Page 1


EDITORIAL Caro leitor,

Depois de muitas idas e vindas estamos finalmente lançando o primeiro número da nossa revista digital, Sekai X. Esta, antes de mais nada, é uma revista de variedades com varias matérias que permeiam entre os universos: Otaku, geek e gamer. Assim como o nosso nome sugere, Sekai (mundo em japonês) e X (uma variável de possibilidades infinitas) estaremos sempre avançando e indo além das fronteiras que as outras revistas não conseguem, tudo para trazer a vocês matérias divertidas, interessantes e na medida do possível interativas. Esperamos que gostem deste primeiro número que é apenas um começo, sendo que com o passar do tempo e com a experiência melhoramos cada vez mais, visando sempre melhorar nosso material. Wilkison P.P. Moraes (Yami) Editor Responsável

“ Não basta sobreviver é preciso viver! Não basta viver é preciso celebrar a vida! ” - Yale Nakashima -


ANIME IN MOVIE S.A.O. ORDINAL SCALE Um filme de 2017 que não decepcionou os fãs da série

O ANIME DA VEZ INUYASHIKI Uma surpresa no final de 2017

COSPLAYER DA CAPA Conheça um pouco do trabalho de Lênory Alessandra. Nossa cosplayer da capa desta edição


LENDAS E MITOS HANAKO CHAN Você teria coragem de chama-la?

JAPÃO EM FOCO AOSHIMA Bem-vindo a ilha dos gatos GAMER EYE METROID Conheça a história de uma das primeiras heroínas da Nintendo

FIGURE WORLD FIGURE PVC Confira alguns dos figures mais radicais de 2017


UM MANGA AVASALADOR E INESQUECIVEL Este é com certeza um dos mangas mais polêmicos e intensos que você já leu ou lerá em sua vida. Battle Royale começou em 1999 como livro de Koushun Takami e teve sua adaptação em manga publicado entre 2000 a 2005 pela editora Akita Shoten. Contando com 15 volumes este manga nos leva a um mundo, em que o Japão fechou suas fronteiras para o mundo depois de uma guerra e implantou uma pratica anual chamada o programa que seleciona uma classe de alunos do nono ano de alunos do ensino fundamental, para se digladiarem até a morte em uma ilha isolada e sobre controle do governo. Cada aluno recebe um kit de Sekai X – Pág. 06

sobrevivência com o básico (mapa, bussola, comida e uma arma (que não obedece um padrão)). No manga a turma escolhida para o Battle Royale é a de Shuya Nanahara, um ex-jogador de baseball que abandonou o esporte para se dedicar a música, mais especificamente ao rock n´ roll que é considerada uma música subversiva pelo governo. Em um belo dia enquanto iam para uma excursão a turma de Shuya é colocado para dormir com gás e levado pelo exército para participar do Programa em uma ilha deserta. Na ilha eles são colocados em uma sala de aula e apresentados para o cruel e

sarcástico Kinpatsu Sakamochi, o membro do exército e responsável pelo Programa, que para mostrar que a situação é séria, joga o corpo do professor da classe, morto, na frente de todos. Kinpatsu avisa que também os pais de alguns dos alunos ali presentes foram “disciplinados” por reclamarem da situação dos filhos, por isso todos poderiam deixar qualquer esperança de alguém os ajudar. E que os jogos comecem. O foco principal do enredo fica por conta de Shuya que se nega a entrar no jogo de mata-mata e insiste procurar outras pessoas, para convence-las a trabalharem em grupo para tentar de alguma


forma, saírem daquele pesadelo. O manga é realmente muito intenso e não só os personagens principais, mas tanto os coadjuvantes e até outros personagens comuns foram bem explorados fazendo, um paralelo entre a vida escolar que levavam em contraposição da cruel realidade em que foram colocados. Ele também nos faz lembrar que as atitudes das pessoas sempre estão ligadas ao ambiente em que estão inseridas, sendo muitas vezes, forçadas a ter uma personalidade totalmente inversa a que normalmente teriam para poderem sobreviver. Não podemos deixar de notar que Battle Royale é também uma critica ao sistema educacional que tende a estimular a competição, muitas vezes cruel, entre os estudantes. Onde na verdade é cada um por si e a disputa por melhores notas ou ser o mais popular nunca acaba. Vale lembrar que em 2014 foi lançado um complemento do manga original em volume único, o Battle Royale - Angel´s Border que conta com detalhes o que aconteceu com as garotas que estavam abrigadas no farol da ilha, um título imperdível para qualquer fã deste grande manga. Com este volume, Hitoshi Tomizawa fecha com chave de ouro esse grande manga que tem legiões de fãs pelo mundo.

