Page 1

Cartas Premiadas

Jornal

Abertas inscrições para o prêmio Prazeres da Mesa Pág. 06

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015 | Edição 01

sommelier

ENTREVISTA | DOUGLAS FABRÍCIO

É hora de acreditar, investir. Já tivemos crises piores “Novo secretário de Esporte e Turismo fala com exclusividade sobre problemas, desafios e planos futuros”

Participe do Curso de Sommelier, que dura 10 meses e está programado para começar dia nove de março, com aula toda segunda e quarta-feira. Associados tem preço diferenciado.

DOUGLAS FABRÍCIO: “Por não ser uma pasta que a população está ali na frente gritando ‘queremos mais turismo’, ‘queremos mais esporte’, nós acabamos infelizmente tendo uma parcela menor no orçamento. Mas isso não é um motivo para desanimar.” Págs. 08 e 09

reconhecimento

direito

urbanismo

Principal premiação do trade turístico do PR está apurando os destaques de 2014

Veja como deve funcionar a compensação de jornada de trabalho

Curitiba regulamenta o uso do recuo das calçadas. Luta antiga do setor gastronômico

Página 06

Página 15

Página 05


2

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

Editorial

Classificação

TRABALHO CONSTANTE Viva! Estamos circulando. Está nas ruas a edição número 1 do Jornal do SEHA, o veículo oficial do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação. Com ele pretendemos informar e orientar nossos associados, fomentar os fornecedores que atendem os setores de hospedagem a alimentação e aproximar todo o trade, unificando o trabalho de entidades ligadas ao turismo no Paraná, sempre buscando atingir objetivos maiores e fundamentais para o crescimento do turismo em nossa região. Para isso, mais do que falar, é necessário fazer, e isso já começamos. É foco hoje do Sindicato a viabilização de várias Parcerias Público Privadas, as conhecidas PPPs. Em épocas em que não é possível contar com investimentos governamentais, cabe a nós empresários viabilizar negócios que garantam o futuro e bom andamento dos setores que atuamos. A boa notícia é que já estamos com conversas adiantadas com empresários interessados em investir. A ponte com o governo também já foi feita e muito em breve é provável que tenhamos boas notícias para anunciar, fruto de muita trabalho e acertos. No mais, garanto a todos que a leitura está prazerosa. Entre temas polêmicos e outros nem tanto, acompanhe a entrevista no novo Secretário do Estado do Esporte

e Turismo, Douglas Fabricio. Sem correr das perguntas, respondeu sobre a falta de verbas de sua pasta, o futuro do Centro de Convenções, as obras atrasadas no aeroporto, a inoperância do Ginásio do Tarumã, problemas de receptivo no Porto de Paranaguá, entre outros. Em uma linha mais descontraída, saiba que o site da revista Forbes incluiu cinco cervejas de Curitiba entre as melhores de uma lista de 30 comercializadas no Brasil, informe-se sobre o Prêmio Prazeres da Mesa e o Prêmio Panorama do Turismo/Profissionais do Ano e tenha acesso ao calendário com os principais eventos do trade em 2015. Saiba que foi regulamentado o uso dos recuos frontais para bares e restaurantes, mais uma vitória da classe. Continuamos também de olho na polêmica questão dos 10% dos garçons e na regulamentação dos food trucks na cidade. Ou seja, um panorama completo de tudo que está rodeando o mercado de hospedagem e alimentação e o trade turístico paranaense. É para isso que o Jornal do SEHA foi criado. E todos que estejam interessados em trazer gente para Curitiba, para lotar hotéis, restaurantes e bares, tem lugar garantido na nossa publicação. Ótima leitura e um excelente março a todos.

Objetivo é enquadrar estabelecimentos como meios de hospedagem

C

om o objetivo de enquadrar os motéis como meios de hospedagem alternativos, a Associação Brasileira de Motéis encaminhou uma carta ao Ministério do Turismo na qual pede a revisão do artigo 25 da Lei do Turismo nº 11.771/08, que define os tipos e categorias de classificação e qualificação de empreendimentos e estabelecimentos de hospedagem. De acordo com o documento, os motéis são “uma ótima opção com qualidade e atendimento profissionalizado para enfrentar esta demanda (de grandes eventos, como a Copa do Mundo, Fórmula 1 e grandes shows)”. E afirma ainda que “os motéis não têm a pretensão de competir com hotel, cada um tem seu público e mercado”. A associação acredita que a inserção dos motéis na lei geral motivará os empresários a investirem R$ 100 milhões em projetos novos, reformas, mão de obra e material de construção. O mercado moteleiro no Brasil possui hoje aproximadamente cinco mil empreendi-

mentos, movimenta R$ 4 bilhões por ano, e gera cerca de 250 mil empregos diretos e mais de 300 mil indiretos. “Nos dias de hoje, 30% da ocupação em motéis já é com diárias que excedem 12 ou 24

horas, e até para três a cinco dias de hospedagem podendo sair com seu veículo e retornar quando queira, com sistema de café da manhã e reservas semelhante aos dos hotéis”, diz o documento.

João Jacob Mehl

EXPEDIENTE Jornalista Resonsável Pierpaolo Nota Edição Eliseu Tisato

Rua Júlia da Costa, 64 - São Francisco - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3022-2642 www.seha.com.br

GESTÃO 2014-2018 João Jacob Mehl Presidente Lincoln T. Isahias Tarquínio Vice-Presidente  Andersen Prado Vice-Presidente para assuntos de Alimentos e Bebidas/Buffet Zelir Tadeu Massuchin Vice-Presidente para assuntos de Hotelaria e Hospedagem Marilisa Bigarella Vice-Presidente para assuntos de Motéis  Gustavo T Andrade Vice-Presid. para assuntos de Entretenimento e Lazer  Orlando Kubo Diretor Secretário Geral  Julio César Hezel Diretor Financeiro Adelardo Telles Neto Diretor para assuntos de Pizzarias e Deliveries 

Moteis pedem revisão na Lei do Turismo

Aguilar Borsato Silva Diretor Carlos Roberto Madalosso Diretor para assuntos de Turismo Ernesto Villela Neto Diretor para assuntos Governamentais  Henrique Lenz Cesar Filho Diretor para assuntos Grandes Eventos  Jacques Raul Rigler Diretor para assuntos Tributários e Fast Food  João Ernesto Strapasson Diretor Marco Antônio Fatuch Diretor Delegado  Paulo Sérgio Gralak Diretor de Patrimônio  Conselho Fiscal: Jonel Chede Filho, Alceu A Vezozzo Filho e Luiz Fernando P de Aguiar Conselho Fiscal Suplente:  Jayme Canet Neto e Joel Malucelli

Os sempre bem-vindos novos sócios Velha Napolitana Motel Sol Hotel Garden Pizzaria La Fanny Zezitos Bar Devon’s

Fogo Forte Mercatu da Pizza Dogs House Motel Tarot Buffet Nova Curitiba

Associados aniversariantes da 1ª quinzena de março Dia 02/03

Claudio Kenji Miyashiro, do Motel Mirai e Charm

Dia 05/03

Julio Cezar Hezel, do Buffet Nuvem de Coco

Dia 07/03

Mayra Perboni, do Spa Givita

Dia 11/03

Sergio Yasumoto, do Jo Batel Buffet e Restaurante

Dia 11/03

Jacson Vendruscolo, do Motel Chavelle

Dia 13/03

Mozart Taborda Stokler França, do Taurus Hoteis e Turismo

Vida longa!


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

3

Celeiro de cervejeiros Da capital paranaense para o mundo

Q

ue cervejas especiais viraram uma grande febre, não é novidade. Mas que cinco das melhores cervejas disponíveis no país, incluindo as importadas, são feitas em Curitiba, pouca gente sabia. A constatação é do site da revista Forbes, especializada em negócios e finanças, que publicou uma reportagem sobre o mercado da bebida no Brasil, citando os 30 melhores rótulos. Direto aqui da capital paranaense figuram na lista a Double Vienna e Hop Arabica, da Morada Cia Etílica; Perigosa e Cacau IPA, da Cervejaria Bodebrown e Dum Petroleum, da Dum Cervejaria. Tem mais, a Morada Hop Arabica, produzida em parceria pelos empresários e mestres-cervejeiros André Junqueira e Fernanda Lazzari e o Lucca Café (que escolheu o grão e fez a preparação do café), ficou na segunda posição no ranking, perdendo apenas para a belga Duchesse de Bourgogne. O levantamento tomou como base o site de avaliações AllBeers.

