Page 8

8

Curitiba, 1ª quinzena de fevereiro de 2017

DELIO CANABRAVA

Ele é o Rei da Itupava

Seu caminho na área gastronômica começou na infância, através da família mineira e de seu envolvimento na fazenda Por Pierpaolo Nota

Não é só o empresário que paga tanto imposto, funcionário também paga muito. Agora, onde que o Governo está pondo este imposto é que a gente quer saber.”

Eu acho a Abrabar uma ‘associação de um homem só’. Deveria ter mais gente participando, votação e abertura. Isso eu não vejo lá e não acho representativa.”

A

os 45 anos, casado, com 3 filhos, o desenhista industrial, Delio Canabrava virou um empresário de sucesso e um chef de cozinha respeitado. Atualmente administrando quatro estabelecimentos falou ao Jornal do SEHA sobre eles, sua origem, experiência internacional, como é ser empresário no Brasil, na expectativa em relação à nova gestão da prefeitura. Leitura mais que interessante. Jornal do SEHA - Acompanhei sua trajetória, mas gostaria de escutar sua hirtória contada por você mesmo. Delio Canabrava - Meu caminho começou na área gastronômica quando ainda na infância, família mineira, sempre estivemos envolvidos na fazenda com boi, porco, carneiro, pescando, plantando e colhendo alguns vegetais ali em volta da casa, e cozinhando isso tudo. Minha infância já esteve muito ligada a gastronomia, mas da forma mais caipira. Depois que eu comecei a estudar, porque a gente tem sempre que “se formar”, como diria meu pai e minha mãe, me formei em Curitiba em Desenho Industrial e fui para Londres para fazer pós graduação e estudar inglês, que eu era muito ruim. Além disso, em 1997 estávamos no boom da internet e eu aproveitei para estudar webdesign e lá em Londres fiz um mestrado, e para pagar este mestrado tive que trabalhar muito e, como meu inglês não era bom para atuar como webdesigner, acabei indo para a cozinha. Lavar pratos, lavar o chão, comecei do básico e, até que meu inglês melhorasse, fiquei na cozinha. Quando o inglês melhorou e fui aceito no mestrado, já estava ambientado na cozinha, gostava muito e ganhando dinheiro, acabei não largando meu serviço lá em Londres e fiquei três anos trabalhando em cozinha. Depois destes três anos em Londres, terminei meu mestrado e fui para Lima, no Peru, onde fiquei cerca de quatro meses. E em Lima eu pude ver que eu estava com a cabeça mais na cozinha do que no webdesign. Eu passava o dia inteiro atrás das feiras gastronômicas de rua. Saí de Lima e vim para Curitiba, no final de 2000. Comecei uma pós graduação em Marketing na FAE e, logo depois fui trabalhar no marketing do restaurante Beto Batata. Fui gerente de marketing, gerente de loja, fazia de tudo. E, mais uma vez, vivia na cozinha, migrando para este lado. Aí o Robert Amorim me apresentou para a cidade, para os jornalistas gastronômicos, para os fornecedores, para todo mundo. Ele sempre foi muito generoso e me ajudou neste começo. Depois ele foi para Parati, montou um restaurante e ficou lá por uns dois anos, e quando o restaurante lá não deu certo e ele voltou para cá, aí o restau-

rante dele ficou pequeno para mim e para ele. Assim ele deu um “pontapé inicial” na minha carreira gastronômica (risos). Da mesma forma que foi um “pontapé”, pois eu não podia mais ficar lá, foi o começo da minha vida empresarial. Eu e minha esposa já tínhamos a Banoffi, a fábrica da Banoffi, fornecíamos para muita gente. Na sequência eu montei com sócios, depois fui separando até chegar nestes quatro que eu tenho hoje, eu montei o restaurante Picanha Brava com meu irmão, montei o restaurante Jacobina com uma sócia, depois montei a Cantina do Délio, depois montei o Banoffi da Rua Itupava, depois o Cana Benta, depois o Estofaria, e depois a loja do shopping que é uma Banoffi também. Desses sete, se não me engano são sete, três eu vendi e continuam abertos até hoje: meu irmão ficou com o Picanha Brava, o Jacobina ficou com minha sócia, e o Estofaria ficou com o Caio, meu sobrinho. E eu estou atualmente com estes outros quatro, que são: a Cantina do Délio, a Banoffi da Itupava, o Cana Benta da Itupava e a Banoffi do Shopping Muller. Cada uma destas quatro casas tem uma identidade diferente, mas todas carregam sua essência. De onde você tirou essas ideias para dar cara para cada casa? Delio - Olha, com certeza as ideias vieram da minha infância mineira na roça e das minhas viagens pela Europa, nestes três anos que morei lá. Porque quem trabalha na Europa como cozinheiro ganha relativamente bem e consegue viajar a Europa toda. Então é um misto de cultura caipira brasileira e um pouco de cultura europeia misturada, das viagens que a gente vai fazendo e dando um pouco da nossa essência. Qual é a característica de cada um des-

ses restaurantes? Delio - A Cantina é muito italiana, Cucina Italiana Casalinga, que significa Cozinha Caseira Italiana. Ela é rústica, é simples, mas tem uma comida bem temperada e bem italiana. A Banoffi já é uma confeitaria e lanchonete, onde o toque principal é da minha esposa Renata, que está junto comigo desde o começo. Inclusive foi ela que financiou o começo, pois foi com a sobremesa dela, feita em casa, que tivemos os primeiros dez mil reais para abrir o primeiro negócio, para começar. A Banoffi é uma confeitaria e lanchonete estilo anos 50, 60. Depois veio o Cana Benta, que é um boteco tipo armazém antigo, com comida mineira, muita cachaça. E o quarto é a Banoffi do Shopping Muller, que é uma espécie de franquia, uma loja simplificada da Banoffi da Rua Itupava. É coincidência três estarem localizados na mesma rua (Itupava) ou foi uma estratégia utilizada? Delio - Eu diria que foi as duas coisas. Foi uma grata coincidência eu estar aqui e ver que a Rua Itupava era bem frequentada, porém pouco atendida por estabelecimentos gastronômicos, isso há dez anos. Tudo que a gente abria aqui ficava cheio e lotado. Com o passar do tempo, hoje está mais difícil devido a concorrência e a situação do país, mas não foi coincidência apenas. Eu vi que estava havendo esta oportunidade e corri atrás. A Itupava é um novo polo gastronômico oficial, já intitulado como tal. Delio - Sim. Os empresários que operam na rua já estão se unindo em prol disso, já estão conversando juntos? Delio - A gente tem o famoso grupo do whatsapp onde debatemos desde questões

Profile for SehaFit

Jornal seha ed 042  

Jornal seha ed 042  

Profile for sehafit
Advertisement