Page 1

Alceu Vezozzo Filho

“O problema é que o empresário brasileiro participa muito pouco de tudo, é o DNA dele.”

Jornal

Pág. 10 e 11

Curitiba, dezembro de 2015 | Edição 18

Homenagens mais que merecidas

O jantar de fim de ano do SEHA teve como anfitrião o presidente João Jacob Mehl (à esq). Jonel Chede, representado pelo filho Jonel Chede Filho, recebeu diploma de Sócio Honorário e Marco Antônio Fatuch de Sócio Benemérito Página 16

Contribuição Sindical. Imprima sua guia no site do SEHA!

Nesta edição você encontra artigos especiais Alexandre Sampaio, presidente da FBHA Pág 27 Darci Piana, presidente da Fecomércio-PR Pág 24 Douglas Fabricio, secretário do Esporte e Turismo do Paraná Pág 05 Caíque Ferrante, presidente do Instituto Municipal de Turismo Pág. 03


2

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Editorial

Eleições 2016

Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral será em Curitiba Prezados amigos, Nada melhor do que uma edição especial, com o dobro de informações, para fechar um ano desafiador como 2015. Na capa registramos nosso enorme prazer em homenagear duas pessoas especiais, profissionais envolvidos, os hoteleiros Marco Antônio Fatuch e Jonel Chede, que a partir de agora são, respectivamente nossos Sócios Benemérito e Honorário. Título inédito, só concedidos a eles, que fazem parte da história, fizeram acontecer e continuam nos ensinando. São merecedores de nosso respeito e gratidão. Outras notoriedades ligadas ao turismo também contribuíram para essa edição. Entre os vários artigos interessantes publicados, quatro chamam atenção: Alexandre Sampaio, presidente da FBHA fala sobre a legalização dos cassinos. Darci Piana, presidente da Fecomércio-PR, apresenta alguns eventos que acontecem em 2016 que podem significar um ano novo para o turismo paranaense. Douglas Fabricio, secretário estadual do Esporte e Turismo, aborda o Paraná Turístico e o Centenário do Turismo Paranaense e Caíque Ferrante, presidente do Instituto Municipal de Turismo expõe as possibilidades de crescimento de Curitiba com as Olimpíadas. Agradeço a todos pela disponibilidade de escrever ao Jornal do SEHA. Na entrevista da edição um papo interessante com o empresário Alceu Vezozzo Fillho, que com maestria comanda a Rede Bourbon Hotéis & Resorts. Mais que interessante a leitura. Para fechar, um último recado aos empresários, estamos em época de contribuição sindical, que deve ser efetuada até 31 de janeiro. A guia para pagamento bancário está disponível no site do SEHA. Contribuição mais que necessária para que possamos continuar lhe defendendo com esse mesmo empenho e dedicação que você e seu negócio merece. Que 2016 seja um ano de muita saúde para todos e sobretudo, muito produtivo. Contem sempre com o SEHA, estamos de portas abertas. Com meu abraço, João Jacob Mehl

EXPEDIENTE Jornalista Responsável Pierpaolo Nota

Estima-se que 2.300 pessoas devem vir à capital

GESTÃO 2014-2017 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries 

Aguilar Borsato Silva Diretor Carlos Roberto Madalosso Diretor para assuntos de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio  Conselho Fiscal: Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

Capital paranaense será destaque olímpico Caíque apresenta as possibilidades de crescimento de Curitiba com o evento

C

O

Instituto Paranaense de Direito Eleitoral (Iprade) e o Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral (Ibrade) realizam nos dias 6, 7 e 8 de abril de 2016, no Teatro Positivo, Grande Auditório, em Curitiba, o V Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral. O evento, que é o maior e mais renomado do país, trazendo para a capital paranaense os principais nomes da área, será ampliado este ano. Em sua 5ª. edição, o congresso terá mais de 30 horas de palestras e debates,

cinco eventos simultâneos, 40 palestrantes e um público estimado em 2.300 participantes, vindos de todo o país. As alterações nas regras eleitorais para 2016, resoluções do TSE, improbidade administrativa, marketing eleitoral, entre outros, serão alguns dos temas debatidos no evento que contará, ainda, com cursos rápidos sobre temas específicos do direito eleitoral. As inscrições começam no dia 31 de janeiro e podem ser feitas pelo site www. iprade.com.br.

Edição Eliseu Tisato

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3323 8900 www.seha.com.br

opinião de valor

Associados aniversariantes de dezembro 01.12 02.12 02.12 04.12 04.12 05.12 06.12 14.12 15.12 17.12 17.12 23.12 24.12 24.12 29.12

Michele Pinheiro da Silva, do Pastel Center Marcio Cunha Lengler, do Restaurante Nonna Giovanna Josias Ramos, do La Fanny Pizzas Selma Tonatto do Prado, do Bar do Alemão Gerson Rink, do Buffet Nova Curitiba Augusto dos Santos, da Churrascaria Devon’s Denise Sferelli, do Hotel Lizon Curitiba Vanderleia Ongorato Puhl, da Degusti Mohamed Bhay, do Hotel Piratini Álvaro Ferreira, do Motel Le Ton Lincoln Tarquínio, do Hotel Alvear Andreia Pisco, da Churrascaria Fogo Forte Gustavo Andrade, do Taj Bar Janaína Rodrigues, da Churrascaria Dom José Michelle Seleme, do Hotel Flat Petras

uritiba tem sido referência em diversas áreas devido ao seu modelo de gestão atual e também por obras passadas que até hoje rendem à nossa cidade organização e destaques únicos quando falamos de urbanismo. Em 2014 tivemos a oportunidade de mostrar ao mundo, por ser uma das sedes da Copa do Mundo FIFA, que nossa cidade está altamente capacitada a receber o público estrangeiro. E agora, em 2016, ano Olímpico no Brasil, acreditamos que Curitiba também possa ser procurada pela imprensa internacional e por visitantes que buscam conhecer nossa cidade. Não há estimativas numéricas, mas estaremos preparados para contabilizar dados representativos no período de realização do evento. Curitiba é umas das 250 cidades brasileiras que receberá a tocha olímpica ao longo dos 100 dias que o símbolo estará percorrendo o território nacional. A cidade também se prepara para garantir que as Olimpíadas no Brasil deixem um bom legado, assim como foi na Copa do Mundo. Um bom exemplo acontece no Portal do Futuro do Boqueirão onde crianças e adolescentes, com idades entre 11 e 14 anos, estão aprendendo a prática da canoagem. Todas as sextas-feiras à tarde, a piscina do portal é

ocupada por jovens aprendizes que participam do curso gratuito coordenado pela Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), com apoio da Prefeitura de Curitiba. Mesmo sabendo que nem todos os jovens participantes irão se tornar atletas, o objetivo da prefeitura é incentivar a prática esportiva. A Seleção Brasileira de Canoagem treina em Curitiba em preparação para a Olimpíada 2016. Curitiba será também um dos polos de preparação do pentatlo moderno. A seleção brasileira que é liderada por Yane Marques, medalha de bronze em Londres-2012, fez um período de treinamento na cidade neste ano e, inclusive, equipes estrangeiras foram recebidas para treinos no Colégio Militar do Paraná. A estrutura apresentada impressiona por, no mesmo espaço, comportar as cinco disciplinas da modalidade: natação, tiro, corrida, esgrima e hipismo. Anteriormente o local de treinamento da Seleção de Pentatlo era a base da Academia Militar das Agulhas Negras, no Rio de Janeiro. Acreditamos que Curitiba não passará despercebida deste mundial olímpico e como sempre estaremos preparados para receber nossos visitantes com a receptividade genuína que só nossa capital poderia oferecer.

Caíque Ferrante, presidente do Instituto Municipal de Turismo

Fazer o bem só faz bem Quer doar para o Pequeno Cotolengo, com dia e horário de coleta agendado por você? Basta ligar para Marly Berkenbrock, no 41 9680 6565. Ela está esperando sua ligação. Nosso muito obrigado!

3


4

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

5

opinião de valor

COMUNICADO

PRESCRIÇÃO PARA O EMPREGADO COBRAR DEPÓSITOS DO FGTS É DE CINCO ANOS Janaina Alves Pereira

O

Tribunal Superior do Trabalho alterou a Súmula 362 que tratava da prescrição do FGTS, acompanhando a decisão do Plenário do Supremo Tribunal Federal. Com efeito, o entendimento que vigorava até então era de que o empregado tinha o direito de reclamar o não recolhimento da contribuição para o fundo do período referente aos últimos 30 (trinta) anos. Entretanto, agora o entendimento é de que o pleito pelo não pagamento deve observar o período de 5 (cinco) anos e não 30 (trinta) anos, como até então era o entendimento do STF e do TST. Observando que o prazo para cobrar o período anterior de não pagamento de FGTS é o aplicado à prescrição para as ações trabalhistas, qual seja, o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato. Segundo a decisão do Plenário do Supremo Tribunal Federal que fundamentou a reforma da Súmula 362 pelo TST, o FGTS, por estar expressamente definido na Constituição Federal (artigo 7º, inciso III) como direito dos trabalhadores urbanos e rurais, deve se sujeitar à prescrição trabalhista que é de 5 (cinco) anos, e não aquela definida em lei que previa o prazo de 30 (trinta) anos. Assim, o período de 30 (trinta) anos constantes dos artigos 23 da Lei nº 80.36/90 e 55 do Decreto Lei nº 99.684/90, que regulamentam o FGTS, foram declarados inconstitucionais posto que está em descompasso com a literalidade

do texto constitucional e atentam contra a necessidade de certeza e estabilidade nas relações jurídicas, conforme assinalou o Ministro Gilmar Mendes do STF (ARE 70912). O texto da Súmula do TST agora possui a seguinte redação: SÚMULA 362. FGTS. PRESCRIÇÃO I – Para os casos em que a ciência da lesão ocorreu a partir de 13.11.2014, é quinquenal a prescrição do direito de reclamar contra o não-recolhimento de contribuição para o FGTS, observado o prazo de dois anos após o término do contrato; II – Para os casos em que o prazo prescricional já estava em curso em 13.11.2014, aplica-se o prazo prescricional que se consumar primeiro: trinta anos, contados do termo inicial, ou cinco anos, a partir de 13.11.2014. Sendo o que tínhamos para o momento, nos colocamos a disposição para esclarecimentos adicionais aos associados e filiados do Sindicato que poderão entrar em contato com a Área Trabalhista do nosso escritório.

Janaina Alves Pereira – OAB/ PR 36.701 – advogada trabalhista com mais de 10 anos de experiência, com especialização em Direito Material e Processual do Trabalho pela EMATRA/ PR, coordenadora do Setor Trabalhista do escritório Andraus Advogados Associados.

Associados e filiados, Comunicamos que em reunião com a Prefeitura Municipal de Curitiba, o vereador Hélio Wirbinski, a ABIH-PR e o SEHA, para tratarmos do assunto da Coleta de Lixo e do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da cidade, ficou acertado que será concedido um prazo para a apresentação do plano e adequação das empresas do nosso setor de 90 dias, ou seja, até março de 2016.

2016 será o ano do Paraná Turístico e do Centenário do Turismo Paranaense E

Quem tiver dúvidas deve entrar em contato com o Sindicato através do 41 3323 8900.

Douglas Fabricio,quase um ano de gestão

m fevereiro de 2016, completamos o primeiro ano de nossa gestão no comando da Secretaria do Esporte e do Turismo do Paraná. Neste período, promovemos diversas realizações e, no ano que vem, esperamos ampliar ainda mais as atividades das áreas do esporte, do turismo e do Centro de Convenções de Curitiba. Programas como o “Paraná Turístico” e o “Paraná Mais Esporte” entraram na pauta do governo estadual e já geram bons resultados. Com o “Paraná Mais Esporte”, fizemos debates em todas as regiões com objetivo de formatar uma nova política estadual do esporte e repassamos investimentos para os municípios envolvidos. Na área do turismo, a reinstalação do CEPATUR (Conselho Paranaense de Turismo) foi uma grande conquista, que envolve mais de 50 entidades do trade turístico. Todo esse conhecimento é canalizado para dar suporte e apoio na tomada de decisões e na prioridade da organização da atividade econômica do Turismo no Estado. Com a atuação do Conselho, estamos pavimentando o caminho para a criação da Lei de Incentivo ao Turismo e do Fundo de Desenvolvimento Econômico, que serão fundamentais para fortalecer o nosso Paraná Turístico. O “Paraná Turístico”, tendo o apoio do Governador Beto Richa, visa oferecer condições de organização das 14 Regiões Turísticas do Paraná, de modo que seja estimulado o consumo do turismo interno. O principal objetivo é que os paranaenses se sintam motivados a conhecer e curtir os atrativos que temos em todos os cantos do Paraná. O programa contará com o preparo de dirigentes e técnicos das secretarias municipais no serviço de ampliar e mobilizar a indústria do turismo. Desta forma, empresários e empreendedores poderão investir mais em infra-estrutura e no recebimento dos visitantes, com oferta de bons produtos e condições favoráveis ao desenvolvimento de médios e pequenos centros emergentes.