Sekai X – Pág. 07


ANIME IN MOVIE

UM FILME QUE NÃO DECEPCIONOU OS FÃS Em 18 de fevereiro deste ano os fãs de S.A.O. tiveram suas preces atendidas com um novo filme desta série de sucesso. Produzido pela A-Picture e com a direção por conta de Itou Tomohitko que também dirigiu tanto da primeira quanto da segunda temporada de Sword Art On Line. Sempre fazendo um excelente trabalho. Não podemos esquecer é claro que o roteiro foi escrito pelo genial Reiki Kawahara, escritor da série S.A.O. O enredo se passa muito depois do arco Mother of Rosario com a popularização de um novo dispositivo de imersão chamado Augma, que parece um fone de ouvido em forma de tiara e que não usa o sistema Full Drive do Amusphere. Apesar de não ser um dispositivo de imersão total como vemos na serie o Augma consegue mesclar a realidade Sekai X – Pág. 08

virtual com a nossa realidade, mas com mais segurança, pelo menos era isso que se pensava. A coisa muda de figura quando pessoas começam a desaparecer misteriosamente e Kirito Kirigaya começa a ser stalkeado por um misterioso fantasma. Em linhas gerais, Sword Art Online – Ordinal Scale, é um ótimo filme para se assistir comendo batata frita e uma boa Pepsi gelada. O enredo é coerente contando com uma trama com várias reviravoltas que nos faz perguntar quem está por trás dos acontecimentos e porquê. Sendo que o final é realmente bem interessante recompensando o espectador com um bom desfecho. Outro ponto positivo que que o filme apresenta, e muitos estavam com saudades, é o foco no relacionamento de Kirito e Asuna que ficou meio “frio” da

segunda temporada em diante. Outro ponto que com certeza agradou os fãs é o aparecimento, de uma forma ou de outra, de todo elenco da série ao longo do filme. A arte continua com a mesma ótima qualidade e as lutas ainda estão empolgantes e épicas tanto pela movimentação e estratégia dos personagens quanto pelos efeitos visuais. A música tema Catch The Moment, interpretada por Lisa, que como muitos sabem também interpretou a música Crossing Field, na série, está excelente e “casa” bem com o filme. Sword Art Online – Ordinal Scale foi um dos lançamentos mais esperados deste ano que com certeza agradou até quem não era fã da série, então o que dizer dos seguidores desta grande franquia?


Augma – O novo sistema de imersão com realidade aumentada

Yuna – A garota mais enigmática do filme

Kirito tem dificuldades em lutar usando o novo sistema

Sinon – A eterna e amada sniper de S.A.O.

O romance entre Kirito e Asuna volta a entrar em foco (aleluia)

Sekai X – Pág. 09


COSPLAY DA CAPA

Sekai X – Pág. 10


COSPLAYER DA CAPA

LĂŠNORY ALESSANDRA, UMA COSPLAYER QUE TRANSBORDA TALENTO, BELEZA E BOM GOSTO Sejam todos bem vindos, leitores, a seção cosplayer da capa. Esta seção dedicada aos cosplayers brasileiros onde podemos conhecer o trabalho destes incrĂ­veis e talentosos artistas que sĂŁo a verdadeira alma dos eventos otakus, gamers e geeks. Nesta primeira edição trazemos a vocĂŞs uma pequena entrevista com a talentosa LĂŞnory Alessandra. Uma excelente cosplayer da regiĂŁo norte do Brasil. 1) Qual seu nome ĂŠ sua idade? OlĂĄ gente! Meu nome e LĂŞnory Alessandra, Mas podem me chamar de Alessia, e atualmente tenho 24 anos đ&#x;˜Š ! 2) Quando vocĂŞ começou a fazer cosplay? Comecei a fazer cosplay a seis anos atrĂĄs, em 2011 se nĂŁo estou errada ( esse ano faz sete anos lol) 3) O que mais inspirou vocĂŞ a fazer cosplay? Eu sempre gostei desde criança do mundo geek, Nem tanto com animes ( atĂŠ hoje eu nĂŁo assisto tanto anime assim), mas coisas relacionada principalmente a games, quadrinhos e desenhos animados. Lembro que eu tinha uma brincadeira de dizer que eu ia ser tal personagem um dia, e

