Page 1

LEI PERMITE PREÇOS DIFERENTES PARA PAGAMENTOS EM DINHEIRO E CARTÃO

JORNAL

Pág. 10

SEHA

68 ANOS

Curitiba, junho de 2017 | Edição 49

Entidades do Turismo entregam reivindicações na ALEP Presidente do SEHA, João Jacob Mehl, entrega ao deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Paraná, demandas e solicitações, durante reunião com entidades ligadas ao trade turístico. Confira na página 5

VIDA LONGA

OPINIÃO

Senac comemora 70 anos de atuação no PR

Será difícil a tarefa à frente

Pág. 07

ESTRADAS

Pág. 06

Cresce a intenção de viajar de carro Pág. 03


2

Curitiba, junho de 2017

EDITORIAL Para revolucionar o turismo curitibano Acabou as finais da Liga Mundial de Vôlei em Curitiba e poucos hoteis, assim como comerciantes, foram beneficiados com o evento. A falta de divulgação e promoção frustrou grande parte dos hoteleiros da cidade, que não perceberam reflexo algum em sua ocupação tradicional. Faltou planejamento e o número de turistas que veio a Curitiba foi menor que o estimado. Começando por um lançamento oficial do evento para imprensa e trade turístico. Apresentando os personagens, números e dados sobre o vôlei mundial. O único encontro promovido dentro da Arena da Baixada para pouco mais de 100 pessoas serviu apenas para apresentação da plataforma eletrônica Gestour Brasil. Nem ao menos ficamos sabendo quem foram os jornalistas nacionais e estrangeiros que aqui estiveram, para entregar-lhes informações oficiais da cidade e leva-los para conhecer Curitiba, como é de praxe em eventos desse porte. Para piorar, nos envergonha as críticas que recebemos da mídia e dos participantes da Liga, em razão do frio que passaram na Arena. O regulamento da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) exige que a temperatura ambiente durante as partidas esteja entre 16°C e 25°C, o que não aconteceu e prova o que tenho defendido, que o local não se apropria a muitos eventos. Desde que assumi a presidência do SEHA e tracei objetivo de apoiar o desenvolvimento do turismo em nossa cidade e no Estado, manifestei inúmeras vezes que o ideal seria a construção de uma Arena Multiuso, para até 15.000 pessoas, que além de atender atividades esportivas, culturais e artísticas, substituirá em parte a falta de um grande centro de convenções. Uma Arena com padrão americano, com conforto e calefação, que representará uma inovação e um grande diferencial para trazer novos eventos e investimentos para nossa capital. Só assim traríamos o turismo necessário para abastecer nossa Hotelaria e mudaríamos o perfil e futuro da nossa cidade. E é esse nosso próximo objetivo, lutar pela construção de uma “casa” que abrigue grandes convenções políticas e religiosas, bem como espetáculos. Conto com o apoio de quem acredita que essa Arena Multiuso pode revolucionar o turismo curitibano. Estou sempre à disposição para conversar sobre o assunto. João Jacob Mehl

EXPEDIENTE Jornalista Responsável: Pierpaolo Nota Edição: Eliseu Tisato

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3323 8900 www.seha.com.br

GESTÃO 2014-2017 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries 

Aguilar Borsato Silva Diretor Carlos Roberto Madalosso Diretor para Ass. de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio Conselho Fiscal:  Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

NA CMC

Assentos especiais a obesos em restaurantes

Projeto da vereadora Maria Manfron tramita na Câmara Municipal de Curitiba

A

mpliar a quantidade de locais públicos com reserva de assentos para pessoas obesas. Esse é o objetivo de um projeto protocolado por Maria Manfron, em tramitação na Câmara de Curitiba. Enquanto a lei municipal 9.585/1999 prevê que no mínimo 0,3% dos assentos de salas de projeção, auditórios e espaços culturais sejam destinadas a esses público, a proposta da vereadora inclui na lista os restaurantes e estabelecimentos afins. Para Maria Manfron, a não contemplação de restaurantes e estabelecimentos afins causa constrangimento e desconforto. O objetivo do projeto, diz ela, é “minimizar o constrangimento da pessoa obesa que aspira a participar ativamente da sociedade, tanto

no trabalho quanto em sua vida social, cultural e de lazer, onde o conforto no momento da alimentação poderá ser oportunizado”. De acordo com a justificativa da proposição, os obesos integram o grupo de pessoas com mobilidade reduzida e que, portanto, “necessitam de equipamentos, ambientes e mobiliários acessíveis para promover sua inclusão social e uma melhor qualidade de vida”. O texto também lembra que a nova norma técnica de acessibilidade (NBR 9050/2015) estabelece critérios para os assentos destinados aos obesos, que devem ter o dobro da largura e suportar 250 quilos. Se aprovada e sancionada, a lei entrará em vigor 180 dias após a publicação no Diário Oficial do Município (DOM).

Parabéns aos associados que comemoraram seu aniversário durante o mês de junho 01.06 01.06 02.06 03.06 03.06 04.06 05.06 05.06 06.06 06.06 07.06 08.06 09.06 09.06 10.06 10.06 11.06 11.06 12.06 13.06 15.06 16.06 17.06 18.06 18.06 19.06

Luiz Procópio, do Hotel Estrela do Sul e Parati Gustavo Trevisan Socahewski, do Kaakupe Praia Hotel Lilian Pereira Ozeki, da América Grill Gil Carlos Souto, do Hotel Campo Largo Carolina Jaime, do Restaurante Mikado Jair Jos Mussio, da Churrascaria Costelão Santa Cândida Alice Gracco Galiotto, do Hotel Gracco Maria Lopes Bonamigo, do Jeito Mineiro Elizeth Gomes, do Motel Tarot Milton Kubicke Rech, do Restaurante Ancoradouro Monica Kachel Martins, da Cia do Pastel Jilcy Rink, do Buffet Nova Curitiba Karla Sottomaior, do Hotel Blumenau Ricardo Andraus, do Dominos Carlos Madalosso Filho, do Restaurante e Forneria Copacabana Eloi Eli Procopio, do Hotel Parati Isolde da Maia, do Hotel Exclusivo Marina Pisco, da Churrascaria Fogo Forte Gentil Oliboni, do Motel Sigen Ricardo Zachowst, do Hotel Centro Europeu Alexsander, Kalinowski, da Petiscaria Germânia Adelardo Telles Neto, da Pizzaria Boca de Forno Cristiane Costa Telles, da Pizzaria Boca de Forno Silvia Leão Gamarra, do Hotel San Martin João Strapasson, do Restaurante A Pamphylia Edson Palmonari, da Lanchonete Palmover


Curitiba, junho de 2017

3

ECONOMIA

Endividamento e inadimplência voltam a subir no Paraná Pesquisa da CNC e Fecomércio PR mostra que 88,7% dos paranaenses estavam endividados em junho

A

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) e divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná, mostra que o percentual de endividados no Paraná chegou a 88,7% em junho. Esta é a terceira alta mensal consecutiva. A média nacional de endividamento ficou em 56,4%. O maior índice de endividamento foi verificado entre as famílias com maior poder aquisitivo, em que 90,4% possuem algum tipo de dívida, ante 88,3% entre as classes C, D e E. Além das dívidas, o percentual de contas em atraso foi de 26,8%, aumento de 3,5 pontos percentuais em relação a maio. O índice de pessoas que não terão condições de pagar seus compromissos financeiros também subiu, passando de 9,1% em maio para 10,7% em junho. Apesar da piora desses indicadores, o quadro estava muito pior em junho de 2016: as contas em atraso atingiam 30% dos endividados e, destes,