Em 2016, um evento que vai possuir muita importância é o Centenário do Turismo Paranaense, pois simboliza a memória, o reconhecimento e o respeito ao próprio desenvolvimento do setor. Nosso Turismo começou em 1916 graças à determinação de Santos Dumont, que foi à Foz do Iguaçu brigar para que o Parque Nacional do Iguaçu e as Cataratas fossem administradas por brasileiros e não por exploradores estrangeiros. Lá, há cem anos, foi plantada a semente turística em Foz, que hoje destaca o atrativo como uma das Maravilhas do Mundo. Vários outros fatos relevantes fazem parte da história, que nos estimulou a criar uma exposição itinerante, que retrata o passo a passo do crescimento do turismo em Curitiba, na Região Metropolitana, no Litoral, na Ilha do Mel, em Vila Velha, na beira dos rios, nas cidades históricas e na dedicação das etnias que para cá trouxeram sua tradição, cultura, hábitos suas festas interessantes e diversificada gastronomia. Nossa intenção no ano que vem é fortalecer a posição no mercado e criar novos produtos e alternativas. Vamos lançar o Passaporte Paranatur. Vamos dar uma injeção de ânimo nos empresários para que invistam e ampliem seus negócios. Vamos igualmente divulgar o Paraná na busca dos turistas nacionais. E na repercussão deste trabalho, atingiremos também o visitante internacional. Para isso, vamos divulgar os atrativos dos municípios, buscando no Ano Olímpico e no roteiro da tocha, a criação de um programa turístico com forte promoção, divulgação e valorização dos esforços da regionalização do turismo.

“Nosso Turismo começou em 1916 graças à determinação de Santos Dumont, que foi à Foz do Iguaçu brigar para que o Parque Nacional do Iguaçu e as Cataratas fossem administradas por brasileiros e não por exploradores estrangeiros. Lá, há cem anos, foi plantada a semente turística em Foz, que hoje destaca o atrativo como uma das Maravilhas do Mundo.”

Douglas Fabricio, secretário do Esporte e do Turismo do Paraná e Deputado estadual licenciado


6

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Jurídico FBHA Jornada de quatro, seis ou oito horas. Salário mínimo da categoria profissional. Pagamento independente das horas trabalhadas. Impossibilidade. Orientação Jurisprudencial nº 358 da SBDI-I. Princípio da isonomia. É lícito o pagamento de salário proporcional à jornada de trabalho, ainda que inferior ao mínimo legal e/ou convencional, posto que não podem ser remunerados de forma idêntica os trabalhadores que desempenham as mesmas atividades, mas se sujeitam a jornadas distintas. Incidência da Orientação Jurisprudencial nº 358 da SBDI-I e do princípio da isonomia insculpido no art. 5º, caput, da CF. No caso em apreço, a Turma de origem, ao julgar recurso de revista interposto pelo Ministério Público do Trabalho em ação civil pública, entendeu ilícita a adoção de jornada móvel e variável, pois os empregados não sabiam quando seriam ativados, ficando submetidos ao arbítrio da empregadora por 44 horas semanais. Assim, declarou a nulidade de todo o regime de trabalho e determinou à empresa que garantisse o pagamento do salário profissional independentemente do número de horas trabalhadas. Todavia, em virtude de acordo de abrangência nacional firmado nos autos do processo nº

1040-74.2012.5.06.0011, perante a 11ª Vara do Trabalho do Recife/PE, a jornada móvel e variável foi substituída por jornada fixa de quatro, seis ou oito horas, não mais subsistindo o argumento utilizado pela Turma para determinar o pagamento do piso da categoria de forma indistinta. Assim, a SBDI-I, por maioria, conheceu dos embargos por contrariedade à Orientação Jurisprudencial nº 358 da SBDI-I, vencidos os Ministros Aloysio Corrêa da Veiga, Márcio Eurico Vitral Amaro, José Roberto Freire Pimenta, Hugo Carlos Scheuermann e Cláudio Mascarenhas Brandão. No mérito, a Subseção deu provimento ao recurso para excluir da condenação a determinação para que a reclamada garanta “o pagamento do salário mínimo da categoria profissional, de acordo com a Convenção Coletiva do Trabalho, independentemente do número de horas trabalhadas”, julgandose improcedente a presente ação no particular. TST-E-EDRR-989190016.2005.5.09.0004, SBDI-I, rel. Min. Renato de Lacerda Paiva, 26.11.2015

14 regiões turísticas

Paraná é pioneiro na regionalização do turismo Segundo presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, exemplo deveria ser seguido em todo país

Ricardo Rielo Gerente Jurídico Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação FBHA |Fone: (21) 2558-2630

7

Unido forças

Paraná Turismo e Festival de Teatro trabalhando juntos Parceria vai apresentar 14 Regiões Turísticas do Estado para atores e jornalistas Paulo Mossiman

J

acó Gimennes, Diretor Presidente da Paraná Turismo, encontrou no começo da segunda quinzena de dezembro com Leandro Knopfholz, Diretor do Festival de Teatro de Curitiba, para tratar detalhes da parceria entre a entidade com um dos mais famosos e tradicionais eventos culturais do país. Através de cooperação com a Copel (patrocinadora do festival), a Paraná Turismo terá a oportunidade em 2016 (ano do Jubileu de Prata do evento) de promover as 14 Regiões Turísticas do Paraná para milhares de visitantes, atores, jornalistas e formadores de opinião do Brasil e do Exterior que visitam Curitiba para acompanhar os espetáculos teatrais. “Um grande prazer contar com a Paraná Turismo na nossa programação oficial”, disse Knopfholz. Para Jacó Gimennes, “ a parceria será efetiva e vamos unir o Turismo do Paraná com a marca forte do Festival de Teatro, no ano em que o evento celebrará 25 edições de muito sucesso. Será excelente para o nosso Paraná Turístico e para os empreendedores, com certeza”. Logo no início do novo ano, serão divulgados maiores detalhes da parceria que une Turismo e Teatro.

Jacó Gimennes durante visita no escritório do Festival de Teatro de Curitiba, ao lado do empreendedor Leandro Knopfholz

Cristiano Borges, Douglas Fabrício, Deise Bezerra e Jacó Gimenes na abertura da reunião

N Novo ano. Novos cursos. Novo espaço O curso de Barman encerrou as atividades de 2015. Em 2016 toda estrutura para receber os alunos já estará reformada. Além do espaço mais amplo e confortável, também serão implantados novos cursos em diversas áreas. Não fique de fora! Lembrando que associados tem duas vagas gratuitas por curso. Oportunidade concreta para profissionalizar todos os seus colaboradores no ano que entra. Mais informações através do e-mail treinamento@seha.com.br.

o começo do mês, no auditório da ABAV-PR, Curitiba recebeu representantes das 14 Regiões Turísticas do Paraná, dirigentes do Estado do Espírito Santo e Cristiano Araújo Borges, Coordenador Geraldo Departamento de Produtos e Destinos do Ministério do Turismo. Uma programação com temas relevantes como: mapeamento 2016, banco de propostas exitosas, relatos de avanços e agendas 2016, que consolidam o Paraná na liderança no Programa de Regionalização do Turismo. Na oportunidade, o secretário de Esporte e Turismo do Paraná,

Douglas Fabrício, comemorou as conquistas do ano, enaltecendo o trabalho da equipe da Paraná Turismo e das IGR’S – Instâncias de Governanças Regionais. “Estou muito feliz com o trabalho do professor Jacó e de toda a nossa equipe. O nosso turismo cumpre o seu papel com muito êxito. Recordo que quando o governador nos chamou pra formar o grupo de trabalho, exigi o nome do Jacó. O tempo provou que eu estava certo e isso é excelente para todos nós que apoiamos este segmento no Estado”, comentou. O diretor presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, adiantou

as estratégias para o próximo ano com a mudança de foco, centrando os esforços no mercado e nos desafios para se avançar com a regionalização competitiva. “Fizemos um balanço dos avanços que colocam o Paraná como referência da regionalização do turismo no contexto nacional”, frisou Jacó Gimennes. “O Paraná com as suas 14 Regiões Turísticas procura criar um conceito novo de incentivar e valorizar os seus destinos emergentes. Aliás, o que deve ser feito em todo o País, que tem centenas de regiões de enorme potencial”, observou o dirigente da Paraná Turismo.

Seja um associado do SEHA. Ligue 41 3323 8900

Associe-se ao seha e conte com assessoria jurídica gratuita

Conte também com acompanhamento em ações trabalhistas


8

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Feira em fevereiro

lll#

hZ]V #Xdb#Wg

;ZggVbZciV edYZgdhV|hjV Y^hedh^d Cdi†X^Vh

8dck„c^dh

;^fjZ^c[dgbVYd!ZcigZZbcdhhdh^iZeVgViZgVXZhhdVh ^c[dgbVZhYdcdhhdhZidg#

EgZX^hV YZ Xdck„c^d b‚Y^Xd! dYdcida‹\^Xd! bZY^X^cV dXjeVX^dcVa!ZcigZdjigdh4HZ]djkZgVa\jbXdck„c^dfjZ fjZ^gVcdhhj\Zg^g!ÑfjZVkdciVYZ

EgZX^hVYZ[jcX^dc{g^dh4 EjWa^fjZVhhjVhkV\Vh\gVij^iVbZciZZbcdhhdh^iZ!ZhZ i^kZgbdh Zb cdhhd WVcXd YZ YVYdh XVcY^YVidh fjZ egZZcX]VbdhhZjhgZfj^h^idh!dhXjgg†XjadhhZgd ZcXVb^c]VYdheVgVhjVZbegZhV#

6hhZhhdg^V?jg†Y^XV

IZb Yk^YVh4 EgZX^hV YZ ^c[dgbVd4 Hj\ZhiZh4 :cigZcdcdhhdXVcVa;VaZ8dcdhXd!ZbVcYZeVgVc‹hd fjZegZX^hV#

:hi{XdbVa\jbVcdi^ÑXVdigVWVa]^hiV4DjYk^YVhcV {gZV igVWVa]^hiV! XdbZgX^Va! ig^Wji{g^V Z$dj X^k^a4 Edhhj†bdhYjVhVhhZhhdg^VhXdcigViVYVhZheZX^VabZciZ eVgV Vjm^a^Vg cVh hjVh fjZhiZh# HZ ]djkZg jbV gZXaVbVd igVWVa]^hiV! iZg{ d VXdbeVc]VbZcid \gVij^idYZ cdhhdhVYkd\VYdheVgVVhjVYZ[ZhV#:hjVh Yk^YVh _jg†Y^XVh edYZgd hZg iVbW‚b ZhXaVgZX^YVh \gVij^iVbZciZ#

FjVa^ÑfjZhjVZfj^eZ

FjZhiZh6Yb^c^higVi^kVh

DVhhdX^VYdiZbY^gZ^idVYjVhkV\Vh\gVij^iVhedgXjghd cV\gVYZY^hedc^W^a^oVYVZbcdhhdh^iZ!ZVhjV^chXg^d‚ [Z^iVcdeg‹eg^dh^iZ#

FjZhiZhXdbdd:869!K^\^a}cX^VHVc^i{g^V!;^hXVa^oVd 6bW^ZciVa!C;8Z!XdchjaiVVAZ\^haVdZbK^\dgÑXV[{X^a fjVcYd hZ iZb VdcYZ gZXdggZg Z i^gVg ^c[dgbVZh# EZgiZcXZbdhVd8dchZa]dBjc^X^eVaYZJgWVc^hbd!XVhd iZc]VVa\jbVfjZhidVhZggZhdak^YVhdWgZjgWVc^hbd! igV\VVhjVfjZhideVgVc‹h#

