter anfiteatro, palco, parque sénior e parque infantil

aos anseios da população da freguesia, instalar equipamentos de actividades para seniores, mais conhecidos por ginásios ao ar livre, que permitem a prática do exercício físico saudável. Este espaço fica localizado junto ao parque infantil e favorece o convívio e a interacção entre gerações. Aproveitando a inclinação

natural do terreno, está ainda prevista a construção de um anfiteatro e de um palco, capazes de receber qualquer tipo de actividade lúdica ou apenas de contemplação do espaço envolvente. A adjudicação da empreitada de construção do referido jardim foi decidida, por unanimidade, em reunião pública de 8 de Maio do executivo almadense.

Alterações de em Seixal mostra trânsito Setúbal moda juvenil

A PARTIR deste sábado, a orquestra Tocá a Rufar da Moita retoma os ensaios regulares, abertos à participação livre e gratuita de todos os interessados, no Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira. Entre as 10 e as 11h30, a orquestra faz uma demonstração, seguindose sessão de esclarecimento com Rui Júnior e Maria Ceia. Os ensaios regulares arrancam dia 18. O Tocá Rufar é uma orquestra de percussão tradicional, composta por naipes de bombo, caixa-derufo e timbalões, e interpreta repertório tradicional e contemporâneo inscrito na linguagem própria do bombo português. Para a dinamização deste projecto, a Câmara estabeleceu protocolo anual com os Amigos do Tocá Rufar, para estimular o gosto pela música, com destaque para os ritmos tradicionais portugueses.

A AVENIDA Antero de Quental tem uma nova circulação de trânsito desde sexta-feira, com desvios para a rua Nova Sintra, devido a trabalhos no âmbito da construção do Shopping Alegro Setúbal. Demolições das passagens superiores existentes naquela avenida originam um corte de trânsito entre a via de acesso ao Jumbo e a rua Nova Sintra, até às 8 horas de segunda-feira. Como alternativa, foi criado um trajecto, que inclui uma rotunda provisória instalada na Antero de Quental. No sentido poente/ nascente, proveniente da estrada dos Ciprestes, os automobilistas devem utilizar essa rotunda para seguir pela rua Nova Sintra e reentrar depois na Antero de Quental, usando o acesso ao Jumbo que, até aqui, servia apenas o trânsito do sentido inverso.

Cancro da pele motiva caminhadas

Santiago caminha cancro da pele A ASSOCIAÇÃO Oncológica do Alentejo (AOAL) organiza este domingo, pelas 9 horas, a caminhada “Protecção Cancro da Pele”, com partida e chegada em frente ao edifício da Câmara de Santiago do Cacém. O preço de inscrição é de três euros e cada participante terá direito a uma saqueta com kit de prevenção. E este sábado, o Dia Internacional da Cruz Vermelha é festejado em Ermidas-Sado com, ginástica, ateliers para séniores, lanche, baile e animação musical com João Marcelo e Amantes do Alentejo.

Sines requalifica Largo Bocage DEPOIS das obras no centro histórico, na nova Escola de Música e nas instalações do restaurante “Ponto d’Encontro”, em fase de conclusão, o município considera que é urgente avançar com as obras de requalificação do Largo do Castelo. Para que estas obras sejam executadas com a «máxima cele-

ridade», o município vai encerrar o acesso entre o Largo Bocage e a Rua Teófilo Braga. Assim, o acesso à igreja matriz será garantido pelo Largo do Muro da Praia. O acesso ao castelo e respectivo bar será assegurado pela porta do Largo João de Deus. As obras deverão estar concluídas em 15 de Julho deste ano.

O PAVILHÃO da Torre da Marinha, no Seixal, recebe este sábado, pelas 21h30, o 20.º Seixal Moda Concurso de Estilismo Interescolas. Pela passarele vão passar seis propostas a cargo de oito jovens estilistas, que vestem dezoito modelos, todos alunos de cinco secundárias. O espectáculo leva também ao palco os Tocá Rufar, o grupo de dança The Future Iz Us, o rapper DaGun e Guilherme Rodrigues, vencedor da última edição do Canta! - Concurso Interescolas de Talentos Musicais. A apresentação é de Francisco Mendes.

DR

DR

Tocá Rufar ensaia na Moita

Francisco Mendes apresenta evento

Alcácer do Sal promove cinema ao ar livre ANIMAR as ruas de Alcácer do Sal e proporcionar aos alcacerenses e aos visitantes a oportunidade de visionar curtas-metragens a preto e branco acompanhadas por música ao vivo são os objectivos do ciclo “Cinema de RUAS”, que arrancou em Abril e que se prolonga até Setembro. As “curtas” propostas circulam dentro deste tópico, com imagens do início do século XX sempre centradas na figura e ato de roubar,

que o cinema converteu num clássico de marginalidade, criando personagens terríficas exorcizantes ou ladrões simpáticos e até heroícos, que contam com a cumplicidade dos espectadores. A música ao vivo, que animará a projecção das curtas, vai estar a cargo de Zé Peps e António Bexiga. Promovida pelo município, a iniciativa é organizada conjuntamente com a Associação Cultural Colecção B.

