Page 1


-

•• •• •• •• •• •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

1I1II IIINFORMAÇÕES METODOLÓGICAS


••

:/1111 •

•• •• •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••• •

IIOBJETIVO

o principal

objetivo do estudo é medir a satisfação da população de Belo Horizonte com a segurança pública .

IITIPO DE PESQUISA Survey. Utiliza-se questionário estruturado com questões

fechadas e abertas .

IIPERíODO DE CAMPO Pesquisa realizada entre os dias 3 e 4 de setembro de 2011

IIAMOSTRA Amostra com 460 entrevistas, com margem de erro máxima de 4,6% em um intervalo de confiança de 95%. Obs.: Por convenção utilizada por institutos de pesquisa, a análise considera "desaprovação" de algum quesito a soma das respostas "regular': "ruim" e "muito ruim': sendo as três respostas avaliadas como negativas .


-• •• •• •• •• •• •• • •• ••

•• • •• •• ••

•• •• •• •

1I1II IIPERFll DOS ENTREVISTADOS


•• . :/1111 •• •• IILOCAL DE IVIORADIA •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

.

11/11 . IIPERFIL DOS ENTREVISTADOS. .

Bairro

Região

Noroeste 15%

, .

.~.;~-"..

:.

".' ,' ..'

.'

~ -

'.,

Alípio de Melo

Santa Tereza

2,4%

Glória

ESp'lanada

2,2%

Fav. Senhor dos Passos

Leste

Santa Efigênia

2,2%

Lagoinha

11,5%

Vera Cruz

2,0"10

Carlos Prates

Fav. Taquaril .

1,7%

Caiçara

Paraíso

1,1%

Santo André

Savassi

3,5%

Fav. da Serra

2,8%

Serra

2,8%

Centro-Sul

Prado

11,3%

Oeste

Grajaú

Lourdes

2,2%

12,4%

Salgado Filho

Jatobá

2,8%

Tirol

2,8%

Vila Cemig

2,8%

FavoSão Paulo

Flávio Marques Lisboa

2,8%

Antônio

Floramar

2,4%

Planalto

2,2%

Tupi

2,0"10

Minaslândia

1,5%

Fav. 1º de Maio

1,3%

FavoCabana Pai Tomás

Barreiro

Favodo Grajaú

Nordeste 11,7%

11,3%

Rib. de Abreu

Goiânia

Palmares

Norte

São Gabriel

9,3%

São Paulo

Venda Nova

11,5%

Jardim Europa

3,0"10

Nova York

2,8%

Céu Azul

2,8%

,. .'.",:; . ,; fjCP2

.

.

,{~

~1'-..

." !',' " " ".,,,,' "oJ ''',~ ',.",

I

'~'J,~

.PUllUtSAS

-

•.•. _ .._,..

.,'; ~ <'

".'~. •••

Bairro

Região

Betânia

'-,'~

3,0"10 2,8%

,-

Ocupação social do solo

As entrevistas foram distribuídas pelas 9 regiões de Belo Horizonte, observando a população dos bairros e o tipo de ocupação social do solo.


•• :/1111 •• •• IISEXO •• •• •• • •• •• •• •• •• •• •• •• ••

IIIDADE 24,8%

MEDIANA 39,5 anos

22,8% 21,3%

15,4%

15,7%

45-54 anos

55 anos ou mais

~

A divisão entre homens e mulheres reflete a distribuição obtida no Censo 2010 para Belo Horizonte: 53% de mulheres e 47% de homens.

18-24 anos

25-34

anos

35-44 anos

Os entrevistados se concentram em 3 faixas etárias: 25 a 34 anos com 24,8%; 35 a 44 anos com 22,8% e 18 a 24 anos com 21,3%. A média de idade dos respondentes é de 37 anos.


•• ~', •• 1IIII •• •• IIESCOLARIDADE •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

..

.

~;-~:"'. ".:.. .....:' . "

IIJIJ..., . •.• IIPERFIL DOS ENTREVIS TA DO S - ,

~ :....

'.

. .. '

';:.~.. ~: . ;;:, ' .. " _._...-. _

. ,.'

:,".~.!.," ,

_

f\1~'

/'!;',

te',

_PlSQUISAS I

_,

,......-.~'-,..,........-"'I'1h4:t;;lo;.

35,2%

32,4%

MÉDIA

R$ 3.379,00

MEDIANA R$ 1.907,50 23,0%

25,0%

19,1%

De 5" a 8 " série do 1° grau (Ginasial)

.

JjCP2

IIRENDA

25,4%

Analf abeto até a 4" série do 1° grau (Primário)

,r~

.

20,9%

12,6%

2° grau completo ou incompleto (Colegial)

Superior completo ou incompleto

A escolaridade de 1/3 dos entrevistados é o 20 grau completo ou incompleto. Em seguida, 25,4% que possuem de 5a a 8a série do 10 grau; 23% com superior completo e incompleto e 19,1% de analfabetos até a 4a série do 10 grau.

Até2 SM

+de2

a 5 SM

+de5 a 10 SM

+de10 a 20 SM

+de20

SM

A renda familiar mensal de mais de 35% dos entrevistados está entre 2 e 5 salários mínimos . lf,; dos respondentes possui renda familiar de até 2 salários mínimos e pouco mais de 1/5 têm renda de mais de 5 a 10 salários mínimos .


