Page 1

Adesão cresce

www.bancariosdf.com.br

Brasília, 4 de outubro de 2010

Ano 16 - Número 1.277

Greve chega ainda maior à segunda semana

O

s bancários de Brasília continuam firmes e fortes na paralisação nacional da categoria, que entra hoje na segunda semana pressionando os bancos a apresentarem uma contraproposta que atenda as reivindicações dos trabalhadores. Crescente desde o início em todo o país, o movimento no Distrito Federal registrou na sexta-feira (1º) aumento de adesão superior a 20%

em relação ao segundo dia. “Entramos na segunda semana da greve com força total. Os bancários que ainda não aderiram ao movimento devem se juntar aos que já estão parados para que nossa paralisação se fortaleça ainda mais. É hora de mostrar por que somos uma das categorias mais organizadas do país”, afirma Rodrigo Britto, presidente do Sindicato, ao convocar todos a intensificar ainda mais a paralisação.

Na sexta-feira, a greve no DF cresceu substancialmente nos bancos privados. E no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal ganhou novas adesões tanto nas agências espalhadas pelo Plano Piloto e regiões administrativas quanto nos edifícios administrativos. “Os únicos responsáveis pela greve são os banqueiros, que se limitaram a oferecer 4,29% de reajuste, índice que repõe apenas

a inflação do período, sem qualquer ganho real para a categoria bancária, além de rejeitarem as demais reivindicações sobre saúde, emprego e segurança. É inadmissível que um sistema tão rentável quanto o financeiro mantenha uma postura tão intransigente”, critica Eduardo Araújo, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil e diretor do Sindicato.

Nova assembleia organizativa hoje, às 17h, no SBS.


2

Sindicato dos Bancários de Brasília

Bancários do BB só saem da greve com avanços na mesa específica

A

lém das cláusulas que estão sendo negociadas com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), os bancários do Banco do Brasil estão em greve nacional por tempo indeterminado para ver atendidas suas reivindicações específicas. Quanto mais forte a paralisação, maiores são as chances de avançar nas conquistas. Portanto, é de suma importância a adesão de todos para o sucesso da luta da categoria. Participe dos comitês de esclarecimento e fortaleça a greve.

As principais reivindicações do BB:

Orientações para a greve

n Aumento do piso do PCS. n Jornada de 6 horas para todos os cargos

n A Constituição e a Lei de Greve garantem o direito à greve.

técnicos, sem redução de salários. n Fim dos descomissionamentos com base em uma única avaliação de desempenho, transferindo-se essa alçada exclusivamente para a Gepes. n Fim da Lateralidade e dos desvios de função, com a volta das substituições para todos os cargos. n Crescimento horizontal nas comissões do PCC, com incorporação anual das gratificações de função. n Ampliação do número de caixas em todas as agências e efetivação dos substitutos. n Fim das metas abusivas, das cobranças individuais e dos rankings de produtividade. n Garantia da comissão e dos benefícios para os afastados por licença-saúde, para todo o

em outro site ou por acesso remoto.

período de afastamento. n Eleição de representante dos funcionários para o Conselho de Administração. n Indenização da Gratificação Variável para os ex-funcionários do banco Nossa Caixa e desmembramento das verbas salariais incluídas no VCPi de todos os egressos de bancos incorporados. n Vincular a Ouvidoria interna ao Conselho de Administração, de forma a fortalecer sua posição no combate ao assédio moral dentro do banco. n Concessão da licença-prêmio, completando o processo de isonomia dos funcionários. n Fim da terceirização do serviço bancário. n Fim do correspondente bancário.

problemas jurídicos, uma vez que isso não está previsto no contrato de trabalho.

n A greve é de todos, mas é importante que cada bancário faça a sua parte para a categoria alcançar seus objetivos.

n Se você for convidado para trabalhar durante a paralisação, não aceite. É contra a lei de greve. Grave o registro da mensagem de celular, com hora e data e encaminhe ao Sindicato.

n Os bancos vão tentar confundir a categoria. Acredite apenas nas informações divulgadas pelo Sindicato.

n Denuncie ao Sindicato o assédio moral e a coação dos bancos para furar a greve ou trabalhar

n Trabalhar em casa durante a greve, além de desrespeitar e enfraquecer a luta dos seus colegas, pode trazer

n Caso a polícia ou oficial de Justiça apareça, permaneça na agência sem fazer o confronto. Exija a identificação