8dciVideZgbVcZciZ

DZheVd‚hZj :hi{ kZcYZcYd Va\jb bdW^a^oVYd YZ hjV ZbegZhV YZ ]dheZYV\Zb dj Va^bZciVd4 6cjcX^Z hjV kZcYV! bVcYVcYdVhXVgVXiZg†hi^XVh!egZdZ[didhYddW_ZidV hZg kZcY^Yd Z hZg{ ejWa^XVYd Zb cdhhd 7VcXd YZ CZ\‹X^dh!Va‚bYZZck^VgbdhVigVk‚hYZcdhhdbV^a^c\#

7VhiVVXZhhVglll#hZ]V#Xdb#Wg

>c[dgbVZhAZ\V^h IZc]VVXZhhd|h8dckZcZh8daZi^kVhÑgbVYVh!hZbegZ fjZhZ_VcZXZhh{g^d#

7VhiVa^\VgeVgV/)&(('("-.%%

Maior evento de hospedagem e gastronomia do sul do país BRH Show 2016 aposta em consolidar a condição da capital paranaense como referência na realização de grandes eventos de nível nacional e internacional

O

calendário de eventos de Curitiba passa a contar com a feira hoteleira e gastronômica a partir de 2016. A BRH Show está mais que confirmada para acontecer entre os dias 25 e 27 de fevereiro, no Expotradre em Pinhais, região próxima a Curitiba. A primeira edição da BRH Show – Feira de Equipamentos e Soluções para bares, restaurantes, panificadoras, lavanderias, hospedagem e similares, vai oferecer aos profissionais, tendências, serviços e conceitos para o sucesso no segmento hoteleiro e de serviços de alimentação. Promovido pela Diretriz Feiras e Eventos, a BRH Show contará, também, com um ciclo de palestras, rodadas de negociações, concursos e cozinha experimental durante os três dias do evento. Devidamente sintonizada e com o apoio oficial das principais entidades empresariais dos diversos segmentos, a BRH Show 2016 se instala para dar um novo impulso aos negócios

na região. Um evento apoiado pelas principais entidades setoriais instaladas na região que credibilizam, repercutem e qualificam a feira: SEHA (Sindicato de Hospedagem e Alimentação do Paraná); Instituto Municipal de Turismo de Curitiba; ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hoteis); Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes); Fecomércio (Federação do Comércio do Estado do Paraná); SIPCEP (Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Estado do Paraná); AMOPAR (Associação dos Motéis do Paraná); BWT (operadora de Turismo); FBHA (Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação) e Instituto Panorama do Turismo. Serviço completo BRH Show 2016 Data: 25 a 27 de fevereiro de 2016 Horário: quinta e sexta-feira: 15h às 22h -sábado: 10h às 16h Local: Expotrade Pinhais Site: www.feirabrhshow.com.br

Ramada Plaza Rayon abre suas portas em fevereiro Empreendimento agora faz parte do portfólio da Vert Hoteis

O

profissional Silvio Rossi assumiu recentemente o comando do Ramada Plaza Rayon, ex-Grand Hotel Rayon, que estava com suas portas fechadas. A propriedade entrou recentemente para o portfólio da Vert Hoteis. O que é curioso, é que Rossi volta ao produto dez anos depois de ter saído do Rayon, onde iniciou sua carreira como recepcionista, passando pelo departamento de vendas e como gerente geral nos

últimos três anos. Entre 2005 e 2015 ele atuou como gerente geral do Bourbon Curitiba, outro empreendimento tradicional da cidade, e também como diretor de vendas da região sul para rede paranaense. Para se adequar à marca Ramada, o Rayon está passando por reformas e reabre suas portas em fevereiro. O empreendimento conta com 136 quartos, três suítes, dois pisos de eventos, dois restaurantes e um bar.

Silvio Rossi volta ao mesmo local de trabalho depois de 10 anos

9


10

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

ENTREVISTA Alceu Vezozzo Filho

no mundo, veja o que estou lhe dizendo, o melhor promotor de qualquer destino turístico no mundo chama-se câmbio. Ponto! O câmbio entrou em ação no Brasil. Como disse o Abílio Diniz o Brasil está em liquidação. Pelo preço que hoje você compra as coisas se dolarizar está em liquidação. Natural que essas pessoas, os estrangeiros, que são “preços sensíveis”, venham ao Brasil.

“Maior promotor de um destino é o câmbio”

Faz cerca de seis meses que entrevistei o presidente da Fecomércio Darci Piana, que mostrou números alarmantes, demonstrando que 2016 deve ser muito pior que 2015. Acredita nisso? Vezozzo Não entendo de economia. Mas acho que existe uma grande possibilidade do país ir melhor que 2015. Porque? Câmbio. Balança comercial com superávits expressivos. Ajuste fiscal praticamente todo pronto. Reajuste dos serviços públicos todos feitos. A economia não tem mais pressão inflacionária. Portanto o arcabouço para que aja uma melhor condição está feito, pode não acontecer. Mas que vamos entrar na macroeconomia melhor que entramos em 2015 é inevitável.

Presidente da Rede Bourbon anuncia com exclusividade Rio Hotel By Bourbon, novo empreendimento em Ciudad del Este Por Pierpaolo Nota

“Na Rede Bourbon as pessoas estão no centro das coisas. Isso é, nós temos uma escola interna de formação e de reciclagem para nossos funcionários. Temos investimento importante na total conservação da propriedade. Temos uma cultura de limpeza extrema. Temos uma cultura de que tudo que se vê, tudo que se sente, o hóspede goste. Lógico que não temos 100% de sucesso. Mas o índice de satisfação de nosso cliente é altíssimo. Então eu acredito que é isso, é a nossa cultura que nos tem perpetuado.”

A

lceu Vezozzo Filho, presidente da Rede Bourbon Hotéis & Resorts, atendeu ao Jornal do SEHA sexta-feira, 17h. Apareceu impecável, disposto, como fosse a primeira reunião do dia. Conciso e direto, respondeu todas as perguntas, algumas até com outras perguntas. Não fugiu de nenhum tema e demonstrou clareza nos objetivos da rede que administra e firmeza nas suas decisões. De familiar sua empresa só leva a fama, por ali o profissionalismo chegou e ficou. Informe-se na entrevista abaixo sobre internacionalização, impeachment, Ecad, acessibilidade, crise, câmbio, categorização por estrelas e pasmem, até futebol. Quando o assunto é Rede Bourbon são mais de 50 anos de experiência. Com que idade exatamente sua vida se entrelaçou com a hotelaria? Alceu Vezozzo Filho Eu nasci em 1959. Tenho 56 anos. A Bourbon nasceu em 1963, em Londrina. É a cadeia hoteleira mais antiga em operação no Brasil. Brasileira é a que tem mais anos de estrada, um fato interessante, que poucos conhecem. Em um país onde as cadeias hoteleiras estrangeiras tem uma exposição tão forte. Mas enfim, eu nasci, meu pai é engenheiro civil, com construtora no norte do Paraná, meu avô carpinteiro. Criou e formou os filhos. Como carpinteiro ele chegou a ter uma estrutura com serrarias, olarias, pedreiras, estação de areia. Meu pai se formou em 52, na Universidade de Mackenzie, onde eu me formei 30 anos depois, também em engenharia civil, e voltou para Cambará onde eles moravam. Que é a sua cidade natal, onde meu bisavô foi um dos fundadores, inclusive tem nome de rua lá. Ele entrou na área da construção civil em todo norte do Paraná, chegando a Londrina. Quando, no início dos anos 60, resolveu construir um

prédio comercial em Londrina próximo da catedral da cidade. Essa é uma obra que começou em 61, quando estava quase pronta, no ano de 62 houve uma geada das mais fortes da cafeicultura do Brasil – a geada negra, e dizimou os cafezais da cidade e de toda região, trazendo uma dificuldade econômica terrível. Eu tinha quatro anos e por conta do momento e de necessidade decidiu-se transformar todo o prédio comercial em hotel, onde toda família trabalhava, minha vó e minha tia governanta, meu pai na recepção, meu avô na manutenção. Passei desde pequeno a conviver nesse ambiente, onde cresci. Era onde eu ia nos finais de semana, encontrava as pessoas, era o assunto que eu escutava em casa, embora o papai continuasse na área da construção civil, onde ele realmente tinha uma facilidade, um sucesso grande. Foi natural então? Vezozzo Com três ou quatro anos comecei a frequentar esse ambiente e nunca mais parei. As coisas foram andando, até o meu “debut” nessa atividade. São 14 unidades localizadas no Brasil, Argentina e Paraguai. Tem alguma que é seu xodó? Que gosta mais? Vezozzo Você tem filhos? Três. Vezozzo De qual gosta mais? Tá respondido? Mudando de foco, a internacionalização do Bourbon se deu por planejamento ou oportunidade? Vezozzo Foram oportunidades que foram surgindo e eu entendi que eram oportunidades interessantes. E realmente foram. Foi um aprendizado enorme. Uma empresa nacional se internacionalizar, eu vou lhe dizer, é uma experiência que só quem passa pode falar. É algo desafiador, é algo que você não enxerga totalmente, é uma aventura, no

bom sentido. E eu nunca tive medo de ousar, com o pé no chão é óbvio. Não vou fazer loucura. Acabou dando certo. Já estamos partindo para a terceira operação fora do Brasil. Onde vai ser? Vezozzo Em Ciudad del Este (Paraguai). Abrimos o ano que vem, em uma propriedade interessantíssima com uma marca nova, chama-se Rio Hotel By Bourbon. Muito interessante! E temos outras já em prospecção, em andamento. É para acabar com aquele mito que empresa familiar não dá certo? Vezozzo A companhia tem uma estrutura toda profissionalizada, temos um grupo de executivos todos profissionais. É uma empresa familiar totalmente profissionalizada. Qual o segredo da Rede Bourbon para operar hoteis de diversas categorias sempre com sucesso? Vezozzo A sua cultura. Ela é muito forte, calcada em alguns princípios da sua operação que nós fazemos valer fortemente, independente da categoria da propriedade. Porque hoje o Bourbon opera propriedade “convention”, “resorts”, “econômicos”, “residences”, entre outros, e em todos as pessoas estão no centro das coisas. Isso é, nós temos uma escola interna de formação e de reciclagem para nossos funcionários. Temos investimento importante na total conservação da propriedade. Temos uma cultura de limpeza extrema. Temos uma cultura de que tudo que se vê, tudo que se sente, o hospede goste. Lógico que não temos 100% de sucesso. Mas o índice de satisfação de nosso cliente é altíssimo. Então eu acredito que é isso, é a nossa cultura que nos tem perpetuado. Com sua experiência na internacionalização, o senhor acha

11

que outros governos atrapalham menos que o nosso? Vezozzo Menos! Vou lhe dizer, na Argentina é mais fácil trabalhar que no Brasil. Por incrível que pareça. Um país anacrônico. A minha experiência, lógico tem coisas complicadas, mas em termos de facilidade para você operar um negócio hoteleiro é maior que aqui. E o Paraguai nem se fale.

A ABIH-PR e o Sebrae paranaense sinalizaram recentemente trabalhar em 2016 para voltar com a classificação das estrelas nos hoteis paranaenses. Qual sua avaliação? Vezozzo É interessante. A tal da estrela pegou no consumidor. É uma referência. É quatro estrelas! É três estrelas! Que acabou faz tempo. Mas muita gente até hoje continua usando. Eu não tenho nada contra. Se for essa a tendência eu estarei aqui pronto.

O senhor acha que a visão do turismo deles é diferente? Vezozzo O sistema de leis. Exemplo. Na Argentina você pode contratar um avulso. Você pode ter mão de obra terceirizada na atividade fim. Que é o grande segredo da indústria hoteleira mais avançada do mundo que é o Estados Unidos. Aqui não pode. Aqui tem uma estrutura que dificulta muita o empresário, mas é um país de 200 milhões de habitantes, esse é o grande motor do Brasil.

