Page 1

DISTRIBUÍDO COM O EXPRESSO. VENDA INTERDITA

OPINIÃO

Bota fala sobre a imprensa regional e local

> última

Director Mário Lino 12 de Abril de 2012 Sai à sexta-feira Ano 105 Edição nº 215 | 2ª série FUNDADO EM 1908

Informação de qualidade

1€ (IVA 6 % incluido)

FARO

PORTIMÃO

ECONOMIA

CINEMA

POLÍTICA

STA suspende suspensão de Macário

BE quer demissões no Hospital de Portimão

Santos critica críticas da AHETA

Bollywood à algarvia pode salvar Portimão

Estevens escapa (para já) à limitação de mandatos

> pág. 6

> última

> pág. 10

> pág. 14

> pág. 2

ACRAL suspende O ALGARVE

> pág. 13

6 NOVOS DESEMPREGADOS NESTA EDIÇÃO

> pág. 13


// abertura

“O tribunal fez aquilo que deveria ter feito, até porque ainda não há formalmente uma candidatura” José Estevens candidato PSD Tavira

A abertura

“A cidadania não se pode tolher com alegadas coutadas e privilégios de partidos políticos ou cidadãos independentes. Nunca ninguém veio dizer: «Coitado do Presidente da República que só se pode candidatar duas vezes!»”.

Francisco Amaral candidato PSD C. Marim

2 //

e do Porto”, desfia o autarca, que esgotou os mandatos em Alcoutim. Obviamente, está contra a limitação de mandatos: “Eu não sou nenhum delinquente para ser privado dos meus direitos de concorrer. Os deputados lembraramse dos autarcas mas não existe qualquer limitação para eles próprios. Há deputados na AR desde o 25 de Abril de 74!”, critica.

Os vizinhos do lado

José Estevens candidatou-se ao concelho vizinho, após ter esgotado tempo em Castro Marim. Francisco Amaral fez o mesmo, largou Alcoutim e concorre ao actual lugar de Estevens.

José Estevens, presidente da Câmara Municipal de Castro Marim vai poder concorrer à autarquia vizinha. Francisco Amaral ainda não sabe. Últimas decisões foram favoráveis aos autarcas

Pedro Pereira Pinto vice-pres. Mov. Revolução Branca

“Se quisessem, o assunto da limitação de mandatos já teria sido esclarecido na Assembleia, mas isso pressupõe 2/3 dos deputados e ao PS interessa que se mantenha esta penumbra por causa de Lisboa e do Porto” “Os deputados lembraram-se dos autarcas mas não existe qualquer limitação para eles próprios. Há deputados na AR desde o 25 de Abril de 74!”

Limitação de mandatos: tudo em aberto no Algarve

Texto: > Mário Lino

Depois de o Tribunal de Tavira ter deixado «a porta aberta» para José Estevens se candidatar, está tudo em aberto para os «dinossáurios» do PSD que decidiram concorrer aos concelhos vizinho. Estevens, há 12 anos em Castro Marim, foi alvo de uma providência cautelar do Movimento Revolução Branca (MRB), à semelhança do que aconteceu com Fernando Seara em Lisboa. E o mesmo aconteceu com Francisco Amaral, que deixa Alcoutim e corre por Castro Marim. Mas ao contrário de Seara, Estevens é livre de concorrer, uma vez que a juíza Telma de Brito optou por não lhe bloquear o acesso ao processo eleitoral. Segundo a juíza, caso decidisse a favor do MRB na providência, inviabilizaria qualquer decisão futura

em tempo útil, devido à habitual lentidão processual dos vários patamares da Justiça. E assim o tribunal acaba por «empurrar» qualquer decisão para depois das eleições. “O tribunal fez aquilo que deveria ter feito, até porque ainda não há formalmente uma candidatura”, adianta ao O ALGARVE José Estevens. “E aliás” – prossegue – “porque não limitar então também os vereadores ou os deputados? Isso é pôr em causa a capacidade do povo de saber quem são as pessoas capazes de o representar”, questiona. Ao contrário, Pedro Pereira Pinto, advogado e vice-presidente do MRB, adiantou à saída do tribunal que o mesmo se revelou “incapaz de decidir”, alegando que isso poderá até ser considerado “ilegítimo e incons-

titucional”. “A cidadania não se pode tolher com alegadas coutadas e privilégios de partidos políticos ou cidadãos independentes. Nunca ninguém veio dizer: «Coitado do Presidente da República que só se pode candidatar duas vezes!»”. O causídico – que foi mandatário de Narciso Miranda em 2009 – garantiu que vai recorrer da sentença para o Tribunal da Relação de Évora. “Isso não me fragiliza nada, o meu passado. O MRB sabia que eu tinha sido mandatário. A questão é que nós não somos um partido político e não estamos numa cruzada ética, mas sim numa questão jurídica”, garantiu ao O ALGARVE.

“Isto é uma vergonha”, diz Amaral Francisco Amaral não é suave nas palavras, quando confrontado com a questão: “O Movimento Revolução Branca é um movimento moralista e fundamentalista!”, afirma, garantindo que o PS terá uma espécie de «mão invisível» por detrás deste assunto. “Se quisessem, o assunto da limitação de mandatos já teria sido esclarecido na Assembleia, mas isso pressupõe 2/3 dos deputados e ao PS interessa que se mantenha esta penumbra por causa de Lisboa

Tanto José Estevens como Francisco Amaral estão plenamente convencidos de que a razão lhes assiste e não os assusta concorrer ao município vizinho. “Cada vez mais as pessoas ligam menos aos partidos, escolhem mais os autarcas do que os partidos”, reconhece Amaral. “Todos os dias vou a Castro Marim e almoço lá. É certo que Castro Marim tem duas freguesias no litoral, mas o poder local não tem segredos para mim”, afiança. Também Estevens admite que Tavira não lhe é estranha. “Nós temos uma consciência, dignidade e um nome. Ao propor-me a presidente de qualquer concelho faço-o com o máximo de responsabilidade”, avisa, contestando que a noção de bairrismo no poder local possa ser um obstáculo. “Eu não nasci em Tavira, mas o meu pai nasceu. Não é isso que me faz ter menos amor por Tavira, pelas suas gentes e pela sua terra. O bairrismo é démodé e não faz sentido”, diz. Em Lisboa, não é bem essa a posição do juiz que deu a nega a Seara: “O entendimento de que o candidato só pode ser limitado na autarquia onde cumpre o limite de mandatos, podendo andar sem limites de tempo a saltar, passe o termo, de câmara em câmara, levaria a perpetuação de cargos em manifesta oposição do artigo 118.º da Constituição; numa palavra: a Lei deixaria entrar pela janela o que não quisera deixar entrar pela porta”. O PSD já recorreu para o Tribunal da Relação.

o algarve 12|04|13


Junte-se À nossa festa!

ANIMAÇÃO ITINERANTE PARABENS E CORTE DO BOlo (18h00)

~ L A C I S U M O L U ESPETáC

17:00 12|04|13

o algarve

// 3


// actualidade

A PS quer benefícios fiscais para quem investe capitais próprios

Algarve pode perder base do Rali de Portugal O presidente da ERTA – Entidade Regional de Turismo do Algarve, Desidério Silva, criticou a possível mudança da base do Rali de Portugal para o Norte do País. “O Rally de Portugal é um dos mais importantes acontecimentos desportivos do País e com um retorno económico muito importante para o Algarve nos últimos cinco anos”, recorda o dirigente, citando “o factor segurança, as acessibilidades e a logística da prova”, itens garantidos pela região, “como a parte mais importante do sucesso internacional” da prova. Segundo Desidério Silva, a disponibilidade do Turismo do Algarve e do Turismo de Portugal para a manter o rali na região “é unânime”, face aos contactos mantidos com o presidente do Turismo de Portugal. A realização no Algarve do Rally de Portugal “é um factor de crescimento da economia regional e de criação de emprego, especialmente nesta altura do ano”, sublinha o presidente da ERTA. Neste contexto, o responsável promete envidar esforços para manter a prova na região. “Tudo farei junto da organização do Rally de Portugal e de outras entidades públicas e privadas para que o mesmo não saia da região e seja claramente um projecto para vários anos”, concluiu. O presidente do Automóvel Clube de Portugal disse que o regresso da prova ao Norte do País, em 2014, “depende das câmaras”, mas admitiu já haver acordo com o Porto e Fafe.

4 //

O secretário-geral do PS insistiu na necessidade de criação de incentivos fiscais para as PME – Pequenas e Médias Empresas como forma de ajudar o País a ultrapassar a crise. António José Seguro falava durante uma visita a uma fábrica de cortiça em S. Brás de Alportel – Novacortiça – empresa cuja produção é maioritariamente para exportação. “Tenho falado desde 2011 na necessidade de haver financiamento às nossas empresas e financiamento adequado, porque não é justo no mercado único as nossas empresas competirem com as empresas alemãs, que se financiam com taxas de juro mais baixas do que as empresas portuguesas”, referiu o secretário-geral socialista. António José Seguro voltou a dar como exemplos de medidas a adoptar a contratação com o Banco Europeu de Investimento de uma linha de crédito de cinco mil milhões de euros para

António José Seguro, secretário-geral do PS, visitou Novacortiça, em S. Brás de Alportel a recapitalização das PME, objectivo que também poderia ser conseguido com a disponibilização de parte da verba de 12 mil milhões de euros prevista no plano

de ajustamento financeiro para a recapitalização dos bancos. “Mas esse dinheiro não está todo a ser aplicado nos bancos e parte dele poderia

ser destinado às PME”, considerou. Seguro deu ainda como exemplo de uma medida de apoio às PME a existência de incentivos fiscais para quem

investe capitais próprios na melhoria dos seus negócios, como é o caso da empresa de São Brás de Alportel. “Os senhores vão a um banco e pedem um empréstimo. Os juros que pagam vão a custos da empresa, mas se colocarem dinheiro vosso na empresa – os suprimentos – não há nenhum benefício fiscal. E eu defendo que haja benefícios fiscais, porque isso faz com que haja mais dinheiro na economia e menos dependência em relação aos próprios bancos”, concluiu. A Novacortiça factura 4,5 milhões de euros por ano e emprega cerca de meia centena de pessoas. A principal produção da empresa são os discos de cortiça utilizados nas rolhas de champanhe e os principais destinatários dos produtos os mercados espanhol, italiano e francês. A empresa algarvia é também pioneira na criação de produtos de moda derivados da cortiça, tendo criado para o efeito uma outra área de negócio.

