Page 1

Jornal

Julio César Hezel “Eu defendo a classe desde 99. No sindicato já estou há dez anos, desde 2005” Págs. 10 e 11

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015 | Edição 08

João Jacob Mehl é eleito por unanimidade pelos conselheiros, vice-presidente do CEPATUR Uma das maiores metas na gestão do Conselho Paranaense de Turismo será harmonizar importantes setores do turismo e da sociedade. Pág. 03

Vamos aglutinar todas estas forças e energias positivas das entidades que lutam efetivamente pelo fortalecimento do Turismo do Paraná. Pensamos como o secretário Douglas Fabrício e o presidente Jacó Gimennes: num estado líder e a ser

Parceria ABS-PR e SEHA formando sommeliers

Pág. 15

Nova lei Lutando pelo veto da Lei do 10%%

Pág. 09

bastante visitado pelos paranaenses que vão contemplar, desfrutar e consumir nossos atrativos e produtos turísticos, com o suporte da nossa rede hoteleira e diversificada gastronomia paranaense”

Jacob Mehl

Decreto Estado reassume fiscalização do Ecad

Pág. 12

Prazo final Nota fiscal eletrônica obrigatória

Pág. 13


2

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

Editorial

internacional

CARO ASSOCIADO;

Presidente da FBHA participa da Conferência da OIT na Suíça

Após várias reuniões com o sindicato laboral, não conseguimos alcançar um acordo para fixação do novo piso salarial. Fomos, através dos anos, corrigindo os salários satisfatoriamente; nos últimos 5 anos concedemos um ganho real de quase 22 por cento acima da inflação. Esta é a clara demonstração de respeito que sempre tivemos com nossos servidores. Neste momento, todavia, com as dificuldades cada dia mais crescentes, a reposição dos salários com base nos índices inflacionários é o que oferecemos a categoria. Estamos em crise, com demissões em massa. No comando do SEHA, recebemos diariamente associados em dificuldade e devemos nos sensibilizar com nossos empresários. A cordialidade tem imperado entre as partes, mas devemos agir e decidir com bom senso. Júlio César Hezel – um grande companheiro de lutas. Sucedeu-me na ABRASEL-PR, realizando um trabalho fundamental na consolidação da entidade. Hoje nos ajuda a fazer do sindicato uma entidade respeitada e ouvida. Sua entrevista nesta edição merece ser apreciada. Agora participamos da administração do Conselho Paranaense de Turismo (CEPATUR). Esperamos contribuir consolidando os sonhos de todo o trade do turismo paranaense, com esperadas realizações. Vamos olhar para o alto, trabalhar muito, e acreditar em dias melhores, com o apoio permanente do seu sindicato. Bons negócios, João Jacob Mehl

EXPEDIENTE Jornalista Responsável Pierpaolo Nota Edição Eliseu Tisato

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3323 8900 www.seha.com.br

GESTÃO 2014-2018 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries 

Aguilar Borsato Silva Diretor Carlos Roberto Madalosso Diretor para assuntos de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio  Conselho Fiscal: Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

Evento é realizado anualmente e congrega as delegações tripartites dos 185 países

Ministro Manoel Dias, Alexandre Sampaio, embaixadora Regina Dunlop, Bruno Breithaupt (presidente Fecomércio SC e 1º diretor-secretário da CNC) e deputado estadual Rodrigo Minotto

O

presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, esteve na cidade suíça de Genebra, para participar da 104ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que debateu, entre outros temas relevantes, a transição da economia informal para a formal. A OIT adotou uma nova norma internacional do trabalho, que

servirá para apoiar os esforços para que milhões de trabalhadores possam se formalizar. A erradicação do trabalho infantil e o trabalho decente também foram tratados na Conferência. A delegação tripartite brasileira, integrada por representantes de trabalhadores e empregadores e por gestores públicos, foi liderada pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

A Conferência Internacional do Trabalho é a instância suprema de decisão da OIT. É realizada a cada ano, sempre no mês de junho, em Genebra, e congrega as delegações tripartites dos 185 países-membros da Organização. O Brasil integra também o Conselho de Administração da OIT, que conta com representantes das dez maiores economias do planeta.

Associados aniversariantes na 1ª quinzena de julho 01.07 Maristela Oedmann, do Trevi Hotel & Business

11.07 Felipe Novacovski, da Grelharte

06.07 Gerci Cardoso, do Hotel Garden Curitiba

11.07 Fernando Novacovski, da La Casa di Frango

07.07 Dirceu Karpinski, da Churrascaria Recanto Gaúcho

13.07 Ander Figueiredo, da Lanchonete do Assis

08.07 Marelisa Volpato, da Pasta Pizza

14.07 Celia Rieping, do Berinjela Restaurante

08.07 Jacques Rigler, da Respal Alimentos

14.07 Odair Polesel, do Restaurante Portato

Novos associados Terrazas Park Hotel

Bistrô Comendador


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

3

Mãos à obra

CEPATUR empossa os conselheiros estaduais do turismo Presidente do SEHA, João Jacob Mehl, é eleito pelos conselheiros vice-presidente por unanimidade

E

m concorrida solenidade, realizada dia 22 de junho no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, 41 das 53 organizações que participam do Conselho Paranaense de Turismo, nos termos do Decreto 11.832/2014, em atendimento à Lei nº 17745?2013 tiveram seus representantes empossados como conselheiros estaduais do Turismo no Paraná. O CEPATUR é a instituição responsável pela aprovação e fiscalização das políticas públicas e planos de Turismo para o estado. A sua presidência, por força de lei, cabe ao secretário de Esporte e Turismo do Paraná, hoje sob a responsabilidade do deputado estadual licenciado Douglas Fabrício. Para a vice-presidência, em eleição dos conselheiros, foi escolhido por unanimidade o empresário João Jacob Mehl, presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação.

Conheça os desafios e estratégias na agenda de prioridades do CEPATUR Viabilização e aprovação do master plan Paraná Turístico, com horizontes voltados até o ano de 2026 Formulação da proposta para a criação da Lei Estadual de Incentivo ao Turismo, com a implantação do Fundo Estadual de Desenvolvimento do Turismo Construção e aprovação das estratégias focadas no Paraná para os paranaenses, com o passaporte PARANATUR Atuação para a criação de condições visando a implementação dos PDTIS – Plano de Desenvolvimento do Turismo Integrado e Sustentável para os polos turísticos, Curitiba, Foz do Iguaçu e Paranaguá/Ilha do Mel Aprovação de novas metodologias como alternativa aos PDTIS nas demais regiões turísticas do Paraná Aprovação da proposta de concurso público para técnicos a serem contratados para a Paraná Turismo, em vista ao processo de perspectivas De aposentadorias em seu quadro de servidores públicos