Confira a lista das 30 melhores 1. Duchesse de Bourgogne (Bélgica) 2. Morada Hop Arabica (Brasil) 3. Colorado Ithaca (Brasil) 4. North Coast Old Rasputin Russian Imperial Stout (EUA) 5. Morada Double Vienna (Brasil) 6. Tripel Karmeliet (Bélgica) 7. Tupiniquim Omnipollo Polimango (Brasil) 8. Chimay Bleue (Bélgica) 9. Bodebrown Cacau IPA (Brasil) 10. Ballast Point Sculpin IPA (EUA) 11. Brewdog Punk IPA (Reino Unido) 12. Schornstein IPA (Brasil) 13. Bierland Vienna (Brasil) 14. Eisenbahn 5 (Brasil) 15. Orval (Bélgica) 16. Cafuza Imperial India Black Ale (Brasil) 17. Wals Dubbel (Brasil) 18. Seasons Green Cow IPA (Brasil) 19. Jupiter American Pale Ale (Brasil) 20. Eisenbahn Lust (Brasil) 21. Dum Petroleum (Brasil) 22. Mula IPA (Brasil) 23. Wals Session Citra (Brasil) 24. Bodebrown Perigosa (Brasil) 25. Duvel (Bélgica) 26. Bamberg Franconian Rhapsody (Brasil) 27. Delirium Tremens (Bélgica) 28. Burgman Casanova (Brasil) 29. Landel Session IPA (Brasil) 30. Tally-Ho (Reino Unido)

Cerva com identidade e qualidade Revisão dos padrões da cerveja é encaminhada ao Mercosul A proposta de revisão foi encaminhada ao Mercosul no final do ano passado. No Brasil, a cerveja segue a legislação do bloco, aprovada em 2001, e qualquer aprovação precisa ser aprovada em conjunto. Participaram da elaboração do documento o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e cervejeiros de todo Brasil, que se manifestaram através de consulta pública. A revisão inclui a regulamentação da cerveja sem álcool e também um projeto para simplificar a definição do que é cerveja. Além disso, a tão esperada alteração para incluir ingredientes de origem animal na receita, mudança que trará mais competitividade ao mercado nacional com relação ás cervejas importadas. A expectativa agora é que a proposta brasileira seja incluída na agenda da Comissão de Alimentos do Mercosul em 2015.


4

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

previsão para 2015

Eventos em Curitiba devem reunir mais de 320 mil participantes Estimativa é que os turistas gastem quase R$ 168 milhões ao longo do ano

C

uritiba terá aumento significativo no número de eventos, turistas e receita previstos em comparação com o ano anterior. O CCVB – Curitiba, Região e Litoral Convention & Visitors Bureau estima que, em 2015, a capital paranaense irá superar  300 eventos técnicocientíficos e comerciais em seu calendário segmentado. Mais de 320 mil pessoas devem participar de congressos,

simpósios e feiras na cidade. Destes, 128 mil deverão ser turistas da área de negócios. Entre gastos gerais em hospedagem, alimentação, transporte e compras, os eventos injetarão quase R$ 168 milhões na economia local. “Receberemos grandes congressos brasileiros e internacionais este ano, como o Congresso Brasileiro de Cardiologia, Congresso Brasileiro de Cirurgia, Congresso Brasileiro de Masto-

logia, Congresso Internacional de Amor Exigente e o International Conference on Optical Fiber Sensors”, comenta Tatiana Turra, diretora executiva do CCVB. No calendário 2015, os eventos da área de saúde são a maioria, mas os setores da educação, indústria, comércio e serviços crescem representativamente em Curitiba. Entre 2011 e 2014, os da área médica representavam 25% do total dos eventos técnico-

Calendário com os principais eventos Mês

Dias

Evento

Local

Março

05 a 07

21º Salão Paranaense de Turismo

Expo Unimed Curitiba

Março

13 a 15

XVII Conferência Estadual Espírita

Expotrade

Março

16 a 20

II Simpósio de Literatura Negra IberoAmericana

UFPR

Março

26 a 28

SBCCV 2015 - 42º Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Expo Unimed Curitiba

Mar/Abril

30/03 a 01/04

Latin American Cereal Conference – LACC3

Expo Unimed Curitiba

Abril

07 a 10

5º Simpósio Internacional do Leite Integral

Expo Unimed Curitiba

Abril

8

6º Simpósio SAE BRASIL de Sistemas de Manufatura - Seção Paraná e Santa Catarina

Teatro Positivo - Pequeno Auditório

Abril

8 a 11

3ª Feira do Complexo Agroindustrial da Cadeia Produtiva de Hortaliças, Frutas e Flores

Expotrade Pinhais

cientificos, enquanto congressos promovidos por instituições da indústria, comércio e serviços representaram 15%. Os temas educacionais chegavam a 9%. Para Rubens Zago,  empresário há três anos no segmento de feiras   e um  dos idealizadores da Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal (Fipppa), que será realizada em abril deste ano em Curitiba, há um amplo mercado de feiras e eventos na cidade. “Estamos promovendo a Fipppa, voltada às carnes suína, bovina e de aves em 2015, mas também trataremos de pescado em 2016. Há uma demanda, e Curitiba, devido à localização, proporciona um grande número de visitantes”. Calendário de Eventos CCVB O calendário é de responsabilidade da Gerência de Eventos do

Abril

14 a 16

MERCOSUPER 2015 - 34ª Feira e Convenção Paranaense de Supermercados

Expotrade Pinhais

Abril

18 a 20

6º CONGRESSO BRASILEIRO DE DENSITOMETRIA, OSTEOPOROSE E OSTEOMETABOLISMO - BRADOO

Expo Unimed Curitiba

Abril

24 a 25

42º CONGRESSO PARANAENSE DE CARDIOLOGIA

Expo Unimed Curitiba

Abril

28 a 30

FIPPPA - Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal / FEIRA DA INDÚSTRIA LATINOAMERICANA DE AVES E SUÍNOS / 4ª Feira Biomassa e Bioenergia

Expotrade

Abril

28 e 29

2º Simpósio Internacional de Reúso de Água

Universidade Positivo

Abril

29

3ª Brazil Promotion Day Curitiba

Fiep - Federação das Indústrias do Estado do Paraná

CCVB, que reúne as informações mediante as candidaturas efetivas de acontecimentos para a cidade. A partir daí, é possível prever a realização de um congresso com até quatro anos de antecedência. Além disso, a equipe realiza troca de calendários entre os mantenedores e parceiros, pesquisa junto a promotores e organizadores de eventos e oferece suporte às entidades para captação de novos acontecimentos. A antecipação e a condição segmentada em eventos técnicocientíficos e comerciais do calendário – correspondente a  75  % dos eventos nele inserido – fazem com que seja uma importante fonte de dados estatísticos, de organização do setor e ferramenta comercial para as empresas associadas ao CCVB. Os mantenedores têm acesso à versão completa do calendário em área exclusiva.


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

5

Pioneira

Curitiba é a primeira cidade brasileira a regulamentar o uso do recuo Lei que poderia comprometer o orçamento de bares, lanchonetes e restaurantes curitibanos foi tema de várias reuniões e estudos

A

pós meses de muita conversa, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Paraná (Abrasel – PR) e a Prefeitura Municipal de Curitiba chegaram a um acordo sobre a nova lei que regulamenta a cobrança de valores mensais para que bares, lanchonetes e restaurantes da capital paranaense possam utilizar de maneira legal os recuos frontais. Os empresários do segmento demonstravam muita preocupação com relação à medida, mas ficaram satisfeitos com o modelo assinado. A taxa aprovada leva em consideração a utilização dos recuos frontais que avancem os cinco metros entre a rua e a construção, previstos na regulamentação municipal. “Em nenhuma parte do Brasil o era cobrado qualquer valor sobre a utilização do recuo e muito menos existia uma regulamentação, e isso nos deixou muito preocupados, pois muitos empreendimentos seriam prejudicados caso ocorresse uma cobrança exagerada. Após muitas conversas com diversos representantes da prefeitura, com destaque para a equipe da Secretaria do Urbanismo, chegamos a valores interessantes para os dois lados envolvidos, já que agora regulamentamos essa utilização”, comenta a presidente do conselho de administração da Abrasel – PR, Jilcy Rink. Para Marcelo Woellner Pereira, presidente do conselho estadual da Abrasel – PR, o decreto 179 de 2015 vai trazer tranquilidade e segurança para os mais de 1.200 restaurantes na capital paranaense que adotam o espaço do recuo como um local de lazer e confraternização. “Os agentes transformadores e empreendedores conseguiram mais um grande avanço. Seremos exemplo para o Brasil, pois Curitiba está sendo inovadora. Este novo decreto, que acompanha a evolução das cidades, é um serviço de utilidade pública. Os estabelecimentos que utilizam

recuo não possuem registros de delito nesta área que os clientes tanto gostam de utilizar. A Abrasel espera que essa política empresarial possa agradar a maior parte dos empresários. Agradecemos a Prefeitura, a Secretaria de Urbanismo e os vereadores por terem aceitado nossas colocações, em um momento difícil, de maneira sensata, trazendo benefícios para nosso setor e para a cidade”, detalha Pereira. A partir do mês de março, os estabelecimentos irão pagar mensalmente entre R$ 5 e R$ 12,50 (dependendo do bairro da cidade) para cada metro quadrado construído no espaço inferior aos cinco metros entre o empreendimento e a rua. Os valores variam conforme a região da cidade. “Após muitos estudos e conversas, chegamos a valores muito interessantes para todos os envolvidos. As casas conseguirão regulamentar seus recuos pagando uma pequena taxa mensal. Já a Prefeitura reverterá esse orçamento para a manutenção e implantação de calçadas em toda a cidade. Para mim é uma honra que enfim, depois de longo percurso, conseguimos a assinatura do decreto que estabelece conforto dos comerciantes e usuários”, destaca Reginaldo Cordeiro, secretário municipal do Urbanismo de Curitiba. Para o prefeito da capital paranaense, Gustavo Fruet, a assinatura do decreto marca a união e o diálogo entre os representantes de classe e o poder público. “Estamos passando por um momento diferente, que exige seriedade e diálogo. A cidade é parceira do setor e da Abrasel. Sou testemunha das dificuldades que os empreendedores passam, e quero dar segurança e previsibilidade aos empresários. Queremos ter envolvimento no setor produtivo, e este modelo do uso de recuo assinado hoje será sempre aperfeiçoado”, completa Fruet.