12,8% não tinham condições de pagar suas dívidas. O grau de inadimplência também mostrou elevação. Entre as famílias com dívidas atrasadas, em 46,1% delas esse atraso ultrapassa 90 dias, o que permite a inclusão nos serviços de proteção ao crédito. As famílias com renda até dez salários mínimos possuem o maior percentual de inadimplência, com 49,4%, contra 30,8% entre as classes A e B. A parcela da renda dos paranaenses comprometida com dívidas foi de 31% em média, sendo que 16,1% dos consumidores têm mais da metade de seus rendimentos afetados por contas futuras. O tempo médio de comprometimento com dívidas é de 6,5 meses. O tipo de dívida mais comum entre os consumidores do Estado foi o cartão de crédito, 73,7%. Na sequência ficou o financiamento de veículo (9,2%), financiamento imobiliário (6,5%), carnês (4,8%), crédito pessoal (2%), empréstimo consignado (1,9%) e o cheque especial (1,1%).

Entre as famílias com dívidas atrasadas, em 46,1% delas esse atraso ultrapassa 90 dias, o que permite a inclusão nos serviços de proteção ao crédito

Pesquisa: Cresce intenção do brasileiro de viajar de carro Em relação a preferência pela hospedagem, hotéis e pousadas seguem na frente, com 52,7% de preferência entre os entrevistados

D

As regiões mais procuradas pelos viajantes deverão ser: Nordeste (50,8%); Sudeste (21,8%); Sul (17,9%); Centro-Oeste (7,4%) e Norte (2,1%)

e acordo com pesquisa do Ministério do Turismo, intenção de viagem dos brasileiros cresceu 15% em relação ao ano passado. Levantamento aponta ainda aumento na intenção de viajar de carro Pesquisa mensal do Ministério do Turismo em parceria com a Fundação Getulio Vargas revelou crescente intenção pelo uso de automóveis durante as próximas viagens dos brasileiros. De acordo com o levantamento, 28,6% dos entrevistados devem usar o carro em suas próximas viagens, crescimento de 47% em relação a 2016. No entanto, a maioria dos turistas ainda irá usar o avião para o deslocamento - 58,9% - um índice 6% maior que o ano anterior, 55,6%. O ônibus foi único meio de transporte que registrou uma queda na preferência dos turistas, passando de 17,2% em maio de 2016 para 11,8% este ano. A pes-

quisa, realizada em maio, ouviu mais de 2 mil famílias em sete capitais brasileiras: Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Ainda segundo a pesquisa, 21,5% dos entrevistados afirmaram ter interesse em viajar nos próximos meses, aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2016, 18,7%. Destes, 76,6% deverão optar por destinos turísticos nacionais. As regiões mais procuradas pelos viajantes deverão ser: Nordeste (50,8%); Sudeste (21,8%); Sul (17,9%); Centro-Oeste (7,4%) e Norte (2,1%). Em relação à preferência pela hospedagem, hotéis e pousadas seguem na liderança com 52,7% da intenção dos entrevistados contra 36,3% que deverão optar pela casa de parentes ou amigos. Para 11% das pessoas que pretendem viajar, a estadia será em residência própria, alugada ou outros.


4

Curitiba, junho de 2017

REUNIÃO DO TRADE TURÍSTICO

Sucesso na 2ª edição da Confraria do Turismo Participação é fundamental. Fique ligado no site do SEHA sobre informações do próximo evento

D

ia 23 de junho, no Mercado Municipal, Espaço Maurício Burmester do Amaral, aconteceu 2ª Confraria do Turismo do Paraná. Desta vez o evento aconteceu sob responsabilidade do SEHA, com participação das entidades parceiras: ABAV-PR, ABIH-PR, Abrasel-PR, Curitiba Convention & Visitors Bureau e Sindetur-PR. Antes do gostoso almoço, o presidente do SEHA, João Jacob Mehl, agradeceu a presença dos cerca de 40 presentes, enalteceu a importância do evento da união e diálogo contínuo de todos ligados ao trade do turismo paranaense. Logo após, passou a palavra à presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra. Ela falou sobre os trabalhos que estão sendo comandados pela entidade, sobre programação futura de participação de feiras e também enalteceu a importância da iniciativa e união do trade. Acompanhe no site do SEHA informações sobre a próxima edição. “Quando mais gente participar, mais forte será o turismo paranaense! Todos são bem vindos”, afirmou Jacob Mehl.

O presidente do SEHA, João Jacob Mehl, passando o microfone para TatianaTurra, presidente do Instituto Municipal de Turismo


Curitiba, junho de 2017

5

ALEP

Comissão de Turismo ouve demandas e sugestões do trade Entre elas a criação de um Fundo para incrementar a divulgação da atividade e a redução do ICMS sobre o óleo diesel utilizado nas aeronaves

O

deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Paraná, comandou na manhã de 13 de junho uma reunião com representantes do trade turístico paranaense para ouvir as demandas, reinvindicações e solicitações do setor para o desenvolvimento da atividade no Estado. Participaram lideranças de sindicatos, associações e federações que apresentaram suas pautas para atrair mais turistas, como a criação de um fundo específico para o turismo no Paraná. De acordo com Leprevost, algumas sugestões podem ser levadas pelo grupo de parlamentares ao Governo do Estado, como a que propõe a redução do ICMS sobre o óleo diesel usado nos aviões nos aeroportos paranaenses, o que geraria dificuldades para a expansão dos voos comerciais às cidades polo com grande potencial turístico. “Muitas companhias aéreas não querem abastecer em

Foz do Iguaçu, por exemplo, e nós vamos pleitear junto ao Governo do Estado uma redução do imposto em relação ao diesel, para aumentar os voos e barateá-los”, explicou. Esta demanda foi apresentada na mesa de reuniões do Auditório Legislativo da Assembleia também pelo presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, João Jacob Mehl. Segundo ele, o mais urgente para o turismo paranaense é a criação de um fundo próprio gerido pelo Poder Executivo para suprir necessidades como a divulgação do Estado em todo Brasil e no exterior. “O Estado não tem hoje condições de enviar funcionários para fora porque não tem receita, não tem verba. Nós precisamos que esta receita seja criada permanentemente para divulgar melhor nosso potencial turístico”, afirmou. A diretora de Administração e Finanças da Secretaria de Estado de Esporte e Turismo, Marilda

Keller Zarpelon, afirmou que o orçamento para a promoção das atrações turísticas em grandes feiras internacionais é insuficiente. Destacou, porém, que o estímulo às políticas públicas para o setor coloca o Paraná em quarto lugar em organização, regionalização e desenvolvimento do turismo entre os estados brasileiros. Sobre a criação de um fundo específico, a diretora explicou que a secretaria trabalha em um pré-projeto que deve em breve ser enviado para a análise da Assembleia. “É fundamental porque vai trazer recursos não vinculados, que vão poder ser utilizados independentemente das condições financeiras do Estado como um todo, porque serão destinados apenas ao turismo, sem divisão para outras atividades como a educação, saúde e segurança”, explicou. O deputado Anibelli Neto, membro titular da Comissão de Turismo e que presidiu o grupo na legislatura passada, participou da reunião com sugestões para aten-

João Jacob Mehl, presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, defendendo a classe na Alep

der principalmente os pequenos municípios, com regionalização do turismo rural e religioso. Foram expostas pelos representantes das entidades ainda as preocupações com as agendas para a retomada dos Centros de Convenções, localizados em Curitiba, Caiobá e Foz do Iguaçu; mais clareza nas

regras de licitação de eventos no estado; criação de um batalhão da Polícia Militar (PM/PR) para atuar em áreas de grande concentração turística; e fortalecimento do turismo rodoviário, com ações para facilitar o tráfego de ônibus nas regiões de grande potencial turístico.

