Issuu on Google+

Pastoral Juvenil Vocacional

Mês de JANEIRO ‘10

(PRO)

VOCAÇÃO SAMUEL! em:


COMEÇO REZANDO… Eis-me aqui, Senhor, na tua presença, para ler e meditar a tua Palavra. Dá-me o teu Espírito para que me ajude: - a estar atento ao que tens para me dizer; - a acolher e a compreender a tua Palavra; - a aceitá-la e pô-la em prática; - a descobrir qual a minha vocação (o que queres de mim).

LEIO… (1 Sa 3, 1-10. 19-21)

O jovem Samuel servia o Senhor sob a direcção de Eli. O Senhor, naquele tempo, falava raras vezes e as visões não eram frequentes. Ora certo dia aconteceu que Eli estava deitado, pois os seus olhos tinham enfraquecido e mal podia ver. A lâmpada de Deus ainda não se tinha apagado e Samuel repousava no templo do Senhor, onde se encontrava a Arca de Deus. O Senhor chamou Samuel. Ele respondeu: «Eis-me aqui.» Samuel correu para junto de Eli e disse-lhe: «Aqui estou, pois me chamaste.» Disse-lhe Eli: «Não te chamei, meu filho; volta a deitar-te.» O Senhor chamou de novo Samuel. Este levantou-se e veio dizer a Eli: «Aqui estou, pois me chamaste.» Eli respondeu: «Não te chamei, meu filho; volta a deitar-te.» Samuel ainda não conhecia o Senhor, pois até então nunca se lhe tinha manifestado a palavra do Senhor. Pela terceira vez, o Senhor chamou Samuel, que se levantou e foi ter com Eli: «Aqui estou, pois me chamaste.» Compreendeu Eli que era o Senhor quem chamava o menino e disse a Samuel: «Vai e volta a deitar-te. Se fores chamado outra vez, responde: «Fala, Senhor; o teu servo escuta!» Voltou Samuel e deitou-se. Veio o Senhor, pôs-se junto dele e chamou-o, como das outras vezes: «Samuel! Samuel!» E Samuel respondeu: «Fala, Senhor; o teu servo escuta!» O Senhor disse a Samuel: «Eis que vou fazer uma coisa em Israel que fará retinir os ouvidos a todo aquele que a ouvir. Samuel ia crescendo, o Senhor estava com ele e cumpria à letra todas as suas predições. Todo o Israel, desde Dan até Berche-ba, reconheceu que Samuel era um profeta do Senhor. O Senhor continuou a manifestar-se em Silo. Era ali que o Senhor aparecia a Samuel, revelando-lhe a sua palavra. Palavra do Senhor


COMENTÁRIO BÍBLICO Esta narração é uma das mais belas da literatura bíblica. Situada no início do livro de Samuel expressa o nascimento de toda a vocação profética em Israel. De Moisés a Samuel não há mais nenhum profeta. A partir de Samuel virá um conjunto deles e depois os grandes: Isaías, Jeremias, Ezequiel. No momento em que o ‘céu estava fechado’ e as visões proféticas não eram frequentes, Deus faz ouvir a sua Palavra na noite e chama a ser profeta, uma nova forma de presença e de experiência divina no meio do Povo. A narração transporta-nos ao santuário de Silo onde estava a Arca da Aliança e onde ardia a lâmpada de Deus, ambos símbolos da presença oculta de Deus. (Lembras-te da lâmpada do nosso sacrário?). O chamamento - a vocação! - do jovem Samuel acontece num lugar santo, na noite, enquanto dormia… (O Senhor também te pode chamar quando menos esperas…). Depois de três tentativas fracassadas, devido à falta de experiência da Palavra de Deus por parte do jovem, o acompanhamento experimentado de Eli, o sacerdote, ajuda a discernir a voz de Deus. Samuel, com a docilidade e a disponibilidade típicas da idade juvenil, aceita a vocação: ‘Fala, Senhor; o teu servo escuta!’. A tarefa não é nada fácil, no entanto, converter-se-á no profeta de todo o Israel, o instrumento por meio do qual o Senhor faz sentir a sua Palavra a todo o Povo.