Sementes arranca ESTE SÁBADO, às 16h30, no Teatro Extremo, em Almada, é apresentado a 18.ª Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público, que decorre de 20 de Maio a 16 de Junho em nove municípios. Há espectáculo de magia na apresentação pelo Círculo Mágico.

Sopas na Sobreda O 7.º CONCURSO de Sopas do Bairro de S. João, na Sobreda, está agendado para o dia 19 de Maio, sendo que as inscrições fecham a 16. Há taças e medalhas para entregar aos três primeiros classificados. A organização pertence à Associação do Bairro de S. João.

Passeio ao Alqueva A CÂMARA de Sines organiza, a 19 e 26 deste mês, o passeio “De Vila Viçosa a Monsaraz pelas margens do Alqueva”. Está integrado no programa de animação de idosos da autarquia e visa proporcionar aos idosos um melhor conhecimento das paisagens, património e história.

DR

O ROTEIRO das Freguesias de Santo André arrancou no passado dia 8, com o executivo, liderado por Carlos Humberto, a visitar escolas, instituições particulares de solidariedade da freguesia e outras entidades. A acção insere-se no projecto municipal participação e cidadania e visa nomeadamente o diálogo com a população e os agentes sociais e económicos no sentido de conhecer a realidade da freguesia e, em conjunto, procurar soluções para os problemas verificados. Depois das Opções Participadas, na sexta-feira, este sábado, a partir das 9h30 há contactos com as populações.

O MUNICÍPIO de Almada vai investir cerca de 280 mil euros na construção do novo jardim urbano de Monte de Caparica. O novo ‘pulmão verde’ localiza-se entre uma zona residencial e a Básica do Monte de Caparica, na freguesia de Caparica. Por ficar próximo de uma escola, o jardim integrará uma área de recreio infantil e o equipamento escolhido pauta pela sua forma e desenhos apelativos e a combinação de estruturas que formam uma peça única que permite a combinação de várias actividades num único equipamento. Com uma área superior a 3 200 metros quadrados, o espaço de lazer será dotado de anfiteatro, palco, parque sénior, parque infantil e por uma peça identificativa do jardim. De forma a garantir actividades para a população sénior, a autarquia decidiu, respondendo também

DR

Barreiro ouve Santo André

INICIATIVAS

Sines a caminho do Alqueva


Novotel muda decoração

NEGÓCIOS

O NOVOTEL de Setúbal foi alvo de uma recente mudança de visual e decoração das zonas públicas. As obras modernizaram assim este hotel de 4 estrelas que dá emprego a

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 12

mais de 25 pessoas. A mudança contou com um investimento de 380 mil euros e foi baseada em elementos da natureza, uma ideia da arquitecta Susana Guimarães.

Mazda em encontro nacional MAIS DE CINCO dezenas de viaturas da marca Mazda, de vários modelos e diferentes gerações de fabrico, são esperadas num encontro nacional a realizar este sábado, no Largo José Afonso, em

1.º Festival Prove arranca pelas mãos da Adrepes

Produtores agrícolas da região dão a conhecer produtos de qualidade António Luís

Treze produtores abraçam Prove

O

I Festival Prove, que visa levar os consumidores até às explorações agrícolas inscritas neste projecto, decorre durante todo o mês de Maio, a nível nacional. Na Península, as explorações da Moita, Palmela e Sesimbra são as que vão estar em destaque, com este tipo de visitas que «acabam por fortalecer a confiança entre consumidores e produtores», refere José Diogo, técnico da Adrepes responsável pelo Prove. José Diogo realça que no âmbito do I Festival Prove os consumidores, além de visitarem as explorações agrícolas, podem, também, participar num vasto leque de iniciativas, como workshops de culinária e de ervas aromáticas e medicinais, degustação de produtos locais e actividades ao ar livre. Este sábado, duas explorações agrícolas do Zambujal e uma da Aguncheira, ambas no concelho de Sesimbra, bem como uma outra em Brejos do Assa, em

DR

Produtores agrícolas afectos ao Prove abrem as portas das suas explorações, este mês, para mostrar a qualidade e frescura dos seus produtos aos consumidores locais e nacionais

