Issuu on Google+

Pub.

Sábado | 9.Junho 2012

Director: Raul Tavares

semanário - edição n.º 718 • 5.ª série - 0,50 € • região de setúbal

www.semmaisjornal.com

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Sáb

15

Anti-stress João Bettencourt dá recital no Seixal

Suplemento Os nossos colégios de referência

9

Centrais

Distrito precisa de 37 médicos para 56 mil horas ACTUAL O ministério garante que já abriu concurso e quer contratar os clínicos

com o mais baixo valor possível. A medida não está a agradar aos representan-

Destacamento da GNR em Palmela

Semmais

12

ww

w.se

mm

aisj

orn

al.c

om

Colé refe gios distr rênciade ito d e do Setú b

al

Dist Sele ribui r ou Alu cciona nos.. r .

Hav ia preâ mbu a legi assim lo do tima exp Des vies o pres sagi pach ectativa sem para a ser ava, que o n.º 5106 ea con esco que os já ª/20 leitura pais sagrada no próx 12, do do univ la dos seus pudesse s med imo ano MEC erso Mas das escofilhos, m pass idas con lectivo , para bast pelo ar cret las a men a esco púb as É certnos aper uma os, lher leitu licas den o que o que cebermo ra ao . tro a o do aco é de louvprincípi s que “ainreferido ntec Des oé ar. “seu e. pach clar da não s” alun O Esta Mas, fact na prátamente será dest o, do os o, afirm a”. prev o enq pelas continu ica, mui esco uad ado ará to tivo alecer ram , las, em pou a dist pouco ento ribu zon e injusto Portuga atua co alte ame ir para l o crité l e con rand os Se nto. os tinu o, de rio men a cap este com - adm ando os a info rele acidade pass var rma inistrao a opç de esco de espe buir dos - do para às adm ão pote lha dos ra em pou inis ncia caso fixar crité traç lme pais, imp co alte de ra rios ões esco nte nega orta De fact excesso de aces lare aqu tiva o, em Out de sa de atri- i so ras prio várias procura às suas capacid defi nido rida alín face esco ade do las agru s no regudes e ou eas são à cap esco pam crité reco acid no lam ade nhe rios crité lares vãoento...”. ento cida . de inte rios Ou rno desempa s “ siçã seja Os de acester a da o colé , man te roso altamen so capacid as adm esco gios tido la e mel con controlo te neg de dese ade de inistraç ou hore no topoprivado text dári s s do que o de por partativa quempate, estabele ões o. Trat estabele do já rank distrito que exig uma disp cer verm de si colocaçã e do tem a-se de cimento ing MEC não irá têm dem cres nac oo um pela os som ben , iona -se cido um orgu s de ográ efici burocrát sob pen rigo ado ensi Cen esco surg escola. a os um a sos. ficos, de form lho para no l dos ica de, siste Esta e men secu com de a milh las de esco no actu No os favo alun ao né tant ma de o provsustenta uma exce ares rank Scho regi os, no futu uma las em al mom o mai esco ão de alun lênc aram do os ing ol, o lha recidos, meg s Cam ia que de ráci Exte ro inve pela inaceitáv os 2011 a-ag ento de negativ de alun últim os stim correspoos do s esco Atlâ po de Florrnato reor el estr rupa a, qua os área dist servem Frei , o Colé ento os ntic gan las nde Imp rito s atifi men es, ndo Luís não o gio izaç dad funcionaao long a milh e cuja mui õe-s do agru caçã tos, Zela foi e tambémColégio de Sous St. Pete ão tos e e reco nde pos dest ões pam o “leg propician das apo lare do ensi is, equ o dos do tico ses a, síve r’s a o rdar al” dos ento s. que últim de euro sta e no l part Colégio Vale e, o Colé tuiç edição) do o exem . edu centraliz recu e dos ipamento os ões alun As dife Gua o Colé gio cati ano s de de ensi estão icipar esco os plo plan tem va com ado, saram dalu mel se s, em gio entr a las dos um imp os extr hor feito rentes na de todono, num e as tempo pe (que pais siste esta ulsio qua desf as apre esco A 30 a-cu Nov bele ao trab abordag lima avo nan lha rank manuten o país a lista melhoredo fech cime ano a rricu espa reci do uma buro da ndiz alho ens o com s, ntos . da cráção agen esco deve ing do dade prova mai s instido aval ço ao de ensidesenvo que o à qua Ministér nos dese s de país s da la, que reforma iaçã luga no ao lvid Semmai men pedagógique a perm 600 . Esta pop e que nvo lida o res de do io da tos long o por s ca e gestão mer de alun lvim auto ulação itiu em este o do corp e a ensi Educaçãcimeiro Rec vitais para nom mai clar ece os os e de ento de sup dos últim s no min orde s do tam s siste a ia mai o um bém esta o doce erior -se os ma oposiçã s rasg professo siste abriu istra muito que com s qua nte rado anot de aval o ado do nest se ma no rankperform são res lia Esco ada à inov de em con inadequ iaçã recente s elog as anc instrula Secu a qual ing 93º ios tem ado o es. Man luga sob porâ ado face de dese análise da OCD r ndár idade do naciona relo uel r, da Fon logo ia de Boca ensino l surg os alun taçã nea. Na aos desampenho do nos E, púb e, so , con seca seguida os queo, não Nova fios ge, púb são Zelâ da side , em lico pela em Setú lico, rece as esco ndia soci e tuni San edad dade transpar bem tiag secundá bal, , proc las que, em caso e sua o do prim de aces ente ond edeCac ria de esco so eira ém. e todo se a lhem opç à esco la que s têm um sort ão. eio esco igual opo lher ram com o Fóru m Para a Libe de Edu rdad e caçã o

En ranksino pr ing ivad naci o do onal dist rit de esco o lid las era

tes do sector porque receiam a chegada de colegas mais indeferenciados. PÁG. 4

PÁG. 7

DR

PÁG. 7

Pub.

n.20

Futremania invadiu 25.ª Santiagro

+ACTUAL O novo destacamento vai elevar para outro patamar a segurança no concelho. O investimento é de 1,5 milhões.

Remoção de Lamas de Santo André até 2014 custam PÁG. 6 11,5 milhões

| 9.Ju

Pub.

+Negócios Ermelinda Freitas ganha 67 prémios

ado

Barreiro contra encerramento de valências médicas PÁG. 4


2

Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

Abertura 1ª edição do Finisterra Arrábida Film Festival chegou ao fim entre balanço positivo e lamentos

Um Festival carregado de emoções O objectivo de dar a conhecer além-fronteiras o Espichel, a Arrábida e a região de Setúbal através do cinema documental foi cumprido. O sonho do Finisterra pelas mãos de Sargedas veio para ficar, mas a falta de apoios pode levá-lo para outras paragens. Os premiados

::::::::::::::: Marta David :::::::::::::::

O GRANDE PRÉMIO :

O

Encanto e um mar de emoções Foi uma jornada de cansaço e uma mistura de conquista e desalento. Mas o promotor prefere enfatizar a aposta ganha com a promoção da região, dos seus produtos e mais-valias

“The Palladiens”

Categorias “Temáticas” Turismo Religioso “The Icon of Uros Predic” Turismo Montanha “Arrábida” Praia Mar “A Ilha” Viagens “Flamenco Spiritual” Destinos “Portugal, The Beauty Of Symlicity” e “Marrocos 1” Mergulho “Escape to tahiti and her islands” Natureza e Vida Selvagem “Mondego” Locais na História “ The Palladiens”

Fotos: DR

balanço é «muito positivo» e a sensação é de «dever cumprido», são estas as primeiras impressões de Carlos Sargedas, o empreendedor fotógrafo de Sesimbra que cumpriu um sonho de realizar o Festival Finisterra contra ventos e marés. «Apresentámos o Espichel e a Arrábida ao mundo, demos a conhecer o potencial da nossa região e, só isso, já compensa o esforço», afirma ao Semmais, reforçando o facto de que, embora seja um festival destinado a um nicho específico de mercado que tem ainda pouca dimensão, as várias sessões de cinema tiveram um público a rondar as 2500 pessoas. Com um orçamento inicial previsto de 30 mil euros, mas que atingiu os cerca de cem mil, a organização lamenta a falta de envolvimento e de apoios. E é com algum desalento que Carlos Sargedas afirma que «o festival não está à venda» adiantando que, na próxima edição, se não estiverem reunidas as condições mínimas este festival pode vir a realizar-se noutra região. «Finisterra pode ser qualquer um dos nossos Cabos, sejam Espichel, Roca, Carvoeiro, Sines, Sagres, Cascais, etc…», argumenta o líder do projecto. A falta de apoios financeiros foi o maior “handicap” sendo este um festival de iniciativa privada. Apesar disso, a organização reforça a «importância do apoio das autarquias locais» embora não faltem as críticas para aqueles que «aparecem para as fotos, para se promoverem, para dizerem que estiveram lá, mas que depois não dão nem um cêntimo nem um segundo do seu tempo para ajudar a colocar isto de pé», lamenta.

Carlos Sargedas, o promotor do festival e convidados. Em baixo, Guido Cerasuolo, o grande vencedor do Finisterra

enquanto potencial cenário cinematográfico. «Desde logo nas primeiras reações percebemos que já tínhamos ganho a confiança dos nossos convidados que se surpreenderam com as diferentes cores que o nosso mar oferece, numa viagem de barco, e se encantaram com o domínio que o Cabo Espi-

chel exerce. Houve mesmo quem se emocionasse com a paisagem que se vislumbra do Convento da Arrábida. Por tudo isto os objectivos foram mais que atingidos», afirma Sargedas. Para além disso ficam os elogios de quem anda «de festival em festival», como é o caso de Jacques Mer, da Aliance Française, acabado de chegar

de Cannes, e que considera que num primeiro ano, este festival conseguiu «aquilo que muitos e grandes festivais não conseguem fazer em muitos anos de existência, que foi ter emoção, sentimento e alma, no fundo uma identidade.» Gratificante para quem produziu o festival foi também o mail recebido já

Produtor de “007” é o grande vencedor e apaixonou-se pelo Espichel O documentário The Palladians, do italiano Guido Cerasuolo, foi o grande vencedor da 1.ª edição do Finisterra – Arrábida Film Art & Tourism Festival, ao conquistar o Grande Prémio Finisterra, o primeiro lugar na categoria de Lugares na História, e os prémios de Melhor Documentário, Melhor Música e Banda Sonora, Melhor Guião e Argumento, Melhores Efeitos Visuais e Pós-Produção e Melhor Sonorização. Conhecido pela produção

de filmes mundialmente famosos, como o Gladiador, 007, Star Wars ou a Saga Twilight, Guido Cerasuolo chegou mesmo a cancelar a vinda a Portugal por causa do terramoto que assolou Itália e que deixou alguns familiares seus sem casa. No entanto, depois de conhecer toda a projecção e promoção que tinha sido feita em torno do seu nome, não quis deixar de marcar presença na cerimónia de entrega de prémios e mostrou-se visivelmente

emocionado com as várias distinções conquistadas. O produtor, que esteve em Sesimbra durante três dias, considerou ter sido «uma sorte ter tido a oportunidade de estar aqui para descobrir esta região fantástica». Uma honra, segundo Carlos Sargedas, porque, explicou, «enquanto muitos vieram apenas fazer turismo, Guido Cerasuolo veio trabalhar, fazer fotos de locais possíveis para fazer filmes e principalmente veio conhecer o cabo Espichel».

esta semana de um produtor americano a quem foi pedido um orçamento para um filme western e que questiona se nos arquivos pessoais de fotografia de Carlos Sargedas «não existem imagens de locais que possam ser propostos de forma a oferecer Portugal como localização para a realização do filme», embora este esteja ainda numa fase embrionária. Na forja está já a próxima edição do Finisterra. Carlos Sargedas avança que já estão a ser feitos contactos e orçamentos e garante que não será por falta de verbas que o projecto fica sem repetição. «Já consegui provar mais que uma vez que o dinheiro não é tudo. Foi assim com as festas de comemoração dos 600 anos do Cabo Espichel, com o 1.º aniversário da DDI em Portugal e, agora, nesta 1ª edição do Finisterra Arrábida Film Festival», afirmou.

Categorias técnicas Melhor Documentário “Les Palladiens” Melhor Filme Divulgação / Promoção “Flamenco Spiritual” Melhor Filme Publicitário “Marrocos 1” Melhor Fotografia “China Landscape China’s Horizons” Melhor Música / Banda Sonora “The Palladiens” Melhor Guião / Argumento “The Palladiens” Melhores Efeitos Visuais e Pós – Produção “The Palladiens” Inovação / Criatividade “Styia-Green Heart Of Austria” Melhor sonorização “The Palladiens”


Sábado | 9.Jun.2012

Editorial

Espaço Público

www.semmaisjornal.com

// Raul Tavares

Como resolver o desemprego O Governo já percebeu que todas as medidas que encetou para aumentar o emprego nestes tempos de crise falharam. E agora parece não saber qual o rumo a seguir. O aumento das horas de trabalho, a flexibilização das leis laborais e o anunciado corte dos feriados, foram, antes pelo contrário, almofadas para uma catadupa de rescisões, em nome de ajustamentos empresariais até então inusitados. Esta semana foi anunciado mais um programa de incentivo à contratação de jovens desempregados e licenciados, com benesses já antes conhecidas em múltiplos programas lançados pelo anterior governo e que de pouco serviram. Os nossos políticos não entendem que o emprego só se recupera com empresas estáveis e estas estão a definhar a um ritmo incontornável. Sem empresas não há emprego, sobretudo, e a meu ver bem, quando o Estado não pode continuar a ser o garante maior da empregabilidade. O paradigma mudou, sendo que ao Estado cabe garantir os pilares essenciais à vida em comunidade: o ensino, a saúde, a justiça e a segurança. E nesta encruzilhada, o Governo tem que perceber o nosso tecido empresarial, alavancado em mais de 80 % de pequenas e médias empresas. Em vez de blindar as altas rendibilidades da banca, deve, de uma vez por todas, injectar directamente dinheiro nas empresas, mediante um contrato-programa, com direitos e deveres. Pagar o que deve às empresas e estas devolverem o que devem ao Estado. Não é difícil entender a resolução deste dilema de pescadinha-de-rabo-na-boca, assim se perceba o que está verdadeiramente em causa.

Demasiado Importante

A

escolha que os militantes do PS têm pela frente no próximo dia 15 de Junho é demasiado importante para que alguém deixe de optar, através do seu voto livre, nas eleições para a Federação Distrital de Setúbal do PS. Uma escolha clara e necessária, porque também as alternativas são claras: só o Eduardo Cabrita tem condições para liderar com sucesso os destinos desta Federação no próximo ciclo político. Todos os militantes de sempre do PS o conhecem, conhecem o seu trajeto de luta sem desistências pelo sucesso do distrito de Setúbal. O país e o distrito atravessam um momento demasiado difícil, é preciso confiança no futuro, e é por isso que apoio o Eduardo Cabrita. Nos últimos Governos do PS, que orgulhosamente integrámos, assisti muitas vezes e estive aos seu lado, quando o Eduardo se batia para que Setúbal fosse colocada no centro do desenvolvimento do país. O peso político, do Eduardo Cabrita, da Federação e de muitos que nos acompanharam, contribuiu para que o Governo PS desse o maior impulso de sempre ao desenvolvimento do distrito, desde o Turismo, Indústria e Atividade Portuária no Litoral Alentejano, até ao apoio aos investimentos industriais em Setúbal, à perenidade da Autoeropa na Península de Setúbal, ou claro, à decisão de instalação do Novo Aeroporto de Lisboa no Distrito. Nunca como neste período ficou tão clara a diferença entre o PS, que defende o desenvolvimento do país a partir da centralidade do distrito de Setúbal, por oposição ao PCP, na sua visão de quanto pior, melhor, para manter o queixume permanente, ou ao PSD, que sempre que governou, abandonou Setúbal (como já está a

Pedro Marques* acontecer agora). E é essa visão para o desenvolvimento que tínhamos e temos para Setúbal que se joga nas próximas eleições para a Federação, que serão decisivas para escolher quem protagonizará a coordenação distrital do próximo ciclo autárquico no distrito. Os desafios são enormes, desde logo na capital de distrito ou nos maiores municípios do distrito, em particular Almada e Seixal. Sente-se o fim de ciclo, é tempo de o PS escolher as melhores soluções para de vez afastar o PCP da gestão autárquica nestes territórios, onde resiste um modelo de gestão que tem sido responsável pelo atraso do distrito. Ou no Litoral Alentejano, onde o desafio é manter a liderança política da maioria dos municípios desta parte crucial do distrito, e alargar mesmo a gestão PS nestas autarquias. Importa enfrentar a tentação de escolhas aventureiras. Peso político, serenidade, e experiência a lidar com a problemática autárquica, com as dificuldades e o potencial do ciclo que se avizinha, coragem para ajudar e defender mesmo a nível nacional as melhores escolhas de projeto e de protagonistas, e não um mero eixo de transmissão, eis o que se exige do rosto da Distrital do PS. Muitos e importantes apoios se juntaram nos últimos dias a esta candidatura do Eduardo Cabrita, percebendo que os desafios são demasiado grandes, não podemos falhar. Aos militantes , pede-se uma escolha clara, a escolha não pode ser outra, senão aquela que fiz desde a primeira hora, apoiar empenhadamente o Eduardo Cabrita. *Deputado do PS

Festival da Canção, um sonho ou desilusão?