Consulta Pública Reforma Trabalhista O

Senado Federal abril uma consulta pública sobre o projeto de reforma trabalhista que atualmente está em tramitação no plenário e que “Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis nºs 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho”. A votação é simples, constituída de apenas duas opções: sim e não. A consulta pública ocorre em diversos projetos em tramitação no governo federal e embora não influencie diretamente nos tramites de votação das propostas serve como “termômetro” sobre como a população esta recebendo a proposta. Os interessados podem votar e acompanhar a apuração através do site do Senado. Para cadastrar o voto, basta realizar um rápido cadastro que pode ser feito automaticamente pelo Facebook ou Google Plus.


6

Curitiba, junho de 2017 Jean Pavão/Festival das Cataratas

VISÃO TÉCNICA

DIFÍCIL TAREFA À FRENTE ANDRE FATUCH NETO de emprego, art. 482, b, da CLT, por meio da contratação do autônomo sem a vinculação ao emprego, a questão da exclusão de gratificações excluídas da base salarial, a restrição da equiparação salarial, a duração do trabalho, afirmou uma verdadeira revogação das horas extras, criticou a possibilidade de jornadas 12 x 36, citou a doutrina do direito paralelo, para justificar sua posição, afirmou que existe uma armadilha hermenêutica ideológica por trás da reforma, criticou a parametrização do dano moral proposto pela reforma, mencionando a redução da condição do trabalhador, frente às demais pessoas, dentre várias outras críticas, criticou a posição ideológicas de alguns procuradores do trabalho, disse que o pequeno empresário não foi lembrado pelos legisladores na reforma trabalhista, por fim disse que estão mexendo em direitos que não deveriam devido à perversidade da intenção, Em réplica o Juiz Marlus respondeu a todas as principais críticas, apresentando informações da própria justiça do trabalho, e do Congresso Nacional. Diante das ideologias opostas apresentadas no seminário pelos dois palestrantes, chego a conclusão que a reforma trabalhista não é o céu como pretendem os que a defendem, nem o inferno como os seus opositores, certo é que é o início de algo que se conseguiu para as atuais necessidades da sociedade e do país, me perdoem os opositores. O que me surpreendeu, foi a presença da intolerância ideológica presente em vários debates políticos, e que ocorrida naquela casa, não deveria ser política, mas jurídica, uma vez que estávamos todos na escola da magistratura do TRT9, me pareceu ainda mais grave. A palestra em questão pode ser vista no youtube com o título “Jornada de trabalho, Meio Ambiente e Dano Moral” pena que os comentários da plateia não foram gravados para se dar uma idéia contextualizada do que retratei nesta crônica. Até a próxima. ANDRE FATUCH NETO ASSESSOR JURÍDICO SEHA.

Reunião ganhou relevância pela participação de 10 ministros. Entre eles, o ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão, e das outras nove nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Festival das Cataratas supera expectativas Evento aumenta em 18% número de participantes em 2017

O

12º Festival das Cataratas tem tudo para ficar marcado na história. O evento movimentou a economia da cidade e mais uma vez bateu recorde no número de participantes. Foram 8.180, de 21 estados brasileiros e 14 países. O número é 18% superior do que o registrado no ano passado (7.043). Além disso, 227 profissionais de imprensa fizeram a cobertura do evento. Outros recordes desta edição foram o número de caravanas (55) e o de trabalhos submetidos ao Fórum Internacional de Turismo do Iguassu (270), que já se consolidou como o principal evento técnico-científico do setor no Brasil. Além dos números, o Festival também ganhou em relevância ao reunir 10 ministros. Entre eles, o ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão, e das outras nove nações da Comunidade dos País de Língua Portuguesa (CPLP). Na solenidade de abertura, Beltrão se comprometeu em buscar solução para uma forte reivindicação local: a ampliação Jean Pavão/Festival das Cataratas

Em recente seminário realizado na Escola da Magistratura no dia 02/06/17, presenciei duas correntes ideológicas dentro do nosso Tribunal do Trabalho. Em breve síntese a primeira que defende a reforma trabalhista, encabeçada pelo Doutor Marlus Melek, Juiz do Trabalho do TRT da 9ª Região e autor de diversos livros sobre o direito do trabalho, além de alguns dispositivos incluídos no texto da reforma trabalhista que em cristalina análise, fundamentou as justificativas da atual necessidade de realização de reformas, não só a trabalhista, como também a previdenciária, a tributária, a da logística dentre outras, que se fazem necessárias para colocar nosso país rumo ao crescimento. Apresentou dados na defesa de sua tese, ao afirmar que as empresas não suportam mais pagar custos que lhes retiram a capacidade de reinvestimento, e que fomentam o encerramento de postos de trabalho, pois se retira a capacidade de retorno sobre o capital investido. Fato que estamos vendo diariamente no fato de empresas de vários segmentos encerrando suas atividades no Brasil para abrir no Paraguai, citou exemplos, ou empresários migrando para os Estados Unidos. Salientou que nenhum direito constitucionalmente previsto está sendo retirado pela reforma, somente um ajuste da Lei que datava de 1940, para uma nova situação ora apresentada atualmente em nosso país. Em sentido diametralmente oposto, outro ilustre palestrante o Juiz Reginaldo Megado, também do TRT da 9ª Região com o devido respeito ao outro palestrante, atacou veementemente a reforma da forma como está se procedendo. Primeiramente afirmou que a reforma trabalhista destrói direitos, sendo uma verdadeira devastação do exercício da cidadania, ao longo de conquistas seculares, afirmou que ela aumentará acidentes de trabalho, precarizará o trabalho, é retrógada, piorará o mercado de consumo, e piorará o capitalismo. Afirmou que a reforma trabalhista viola frontalmente direitos fundamentais, tais quais, violação ao contrato

da cota de compras no Paraguai, aumentando o limite de isenção de impostos dos atuais US$ 300 para US$ 500. “Não sei qual o meio, mas podem ter certeza que levarei isso para Brasília. Mais do que discutir a cota, temos também que ter uma região livre de impostos, para gerar empregos e fomentar a economia de nosso País”, afirmou. Nos 209 estandes da Feira de Turismo e Negócios, 1780 expositores apresentaram mais de 1176 marcas, entre agências de viagens, operadores de turismo, empresas aéreas, meios de hospedagem e de gastronomia, destinos e atrativos turísticos de todo o Brasil e da América Latina. A África também esteve representada, com um estande de Angola. No Salão de Turismo de Compras, as lojas de Ciudad del Este, no Paraguai, ocuparam mais estandes e trouxeram atrativos para conquistar o público. Entre elas, um robô gigante, que fez sucesso entre os participantes. Mais uma vez o termalismo es-