O projecto Prove tem sido um forte apoio a pequenos produtores

Palmela, vão estar em festa com visitas, entrega de cabazes e almoçosconvívio, entre outras actividades. Frescura e qualidade «No projecto Prove, os pequenos produtores agrícolas vendem a preço justo directamente ao consumidor, sem intermediários nem desperdícios», vinca José Diogo. Os consumidores que pretendam aderir às vantagens do Prove devem inscreverse no site www.prove.com.pt. Por semana ou quinzenalmente, os consumidores têm direito a adquirir um cabaz, com vários produtos hortofrutícolas, fruta e ervas

aromáticas, de grande qualidade, por apenas 10 euros. O peso do cabaz situa-se entre os 7 e os 9 quilos. De futuro, o conjunto de parceiros a nível local e nacional do Prove, encabeçado pela Adrepes, tenciona proporcionar outros planos de negócio para diversificar a actividade económica dos seus produtores agrícolas. Nesse sentido, foi já encomendado um estudo à Universidade de Évora para que esse projecto seja realidade. «Queremos que os produtores possam transformar os produtos e desenvolver actividades pedagógicas e turismo rural nas suas explorações agrícolas», conclui José Diogo. O Prove gostava de pode contar

Na Península de Setúbal, estão afectas ao projecto Prove treze explorações agrícolas, nomeadamente oito em Sesimbra, quatro em Palmela e uma na Moita, sendo que é neste último concelho que se encontra a maior exploração da região, com a dimensão de 6 hectares. O Prove foi criado em 2006, tendo sido criado um núcleo em Sesimbra e outro em Palmela. Nos dias que correm, o Prove já conta com 53 núcleos, que fazem as entregas de cabazes em 80 locais em todo o País envolvendo mais de 120 explorações agrícolas e 2 500 consumidores. Os principais parceiros do Prove na península são as Câmaras de Sesimbra e Palmela e as empresas Sistemas de Ar Livre e a Estalagem dos Zimbros.

com um «maior número» de agricultores e parceiros e, por outro lado, queixa-se das «novas obrigações burocráticas e administrativas», no âmbito das recentes alterações ao enquadramento fiscal dos seus produtores, que «dificultam» o desenvolvimento do negócio.

Setúbal. A concentração, promovida pelo Mazda Clube Portugal realiza-se entre as 13 e as 16 horas e conta com a presença da maioria dos modelos fabricados pela marca nipónica.

Porto de Sines recebeu conferência de pilotos da barra O AUDITÓRIO da administração do porto de Sines, recebeu, no passado dia 7, a 4.ª conferência da Associação dos Pilotos de Barra e Portos, subordinado ao tema “O Serviço Público de Pilotagem e a Ligação com os Stakeholders”. O evento reuniu mais de 130 participantes e contou com oradores nacionais e internacionais, especialistas nestas matérias, contemplando dois painéis: o primeiro relativo à “Prestação do Serviço Público de Pilotagem” e o segundo sobre a “Visão Estratégica dos Stakeholders sobre o Serviço de Pilotagem”. Empresários turcos agradados com visita Entretanto, uma comitiva de empresários turcos visitou o porto, com a finalidade de aprofundar o conhecimento sobre o funcionamento e as potencialidades oferecidas por esta infraestrutura portuária. Esta delegação, que integrou a comitiva da visita oficial do Presidente da República daquele país a Portugal, identificou Sines como um dos locais a visitar com vista à promoção do comércio entre os dois países. Na reunião com a administração da APS foram apresentadas as características dos diversos terminais especializados, assim como os principais factores que fazem deste porto um caso de sucesso.

Moscatel da Malo Tojo conquista ouro em festival ibérico O MALO Moscatel de Setúbal Superior 2003 foi distinguido, por um júri internacional, com a medalha de Grande Ouro do concurso Ibérico de Moscatel, uma organização do município sadino e da Associação Baía de Setúbal, que decorreu no dia 3, em Setúbal, no âmbito do Festival Ibérico do Vinho, que deu a conhecer vinhos e produtos regionais de Portugal e Espanha. Luís Simões, enólogo da Malo Tojo, com instalações em Azeitão, mostra-se «muito satisfeito» com o troféu alcançado com este moscatel superior, sublinhando que a medalha

de Ouro representa «o reconhecimento do nosso trabalho em prol do moscatel de Setúbal». Por outro lado, afirma que se trata de um prémio «bastante importante», na medida em se trata de um concurso ibérico de vinhos. «Azeitão e Setúbal reúnem excelentes condições para a produção do vinho moscatel. A nossa empresa nunca tinha ganho um prémio com esta dimensão», conclui. Aquele moscatel da Malo Tojo arrecadou o principal prémio da prova ao receber mais de 95 pontos, tendo sido também eleito “Melhor Moscatel Português”. Já as meda-