O prefeito Gustavo Fruet acompanhado por Reginaldo Cordeiro, secretário municipal do Urbanismo de Curitiba; Darci Piana, presidente do Fecomércio; e Jilcy Rink, presidente do conselho de administração da Abrasel – PR.

Babilônia: o restaurante Babilônia (no bairro Batel) será um dos empreendimentos beneficiados pela regulamentação.

Já nas ruas Foi lançado dia 24 de fevereiro o Guia Abrasel Paraná 2015, no Núcleo Estilo de Vida da Gazeta do Povo, no Espaço A Fábrika. Considerado o mais completo roteiro turístico, gastronômico e de lazer do Estado do Paraná, o guia reúne, segundo Luciano Bartolomeu, diretor executivo da Abrasel-PR, todas as informações necessárias para que o público possa conhecer diversos encantos paranaenses. O guia traz quase 500 empreendimentos gastronômicos de diferentes estilos e portes. Uma das estratégias para aumentar a circulação do roteiro foi encartá-lo no dia dois de março no jornal Gazeta do Povo.


6

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

nacional

Cartas Premiadas Estabelecimentos do Paraná podem se inscrever no prêmio de vinhos promovido pela revista Prazeres da Mesa

E

stão abertas as inscrições para a décima primeira edição de um dos mais abrangentes prêmios de vinhos do Brasil, o Cartas de Vinho, promovido pela revista Prazeres da Mesa. As cartas de bares, restaurantes e hotéis do Brasil e todos os países da América do Sul serão avaliadas por um time de jornalistas e especialistas convidados. Qualidade e precisão das informações, número de importadores e variedades de regiões são alguns dos critérios que serão usados para chegar aos vencedores nas categorias: Prêmio de Excelência (entre 50 e 200 rótulos)

e Grande Prêmio de Excelência (acima de 200 rótulos). Também serão reconhecidas as cartas com Melhor Relação Custo-Benefício e Melhor Variedade de Rótulos, e aquelas com maior e melhor oferta por país: argentinos, brasileiros, chilenos, espanhóis, franceses, italianos e portugueses. A novidade, em 2015, fica por conta de três categorias estreantes: Melhor Carta de Vinhos Naturais, Orgânicos e Biodinâmicos; Melhor Opção de Vinho em Taça e Melhor Bar de Vinhos. Para Ricardo Castilho, diretor editorial da Prazeres da Mesa, o objetivo é destacar as casas

que valorizam a bebida com uma melhora contínua do serviço de vinho, em um mercado consolidado por produtores, comerciantes e principalmente pelos enófilos. A premiação será feita no dia 22 de abril, no primeiro dia da Expovinis, maior feira de vinhos do País da qual a Prazeres da Mesa é a revista oficial. Os estabelecimentos interessados em concorrer podem preencher a ficha de inscrição diretamente no site da revista (http://prazeresdamesa. uol.com.br/ ) e encaminhar uma cópia da carta e do cardápio para a redação da revista até o dia 30 de março.

paraná

Garimpando os melhores J

Troféu criado pelo artista Luiz Gagliastri

á começou o processo de identificação dos destaques do setor turístico do Paraná em 2014, que receberão o Prêmio Panorama do Turismo | Profissionais do Ano. A partir dessa edição a premiação passa a ser uma realização conjunta do Instituto Panorama do Turismo e da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná, através da sua Câmara Empresarial de Turismo. Na primeira etapa da consulta estão sendo coletadas e tabuladas sugestões de nomes apresentadas por entidades de classe com âmbito estadual e pelas governanças regionais de turismo. Numa segunda fase, já a partir desse mês, os mais indicados serão colocados em votação aberta ao público no site www.panoramadoturismo.com.br. Concorrem ao prêmio, nessa edição, profissionais que se destacaram em 2014 nas seguintes áreas: meio de hospedagem, estabelecimento gastronômico de interesse turístico, agência de receptivo, agência de emissivo nacional, agência de emissivo

internacional, instituição de formação e pesquisa em turismo, empresa de eventos, espaço de eventos, companhia aérea nacional, companhia aérea internacional, transportadora turística terrestre, guia de turismo, ente turístico, associativismo regional, divulgação turística, turismo cultural. O dirigente, gestor ou técnico mais lembrado do turismo paranaense receberá o troféu Top Tur. Uma comissão julgadora irá acompanhar e referendar todo o processo de consulta e votação. Ela contará com três profissionais do segmento turístico de notório saber, dois jornalistas especializados no setor, um representante da Coordenação Regional de Turismo da Paraná Turismo, um representante do Instituto Panorama do Turismo e um representante da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio-Paraná. Para conhecer o regulamento da premiação basta acessar o endereço http:// panoramadoturismo.com.br/regulamento2015.pdf.


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

7

HI ROMA HOSTEL O

HI Roma Hostel é um dos dois albergues em Curitiba credenciado à rede HOSTELLING INTERNATIONAL. Com uma localização estratégica, central, próximo à rodoferroviária e ao lado do Shopping Estação, a comodidade está garantida. O ponto de ônibus da linha turismo de Curitiba fica em frente ao hostel. Foi o primeiro hotel da cidade e hoje é patrimônio tombado. São 150 leitos, divididos em quartos coletivos, casal, família e individual. Há guarda-volumes disponível e o delicioso café da manhã está incluído na diária. Os apartamentos casal passaram por reformas recentemente, ganhando novo mobiliário e TV LCD. Atualmente, o HI Roma Hostel está em processo de certificação do HI-Q, o qual confere um selo de garantia de qualidade (conforto, limpeza, segurança, privacidade e hospitalidade) pela rede HOSTELLING INTERNATIONAL.

Parceria HI Hostel Paraná e Schwarzwald - Bar do Alemão

A

Associação de Hostels do Paraná firmou, no mês de Outubro/2014, uma importante parceria com o tradicional Bar do Alemão, localizado no Largo da Ordem de Curitiba. Associados à Hostelling International agora poderão usufruir mais um desconto na capital paranaense! Com um documento de identidade e a carteira HI válida, os associados poderão comprar o Chopp Submarino

Paudimar Falls Hostel

(simples) pelo valor de um Chopp comum de 450 ml. O Bar do Alemão foi fundado em 1979 e está entre os bares mais tradicionais de Curitiba, localizado em uma região boemia do coração da cidade. Possui o estilo de uma típica taberna alemã, oferecendo um ambiente rústico, festivo e tipicamente decorado. Além de uma grande variedade de chopps tradicionais, o bar oferece pratos e

petiscos da culinária alemã, como o Eisbein, a carne de onça e o marreco recheado. Um dos destaques do bar é o Chopp Submarino, possuindo em seu fundo um submarino em miniatura que pode ser “honestamente roubado”. Para conhecer o bar acesse www.bardoalemaocuritiba.com.br , para se associar à Hostelling International solicite a sua carteira em www.hihostelparana.com.br.

O

HI Hostel Paudimar Falls fica em um dos destinos brasileiros mais visitados pelos turistas, a cidade de Foz do Iguaçu, juntamente com suas belas cataratas. Localizado no centro da cidade, o hostel dispõe de uma excelente estrutura para receber os viajantes que estão tanto a passeio quanto a negócios. Está apto para acolher desde hóspedes independentes até casais e famílias, para quem gosta de uma experiência mais junto à natureza pode, também, usar o espaço para camping e tudo com preços bem acessíveis. O Hostel Paudimar Falls foi um dos quatro primeiros hostels brasileiros a ganharem o certificado de qualidade da rede Hostelling International. Para a diversão e integração entre os clientes o Paudimar Falls possui sala de TV, sala de jogos, bar, lanchonete, além de uma bela piscina e uma quadra de vôlei de areia. O próprio hostel ainda oferece passeios para os melhores atrativos da cidade como o Parque Nacional do Iguaçu e a Itaipu Binacional e também traslados de/até o aeroporto e a rodoviária de Foz do Iguaçu. Rua Ântonio Raposo, 820 – Centro. Foz do Iguaçu. Tel: 45 3028-5503 e site: www.paudimarfalls.com.br .