PCP pede obras no Porto de Pesca de Santa Luzia e conclusão da requalificação da EN 125 O deputado do PCP eleito pelo Algarve, Paulo Sá, questionou o Ministério da Economia e do Emprego sobre a disponibilidade do Governo para realizar vários investimentos no Porto de Pesca de Santa Luzia, cuja concretização, defendeu, “contribuiria para melhorar as condições de trabalho e de segurança dos pescadores”. Segundo o deputado comunista, são necessários investimentos na criação de uma portaria, na colocação de pontos de electricidade e água nos cais de estacionamento, assim

como no desassoreamento do interior do porto e da zona envolvente. Numa recente visita ao equipamento, uma delegação do PCP, onde se incluía o deputado eleito pelo Algarve, constatou que o porto, apesar de ser de construção recente, não se encontra vedado, nem é vigiado, podendo ser acedido livremente por qualquer pessoa a qualquer hora do dia, circunstância que tem levado à ocorrência de furtos, quer de pescado, quer de equipamento das embarcações.

Outro problema citado pelos comunistas é a inexistência, nos cais de estacionamento das embarcações, de pontos de fornecimento de electricidade e de água. Os pescadores, para se abastecerem de água, têm que se deslocar a um ponto de água disponibilizado pela junta de freguesia, situado fora do porto, acrescentam. Por fim, algumas áreas do interior do porto e da zona envolvente encontram-se assoreadas, o que, de acordo com os pescadores, dificulta

a manobra das embarcações de maior calado. “É incompreensível que as intervenções necessárias para melhorar as condições de trabalho e de segurança dos pescadores não tenham sido realizadas aquando da construção do porto, dotando-o, de início, de condições adequadas”, sublinha o PCP.

EN 125 Num outro requerimento, também enviado pelo Grupo Parlamentar do PCP ao Ministério da Economia,

os comunistas lembram que, depois da suspensão das obras de requalificação da EN 125 e em resposta a uma pergunta daquele partido, o Governo, em Junho de 2012, informou que os trabalhos estariam concluídos em Abril de 2013. Como tal não sucedeu, segundo o PCP, o “Governo deve explicações – detalhadas – aos algarvios pelos sucessivos atrasos na requalificação da EN 125, os quais, conjugados com a introdução de portagens na Via do Infante, estão a prejudicar” a região.

o algarve 12|04|13


estrelas da companhia

Miguel Nascimento

B

barómetro

// barómetro

diz que disse

Nadador da Portinado

Não é justo no mercado único as nossas empresas competirem com as empresas alemãs, que se financiam com taxas de juro mais baixas”

O nadador algarvio Miguel Nascimento conquistou no domingo uma medalha de ouro, nos 100 metros costas, e outra de prata, nos 50 livres, na sessão da tarde dos Multinations Junior Meet em natação, que estão a decorrer em Kiev, na Ucrânia.

> pág. 8

“Só um louco furioso pode pretender legislar a igualdade”

“O Governo deve explicações – detalhadas – aos algarvios pelos sucessivos atrasos na requalificação da EN 125” > Paulo Sá Deputado do PCP

O Movimento Revolução Branca é um movimento moralista e fundamentalista” > Francisco Amaral Presidente da Câmara de Alcoutim

> António José Seguro Secretário-geral do PS

Vasco Pulido Valente Público

foto-aplauso Macário Correia Presidente da Câmara de Faro

O STA decidiu suspender o acórdão que condenava Macário Correia à perda de mandato. O pedido de uniformização de jurisprudência foi aceite, tendo o STA admitido que existem decisões diferentes em matérias semelhantes.

> pág. 6

“Desertado o criador [Miguel Relvas], o que resta à criatura [Passos Coelho]? “

Jerónimo de Sousa DN

Parabéns a você... Rogério Bacalhau, candidato à CM Faro, foi apanhado pela imprensa no Restaurante Palhacinho em Faro. Fez 51 anos e foi obrigado a soprar as velinhas... com um queque.

foto-aplauso Elidérico Viegas Presidente da AHETA

A AHETA criticou um plano que afinal ainda não existe.”O que foi aprovado a 22 de Março foi a metodologia e os mecanismos de participação para a elaboração do plano”, observou o presidente da CCDR, David Santos

> pág. 10 12|04|13

o algarve

Malabarismos. Cada vez mais, com a crise, tentamos não deixar cair por terra projectos e instituições. Mas não basta vontade, é preciso saber. “Quem tem unhas, toca guitarra”. Quem não tem...

// 5


// concelhos

C

concelhos

Vitorino organiza 1º Congresso da Cidadania FARO A Aliança Cívica Salvar Faro, Com Coração, plataforma de apoio à recandidatura de José Vitorino à presidência da autarquia, realiza no próximo dia 20, na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, o 1º Congresso da Cidadania do Concelho de Faro. “É um Congresso dos cidadãos e para os cidadãos, em que o objectivo é dar um «safanão» mobilizador para salvar Faro, percorrendo novos caminhos de esperança com a força da cidadania independente, sem ligações partidárias”, refere em comunicado. O congresso, adianta o movimento independente, é o culminar de dezenas de reuniões de reflexão e contactos directos com a realidade realizadas desde há quatro meses, que permitiram concluir estar-se perante uma situação muito complexa e desesperante. “Os jovens e população em geral temem pelo futuro, e são dramáticas as situações nos domínios social, económico, desemprego, falências e vida associativa”, destaca. Segundo a Aliança Cívica, “foi constatado que Faro tem potencial, mas precisa de um novo projecto sustentável, com justiça social e tornando a capital [do Algarve] atractiva e amigável, mobilizando a geração presente e dando esperança à juventude. No encontro serão analisados os diversos sectores e abrangendo toda a área geográfica do concelho, “com apresentação de propostas de solução”.

6 //

Gabriel, o Pensador na Semana Académica FARO O brasileiro Gabriel, o Pensador, Orelha Negra, Blasted Mechanism, Mónica Sintra, Os Dias de Raiva, Tara Perdida, Quim Barreiros, Frankie Chavez, Macacos do Chinês, Richie Campbell e DJ Ride são alguns dos principais nomes do cartaz da 28ª Semana Académica da Universidade do Algarve. A edição de 2013 realiza-se entre 2 e 11 de Maio, mais uma vez junto ao complexo desportivo da Penha. Outras das actividades promovidas durante o evento são a estreia da peça de teatro «Cidade Autoada», pelo Sin-Cera, o grupo de teatro da Universidade do Algarve, e o Faro Júnior e Sénior, que convidam crianças e idosos a viver o espírito académico. A Associação Académica vai também convidar os alunos para uma visita empresarial. Uma mega aula de zumba, um workshop de alimentação e uma experiência de cinema, promovida por alunos de Artes Visuais, são outras das acções previstas.

STA suspende acórdão que condenava Macário FARO O STA – Supremo Tribunal Administrativo decidiu suspender o acórdão emitido em Junho que condenava Macário Correia à perda de mandato. Após a recusa em analisar três recursos apresentados pelo autarca ao TC – Tribunal Constitucional, o processo foi novamente remetido para o STA, tribunal a que Macário Correia dirigiu um pedido de uniformização de jurisprudência, o qual foi agora aceite. “Admito, por tempestivo, o recurso interposto, que suscita imediatamente e em efeito suspensivo”, lê-se no despacho do STA endereçada ao advogado do presidente da Câmara de Faro, datada de 28 de Março. O STA deverá agora produzir novo acórdão, para doutrina futura, por ter considerado que existem decisões diferentes em matérias semelhantes, o que impõe uma uniformização de jurisprudência. Em causa está um pedido de uniformização de jurisprudência apresentado por Macário Correia, alegando que em casos idênticos ao seu os tribunais produziram, no passado, decisões diferentes

STA admitiu que existem decisões diferentes em matérias semelhantes da de perda de mandato. Macário Correia tinha sido condenado por irregularidades em processos de licenciamento de obras particulares na serra de Tavira, quando ainda presidia àquela autarquia. No entanto, alguns dos sete casos enumerados no acórdão de Junho não se concretizaram pelo facto de os processos terem caducado, não tendo as obras tido lugar. Antes desta decisão, o TC tinha, em Janeiro, negado apreciar um recurso do autarca, em Fevereiro recusado um pedido de aclaração e em Março recusado um pedido de arguição de nulidade.

O PSD, alegadamente por decisão do actual presidente, optou por não recandidatar Macário Correia a um novo mandato na Câmara de Faro para não prejudicar o calendário eleitoral. O partido já anunciou que Rogério Bacalhau, vice-presidente do município, será o candidato do PSD às eleições autárquicas deste ano.

Sair da sombra de Macário Luís Graça, presidente da concelhia de Faro do PS, desafiou Rogério Bacalhau, enquanto candidato “oficial” do PSD à Câmara de Faro, a

“sair da sombra de Macário Correia” e a “dizer o que pensa sobre Faro e o que propõe para resolver os problemas dos farenses”. “Neste campo, Paulo Neves, candidato do Partido Socialista à Câmara de Faro, já avançou com um primeiro objectivo: dinamizar a baixa de Faro e o comércio tradicional, levando para a baixa serviços camarários que atraiam mais pessoas e criando um centro de reuniões e de congressos na Rua de Santo António, envolvendo para tal os hoteleiros”, escreveu o líder da distrital socialista na sua página do Facebook.