•• :/1111 •• //RELlGIÃO •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• A maioria dos entrevistados mais de V4 são •• Pouco protestantes e 5% espíritas. •• ••

//SITUAÇÃO DE TRABALHO

55,7%

25,2%

Espírita

Outras religiões

Autônomo regular (Paga ISS)

12,2%

Só dona de casa

11,1%

Só aposentado

9,6%

Funcionário Público

5,9%

Só estudante

5,7%

Free-Iancer/Bico

4,6%

Assalariado sem registro

4,6%

Profissional Lib~ral

4,1%

Empresário

3,9%

emprego/Sem seguro desemprego)

12,2%

Desempregado (Procura

0,2%

Nãotem religião

É ateu

Estagiário / Aprendiz (Remunerado)

0,7%

Desempregado (Não busca emprego)

0,4%

Só pensionista

0,4%

Só vive de rendas

0,2%

Total

são católicos . evangélicos/

2,2% 1,3%

emprego/Seguro desemprego)

1,7%

Evangélico! protestante

33,3%

Desempregado (Procura

5,0%

Católica

Assalariado registrado

1/3 dos entrevistados registrados.

100,0%

sao assalariados

Os autônomos regulares somam 12,2% e só donas de casa são 11,1 %.


•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

11111 II RESULTADOS INVESTIGAÇÃO, A URAÇÃO E COMBATE A CRIMES


.•.

:• 11111

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

11I11

'

"

IIRESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

",,',~.(", ,.: ..

, :__:".' ':-: '.__ : __• APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES.

U--;-/.;; ,; ~. ~. ,

.

. _,.

ECP2

'..".--~,_ ~~ __ .",_.: ,d

lIA POPULAÇÃO NÃO ESTÁ SATISFEITA COM O TRABALHO DOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA NA APURAÇÃO E COMBATE AOS MAIS DIVERSOS TIPOS DE CRIMES

• A população de Belo Horizonte demonstrou sua insatisfação com o trabalho realizado pelos órgãos de segurança estaduais e federais no combate às drogas, com a maioria das pessoas avaliando de forma regular ou negativa sua atuação .

i

> Como você avalia a atuação dos órgãos de segurança estaduais e federais no combate ao tráfico e uso de drogas?

I I

I

Estaduais

Federais

73.5% 62,6%

42,2% 35,2%

34,3%

31,3%

2,2%

1,5% Muito boa! boa

Regular

Ruiml Muito Ruim

NS/NR

Muito boa! boa

Regular

Ruiml Muito Ruim

; -'i

! ~:-:;

NS/NR


•• :• 1IIII •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• o •• •• •

,,11I

.

. .

. . . .

":.? .: .

,

. "RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES:~.:. ~" ;

IIComo você avalia a atuação dos órgãos de segurança estaduais e federais no combate ao tráfico e uso de drogas? Avaliação da atuação dos órgãos de segurança estaduais Muito bomlBom Regular Muito ruimlRuim

NS Total

0,0% 10,4%

27,1%

34,7% 32,3% 2,4% 27,0%

24,5% 28,8% 46,2% 0,5% 45,2%

26,3% 22,5% 47,5% 3,8% 17,4%

25,0% 31,3% 42,2% 1,5% 100,0%

32,2% 27,9% 38,9%

36,3% 25,0% 33,8% 5,0% 17,4%

35,2% 28,3% 34,3% 2,2% 100,0%

1.,0% 45,2%

cruzamento pelo tipo de ocupação do solo mostra que nos bairros da região central de 'BH há maior desaprovação do trabalho de órgãos federais e estaduais no combate às drogas, enquanto os bairros pericentrais avaliam melhor em relação à média .


•••

•• tyjCP2 ".-:~é;~"L' ~_:, . ~~~~_ .. :/1111 •• lIA •• •• • A apuração e combate a outros tipos de crimes, como roubos de veículos, roubos de assaltos a residências e comércio, crimes contra o meio ambiente e perturbação •• dacargas, •• paz e sossego públicos, também são •• I •• •• •• •• •• •• •• -.- - ~~-•• •• I 1111I

.

IIRESULTADOS-INVESTIGAÇÃO,APURAÇÃO

:>','1 ",

,',

E COMBATE A CRIMES,

'

_.><i~

,,~ _

POPULAÇÃO NÃO ESTÁ SATISFEITA COM O TRABALHO DOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA NA APURAÇÃO E COMBATE AOS MAIS DIVERSOS TIPOS DE CRIMES

vistas pela maioria como regular, ruim ou

muito ruim.

> Como você avalia a atuação dos órgãos de segurança no combate a:

Perturbação da paze sossego público

Crimes contra o meio ambiente

Muito bomlbom

-Regular

Roubo de carga

• Ruim! Muito ruim lO NS!NR

Roubo, assalto, furto e arrombamento

%

27,6%

..

Furtos de veículos

L~

.•...~,:;.-

..•

'

~

8Vo

33,5%

. ...

-

,:'


•• •• IIIII •• você avalia a atuação •• veículos? •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

• • ' ' -' •• . '. ..''':r-'''''r ;~'., t~'''\ >••• , - ~~ .' ." 'i 11111 "RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES. :

:(>.~

:L,.: .

dos órgãos de segurança no combate a furtos de

IIComo

FURTOS DE VEICULaS

Pericentral

Muitobom/Bom Regular Muitoruim/Ruim NS

2,1% 10,4%

Total

FURTOS DE VElcULOS

Muito bom/Bom Regular Muito ruim/Ruim NS/NR Total

18,8% 31,3% 41,3% 8,8% 17,4%

21,0% 35,5% 41,1% .2,4% 27,0%

Sexo

Masculino 17,6%

atai Ee ini o 19,8% 21,7% 33,5% 33,6% 43,9% 41,0% 2,8% 3,7% 100,0% 53,0%

FURTOS DE VEicuLaS

Muitobom/Bom Regular Muitoruim/Ruim NS

Total

.