CEPATUR VAI COBRAR CRIAÇÃO DE LEI DE INCENTIVO E FUNDO DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO Em visita à sede do SEHA/PR, o diretor presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, se reuniu com João Jacob Mhel, recém eleito vice-presidente do CEPATUR – Conselho Paranaense do Turismo. Os líderes do Turismo falaram sobre a estruturação dos serviços de apoio para o melhor funcionamento do Conselho. “Entre os desafios, a maior missão será congregar as organizações não vinculadas ao setor público, aquelas tradicionalmente definidas como trade”, disse Gimennes. Para ele, “diante da visão de importância e da participação destes segmentos para ser concretizada a boa gestão do CEPATUR, devemos destacar a liderança de Jacob Mhel e os desafios que ele terá para bem conduzir este processo”. Uma das maiores metas na gestão do Conselho será harmonizar importantes setores do Turismo e da sociedade num papel fundamental de convencimento dos deputados estaduais para a aprovação da Lei de Incentivo ao Turismo e a criação do Fundo de Desenvolvimento Estadual do Turismo. Neste novo formato, o Conselho buscará também o engajamento das

principais Federações da economia paranaense, bem como as empresas de economia mista como Copel, Sanepar, Compagás, entre outras. Na organização da pauta para a primeiro semana de julho, deverá constar a estratégia para viabilização do Master Plan 2026, como ação estruturante para que o Paraná tenha competitividade nos negócios turísticos do Brasil. “Nosso potencial é imenso, temos vários Paranás, sempre elogiados, e que agora com a visão do Paraná Turístico, precisam ser vendidos”, destacou Jacó Gimennes. “Vamos aglutinar todas estas forças e energias positivas das entidades que lutam efetivamente pelo fortalecimento do Turismo do Paraná. Pensamos como o secretário Douglas Fabrício e o presidente Jacó Gimennes: num estado líder e a ser bastante visitado pelos paranaenses, a contemplar, a desfrutar e consumir nossos atrativos e produtos turísticos, com o suporte da nossa rede hoteleira e diversificada gastronomia paranaense”, afirmou Jacob Mhel.


4

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

Lei trabalhista

Manutenção de banheiros coletivos: trabalho agora é pela aprovação Novo projeto de lei acaba com adicional de insalubridade

O

deputado federal Hugo Motta (PMDB/PB) apresentou no final de junho à Câmara dos Deputados o projeto de lei nº 2118/2015 que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O projeto determina a adoção de uma norma que impede a cobrança de adicional de insalubridade por parte daqueles que trabalham com a higiene sanitária de estabelecimentos de frequência coletiva. A iniciativa partiu de uma demanda da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) em defesa dos estabelecimentos que representa por estarem sofrendo com a insegurança jurídica criada no ano passado pela súmula 448 do Tribunal Superior do Trabalho

(TST), que equipara de forma equivocada a limpeza de áreas coletivas com as públicas, o que sequer o Ministério do Trabalho faz. Assim, o projeto visa demonstrar a diferença entre as limpezas de forma inequívoca, equiparando somente a limpeza de área pública com limpeza urbana, determinando de forma categórica que a limpeza de área coletiva, não tem incidência de insalubridade, trazendo segurança Jurídica para o segmento de hospedagem e alimentação fora do lar. “Estamos em um período de crise econômica e o turismo é uma atividade que tem potencial para alavancar a nossa economia. Porém, precisamos traba-

lhar para proteger o segmento de prejuízos com tributação e cobranças injustas. O projeto de lei é de grande valia. Agora é trabalhar pela aprovação e sanção”, declarou o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio. O teor do projeto determina que seja acrescentado um parágrafo ao artigo 189 da CLT com o seguinte conteúdo: “A higienização e a coleta de lixo, realizadas em instalações sanitárias destinadas ao uso interno ou coletivo não gera o pagamento de adicional de insalubridade por não se confundir com a coleta de lixo urbano e nem com a higienização e coleta de lixo em instalações sanitárias de locais públicos de uso comum do povo ou comunal”.

Hugo Motta (PMDB/PB), deputado federal, autor do projeto de Lei


Curitiba, 1ÂŞ quinzena de julho de 2015

, 1 ) 2 5 0 $7 , 9 2  ' $

FECOMÉRCIO PR 6 , 6 7 ( 0 $ ) ( & 2 0 e 5 & , 2  6 ( 6 &  6 ( 1 $ &  3 5  _         Q ž  

3DODYUDGR 3UHVLGHQWH

Hå alguns dias, tivemos a oportunidade de participar do Smart City Business Congress, realizado em Curitiba com o decisivo apoio da FecomÊrcio Paranå. O Smart City discute e propþem alternativas para o crescimento sustentåvel das cidades, como estratÊgias de desenvolvimento de infraestrutura e mobilidade urbana com tecnologia e criatividade. Na nossa exposição, abordamos o processo de revitalização dos espaços comerciais urbanos, programa que a nossa entidade desenvolve junto com o Sebrae PR. A partir do projeto piloto, executado no entorno do Sesc Paço da Liberdade, a iniciativa foi expandida. Hoje jå são nove as cidades paranaenses integradas ao programa: alÊm de Curitiba, Londrina, Maringå, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Francisco Beltrão, Castro, Matinhos e Paranaguå – esta recÊm incorporada. Diversos municípios de outros estados jå aderiram e estão se beneficiando do projeto. Tudo a partir da experiência paranaense, avaliada e aplaudida pelos participantes do Smart City Business Congress. Darci Piana

Presidente do Sistema FecomĂŠrcio Sesc Senac PR

3DOFR*LUDWyULR HP&XULWLED

Promover e disseminar as artes cênicas pelo país. Esse Ê um dos objetivos cumpridos pelo Palco Giratório – projeto do Departamento Nacional do Sesc que passeia pelo Brasil levando espetåculos de teatro, dança, circo e intervenção urbana hå 18 anos. Curitiba abre a programação itinerante do Palco no Paranå, com um festival que concentra 20 espetåculos, entre os dias 31 de julho e 23 de agosto. O Teatro do Sesc da Esquina, o Sesc à gua Verde, a Universidade Federal do Paranå (UFPR) e o ColÊgio Estadual do Paranå recebem a programação do evento que, alÊm dos espetåculos, conta com açþes formativas. Entre os meses de agosto a outubro, as cidades de Apucarana, Cascavel, CornÊlio Procópio, Guarapuava, Ivaiporã, Jacarezinho, Londrina, Maringå, Medianeira, Paranaguå, Paranavaí, Ponta Grossa, Toledo e Umuarama serão contempladas com espetåculos do Circuito Nacional do Palco Giratório.

6HQDFLQDXJXURX QRYDXQLGDGH HP3DUDQDJXi

A população de Paranaguå recebeu no dia 28 de maio a mais nova unidade de educação profissional do Senac do estado. A instituição que jå estå presente na cidade ganha uma casa nova de quase 1.800 m² com capacidade para atender diariamente 906 alunos. A nova unidade conta com ambientes pedagógicos convencionais; de informåtica; cabeleireiro; manicure e pedicuro; maquiagem; enfermagem; cozinha pedagógica; confeitara-escola; vestiårio; auditório; biblioteca; sala de audiovisual. Com a inauguração da escola em Paranaguå, a instituição opera com plena capacidade para lidar com as demandas de todas as suas regiþes de abrangência. �Com a nova unidade celebramos um marco na história do Senac e consolidamos um extenso ciclo de conquistas. O Senac cumpre com excelência o seu papel de qualificar mão de obra, precisamos capacitar cada vez mais pessoas�, afirma o presidente do Sistema FecomÊrcio Sesc Senac PR, Darci Piana.