T

empos foram em que Portugal parava para ver o País a ser representado por uma das mais importantes Paixões Lusitanas a música, não a música em geral, mas a música Portuguesa. O futebol era e continua a ser também importante, mas quando se falava de ouvir a nossa bonita língua a ser transformada em balada, aí sim o País parava. Era um dos grandes acontecimentos do ano, o Festival da Canção, era um momento que se aguardava com muita expectativa. O nosso coração palpitava só de ouvir a grande Simone de Oliveira, a linda Madalena Iglésias e claro a voz do senhor António Calvário, a 2 de Fevereiro de 1964 no estúdio do Lumiar, com o objectivo de escolher pela 1ª vez, o candidato de Portugal ao Concurso Eurovisão da Canção criado em 1956. Recordo-me de em Criança ficar colado ao televisor e o orgulho que eu sentia era imenso e, claro a fé e esperança de vencermos todos os anos, mas no final era sempre a mesma desilusão. Mas o que é que falhava? Seria a Língua? Seria a Canção? Hoje em dia a desilusão é maior, pois não é questão de ficarmos desapontados com os resultados mas sim o facto de banalizarmos e desvalorizarmos o Festival, não darmos qualquer importância nessa matéria. Entristece-me verdadeiramente, mas o sentimento para mim, continua o mesmo e continuo a aguardar todos os anos o concurso com a mesma expectativa que outrora sentira, sempre na esperança de vencermos. Onde andam os nossos Rui Veloso, Jorge Palma, Pedro Abru-

Rui Espírito Santo*

nhosa, todos os nossos grandes músicos Portugueses? Será possível que com tantos e excelentes músicos não teríamos o talento de criar uma música capaz de deixar o mundo de queixo caído? É inacreditável ver países sem a cultura musical que Portugal

«Era dos grandes acontecimentos do ano. Um momento que se aguardava com muita expectativa...E o coração palpitava só de ouvir a grande Simone de Oliveira...»

tem, a todos os níveis, ter e ficar em melhor classificação. Nós, que fazemos de momentos palavras e as cantamos, País que nasce do Fado, o nosso fado e que hoje é Património da Humanidade, não termos capacidade de mostrar que somos capazes de criar uma “ Canção para a Europa “, como o Festival se chamou em 1976 e o ridículo que é se ter transformado não naquilo que a música representa, mas sim ser cantada numa língua que todo o mundo entenda, quebrando assim a importância que é mostrar a cultura de um país. Desculpem o meu sarcasmo, mas ver e ouvir a nossa vizinha Espanha, a Roménia e a Albânia a cantar Inglês e mesmo até ficar entre os primeiros, é a mesma coisa que o Chefe Português José Avillez ir a Itália para apresentar um prato Português e cozinhar uma Pizza Quatro Estações... por favor!Urgente, Músicos com coragem precisam-se! *Comerciante

Errata

Notas Físcais

Prémios Xavier Santana

ficha técnica Director: Raul Tavares; EditorChefe: Joaquim Guerra; Redacção: Anabela Ventura, Bruno Cardoso, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Dinis Carrilho. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910-564 Setúbal. Tel.: 265 538 819 (geral); Fax.: 265 538 819. Email: redaccao. semmais@mediasado.pt; publicidade.semmais@mediasado. pt. Administração e Comercial: Tel.: 265 538 810; Fax.: 265 538 813. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98

3

Doações

O

Imposto do Selo é o imposto mais antigo do sistema fiscal português, criado por alvará em 24-12-1660. Este imposto, incide sobre todos os actos, contratos, documentos, títulos, papéis e outros factos previstos na Tabela Geral, incluindo as transmissões gratuitas de bens, como assim o refere o Art.º 1 do Código de Imposto de Selo, sob a epigrafe “incidência objetiva”. Quer isto dizer que, as doações, regra geral, estão sujeitas a imposto de selo. Importa assim, expor aqui em traços gerais, o conceito de doações para efeitos fiscais.

Paulo Janela pjjanela@gmail.com

Desde que exista tradição de valores patrimoniais de uma pessoa para outra, sem qualquer espécie de contrapartida económica ou fiduciária por parte daquele que a recebe, existe transmissão de bens sujeita a tributação, independentemente do meio ou acto jurídico que porventura titule essa tradição. Ou seja, em sede de direito tributário, releva mais o conceito naturalístico e económico da transmissão que a correspondente qualificação jurídico-civilista. Dito de outro modo, o que importa para efeitos fiscais é o conceito económico de doação, esta que se traduz, fundamentalmente, numa transmissão

gratuita de bens sem que releve a existência de contrato. Na verdade, existindo, uma transferência económica de um património para o outro, a título gratuito, não pode deixar de incidir o imposto de selo. Assim, nos casos em que os Sujeitos Passivos viram o seu património enriquecido sem que estivessem obrigados a qualquer contrapartida, verifica-se enriquecimento real e efectivo do seu património e configura-se numa transmissão (independentemente da forma da mesma), a título gratuito, logo, sujeita a imposto. * Inspector Tributário

Na última edição, no artigo sobre a entrega de prémios da CVRPS, referimos, por lapso, que a casa Xavier Santana havia ganho o título de Melhor Vinho Branco, quando a distinção foi para o Melhor Vinho Tinto. Refira-se também que esta empresa vitivinícola ganhou três prémios e não apenas um como foi escrito na referida peça. Titulos trocados Por lapso, na fase final de produção da última edição foram trocados os títulos dos artigos de opinião. O titulo do artigo de Mário Cristovão devia ser: “Novos desaios...” e o de Valdemar Santos deveria ser: “Delícia de Secretas”. Apresentamos as nossas desculpas aos visados e aos leitores.


4

Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

Actual

Distrito precisa de 37 médicos para um total de 56500 horas O Ministério garante que o concurso já foi aberto e a ideia é contratar empresas pelo valor mais baixo possível. No ranking da falta de médicos, a região ocupa o quinto lugar entre os distritos mais carenciados. Estrangeiros já são 10%

:::::::::::: Roberto Dores ::::::::::::

DR

O

s números são revelados pelo Ministério da Saúde, numa altura em que a tutela tenciona recorrer à contratação de empresas de prestação de serviços para responder à falta de médicos na região: O distrito de Setúbal necessita actualmente de um total de 37 clínicos para fazerem frente a um défice de 56500 horas de trabalho anual. Contratar empresas pelo valor mais baixo possível é a prioridade do concurso que já abriu. Setúbal é hoje o quinto distrito do país menos carenciado de médicos, de acordo com o levamento realizado pelo Ministério da Saúde. Contudo há, ainda assim, valências que estão entre as prioridades do Governo - como Oftalmologia, Ginecologia, Obstetrícia e Pneumologia - que pretende agora recorrer à contratação de empresas de prestação de serviços, apontadas como sendo a solução para este problema. Aliás, os serviços partilhados do Ministério da Saúde

Os médicos não concordam com um concurso que pretende colocar clínicos indeferenciados

já lançaram um concurso, garantindo ser esta a forma de garantir médicos ao mais baixo custo, sendo que, no caso do distrito de Setúbal os clínicos – médicos não especialistas - iriam auferir mais de 140 mil euros mensais, à ordem de um máximo de 25 euros por hora e sete horas por dia, em 22 dias de trabalho por mês, se entrassem nos quadros das respectivas unidades pelo

critério para a adjudicação da prestação de serviços é o valor mais baixo. Uma medida que está a desagradar aos representantes dos médicos da região, que já começaram a alertar para a “ameaça à qualidade do serviço nas urgências”, sobretudo, devido à chamada de médicos indiferenciados, que não permitem um trabalho de equipa.

Serviço Nacional de Saúde. A data limite para entrega das propostas por parte das empresas é o dia 12 de Julho, prevendo o concurso que por cada um dos três distritos alentejanos possam ser seleccionadas, no máximo, cinco entidades. Diz o regulamento que o contrato é válido por um ano, mas poderá mesmo ser renovado até um máximo de três, sendo que o único

O número de médicos estrangeiros está a aumentar anualmente nas unidades de saúde do distrito, representando, nesta altura, mais de dez por cento dos clínicos com autorização para exercer em Portugal, segundo avançou a própria Ordem dos Médicos. A tendência aumentou nos últimos seis anos, sendo que a maioria dos profissionais são oriundos de Espanha. Um fenómeno que se explica com a proximidade geográfica. Segundo a Ordem, além dos cidadãos provenientes do país vizinho que encontraram trabalho nos hospitais e centros de saúde portugueses, também se constata hoje uma significa afluência de médicos de outros países da União Europeia (UE). É que todos os clínicos que tenham tirado o curso em universidades

da UE podem registar-se sem realizar testes adicionais, uma medida que é transversal em toda a Europa. Também do Brasil começam a chegar v á r i o s profissionais ao distrito, so-

bretudo devido à maior facilidade de comunicação, embora os clínicos extra-comunitários tenham de se submeter a um processo mais complicado até que consigam ver reconhecidas as suas competências. Um dos parâmetros que tem de ser preenchido recai sobre o pedido de equivalências a uma universidade nacional, sendo que só depois desse requisito estão habilitados a registarem-se na respectiva Ordem.

Cenário já está em cima da mesa do Ministro da Saúde, Paulo Macedo

Presidente da autarquia acusa Governo «de estar a dizimar o serviço de saúde». Fecho da infecciologia e neurologia na cidade está previsto em estudo da Entidade Reguladora da Saúde. O PRESIDENTE da Câmara Municipal do Barreiro está contra a proposta de encerramento das valências de neurologia e de infecciologia do Hospital Nossa Senhora do Rosário, prevista na Carta Hospitalar traçada pela Enti-

Semmais

Barreiro contesta encerramento de valências do hospital

Proposta da ERS propõe fecho de neurologia e infecciologia

dade Reguladora da Saúde (ERS) e que já está nas mãos do Ministro da Saúde, Paulo Macedo. Em declarações ao Semmais, Carlos Humberto considerou que a medida, a confirmar-se, é mais um «profundo ataque político por parte do Governo» que vai «acentuar a falta de resposta da prestação do serviço público na área da

saúde, dificultando a vida da população». O autarca acrescenta que se o Governo enveredar pelo que a ERS propôs estará a «distanciar-se do que representa o Serviço Nacional de Saúde, cuja lei consagra o princípio da prestação de cuidados globais de saúde a toda a população, que deve ser salvaguardado pelo

Estado». «O Governo está a dar prioridade a critérios economicistas em detrimento da garantia e da qualidade da prestação de cuidados de saúde à população», desabafa. O edil barreirense alerta ainda para o crescente «desfasamento» entre a falta de investimento na área da saúde e o aumento da despesa assumida pelos utentes, «cada vez mais elevada e com uma prestação que se apresenta precária, apesar do enorme esforço dos profissionais da área». Os números da OCDE, tal como acrescenta, são bem elucidativos disso: a despesa pública na saúde representa 6,3% do PIB nacional e as famílias portuguesas gastam em média 4,2% do seu rendimento no sector. Comparativamente aos países da

OCDE, a despesa pública representa em média 6,6% do PIB, mas as famílias só gastam em média 3,2%. Reorganização só afecta hospital do Barreiro A reorganização hospitalar proposta pela ERS só deverá afectar na região o hospital Nossa Senhora do Rosário, passando ao lado do Garcia de Orta, do Montijo, do Centro Hospitalar de Setúbal e do Hospital do Litoral Alentejano. O estudo em questão foi encomendado pelo Ministério da Saúde para reorganização dos cuidados prestados pelos hospitais públicos. Ao todo, 26 unidades hospitalares, de um universo de 95, deverão perder o internamento nas especialidades de medicina

interna, cirurgia geral, pediatria e infecciologia. Os autores do estudo são mais radicais quanto ao encerramento da valência da neurologia e propõem-na mesmo para várias unidades hospitalares. Também está previsto o fecho de vários blocos de partos um pouco por todo o país. Até ao fecho desta edição não foi possível obter uma reacção do conselho de administração do Centro Hospitalar do BarreiroMontijo. Já a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, igualmente contactada, remeteu esclarecimentos para a ERS e para o Ministério de Saúde, alegando não ter ainda conhecimento do estudo em causa. Bruno Cardoso


Sábado | 9.Jun.2012

Preços no Sado geram revolta A CÂMARA sadina vai pedir um parecer ao Provedor de Justiça e ao IMTT sobre os aumentos da Atlantic Ferries, em especial a cobrança obrigatória a todos os passageiros de um bilhete ida e volta entre as duas margens do Sado. A autarquia acrescenta que as novas formas de cobrança são feitas «também com o objectivo de proceder a uma selecção social, baseada na capacidade económica dos que querem visitar o complexo turístico de Tróia». O município exige, assim, que o Governo intervenha para que seja reposto «o serviço público a que a concessionária está obrigada». Até ao fecho desta edição não foi possível obter comentários sobre este assunto junto da Atlantic Ferries. Pub.

5

www.semmaisjornal.com

Autoridades policiais não têm conseguido travar vandalismo que tem provocado revolta

Edifício da Moderna vale 7 milhões mas está a “saque” O PROPRIETÁRIO do edifício onde funcionou a extinta Universidade Moderna em Setúbal, durante 22 anos, está revoltado com o vandalismo e pilhagens, que já provocaram um prejuízo superior ao milhão de euros dentro e fora do imóvel. Moisés Broder, administrador da empresa imobiliária Incentinveste, considera «vergonhoso» que as autoridades policiais «nada tenham feito» para impedir o actual estado de coisas. Até o corrimão em ferro foi arrancado das escadas. O roubo da porta de entrada principal do edifício foi a gota de água. Os furtos e o vandalismo começaram a rondar a imóvel ainda no tempo em que os donos mantinham a segurança durante 24 horas por dia, mas a partir do momento em que as instalações passaram a ter livre acesso instalou-se o caos. Todo o alumínio, mobí-

lias e fios eléctricos foram roubados . Há computadores, monitores e teclados espalhados pelo chão. A maioria das janelas está sem vidros e Moisés Broder fica de voz embargada quando diz que o edifício, pelo qual pagou três de milhões de euros, «é uma hoje um abrigo para a toxicodependência e a prostituição. Isto é um escândalo e ninguém faz nada, apesar de dezenas de queixas que já apresentámos”, denuncia o empresário. Proprietário sonha recuperar edifício Fonte policial garante que a PSP já tem ido ao local, sempre que há denúncias, tendo já apanhado intrusos no edifício, tratando-se, contudo, de pessoas que não terão furtado bens, embora fizessem fogueiras para se aquecer dentro de casa. Apesar do prejuízo ser já superior ao milhão de

Um cenário desolador e perigoso O pólo da Universidade Moderna funcionou neste edifício durante 22 anos, vindo a ficar inactivo em 2008,após o encerramento compulsivo daquele estabelecimento de ensino superior. Entre os dois pisos, o cenário é desolador, sendo que nem os tectos falsos, escadas ou as portas dos quadros elétricos escaparam

à onde de saque e vandalismo. Porém, depois das pilhagens, algumas feitas com recurso a carrinhas de caixa aberta durante a noite, como testemunharam os moradores da estrada das Machadas – onde se situa o edifício – o que mais preocupa hoje os residentes é a onda de toxicodependência e prostituição que passou frequentar o imóvel.

euros, o proprietário do imóvel ainda sonha poder vir a recuperar o edifício, para novos usos, admitindo que só por isso continua ainda apagar o Imposto Municipal sobre Imóveis às Finanças, sobre um valor matricial de sete milhões de euros. A escritura foi realizada por três milhões, mas a sua reavaliação mais que duplicou o valor. Moisés Broder revela que a Incentinveste já equacionou ali criar um outro pólo universitário ou uma unidade hospitalar para pessoas acamadas, mas são apenas hipóteses em equação: «Vamos tentar encontrar mais algumas soluções. Temos alguns especialistas a ajudar-nos e talvez haja uma saída nos próximos tempos, apesar desta crise comprometer, para já, qualquer investimento.» Roberto Dores


6

Sábado | 9.Jun.2012

DR

Empreitada ascende a 11,5 milhões de euros e deverá deixar de cara lavada aterro de Santo André. A Águas de Santo André adoptou um conjunto de medidas para garantir o sucesso do projecto. A ÁGUAS de Santo André (AdSA) prevê que a remoção das lamas oleosas originadas pela actividade do complexo petroquímico de Sines esteja concluída até ao final do ano de 2013, colocando assim um ponto final num passivo ambiental com trinta anos. Ao todo são cerca de 140 mil as toneladas que se encontravam armazenadas em doze bacias do aterro de Santo André e que agora serão encaminhadas para os Centros Integrados de Recuperação, Valorização e Eliminação de Resíduos Perigosos (CIRVER) da Chamusca. A empreitada começou no final do mês de Janeiro e foi adjudicada, ainda durante o decorrer do ano de 2011, ao consórcio EGEO – Tecnologia e Ambiente, S.A./SISAV – Sistema Integrado de Tratamento e Eliminação de Resíduos, S.A./Carmona

– Sociedade de Limpeza e Tratamento de Combustíveis, S.A.,/ Lena Ambiente – Gestão de Resíduos S.A. O contrato, segundo avança a empresa, tem a duração de 95 semanas e, além de incluir a remoção das lamas, pressupõe o saneamento dos solos, com posterior encaminhamento para destino final licenciado. Após a remoção das lamas do local, está prevista a recuperação e reabilitação da zona, através da execução de terraplanagens e da reflorestação do espaço com espécies autóctones da zona. Na prática, este investimento ascende a 11,5 milhões de euros, co-financiado pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional

Confinamento das lamas começou em 1982 As lamas oleosas oriundas do complexo petroquímico sineense começaram a ser confinadas no aterro de Santo André há precisamente trinta anos, em 1982. Na altura, as oito bacias, construídas pelo Gabinete da Área de Sines, armazenavam ainda as lamas provenientes da ETAR de Ribeira dos Moinhos. As restantes quatro bacias foram construídas em 1996 e 2000, pelo INAG, perfazendo assim um total de 12 bacias. Em Janeiro de 2005 encerrou-se a recepção de lamas para clientes.

(QREN), ao abrigo do Programa de Valorização do Território (POVT), e pelo Fundo de Intervenção Ambiental (FIA)do Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, tutelado por Assunção Cristas. AdSA adopta acções de monitorização Para garantir que a empreitada decorra sem sobressaltos, a Águas de Santo André adoptou um conjunto de acções de monitorização, nomeadamente ao nível do material removido, do estado das águas subterrâneas na envolvência das bacias e dos solos da zona basal de cada bacia e de observação da qualidade da água subterrânea no sistema aquífero de Sines. Ainda com o objectivo de minimizar os impactos dos trabalhos de remoção actualmente em curso, a empresa está a garantir a adequação das operações de transporte às condições de aceitação dos resíduos no destino final e respectivas características físicoquímicas, a manutenção e lavagem dos veículos e equipamentos, a limpeza regular dos acessos e a colocação de kits anti-derrame/extintores nos veículos de transporte dos resíduos perigosos. A remoção dos resíduos perigosos do aterro era uma reivindicação antiga entre a região.