teve em evidência, com o 2º Salão Brasileiro de Turismo Termal e Spa com destaque foi a presença do cientista da cadeira de medicina hidrológica da Universidade Complutense de Madrid, Dr. Francisco Maraver. O Salão do Vinho Argentino foi sucesso e atraiu a curiosidade de quem circulou pela Feira. Lá os visitantes puderam conhecer e degustar bebidas produzidas em mais de 20 bodegas de regiões tradicionais do país vizinho como Salta, La Rioja, Mendoza e San Juan. Cada vez mais aliada ao turismo, a tecnologia teve seu espaço no Festival, com a realização do 2º Hackatour Cataratas, uma maratona de programação. No Parque Tecnológico Itaipu (PTI), a missão foi desenvolver soluções – que foram devidamente validadas na feira – para o mercado de turismo em 34 horas. E como não podia deixar de ser em um evento com tal importância, o SEHA se fez presente através de seu presidente João Jacob Mehl.

Nos 209 estandes da Feira de Turismo e Negócios, 1780 expositores apresentaram mais de 1176 marcas


Curitiba, junho de 2017

QUALIFICAÇÃO

7

Senac PR completa 70 anos Há sete décadas a instituição cumpre com excelência sua missão de educar para o trabalho

E

m julho, mais precisamente dia sete, o Senac PR completa 70 anos de história, sempre em sintonia com a evolução do comércio paranaense. São sete décadas formando pessoas em 16 eixos de educação: artes, beleza, comércio, comunicação, conservação e zeladoria, design, educacional, gastronomia, gestão, idiomas, informática, meio ambiente, turismo e hotelaria, moda, saúde e segurança. Nesses 70 anos foram emitidos mais de cinco milhões de certificados e muitas transformações aconteceram nesse período. Cursos surgiram e foram um sucesso, como o de Empacotador, que na década de 1950 foi concorrido, mas com o passar dos anos acabou sendo extinto. Com o avanço no mundo, novas profissões foram surgindo. O Senac atento a essas mudanças também se modernizou com a criação de novos cursos em seu portfólio, melhoria de equipamentos e novas estruturas. A última década da instituição foi marcada pela expansão das unidades pelo estado. Foram inauguradas 24 novas escolas e mais quatros Unidades Móveis de

educação, levando formação profissional aos 399 municípios do Paraná. Destaque também para os eventos de gastronomia do Senac PR. Ao todo são 25 Semanas de Estudos e Pesquisas com os mais variados temas. A cultura culinária italiana, alemã, espanhola e japonesa, por exemplo, já fizeram parte das programações. Alguns produtos produzidos no Paraná, como a tilápia e o feijão, também serviram de inspiração. Todo esse trabalho fortaleceu a marca do Senac, que se consolidou como escola referência em gastronomia no Estado. O ciclo desses 70 anos é fechado com chave de ouro. No fim de 2016 o Senac foi credenciado pelo Ministério da Educação (MEC) como instituição de Ensino Superior e até o início de 2018 terá sua primeira turma de tecnólogos em andamento na Faculdade de Tecnologia do Senac. Atualmente o Senac conta com 37 Unidades de Educação Profissional que oferecem uma formação sólida, com cursos de educação inicial e continuada, ensino técnico e superior, além de atendimento corporativo e educação a distância.

Imagem da campanha publicitária do Senac para comemorar os 70 anos: O tema do aniversário é o Senac transformando vidas


8

Curitiba, junho de 2017

ENTREVISTA NEY LEPREVOST

Sem misturar turismo com política Frente à presidência da Comissão de Turismo da AL, Leprevost mantém boa relação com o trade e promete defender a “indústria sem fumaça”

D

“Curitiba começou, Gramado “atropelou”. Gramado foi muito inteligente. Gramado fez algumas coisas na área de urbanismo que são fantásticas, como por exemplo: exigir de todas as novas edificações que são construídas no município o uso do telhado colonial, no estilo europeu. Acho que essa medida poderia ser aplicada em Santa Felicidade.”

esde a última eleição a prefeito Ney Leprevost dispensa apresentações na cidade. Apesar de não levar, foi considerado um fenômeno de votos a nível nacional. Iniciou sua vida profissional aos 13 anos de idade como comentarista esportivo. Aos 22 anos foi eleito para o seu 1º mandato na Câmara Municipal de Curitiba, sendo nesta época o vereador mais jovem desta cidade. Em 1999, foi convidado a assumir a Secretaria de Estado do Esporte e Turismo, tornando-se o Secretário mais jovem do Brasil com 25 anos. Em 2000 foi reeleito vereador de Curitiba, assim como em 2004, quando foi o mais votado. Em 2006 concorreu a uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná e elegeu-se com 53.471 votos, cargo que ocupa até hoje, sempre reeleito com expressivas, votações sendo inclusive o deputado mais votado de Curitiba em 2010. Agora, à frente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa, Leprevost recebeu o Jornal do SEHA em seu gabinete, dias depois de ter recebido na AL diversas entidades do trade turístico, que lhe apresentaram demandas, reivindicações e solicitações. Jornal do SEHA - Assumiu a presidência da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa trazendo bagagem como Secretário Estadual de Esporte e Turismo do Paraná. O que seu nome pode trazer de bom para o turismo paranaense, como pode ajudar? Ney Leprevost - Tenho uma ligação forte com o turismo desde 25 anos de idade, na época que fui convidado pelo então governador Jaime Lerner para ser Secretário de Estado do Esporte e do Turismo. Me aprofundei muito nessa área, porque o turismo gera emprego a curto prazo, é uma indústria ambientalmente correta, sem chaminés, além de ser uma atividade apaixonante, até porque pressupõe a preservação da natureza, já que existe o turismo ecológico, o turismo rural, o turismo de aventura. Naquela época nós fizemos junto com a ABAV e as entidades do trade turístico o maior congresso de turismo da história do Paraná, que foi o Congresso ABAV 99, que inseriu Curitiba definitivamente no calendário turístico internacional. Nós recebemos aqui mais de 18 mil pessoas de mais de 60 países. Dali para frente eu nunca mais larguei o turismo, até porque as pessoas que comandam o trade aqui no Paraná são muito