isso se intensificou mais ainda depois que passei a comprar a neo tokyo e ver alguns cosplayers. Ei fiquei encantada! Era algo novo pra mim! EntĂŁo eu meti a mĂŁo na massa! Comecei a fazer minhas armas, armaduras, acessĂłrios e roupas, e prossigo assim atĂŠ hoje! Sendo bem sincera, na minha opiniĂŁo, fazer meus prĂłprios cosplays com minhas prĂłprias mĂŁos e atĂŠ mais divertido que usar eles. Vejo o fato de usar o cosplay apenas como o resultado final de uma etapa do meu trabalho. 4) Em sua opiniĂŁo, no seu estado, (ParĂĄ) existe a facilidade em se conseguir os materiais ideias pra fazer cosplays? Sem dĂşvida BelĂŠm e um lugar excelente para achar Materiais, Principalmente no comĂŠrcio, que

anda evoluindo um bocado e trazendo matÊrias que antes eu só conseguia comprando de São Paulo, alÊm de uma excelente variedade de tecidos e preço. Fica a dica colegas! 5) Quantos cosplays você jå fez atÊ hoje? Essa e uma pergunta meio difícil para mim! Eu parei de contar quando chegou a trinta, final são quase sete anos de cosplay XD! 6) Dentre estes qual foi o seu favorito? Eu amo todos os meus cosplays, jå que sou eu mesma que os faço , tenho um carinho enorme por cada um deles, porÊm não adianta! Sempre acabamos tendo um favorito! Tem três cosplays que se destacam no meu coração: A Zelda do Twilight, Sekai X – Påg. 11


pelo fato de eu amar zelda e desde criança eu queria ser essa zelda! Levei nove meses fazendo esse cosplay, fiz de tudo pra ele ficar perfeito, costurando a peruca do zero, pintando tudo e etc. E muito especial e me fez ganhar alguns prêmios e outras coisas também! A segunda e a Lightning do Final Fantasy XIII, ela e uma personagem que eu realmente amo muito e é muito especial para mim, amo a franquia final fantasy e para mim ela e a melhor personagem de lá! Eu tive tanto cuidado com esse cosplay que até led aprendi a usar, coisa que eu não tinha nem ideia de como se usava antes, e um cosplay que me empenhei muito fazendo. E por última a Lady do devil may cry 3. Eu Amo Hack and Slash do fundo do meu coração e a Lady e minha personagem favorita dessa franquia! Ela e muito Badass! Além de eu achar que fiquei bem parecida com ela! Tem também a Juliet do Loliop Chainsaw como menção Honrosa por que já falei demais!

Sekai X – Pág. 12

7) Até quando pretendo fazer cosplay? Até quando minhas mãos continuarem capazes de moldar meus cosplays, porque amo montar eles e isso e o que mais me motiva. 8) Você já tem algum cosplay em vista pra esse ano? Claro! Tenho um projeto finalizado, dois em andamento e mais dois planejados! 9) Pode-nos dizer qual ? Vou dizer apenas um e os demais vou dar dicas: Um e a bayonetta, que deveria ter saído ano passado, mas por falta de tempo está sendo concluída agora (estou finalizando a roupa). A que já esta pronta será usada no Roiyaru, a outra e uma Siren de Gothan (na versão da série de games Arkhan) outro e um Vampirão (primeiro personagem masculino oficial yey!) E o outro e de Zelda, mas não e a princesa!

10) Diga algo para aqueles que querem seguir por esse meio? Falando sério mesmo, a palavra chave e: Não desistam! Use as críticas negativas como escada para melhorar cada vez mais, e abrace elogios, porque eles são o fruto do seu esforço e você os mereceu! Não deixem de fazer personagem X por que alguém falou algo para você, que você não combina ou que não vai dar certo, seja pela sua aparência ou ser corpo. Não existe esse negócio de corpo para cosplay! Não se mutile por causa disso, faça o que te deixe feliz e não se importe com os outros, o importante e sua felicidade, pois a vida e só sua e só temos ela, aproveite e seja feliz fazendo seus personagens favoritos. Essa e a motivação de hoje. Para vocês que leram até o fim, um grande abraço e um beijo! Muito obrigada!