Presidente da CCDR garante que CostaPolis não vai ser liquidada O PRESIDENTE da CCDR/LVT, Eduardo Henriques, já garantiu aos deputados do PSD do distrito que a sociedade CostaPolis não será liquidada durante o seu mandato, apontando ainda o objectivo de completar a primeira fase da intervenção até 2013. O programa Polis para a Costa da Caparica, no concelho de Almada, foi lançado em 2001, prevendo-se a sua conclusão para 2006. Contudo, passado o dobro do tempo apenas um quarto do projecto foi executado. Nuno Matias, deputado do PSD, critica a opção do modelo de financiamento do projecto defendida pelo anterior Governo PS, porque este «não garantia a sua execução até ao fim, dependendo apenas da alienação de terrenos». «Este é um projecto estruturante para o concelho e para a região, que permite requalificar todo um espaço gerador de desenvolvimento», defende. Todavia, lamenta que «já se estejam a lançar informações falsas para a opinião pública dizendo que a Sociedade CostaPolis vai ser liquidada, o que não corresponde à verdade». Nuno Matias diz que é preciso ter «realismo e objectividade» para repensar o modelo de financiamento para o futuro, de modo a que o Polis da Costa da Caparica

DR

Lamas de Santo André removidas até 2014

www.semmaisjornal.com

Eduardo Henriques

possa ser «uma realidade e um motor de desenvolvimento» para o concelho de Almada. «Temos a percepção de que até ao final de 2013 este projecto, na sua globalidade, será impossível de concretizar, sendo importante que o mesmo possa continuar sobre a forma desta sociedade ou de outra solução que venha a ser encontrada, algo que não foi excluído pelo presidente da CCDR/LVT», realça. Para António Neves, presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica, o programa Polis tem que avançar, pois caso isso não aconteça, será extremamente prejudicial. O autarca espera que seja encontrada uma solução para que as intervenções que ainda faltam possam ser concluídas. «Se este modelo já não serve, há que encontrar outro. Este é um projecto essencial», realça António Neves.

Fuzileiros vigiam praias da região

RSI ‘dispara’ no nosso distrito

DEZENAS de militares do Corpo de Fuzileiros da Marinha Portuguesa estão, desde o início deste mês a prestar apoio na segurança das praias não vigiadas. A presença dos ‘fuzas’ nas praias durante toda a época balnear decorre da implementação da operação dos meios complementares de socorro atribuídos às capitanias de porto pelo Instituto de Socorros a Náufragos. Nestas acções, e até ao dia 30 de Setembro, estarão envolvidos um total de 80 fuzileiros com a missão de assegurar a vigilância e assistência a banhistas. Os militares envolvidos receberam formação específica de Nadador Salvador e de técnicas especiais de operação dos meios em contexto de segurança balnear. Também para garantir a segurança dos veraneantes, a Volkswagem ofereceu, esta semana, 25 viaturas Amarok ao Instituto de Socorros a Náufragos para o patrulhamento das praias de acesso mais difícil.

O DISTRITO de Setúbal é o terceiro do país com maior número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI). Actualmente 25.257 pessoas recebem este apoio governamental. Os dados constam do boletim estatístico de Maio do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério da Solidariedade e Segurança Social (MSSS), numa lista encabeçada pelos distritos do Porto e de Lisboa. O documento indica, ainda, que o número de beneficiários do RSI, mais do que triplicou no primeiro trimestre de 2012, comparando com o último trimestre do ano anterior. De acordo com os dados divulgados esta semana, entraram no sistema mais de 11 mil pessoas entre Janeiro e Março de 2012. Nos primeiros três meses do ano, o Estado gastou 107 milhões de euros com o RSI, mais 5% do que o ano passado.


Sábado | 9.Jun.2012

7

www.semmaisjornal.com

Novo destacamento da GNR em Palmela reflecte ‘olhar’ sobre segurança da região ::::::::::::::::: Bruno Cardoso ::::::::::::::::::

O

«O MAI devia fazer o que lhe compete» O terreno em questão foi adquirido pela Câmara Municipal de Palmela por quase 100 mil euros e cedido ao MAI, através de um protocolo celebrado em 2008 entre ambas as partes. A empreitada é inclusive da responsabilidade da autarquia, que preparou o concurso, adjudicou a obra e se prepara para fiscalizar os trabalhos. Confrontada com a possibilidade de este modelo de parceria ser copiado para projectos futuros, Ana Teresa Vicente é peremptória ao afirmar que «cada entidade deve fazer aquilo que lhe compete». «Naturalmente que não íamos deixar cair a obra, até porque o ideal é transmitir mais segurança

Miguel Macedo e Ana Teresa Vicente satisfeitos pelo projecto sair do papel

às populações de Palmela e mais condições de trabalho à GNR», afirma. Apesar de se escusar a adiantar quais os investimentos na área da segurança previstos para o futuro, Miguel Macedo disse esperar que o Governo

inicie «em breve um conjunto de obras em todo o país em parceria com as câmaras municipais e com recurso a fundos comunitários, de modo a ver melhorados alguns aspectos negativos actuais entre as forças de segurança».

Distrito reforçado com 180 elementos em 2011 O Ministro da Administração Interna garantiu que a admissão de novos elementos para a GNR e PSP vai continuar este ano e nos seguintes, depois de as forças de segurança da região terem sido reforçadas em 2011 com mais 180

profissionais. «A título de exemplo, na GNR, estão actualmente em formação cerca de 500 elementos, o que é bem elucidativo da prioridade que este Governo tem dado no reforço da segurança a nível nacional», refere Miguel Macedo.

A PRESIDENTE da Câmara Municipal de Setúbal garantiu, uma vez mais, que a inauguração do Fórum Luísa Todi se mantém para o próximo dia 15 de Setembro, apesar de novas complicações relacionadas com a subida do nível das águas estarem a atrasar a obra. Em resposta na última reunião de câmara a Fernando José, vereador do PS, Dores Meira acrescentou que, «se fosse necessário», o município abriria apenas a sala do Fórum para acolher o Festróia, «para que não se gastasse mais dinheiro na aquisição de uma tenda», à semelhança do que já aconteceu em anos anteriores. A autarca não precisou ainda se a ABB, empresa a quem empreitada foi adjudicada, já tinha pedido à câmara municipal uma prorrogação do prazo de conclusão da obra, nem se esta o tinha aceitado, mas salientou que é desejo do município «inaugurar o Fórum Luísa Todi num dos dias maiores da cidade, o 15 de Setembro». Ainda sobre este assunto, Carlos Rabaçal, que tutela as Obras Municipais, recorda que as obras na infra-estrutura têm sofrido constantemente com a subida do nível das águas, dado que «o nível freático no local é muito inconstante». «Tal como em todas as obras de outros edifícios, o Fórum Luísa Todi tem sofrido vários problemas e imprevistos e o mais recente está relacionado com o aparecimento de água num local novo, depois de se terem contido as águas ao nível da cave», sublinha.

Fotos: DR

Ministro da Administração Interna não tem dúvidas de que a construção do novo destacamento territorial da GNR em Palmela poderá fortalecer a resposta futura das forças de segurança no distrito. Durante o lançamento da primeira pedra da infraestrutura, Miguel Macedo congratulou-se pelo facto de os índices de «criminalidade não estarem a subir na região de Setúbal», mas deixou o desafio aos elementos da GNR e PSP para que consigam «responder aos novos desafios impostos pela criminalidade», mediante o «desenvolvimento de política pró-activas que protejam os mais jovens e idosos», os grupos etários considerados mais frágeis e alvo fácil dos criminosos. A presidente da Câmara Municipal de Palmela acompanha o membro do Governo na leitura, mas recorda que o município tem lutado desde pelo menos 2006 para que o novo destacamento seja construído. «Os três postos da GNR no concelho são manifestamente insuficientes e o de Palmela funciona em condições muito exíguas, sentindo constrangimentos por estar no centro histórico», refere Ana Teresa Vicente, convicta de que a nova infra-estrutura poderá agora elevar a resposta prestada

junto dos cidadãos, com mais meios e homens. O novo destacamento da GNR de Palmela, orçado em 1,5 milhões de euros, tem capacidade para albergar até 125 elementos e obedece a um modelo de referência fornecido pelo próprio MAI. A construção tem o prazo de um ano. A infra-estrutura está localizada na avenida do Palmelense Futebol Clube, paredes-meias com uma escapatória que permitirá a chegada rápida da GNR à A2 em casos de acidente.

Semmais

Investimento ronda 1,5 milhões de euros e vai elevar para outro patamar segurança em Palmela. Presidente está satisfeita, mas lamenta morosidade do processo.

Fórum Luísa Todi mantém-se para 15 de Setembro

Cerimónia de arranque da Feira

O edil Vitor Proença, com o vereador José Rosado na homenagem a Sónia Matias

Paulo Futre foi um verdadeiro campeão de afectividade com os visitantes

Futremania numa Santiagro que excedeu expectativas SEM bola nos pés nem chartes de chineses, Paulo Futre foi a grande estrela do arranque deste ano da Santiagro, numa edição que foi considerada pela organização como «a melhor de sempre em termos de negócios». Sempre ao lado de Vítor Proença, presidente da Câmara de Santiago do Cacém, O ex-futebolista contagiou miúdos e graúdos, numa vertigem de beijos, abraços, fotografias e autógrafos. «É um espectáculo e ainda por cima é muito

charmoso», balbuciava uma jovem mais afoita após ter conseguido «uma fotografia para o facebook». Futre não se furou a nada. Num frenesim que já é a sua imagem de marca, teve tempo, durante a cerimónia de abertura da feira, para deixar um lembrete aos jovens futebolistas do União de Santiago: «Para jogaram futebol precisam de fazer três coisas: estudar, estudar e estudar». A Santiagro de este ano coincidiu com as comemorações do

seu 25.º aniversário e o cartaz musical, com os Chave D’ouro, Paulo Gonzo e GNR foi de arromba. «O espectáculo de Paulo Gonzo foi um dos melhores de sempre em termos de público, só ultrapassado pelo de Tony Carreira há uns anos atrás», confessou, em jeito de balanço, o vereador José Rosado, responsável pelo evento. Mas todas as outras iniciativas foram bem acolhidas. «Os seminários tiveram casa cheia, o ‘Show Cook (uma das novidades deste

ano) foi um sucesso e a presença do público excedeu as nossas expectativas», enfatizou o autarca. E em termos económicos o balanço é igualmente positivo, já que, segundo José Rosado, «a feira obteve o maior sucesso de sempre», mesmo atendendo ao contexto de dificuldades que o país está a atravessar, sendo que a zona de restauração contou com uma grande afluência e o espaço dos ovinos e caprinos registou um número elevado de leilões que entusias-

maram os expositores e geraram «muitos negócios». Nem faltou a tourada, em que a cavaleira Sónia Matias foi homenageada, e que arrastou um multidão de indefectíveis. Recorde-se que a 25.ª Edição da Feira Agro Pecuária e do Cavalo, realizada pela Câmara de Santiago do Cacém deu grande destaque ao trabalho desenvolvido pelas coudelarias alentejanas, sendo que a coudelaria de Santa Margarida foi também alvo de uma homenagem.


8

Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

Política

Manuela Ferreira Leite bem humorada deu aula em Setúbal

Madalena Alves Pereira e Eduardo Cabrita vão defrontar-se nas urnas, no próximo dia 15, entre as 17 e as 23 horas. Em disputa está a presidência da Federação Distrital de Setúbal do PS e a sucessão de Victor Ramalho. Ambos os candidatos prometem projectar e dignificar o PS, ‘injectar’ sangue novo no partido e lutar por um bom resultado nas autárquicas de 2013. Semmais - O que ficou da campanha para a distrital? Madalena Alves Pereira - Foi promovido um debate muito bom com os militantes, a vários níveis. Esta reflexão contribuiu para dinamizar o partido e os militantes com vista a prepararmo-nos para as eleições autárquicas de 2013. Eduardo Cabrita – Faço um balanço muito positivo da minha campanha. Sempre tive uma boa relação com os militantes e esta campanha permitiu mobilizar autarcas, mulheres e jovens para unir o PS; credibilizar e reforçar a nossa intervenção no debate político regional; e afirmar o papel do partido como voz da esperança e do futuro da região. Qual a principal diferença dos dois projectos? MAP - A minha candidatura aposta no processo de rejuvenescimento que pretendo introduzir no partido. Temos gente nova que pretende alterar Pub.

um conjunto de procedimentos. EC - Destaco a minha forte ligação aos militantes, a determinação, a coerência e a garantia de que não desistirei perante qualquer adversidade. Quero projectar o PS na região e no País. Todos me conhecem, não sou um candidato local ou paroquial. Que posição irá assumir em caso de vitória ou derrota? MAP - Eu deposito grandes e fortes expectativas na vitória. Caso venha a perder as eleições só terei de ser uma militante empenhada em trabalhar. EC – Conto com todos os militantes para ser eleito o presidente de todos os socialistas. Se não vencer o acto eleitoral prometo trabalhar em prol da afirmação do partido. Expectativas para o Congresso do dia 30, em Setúbal? MAP - Antevejo um momento de intenso debate e de reflexão, no auditório da Anunciada, para que no final o PS saia muito coeso em torno dos seus objectivos e dos sérios desafios que tem pela frente. EC - Espero que seja um momento de afirmação do meu projecto, um caminho para a vitória nas autárquicas de 2013 e o reforço para a construção de uma alternativa progressista na região e no País.

Ajuda «necessária, mas tardia» Manuela Ferreira Leite defendeu que a ajuda internacional foi «necessária, mas tardia» e considera que o «tratamento estabelecido a Portugal foi igual ao de todos os outros países» não tendo havido o cuidado de verificar e ajustar as medidas às especificidades da estrutura social e produtiva do país. «Somos um país pobre», referiu, «com uma estrutura produtiva assente nas pequenas e médias empresas que, por norma, não resistem a determinados momentos de austeridade. As medidas aplicadas tiveram efeitos arrasadores nas nossas PME’s e o crescimento da taxa de desemprego não é mais que o resultado de muitas empresas que estão a fechar». E são estas as

razões, segundo Ferreira Leite, que demonstram que «a receita da troika está errada porque está a atingir a classe média que é quem paga impostos e a impedir o crescimento de quem produz e realiza riqueza». Para a antiga ministra das finanças, as reformas que estão a ser aplicadas na consolidação das contas públicas vão fazer aumentar a recessão porque, embora seja «absolutamente necessária, a consolidação orçamental não traz crescimento, antes pelo contrário». E, apesar de considerar que as medidas impostas podem ser as que estão a ser aplicadas, Manuela Ferreira Leite avisa que «o tratamento pode ser este, não pode é ser tratamento de choque e tem de ser reajustado» e desafia o governo a aproveitar a credibilidade conquistada com as consecutivas avaliações positivas da tróika para «tentar um tratamento mais compatível e menos duro».

Limões, ruído e fumo de viatura mancharam “Café Com…” Carmona CARMONA Rodrigues, ex-Ministro das Obras Públicas e ex-presidente da Câmara de Lisboa, marcou presença na acção “Café Com...”, da autoria do vereador do PSD na Câmara do Seixal, Paulo Edson Cunha. A iniciativa, que decorreu na esplanada de uma conhecida pastelaria de Miratejo, na noite da passada terça-feira, contou com a presença de cerca de cem pessoas e ficou ‘manchada’ por diversos incidentes. A PSP teve de ser chamada ao local por causa dos limões e outros objectos que foram atirados para a esplanada, e do barulho e poluição de uma viatura, que durante largos minutos provocou transtornos à iniciativa, que teve a duração de duas horas. Estes incidentes levam Paulo Edson Cunha a comentar: «São pessoas que não estão habituadas a viver em comunidade». Carmona Rodrigues, que dá aulas na Faculdade de Ciências Técnicas, no Monte da Caparica, dissertou sobre o Plano Director Municipal, o ambiente, finanças

Semmais

Madalena e Cabrita em nome da ‘rosa’

partido e o governo não queiram falar do assunto eu falarei sempre».

CÁUSTICA e com sentido de humor. Foi assim que Manuela Ferreira Leite se apresentou aos militantes social-democratas de Setúbal num encontro que pretendeu assinalar o primeiro aniversário do PSD nas eleições legislativas. O encontro subordinado ao tema “Consolidação, crescimento e coesão” contou também com a presença de Jorge Moreira da Silva, vice-presidente do PSD, e Maria Luís Albuquerque, cabeça de lista por Setúbal nas últimas legislativas e tinha como objectivo discutir o actual estado do país e os desafios para o futuro. Muito crítica em relação ao «tratamento proposto pela troika», a ex-líder laranja não deixou também de lançar farpas ao actual governo por não falar sobre «o estado a que o país chegou graças à irresponsável governação do PS», adiantando que «mesmo que o

O vereador Paulo Edson com Carmona Rodrigues

públicas e das enormes potencialidades da baía do Seixal. Assumiuse como independente e afastado da vida política, mas não descartou a possibilidade de avançar para um novo projecto. O “Café Com…” arrancou há cerca de um ano e meio e, segundo Paulo Edson Cunha, está cada vez mais «a crescer» em termos de envolvência da população. José Cesário, actual secretário de

Estado das Comunidades, Maria de Mercês Borges, deputada e ex-Governadora Civil do Distrito de Setúbal, bem como o deputado Nuno Matias, já passaram pelo “Café Com…”. A próxima iniciativa inclui um arraial e está agendada para o dia 7 de Julho, no quartel dos Bombeiros da Amora, com a finalidade de angariar fundos para estes ‘soldados da paz’.


Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

Colégios de referência do distrito de Setúbal

Ensino privado do distrito lidera ranking nacional de escolas Os colégios privados do distrito têm-se mantido no topo do ranking nacional dos melhores estabelecimentos de ensino secundário. Trata-se de um orgulho para uma região que tem crescido de forma sustentado os rácios demográficos, como provaram os últimos Censos. No ranking de 2011, o Colégio St. Peter’s School, o Externato Frei Luís de Sousa, o Colégio Campo de Flores, Colégio do Vale e, o Colégio Atlântico e também o Colégio Guadalupe (que não foi possível participar a tempo do fecho desta edição) estão entre as 30 melhores instituições de ensino, numa lista com mais de 600 escolas de todo o país. A manutenção nos lugares cimeiros do ranking do Ministério da Educação muito se deve à qualidade do ensino ministrado nestas

escolas de excelência que servem muitos milhares de alunos do distrito e cuja aposta no futuro corresponde a milhões de euros de investimento ao longo dos últimos anos, em áreas funcionais, equipamentos e na qualidade do ensino e dos planos extra-curriculares. As diferentes abordagens que o Semmais tem feito ao trabalho desenvolvido por estes estabelecimentos de ensino ao longo dos últimos anos, prova que a gestão e a superior qualidade pedagógica e do corpo docente são instrumentos vitais para estas performances. Recorde-se que no ranking nacional surge, também anotada a qualidade do ensino público, com a Escola Secundária de Bocage, em Setúbal, em 93º lugar, logo seguida pela secundária Manuel da Fonseca, em Santiago do Cacém.

Distribuir ou Seleccionar Alunos... Havia a legitima expectativa e a leitura do preâmbulo do Despacho n.º 5106ª/2012, do MEC, assim o pressagiava, que já no próximo ano lectivo viessem a ser consagradas medidas concretas para que os pais pudessem passar a escolher a escola dos seus filhos, pelo menos, dentro do universo das escolas públicas. Mas basta uma leitura ao referido Despacho, para nos apercebermos que “ainda não será desta”. É certo que o princípio é claramente afirmado, o que é de louvar. Mas, na prática, muito pouco acontece. O Estado continuará a distribuir os “seus” alunos pelas escolas, pouco alterando, de facto, o enquadramento atual e continuando a prevalecer em Portugal o critério - administrativo e injusto para os menos informados- do zonamento. Se este compasso de espera em pouco altera a capacidade de escolha dos pais, importa aqui relevar a opção potencialmente negativa de atribuir às administrações escolares a capacidade para fixar critérios de acesso às suas escolas no caso de excesso de procura face à capacidade. De facto, em várias alíneas são reconhecidas “ Outras prioridades e ou critérios de desempate definidos no regulamento interno da escola ou do agrupamento...”. Ou seja, as administrações escolares vão ter a capacidade de estabelecer critérios de acesso e de desempate, uma disposição altamente negativa que exigirá um rigoroso controlo por parte do MEC, sob pena de, ao contexto de colocação burocrática de alunos, que já de si não beneficia os menos favorecidos, vermos somado um sistema de escolha de alunos pela escola. Esta é tanto mais negativa, quando surge no actual momento de reorganização das escolas em mega-agrupamentos, propiciando uma inaceitável estratificação “legal” dos alunos pelas escolas do agrupamento. Impõe-se recordar o exemplo dos pais Nova Zelandeses que recusaram um sistema burocrático e centralizado, impulsionando uma reforma educativa com escolha da escola, que permitiu melhor as aprendizagens da população mais desfavorecida do país. Esta autonomia abriu espaço ao desenvolvimento de um sistema de avaliação de alunos e de professores inovador e que merece os mais rasgados elogios da OCDE, em clara oposição à recente análise do nosso sistema de avaliação de desempenho, considerado inadequado face aos desafios da sociedade contemporânea. Na Nova Zelândia, em caso de sobrelotação, não são as escolas que escolhem os alunos que recebem, procede-se a um sorteio público e transparente onde todos têm igual oportunidade de acesso à escola que escolheram como sua primeira opção. Fórum Para a Liberdade de Educação


Sábado | 9.Jun.2012

II

Política

www.semmaisjornal.com

Colégios de Referência

Externato Frei Luís de Sousa tem uma história com 55 anos

O Externato Frei Luis de Sousa, na sua longa história de cinquenta e cinco anos, teve e tem grandes responsabilidades na intervenção pedagógica e educativa das crianças e jovens da comunidade de Almada. É com grande prazer, dedicação e responsabilidade que procuramos dirigir esta instituição privada, promovida pela Igreja Católica da Diocese de Setúbal. No espaço geográfico e social, onde está situada, contribui para a liberdade de aprender e ensinar, respeitando os direitos dos pais de assegurarem a educação e o ensino dos seus filhos em conformidade com as suas convicções. O Externato Frei Luís de Sousa nasceu de uma vontade dos almadenses que não queriam ver seus filhos,

terminado o ensino primário, dirigirem-se para Lisboa, para continuar os seus estudos, ainda mais que, não havendo ainda ponte, a travessia do rio Tejo tinha que ser feita de barco numa viagem nada fácil, principalmente de Inverno. O Patriarcado de Lisboa pensou, e bem, apoiar essa pretensão e em 8 de outubro de 1956 abriu as portas do Externato aos alunos que encheram de imediato as classes de ensino primário bem como dos 1º e 2º anos do liceu. Daí para a frente foram abrindo os anos subsequentes e, durante cerca de uma década, esta escola foi o único estabelecimento de ensino liceal, na então vila de Almada que contava à época com cerca de 50000 habitantes. Em 1965 abriu o ensino infantil e em 1966 passou a

funcionar no Externato, para além do ensino normal, um posto da Telescola com o seu curso unificado. Foram várias décadas em que milhares de alunos daqui saíram para o ensino superior e para a vida ativa sempre com este sentimento de pertença a uma instituição onde a tradição e a competência são a mais valia de todos os que entraram para a “Família Frei”. Situado no coração de Almada o Externato Frei Luís de Sousa procurou sempre caminhos que possibilitassem uma educação com sentido para todos os seus alunos, implicando-se permanentemente na difícil tarefa de formação e sociabilização dos seus aprendentes. Foi assim que soube crescer e evoluir, adaptandose aos novos tempos, às novas realidades, sem nunca

Pub.

“55 Anos de boas Práticas” www.freiluisdesousa.pt

Fotos: DR

Ensino de qualidade em nome do aluno

O auditório é uma das mais-valias do Externato para os alunos e para a comunidade

deixar de assumir o compromisso de ajudar a construir uma sociedade aberta em que o exercício da cidadania é sustentado pelos valores da justiça, da tolerância, da verdade e da liberdade. Trata-se, por conseguinte, de uma escola detentora de um espírito aberto, que procura sempre desenvolver nos seus alunos os quatro pilares da educação referidos no relatório Delors: “aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver juntos”. É apostando num acompanhamento pedagógico personalizado e contínuo que o Externato se propõe ajudar a desenvolver tais competências, pondo para isso ao serviço da comunidade um ensino moderno que preconiza a formação integral do aluno desde o berço – CRECHE, passando pelo ensino PRÉESCOLAR, ENSINO BÁSICO - 1º, 2º e 3º Ciclos, até à saída do aluno do ENSINO SECUNDÁRIO (Cursos Cientifico-Humanísticos) diretamente para a Universidade. Atualmente, o Externato funciona com 700 alunos distribuídos pelos diversos ciclos de ensino. O nível etário dos aprendentes situa-se entre os quatro meses e os dezoito anos de idade. Os alunos são provenientes de vários extratos sociais com predominância de famílias do setor de serviços. A maioria destas famílias reside nas localidades que circundam o Concelho de Almada. Os alunos são maioritariamente de origem portuguesa, contudo, a escola integra também alguns alunos de outras origens culturais (Europeus, Africanos, Asiáticos, etc. …). Para além disto, existem cerca de 80 agentes educa-

Os amplos espaços de recreação fazem as delicias dos mais pequenos

Dispomos de um ensino moderno que preconiza a formação integral do aluno desde o berço até à saída directamente para a Universidade”

tivos distribuídos entre pessoal docente e pessoal não docente. Sendo uma escola católica, de inspiração humanista, pretendemos que a nossa instituição seja aberta a todas as convicções políticas e credos religiosos, potenciando nos alunos uma atitude positiva perante a vida e um espírito aberto ao mundo. Com uma relação pedagógica humanizada, queremos desenvolver nos alunos uma cidadania participada e uma atitude criativa transformadora da realidade, assim como aprofundar o sentido crítico e construtivo face

à globalização dos acontecimentos, isto de forma a conduzir à formação integral dos alunos numa estratégia de desenvolvimento personalizado. O ensino secundário do Externato Frei Luís de Sousa conta com cerca de 70 alunos e os objetivos deste nível do ensino visam a integração do currículo e da avaliação, assegurando que esta constitua elemento regulador do ensino e da aprendizagem. Igualmente relevantes na prática pedagógica deste ciclo é a transversalidade da educação para a cidadania e da valorização da língua e da cultura portuguesas em todas as componentes curriculares. Um outro princípio orientador da organização e gestão do currículo do secundário é o favorecimento da integração das dimensões teórica e prática dos saberes, através da valorização das aprendizagens experimentais nas diferentes disciplinas. É neste ambiente de educação - alunos, família, educadores – que fundamentamos o nosso trabalho de modo a desenvolver uma verdadeira comunidade educativa, hoje e sempre, “do berço à universidade“.


Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

III

Colégios de Referência

Colégio St. Peter´s School volta a ser coroado com a Excelência Educativa A caminho dos 20 anos de existência, o colégio St. Peter´s School, em Palmela, que aposta no ensino bilingue, orgulha-se de ser uma referência educativa no País e na região. A directora Isabel Simão mostrase plenamente satisfeita pelo esforço e trabalho desenvolvido neste projecto educativo onde reina a excelência, o rigor, o carácter humanista e a ambição de crescimento.

a universidades no estrangeiro, sem terem necessidade de fazer provas sobre o Inglês. Isto é extraordinário e é um ganho muito grande para os alunos que estudam no nosso colégio.

cativa, uma outra instituição ligada apenas à educação. O IAPMEI também já nos distinguiu pela nossa consolidada gestão. Estes reconhecimentos demonstram que estamos a trabalhar na rota certa

A mudança das instalações para Palmela era inevitável?

A nível de rankings dos melhores resultados, a nível nacional, ficam sempre colocados entre os melhores…

Semmais - Que balanço faz do ano lectivo 2011/2012?

Por que lema se rege a vossa instituição?

Isabel Simão - Faço um balanço positivo, sempre com muito trabalho. Trabalhar em educação é, todos os dias, um desafio e ultrapassar barreiras e objectivos cada vez mais ambiciosos. Quando se trabalha com gosto, vão-se conseguindo resultados. Nunca estamos satisfeitos. Pensamos que no ano seguinte temos de fazer um pouco mais, mas isso faz parte do próprio desafio que é o ensino.

O nosso lema é imperativo que seja sempre de carácter humanista. Os alunos aprendem a ter uma visão humanista do Mundo, a serem voluntariosos, solidários e moralmente dignos, porque nos tempos que correm é preciso haver jovens com este espírito. A sociedade está muito competitiva. Confunde-se muito a competitividade com o atropelar e o passar por cima dos outros, o não saber olhar para o lado nem a deitar a mão a quem necessita de ajuda. O Mundo está de candeias às avessas e este colégio tem a missão de despertar nos jovens outro tipo de valores.

Há quantos anos estão a trabalhar no terreno e quem esteve na origem da criação do colégio? No próximo ano completamos 20 anos de existência. Esta instituição foi fundada por mim e pelo meu marido, Armando Simão. Este colégio deu os primeiros passos em Setúbal, onde se manteve durante cinco anos. O nosso sonho era pôr de pé um projecto que fizesse educação assente em pilares diferentes daqueles que já existiam no ensino público, sempre acreditando que era possível fazer mais, melhor e diferente. Além disso, sempre acreditámos no ensino bilingue. A aprendizagem de uma língua, além da materna, deve começar tão cedo quanto possível, e foi isso que esteve na génese deste projecto. O resultado está à vista. Os alunos que começaram a aprender Inglês no Jardim de Infância, quando chegam ao 12.º ano são fluentes e certificados na língua, e são também candidatos

Sim, devido à falta de espaço em Setúbal. Estávamos instalados no centro da cidade, num prédio que espartilhava a ampliação. A ideia era mesmo crescer porque tínhamos muita procura. E foi isso o que se fez, em boa hora.

Sim, é verdade. A nível do secundário (11.º e 12.º anos), costumamos ficar colocados entre as primeiras dez/ vinte escolas, a nível nacional. Na região temos ficado sempre em primeiro lugar. Só se conseguem estes excelentes resultados com muito trabalho e empenho da parte de todos nós. Isto dá prestígio ao colégio, cativa novos alunos e reforça o trabalho da equipa pedagógica.

Que tipo de ensino é ministrado no St. Peter´s School? É ministrado um ensino que tem programas e manuais próprios, desde o Jardim de Infância até ao 12.º ano. Além do que é solicitado pelo Ministério da Educação, em termos curriculares, fazemos depois uma adequação desses programas. A componente inglesa é muito forte no colégio e os alunos acabam por ter duas escolas numa, a parte inglesa e a portuguesa.

Pode dizer-se que é um projecto que se sente realizado? Quando se trabalha com crianças e jovens, nunca dá a obra acabada nem perfeita. Pensamos sempre que podemos ir mais longe, apesar de termos a consciência que desenvolve-

Das actividades extra-curriculares quais são as mais procuradas?

No nosso colégio os alunos aprendem a ter uma visão humanista do Mundo e a serem mais solidários” mos um trabalho muito sério. Queremos fazer sempre mais e melhor. A crise tem passado ao lado do St. Peter´s School? Em termos de tempo passado e presente, posso dizer que não temos razões para nos preocuparmos. Não sei o que vai acontecer no futuro. Sempre facilitámos os pagamentos àquelas famílias mais aflitas, desde que sejam casos pertinentes. Dos eventos anuais que costumam realizar, quais os que dão mais prestígio ao colégio? Além do Family Day, da Festa de Natal e do Open Days, temos a parte artística e desportiva sempre presente em eventos que vão decorrendo no Cine-Teatro S. João, em Palmela. Devo dizer que o feedback da parte dos pais

tem sido extraordinário. O mais recente Family Day foi de uma adesão brutal, com 3 200 pessoas a virem assistir, com entusiasmo, aos trabalhos criativos dos filhos. Esta boa adesão torna o Family Day num megaevento. Quer destacar os principais prémios que já conquistaram? Por pertencermos a organizações internacionais e por marcarmos presença em congressos vamos apresentando trabalhos e recebendo distinções. Há cerca de um mês fomos distinguidos com mais um prémio de Excelência Educativa, no VI Prémio Sapientiae de Excelência Educativa, da Organização das Américas para a Excelência Educativa (ODAEE), localizada no Brasil. Do Conselho Ibero Americano também recebemos o prémio de Excelência Edu-

Pavilhão desportivo a aguardar parecer do município O pavilhão gimnodesportivo, um sonho antigo, que começou a ser ‘desenhado’ há cerca de quatro anos, já foi aprovado pelo Instituto do Desporto. Falta apenas ‘luz verde’ do município palmelense, cuja decisão final está dependente do Plano Director Municipal, dado

que se trata de um projecto com alguma envergadura, que nos permite criar um auditório com 1 300 lugares. «É um espaço do interesse público. Claro que não iríamos virar as costas ao concelho onde estamos inseridos. São coisas que já não dependem de nós, mas sim

da edilidade. As coisas estão bem encaminhadas mas não conseguimos ver luz ao fim do túnel. É uma questão de aguardarmos», salienta Isabel Simão, que reconhece tratar-se de «uma mais-valia e de um projecto que vem reforçar a oferta desportiva da instituição».

Ténis, Râguebi, Futebol, Judo, Piano, Hip-Hop, Danças Contemporâneas… No total, temos cerca de 40 actividades. Várias personalidades têm passado pelo colégio. Qual o objectivo desta aposta? Já cá tivemos Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo Portas, Lobo Antunes e Gentil Martins. Estas figuras públicas proferem palestras alusivas a temas de grande importância para os nossos alunos e pais. Pretendemos que os pais e os alunos sejam informados sobre temas diversos da actualidade. E também cá estudam muitos campeões? Quer salientar os mais relevantes? Sim, sim. No último Family Day prestámos homenagem à nossa aluna do 12.º ano, Ágata Swietkewicz, que se sagrou campeã nacional de Judo. O Pedro Figueiredo, um atleta de renome internacional no Golfe e que está a estudar nos Estados Unidos, também passou por cá, desde o Jardim de Infância até ao 12.º ano. O Râguebi também fez aqui grandes campeões, que hoje estão no Benfica e no CDUL. Quantos alunos, professores, funcionários e salas de aula? No nosso colégio estudam 1 014 alunos e trabalham 203 funcionários, dos quais cerca de 130 são docentes. Temos 43 salas de aula, todas dotadas de quadros inter-activos e de computadores, além de vários laboratórios e salas específicas. Estamos sempre muito à frente.