competentes e sempre estão nos procurando com ideias e pedindo para que sejamos seus porta-vozes em diversas lutas do setor. E agora na Comissão eu pretendo apresentar projetos e dar uma avaliação positiva, relatórios positivos sobre projetos que possam incrementar o turismo do Paraná. Turismo é uma grande saída para aumentar a arrecadação dos municípios, para gerar renda e para gerar oportunidades de empregos para a nossa gente. Recentemente promoveu uma reunião com algumas entidades ligadas ao trade, que lhe apresentaram demandas, reivindicações, solicitações. Quais foram elas? NL - São diversas as solicitações, cada entidade tem as suas, mas o que todos pediram e foi quase unânime foi a aprovação de um Fundo de Turismo. A representante da Secretaria Estadual de Esporte e Turismo diz que irá mandar este projeto em breve para a Assembleia e eu me comprometi a defendê-lo, para que haja recursos para a divulgação do Turismo do Paraná fora do nosso Estado. Falta dinheiro para que as entidades possam se fazer representar nas feiras, nas convenções, para que seja feita a parte de folheteria, os folders de turismo, e que isso seja divulgado nos outros Estados, para que sejam feitos anúncios em revistas nacionais. O turismo precisa muito de propaganda. Por exemplo: no período de carnaval nós temos aqui em Curitiba a presença de pessoas que não gostam da folia e vem para cá. Se fossem organizados aqui, sem prejuízo nenhum ao desfile que ocorre na Rua Marechal Deodoro, promovendo concertos, peças de teatro, festivais gastronômicos, feiras de livros nesse período poderíamos ter um aumento significativo de pessoas que se hospedam na rede hoteleira curitibana, que frequenta os restaurantes de Curitiba, que utilizam os taxis da cidade, que vão ao comércio da cidade nesse feriado que é o mais longo do ano. Esse fundo viria de onde? Do próprio recurso que o turismo gera? Seria gerido por quem? NL - Eu ainda não sei, pois a Secretaria de Turismo, que está elaborando este projeto, ainda não nos enviou o anteprojeto. Então nós estamos no aguardo. Vamos ter que tomar conhecimento com mais profundidade assim que o projeto chegue. Mas, desde que não onere a população é excelente a ideia

de termos um fundo. O presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação, João Jacob Mehl, também esteve aqui na reunião e trouxe contribuições importantes para nós, sugestões importantes na área do turismo, como por exemplo o andamento do plano de uso e ocupação da Ilha do Mel. Foi sugerido também a redução do ICMS de combustíveis de aeronaves. Essa foi uma das principais reivindicações deste dia. Reduzir o preço dos combustíveis das aeronaves visando assim incentivar os voos regionais, principalmente entre a capital e cidades como Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá e Cascavel. Desde que o governador do Paraná aumentou o ICMS sobre os combustíveis das aeronaves nós tivemos uma queda no número de voos para Foz do Iguaçu e um aumento no valor das passagens. Hoje é mais barato você ir ao Rio de Janeiro do que a Foz do Iguaçu, porque os aviões não querem abastecer aqui no Paraná. Este é um dos pedidos que eu inclusive já encaminhei formalmente ao Governo do Estado. Por outro lado, a Abrajet-PR (Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo do Paraná) pede a destinação de recursos orçamentários anuais para a infraestrutura das necessidades. A Abrasel quer que o CEPATUR realize eleição entre os membros das entidades representativas. E assim vai... Todos pedem um Plano Integrado de Promoção e Apoio a Comercialização do Paraná como Destino Turístico. São muitas as reivindicações para mencionar numa única entrevista. Você vê aqui a pilha de papéis que eu tenho, todos são relacionados a reivindicações da área do turismo. Mas eu achei a reunião bem produtiva, as entidades compareceram em peso, foi uma das melhores reuniões que nós tivemos aqui na Assembleia. A FACIAP também se fez representar, a Fecomércio que é liderada pelo nosso grande amigo Darci Piana, que é um entusiasta da área do turismo. E nós vamos aos poucos encaminhando estas propostas para o Governo do Estado através da sua Secretaria Estadual do Esporte e Turismo. Soube através do presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, que o Turismo mais forte do Paraná é o Turismo Religioso. Alguém do TR já lhe procurou para conversar ou já chegou à Comissão algum projeto sobre o assunto para análise? NL - Um dos deputados, mem-

bros da Comissão, o Evandro Araújo, que é muito ligado a Renovação Carismática da Igreja Católica já mencionou este assunto e se comprometeu a trazer mais informações para nós. Aqui em Curitiba, quando fui vereador, lutei muito pela criação de um roteiro de Turismo Religioso e na época consegui isso com a prefeitura. O prefeito, se não me engano, era o Cássio Taniguchi ou o Beto Richa, não me lembro qual dos dois. Mas consegui a criação deste roteiro, foi feita toda uma panfleteria em relação a isso e na época até o Arcebispo de então apoiou esta iniciativa. Eu acho que o Turismo Religioso é importante sim, só precisa ser mais divulgado e tem que ter um pouco de infraestrutura, um pouco de apoio do poder público, porque é feito de maneira extremamente informal hoje. Recentemente, quando foi candidato a prefeito de Curitiba, uma de suas propostas era a revitalização da Manoel Ribas, compreendendo toda a faixa de restaurantes, que formam um grande polo gastronômico. Outros polos semelhantes também estão formados na cidade. Por último agora, tivemos a liberação dos food trucks. A gastronomia pode incrementar o turismo? NL - Sempre fui a favor da liberação dos food trucks. Acho que nesse aspecto, embora tenha diversos erros em outras áreas, nessa o atual prefeito acertou. Sempre defendi a revitalização da Manoel Ribas. Acho que a atual gestão erra por não incluir no projeto o cabeamento subterrâneo, tirar todos os cabos da Manoel Ribas, todos os fios de luz e enterrá-los. É uma avenida extremamente turística. Sou um apaixonado por Santa Felicidade. Vi uma vez uma pesquisa de um professor da Universidade Federal do Paraná dando conta de que o local mais visitado de Curitiba, depois do Jardim Botânico, é o bairro de Santa Felicidade. Todos vão aos restaurantes de Santa Felicidade quando vem para cá. Quando viajo para outros Estados, quando você fala para outras pessoas de Curitiba, o primeiro nome que elas falam é de Santa Felicidade. Acho que Santa Felicidade merece um apoio especial. Inclusive entendo que o Governo do Estado deve incrementar o apoio a festas regionais de Santa Felicidade, como a Festa da Polenta e a Festa da Uva, e acredito que seria importante também criar outras atrações em Santa Felicidade. No Natal, por exemplo, fica


Curitiba, junho de 2017 muito iluminada, muito bonita, muito bem decorada. Isso poderia ser incentivado para que seja ampliado. Poderia, inclusive, ser feito um desfile de italianos com as carrocinhas e com pessoas caracterizadas, com roupas do folclore italiano, e o Papai Noel, para atrair as pessoas para lá. Santa Felicidade poderia ser melhor aproveitada pelo poder público. Se for lembrar, Curitiba começou a trabalhar o Natal Luz antes de Gramado, e Gramado acabou “atropelando” Curitiba, que perdeu essa tradição. NL - Curitiba começou, Gramado “atropelou”. Gramado foi muito inteligente. Gramado fez algumas coisas na área de urbanismo que são fantásticas, como por exemplo: exigir de todas as novas edificações que são construídas no município o uso do telhado colonial, no estilo europeu. Acho que essa medida poderia ser aplicada em Santa Felicidade. Não para o comércio que já existe, mas para àqueles que forem construir lá receber algum benefício fiscal da prefeitura para fazer o telhado no estilo italiano, no estilo colonial. E não acho que seja uma meta insana imaginar que Santa Felicidade possa se tornar amanhã a Gramado do Paraná. Aliás, não é só Santa Felicidade que poderia ter essa característica. Eu vejo ali na região de Balsa Nova, de São Luiz do Purunã, uma possibilidade disso. Assim como no município de Campo Magro também. Os municípios lindeiros ao lago de Itaipu também apresentam vocação turística e gastronômica. NL – Sim, muito grande. Quem descobriu essa vocação, ou pelo menos a divulgou, foi o então Governador Jaime Lerner, antes mesmo de eu ser Secretário de Esporte e Turismo. Acho que toda a região de Foz do Iguaçu é privilegiada em relação ao turismo. Nós temos lá a Hidrelétrica de Itaipu que mostra a capacidade do homem de construir, de empreender. Temos as Cataratas do Iguaçu que é uma maravilha construída por Deus, pela natureza. Mas temos diversas atrações em Foz, um excelente polo hoteleiro e na região dos municípios lindeiros de Itaipu também. Ali a tendência é cada vez ocorrer um crescimento maior. Acho que o que poderia ajudar muito a região seria a instalação de um parque temático em um dos municípios lindeiros à represa de Itaipu. Curitiba está prestes a receber mais um grande evento, as Finais da Liga Mundial de Vôlei (entrevista foi feita dias antes). Foi montado um pacote para vender nosso destino junto com o Festival de Dança de Joinville e outras atrações de Camboriú e Florianópolis. Passou algo sobre esse assunto por dentro da Comissão? NL – Não, isso passa pela Câmara Municipal, porque se refere a administração da cidade. O que nós podemos é auxiliar o Instituto Municipal de Turismo se formos so-

