Page 1

JORNAL

AUGUSTO NORONHA FILHO: “E que o empresário pense mais em união, é indispensável a união. Ficamos mais fortes participando da Amopar e do SEHA.” Págs. 10 e 11

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016 | Edição 28

Exemplo Conheça o Programa Bom Aluno Pág. 08

Remuneração Trabalho intermitente em discussão Pág. 14

Artigo O resgate da credibilidade, Darci Piana Pág. 05

Conotel Turismo é alavanca de desenvolvimento

Empresário segue sendo sufocado “Independentemente de todo o sacrifício que fazemos para manter nossas portas abertas, somos obrigados a acompanhar a sanha de nossos legisladores, em criar a cada dia novos obstáculos ao nosso comércio. Do jeito que estamos, com o país a beira do caos, seria importante, seria inteligente, que nossos políticos criassem condições, apresentassem projetos para melhorar a arrecadação do Estado e não criar permanentemente dificuldades, para quem investe e da emprego.” João Jacob Mehl

Pág. 14

Novidade Plantão criminal 24h está funcionando Pág. 13

Confira editorial do João Jacob Mehl, presidente do SEHA. Pág. 02


2

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

EDITORIAL

Façam sua parte, mas de forma inteligente Recebemos constantemente informações das dificuldades pelas quais passam nossos associados, em razão do momento crítico da economia brasileira. Consideramos nossos empresários verdadeiros heróis. Resistir, lutar, pagar nossas obrigações, otimizar nossos serviços, investir em melhorias, acreditar, acreditar, acreditar... Haja fôlego. De outro lado, não bastassem as inúmeras demonstrações de nosso governo, de absoluto descaso com nosso comércio, precisamos também enfrentar nossos legisladores. Independentemente de todo o sacrifício que fazemos para manter nossas portas abertas, somos obrigados a acompanhar a sanha de nossos legisladores, em criar a cada dia novos obstáculos ao nosso comércio. Um projeto para cobrar 50% menos de quem fez cirurgia bariatrica ( e quem faz dieta expontânea?); outro exigindo pia no salão de refeições; outro, vidro para ver a cozinha; mais um pedindo água de graça; outro, exigindo no cardápio, a relação de todos os produtos que compõem o prato; mais um exigindo o preço da diária proporcional a hora de entrada no hotel; além do Ecad cobrando Direitos Autorais sobre a televisão no apto. São dezenas de projetos, uma verdadeira loucura. Do jeito que estamos, com o pais a beira do caos, seria importante, seria inteligente, se nossos políticos criassem condições, apresentassem projetos para melhorar a arrecadação do Estado e não criar permanentemente dificuldades, para quem investe, e da emprego. Queridos vereadores e deputados, por favor, enxerguem nosso sacrifício, projetem melhorias para receber turistas. Vamos dotar as instituições promotoras de verbas suficientes para que possam divulgar nossa cidade e nosso Estado lá fora. O fechamento do Centro de Convenções, a falta de estacionamento para ônibus de turismo, o cancelamento de vôos para Curitiba; alguém foi a tribuna para contestar estes fatos? Destinem um pouco de seu tempo ao crescimento do Estado, e, menos ao controle e fiscalização dos pobres comerciantes. Vamos mudar a nossa postura, acredito que podemos inverter esta célebre frase: político procura criar dificuldade ao invés de criar facilidade. Um forte abraço a todos os associados. João Jacob Mehl

EXPEDIENTE Jornalista Responsável Pierpaolo Nota Edição | Eliseu Tisato Colaboração Comunicação FBHA

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3323 8900 www.seha.com.br

GESTÃO 2014-2017 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries  Aguilar Borsato Silva Diretor  Valéria Vicente

Diretora de Marketing Carlos Roberto Madalosso Diretor para assuntos de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio Antonio Tanaka Diretor para Assuntos de Food Trucks  Conselho Fiscal:  Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

ENTRADA LIVRE

Começou em junho, vai até setembro Americanos, australianos, canadenses e japoneses estão isentos de visto

Para OMT facilitação pode gerar um aumento de até 20% no fluxo entre os destinos

A

isenção unilateral de vistos para entrar no Brasil, para americanos, australianos, canadenses e japoneses, já começou e vai até 18 de setembro. Levou em conta o elevado fluxo emissivo ao Brasil, os gastos desses visitantes no país, a forte tradição olímpica, o baixo risco

migratório e de segurança. Segundo o Ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, “esses turistas irão movimentar a economia do país, com gastos em hoteis, restaurantes, aluguel de veículos, agências de viagens e tantos outros setores entre os mais de 50 impactados pelo turismo”.

Para a Organização Mundial do Turismo (OMT), a facilitação de viagens pode gerar um aumento de até 20% no fluxo entre os destinos. Isto representa um acréscimo aproximado de 75 mil turistas internacionais e uma injeção de US$ 80 milhões na economia brasileira.

“Tour da Lava Jato”, turismo cívico

U

ma agência de turismo de Curitiba está oferecendo um roteiro especial para os fãs da Operação Lava Jato. O “tour da Lava Jato” passa por lugares relacionados à operação, como a superintendência da Polícia Federal e a sede da Justiça Federal, de onde o juiz Sérgio Moro conduz os processos. A diretora da agência Special Paraná Turismo e Eventos, Bibiana Antoniacomi, conta que decidiu criar o passeio depois de receber

vários pedidos de turistas que tinham curiosidade em conhecer os locais. “Nós atendemos pessoas de várias partes do Brasil e, assim que começou a operação, eles começaram pedir para ir conhecer os locais ligados à Lava Jato, especialmente o lugar onde trabalha o juiz Sérgio Moro”, explica. O passeio pode durar até quatro horas e são oferecidos dois horários de saída. O tour começa na Procuradoria da República, passa pelo prédio histórico da

Universidade Federal do Paraná, onde Moro é professor, e depois, segue para a sede da Justiça Federal no Paraná e para a superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida. O roteiro termina no Complexo Médico Penal, em Pinhais, onde alguns dos envolvidos no esquema de corrupção estão detidos. As visitas são externas, uma vez que, por questões de segurança, não é permitido entrar nos prédios públicos.