6RSDH3mR Uma refeição completa e nutritiva. Assim pode ser resumida a combinação do Sopa e Pão – projeto social criado em 1991 pelo Sesc PR, no qual são distribuídas porçþes de sopa acompanhadas por pães, para instituiçþes sociais voltadas ao atendimento de crianças, idosos e famílias em vulnerabilidade social. Em Curitiba, o Sesc Centro coordena a logística do projeto, com o preparo e a distribuição das refeiçþes. As sopas são preparadas de acordo com tÊcnicas dietÊticas para preservação do valor nutritivo dos alimentos utilizados (carnes, cereais, verduras e leguminosas), bem como tÊcnicas atestadas pelo Programa Alimento Seguro (PAS). O pão acompanha cada porção de sopa para reforço do valor calórico da refeição. As refeiçþes são preparadas de segunda a sexta-feira. Após serem produzidas, as sopas são acondicionadas em galþes tÊrmicos e distribuídas pela equipe do Sesc Centro a instituiçþes sociais cadastradas. Ao todo, 940 pessoas são atendidas na capital pelo projeto. No interior, o Sopa e Pão acontece nas cidades de Guarapuava e Maringå, coordenados pelas respectivas unidades de serviço do Sesc. Ao todo 184 pessoas de três instituiçþes sociais de Guarapuava recebem as refeiçþes. Em Maringå a entrega beneficia uma entidade que atende 90 pessoas.

$*(1'$)(&20e5&,235

)HFRPpUFLRSDWURFLQRX)HVWLYDO 6HQDFH$FDGHPLD3DUDQDHQVHGH/HWUDVDVVLQDP GH7XULVPRGDV&DWDUDWDV FRQYrQLRSDUDLQVWDODomRGR&DIpGR%HOYHGHUH O Sistema FecomÊrcio Sesc Senac PR, em parceria com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação )%+$ SDWURFLQRXRž)HVWLYDOGH7XULVPRGDV&DWDUD tas, que ocorreu entre os dias 17 e 19 de junho, em Foz GR,JXDoX2HYHQWRXPGRVPDLVLPSRUWDQWHVGRVHWRUQR Brasil, tem foco na geração de negócios e no fortalecimento GDFDGHLDSURGXWLYDGRWXULVPRORFDOHGDUHJLmR1HVWHDQR foram mais de seis mil inscritos, entre empresårios, agentes GHYLDJHQVRSHUDGRUHVGHWXULVPRJXLDVHGHPDLVSURILV VLRQDLVGDiUHDDOpPGHSURIHVVRUHVDFDGrPLFRVHSURILV sionais da imprensa.

26HQDFHD$FDGHPLD3DUDQDHQVHGH/HWUDVDVVLQD UDPFRQYrQLRGHFHVVmRJUDWXLWDGHHVSDoRSDUDLQVWDOD omRGHXPFDIpHVFRODQR%HOYHGHUHQR&HQWUR+LVWyULFR GH&XULWLED(VWHVHUiRTXDUWRFDIpHVFRODGR6HQDFQR 3DUDQi TXH VH VRPDUi DRV DPELHQWHV SHGDJyJLFRV GH &XULWLED/RQGULQDH&DLREi $SyVRUHVWDXURHDGHTXDo}HVR&DIpGR%HOGHYHUH IXQFLRQDUi QR DQGDU WpUUHR $ SUHYLVmR p TXH DV DWLYL GDGHVLQLFLHPDWpRILPGRDQR1RSDYLPHQWRVXSHULRU ficarĂĄ a Academia Paranaense de Letras, que jĂĄ com 78 anos permanecia sem sede prĂłpria.

6LVWHPD)HFRPpUFLR6HVF6HQDF35ă1~FOHRGH&RPXQLFDomRH0DUNHWLQJ &RQWDWRV 41 _MRUQDOLVPR#IHFRPHUFLRSUFRPEU_ZZZIHFRPHUFLRSUFRPEU_ZZZVHVFSUFRPEU_ZZZSUVHQDFEU

5


6

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

Convênios MEDICINA DO TRABALHO Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) - PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPP (Perfi l Profi ssiográfi co Profi ssional) - Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba. MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL Eletro Schultz - 41 3267-1916Rebobinagem de motores, rebobinagem de bombas e transformadores, automação industrial. Associados SEHA-Ctba tem desconto especial de 15% sobre o serviço prestado. FONOAUDIOLOGIA PARTICULAR Káti a Simone da Rosa Bianchi Consulta clínica na área de fonoaudiologia. Serviços de informações e orientações preventi vas como palestras, minicursos e/ou grupos de apoio para empresas. CRFa 5514/ SC - 40% de desconto no valor da consulta para associados SEHA-Ctba. Contato 41 8823-8675 / 41 3233-3192 e 41 3026-4924

CONSULTORIA ESPECIALIZADA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHA-Ctba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis e gestão da informação. Sem fins econômicos, seu principal objeti vo é formar profissionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473 PSICOLOGIA CLÍNICA Espaço A - Psicologia e Psicanálise Gabriel Salata Kuss e Ana Suy Sesarino. Obedecem uma tabela especial com descontos especiais para associados SEHA-Ctba. Rua Maurício Caillet, n° 33 - Água Verde. Mais informações no www. consultorio. psc.br ou atráves do e-mail - consultorio@consultorio.psc. br - Telefones 41 9115- 3840 e 41 8431-1916

CONVÊNIOS COM FACULDADES SPEI 10% de desconto em Cursos de Pós-Graduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.spei.br - Fone 41 33644579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e Pós Graduação direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.opet.com.br - cezarroberto@ opet.com.br - Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.facinter.com.br - Fone 41 2102-3300 UNICENP 0% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Consulte nosso Banco de Empregos no www.seha.com.br

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Assessoria jurídica gratuita. Acompanhamento em ações trabalhistas. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade. Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Estamos fortemente divulgados através de nosso jornal, site na internet, nas redes sociais e na Rádio CBN.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo 41 3323 8900


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

7

vale a leitura!

Case: Clientes reclamavam que o restaurante só piorava… Veja o que a consultoria descobriu após pesquisar e avaliar o atendimento

D

izem que o sucesso de um restaurante se deve muito a forma como tratam seus clientes e, ainda mais importante, a forma como esses enxergam a oferta de serviços. Hoje reproduzimos uma história sobre como um estabelecimento tradicional descobriu um fato não só sobre seus clientes, mas sobre a sociedade moderna. Um restaurante famoso em Nova Iorque decidiu contratar uma empresa de consultoria para entender o porque seus clientes continuavam a mostrar insatisfação com o atendimento, e o que a empresa descobriu é bastante interessante. Abaixo está uma transcrição divulgada pelo restaurante após a descoberta.