8

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

ENTREVISTA | DOUGLAS FABRÍCIO

Criatividade e união para buscar resultados no setor Deputado eleito em terceiro mandato se licencia e assume Secretaria de Esporte e Turismo

J

Esse setor... (gastronomia), todo mundo precisa se alimentar. É um setor que vai ser cada vez mais forte. Depende naturalmente da criatividade, e pra isso temos aqui no Paraná bons empresários nesse tema. Já na área hoteleira não é diferente. É um momento de acreditar e de investir. A crise passa rápido, eu não tenho dúvida disso. Já tivemos outras crises piores”.

oão Douglas Fabricio, conhecido politicamente como Douglas Fabricio, é o novo Secretário do Estado do Esporte e Turismo. Tem 46 anos e nasceu no interior do Paraná, Roncador. Atualmente divide morada em Campo Mourão e Curitiba. É formado em administração e pós-graduado em recursos humanos e desenvolvimento gerencial. Cedeu entrevista exclusiva ao Jornal do SEHA em seu gabinete, falou sobre falta de verbas, Parcerias Públicos Privadas, futuro do Centro de Convenções de Curitiba, obras atrasadas no aeroporto, agenda oficial do turismo, Ginásio do Tarumã fechado e muito mais. Boa leitura! Jornal do SEHA - O que o motivou a aceitar o cargo de Secretário do Estado do Esporte e Turismo ao invés de assumir sua terceira legislatura na Assembleia Legislativa? Douglas Fabricio - O desafio de poder contribuir com o Estado do Paraná e utilizar também minha experiência de trabalho no Sebrae por muitos anos e na Coamo, trazendo minha visão da iniciativa privada aliada a minha visão de parlamentar, inclusive como 2º vice-presidente da Assembleia, onde tive a oportunidade de participar de diversas atividades. E também pela minha vida pessoal. Eu quero contribuir para o Estado do Paraná aceitando esse convite do governador, nessa pasta que considero muito importante porque tem a integração do social ligado ao esporte e do econômico ligado ao turismo. O senhor acha que esporte e turismo caminham juntos? DF - Eu acho que caminham juntos. Da para trabalhar uma coisa ligada a outra. Como eu disse, o esporte trabalha mais a área social, na minha forma de compreender, e também na formação de atletas, naquilo que busca também o empreendedorismo. E o turismo, além da parte econômica, tem uma parte natural. Eu vejo que essas duas áreas envolvem pessoas que cada vez estão mais de bem na vida. Quem busca o esporte, quem vai para o esporte, seja do jovem até a melhor idade está realmente preocupado com a qualidade de vida. E quem investe no turismo ou faz turismo também busca qualidade de vida. Eu vejo essa integração. Nesse primeiro mês à frente da secretaria e nos primeiros contatos com entidades e profissionais do setor quais as necessidades urgentes notadas que devem ser tomadas em prol do turismo paranaense?

DF - Nós tivemos já alguns contatos com várias lideranças. No turismo nós queremos vender o Paraná para os paranaenses. Essa é uma ideia que surgiu de algumas conversas, mostrar o Paraná aos próprios paranaenses. Fazer com que as pessoas do Paraná viajem no Paraná. Tem tanta coisa bonita no Paraná para ser conhecida, certo? E não naturalmente só o Paraná. Também o Paraná para os demais entes da Federação ou mesmo fora dela. Então tem várias parcerias, com o próprio trade. Nós tivemos conversando já com o doutor Darci Piana, da Fecomércio, que é um grande parceiro. O governador quer que a gente fortaleça essas parcerias, para que a gente consiga em conjunto tomar as melhores atitudes, melhores decisões, para que fortaleça o turismo aqui no Paraná. Historicamente essa pasta é uma das que tem a menor fatia de recursos. Qual a estratégia para lidar com essa questão? DF - É uma grande verdade. Por não ser uma pasta que a população está ali na frente gritando “queremos mais turismo”, “queremos mais esporte”, nós acabamos infelizmente tendo uma parcela menor no orçamento. Mas isso não é um motivo para desanimar. O segredo é buscar parcerias, é mostrar a importância delas e valorizar isso para que mais para frente possamos ter uma parcela maior do orçamento. Nós temos que mostrar resultado de trabalho e o momento é de buscar parcerias. Durante a campanha eleitoral, o SEHA e várias entidades ligadas ao trade do turismo levaram pessoalmente ao governador Beto Richa suas reivindicações, elas chegaram as suas mãos? DF - O governador tem um plano de governo que contemplou várias propostas de várias entidades e discussões que a população levou à campanha. Nós vamos dar encaminhamento nas ações ligadas a esse plano de governo e ainda vamos continuar ouvindo as entidades e buscando parcerias. Como lhe falei já conversamos com o Dr. Piana, trouxemos para a área do turismo o professor Jacob (Manoel Jacó Garcia Gimenes, novo presidente da Paraná Turismo), que é um grande conhecedor do setor, para nos auxiliar e nos ajudar a tocar essa secretaria, com a maior transparência e ações voltadas a parcerias, para que a gente possa realizar aquilo que atende o trade e as pessoas do Paraná.

Paralelamente à Secretaria, o senhor assumiu a presidência do Conselho do Centro de Convenções de Curitiba, quais são os planos e perspectivas para o local? DF - O plano é dar continuidade nos trabalhos já realizados e fortalecer cada vez mais o espaço. Aquele Centro de Convenções é muito importante para o desenvolvimento da nossa área no turismo. Existem várias ações e eventos que acontecem em Curitiba e que ali fortalecem a renda de restaurantes e hotéis. Nós queremos dar todo o apoio para que o Centro de Convenções continue prestando esse bom trabalho. Em relação as Parcerias Público Privadas, já existem algum plano ou estratégia da secretaria para que se tornem realidade? DF - Eu conversei com o presidente do SEHA, Jacob Mehl, sobre esse assunto. Já estamos tratando com um grupo de empresários que possam assumir essa bandeira no Paraná, para fazer esse tipo de investimento. São investimentos muito grandes, que o poder público não tem disponibilidade para fazer nesse momento. O caminho são as PPPs para ajudar no desenvolvimento. Nesta linha inclusive já estamos tendo tratativas ligadas a esse tema com empresários, para que possamos em breve levar ciência do assunto ao governador. O Paraná sofre por não ter uma agenda oficial de eventos. Existe algo previsto para mudar isso? DF - Estamos trabalhando um planejamento estratégico da secretaria como um todo. Ele contempla esse tipo de atividade. É importante ter uma agenda que a gente possa trabalhar em parceria com as demais ações na cidade, fazendo com que todos ganhem ao mesmo tempo, todos puxem para o mesmo lado. Em oito aeroportos do Brasil o Governo Federal fracionou em duas as obras de ampliação, Copa e Pós-Copa. Inclusive no Aeroporto Internacional de Curitiba, que tem previsão de término da obra somente para 2016, mas pelo andar da carruagem, pode ir muito mais além. Pode-se esperar da secretaria uma ação política, ou mesmo pressão junto a nossos representantes e governantes em Brasília para agilizar a obra? DF - O governo começando um novo mandato e o Congresso Nacional voltando com


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

9

toda força, a bancada federal com certeza está intencionada em fazer com que as obras que são do Governo Federal para o Paraná cada vez acontecem mais. Se eu conversar com os deputados federais nós podemos sem dúvida nenhuma ter esse apoio. Outro ponto que o trade se interessa por saber seu futuro é o ginásio do Tarumã, onde já treinou seleção brasileira de vôlei feminino e a equipe brasileira de ginástica olímpica. DF - Infelizmente o ginásio do Tarumã todas as vezes que a gente conversa aqui em Curitiba vem essa pergunta, porque ele está de fato parado. Nós já chegamos a pensar em buscar PPPs que queiram investir para poder restaura-lo. Surgiu até uma ideia de que o local virasse o Museu do Esporte Paranaense. Algum encaminhamento vai ter que ser dado. Estamos preocupados com isso. Algumas operadoras de turismo já sinalizaram que por falta de infraestrutura receptiva alguns navios de passageiros não querem voltar ao Porto de Paranaguá. É uma perda expressiva na movimentação de turistas na cidade histórica. Como a secretaria pretende enfrentar o problema? DF - Vamos ter que buscar parcerias também, inclusive com o Ministério do Turismo, fazer com que o Paraná entre nessa rota. O Estado tem que receber investimentos também do Governo Federal, para conseguirmos desenvolver essa visibilidade do paranaense. Qual sua mensagem para os empresários dos ramos de hospedagem e alimentação? DF - A mensagem é de otimismo. Apesar de nos estarmos em um momento de crise, que estamos vendo falar, no Brasil, no Paraná. Nosso Estado é muito grande, maior que a crise. Esse setor, quando se fala em gastronomia, todo mundo precisa se alimentar. É um setor que vai ser cada vez mais forte. Depende naturalmente da criatividade, e pra isso temos aqui no Paraná bons empresários nesse tema. Já na área hoteleira não é diferente. É um momento de acreditar e de investir. A crise passa rápido, eu não tenho dúvida disso. Já tivemos outras crises piores. E eu vejo que esse setor é um que pode alavancar a economia a sair da crise, tanto o Paraná quanto o Brasil.