Sócios aniversariantes da 2ª quinzena de maio 23.05 25.05 26.05

Felipe Aguilar Silva, da Lanchonete Jatinho Heitor Sousa, do Restaurante Lellis Trattoria Andersen Prado, do Bar do Alemão e Hotel Parque Ilha do Mel


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

3

CONGRESSO

Turismo é alavanca de desenvolvimento do país Tese foi defendida pelo presidente da FBHA, Alexandre Sampaio

A

58ª edição do Congresso Nacional de Hotelaria (Conotel), que foi realizada entre os dias 18 e 20 de maio, em São Paulo, atingiu recorde de público, superando em 40% a estimativa inicial. A Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) participou do evento com a presença do presidente, Alexandre Sampaio, como moderador do painel ‘Gestão Hoteleira, Hospitalidade e Inovação’. Além dele, estiveram presentes também o gerente Jurídico, Ricardo Rielo, e o consultor de Energia, Ricardo Bezamat. Ao participar da abertura oficial do Congresso, Alexandre Sampaio afirmou acreditar que o turismo pode ajudar o País a sair da crise, mas os empresários precisam se unir para fortalecer o setor. “Temos um papel como empresários de encaminhar nossas demandas e brigar por nossos direitos e interesses. O turismo pode ser uma alavanca para o desenvolvimento e a recuperação econômica do País, e, por isso, também convoco os deputados federais a serem parceiros e que possam nos ajudar com as demandas prioritárias para alavancar o crescimento e a competitividade do setor”, disse Sampaio. Entre as autoridades presentes no evento, estava o presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados e da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, deputado Herculano Passos. “Vocês que são do setor de serviços é que geram emprego, são mais de 70 segmentos na cadeia de turismo e grande parte intensiva na contratação de mão

Congresso Nacional de Hotelaria foi realizado entre os dias 18 e 20 de maio, em São Paulo

de obra”, comentou o deputado. ECAD E DIREITOS AUTORAIS EM QUARTOS DE HOTEIS O gerente Jurídico, Ricardo Rielo, foi um dos participantes do painel ‘Tributação, ECAD, Responsabilidade Societária e Sucessão Empresarial na Hotelaria’. Segundo Rielo, ocorreu uma mudança de paradigma no País em relação aos direitos autorais, entre 2010 e 2012, quando foi aberto um processo administrativo no âmbito do Ecad. “O Ecad exercia uma atividade

monopolista e predatória, quando foi instalada uma CPI no Senado Federal que culminou na Lei nº 12.853/2013, estabelecendo uma abertura para a gestão política dos direitos autorais, para que outras entidades pudessem se candidatar a representar e recolher os direitos para os autores”, explica. Desde então, segundo Rielo, muitas mudanças ocorreram, como a instalação da Comissão Permanente para o Aperfeiçoamento da Gestão Coletiva (CPAGC), órgão criado pelo Minis-

tério da Cultura, para aprimorar os direitos autorais no Brasil, e instalação da Comissão Especial dos Direitos Autorais no Congresso Nacional. “Essas mudanças estão permitindo que algumas injustiças históricas, como a Lei nº 9.610 que instituiu que todo hotel e suas áreas sejam passíveis da cobrança de direitos autorais, possam ser corrigidas”, afirmou. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Já o consultor de energia da entidade, Ricardo Bezamat, deu

SEHA NO RÁDIO Escute toda terça e quinta-feira na CBN Curitiba, 9h15 da manhã, o “Minuto SEHA”, com espaço para nossos associados.

palestra sobre ‘Eficiência Energética’, no primeiro dia. Ações de redução de custo com energia elétrica em até 40%, como o uso de películas de controle solar e novas linhas de crédito específicas para projetos de eficiência energética, fizeram parte da sua apresentação. Segundo ele, as premissas para se atingir as metas passam por eliminar os desperdícios nas instalações; pagar menos pela energia elétrica consumida; e consumir menos energia elétrica sem alterar conforto e produção.


4

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

www.seha.com.br Notícias

Convênios

Fique informado, entre em nosso site para ter acesso as informações do nosso setor.

Precisa de convênio médico, odontológico, medicina ocupacional, entre outros? Se houver algum convênio que queira nos sugerir, fique a vontade!

Precisa de funcionários? Publique as suas vagas gratuitamente em nosso site, e se tivermos em nosso banco de dados candidatos que preencham os seus requisitos, os currículos serão encaminhados para sua empresa.

Assessoria Jurídica

Tem dúvidas? Precisa de informação? Sugestões? Entre no nosso canal Fale Conosco, e mande para nós o que precisa.

Está com alguma notificação trabalhista? Ou dúvidas na área trabalhista, comercial, tributária e/ou civil? Possuímos duas assessorias contratadas especialmente para auxiliar nas suas questões. Se houver uma reclamação trabalhista, terá o acompanhamento gratuito de nossos advogados para a sua defesa. E suas dúvidas jurídicas poderão ser também esclarecidas gratuitamente.

Qualifique sua equipe

Questões Administrativas

O associado tem direito a duas vagas gratuitas por curso na grade disponibilizada em nosso site, e a sua inscrição é feita no próprio site.

Questões como o ECAD, Vigilância Sanitária, Fiscalização Ambiental, NFCe, consulta a Legislação em Vigor fica fácil quando se tem aonde recorrer e tirar informações. Pertencemos ao Conselho Municipal de Urbanismo, caso tenha alguma questão a ser resolvida sobre urbanismo, traga a sua questão para nós.

Contato permanente!

O espaço é seu! Está vendendo algum mobilizado de sua empresa de hospedagem ou alimentação? Anuncie sua venda, mandando as características, preço e fotos do objeto a ser vendido e será publicado em nosso Banco de Negócios, além de enviarmos através de nosso mailing. Basta acessar www.seha.com.br

Informações Legais Tenha acesso às Convenções Coletivas firmadas, sempre que seja necessário.

Basta ligar para: 41 3323-8900


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

5

OPINIÃO

O resgate da credibilidade A

longa crise política brasileira parece encontrar seu desfecho com o processo de impeachment da atual presidente. Mesmo que o cenário político continue incerto, espera-se que as discussões em relação a alguns dos problemas econômicos mais urgentes que o país enfrenta sejam retomadas na próxima gestão, já que o enfrentamento dessas questões será fundamental para a própria governabilidade. O mais importante deles é a crise fiscal. A trajetória atual da dívida pública é insustentável, ou seja, a cada dia que passa o endividamento do setor público alcança patamares mais difíceis de serem financiados. A recessão da atividade econômica e as altas taxas de juros elevaram o déficit das contas públicas para acima de 10% do PIB no ano passado e a dívida bruta tende a alcançar 80% do PIB no próximo biênio. À medida que a dívida cresce em relação ao PIB, maior é o esforço fiscal necessário para reverter sua trajetória, pois a conta de juros aumenta e é agravada pelo aumento dos prêmios de risco relacionado à possibilidade de sua renegociação. Como não se enxergam no horizonte fatores que possam proporcionar uma recuperação do crescimento econômico, um ajuste fiscal que reverta totalmente o avanço da dívida no curto prazo é inviável. Com as receitas de impostos e tributos recuando em termos reais, o esforço necessário agravaria a recessão. Mesmo que sejam aprovadas reformas da previdência, fiscais, tributárias

e orçamentarias, a implantação e os impactos de tais mudanças estruturais não seriam imediatos e deveremos conviver com pressões fiscais por mais algum tempo. No entanto, medidas que sinalizem uma melhora nas contas públicas no médio e no longo prazo e reduzam a velocidade de crescimento do endividamento já seriam efetivas para melhorar o cenário econômico. A melhora no quadro fiscal proporciona uma redução dos prêmios de risco e uma melhora da confiança dos agentes econômicos, sem a qual não será possível a recuperação da atividade econômica. A recessão econômica é outro problema urgente a ser enfrentado pelo próximo governo. Com a retração esperada para este ano, a perda do PIB acumulada em dois anos de recessão deverá ser de 7,5%. A taxa de desemprego supera 10% da população economicamente ativa e o poder de compra dos consumidores brasileiros reduziu a patamares do segundo semestre de 2013. Somando à redução de renda a retração no credito pelo segundo ano consecutivo, a demanda das famílias brasileiras, que representa mais que 60% do PIB brasileiro, recua fortemente. A crise política e fiscal também derruba os investimentos. Com exceção da agropecuária, todos os setores enfrentam intensa retração. Apesar dessa queda significativa, o novo governo contará com alguns fatores positivos para a atividade econômica. Parte dos ajustes negativos, alguns dos quais agravam a recessão no último ano e no atual, já se completou. O realinhamento dos preços

