Page 1

JORNAL

ANTONIO TANAKA: “Não existe entendimento da prefeitura. Eles não entendem o que é o food truck.” Págs. 10 e 11

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016 | Edição 27

FUNCIONANDO

Internet Wi-fi a bordo de aviões Pág. 02

Projetos De olho na Assembleia Pág. 05

Inaugurada Delegacia do SEHA no Litoral Com sede em Paranaguá, escritório vai atender demanda dos sete municípios litorâneos do Estado

Mudança Fim de multa de 10% do FGTS Pág. 08

Iniciativa Primeiro Fórum SEHA Pág. 14

NÃO ACESSOU AINDA? www.

seha .com.br

O empresário Eduardo Maranhão, Delegado do Sindicato no Litoral, cumprimentado pelo presidente João Jacob Mehl, durante solenidade de inauguração do espaço. Pág. 13


2

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

EDITORIAL Fazer bem feito sempre foi o principal objetivo As novidades são ótimas. Inauguramos a sede do SEHA no litoral paranaense. Nossa mais nova casa fica em Paranaguá e já está à disposição dos associados. O evento contou com a presença de vários representantes do trade, a cobertura completa você confere nas próximas páginas. Também realizamos o 1º Fórum SEHA, incrementamos nosso setor de cursos, implementamos nosso departamento jurídico com o atendimento criminal 24 horas, colocamos um novo site no ar. Tudo para, cada vez mais, abrir novas frentes para as categorias que assistimos. E como o assunto é novidades, criamos uma nova diretoria. Agora temos a diretoria para Assuntos de Food Trucks que é dirigida pelo nosso mais novo diretor, o empresário Antonio Tanaka, empresário e chefe de cozinha. Nesta edição você confere nossa tradicional entrevista com ele. São só notícias boas, resultados de esforço, trabalho e engajamento de toda a equipe de diretores e colaboradores do SEHA. E o que mais posso dizer, senão obrigado a todos os envolvidos. Sem a presença, inteligência e força de vocês chegar até aqui teria sido muito mais difícil. O que só prova que nossa união, sempre focada nos mesmos objetivos, nos conduz à vitória. Abraço a todos, João Jacob Mehl

MUDANÇA

Benefício e comodidade para quem voa Internet wi-fi a bordo de aviões está próxima de se tornar realidade

A

Gol será a primeira companhia aérea brasileira a oferecer internet wi-fi a bordo, com conexão via satélite. O processo de instalação já foi iniciado no último dia 14. Após a conclusão, o sistema de conectividade deverá passar por homologação por parte da Administração Federal de Aviação (FAA), entidade governamental dos Estados Unidos, responsável pelos regulamentos e todos os aspectos da aviação civil nos Estados Unidos; e pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Além de internet wi-fi a bordo, a solução permitirá também o acesso a canais de televisão ao vivo,

programação por streaming com filmes, desenhos, séries e jogos, músicas e mapa de voo. Todo conteúdo on e off-line poderá ser acessado por meio de um dispositivo móvel do próprio cliente, que pode ser um celular, tablet ou notebook. De acordo com a Gol, a primeira aeronave equipada com a tecnologia deverá ser apresentada ao mercado no segundo semestre de 2016. A partir deste lançamento, o cronograma é para que, em dois anos, toda a frota da empresa tenha o sistema disponível aos clientes. Para as demais aeronaves, a instalação será no Centro de Manutenção da empresa, em Confins.

EXPEDIENTE

Proibida revista íntima feminina

Jornalista Responsável Pierpaolo Nota Edição | Eliseu Tisato

Multa pelo descumprimento é de R$ 20.000, dobrada em caso de reincidência

Colaboração | Fernanda Brun

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3323 8900 www.seha.com.br

GESTÃO 2014-2017 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries  Aguilar Borsato Silva Diretor  Valéria Vicente

Diretora de Marketing Carlos Roberto Madalosso Diretor para assuntos de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio Antonio Tanaka Diretor para Assuntos de Food Trucks  Conselho Fiscal:  Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

Foi sancionada a Lei (nº 13.271) que proíbe a revista íntima de funcionárias e clientes do sexo feminino. A multa pelo descumprimento é de R$ 20.000,00, dobrada em caso de reincidência, e será revertida aos órgãos de proteção dos direitos da mulher.

A lei repercute diretamente em toda administração gerencial de hoteis, moteis e do setor de alimentação, oriente sua equipe para não ser surpreendido com demandas trabalhistas. Para ter informações de como pode ser feito o processo de revista, caso seja necessário, sem ocorrência de processo trabalhista ou multa, entre em contato com o SEHA.

Sócios aniversariantes da 1ª quinzena de maio 01.05 02.05 05.05 08.05 14.05

Valdemar Esteves, do Restaurante Meu Kilinho Geraldo Lorenzon Filho, do Hotel Lizon Curitiba Adir Pan, do Motel Poeme Everton Andrade, da Degusti João de Lellis, do Restaurante Lellis Tratoria


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

3

REPRESENTANTE

Heculano Passos na presidência da Comissão de Turismo Indicação da FBHA e dos 66 sindicatos de sua base

O

deputado federal Herculano Passos (PSD-SP) é o novo presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados. O parlamentar foi eleito no começo de maio por maioria absoluta. A Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) comemora a decisão e destaca seu total apoio ao parlamentar, que sempre lutou pelos interesses do setor. “O deputado Herculano é o melhor representante que o setor empresarial do turismo nacional poderia ter à frente da Comissão de Turismo neste momento, pois não somente é um profundo conhecedor da atividade turística, de suas necessidades e de seu potencial como atividade econômica, como tem sua história ligada ao apoio a diversos temas relacionados ao setor”, destaca o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio. Na semana passada, a entidade, e a maioria dos 66 sindicatos de sua base, encaminharam uma correspondência ao líder do PSD na Câmara dos Deputados, Rogério Rosso, sugerindo a escolha de Herculano para ocupar o cargo. No documento, a FBHA ressaltou a procura do Brasil como destino turístico nacional e internacional, que tem crescido exponencialmente, por conta da cotação do dólar frente ao real e pela aproximação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e enfatizou a necessidade de promover um diálogo cada vez mais próximo entre as entidades de representação setorial e o governo, com o objetivo de continuar construindo parcerias importantes junto ao Legislativo e ao Executivo,

Parlamentar também é presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo no Congresso Nacional (FrenTur) a exemplo do que foi realizado em 2015 e que rendeu frutos tão benéficos para os empresários do setor de hospedagem e alimentação. Em matéria publicada em seu site, Herculano Passos também destacou o trabalho que foi feito até agora. “Nós produzimos bastante no ano passado. Conseguimos transformar em leis a regulamentação do turismo rural, a criação das Estâncias Turísticas em nível nacional e a inexigibilidade do visto para estrangeiros entrarem no Brasil neste Ano