Por não ser uma pasta que a população está ali na frente gritando “queremos mais turismo”, “queremos mais esporte”, nós acabamos infelizmente tendo uma parcela menor no orçamento. Mas isso não é um motivo para desanimar. O segredo é buscar parcerias, é mostrar a importância delas e valorizar isso para que mais para frente possamos ter uma parcela maior do orçamento. Nós temos que mostrar resultado de trabalho e o momento é de buscar parcerias”.


10

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

lobby

Bancada Unida pela aprovação da Lei para regulamentar os 10%

T

oda diretoria do SEHA está empenhada em trabalhar junto à Bancada Federal em Brasília para fazer andar com a maior brevidade possível o Projeto de Lei da Câmara nº 57, de 2010, de iniciativa do Deputado Gilmar Machado, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto- Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, para disciplinar o rateio entre empregados da cobrança adicional sobre as despesas em bares, restaurantes, hotéis, motéis e estabelecimentos similares. Aprovado na Câmara dos Deputados, o texto aguarda o agen-

damento para a realização de uma audiência pública requerida pelo Senador Gim Argello (PTB/ DF) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, desde o dia 23 de outubro. Enquanto não acontece um dos advogados do SEHA, Thiago Ajuz, alerta que a forma de rateio das gorjetas deve ser combinada através de norma coletiva ou então em comum acordo com os empregados. “O Ministério Público determina que as gorjetas ou 10% da taxa de serviço devem ter seu valor anotado na CTPS do empregado, assim como incidir no cálculo das férias + 13º e do salá-

rio, bem como nos depósitos para o FGTS, no salário da contribuição (INSS) e no imposto de renda retido na fonte”, salienta Ajuz. A medida foi tomada porque muitas empresas não estão distribuindo essas taxas de forma integral com todos os colaboradores. Quem quiser esclarecer dúvidas sobre o assunto, o corpo jurídico do SEHA está à disposição de forma gratuita. Junte-se a nós nessa luta. Visite seu Sindicato. A aprovação do Projeto de Lei que regulamenta os 10% e a gorjeta é um passo importante para por fim à insegurança jurídica que tanto ronda o setor.

Entenda a proposta A proposta, do deputado federal Gilmar Machado (PT-MG), não torna a cobrança obrigatória, mas estabelece que 80% do valor extra, pago pelos clientes, devem ser repassados integralmente aos empregados. Os outros 20% poderão ser descontados para pagamento de encargos sociais e previdenciários pelos empresários. A partir da proposta da PLC, todos os envolvidos no serviço do segmento – copeiros, cozinheiros, ajudantes de serviços gerais – devem entrar no rateio da gorjeta. Já os percentuais a que cada trabalhador terá direito deverão ser acertados por acordo coletivo pelos respectivos sindicatos.

questão de direito Interrupções no fornecimento de energia elétrica geram indenizações até sobre os produtos perecíveis Janeiro e fevereiro bateram recordes de temperaturas e aparelhos como ar-condicionado, ventilador e geladeira elevaram o gasto de energia, registrando picos de consumo durante o mês. Em algumas regiões estão sendo frequentes o registro de apagões e interrupções temporárias do serviço. Além disso, a temperatura alta favorece a formação de temporais, que podem resultar em estragos na rede elétrica e, por consequência, na falta de eletricidade. Entretanto, por mais que o serviço tenha sido interrompido por alguma descarga elétrica ou queda de árvore na linha de distribuição, a companhia de luz deve ressarcir o

consumidor por eventuais danos. Segundo o advogado Alceu Machado Neto, que atua na área de Direito do Consumidor, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estipulou regras para orientar empresas e consumidores. “Quando acontece qualquer tipo de interrupção no fornecimento de energia elétrica, a empresa deve informar ao consumidor o prazo para normalização de sistema. Já em situações que a falta de energia é previsível, por conta de manutenção na rede, por exemplo, o cidadão precisa ser comunicado com, no mínimo, 72 horas de antecedência”, afirma. No entanto, de acordo com a agên-

cia, o tempo de interrupção tem um limite definido, que não pode ultrapassar 24 horas para a área urbana e 48 horas para a área rural. “Quando a empresa ultrapassa os indicadores de continuidade do serviço, o consumidor deve ser compensado automaticamente com abatimento na fatura de energia elétrica”, explica. Nos casos de danos em aparelhos por oscilação de energia ou descarga elétrica, o cidadão tem direito ao reparo, se fizer a reclamação na companhia no prazo de até 90 dias. A empresa pode solicitar uma vistoria para avaliar se a avaria foi realmente causada por problemas no fornecimento de energia.

“Após a inspeção a companhia tem até 15 dias para informar se vai ou não compensar o dano. Quando se tratar de produtos perecíveis, o prazo para avaliação é de apenas um dia. Se for comprovada que a falta de energia causou o problema, a empresa tem prazo de 20 dias para ressarcir o consumidor”, explica o advogado. Ainda existem situações em que o cidadão pode alegar outros tipos de danos: “por exemplo, quando a interrupção de energia causou problemas para a manutenção de determinada atividade empresarial, como no caso de um restaurante que perdeu os alimentos pela falta de energia”, complementa Neto.


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

11

Dicas para Chefs Ao cozinhar macarrão não adicione óleo na água! Ao adicioná-lo, a massa ficará lambuzada e dificultará a absorção do molho de maneira apropriada.

Cogumelos são como esponjas e não devem ser lavados, pois absorvem água e ficam moles quando levados à panela. Para preservar a textura, limpe-os com papel toalha ou com uma escovinha de cerdas macias.

O segredo para extrair o melhor do suco de limão está na maneira em que ele é cortado. Ao invés de cortá-lo ao meio, coloque-o “em pé” na tábua e corte-o em três partes ao redor do miolo. Deixe a parte central intacta, pois ela é responsável pelo amargor que o suco do limão pode apresentar. Esta técnica garante também maior rendimento.

Para amolar as hélices de seu liquidificador, bata dentro algumas cascas de ovo limpas e secas, no modo pulsar. Amolado! De graça.

Com participação do site mexidodeideias.com.br

Especialização é tudo

Seja um sommelier Participe em março do Curso de Sommelier, que dura 10 meses e está programado para começar dia nove de março, com aula toda segunda e quartafeira. Inscrições abertas até dia seis. Em abril a pedida é para quem quer se especializar no Curso de Barman, que dura quatro dias e começa no dia sete. No primeiro, associados tem preço diferenciado. No segundo, associados tem duas vagas gratuitas. Participe.

Almoço de domingo regional Uma viagem à gastronomia regional, sem sair de Curitiba. É o que o Mabu Curitiba Convention volta a oferecer todos os domingos. A ideia é que o almoço resgate a cultura paranaense, oferecendo o melhor da culinária regional. Pratos típicos de cidades do interior do Paraná são os destaques: porco no rolete, carneiro no buraco, barreado e dourado no carrossel, além de uma ampla variedade de acompanhamentos, drinks e sobremesas. Servido das 12h às 14h30 e tem o valor de R$ 57,00 + 10% de taxa de serviço por pessoa. Para o gerente-geral do hotel, Miguel Pinto, “o almoço regional, aos domingos, é uma forma da empresa valorizar, por meio da gastronomia, a cultura do estado onde iniciou suas atividades. Uma oportunidade para o cliente conhecer a rica culinária do Paraná”.


12

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

Da esquerda para a direita, o presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, João Jacob Mehl; o presidente da Fecomércio, Darci Piana, o novo secretário do Estado de Esporte e Turismo, Douglas Fabrício; o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio e o vice-presidente da entidade, Marco Antonio Fatuch.

Atuação Unificada

Trocando experiências, agregando conhecimento

F

oi em Curitiba, no começo de fevereiro, a 1º Reunião dos Sindicatos Patronais de Hospedagem e Alimentação do Paraná. O evento foi uma iniciativa do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação da capital paranaense, através de seu presidente, o empresário João Jacob Mehl.

Estiveram presentes, o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio, e com representantes de seis sindicatos patronais locais. “É de suma importância que os sindicatos patronais estejam sempre se reunindo, trocando experiências e agregando conhecimento. Fico feliz de

estar presente nesta reunião que representa um ponto de partida para uma atuação mais unificada dos sindicatos locais”, afirmou Sampaio. Um almoço na FecomércioPR, com todos os presidentes e o novo secretário de Esporte e Turismo do Estado do Paraná, Douglas Fabrício, encerrou o encontro.

Aprenda e faça o bem O SEHA e a ABIH-PR são apoiadores do evento “Motivação, Liderança, Atendimento e Vendas: como vencer num mercado competitivo”, que acontece dia 17 de março, 20 horas, no Teatro Guaíra, com palestra do Prof. Luiz Marins. Os ingressos custam R$ 50 e a renda total será destinada ao Centro de Educação Profissional Os Pinhais, mantido pela ASEC – Associação de Promoção Social, Educação e Cultura e à Fundação Rotária do Rotary International – Fundo Pólio Plus para a erradicação no mundo da poliomielite. Além de professor, Marins é antropólogo e consultor de empresas no Brasil e exterior, com 28 livros e mais de 400 vídeos e DVDs publicados.