relativos, com a correção de tarifas públicas, já se concluiu. O ajuste da taxa de câmbio, cuja sobrevalorização provocou grandes distorções no setor produtivo, também já ocorreu. Passados os impactos da inflação corretiva e com a atividade econômica operando com grande ociosidade, os índices de preços finalmente começam a dar sinais de arrefecimento e, mesmo a inflação de serviços, que apresenta maior persistência em relação aos demais grupos, já assume tendência de queda. O alívio na inflação deve vir acompanhado de uma recuperação cíclica, ainda que tímida, a partir do segundo semestre. Não existe caminho ao governo Temer que não seja colocar o país no rumo correto. Para isso, além de todas as medidas aqui elencadas, também é necessário que ele elimine de pronto as crises que tende a enfrentar. A falta de diretrizes leva a desgastes, que por sua vez afetam a percepção dos cidadãos sobre a eficiência da administração. Se a saída do ministro do Planejamento, Romero Jucá, foi resolvida em 24 horas, a pretensa extinção do Ministério da Cultura ficou uma semana nas manchetes, enfraquecendo o governo junto à opinião pública. Estratégia e eficiência. Eis aí duas virtudes essenciais que nossos governantes precisam demonstrar. Darci Piana Presidente do Sistema Fecomércio, Sesc, Senac, Paraná


6

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

Jonel Chede defende Centro de Convenções “Em todas as grandes cidades do mundo espaços semelhantes são mantidos no centro, onde se facilita a locomoção e a hospedagem dos visitantes e participantes dos eventos” Para o empresário, o Centro de Convenções é uma forma de manter o “Centro Vivo”

O

empresário Jonel Chede, ex-presidente do Movimento Pro Paraná, e um dos mais antigos comerciantes da capital paranaense, defende que o Centro de Convenções seja revitalizado e continue recebendo grandes encontros e seminários de todas as áreas. “ Temos que encontrar uma solução para o Centro de Convenções: em todas as grandes cidades do mundo espaços semelhantes são mantidos no centro, onde se facilita a locomoção e a hospedagem dos visitantes e participantes dos eventos”, explicou Chede. Tal pronunciamento se deu devido ao anúncio recente do governo do Estado,

que divulgou o fechamento do Centro de Convenções e a intenção de vender o espaço. Além de atuar como um catalisador para recuperar e manter o centro da cidade, o Centro de Convenções de Curitiba também conta com um espaço privilegiado, localizado do outro lado da rua, que poderia ser um espaço para estacionamento. “ Nós, comerciantes, temos que lutar para recuperar o “Centro Vivo”, um movimento que foi levado para outras cidades brasileiras, como São Paulo. E o Centro de Convenções é uma forma de manter o nosso “Centro Vivo”, afirmou o empresário.

Associe-se ao SEHA e conte com assessoria jurídica gratuita

Conte também com acompanhamento em ações trabalhistas


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

7

EM ANDAMENTO

Ministérios têm estudo técnico para legalização de cassinos Documento vem sendo desenvolvido pelo grupo técnico dos ministérios do Turismo, Planejamento, Fazenda, Casa Civil e Justiça

E

m audiência realizada dia 23 de maio na Procuradoria-Geral da República, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, apresentou ao procurador-geral, Rodrigo Janot, e ao chefe de gabinete da PGR, Eduardo Pelela, o estudo que vem sendo desenvolvido pelo grupo técnico dos ministérios do Turismo, Planejamento, Fazenda, Casa Civil e Justiça sobre a situação dos cassinos no mundo e a possibilidade de legalização da modalidade no país. “A atividade dos cassinos está vivenciando uma expansão substancial mundo afora. Muitos governos têm visto os cassinos como uma forma de fomentar e incrementar o turismo, gerar empregos e divisas. Temos um grupo interministerial que vem estudando o assunto profundamente há vários meses, além de acompanhar as discussões no Congresso Nacional. Nossa intenção aqui foi mostrar o estudo para o procurador-geral e ouvir dele as críticas e sugestões para que o processo possa começar a ser examinado dentro do novo governo”, afirmou o ministro do Turismo. O levantamento realizado pelo grupo revelou que o Brasil está entre os 24% dos países da ONU que não têm o jogo legalizado. O documento apresenta, ainda, sugestões de controle e governança dos jogos, como a criação de uma agência reguladora. De acordo com Henrique Eduardo Alves, Rodrigo Janot ficou de enviar o material para a análise de sua equipe técnica. A legalização dos hoteis-cassinos é uma das principais bandeiras defendidas pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA). A entidade considera

Legalização dos hoteis-cassinos é uma das principais bandeiras defendidas pela FBHA a regularização uma das ações de fortalecimento da atividade turística no Brasil que podem ser abraçadas pelo governo. O presidente da entidade, Alexandre Sampaio, explica: “Precisamos que o setor de turismo seja visto como uma das prioridades do governo para a retomada do

crescimento da economia do País. Regulamentar os hoteis-cassinos, nos moldes do projeto de Lei que tramita no Senado, na prática, significa gerar empregos, renda e, inclusive, mais dinheiro nos cofres públicos, pois os apostadores pagariam impostos sobre a atividade. Os resultados gerados

por este tipo de negócio nos lugares onde o jogo é legal são grandiosos, e o Brasil não pode se dar ao luxo de não ter esta arrecadação, principalmente porque, como destino turístico, o País está no topo da lista de preferências dos turistas internacionais”, enfatiza.

MT disponibiliza site colaborativo para acessibilidade

P

Ferramenta, disponível em três línguas, reúne avaliações sobre qualidade do acesso em atrações turísticas para portadores de deficiência

ara aprimorar a acessibilidade no País, o ministério do Turismo disponibilizou o Guia do Turismo Acessível, site colaborativo em que os internautas podem avaliar a acessibilidade de hoteis, restaurantes e atrações diversas, em português, espanhol e inglês. O guia também está disponível por meio de aplicativo para dispositivos móveis, nos três idiomas, e pode ser baixado gratuitamente. Até o momento, o site obteve mais de 440 mil acessos e 700 avaliações. Por ser um guia colaborativo, quanto maior o número de avaliações, mais completo será. O ministério do Turismo investiu nos últimos anos mais de R$ 75 milhões em obras de acessibilidade, além de apoiar a qualificação e capacitação de

profissionais para atender turistas com deficiência. Cerca de 45 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência, o que corresponde à 23,9% da população do país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Destes, 3,6% têm deficiência visual e 1,1% deficiência auditiva. Trata-se de uma parcela significativa de pessoas que ainda vive com pouco acesso à maioria dos produtos culturais oferecidos em museus e exposições. Entretanto, algumas experiências de inclusão por meio de atendimento qualificado em Língua Brasileira de Sinais (Libras) - para os surdos - e audiodescrição e equipamentos táteis para os cegos ou pessoas com baixa visão têm mostrado a importância do turismo acessível.