licitados. Eu vejo com muito bons olhos esse evento. Aliar o esporte e o turismo sempre é ótimo. Nós tivemos o UFC aqui em Curitiba e recebemos muitos turistas no passado e é uma oportunidade de a cidade realmente pegar os jornalistas que vem para cobrir o esporte e convida-los a virem conhecer, por exemplo, os Campos Gerais, Vila Velha com seus arenitos, Furnas, a Lagoa Dourada, conhecerem Foz do Iguaçu, conhecerem todo este eixo de turismo que existe aqui na região metropolitana. Serem levados a Morretes, a Antonina, Paranaguá. Eu acho que o município não pode perder a oportunidade de criar uma pauta para o jornalismo nacional e divulgar as riquezas turísticas da região. O Estado também tem que estar presente nisso obviamente e você sabe que os jornalistas vêm com antecedência, precisam criar pautas e, se houver um trabalho inteligente por parte do município e do Estado, eles podem se interessar por essas pautas turísticas. O Turismo está acima das “brigas políticas”? NL - Sem dúvida! Tem conversado com o Jacó Gimennes, presidente da Paraná Turismo? Com a Tatiana Turra, presidente do Instituto Municipal de Turismo? NL - Eu me dou muito bem com o Professor Jacó Gimennes, com a Tatiana Turra, não misturo a questão político-eleitoral que já passou com minha atuação como presidente da Comissão do Turismo. Muito pelo contrário. Quero trabalhar sempre em parceria saudável com eles. No final do ano passado o Governo do Estado encerrou as atividades do Centro de Convenções de Curitiba, localizado no centro da cidade, que fomentava a maioria dos hoteis do centro e dos restaurantes. No local não existe mais expectativa de se fazer um novo centro de convenções. O centro de convenções que a prefeitura ia fazer também está fadado a não ser construído. Na sua avaliação, Curitiba precisa de um novo centro de convenções ou não? NL - Eu acredito que precisa. Seria bom ter um centro de convenções. Mais um centro de convenções. Eu acho o Expo Unimed, que pertence a Universidade do Professor Oriovisto, um bom local, um ótimo local. Mas acho que a gente tem que ter aqui na região central um centro de convenções, nem que seja um pouco menor do que aquele. Sei que o trade turístico é contra o fechamento do Centro de Convenções de Curitiba, mas me parece que essa decisão é irreversível, já está tomada, que as pessoas inclusive já foram demitidas. Não sei se há como reverter essa situação. Posso me informar melhor. Como que você está enxergando e avaliando o que está acontecendo no Brasil? NL - O Brasil está de cabeça para

9

baixo. É triste. Não vejo ainda um novo nome para podermos eleger no ano que vem para Presidência da República. A corrupção se alastrou por todo o poder público, principalmente lá em Brasília, mas também em Estados e municípios. A Laja-Jato é extremamente necessária, sou a favor do trabalho do Juiz Sérgio Moro, dos Procuradores da República, da Polícia Federal. É necessário que seja feito uma limpa nesse país e espero que até o ano que vem esta limpa esteja concluída para que as pessoas possam respirar e parar, para pensar qual é a melhor opção para governar o Brasil no futuro. Acha que vai haver punição para quem roubou ou desviou dinheiro público? NL - Tem que haver. Tem que haver punição, pois são crimes previstos no Código Penal. Nós não podemos viver em um país onde só se prendem os “ladrões de galinha”. Os “ladrões de colarinho branco” tem que ser punidos. Nós estamos vendo que alguns já estão inclusive sendo punidos. Quando que você imaginou, por exemplo, que um ex-ministro como Zé Dirceu ou como Palocci poderia ir para cadeia? Quando que você imaginou que o dono da maior empreiteira do país, a Odebrecht, iria preso? Então, estão acontecendo punições. Agora, a Justiça tem o seu ritmo, não é o ritmo veloz da imprensa, é um ritmo mais lento. É até importante que seja assim para que também não sejam cometidas injustiças, não é? Entre ver um inocente sendo punido e um culpado sendo absolvido, eu prefiro o culpado sendo absolvido. É claro que nós queremos a punição de todos que roubaram. Deve ser uma punição rigorosa, uma punição dura e, mais importante até do que a prisão, é o ressarcimento deste dinheiro aos cofres públicos, pois este dinheiro é sagrado para a saúde, para a educação, para o turismo. E o futuro político do deputado Ney Leprevost? NL - O futuro a Deus pertence. Eu estou aguardando a nova legislação eleitoral para poder tomar uma decisão junto com a minha base. Algumas pessoas no partido me estimulam a ser candidato ao Senado, outros a deputado federal, posso também ser candidato a reeleição a deputado estadual, não sei. A única coisa que eu sei por enquanto é que se a atual gestão for tão mal como está até o fim eu poderei vir a disputar a eleição de prefeito contra o Rafael Greca que estará tentando se reeleger. Porque a diferença foi muito pequena, foram apenas três por cento dos votos. Nós surpreendemos a todos. Saímos lá dos cinco por cento no primeiro turno, fomos ao segundo turno quando ninguém esperava e perdemos a eleição por muito pouco. Eu realmente não seria inteligente se tomasse uma decisão já sobre o que farei. Também porque não conhecendo a nova legislação eleitoral, você está se expondo a entrar em um jogo sem conhecer

suas regras. Seria como ir para um jogo de futebol, por exemplo, com novas regras e não conhecer estas novas regras. Então tem que aguardar um pouquinho. Isso até outubro irá se resolver. E sua avaliação do futuro político do Paraná? NL - Acredito que o Paraná está se preparando para o novo. O Paraná tem grandes chances de eleger o novo na próxima eleição. A pessoa vai ter de passar incólume por todas essas denúncias, essas “listas” aí que aparecem: “Lista da Friboi”, “Lista Não-sei-de-quem”... E aquele que chegar limpo, que tiver preparo, que for o novo e que apresentar boas propostas no momento oportuno pode ser eleito. Nosso partido tem um pré-candidato ao Governo do Estado que é o deputado Ratinho Júnior. Ele está percorrendo o interior do Estado, está caminhando para construir sua candidatura, o que eu acho que é perfeitamente legítimo e espero que ele consiga sedimentá-la para que o PSD participe com chapa majoritária da eleição de governador. Seu recado para os associados e filiados do SEHA? NL - Quero dizer que o nosso gabinete está à disposição de vocês. O nosso telefone é o 41 3350 4191, o meu e-mail é contato@ neyleprevost.com.br, e tudo o que for para defender o turismo, a gastronomia, o comércio, com o objetivo de gerar emprego e riquezas para a nossa gente, terá sempre o meu apoio.