PCP questiona falta de apoio da Segurança Social à CIMFARO FARO O PCP questionou o Ministério da Solidariedade e Segurança Social sobre os motivos que têm levado a Segurança Social a negar apoio financeiro à CIMFARO – Casa do Idoso do Meio Rural de Faro. A Segundo o deputado Paulo Sá, eleito pelo Algarve, que assina o requerimento, os apoios da autarquia à instituição têm vindo, nos últimos anos, a diminuir, “o que coloca em risco” a sua actividade e, em última análise, a sua própria existência. “Em 2013, o financiamento já assegurado apenas cobre parcialmente as necessidades

da CIMFARO”, refere o parlamentar comunista. Ainda de acordo com Paulo Sá, desde a sua criação, a CIMFARO tem tentado junto da Segurança Social obter

apoio financeiro para as suas actividades. “Contudo, esse apoio sempre lhe tem sido negado pelo facto de, alegadamente, a Segurança Social considerar

as actividades desenvolvidas por esta instituição como atípicas”, assinala o deputado. Assim, o PCP questionou o Ministério da Solidariedade e Segurança Social sobre os motivos que têm levado a Segurança Social a negar apoio financeiro à CIMFARO e sobre a disponibilidade do Governo para, através da Segurança Social, apoiar a instituição, contribuindo, desse modo, para que a instituição particular de solidariedade social “possa continuar a desenvolver a sua actividade em prol dos cidadãos mais idosos do concelho de Faro”.

o algarve 12|04|13


// concelhos

BE pede demissão do CA do CHBA PORTIMÃO O Bloco de Esquerda pediu “a demissão imediata” do conselho de administração do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio (CHBA), depois do “caos” verificado no primeiro dia de estacionamento pago no Hospital de Portimão. A coordenadora concelhia de Portimão dos bloquistas referiu que “a situação gerou uma enorme confusão e o caos total nos acessos ao hospital”, colocando “em perigo” doentes e feridos, uma vez que as viaturas do INEM e as ambulâncias ficaram retidas nas filas de trânsito, que chegaram a atingir quilómetros nas direcções de Cardosas e de Malheiro. Muitas pessoas desistiram de ser atendidas no hospital e muitos funcionários desta

unidade hospitalar não conseguiram estacionar as suas viaturas nos parques grátis, “ao contrário dos elementos da administração, que dispõem de lugares reservados no parque subterrâneo”,revela o comunicado do BE/Portimão. “Tudo isto é um escândalo e uma vergonha sem limites

e o responsável por tal é o conselho de administração do CHBA que se encontra às ordens do governo PSD/CDS”, sublinha a força partidária. A coordenadora concelhia do Bloco de Esquerda de Portimão exige, novamente, a revogação da medida que consideram “discricionária, injusta e muito penalizadora dos utentes do hospital”. “Por todas estas medidas ridículas, incompetentes, injustas e muito gravosas para utentes e funcionários hospitalares, o Bloco de Esquerda de Portimão apela à indignação e revolta de utentes e populações e vem igualmente exigir a demissão de todo o conselho de administração do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio”, conclui o comunicado bloquista.

VENDA FARO

FLORENTINO MATOS LUIS, Administrador de Insolvência, com escritório na Avenida Almirante Gago Coutinho, 48-A - 1700031 LISBOA, nomeado nos Autos de Insolvência nº. 1435/12.1TBFAR, a correr termos pelo 2º. Juízo Cível do Tribunal Judicial de Faro, em que foi declarada insolvente VIDROS, ESPELHOS E CRISTAIS, ESTRELA DO ALGARVE, LDª., faz saber que, por deliberação da Assembleia de Credores, vai proceder à venda no estado físico e jurídico em que se encontram, por negociação particular e por meio de propostas que serão remetidas em carta fechada, dos seguintes bens: Verba n.º 1 Um lote composto por: 1 central telefónica da marca Siemens; 2 cadeiras c/ estrutura metálica e estofo de cor creme; 2 cadeiras c/ rodízios e estofo de cor cinza; 1 mesa de cor cinza c/ tampo oval; 3 secretárias de cor cinza, sendo 2 c/ 3 gavetas e 1 c/ 7 gavetas; 6 cadeiras estofadas a pele preta, sendo 5 c/ braços e 1 s/ braços; 1 armário de cor cinza c/ 2 portas; 1 mesa de reuniões; 2 secretárias de cor castanho, sendo 1 c/ 3 gavetas e outra c/ 9 gavetas; 1 móvel para computador; 1 armário metálico de cor cinza c/ 2 portas; e 1 móvel de madeira c/portas de vidro, tudo em razoável estado de conservação, pelo valor base de ··················································································································································································································································· 350,00 € Verba n.º 4 Uma linha de vidro duplo, composta por: 1 máquina de encher sais, da marca OPTIMAC; 1 butiladora da marca OPTIMAC; 1 extrusora hidráulica de dois componentes da marca MARVAL; 1 mesa de selar basculante; e 1 seladora a quente da marca OPTIMAC, tudo em razoável estado de conservação, pelo valor base de ······························································································ 7.350,00 € Verba n.º 10 Três quotas, nos valores de 11.250,00; 1.500,00 e 1.000,00 €, no capital social de 25.000,00 €, da sociedade VIDRO-PAX, LDª. com o NIPC 502372249. Para estas quotas recebem-se propostas. Para efeito da apresentação das propostas, os bens podem ser vistos mediante marcação pelos telefones 218 406 953 ou 917 247 040. REGULAMENTO: • As propostas serão remetidas, até ao dia 24/04/2013, que inclui a data do registo de expedição dos CTT, remetidas em envelope fechado, por sua vez introduzido em carta registada, dirigida ao Administrador da Insolvência de VIDROS, ESPELHOS E CRISTAIS, ESTRELA DO ALGARVE, LDª., Florentino Matos Luis, com escritório na Avenida Almirante Gago Coutinho, nº. 48-A, 1700-031 LISBOA. • As propostas deverão ser de valor igual ou superior ao de base de licitação e conter: nome ou denominação completa da entidade proponente; morada ou sede social; número de contribuinte ou de pessoa colectiva; representante, em caso de pessoa colectiva, indicação de telefone e/ou fax de contacto e valor oferecido por extenso. • A abertura das propostas realizar-se-à no dia 30/04/2013, pelas 14H00, nas ex-instalações da insolvente, sitas na Rua Emissor Regional, 6 – Faro, perante o Administrador da Insolvência e os Senhores Credores que pretendam assistir, onde deverão comparecer os proponentes, condição para que as s/ propostas sejam aceites. Serão excluídas as propostas que não contenham todos os elementos solicitados. • Desde que exista mais que um proponente com propostas válidas para o referido bem, serão estes convidados a licitarem entre si, cujo valor base de licitação será o da melhor proposta recebida, o que se fará (no mesmo local) pelas 14H30 do referido dia. • Se os bens forem adjudicados, o promitente comprador entregará, dois cheques, um referente ao valor do preço e outro ao valor do IVA. • Caberá ao Meretíssimo Juíz do processo de insolvência, a resolução de todas e quaisquer questões surgidas, que não estejam contempladas no presente regulamento. O Administrador da Insolvência (Florentino Matos Luis) Semanário O Algarve, edição nº 215, de 12 de Abril de 2012

12|04|13

o algarve

// 7


Luísa Condeço falha ouro por seis segundos TRIATLO Luísa Condeço conquistou no domingo a medalha de prata na Taça da Europa de Triatlo júnior feminina, que decorreu em Quarteira, uma prova ganha pela eslovaca Ivana Kuriackova, enquanto em masculinos Francisco Machado foi quinto. A atleta do Águias de Alpiarça igualou o resultado alcançado há um ano em Quarteira, sendo que o terceiro lugar do pódio foi para a espanhola Laura Gomez. Condeço falhou a medalha de ouro por apenas seis segundos (1:04.33), já que Kuriackova completou os três segmentos que compõem o triatlo (natação, ciclismo e corrida) em 1:04.27. Em juniores masculinos, Francisco Machado voltou a ser o melhor português em prova, ao terminar em quinto, gastando 56.37 minutos para completar a prova ganha pelo francês Raphael Montoya (56.03), seguido do holandês Jorik Van Egdom e do irlandês Constantine Doherty. Sábado, em Elites, a vitória, em femininos, foi para a actual campeã do mundo de triatlo de sub-23, a britânica Non Stanford, enquanto em masculinos, a vitória foi para o espanhol Fernando Alarza. Entre os portugueses foi Filipe Azevedo quem, na estreia no escalão Elite, cruzou primeiro a linha de meta, na 11.ª posição, pontuando também pela primeira vez para o «ranking» mundial. Seguiram-se Vasco Pessoa (12.º), Rafael Ribeiro (13.º), Bruno Pais (14.º) e Pedro Mendes (19.º).

Miguel Praia compete no Brasil MOTOCICLISMO O O piloto algarvio Miguel Praia vai estrear-se no campeonato brasileiro de Moto 1000 GP, no dia 21 de Abril, no circuito de Interlagos, em São Paulo, ao serviço da Center Moto Racing Team.

8 //

D

Miguel Nascimento conquista ouro

desporto

FUTEBOL O Desportivo das Aves e o Portimonense empataram domingo sem golos, num encontro da 34ª jornada da II Liga de futebol. As equipas arrancaram o encontro a lutar de igual para igual, mas foram poucos os lances de perigo capazes de assustar os guarda-redes que, durante a primeira metade, quase se limitaram a assistir ao encontro. Já em tempo de descontos, Quinaz, que já tinha visto um cartão amarelo, aos 16 minutos, simulou uma grande penalidade, e Olegário Benquerença mostrou o segundo e expulsou o jogador, deixando o Portimonense reduzido a 10 jogadores. Depois do descanso, o Portimonense entrou com ritmo, mas sem sucesso.

Os dois golos foram marcados pelo Benfica na segunda parte do jogo

Olhanense perde, mas não desce FUTEBOL O Olhanense foi derrotado no domingo pelo Benfica, por 0-2, com golos de Salvio e Matic, dois jogadores em “dúvida” à partida para o encontro da 25.ª jornada da Liga Zon Sagres. Apesar do resultado negativo, a equipa algarvia mantém-se fora da zona da descida. Após uma primeira parte de domínio exclusivamente “encarnado”, não materializado em golos, o Benfica decidiu o jogo no início do segundo tempo, com tentos do extremo argentino Salvio (52) e do “trinco” sérvio Matic (64). O líder do campeonato, que somava três empates em Olhão desde que os algarvios regressaram ao escalão principal, quebrou a tradição recente e tem agora 67 pontos, colocando pressão no FC Porto, segundo classificado com menos sete pontos e menos um jogo (segunda-feira, com o Sporting de Braga). Já o Olhanense, continua fora da zona de descida, no 13.º lugar, com 21 pontos, os mesmos do 15.º e penúltimo posto, mas apenas a dois do 11.º lugar, ocupado pelo Vit. Setúbal. O arranque da partida mostrou um Benfica bastante activo, pressionante e ansioso por resolver a questão

de forma rápida, criando três excelentes ocasiões, todas elas desperdiçadas, nos primeiros 20 minutos. Perante um Olhanense exclusivamente preocupado em defender e que não rematou uma única vez no primeiro tempo, o ritmo do líder do campeonato foi caindo aos poucos, com excepção de dois momentos de perigo causados por Lima (40 e 45+1) antes do intervalo. O início do segundo tempo teve pouca chama mas, curiosamente, foi nesse período que o Benfica chegou à vantagem e decidiu a partida, com contribuição decisiva de três elementos dados como “condicionados” (Salvio, Matic e Enzo Pérez). Aos 52 minutos, Salvio pegou na bola no “miolo”, progrediu alguns metros, sem oposição dos locais, e à entrada da área, atirou rasteiro, com a bola a entrar junto ao poste direito da baliza algarvia. Manuel Cajuda respondeu à desvantagem com uma dupla substituição, apostando em Leandro e David Silva, mas sem resultados práticos imediatos, uma vez que o Benfica aumentaria a diferença aos 64 minutos, noutro excelente remate de fora da área, desta vez do sérvio Matic, após passe de Enzo Pérez.