Sábado | 9.Jun.2012

IV

www.semmaisjornal.com

Colégios de Referência

Colégio Campo de Flores sempre a crescer O Colégio Campo de Flores, localizado na Caparica, na altura em que celebra 45 anos de actividade, prepara-se para inaugurar o seu complexo desportivo, uma mais-valia para toda a comunidade educativa. Em carteira consta o sonho de abertura das valências de creche e berçário. O novo recinto desportivo do Campo de Flores, localizado em Lazarim, além do pavilhão já existente, é constituído por campos de Voleibol, Basquetebol, Futebol, Andebol e ténis, e de pistas de atletismo e de salto em comprimento. O investimento ronda os 400 mil euros e a cerimónia oficial está marcada para o dia 14 de Outubro. «Este recinto é uma mais-valia para todos. Vamos passar a ter uma área pedagógica e de lazer muito importante para a prática desportiva. Os espaços existentes apresentavam alguma ocupação, pelo que decidimos criar este novo complexo», sublinha o sócio-gerente João Rafael, filho dos fundadores. Um novo bloco para o ensino secundário, um auditório com bar e uma nova sala polivalente para artes Pub.

plásticas, um novo centro de recursos para os alunos do pré-escolar e do 1.º ciclo e a aquisição de um novo terreno que veio a duplicar a área para o colégio são algumas das mais recentes infraestruturas do Campo de Flores. Só nos últimos 4/5 anos o investimento em infraestruturas rondou os 2 milhões de euros. «O grande investimento para o futuro vai passar pela continuação do desenvolvimento da componente humana, nomeadamente em métodos pedagógicos e no potencial da nossa equipa de trabalho», refere João Rafael. O crescimento deste projecto, de raiz familiar, ao longo dos anos, tem sido uma constante. Embora tenha arrancado com o pré-escolar e o 1.º ciclo, o colégio Campo de Flores, hoje com o 12.º ano, tem alcançado «um

grande sucesso» na comunidade, opina o sóciogerente. «O colégio não só cresceu em termos de estruturas físicas, mas, essencialmente, em termos de projecto, muito vivo e dinâmico ao nível do processo de aprendizagem, das metodologias que lhe são associadas, no acompanhamento que é dado aos alunos e a uma grande adaptação às mudanças do Mundo, que vai exigindo de todos nós uma atenção muito significativa para agirmos sobre essa mudança, para sermos bons líderes profissionais e cidadãos eticamente referenciais”. E finaliza: «Estamos a trabalhar cada vez melhor, temos cada vez mais a dar à nossa comunidade e ao nosso País». Em termos de actividades extra-curriculares, o Campo de Flores dispõe de

Guitarra, Órgão, Violino, Piano, Ballet, Artes Plásticas, Basquetebol, Coro, Bateria ou Baixo Eléctrico, Arte Dramática, Expressão Corporal, Karaté, Voleibol, Hip-Hop, Natação, Alemão, Dança, Patinagem Artística e Desportos Gímnicos. Além destas actividades, o colégio valoriza também a educação financeira e a educação sexual. O maior evento da instituição é a tradicional festa de Natal. Metodologia personalizada, exigente e rigorosa O Campo de Flores, fundado por Ricardo Almeida e Maria Helena, que começou a funcionar com 150 alunos, tem nos dias de hoje perto de mil alunos, 70 professores, 60 funcionários 50 salas de aula, desde o pré-escolar até ao 12.º ano.

O lema do colégio é “Mais Saber, Mais Valer”, uma vez que o conhecimento, não só académico como ao nível da formação humana, traz «um valor acrescentado às pessoas». «Queremos ter alunos academicamente muito competentes e, ao mesmo tempo, pessoas muito equilibradas, que é o que faz falta no mundo do trabalho», vinca, sublinhando que em termos de metodologia, o trabalho do

colégio assenta no «acompanhamento do aluno tão cedo quanto possível no seu desenvolvimento académico e humano, de forma a agirmos a tempo para que o seu crescimento seja harmonioso e de excelência. Depois temos de ser exigentes e rigorosos com os nossos colaboradores. Por último, apostamos numa avaliação contínua para que possamos acompanhar o progresso dos alunos».

O sonho da creche e berçário O berçário e creche, para 70 crianças, poderá ser a próxima aposta do Campo de Flores. «Temos sido muito solicitados pelos pais dos alunos, que têm outros filhos mais novos noutras instituições. Vamos trabalhar para isso, sempre com investi-

mento próprio», conta João Rafael, que espera ver essa realidade no novo terreno, repleto de pinhal, adquirido pela instituição. A falta de estacionamentos é o grande transtorno do colégio, o qual tem sido esquecido pelo planeamento municipal.


Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

V

Colégios de Referência

A educação será uma janela para sair da crise? A opinião generalizada de qualquer pai é que investir na educação é apostar no futuro, mas qual a aposta que dá garantia e esperança de ser a resposta adequada ao futuro que hoje se cria? Todos sabemos que o mundo é dos audazes ou não tivéssemos nos nossos genes a epopeia dos descobrimentos, mas para afirmarmos o nosso lugar no mundo, qual é a educação de hoje? Qualquer resposta seria muito extensa o que não se enquadra nas características deste artigo, no entanto, nesta reflexão atrevo-me a soltar algumas pontas que, no meu ponto de vista, num mundo constantemente em mudança, podem ser dinamizadoras da educação atual: - A diversidade de projetos ao alcance de todos os alunos e famílias. - Projetos educativos claros e com informação disponível, que permita a opção educativa. - A competitividade como fator de melhoria.

- A aposta na cidadania e força da iniciativa individual capaz de criar projetos educativos de excelência. - A escola inclusiva capaz de encontrar projetos que correspondam à formação de cada aluno. Ora então qual é o ponto de partida da situação atual? 1. Uma escola pública pesada e centralizada, sem autonomia, pouco eficiente, “afogada” em normativos, que lhe retiram a frescura vital capaz de entusiasmar professores, alunos e fazer da educação uma verdadeira paixão. A gestão das escolas sofre a desconfiança da tutela, tudo é contratualizado, até a própria autonomia, com o argumento que são dinheiros públicos que todos têm que saber onde se gastam, mas não haveria outra forma, por exemplo, analisando e acompanhando os resultados escolares mas confiando na escola? O sistema público de educação não promove a iniciativa individual de alunos e profes-

sores essencial ao sucesso num mundo dinâmico como é o atual. 2. Uma escola privada que tenta estar à altura, com projetos de referência e bons resultados escolares, mas só ao alcance de alguns, pois os pais têm de pagar a educação do seus filhos. Como a crise também afeta estas instituições, está a diminuir o seu número de alunos, pois os pais não conseguem pagar as mensalidades, os colégios estão a realizar um grande esforço tentando baixar os custos e reduzir os valores a pagar. O cenário de cheque escolar, já em vigor, em muitos países do norte da Europa, é uma miragem porque qualquer decisão política esbarra no “não há dinheiro”. Na educação, a exemplo da crise, haverá algum caminho a descobrir? Na fase em que nos encontramos, estão a ser realizados estudos, para saber qual é o custo por aluno, em cada nível de ensino e o cheque escolar é, na minha opinião, o caminho certo para uma

António Pereira* escola que deve prestar contas, ser dinâmica, moderna e competitiva. O processo criava um direito dos pais intervirem de uma forma mais efetiva porque “eu estou a pagar o ensino do meu filho nesta escola”, nomeadamente nas públicas, porque nas privadas já isso acontece. O controlo do sistema era mais eficiente e menos dispendioso pois dispensava, em grande parte a tutela, era feito pelos pais e tinham sempre opção de trocar de escola, se a escola não correspondesse ao investimento que estavam a fazer. Mas num país em crise onde está o dinheiro para o cheque escolar? O caminho faz-se caminhando… Numa primeira fase, essa modalidade de financiamento podia ser implementada em zonas do país onde são necessárias mais escolas e em vez se construírem escolas públicas, com o respetivo financiamento inerente, abrir-se-ia espaço também à resposta privada. Nas escolas públicas é fácil estabelecer o cheque escolar só

O caminho da educação pode não ser o mais imediato, mas é o mais seguro porque dá os melhores frutos a longo prazo

é preciso dar autonomia às escolas, nas privadas, numa fase inicial, poder-se-ia aplicar por nível de ensino, para evitar o que está a acontecer neste momento, muitos alunos dos colégios, como os pais não têm dinheiro para pagar, estão a matricular-se nas escolas públicas, o que vai contribuir para a sua sobrelotação. As escolas aderentes a este programa tinham a obrigação de ser inclusivas não podendo excluir ou selecionar alunos. O caminho da educação pode não ser imediato, mas é o mais seguro porque dá os melhores frutos a longo prazo. *Director do Colégio Atlântico

Colégio Atlântico de espírito inovador Com instalações modelares, a instituição tem consolidado o seu desenvolvimento de forma sustentável. O último investimento de 4 milhões de euros vai garantir mais inovação num colégio em que a construção individual de cada um dos alunos é o grande trunfo. O que é o Projecto Atlântico? O projecto do Colégio Atlântico é a melhor construção individual de cada um em todas as vertentes. Se pedir a um aluno mais velho para lhe fazer uma visita guiada pelo colégio, poderá ver e sentir empreendedorismo, autonomia e solidariedade. Esse é o grande feedback que normalmente todas as pessoas levam do Colégio Atlântico. Aqui os alunos desfrutam de tudo o que uma escola deve realmente ser, um espaço onde possam ser felizes e consigam aproveitar ao máximo as suas capacidades. O Projecto Atlântico está concebido para desenvolver a liderança, a iniciativa e a inteligência emocional das crianças e que será tão importante para o futuro destas. Para tudo isto são disponibilizadas as melhores ferramentas aos alunos em várias áreas, como por exemplo, artes e cultura, novas tecnologias e desporto. Este projecto já tem 30 anos de história e provas dadas reconhecidas pelos pais e alunos, tanto que já temos cá no colégio muitos filhos de antigos alunos. Recentemente inauguraram novos espaços, o que nos pode dizer deste investimento? Construímos mais um edifício de três

pisos. Este novo bloco congrega 12 salas de aula, sala de estudo e de professores, a academia de música dos anjos, piscina e um pavilhão polidesportivo. No total o investimento rondou os 4 milhões de euros e pensamos que será um acréscimo de valor, não apenas para o colégio mas também para a comunidade. A juntar a estas novas instalações temos ainda os outros dois blocos onde ficam os laboratórios e o auditório do colégio. Actualmente temos mais de 800 alunos que vão desde a Creche até ao 9ºAno, para próximo ano lectivo iremos abrir mais 3 novas turmas e muito provavelmente, a médio prazo, iremos também alargar ao ensino secundário. Vivemos um período de ajustamento e grandes reformas estruturais. Na vossa opinião, qual o caminho a seguir para a educação em Portugal? Sabe, recentemente estivemos num congresso organizado pela AEEP na Finlândia e na Suécia, e tivemos a oportunidade de ver de perto o sistema de ensino nórdico, acreditamos que esse será o melhor modelo a adoptar. Neste modelo do chequeensino, continua a existir o serviço público gratuito, contudo este pode ser prestado por escolas públicas ou particulares, o poder de escolha é dos

pais. É importante para os cidadãos saberem e decidirem para onde vão os seus impostos. É um modelo que pode gerar mais valor para a sociedade e promover a liberdade e a igualdade, já que as escolas teriam de competir apenas pela diferenciação dos projectos educativos e pela qualidade. Segundo estudos da OCDE o Estado gasta anualmente mais de 5000 euros por aluno nas escolas públi-

cas, aqui no nosso colégio a anuidade nunca ultrapassa os 3500 euros, com resultados superiores, ou seja, a rendibilidade é muito maior. Se adoptarmos este modelo é uma estratégia onde todos ganham, ganha o ministério com a redução substancial na despesa, ganham os pais pela liberdade de escolha e aumento de qualidade e por fim ganham as escolas públicas e particulares,

porque poderão finalmente dedicar-se ao que realmente interessa que é o ensino e competir entre elas. Obviamente sabemos que a implementação será difícil, mas a Nova Zelândia conseguiu fazer a mesma reforma num ano e agora já estão no top 10 no ranking PISA, por cá só temos de nos unir e focarmo-nos naquilo que realmente queremos para o nosso futuro.


Sábado | 9.Jun.2012

VI

www.semmaisjornal.com

Colégios de Referência

Colégio do Vale com ensino exigente que O Colégio do Vale é uma instituição que defende um ensino exigente e de qualidade, sustentado num ambiente de afetos e estimulante para a aprendizagem. Somos pelo rigor e pela criação de laços. Procuramos desenvolver em cada criança as suas capacidades intelectuais, emocionais e relacionais e acreditamos na Família como principal pilar da educação. Mais do que garantir as receitas estandardizadas para ultrapassar determinados e previsíveis obstáculos, o Colégio procura promover em cada aluno o desenvolvimento do espírito crítico, da capacidade de raciocínio e da resolução de problemas, de forma a criar os mecanismos facilitadores de estratégias que permitam uma resposta eficaz, qualquer que seja o desafio. Defendemos que o treino da capacidade intePub.

lectual produz cidadãos mais conscientes, mais observadores, que procuram com optimismo as respostas possíveis para cada obstáculo que possa surgir. Mais do que a memorização e a aplicação rígida de conceitos ou reprodução mecânica de conhecimentos, procuramos que o aluno se questione, avalie, crie soluções. Uma sociedade que se limite a aprender o que lhe é transmitido, é uma sociedade estagnada e é por isso que, no Colégio do Vale, logo desde o jardim-deinfância, se procura envolver os alunos na sua própria aprendizagem, promovendo o «aprender fazendo», através da participação em múltiplos e diversificados projetos. Ao longo do corrente ano letivo, por exemplo, os nossos alunos já participaram em vários concursos de âmbito nacional (Concursos Literários,

Olimpíadas da Matemática, Olimpíadas do Ambiente e de Física/Química) e em muitos outros projetos, nomeadamente um que envolvia a criação de maquetes para a descoberta de novas formas de recolha das energias renováveis. No próximo dia 6 de junho, um grupo de alunos irá participar também na final nacional do «Entre Palavras», que se realiza em Braga, com um projeto que pretende dar resposta à crise financeira e gestão familiar de recursos. Acreditamos que, desta forma, as crianças e jovens deste Colégio crescem e aprendem inseridos no seu contexto social e cultural, podendo deixar nele o seu contributo, promovendose a consciência da importância de aprender, de viver em sociedade e de estar preparado para o futuro. A partir da máxima «mente sã em corpo são», o Colégio do Vale aposta

também fortemente no desporto. A prática do desporto regular ou mesmo de alta competição, contribui não só para a dinâmica de um trabalho de equipa como promove a persistência, o rigor e a concretização de determinados objetivos, favorecendo a capacidade de concentração e de raciocínio. Assim, muitos são os alunos deste Colégio que se destacam em diversas áreas (futebol, atletismo, basquetebol, ténis, natação, etc.), investindo num espírito de competição saudável que, consequentemente, concorre para o desenvolvimento de personalidades mais ativas, mais interventivas e mais focadas nas suas metas. Trabalhando de forma determinada, muitos foram os torneios, campeonatos ou corridas nos quais os nossos alunos se destacaram, alcançando frequentemente lugares no pódio

e conquistando muitas medalhas, equilibrando o velho ditado «o que importa é participar» com a importância de desenvolver nos alunos deste Colégio, a persistência, a dedicação, a ambição e o espírito de competição saudável. Sempre em busca da optimização de cada um dos nossos alunos, de forma consistente e global, também procuramos promover nas nossas crianças / adolescentes a sua aptidão natural para as artes e o seu espírito de criatividade, levando-os a participar frequentemente em concursos onde se divulga os seus trabalhos (textos, desenhos, fotos ou trabalhos de expressão plástica). Recentemente, no âmbito da comemoração dos 50 anos da publicação dos Direitos da Criança, o Colégio do Vale ganhou o concurso de ilustração e viu os trabalhos dos seus alunos expostos na Assem-

bleia da República e na brochura ilustrativa da Declaração dos Direitos da Criança. Uma outra aposta do Colégio do Vale é o seu Núcleo de Teatro, que conta atualmente com 35 elementos. Todos os anos, este grupo apresenta uma peça original de teatro que é representada dentro e fora do Colégio. No passado dia 5 de maio, o nosso grupo de Teatro esteve presente no Fórum Romeu Correia, (integrado no Festival de Teatro Inter-Escolas), com um espetáculo de música, dança e representação intitulado «Os meus vizinhos são aliens», trabalho que mereceu o aplauso e admiração de muitos espetadores alheios ao Colégio. Regozijamo-nos igualmente com o facto de alguns atores a nível amador e profissional terem começado a pisar o palco no Colégio do Vale e, consequentemente, é com muita alegria que


Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

VII

Colégios de Referência

temos vindo a acompanhar a progressão das suas carreiras. Com efeito, para nós, cada aluno é parte da nossa história e nenhum adolescente deixa de fazer parte da grande família do Colégio a partir do momento em que é finalista e segue o seu rumo. Os nossos ex-alunos continuam a visitar-nos, o que nos permite acompanhar os seus percursos, as suas lutas, os seus sucessos. Orgulhamo-nos de poder informar que, muito em breve, teremos a nossa Associação dos ex-alunos do Colégio do Vale, projeto que vimos desenvolvendo com muito entusiasmo. Para nós, cada aluno não é apenas um número, pois todos são diferentes e cada um representa um desafio sem receitas ou fórmulas de sucesso formatadas. A prática, a competência e a experiência pedagógica da nossa equipa Pub.

docente, procura centrarse sempre no aluno, visando a sua valorização pessoal, social e a sua realização profissional futura. Somos rigorosos, exigentes, incutimos nos nossos alunos o sentido de responsabilidade, o ritmo de trabalho, a consciência de que são eles os principais agentes da sua própria aprendizagem, mas, simultaneamente, oferecemos um apoio constante a esse crescimento, num contexto de afetos que fomenta a aprendizagem pelo prazer de aprender, pela curiosidade que desperta, pelo envolvimento na tarefa. Orgulhamo-nos de ser um Colégio que não recebe qualquer subsídio do Estado, pois entendemos que todos os apoios devem ser concedidos às famílias e não às escolas. Todos os alunos que queiram aprender e se sintam motivados para um percurso escolar de

DR

promove a formação e os afectos

A instituição é uma das que incentiva a participação dos encarregados de educação

trabalho e de sucesso são bem-vindos ao Colégio do Vale. Os testes de admissão que realizamos são apenas diagnósticos e não de seleção, uma vez que precisamos saber que tipo de trabalho deverá ser reali-

zado com o aluno que chega pela primeira vez ao Colégio. Se o aluno tiver bastantes dificuldades, isso apenas representará um desafio maior para nós, mas nunca será um fator de exclusão. O nosso objetivo

é evidenciar, em cada um, o melhor de si. Desejamos que todos os alunos cheguem o mais longe possível, façam o seu melhor, sabendo que as metas não são iguais para todos, mas que todos

poderão chegar bem longe! E é com grande alegria que, 20 anos após o nosso primeiro ano letivo, começamos a receber de braços abertos os frutos das sementes que lançámos nessa altura, pois os filhos de muitos dos nossos ex-alunos frequentam o Colégio de Vale. Sementes que ajudámos a germinar, que trilharam os seus próprios percursos, que vão vencendo os seus desafios e que depositam em nós a sua confiança como agentes participantes no crescimento dos seus bens mais valiosos. Julgamos que não há melhor forma de reconhecimento do nosso trabalho e portanto é nosso objetivo que o Colégio do Vale, para além da Instituição de Ensino que é, continue a ser um elo forte e seguro para as gerações vindouras. www.colegiodovale.pt


Sábado | 9.Jun.2012

VIII

www.semmaisjornal.com

Creches e Ensino Básico

A nova creche está implantada num edifício modelar e representou um investimento de 1,6 milhões de euros. O projecto aposta na qualidade 1,6 milhões de euros investidos na qualidade do ensino, nas vertentes de creche e pré-escolar, num empreendimento baptizado Voar Mais Alto, fazem da Associação Baptista Shalom uma das instituições mais importantes nesta área, na região de Setúbal. A inauguração da creche, preparada para acolher 81 crianças, realizou-se no dia 1 de Junho, com a assinatura do protocolo com o Instituto de Segurança Social. O novo equipamento de três pisos que vem criar 40

postos de trabalho, está instalado em terrenos oferecidos peça Câmara de Setúbal, na zona do Vale Ana Gomes, e é ambientalmente sustentável. As águas sanitárias são aquecidas através de painéis solares, estando garantida a produção de energia por intermédio de painéis fotovoltaicos; a cozinha está preparada para confeccionar e apoiar a cantina social da instituição, na Rua Moinho do Frade, bem como para famílias que pretendam levar comida pronta para casa. Outra forma de rentabilizar o novo espaço prende-se com a lavandaria/engomadoria, que está preparada para prestar estes serviços às famílias. Na iluminação interior é privilegiada a luz natural.