7,0%

25,0%

23,5% 32,1% 43,2% 0,6% 35,2%

19,8% 33,5% 43,9% 2,8% 100,0%

21,9% 26,0% 49,0% 3,1% 20,9%

0,0% 18,9%

19,8% 33,5% 43,9% 2,6% 100,0%

Os cruzamentos mostram que estão na região central os moradores que pior avaliam o combate a furtos de veículos . Os de renda mais alta também avaliam pior entre as demais faixas de renda. Os homens avaliam pior do que as mulheres este tema. Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


•• :/1111 •• você avalia a atuação •• cargas? •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• o •• •• 1//1/

-

,

11RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

IIComo

", . ,

' .' ' ,

APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES

' '.' " _

dos órgãos de segurança no combate a roubo de

ROUBO DE CARGAS

MJito bom/Bom Regular MJito ruimlRuim NS/NR Total

Central

Pericentral

Periferia

Favela

Total

16,7%

25,8% 32,3% 37,9% 4,0% 27,0%

30,8% 27,9% 31,7% 9,6% 45,2%

25,0%

27,0% 29,1% 35,4% 8,5% 100,0%

12,5% 10,4%

10,0% 17,4%

Idade

ROUBO DE CARGAS

35-44 anos

Muito bom/Bom

45-54 anos

55 anos ou mais

Total

28,2%

23,6%

27,0%

Regular

34,7%

19,7%

26,4%

29,1%

Muito ruim/Ruim

23,5%

40,8%

38,9%

35,4%

NS/NR Total

6,1% 21,3%

11,3% 15,4%

11,1% 15,7%

8,5% 100,0%

7,9% 24,8%

7,6% 22,8%

cruzamento por idade mostra pior avaliação na faixa que vai de 25 a 44 anos. Da mesma forma, Favela e Central são os locais que pior avaliam a atuação dos órgãos de segurança em relação ao combate a roubo de carga . Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


•••

:///// •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

1/11/

'

IIRESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

,.

,.

APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES _ "~ .,;

IIComo você avalia a atuação dos órgãos de segurança no combate a crimes

contra o meio ambiente?

CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE Muito bom/Bom

Central

Pericentral

16,7%

29,8% 20,2% 47,6% 2,4% 27,0%

Regular Muito ruim/Ruim NS Total

4,2% 10,4%

Periferia

não revelam diferenças significativas

Total

25,0%

30,0% 27,0% 39,6% 3,5% 100,0%

7,5% 17,4%

Grande parte dos moradores da Central e Favela desaprovaram segurança no combate aos crimes contra o meio ambiente . Os demais cruzamentos

Favela

a atuação dos órgãos de

de avaliação .


:• 11111

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

1111I

.'..

IIRESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

,',~, -, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES

",'

,

~S:; .__',

IIComo você avalia a atuação dos órgãos de segurança no combate a perturbação

da paz e sossego público? PERTURBAÇÃO DA PAZ E SOSSEGO

Regular

20,8%

36,1% 14,4%

Muito ruim/Ruim

41,7%

47,6%

32,8% 15,9% 49,8%

NS

0,0% 10,4%

1,9% 45,2%

1,5% 100,0%

Muito bom/Bom

Total

0,8% 27,0%

PERTURBAÇAO DA PAZ E SOSSEGO MJito bom/Bom Regular Muito ruim/Ruim NS Total

35-44 anos

anos

1,8% 24,8%

34,3% 8,6% 56,2% 1,0% 22,8%

, %. 12,2% 39,8% 1,0% 21,3%

45-54 anos

55 anos ou mais

Total

25,4%

33,3% 22,2% 44,4% 0,0% 15,7%

32,8% 15,9% 49,8% 1,5% 100,0%

4,2% 15,4%

Nas Favelas e Pericentral há maior reprovação do trabalho de combate à perturbação da paz e sossego públicos. Também cresce a reprovação na faixa etária de 25 a 34 e 45 a 54 anos de idade. Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


••

•• •• 1IIII •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

.

'""f ..77.... J?--

'.

/11I/

..~', ~,-~.. '

.\~~.,.

I/RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

1

.--

.

APURAÇÃO E COMBATE AC'RIMES.

:

, .

IIComo você avalia a atuação dos órgãos de segurança no combate a roubos, assaltos, furtos e arrombamentos?

ROUBOS/ ASSALTOS/ FURTOS/ ARROMBAMENTOS

23,8% 28,8% 47,5% 0,0% 17,4%

Muito bom/Bom Regular

Muito ruim/Ruim

NS ;rotal

0,0% 10,4%

0,0% 27,0%

ROUBOS/ ASSALTOS/ FURTOS/ ARROMBAMENTOS

Muito' bom/Bom

Rê9u1ar Muito ruim/Ruim

0,0% 24,8%

NS

Total

ROUBOS/ ASSALTOS/ FURTOS/ ARROMBM'lENTOS

Muito bom/Bom Regular Muito ruim/Ruim

NS Total

anos

anos

24,8% 22,9% 52,4% 0,0% 22,8%

22,5% 22,5% 54,9% 0,0% 15,4%

+ de 5 a + de 10 26,1% 28,7% 45,2% 0,0% 25,0%

26,5% 26,5% 46,9% 0,0% 35,2%

23,7% 27,6% 48,5% 0,2% 100,0%

0,0% 15,7%

23,7% 27,6% 48,5% 0,2% 100,0%

Total

10SM

SM

22,9%

16,1%

23,7%

0,0% 18,9%

27,6% 48,5% 0,2% 100,0%

27,1% 49,0% 1,0% 20,9%

A grande maioria dos entrevistados residentes na Central e Pericentral desaprovam a atuação dos órgãos de segurança no combate a roubos, furtos e arrombamentos. A avaliação da faixa mais jovem, de 18 a 24 anos é menos negativa do que os mais velhos, sendo que mais de 80% dos que têm mais de 55 anos desaprovam este combate. O cruzamento por renda mostra a maior insatisfação da população que recebe mais de 105M por mês, passando de 80% das respostas . Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação.