Nós somos um restaurante bastante popular que está no ramo há muitos anos. No entanto, percebemos que apesar do número de clientes que atendemos atualmente seja praticamente o mesmo de 10 anos atrás, o serviço atual é muito mais lento, mesmo contratando mais funcionários e reduzindo o menu. As principais reclamações recebidas se referem a um serviço lento e pelo fato de os clientes precisarem aguardar mais tempo por uma mesa. Como muitos restaurantes de Nova York, nós possuímos um sistema de vigilância que grava tudo oque acontece aqui.Assim, a empresa de consultoria resolveu comparar um vídeo de 10 anos atrás a um atual para entender como os empregados estavam se comportando. Após análise cuidadosa dos 45 clientes atendidos no dia, podemos apresentar nossas descobertas:

Ano de 2004: Clientes entram no restaurante. Clientes sentam e recebem os cardápios. Dos 45 clintes atendidos, 3 pedem para sentar em outro lugar. Em média, os clientes demoram 8 minutos antes de chamar o garçom. Os garçons aparecem quase que imediatamente para receber o pedido. Aperitivos são entregues em menos de 6 minutos, sendo que os mais complexos leva um pouco mais de tempo. Dos 45 clientes, 2 enviam o pedido de volta a cozinha. Garçons ficam atentos aos clientes para responder rapidamente caso eles precisem de alguma coisa. Tempo médio gasto desde a chegada até a saída: 1:05

Ano de 2014: Clientes entram no restaurante. Clientes sentam e recebem os cardápios, Dos 45 clientes atendidos, 18 pedem para mudar de lugar. Antes de abrir o cardápio, os clientes pegam seus celulares. Alguns tiram fotos, enquanto outros simplesmente fazem qualquer coisa. 7 dos 45 clientes chamaram um garçom e mostraram algo no celular, tomando cerca de 5 minutos do tempo do garçom. Perguntamos a nossa equipe, e nos explicaram que os clientes estavam com problemas para utilizar o WiFi do restaurante e pediram ajuda. Finalmente os garçons vão à mesa para receber o pedido dos clientes. A maioria ainda nem abriu o cardápio e pedem por mais tempo. Clientes abrem o cardápio, colocam suas mãos sobre este e continuam a usar o celular. Garçom retorna para receber o pedido e novamente os clientes pedem mais tempo.

26 dos 45 clientes gastam em média 3 minutos tirando fotos da comida. 14 dos 45 clientes tiram fotos de si mesmo com a comida na frente deles ou enquanto comem. Essas fotos gastam cerca de 4 minutos, pois os clientes precisam analisar a foto ou tirar outras. 9 dos 45 clientes enviam sua comida de volta para a cozinha para ser reaquecida. Obviamente, se eles não ficassem no celular a comida não teria esfriado. 27 dos 45 clientes pediram ao garçom para tirar fotos em grupo. 14 deles pediram outra foto pois não estavam satisfeitos com a primeira. Em média, esse processo leva mais 5 minutos, fazendo com que o garçom não esteja disponível para as outras mesas. Após os clientes terminarem de comer, um total de 20 minutos é gasto até pedirem a conta. Ainda, após a cota ser entregue, os clientes levam 15 minutos a mais do que a 10 anos atrás para pagar e deixar o restaurante. 8 dos 45 clientes colidiram com outras mesas ou com garçons ao sair ( digitando enquanto andavam )

Finalmente eles estão prontos para fazer o pedido. Tempo médio gasto desde a chegada ate a saída é de 1:55 Tempo gasto na mesa até o pedido é de 21 minutos. A comida começa a ser entregue em minutos,sendo que quanto mais complexo mais tempo leva para ser entregue.

Fonte: http://webnoticiasnota10.blogspot.com.br


8

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

capital escolhida

Curitiba será sede do 26º Encontro Nacional da Abrasel No mês de julho de 2016, a capital paranaense vai receber os grandes nomes brasileiros do segmento da alimentação fora do lar

N

o início do mês de junho, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) anunciou a cidade de Curitiba como sede de seu 26º Encontro Nacional, que será realizado nos dias 05, 06 e 07 de julho de 2016. São quatro eventos anuais, prestigiando as cinco regiões brasileiras, onde os 26 estados organizam caravanas com milhares de profissionais e estudantes do segmento, é marcado por fóruns, palestras e diversas outras atividades voltadas para um dos principais mercados da economia nacional. “Curitiba recebeu o evento em 2005 e agora, depois de 10 anos, a capital paranaense foi escolhida novamente para recebe-lo. Nesse período, muitas coisas mudaram e para melhor, em destaque a estrutura turística, os bares e os restaurantes. Agora vamos trabalhar para surpreender e receber bem a todos que virão de todo o Brasil”, conta Luciano Bartolomeu, diretor executivo da Abrasel – PR. Por onde passa, o Encontro Nacional da Abrasel além de movimentar os amantes da gastronomia, traz inúmeros benefícios para as cidades sede. “Muito

tradicional, o evento tem um público fiel que percorre o país em busca de conhecimento. Durante os três dias do encontro Curitiba vai receber milhares de turistas que irão movimentar a economia da cidade. Além disso, milhões serão investidos na infraestrutura

do evento, gerando centenas de empregos diretos e indiretos”, detalha Bartolomeu. Para o diretor executivo da Abrasel – PR, a escolha de Curitiba como sede do 26º Encontro Nacional da Abrasel consolida a capital paranaense como um dos

principais polos gastronômicos e de entretenimento do país. “Nos últimos anos, Curitiba se posicionou com uma cidade extremamente contemporânea e com um perfil perfeito para pessoas que sonham em investir no segmento da alimentação fora do lar. A

cidade se transformou em uma grande referência, contando com bares e restaurantes fantásticos, e um público que sabe valorizar os serviços de excelência. Com isso, o nosso segmento tem se desenvolvido de maneira intensa e muito positiva”, completa.

VISÃO TÉCNICA: ESTABILIDADE ACIDENTÁRIA O artigo 118 da Lei 8.213/91, garante a estabilidade no emprego ao trabalhador que sofrer acidente de trabalho, pelo prazo mínimo de 12 (doze) meses após o afastamento pela Previdência Social. A estabilidade se estende ainda, aos casos de acidente de trajeto e doença profissional ou do trabalho, sendo que este prazo mínimo pode ser dilatado por instrumentos coletivos. Para que o colaborador receba o benefício do auxílio-doença acidentário é necessária a apresentação da CAT (Comunicação de Acidente do Trabalho) ao Instituto Previdenciário, sendo que sua emissão, a princípio, é obrigação da empresa (artigo 22 da referida lei), embora também possam emiti-la o sindicato da categoria, o médico que assistir o colaborador, autoridades locais ou mesmo o próprio segurado e seus dependentes. Entretanto, para ter direito a estabilidade de no mínimo 12 (doze) meses prevista na legislação são necessários preencher alguns requisitos: a incapacidade superior a 15 dias e a conseqüente

percepção do auxílio-doença acidentário. Abaixo uma jurisprudência do nosso Tribunal: “TRT-PR-15-05-2015 ACIDENTE DE TRABALHO. GARANTIA PROVISÓRIA DE EMPREGO. SÚMULA 378, II, DO TST. Nos termos da Súmula 378, II, do TST, são pressupostos para a garantia provisória de emprego decorrente de acidente de trabalho, a incapacidade superior a 15 dias e a consequente percepção do auxílio-doença acidentário. Assim, considerando que a redução da capacidade perdurou por apenas 12 dias e que não houve a percepção do auxílio doença acidentário, não há como se reconhecer o direito à estabilidade provisória prevista no art. 118 da Lei 8.213/91- TRT-PR-43134-2013-01509-00-8-ACO-14178-2015 - 6A. TURMA. Relator: FRANCISCO ROBERTO ERMEL. Publicado no DEJT em 15-05-2015.” A estabilidade acidentária adquirida trata-se de uma garantia ao emprego, não podendo o colaborador ser dispensado durante este período. Insta salientarmos que auxílio doença acidentário

e auxilio acidente são benefícios distintos, aquele é recebido enquanto durar a recuperação e este é um beneficio pago mensalmente pela previdência social, sem substituição do salário, após a consolidação das lesões decorrentes de acidente, se for verificado que existem seqüelas que impliquem redução da capacidade para o trabalho que habitualmente exercia. Sendo o que tínhamos para o momento, nos colocamos a disposição para esclarecimentos adicionais aos associados e filiados do Sindicato que poderão entrar em contato com a Área Trabalhista do nosso escritório. Janaina Alves Pereira – OAB/PR 36.701 – advogada trabalhista com mais de 10 anos de experiência, com especialização em Direito Material e Processual do Trabalho pela EMATRA/PR, coordenadora do Setor Trabalhista do escritório Andraus Advogados Associados.