DR

Associação Baptista Shalom inaugura creche Voar Alto

Um edifício modelar e funcional No mesmo edifício vai funcionar também a valência de ATL, a realizar

Joaquim Moreira na sessão de boas vindas e com a directora do CRSS, Ana Birrento, e com a presidente da Câmara de Setúbal Dores Meira

nas férias grandes, e a vertente de pré-escolar, preparada para acolher 75 crianças a partir de Setembro. Ainda assim, falta o acordo com a Segurança Social para esta valência, diz Joaquim Moreira, o presidente da associação, que não entende porque é que ainda não foi firmado o protocolo, uma vez que o Ministério da Educação «já deu

o seu acordo». Uma situação que poderá «pôr em causa a sustentabilidade» do empreendimento, afirma. O novo edifício para creche e pré-escolar da Associação Baptista Shalom foi comparticipado em 571 mil euros pelo programa Pares, tendo mais de metade do total do investimento sido garantido através de empréstimos bancários à instituição.

Segunda edição do Dia Aberto O sucesso da iniciativa Dia Aberto às Famílias, realizada em Maio, levou a instituição a repetir a actividade, estando prevista para este sábado mais uma visita de pais e encarregados de educação às instalações recém-inauguradas. Satisfeito com a adesão dos visitantes, no primeiro evento, Joaquim Moreira faz um

balanço «muito positivo» e lembra que o objectivo é levar os pais e encarregados de educação a visitarem a instituição e aferirem, no local, a qualidade e excelência das instalações e do serviço educativo, um projecto modelar protagonizado pela creche e pré-escolar Voar Mais Alto. Pub.

DR

Projecto exemplar do Educa a Brincar

O colégio está implantado num edifício com três pisos

O Colégio Educa a Brincar é uma instituição particular que entrou em funcionamento em Setembro de 2002. Está sediado num edifício de três pisos construído de raiz, com as condições essenciais para uma boa prática pedagógica, respeitando todas as normas do Ministério de Educação e Segurança Social (alvarás 04/2008, 05/2008 e 07/145. DRELVT) relativas quer à construção, quer ao quadro técnico Propõe-se a desenvolver um projecto de educação que seja expressão da vontade da comunidade educativa e que assente na acção conjunta de famílias e profissionais de educação. Possui uma equipa técnica de pessoal qualificado na área da educação, nomeadamente 5 Educadoras de Infância, 5 Professoras Primárias, uma Psicóloga, 9 Auxi-

liares de Acção Educativa, uma Cozinheira, uma Auxiliar de Cozinha e 9 Professores externos ao quadro responsáveis, pelas actividades extra-curriculares. O projecto educativo foi construído tendo por base as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar do Ministério da Educação nomeadamente na área de formação pessoal e social, na área de expressão e comunicação e na área de conhecimento do mundo. Para além do projecto Educativo anual, o Colégio Educa a Brincar realiza diversas actividades extracurriculares entre as quais psicomotricidade, inglês, natação, informática, iniciação musical, ballet, madscience, educação física e karaté. Todas estas actividades são desenvolvidas por profes-

sores especializados nas áreas envolvidas. Esta instituição está organizada em quatro sectores educativos: creche (dos 4 meses aos 3 anos), jardim-de-infância (dos 3 aos 6 anos), Ensino Básico (1ºCiclo) e A.T.L. (2ª Ciclo). No total estão em funcionamento onze salas distribuídas pelas quatro valências: três salas de creche, três salas de jardim de infância, quatro salas de Ensino Básico e uma sala de A.T.L. Para além das salas de actividades, o Colégio Educa a Brincar possui ainda alguns espaços comuns disponíveis a ser utilizados pelas diversas salas, como meio de apoio ao desenvolvimento do projecto pedagógico, nomeadamente uma sala polivalente, uma ludoteca, uma horta pedagógica e várias áreas distintas de recreio (coberto, exterior e interior). O Colégio Educa a Brincar está presente na plataforma educativa Weduc (www.weduc.com) com o objectivo de promover a comunicação e dar a conhecer à comunidade parental os trabalhos realizados e as actividades desenvolvidas ao longo do ano lectivo.


Sábado | 9.Jun.2012

9

www.semmaisjornal.com

Anti-stress

Apesar dos cortes Festival de Almada promete

+ Cartaz... Duas gerações de cantores

“Memorial” é um novo espectáculo que junta duas gerações de cantores: Fernando Tordo e Carlos Mendes - cujas composições e interpretações inesquecíveis fazem parte da história musical do nosso país - e Filipa Pais, uma voz inconfundível que pertence a uma nova geração de cantores. Casino de Tróia, | 22h30

A

Sáb.

DR

29.ª edição do Festival Internacional de Teatro de Almada, que decorre entre 4 e 18 de Julho, face à crise económica, foi obrigada, para garantir a alta qualidade do evento, a reduzir o número de espectáculos e a fazer algumas alterações nos preços praticados. Segundo o director Joaquim Benite, a grande meta foi «manter o alto nível artístico do festival, e cremos ter conseguido, uma vez mais, uma programação de excepcional qualidade, superior às de muitas outras edições». E deixa um alerta no ar. «Espero que o público continue a apoiar-nos e a reconhecer o esforço que fizemos para manter o evento almadense, já considerado por muitos como um dos melhores da Europa, no nível de excelência que atingiu». Um dos maiores nomes do teatro europeu, Peter Stein, vai estar em Almada para apresentar “Fausto Fantasia”, com música de Arturo Annecchino e interpretação ao pianno por Giovanni Vitaletti. Trata-se de um recital expressamente criado para o próprio Stein, a partir de excertos da primeira parte da obra-prima

Peter Stein vai apresentar “Fausto Fantasia”

de Goethe. “Que Fazer?”, o espectáculo mais votado pelo público na edição de 2011, regressa ao palco grande, enquanto Ricardo Pais traz “O Mercador de Veneza”, uma recriação em parceria com o Teatro Nacional S. João. O Festival ao Largo e o Theatro Circo são as duas novas parcerias do festival, que este ano co-apresenta diversos espectáculos em salas de Lisboa. Em Almada, além do palco grande da Escola D. António da Costa, o Festival decorre no Teatro Municipal da cidade e no Forum Romeu Correia, num total de 13 palcos.

Ofertas Semmais

Ganhe convites para “O Fantasma da Revista”

Temos convites para oferecer aos nossos leitores para o musical da Academia de Santo Amaro, “O Fantasma da Revista”, da autoria de Miguel Dias. O espectáculo, que tem lotado a sala daquela colectividade alfacinha, tem sido um verdadeiro sucesso de bilheteira e tem proporcionado bons momentos de disposição. Ligue 918 047 918 e peça os seus convites.

Sáb.

9

Recital de piano João Bettencourt da Câmara dá um recital de piano com obras de D. Scarlatti, F. Liszt e Van Beetehoven. Forum Cultural do Seixal | 21h30

Sáb.

9

É urgente o amor O Teatro de Ensaio do Barreiro continua a apresentar a peça “É Urgente o Amor”, de Luís Francisco Rebelo e encenação de Graciano Simões. Oficina Mário Pereira, Barreiro | 21h30

Sáb.

9

9

Histórias da Beira A Estação Teatral da Beira apresenta a peça, integrada na Mostra Internacional de Santo André, “Volfrâmio”, uma história pesquisada naquela região. Auditório de Santo André, S. Cacém | 22h

Qua.

13

Companhia de Bailado A Companhia Portuguesa de Bailado apresenta o bailado “O Corpo, a Natureza e a Máquina”, que dá a ver, de forma simples, a ideia da ondulação do mar, do vento, do ritmo mecânico das máquinas e do voo das aves. Cineteatro S. João, Palmela | 10 e 14 horas. Pub.

Semmais oferece convites para esculturas na areia O 10.º FESTIVAL Internacional de Esculturas em Areia (FIESA) abriu ao público no dia 25 de Maio, este ano alusivo ao tema “Ídolos”. Celebridades como Cristiano Ronaldo, Angelina Jolie, Albert Einstein, Shakira, Beatles entre muitas outras personagens famosas, foram esculpidas no recinto. O FIESA, que decorre em Pêra, no Algarve, reúne, mais uma vez, alguns dos melhores escultores de areia do mundo, que deram forma a 35 mil toneladas de areia, em cerca de 70 cenas dedicadas a personalidades do desporto, da música, do Pub.

cinema, da moda, da ciência, da religião e da política. Nas cenas dedicadas à fé, que retratam desde antigos ídolos a imagens religiosas, destaca-se a imagem de Nossa Senhora de Fátima. Existe um espaço para as crianças fazerem escultura em areia e também, no âmbito da exposição, uma zona que lhes é dedicada, mostrando em areia algumas personagens da fantasia mais populares entre as crianças de hoje, como os Gormitt ou o Mickey Mouse. O FIESA é considerado o maior festival de escultura em areia do mundo, pela

quantidade de areia utilizada, pela dimensão das suas esculturas e pela área por elas ocupada. Pode ser visitado de dia ou de noite, quando as esculturas são iluminadas por jogos de luzes. O festival vai estar aberto ao público até Outubro, funcionando entre as dez da manhã e a meia-noite, durante todo o Verão, e encerrando às 21 horas nos períodos de 25 de Maio a 29 de Junho, e de 16 de Setembro a 25 de Outubro encerra às 20 horas. Temos convites para os leitores visitarem o FIESA. Basta ligar 918 047 918 ou enviar um e-mail para: passatempos.semmais@ mediasado.pt


10

Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

+ Região [ ALMADA ]

[ SEIXAL ]

Liga dos Bombeiros dá prémio Factura electrónica Mercado

Almada vê reconhecido o apoio dado aos bombeiros

DR

CERCA de 30 pescadores de Cacilhas reclamam um local de acostagem para descarga de pescado, depois de

terem sido intimados a abandonar o pontão da Transtejo. A exigência consta de uma resolução aprovada por unanimidade num Tribuna Pública promovida pelo Sindicato das Pescas do Sul, que decorreu recentemente em Almada, em que os pescadores deram um prazo de 15 dias para que lhes seja apresentada alternativa. Os pescadores consideram que a zona da Mutela seria uma boa alternativa, mas não obtiveram resposta ao pedido de audiência que fizeram à “Baía do Tejo.

O Prémio Bombeiro de Mérito é atribuído anualmente, desde 2001, pela Liga dos Bombeiros Portugueses.

Crianças marcham na Avenida

Seixal homenageia dadores O DIA Mundial do Dador de Sangue é comemorado no Seixal no próximo dia 17, na Antiga Companhia de Lanifícios de ArrentelaSeixal. A data pretende sensibilizar a sociedade para a necessidade de sangue e dos seus derivados, bem como festejar junto daqueles que diariamente doam o seu sangue para ajudar outros a sobreviver e viver melhor. «Todo o dador de sangue é um herói» é o lema da campanha deste ano, um mote lançado pela Organização Mundial de Saúde, que reforça a ideia de que cada

É JÁ no dia 12 que as crianças das escolas participam nas marchas, na Praça da Liberdade, pelas 10 horas. No desfile, é apresentado o resultado do trabalho desenvolvido pela comunidade escolar. A iniciativa envolve a comunidade educativa na pesquisa dos temas, ligados às tradições locais, mas também nas adaptações coreográficas e musicais e na execução dos trajes e adereços típicos das marchas populares.

Iniciativa quer voluntários

pessoa pode ser um herói ao tornar-se dador de sangue. Em Portugal a data é assinalada em municípios onde existem associações de dadores, pelo que no Seixal esta iniciativa conta com o apoio da Associação de Dadores Benévolos de Sangue do concelho.

[ SESIMBRA ]

que vai trabalhando, «faz a reflorestação» do espaço. Neste momento, a área tem milhares de árvores e arbustos plantados e dispõe de «uma enorme diversidade de flora e de fauna», elogia, para reafirmar que este é um dos exemplos do esforço que o concelho tem vindo a fazer no sentido da sustentabilidade ambiental.

DR

cisco Luís. A iniciativa contou com duas vertentes, a natural e a intervencionada, de modo a «mostrar que o desenvolvimento de uma região pode e deve ser feito em equilíbrio» e com uma boa gestão do património ambiental. Daí que a autarquia tenha feito questão de, depois de visitada a lagoa pequena, os participantes visitassem a Exploração de areias na Herdade da Mesquita, «um excelente exemplo de recuperação». Segundo conta o autarca, os visitantes ficaram «maravilhados» com o exemplo de protecção ambiental numa exploração que à medida

O ambiente está em alta no concelho sesimbrense

Vereador destaca grandes investimentos No passado, a autarquia, que foi a única do distrito a elabora uma candidatura ao galardão ECO-XXI, ganhou o maior dos prémios, a Bandeira Verde, o que «comprova os investimentos

que temos vindo a fazer nesta área», recorda o autarca. Agora, a câmara sesimbrense quer ir ainda mais longe e promover a criação de uma Área Protegida Local, que inclui o Centro de Interpretativo da Lagoa Pequena, todo o plano de

Uma campanha para todos

A PARTIR de hoje, e até aso próximo dia 23 de Junho, decorre no Seixal a iniciativa Mercado das Histórias. Organizada pelo departamento de Educação da autarquia seixalense, a iniciativa consiste numa feira de troca de livros para crianças. A actividade pretende, segundo o executivo de Alfredo Monteiro, a promoção do livro e do hábito de leitura nas novas gerações. Na feira, ao entregar um livro, as crianças recebem um vale que lhes permite escolher outra publicação para levar para casa e não existe limite de livros a facultar para troca. A entrega de livros decorre desde Maio e até ao final deste mês, de segunda a sexta-feira, no Espaço Júnior da Biblioteca Municipal do Seixal, excepto durante o funcionamento da feira, altura em que a recolha é feita no quiosque criado para o efeito. A feira decorre no espaço exterior do Fórum Cultural do Seixal.

Faltam condições na escola

Câmara quer mais protecção ambiental OS PERCURSOS do Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena foram terça-feira visitados por dezenas de interessados na protecção ambiental, numa iniciativa promovida pela autarquia de Sesimbra para comemorar o Dia Mundial do Ambiente. O objectivo foi «divulgar» aquele espaço, gerido pela autarquia, que disponibiliza visitas a grupos e a escolas de toda a região. «Temos tido visitas de dezenas de escolas do concelho e do distrito, mas queremos divulgar ainda mais esta maravilha da Natureza», afirma ao Semmais o vereador do Ambiente Fran-

dá livros

DR

por ser um documento certificado, é totalmente seguro, confidencial e aceite fiscalmente e serve de recibo após boa cobrança. Após o cu mprimento de todos os procedimentos de adesão, o serviço ficará disponível no processamento seguinte. O utente pode activar ou cancelar o envio electrónico da factura de água a qualquer momento. Este serviço enquadrase no processo de Modernização Administrativa que a Câmara do Seixal tem vindo a implementar nos últimos anos, com o objectivo de prestar ao munícipe serviços de qualidade e de excelência.

DR

a distinção, em representação da edilidade, numa cerimónia que decorreu em finais do mês de Maio, na cidade de Vila do Conde.

Pescadores reclamam local de acostagem

Pescadores de Cacilhas lutam

A PARTIR deste mês, está disponível um novo serviço da Câmara do Seixal: a factura electrónica do consumo de água. Trata-se de um serviço gratuito que disponibiliza as suas facturas de consumo de água exclusivamente através de e-mail. Ao aderir à factura electrónica, as facturas em papel deixarão de ser remetidas por correio e apenas serão enviadas por e-mail, em formato PDF, para a caixa de correio electrónico que indicar no registo. Utilizando este serviço, o munícipe receberá a factura mais rapidamente. Por, outro lado, e

DR

A LIGA dos Bombeiros Portugueses acaba de distinguir o município almadense pelo apoio substancial e permanente dado às três corporações do concelho. A menção honrosa foi entregue durante as comemorações do Dia do Bombeiro. O júri justificou a decisão com ”o apoio substancial e permanente que o município de Almada dá às três associações de bombeiros voluntários do concelho: Almada, Cacilhas e Trafaria”. Rui Martins, o vereador da Protecção Civil, recebeu

água da lagoa, a Mata da Amieira e a frente de mar, num total de 320 hectares. A proposta já está aprovada pelo executivo, seguindo depois o pedido para o Instituto de Conservação da Natureza e a Autoridade Florestal.