8

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

EDUCAÇÃO

Programa é um case de sucesso, exemplo a ser seguido Bom Aluno seleciona estudantes na 5ª série da rede pública de ensino

O

Programa Bom Aluno foi idealizado pelos empresários Francisco Simeão e Luiz Bonacin no ano de 1993 para ser um instrumento de mudança social, uma vez que tem o condão de, por meio do estudo de qualidade e sem interrupções, dar oportunidade de um futuro promissor às crianças que apresentam bom rendimento escolar, além de competência e vontade. O Programa seleciona estudantes na 5ª série da rede pública de ensino, oferece condições e estímulos para continuarem sua formação até os níveis de graduação e pós-graduação, inclusive no exterior. Sendo assim, a Educação se constitui em uma mola propulsora na qual, em uma visão micro os alunos têm melhores condições de moradia, saúde, educação, trabalho, cultura e lazer e, numa visão macro, utilizam sua formação de cidadãos críticos e formadores de opinião, para colaborarem com o crescimento de uma nação forte e promissora pelo exercício de sua cidadania. Esta iniciativa se baseia em uma política de responsabilidade social que visa, por meio de recursos da iniciativa privada, promover mudanças sociais. Desde o início, o projeto idealizado foi enquadrado tecnicamente para despertar no meio empresarial o interesse pelo apoio ao Programa Bom Aluno, propiciando, assim, o aumento do

ma filosofia, a encontrarem seus caminhos. E estes dois, por sua vez, ajudarão novamente outros quatro, e assim sucessivamente.

A aluna Érica Gaspari está desde maio em estágio na Nasa Jet Propulsion Laboratory

número de alunos beneficiados. De posse dos excelentes resultados que confirmaram sua importância e confiabilidade perante a sociedade o Programa Bom Aluno decidiu pela expansão nacional de suas atividades, criando o modelo de Franquia Social. Para isso, foi fundado o Instituto Bom Aluno do Brasil - IBAB em 2000. Sua missão é oferecer apoio

educacional e profissional a jovens de baixa renda, bons alunos, para que se tornem agentes de transformação de sua situação sócio-econômica e da desigualdade social existente na sociedade brasileira. Paralelamente, o objetivo do programa é incentivar bons alunos de baixa renda, por meio de sua capacitação educacional e técnico-profissional, bem como

habilitá-los nos aspectos de cidadania e solidariedade para que se tornem agentes de transformação de sua situação socioeconômica e da desigualdade social existente no Brasil. A parte mais interessante do Bom Aluno, é que ao tornar seus sonhos realidade, cada aluno do programa poderá auxiliar outros dois bons alunos, dentro da mes-

“Ao tornar seus sonhos realidade, cada aluno do programa poderá auxiliar outros dois bons alunos, dentro da mesma filosofia.”

Foi através do programa que Alexandre Garus participou de intercâmbio na Austrália

COMO FUNCIONA São selecionados estudantes na 5ª série da rede pública de ensino, com bom desempenho escolar, provenientes de famílias de baixa renda e comprometidos com o futuro. Ao serem admitidos no programa, os alunos participam no contra-turno da 6ª e 7ª série, de um curso preparatório que tem o objetivo de estabelecer um vínculo favorável com o aluno e sua família para o resto de suas vidas, e prepará-los para os novos desafios acadêmicos que serão enfrentados nas escolas conveniadas ao PBA. Durante este período, os alunos frequentam os cursos complementares e recebem suporte com acompanhamento de seu desempenho acadêmico, da mudança de comportamento à nova rotina de estudos, apoio material, orientação profissional para a escolha do curso superior, vivência internacional garantindo o seu bom desempenho acadêmico, integração ao mercado de trabalho e mudança do status para Agente de Transformação Social. Junto, é realizado um trabalho com as famílias para estimular a co-responsabilidade no sucesso acadêmico dos jovens. Em cada fase de estudo, os alunos são continuamente reavaliados e só permanecem no programa aqueles que alcançarem os resultados esperados. O Programa Bom Aluno conta ainda com a participação social das instituições particulares que oferecem não somente bolsas com 100% de desconto nas mensalidades, mas que acreditam na ação transformadora do Programa e são comprometidas com a oferta de conhecimento e condições para o desenvolvimento integral dos alunos. Para participar e fazer sua parte acesse www.bomaluno. com.br ou ligue 41 33356006.


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

9

QUALIFICAÇÃO: Conheça alguns cursos oferecidos pelo SEHA Programe seus colaboradores para participar dos cursos. Não perca a oportunidade de profissionalizar seu time.

Cada associado tem direito a duas vagas gratuitas

BOLOS E TORTAS 7, 8 e 9/06 14h as 17h prazo p/ insc. 02/06 Neste curso você vai aprender técnicas para a produção, massas de tortas e bolos, recheios bases, coberturas e caldas para finalizações. Além de dicas diversas sobre armazenamento, congelamento, apresentação e formação de preço. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral.

BARTENDER II 14 A 17/06 - 16h - prazo p/insc. 09/06 Direcionado para profissionais na área ou que já tenham feito o curso básico que desejam crescer em conhecimento para melhores colocações no mercado de trabalho. O aluno aprimora sua criatividade na arte da coquetelaria criando seus próprios coquetéis. Neste curso traremos informações do mundo das bebidas atualizadas, coquetéis a base de café, cerveja, energéticos, com criações contemporâneas e mixologia, onde degustaremos e conheceremos profissionalmente: vodkas, uísque, tequilas, vinhos e outras bebidas bem como seus serviços ao cliente. Os alunos colocarão em prática todo seu conhecimento e técnicas no preparo dos mais variados coquetéis. Idade mínima do participante 18 anos.

COMO MONTAR E ADMINISTRAR BARES E RESTAURANTES 28/06 a 01/07 - 16h - prazo p/insc. 22/06 Técnicas de gerenciamento do fluxo de mercadorias: Procedimentos de compras, recebimento e estocagem,giro de estoque. Tecnologia operacionais de cozinha: Tecnologia gerenciais e operacionais de restaurantes: Técnicas e modalidades de serviço, técnicasdevendasdealimentose bebidas;Promoçãointernanosrestaurantes,Gerênciadep essoalderestaurante....(usode calculadorasimplesnocurso). Público-Al vo:Profissionaisdoramoepúblicoemgeral.

CURSO DE SOPAS 5 a 6/7 das 14h as 17h - prazo p/ insc. 29/06 Neste curso, o participante vai aprender a fazer caldo base para sopas, sopas diversas, palitos de queijo e torradas aromatizadas. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral.