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

9

Pressão política

Os vereadores e o turismo Entidades ligadas ao trade turístico querem mais atenção do legislativo municipal

N

o começo da segunda quinzena de junho cerca de 20 vereadores estiveram presentes em almoço no SEHA. A iniciativa foi do Sindicato em parceria com o CCVB - Curitiba Convention Bureau de Curitiba. O objetivo do encontro, que foi aberto pelo vereador Zé Maria, foi pleitear maior atenção do legislativo com relação à atividade turística em Curitiba. Necessidade defendida com entusiasmo pelo presidente do SEHA, o empresário João Jacob Mehl, que enfatizou mais de uma vez os diversos benefícios que o incremento e profissionalização no trato do turismo podem trazer à capital paranaense. Entre os assuntos abordados estavam a manutenção dos equipamentos turísticos abertos na segunda-feira, pontes de feriados; o fortalecimento do Instituto Curitiba de Turismo e o

Franklin Freitas

principal, a sugestão da criação de um fundo municipal para o setor. Para este último assunto, o presidente do CCVB, Adonai Aires de Arruda Filho, apresentou aos presentes modelos existentes, destacando as melhores práticas de cada um. Entre os vereadores presentes estavam Aladim Luciano, Dona Lourdes, Julieta Reis, Paulo Rink, Pier Petruziello, Sabino Picolo, Zé Maria, Beto Moraes, Bruno Pessuti, Cacá Pereira, Jonny Stica, Jairo Marcelino, Noemia Rocha, Cristiano Santos. Aldemir Manfron, Ailton Araújo, Gilson de Freitas, Pastor Valdemir, Tico Kuzma, José Carlos Chicarelli e Mestre Pop. Participaram ainda do almoço diversos empresários das áreas de hospedagem e alimentação e representantes e presidentes das entidades ABAV-PR, ABIH-PR, ABRABAR, ABRAJET-PR, ABRASEL-PR, SEBRAE, Sindetur-PR e Amopar.

O presidente do SEHA, João Jacob Mehl e o presidente do CCVB, Adonai Aires de Arruda Filho, escutando as palavras do presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Ailton Araújo.

10%: Com vícios de inconstitucionalidade, texto é aprovado, no Congresso Entidades se unem contra projeto que prejudica hotéis, bares e restaurantes

O

s presidentes da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio; da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL Nacional), Paulo Solmucci Jr. e da Associação Nacional de Restaurantes (ANR), Cristiano Melles, enviaram um ofício conjunto aos Ministros do Turismo, do Trabalho e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio solicitando que intervenham em nome dos estabelecimentos de hospedagem, alimentação preparada e bebidas a varejo junto à Presidência da República, para que a presidente Dilma Rousseff vete o Projeto de Lei nº 1048/91, que regulamenta a profissão de garçom. O motivo consiste na existência de vícios de inconstitucionalidade no texto aprovado pelo Congresso Nacional, debatido há 24 anos. O projeto transforma a contratação dos garçons em algo oneroso e burocrático, prejudicando tanto os empresários como os profissionais. Exigências como registro de quitação com o serviço militar, atestado médico provando que o contratado não tem doença contagiosa e apre-

sentação de declaração expedida pelo sindicato laboral de que o interessado exerce há mais de dois anos a atividade de servir clientes na área de alimentação e bebidas inviabiliza a entrada de muitos profissionais no mercado de trabalho, exigências não razoáveis e que colidem com o disposto no inciso XIII, do art 5º, da Constituição da República de 1988.

Além disso, o projeto traz um desequilíbrio econômicofinanceiro para todas as empresas do setor, uma vez que não prevê a cobertura de todos os encargos sociais e previdenciários. Segundo o texto, 20% do total arrecadado a título de gorjeta devem ser destinados à cobertura de gastos da empresa com encargos sociais e previdenciários e estabelece ainda

que 2% do total arrecadado deve ser repassado ao sindicato profissional. “A sanção do projeto com a redação atual representaria um retrocesso ao segmento de alimentação e bebidas. Estamos confiantes que o governo irá nos ouvir e nós acharemos uma solução justa ao impasse”, declarou Alexandre Sampaio, presidente da FBHA.

Secretário defende criação do Fundo Estadual do Turismo Lideranças políticas nacionais, estaduais e representantes do trade turístico participaram dia 22 de junho do Fórum Parlamentar do Turismo, realizado na Assembleia Legislativa do Paraná. Com o tema “Questões que afetam o desenvolvimento do turismo no Paraná”, o evento aconteceu com as presenças dos deputados membros da Comissão de Turismo da Câmara Federal, Alex Manente (presidente), Rubens Bueno (autor do requerimento), Moses Rodrigues, Hissa Abrahão, Herculano Passos, o presidente da comissão de Turismo da Assembleia Legislativa, deputado estadual Chico Brasileiro, o secretário do Esporte e do Turismo do Paraná, deputado Douglas Fabricio, o diretorpresidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes e demais lideranças. Um dos principais temas debatidos foi a criação de um fundo estadual especial para o turismo. A experiência, que foi bem sucedida nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, foi citada pelo secretário do Esporte e do Turismo Douglas Fabrício.


10

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

ENTREVISTA Julio Cesar Hezel

Crise deve chegar mais forte para bufês em 2016 Eventos de 2015 na sua maioria já estavam contratados, mas reservas para o ano que vem caíram, reflexo da situação que o país atravessa Por Pierpaolo Nota

O

Se não sabem de nada que acontece, não sei porque estão lá. Então pede para sair. Infelizmente perdemos uma grande oportunidade para mudar isso no final de 2014, agora temos que conviver e se ajustar com a situação.”