Golos

1

pormenores

// desporto

2

Tento do extremo argentino Salvio aos 52 minutos Sérvio Matic marca o segundo golo da equipa aos 64 minutos

NATAÇÃO O nadador algarvio Miguel Nascimento conquistou no domingo uma medalha de ouro, nos 100 metros costas, e outra de prata, nos 50 livres, na sessão da tarde dos Multinations Junior Meet em natação, que estão a decorrer em Kiev, na Ucrânia. Depois de ter conquistado a medalha de prata nos 200 m costas na jornada matinal, onde obteve mínimos para os Europeus e Mundiais de juniores, o nadador da Portinado mostrou que se encontra em grande forma, ao nadar as duas distâncias com tempos abaixo dos mínimos exigidos para as provas internacionais. Os Europeus de juniores realizam-se em Poznan, Polónia, de 10 a 14 de Julho, enquanto os Mundiais da categoria estão agendados para o Dubai, em Agosto.

Algarvio vence Prémio de Marcha MARCHA O algarvio João Vieira e a russa Elena Lashmanova ganharam no sábado a 22ª edição do Grande Prémio de Marcha de Rio Maior. Na prova feminina, Ana Cabecinha (Clube Oriental de Pechão) foi a melhor portuguesa, ao terminar no 3.º lugar. João Vieira e o seu irmão Sérgio Vieira, naturais de Portimão, obtiveram os mínimos A para os Campeonatos do Mundo de Moscovo, em Agosto. A prova masculina, de 20 km, ficou decidida pouco antes da meta, quando o guatemalteco Erick Barrondo, vice-campeão olímpico, foi desclassificado, deixando João Vieira isolado, na frente. A prova feminina, também de 20 km, teve como natural vencedora a russa Lashmanova, campeã olímpica, que gastou 1:28.19. Mirna Ortiz, da Guatemala, foi segunda, e Ana Cabecinha, já seleccionada para os Mundiais, completou o pódio com 1:29.21. Classificada em 4.º lugar, com 1:29.56, Inês Henriques garantiu a segunda vaga portuguesa para Moscovo.

o algarve 12|04|13


Programa nacional de marcha e corrida

VENDA

VENDA

FARO

SÃO BRÁS DE ALPORTEL

FLORENTINO MATOS LUIS, Administrador de Insolvência, com escritório na Avenida Almirante Gago Coutinho, 48-A - 1700031 LISBOA, nomeado nos Autos de Insolvência nº. 1435/12.1TBFAR, a correr termos pelo 2º. Juízo Cível do Tribunal Judicial de Faro, em que foi declarada insolvente VIDROS, ESPELHOS E CRISTAIS, ESTRELA DO ALGARVE, LDª., faz saber que, por deliberação da Assembleia de Credores, vai proceder à venda no estado físico e jurídico em que se encontram, por negociação particular e por meio de propostas que serão remetidas em carta fechada, dos seguintes bens:

Insolvência de DAVID MANUEL GUERREIRO MADEIRA e GUILHERMINA ROSSANA VARELA AFONSO GUERREIRO

Verba n.º 1 Um lote composto por: 1 central telefónica da marca Siemens; 2 cadeiras c/ estrutura metálica e estofo de cor creme; 2 cadeiras c/ rodízios e estofo de cor cinza; 1 mesa de cor cinza c/ tampo oval; 3 secretárias de cor cinza, sendo 2 c/ 3 gavetas e 1 c/ 7 gavetas; 6 cadeiras estofadas a pele preta, sendo 5 c/ braços e 1 s/ braços; 1 armário de cor cinza c/ 2 portas; 1 mesa de reuniões; 2 secretárias de cor castanho, sendo 1 c/ 3 gavetas e outra c/ 9 gavetas; 1 móvel para computador; 1 armário metálico de cor cinza c/ 2 portas; e 1 móvel de madeira c/portas de vidro, tudo em razoável estado de conservação, pelo valor base de ··················································································································································································································································· 350,00 € Verba n.º 4 Uma linha de vidro duplo, composta por: 1 máquina de encher sais, da marca OPTIMAC; 1 butiladora da marca OPTIMAC; 1 extrusora hidráulica de dois componentes da marca MARVAL; 1 mesa de selar basculante; e 1 seladora a quente da marca OPTIMAC, tudo em razoável estado de conservação, pelo valor base de ······························································································ 7.350,00 € Verba n.º 10 Três quotas, nos valores de 11.250,00; 1.500,00 e 1.000,00 €, no capital social de 25.000,00 €, da sociedade VIDRO-PAX, LDª. com o NIPC 502372249. Para estas quotas recebem-se propostas.

Belas paisagens no Rogil!

Para efeito da apresentação das propostas, os bens podem ser vistos mediante marcação pelos telefones 218406953 ou 917247040. REGULAMENTO: • As propostas serão remetidas, até ao dia 24/04/2013, que inclui a data do registo de expedição dos CTT, remetidas em envelope fechado, por sua vez introduzido em carta registada, dirigida ao Administrador da Insolvência de VIDROS, ESPEpassado corrida doescritório Algar-na Avenida quatro e oito quilómetros LHOS ENo CRISTAIS, ESTRELAdomingo, DO ALGARVE, LDª.,marcha Florentino Matos Luis, com Almirante Gago Coutinho, nº.dia 48-A, 1700-031 LISBOA. Rogil foi 7 de Abril, ve. Esta actividade contou realizados em campo. A or• As palco propostasda deverão ser de valor igual ou superior de base de licitação e conter: ou denominação completa da primeira activicomao a presença de cerca de nome ganização desta iniciativa entidade proponente; morada ou sede social; número de contribuinte ou de pessoa colectiva; representante, em caso de dade do mês, no âmbito 450 pessoas, que puderam esteve a cargo da Câmara pessoa colectiva, indicação de telefone e/ou fax de contacto e valor oferecido por extenso.

do calendário regional deno diaoptar por dois de Municipal de Aljezur. • A abertura das propostas realizar-se-à 30/04/2013, pelaspercursos 14H00, nas ex-instalações da insolvente, sitas na Rua Emissor Regional, 6 – Faro, perante o Administrador da Insolvência e os Senhores Credores que pretendam assistir, onde deverão comparecer os proponentes, condição para que as s/ propostas sejam aceites. Serão excluídas as propostas que não contenham todos os elementos solicitados.

Próxima actividade: Moncarapacho

• Desde que exista mais que um proponente com propostas válidas para o referido bem, serão estes convidados a licitarem entre si, cujo valor base de licitação será o da melhor proposta recebida, o que se fará (no mesmo local) pelas 14H30 do › Dia: 14 de Abril › Organização: referido dia.

Freguesia dereferente Moncarapacho • Se ›osHora: bens forem adjudicados, o promitente10 comprador entregará, dois cheques, um ao valor do preço e outro ao valor do IVA.

› Contactos e inscrições: › Local de concentração: • Caberá ao Meretíssimo Juíz do processo de insolvência, a resoluçãogeral@jf-moncarapacho.pt de todas e quaisquer questões surgidas, que não Prç. Major João Xavierregulamento. Castanheda estejam contempladas no presente › Telefone: O Administrador da Insolvência › Percurso: 6-9(Florentino Km 289 792 158 Matos Luis) › Tipo de percurso: Campo Semanário O Algarve, edição nº 215, de 12 289 de Abril792 de 2012375 › Fax:

FLORENTINO MATOS LUIS, Administrador de Insolvência, com escritório na Avenida Almirante Gago Coutinho, 48-A - 1700031 LISBOA, nomeado nos Autos de Insolvência Proc.º n.º 215/12.9TBFAR, a correr termos pelo 2º. Juízo Cível do Tribunal Judicial de Faro, em que foi declarada insolvente DAVID MANUEL GUERREIRO MADEIRA e GUILHERMINA ROSSANA VARELA AFONSO GUERREIRO, faz saber que, por deliberação da Assembleia de Credores de Apreciação do Relatório, vai proceder à venda no estado físico e jurídico em que se encontra, por negociação particular e por meio de propostas que serão remetidas em carta fechada, do seguinte bem: Verba Única Fracção autónoma, designada pela letra “C”, correspondente ao rés-do-chão direito, destinado a habitação, com 4 assoalhadas, cozinha, 2 casas de banho, 3 corredores, despensa, incluindo estacionamento na cave c/ o nº. E-22 e compartimento no sótão c/ o nº. A-2, sito na Rua Luis Bivar, Lote 4, 8150-156 SÃO BRÁS DE ALPORTEL, inscrito na matriz sob o nº. 8190 e descrito na Conservatória do Registo Predial de São Brás de Alportel sob o nº. 10514/040696-C, da freguesia de São Brás de Alportel, pelo valor base de ································································································································································································ 80.000,00 € Para efeito da apresentação das propostas, os bens podem ser vistos mediante marcação pelos telefones 218 406 953 ou 917 247 040. REGULAMENTO: • As propostas serão remetidas, até ao dia 24/04/2013, que inclui a data do registo de expedição dos CTT, remetidas em envelope fechado, por sua vez introduzido em carta registada, dirigida ao Administrador da Insolvência de DAVID MANUEL GUERREIRO MADEIRA e GUILHERMINA ROSSANA VARELA AFONSO GUERREIRO, Florentino Matos Luis, com escritório na Avenida Almirante Gago Coutinho, nº. 48-A, 1700-031 LISBOA, Telef. 21 8406953. • As propostas deverão ser de valor igual ou superior ao de base de licitação e conter: nome ou denominação completa da entidade proponente; morada ou sede social; número de contribuinte ou de pessoa colectiva; representante, em caso de pessoa colectiva, indicação de telefone e/ou fax de contacto e valor oferecido por extenso. • A abertura das propostas realizar-se-à no dia 30/04/2013, pelas 16H00, na própria fracção, sita na Rua Luis Bivar, Lote 4, r/c dtº., em S. Brás de Alportel, perante o Administrador da Insolvência e dos Senhores Credores, onde deverão comparecer os proponentes, condição para que as s/ propostas sejam aceites. Serão excluídas as propostas que não contenham todos os elementos solicitados. • Desde que exista mais que um proponente com propostas válidas serão os mesmos convidados a licitarem entre si a compra do bem, cujo valor base de licitação será o da melhor proposta recebida, o que se fará (no mesmo local) pelas 16H30 do referido dia. • Se o bm for adjudicado, o promitente comprador entregará, um cheque referente a 25% do valor do preço, a título de sinal; • A competente escritura de compra e venda, será realizada no prazo máximo de 60 dias, em data, hora e local a notificar ao comprador. • Se não for possível realizar a escritura por razões imputáveis ao promitente comprador, este perderá o sinal já entregue e atrás referido. • Serão de conta do comprador todos os encargos legais decorrentes da compra, designadamente o IMT, escritura e registos. São igualmente por conta do comprador os encargos de emolumentos com o cancelamento dos ónus existentes. • Caberá ao Meretíssimo Juíz do processo de insolvência, a resolução de todas e quaisquer questões surgidas, que não estejam contempladas no presente regulamento. O Administrador da Insolvência (Florentino Matos Luis) Semanário O Algarve, edição nº 215, de 12 de Abril de 2012