Fone (41) 3323-8900 | www.seha.com.br Alameda Julia da Costa, 64 São Francisco, Curitiba - PR


10

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

ENTREVISTA AUGUSTO NORONHA FILHO

Vinte e trê anos de associativismo e sindicalismo Amopar procura novos moteis para se associarem à entidade, objetivo é união do segmento

O

Se tivermos alguma melhora vai ser a partir do segundo semestre de 2017. 2016 é uma adaptação. Depois de reduzirmos os custos vamos ver agora se conseguimos sobreviver a atual situação financeira do país. Acredito que vão haver demissões, assim como já houve fechamento de moteis, assim como há fechamento de outras empresas. É igual com o motel, se não reduzir os custos, fecha mesmo.”

entrevistado dessa edição é o moteleiro Francisco Augusto Noronha Filho, proprietário do Motel Cherry, presidente da Amopar - Associação dos Moteis do Paraná e diretor da ABMoteis - Associação Brasileira de Moteis. Noronha recebeu o Jornal do SEHA no escritório da entidade, que fica no mesmo endereço do Sindicato, no 1º andar. Entre os assuntos comentados: sindicalismo, política, crise, esperança, o “negócio motel” e a vontade de atrair novos moteis para participarem da entidade. Comparando com outras capitais, Curitiba é bem servida de moteis? Francisco Augusto Noronha Filho - Proporcionalmente a São Paulo ela é bem servida. São Paulo são cerca de 350 moteis, Curitiba com 60, proporcionalmente estamos bem servidos. Analisando qualidade, como fica? Noronha- Em uma grande parte de moteis a qualidade é de primeiro mundo. São suítes fantásticas, projetos arquitetônicos muito bons, um nível de restaurantes também muito bom. Não deixando a desejar nada a nenhum motel no Brasil inteiro. Quantos anos à frente da Amopar - Associação de Moteis do Paraná? Augusto - Sete anos, vou para o oitavo. Quantos associados? Noronha - Hoje estamos com 25 associados. Em um total, da Grande Curitiba, de 60 empresas. Como foi sua entrada para do associativismo e sindical? Noronha - Eu iniciei em 1993, quanto 17 moteleiros se reuniram e montaram a associação. Antes disso fui apresentado ao Sindicato na gestão do João Maria. Ele me convidou e convidou todos os outros a iniciarem uma associação e fazermos parte do Sindicato. Foi

há 23 anos. Na época era diretor da associação, passaram muitos presidentes e nesses últimos sete anos fui convidado a ser eu o presidente, aceitei. Como toda associação ela teve uma fase de crescimento, depois aquela fase mais tranquila, com tudo estruturado. Alguns moteis saíram, outros entraram, mas é importante que fiquem os que sabem da importância da Amopar. É minha quarta gestão. Na próxima acho que não serei mais eu. Tem que entrar alguém novo, com cabeça nova, que tenha interesse em dar uma sequência na Amopar. Eu acho ela muito importante. Os moteis do Paraná sentiram a crise do ano passado? Noronha - Sem dúvida! Com pequeno número de demissões. O que aconteceu é que enxugamos a empresa, mesmo trabalhando em três turnos em pleno funcionamento, em todas as frentes. Sempre comentei com os associados que após a Copa íamos sofrer uma queda e foi isso que aconteceu. Nunca acreditei na Copa. A Copa do Mundo deu resultado para os moteis? Noronha - Não. A Copa incentivou algumas pessoas a reformarem algumas unidades, mas ninguém ganhou um centavo com a Copa. Nosso cliente é o curitibano e alguns viajantes. Tentamos de uma certa forma divulgar os moteis como local de passagem. A pessoa entra e tem garagem, segurança, bom nível de quarto e restaurante. Se chegar duas da manhã vai poder jantar, se quiser. Então na sua visão o motel não serve apenas para “aquilo” que se propôs na sua essência? Noronha - A cama é para isso, não o motel ou o hotel ou a pousada. O motel é visto como local de lazer. Dentro do motel tem sauna, piscina, hidromassagem e bom restaurante. As pessoas que frequentam motel vão lá se divertir. Consequentemente fazem “aquilo” também, porque

estão sozinhos, em um ambiente agradável. Podem ficar à vontade. Em ordem de importância o que leva uma pessoa a procurar um motel? Noronha - Frequento em épocas especiais. Aniversário de casamento, aniversário meu, da esposa. Quando quero comemorar alguma coisa. Ainda aproveito uma piscina, uma sauna. Fico em um quarto muito bom e pago muito pouco. Sempre com um belo jantar. Quando viaja se hospeda em motel? Noronha- Faço poucas viagens longas, mas já utilizei indo para Minas Gerais. Preferi parar em um motel do que em um hotel. O SEHA vem trabalhando em um ritmo muito forte, na questão dos cursos, nova iniciativa de advogado criminal 24 horas, entre outras ações. Qual sua avaliação sobre o trabalho que vem sendo feito? Noronha - Vejo uma excelente gestão, um trabalho muito grande. Fiz parte da diretoria nas gestões anteriores. Achei muito bom. Sou sindicalizado há 23 anos, todos os estabelecimentos deviam ser. Traz força para o Sindicato e para a categoria. A gestão do Jacob Mehl está muito boa. Ele está procurando agradar à classe, que é muito difícil. São moteis, hoteis, restaurantes, bares e similares. Tenho certeza que ele vai conseguir. Sobre política: saiu a Dilma, ficou o Temer, nesse pouco tempo mudou alguma coisa? Noronha - Nós temos esperança que dê certo. Da mesma forma que pensávamos quando o Lula entrou. Todos queriam que desse certo. Mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Em uma época foi bom, depois aconteceu o que todos estão vendo. Mas acredito que o brasileiro vai mudar. Ele está vendo muita coisa, a informação é muito rápida. Nas próximas

eleições vai mudar a cabeça dele. Acredito que financeiramente o brasileiro é um indivíduo forte, com fibra, que trabalha. Independente do que está acontecendo. A médio prazo vamos ter um crescimento fantástico. Esse país é fantástico! Os políticos paranaenses sabem o que é turismo? Noronha - Na realidade eles não tem ideia. Tem vários países no mundo que vivem do turismo. Nós poderíamos muito bem viver dessa indústria muito forte. Temos locais fantásticos para visitação. Em Curitiba mesmo! Precisamos aproveitar um pouco mais dessa cidade. Perdemos até o Centro de Convenções, que é um absurdo. O fechamento do local é lamentável. 2016 vai ser melhor que 2015? Já estamos quase na metade do ano. Noronha - Acredito que não, se tivermos alguma melhora vai ser a partir do segundo semestre de 2017. 2016 é uma adaptação. Depois de reduzirmos os custos vamos ver agora se conseguimos sobreviver a atual situação financeira do país. Acredito que só em junho ou julho de 2017 vamos conseguir alguma coisa. Acredito também que vão haver demissões, assim como já houve fechamento de moteis, assim como há fechamento de outras empresas. É igual com o motel, se não reduzir os custos, fecha mesmo. A rentabilidade do motel não é tão alta quanto o investimento. Não aumentamos há três anos os valores dos quartos. E estamos dando promoção, tentando manter a empresa. Isso é um problema sério, porque o investimento não está tendo qualquer rentabilidade. Tivemos um caso agora que o motel foi vendido por um valor muito baixo e o comprador demoliu a construção. Porque o custo é muito alto e infelizmente vem aumentando. Existe taxa de ocupação mo-