Diretor Financeiro do SEHA, Julio César Hezel, atendeu o Jornal do SEHA em seu consagrado bufê Nuvem de Coco. Em um bate papo leve e descontraído explicou um pouco do sucesso do negócio que administra, falou da necessidade de trabalhar para melhorar o ambiente empresarial que trabalhamos, sobre o descrédito total do governo federal, a crise e a existência sim de políticos bem intencionados, que inclusive convivem conosco. Por último, alinhado ainda com o discurso de posse do presidente João Jacob Mehl, defendeu a união do setor e a valorização do turismo no Paraná e no Brasil. Vale cada linha da leitura. Como iniciou sua atuação na área de bufês, é de família? Júlio César Hezel - Sim, meu pai e minha mãe iniciaram em 1978 em Maringá, desde então trabalho junto com eles, mesmo tendo outra profissão, hoje sou engenheiro eletrônico formado. Cheguei a trabalhar como engenheiro por seis anos, depois saí para ajudar minha esposa e minha irmã que abriram uma filial do bufê de Maringá aqui em Curitiba. O bufê ainda atua em Maringá? JCZ - Não, só em Curitiba. Em 1992 minha esposa e minha irmã abriram uma filial aqui e deu tão certo que em 95 a gente fechou em Maringá. A demanda de Curitiba cresceu muito rápido, como era um negócio pequeno, com o crescimento eu tive que assumir a administração do bufê. Em todos esses anos operando em Curitiba já fez alguma conta por alto de quantos casamentos, aniversários e eventos em geral já atenderam? JCZ - Esse tipo de conta a gente não faz. Mas se somar tudo que a gente já serviu acho que passa a população do Paraná, de

tanto evento que fizemos. Quando se comenta do Nuvem de Coco no mercado é sempre notado um respeito muito grande. Sabe-se que além da infraestrutura impecável e instalações grandiosas existe um segredo. Ter a mesma chef de cozinha desde que o bufê abriu suas portas faz diferença? JCZ - É de família, minha mãe, nossa Chef, deve ter recebido a orientação que meu vô materno sempre me passava. Ele sempre me falava: “você pode ser um catador de lixo, mas o dia que for um catador de lixo seja o melhor que você achar que deve ser”. Então a gente toma isso como filosofia de trabalho. Não só com a empresa, como passar para os funcionários, para os prestadores de serviço que entram aqui dentro do bufê para fazer o complemento: a floricultura, o som, que são todos terceirizados. Tentamos colocar que primeiro é necessário fazer o melhor seu. Segundo, com profissionalismo. Hoje existe muita gente no mercado que quer trabalhar mas não consegue implementar um profissionalismo no que são programados para fazer. Tudo isso fica junto, se soma, para dar o resultado final que você apresenta. Minha mãe nunca fez nenhum curso de chef de cozinha, mas é uma chef de mão cheia, respeitada pela grande maioria dos chefs de cozinha que a conhecem, tanto no Paraná quanto no Brasil. É interessante, a gente aqui no bufê faz um ano da pessoa, faz o casamento, faz a bodas de prata e chega a fazer a bodas de ouro. Agora mesmo em setembro vamos casar uma pessoa que fizemos a festa de um ano de idade. Isso mostra que mantivemos sempre o padrão de qualidade, mesmo com a verticalização. Toda vez que vamos verticalizar, temos que sempre pensar, vamos tentar verticalizar sem perder a qualidade. Se for para perder a qualidade vamos ter que buscar outro

caminho. Mas o que tem que sempre ter em foco é qualidade e profissionalismo. Muito bufês da cidade trabalham com cardápios engessados como sugestão para os clientes. O Nuvem de Coco trabalha com cardápio exclusivo. É o cliente que monta? JCZ - Nós não temos cardápio A, B ou C, cardápio ouro, prata, bronze. Meu cliente me dá inicialmente um feedback do que ele gosta, do que ele queria no evento dele em relação à gastronomia e em cima dessas informações iniciais montamos algumas opções exclusivas. Ele vem, degusta e escolhe sempre baseado na orientação da nossa chef de cozinha que é a Maria Isabel. Mesmo sem ter um cardápio fixo existem alguns pratos que são tradicionais do bufê, são o carro chefe? JCZ - Com certeza! Principalmente na parte dos fingers foods e coquetéis de entrada. O pastel de funghi, o camarão no coco ao molho de manga, a brochete de camarão com salmão fumado. São produtos carros chefes nossos que não podem deixar de ter em uma entrada de um jantar ou em um coquetel. São criações que vem desde 1978 e que todo mundo elogia e quer comer. E quando não tem me chamam no salão para perguntar por que não tem. E eu explico que o cliente não escolheu aquilo para servir. Com todo esse trabalho, como ainda arranjar tempo para dedicar ao SEHA? JCZ -Eu defendo a classe desde 99. No sindicato já estou há dez anos, desde 2005. Nós conhecemos muita gente do ramo, trabalhamos para melhorar o ambiente empresarial de quem mexe com gastronomia. Ao mesmo tempo que somos concorrentes, devemos ser parceiros também. Porque existe o governo contra nós, os fornece-

dores querem sempre maximizar o lucro em cima da venda deles. E se a gente tiver uma união de classe para debater e tentar resolver os problemas comuns de todo mundo, vai ser benéfico para todos. Por isso que sempre me engajei e estou sempre à disposição de entidades como o SEHA, associações como a Abrasel. Estou sempre disposto a ajudar para melhorar o ambiente empresarial do nosso setor. Ser Diretor Financeiro do sindicato é uma grande responsabilidade. JCZ - É como o próprio presidente diz, se todo mundo quiser sair quem não pode abandonar o barco é o presidente e o diretor financeiro. Estou lá para ajudar de todas as formas. A crise chegou para todo mundo. Estamos em uma situação difícil do país e os sindicatos também precisam de dinheiro para funcionar. Precisamos de arrecadação. Mas para ter arrecadação, precisamos dizer para que estamos lá. E isso estamos tentando mostrar para todos os associados e não associados para trazê-los para dentro do sindicato. Porque estamos fazendo uma gestão principalmente de agregar politicamente e tentar trazer para dentro de nosso ambiente empresarial de hotelaria e gastronomia um clima mais positivo, de avanço. E isso só agregando entidades, cobrando políticos de trabalhos que deveriam beneficiar o turismo e a gastronomia da cidade. Estamos buscando nessa administração esse tipo de consagração e de união. Quando vamos buscar um associado novo para o sindicato, por uma mensalidade que considero irrisória, mesmo assim temos que mostrar o que oferecemos a ele, o que estamos fazendo em prol dele. O sindicato não é só você chegar lá e discutir reajuste salarial. Isso é uma das coisas que a gente faz lá dentro. Inclusive, bem desgastante.


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

A função do patronal mudou de um tempo para cá? JCZ - Temos várias prioridades lá dentro. O sindicato precisa atuar. Existem entidades como Abrasel, Amopar, ABIH, que são associações, que estão dentro do nosso setor, mas a entidade máxima é o sindicato. Temos que representar politicamente e economicamente todo o setor. Tanto na parte de políticas estaduais, municipais, quanto federais. E o sindicato estando em baixo de uma Federação forte, como hoje estamos, junto com a bancada do turismo que temos dentro do Congresso Nacional, busca trazer benefícios gerais para o setor de turismo e gastronomia do Paraná. O setor de bufês está sofrendo com a crise? JCZ - Uma parte. Eventos empresariais que são pautados no ano concorrente, sim, Esses eventos reduziriam e a negociação está mais dura e mais complicada. A parte social, que seria casamentos, 15 anos, bodas, a grande maioria dos bufês que estão com esses eventos este ano foram contratados em 2014. O reflexo desse setor vai ser sentido lá em 2016. Porque quem está contratando hoje um casamento, está contratando para final de 2015 ou 2016. É fato que esse é o pior ano para nosso mercado desde que entrou em vigor o plano real.