•• •• IIIII •• lIA •• •• mortes de cidadãos •• já •• realizada pelos órgãos de segurança . •• •• •• •• •• •• "W'"

ÍlIJI

.

_...

/lRESULTADOS -INVESTlGAÇAO,

.

. ~.

APURAÇAO E COMBATE A CRIMES

.

. :.: ,

,.g»lS~ .~.:.:

,. .

- ... ~.~ ---.-

-.""'-

,;~'

APURAÇÃO A CRIMES DE HOMiCíDIO E LATROcíNIO PELOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA TAMPOUCO É APROVADA PELOS ENTREVISTADOS

• Crimes que envolvem impunidade e descaso das autoridades,

deixam na população a impressão de que quase 80% desaprova a apuração

> Como você avalia a apuração realizada pelos órgãos de segurança de crimes de homicídio e latrocínio? 77,8%

28,3%

26,1%

18,9%

I:• •• ••

-

1,7%

1,5% -

Muito boa

--

Boa

Regular

Ruim

Muito Ruim

NS

I


IIIII

;,

1111I

'

.

.

,

;-

,

IIRESULTADOS -INVESTIGAÇÃO,

',

, .

' ,

APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES:

.';."

IIFAVELAS E REGIÃO CENTRAL SÃO AS QUE MAIS DESAPROVAM A APURAÇÃO DE LATROcíNIOS E HOMiCíDIOS

Centr;~11I Pericentral~IPeriferiall Favela "

--~~....-~ Regula.l _

Muito bom/Bom

12,5%

....

Muito ruim/Ruim NS Total

===

• •

2,1% 10,4%

..,rnrrrr.&'

L'

20,2% _w

.,

;;". ~"=-

1

32,3% 41,9% 0,8% 27,0%

~_

18,8%

• ~4.,5% 54,3%

-

1,oo/!!. 45,2%

5,0% 17,4%

20,4% 28,3% 49,6% 1,7% 100,0%

Na região central quase 90% desaprovam as apurações de crimes de homicídio latrocínio, e nas favelas o índice é de quase 80% de desaprovação. Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação.

e


••

•• •• 11III •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •.1 ••

IICRIMES CONTRA GRUPOS ESPECíFICOS DE CIDADÃOS NÃO TÊM APURAÇÃO E COMBATE EFICIENTES

• O trabalho de combate a crimes contra mulheres, crianças e idosos é desaprovado pelos entrevistados, com mais de 70% dos entrevistados avaliando a apuração e combate como regular, ruim ou muito ruim .

> Como você avalia a apuração e combate aos crimes cometidos contra:

Mulheres (violência física e assassinato)

Idosos (agressão, maus tratos, abandono)

Menores (abuso, pedofilia, exploração) 73,5%

75,4%

52,2%

1

I

Muito boa! Regular Boa ---

2,8%

2,2% Ruim! Muito ruim

NS

Muito boa! Boa

Regular

Ruim! Muito ruim

NS

2,2% Muito boa! Boa

Regular

Ruim! Muito ruim

NS


•• :• 11III •• l/ENTREVISTADAS •• MULHER •• ~ ~ :.~'

,!11I11

'~_

-.'

"."

' •.'

._

_'" <".iSJr(~9:

\ -"~

.,'£-L ' '.

"

"

:~~-4', r~;,;

'

s',;(;

'. . ,?'

..•,

> . '. : IIRESULTADOS :"INVESTIGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES~". ~::' ...~:~\,',

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

"

\ ••

-

SÃO MAIORIA A DESAPROVAR

CRIMES CONTRA A MULHER

Muito bom/Bom

2,'

23,1"10

22,4"10

Regular

20,2"10

14,4"10

17,6"10

Muito ruim/Ruim

50,8"10

58,7"10

57,8"10

0,0%

3,8"10 45,2"10

2,2"10 100,0"10

2,1"10 10,4"10 CRIMES CONTRA A MULHER Masculino

27,0"10

Sexo Feminino

Muito bom/Bom R~ular Muito ruim/Ruim

2,0"10 53,0"10

NS Total

Total

22,4"10 17,6"10 57,8"10 2,2"10

100,0"10

Muito bom/Bom Heg~lar MJito ruimlRuim NS Total

15,3"10 53,1 "lo 2,0"10 21,3"10

24,6"10 17 ,5"10

57,0"10 0,9% 24,8"10

35-44

45-54

anos

anos

18,1"10 15,2"10 64,8"10 1 ,9"10 22,8"10

21,1"10 22,5"10 52,1"10 4,2"10 15,4"10

-....