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

teleira? Noronha - Não, porque o maior motel da Grande Curitiba tem 67 quartos e o menor tem 13. O de 67 tem que manter pelo menos uma locação por dia. O de 13 tem que manter pelo menos duas e meia. Senão não sobrevive. Não existe taxa de ocupação interessante. Com 50% por exemplo, morremos. Dia dos Namorados é o Natal do motel? Noronha - Sim. Mas é um dia que o grande erro dos namorados é irem no motel. Não vão conseguir vaga, não vão conseguir ser bem atendidos, apesar do esforço. Tem que ir dois ou três dias antes ou quatro dias depois. Vai ser

muito melhor servido, conseguir a suíte que quer. Estamos agora com uma campanha na Associação Brasileira de Moteis (ABMoteis), onde faço parte da diretoria, que o Dia dos namorados é todos os dias. Colocando que junho é o Mês dos Namorados. É um dia que gera muitas reclamações, o número de suítes é pequeno. SOBRE FINANÇAS É verdade que o BNDES não atende motéis? Noronha - O BNDES financia empréstimo para qualquer brasileiro, menos para motel. Se pedir um financiamento para construir um hotel, você faz tudo pelo BNDES. Se pedir dinheiro para comprar um ferro de passar para

um motel, o BNDES não fornece. Existe alguma explicação lógica? Noronha - Sem sentido. É lei? Noronha - Não. Simplesmente se sua empresa é motel eles retiram sua solicitação. O moteleiro consegue até o cartão do BNDES, nominal na empresa, mas ele não é liberado, não serve para nada. Alguma mensagem para os donos de moteis do Paraná? Noronha - Primeiro que nos procurem, que participem da Amopar. É importante! Também espero que eles consigam baixar o custo e consigam sobreviver.

Penso que 2016 já foi e que em 2017 consigamos voltar a dar emprego. Hoje nossa categoria emprega uma faixa de 10.000 trabalhadores, fora os terceirizados. E que o empresário pense mais em união, é indispensável a união. Ficamos mais fortes participando da Amopar e do SEHA. Apesar da Amopar ser do Paraná, engloba apenas Curitiba, Grande Curitiba e Ponta Grossa. Não temos nenhum associados do litoral, gostaríamos muito. Gostaríamos também de saber quais os problemas do pessoal no interior, para que possamos, com nossa experiência de capital, tentar solucionar. Acessem nossa página: www.amopar.com.br e participem conosco.

RMC ganha no turismo do vinho Região tem 11 vinícolas e dois vinhedos associados e aposta em novo polo econômico

S

onho até alguns anos, a produção de vinhos finos na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) vem crescendo, ganhando espaço e já compete com outras regiões produtoras. E desde agosto do ano passado, também conta com a união de esforços com a Associação de Vitivinicultores do Paraná (Vinopar), que também criou o Polo de Enoturismo da RMC. A produção da RMC vem crescendo há seis anos devido ao incentivo do governo à produção de vinhos, principalmente com uvas próprias do Paraná. A demanda por vinhos aumentou nos últimos

anos, bem como a preferência do público por vinhos locais, de acordo com Renato Adur, vice-presidente da Vinopar e sócio da Vinícola Araucária. Já são 11 vinícolas e dois vinhedos na Região Metropolitana com vinhos premiados. “Atualmente, o vinho nacional é praticamente equivalente ao importado em relação à qualidade”, afirma Adur. Para ele, o diferencial do vinho paranaense está na tipicidade do Paraná, como a característica do clima e do solo que é propícia para o cultivo das uvas chardonnay, merlot e cabernet franc. O preço médio dos rótulos é de R$ 30 a R$ 70.

11

Vejo uma excelente gestão, um trabalho muito grande. Sou sindicalizado há 23 anos, todos os estabelecimentos deviam ser. Traz força para o Sindicato e para a categoria. A gestão do Jacob Mehl está muito boa. Ele está procurando agradar à classe, que é muito difícil. São moteis, hoteis, restaurantes, bares e similares. Tenho certeza que ele vai conseguir.”


12

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

TURISMO É FONTE DE RENDA, DE RECEITA. NÃO É DESPESA! Diga não ao fechamento do Centro de Convenções de Curitiba: Apoie nossa causa! SEHA – Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, Abih-PR – Associação da Indústria de Hoteis do Paraná, Abav-PR – Associação Brasileira das Agência de Viagens, Abrasel-PR – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Abrajet-PR – Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo, CCVB – Curitiba Convention & Visitours Bureau, Amopar – Associação de Moteis do Paraná, Movimento Pró-Paraná, ACP – Associação Comercial do Paraná, Instituto Panorama de Turismo, FCVB – Federação dos Convention & Visitours Bureau, Abeoc – Associação Brasileira de Empresas de Eventos, Abracef – Associação Brasileira de Centro de Convenções e Feiras, HI Hostel Paraná – Associação de Hostels do Estado do Paraná e Abrabar – Associação Brasileira de Bares


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

13

DEFESA

Plantão criminal 24h já está funcionando J

á está a pleno vapor o trabalho do advogado Francisco Noronha Neto, responsável pelo plantão criminal 24h do SEHA. A partir de agora, associados SEHA vão poder ligar em qualquer dia e horário e contar com acompanhamento profissional para sanar eventuais dúvidas e problemas criminais que possam existir em relação a seus negócios. Mais uma iniciativa vencedora do SEHA. E para chegar elucidando questões polêmicas, segue abaixo o primeiro artigo do Dr. Noronha, tratando da possibilidade de acesso de crianças e adolescentes à serviços de hospedagem. Para saber mais sobre o serviço ligue 41 3323 8900.

SERVIÇO EXCLUSIVO PARA ASSOCIADOS. LIGUE PARA O SEHA, 41 3323 8900 E SE INFORME COMO PROCEDER PARA TER ACESSO AO PLANTÃO.

QUESTÃO CONTROVERTIDA ENTRE OS PROPRIETÁRIOS, PRINCIPALMENTE, DE MOTÉIS E HOTÉIS É A POSSIBILIDADE DE ACESSO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES AO SERVIÇO DE HOSPEDAGEM É difundido entre esses estabelecimentos comerciais que apenas maiores de 18 anos poderiam utilizar desse serviço, sendo a medida correta, o requerimento pelo funcionário da apresentação de identificação civil de registro geral ou outro documento oficial com foto para que, por fim, seja franqueado o serviço de hospedagem. No caso de hotéis, não raras vezes, adolescentes tentam adentrar no estabelecimento juntamente com pessoa desconhecida da família para uso do serviço de hospedagem. No caso dos motéis, tal situação é mais frequente, mesmo tendo, a maioria dos motéis, uma advertência mencionando que “é proibida a entrada de menores de 18 anos”. Deve ser esclarecido qual é a responsabilidade dos proprietários quando um funcionário deixa de solicitar o documento adequado, ou mesmo, quando é utilizado documento falso (seja ela uma falsificação material ou ideológica) para o acesso ao serviço. Vale salientar que a utilização do documento falso não exime o proprietário da sua responsabilidade e possui sanção idêntica a que se o funcionário deixasse passar despercebida a faixa etária do cliente (adolescente ou criança). Cotidianamente, hotéis, albergues, pensões, entre outros se utilizam da disposição legal que autoriza o serviço hoteleiro por crianças e adolescentes, desde que acompanhados pelos pais ou responsável ou sob autorização destes, prevista no artigo 82 da Lei 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente, contudo, e inverte-se tal circunstância, quando se trata de motéis. Neste caso, quase nula a tentativa em que crianças ou adolescentes tentam utilizar da hospedagem com a autorização prévia do responsável legal ou acompanhado destes, e aí a situação pode se agravar. Como supracitado, não há óbice nenhum a utilização de serviço hoteleiro ou moteleiro por crianças e adolescentes, e