A LUTA da autarquia e da população para a reabilitação da Escola Navegador Rodrigues Soromenho ganhou agora mais força, com os deputados do PSD pelo distrito a exigir explicações do Governo. Os parlamentares ‘laranja’querem saber quando é que o Ministério da Educação vai travar a degradação do edifício, e, ao mesmo tempo, alertam para a necessidade de remoção de três pré-fabricados, cobertos com fibrocimento, um produto proibido por ser nocivo para a saúde.


Sábado | 9.Jun.2012

11

www.semmaisjornal.com

[ MONTIJO ]

[ BARREIRO ]

ETAR deu um impulso decisivo para a despoluição do Tejo

O TRABALHO realizado pela Simarsul tem «níveis de excelência» e isso deve-se «à dedicação dos seus trabalhadores». A afirmação é do presidente da comissão executiva da Simarsul, Mineiro Aires, durante visita à estação de tratamento de águas residuais, realizada pela deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Aiveca.

Sublinhando que, apesar da «vicissitudes decorrentes da crise», a empresa «concluiu tudo o que tinha a fazer», Mineiro Aires reforça que os grandes investimentos estão concluídos. «Demos um salto em termos de qualidade ambiental, acompanhámos a Europa e aumentámos os níveis de competitividade

Montijo descobre jovens cineastas

Famílias na protecção ambiental

da região», adiantou, ao manifestar «satisfação pelos passos positivos que foram dados na melhoria da qualidade ambiental». O dirigente recordou que a ETAR Barreiro/ Moita, «a maior» da Siamrsul e a «maior ao sul do Tejo», preparada para receber um caudal de 65 mil metros cúbicos por dia, resultou de um investimento de 38 milhões de euros, sendo 19 milhões da ETAR, não havendo quaisquer derrapagens financeiras. Mariana Aiveca, deputada do Bloco de Esquerda, classifica o contributo da ETAR e das obras realizadas pela Simarsul como fundamentais para a requalificação ambiental da região.

PELO terceiro ano consecutivo, o lançamento da Agenda de Actividades marca a chegada do Verão ao Centro de Educação Ambiental (CEA) do Barreiro. A apresentação da agenda deste ano foi feita pelo vereador do Ambiente Nuno Banza, para quem a iniciativa, vai levar as famílias a usufruírem e protegerem o ambiente, em particular a Mata da Machada e o Sapal do Rio Coina. Nuno Banza afirmou que as actividades de maior sucesso permanecem mas outras há que, a pedido dos participantes, têm vindo a ser integradas, e, desta forma, «fomos complementando a oferta».

DR

DR

Simarsul põe ETAR Barreiro Moita a funcionar a 100%

A temática é o envelhecimento activo da população

NUMA parceria desenvolvida em colaboração com o Centro de Informação Europe Direct da Península de Setúbal, a autarquia de Montijo lançou o concurso de curtas-metragens “Deixate Envolver”. Realizado no âmbito das comemorações do Ano Europeu do Envelhecimento Activo e da Solidariedade entre Gerações, o concurso é dirigido aos jovens da península de Setúbal, entre os 15 e os 25 anos, e pretende sensibilizar esta população para as questões do envelhecimento activo e associar a criatividade e a imagem ao papel activo que os jovens devem desempenhar na sociedade. As obras a concurso devem ser subordinadas ao tema “Deixa-te Envolver”

Giraldes da Silva em privado no Conservatório A Câmara e o Conservatório Regional de Artes do Montijo promovem a iniciativa “Hoje falamos de… Manuel Giraldes da Silva – O poeta e benemérito”, no dia 15 de Junho, a partir das 21h00, no Centro de Documentação do Museu Municipal.

A iniciativa pretende ser uma conversa informal, acompanhada com momentos musicais, sobre a vida e obra do poeta, com o objectivo de dar a conhecer uma figura importante da cultura do Montijo. A conversa servirá para

dar a conhecer o lado mais pessoal do benemérito, num registo de proximidade e de familiaridade, através do qual se pretende estreitar a relação entre os munícipes e a cultura montijense. Manuel Giraldes da Silva nasceu em Pinhal

Novo, em 1888 e faleceu no Montijo em 1974. Escritor autodidacta, poeta e fotógrafo amador, o seu nome foi atribuído à Biblioteca Municipal para homenagear a sua acção como bibliófilo e entusiasta da criação de uma biblioteca pública.

[ MOITA]

TODOS no Parque é o nome da iniciativa lançada, este Verão, pela autarquia de João Lobo com o objectivo de pôr os moitenses de todas as idades a mexer e fazer exercício físico ao ar livre. Exercitar e apanhar ar puro nos diversos parques verdes do concelho é a ideia lançada pela autarquia que promete mobilizar miúdos e graúdos. Este sábado, a iniciativa desportiva decorre no Parque das Salinas, na freuguesia de Alhos Vedros; prevendo-se que no dia 16 de Junho, às nove da manhã, a acção passe para o Parque Municipal da

Moita. Já no dia 23,o Todos no Parque vai animar a população residente nas imediações do Parque José Afonso, na Baixa da Banheira. Além de animar os parques municipais e proporcionar aos munícipes a prática de exercício ao ar livre, a Câmara da Moita pretende, com esta actividade, «contribuir para a criação de hábitos de vida mais saudáveis entre a população». Esta iniciativa conta com o envolvimento dos idosos participantes na iniciativa Movimento Sénior e é aberta à participação de toda a população.

Inclusão no Vale da Amoreira

DR

Câmara leva todos aos parques verdes

Vale da Amoreira é uma das zonas mais intervencionadas

O EXECUTIVO moitense, liderado pelo comunista João Lobo, deu esta semana o ‘sim’ ao Protocolo de compromisso do Contrato Local de Desenvolvimento Social. Com esta decisão, fica

oficializado o acordo celebrado em Abril, entre o Instituto de Segurança Social, a Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros e a Câmara Municipal com o objectivo de promover a inclusão social.

Este programa que visa acções a executar em parceria para combater a pobreza e a exclusão social em territórios deprimidos, surge do convite lançado à autarquia pelo Instituto de Segurança Social, no sentido de dinamizar um contrato local no concelho tendo em conta s necessidades existentes no território. Na sequência deste compromisso, o executivo aprovou também o Plano de Acção do Contrato Local de Desenvolvimento Social. “Entre Nós” é o projecto que se integra no CLDS e tem a Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros como coordenadora local.

que pretende abordar a discriminação baseada na idade e nas mudanças demográficas e estimular a solidariedade intergeracional. Cada candidato só poderá inscrever um projecto a concurso e deve fazê-lo de forma individual. São admitidas obras nas categorias de documentário e de ficção. A duração da curtametragem deverá ser de três a cinco minutos. Ao vencedor de cada categoria será entregue um prémio no valor de 150 euros em material audiovisual. O júri poderá atribuir menções honrosas. As inscrições deverão ser enviadas, juntamente com o trabalho a concurso até ao dia 28 de Setembro, para o Gabinete da Juventude do município.

Pólo da biblioteca em festa A BIBLIOTECA Municipal – Pólo do Vale da Amoreira está em festa até domingo, para comemorar os 22 anos deste equipamento ao serviço da comunidade. São actividades, para todas as idades, que incluem a realização do debate “O Associativismo e a Luta Contra a Sida”, a apresentação do livro “Chão de Kanâmbua”, de Tomás Lima Coelho, uma colectiva de artistas, encontros com o escritores Ivanir Corrêa e Gabriel Raimundo, teatro de fantoches e animação musical.


12

Sábado | 9.Jun.2012

[ SETÚBAL ]

[ PALMELA ]

DR

recorda as fachadas antigas das águas furtadas. O Bairro Santos Nicolau explora o fado e o Independente fala da actividade do mar. O certame apresenta também, extra-concurso, as marchas da APPACDM e de Caneças. A presidente do município, Maria das Dores Meira, deposita «grandes expectativas» na edição deste ano, uma vez que já viu alguns trabalhos «fantásticos, fabulosos e lindíssimos» elaborados quase ao longo de um ano por milhares de pessoas. Na sua opinião, as marchas «prestigiam» Setúbal e as colectividades, apelando a todos para que «não deixem manchar a união, a dinâmica e a solidariedade depositada em torno deste evento que vai continuar a dar cartas». O júri é constituído por Eduardo Marques (presidente), Carlos Mata (cenografia), Maria do Céu Cardoso (cenografia), Gabriela Pelágio (figurino), Ana Carrilho (figurino), Paulo Valente (coreografia), Ana Sobrinho (coreografia), Fernando Paulino (letra), Mário Guerra (letra), Helena Mendes (música) e Irlinda Viegas (música).

Maria das Dores Meira está esperançada no grande brilharete que as dez marchas vão fazer

das pessoas» para irem à Praça de Touros, cuja entrada custa dois euros e meio. A Perpétua Azeitonense, que aposta no tema “SFPA 1882”, pretende contar a história da colectividade. Os Ídolos da Praça vão recriar a ambiência dos Bairros nos festejos dos Santos Populares. A estreante Associação de Moradores do Bairro da Anunciada evoca a azáfama

das peixeiras e pescadores. “Os 13” relembram os cauteleiros e as floristas. O Comércio e Indústria evoca os namoricos e o saltar da fogueira. Já o Centro Cultural de Brejos de Azeitão traz para a rua “De Setúbal em busca de um Mundo Novo”. A União das Pontes debruçase sobre as touradas, enquanto o Núcleo de Bicross, outra estreante,

Vinho de Pegões ganha Ouro em Itália A COOPERATIVA Agrícola de Santo Isidro de Pegões foi premiada no concurso internacional de vinhos “La Selezione del Sindaco” 2012, que decorreu em Itália. No total, foi premiada com três medalhas: uma medalha de ouro para o

Adega de Pegões – Alicante Bouschet (tinto, 2010) e duas medalhas de prata para o Adega de Pegões – Touriga Nacional (tinto, 2010) e para o Adega de Pegões – Colheita Selecionada (branco, 2011). Na edição de 2012 do Concurso Internacional “La

Selezione del Sindaco”, Portugal obteve 40 vinhos medalhados - uma Grande Medalha de Ouro, seis Medalhas de Ouro e 33 Medalhas de Prata. A Associação de Municípios Portugueses do Vinho foi parceira na organização deste Concurso da

RECEVIN – Rede Europeia das Cidades do Vinho e da Cittá del Vino – Associação de Cidades do Vinho Italianas, contribuindo com a divulgação deste concurso no território nacional e com a presença de três provadores portugueses no concurso.

Gala homenageia vinho de Ouro

DR

Marchas recriam tradição sadina

AS DEZ marchas populares, com um orçamento a rondar os 150 mil euros, voltam a desfilar na Avenida Luísa Todi no próximo dia 16, a partir das 22 horas, antes de mostrarem as suas coreografias e surpresas na Praça de Touros Carlos Relvas, nos dias 22 e 23. A medida foi aplaudida pelas colectividades, uma vez que o desfile da Avenida «aguça o apetite

www.semmaisjornal.com

A Gala homenageou o vinho e as gentes de Palmela

A PRESIDENTE da Câmara de Palmela, Ana Teresa Vicente, faz um balanço «muito positivo» da Gala “Palmela Cidade Europeia do Vinho 2012”, que decorreu no passado dia 1, no Cine-Teatro S. João, com lotação esgotada. A edil afirmou que a vitivinicultura é um sector de «grande importância» para o desenvolvimento económico da região e do País, e teceu elogios ao espectáculo “Da Cor da Água”, da autoria de Jorge Salgueiro, que pôs em evidência a belíssima voz de Leila Moreso e as danças de Ricardo Mondim. Este concerto encenado, partindo de canções e árias de ópera sobre o vinho e outras bebidas alcoólicas, celebrou

o galardão de “Palmela Cidade Europeia do Vinho”. «Foi, sem dúvida, uma bonita homenagem ao nosso vinho, aos produtores e às gentes de Palmela, juntando o vinho e a música, duas dimensões muito importantes na nossa terra e na região». A Gala foi antecedida da inauguração do Festival do Moscatel e da exposição da Dançarte, no Largo de S. João. O Moscatel de Setúbal continua a afirmarse pela sua qualidade tanto no País como no estrangeiro, tendo alcançado em 2011, no concurso Muscats du Monde, a classificação de Melhor Moscatel do Mundo, alcançado pela Casa Venâncio da Costa Lima.

Pároco de Palmela lança livro O LIVRO “Quando a Poesia é…Oração”, da autoria do Padre José Maria Furtado, é lançado este domingo, às 16 horas, na Biblioteca Muni-

cipal de Palmela. Nascido a 4 de Junho de 1972 e ordenado em 2000, José Maria Furtado é o actual Pároco de Palmela.

[ ALCOCHETE ]

O CONCELHO de Alcochete foi, terça-feira, palco para um simulacro de sismo com o objectivo de pôr a GNR a testar, pela primeira vez, quatro viaturas tecnológicas para intervenção em catástrofes e detecção de matérias perigosas. Os novos equipamentos adaptados à realidade portuguesa e orçados em 1,6 milhões de euros,

foram concebidos por uma empresa portuguesa. As viaturas adaptadas foram criados especificamente para o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR tendo por base os modelos utilizados no Reino Unido. Duas viaturas de intervenção em estruturas colapsadas e outras duas para situações de identificação e detecção de maté-

DR

GNR prova tecnologia de ponta em simulacro de sismo

O novo equipamento custou mais de um milhão e meio de euros

rias perigosos são as novas tecnologias da Guarda, e que entram em funções já este mês de Junho. Para testar estes equipamentos, a GNR realizou um simulacro de sismo com estruturas e habitações colapsadas, fuga de matérias perigosas, possíveis situações de roubos e distúrbios civis. O simulacro de sismo que envolveu cerca de

cinquenta militares, deu nota excelente à nova tecnologia, classificada de «última geração tecnológica» pelo comandante do GISP, major Albino Tavares. Os novos equipamentos de protecção civil custaram 1,6 milhões de euros dos fundos do Quadro de Referencia Estratégico Nacional (QREN).


Sábado | 9.Jun.2012

13

www.semmaisjornal.com

[ LITORAL ]

DR

250 mil euros é o investimento na protecção ambiental

A POPULAÇÃO de Vila Nova de Santo André já pode utilizar as ilhas ecológicas instaladas na cidade.

Milhares de crianças em festa escolar DEPOIS da comemoração do Dia Mundial da Criança, o conjunto de iniciativas Junho em Festa, junto da comunidade educativa de Sines, prossegue hoje com as Brincadeiras Aquáticas e a apresentação final das Actividades de Enriquecimento Curricular do 1.º ciclo. As Brincadeiras Aquáticas são acções pontuais, realizadas no final de cada período escolar, dirigidas

DR

Caminhada ao ar livre para observar arrozais

Ribeira do Sado é um icone

OBSERVAR os arrozais, as gentes e o ambiente da ribeira do Sado é o objectivo do passeio proposto pela Câmara de Alcácer do Sal, ao abrigo do programa Alcácer dos 5 Sentidos. Neste passeio da Barrosinha à serra da Maceira, os participantes são convidados a embrenhar-se por terras

Junto às sete ilhas ecológicas, que representam um investimento de 250 mil euros, foram, também, insta-

de medronheiros, pinheiros e sobreiros, onde abundam também coelhos, lebres e javalis, numa paisagem que se transforma à medida que se desce até perto do rio. Ainda no âmbito do Alcácer dos 5 Sentidos está já marcada a Maratona Fotográfica Olhares sobre Alcácer”, no dia 23 de Junho, que convida os entusiastas da fotografia a desvendar as belezas do concelho através das suas visões pessoais. “Sabores de Alcácer” é a mostra gastronómica que acompanha todo o programa cultural e turístico promovido pela autarquia, com pratos temáticos que remetem para a época do ano. Em 2012 são 22 os restaurantes aderentes, em Alcácer do Sal, Comporta e Torrão.

aos alunos dos jardins-deinfância que participam nas aulas de natação do Programa de Educação e Expressão Físico-Motora da 2.ª Infância, assegurado pela autarquia. As actividades de Enriquecimento Curricular do 1.º ciclo são desenvolvidas ao abrigo do Contrato de Execução celebrado entre a Câmara e o Ministério da Educação, em vigor desde Janeiro de 2009.

lados equipamentos para recolha de dejectos de cães e gatos. O edil Vítor Proença sublinhou a importância das novas unidades que «permitem uma maior capacidade de recolha e do ponto de vista da paisagem urbana não causam impacto». Para Jaime Cáceres, presidente da Junta de de Santo André, este é «um grande avanço e esforço no sentido de melhorar a limpeza urbana e os espaços verdes da cidade».

ESTE domingo, as praias de Santo André vão, mais uma vez, ser alvo de uma operação de limpeza por dezenas de voluntários. A iniciativa é promovida anualmente pela ALA, Associação Litoral Aventura com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, e envolve dezenas de crianças e adultos na limpeza dos areais. A acção de carácter ambiental, quer todos os anos por esta altura recolhe centenas de quilos de lixo das praias daquela cidade, arranca às 8h30, com a concentração dos volun-

Sines poente investe no turismo O PLANO de Pormenor da Zona Poente de Sines, que corresponde à zona do parque de campismo, entrou esta semana em vigor. O principal objectivo do plano é permitir a transformação do Parque de Campismo de Sines actual num parque de campismo moderno, com o mínimo de 4 estrelas, que acolha alojamentos turísticos em bungalows, autocaravanas e tendas, com equipamentos de qualidade para os utilizadores. O novo parque de

campismo será concessionado, por concurso, a uma entidade privada, e terá capacidade para 850 utentes, com funcionamento todo o ano. A autarquia acredita que este parque irá «reforçar a oferta de alojamentos turísticos e ter um impacto muito positivo na economia da cidade, particularmente na restauração e no pequeno comércio». Além do parque de campismo, o plano preconiza a instalação de um novo equipamento hoteleiro, com capacidade para 100 camas.