lhas de ouro, para vinhos classificados entre os 90 e 95 pontos, foram atribuídas ao Portal Moscatel Reserva 1996 e 2004, ambos da Quinta do Portal, ao Casa Ermelinda Freitas Moscatel Superior 2003, da Casa Ermelinda Freitas, ao Adega de Palmela Moscatel Setúbal Superior 2005, da Adega Cooperativa de Palmela, ao Loboroxo 2008, da Casa Agrícola Assis Lobo, e ao Ochoa Moscatel Vendimia Tardia 2012, da Bodegas Ochoa, também distinguido com o prémio “Melhor Moscatel Espanhol”. O júri de dez elementos, que

avaliou os vinhos generosos através de “prova cega”, foi constituído por dois especialistas portugueses e de Espanha, França, México, Indonésia, China e África do Sul. No total, estiveram a concurso 25 moscatéis portugueses e espanhóis. Arrábida inspira moscatel vencedor O Malo Moscatel de Setúbal é proveniente da Serra da Arrábida, apresentando notas de flores brancas, mel e frutos secos, como figos e pinhões. Integralmente da casta

moscatel de 2003, proporciona uma textura vinosa e macia, com aromas de folha de tabaco, pinhões e flores secas. Teve uma produção de 6 900 garrafas e encontra-se no mercado desde Setembro de 2008.


13

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com

Maxiloja inova para conquistar e fidelizar clientes A EMPRESA ADRS, detentora da merca Maxiloja, com sede em Sesimbra, lançou recentemente a sua página na internet e prepara a ‘loja online’ e a página no facebook no sentido de ampliar a sua proximidade aos clientes. Esta operação de inovação, iniciada com o ‘cartão cliente’ e um serviço de entrega grátis ao domicílio, faz parte da estratégia da empresa em «reforçar a identidade da marca e fazer face à crise», explica ao Semmais Armindo Diogo, o responsável da Maxiloja, «Queremos manter a nossa performance no retalho alimentar de proximidade e continuar a ter uma postura positiva, com qualidade e bom preço. A nossa intenção é atrair novos consumidores e fidelizá-los, gerando uma relação de empatia», afirma o responsável. A Maxiloja é um insígnia familiar com cerca de 30 anos de actividade, emprega 23 colaboradores e dispõe de lojas em Sesimbra, Santana, Almoinha e Costa da Caparica. Pub.

IMI no distrito de Setúbal: arte de esbulhar os munícipes

O

representante da Troika, Vítor Gaspar, disse que íamos ter um «enorme aumento de impostos». Brutal, abrange IVA, IRS e IMI, para além dos de menor impacto: nada escapa à fúria fiscal do Governo. Surpresa: na «guerra» de Gaspar («cobrador de impostos» a mando da Troika/Governo) contra os contribuintes, este teve um reforço improvável das «tropas fiscais»: a «brigada de assalto fiscal» dos autarcas. Boa parte participou (em silêncio) no «massacre fiscal» dos munícipes, manteve as taxas do IMI (apesar da reavaliação dos imóveis), outros subiram-nas: destacam-se os do distrito de Setúbal (entre +7,14% e +25%). Um verdadeiro «pacto de agressão» contra os munícipes entre Governo/Troika e autarcas do distrito. IMI nas 308 câmaras: por sua vontade, subiram as taxas 51 (16,55%); baixaram 44 (14,28%); mantiveram 182 (59,10%), nos imóveis não

e médias mais altas do país, apenas o de Viana do Castelo suplantou a dos não avaliados (0,720). DISTRITO DE SETÚBAL Taxas de 2012 (pago em 2013)

Manuel Henrique Professor (manuelhenrique@netvisao.pt)

avaliados. Agora nos avaliados: subiram 35 (11,36%); baixaram 58 (18,84%); mantiveram 165 (53,57%). Por imposição do Governo subiram: 31 (10,07%), aumento da taxa mínima de 0,400 para 0,500; 50 (16,23%), aumento da taxa mínima de 0,200 para 0,300. Os distritos amigos, Horta, A. do Heroísmo, C. Branco, Guarda, Portalegre, P. Delgada e V. Real, têm as taxas simples (cada câmara) e médias muito mais baixas. Setúbal tem as mais altas do país: médias 0,418 (1.ª) e 0,718 (2.ª), imóveis avaliados e não avaliados. O IMI a pagar é, assim, muito diferente: imóveis avaliados: 0,3 (450€) − 0,4 (600€ + 33%) ou 0,5 (750€ + 66%), para 150 mil euros. Não avaliados: 0,5 (300€) − 0,6 (360€ +20%) − 0,7 (420€ + 40%) ou 0,8 (480€ + 60%), para 60 mil euros. O valor patrimonial destes imóveis, mesmo de tipologia semelhante, é muito mais baixo. Quadro distrital: taxas simples

Câmaras

Imóveis avaliados

0,600

(0,3 – 0,4 – 0,5)

Imóveis não avaliados

0,700

(0,5 – 0,6 – 0,7 – 0,8)