Sekai X – Pág. 13


Sekai X – Pág. 14


Sekai X – Pág. 15


O ANIME DA VEZ

UMA DAS GRANDE REVELAÇ´ÕES DE 2017 Este com certeza é uma das grandes revelações de animes que tivemos no final de 2017. Inuyashiki estreou no dia 12 de outubro sendo escrito por Hiroya Oku (o mesmo autor de Gantz) e produzido pelo estúdio MAPPA num total de 12 episódios. O enredo gira em torno do senhor Inuyashiki, um homem de meia idade que não tem nenhum amigo e mora com sua família que é pra lá de indiferente com ele. Tudo começa em uma noite, enquanto Inuyashiki passeava com seu cão em uma área afastada da cidade e uma nave espacial acaba caindo no lugar o matando quase instantaneamente. Para reparar o dano causado pelo acidente, os aliens substituem o corpo destruído do humano por um totalmente robótico. No dia seguinte o velho descobre que não é mais humano e pode fazer coisa incríveis com toda a tecnologia daquele corpo, Sekai X – Pág. 20

infelizmente ele não foi o único a ser recriado. Apesar de não ser o anime mais original do mundo, Inuyashiki com certeza foi uma grande surpresa sendo um sucesso quase que imediato e rivalizando nas redes sociais. Isso se deve, em parte, ao conteúdo violento de várias cenas que testemunhamos ao longo do anime, algo que também nos lembra o anime Gantz. Aliás Hiroya Oku deixa essa influência bem em evidencia desde os moldes da história, com aliens vindo ao nosso planeta e transformando irremediavelmente a vida de algumas pessoas. Mas enganasse quem acha que cenas de violência e gore é tudo que este anime tem a oferecer. Inuyashiki trata de maneira profunda vários assuntos importantes como por exemplo: A posição dos mais velhos na sociedade e como são tratados dentro e fora do ambiente familiar. Nesse ponto vemos o desrespeito

e descaso com as opiniões e até mesmo com a simples presença dos mais velhos no cotidiano, uma temática muito raramente vista sendo abordada nos animes, acredito eu, por motivos óbvios. Sempre ficando a reflexão de que o tempo alcançará todos nós e precisamos mudar a mentalidade e atitudes ultrapassadas e mesquinhas de como muitas pessoas tratam os idosos. Os personagens principais foram muito bem explorados, mas foi uma pena que, pela falta de tempo (apenas 12 episódios), não foi possível navegar pelos outros personagens de serie que com certeza enriqueceriam ainda mais a história. A dualidade humana e o próprio conhecimento pessoal também são dois temas bem presentes neste anime onde vemos um dos personagens chaves permear entre “sobras e luz” várias vezes, tentando achar seu lugar no mundo. O que nos lembra que


O senhor Inuyashiki descobrindo que algo errado não está certo

Poder de fogo é o que não falta

todos nós temos um grande potencial para fazer coisa maravilhosas, mas ao mesmo tempo podemos usar esse potencial para criar grandes desastres. Como um certo palhaço disse uma vez, a loucura é como a gravidade, só precisa de um empurrão. Eu completaria essa frase dizendo que a sanidade só precisa de um puxão, mas o ser humano tem a tendência de problematizar e engrandecer as barreias que se erguem diante dele. Animação está ótima, tanto os efeitos visuais das batalhas e a arte estão muito bem-feitas bem ao estilo que vemos em Gantz. Só sentimos uma certa sensação de “travamento” nas cenas CG, mas nada que realmente atrapalhe a diversão. A trilha sonora apesar de não ser algo extraordinário é boa, mas podia ser bem melhor, tirando a música de encerramento do último episódio que ficou perfeita. Em linhas gerais Inuyashiki é um anime altamente recomendado, tanto para quem gosta de cenas de ação e violência, quanto para quem esteja procurando um anime profundo e enredo que não tem medo de trata de temas polêmicos.