,

f'

L

O COMBATE A CRIMES CONTRA A

Nos bairros Centrais e Favelas estão mais moradores que desaprovam o combate a crimes contra as mulheres . As mulheres também se mostraram mais inseguras neste quesito: mais de 80% desaprovaram o trabalho de combate a crimes contra elas. O cruzamento por idade mostra que os entrevistados com mais de 55 anos consideram pior o combate a crimes contra mulheres .

Idade CRIMES CONTRAA ' MULHER

.

Total

16,7"10

2,8"10 15,7"10

22,4"10 17,6"10 57,8"10 2,2"10

100,0"10

Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


:• 11111

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

11111 /I RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES

>

//ENTREVISTADOS MAIS VELHOS AVALIAM PIOR O COMBATE A CRIMES CONTRA IDOSOS CRIMES CONTRA IDOSOS fv1uitobom/Bom

5

Regular MJito ruim/Ruim NS Total

2,1% 10,4%

o

18,5% 54,0% 2,4% 27,0%

2,5% 17,4%

CRIMES CONTRA IDOSOS anos

anos

anos

MJito bom/Bom

2650;0

Regular

26,5% 44,9% 2,0% 21,3%

21,9% 17,5% 57,9% 2,6% 24,8%

18,1% 20,0% 57,1% 4,8% 22,8%

MJito ruim/Ruim NS Total

20,7% 20,2% 56,3% 2,8% 100,0%

Total

2,8% 15,4%

1,4% 15,7%

20,7% 20,2% 56,3% 2,8% 100,0%

Os que pior avaliam o combate a crimes contra idosos residem nos bairros Centrais e Favelas. Também há maior desaprovação entre as pessoas maiores de 35 anos, sendo que quase 2/3 dos entrevistados com mais de 55 anos classificaram o trabalho como ruim ou muito ruim . Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


••

:• IIIII

•• •• ••• •• •• •• •• •• •• •• •••

•• •• •

- lI/li

"

<

. '-o

.::

,~-

•• :

••

;.

.':

_

.

••

.

v-),

:.

"

.:;~"'.~.,.:.•.r, _~~}.•~.~

'.

.:~H:f":~~_.;,r:'-~;"'1'''''fi. ~

-

.IIRESULTADOS',-INVESTiGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A êRí'MES°th1&:C,,-,

~:~

//CRIMES CONTRA MENORES NÃO TÊM COMBATE SATISFATÓRIO PRINCIPALMENTE PARA MORADORES DA REGIÃO CENTRAL E FAVELAS

.CRIMES CONTRA MENORES Muito bom/Bom Regular Muito ruim/Ruim NS Total

Central

Pericentral

Periferia

Favela

Total

10,4%

25,8% 21,0% 50,8% 2,4% 27,0%

26,4% 19,2% 51,4% 2,9% 45,2%

25,0%

24,3% 21,3% 52,2% 2,2% 100,0%

0,0% 10,4%

1,3% 17,4%

As piores avaliações do trabalho de apuração e combate de crimes contra menores estão nos bairros centrais e nas favelas, sendo que nestas quase 60% consideram ruim ou muito ruim o trabalho contra tais crimes . Os demais cruzamentos

não revelam diferenças significativas

de avaliação .


••

:/1111 •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

•• •• •• •

: 11I11

.'

; ; ,,-

. -c'

-

.' '-;'::"."

:'"

--:

-

.

't.,

IWJCP2 ,.

IIAVALlAÇÃO GERAL DO TRABALHO DA POlÍCIA NA APURAÇÃO E INVESTIGAÇÃO DE CRIMES RESUME A INSATISFAÇÃO DA POPULAÇÃO

da polícia

considera

pouco ou nada satisfatório o trabalho

na investigação e apuração de crimes .

> Na investigação e apuração de crimes, a polícia tem realizado um trabalho: 69,3%

26,5%

2,6%

1,5% Muito satisfatório

Satisf ató rio

Pouco satisfatório

Nada satisfatório

~

t

- _.~_~ ..,,"""~~~-<'~.T.

'. 11 RESULTADOS -INVESTIGAÇÃO, APURAÇÃO E COMBATE A CRIMES ~_~:;;;;,;- ~ ,_.

• Quase 70% dos entrevistados

'-:.~

NS


~.----------------------

••

•• •• •• • ••

•• •• •• •• •• •• •• •

•• •

•o• ••

1111I II RESULTADOS SEGURANÇA AO TRA SITAR PELAS RUAS DE BH


••

:/1111 •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

IIPREDOMINA A SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA AO TRANSITAR EM BELO HORIZONTE

~

•• •• • •• •

• De maneira geral 70% entrevistados se sentem pouco ou nada seguros ao transitar nas ruas da capital. Apenas 30% disseram sentir segurança .

~-

> De maneira geral, você se sente seguro ao transitar pelas ruas de seu bairro e cidade? 69,8% 45,2%

28,5%

1,5% Muito seg uro

0,2% Seguro

Pouco seg uro

Nada segurol inseguro

NS


--• •

:/1111 •

•• •• ••• •• •• •• •• •• •• •• •• •

••

•• •

.

111/1

-.

..

> •

'.'

.••,.,

'.'

-.

.; _

,~?':.'.

•••••••• ~

" _

11RESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH:',

,

~

:. •• -

l.

!..',.

.