Tem muitos empresários que não entendem o trabalho do sindicato. Qual seu recado para eles? Vezozzo Que acompanhem mais, que se interessem mais. O problema é que o empresário brasileiro participa muito pouco de tudo, é o DNA dele. O empresariado brasileiro não é participativo. São muitas vezes pessoas de um grande sucesso, de uma capacidade de trabalho incrível, mas não saem desse mundo. Então desconhecem como as atividades de classe atuam, como podem lhe ajudar. Tem que aprender a usá-las no bom sentido para sua atividade.

Realmente temos algumas dificuldades. As vezes até parece que político atrapalha ao invés de ajudar. Uma delas é a questão do Ecad, que enxerga ainda o hotel como um local de frequência coletiva, mesmo depois da Lei do Turismo já ter alterado isso. A Lei da Acessibilidade também está causando muita polêmica. Vezozzo Do Ecad é um absurdo. Da acessibilidade um descalabro. Não existe no mundo, isso vai custar para a hotelaria brasileira um bilhão de reais. A lei entra em vigor dia primeiro de janeiro... Vezozzo Não existe no mundo isso. O político atrapalha sim, muito.

Para descontrair, é seu sonho ser presidente do Coritiba? Vezozzo Não, de jeito nenhum.

A crise no Brasil além de econômica é fundamentalmente de confiança. Se a Dilma sair melhora? Vezozzo Eu acho que sim. Ela está tendo muita dificuldade de governabilidade. Porque é tudo uma circunstância. É ela? Não! É um todo. Na minha visão. Esse

Só torcer então? Vezozzo Eu torço. Sou conselheiro nato, tive a honra de ser agradeciado como conselheiro nato do time. Procuro ajudar no sucesso do clube, dos diretores ao presidente. Enfím, mas ser presidente não, não tenho essa pretensão.

todo não indo bem vem pro país. E o país está em dificuldade. O que a gente lamenta muito, porque é um país promissor, que tem um potencial enorme, mas que vive fadado a um siste-

ma que drena esse sucesso, aja vista as corrupções, os incríveis volumes levantados, drenados pela corrupção, que poderiam ser usados em benefício do país e do povo.

Em meio à crise o dólar estourou. Bom para o turismo interno. Deu um fôlego para a classe hoteleira? Vezozzo Muito! Porque o maior promotor de um destino turístico

“Não entendo de economia. Mas acho que existe uma grande possibilidade do país ir melhor que 2015. Por quê? Câmbio. Balança comercial com superávits expressivos. Ajuste fiscal praticamente todo pronto. Reajuste dos serviços públicos todos feitos. A economia não tem mais pressão inflacionária. Portanto o arcabouço para que aja uma melhor condição está feito, pode não acontecer.”


12

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

13

fique ligado!

Faça crescer os seus direitos, a sua defesa! Contribuição Sindical, faça a sua até 31 de janeiro de 2016 Retire sua guia no site www.seha.com.br

Tabela de Cálculo da Contribuição Sindical de 2016 Prevista na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a contribuição sindical do comércio é recolhida, compulsoriamente, pelos empregadores, nos meses de janeiro, e por autônomos, nos meses de fevereiro.

VALOR BASE: R$ 321,43 LINHA 01

de 0,01 a 24.107,25

PARCELA A ADICIONAR (R$) Contr. Mínima 192,86

Importância da contribuição sindical

02

de 24.107,26 a 48.214,50

0,8%

-

É o pagamento dessa taxa que sela o compromisso entre as empresas do comércio e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Enquanto os empresários fortalecem a organização sindical, a entidade garante diversos benefícios e serviços às suas categorias.

03

de 48.214,51 a 482.145,00

0,2%

289,29

04

de 482.145,01 a 48.214.500,00

0,1%

771,43

05

de 48.214.500,01 a 257.144.000,00

0,02%

39.343,03

06

de 257.144.000,01 em diante

Contr. Máxima 90.771,83

Divisão da arrecadação O Ministério do Trabalho é o órgão responsável por expedir as instruções referentes a recolhimento e distribuição do que é arrecadado pelos setores. No caso do comércio, parte do montante arrecadado é dividido entre as entidades que compõem o sistema confederativo. A partilha fica assim: · 5% para a CNC; · 15% para as federações estaduais ou nacionais da categoria; · 60% para os sindicatos arrecadadores; · 20% para a Conta Especial Emprego e Salário, vinculada ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do Ministério do Trabalho. Tabelas para cálculo da Contribuição Sindical vigentes a partir de 01 de janeiro de 2016. TABELA I Para os agentes do comércio ou trabalhadores autônomos, não organizados em empresa (item II do art. 580 da CLT, alterado pela Lei 7.047 de 01 de dezembro de 1982), considerando os centavos, na forma do Decreto-lei nº 2.284/86. 30% de R$ 321,43 Contribuição devida = R$ 96,43 TABELA II Para os empregadores e agentes do comércio organizados em firmas ou empresas e para as entidades ou instituições com capital arbitrado (item III alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982 e §§ 3º, 4º e 5º do art. 580 da CLT).

SEHA no rádio Escute toda terça e quinta-feira na CBN Curitiba, 9h15 da manhã, o “Minuto SEHA”, com espaço para nossos associados.

CLASSE DE CAPITAL SOCIAL (em R$)

ALÍQUOTA %

NOTAS: 1) As firmas ou empresas e as entidades ou instituições cujo capital social seja igual ou inferior a R$ 24.107,25, estão obrigadas ao recolhimento da Contribuição Sindical mínima de R$ 192,86, de acordo com o disposto no § 3º do art. 580 da CLT (alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982); 2) As firmas ou empresas com capital social superior a R$ 257.144.000,00, recolherão a Contribuição Sindical máxima de R$ 90.771,83, na forma do disposto no § 3º do art. 580 da CLT (alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982); 3) Base de cálculo conforme art. 21 da Lei nº 8.178, de 01 de março de 1991 e atualizada de acordo com o art. 2º da Lei nº 8.383, de 30 de dezembro de 1991, observada a Resolução CNC/SICOMÉRCIO Nº 030/2015; 4) Data de recolhimento: a. - Empregadores: 31.JAN.2016; b. - Autônomos: 29.FEV.2016; c. - Para os que venham a estabelecer-se após os meses acima, a Contribuição Sindical será recolhida na ocasião em que requeiram às repartições o registro ou a licença para o exercício da respectiva atividade; 5) O recolhimento efetuado fora do prazo será acrescido das cominações previstas no art. 600 da CLT.

Sindicato de Hotéis Restaurantes Bares e Similares de Curitiba SEHA-CURITIBA EDITAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DE 2016 PATRONAL Na conformidade dos artigos 578 a 610 da CLT, o recolhimento da Contribuição Sindical deverá ser efetuado até dia 31 do mês de janeiro de 2016, sob pena da empresa se sujeitar às penalidades de acréscimos previstas no art. 600 da CLT: multa de10% (dez por cento) nos 30 (trinta) primeiros dias com o adicional de 2% (dois por cento) por mês subsequente de atraso, juros de 1%(um por cento) ao mês e correção monetária. Na falta de pagamento é cabível ação de execução, segundo o art. 605 da CLT e fiscalização pela Delegacia Regional do Trabalho. Desta forma as empresas enquadradas nas categorias de Meios de Hospedagem, Alimentação, Entretenimento e Similares das cidades de Curitiba e Região Metropolitana, Litoral Paranaense, Paranaguá e Pontal do Paraná, ficam NOTIFICADAS a proceder o recolhimento da CONTRIUIÇÃO SINDICAL PATRONAL exercício 2016, até o dia 31 de janeiro de 2016 a favor do Sindicato de Hotéis Restaurantes, Bares e Similares de Curitiba, em guia propria fornecida pelo próprio Sindicato. As comprovações de recolhimento da Contribuição Sindical, da empresa e da descontada dos empregados, são documentos de apresentação obrigatória para a concessão pelos órgãos competentes, de registros ou licenças de funcionaríos ou renovação, e de alvarás de localização, bem como para a participação de licitações públicas, fornecimentos e contratos com órgãos púbicos, conforme os artigos 607 e 608 da CLT. As Guias de Recolhimento que não chegarem pelo correio poderão ser retiradas pelos interessados na sede do Sindicato no endereço: Al. Júlia da Costa, 64 – Alto São Francisco-Curitiba-Pr, ou solicitadas pelo fone 3323-8900, onde serão também fornecidas todas as informações. Os contadores com escritórios de contabilidade poderão cadastrar novas empresas, emitir novas guias e 2ª vias pelo site www.seha.com.br. O valor da guia deverá ser calculado pela tabela elaborada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC)-2016. As empresas que se registrarem ao decorrer do ano ou aumentarem o capital social farão o recolhimento da Contribuição no mês correpondente. Curitiba, 30 de novembro de 2015. JOÃO JACOB MEHL Presidente


14

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Convênios MEDICINA DO TRABALHO Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) - PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPP (Perfi l Profi ssiográfi co Profi ssional) - Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba. MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL Eletro Schultz - 41 3267-1916Rebobinagem de motores, rebobinagem de bombas e transformadores, automação industrial. Associados SEHA-Ctba tem desconto especial de 15% sobre o serviço prestado. FONOAUDIOLOGIA PARTICULAR Káti a Simone da Rosa Bianchi Consulta clínica na área de fonoaudiologia. Serviços de informações e orientações preventi vas como palestras, minicursos e/ou grupos de apoio para empresas. CRFa 5514/ SC - 40% de desconto no valor da consulta para associados SEHA-Ctba. Contato 41 8823-8675 / 41 3233-3192 e 41 3026-4924

CONSULTORIA ESPECIALIZADA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHA-Ctba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis e gestão da informação. Sem fins econômicos, seu principal objeti vo é formar profissionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473 PSICOLOGIA CLÍNICA Espaço A - Psicologia e Psicanálise Gabriel Salata Kuss e Ana Suy Sesarino. Obedecem uma tabela especial com descontos especiais para associados SEHA-Ctba. Rua Maurício Caillet, n° 33 - Água Verde. Mais informações no www. consultorio. psc.br ou atráves do e-mail - consultorio@consultorio.psc. br - Telefones 41 9115- 3840 e 41 8431-1916

CONVÊNIOS COM FACULDADES SPEI 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.spei.br - Fone 41 33644579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e Pós Graduação direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.opet.com.br - cezarroberto@ opet.com.br - Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.facinter.com.br - Fone 41 2102-3300 UNICENP 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Consulte nosso Banco de Empregos no www.seha.com.br

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Assessoria jurídica gratuita. Acompanhamento em ações trabalhistas. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade. Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Estamos fortemente divulgados através de nosso jornal, site na internet, nas redes sociais e na Rádio CBN.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo 41 3323 8900

15

Mobilidade

É preciso mais acessibilidade para projetos turísticos

IBGE: Mais de 23% dos brasileiros declararam ter algum tipo de deficiência em 2010

P

rojetos turísticos lucram mais se forem pensados para também atender aos cidadãos com deficiência ou mobilidade reduzida. A afirmação foi feita dia 16 desse mês pelo coordenador-geral de acessibilidade da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Rodrigo Machado, em audiência pública da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados. Segundo Machado, em 2010, mais de 23% dos brasileiros declararam ter algum tipo deficiência no mundo, informou ele, o número chega a um bilhão de pessoas. “Outro motivo para que se projete pensando em acessibilidade é em virtude dos idosos e dos obesos, que também sofre com problemas de mobilidade”, acrescentou. A agente de turismo Maria de Fatima Estephan trabalha há oito anos nesse ramo e ressaltou que a adaptação da infraestrutura para atender esse público representa uma oportunidade para os empresários. “É preciso lembrar que, normalmente, pessoas com

dificuldade de locomoção não viajam sozinhas. Trata-se de um grande mercado a ser explorado”, frisou. Conforme Maria de Fatima, o transporte é o principal problema enfrentado por turistas com deficiência. “Às vezes, o indivíduo chega ao aeroporto e não tem sequer como ir ao hotel. Tenho um parceiro em São Paulo que, após adaptar a frota dele, triplicou o faturamento em um ano”, relatou. O presidente da Comissão de Turismo, deputado Alex Manente (PPS-SP), destacou a necessidade de políticas públicas para o setor. “Apesar de avanços recentes, o poder público ainda fica muito aquém do que é preciso para fazer acessibilidade.” O Ministério do Turismo lançou, no ano passado, um guia colaborativo por meio do qual é possível avaliar, consultar e sugerir a acessibilidade de pontos turísticos, hotéis, restaurantes e outras atrações. A iniciativa também está disponível em formato de aplicativo para smartphones.