Iniciativa com o apoio de:

12|04|13

o algarve

// 9


// economia

Aromas e cinema na escola de hotelaria Termina hoje, dia 12, a 10º Edição do Flavours & Cinema, a decorrer na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve. Alunos portugueses e italianos, chefs galardoados e jurados, juntam-se num evento onde se funde o cinema e a nouvelle cousine. Este ano, participam na competição a escola italiana IPSSAR S.P. Malatesta, as escolas de hotelaria e turismo de Portalegre, Coimbra, Vila Real de Santo António, Portimão e a Escola de Formação Turística e Hoteleira de Ponta Delgada. A competição inclui provas de cozinha, decoração e serviços, inspirados na Sétima Arte, onde os alunos se servirão dos temas de filmes como A Vida é Bela e Moulin Rouge para elaborar as suas receitas e decoração dos espaços. O concurso contará com o escrutínio dos jurados galardoados «Estrela Michelin», os chefs Leonel Pereira e Henrique Leis.

Fernando Pereira no aniversário do Aqua O Centro Comercial Aqua Portimão comemora a 14 de Abril o seu 2º aniversário. Para assinalar a efeméride, Fernando Pereira, conhecido artista português, actua, com imitações dos mais variados cantores, a partir das 17 horas, no piso 2. O Aqua Portimão é o maior espaço comercial de todo o barlavento algarvio. Tem uma área de cerca de 35 500 metros quadrados, 117 lojas, nove lojas âncora e mais de 20 restaurantes, distribuídos por três pisos. Conta com um hipermercado Jumbo, com cerca de 11 750 metros quadrados de área total, e disponibiliza 1 800 lugares de estacionamento em três pisos abaixo do solo.

10 //

E

primeiro nível RENT-A-CAR A Enterprise Rent-A-Car, a maior empresa de aluguer de veículos do Mundo, abriu agências nos quatro principais aeroportos de Portugal, incluindo o de Faro, na sequência de um acordo de franchise com a empresa Guerin Car Rental Solutions. Nos últimos 18 meses, a Enterprise tem apostado na construção de uma rede europeia, tanto através de aquisições, como de acordos de franchise, com empresas de referência em territórios estratégicos para o turismo e negócios.

economia

Breves TURISMO A hospitalidade e a simpatia dos portugueses é destacada num indicador que mede quais os países que melhor acolhem os seus turistas, no âmbito de um estudo feito pelo Fórum Economia Mundial para avaliar a competitividade dos diferentes países em viagens e turismo. Numa lista de 140 países, Portugal aparece em 7.º lugar (com uma cotação de 6,65 num máximo de sete valores) entre os que melhor acolhem os visitantes.

Municípios vão ter 50 milhões para «Reabilitar para Arrendar» O Governo vai colocar à disposição das autarquias 50 milhões de euros, provenientes de linhas de crédito do BEI – Banco Europeu de Investimento, para a recuperação de edifícios nos centros urbanos, no âmbito do programa «Reabilitar para Arrendar», anunciou a ministra Assunção Cristas. Os municípios vão poder candidatar-se a este programa até ao dia 6 de Junho, apresentando projectos destinados a rendas apoiadas ou condicionadas. Com uma taxa de juro de três por cento, para além das autarquias, o programa destina-se também a empresas e a sociedades de reabilitação urbana. O financiamen-

A verba é proveniente de linhas de crédito do BEI to será feito por um prazo de 30 anos, sendo os primeiros dez de carência de capital. Os custos do investimento total de cada intervenção serão financiados em 50 por cento. Este programa aprovei-

ta linhas antigas do BEI que não tinham sido usadas por “incapacidade de absorção, nomeadamente por parte dos municípios”, adiantou a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território.

Com uma nova negociação com o BEI, foram alocados 50 milhões de euros para o Reabilitar para Arrendar, informou a ministra. A ministra sublinhou que o programa responde a um novo paradigma, que não passa mais pela construção de bairros sociais, mas por “pegar no que existe nas cidades e regenerá-las também por dentro”. O Governo está também empenhado em encontrar uma resposta para os privados, nesse sentido, o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana está em negociações com o BEI para encontrar “soluções específicas” para estes casos.

David Santos considera crítica da AHETA “extemporânea e desajustada” A CCDR – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve considerou “extemporânea e desajustada” a crítica ao PAR – Plano de Acção Regional feita pela maior associação hoteleira da região, afirmando que o mesmo “ainda não existe”. “A reacção crítica ao PAR é perfeitamente extemporânea e desajustada. O que foi

aprovado a 22 de Março foi a metodologia e os mecanismos de participação para a elaboração do plano”, observou o presidente da CCDR, David Santos, em nota enviada à agência Lusa. A AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve manifestou-se contra o PAR, inserido no Quadro Comunitário de

Apoio 2014-2020, alegando que o mesmo ignora os apoios financeiros para o turismo do Algarve. Segundo David Santos, o debate do PAR tem vindo a afirmar e a reforçar “a necessidade de melhorar a solidez das empresas do sector e a competitividade da actividade turística, base indispensável e incontornável do modelo

económico regional”. A CCDR manifestou-se “solidária com os problemas estruturais que afectam o sector”, mas alega que não cabe à programação dos fundos comunitários resolver ou propor reformas estruturais em sectores reclamados pela AHETA, entre os quais a justiça, saúde, gestão aeroportuária e produtividade das empresas.

o algarve 12|04|13


// economia

TRANSPORTES O movimento no Porto de Faro cresceu 50 por cento no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao período homólogo de 2012, revelou a infra-estrutura portuária, em comunicado. Neste período, o porto farense atingiu as 90 mil toneladas de carga movimentada com destino ao Norte de África e a Cabo Verde. “O Porto de Faro vem apoiando de forma crescente a exportação da produção do Algarve por via marítima, favorecendo em simultâneo a diversificação da base económica regional”, refere o comunicado.

HOTELARIA Mais de 130 unidades de alojamento do Algarve ofereceram pacotes de férias com descontos até 60 por cento durante a 11.ª edição da «Mundo Abreu», realizada no fim-de-semana passado na FIL, em Lisboa. O «Espaço Algarve», com módulos dedicados em exclusivo à hotelaria do destino, representou metade (37 stands de hotéis) da oferta turística do continente em venda na feira. Durante o certame, foram também distribuídas ofertas e material promocional.

IEFP lança 11 cursos de aprendizagem em sete concelhos do Algarve O IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional realiza durante o mês de Abril cerca de uma dúzia de cursos de aprendizagem em sete concelhos da região. Em Portimão está disponível o curso de aprendizagem para técnico de mesa e bar, de multimédia e de contabilida-

de; em Silves o de técnico/a de produção agrária; em Faro os cursos de vitrinismo e informática – sistemas; em Olhão o de técnico comercial; em Loulé os cursos de logística e de informática – e instalação e gestão de redes; em Tavira o de técnico comercial; e em Vila Real de Santo António o

de técnico de informática – e sistemas. A inscrição para as acções pode ser feita nos serviços de emprego do IEFP. Os cursos de aprendizagem destinam-se a jovens com idade inferior a 25 anos, são de dupla certificação e assentes na articulação entre

três componentes formativas: a escolar, a profissional e a experiência numa empresa, permitindo obter uma qualificação profissional de nível 4 e uma certificação escolar de 12º ano. Nestes cursos, os formandos aprendem em dois contextos distintos, mas complemen-

tares: na entidade formadora e na empresa. A formação na empresa tem uma duração aproximada de 1 500 horas, num percurso com um total aproximado de 3 200 horas. Nestes cursos, os formandos aprendem em dois contextos distintos, mas complementares: na entidade formadora

e na empresa. A formação na empresa tem uma duração aproximada de 1 500 horas, num percurso com um total aproximado de 3 200 horas. Em 2012, o IEFP Algarve deu formação a mais de 1 300 jovens nesta modalidade de formação.

Ofertas dos Centros de Emprego // falar e escrever com fluencia a lingua inglesa - Almancil

Faro Rua Drº Cândido Guerreiro, 41 r/chão 8000-318 FARO tel.: 289 890 100 e-mail: cte.faro@iefp.pt

Ajudante de Cozinha

588 061 604 - Duração 6 meses

nº oferta:

- Com experiência - Sé - Faro

Esteticista

588 018 065 - Duração 6 meses

nº oferta:

- Com experiência - Sé - Faro

Cozinheiro/a

nº oferta:

Confecionador de Gelados nº oferta: 588 061 755 - Duração 6 meses. Com experiência na profissão - Vilamoura Cabeleireiro nº oferta:

Cozinheiro nº oferta:

588 061 038 - Duração 6 meses - Com experiência - Olhão

Ajudante Familiar

588 060 994 - Duração 6 meses -

nº oferta:

Com experiência - S. Brás de Alportel

Loulé Avenida 25 de Abril, 33, 8100-506 LOULÉ tel.: 289 400 300 e-mail: cte.loule@iefp.pt

Chefe de Departamento nº oferta: 588 011 105 - Duração 6 meses. Com experiência na gestão de equipas de pelo menos 5 colaboradores em ambiente de helpdesk. Deverá saber

12|04|13

o algarve

588 011 468 - Duração 4 meses. Com experiência na profissão e categoria de 1ª ou 2ª, para trabalhar em hotel de 5 estrelas. Deverá possuir conhecimentos de inglês - Almancil

Técnico Manutenção Máquinas Industriais nº oferta:

588 009 186 - Duração 12 meses.