0,400

0,700

A. do Sal

0,400

0,600

Alcochete

0,400

0,700

Almada

0,400

0,700

Barreiro

0,400

0,700

Grândola

0,400

0,700

Moita

0,400

0,700

Montijo

0,500 (a) − (+25%) (c)

0,800 (b) − (+14,28%) (c)

Palmela

0,480 (a) − (+20%) (c)

0,750 (b) − (+0,714%) (c)

S. do Cacém

0,400

0,700

Seixal

0,395

0,695

Sesimbra

0,400

0,700

Setúbal

0,500 (a) − (+25%) (c)

0,800 (b) − (+14,28%) (c)

Sines

0,360

0,800 (b) − (+14,28%) (c)

Taxas médias

0,418

0,718

(a) – Aumento das taxas em relação a 2011, antes 0,400. Nenhuma autarquia «ousou» baixá-las um pouco. (b) – O mesmo que a nota (a), excepto o valor das taxas em 2011 (0,700). (c) – % dos aumentos das taxas para além dos aumentos da reavaliação dos imóveis (por imposição do Governo/ Troika).

O «massacre fiscal» não é só no IMI, é no IRS e na Derrama de IRC. 5% do IRS vai para as autarquias, podem receber ou devolver aos munícipes uma parte ou tudo. Este ano 42 (13,63%) fá-lo-á, destas, 27 devolverão de 2% a 5%. No distrito só A. do Sal e Grândola o fazem há anos, pouquíssimo: aplauda-se. Este ano devolverão 1% e 0,5%, respectivamente. As restantes «aos costumes disseram nada», ficarão com 5%. «Bem prega Frei Tomás, fazei o que ele diz e não o que ele faz». Criticase, e bem, o Governo, faz-se o mesmo que ele. Derrama de IRC: no distrito há muitas empresas importantes (Setúbal: Portucel, Secil, Sapec; Palmela: Autoeuropa. Sines: Repsol, APS; Seixal: Siderurgia; etc.) As taxas, como no IMI e na captura dos 5% do IRS, são das mais altas do país: que grande receita. A atitude fiscal dos autarcas é paradoxal e incompreensível: há 37 anos que a CDU domina, hoje tem 9 câmaras, o PS 3, os Independentes 1 (Sines, o presidente geriu-a de 1997 a 2009 pela CDU). Na primeira linha das justas críticas ao esbulho fiscal do Governo, quando beneficiam dos impostos (apesar da crise que os munícipes vivem) as convicções políticas ficam-se pela retórica, sem efeitos práticos: puro e estéril discurso. Uns «devoristas fiscais», os autarcas do distrito de Setúbal.


Lugar ao fado na casa da Cultura A FADISTA Deolinda de Jesus, integrada no seu Quarteto Fado, dá um concerto na Casa da Cultura de Setúbal, este sábado, às 22 horas, com entradas a cinco euros. O

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com 14

projecto junta a fadista setubalense a Jorge Pimentel, na guitarra portuguesa, Carlos Sequeira, viola, e Filipe Martins, contrabaixo. Não falte ao evento.

Alexandrina Pereira enaltece encantos da Arrábida em livro

ESTE DOMINGO, às 16 horas, a biblioteca de Palmela recebe mais um Baile de Danças Tradicionais. Os String Fling animam este baile, com uma sonoridade inova-

Sábado

CULTURA

Danças tradicionais em Palmela

Cartaz...

11

Canções da Reforma Agrária Lúcia Moniz, Luísa Basto e Samuel protagonizam o espectáculo comemorativo do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, composto por canções que relembram a Reforma Agrária. Auditório António Chainho, S. Cacém | 16h30.

António Luís

CURTAS-METRAGENS 2013 DIA 12 ÀS 16H00 NA CASA DA CULTURA/ SALA JOSÉ AFONSO – CURTAS DE AGNÉS VARDA. Exibição de curtasmetragens, no âmbito do Mês do Diálogo Intercultural. ÀS 18H00 exibição do filme de Jean Rouch, de 1972. FESTIVAL DE MÚSICA SETÚBAL DIA 16/05 DAS 21H ÀS 23H NO FÓRUM MUNICIPAL LUÍSA TODI – CONTOS DE FADAS, CASAS ASSOMBRADAS, PRINCESAS ENCANTADAS – E UM ELEFANTE. Artur Pizarro (piano), um dos mais aclamados pianistas portugueses da actualidade, interpreta obras inspiradas em contos de fadas e outras histórias que nos chegam de diversas partes do mundo do mundo e que são apreciadas por pessoas de todas as idades./ Bilhete: 12€ DIA 17/05 DAS 10H30 ÀS 11H30, AV. LUÍSA TODI/ PRAÇA DO BOCAGE/ PARQUE DO BON-