Uma das cenas mais impagáveis deste animes, a participação do infame e atual presidente dos E.U.A. zoando geral na televisão com as piores notícias possíveis

Sekai X – Pág. 21


Sekai X – Pág. 17


LENDAS E MITOS

VOCÊ TEM CORAGEM DE CHAMA-LA? Hanako-san é uma garota assustadora, sua lenda é conhecida por todos no Japão, por assustar os banheiros escolares. Tornando-se o fantasma mais famoso no país. Ela pode ser encontrada na escola, no terceiro andar, no terceiro banheiro feminino. Pessoas que dizem já terem a visto, descrevem ela com o cabelo chanel , com uma saia vermelha. Ela fica na última porta do banheiro feminino até que algum aluno aventureiro se atreva a provoca-la. Poucos são os detalhes sobre a origem de Hanako-san. Embora ela tenha se tornado um fenômeno nacional nos anos 80, há uma especulação de que a lenda tenha existido desde os anos 50. Algumas histórias contam que ela é o fantasma de uma garota da época da Segunda Guerra Mundial, que morreu durante um bombardeio, enquanto brincava de esconde-esconde na escola. Outras histórias dizem que ela é o fantasma de uma garota que morreu nas mãos de uma parente agressivo ou abusivo (ou um estranho pervertido, de acordo com algumas histórias) que a encontrou se escondendo no banheiro. Em alguns casos, ela é o fantasma de uma estudante que morreu em algum trágico acidente na escola (Uma história de Fukushima, por exemplo, conta que ela é o fantasma de uma menina que caiu da janela da biblioteca). Este ponto em diante é destinada aos corajosos, pois daremos o passo a passo para quem quiser tentar este fantasma lendário da era moderna. Só lembrando que tudo deve ser feito falando em japonês, afinal ela é japonesa né? .

O fantasma de Hanako é tão famoso que frequentemente é tema de jogos, filmes e animes Sekai X – Pág. 23


Invocando por divertimento Quer saber se a lenda é verdadeira e invocar Hanako chan? Então faça o seguinte: - Bater na porta de sua cabine 3 vezes (geralmente a última do banheiro feminino, mas isso varia de escola à escola) . - Depois de bater, você terá 40 segundos para fazer uma pergunta (mas isso seria '' invocando por perguntas, como esse é o ''invocando por divertimento'' não faça a pergunta.) - Após 40 segundos, a porta se abrirá, NÃO entre. Espere ela falar com você - Se ela dizer: ''Venha brincar comigo! '' Corra. - Se ela dizer: '' O que deseja? '' Não diga nada. - Se sentir algo tocando suas costas, NÃO olhe para trás. - Espere 2 minutos, se a porta continuar aberta, não entre. Se ela se fechar, ela cansou de você. - Se ela se cansar de você, lave as mãos, pois ela marcou você. (Dizem que, se ela te marcou, quando você for ao banheiro, você receberá uma visita meio desagradável, entretanto lave as mãos)

Invocando por perguntas Acredita-se que a Hanako-san pode responder qualquer pergunta sua? ATENÇÃO: é apenas uma pergunta. Quando for fazer a pergunta, já tenha ela em mente, se deixar para perguntar na hora, não sera muito convidativo. - Bata na porta de sua cabine 3 vezes (geralmente a última do banheiro feminino, mas isso varia de escola á escola). - Depois de bater, você terá 40 segundos para fazer uma pergunta. Faça a pergunta logo depois de bater na porta, rapidamente. A pergunta mais feita é: Você está aí Hanako-san? - Após 40 segundos, depois que você fez a pergunta, a porta da cabine vai abrir. NÃO entre. - Se ela fechar a porta depois de ter a aberto, feche os olhos. - Se ela não fechar a porta, e dizer: Não quero te responder. Não se mexa, não fale. Se depois de 1 minuto, ela ainda não disse nada depois disso, se prepare para correr. - Se ela não fechar a porta, e dizer a resposta: Se ajoelhe, agradeça, peça desculpas pelo incomodo. Se a porta dela se fechou, ela já foi embora, se continuou aberta continue ajoelhado até ela se fechar. - Se ela não fechar a porta, e dizer: Vamos brincar? Corre, sem olhar para trás. Depois de 2 horas, volte ao banheiro, lave as mãos.