A Justiça tem o seu ritmo, não é o ritmo veloz da imprensa, é um ritmo mais lento. É até importante que seja assim para que também não sejam cometidas injustiças, não é? Entre ver um inocente sendo punido e um culpado sendo absolvido, eu prefiro o culpado sendo absolvido.”


10

Curitiba, junho de 2017

AVANÇO NA LEI

Lei passa a obrigar as empresas a informar, em local visível ao consumidor, sobre os descontos eventualmente praticados para pagamento com cartão de débito ou crédito

FBHA comemora diferenciação de preços à vista e no cartão Permissão está prevista na Lei 13.244, publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de junho

A

Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação considera um avanço para as relações de consumo a Lei 13.455/2017, publicada no dia 27 de junho passado no Diário Oficial das União, que passou a facultar “a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado” por parte do comércio em geral, inclusive hoteis, restaurantes, bares e similares. A nova norma também considera como nula a cláusula contratual, imposta por emissores de cartões de crédito ou débito, que proíba ou restrinja a possibilidade de diferenciação de preços.

Como contrapartida, a lei passa a obrigar as empresas a informar, em local visível ao consumidor, sobre os descontos eventualmente praticados para pagamento com cartão de débito ou crédito, bem como o prazo de pagamento, sob pena de que respondam pelo pagamento de multas previstas no Código de Defesa do Consumidor. Essas multas poderão variar entre 200 e 3 milhões de vezes o valor da Unidade Fiscal de Referência - UFIR (atualizada pela Taxa SELIC em razão da sua extinção), e serão aplicadas de acordo com a gravidade da infração, a vantagem auferida e a condição econômica empresarial. Para o presidente da FBHA, Alexan-

dre Sampaio, a Lei 13.244 corrige uma grave injustiça, superando a postura até então adotada pelos órgãos de proteção e defesa do consumidor - PROCONs e Promotorias de Defesa do Consumidor e Tutela Coletiva dos Ministérios Públicos Estaduais, os quais interpretavam que a possibilidade de desconto, conforme o meio de pagamento adotado (espécie ou cartões), era lesiva ao consumidor, ainda que, nas relações de consumo o mercado já praticasse tais descontos para pagamento em dinheiro como forma suplantar o custo da taxa de intermediação cobrada pelas administradoras de cartões – entre 2 e 7% e o prazo dilatado

Associe-se ao SEHA e conte com assessoria jurídica gratuita Conte também com acompanhamento em ações trabalhistas

para receber o repasse dos valores - entre 30 e 40 dias (nos EUA, o prazo é de apenas 2 dias). “A permissão legal para a oferta de descontos quando o pagamento de produtos e serviços é realizado em espécie beneficia empresas e consumidores, trazendo segurança jurídica para uma prática que já era costumeiramente implementas, ainda que a legislação insistisse em fechar os olhos à realidade quotidiana. Mais que isso, a ausência de taxas na intermediação diminui o custo da produção e, por consequência, o preço final pago pelos consumidores”, considera o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio.


Curitiba, junho de 2017

11

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação

convênios Com empresas TRANSRESÍDUOS

MEDICINA DO TRABALHO

Desconto especial para associados SEHA na coleta de resíduos e também na elaboração de plano gerenciamento de residuos e solidos. www.transresiduos.com.br

Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) - PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais PPP (Perfi l Profissiográfi co Profi ssional) Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba.

SEGURO DE RISCOS DE RESPONSABILIDADE

“Para bares, hoteis, restaurantes, pousadas, boates, padarias e afins. Programa completo de proteção que abrange a grande maioria dos riscos que os estabelecimentos estão expostos. Escritório de Advocacia Amazonas de Almeida Pimenta & Bueno

Especialista na restituição de valores de recolhimentos de INSS Mais informações no 41 3323 8900

CONSULTORIA ESPECIALIZADA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHACtba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis e gestão da informação. Sem fins econômicos, seu principal objeti vo é formar profissionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473

Com faculdades SPEI 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.spei.br Fone 41 3364-4579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e PósGraduação - direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.opet.com.br cezarroberto@opet.com.br Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.facinter.com.br Fone 41 2102-3300 UNICENP 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Consulte nosso banco de empregos

www.SEHA.com.br Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Acompanhamento em ações trabalhistas. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade.

Assessoria jurídica gratuita.

Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo fone 41 3323-8900


12

Curitiba, junho de 2017

www.seha.com.br Notícias

Convênios

Fique informado, entre em nosso site para ter acesso as informações do nosso setor.

Precisa de convênio médico, odontológico, medicina ocupacional, entre outros? Se houver algum convênio que queira nos sugerir, fique a vontade!

Precisa de funcionários? Publique as suas vagas gratuitamente em nosso site, e se tivermos em nosso banco de dados candidatos que preencham os seus requisitos, os currículos serão encaminhados para sua empresa.

Assessoria Jurídica

Tem dúvidas? Precisa de informação? Sugestões? Entre no nosso canal Fale Conosco, e mande para nós o que precisa.

Está com alguma notificação trabalhista? Ou dúvidas na área trabalhista, comercial, tributária e/ou civil? Possuímos duas assessorias contratadas especialmente para auxiliar nas suas questões. Se houver uma reclamação trabalhista, terá o acompanhamento gratuito de nossos advogados para a sua defesa. E suas dúvidas jurídicas poderão ser também esclarecidas gratuitamente.

Qualifique sua equipe

Questões Administrativas

O associado tem direito a duas vagas gratuitas por curso na grade disponibilizada em nosso site, e a sua inscrição é feita no próprio site.

Questões como o ECAD, Vigilância Sanitária, Fiscalização Ambiental, NFCe, consulta a Legislação em Vigor fica fácil quando se tem aonde recorrer e tirar informações. Pertencemos ao Conselho Municipal de Urbanismo, caso tenha alguma questão a ser resolvida sobre urbanismo, traga a sua questão para nós.

Contato permanente!

O espaço é seu! Está vendendo algum mobilizado de sua empresa de hospedagem ou alimentação? Anuncie sua venda, mandando as características, preço e fotos do objeto a ser vendido e será publicado em nosso Banco de Negócios, além de enviarmos através de nosso mailing. Basta acessar www.seha.com.br

Informações Legais Tenha acesso às Convenções Coletivas firmadas, sempre que seja necessário.