FIM – DESFILE DE PERCURSSÃO. Das 11h30 às 11h45 no Parque do Bonfim – Momento conjunto de Percurssão. Centenas de crianças e jovens das associações de imigrantes de Setúbal, juntam-se para partilhar a diversidade dos seus ritmos musicais, neste colorido e pitoresco desfile pelas ruas do centro da cidade, que se tornou um evento anual./ Direção de projecto: Fernando Molina./ Entrada livre. ÀS 21H NA ENTRADA DO FÓRUM MUNICIPAL PRÉ-CONCERTO/ RITMOS COMUNICANTES – Belabatuke – Aveos/ Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi. DAS 21H30 ÀS 23H00 NO FÓRUM LUÍSA TODI – TOCANDO RITMOS, TROCANDO CANÇÕES. Grand Union Orchestra, Tony Haynes (director artístico); Academia de Música e Belas Artes Luísa Todi; BelaBatuke – Aveos; Conservatório Regional de Setúbal. Este concerto de músicas do mundo é o resultado de uma colaboração criativa entre músicos de Londres, de Setúbal e do Sul de França./ Bilhete:12€

imagens para o livro, cuja tiragem aponta para os 500 exemplares. Para breve, a poetisa tenciona publicar um livro com testemunhos de crianças sobre as dificuldades que sentem com a actual situação do País. «É um livro que nos irá fazer sorrir e pensar», conclui. As receitas das vendas revertem para a Cáritas de Setúbal. Alexandrina Pereira está também a preparar a criação da Casa da Poesia de Setúbal.

Feira do livro no coração de Almada ATÉ DIA 26, a Praça S. João Baptista, em Almada, acolhe mais uma Feira do Livro. Este evento cultural vai animar o centro da cidade com uma panóplia de livros de dezenas de editoras, para todas as idades e gostos, a preços acessíveis. A promoção da leitura é o principal objectivo deste evento que, à semelhança das edições anteriores, oferece também um programa cultural, com animações de leitura, apresentações de livros, momentos musicais, debates e encontros com autores, a decorrer no espaço da feira ou na Casa do Livro, a nova livraria de Almada, recentemente inaugurada, ao lado da Praça da Liberdade. A organização desta iniciativa está a cargo da Página a Página – Divulgação do Livro, S.A. e da Casa do Livro em parceria com o município. Está aberta, todos os dias, das 10 às 22 horas.

11

sexta

Inclui fotografias de paisagens e flora da Arrábida acompanhadas com versos de poemas. Além de oito poemas traduzidos em Inglês, Francês, Espanhol e Alemão, a obra é considerada pela Associação Sebastião da Gama como o «primeiro livro inteiramente dedicado à Arrábida». Simões Silva, Quaresma Rosa, José Rasquinho, José Gonçalves, Carlos Sargedas e Paulo Alexandre são os fotógrafos que cederam

Sábado

O livro de Alexandrina Pereira já foi apresentado na Câmara de Setúbal

17

Dez anos de dança

Teatro no Forum

“Dentro das palavras”, da autoria e interpretação de Rui Catalão, é um espectáculo que representa um balanço de dez anos a trabalhar na dança e a privar com bailarinos. Teatro Joaquim d´Almeida, Montijo | 21h30.

Pela primeira vez em Almada, o Teatro da Terra, companhia fundada por Maria João Luís, apresenta uma parábola sobre a vida e a morte, uma epopeia dedicada ao povo alentejano. Teatro Joaquim Benite, Almada | 21h30.

Académica no Monte de Caparica A SEMANA académica do Campus Universitário Egas Moniz, no Monte de Caparica, onde está sedeado o Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e a Escola Superior Egas Moniz, arrancou ontem e prolongase até dia 15. João Mestre, da organização, deposita «boas expectativas» na edição deste ano, que tem um cartaz «apelativo e diversificado». Os Anjos (dia 11), os Tara Perdida (dia 13) e Quim Barreiros (dia 14) são os cabeças de cartaz deste ano. Depois dos concertos, os estudantes podem divertir-se na tenda electrónica montada no recinto e nos espaços gastronómicos envolventes. «Apesar da crise, conseguimos criar um programa com qualidade. Somos uma instituição pequena e não temos tantas verbas para orga-

nizar um evento deste género como a Universidade de Évora», frisa João Mestre. Com um orçamento a rondar os 100 mil euros, a semana académica inclui, no domingo, às 9 horas, a bênção das pastas, e a queima das fitas, durante a parte da tarde, que vai envolver cerca de 500 estudantes. Mas a festa arrancou na sexta-feira, com um jantar convívio, seguido de serenata com a tuna da casa, que contou com a presença de cerca de 600 alunos. O bilhete único, que dá acesso à festa em todos os dias, tem o preço de 30 euros, mas também há ingressos para cada dia a preços mais em conta.