Sekai X – Pág. 24


Sekai X – Pág. 21


GAMER EYE

UM GAME QUE ATRAVESSOU O TEMPO Para muitos gamers dos anos 80, Metroid é simplesmente um jogo inesquecível, que na época contou com surpresas bem inovadoras para aquele tempo, e que ao longo dos anos foi se reciclando e aumentando cada vez mais a legião de fãs deste antológico game de aventura espacial. Lançado pela Nintendo em 1986 para o Nintendo 8 bits, Metroid era um jogo labiríntico tanto horizontal quanto vertical, que trouxe consigo, entre suas inovações, a liberdade de explorar fases seguindo em frente ou voltando a um mesmo ponto pelo qual você já tinha passado. Obviamente, para se avançar para o setor seguinte, era necessário utilizar itens especiais para este fim. O jogo era totalmente ambientado em um planeta alienígena e contava com uma visível inspiração nos filmes Alien – O 8º passageiro. Outra novidade que Metroid trouxe foi uma introdução ao clássico conceito de “fuja depois de matar o chefão”, e as surpresas não paravam só por ai, pois o ápice do jogo era descobrir a identidade do Sekai X – Pág. 28

protagonista – afinal, durante todo o jogo, pensávamos que se tratava de um robô com a missão de matar aliens cruéis e impiedosos. Grande foi a surpresa para os jogadores em geral ao verem, no final, que na verdade se tratava de uma mulher que usava uma armadura hi-tech. Foi assim começou a saga de Samus Aran. Os parágrafos a seguir contêm spoilers. Samus é a protagonista da série Metroid e é a melhor caçadora de recompensas da galáxia. Ela é nativa da Terra, mas nascida na colina K-2L e que, após ter seus pais mortos por piratas espaciais, é resgatada e criada desde os 03 anos pelos Chozos (homens pássaros) no planeta Zebes. Como sua constituição física não permitiria que ela sobrevivesse ao clima inóspito do planeta, ela recebeu uma infusão de DNA de Gray Voice, que a tornou adaptável ao ambiente. Aos 14 anos, Samus recebeu sua Power Suit criada pelos Chozos e, mais tarde, ela deixou o planeta Zebes para “servir” a federação. Muitos se perguntam: o que é afinal

Metroid? São formas de vida alienígenas predominantes do planeta SR388, que basicamente se alimentam da energia vital de outros seres vivos, levando-os conseqüentemente à morte. Nascendo a partir de ovos, os Metroids se assemelham a águas vivas que podem flutuar e que durante seu crescimento, passam por várias metamorfoses. Como foi dito antes, o jogo foi um grande sucesso, levando a franquia, até agora, a um total de 15 sequências. Sendo o jogo mais recente lançado em 2017 (Metroid Prime – 4). Outro ponto interessante a ser observado sobre Metroid é que os desenvolvedores não se preocuparam apenas com as evoluções do jogo, mas também evoluíram a história da personagem, tornando-a cada vez mais interessante. Também foram bela caçadora galáctica com sua poderosa armadura. Temos que admitir que, em geral, os cosplays produzidos com base na armadura são um show a parte, muito embora alguns cosplayers optem por algo mais simples, com a


heroína sem armadura e apenas com sua roupa futurística, que também é uma ótima pedida.

1986

1991

1994

2002

2004

2007

2017

2002

2004

2009

2005

2010

2017

2006

2016

Sekai X – Pág. 29


A QUARTA E ÚLTIMA TEMPORADA DE HELL GIRL, DEIXA MUITO A DESEJAR Jiogoku Shoujo (Hell Girl ou Garota do Inferno) é uma serie de mangas de sucesso escrita pela mangaka Miyuki Etoo e teve uma adaptação em anime produzida pelo Studio Dee e Aniplex. O anime teve três temporadas, produzidas irregularmente entre 2005 e 2008 sendo um sucesso estrondoso entre o público otaku. Realmente é impossível falar sobre animes de terror e suspense sem lembrar da série Jigoku Shoujo. Agora, em julho de 2017, foi lançada a quarta temporada desta série de sucesso, algo que os fãs estavam esperando a muito tempo, mas será que esta espera foi bem recompensada? É o que veremos a seguir. No início da nova temporada não vemos nada de inovador. Temos novas histórias recheadas de dor e desespero, que no final sempre levam as pessoas envolvidas a cederem ao sentimento de Sekai X – Pág. 34