IIALGUMAS PARCELAS DA POPULAÇÃO SENTEM MAIOR INSEGURANÇA

Muito seguro/ seguro

38,6%

Pouco/nada seguro/Inseguro

61,4%

Total

12,4%

18,8%

15,0%

Total

Nordeste

Barreiro

Oeste

26,4%

38,5%

32,7%

31,5%

34,0%

73,6%

59,6%

67,3%

68,5%

66,0%

11,5%

11,3%

11,3%

11,7%

11,5%

SEGURANÇA NAS RUAS Muito segurol seguro Poucol nada

segurollnseguro Total

NAS RUAS

,

9,3%

48,1%

69,8%

5,9%

100,0%

'y

Sexo

. Masculino

Feminino

Total

37,0%

23,8%

30,0% 69,8%

63,0%

0,0%

30,0%

7,0%

0,4%

0,2%

Estão nas regiões Noroeste e Norte os moradores com maior insegurança ao andar nas ruas, passando de 90% na regional Norte . As mulheres também se sentem mais inseguras, com % das respostas . Os demais cruzamentos não revelam diferenças significativas de avaliação .


-

••

:/1111 •

•• •• •• •• ••

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •

1111I

' :

,',

"

IIRESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH , ,_

//INSEGURANÇA

mCP2

'. ",

,

-.:

..

-

.- . ..:.;_ -

---

'.PUQUISAS

~.~.

-~-,-

NAS RUAS É PRESENTE MESMO PELA MANHÃ

• No período da manhã, logo no início do dia, há maior segurança nas ruas, mas ainda assim quase 50% dizem sentir-se pouco ou nada seguros neste horário .

r-

> Você se sente seguro ao transitar na rua de manhã, ao sair para o trabalho/escola?

46,7% 47,8%

29,8%

5,2%

Muito seguro

--------

Seguro

--

Pouco seguro ---,-----

Nada segurol inseguro

I I

I

----'

~

','


••

:• 11III

•• •• •• •• ••

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •

lIA INSEGURANÇA

NAS RUAS AUMENTA CONFORMA A NOITE AVANÇA

• Com o cair da noite a sensação de insegurança

aumenta,

sendo que às 18h, 70%

dizem já sentir-se inseguros nas ruas de BH, passando de 80% das resposta no horário de 22h .

r- > Você se sente seguro ao transitar na rua de noite, nos horários de: I

22h

18h

81,9%

70,2% 40,0% 30,2% 27,2%

15,9% 2,6% Muito seguro

1,5% Seguro

'--------------

Pouco seguro

---

Nada segurol inseguro

-

-

Muito seguro

I

Seg uro

Po uco seg uro Nad a seg urol ________ i_ns_eg_uro __

I ,


:• IIIII

•• •• ••

•• •• •• •• •• •• •• •• ••

•• • ••

:;~lf.~(-:~I\:. ,.- ", 1/11I . , .. . . .... , '., ".,'.~1,'\:-j: '.. . , .> 1/ RESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH 'ti;-.:.: . ,~\~ •

-.

:~:~:

~,~

',-::

~

_

;

j

-

••

//ÀS 22H A INSEGURANÇA PREDOMINA EM TODAS AS REGIONAIS SEGURANÇANAS RUASPELA MANHÃ

Mu~oseguro/ seguro Pouco/nada seguro/Inseguro NS Total

MJ~oseguro/ seguro Pouco/ nada seguro/Inseguro Total

Total 26,3%

53,6%

52,8%

46,4%

47,2%

0,0% 15,0%

0,0% 11,5%

• 0,0% 12,4%

14,0%

12,4%

38,5%

61,5%

79,6%

54,7%

38,5%

20,4%

43,4%

0,0% 11,3%

0,0% 11,7%

29,0%

28,3%

30,8%

26,9%

71,0%

71,7%

69,2%

73,1%

50,0%

62,3%

15,0%

11,5%

11,3%

11,3%

11,7%

11,5%

Total

14,5%

5,7%

• 82,6%

12,4%

15,0%

11,5%

17,3%

11,1%

47,8%

0,0% 5,9%

0,2% 100,0%

9,3%

48,1%

70,2%

5,9%

100,0%

Pampulha

11,3%

Total 17,4%

13,5%

82,7% 11,3%

52,0%

29,8%

Norte 10,5%

88,9%

37,7%

SEGURANÇANAS RUASÀS22H MJ~o seguro! seguro Pouco/ nada seguro/Inseguro

25,6%

70,4%

66,0%

11,7%

11,5%

82,0% 9,3%

5,9%

100,0%

Nas regiões Oeste, Barreiro e Norte, os índices de insegurança pela manhã são muito maiores do que a média, chegando a % das respostas. No horário de 18h, nas regionais Norte e Oeste mais de 85% dos moradores já se sentem Inseguro, índice que aumenta às 22h. Às 22h é generalizada a insegurança para aqueles que precisar andar pelas ruas da cidade .


:• 11111

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •

•• •• •• •• ••

'1111I

.

• .. .':".:'

.

.-;

11 RESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH .

IIOS CRUZAMENTOS POR TIPO DE OCUPAÇÃO REVELAM DIFERENÇAS DE PERCEPÇÃO DOS MORADORES DE CADA ÁREA

SEGURANÇA NAS RUAS PELA MA.NHA

Periferia

Favela

53,4%

51,3%

52,0%

46,2%

48,8%

47,8%

27,0%

45,2%

17,4%

100,0%

20,2%

33,2%

lIt1uitoseguro! seguro Pouco! nada seguro! Inseguro

39,6%

Total

10,4%

SEGURANÇA NAS RUAS As 18H MJito seguro! seguro

25,0%

Pouco! nada seguro! Inseguro

75,0%

Total

10,4%

10,4%

29,8%

66,8%

61,3%

70,2%

27,0%

45,2%

17,4%

100,0%

5,6%

21,2%

SEGURANÇA NAS RUASÀS22H MJito seguro! seguro Pouco! nada seguro! Inseguro Total

10,4%

27,0%

17,4%

78,4%

68,8%

82,0%

45,2%

17,4%

100,0%

A sensação de segurança nos bairros centrais e pericentrais diminui mais drasticamente ao longo do dia, sendo locais mais seguros pela manhã e nada seguros à noite. Já nas periferias e favelas, há menor mudança na sensaçao dos moradores, sendo percebidos como mais seguros à noite em relação às demais regiões.