Recital de fado em Grândola

DR

Escolhas Sadinas Por Ana Sobrinho

DR

A

rrábida meu amor, meu poema” é o título do novo livro de Alexandrina Pereira. Através de pequenos poemas, a autora faz uma declaração de amor à Serra da Arrábida, onde enaltece a sua inspiração. O livro de 62 páginas, seis delas a cores, contém fotografias de paisagem e flora da Arrábida de autoria de seis fotógrafos dos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra que prepararam a candidatura da Arrábida a Património Mundial, bem como de testemunhos dos respectivos presidentes de Câmara. O seu nono livro tem como mensagem principal apelar à preservação de «tanta e tão rara beleza» que é a Arrábida, e conta com o apoio daqueles três municípios, da Associação Sebastião da Gama, do Finisterra Arrábida Film Festival e da Secil.

dora, assente em vários instrumentos de cordas. O duo, composto por Pedro Prata e David Rodrigues, assume-se apaixonado pela música de inspiração tradicional.

O coração das artes em Almada

A IGREJA Matriz de Grândola, recebe este sábado, dia 11, às 21 horas, um Recital de Fado com Cristina Maria, acompanhada por Custódio Castelo, na guitarra, Miguel Carvalhinho, na guitarra clássica

de 10 cordas, e Pedro Ladeira, no clarinete. O espectáculo que tem entrada livre, abre o programa das Festas em Honra de Nossa Senhora da Penha, que decorre de 11 de Maio a 11 de Junho, em Grândola.


15

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com

Diversidade e qualidade estão garantidas na programação da mostra internacional de Santo André, que espera receber mais de 3 mil espectadores em palcos de Santo André, Santiago do Cacém e Alcácer do Sal A 14.ª MOSTRA Internacional de Teatro de Santo André, organizada pela Ajagato, decorre de 23 de Maio a 9 de Junho, em Vila Nova de Santo André, com peças para adultos e para a infância. Afirma-se, de ano para ano, como um dos eventos culturais mais importantes do Alentejo Litoral. Orçada em cerca de 26 mil euros, a edição deste ano, com espectáculos em Santo André e em Santiago do Cacém, espera receber cerca de 3 500 espectadores. Mário Primo, director da mostra, realça que as expectativas para a edição de 2013 são as melhores, sobretudo em termos de público. «Esperemos que a adesão de público continue a ser muito elevada, apesar da crise financeira que assola o País, pois a qualidade e a diversidade do festival está garantida», vinca. Mas o ‘pai’ da mostra não esconde as dificuldades que estiveram por detrás da organização do certame deste ano. «Foi, talvez, a preparação mais difícil e atribulada de sempre, devido às mudanças que fomos forçados a fazer na programação, com o cancelamento de alguns espec-

DR

Ajagato promete diversidade e qualidade na mostra de Santo André

O grupo de teatro “A Barraca” vai estar presente na mostra

Palcos e preços das entradas Os espectáculos da Mostra Internacional de Santo André são, na maioria, apresentados no auditório da secundária local, mas também há uma extensão a Alcácer do Sal e cinco espectáculos em Santiago do Cacém.

táculos internacionais e às dificuldades financeiras de financiamento do evento. Das 85 empresas e instituições, a quem pedimos apoio financeiro, responderam 18 e das restantes a maioria não respondeu ou mostrouse indisponível para colaborar», conta Mário Primo. Programação eclética No global, vão passar pela mostra 24 espectáculos apresentados por 15 companhias profissionais, sendo que duas delas são internacionais. Cinco companhias participam, pela primeira vez e as restantes repetem a presença pela qualidade apresentada anteriormente. Eis as companhias desta edição: D´as Entranhas, Enano Free Artist, Cendrev, Peripécia,

Os ingressos para os espectáculos têm o preço de 5 euros. Mas os jovens e os sócios da Ajagato pagam apenas 3 euros. A entrada permanente, que dá para assistir a todos os eventos, fica em 25 euros.

TNDMII/João Grosso, Teatro dos Aloés, Palmilha Dentada, A Barraca, Circolando, Ninho de Víboras, Trotam Teatre, Tenda, Este Estação Teatral, Molloy Associação Cultural e Companhia do Chapitô. O evento volta a integrar espectáculos para a infância, cinco no global, oferecidos pelo município. As dez animações musicais, que antecedem os espectáculos de teatro, vêm de todas da Escola de Artes de Sines, bem como workshops, exposições e colóquios. O principal patrocinador do evento continua a ser o município, que desembolsa 9 500 euros, mas também chegam ajudas da Junta de Freguesia de Santo André, do Hotel Vila Park, da Repsol e da Galp Energia. António Luís