Já foi sentida uma queda nessas reservas? JCZ - Na procura. No primeiro semestre de 2016 caiu bastante a procura. O pessoal está mais receoso. Já estamos esperando e nos programando para o início do ano que vem, que vai ser bem mais difícil. Chegamos nesse ponto devido à má administração pública? JCZ - Acho que não é nem tanto a má administração, é o descrédito do governo. Foi um governo que entrou para mudar tudo no país, só que mudou para pior. O governo não tem mais crédito para nada, só escutamos notícias de corrupção e roubo, em todos os níveis que você imagina. Além de políticas econômicas equivocadas que eram faladas e alardeadas por todo mundo e não foi dado ouvidos. Mas hoje o que mais prejudica o país é a falta de credibilidade que o governo federal tem. Além de crise financeira atravessamos então uma crise de confiança? JCZ - A principal crise nossa é a de confiança. Se não houver uma mudança radical do governo, da sua postura, se continuarem falando que não aconteceu, apenas atacando a mídia, o agente que mostra para o povo os absurdos, ao invés de atacar o fato ocorrido, sem admitir que as coisas estão sendo feitas de

maneira completamente equivocada e distorcida, não vamos sair do lugar. Não assumem nada, não lembram de nada e nunca fizeram nada. Tem uma crise ética no ar também? JCZ - Exato, se não sabem de nada que acontece, não sei porque estão lá. Então pede para sair. Infelizmente perdemos uma grande oportunidade para mudar isso no final de 2014, agora temos que conviver e se ajustar com a situação. Acredita no impeachment da presidente Dilma? JCZ - Não acredito. Acredito mais que ela peça para sair do que no próprio impeachment. Porque a credibilidade está tão baixa que ela não tem mais condição nenhuma de administrar o país. Existem ainda políticos bem intencionados? JCZ - Com certeza. No próprio Paraná temos vários que trabalham sério, convivemos com eles. Não é só gente ruim que cai na política. Em todos os níveis da sociedade existe gente boa e ruim. Nós temos que saber filtrar e saber analisar o que é bom e o que é ruim. Qual o recado para os empresários dos ramos de hotelaria e alimentação para superar esse

momento difícil? JCZ - Inicialmente união. Eu acho que o setor do turismo só cresce, mas é muito pouco valorizado no Brasil e no Paraná. O mundo inteiro está valorizando o turismo, pela criação do número de empregos, que não depende muito de commodities, de alta tecnologia, depende de serviço. Temos num povo receptivo, o que precisamos, principalmente em Curitiba, é união da categoria. Quando falo que a nossa comercial vai visitar um empresário e ele diz que não pode pagar 90 reais para um sindicato empresarial que está procurando representá-lo em todos os níveis, não aceito esse tipo de coisa. A gente dedica parte do nosso tempo de trabalho para uma categoria que quer ver crescer, quer ver o ramo de hotelaria e gastronomia de Curitiba cada vez melhor. Crescemos muito nos últimos anos e podemos crescer mais, só que para isso precisamos de união, não basta depois do acordo salarial feito passar a mão no telefone e reclamar. O SEHA está aberto para todos os empresários. O presidente já deixou isso claro em todas as entrevistas que ele deu. Estamos abertos a todos que queiram estar conosco ajudando a fazer o setor crescer, ser reconhecido e respeitado por todos os níveis da sociedade. Inclusive o político.

11

Quando um empresário diz que não pode pagar 90 reais para um sindicato empresarial que está procurando representá-lo em todos os níveis, não aceito.”


12

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

música

Limitações ao Ecad Estado reassume o papel de fiscalizador da gestão coletiva de direitos autorais

P

ublicado no Diário Oficial da União do dia 23 de junho, o Decreto 8.469/2015 regulamentou a lei da Gestão Coletiva do Direitos Autorais (nº 12.853/13). Com isso, o Estado reassume o papel de fiscalizador da gestão coletiva de direitos autorais e institui limitações ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), bem como às associações que o integram. A nova legislação apresenta mudanças na estrutura de arrecadação de direitos autorais. O Ecad e as associações arrecadadoras deverão obedecer a novas regras de transparência. Uma delas é a liberação, ao público e aos associados, de informações sobre obras, além da divulgação em seus sites de cálculos e critérios de cobrança, regulamentos de arrecadação e distribuição. Outra exigência é que usuários de obras que demandam o

Degustação de vinhos no SEHA Com apresentação de Julio Fernandes, diretor comercial da Vinícola Justino Madeira

pagamento de direito autoral, como restaurantes, cinemas e lojas, informem e tornem pública a relação completa do conteúdo que utilizarem, para permitir a distribuição transparente de valores. As associações deverão criar um cadastro unificado de

obras e titulares, para evitar duplicidade de títulos e fraudes. O SEHA está acompanhando a mudança bem de perto e em breve vai trazer mais notícias sobre o assunto, que por enquanto ainda gera algumas dúvidas.

Festival de Inverno do Centro Histórico começa dia nove

Curitiba, uma das capitais mais frias do Brasil, vai receber os turistas no período de nove a 18 de julho com o Festival de Inverno do Centro Histórico. O evento vai oferecer uma ampla programação, além de reunir mais de 20 estabelecimentos de moda, gastronomia, cultura, serviços e bem-estar,

O público poderá apreciar pratos à base de pinhão, degustar cervejas especiais, aproveitar apresentações musicais e artísticas, exposições de arte e fotografia e danças folclóricas. A organização é da Rede Empresarial do Centro Histórico de Curitiba. Para conferir a programação completa vale acessar o site www.centrohistoricodecuritiba.com.br.

Uma parceria da Associação Brasileira de Sommeliers, secccional Paraná, com a importadora Porto a Porto traz ao salão de eventos do SEHA, no próximo dia 11, o executivo Julio Fernandes, diretor comercial da Vinícola Justino Madeira, uma das mais antigas empresas produtoras e exportadoras do português Vinho da Madeira, um dos mais interessantes vinhos fortificados produzidos no mundo. Elaborado na Região Demarcada da Madeira, geralmente utiliza castas regionais como Malvasia, Boal, Verdelho, Sercial e Negra Mole, possui aromas refinados e um final extremamente longo e agradável em boca. Os estilos podem variar assim como o grau de doçura – o Madeira vai de seco a doce. É ideal para ser degustado como aperitivo e perfeito para acompanhar sobremesas, principalmente à base de chocolate.

A Vinícola Justino’s Madeira está estabelecida na Ilha desde 1870 e é considerada uma das mais antigas da região. Ocupa uma posição de destaque nos mercados internacionais, pois em 1993 se associou a um dos maiores grupos franceses de produção e distribuição de bebidas. Foram construídas novas instalações com o objetivo de melhorar a vinificação, produção e envelhecimento do vinho, de modo a conjugar os métodos tradicionais com a mais avançada tecnologia disponível. Para saber mais e participar, informações diretamente no SEHA, através do 41 3323 8900.