Mais informações no site www.anthropos.com.br

CNC promove 31º Congresso Nacional dos Sindicatos Patronais

A

Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) anunciou a data do 31º Congresso Nacional dos Sindicatos Patronais de 2015. O evento, que acontece anualmente, será realizado entre os dias 15 e 17 de abril no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió, Alagoas. O congresso contará com a presença de empresários representantes de mais de mil sindicatos patronais dos mais diversos segmentos. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas no site do evento: www.31cnsp. com.br. O objetivo é promover o intercâmbio de ideias referentes aos mais diversos temas que sejam relacionados ao desenvolvimento do sindicalismo patronal de diversos setores no Brasil. O presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da CNC, Alexandre Sampaio (foto), acredita que o congresso seja uma oportunidade de compartilhar não só as experiências exitosas, como também os maiores entraves encontrados pelos empresários. “O intercâmbio de ideias que a CNC promove por meio deste evento é de grande valia para o sindicalismo patronal, pois os empresários podem repetir experiências exitosas compartilhadas e se defenderem de obstáculos que, por ventura, podem ter acontecido com outros do mesmo segmento”, avalia. O tema desta edição será “Guerreiros a serviço do desenvolvimento”, uma alusão a uma tradição local, um conhecido folguedo de Alagoas chamado “os Guerreiros”. A ideia é reforçar a condição constante de luta do empresário brasileiro, sempre disposto a enfrentar impasses tributários e trabalhistas em prol do desenvolvimento de suas atividades. O evento oferecerá palestras jurídicas, políticas e legislativas, além de reunião com assessores de comunicação, painéis temáticos, entre outros. Paralelamente, haverá ainda uma programação social. A programação completa pode ser encontrada na página do evento na internet.


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

13

Food Truck

Regulamentação sim, mas sem bagunça SEHA é a favor, mas comida servida tem que ser produzida dentro dos mesmos padrões de nossos restaurantes e bares

E

a classe continua unida em prol da regulamentação ordenada dos Food Trucks. Em 27 de janeiro o SEHA encaminhou ofício ao Secretário Municipal do Urbanismo, Reginaldo Cordeiro, apresentando sua proposta para regulamentação da lei. Os primeiros oito itens envolvem exigências técnicas e operacionais mínimas para que o caminhão possa estacionar em local público. 1) Possuir banheiro privativo para os funcionários, com pia de higienização de mãos separada do banheiro (lado externo ao banheiro), atendendo a legislação RDC 216 da Anvisa. 2) Exigência de no mínimo 2 pessoas trabalhando no truck (uma para manipulação dos alimentos e outra para atender os clientes - caixa, emissão de cupom fiscal, etc....) 3) Possuir refrigeradores/congeladores com compartimentos separados para carne / frutos do mar / legumes e verduras. 4) Possuir caixa de água potável e reservatório para acumulação, com capacidade para funcionar durante o período de atendimento, atendendo ao POP 4 da RDC 216 da Anvisa. 5) O truck deve ser autônomo quanto a geração de energia para todos os equipamentos instalados (geradores, baterias, etc....). Proibido o uso de energia, água e esgoto da rede pública. 6) Possuir TEF/ECF conectado via telefone para emissão de Notas Fiscais e Cupons Fiscais. 7) Possuir compartimentos separados para recolher lixos orgânicos e sólidos. Esses lixos devem ser descarregados única e exclusivamente na Central da Empresa proprietária do TRUCK, que fará a destinação final. 8) O truck deverá ter no máximo 7 metros de comprimento (incluindo cabine de motorista). A segunda parte do ofício apresenta as exigências legais para seu funcionamento em vias públicas. 1) Atender integralmente a RDC 216 da Anvisa, através do Manual de Boas Práticas, POP 1, POP 2, POP 3 e POP 4, treinamento

periódico dos funcionários com reciclagem anual. 2) Liberação de Alvará de Funcionamento máximo de 2 trucks com filtros por CNPJ, CPF de sócio e Marca, expedidos exclusivamente pela Prefeitura Municipal de Curitiba. Não serão aceitos alvarás de outros municípios. 3) Possuir Alvará da Polícia (Funrespol). 4) Possuir Alvará da Vigilância Sanitária expedido pelo Prefeitura Municipal de Curitiba, incluindo aprovação PROJEVISA dos veículos. 5) Possuir Alvará do Corpo de Bombeiros. Exigência de treinamento dos funcionários para os primeiros socorros, periodicidade biênio. 6) Proibido venda de Bebidas Alcoólicas. 7) Proibido colocação de mesas e cadeiras na calçada pública. 8) Necessidade de uma cozinha central com alvará de funcionamento expedido exclusivamente pela Prefeitura Municipal de Curitiba, para pelo menos um dos seguintes CNAEs. - 56.1.1-2/01-00 Restaurante e Similares - 56.1.1-2/01-01 Pizzaria - 56.1.1-2/01-02 Churrascaria - 56.1.1-2/03-00 Lanchonetes, Casas de Chá, de sucos e similares - 56.2.0-1/04-00 Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar - 56.2.0-1/01-01 Cozinha Auxiliar 9) Os Trucks devem estar licenciados e com o CRLV em nome da empresa operadora do truck. 10) Os trucks ficam proibidos de atender ao público com abertura voltada para a rua. 11) Os trucks devem possuir liberação de funcionamento da URBS, com renovação anual. 12) A operação dos trucks em feiras gastronômicas e eventos temporários só será permitida se o truck estiver com todas as licenças válidas para o Município de Curitiba. 13) Fica proibido a operação de um truck a uma distância mínima de 1.000 metros de outros pontos de comercio alimentício que possuem pelo menos um CNAE dos acima citados em seu alvará

de funcionamento. 14) Não será permitido o uso de equipamentos de som. 15) Não será permitido o uso de qualquer material de marketing, elementos publicitários de divulgação, exceto a pintura do veículo. 16) Não será permitido o despejo de qualquer líquido na rede de coleta de águas pluviais. 17) Não será permitido acondicionamento de produtos fora da área técnica do truck. 18) Observando o item 11, também proibido estacionar em frente de Igrejas, Escolas, Estádios, Universidades Estaduais, Municipais,

Federais ou Particulares, Cursos Preparatórios, Hospitais, Teatros, Museus, Aeroportos, Supermercados, Bancos, Shopping Centers, Lojas Departamentais, como a HAVAN, terminais de ONIBUS, como o Guadalupe, Rodoviária, Praças Públicas, Rolamento das VIAS PÚBLICAS, Bosques, Parques e Jardins PÚBLICOS DA CIDADE, Órgãos Públicos em Geral, Mercado Municipal, Feiras da PMC, em vários locais turísticos da cidade (ÓPERA DO ARAME, Jardim Botânico, e outros locais Públicos que são considerados como Atrações Turísticas e Ecológicas), além de

todo o percurso do ônibus da linha de Turismo de Curitiba. Segundo presidente do SEHA, João Jacob Mhel, o principal é a segurança da população. “É necessário que essa comida seja produzida dentro dos mesmo padrões de higiene e limpeza de nossos restaurantes e bares, também precisamos saber para onde será destinado o descarte, entre outras questões, salientou Jacob Mehl. O assunto volta à pauta da Câmara Municipal de Curitiba agora em março, após as primeiras 14 sessões.

Presença obrigatória O 21º Salão Paranaense de Turismo está confirmado para os dias cinco (abertura), seis e sete de março, no Expo Unimed, aqui na capital paranaense. O evento conta com patrocínio da CNC - FecomércioPR, FBHA - Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, SEHA - Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação, ABIHPR, GOL, Grupo BRT, Holding Higiserv/BWT Operadora de Turismo/ Serra Verde Express, TAM, Vital Card, Abrasel-PR, Centro Histórico de Curitiba, Feijão Amigo, Governo do Paraná - Paraná Turismo, Infraero, Núcleo de Turismo Receptivo, Procerva - Associação das Microcervejarias do Paraná, Rede Slaviero, Sebrae/PR, Transtupi e apoio da ABOTTC, CCVB, FC&VB/PR, Instituto Municipal de Curitiba e Ministério do Turismo.