FOI ao som da flauta de Pã que centenas de pessoas regressaram à Idade Média para ouvirem, no passado sábado, na igreja matriz de Grândola, as obras do famoso compositor e poeta, Guillaume de Machaut, no âmbito do Festival Terras Sem Sombra. O flautista francês subiu ao palco, com o barítono Marc Mauillon, a violetista italiana Vivabiancaluna Biffi, e o alaudista belga Michaël Grébil, para entoar uma canção trovadoresca. Como referiu o director do festival, «este momento musical é um exemplo perfeito da temática central do 9.º Terras Sem Sombra. Machaut foi um dos principais impulsionadores da

DR

Terras sem Sombra leva Grândola à Idade Média

Barítono Marc Mauillon

polifonia, imbricando admiravelmente o sagrado e o profano. O quarteto de Pierre Hamon é um dos principais intérpretes da música medieval e faz renascer, entre os que têm o privilégio de escutarem, o sentimento da lírica dos trovadore-s». Paolo

Pinamonti salientou igualmente que o concerto se tornou um marco preponderante no roteiro da música antiga, tendo recebido atenção redobrada da crítica internacional. Já José Falcão, responsável pelo festival, destacou a «excelência» do cenário que acolheu a estreia da obra de Machaut, referindo que «as igrejas do Alentejo são um palco privilegiado para esta música, dada a sua acústica e a sua aura espiritual; são espaços que convidam a sonhar, favorecendo a relação empática do público; recupera-se, deste modo, uma parte da nossa memória, unindo-a a monumentos e paisagens de grande beleza».


DR

Sábado // 11 . Mai . 2013 // www.semmaisjornal.com

Barreiro acolhe celebrações do Dia da Marinha

Há dois anos a capital do distrito foi a escolhida pela Marinha

AS COMEMORAÇÕES do Dia da Marinha deste ano vão decorrer na cidade do Barreiro entre 18 e 26 de Maio. Na ocasião será relembrada a chegada da armada de Vasco da Gama a Calecute, em 20 de Maio de 1498. Todas as actividades relacionadas com este evento têm como objectivo dar a conhecer os meios e as capacidades da Marinha aos portugueses para que possam usar o mar na medida dos seus interesses. A cerimónia militar e religiosa, as actividades desporPub.

tivas e radicais, o concerto da banda da Armada, a exposição de actividades, os baptismos de mar e as visitas a navios integram, como é tradição, o programa das comemorações deste ano que contam com o apoio da Câmara Municipal do Barreiro. O programa das comemorações, que foi delineado tendo em conta a situação económica e financeira do País, foi apresentado em conferência de imprensa, ontem, sextafeira, pelas 19h30, no Clube Naval Barreirense.

“O Setubalense” suspende actividade A ÚLTIMA edição do trissemanário “O Setubalense” saiu ontem para as bancas. O fecho de portas de um dos jornais mais antigos do País e uma referência em Setúbal leva uma dezena de pessoas para o desemprego. A quebra de receitas na publicidade e nas vendas, que tem atingido o sector nos últimos anos, está na origem da suspensão deste órgão de comunicação social regional que completaria 158 anos no próximo dia 1 de Julho. Os funcionários queixam-se de cerca de dois meses de salários em atraso e admitem mesmo avançar para o pedido de suspensão dos contratos de trabalho. Patrocínia Fidalgo, proprietária do jornal, queixa-se de «uma grande quebra nas vendas e na publicidade e de grandes encargos com os funcionários». Já o director José Araújo,

DR

ÚLTIMA

A morte do director João Fidalgo terá precipitado a suspensão

afirma que as dificuldades do jornal resultam fundamentalmente da diminuição da publicidade das grandes empresas da região e de várias entidades da administração central e local. José Araújo acrescenta que as grandes empresas da região estão de «costas voltadas para os problemas locais, dando como exemplo,

a Câmara de Setúbal que «gasta milhares de euros em publicações internas e em departamentos de marketing e não apoia os jornais locais. Pelo menos não apoia “O Setubalense” há mais de quatro anos». E conclui: «Quando falamos de coisas incómodas, há sempre movimentações, ameaças e processos».

Porto sadino é ‘top’ para Autoeuropa «O PORTO de Setúbal é o eixo mais importante na logística de viaturas fabricadas na Autoeuropa», diz o responsável da VW Logistics em Portugal, António de Oliveira, contabilizando que desde «1995 já foram enviados, via Setúbal, mais de 1,6 milhões de carros». Na sua opinião, estes números demonstram a capacidade logística e de acessibilidades do terminal roll-on roll-off deste porto. «99 por cento do volume de produção destina-se à exportação, é fundamental que a ligação entre a produção e o despacho de veículos seja rápida. Cerca de 80% do volume produzido na Autoeuropa é enviado por este porto, tornando-se essenciais os bons acessos por rodovia e ferrovia.


Semmais_11_Maio