Olímpico. E nós conseguimos fazer desta Comissão uma comissão leve, produtiva e que obteve resultados positivos. Fico muito feliz em dar continuidade a este trabalho”, disse. CURRÍCULO Empresário do setor gastronômico, Herculano tem 59 anos e foi vereador e prefeito, por dois mandatos, da Estância Turística de Itu, no interior de São Paulo. O Turismo é a principal bandeira de trabalho do parlamentar, que é presidente da Frente Parlamentar

Mista em Defesa do Turismo no Congresso Nacional (FrenTur). Durante seus mandatos como chefe do executivo municipal, ele também presidiu a Associação das Prefeituras das Cidades Estâncias do Estado de São Paulo (Aprecesp). À frente da Associação, promoveu programas de qualificação em turismo para prefeitos e gestores das Cidades Estâncias, capacitando cerca de 500 pessoas. Ele colaborou também para a criação dos Municípios de Interesse Turístico no Estado de São Paulo (implementado efe-

SEHA NO RÁDIO Escute toda terça e quinta-feira na CBN Curitiba, 9h15 da manhã, o “Minuto SEHA”, com espaço para nossos associados.

tivamente em 2015). Na Câmara dos Deputados, além de presidir a FrenTur, o deputado é diretor do Conselho Consultivo da Frente Parlamentar pela Qualidade da Hotelaria Brasileira; membro da Comissão Especial do Marco Regulatório dos Jogos de Azar, na qual defende a legalização dos cassinos para fomentar o turismo; e membro da Comissão Especial do ECAD, na qual defende o fim da cobrança de direitos autorais sobre a programação de rádios e televisores em quartos de hoteis.


4

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

www.seha.com.br Notícias

Convênios

Fique informado, entre em nosso site para ter acesso as informações do nosso setor.

Precisa de convênio médico, odontológico, medicina ocupacional, entre outros? Se houver algum convênio que queira nos sugerir, fique a vontade!

Precisa de funcionários? Publique as suas vagas gratuitamente em nosso site, e se tivermos em nosso banco de dados candidatos que preencham os seus requisitos, os currículos serão encaminhados para sua empresa.

Assessoria Jurídica

Tem dúvidas? Precisa de informação? Sugestões? Entre no nosso canal Fale Conosco, e mande para nós o que precisa.

Está com alguma notificação trabalhista? Ou dúvidas na área trabalhista, comercial, tributária e/ou civil? Possuímos duas assessorias contratadas especialmente para auxiliar nas suas questões. Se houver uma reclamação trabalhista, terá o acompanhamento gratuito de nossos advogados para a sua defesa. E suas dúvidas jurídicas poderão ser também esclarecidas gratuitamente.

Qualifique sua equipe

Questões Administrativas

O associado tem direito a duas vagas gratuitas por curso na grade disponibilizada em nosso site, e a sua inscrição é feita no próprio site.

Questões como o ECAD, Vigilância Sanitária, Fiscalização Ambiental, NFCe, consulta a Legislação em Vigor fica fácil quando se tem aonde recorrer e tirar informações. Pertencemos ao Conselho Municipal de Urbanismo, caso tenha alguma questão a ser resolvida sobre urbanismo, traga a sua questão para nós.

Contato permanente!

O espaço é seu! Está vendendo algum mobilizado de sua empresa de hospedagem ou alimentação? Anuncie sua venda, mandando as características, preço e fotos do objeto a ser vendido e será publicado em nosso Banco de Negócios, além de enviarmos através de nosso mailing. Basta acessar www.seha.com.br

Informações Legais Tenha acesso às Convenções Coletivas firmadas, sempre que seja necessário.

Basta ligar para: 41 3323-8900


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

5

SEHA com forte presença na Assembleia Objetivo é não deixar passar nenhum projeto de lei que possa vir a prejudicar os setores de hospedagem e alimentação

F

iel à defesa dos interesses das áreas de alimentação e hospedagem, o SEHA está ligado em tudo que acontece e é proposto na Assembleia Legislativa do Paraná. Cinco Projetos de Lei estão sendo devidamente acompanhados. Um deles já foi arquivado, através do bom trabalho do relator, o deputado Pedro Lupion. Ou outros quatro contam com toda nossa atenção.”

EM ANDAMENTO Projeto de Lei 441/2015 De autoria do deputado Nereu Moura Dispõe sobre reserva de vaga para idosos, portadores de necessidade especiais e gestantes, nas praças de alimentação de shoppings centers, restaurantes, galerias, lanchonetes e outros estabelecimentos do setor gastronômico localizados no Estado do Paraná. Parecer do relator, o deputado Felipe Francischini, foi rejeitado. Foi vencedor um voto em separado do deputado Péricles de Mello, favorável a continuidade. PL passa agora por outras comissões e poderá ser modificado.

ARQUIVADO Projeto de Lei 699/2015 De autoria do deputado Gilberto Ribeiro Estabelecia a obrigatoriedade de hoteis e demais meios de hospedagem, a cobrarem a primeira diária de forma proporcional. EM ANDAMENTO Projeto de Lei 167/2016 De autoria do deputado Adelino Ribeiro Dispõe sobre a obrigatoriedade de informar aos consumidores os ingredientes utilizados no preparo dos alimentos fornecidos por restaurantes, bares, lanchonetes, confeitarias, padarias e congêneres. Posição do SEHA: É inviável. Existem estabelecimentos que vendem mais de uma centena de opções gastronômicas. O cardápio teria que ser um livro. Sem contar que iria entregar ingredientes secretos, segredos e especialidades de cada cozinha. EM ANDAMENTO Projeto de Lei 205/2016 De autoria do deputado Evandro Araújo

Dispõe sobra a obrigatoriedade de informar na entrada dos estabelecimentos comerciais, restaurantes, bares e similares, as formas de pagamento que são aceitas. Posição do SEHA: Não necessário. É um comércio onde não existe parcelamento. Quem trabalha com cartão e tícket já tem essa indicação na porta. Quem não aceita cheque comunica também. É interesse do restaurante facilitar para o cliente. O Código de Defesa do Consumidor já legisla sobre o assunto. EM ANDAMENTO Projeto de Lei 692/2015 De autoria do deputado Gilberto Ribeiro Dispõe sobre a obrigatoriedade de hoteis e os demais meios de hospedagem, comunicar ao cliente, no ato da reserva, preços de produtos e serviços. Posição do SEHA: Dispensável. Todos os meios de hospedagem tem preço afixado na parede. Ninguém faz reserva de hotel sem saber o preço. Dentro dos apartamentos consta cardápio dos demais serviços ofertados. Todos os estabelecimentos informam aos seus hóspedes o telefone do Procon.