Grândola acolhe fiscais de jogo O FÓRUM Europeu de Reguladores de Jogo (GREF) vai reunir em Tróia cerca de uma centena de representantes de Autoridades Reguladoras, contando ainda com a participação de alguns dos maiores especialistas internacionais, para debater os desafios que na Europa se apresentam nesta área. O encontro, entre 13 a 17 de Junho, aborda temáticas no âmbito da actividade reguladora do jogo, como o controlo e a fiscalização da actividade concessionada e o combate à actividade marginal e às práticas ilícitas visando. A ideia é prevenir a fraude e do branqueamento de capitais. Integram ainda este debate, matérias associadas à utilização de novas tecnologias (e-gambling) na oferta de jogo, à informação e estatística da actividade e às práticas de jogo responsável

tários junto ao Stand Os Putos. De seguida, a organização destina os diversos grupos e a respectiva distribuição pelas praias. Meia hora depois iniciase o processo de limpeza das praias, prevendo-se um reforço alimentar a meio da manhã. A partir da uma da tarde realiza-se um piquenique na Praia das Areias Brancas, prevendo-se que, de seguida, seja realizada a última fase do processo de limpeza, que contempla a recolha e encaminhamento dos sacos do lixo.

Combater a actividade marginal é um dos objectivos do encontro

e de protecção do consumidor. O Turismo de Portugal, através do Serviço de Inspecção de Jogos, é o anfitrião desta reunião anual, uma das mais importantes do mundo neste domínio, que contará com cerca de 30 delegações nacionais e regionais de países da integrantes área económica europeia e

observadores de outras paragens como Cabo Verde, Moçambique, Macau e Singapura. Entre os especialistas presentes estarão o investigador finlandês Jani Kinnunen, Christina ThakorRankin (diretora de operações da Virgin Games) e Henrique Lopes (Investigador da Universidade Católica de Lisboa).

DR

NO PRÓXIMO dia 13, realiza-se mais uma sessão de atendimento jurídico, em Alcácer do Sal, realizado pela DECO, Associação de Defesa do Consumidor. A iniciativa, que partiu da autarquia local, tem uma nova sessão esta terça-feira, entre as duas e as cinco da tarde. Se tiver dúvidas sobre compra e venda de bens e serviços para uso particular; garantias dos objectos adquiridos; prazos de reclamação; prazos de resolução de contratos; serviços públicos essenciais (electricidade, água, gás e comunicações electrónicas); bancos e entidades financeiras, a autarquia liderada pelo socialista Pedro Paredes disponibiliza os serviços, onde técnicos da DECO especializados nas mais diversas áreas poderão esclarecer todas as suas dúvidas.

Centenas limpam praias Santiago do Cacém melhora ambiente com ilhas ecológicas

DR

DECO dá apoio em Alcácer do Sal

Novo parque de campismo

Crianças cuidam da Natureza CENTENAS de crianças das escolas básicas do concelho participaram, terça-feira, Dia Mundial do Ambiente, num conjunto de iniciativas para uma maior consciencialização e educação ambiental. A acção de sensibilização, todos os anos levada a cabo pela autarquia, teve, este ano, o objectivo de alertar para a problemática dos dejectos caninos. Cinco turmas da EB1 de Grândola ofereceram à população postais desenhados pelos próprios alunos no âmbito do projecto Eco-Escolas, e que abordam várias temáticas ambientais.


14

Sábado | 9.Jun.2012

www.semmaisjornal.com

+ Desporto Vasco da Gama campeão distrital de juvenis

Moita acolhe nacional de lutas amadoras

A vitória sobre o Brejos de Azeitão por 5-1 deu ao Vasco da Gama de Sines o título de Campeão Distrital de Setúbal de Juvenis, em futebol. A uma jornada do fim, o clube de Sines soma por vitórias todos os jogos realizados.

O Grupo Desportivo e Recreativo Portugal promove no dia 16, a partir das duas da tarde, a 5ª Jornada da Taça da ALDS – Luta Livre Olímpica Feminina e Luta Greco-Romana Masculina. A prova vai decorrer ao ar livre.

Setúbal no caminho Olímpico realizados numa plataforma colocada no circuito aquático e o sistema de controlo de tempos intermédios e finais ser realizado pela Omega – Swiss Timing, exatamente com o mesmo sistema responsável pelo controlo de tempos de todas as competições de Londres, 2012, desde a Natação ao Atletismo. Apesar da distância elevada [10 km’s], a maioria dos atletas nada em grupos e chega com diferenças de décimas, centésimas ou até de milésimas de segundo.

:::::::::::::::::::: Marta David :::::::::::::::::::::

M

José Mourinho, Rosa Mota e aviões

DR

ais de uma centena de atletas procuram, este fimde-semana, no rio Sado, o acesso aos Jogos Olímpicos de Londres na prova de 10 quilómetros em águas abertas. 41 atletas femininas, oriundas de 25 países diferentes, e 61 homens, de 37 nacionalidades, vão levar competição e animação ao Parque Urbano de Albarquel hoje e amanhã, respectivamente. Trinta atletas, 15 de cada sexo, levarão de Setúbal o passaporte para a final londrina, precisamente daqui a um mês. «Alguns dos melhores atletas do mundo da modalidade vão estar nas águas do Sado», explica Paulo Frischknecht, presidente da Federação Portuguesa de Natação, para quem esta prova é «um marco, não só para a cidade de Setúbal como para a natação enquanto modalidade». A única prova de apuramento directo para os Jogos Olímpicos realizada em Portugal é também «um orgulho para a federação». Entre os atletas que nadarão este fim-de-semana, em Setúbal, estão o britânico David Davies, com duas medalhas olímpicas e vice-campeão do mundo dos 10 mil metros, o búlgaro Petar Stoychev, seis vezes consecutivas vencedor do Circuito Mundial de Maratonas Aquáticas e campeão

A prova vai contar com 30 atletas e decorre a partir do Parque Urbano de Albarquel

do mundo nos 25 quilómetros, e o italiano Valerio Cleri, com títulos mundiais e europeus em várias distâncias. Na competição feminina, o destaque vai para a ucraniana Olga Beresnieva, campeã do mundo em 2010 nos 25 quilómetros, e a sulafricana Natalie du Toit, a primeira atleta de alta competição a ser porta-estandarte nuns Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Para a presidente da autarquia esta competição e a presença de todos estes atletas são de «uma

grandiosidade e importância extrema para a cidade porque ajudam a dar visibilidade a Setúbal e ao seu rio que tem condições únicas para esta modalidade.» O facto de se tratar de uma Qualificação Olímpica obriga a especificidades e alterações em relação às provas da Taça do Mundo realizadas no mesmo local nos últimos seis anos. São exemplos a obrigatoriedade de, nesta competição, a partida ser dada de uma plataforma fixa colocada na água, os abastecimentos serem

Para além da competição desportiva e da possibilidade que poucos terão de ver ao vivo alguns dos melhores atletas do Mundo na modalidade de águas abertas, o fim-de-semana no Parque Urbano de Albarquel oferece outros motivos de interesse. A presença de José Mourinho, patrono da prova, é aguardada este sábado para assistir à competição feminina. Presença regular é a da campeã olímpica Rosa Mota, madrinha do evento. Tal como em anos anteriores, o primeiro dia de prova, conta com a animação da Team Aerobática que vai fazer acrobacias aéreas sobre o rio Sado.

Luís Liberato – Presidente do Comité Organizador Que diferenças existem entre o apuramento olímpico e a Taça do Mundo?

Arseniy Lavrentyev Atleta

«O objectivo é chegar a Londres, mas é muito difícil prever. Há muitos factores a considerar como a corrente, a temperatura da água para além dos adversários. Vai ser uma prova rápida, disputada nos últimos metros e uma maratona nunca é fácil. A preparação este ano foi muito boa. Trabalhei muito e conseguir estar agora na minha melhor forma. Domingo [amanhã] vou mostrar tudo o que valho. Vou ter a família e os amigos a torcer por mim e a apoiar-me por isso não posso falhar!»

Esta competição é muito mais exigente e complexa dos que as edições da Taça do Mundo. Desde logo porque toda a preparação dos atletas de alta competição é especialmente dirigida para a sua participação nos Jogos Olímpicos. O número de seleções é muito superior, o de atletas também e os staffs de apoio incluem um maior número de pessoas e especialidades. De que importância se reveste este tipo de prova para o desenvolvimento desportivo de um município? Entre inúmeros aspetos importantes destaco três: o reconhecimento nacional e internacional de Setúbal e da sua Baía como um destino de eleição para a realização de eventos desportivos; a melhoria das infraestruturas desportivas existentes face à realização do evento; a divulgação concreta da natação

como uma modalidade de eleição, permitindo atrair mais pessoas à prática do desporto, incentivadas pela possibilidade de verem grandes campeões olímpicos e mundiais. Esta realização é um prémio pelo trabalho feito nas Taças do Mundo ou vai ser um “teste” à continuidade da relação existente entre a FPN, a FINA e a CMS para futuras etapas? Diria que é um misto das duas situações. Se organizamos esta competição é porque a Federação Mundial reconheceu a excelência da qualidade do local e a capacidade organizativa nacional. Por outro lado esta é de facto a competição de maior responsabilidade internacional que organizamos e estamos a ser postos à prova na capacidade de fazer mais e melhor. A partir do sucesso desta competição, e desde que esse seja o desejo dos responsáveis das organizações envolvidas, Setúbal será sempre escolhida pela FINA para a organização de competições internacionais de águas abertas.

José Manuel Borges Seleccionador nacional

«Acredito de forma racional que podemos ter atletas nos Jogos. Temos a noção de que será uma competição cerrada e com um nível de exigência muito elevado. Os lugares de apuramento directo são poucos, tendo em consideração a existência dos apuramentos por continente. O Arseniy Lavrentyev é mais experiente e tem tido um conjunto de resultados nos últimos anos em Setúbal. A Daniela Pinto fez um grande investimento na sua preparação este anos e tem vindo a apresentar bons resultados»

David Sequerra

A cidade de Setúbal Buford e Abuja

S

em absoluta certeza pensamos que a cidade de Setúbal, por acumulados motivos, baixou de número de habitantes nesta última década. O mesmo poderá não ter acontecido em termos distritais sem que nos queiramos devotar a estudos sócio-demográficos de calculável complexidade. Talvez alguém bem habituado nos possa esclarecer como está Setúbal no que respeita ao seu potencial de cidadãos. Talvez… Por agora e sob a tutela inspiradora da demografia, vamos falar-vos dos destinos de duas cidades de diferentes continentes com aspectos curiosíssimos de referir. Muito recentemente foi divulgada a notícia muito peculiar de uma minúscula cidade dos Estados Unidos, no secundário Estado de Wyoming, que tem apenas um habitante que, saturado de um tão raro isolamento, decidiu leiloar a sua estimada cidadezinha, a um bom preço base de licitação – 100 mil dólares aproximadamente 75 mil euros, uma autêntica pechincha. A cidade chama-se Buford e, de momento, não sabemos quem a comprou e qual foi o destino que lhe foi dado, desde a eliminação total até à bem possível “explosão” habitacional. E ao utilizarmos a palavra explosão vem-nos à memória o que, há uma vintena de anos, ocorreu na Nigéria, o mais populoso país de África, já para além dos 150 milhões de habitantes, com a fabulosa (em tamanho) cidade de Lagos a causar constante espanto, crescendo de tal forma que foi alvo de uma categoria decisão governamental: deixou de ser capital do pais que, desde os anos 80, passou a ser Abuja, até então uma pequena cidade do interior nigeriano que teria, talvez, uns 80 mil habitantes. Abuja já passou do milhão de habitantes, beneficiando da primazia de cidade capital e de elevada taxa de natalidade num país muçulmano como é a Nigéria. Que contraste enorme entre Abuja, a crescer, e a minúscula Buford, posta à venda! E Setúbal? É bom ou mau que não cresça de população? Sabe-se que a média de idades é elevada e que a taxa de natalidade tem vindo a ser motivo de preocupação. O que nos reservará o próximo decénio do século XXI? Eis como o simples caso de Buford nos deu tema para mais esta croniqueta, tendo a cidade sadina como ‘pano de fundo’. E felizmente que, apesar de bem conhecidas dificuldades a bela Setúbal não está á venda…


Sábado | 9.Jun.2012

15

www.semmaisjornal.com

+ Negócios

Casa Ermelinda Freitas no melhor ano de sempre

Medalhas de Ouro conquistadas em 2011 Dona Ermelinda Branco 2011 Medalha de ouro no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela

E

Quinta da Mimosa 2009, Medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus e no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela Casa Ermelinda Freitas Touriga Nacional 2010 Medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus Semmais

ntre Janeiro e Maio do corrente ano, a Casa Ermelinda Freitas, em Fernando Pó, já ganhou 67 prémios nacionais e internacionais nos maiores e mais prestigiados concursos de vinhos mundiais. Este é, sem dúvida, o seu melhor ano de sempre, com 14 medalhas de ouro, 32 de prata e 21 de bronze. A Casa Ermelinda Freitas, onde impera uma boa relação qualidade/preço, tem sido constantemente uma das adegas portuguesas mais premiadas por esse mundo fora. Ainda na semana passada, no Concurso mundial “Les Citadelles du Vin”, anunciado na feira de vinhos Vinexpo em Hong Kong, China, ganhou 5 medalhas de ouro e 1 de prata, tendo sido mais uma vez uma das empresas portuguesas mais premiadas. Além dos seus famosos tintos como é o Syrah, o Touriga Nacional, o Merlot ou o Quinta da Mimosa até o seu Espumante Bruto Reserva ganhou Ouro neste prestigiado concurso, sendo claramente uma das raras vezes que um espumante português

Leonor Freitas gere uma empresa de sucesso e este ano já ganhou 67 prémios

alcança tamanha distinção. A aposta na qualidade, na nova tecnologia e numa boa equipa, liderada pelo enólogo Jaime Quendera, tem sido apanágio desta adega que é já considerada uma referência no sector não só a nível regional, como nacional e internacional. «2012 é, de facto, o ano em que mais prémios ganhámos e ainda nos falta saber os resultados de alguns

concursos, como os da Alemanha e da China. Temos conseguido manter uma grande consistência e melhoria na qualidade. Temos aproveitado as potencialidades de uma grande região, sempre a trabalhar cada vez mais. Estamos extremamente satisfeitos porque estes prémios são uma grande ajuda em tempo de dificuldades», argumenta a gerente Leonor Freitas.

DR

OS CERCA de 650 subsistemas da nova refinaria de Sines vão testados nos próximos meses. A garantia foi dada terça-feira aos jornalistas pelo presidente da Galp, Manuel Ferreira de Oliveira, à margem do encontro com fornecedores. A nova refinaria da Galp, em Sines, representa um investimento de mil milhões de euros, e levou três anos a ser construída. De acordo com Manuel Ferreira de Oliveira, o novo empreendimento da Galp deverá empregar 300 trabalhadores.

A PRESIDENTE do conselho de administração do porto de Sines, Lídia Sequeira, defende a necessidade de um corredor ferroviário competitivo entre Sines e o centro Península Ibérica, passando por Madrid, de forma a melhorar o transporte de mercadorias no hinterland. A ideia sustentada pela líder da administração portuária, durante o Congresso Transnacional do Eixo 16, Corredor Prioritário da Rede Transeuropeia de Transportes, em Badajoz, passa por «cimentar o papel desta infraestrutura como Porta Atlântica da Europa». Como oradora, Lídia Sequeira apresentou o papel que o porto

de Sines desempenha, perspectivando a evolução desta infraestrutura portuária nos próximos anos, tendo em conta que o alargamento do Canal do Panamá dará lugar ao redesenho de novas rotas e serviços no Atlântico, criando assim novas oportunidades para os portos atlânticos, com especial destaque para a centralidade de Sines. O congresso, organizado pelo Governo da Extremadura, evento teve como objectivo promover o debate e a difusão da importância que este eixo ferroviário tem para o futuro desenvolvimento económico e social dos diferentes territórios que integram a Península Ibérica.

DR

O porto de Sines quer garantir as condições para aumentar a competitividade

Casa Ermelinda Freitas Merlot 2010 Medalha de ouro no concurso Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães e no concurso Citadelles du Vin em Bordés Casa Ermelinda Freitas Petit Verdot 2010 Medalha de ouro no concurso Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães

Casa Ermelinda Freitas Syrah 2010 Medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus e no concurso La Selezione del Sindaco em Terme (Itália)

Casa Ermelinda Freitas Espumante Bruto Reserva 2009 Medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus

Casa Ermelinda Freitas Alicante Bouschet 2010 medalha de ouro no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela

Piscadela Reserva 2010 Medalha de ouro no concurso Challenge International du Vin em Bordéus e no Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães

Vinho de Pegões ganha ouro em concurso na Itália

DR

Porto de Sines quer corredor na nova ferroviário à Península Ibérica Testes refinaria da Galp

Casa Ermelinda Freitas Trincadeira 2010 Medalha de ouro no concurso Vinalies Internationales em Paris

A Cooperativa de Santo Isidro de Pegões continua a mostrar boa performance

A COOPERATIVA Agrícola de Santo Isidro de Pegões foi premiada no concurso internacional de vinhos “La Selezione del Sindaco” 2012, que decorreu em Itália. No total, foi premiada com três medalhas: uma medalha de ouro para o Adega de Pegões – Alicante Bouschet (tinto, 2010) e duas medalhas de prata para o Adega de Pegões – Touriga Nacional (tinto, 2010) e para o Adega de Pegões – Colheita Selecionada (branco, 2011). Na edição de 2012 do Concurso Internacional “La Selezione del Sindaco”, Portugal obteve 40 vinhos medalhados - uma Grande Medalha de Ouro, seis Medalhas de Ouro e 33 Medalhas de Prata. A Associação de Municípios

Portugueses do Vinho (AMPV) foi parceira na organização deste Concurso da RECEVIN – Rede Europeia das Cidades do Vinho e da Cittá del Vino – Associação de Cidades do Vinho Italianas, contribuindo com a divulgação deste concurso no território nacional e com a presença de três provadores portugueses no concurso. Este é o único concurso de vinhos internacional que prevê a participação conjunta do produtor e do município de proveniência das produções e tem como elemento diferenciador dos outros concursos, a missão de valorizar as produções, fruto da tradição e de um território distinto.


Sรกbado | 9.Jun.2012 Pub.

www.semmaisjornal.com


Semmais_09_Jun