Com experiência na profissão ou formação adequada tendo em conta a área de trabalho - Almancil

- Com experiência - Olhão

Diretor de Mediação de Seguros nº oferta: 588061080 - Duração 6 meses - Com experiência - Olhão

588 018 407 - Duração 6 meses. Com experiência de pelo menos 2 anos na profissão - Guia

Lagos Rua Teixeira Gomes Lote 1-C 8600-587 LAGOS tel.: 282 780 100 e-mail: cte.lagos@iefp.pt

Estofador nº oferta:

588 041 045 - Com

Ajudante Cabeleireiro nº oferta:

nº oferta:

588 003 493 - Maquinista

Prático de 3ª(barcos de recreio); com experiência e cédula marítima - S. Sebastião - Lagos

Contramestre Pescador

587 976 045 - Com formação em estética e/ou cabeleireira - Aljezur

Eletromecânico de Eletrodomésticos nº oferta: 588 016 465 - Técnico de Eletrónica de consumo, manutenção e reparação de eletrodomésticos e Lcd; carta de condução e conhecimentos de inglês - S. Maria - Lagos

Portimão Rua da Hortinha, 21-238501-854 PORTIMÃO tel.: 282 400 340 e-mail: cte.portimao@iefp.pt

Cozinheiro nº oferta:

588 055 185 - A tempo completo - Alcantarilha- Portimão

Mecânico de Automóveis nº oferta: 588 061 193 - A tempo completo - Armação de Pêra Cozinheiro nº oferta:

588 061 263 - A tempo

vrsa Rua Catarina Eufémia, 53-A 8900-255 Vila Real Santo António tel.: 281 511 133 e-mail: cte.vrsa@iefp.pt

Costureira - Vestiário por Medida nº oferta: 587 818 494 - A Tempo Completo - Duração 6 meses - Com experiência Vila Real de Santo António Padeiro nº oferta:

Operadores de Informática nº oferta: 587 840 907 - A Tempo Completo - Duração 6 meses - Com experiência do programa Ilustrator e Photoshop - Vila Real de Santo António Cozinheiro nº oferta:

588 061 972 - A tempo

completo - Armação de Pêra

Cozinheiro nº oferta:

588 062 052 - A tempo completo - Alvor

587 804 698 - A Tempo Completo - Duração 6 meses - Candidatos com seis meses de inscrição Tavira / Cabanas de Tavira

Pasteleiro nº oferta:

587 849 543 - A Tempo Completo - Duração 6 meses - Com experiência (ao abrigo do Programa Estímulo 2012) - Vila Real de Santo António

Moto-Serrista nº oferta:

587 807 889 - A Tempo Completo - Duração 6 meses - Candidatos com seis meses de inscrição - Vila Real de Santo António -

completo - Portimão

experiência - Odiaxere

Maquinistra Prático

588 003 494 - Contramestre

de embarcações de recreio com experiência comprovada na função - S. Sebastião - Lagos

Gerente de Loja

588 047 965 - Duração 6 meses

nº oferta:

nº oferta:

Transferista - Turismo nº oferta:

587 844 964 - A Tempo Completo - Duração 6 meses Com bons conhecimentos de inglês - Tavira / Santiago

// 11


// fórum

F

Cristovão Norte Deputado do PSD

Tempos exigentes

A

semana ficou marcada pela decisão do Tribunal Constitucional. Bem ou mal, é um rombo de 1300 milhões. Bem ou mal, as negociações para prorrogar as maturidades dos reembolsos dos empréstimos ficaram em dúvida. Bem ou mal, cimentase a ideia de que o TC é um tribunal político que, com muita facilidade, se desprende da sua natureza jurisdicional e invade campos que lhe estariam vedados pelo princípio da separação de poderes. Bem ou mal, que os portugueses sabem que uma crise política seria a melhor forma de empurrar o país para o precipício. O Presidente da República percebeu isso bem. O líder da oposição espalhou-se ao comprido. Uma vez mais. 2. Seguro foi ele mesmo. Atirou-se ao Governo e colocou-se, como sempre, fora da porta. Mas já não precisava. Livrou-se da sombra de António Costa e, por isso, e pelo tempo de responsabilidade que não permite agir doutra forma, podia ensaiar bases de consenso que sempre afastou por ser um líder frágil e que se alimentava do conflito para cimentar a liderança interna. Não o fez, pelo contrário.Antes do passo atrás, pediu a cabeça do Governo e reclamou ávido o poder. Assim, perde o país. 3. O Algarve sofre com coisas que não devia. O ano passado, após o sinistro episódio das portagens no Guadiana que recordaram os postos fronteiriços, a Estradas de Portugal assegurou que tal não se repetiria. Parece que se enganaram e, sobretudo, enganaram muitos visitantes que relatarão o martírio das horas perdidas. Não há melhor promoção do que as dos que cá vêm. É a custo zero se for boa, mas demolidora se assim não for. E coisas destas não são questão de dinheiro...

12 //

opinião

U Armando Mota Maestro

Electricidade

Director Mário Lino (C.P. nº 5562) mario.lino@oalgarve.com

Redacção Rodrigo Burnay (C.P. nº 7223) Coordenador rodrigo.burnay@oalgarve.com Carina Rosa (C.P. nº 8927) carina.rosa@oalgarve.com Susana Helena de Sousa (T.P. nº 1611) susana.sousa@oalgarve.com Correspondente concelhos Vila Real de S. António, Tavira, Castro Marim e Alcoutim.

Departamento Gráfico Mário Coelho mario.coelho@oalgarve.com

Departamento Comercial José Cabrita jose.cabrita@oalgarve.com Susana Bernardo susana.bernardo@oalgarve.com

Serviços Administrativos Susana Bernardo susana.bernardo@oalgarve.com

Projecto Gráfico Agostinho Franklin Comunicação Editorial defrank57@gmail.com

ma das coisas boas em que o regime do Sócrates apostou, foi a de investir nas energias renováveis. Portugal é um país pequeno e acredito que é possível obtermos uma autonomia de 80% em relação à produção de energia estando nós já no patamar dos 55%. Só o que eu não entendo são os sucessivos aumentos da electricidade. Será que o vento está mais caro, e a água das barragens também? A energia fotovoltaica ou seja, o sol encareceu? É que vejo os senhores da EDP e outros a queixarem-se dos custos de produção e francamente não entendo. É claro que com ordenados de 80.000€ por mês, o peso da administração da EDP é alto, mas mesmo assim não se justifica o preço exorbitante que pagamos pela electricidade. A mesma coisa com a água. A água da chuva subiu de preço? Então porquê o aumento? A produção da água está mais cara? Como é que fazem os outros países europeus? O sol deles é mais potente, e o vento sopra mais forte? Decerto que não. Então gostava que existisse uma explicação plausível para este roubo. Portugal é o país da Europa onde não se tem o hábito de dar explicações. Rouba-se e pronto. Os combustíveis, compreendo, embora o estado cobre uma fatia pesadíssima sobre esta comodidade. Por isso é que não há grande interesse em desenvolver e apoiar técnicas alternativas como os carros eléctricos e a hidrogénio. No Algarve fazia todo o sentido que as pessoas tivessem painéis solares fotovoltaicos, pois uma coisa que ainda não subiu de preço foi o sol e sol é coisa que temos com fartura. Só que ainda é um investimento que muitas pessoas não podem comportar, embora a longo prazo

compense. Também não entendo porque é que esses mesmos painéis à venda em Portugal custem metade do preço na India, pese embora o custo da mão- de- obra entre nós ser muito mais elevado. Já que Lisboa não nos deixa ser autónomos, pelo menos nesta área podíamos ser independentes, e libertarmo-nos da tirania da EDP&amigos. De futuro, os monopólios da água e electricidade vão-nos custar muito caro, pois os capitalistas e governos sabem que estas duas comodidades são essenciais para as pessoas viverem. Também não compreendo porque é que temos de pagar para a rede de distribuição. Para a sua manutenção sim, mas para a distribuição ? Então os cabos não estão lá? Mudam os cabos todos os meses? Para finalizar gostaria de comentar uma coisa que é de terceiro mundo. Quando há trovoada quase sempre falta a luz, e no verão em Albufeira, onde vivo, de dois em dois meses rebenta uma conduta de água. Eu pago todos os meses para a conservação das condutas, mas o serviço é o que se sabe. De 8€ de consumo de água pago 30€ de fatura, ou seja 22€ para taxas, impostos, e por aí fora, mais a célebre taxa de disponibilidade. Na electricidade a EDP nunca, mas nunca, faz uma estimativa por baixo. Enganam-se sempre nas estimativas. Em geral são só uns 100 euritos a rectificação. Coisa pouca. A Alemanha tem um programa que paga até 5.000€ a quem instalar painéis fotovoltaicos para produção de electricidade. Neste país o sol é coisa rara. Será que fazia sentido fazer a mesma coisa no Algarve?

Propriedade CanalAlgarve, Sociedade Jornalística e Editorial, Lda.

Rua Dr. José de Matos - Edíficio Platina - Loja A- R/C 8000 - 502 Faro NIF : 509 840 906

O

opinião

opinião

fórum

Capital social: 50.000 euros • ACRAL - Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve Gerência: João Rosado e Vitor Vieira

Depósito Legal Nº 286772/08 Título registado no ICS sob o nº 104 915

Contactos TELEFONE: 289 801 548 /9 FAX: 289 801 550 info@oalgarve.com publicidade@oalgarve.com