Alex Ferreira / Câmara dos Deputados

Alex Manente defendeu políticas públicas que melhorem o acesso do público com dificuldades de locomoção a atrações turísticas

Dicas para Chefs Açafrão-da-Terra ou Cúrcuma é uma raiz aromática de sabor ligeiramente amargo, ideal para dar uma tonalidade amarela em diversos pratos. Muito utilizada em pratos da cozinha baiana, indiana e asiática.

Para tirar cheiro do alho nas mãos esfregue nos dedos um limão cortado ao meio. O leite também ajuda a neutralizar o odor.

Para tirar a ferrugem de uma frigideira despeje uma chávena de sal para a frigideira, deixe cozinhar a 175º C durante uma hora e depois esfregue com um esfregão seco. O queijo não endurece se você passar manteiga ou margarina na parte cortada.


16

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

17

reconhecimento

Eles são motivo de orgulho Marco Antonio Fatuch e Jonel Chede inauguraram a galeria de sócios Benemérito e Honorário

Alexandre Sampaio, João Jacob Mehl, Marco Antonio Fatuch e José Darcílio Cortez Junqueira Reis

Adonai Aires Arruda Filho, Ardisson Akel e Adonai Aires Arruda

Edson Gradia e Jonel Chede Filho

João Jacob Mehl e Carlos Jung

Homenageado Marco Antonio Fatuch ladeado pelo presidente do SEHA, João Jacob Mehl e pelo presidente da FBHA, Alexandre Sampaio

O presidente da Associação Comercial do Paraná, Antonio Espolador Neto, entregando a homenagem aos representantes do homenageado, João Chede Neto e Jonel Chede Neto

H

omenagem boa é homenagem em vida. Ainda mais quando é sincera. E foi nesse espírito que o SEHA homenageou em seu jantar de final de ano os hoteleiros Marco Antônio Fatuch e Jonel Chede, ambos com títulos exclusivos, até então nunca entregues a nenhuma personalidade. Em meio a muitos aplausos, Fatuch se tornou os novo Sócio Benemérito e Chede o mais novo Sócio Honorário. O primeiro a falar foi o anfitrião, presidente do SEHA, o empresário João Jacob Mehl, que em seu discurso afirmou que “momentos como esse nos remetem a ficar orgulhosos com os homens que contribuíram decisivamente para a união e o progresso do segmento que mais emprega no Brasil”, fazendo referência aos dois homenageados. Segundo ele, Jonel Chede e Marco Antonio Fatuch comandaram as duas principais entidades do turismo em Curitiba, a ABIH-PR e o Sindotel, hoje SEHA. “Eles abriram novas frentes de trabalho, suas lideranças foram importantíssimas no Curitiba Convention & Visitors Bureau, no Centro de Convenções de Curitiba, no Clube Curitibano, na Associação Comercial do Paraná, no Movimento Pró-Paraná e no Centro Vivo. Eles fizeram história”, destacou Jacob Mehl. Jonel Chede não compareceu ao evento por motivos particulares e foi representado pelos seus filho Jonel Chede Filho e João Chede Neto, que receberam a placa das mãos do presi-

Sidney Catenacci, Henrique Lenz Cesar Filho e Jaime Canet Neto

Caique Ferrante, Zelir Tadeu Massuchin e Antonio Miguel Espolador Neto

Orlando Kubo, Marcelo Pereira e Adonai Aires Arruda

Cerca de 300 pessoas compareceram ao Buffet Nuvem de Coco dente da Associação Comercial do Paraná, Antonio Espolador Neto. Já Marco Antonio Fatuch recebeu a bela placa das mãos do presidente do SEHA, João Jacob Mehl e do presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA),

Alexandre Sampaio. O evento aconteceu no Buffet Nuvem de Coco e teve presença de cerca de 300 pessoas. Entre eles, além dos já citados, Jacó Gimennes, presidente da Paraná Turismo; Caíque de Ferrante, presidente do Instituto Munici-

pal de Turismo; Roberto Bacovis, presidente da ABAV-PR; Antonio Claret de Rezende, presidente da Abrajet-PR; Jilcy Mara Rink, presidente da Abrasel-PR; Cibele Carvalho, presidente da Abeoc-PR; Luci Jacomel Kowalzuk, presidente da ABGTUR-PR;

Orlando Kubo, presidente da ABIH-PR; Nelson Pires Moraes Jr., presidente do Sindetur-PR; Rosa Maria Corbari Maccali, diretora da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio-PR e Aldo Cesar Carvalho, diretor de Turismo do Sebrae-PR.

Renato Barroso e Sabino Picolo

Julio Zaruck, Roberto Bacovis e Jean Feder

Felipe Braga Cortes e Marco Antonio Fatuch


18

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Cultura e aprendizado

Oitenta atrações na Oficina de Música de Curitiba Programação artística acontece paralelamente aos 112 cursos

A

34ª Oficina de Música de Curitiba abre 2016 com 80 eventos, entre concertos, palestras, lançamentos de livros, workshops e exibição de filmes. Em 20 dias, o público terá opções de espetáculos de música erudita e popular, ocupando espaços como Teatro Guaíra, Teatro do Paiol, Capela Santa Maria, Teatro da Reitoria da UFPR e Sesc Paço da Liberdade. A programação completa da Oficina de Música está no site www.oficinademusica.org.br Uma das novidades deste ano são as aulas inaugurais em cada uma das fases. No dia 7 de janeiro às 10h30 acontece a mesa “Novos desafios e paradigmas na Gestão de Instituições Musicais no Brasil”, com participação de gestores como Paulo Zuben da EMESP e da pesquisadora Claudia Toni. A mediação deste encontro será de Nelson Kunze, editor da Revista Concerto. Já na fase MPB no dia 17 às 14h30, sob o tema

“Os Caminhos do Financiamento à Música no Brasil”, representantes do Ministério da Cultura, Funarte e do Conselho Nacional de Políticas Culturais apresentam suas ideias. Outras mesas acontecem com os temas da história da música em Curitiba e a sobre formação na área musical no Paraná. Estão previstos também uma série de encontros no projeto Diálogos Sonoros, em parceria com o SESC – Paço da Liberdade e uma programação especial de filmes na Cinemateca de Curitiba. A programação artística acontece paralelamente aos 112 cursos, que atraem estudantes e professores de música de todo o Brasil e de mais 12 países. O concerto e a cerimônia de abertura serão realizados no dia 7 de janeiro, às 20h30, com a Camerata Antiqua de Curitiba, no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão).

Todos os cursos com aulas teóricas e práticas

Certificação, material e apostila.

Cafés filtrados Formar baristas capacitados na nova tendência de mercado que são os cafés filtrados por métodos tradicionais ou não convencionais.

Sobremesas Clássicas Técnicas básicas de confeitaria, assim como confeitar, montar sobremesas, verrines, decoração.

Caso tenha fotos antigas do Sindicato encaminhe para nosso acervo, teremos o maior prazer em catalogá-las e publicá-las. Mais informações 41 3323 8900

Sopas Caldo base para sopas, sopas diversas, torradas aromatizadas e palitos de queijo.

Curso de Biscoitos e Bolachas Técnicas de confeitaria para bolachas, decorações e armazenamento.

Formação de Preços e Gestão Financeira em Alimentos e Bebidas Estrutura financeira da empresa rotatividade e controle de estoques, curva ABC, Identificação da necessidade de compras CVM, CMO, IPI , prime Cost Sistemas de controle operacional: Fator de correção margem de contribuição, Gasto, custo e despesa formação de preços nos cardápios e menus tributação ponto de equilíbrio rentabilidade e Lucratividade fluxo de caixa, nivel de Endividamento. Camareira Capacitar os participantes a desenvolver as competências necessárias para realizar todo o processo de arrumação, limpeza e higienização do apartamento hoteleiro; ter conhecimento dos produtos e técnicas de trabalho e dos conceitos e princípios de atendimento ao cliente.

Ramiro Pereira, José Maria Abujamra, Nilton Migliozi, Henrique Lenz Cesar Filho e João Jacob Mehl

rtura, onde rasqueira na cobe Concorrida chur do SEHA salão de festas atualmente é o

Programe para seus colaboradores participação nos cursos em 2016. Não perca a oportunidade de profissionalizar seu time.

Panificação Módulo I Noções básicas de padaria, técnicas de fermentação, produção e modelagem de pães.

Túnel do tempo do Sindicato O ex-presidente Francisco Lourenço Johnscher, que presidiu o Sindicato de 30.09.49 à 1957

Cursos oferecidos pelo SEHA

Confeitaria Básica módulo I Técnicas básicas de confeitaria, montagem e decoração de bolos.

Cursos atraem estudantes e professores de música de todo o Brasil e de mais 12 países

Carlos Madalosso e Pedro Américo Almeida

19

Governança A governança é o departamento que se ocupa basicamente com a arrumação dos apartamentos, com a lavanderia/rouparia e com a limpeza geral; a governanta tem papel imprescindível no andamento do hotel, sendo assim, ela deve ser uma pessoa que possua um excelente nível de conhecimento e habilidades para poder dirigir com competência este importante setor.

Associados SEHA tem direito a 2 vagas gratuitas por curso. Recepção & Reservas Capacitar os participantes a desempenhar as funções relativas ao setor de hospedagem que é o primeiro contato do hóspede com o hotel.

Planejamento de cardápios Um cardápio não é apenas uma lista com os pratos que a casa produz, pois isto seria apenas uma “carta de comidas”, mas um instrumento para auxiliar o cliente na montagem de sua refeição, visando também o aumento das vendas do restaurante. Para planejar o cardápio, precisa-se saber combinar os aspectos visuais, de paladar e de aromas dos pratos, além de fazer combinações interessantes entre alimentos e bebidas, o que muitos encaram como alquimia, ou mesmo, arte. Os pratos que formam um cardápio devem ser equilibrados, variados e adequados a cada tipo de serviço com a precaução quanto a equipamentos, utensílios ou treinamentos especiais para sua confecção e serviço. Segurança e Higiene Alimentar Adequado a RDC 216/04, o curso visa treinar em segurança e qualidade dos alimentos; identificar os procedimentos básicos da qualidade e segurança; conscientizar sobre a higiene pessoal e alimentar no controle da contaminação de alimentos, visando implementar o manual de boas práticas. Garçom Atribuições do garçom, requisitos comportamentais do garçom, arrumação das mesas (mise-en-place completo), atendimento ao cliente, etiqueta à mesa, técnicas de venda em restaurante, promoção de vendas, relacionamento com o cliente, higiene e segurança alimentar, técnicas dos diversos serviços, tecnologias de bar, enologia: princípios básicos e serviços, atender reclamações do cliente, relacionamento entre produção e serviço, terminologia técnica utilizada. Barman I e II Este curso tem como objetivo fornecer aos participantes conhecimentos sobre características de confecção, apresentação, manipulação de bebidas, postura profissional, grupos, categorias e modalidades das bebidas para que possam atender aos clientes de acordo com os padrões da IBA (International Bartender Association). Gerenciamento de bares e restaurantes Técnicas de gerenciamento do fluxo de mercadorias: Procedimentos de compras, recebimento e estocagem,giro de estoque. Tecnologia operacionais de cozinha: Tecnologia gerenciais e operacionais de restaurantes: Técnicas e modalidades de serviço, técnicas de vendas de alimentos e bebidas; Promoção interna nos restaurantes, Gerência de pessoal de restaurante...

m ser Inscrições pode .seha.com.br feitas no www ara Dúvidas ligue p mal 2) 3323-8900 (Ra


20

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

Opinião de quem sabe o que diz Várias opiniões apresentadas em diversos bate-papos ao longo do ano, sempre com líderes do trade turístico, ligados aos setores de hospedagem e alimentação

João Jacob Mehl

Existem estandes da Embratur em todas as feiras internacionais. O Paraná nunca utilizou esse espaço, porque não temos verbas para mandar um representante, para mandar panfletos, para mandar folders para os turistas.”

Jonel chede

“Falta altruísmo, porque passamos uma procuração para nossas bancadas para exercerem o nosso anseio e eles só olham para os anseios deles. Eles não levantam a cabeça, olham para baixo. Eu disse na Assembleia. Isso nos atrapalha. Sofremos muito já e continuamos sofrendo com a falta de vontade política e falta de competência.”