6

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

OPINIÃO

Faltas Justificada Artigo 473 CLT

DRa. Janaina Alves Pereira

Existem determinadas hipóteses em que o empregado pode se ausentar do trabalho e não sofrer descontos em sua remuneração em função da ausência, as chamadas faltas justificadas, as quais estão taxativamente elencadas no art. 473 da CLT. Entretanto, esse rol foi ampliado recentemente com a publicação da lei 13.257/16, sendo adicionadas mais duas hipóteses às já previstas no citado artigo, através da inclusão dos incisos X e XI. As inovações são bastante claras: agora, o empregado tem direito a se ausentar do trabalho, sem prejuízo da remuneração devida, para acompanhar sua esposa e companheira a exames realizados durante a gravidez, bem como nos casos de acompanhar o filho de até seis anos ao médico, dentro do período de 1(um) ano. Assim, o artigo 473 da CLT passou a ter a seguinte redação: Art. 473 - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário: (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) I - até 2 (dois) dias consecutivos, em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua carteira de trabalho e previdência social, viva sob sua dependência econômica; (Inciso incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) II - até 3 (três) dias consecutivos, em virtude de casamento; (Inciso incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) III - por um dia, em caso de nascimento de filho no decorrer da primeira semana; (Inciso incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) IV - por um dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada; (Inciso incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) V - até 2 (dois) dias consecutivos

ou não, para o fim de se alistar eleitor, nos têrmos da lei respectiva. (Inciso incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967) VI - no período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar referidas na letra “c” do art. 65 da Lei nº 4.375, de 17 de agosto de 1964 (Lei do Serviço Militar). (Incluído pelo Decreto-lei nº 757, de 12.8.1969) VII - nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior. (Inciso incluído pela Lei nº 9.471, de 14.7.1997) VIII - pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a juízo. (Incluído pela Lei nº 9.853, de 27.10.1999) IX - pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, estiver participando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil seja membro. (Incluído pela Lei nº 11.304, de 2006) X - até 2 (dois) dias para acompanhar consultas médicas e exames complementares durante o período de gravidez de sua esposa ou companheira; (Incluído dada pela Lei nº 13.257, de 2016) XI - por 1 (um) dia por ano para acompanhar filho de até 6 (seis) anos em consulta médica. (Incluído dada pela Lei nº 13.257, de 2016) O principal efeito prático destas mudanças é que, anteriormente, o desconto ou não da remuneração dependia de entendimento prévio entre empregado e empregador, ao passo que agora constituem direito legalmente previsto, que integra o patrimônio jurídico do empregado, tendo as duas novas hipóteses sua vigência quando a publicação da lei, em ia 09 de março de 2016. Janaina Alves Pereira – OAB/PR 36.701 – advogada trabalhista desde 2004, com especialização em direito material e processual do Trabalho pela EMATRA/PR, coordenadora do setor trabalhista do escritório Andraus Advogados Associados.

Associe-se ao SEHA e conte com assessoria jurídica gratuita

Conte também com acompanhamento em ações trabalhistas


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

7

SEGMENTO

Centro de Capacitação inicia novo ciclo no turismo de Foz Empreendimento oferecerá excelência na formação em hotelaria e gastronomia

O

Centro de Capacitação do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu (Sindhotéis) superou as expectativas de todos na solenidade de inauguração, realizada no dia 19, quando a entidade completou 41 anos em prol do desenvolvimento da hospedagem e alimentação. Cerca de 200 pessoas participaram do evento, entre elas empresários, gestores e colaboradores de hotelaria, gastronomia, entretenimento e lazer. Também prestigiaram a cerimônia lideranças empresariais e políticas, bem como dirigentes de várias entidades e instituições parceiras de longa data do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região. Primeiro presidente do Sindhotéis, em 1975, o empresário Pedro Roth falou em nome da história da entidade. “Quatro décadas atrás lançamos uma semente, que só cresce. O resultado está aqui. Na época nós acreditamos, como hoje acreditam os empresários que agora têm tecnologia de ponta para a evolução constante da hotelaria e gastronomia”, afirmou. Para o superintendente de Comunicação da Itaipu Binacional e diretor do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, o complexo profissional será um marco para a melhoria da gestão dos empreendimentos turísticos. “É um sonho concretizado com o investimento conjunto da Gestão Integrada do Turismo. Queremos ser também um destino gastronômico para somar ao já reconhecido padrão de qualidade dos atrativos e pela hotelaria. A vinda da Le Cordon Bleu é espetacular para a cidade e região, iniciando um novo ciclo do desenvolvimento”, disse. Segundo o presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação (SEHA), João Jacob Mehl, Foz edificou uma obra fantástica que precisa ser reverenciada. “Fazer uma obra dessa é uma ousadia e um arrojo que demonstra força e pujança. A diretoria do Sindhotéis ficará marcada na história”, disse o dirigente, que

O presidente João Jacob Mehl representou o SEHA e o presidente Alexandre Sampaio, da FBHA representou o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e do Conselho de Turismo e Hospitalidade da CNC (Confederação Nacional do Comércio), Alexandre Sampaio. Em nome da sua diretoria, o presidente do Sindhotéis, Carlos Silva, fez um agradecimento especial a todos os associados do sindicato, bem como aos patrocinadores, apoiadores e fornecedores que acreditaram no projeto. “A gente sozinho não faz nada. Muitos presidentes e diretores deixaram o seu legado à nossa história. Hoje deixamos nossa contribuição“, afirmou Silva, que também agradeceu a família, colaboradores do sindicato, profissionais de imprensa e responsáveis pela obra. “Foz

tem 176 meios de hospedagem e 206 estabelecimentos gastronômicos de interesse turístico. Temos que ser uma única força de ação”, completou. LE CORDON BLEU O Centro de Capacitação do Sindhotéis terá a gestão administrativa e pedagógica da Uniamérica, com apoio da UDC e outras instituições de ensino. De acordo com Ryon Braga, diretor-presidente da instituição de ensino, para consolidar o centro de referência nacional e internacional na formação em turismo, hotelaria e gastronomia, a Uniamérica foi buscar excelência no setor. “A Le Cordon Bleu é a escola de gastronomia número 1 do mundo, sediada

na França, presente em mais de 20 países e agora aqui na fronteira. É a primeira unidade fora das grandes capitais”, destacou. Representando a Le Cordon Bleu, o diretor-técnico-culinário da unidade no Peru, Jacques Decrock, agradeceu o convite feito pelo Destino Iguaçu para firmar o convênio com “este magnífico Centro de Capacitação”. Ele contou que a partir de julho inicia o curso “Cozinhas do Mundo”, com cinco módulos, cujas inscrições já estão abertas para os amantes do mundo gastronômico. Em 2017 começam os cursos para profissionais experientes, visando a “aperfeiçoar sua técnica dentro da alta culinária internacional com foco no rendimento, resultado e satisfação dos clientes”.