MEDITO, CONTEMPLO, OLHO À MINHA VOLTA… + O Senhor, naquele tempo, falava raras vezes e as visões não eram frequentes (v.1). O Senhor não costumava mostrar-se em visões. Hoje também não… Nunca se me ‘mostrou em visão’; mas sim no silêncio, no ‘espaço sagrado’ (lugar e tempo), quando acreditei que o Senhor estava presente, como uma lâmpada acesa. Preciso deste ‘espaço sagrado’: é muito importante! Senhor, faz com que o procure: só assim estarei atento ao teu chamamento em cada momento… + Três vezes o Senhor chama Samuel (o número três é sinónimo de ênfase, de insistência…) e três vezes Samuel vai ter com Eli. À terceira vez, Eli compreende que é o Senhor quem chama a Samuel.


O texto faz-me pensar numa coisa importante sobre a vocação, nos dias de hoje: também eu, Senhor, preciso de ajuda para compreender que és tu quem me chama, saber o que queres de mim, e dar-te uma resposta. Onde, Senhor, encontrar essa ajuda? + Destaca a disponibilidade de Samuel, a sua resposta decidida… À voz de Deus, segue-se imediatamente a recomendação do mestre: ‘Fala, Senhor; o teu servo escuta!’’. E não só naquele momento, mas sempre: ‘O Senhor continuou a manifestar-se em Silo. Era ali que o Senhor aparecia a Samuel, revelando-lhe a sua palavra’. Ajuda-me, Senhor, a manter-me sempre atento à Tua Palavra.» Vou dedicar mais tempo a repetir esta oração ‘Fala…’. É uma oração breve, mas deve ser acompanhada por um longo espaço de calma, de silêncio interior. E isto é o que custa…  » Quanto tempo perdido na agitação inútil! Quantas orações à pressa, distraídas e cheias de palavras, que só me impedem de escutar ‘a voz que chama’! Penso em todas as orações de Jesus, a sós contigo, ó Pai.  » Seria com certeza uma coisa deste estilo: ‘Fala…’. Feita de longos espaços, noites inteiras, a sós, depois de estar com as pessoas ou antes de se encontrar com elas… » Na minha vida como cristão, não poderia ser esta uma tarefa prioritária para descobrir qual a minha vocação?

PARTILHO NA SIMPLICIDADE… Neste espaço, para partilhar, servindo-me destes tópicos, escrevo o que senti: - senti que o nosso Deus, um Deus que chama, me pode chamar a mim? Onde e quando? Para quê?; - senti que Ele, que me ama, me chama a ser feliz, ajudando os outros a serem felizes também?; - senti que devo estar atento à Palavra do Senhor e que preciso da ajuda de outros para descobrir qual a minha vocação?; - senti que a vocação é só para mim ou para ser presença de Deus no dia a dia? -… COMPROMISSO… Depois destes momentos de lectio divina, ou seja, de meditação da Palavra do Senhor, procuro ver o que me pede realmente o Senhor e traduzo-o num breve compromisso que seja simples, prático e avaliável:


TERMINO DANDO GRAÇAS… Obrigado, Senhor, por tudo o que me fizeste ver neste tempo de meditação. Obrigado porque uma vez mais pude experimentar que me falas. Dá-me constância para meditar a Tua Palavra e ajuda-me a pô-la em prática no meu dia a dia. No final, rezamos juntos esta oração: Espírito Santo, Amor do Pai e do Filho, inspirai-me sempre o que devo pensar, o que devo dizer, o que hei-de calar, o que hei-de escrever, o que hei-de fazer, como o hei-de fazer, para a vossa glória, para o bem dos outros e minha santificação. Cardeal Mercier


Provocação de Janeiro '10