Aldo Cesar Carvalho

“Infelizmente a visão que se remete a atividade turística é aquela coisa que se faz quanto se tem muita grana, mais para os bacanas. Mas se olharmos com outra lupa sobre a economia, é um dinheiro ganho em outro local e gasto no destino final. Portanto uma forma até de exportação. É um dinheiro limpo que entra na economia local. Esse dinheiro pode perfeitamente alavancar as necessidade básicas que a sociedade tanto anseia, como educação, saúde, saneamento, educação, entre outras.”

Ernesto Villela Neto

“Nosso turismo é muito mal trabalhado. Fechou nosso maior centro de convenções, que era o Estação. Por isso os grandes eventos não estão vindo para Curitiba. Fazíamos ali jantar para 2.000 pessoas em um padrão maravilhoso.”

Zelir Tadeu Massuchin “Todos os empresários do setor sabem que é impossível em Curitiba não ter um centro de convenções à altura da capital. Temos que ter um local adequado para chamarmos, captarmos muito mais eventos do que acontece hoje. Seria um bem para toda a população, não só nós, restaurantes, táxis, lojistas, shoppings, todos seriam beneficiados, todo o comércio.”

Henrique Lenz CÉsar Filho

Não temos centro de convenções, não temos um aeroporto que possa receber aviões de grande porte, não temos porto para receber navios de passageiros, nossas placas de sinalizações são péssimas, nossa estrutura de informação turística é horrível. Curitiba só cresceu na época do Jaime Lerner, de lá para cá não se fez mais nada.”

DOUGLAS FABRÍCIO

Jacó Gimennes Nós precisamos implantar no Estado uma outra forma de ver o turismo no Paraná. Que denominamos de Paraná Turístico. Vender o Paraná para os paranaenses. São 261 municípios que aderiram ao programa de regionalização do Paraná.”

Esse setor... (gastronomia), todo mundo precisa se alimentar. É um setor que vai ser cada vez mais forte. Depende naturalmente da criatividade, e pra isso temos aqui no Paraná bons empresários nesse tema. Já na área hoteleira não é diferente. É um momento de acreditar e de investir. A crise passa rápido, eu não tenho dúvida disso. Já tivemos outras crises piores”.

Reginaldo Cordeiro

Temos oito entidades participando do Conselho, que ano a ano se revezam entre quatro e quatro entidades. Essa mescla possibilita aos profissionais de órgãos públicos municipais entenderem como funciona o empresariado e a necessidade de recuperação econômica do país. Por outro lado, as entidades entenderem como funciona as regras e normativas da legislação municipal. A experiência tem sido boa e ambos os lados tem aprendido muito.

Andersen Prado

A única questão aqui é segurança, embora tenha melhorado muito com as câmaras de vigilância, especificamente no Largo. Mas no entorno não é muito legal. E por estar no centro histórico, onde a cidade começou, ao lado da Sociedade Garibaldi, o próprio memorial da cidade, é um lugar de muito turismo. E as vezes é até feio para nossa cidade o que acontece na madrugada, precisa realmente mais atenção do poder público.

Jilcy Mara Joly Rink Para ter uma ideia, hoje, 90% dos estabelecimentos estão no Simples. Só que os estabelecimentos que estão crescendo, gerando mais empregos, que são de 10% a 20%, se não aumentar esse teto, podem sair do Simples a qualquer momento. Quer dizer, se crescer, vão ser penalizados. Se sair do Simples vão ter um aumento de carga tributária que não vão aguentar. Então eles estão deixando de empregar e de produzir, para não sair do teto do Simples. E hoje o país precisa de produção, precisa gerar emprego, se aumentar o teto do Simples, essas empresas vão poder crescer.

Julio Cesar Hezel Ao mesmo tempo que somos concorrentes, devemos ser parceiros também. Porque existe o governo contra nós, os fornecedores querem sempre maximizar o lucro em cima da venda deles. E se a gente tiver uma união de classe para debater e tentar resolver os problemas comuns de todo mundo, vai ser benéfico para todos.

CAíQUE FERRANTE

É importante dizer que é muito gratificante trabalhar na área do turismo. Cada dia é uma nova busca, um novo desafio, uma ideia nova para implementar, sempre visando incrementar o turismo na cidade”

DARCI PIANA Falta uma união entre os principais pontos de turismo no Paraná. Por exemplo, há uma distância muito grande entre Foz do Iguaçu, Curitiba, Maringá. E cada um procura resolver o seu problema esquecendo que o turismo é uma coisa só. Seria muito importante que a pessoa viesse a Curitiba, depois passasse por Foz do Iguaçu e ficasse de três a quatro dias no nosso Estado. Hoje mesmo em Foz do Iguaçu, que é o segundo ou terceiro maior receptivo de pessoas estrangeiras no país, o turismo desse na cidade em um voo que chega entre meio-dia e uma hora da tarde, vai pro hotel, toma seu banho e vai visitar Itaipu. No dia seguinte levanta cedo, conhece as cataratas, saí, pega sua mala e vai para o aeroporto. Ou seja, ele gasta uma diária. Ele não compra absolutamente nada, porque não teve oportunidade ficar em Foz do Iguaçu.

21

Marco Antonio Fatuch Nossos governantes municipais e estaduais tinham que olhar para nosso Estado vizinho, Santa Catarina, que hoje é considerado o estado turístico do Brasil. Um estado pequeno, com uma pequena população, um pequeno território, e que fatura milhões, bilhões, com o turismo. O que falta aqui para nossos dirigentes é vontade política.”

Alexandre Sampaio

O turismo não é entendido como um grande empregador e gerador de tributos pelos prefeitos e governadores, na visão deles é um investimento que pode ser cortado. É encarado sempre como despesa, como uma coisa meio informal. Mas o turismo é um gerador de receita, empregador de alto nível, um vetor de desenvolvimento fundamental.


22

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

23

Tocha Olímpica

A família e os amigos continuam sendo as companhias preferidas para os roteiros turísticos. Os amigos foram escolhidos por 6,4% dos entrevistados.

Símbolo maior dos Jogos Olímpicos Chama vai percorrer 20 mil quilômetros dentro do Brasil, sempre acompanhada pela imprensa

Os viajantes brasileiros ainda preferem fazer suas viagens acompanhados, mas o número de brasileiros que pretendem viajar sozinhos cresceu 27% em relação a novembro de 2014.

V

inte e dois municípios paranaenses receberão a Tocha Olímpica. São eles: Curitiba, Londrina, Arapongas, Maringá, Campo Mourão, Cascavel, Matelândia, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha do Itaipu, Foz do Iguaçu, Céu Azul, Santa Tereza do Oeste, Realeza, Francisco Beltrão, Pato Branco, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Araucária, Campo Largo, Ponta Grossa e Castro. Ela passará pelo Paraná entre junho e julho de 2016. A Tocha Olímpica chegará a Brasília em maio de 2016. O revezamento vai durar entre 90 e 100 dias após a tradicional cerimônia de acendimento da chama Olímpica na cidade grega de Olímpia, berço dos Jogos da Antiguidade. Serão em torno de 12 mil condutores e a chama percorrerá cerca de 20 mil quilômetros por estradas e ruas brasileiras e 10 mil milhas aéreas.

TENDÊNCIA

Brasileiros deverão usar mais o carro em suas viagens

Números olímpicos Dirente dos levantamentos em anos anteriores, o carro já aparece muito próximo em termo de preferência do viajante do avião. Também merece destaque a escolha por motorhome, motos, bicicletas e navios que passou de 3,2% da preferência em novembro de 2014 para 6,1% no mesmo período de 2015.

O

ter a intenção de viajar nos próximos seis meses, essa deve ser a hospedagem escolhida. O número é 78% maior do que o registrado no mesmo período de 2014. Ainda segundo o estudo, entre os seis graus de escolaridade pesquisados, o grupo formado por pessoas sem instrução ou com o primeiro grau incompleto foram os que mais evoluíram na intenção de viajar, um aumento de 22% em comparação ao mesmo período de 2014, atingindo a marca de 17,2%. “Esse estudo comprova o interesse do brasileiro por viajar. Independentemente da situação econômica, eles buscam alternativas, mas não abrem mão de conhecer novos destinos”, avalia o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

Jogos Paraolimpicos – de 07 a 08 de setembro 306 disputas de medalhas

Em novembro, o índice foi 33% maior que o registrado no mesmo período de 2014, segundo pesquisa do Ministério do Turismo s turistas brasileiros deverão usar cada vez mais o carro em suas próximas viagens. A opção pelo meio de transporte cresceu 33% em novembro em comparação ao mesmo período de 2014, sendo a preferência de 37,4% dos ouvidos, ultrapassado apenas pelo avião, com 44,3%. O carro foi o meio de transporte preferido por 60,7% dos brasileiros com até 35 anos de idade. Os dados são do Estudo Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo. Os viajantes também deverão procurar cada vez mais hospedagem em camping; albergues; programa Cama e Café e aluguel de imóveis por temporada. Para 21,5% dos entrevistados que informaram

Jogos Olímpicos – de 05 a 21 de agosto

139 femininas 161 masculinas 9 mistas 42 esportes Golfe e Rugby voltam aos jogos depois de 112 e 92 anos 34 locais de competição em 4 regiões da cidade 7,5 milhões de ingressos (3,8 milhões custarão até R$70)

Hoteis e pousadas detém a maior fatia de tipo de hospedagem

O Nordeste continua sendo o local mais desejado pelos turistas, seguido por Sudeste e Sul. Centro-Oeste e Norte tem apenas 7,4% da intenção de viagem.

45 mil voluntários, 85 mil terceirizados e 8 mil funcionários


Curitiba, dezembro de 2015

IN FOR MA TIVO

Curitiba, dezembro de 2015

FECOMÉRCIO PR

IN FOR MA TIVO edição especial

B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R | 2 0 1 5

O novo ano do turismo

Depois de um ano difícil, com tantas afliçþes políticas e econômicas, o Brasil e o Paranå voltam a ter um ano que pode significar um novo patamar na årea de turismo, com a inclusão lógica dos segmentos de hotelaria e alimentação. Se a Copa do Mundo frustrou todas as expectativas, deixando os empresårios amargando prejuízos, sem ter como amortizar os investimentos realizados, 2016 pode

significar a redenção, a partir de alguns eventos de amplitude local, estadual e internacional. Assim Ê que jå em 24 de fevereiro vamos saudar o centenårio do Paço da Liberdade, mandado construir dois anos antes pelo prefeito Cândido de Abreu, no espaço atÊ então ocupado pelo Mercado Municipal, na Praça Generoso Marques. Restaurado pelo Sistema FecomÊrcio, foi devolvido à população em 2009, como unidade cultural do Sesc. A partir daí, tornou-se referência obrigatória como monumento turístico, e de importância fundamental para as nossas expressþes culturais. Seu protagonismo no imaginårio da cidade Ê tamanho que o Paço da Liberdade, alÊm de possuir programação cultural permanente, Ê atração diuturna, inclusive como objeto de ensaios fotogråficos e cenårio de filmes, comerciais e fotografias de noivos. Durante todo o ano o Paço da Liberdade terå como atração o Programa 100 +, destacando atividades culturais que farão parte da programação. TambÊm em 2016 comemoraremos os 100 Anos do turismo no Paranå. A data celebra o centenårio da viagem realizada por Santos Dumont, cruzando o estado por terra a partir de Foz do Iguaçu.

FECOMÉRCIO PR B O L E T I M I N F O R M AT I V O D O S I S T E M A F E C O M É R C I O S E S C S E N A C P R | 2 0 1 5

NĂŁo perca tempo!

Impressionado com a floresta que dominava a região oeste paranaense, o pai da aviação propôs ao governo federal a criação do Parque Nacional do Iguaçu, levada a efeito alguns anos mais tarde. Em Curitiba, Santos Dumont participou de diversos eventos sociais, inclusive assistindo a um jogo de futebol no Estådio Joaquim AmÊrico, que naquela Êpoca era o campo do Internacional, que depois viria a ser um dos clubes formadores do AtlÊtico, a partir de sua fusão com o AmÊrica. No campo internacional, seremos novamente o foco das atençþes, com a realização das Olimpíadas no Rio de Janeiro, em agosto. Antes, durante e depois dos Jogos deveremos ter um consideråvel afluxo de turistas no Paranå, notadamente em Foz do Iguaçu e Curitiba. Brindemos, pois, a chegada de 2016. Ele tem tudo para ser um marco no desenvolvimento do turismo no Paranå. 