Diretoria do Sindhotéis, presidido por Carlos Silva, discursando


8

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

SEM DATA PREVISTA

Fim de multa de 10% do FGTS Mudança no caso de demissão sem justa causa já pode ser votada no plenário do Senado

A

Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou o projeto (PLS 550/15) que extingue o pagamento, por parte do empregador, da contribuição social de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), em caso de demissão de funcionário sem justa causa. Com essa aprovação, o projeto já pode ir à votação no plenário do Senado, mas ainda não há data prevista. Para o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), autor da proposta, a contribuição social foi criada como forma de corrigir o FGTS, em função de perdas geradas pelos planos Verão e Collor I, porém essa necessidade não existe mais. Segundo o senador, a recomposição foi alcançada em 2012, não tendo mais motivo para ser continuada. Para a senadora Ana Amélia (PP-RS), relatora do texto, a proposta não mexe com o bolso do trabalhador, mas dá um alívio aos empresários. Proposta não mexe com o bolso do trabalhador, mas alivia o do empresário

CURIOSIDADE

História da hotelaria na capital paranaense Johnscher era referência na cidade de Curitiba

O

Hotel Johnscher começou a funcionar em 1917, quando a família Johnscher, de imigrantes alemães, estabeleceu-se em Curitiba. Eles vinham de Paranaguá, onde tinham uma hospedaria, e instalaram o hotel em um imóvel pertencente à família Parolin, onde anteriormente estava o Hotel Paris – “de má fama”, segundo registrou o historiador Júlio Moreira. A reputação duvidosa, no entanto, não impediu que os Johnscher fizessem do local um dos pontos de atração da cidade. O prestígio do local foi construído gradativamente e, a partir de meados da década de 1920, ganhou status de estabelecimento de primeira classe. Na época, o eixo da Rua Barão do Rio Branco, antiga Rua da Liberdade, firmava-se como um novo polo de desenvolvimento da cidade. Ali passava a primeira linha de bonde de Curitiba e concentravam-se os edifícios públicos. Por isso, a Barão era conhecida como a “rua do poder”.

A proximidade com a estação ferroviária fazia com que todos os visitantes ilustres que chegavam passassem por ali e procurassem acomodação no Johnscher. O hotel ficou conhecido, sobretudo pelos bons serviços prestados aos hóspedes, tratados com cordialidade. O ambiente também ajudava: era considerado refinado e acolhedor. Além disso, o hotel tinha uma cozinha excelente, o jantar no restaurante contava com música tocada por uma orquestra contratada especialmente para animar os frequentadores. A família Johnscher era proprietária ainda de outro hotel na cidade, igualmente bem conceituado: o Grande Hotel Moderno, na Rua XV de Novembro. Ele também foi desativado na década de 1970, depois de viver anos de glória. Era considerado o hotel mais luxuoso de Curitiba. Fonte: Livro: História da Hotelaria do Brasil. Editado pela ABIH Nacional em comemoração aos 70 anos da entidade.


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

9

QUALIFICAÇÃO: Conheça alguns cursos oferecidos pelo SEHA Programe seus colaboradores para participar dos cursos. Não perca a oportunidade de profissionalizar seu time.

Cada associado tem direito a duas vagas gratuitas QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE 23/05 a 25/05 das 9h às 12:00h prazo p/insc. 17/05 Melhore o atendimento da sua equipe e conquiste novos clientes. Objetivo: desenvolver habilidades comportamentais no atendimento para conquistar e manter clientes. Público: Todos que tenham acesso direto com clientes.

PLANEJAMENTO DE CARDÁPIOS E TÉCNICAS DE VENDAS EM A&B 31/05 a 03/06 - 16h - Prazo p/insc. 25/05 “Um cardápio não é apenas uma lista com os pratos que a casa produz, pois isto seria apenas uma “carta de comidas”, mas um instrumento para auxiliar o cliente na montagem de sua refeição, visando também o aumento das vendas do restaurante. Para planejar o cardápio, precisa-se saber combinar os aspectos visuais, de paladar e de aromas dos pratos, além de fazer combinações interessantes entre alimentos e bebidas, o que muitos encaram como alquimia, ou mesmo, arte. Os pratos que formam um cardápio devem ser equilibrados, variados e adequados a cada tipo de serviço com a precaução quanto a equipamentos, utensílios ou treinamentos especiais para sua confecção e serviço.”

BOLOS E TORTAS 7, 8 e 9/06 14h as 17h prazo p/ insc. 02/06 Neste curso você vai aprender técnicas para a produção, massas de tortas e bolos, recheios bases, coberturas e caldas para finalizações. Além de dicas diversas sobre armazenamento, congelamento, apresentação e formação de preço. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral.

BARTENDER II 14 A 17/06 - 16h - prazo p/insc. 09/06 Direcionado para profissionais na área ou que já tenham feito o curso básico que desejam crescer em conhecimento para melhores colocações no mercado de trabalho. O aluno aprimora sua criatividade na arte da coquetelaria criando seus próprios coquetéis. Neste curso traremos informações do mundo das bebidas atualizadas, coquetéis a base de café, cerveja, energéticos, com criações contemporâneas e mixologia, onde degustaremos e conheceremos profissionalmente: vodkas, uísque, tequilas, vinhos e outras bebidas bem como seus serviços ao cliente. Os alunos colocarão em prática todo seu conhecimento e técnicas no preparo dos mais variados coquetéis. Idade mínima do participante 18 anos.

COMO MONTAR E ADMINISTRAR BARES E RESTAURANTES 28/06 a 01/07 - 16h - prazo p/insc. 22/06 Técnicas de gerenciamento do fluxo de mercadorias: Procedimentos de compras, recebimento e estocagem,giro de estoque. Tecnologia operacionais de cozinha: Tecnologia gerenciais e operacionais de restaurantes: Técnicas e modalidades de serviço, técnicasdevendasdealimentose bebidas;Promoçãointernanosrestaurantes,Gerênciadep essoalderestaurante....(usode calculadorasimplesnocurso). Público-Al vo:Profissionaisdoramoepúblicoemgeral.

CURSO DE SOPAS 5 a 6/7 das 14h as 17h - prazo p/ insc. 29/06 Neste curso, o participante vai aprender a fazer caldo base para sopas, sopas diversas, palitos de queijo e torradas aromatizadas. Público-Alvo: Profissionais do ramo e público em geral.

Fone (41) 3323-8900 | www.seha.com.br Alameda Julia da Costa, 64 São Francisco, Curitiba - PR


10

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

ENTREVISTA ANTONIO TANAKA

“Food Truck em Curitiba é encarado como feirante” Dificuldade em conseguir todas as morosas licenças e se fazer entender diante do poder público é maior problema hoje da classe Por pierpaolo nota

Curitiba é extremamente provinciana. O administrador não tem conhecimento do que é um food truck. Não tem conhecimento do que é a atividade. E onde é feita a proposição de trabalho dos food trucks não tem viabilidade econômica. Os caminhões foram feitos para estarem na rua e não estão. Não estão tendo essa possibilidade.”