frisa-se, desde que acompanhados dos pais ou responsável ou autorizados por estes, porém como é incomum a situação em que isso acontece no campo, principalmente, moteleiro tal assunto merece destaque e esclarecimento. Deixar que um adolescente ou criança adentre ao estabelecimento para a prestação de serviços de hospedagem com pessoa desconhecida da família e sem uma prévia autorização, é uma infração legal, contudo, ressalta, não é crime, modo que existem inúmeras decisões judiciais que declaram que tal infração administrativa ultrapassa, inclusive, a competência penal, ou seja, sequer é processado em um Tribunal criminal. O Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90), legislação que dispõe sobre a proteção e garantias daqueles que ainda não completaram sua plena capacidade cognitiva, ou seja, àqueles que ainda não atingiram os 18 (dezoito) anos, tem caráter intimidatório, vez que se interessa em

assegurar a integral proteção desses a fim de se evitar violências, como o estupro e a exploração física e moral, assegurando que os estabelecimentos comerciais prestadores de serviços de hospedagem não sejam negligentes quanto a isso. Prevista no artigo 250, do já mencionado Estatuto, é infração administrativa “hospedar criança ou adolescente desacompanhado dos pais ou responsável, ou sem autorização escrita desses ou da autoridade judiciária, em hotel, pensão, motel ou congênere” e sua pena é de multa, sendo, esta, unicamente pecuniária. Isto é, a responsabilidade é do estabelecimento comercial, e não especificamente do proprietário, o que de não gera qualquer tipo de sanção privativa de liberdade (prisão). A lei especifica ainda, reforçando o anteriormente dito, que em casos de reincidência, ou seja, se o estabelecimento for novamente flagrado hospedando crianças e adolescentes nos termos do artigo descrito,

a sanção será, sem o prejuízo da pena pecuniária, o fechamento do estabelecimento comercial por 15 (quinze) dias e, por fim, prevê o fechamento definitivo e cassação do alvará de funcionamento do estabelecimento. Destarte, o esclarecimento de que tal ação não é crime, sendo somente uma infração administrativa não poderá ser considerada pelo proprietário do estabelecimento comercial hoteleiro ou moteleiro, uma vez que mesmo que não seja crime, infelizmente, de maneira pragmática, é possível visualizar que é comum que aqueles que realizam a fiscalização e flagrarem um adolescente ou criança utilizando-se do serviço de hospedagem, conforme descrito no artigo 250, da Lei 8.069/90 (geralmente a polícia, militar ou civil), desconhecem tais dispositivos e diante dessa inobservância, restarão prontos a encaminhar a uma delegacia de polícia com o intuito de encarceramento do responsável, seja ele funcionário ou proprietário, levando em consideração, erroneamente, o descrito no artigo 244A, §1º, da Lei 8.069/90, que prevê a pena de 04 a 10 anos de reclusão àquele que submete criança ou adolescente à prostituição ou exploração sexual. Logo, é de extrema importância ressaltar que, em casos analógicos, é indispensável que seja informado o corrido a um profissional do direto para que, este, imediatamente tome as medidas legais cabíveis e nunca, se for o caso, ir de encontro com a circunstância fática desacompanhado por um advogado especializado. Francisco A. Noronha Neto Advogado inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 68.222/PR, militante na seara penal, graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, especialista em Criminologia, Política Criminal e Segurança Pública pelo Instituto Luiz Flavio Gomes de Ensino – Uniderp, epecializando em Processo Penal pelo Instituto Luiz Flavio Gomes de Ensino – Uniderp, com formação no curso em extensão em Aperfeiçoamento em Prática de Advocacia Criminal pelo Centro de Estudos Professor Dotti, em parceria com a Universidade Positivo.


14

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

Trabalho intermitente em discussão em Brasília

Ministro está favorável à ideia de que a remuneração passe a ser por hora

O

Brasil pode ter em breve uma reestruturação na legislação trabalhista vigente. Em reunião no dia 31 de maio em Brasília com o novo Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB-RS), o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, recebeu sinal verde para o pedido de apoio à aprovação do Projeto de Lei 3785/2012, que institui o contrato de trabalho intermitente. Em tramitação na Câmara dos Deputados, o PL propõe a possibilidade de contratar empregados por hora móvel em vez de hora fixa. Segundo Alexandre Sampaio, “o ministro está favorável à ideia de que a remuneração passe a ser por hora”. Ronaldo Nogueira já estaria pensando em um patamar de horas mínimas trabalhadas, além de ter iniciado o diálogo com as Centrais Sindicais. A convite da FBHA, o ministro deve se reunir com empresários do trade na 1ª quinzena de julho para continuar o debate. Para o presidente, essa é uma alternativa para combater a crise no desemprego, que atingiu número recorde, segundo divulgou o IBGE. O novo modelo de contrato de trabalho aumenta a quantidade de postos formais, diminui o déficit da Previdência, já que haverá mais recolhimento de contribuição, além de movimentar o setor de turismo, às vésperas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. “É urgente a necessidade de regulamentação do trabalho intermitente, principalmente no setor de hospedagem e alimentação. Precisamos sensibilizar o

Nogueira deve se reunir com empresários do trade na 1ª quinzena de julho para continuar o debate Parlamento das vantagens disto para os empresários e também para os trabalhadores”, declarou. DESEMPREGO EM ALTA Só para se ter uma ideia da queda substancial nos postos de trabalho for-

mais, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, em 31 de maio, que o desemprego ficou em 11,2% no primeiro trimestre de 2016, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). A taxa é a maior já registrada pela série histórica do indicador, que teve

início em janeiro de 2012. A população desocupada bateu os 11,4 milhões. Em relação ao trimestre encerrado em janeiro – que inclui novembro e dezembro de 2015-, o contingente cresceu 18,6% e, frente ao mesmo trimestre de 2015, subiu 42,1%.