vingança e acessarem a linha do inferno (um site que só pode ser encontrado a meia noite por pessoas com muita raiva no coração), e fazerem um pacto com Enma Ai para mandar, quem as perseguem para o inferno (não esquecendo que contratante do pacto também vai pro inferno quando morrer). A novidade desta temporada fica mesmo por conta da nova personagem chamada Michiru. O espirito de uma menina que começa a aparecer para Ai questionando as ações da Jigoku Shoujo, que na visão dela só causam mais dor e caos. Sinceramente esta temporada vai pegar muitos de surpresa, não pelo início, pois como foi dito antes, não vemos nada de novo. Muitas maldições, pessoas indo pro inferno, angustia, dor e as velhas e já batidas discursões filosóficas do que é certo e errado. A grande surpresa fica por conta

da menina fantasma, Michiru, pois sem aviso nenhum o anime volta a uma questão que achávamos que já tinha sido resolvido na 3ª temporada ou seja, a substituição de Enma Ai como Hell Girl. Isso mesmo, e é exatamente isso que acaba com o anime, pois nas outras temporadas a trama central era tratada com um fundo bem dramático e um final até que nos surpreendia. Desta vez no sexto episódio vemos Michiru, que depois de recuperar as memorias dos momentos finais de sua morte, aceita o posto de Jigoku Shoujo. Não que ela tivesse muita escolha, afinal, assim como Ai, ela amaldiçoou e matou um vilarejo inteiro para aplacar sua fúria por ter sido morta injustamente junto com seus pais. Outro fato interessante foi ver a diferença entre Michiru e Ai, pois enquanto a nossa veterana simplesmente fazia seu trabalho sem se importar


com nada, Michiru tenta dar conselhos para a pessoa que a chama para fazer o contrato. O que não deixa de uma atitude ainda muito inocente da parte dela que poderia ser explorada nos outros seis episódios restantes, mas infelizmente NÃO foi. Fiquei curioso para saber por que nesta temporada só temos 12 episódios, ao contrário da média de 26, nas temporadas anteriores e a resposta não me agradou nenhum pouco. Acontece que a outra metade desta temporada nada mais é do que uma retrospectiva de episódios de temporadas anteriores e, diga-se

de passagem, que nem são os melhores episódios da série, mas enfim. Além de decepcionar quanto ao conteúdo, estes episódios finais nos mostram o destino dos ajudantes de Ai (Wanyuudo, Ichimoku Ren, Honne-Onna e Kikuri) que abriram um bar-restaurante e ficam relembrando os casos passados. Felizmente alguma coisa boa ainda se salva, e quem acompanha a serie desde o começo vai ter um surto de nostalgia no episódio quatro, pois temos a participação especial de Shibata Tsugumi, uma personagem importante tanto na

Michiru, a nova hell girl

Shibata Tsugumi, por onde você andou?

primeira quanto na segunda temporada. É nesse episódio também que descobrimos o “destino final” dela, algo que cogitado entre os fãs da serie. Em termos gerais Jigoku Shoujo: Yoi No Togi poderia ter sido muito melhor e sinceramente podemos ver esta temporada como o ultimo prego no caixão desta serie inesquecível e tão cultuada por otakus do mundo todo. Uma pena que não fechou a quadrilonga com chave de ouro, apenas com a de bronze.

As punições continuam severas como sempre

Revendo episódios sem graça de outras temporadas

É triste ver uma serie épica como essa terminar de uma forma tão sem graça. Adeus Ai!