O

empresário e chef de cozinha Antonio Tanaka é o mais novo membro da diretoria do SEHA. Assumiu a recém criada Diretoria para Assuntos de Food Trucks. Paralelamente, Tanaka é vice-presidente da APFT – Associação Paranaense de Food Trucks. Experiente na área, abriu o jogo na entrevista, explicando as dificuldades que a classe tem enfrentado diante de uma capital “provinciana”. São tantas as questões que envolvem o funcionamento desses caminhões que o texto abaixo merece ser lido, para uma maior compreensão de todos. Jornal do SEHA - Como entrou no ramo da alimentação? Antonio Tanaka - Sou chefe de cozinha. Fiquei três anos morando fora do Brasil, no Japão, depois mais três anos na Inglaterra. Com experiência adquirida nesses países decidi que ia voltar para o Brasil. Comecei a estudar o mercado, tive um contato com um pessoal no Centro Europeu. Depois disso resolvi que iria trabalhar na área de alimentação. E o que de mais novo representa essa área são os food trucks, que conheci fora do Brasil. Montou um food truck? AT - Tenho um parceiro, colega de 30 anos e montamos junto o Del Borgo. Desenvolvemos todo o projeto, uma pizzaria ambulante, que tem toda uma atividade diferenciada. Forno à lenha e todos os equipamentos vieram de fora do Brasil. Em um segundo momento, na fase atual, me desvinculei do negócio para dar maior atenção para a Associação (Associação Paranaense de Food Trucks - APFT). Por consequência acabei voltando novamente em outro seguimento que é comida japonesa. Quais são os principais objetivos da Associação? AT - Sou vice-presidente. A associação foi criada por quatro membros: O Nebraska Burgers,

do Marcos Salgado, primeiro food truck de Curitiba; depois veio o May Way, do Henrique Justus, em terceiro veio o Hot Bizinelli e em quarto o Del Borgo. Nós quatro resolvemos que iriamos montar a Associação para dar um acompanhamento melhor e constituir uma entidade que pudesse acompanhar tanto administrativa quanto politicamente o trabalho. Estamos já há dois anos junto aos órgãos públicos. Se não tivéssemos criado a Associação teríamos tido um grande prejuízo, maior que estamos tendo hoje. Quantos associados são? AT - Quarenta e oito associados. A legalização do food truck na cidade, ajudou vocês? AT - Até o momento não. Não existe entendimento da prefeitura. Eles não entendem o que é o food truck. Estabeleceram algumas regras que inviabilizam toda a situação. Estamos discutindo, conversando, fazendo diversas reuniões que até o momento não evoluíram. Quais as principais regras que travam mais? AT -A principal questão é de ponto de energia para os caminhões funcionarem. Temos também a questão de tamanho dos caminhões, que da forma que foi colocado todos estão fora. E também a questão localização de ponto gastronômico. A distância regulamentada hoje na lei, de 200 metros para dentro de Curitiba, é uma coisa absurda. Como é isso? AT -A lei diz que o food truck pode parar a 200 metros de um ponto gastronômico. O que seria ponto gastronômico? Uma lanchonete, uma padaria....não tem onde parar. Isso também quase que é uma inconsticionalidade porque infringe a questão do livre comércio. Com esse tipo de atitude e ação não viabiliza os caminhões. Curitiba tem sido provinciana em

relação aos food trucks? AT - Extremamente provinciana! O administrador não tem conhecimento do que é um food truck. Não tem conhecimento do que é a atividade. E onde é feita a proposição de trabalho dos food trucks não tem viabilidade econômica. Os caminhões foram feitos para estarem na rua e não estão. Não estão tendo essa possibilidade. Por esse motivo que existem poucos food trucks registrados hoje? AT - Não! Existem muitos. Mas o grande problema são os processos administrativos. Hoje se eu abrir uma empresa e resolver constituir ela como food truck eu levo um ano para ter todas licenças. São nove secretarias envolvidas e cada uma delas dá um prazo aproximadamente de 45 dias para agilizar as licenças. Quantos food trucks estão 100% para se regularizar hoje? AT - Aproximadamente uns 60 estão em processo de regularização. Existe entendimento de muita gente que o food truck em Curitiba não funciona na prática como funciona no mundo inteiro. O certo era estar parado na rua oferecendo comida boa e barata. Mas vemos na cidade somente a reunião de caminhões em eventos. AT - Temos duas situações. Primeira: é para o caminhão estar em rua atendendo a população. Segunda: é para o caminhão estar em eventos também, para atender uma demanda maior. Em um terceiro momento atuar em eventos menores pontuais, em que a prefeitura cria uma série de dificuldades para a atuação do caminhão. As licenças são extremamente caras. Hoje para tirar um alvará regular para parar em alguma loja ou estacionamento eles cobram R$ 1.500 para uma semana. É inviável. Não existe rentabilidade para esse tipo de ação. Para trabalhar em eventos necessita-se de todas as licenças e elas estão extremamente morosas. Não existe um entendimento

que essa atividade necessite de alguma agilidade interna. Temos associados que faz um ano e meio que abriram a empresa e até hoje não teve vistoria da vigilância sanitária. Fizemos um acordo com a prefeitura que os caminhões iriam fazer uma reunião para a vigilância fazer as vistorias. O processo não se concluiu. Temos problemas com a vigilância sanitária, secretaria de Meio Ambiente, com alguns requisitos que a Sanepar exige para construção da cozinha base. Algumas situações dessas o próprio órgão cria dificuldades para liberar. Existe alguma estratégia para mudar esse quadro? Como foi sua primeira conversa como diretor do SEHA com o presidente Jacob Mehl? AT - Ele entendeu nossas dificuldades, mas não montamos nenhuma estratégia ainda. Porque no entendimento da Associação, anda não se esgotou o processo de conversação junto à Secretaria de Urbanismo, que é o órgão responsável. Em um primeiro momento a secretaria tem que arrumar a lei e em segundo arrumar os decretos. Para em um terceiro momento estarmos puxando justamente todos os caminhões nas condições que a prefeitura quer de licitação. O Reginaldo (Reginaldo Cordeiro, secretário municipal do urbanismo) deu uma informação na CBN que até o final do mês o edital de licitação vai estar publicado. Temos a ideia de que saindo o edital, se tiver que cumprir a lei dos food trucks, os caminhões não vão poder trabalhar, em virtude de tamanho, dos pontos da prefeitura, entre outros. A prefeitura tem direito de limitar o tamanho dos caminhões? Talvez só de limitar o local de onde cada caminhão, devido a seu tamanho, vá parar. AT - Ela não pode limitar. Existe uma lei nacional que é o Contran, ele o órgão responsável por ditar o tamanho dos caminhões.


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

11

A principal questão é de ponto de energia para os caminhões funcionarem. Temos também a questão de tamanho dos caminhões, da forma que foi colocado todos estão fora. E também a questão localização de ponto gastronômico. A distância regulamentada hoje na lei, de 200 metros para dentro de Curitiba, é uma coisa absurda.”