11º Festival de Turismo das Cataratas Expectativa é que o evento receba mais de 6 mil inscrições de agentes de viagens, operadores, hoteleiros e outros fornecedores e profissionais de turismo

J

á estão abertas as inscrições para a 11ª edição do Festival de Turismo das Cataratas, programado para os dias 15, 16 e 17 de junho no Rafain Palace Hotel & Convention Center, em Foz do Iguaçu. A expectativa é que, a exemplo de 2015, o Festival receba mais de 6 mil inscrições de agentes de viagens, operadores, hoteleiros e outros fornecedores e profissionais de turismo, além de estudantes e professores da área. A Feira de Turismo e Negócios, um dos eventos complementares do festival, já comercializou cerca de 90% dos 207 estandes, segundo o coordenador, Paulo Angeli. O número de estandes também foi ampliado, este ano. Na edição anterior, foram 175 estandes, que receberam mais de 600 marcas e 1.155 expositores. O 11º Festival de Turismo das Catara-

tas terá várias novidades. Entre elas, o I Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa, o Salão do Vinho Argentino e ainda o Salão de Turismo de Compras, que reunirá marcas e lojas do Paraguai e da Argentina. Além disso, os jovens que gostam de informática poderão participar do desafio do Hackatour Cataratas, uma maratona de programação de computadores. Para Angeli, a edição deste ano do Festival poderá confirmar a tese de que é na crise que se pode perceber novas oportunidades. “Acredito que a crise se vence com inovação, e é o que estamos fazendo na nossa Feira: lançando novos salões e buscando novos parceiros”, afirma. Uma das grandes apostas deste ano é o 1º Salão Brasileiro de Turismo Termal &

destinos, atrativos termais, parques, resorts, SPAs, instituições, estâncias turísticas e de saúde e empresas que produzem equipamentos para atender esse público.

Spa, que Foz do Iguaçu pretende estimular, para atrair os turistas que unem o lazer aos cuidados com a saúde e a beleza. O Salão Brasileiro de Turismo Termal & Spa terá um espaço de mil metros quadrados e capacidade para 50 estandes, com público alvo desde os

HACKATOUR CATARATAS A maratona de programação de computadores, outra novidade desta edição, pretende atrair 80 jovens apaixonados por informática. Eles terão a oportunidade de identificar e resolver um problema específico apresentado pelos participantes do festival, relacionada ao turismo. A ideia é que, depois de 36 horas fechados numa sala, eles ofereçam uma solução tecnológica, que pode ser desde um aplicativo até uma proposta de marketing para determinado produto ou destino.


Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

15

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação

convênios Com empresas MEDICINA DO TRABALHO Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Engenh Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) - PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambient Ambientais PPP (Perfi l Profissiográfi co Profi ssional) Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba. CONSULT ONSUL ORIA ESPECIALIZADA ONSULT CONSULTORIA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHACtba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, cciências econômicas, ciências contábeis e ges gestão da informação. Sem fins econômicos, seu principal obje objeti vo é formar profissionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da so sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473

Com faculdades SPEI 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.spei.br Fone 41 3364-4579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e PósGraduação - direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.opet.com.br cezarroberto@opet.com.br Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.facinter.com.br Fone 41 2102-3300 UNICENP 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Consulte nosso banco de empregos

www.SEHA.com.br Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Acompanhamento em ações trabalhistas. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Assessoria jurídica gratuita.

Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Estamos fortemente divulgados através de nosso jornal, site na internet, nas redes sociais e na Rádio CBN. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo fone 41 3323-8900


16

Curitiba, 2ª quinzena de maio de 2016

IN FOR MA TIVO

FECOMÉRCIO PR B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R | 2 0 1 6

A recessão precisa ser contida

A recessão econômica é um problema urgente. A perda do PIB acumulado nos últimos dois anos deverá ser de 7,5%. A taxa de desemprego supera 10% da população ativa; o poder de compra da renda dos consumidores brasileiros se reduziu a patamares do segundo semestre de 2013. Com a retração no crédito, a demanda das famílias brasileiras, que representa mais que 60% do PIB, recua fortemente. À exceção da agropecuária, todos os setores enfrentam intensa retração. Como a atividade econômica opera com grande ociosidade, os índices de preços começam a dar sinais de arrefecimento. O alívio na inflação deve ser acompanhado por uma recuperação, ainda que tímida, a partir do segundo semestre. Não existe caminho ao governo Temer que não seja colocar o país no rumo correto. Estratégia e eficiência. Eis aí duas virtudes essenciais que nossos atuais governantes precisam demonstrar. 

Darci Piana

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

Festival de Inverno começa dia 14 de julho

O Festival de Inverno 2016, promovido pela Rede Empresarial do Centro Histórico de Curitiba com o apoio da Fecomércio, Sesc e Senac, vai trazer neste ano uma série de atrações nas áreas de gastronomia, cultura, moda, entretenimento e aprimoramento pessoal. O Senac vai oferecer cursos e palestras, enquanto o Sesc sediará atrações nas unidades Paço da Liberdade e Esquina. O Memorial de Curitiba será palco de diversas atividades, além dos bares e restaurantes da região histórica da cidade. Pensando em promover a maior ocupação do região do Centro Histórico pelos turistas e, principalmente pelos próprios curitibanos, em 2012 surgiu a Rede Centro Histórico de Curitiba. Com a iniciativa fomentada pelo Sebrae Paraná, em parceria com o Sistema Fecomércio e a Prefeitura de Curitiba, 20 estabelecimentos uniram-se para este objetivo. Fique atento ao programa completo, disponível nos locais-sede do Festival e divulgado pelos principais meios de comunicação. Participe do calor dessa programação. 

AGENDA FECOMÉRCIO PR

Abertas inscrições para Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR Estão abertas as inscrições para a nona edição da Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR, que será realizada no dia 25 de setembro. A Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR abrange em uma única prova dois dos mais importantes cartões postais do Brasil: a Itaipu Binacional e o Parque Nacional do Iguaçu. A prova é dividida em diversas categorias e os três percursos são abertos para atletas de ambos os sexos, com idade mínima de 18 anos (no revezamento) e na maratona individual para atletas com mais de 20 anos. As inscrições estão abertas até o dia 2 de setembro, ou até o momento em que for atingido número máximo de participantes e, devem ser feitas pelo site www.sescpr. com.br, sendo obrigatória e indispensável a apresentação de atestado médico pelos atletas, especificando aptidão à prática de atividades físicas. A 9ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçu Sesc PR é uma iniciativa do Sesc PR, integrante do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, em parceria com a Itaipu Binacional e Prefeitura de Foz do Iguaçu, com apoio do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Foz do Iguaçu e da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Foz do Iguaçu, com patrocínio da Caixa Econômica Federal e promoção da RPC. 

ano 2 | nº 29

Senac oferta curso voltado para Turismo Religioso De acordo com dados do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, em 2014, cerca de 17,7 milhões de brasileiros viajaram pelo país levados pela fé. No Paraná o segmento também vem crescendo. Um exemplo é a Rota do Rosário do Norte Pioneiro, que atrai cada vez mais turistas. Dentro deste contexto, o Senac, por meio do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, em parceria com a Paraná Turismo e a Pastoral do Turismo da CNBB, começa a ofertar o curso de Agente Receptivo para o Turismo Religioso, com o objetivo de formar pessoas capacitadas no atendimento receptivo especificamente para atrativos religiosos. O agente irá auxiliar os visitantes e turistas em locais de interesse religioso, desenvolvendo atividades interpretativas fundamentadas na história e memória local. Ao todo serão 30 horas de curso. Os participantes serão selecionados pelas Secretarias Municipais de Turismo das cidades de Paranaguá, Piraí do Sul, Lunardeli, Jacarezinho e Campo Mourão, municípios que possuem oferta turística relacionada ao catolicismo e que já vêm desenvolvendo ações para o desenvolvimento do segmento. 

Jornal seha ed 028  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you