Apoio assinantes TELEFONE: 289 801 548; assinaturas@oalgarve.com

Impressão Naveprinter S.A. Distribuição Vasp e CTT Membro de

Semanário. Sai à sexta-feira

Tiragem deste número 6.200 exemplares

Mário Candeias Gestor Hoteleiro

Passos 2.0

ra aí está. O Governo insiste na mesma via orçamental de 2012 e estatela-se na parede do Tribunal Constitucional, de frente e sem airbag. Rejubilaram os que viram no chumbo do TC uma cura para a nossa doença, uma sentença que criminalizara o Governo, uma vitória dos bons contra os maus, qual Robin dos Bosques judicial. Esqueçam isso. O Governo queria diminuir o Estado (e tem que!) mexendo no preço dos seus serviços. Isso significa desvalorizar os que dele dependem directamente, pagando-lhes menos. Entendia que esse era o mal menor. Agora, vai ter que fazê-lo mexendo no seu volume, ou seja, despedir em força e depressa. A questão nacional está em qual das duas vias é mais suportável pelo nosso perfil de sociedade. Acredito que a via chumbada era a menos insuportável. Mas o critério do TC não era a suportabilidade ou não da via, mas a sua constitucionalidade. Sendo inconstitucional, a careca de quem desenhou o orçamento fica outra vez à amostra. Percebeu-se agora cruelmente que Vitor Gaspar não é o D. Sebastião das finanças portuguesas. Ele também percebeu não ser o Messias da macroeconomia. Tanto, que queria abandonar o barco. Entretanto, Relvas cai, obliterado por si próprio. Voluntarismo justiceiro e amador, imagem dum Governo disforme, imprepara-

do, desalinhado com a dimensão e urgência das tarefas que tinha pela frente e a que se propôs. Com um pusilânime discurso à nação, Passos não inspira, não mobiliza, mais parecendo um administrativo a tratar de expediente geral. Há muito se percebeu que não é um líder. E é nestes momentos de definição que os actos separam o trigo do joio. Passos é joio. Sentiu agora o verdadeiro peso da governação, o peso da realidade, o peso de escolhas que são sempre complexas e difíceis, que nem sempre produzem os resultados esperados, pois nem todos interpretam ou cumprem da mesma maneira uma mesma política ou medida. Mesmo sendo joio, mesmo tendo hostilizado continuadamente o PS, de quem agora precisa e que agora lhe retribui na mesma moeda, não tem hipótese de resignar. Cavaco tem estado mal. Seguro idem. Passos, pior. Mas o futuro imediato passa pela segunda versão de Passos. Uma versão com um Governo amplamente remodelado e redesenhado, com pesos pesados em pastas pesadas (a opção por “caras novas”, também defendida pela comunicação social revelou-se um flop), com forte pendor económico e empresarial, forte capacidade política e de gestão, envolvendo as três sensibilidades políticas do arco da governação. Nesta fase, e face às circunstâncias, Passos 2.0 será melhor que Seguro 1.0, como Sócrates 2.0 era melhor que Passos 1.0. Hoje em dia, Portugal já sabe muito bem o que custa um voto errado ou ir precocemente a eleições.

o algarve 12|04|13


// fórum

opinião

C Antonio Pina Ex-presidente da ERTA-ATA e cidadão algarvio sempre

Requiem para as novas entidades regionais de turismo. Paz à sua alma!

om que tristeza vejo perder-se mais uma oportunidade de construir Entidades Regionais de Turismo, com ânimo e pujança, para levarem a efeito o essencial do seu plano de actividades: a promoção turística das suas regiões. E lamento mais porque o projecto de lei aprovado em Conselho de Ministros e, na generalidade, na Assembleia da República não corresponde ao que resultou como texto final, após a cirúrgica alteração efectuada na Comissão de Economia. Isto é: a Comissão de Economia manteve todos os defeitos da lei aprovada em Conselho de Ministros e alterou uma das poucas virtudes (mas grande!) que essa proposta continha: fundir numa só entidade a promoção interna e externa e responsabilizar o Estado, em sintonia com os privados( daí o Conselho de Marketing), pela promoção institucional das Regiões. A lei aprovada volta a separar estas duas formas de promoção alterando radicalmente o sentido do projecto de lei. Pergunto-me na minha santa ignorância provinciana: Pode uma Comissão alterar o conteúdo essencial de uma lei, ainda que mexendo cirurgicamente no articulado de uma alínea? Não é por acaso que o novo Secretário de Estado do Turismo já pôs à discussão o tema da promoção externa, a interna está arrumada, digo eu, morta e enterrada! Por isso, admito, um dia, vir a colocar uma coroa de flores à porta da Entidade Regional de Turismo do Algarve, como sinal profundo do sentido do meu pesar por ver desaparecer uma entidade que orgulhosamente dirigi! É pela existência duma entidade única forte e au-

tónoma que os sinos dobram! Paz à sua alma. PS: Que têm a dizer sobre isto os Senhores Deputados do CDS e PSD que aprovaram a lei. E a AMAL? E o Senhor Presidente da República, sobre o facto dos empresários que queiram candidatar-se a membros do Conselho de Marketing, terem que ter a autorização da Confederação do Turismo de Portugal. Isto é democracia pós 25 de Abril ou cheira a bafio e a corporativismo salazarista? Permite a Constituição Portuguesa esta afronta aos empresários?

Director

Até já ou até logo

Q

Comunicado: suspensão do Jornal O Algarve

A

nova Direcção da ACRAL deparouse com dívidas acumuladas na empresa proprietária do jornal O ALGARVE que ascendem a 103.640,98€, apesar do investimento de 261.731,86€ que a Associação fez no jornal nos últimos dois anos. Em face da ausência de rentabilidade

12|04|13

o algarve

do jornal O ALGARVE revelada por esta situação, particularmente agravada pela actual conjuntura de crise do mercado publicitário, a nova Direcção da ACRAL entendeu suspender a publicação do jornal como forma de não agravar os prejuízos até que seja encontrada solução que viabilize a publicação.

Mário Lino

A ACRAL, enquanto proprietária da empresa responsável pelo jornal, encontrase a estudar a melhor forma de a Canalalgarve, Lda liquidar todos os seus compromissos perante terceiros. Faro, 11 de Abril de 2013 > A Direcção

uando em 2012 assumi as funções de director do semanário O ALGARVE sabia que a tarefa não ia ser fácil. Senão, vejamos: assim que entrei, no primeiro dia de fecho, cortaram a electricidade por falta de pagamento. Mesmo assim, sem luz, conseguimos fazer a edição, com recurso a uma bateria (UPS) e a um computador portátil. “Tudo o que vier a partir daqui já é ganho”, disse - meio na brincadeira, meio a sério - aos meus recém-colegas. Foi há um ano. Com promessas de um projecto grande, multimedia, que seria para aparecer a qualquer momento, no mês que vem, na semana que vem. Até hoje, não apareceu. Neste jornal houve suor, massa cinzenta e sobretudo, sentido de responsabilidade para tentar preservar uma referência regional do jornalismo, que desde a saída do Grupo Lena entrou numa fase conturbada e nunca se reencontrou. No passado recente, parecia haver sinais de retoma e confiança de um novo elemento na administração, António Vazquez. Ainda assim, a entrada de novos ‘players’ para a direcção da ACRAL acabou por precipitar algo que tinha vindo a ser adiado: a suspensão (ou fecho, caso não se encontre investidores) do título mais antigo do Algarve. São 105 anos de história que agora ficam congelados, à espera de alguém que acredite que é possível construir um projecto isento, importante e irreverente no Algarve. São mais seis pessoas que vão engrossar as listas do desemprego, a quem só tenho a agradecer como director e colega, por tudo o que suportaram ao longo destes últimos tempos. Com a dignidade pessoal e profissional com que me ajudaram a tentar aguentar e recuperar um ‘barco’ que se afundava, por falta de estratégia e investimento. É pena. É mais uma voz que se silencia e é uma perda para todos, a começar pelos leitores e a acabar na democracia, que perde um contra-poder que é e sempre será necessário. Mas a vida é mesmo assim: às vezes, só quando se perdem as coisas é que as pessoas lhes dão o devido valor. Chorem por nós. Porque depois de mortos, depois de enterrados, somos sempre os melhores que havia à face da terra.

// 13


// global

Cinema italiano em Loulé LOULÉ O Cine-Teatro Louletano vai receber, entre 19 e 21 de Abril, uma selecção das mais relevantes produções cinematográficas italianas da última temporada, na extensão algarvia da 6.ª edição Festa do Cinema Italiano. Pela primeira vez no Algarve, trata-se de uma iniciativa da associação Il Sorpasso em colaboração com o Instituto Italiano de Cultura e a Embaixada de Itália em Portugal, passando também por Lisboa, Coimbra, Porto, Funchal e Luanda. Criado em 2008, o festival nasceu e cresceu em Portugal, fruto do trabalho de uma equipa constituída por profissionais portugueses e italianos, e que se encontra profundamente enraizado na cultura e na sociedade portuguesa. O evento visa exibir obras que cumpram elevados critérios de qualidade, sejam elas de autores consagrados ou da nova geração de cineastas, sempre fiel ao objectivo de trazer a Portugal o melhor do cinema Italiano, e tem uma vertente competitiva. Sete novos filmes, primeiras ou segundas obras de autores italianos, concorrem ao prémio de melhor filme em competição. Esta secção promove a descoberta dos registos mais proeminentes do novo cinema italiano e de obras que se destacam pela inovação a nível de conteúdo e de linguagem. No encerramento deste evento na cidade de Loulé, será exibida mais uma película que entrará em competição, «Io sono Li» (2012), de Andrea Segre. Esta produção franco-italiana foi a vencedora do prémio Lux, como reconhecimento dado pelo Parlamento Europeu aos filmes considerados portadores de valores sociais pela integração das comunidades da Europa. A extensão de Loulé da Festa do Cinema Italiano tem o apoio da Câmara de Loulé e do Consulado Honorário da Itália em Faro. O preço dos bilhetes varia entre 3 e 15 euros.

14 //

G global

Até 3 de Junho, Loulé, «Festa da Cor» A Galeria de Arte Vale do Lobo, em colaboração com a conceituada galeria São Mamede, acolhe até Junho a exposição «Festa da Cor», do artista português Nélio Saltão. O artista já participou em mais de dez exposições individuais e 36 colectivas.

14 de Abril, Olhão, Música O Cantaloupe Café, nos Mercados de Olhão, vai receber este domingo, 14 de Abril, pelas 8h30, um espectáculo com Paulo Luz Trio. Paulo Luz é um jovem baixista que, após um período de formação académica e de larga experiência em palco, decidiu reunir todas as suas influências musicais e criar o seu próprio projecto a solo.

gps guia para a semana

«Bollywood» em Portimão A Picture Portugal assinou um protocolo com a indiana Real Image que prevê a criação dos escritórios europeus da empresa em Portimão, assim como uma parceria para a produção de filmes indianos em Portugal. O acordo entre a Real Image e a Picture Portugal, empresa sediada em Portimão, foi celebrado durante a deslocação de empresários portugueses e do ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, à India. “Este é um passo certeiro na ligação entre o maior produtor mundial de filmes e um país de excepção pela beleza e diversidade dos seus locais de filmagem”, realça, em comunicado, o presidente do conselho de administração da Picture Portugal, Luís Marreiros. As duas empresas celebraram um memorando de entendimento que irá permitir a Portugal ser “a porta de entrada” da Real Image, empresa indiana especializada no sector do cinema digital, pois os seus escritórios europeus irão ficar sediados em Portimão, e ao mesmo tempo permitir a

coprodução conjunta de filmes indianos em Portugal. «Bollywood», assim designada a região de Mumbai onde estão os negócios do audiovisual, e a Índia em geral já são os maiores produtores de cinema do mundo, com milhares de produções de sucesso. Este acordo visa igualmente que a Real Image concentre as relações com os seus clientes europeus no escritório português (pós-venda e apoio) bem como irá auxiliar na criação de parcerias entre produtores portugueses e indianos para

a concretização de longasmetragens. “A produção de cinema no país permite gerar riqueza em épocas baixas de turismo, criando milhares de postos de trabalhos especializados e partindo da óptima localização, infraestruturas e beleza natural, para além de diversidade que Portugal proporciona”, realça a empresa algarvia. A Picture Portugal tem já colaborado com várias entidades norte-americanas, europeias e asiáticas (indianas), que elogiam Portugal pelas condições de alojamento e

pela qualidade dos meios técnicos, capacidade de recursos humanos e pelos potenciais locais de filmagem. A empresa foi criada em 2009 mas teve alterações significativas no seu modelo, sendo actualmente uma iniciativa privada que pretende “desenvolver a actividade audiovisual na zona de Portimão”, mantendo a aposta na produção de filmes internacionais no nosso país, na construção de estúdios de cinema e pós-produção e como espaço de incubação para empresas do sector criativo.