Existe alguma cidade que possa vir a ser exemplo para Curitiba na questão do food truck? AT - Não! Todas elas estão com dificuldades. Algumas mais aperfeiçoadas nas licitações, outras mais aperfeiçoadas nas licenças individuais dos caminhões, mas um modelo pronto nenhuma delas tem. Comida de food truck na sua avaliação é cara? AT -Se for ver o investimento e o padrão de qualidade não é. Estamos falando de alimentação de R$ 25 individual. Muitas vezes não é um produto. Exemplo: um sanduíche. Dependendo de onde, você pode encontrar de R$ 12 até R$ 25. Essa variação vai depender do quê? É somente um sanduíche? É um sanduíche com batata, com refrigerante? Chega ao valor de R$ 25 no combo, agregado. Existe esse diferencial. Se imaginar que tem comidas com produtos importados com uma qualidade bem superior, com certeza não é caro. Os restaurantes precisam ter medo dos food trucks? AT -Te digo que não. Essa rivalidade que se colocou no início que nós tomaríamos público é justamente o contrário. A gente agrega público. E agrega até mais valor no conjunto restaurante. Tem algum food truck parado na cidade, que possa atender a população na rua?

AT - Não! Em virtude que orientamos que não é para ter food truck na rua. Existe uma penalidade perante a prefeitura. Temos que cumprir a lei, mesmo que essa lei esteja errada. Qual o melhor horário para um caminhão trabalhar? AT - Hoje temos pontos dentro de Curitiba onde trabalhamos no horário do almoço, onde restaurantes não conseguem atender. As empresas coorporativas, empresas na Cidade Industrial, que não tem uma qualidade tão boa quanto o funcionário pede. Já atendemos esse tipo de situação. Quais suas melhores experiências gastronômicas com food trucks? AT - São Francisco e Miami são dois pólos. O primeiro tem uma situação bastante diferenciada. O público é bem alternativo, procura comida de rua. Miami tem uma parte cultural muito envolvida com os food truckas, que é extremamente importante. Acho que alimentação e cultura tem andar próximas e o público que a gente procura tem que ter esse perfil. Como a gente ainda é quase uma província, o público de Curitiba imagina ir em um food truck e ser atendido por um garçom, tendo um cardápio sofisticado. Não é o objetivo do caminhão. O food truck nasceu vendendo sanduíche?

AT - Nos Estados Unidos o conceito é de comidas rápidas, porcionadas. Desde uma comida mexicana, porto-riquenha, até massas, comida italiana. O que você já comeu de mais estranho em um caminhão? AT - Nos Estados Unidos, comida Javanesa, que tem valor apimentado bem forte e diferenciado. Hoje não temos essa opção em Curitiba. Qual o investimento para se montar um food truck? AT - Uma cozinha básica o investimento é em torno de 50 a 100 mil reais. Mais 200 mil reais no caminhão. Vai ficar na casa de 300 mil reais. Com esse valor é possível abrir um restaurante. AT - Sim! É um bom negócio? AT - Sim, sabendo trabalhar é um bom negócio. Não é um negócio de curto prazo. É de longo prazo. Não existe retorno imediato. Com tanta burocracia para trabalhar, eventos particulares tem sido a saída? AT - Alguns. O empresário Cezinha Mocelin montou dois eventos, o Parada Truck 1 e o Parada Truck 2. Os dois muito bons, teve repercussão, estrutura muito bem montada. Se avaliar todos os eventos de dois anos para cá envolvendo

food trucks foi o melhor investimento e o melhor promotor de eventos que montou. Os demais pensaram muito em rentabilizar seus eventos e não deram a qualidade necessária.

é que a classe se torne uma referência negativa, mas sim muito mais positiva. São exceções esses casos onde nós temos essas Kombis ou trailers com uma situação precária.

E o Brasil? Os food trucks acreditam no país? AT - Acreditam. Estamos atravessando realmente uma fase em declínio, bem complicada de custos. Os próprios food trucks estão repensando toda sua estrutura, todos os seus produtos. Quem sobreviver esse ano e o próximo, acho que vai ter uma perspectiva melhor de trabalho. Quem não teve um plano de negócio todo estruturado, pensando um fluxo de caixa, esse vai ser penalizado. Temos operações dentro de Curitiba que já se penalizaram, desde a parte financeira até a desestrutura de sociedade.

As feiras da prefeitura, onde encontramos food trucks, são benéficas para o setor? AT - De um determinado ponto de vista sim, mas de outros não. Porque eles não são food trucks. Pela legislação da prefeitura eles são feirantes. Hoje não existe dentro de Curitiba nenhum food truck trabalhando. Não tem licitação, não tem concessão de outra forma. Todos os pseudo food trucks vão trabalhar como feirantes. Tem que mudar a categoria e adequação de categoria deles também, perante a prefeitura.

Essas Kombis velhas e com pouca estrutura que se apresentam como food trucks, são levadas a sério? AT - Temos um projeto junto com a UFPR e estamos orientando a todos que participem do projeto, que mostra tanto pelo lado de saúde pública, quando do consumidor e da Associação, qualidade para esse investidor. Por mais que ele não tenha o capital necessário, tem condições de fazer com ações pequenas essa melhoria no equipamento. A intenção não

Através da sua diretora entra no sindicato uma atividade nova, que mesmo lidando com comida, tem seus diferenciais. Qual a expectativa em relação ao SEHA? AT - Foi uma preposição tanto do presidente Jacob Mehl quanto nossa de unir forças, para dar qualidade no atendimento. Mostrar para o associado dos trucks qual a função do SEHA e quais as ações que promove e pode valorizar o produto dele. E mostrar realmente que o Sindicato não é contra nenhuma atividade, mas sim a favor de agregar valor e qualidade.


12

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

TURISMO É FONTE DE RENDA, DE RECEITA. NÃO É DESPESA! Diga não ao fechamento do Centro de Convenções de Curitiba: Apoie nossa causa! SEHA – Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, Abih-PR – Associação da Indústria de Hoteis do Paraná, Abav-PR – Associação Brasileira das Agência de Viagens, Abrasel-PR – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Abrajet-PR – Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo, CCVB – Curitiba Convention & Visitours Bureau, Amopar – Associação de Moteis do Paraná, Movimento Pró-Paraná, ACP – Associação Comercial do Paraná, Instituto Panorama de Turismo, FCVB – Federação dos Convention & Visitours Bureau, Abeoc – Associação Brasileira de Empresas de Eventos, Abracef – Associação Brasileira de Centro de Convenções e Feiras, HI Hostel Paraná – Associação de Hostels do Estado do Paraná e Abrabar – Associação Brasileira de Bares


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

13

REPRESENTATIVIDADE

Delegacia do SEHA no Litoral está funcionando Espaço marca a união do empresariado dos setores de hospedagem e alimentação