14

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

Convênios MEDICINA DO TRABALHO Policlínica San Tiago - 41 3022-2727 Medicina Ocupacional e Engenharia de Segurança - PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPP (Perfi l Profi ssiográfi co Profi ssional) - Exames Admissionais, Periódicos,Demissionais - Planos com valores especiais para associados SEHA-Ctba. MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL Eletro Schultz - 41 3267-1916- Rebobinagem de motores, rebobinagem de bombas e transformadores, automação industrial. Associados SEHA-Ctba tem desconto especial de 15% sobre o serviço prestado. FONOAUDIOLOGIA PARTICULAR Káti a Simone da Rosa Bianchi Consulta clínica na área de fonoaudiologia. Serviços de informações e orientações preventi vas como palestras, minicursos e/ou grupos de apoio para empresas. CRFa 5514/ SC 40% de desconto no valor da consulta para associados SEHA-Ctba. Contato 41 88238675 / 41 3233-3192 e 41 3026-4924 PLANO DE SAÚDE Nossa Saúde - 41 3322-4400 Através de convênio fi rmado entre SEHA-Ctba e a Nossa Saúde, nossos associados agora contam com um Plano de Saúde Empresarial que garante uma medicina de qualidade aliada a preços acessíveis. Um atendimento ágil e uma ampla rede credenciada e

altamente qualifi cada situada em pontos estratégicos da cidade e RMC. Convide a Nossa Saúde para uma visita, através do telefone 41 3322-4400, ou fale com Viviane no SEHA, telefone 41 3323-8900 ou através do e-mail: viviane@seha.com.br ODONTOLOGIA GT Instituto Internacional de Implantodontia Odontologia e Cursos Odontológicos. Preços especiais para associados SEHA-Ctba 41 3023-0800 - www.gtimplant.com e-mail: fabiane@gtimplant.com CONSULTORIA ESPECIALIZADA Jr. Consultoria - UFPR - Desconto de 10% nos projetos de consultoria aos associados SEHA-Ctba. A empresa é formada e gerida por alunos dos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis e gestão da informação. Sem fi ns econômicos, seu principal objeti vo é formar profi ssionais de valor e contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, através da realização de consultorias que focam em micro e pequenas empresas. Mais informações pelo 41 3360-4473 FIAT Associados SEHA-Ctba tem descontos especiais. Consultores - Amilcar Conerado - 41 32131821 ou 41 9973-7949/ Ezequiel / Andrade - 41 3213-1509 ou 41 9113- 8925 PSICOLOGIA CLÍNICA Espaço A - Psicologia e Psicanálise - Gabriel

Salata Kuss e Ana Suy Sesarino. Obedecem uma tabela especial com descontos especiais para associados SEHA-Ctba. Rua Maurício Caillet, n° 33 - Água Verde. Mais informações no www.consultorio. psc.br ou atráves do e-mail - consultorio@consultorio. psc.br - Telefones 41 9115- 3840 e 41 8431-1916 CONVÊNIOS COM FACULDADES SPEI 10% de desconto em Cursos de PósGraduação – direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.spei.br - Fone 41 3364-4579 OPET 10% de desconto em todos os Cursos, e Pós Graduação - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.opet.com.br - cezarroberto@opet.com. br - Fone 41 3021-4848 FACINTER 10% de desconto em Cursos na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas. Informações: www.facinter.com.br - Fone 41 21023300 UNICENP 0% de desconto em Cursos de Pós-Graduação na área de Turismo - direcionado aos funcionários de empresas associadas e fi liadas.

Associe-se ao SEHA. Uma entidade que defende os interesses dos setores de hospedagem e alimentação Somos alinhados com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. Promovemos efetivas ações junto aos órgãos públicos e privados em defesa de interesses do setor. Mais de 940 mil estabelecimentos dos segmentos hotelaria e gastronomia no Brasil são representados pela FBHA e seus sindicatos regionais. Oferecemos serviços e produtos indispensáveis às empresas.

Assessoria jurídica gratuita. Acompanhamento em ações trabalhistas. Cursos gratuitos de aperfeiçoamento em diversas áreas do trade. Convênios com plano de saúde, faculdades e outros serviços que contemplam expressivos descontos em seus serviços. Estamos fortemente divulgados através de nosso jornal, site na internet, nas redes sociais e na Rádio CBN.

Junte-se a nós! Informe-se na secretaria pelo 41 3323 8900


Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

15

visão de especialista

Veja como funciona a compensação de jornada de trabalho A Constituição Federal estabelece a duração normal do trabalho diário, e permite a estipulação da chamada compensação de jornadas, no seu artigo 7°.

Art. 7º. (...) Inciso XIII. “duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho”.

Por Andre Fatuch Neto

A

compensação de jornadas resume-se no aumento da jornada diária, até o limite constitucional de dez horas, em determinados dias da semana para redução ou supressão da mesma em outro ou outros dias. Essa compensação deve ser feita em até um ano, como prevê o §2º do art. 59 da CLT, sendo certo que a 4ª Turma do TST, em recente decisão – unânime -, expôs seu entendimento no sentido de não ser possível que a compensação de jornadas seja feita em período superior ao determinado em lei, não obstante tenha determinado a dedução das horas extras pagas nos mesmos meses. Muito se discute sobre qual o instrumento jurídico seria apto a tornar válido tal procedimento, uma vez que não existe legislação específica regulando a matéria, nem um modelo específico que se molde a todas as empresas. Parte da doutrina e da jurisprudência entende que somente é possível prever a compensação de jornadas mediante acordo coletivo de trabalho (celebrado entre o sindicato que representa a categoria profissional e o empregador) ou convenção coletiva de trabalho (celebrado entre os sindicatos que representam as categorias profissional e econômica). Para essa corrente, quando o legislador constitucional permitiu que as partes, empresa e empregado, pudessem negociar direitos através de acordo coletivo o fez expressamente. A Convenção Coletiva atualmente vigente 2013/2015, conquistou esse direito aos trabalhadores do setor, uma vez que previu expressamente a possibilidade da adoção da compensação de jornada, entre empresa e funcionários, somente mediante

a elaboração de um Acordo Coletivo de Trabalho assinado por todos os funcionários e a empresa, não dispensada a homologação do Sindicato Profissional, mas, não mais necessitando de sua assistência. Tal fato, se fez necessário, pois era tamanha a dificuldade imposta para as pequenas e médias empresas do setor, pelo Sindicato profissional para implantar a Compensação de horas, que inúmeras vezes tornava inviável sua adoção. Portanto, a compensação de jornadas é favorável ao empregado, pois amplia os dias de convívio familiar e social, através do ajuste correlato na distribuição das horas trabalhadas no dia ou na semana, sem elevação da quantidade efetiva de horas trabalhadas na semana. Por isso, não é crível que a Constituição, pretendendo criar ordem jurídica mais favorável ao empregado (art. 7º, caput), fosse restringida pela pactuação de fórmula usualmente benéfica aos mesmos, mas imposta por Lei Infraconstitucional. Contudo, ainda é notório que os acordos coletivos e as convenção coletivas são instrumentos de rara pactuação no cotidianto de pequenos empreendimentos, o que, por vezes inviabiliza a adoção desse regime, favorável aos empregados, repita-se, nesses segmentos econômicos, onde se encontra grande parte da população economicamente ativa do país. Deve ser destacado que a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho (TST) é pacífica quanto à possibilidade de compensação de jornadas prevista em acordo individual, como se verifica em sua súmula 85, aqui transcrita:

SUM 85 do TST: “COMPENSAÇÃO DE JORNADAS A compensação de jornada de trabalho deve ser ajustada por acordo individual escrito, acordo coletivo ou convenção coletiva. O acordo individual para compensação de horas é válido, salvo se houver norma coletiva em sentido contrário. O mero não atendimento das exigências legais para a compensação de jornada, inclusive quando encetada mediante acordo tácito, não implica a repetição do pagamento das horas excedentes à jornada normal diária, se não dilatada a jornada máxima semanal, sendo devido apenas o respectivo adicional. A prestação de horas extras habituais descaracteriza o acordo de compensação de jornada. Nesta hipótese, as horas que ultrapassarem a jornada semanal normal deverão ser pagas como horas extraordinárias e, quanto àquelas destinadas à compensação, deverá ser pago a mais apenas o adicional por trabalho extraordinário”.(redação dada pela Resolução 129 do Tribunal Pleno do TST, com incorporação das orientações jurisprudenciais 182, 220 e 223 da SDI-I do TST). Cumpra informar que após a publicação da Lei 9.601, que instituiu o chamado “banco de horas”, não mais é possível a celebração de acordo individual para estipulação do regime de compensação de jornadas, mesmo considerando a redução do período para tanto constante da Medida Provisória 1.709, pois, nessa hipótese, o regime compensatório deixa de constituir procedimento mais favorável ao empregado; pelo contrário, conspira contra medidas de saúde e segurança do trabalho, cujo implemento é garantido pela Constituição (art. 7º, XXII). A