NCM / 15

24

CONTRIBUIĂ‡ĂƒO SINDICAL EMPRESARIAL.

nÂş 20

Sesc Senac assinam contrato para construção da unidade de União da Vitória

Faça sua contribuição atÊ 31 de janeiro de 2016. Acesse o site:

www.fecomerciopr.com.br

Em breve União da Vitória receberå mais excelência em qualificação profissional, qualidade de vida e transformação social. No início de dezembro o Sesc e o Senac assinaram contrato com a Endeal Engenharia e Construçþes Ltda para execução da nova unidade integrada na cidade. Serão quase R$15 milhþes investidos em årea e mobiliårio, em uma obra de quase quatro mil m². A previsão de entrega Ê para o primeiro semestre de 2017. em União da Vitória. Foram quase seis anos de negociaçþes atÊ que fosse assinado o contrato de execução da obra. Com 1.125,75 m², o Senac contarå com Confeitaria-escola, cozinha pedagógica, ambientes pedagógicos de enfermagem, cabeleireiro e maquiagem, manicure e pedicure, dois ambientes de informåtica, cinco salas de aula convencionais e biblioteca. A estimativa de atendimento Ê de 723 alunos diariamente.

Darci Piana

Presidente do Sistema FecomĂŠrcio Sesc Senac PR

A årea correspondente ao Sesc serå de 2.578,74 m² e terå Espaço Conexão – destinado para exposiçþes de produçþes culturais, duas salas de atividades, quatro salas multifuncionais, sala de desenvolvimento corporal, årea de convivência e quadra poliesportiva com vestiårios. A capacidade de atendimento serå de 846 pessoas por dia. �Enfrentamos problemas alheios a nossa vontade, existe toda uma burocracia que devemos seguir, mas depois de tudo conseguimos concretizar esse sonho, que vem para concluir esse ciclo de expansão do nosso sistema. O terreno que recebemos na prefeitura fica no coração da cidade e isso facilitarå o acesso a todos que forem em busca de qualificação profissional, qualidade de vida, cultura e lazer�, afirmou o presidente do Sistema FecomÊrcio Sesc Senac PR, Darci Piana. 

AGENDA FECOMÉRCIO PR

Natal no Paço traz musicais e Pinocchio 26HVF3DoRGD/LEHUGDGHSURPRYHHQWUH¾DGHGH zembro programação especial de Natal. As atrações podem ser apreciadas pela plateia na Praça Generoso Marques ou dentro da unidade de cultura do Sesc. Quem passar pela praça neste período, principalmente no horário do almoço ou no fim da tarde, poderá apreciar as apresentações realizadas nas sacadas do prédio histórico, uma proposta de levar a arte e o espírito de Natal ao ar livre para o grande público que transita no comércio do entorno do Sesc Paço da Liberdade. Serão grupos vocais, violão e violino, vocal e teclado, todos a serem apreciados a céu aberto. 0DV VH D LGHLD p WRPDU XP GHOLFLRVR FDIp DSyV R DO

PRoR R &DIp (VFROD GR 6HQDF WUD] DSUHVHQWDo}HV PXVL cais instrumentais indoor. Já o quarteto de cordas Mousike WUDQVIRUPDUiD3UDoD*HQHURVR0DUTXHVHPXPYHUGDGHL ro palco, nas duas apresentações do espetáculo Magia em cordas no Natal. 2SRQWRDOWRGDSURJUDPDomRVHUiQDVQRLWHVGHH de dezembro, às 20h30, com o espetáculo de projeção mapeada Pinocchio e o Mundo Mágico dos Brinquedos. A abertura fica por conta da Banda Lyra Curitibana. Confira a programação completa pelo www.sescpr.com.br

25


26

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

27

potencial de crescimento

Legalização de cassinos: um ganho para todos Para propagar ainda mais o desenvolvimento econômico, é preciso defender a interiorização dos cassinos, isto é, sua implementação em municípios do interior do país

Cassino

é aprovado em comissão do Senado O

projeto de lei nº 186/2014, que dispõe sobre a exploração de jogos de azar em todo o território nacional foi aprovado dia 16 de dezembro na Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional do Senado Federal. O parecer aprovado foi de autoria do senador Blairo Maggi (PR-MT) e foi apreciado na comissão em caráter terminativo, isto é, o projeto não precisará ser votado em plenário e seguirá direto para a apreciação na Câmara dos Deputados. Segundo o autor do projeto, senador Ciro Nogueira (PPPI), o Brasil deixa de arrecadar em torno de R$ 15 bilhões anuais por causa da falta de regulamentação dos jogos de azar. No texto agora aprovado, ele definiu os tipos de jogos que podem ser explorados, os critérios para autorização e regras para distribuição de prêmios e arrecadação de tributos — destinados à seguridade social. “O país está enfrentando uma situação que vinha sendo colocada debaixo do tapete. A gente não poderia continuar fingindo que não existe o jogo clandestino no Brasil sem que a sociedade tenha o menor benefício quanto a isso”, declarou o autor do projeto. Já o relator Blairo Maggi acredita que será possível “extirpar” o problema da corrupção que hoje existe no universo dos jogos de azar no país e, ao mesmo tempo, assegurar um aumento expressivo das receitas públicas. Entre os principais pontos do relatório destacam-se: o credenciamento dos cassinos por parte do governo federal; os cassinos deverão funcionar junto a complexos de lazer com acomodações hoteleiras de alto padrão, restaurantes, bares e centros de compras; o espaço físico do cassino deverá ocupar, no máximo, 10% do complexo de lazer; para autorização dos cassinos deverá ser considerada a existência de patrimônio turístico a ser valorizado e o potencial para desenvolvimento econômico e social da região; serão autorizados, no máximo, 35 cassinos, no mínimo 1 e no máximo 3 por estado, conforme critérios populacionais e econômicos; cada grupo econômico poderá explorar, no máximo, 3 cassinos; será instituída uma contribuição social de 10% sobre a receita, destinada à seguridade social.

Segundo senador Ciro Nogueira (PP-PI), autor do projeto, o Brasil deixa de arrecadar em torno de R$ 15 bilhões anuais por causa da falta de regulamentação dos jogos de azar

O projeto não precisará ser votado em plenário e seguirá direto para a apreciação na Câmara dos Deputados

Ganha o governo com o aumento da arrecadação; ganha o trabalhador com a criação de novos empregos; ganha o nosso setor com a maior demanda turística, e ganha o contribuinte brasileiro com a possibilidade de um incremento na economia que pode deixar de gerar novos impostos.”

C

riação de cerca de 400 mil novos postos de trabalho e renda e incremento de mais de 200% no potencial turístico das cidades. Esses são apenas dois exemplos dos benefícios oriundos da legalização dos jogos de azar no Brasil, questão fortemente defendida pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA). A regulamentação é uma grande oportunidade para superar a grave crise econômica atual, além de ser um dos caminhos para a retomada do desenvolvimento econômico. Estima-se que a legalização desta atividade movimente em torno de R$ 15 bilhões por ano, entre receitas, salários e impostos. Ou seja, a aprovação da proposta representaria também mais receita no caixa do governo. Isso, por si só, já seria um grande ganho para o país, sem a necessidade da criação de mais impostos para os contribuintes brasileiros. Mas a gama de benefícios oriundos da legalização dos jogos de azar não para por aí. Existe também uma efetiva possibilidade de atrair investimentos nacionais e internacionais. Para se ter uma ideia, na América do Sul, apenas o Brasil, Cuba, Guiana, Guiana Francesa e Bolívia proíbem os jogos. Já na perspectiva do G20, 93% das nações têm os jogos legalizados; somente o Brasil, a Arábia Saudita e a Indonésia não regulamentaram. Só para dar um exemplo, no Uruguai, a receita anual arrecadada com os cassinos é de US$ 235 milhões. No país vizinho, os fundos arrecadados com os jogos são destinados ao fundo de previdência, ao turismo e à comissão do patrimônio histórico, artístico

e cultural do país. Para propagar ainda mais o desenvolvimento econômico, é preciso defender a interiorização dos cassinos, isto é, sua implementação em municípios do interior do país. Temos potencial em várias cidades fora das capitais, especificamente nas estâncias hidrominerais do estado de São Paulo e nos municípios de Caxambu e São Lourenço (MG), por exemplo. Na última quarta-feira (dia 16/12), alcançamos uma grande vitória com a votação favorável da Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional (CEDN) ao Projeto de Lei do Senado (PLS)186/2014, que regulamenta a exploração dos jogos de azar no país. Agora, o texto segue diretamente para a análise na Câmara dos Deputados, a menos que haja recurso no Senado para que a decisão final seja em Plenário. Apesar da vitória, o trabalho da Federação continua incansável. Nossos esforços estarão voltados para a Câmara dos Deputados. Precisamos sensibilizar a Casa quanto à extrema importância da legalização dos jogos de azar, tanto para o nosso setor, quanto para o Brasil. Ganha o governo com o aumento da arrecadação; ganha o trabalhador com a criação de novos empregos; ganha o nosso setor com a maior demanda turística, e ganha o contribuinte brasileiro com a possibilidade de um incremento na economia que pode deixar de gerar novos impostos. Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA)


28

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

29

Ministério do Turismo

Estratégias para promover o Brasil nas Olimpíadas Investimentos em Londres foram maiores depois dos jogos. Ideia é adaptar experiência do país europeu à realidade do Brasil Henrique Alves

A

Quem lhe defende o ano inteiro no Sindicato resolveu parar para lhe desejar

boas festas! Que juntos a gente possa colher em 2016 tudo que plantamos em 2015: União, harmonia, respeito, companheirismo e produtividade!

importância de um evento olímpico para promover o país para o mundo foi o tema de uma conversa entre o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, e o presidente do Visit Britain, a agência de promoção britânica, Christopher Rodrigues, durante encontro em novembro, em Londres. Eles estiveram reunidos na WTM London, uma das principais feiras de turismo no mundo. Christopher afirmou que os investimentos no período que antecede os jogos são tão importantes quanto as ações de marketing que ocorrem durante e depois do evento. De acordo com ele, a maior parte dos recursos (60%) foram destinados para a promoção do país após o fim da Olimpíada, uma estratégia que aumentou o número de visitantes estrangeiros no país. “Temos de aproveitar exemplos bem-sucedidos e adaptá-los à realidade do Brasil e ainda aproveitar ao máximo a exposição que o maior evento esportivo proporciona ao país”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Ele foi destaque em uma entrevista coletiva com mais de 20 veículos de comunicação e aproveitou a oportunidade para convidar os participantes para visitar Brasil durante a Olimpíada 2016. Alves citou o recém-inaugurado Escritório Brasileiro de Turismo na Rússia e adiantou

Ministro Henrique Alves apresentou potencial do Brasil durante a WTM em Londres que outros países como a Índia também podem receber iniciativas específicas de divulgação. “Queremos, cada vez mais, estar abertos ao mundo”. No ano passado, durante a Copa do Mundo, cerca de mil atletas de 32 países estiveram no país. Na olimpíada de 2016 serão

15 mil atletas de 205 nações. Pela projeção da Fifa, estima-se que 3,5 bilhões de pessoas tenham assistido o mundial de futebol. O Comitê Olímpico Internacional projeta que 4,8 bilhões de espectadores ao redor do mundo estarão de olho na Olimpíada. “Quero que o turista vá ao Rio, mas tam-

bém visite o Nordeste, conheça a capital Brasília, conheça o sul e o Norte do país”, afirmou Alves. Henrique Eduardo Alves participou também de uma reunião com todos os ministros do Turismo presentes no evento e com o diretor-executivo da Organização Mundial do Turismo, Márcio Fa-

villa; e com Xu Jing, diretor da entidade para a Ásia. No penúltimo dia encontrou-se com David Scowsill, presidente da WTTC, principal consultoria independente especializada em turismo do mundo. E no último dia almoçou com o embaixador do Brasil no Reino Unido, Eduardo Santos.