•• :/1111 •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

11/1/

-

-.

•••.

,,' ':

,-.

"

\

.

' ,:

'.

-

I

- "

-

~-

'

.- ~ -

';,

IIRESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH

_::i~;

-"

:}~ .•.

lIAS MULHERES SENTEM-SE MAIS VULNERÁVEIS NAS RUAS SEGURANÇA NAS RUAS PELA MANHÃ

Sexo Masculino

Feminino

Total

MJito segurol seguro

59,3%

45,5%

52,0%

Poucol nada segurol Inseguro

40,7%

Total

47,0%

47,8%

Sexo

SEGURANÇA NAS RUAS As 18H

Total

Muito segurol seguro

37,5%

Poucol nada segurol Inseguro

62,5%

Total

47,0%

23,0%

29,8% 70,2%

53,0%

100,0%

li

SEGURANÇA RUAS

100,0%

53,0%

As

Sexo

NAS ! 22H

Masculino

Muito segurol seguro

21,3%

Poucol nada segurol Inseguro

78,2%

Total

47,0%

lr

Feminino

13,9%

lr

Total

17,4% 82,0%

53,0%

100,0%

As mulheres se sentem mais vulneráveis do que os homens em todos os horários perguntados, com quase 55% afirmando sentir-se Inseguras pela manhã, quase 80% inseguras às 18h e 85% às 22h.


-------------------------

•• mCP2 :/1111 •• IINOTAS DADAS SEGURANÇA PÚBLICA REFLETEM A INSEGURANÇA SENTIDA •• NAS RUAS •• • Mais de 70% dos entrevistados avaliaram a segurança pública como regular, ruim •• ou muito ruim. A média e mediana das notas atribuídas é 5. 11I11

.'.

'(.:

'.'

. '.

.

.

.

y

~

~~::{~:,é~.~<~)-' . ',' -~~ ,f,,~

\

11RESULTADOS - SEGURANÇA AO TRANSITAR PELAS RUAS DE BH : . ,t:i;'l\.i.:.:; :.~ .'

'.

'.PlSQUtSAS

..~ '.~ -- ~.

À

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •

•• •

_

> Que nota você dá para o trabalho de segurança pública que lhe é oferecido pelo Estado?

38,5%

71.1%

23,0% 18,0%

5,2%

0-2 (Muito ruim)

3-4

5-6

(Ruim)

(Regular)

7-8 (Bom)

9-10 (Muito bom)

I

J

~'~ - ;J

•••:.''>i


-•

••

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

111II II RESULTADOS LEMBRANÇA DA ATUAÇÃO DA POLíCIA MILITAR


~--------------------------------------------

••

:/1111 •

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

.. .

.' .

11/1/ '. " .', , . 1/ RESULTADOS - LEMBRANÇA DA ATUAÇÃO DA POLrCIA MILITAR

.,,'" .. .,'..';

--.-'~~." ....~'.",'-"~CP2 ....•..... <'.-. ,.

.:. :>-. L

"',

...~ .j'c•..

'.' .

PlSQlIISAS

',K'i'.i;;~~~ ....."~"'--.'

r"':;'

,,:1'1 lI<'fi

.,:-,r'tj:

IIPOLlCIAIS FAZENDO RONDAS E IDENTIFICAÇÃO DE SUSPEITOS SÃO VISTOS POR PARTE DA POPULAÇÃO

• Foram variadas as respostas sobre a operação de identificação de pessoas suspeitas nas ruas feita pela Polícia Militar. Enquanto cerca de 30% haviam visto na semana da pesquisa, outros 30% não se lembram de ter visto ou nunca viram este tipo de abordagem nas ruas. Já as rondas foram mais vistas recentemente, com mais de 50% tendo visto na última semana . > Quando foi a última vez que você viu policiais militares fazendo:

Rondas nas ruas

Identificação de pessoas suspeitas nas ruas 19,3%

Nos últimos 3 dias

12,2%

Nos últimos 7 dias

19,3%

Nos últimos 7 dias

41,7%

Nos últimos 3 dias

Há cerca de 15 dias 10,0%

Há cerca de 15 dias

Há cerca de 30 dias Há cerca de 30 dias Há cerca de 3 meses

6,7%

12,8%

Há cerca de 3 meses

Há cerca de 6 meses 9,3%

, Há cerca de 6 meses

Não lembro 12,8%

Não lembro ~"""":!I~~:":"~"-~

Nunca vi

.

:

-. '.

Nunca vi 17,2%

10,0%

I

I

NS --

-

------

-l


••

i/IIII

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

;;

11111 IIRESULTADOS

.'

",

.'

_

~.',

.'

'c

-

£.:¥, .••. _

.. .,''',''_

. ' . .

- LEMBRANÇA DA ATUAÇÃO DA POLrCIA lViiLITÃR' ".:.