Basta ligar para: 41 3323-8900


Curitiba, junho de 2017

INFORMATIVO

B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R

|

2017

CURITIBA, ANO 3, EDIÇÃO N. 53

A HORA DE INVESTIR NO SEU FUTURO É AGORA. FAÇA SENAC. CURSOS TÉCNICOS SENAC

20% DE DESCONTO.* *consulte condições

WWW. PR. SENAC. BR/ TECNICOS

REFERÊNCIA EM

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

S I ST E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N AC P R N C M - N Ú C L E O D E C O M U N I CAÇÃO E M A R K E T I N G 4 1 . 3 8 8 3 - 4 5 3 0 | j o r n a l i s m o @ f e c o m e rc i o p r. c o m . b r w w w. f e c o m e rc i o p r. c o m . b r | w w w. s e s c p r. c o m . b r | w w w. p r. s e n a c . b r

13


14

Curitiba, junho de 2017

CURSOS SEHA, FAÇA SUA PRÉ-INSCRIÇÃO

Assim que for atingido o número mínimo de participantes será definida a data do curso

ASSOCIADOS SEHA TEM DIREITO A DUAS VAGAS GRATUITAS POR CURSO BARTENDER I DE 25 A 28 DE JULHO INCRIÇÕES ATÉ 20/07 CARGA HORÁRIA: 16h - 13h30 às 17h30 Este curso tem como objetivo fornecer aos participantes conhecimentos sobre características de confecção, apresentação, manipulação de bebidas, postura profissional, grupos, categorias e modalidades das bebidas para que possam atender aos clientes de acordo com os padrões da IBA (InternationalBartenderAssociation).Público-Alvo: Profissionais que queiram atuar ou que já atuam na área e que desejam investir na sua formação. Idade mínima do participante 18 anos. INSTRUTOR: MARCELO ROCHA COMO MONTAR E ADMINISTRAR BARES E RESTAURANTES CURSO DE 01 à 04/08 Inscrições até o dia 27/07 ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS CARGA HORÁRIA: 9h - 9h00 às 12h00 O que é administração de conflitos; O que é um conflito; O comportamento e sua influência no grupo; Autoridade e poder; Tipos de personalidade; Como controlar os comportamentos; Como o conflito se desenvolve; A comunicação na equipe; Como trabalhar em equipe; A janela de johari; Como administrar o conflito no grupo; Porque é tão importante o papel da liderança no grupo; A Administração de Conflitos é fundamental em uma corporação nos dias atuais. Ela mantém as pessoas motivadas, melhorara a produção, qualidade dos serviços e facilita o trabalho em equipe. Ao profissional, cabe comunicar-se de forma direta, clara e objetiva; saber escutar e discutir ideias. “Convivemos com conflitos no trabalho e na vida pessoal. A falta de administração de conflitos causa tensão e faz com que o ambiente se torne improdutivo INSTRUTORA: CRISTINA CORREIA SEGURANÇA E HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR CARGA HORÁRIA: 16h - 13h30 às 17h30 Adequado a RDC 216/04, o curso visa

treinar em segurança e qualidade dos alimentos; identificar os procedimentos básicos da qualidade e segurança; conscientizar sobre a higiene pessoal e alimentar no controle da contaminação de alimentos, visando implementar o manual de boas práticas.Público-Alvo: Chefes de cozinha, cozinheiros, auxiliares de cozinha, proprietários de empresas de alimentos e público em geral. INSTRUTOR: MARCELO ROCHA CURSO DE INGLÊS APLICADO A SERVIÇOS DE ATENDIMENTO Duração:.8 aulas. Horário: 09:00 – 12:00. INSTRUTOR:Prof. Alvaro (Vavo) Krieck. O curso tem como objetivo, proporcionar aos seus alunos contato com os tópicos mais relevantes nas interações na língua inglesa entre profissionais de atendimento e turistas visitando nossa cidade. O foco está no intercâmbio de informações cotidianas e importantes, possibilitando que esse profissional possa expressar-se e entender o mínimo necessário para que ambos, ele e o turista, tenham seus objetivos atendidos em uma comunicação. Nas aulas, os alunos terão contato com: Semana 1 Aulas 1 e 2: Noções Básicas de Inglês e Pronúncia, Apresentações Pessoais, Expressões Usadas para Saudar e se Despedir de Turistas, Países e Nacionalidades. Semana 2 Aulas 3 e 4: Horas e Números, Serviços de Reserva de Restaurantes, Hotel e Check-in e Out, Dias da Semana, Meses e Como dizer os Anos e Feriados. Semana 3 Aulas 5 e 6: Templo, Clima, Previsão do Tempo, Compras, Como Indicar Endereços e Locais e Distância, Receber e Cobrar pagamentos. Semana 4 Aulas 7 e 8: Conversar ao telefone, Descrição de Pontos Turísticos de Curitiba, Falar Sobre a Culinária e Ingredientes e Oferecer Ajuda aos Turistas. As aulas são interativas e a participação dos alunos é encorajada desde o início. A apostila trará além das explicações, exercícios para serem realizados em sala de aula, bem como atividades de fixação para casa. O conteúdo pode ser adequando ou redimensionado de acordo com as ne-

cessidades da instituição, ou dinâmica da turma. * Os alunos intermediários, bem como os iniciantes, terão contato com funções da língua que são usadas em situações de atendimento ao cliente FINGER FOOD CARGA HORÁRIA: 3h - 14h00 às 17h00 O curso tem como objetivo apresentar aos alunos a modalidade finger food para eventos. Além disso, mostrar a diferença entre finger food e pequenas porções, tão comumente confundidos. O aluno irá ter noções de planejamento de eventos, como quantidades, tipos de finger food, e sugestões cardápios temáticos. O aluno, em conjunto com o professor, elaborará 6 tipos de finger food, os quais serão montados em uma mesa Instrutor: Vavo Krieck Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral. FINALIZAÇÃO DE PRATOS CARGA HORÁRIA: 3h - 14h00 às 17h00 O curso tem como objetivo criar uma consciência quanto a estética, apresentação e finalização de pratos. A aula será basicamente um grande exercício, onde os alunos terão duas proteínas, uma sobremesa e vários elementos para montar e finalizar esses pratos. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral. Instrutor: Vavo Krieck PANIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA: 9h - 14h00 às 17h00 Técnicas de panificação como fermentação, modo de preparo, sova. Modelagem de pães. Armazenagem e embalagem. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral. Instrutora: Cristiane Bertho CONFEITARIA CARGA HORÁRIA: 6h - 14h00 às 17h00 Técnicas básicas de confeitaria, como preparar massas, caldas, recheios e coberturas de bolos. Como confeitar com bicos . Armazenagem, validade. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral. Instrutora: Cristiane Bertho

www.seha.com.br

Ligue 41 3323 8900, informese sobre os mais de 20 cursos ofertados, faça sua pré-inscrição e garanta sua participação nos cursos do SEHA, os mais reconhecidos do mercado.


Curitiba, junho de 2017

15

AUDIOVISUAL

Parceria com a Gestour Depois de matéria completa na edição passada instruindo Associados e Filiados em como aderir a parceria realizada entre a Gestour Brasil e SEHA, ABAV-PR, ABIHPR e SINDETUR-PR, o presidente João Jacob Mehl, o Ceo da Gestour, Vadis Silva; e o diretor da ABIH-PR, Orlando Kubo, gravaram vídeo já disponível no site e redes sociais do SEHA com objetivo de fomentar o assunto no meio.

POSTO DE COLETA

Neste inverno, doe agasalhos, cobertores, roupas, toalhas, lençóis e colchões.

Mais informações no 41 3323 8900, com Viviane


16

Curitiba, junho de 2017

Profile for SehaFit

Jornal seha ed 049  

Jornal seha ed 049  

Profile for sehafit
Advertisement