«Capuchinho encarnado» em Olhão O auditório municipal de Olhão recebe este sábado, 13 de Abril, pelas 16 horas, o espectáculo «Capuchinho Encarnado - Nem Todos os Lobos São Maus», inspirado no conto original do Capuchinho Vermelho. Nesta peça, um rapazinho vai fazer de Capuchinho no teatro da sua escola, e o seu avô tem três bilhetes para assistir ao espectáculo. No caminho da floresta, pede ajuda a um animal que lá habita, e que só por acaso é o lobo. A companhia de teatro Byfurcação apresenta este espectáculo para maiores de seis anos, com os actores Fábio Ventura, Paulo Cintrão e Ricardo Soares em palco.

Trata-se de uma criação de 2007, que já passou pelo Teatro Bocage em Lisboa, pelo

espaço Tapafuros, em Mem Martins, e pela Casa de Teatro de Sintra.

Os bilhetes já estão à venda no auditório municipal.

o algarve 12|04|13


diversos // global

REUMATOLOGIA Dr. Bravo Pimentão Especialista em Reumatologia

29 Março Rua D. João de Castro, 13/17 • 8000 – 309 Faro Lojas: Campus da Penha • Campus da Saúde email: papelariasagres@papelariasagres.com www.papelariasagres.com

Clínica d Avenida

Urb. Horta das Figuras - Faro Contactos: 289807373 ou 91 92 91 78 9 www.bravopimentao.pai.pt

VENDO OU ALUGO Cave para comércio ou garagens na Avenida 5 de Outubro em Faro

bravopimentao4@gmail.com

SOS VOZ AMIGA

800 202 669 ANGÚSTIA, SOLIDÃO E PREVENÇÃO DO SUICÍDIO CHAMADA GRÁ TIS

BOM PREÇO TEL.: 967 529 055

Centro de Empresas e Serviços de Vilamoura, Lote 22, Armazém 4 e 5, 8125-500 Vilamoura

tel.: 289 313 096 • fax: 289 321 372 e-mail: geral@explomaquinas.pt www.explomaquinas.pt www.facebook.com/explomaquinas

BOMBEIROS

FARO (mun.)

289 888 000 LAGOS (vol.)

282 770 790 PORTIMÃO (vol.)

282 420 130

GUIA DE RESTAURANTES

Este espaço pode ser seu. contacte-nos CONTACTOS TLF.: FAX:

289 801 548/9 289 801 550

info@oalgarve.com publicidade@oalgarve.com

O “Guia de Restaurantes” é uma montra útil da variedade dos restaurantes da região. Para a inclusão de novos restaurantes neste guia, consulte-nos através do telefone 289 801 548/9.

12|04|13

o algarve

A minha Região, o meu Jornal Rua Coronel António Santos Fonseca Edíficio Batalha, Lote 23 - R/c Esq.. 8000-257 Faro

Estrada de São Luís, nº 59, R/C, Esq. 8000-123 Faro

// 15


opinião

CHBA suspende estacionamento pago

Mendes Bota Deputado do PSD www.mendesbota.com

A imprensa regional e local

O conselho de administração do CHBA – Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio decidiu suspender o pagamento nos parques de estacionamento da unidade de Portimão. Os responsáveis pelo CHBA reuniram “de urgência com a administração da empresa concessionária e foram analisadas as várias intercorrências, nomeadamente a morosidade no acesso aos locais de estacionamento por parte de utentes e trabalhadores, e decidiu, de imediato e a título provisório, proceder à suspensão do processo de pagamento”, anunciou o hospital em nota de imprensa. A suspensão destina-se

P

oucos saberão que existem neste rectângulo vinte e um jornais regionais com mais de cem anos de existência ininterrupta, um recorde mundial, património imaterial do povo português Ver a imprensa regional cair a pique em passo acelerado, corta o coração de quem nela publicou o primeiro poema de amor, croniquetas de política caseira, ou nelas deu passos na escadaria da evidência pública. No Algarve, tem sido grande a razia, que promete não ficar por aí. Foi o fim do porte pago, insuficientemente substituído por apoios à leitura, quarenta por cento dos custos de expedição postal até duzentas gramas por exemplar. A somar ao vergonhoso incumprimento pelo Estado das obrigações legais em matéria de publicidade institucional. Do Governo à administração central, e desta aos institutos públicos, todos fazem vista grossa aos vinte e cinco por cento das despesas publicitárias que deveriam ser canalizadas para os jornais locais e regionais, antes preferindo estas entidades canalizar esses investimentos para jornais nacionais, ou campanhas televisivas. Problemas mil, neste mês de abril, clamam por um plano de emergência que acuda a quem já só tem como objectivo manter as páginas abertas por um mês, três meses, que um ano já está longe e o olhar já não enxerga. Sim, o acesso à agência noticiosa custa dinheiro, as gráficas sem jornais irão na onda, falta uma indústria de conteúdos, a distribuição enfrenta obstáculos monopolistas e sentese um excesso de legislação e burocracia incompreensível num tempo em que todos os dedos apontam o caminho do digital, da modernização tecnológica, das plataformas diferenciadas.

Redacção FARO Estrada de São Luís, nº 59, R/C, Esq. 8000-123 Faro Telefone: 289 801 548 Fax: 289 801 550

info@oalgarve.com publicidade@oalgarve.com

Tempo

Sexta

Sábado

Máxima

Máxima

20º

23º

Domingo

Segunda

Máxima

Máxima

21º

22º

Estacionamento pago no CHBA causou filas de quilómetros à entrada de Portimão a repensar o que fazer com os acessos ao parqueamento pago, depois de dois dias consecutivos – 8 e 9 de Abril – em que a medida provocou

filas de quilómetros à entrada de Portimão, causando mesmo problemas ao acesso de ambulâncias e veículos de emergência.

A candidata do PS à presidência da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, considerou que o sistema de parqueamento pago no CHBA corresponde a uma “sobretaxa moderadora”. “Esta não é mais do que uma medida economicista que tem dois propósitos: arrecadar receitas de forma ilegítima para financiar o próprio hospital e criar aquilo a que chamaria de «sobretaxa moderadora», que visa restringir ainda mais o acesso da população aos cuidados de saúde de que necessita”, assinala a socialista, em carta endereçada ao ministro da Saúde, Paulo Macedo.

IEFP e Pelcor criam curso pioneiro para corticeiro Apesar da taxa de desemprego superior à média nacional, há falta de corticeiros qualificados no Algarve, razão pela qual foi criado um novo curso de formação profissional para 23 desempregados. “Pela primeira vez no Algarve, e em colaboração com o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, o curso técnico de gestão da produção

da indústria de cortiça está a ser desenvolvido para desempregados”, anunciou Sandra Correia, a presidente executiva da empresa algarvia de cortiça Pelcor, na sua página da rede social Facebook. A empresária portuguesa, que venceu o Troféu de Melhor Empresária da Europa 2011, atribuído pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho Euro-

peu das Mulheres Empresárias, reconhece que este curso de formação pioneiro, cuja parte prática decorre dentro da fábrica de cortiça, servirá para “dar continuidade ao sector corticeiro” na região algarvia. Os formandos, homens e mulheres, entre os 25 e 50 anos, estavam todos desempregados. Aprender a conhecer a cas-

ca do sobreiro, uma matéria natural e que só a “experiência de anos” permite desvendar o calibre, defeitos, processos de cozedura e preparação, repouso ou o fabrico de discos, é o objectivo do curso pioneiro, adiantou António Correia, accionista da Pelcor. O curso vai ser leccionado até Março de 2014 e inclui um estágio prático de 210 horas.

Victor Guerreiro ganha a ACRAL Os novos órgãos sociais da Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL), tomaram posse esta semana. A nova direcção é liderada por Victor Guerreiro, que anunciou que dentro das prioridades está a realização de uma auditoria externa para apurar o estado das contas da associação e para avaliar a gestão da Canalalgarve, que detém o jornal O ALGARVE e tem em curso duas candidaturas a fundos comunitários já aprovadas.

O empresário, proprietário das lojas VictorVictoria, que disse estar a cumprir “um acto de cidadania”, pretende avançar para a reestruturação da ACRAL e pondera abdicar de fundos comunitários, se os projectos não forem considerados viáveis. “Acho que há dinheiro mal canalizado. A associação irá receber 4,5 milhões de euros. Em Tavira, o Porto de Pesca precisava de 7 milhões e não há. O que produzirá a ACRAL com esses 4,5 milhões?”, questionou

Victor Guerreiro. A direcção já assumiu a suspensão do título O ALGARVE, “até que seja encontrada solução que viabilize a publicação”. E Guerreiro garante que a isso é totalmente alheio o facto de o seu vice-presidente, Henrique Dias, ser proprietário de um jornal concorrente: “Não, não e não. Isso não interferirá na decisão. Se ele se tentar aproveitar, a porta por onde entrou é a porta por onde terá de sair”, afirmou aos jornalistas. A lista úni-

ca para a direção d foi eleita na passada sexta-feira, com 65% dos votos, depois de um período eleitoral marcado para exclusão da candidatura encabeçada pelo anterior presidente da ACRAL, João Rosado, por alegadas irregularidades processuais. Rosado interpôs uma providência cautelar para evitar o acto eleitoral, mas foi recusada pelo Tribunal. Em seguida, já colocou uma outra, para impugnar as eleições. >ML

Profile for Semanário O Algarve

O_ALGARVE_EDICAO 215  

Suspensão do jornal O ALGARVE, semanário que fez em Março 105 anos. Última edição.

O_ALGARVE_EDICAO 215  

Suspensão do jornal O ALGARVE, semanário que fez em Março 105 anos. Última edição.

Advertisement