-'!-i,-,

,J'. ~'

~.-...A.y,.,\

,;-" ::'.:~'~

:ft-):i~:':J}~1

IIOCORRÊNCIA DE RONDAS E IDENTIFICAÇÃO NAS DIFERENTES REGiÕES DE OCUPAÇÃO DA CIDADE Última vez que viu PMs fazendo identificação de pessoas suspeitas Na última semana Há duas semanas a um mês Mais de 3 meses atrás Não lembra/não sabe/ nunca viu Total

Total

Central

28,7%

12,5%

21,8%

27,1%

15,3%

18,3%

22,5%

19,1%

18,8%

24,2%

21,6%

22,5%

22,2%

41,7%

38,7%

25,0%

22,5%

30,0%

10,4%

27,0%

45,2%

17,4%

100,0%

Última vez que viu grupos de PMs fazendo ronda Na última semana Há duas semanas a um mês Mais de 3 meses atrás Não lembra/não sabel nunca viu

50,0%

Total

50,5%

25,0%

10,5%

15,4%

20,0%

15,9%

10,4%

10,5%

12,5%

15,0%

12,2%

14,6%

15,3%

21,6%

15,0%

18,0%

10,4%

27,0%

45,2%

17,4%

100,0%

A identificação de suspeitos ocorre mais na periferia e favelas, enquanto na reglao central e pericentral muitos dizem nunca ter visto este tipo de ação policial.

Já as rondas acontecem

com frequência similar entre as regiões, com exceção da pericentral, que concentra mais rondas.


...,-------------------------,

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

11I11 //RESULTADOS SUGESTÕES SOBRE A ATUAÇÃO POLICIAL E SEGURANÇA PÚBLICA


:• 11111 •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

IICOMO PREFERE QUE O POLICIAMENTO

A ronda, na opinião em viaturas e para Central, Pericentral que preferem as bicicletas, passando

de 60% deve ser feita 40% a pé. Na reglao e Favela aumentam os , rondas a pe ou em de 50% na Central.

OSTENSIVO SEJA FEITO?

Policiamento ostensivo Policiaisa pé! bicicleta Policiaisem viaturas NS Total

PericentralPeriferia

Total

44,4%

26,9%

43,8%

37,4%

45,8%

54,0%

72,6%

52,5%

61,3%

0,0% 10,4%

1,6% 27,0%

0,5% 45,2%

3,8% 17,4%

1,3% 100,0%


•• :/1111 •• •• PÚBLICA?MEDIDAS DEVEM SER TOMADAS •• •• --•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• IIQUAIS

PARA MELHORAR A SEGURANÇA

Medidas

Mudar as leis penais e processuais do país tomando-as mais severas

61,5%

Aumentar o número de policiais civis e militares

50,7%

Remunerar melhor os policiais civis e militares

45,9%

Conscientizar a socieaaae soí5re o papel da política na resolução dos problemas, inclusive segurança pública Treinar/capacitar melhor policiais nas suas funções

36,1% 1,3%

Acabar c/ a corrupção dentro da própria polícia

0,7%

Punir menores infratores

0,2%

Diminuir maioridade para 16 anos

0,2%

Melhorar integração entre polícia e população

0,2%

Melhorar o sistema educacional

0,2%

NS

0,7%

Obs,; a soma dos percentuais

ultri'lpaS'5il

lOOl?'Úpor tratar-se de questão onde cada entrevistado

--

• Os entrevistados apontam, basicamente, 4 sugestões para a melhora da segurança pública, sendo a principal enrijecer as leis penais e processuais brasileiras, apontada por 61% dos entrevistados.

pode dar ma:s de UIl1 respostii.

Pdfd mais informações.

vide relatório estatistico.


-•

••

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •

II111 IICONSIDERAÇÕES FINAIS


-• • :• 1II1I •• lIA •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

SEGURANÇA PÚBLICA É UM SÉRIO PROBLEMA EM BELO HORIZONTE

• A pesquisa revelou que a população de Belo Horizonte está colocando em cheque a segurança pública que lhe é oferecida pelo Estado, demonstrando grande insegurança em viver em Belo Horizonte. A investigação, apuração e combate aos mais diversos tipos de crime e a segurança nas ruas da capital são contestadas pelos entrevistados, sendo que é necessária atenção das autoridades para esta questão .

• A avaliação em todos os quesitos é negativa, sendo que em alguns grupos de entrevistados aumenta a desaprovação de aspectos da segurança púbica. O combate a furtos de veículos, por exemplo, é preocupação maior dos que têm renda mais elevada e dos que moram na região central, enquanto o combate à perturbação da paz e sossego públicos deixa a desejar principalmente para os moradores da região pericentral e de vilas e favelas. A apuração de latrocínios e homicídios também tem maior desaprovação nas favelas e região central, enquanto o combate a roubos, assaltos e furtos deve ser melhor principalmente na opinião dos moradores da região pericentral e central e da população de maior renda . • Sobre a segurança nas ruas, é possível ver que em algumas regiões de Belo Horizonte, como a Norte e a Oeste, os moradores se sentem muito inseguros durante todo o dia, nas demais áreas a insegurança é sentida pela manhã, aumentando muito durante a noite, sendo as mulheres as que se sentem mais vulneráveis .

• Diante deste quadro, a população pede principalmente que se aumente a punição para crimes, com reformas nas leis penais e processuais, e também requer aumento do efetivo e melhor remuneração dos policiais .


-•

•• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• •• ••

PESQUISAS

pesquisa@cp2.com.br


Avaliação da Satisfação da Segurança Pública em BH  

Resultado da pesquisa encomendada pela Associação de Delegados de Polícia Civil – Adepolc feita em 2011 com o objetivo de avaliar a satisfaç...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you