4 de outubro de 2010

3

Greve se intensifica na Caixa

A

greve dos bancários ganha força também na Caixa. Nesta quinta-feira (30), houve um aumento significativo no número de agências paralisadas do banco. Mais da metade das unidades estão fechadas e a adesão da categoria cresce a cada dia, tanto nas agências quanto nos prédios. “Apesar da mobilização dos bancários, a Caixa permanece intransigente, insistindo em não negociar com os bancários. Temos uma extensa pauta específica, com muitos assuntos de grande importância. Entendemos que só será possível dobrar a direção da Caixa com o empenho de todas e todos”, afirma Antonio Abdan, empregado da Caixa e diretor do Sindicato. A Caixa insiste em práticas antissindicais, pressionando os empregados que estão no movimento de greve para que voltem ao trabalho e tentando impedir o funcionamento dos comitês de esclarecimento. “Os empregados que estiverem sofrendo qualquer tipo de pressão por causa

da greve devem procurar o Sindicato, pois o nosso movimento é legítimo e nós não iremos aceitar qualquer tipo de pressão”, afirma Wandeir Severo, empregado da Caixa e secretário de Formação do Sindicato. “A participação ativa de todos os bancários é de extrema importância, uma vez que cada um de nós é responsável pelos resultados obtidos pelo nosso movimento. Faço, ainda, um chamado aos empregados novos à greve, que têm seus principais benefícios conquistados através da luta”, afirma Fabiana Proscholdt, empregada da Caixa e secretária de Saúde do Sindicato.

As principais reivindicações da Caixa: n Aperfeiçoamento do PFG. n Realização imediata da promoção por mérito referente a 2009.

n Reconhecimento, por parte da Caixa, do CTVA como verba salarial para fins de aporte à Funcef. n Não a qualquer forma de discriminação aos colegas que permanecem no REG/REPLAN não saldado. n Extensão do auxílio-alimentação e cestaalimentação a todos os aposentados e pensionistas. n Implantação do Plano Saúde Família. n Proibição de criação de correspondentes bancários onde existam agências bancárias. n Contratação imediata de mais empregados, atingindo-se o número mínimo de 100 mil. n Adoção da jornada de 6 horas para todos os empregados. n Igualdade de conquistas entre novos e antigos.

do oficial de Justiça, leia o ofício na íntegra, anote dados e comunique o coordenador e o Sindicato imediatamente.

n Informe os clientes dos motivos da greve, da exploração e desrespeito dos bancos com clientes e população. Procure ajudar a clientela.

Sindicato. Elas são importantes para debater e fortalecer a estratégia de mobilização para pressionar os banqueiros.

n Convença os colegas bancários sobre a importância da greve e da unidade da categoria. Convença-os a participar das manifestações em agências de outros bancos.

n Permaneça no comitê de esclarecimento pelo menos até as 16 horas.

n Tenha sempre em mãos os telefones do Sindicato: 3262-9090 (geral) ou 3262-9004, 3262-9018, 3262-9030 e 3262-9008 (Secretaria Geral).

n Vá às atividades, reuniões e assembleias convocadas pelo


4 de outubro de 2010

4

Greve

se alastra por todo o DF

Sindicato dos Bancários de Brasília

Presidente Rodrigo Lopes Britto (presidencia@bancariosdf.com.br) Secretária de Imprensa Rosane Alaby Conselho Editorial Alexandre Severo (Caixa), Antonio Eustáquio (BRB), Rafael Zanon (BB) e Rosane Alaby (Bancos Privados) Jornalista responsável e edição Renato Alves Editor assistente Rodrigo Couto Redação Thaís Rohrer, André Shalders e Pricilla Beine (estagiária) Editor de Arte Valdo Virgo Diagramação Marcos Alves Webmaster Elton Valadas Cinegrafista Ricardo Oliveira Fotografia Agnaldo Azevedo e Augusto Coelho Sede SHCS EQ 314/315 - Bloco A - Asa Sul - Brasília (DF) - CEP 70383-400 Telefones (61) 3262-9090 (61) 3346-2210 (imprensa) Fax (61) 3346-8822 Endereço eletrônico www.bancariosdf.com.br e-mail imprensa@bancariosdf.com.br Tiragem 10.000 exemplares Distribuição gratuita Todas as opiniões emitidas neste informativo são de responsabilidade da diretoria do SEEB-DF

Informativo 1277  

Informativo 1277

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you