Andre Fatuch Neto, advogado A Medida Provisória 1.709 / 1998 reduziu para 120 dias o período permitido para a realização da compensação das horas extras porventura trabalhadas. Contudo a reforma ao parágrafo 2º do artigo 59 da CLT pela medida provisória 2.164-41/2001, trouxe de volta o prazo de um ano para compensação de jornadas. Portanto, embora ciente do entendimento consubstanciado na Súmula 85 do TST, muitos Juízes de 1° Grau, ainda hoje entendem, que o regime de compensação de jornadas, alterado pela Lei 9.601, somente pode ser pactuado através de acordo coletivo ou convenção coletiva, sendo inválido o acordo bilateral entre empregado e empregador, como é o caso da categoria dos hotéis, restaurantes, Bares e Similares. Isso porque não autorizam a Constituição e o próprio Direito do Trabalho, que tem como princípio maior o da proteção ao hipossuficiente, que a transação meramente bilateral, sem tutela sindical, tenha o condão de constituir medidas desfavoráveis à saúde e à segurança dos empregados. Não raros os casos que a falta de previsão escrita para compensação de jornadas (seja bilateral, como entende o TST, seja coletiva) ensejaram a nulidade do procedimento adotado, ficando o empregador sujeito à condenações ao pagamento do adicional sobre as horas extras excedentes à oitava diária trabalhada. Deve-se salientar que o entendimento exposto no item I da súmula 85 do TST, foi reforçado

com decisão da Terceira Turma do TST, que manteve decisão proferida pelo TRT da 12ª Região (Santa Catarina), no sentido de que o acordo de compensação de jornadas deve ser necessariamente escrito, sendo considerado sem validade acordo tácito para tanto (destaco que o TRT da 12ª Região (Santa Catarina) considerou ser prescindível a interveniência do sindicato que representa a categoria profissional, sendo válido o acordo individual). Verifica-se no item IV da súmula 85 do TST, que a prestação habitual de horas extras enseja a descaracterização do acordo de compensação de horas e assim dá causa à condenação ao pagamento de horas extras após a 8ª hora diária, e 44ª semanal, acrescidos do respectivo adicional sobre aquelas horas extraordinárias que eventualmente eram destinadas à compensação. Finalmente, para a implantação deste tipo de jornada, é aconselhável que cada empresa que assim o deseje, procure o Sindicato Patronal de sua categoria ou um advogado, que lhes auxiliará a adequar melhor, a adoção da compensação de jornada por meio da elaboração de um documento de acordo coletivo, constando as especificidade da realidade de cada empresa, e que após colhidas as assinaturas de todos os funcionários deverá ser homologado pelo Sindicato Laboral, uma vez que não existe um modelo único a ser seguido, mas salienta-se que, não pode deixar de ser observado a elaboração de um documento escrito do Acordo Coletivo.

A compensação de jornadas é favorável ao empregado, pois amplia os dias de convívio familiar e social, através do ajuste correlato na distribuição das horas trabalhadas no dia ou na semana, sem elevação da quantidade efetiva de horas trabalhadas na semana.


16

Curitiba, 1ª quinzena de março de 2015

, 1 ) 2 5 0 $7 , 9 2  ' $

FECOMÉRCIO PR 6 , 6 7 ( 0 $ ) ( & 2 0 e 5 & , 2  6 ( 6 &  6 ( 1 $ &  3 5  _         Q ž  

Palavra do Presidente

A publicação de notícias do Sistema FecomÊrcio Sesc Senac Paranå neste Jornal do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação concretiza o objetivo comum das duas entidades, de atuarem em conjunto na divulgação das suas respectivas atividades. A ampla estrutura administrada pelo nosso Sistema, com 61 sindicatos, 37 unidades do Sesc, 35 do Senac – alÊm de 18 obras em andamento das duas casas em todo o estado – nos permite realizar cotidianamente uma extensa pauta de açþes. Um resumo desse conteúdo serå mostrado aqui, a cada edição, demonstrando a vitalidade do Sistema FecomÊrcio, em sua trajetória permanente para oferecer educação, cultura, esporte, lazer e saúde, ao mesmo tempo em que desenvolve programas de aprimoramento empresarial e projetos de revitalização de espaços comerciais, sempre visando o desenvolvimento do estado e dos cidadãos paranaenses. Darci Piana

Presidente do Sistema FecomĂŠrcio Sesc Senac PR

2WLPLVPRGRV HPSUHViULRV HVWiHPEDL[D A Pesquisa de Opinião do Empresårio do ComÊrcio, da Federação do ComÊrcio de Bens, Serviços e Turismo (FecomÊrcio PR) aponta que 39% dos empresårios paranaenses estão confiantes com o primeiro semestre do ano. Este Ê o menor índice aferido pela pesquisa, iniciada em 2001. Para 28% a situação futura Ê indefinida, enquanto 27% acredita que o faturamento ficarå abaixo do registrado em 2014, um ano difícil para boa parte das empresas. Outros 6% estão indiferentes sobre o andamento das vendas neste semestre. No comparativo entre os setores de comÊrcio e serviços, os graus de insatisfação e de otimismo são muito semelhantes. A expectativa para os próximos seis meses Ê favoråvel para 38,40% dos prestadores de serviços e para 38,31% dos varejistas, números consideravelmente inferiores aos registrados no segundo semestre de 2014, quando o otimismo era de 57% no setor de serviços e 46% no comÊrcio. A opinião dos empresårios estå impactada pela situação econômica, fiscal e política vivenciada pelo país. Dentre as dificuldades listadas, a carga tributåria elevada aparece em primeiro lugar (59%), seguida pela inflação (56%), aumento no custo das mercadorias (43%) e consumidores descapitalizados (36%).

&DLREiUHFHEH FLUFXLWRQDFLRQDO do Sesc Triathlon

Mil e duzentos triatletas de todo o Brasil participam, no domingo (8), da 27ª edição do Sesc Triathlon Circuito Nacional – etapa Caiobå. A competição que abre o circuito, Ê a prova mais tradicional e ininterrupta realizada no Brasil. Esta Ê uma oportunidade para a pråtica de atividades físicas, englobando as modalidades de natação, ciclismo e corrida. �O evento Ê referência e marca o Sesc como uma instituição que prima em excelência na organização com qualidade e segurança aos participantes�, enfatiza o diretor da Divisão de Esportes e Lazer do Sesc PR, Marcus Vinícius de Mello. O local das largadas Ê na Praça Central de Caiobå, na Praia Mansa, e têm início às 7h, com a Categoria Amadora, Mountain Bike, Comerciåria e PcD. Às 8h45, Ê a vez da Categoria Elite masculina e feminina e, às 9h, a categoria Amador Olímpico masculina e feminina.

Senac oferta FXUVRVHPWRGR o estado O Senac PR oferece capacitação e aperfeiçoamento profissional para toda a população. Os cursos são voltados para o comÊrcio de bens, serviços e turismo em diversas åreas, como gastronomia, beleza, saúde, comunicação, idiomas, hospitalidade. Entre os cursos estão o de Cozinheiro, Confeiteiro, Cabeleireiro e TÊcnico em Enfermagem. São mais de 500 cursos com opçþes gratuitas ou pagas, em 35 unidades de ensino profissionalizante do Senac espalhadas pelo estado, alÊm do Sistema de Educação a Distância e das quatro unidades móveis, que levam conhecimento para as cidades que não possuem sede do Senac. Mais informaçþes acesse o site www.pr.senac.br.

Aprendizado interativo Com a WebTV Senac Ê possível aperfeiçoar e atualizar os conhecimentos profissionais por meio de videoaulas disponibilizadas online. O aprendizado Ê dinâmico. O Senac oferta cursos nas åreas de moda, beleza, gestão e gastronomia. As videoaulas podem ser acessadas pelo site www.ead.senac.br.

$*(1'$)(&20e5&,235

PrĂŞmio 0XOKHU(PSUHHQGHGRUD

PrĂŞmio FecomĂŠrcio PR de Jornalismo

No dia 9 de março, o Sistema FecomÊrcio Sesc Senac PR, por meio da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios do Paranå (CMEG), realiza em Foz do Iguaçu a oitava edição do prêmio ³0XOKHU (PSUHHQGHGRUD´ HP FRPHPRUDomR DR 'LD Internacional da Mulher. Vinte e quatro mulheres de destaque de todo o estado receberão a honraria em uma grande festa que reunirå cerca de mil convidados. AlÊm da premiação, ocorrerå uma palestra com o contador de histórias Roberto Carlos Ramos.

As transformaçþes sociais, comportamentais e estruturais promovidas onde o Sistema FecomÊrcio Sesc Senac PR atua têm sido temas constantes em matÊrias produzidas pela imprensa em todo o Paranå. Para premiar as melhores reportagens, o Sistema lança a terceira edição do Prêmio FecomÊrcio PR de Jornalismo, premiando as melhores produçþes jornalísticas nas categorias jornalismo impresso, telejornalismo, radiojornalismo, internet e fotojornalismo. Serão R$ 47 mil em prêmios e as inscriçþes podem ser feitas atÊ o dia 30 de abril pelo site www.fecomerciopr.com.br.

6LVWHPD)HFRPpUFLR6HVF6HQDF35ă1~FOHRGH&RPXQLFDomRH0DUNHWLQJ &RQWDWRV 41 3883-4530 | jornalismo@fecomerciopr.com.br | www.fecomerciopr.com.br | www.sescpr.com.br | www.pr.senac.br

([SHGLo}HVFRPHUFLDLV A FecomÊrcio PR, por meio da Câmara de Relaçþes Internacionais, promove encontros, rodadas de negócios e missþes econômicas que possibilitam integração cultural e comercial entre as câmaras com representatividade no Paranå. Sua missão Ê auxiliar e apoiar as Embaixadas, Consulados e as Câmaras de ComÊrcio Exterior a planejar suas açþes para o desenvolvimento de implantaçþes e exportaçþes no estado, alÊm de defender os interesses do empresårio do comÊrcio exterior em eventos realizados no país e no mundo. Este ano, estão programadas missþes econômicas, visitas em feiras e eventos em Taiwan, Japão, Itålia, China, Peru, entre outros. Saiba mais sobre elas no site www.fecomerciopr.com.br.

Jornal seha ed 001  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you