O

salão de festas da piscina do Hotel Camboa, de Paranaguá, foi palco no último dia 12 da solenidade que inaugurou a Delegacia do SEHA no Litoral. Políticos, lideranças e autoridades ligadas ao trade turístico prestigiaram a ocasião. A nova base tem como delegado o empresário Eduardo Maranhão, proprietário do Hotel Camboa, que conta com um Conselho Consultivo, que tem um representante de cada município do litoral paranaense. Seu principal objetivo é incentivar o turismo do litoral e concentrar esforços dos entes públicos e privados na organização do setor comercial, gastronômico, hoteleiro e portuário para receber os turistas. O primeiro a falar no evento foi o presidente da Adetur Litoral, Adalto Luders. Segundo ele, “só quem faz parte do turismo consegue vislumbrar o tamanho e a importância da Delegacia do SEHA no Litoral”. Lembrou que em 1985, o Balneário de Caiobá tinha o segundo metro quadrado mais caro do Brasil, e Camboriú almejava ser Caiobá. “Só que Santa Catarina atendeu o turismo de forma diferente. Aqui no Paraná nossos governantes acham que o único potencial que existe é agrícola”, lamentou Luders. O presidente da Adetur ainda citou um número espantoso de dois bilhões de reais em ICMS que os paranaenses deixam a cada ano no litoral catarinense. “Precisamos trazer o parana-

Foto oficial de todos os empossados

Vários diretores do SEHA prestigiaram o evento. Da esquerda para à direita, Julio Cesar Hezel, Luiz Fernando Procopiak de Aguiar, Adelardo Telles Neto, Andersen Prado, Henrique Lenz Cesar Filho, Orlando Kubo, Marilisa Bigarella e João Jacob Mehl

Saiba quem é quem no SEHA do litoral Eduardo Maranhão Delegado

Marcos Gamper Vice Delegado

Célio Reis de Souza Conselheiro de Paranaguá

Marcos Peretti Maranhão Conselheiro de Antonina

Nilsa Santos Borges Conselheira de Guaratuba

Mauricio Leite Laffitte Conselheiro de Morretes

Maria de Fátima C. de Aguiar Conselheira de Pontal do Paraná

ense de volta ao nosso litoral”. Na sequência falou o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes. Elogiou os membros que compõe a nova Delegacia. “As pessoas escolhidas são pessoas certas no lugar certo. Não são pessoas que estão começando agora, são pessoas que tem toda uma vida de experiência”, salientou Gimmenes, que acredita que o litoral ganhou uma nova representação de expressão. O discurso mais forte da noite foi feito pelo presidente do SEHA, João Jacob Mehl, que enalteceu a importância da data, especialmente para os associados do Sindicato. “A inauguração da sede em Paranaguá representa a expansão de nossos serviços. Também um crescimento político da hotelaria e da gastronomia no litoral. Entendemos que não se faz turismo em lugar algum no mundo sem uma hotelaria forte”. Jacob Mehl informou a todos que a

Delegacia do Litoral vai oferecer a seus associados os mesmos serviços do SEHA em Curitiba: grade completa de cursos, assessoria jurídica gratuita, acompanhamento de projetos de lei polêmicos, orientação na negociação salarial e repasse de conhecimento profissional e empresarial. “Agora que está cumprida a promessa de abrir essa sede, vamos fortalecer nossos dirigentes. Permitir o surgimento de nossos lideranças, ampliando nossos quadros no associativismo.”, afirmou Jacob Mehl. Segundo o presidente, na parte mais aplaudida de seu discurso, “o Porto de Paranaguá devia ter a mesma representação que Itaipu tem para a fronteira oeste. Ele poderia contribuir e muito com o turismo da região, não podemos aceitar menos de nossa grande empresa portuária”. Jacob Mehl enfatizou ainda a necessidade de se organizar um calendário de eventos onde interajam as festas gastro-

nomias com as culturais. “Temos que fazer nós mesmos, já que em nosso Estado o turismo não é reconhecido como fonte de renda. Repetidas vezes tenho dito aos deputados que eles cumprem seus mandatos oferecendo obras assumidas em campanha. Criam somente despesas para o Estado. Todas essas obras deveriam ser obrigação do executivo. Não há na iniciativa dos deputados nenhuma obra, nenhum projeto que proporcione receita”. Será que eles não enxergam que existem países que vivem só do turismo?”, finalizou o presidente. A nova sede está disponível para visitas de empresários que tenham dúvidas, críticas ou interesse em participar. Todos são muito bem bem-vindos. A Delegacia do SEHA no Litoral fica dentro do Hotel Camboa e o telefone é (41) 8711 4788.


14

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

1º FÓRUM SEHA

Evento tratou de riscos trabalhistas e operacionais Participantes dos setores de alimentação e hospedagem prestigiaram iniciativa

N

o dia 4 de maio o SEHA realizou seu primeiro Fórum com o tema “Proteja seu negócio de riscos trabalhistas e operacionais”. O evento reuniu diversos participantes dos setores de alimentação e hospedagem, que lotaram o auditório do Sindicato para ouvir três palestras sobre o tema. A abertura foi feita pelo presidente João Jacob Mehl, que falou um pouco sobre o cenário econômico dos setores e a importância de estarmos permanentemente atualizados. “Temos que nos ajustar diariamente para que nossas empresas fiquem saudáveis”, comentou. Em seguida, a diretora de marketing do SEHA, Valéria Vicenti, incentivou os participantes a buscarem inovações. “A diferença está na inovação – e as ideias para que ela aconteça estão em todos os lugares. É preciso estar atento, se inspirar e sempre ouvir o nosso público e nossos colaboradores”. Em seguida, foi a vez da JR Consultoria UFPR, representada por Laís Parro Souza e Juliano Augusto Rocha, tratar do “Gerenciamento de pessoas como diferencial competitivo” com uma análise da importância das pessoas dentro da organização. Após apresentarem alguns dados sobre o cenário dos setores de alimentação e hospedagem, os palestrantes falaram da importância de ser criado um ambiente favorável para o desenvolvimento das atividades. Além disso, Lais e Rocha discorreram sobre o quão fundamental é ter muita atenção na hora da contratação, tanto quando tratamos do operacional quanto do financeiro. Quem se apresentou em seguida foi Janaina Alves Pereira, advogada traba-

Presidente João Jacob Mehl foi quem abriu os trabalhos lhista com mais de 10 anos de experiência e coordenadora do setor trabalhista no escritório Andraus Advogados Associados. Em uma palestra que apresentou diversos relatos, a profissional tratou de Compliance Trabalhista, elencando formas de minimizar os riscos trabalhistas em uma empresa. “Quando algo é criado como procedimento ele vira realidade na empresa. É preciso oficializar tudo, os funcionários novos e antigos devem estar cientes do funcionamento do negócio”, indicou a advogada. Ao

longo de sua palestra, ela apresentou a importância da documentação dos processos e das normas, do preparo das pessoas para as situações do dia a dia e da importância de se evitar más condutas. Quem finalizou o 1º Fórum SEHA foi Jeferson de Castro, técnico em segurança do trabalho na empresa Santiago. Em sua palestra, “Saúde e Segurança no Trabalho”, ele tratou de pontos como exames médicos, informalidade e obrigatoriedades. O profissional apontou que a maior parte

dos problemas de saúde são identificados a médio e longo prazo e, por este motivo, reforçou que é fundamental estar atento à legislação e realizar todos os procedimentos necessários. “Muitas vezes, devido à crise, as empresas não conseguem fazer tudo que é necessário em relação à saúde do trabalho. Uma hora, os problemas vão começar a surgir”, afirmou. Ao final do evento foi sorteado um Diagnóstico Empresarial entre os participantes associados ao SEHA.