Embratur

País receberá até 500 mil estrangeiros

São os votos dos colaboradores do SEHA Ariadne Gomes, Simone Acras, Edson Vargas, Maria Sureki e Viviane Maçaneiro Na Copa foi um milhão de visitantes, que gastou US$ 1,5 bilhão durante a competição

Em 2016, o Brasil será destaque no mundo inteiro, quando será sede dos jogos Olímpicos e Paralímpicos. Durante o evento, o país deverá receber entre 350 mil e 500 mil estrangeiros durante o mundial. Esse é o tema central da 3ª edição da Embratur News, série de rádio que a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) disponibiliza em seu site sobre as ações de promoção do Brasil no exterior. Em suas feiras, campanhas e ações de promoção do Brasil no exterior, a Embratur tem se dedi-

cado a divulgar diversos destinos e produtos nacionais, para que os visitantes estrangeiros desfrutem dos belos cartões-postais cariocas e também conheçam outras cidades. Somente na Copa do Mundo de 2014, o Brasil recebeu um milhão de visitantes estrangeiros, que gastaram US$ 1,5 bilhão durante a competição. Segundo o presidente do Instituto, Vinícius Lummertz, os eventos internacionais realizados desde 2007, como o Pan-americano, a Rio+20, a Copa das Confederações,

os Jogos Militares, a Copa do Mundo e, agora, a Olimpíada, elevaram o patamar do País a nível mundial. “O Brasil tomou uma posição política e institucional muito forte. Com a Rio 2016, nós vamos aumentar o fluxo de turistas nacionais e bater os recordes de turismo internacional alcançados ano passado. Além disso, melhoramos a imagem do Brasil lá fora. Os grandes eventos foram o ticket de entrada na grande disputa do turismo internacional”, destaca Lummertz.


30

Curitiba, dezembro de 2015

Curitiba, dezembro de 2015

previsão

Almoço de confraternização da ABIH-PR serve como alerta Discurso de presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana, demonstra preocupação com ano novo com muitas dificuldades

A

Associação Brasileira da Indústria de Hoteis do Paraná (ABIH-PR) reuniu autoridades do trade do turismo e hoteleiros para um almoço de fim de ano no restaurante da Fecomércio-PR, no dia 15 do mês corrente. Cerca de 40 pessoas participaram da confraternização. O presidente da entidade, o hoteleiro Orlando Kubo, em um rápido discurso agradeceu a presença de todos, comentou sobre o desafio de 2015 e cobrou um melhor entendimento, mais atitude, presença e atuação dos políticos em prol do turismo. Por último, entregou o microfone ao presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana. Piana, como sempre de forma coerente e calcada em dados e números, expôs aos presentes um 2016 mais complicado que 2015, salientando que as dificuldades não estão nem perto da metade de acabar. “É uma das crises mais graves que o Brasil passou, além da crise ética que existe. A queda nas vendas no mês de novembro deste ano chegou a 11,9%. Se compararmos com o mesmo período do ano passado, a queda foi de 7%. A inflação dos produtos e serviços anunciados pelo governo federal, de 8,5% a 9%, é muito mais do que vem sendo divulgado. Os preços de alimentos nos supermercados subiram em média 23,8%. Temos conhecimento de aumento de preços de até 33%, tudo isso reflete negativamente na economia”, acrescentou Piana. Ele ainda lembrou que a economia encolheu 1,7% no terceiro trimestre de 2015 na compara-

Setor Terciário

visão de especialista

Cinco grupos de serviços pesquisados tiveram retrações

Por André Fatuch Neto, advogado do Seha

Queda recorde em outubro consolida 2015 como o primeiro ano de perdas para serviços

E Kubo cobrou mais atuação dos políticos em prol do turismo paranaense ção com os três meses imediatamente anteriores, citou que o governo continua gastando muito mais do que arrecada e salientou sua preocupação com o volume da dívida brasileira. Outros dois indicadores da gravidade da

situação são o grande número de demissões e o fechamento recorde nas lojas do varejo, ambos apresentados em levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Além das autoridades citadas acima também estiveram presentes no evento o presidente do Instituto Municipal de Turismo, Caique Ferrante; o presidente do SEHA, João Jacob Mehl; o presidente da ABAV-PR, Roberto

Bacovis; o presidente do Curitiba Convention Bureau de Curitiba, Adonai Arruda Filho; da Diretora da Câmara de Turismo da Fecomércio, Rosa Maria Macalli e do Coordenador Estadual de Turismo do Sebrae, Aldo Carvalho.

Una-se ao Seha e fortaleça nossa luta! Visite www.seha.com.br e saiba tudo que fazemos para ampliar a representatividade do nosso segmento.

m outubro, o volume de receitas do setor de serviços recuou 5,8% em relação ao mesmo mês de 2014, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços divulgada dia 17 de dezembro pelo IBGE. Todos os cinco grupos de serviços pesquisados apresentaram retrações. As maiores influências subsetoriais derivaram do comportamento da receita dos serviços profissionais, administrativos e complementares (-7,3%) e dos transportes (-6,7%), subsetores que respondem por mais da metade do faturamento anual do setor. Em termos regionais, das 27 unidades da Federação apenas quatro não acusaram queda de receita real nos últimos 12 meses. “Essa foi a maior queda nessa base comparativa desde o início da pesquisa e a sétima seguida em 2015, o que arrastará o setor para sua primeira queda anual ao final do ano corrente”, aponta Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Ele explica que o setor acumula, desde janeiro deste ano, queda de 3,1% e deverá, inevitavelmente, registrar sua primeira retração anual no volume de receitas ao final de 2015. De 2012 a 2014 a receita real do setor variou +4,3%, +4,1% e 2,5%, respectivamente. As cinco regiões pesquisadas acumulam quedas em 2015, com destaque para a Nordeste (-4,6%). Das 27 unidades da Federação, apenas duas ainda registram avanço real de receita no setor no acumulado do ano. Para Bentes, outro sinal da desaceleração do setor de serviços vem da percepção do agravamento da crise no setor terciário, já

sinalizada pela redução de empregos formais nos últimos 12 meses. De novembro de 2014 a outubro de 2015 o Caged, do Ministério do Trabalho e Previdência Social, registrou o fechamento líquido de 280,1 mil postos de trabalho nas atividades econômicas que integram a PMS – resultado que contrasta com a geração de 301,4 mil vagas de 2014. “Essas mesmas atividades respondem por 29,6% da força de trabalho do País. Outro termômetro da crise no setor, a confiança dos empresários atingiu, em outubro, o segundo patamar mais baixo da série histórica apurada mensalmente pela FGV desde 2008”, afirma o economista. Por fim, Fabio Bentes aponta que a intensificação da queda em outubro adveio da reaceleração da inflação no setor. “No acumulado dos últimos 12 meses, os preços médios dos serviços praticados subiram 5,2%, ante +4,8% na leitura anterior”, complementa o economista. Especialmente nos serviços administrativos e complementares (+7,4%) e nos transportes (+8,1%), o comportamento dos preços explica as maiores perdas. A série divulgada pelo IBGE em agosto teve início em janeiro de 2012 e não conta com ajustes sazonais. Os serviços de educação, saúde e financeiros não são pesquisados. Ainda assim, os demais subsetores respondem por 36,5% de todo o valor adicionado bruto gerado pela economia e por 34,6% do pessoal ocupado no País. De acordo com dados das Contas Nacionais, no PIB de 2014 o setor terciário respondeu por 60,7% do valor adicionado a preços básicos.

31

TST divulga decisão favorável ao setor de bares e restaurantes referente às folgas aos DOMINGOS Nos foi informado pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação que em recente decisão o Tribunal Superior do Trabalho (TST) divulgou, na última sexta-feira (4/12/15), relatada pela Ministra Katia Magalhães Arruda e julgada pelos ministros da 6ª turma, que reafirma a vigência e aplicação da Portaria 417/66 do Ministério do Trabalho, referente à periodicidade das folgas aos domingos e à remuneração daqueles que trabalham em estabelecimentos com autorização para funcionar nestes dias. De acordo com a decisão, a folga semanal remunerada deve coincidir com o domingo a cada sete semanas. Neste contexto, o empregador não tem a obrigação de remunerar o trabalhador em dobro pelos domingos trabalhados em jornadas de cinco dias de trabalho por um dia de descanso. Vale ressaltar ainda que a coincidência com o domingo deverá acontecer maneira preferencial, não se tratando de regra absoluta. Tal entendimento com relação a quantidade de semanas em relação à folga no Domingo, contudo não se aplica à região metropolitana de Curitiba, pois de acordo com a clausula 27ª da CCT vigente (2015/2016), o descanso semanal remunerado dos empregados deverá recair em pelo menos um domingo por mês. Portanto regra relativa não absoluta. Assim o Acórdão do TST é um importante marco para as empresas do trade turístico com funcionamento 24 horas por dia, mas, como já dito, para nossa região, só se aproveita por analogia, a parte da decisão, que determina que não é devido o pagamento em dobro para o labor realizado aos Domingos, desde que respeitada a norma convencional da categoria. O Acórdão do TST foi baseado em outro do TRT do Estado do Ceará, em ação movida pelo SINDREST/CE, que a exemplo da decisão do TST reafirmou a vigência e a aplicação da Portaria MTE 417/66 em relação a todas as atividades econômicas providas de autorização permanente para o trabalho aos domingos, listadas no Decreto 27.048/49, sejam estas hospitais, postos de gasolina, funerárias, trailers, tendinhas, quiosques, food-trucks, lanchonetes, botequins, hotéis, restaurantes, bares etc. Processo: RR 3784420115090567 Relator(a): Kátia Magalhães Arruda Relator(a): Kátia Magalhães Arruda Julgamento: 02/12/2015 Órgão Julgador: 6ª Turma Publicação: DEJT 04/12/2015 HORAS EXTRAS. TRABALHO EM DOMINGOS. REGIME DE ESCALA 5X1. - EMENTA DA DE-

CISÃO: Esta Corte, por meio de sua Sessão de Dissídios Individuais e de suas Turmas, vem decidindo que “Não há dúvida de que a concessão do descanso semanal remunerado é norma de ordem pública com caráter imperativo que tem a finalidade de preservar a saúde, a segurança do empregado, bem como concederlhe momentos de integração social e familiar. O ordenamento jurídico vigente assegura ao empregado, descanso semanal de 24 (vinte e quatro) horas consecutivas, o qual, salvo motivo de conveniência pública ou necessidade imperiosa do serviço, deverá coincidir com o domingo, no todo ou em parte. No entanto, as normas que regulamentam o repouso semanal remunerado determinam que haja a coincidência com o domingo de maneira preferencial, não se tratando de regra absoluta. Ademais nos termos dos arts. 67, parágrafo único, e 68 da CLT, a coincidência do repouso semanal aos domingos pode ser mitigada de forma permanente ou transitória, desde que haja autorização pelo MTE. O Decreto no 27.048/49 aprovou o regulamento da Lei no 605/49 e trouxe a relação das atividades que possuem autorização permanente para realizar trabalho aos domingos, dentre as quais, inclusive a atividade agricultura e pecuária, que é a realizada pela reclamada. Registre-se, ainda, que há norma do MTE (Portaria no 417/1966) que autoriza a fruição do RSR aos domingos a cada 7 semanas. Neste contexto, concluise que não é devido o pagamento em dobro dos domingos trabalhados na jornada de cinco dias de trabalho por um dia de descanso (5x1), pois há a coincidência do RSR aos domingos, a cada 7 semanas e, não obstante não haja a sua concessão sempre nesse dia, há a fruição de folga em outro dia dentro da mesma semana, sendo, portanto, cumprida a finalidade da norma”(ERR-182200-73.2008.5.05.0242, SBDI-1, Rel. Min. Aloysio Corrêa da Veiga, DEJT 6/12/2013). Recurso de revista de que se conhece e a que se dá provimento. Outra importante informação que se aproveita da decisão do TST é que com base na portaria 417/66, é que , as normas que regulamentam o repouso semanal remunerado determinam que haja a coincidência com o domingo de maneira preferencial, não se tratando de regra absoluta. Portanto abriu-se um importante precedente jurisprudencial para que as empresas se defendam de eventuais ações reclamatórias neste sentido. Fonte: FBHA E TST


32

Curitiba, dezembro de 2015

Jornal seha ed 018  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you