Sekai X – Pág. 35


Sekai X – Pág. 28


JAPÃO EM FOCO

SEJAM BEM VINDOS A ILHA DOS GATOS, O SONHO DOS AMANTES DE FELINOS Em Aoshima, os gatos são os reis. Eles superam os seres humanos 6 a 1, embora esse número seja um pouco distorcido. Há apenas cerca de 20 residentes humanos em Aoshima, então eles não são exatamente difíceis de superar em número. Ainda assim, essa é uma proporção bastante dramática, especialmente em uma ilha tão pequena (cerca de 121 acres). Nem sempre o numero de residentes humanos foi tão baixa como agora. Aproximadamente 380 anos atrás, os habitantes do que é agora a Prefeitura de Hyogo foram atraídos por Aoshima pela abundância de sardinhas em suas águas. Uma fonte afirma que, em 1945, havia 900 pessoas vivendo na ilha, enquanto outra fonte diz que a população atingiu o pico em 1955 com 758 pessoas. De qualquer forma, isso é muito mais do que a população atual de aproximadamente 20. O que aconteceu? Após a Segunda Guerra Mundial, muitos moradores mais jovens de Aoshima deixaram a ilha para buscar trabalho em outro lugar. Os restantes residentes eram aposentados que não tinham necessidade de sair. À medida que a população humana diminuiu, a população de gatos explodiu. Antes que a população de gato de Aoshima inchasse, havia um enorme problema de ratos na ilha. Isso ocorre porque os aldeões costumavam criar lombriz de seda para fazer seda para suas redes de pesca. Os bichos de seda atraíram camundongos, então os gatos foram trazidos para resolver o problema. Os gatos fizeram um breve trabalho dos roedores residentes e, hoje, os ratos não são mais um problema para as pessoas de Aoshima. . Duas vezes por dia, há uma viagem de barco de 35 minutos para a Aoshima. Se você quiser visitar a ilha, você pode faze-lo da seguinte forma: Uma vez que você estiver em Ōzu, Prefeitura de Ehime, você pode levar a linha Yosan na companhia ferroviária Shikoku para a estação JR Iyonagahama. De lá, caminhe até o porto de Nagahama Infelizmente, em Aoshima não tem lugar para os turistas ficarem durante a noite, então, a menos que você esteja familiarizado com um dos moradores, você vai ter que acampar durante a noite em algum lugar. Apenas 34 visitantes são permitidos em Aoshima por dia. Embora isso possa ser decepcionante para os turistas, é importante para os residentes idosos da ilha que o turismo não fique fora de controle. Eles não Sekai X – Pág. 37


querem que suas casas ultrapassem os visitantes que possam perturbar seu estilo de vida pacífico. Então, se você tem sorte o suficiente para ser um dos 34 convidados, seja respeitoso com os seres humanos e com os gatos, que vivem lá. Apesar de serem originalmente trazidos para acabar com a população de camundongos, esses gatos fofos dependem principalmente de turistas e moradores para alimentá-los agora. Atsuko Ogata, uma enfermeira da aldeia em Aoshima, regularmente leva comida aos gatos em uma área de alimentação designada. Isso resulta em uma adorável tempestade de “pelúcias” e meows. Os gatos também comem bolas de arroz, barras de energia e outros lanches que eles conseguem pegar dos turistas visitantes.

Sekai X – Pág. 38


Sekai X – Pág. 37 31


CRONOLOGIA GAMER

Sekai X – Pág. 32


Figma Red – Pokemon – Good Smile Company (Dezembro – 2017)

Sekai X – Pág. 45


Max Factory – Figma - Snow Miku Twinkle Snow Ver. Figure (Fevereiro - 2017)

Sekai X – Pág. 46


Aniplex – Fate - Grand Order - Saber Arturia Pendragon Deluxe Edition (Janeiro - 2017)

Sekai X – Pág. 47


Aniplex – FateGrand Order Shielder (Março - 2017)

Sekai X – Pág. 48


Aniplex – Your Lie in April - Kaori Miyazono (Abril - 2017)

Sekai X – Pág. 49


Alter – Love Live! School Idol Festival - Umi Sonoda (Abril - 2017)

Sekai X – Pág. 50


ARTFX J – Cowboy Bebop - Spike Spiegel (Maio - 2017)

Sekai X – Pág. 51


Alter – Love Live! School Idol Festival - Eli Ayase 1-7-Scale Figure (Setembro - 2017)

Sekai X – Pág. 52


Play Arts Kai - Square Enix - Wonder Woman (Dezembro – 2017)

Sekai X – Pág. 53


DC Collectibles - Batman vs. Harley Quinn - Battle Statue (Setembro - 2017)

Sekai X – Pág. 54


Sekai X – Pág. 51


Sekai X – Pág. 35

Sekai X – Pág. 48


Sekai X – Pág. 36

Sekai X - Ano I - Nº 01  

Revista de variedades com matérias sobre o mundo otaku, gamer e geek

Sekai X - Ano I - Nº 01  

Revista de variedades com matérias sobre o mundo otaku, gamer e geek

Advertisement