A ilha portuguesa da Madeira forma um arquipélago com a Ilha de Porto Santo e com as Ilhas Deserta e Selvagens, no Oceano Atlântico. Desde que os primeiros colonizadores pisaram em terra eles estavam acompanhados de mudas de videiras que existiam no Norte de Portugal, entre elas, a Malvasia. O relevo acidentado faz com que as uvas sejam plantadas no sistema latada, ou seja, as plantas ficam paralelas ao chão e as uvas são colhidas manualmente - é na Ilha da Madeira aquela impressionante paisagem que lembra escadas nas montanhas. O solo de origem vulcânica, a proximidade com o mar e o processo único de produção são alguns dos fatores responsáveis pelas características exclusivas do vinho Madeira. Tradicionalmente, o processo de fermentação é interrompido pela adição de álcool vínico. O momento em que essa adição acontecerá é o que determina o estilo e o grau de doçura do vinho pretendido: seco, meio seco, meio doce e doce. Os estilos de vinho Madeira podem ser produzidos através de um corte de uvas, sendo a Tinta Negra a mais utilizada, ou ainda a partir de uma única casta, como Malvasia, Boal, Verdelho, Terrantez e Sercial.


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

tributação

13

Nota Fiscal Eletrônica obrigatória Prazo máximo para restaurantes, bares e similares aderirem é só até 1º de julho

A

té janeiro de 2016, o tradicional cupom fiscal e a nota fiscal de venda ao consumidor serão substituídos pela Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e). A resolução 145, publicada em Diário Oficial, é a que estabelece a obrigatoriedade da adoção da NFC-e a todos os estabelecimentos de varejo do estado. São cerca de 203 mil empresas. Estão fora da exigência apenas os Micro Empreendedores Individuais (MEIs). No Brasil, praticamente todos os estados já usam a NFC-e. E no escalonamento de datas que obrigam diversos setores a se adaptarem a resolução dia 1º

de agosto entram restaurantes e similares; bares e outros restaurantes especializados em servir bebidas; lanchonetes, casas de chás, de sucos e similares; serviços ambulantes de alimentação; serviços que forneçam alimentos preparados preponderantemente para empresas; serviços para alimentação de eventos e recepções (bufês); cantinas e serviços de fornecimento de alimentos preparados para consumo domiciliar. Para maiores informações e dicas sobre o assunto empresários do ramo da alimentação devem entrar em contato diretamente com o SEHA, através do 41 3323 8900.

Mais de 200 fornecedores e milhares de compradores reunidos para fazer negócios, parcerias duradouras e pavimentar o futuro da preparação de alimentos, bebidas, hospedagem e prestação de serviços. Participe!

De 25 a 27 de fevereiro de 2016, no Expotrade

Mais informações www.diretriz.com.br


14

Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

Foz do Iguaçu

Festival de Turismo das Cataratas: Dez anos bem organizados e comemorados Participação em todas às áreas superou expectativas, próxima edição já está sendo trabalhada Pierpaolo Nota

O

10º Festival de Turismo das Cataratas, que aconteceu de 17 a 19 de junho em Foz do Iguaçu, contou com 6.295 pessoas inscritas, mais de 600 marcas expositoras e 194 trabalhos apresentados no 9º Fórum Internacional de Turismo do Iguassu. Números relevantes! Outro dado histórico dessa décima edição foi a participação de 53 caravanas, formadas por agentes de viagem, operadores turísticos, estudantes, jornalistas e profissionais de turismo de mais de 60 municípios de diferentes regiões brasileiras, além de cidades de outros três países (Argentina, Paraguai e Uruguai). O coordenador do Festival de Turismo das Cataratas, Paulo Angeli, ressaltou que o resultado alcançado é fruto de muitos meses de planejamento e organização para atrair gente de todas as regiões do Brasil e de outros países. “Além da feira de negócios, realizamos mais de 35 atividades paralelas, incluindo encontros nacionais de entidades”, afirmou. Angeli disse que a equipe já começa a trabalhar para “que a próxima edição seja melhor. Nosso termômetro de qualidade são os expositores, onde conversamos muito durante o festival. A grande maioria elogiou a feira pelo volume de expositores e a presença marcante de participantes”. O SEHA era um dos apoiadores e estava lá marcando presença.

Momento do hino nacional na abertura do festival

Hotel Show: Foco no mercado hoteleiro Evento contou com palestras, cursos e feira de produtos e serviços Em semana movimentada em Foz do Iguaçu, de 17 a 19 de junho o trade turístico também pode acompanhar a Hotel Show 2015, que aconteceu no espaço de eventos do Golden Tulip Internacional Foz. O evento foi promovido pelo SEHA e Sindhoteis Foz e reuniu as principais lideranças e empresários dos segmentos alcançados pelos dois entes sindicais, com programação de palestras, cursos e feira de produtos e serviços.Além de apresentar novidades para o setor hoteleiro fez parte da programação oficial do evento a reunião da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação-FBHA, comandada pelo presidente da instituição, o empresário carioca Alexandre Sampaio. O encontro teve como eixo de debate o tema “FBHA – Excelência na Qualidade em Serviços para Hospedagem e Alimentação”. Um dos destaques do evento foi a Cozinha Show, um “corner” montado em forma de cozinha onde diversos chefs ministraram cursos rápidos de todo tipo de gastronomia.

Pierpaolo Nota

Abertura da Hotel Show 2015


Curitiba, 1ª quinzena de julho de 2015

15

Novos profissionais

ABS-PR e SEHA têm parceria para formar sommeliers Curso é considerado o mais completo do sul do Brasil

A

ABS-PR - Associação Brasileira de Sommelier, realiza em parceria com o SEHA - Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, várias ações em prol do mundo do vinho e gastronomia, para benefício dos seus parceiros e associados. O curso de sommelier, consagrado por ser o mais completo do sul do Brasil, no mês de junho recebeu a visita de grandes nomes da produção de vinhos de alta categoria.

Primeiro foi a vinícola Quinta da Ravasqueira do Alentejo em Portugal, representados no evento pelo diretor de marketing João Avelar. Depois recebeu a vinicola da região de Graves em Bordeaux Domaine Dennis Debourdier, representado pela quarta geração da família, o enólogo e co-proprietário Jean Jacques Debourdier. Para julho já está confirmada a presença da vinícola Justinu´s, da Ilha da Madeira, no dia 11.

Somando Forças com o SEHA a ABS-PR já recebeu a visita de mais de 20 produtores do mundo todo, além de já ter formado para o mercado de trabalho dezenas de profissionais capacitados para atuar como responsáveis pelo vinho e outras bebidas em restaurantes e hotéis do nosso

estado. “É fundamental a parceria entre ambas as entidades, sem ela muitas de nossas ações não seriam possíveis. Vale um agradecimento em especial ao presidente do SEHA, Jacob Mhel, que sempre nos apoia, além de toda a equipe administrativa do sindicato”, afirmou Fábio

Associe-se ao seha e conte com assessoria jurídica gratuita

Conte também com acompanhamento em ações trabalhistas

Carnielli, diretor executivo da ABS-PR. Para saber mais e participar dos cursos entre em contato diretamente com o SEHA, através do 41 3323 8900 com a Maria ou com a ABS-PR, nos celulares 41 9611 0473 com o Fábio ou 41 9800 2032 com o Wagner.


16

Curitiba, 1ÂŞ quinzena de julho de 2015

Jornal seha ed 008  
Advertisement