Dezesseis estabelecimentos participantes em Curitiba 11ª edição do Festival Brasil Sabor acontece até dia 29 de maio

A

11º edição do Festival Brasil Sabor, realizado pela Abrasel, acontece em Curitiba até o dia 29 de maio, com a participação de 16 estabelecimentos. Os menus servidos têm valores fixos de R$ 34,90 e R$ 49,90 no almoço e no jantar, respectivamente. O tema do evento gastronômico nesta edição é “Origem e Originalidade”, e os pratos são exclusivos, criados especificamente para o festival. A novidade neste ano é que o

valor fixo dá direito a dois preparos: prato principal e sobremesa. As receitas darão origem ao livro Segredos dos Chefs 2016, a ser lançado no segundo semestre. O festival apoia o movimento Slow Food, que difunde uma alimentação saudável, cuja produção respeite o meio ambiente. Outras duas cidades do Paraná também recebem o Festival Brasil Sabor, Castro e Palmeira, na região dos Campos Gerais.

O Ramada Plaza Rayon é o único hotel participante do festival, com o prato Stinco de Cordeiro acompanhado de cuscuz marroquino


Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

15

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação

convênios Com empresas MEDICINA DO TRABALHO Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) - PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais PPP (Perfi l Profissiográfi co Profi ssional) Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba. CONSULTORIA ESPECIALIZADA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHACtba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis e gestão da informação. Sem fins econômicos, seu principal objeti vo é formar profissionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473

Com faculdades SPEI 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.spei.br Fone 41 3364-4579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e PósGraduação - direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.opet.com.br cezarroberto@opet.com.br Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo direcionado aos funcionários de empresas associadas e filiadas. Informações: www.facinter.com.br Fone 41 2102-3300 UNICENP 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Consulte nosso banco de empregos

www.SEHA.com.br Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Acompanhamento em ações trabalhistas. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Assessoria jurídica gratuita.

Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Estamos fortemente divulgados através de nosso jornal, site na internet, nas redes sociais e na Rádio CBN. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo fone 41 3323-8900


16

Curitiba, 1ª quinzena de maio de 2016

IN FOR MA TIVO

FECOMÉRCIO PR B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R | 2 0 1 6

Nova era para o Brasil

É possível que o futuro tenha chegado ao país com a troca forçada de presidentes que o processo de impeachment acarretou. Michel Temer fará um governo interino, com prazo para terminar, mas poderá se credenciar a governar até o fim do mandato em 2018, se oferecer confiança, introduzir medidas sólidas para restabelecer o fluxo da economia e contar com apoio no Congresso Nacional. O governo Dilma inviabilizou-se por não gerar nenhum desses três atributos. Sem sustentação parlamentar, sem iniciativa para destravar a atividade econômica e sem a confiança da população, a presidente da República viu seu prestígio escorrer pelo meio dos dedos. Seus últimos dias de poder foram melancólicos, demonstrando sua incapacidade de responder às demandas apresentadas pelos mais diversos segmentos da sociedade. O país está carente de lideranças e necessitado de mudanças. Os próximos meses não representam apenas a chance da vida de Michel Temer. Significam também a oportunidade de toda a população para superar a crise. Que surja uma nova era para o Brasil. 

Darci Piana

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

Vendas no varejo do PR caem 8,68% no 1º trimestre

O varejo paranaense fechou em queda de 8,68% no primeiro trimestre do ano de acordo com a Pesquisa Conjuntural da Fecomércio PR. Entre os doze setores analisados, somente os supermercados obtiveram faturamento positivo no acumulado do ano, com alta de 4,12%. O segmento também mostrou crescimento de 8,64% na comparação com março do ano passado e de 9,82% em relação a fevereiro. Os bons resultados foram motivados pela Páscoa, com a venda de ovos de chocolate e ingredientes para o almoço da celebração. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o comércio apresentou retração de 9,04%. Porém, ante fevereiro, que foi um mês fraco de vendas, houve melhora de 9,31%, principalmente para setores que estão sofrendo há muito tempo com a queda no consumo, tais como as concessionárias de veículos (18,37%), autopeças (13,57%) e lojas de departamentos (9,04%). As lojas de calçados e vestuário e tecidos também tiveram recuperação, com aumento de 11,07% e 10,41%, respectivamente. 

AGENDA FECOMÉRCIO PR

ano 2 | nº 28

Combata o sedentarismo, com o Dia do Desafio

Feira de Profissões realiza 19 mil atendimentos

O Sesc PR está em contagem regressiva para as ações do Dia do Desafio (DDD) 2016. No dia 25, das 0h às 21h, pratique qualquer tipo de atividade física, contribua para combater o sedentarismo, e registre sua participação pelo site www.sescpr.com.br. O Dia do Desafio é realizado anualmente em parceria com as prefeituras, na última quarta-feira do mês de maio. Neste ano, serão 305 municípios participantes somente no Paraná, sob coordenação de 25 unidades do Sesc. As atividades iniciaram no dia 11 de maio, após o café da manhã de lançamento, simultâneo em todas as unidades do Sesc. Com tema Jogos Olímpicos – Rio 2016, a programação de cada unidade, também está disponível no site do Sesc, na página de cada município. A cidade que mobilizar o maior percentual de pessoas em relação ao seu número de habitantes vence o desafio. 

Pelo terceiro ano consecutivo, a Feira de Profissões do Senac Paraná abriu as portas de suas escolas em todo o Estado com programação gratuita voltada para quem está em busca de um emprego ou pretende abrir o próprio negócio. Ao todo, 34 cidades participaram da feira na última quarta-feira (04/05). Juntas, elas registraram 19.679 atendimentos, 48% a mais que em 2015. A feira é o momento em que o público pode conhecer toda a estrutura do Senac, tirar dúvidas sobre as áreas de atuação e sobre os cursos, além de contar com oficinas, palestras e serviços gratuitos que auxiliam na busca por um emprego. Este ano com o tema “Conquiste seu emprego em tempos de crise”, a novidade foi a inclusão das quatro Unidades Móveis do Senac em cidades onde não há unidade físicas, com workshops e oficinas. Além disso, duas oficinas a distância, foram ofertadas pela Unidade de Educação a Distância (UEAD): Como criar um blog com Wordpress e Gastronomia Funcional. Para ressaltar a importância do empreendedorismo, algumas unidades organizaram exposições de “cases de sucesso”, alunos que empreenderam a partir da realização de cursos Senac e viram suas vidas se transformar. 

Jornal seha ed 027  
Advertisement